COMPORTAMENTO: PRESIDENTE DO PTB DEIXA CLARO SUA INSATISFAÇÃO COM O EMBAIXADOR CHINÊS NO BRASIL

Roberto Jefferson clama pela “expulsão” do embaixador da China: “Não me ajoelho! Malandro! Palhaço!” (veja o vídeo)

Roberto Jefferson e Yang Wanming - Foto: Reprodução; Marcelo Camargo/Agência BrasilRoberto Jefferson e Yang Wanming – Foto: Reprodução; Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, gravou, nesta quinta-feira (22), um vídeo onde deixa clara sua insatisfação com o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming.

Defendo que o povo armado é ‘a última trincheira para a liberdade e a democracia’, Jefferson detonou o embaixador chinês:

“Esse chinês, malandro, que está aí hoje, na Embaixada da China, tem que ir embora”, declarou ele.

Jefferson ainda apontou que os cidadãos de bem são a última resistência contra o comunismo, e afirmou:

“Quando tudo estiver exaurido, nós somos a retaguarda. E só por cima do nosso cadáver é que vão implantar aqui o regime ateu-marxista-comunista. Um palhaço macaco do realejo que repete dogmas de Marx, como esse embaixador da China […] Eu não me ajoelho a esse macaco chinês”, disparou ele.

Confira:

Continuar lendo COMPORTAMENTO: PRESIDENTE DO PTB DEIXA CLARO SUA INSATISFAÇÃO COM O EMBAIXADOR CHINÊS NO BRASIL

BRASIL NÃO PODE CONTINUAR COM AS ESCOLAS FECHADAS E RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS É UMA NECESSIDADE URGENTE, AFIRMA MINISTRO DA EDUCAÇÃO

Em pronunciamento, ministro da Educação ‘conclama’ retorno de aulas presenciais

Declaração foi dada durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão nesta terça-feira (20)

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

Atualizado 20 de julho de 2021 às 22:37

Em pronunciamento, ministro da Educação 'conclama' retorno de aulas presenciais

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o Brasil não pode continuar com as escolas fechadas e que o retorno das aulas presenciais é uma “necessidade urgente”. A declaração foi dada durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão nesta terça-feira (20).

“O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nesta e nas futuras gerações. Não devemos privar nossos filhos do aprendizado necessário para a formação acadêmica e profissional deles”, disse o ministro.

Em pronunciamento, Milton Ribeiro destacou as consequências geradas pela pandemia de Covid-19 na educação, e as classificou como “devastadoras”.

“Estudos da Unesco, da Unicef e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico apontam que o fechamento de escolas traz consequências devastadoras, como a perda de aprendizagem, do progresso do conhecimento, da qualificação para o trabalho e o aumento do abandono escolar. Sem falarmos das implicações emocionais”.

De acordo com o ministro, se o MEC pudesse determinar o retorno das aulas presenciais, ele já teria feito; mas destacou que a decisão de fechamento das escolas ficou com os estados e municípios.

“Quero deixar claro que, no Brasil, a decisão de fechamento e reabertura das escolas foi delegada a estados e municípios. Não tendo o governo federal o poder de decisão sobre o tema. O MEC não pode determinar o retorno presencial das aulas. Caso contrário eu já teria determinado. Mas não retorno a qualquer preço, que isso fique bem claro. Fornecemos protocolos de biossegurança sanitários a todas as escolas. Tanto da educação básica quanto do ensino superior”, afirmou Ribeiro.

vacinação de toda a comunidade escolar não será uma condicionante para a reabertura das escolas, de acordo com pronunciamento realizado pelo ministro nesta terça-feira.

“A vacinação é importante e eu, pessoalmente, solicitei ao ministro da Saúde a priorização de todos os profissionais da educação, os quais já estão sendo vacinados. Entretanto, a vacinação de toda a comunidade escolar não pode ser condição para a reabertura das escolas”, disse.

“Caros pais, estudantes e profissionais da educação não podemos mais adiar este momento. O retorno às aulas presenciais é uma necessidade urgente”, acrescentou o ministro.

Continuar lendo BRASIL NÃO PODE CONTINUAR COM AS ESCOLAS FECHADAS E RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS É UMA NECESSIDADE URGENTE, AFIRMA MINISTRO DA EDUCAÇÃO

SEGUNDO ANP, O RN TEM A SEGUNDA GASOLINA MAIS CARA DO BRASIL

Por G1 RN

 

Gasolina posto de combustível bomba abastecer abastecimento carro frentista Natal RN Rio Grande do Norte — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV CabugiGasolina posto de combustível bomba abastecer abastecimento carro frentista Natal RN Rio Grande do Norte — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi

O Rio Grande do Norte segue com a 2ª gasolina mais cara do Brasil. É o que aponta o levantamento semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). (Veja o ranking completo no fim).

O novo registro foi feito entre os dias 11 e 17 de julho. O estado também figurava na segunda posição na pesquisa da semana anterior.

De acordo com o relatório da ANP, o preço médio da gasolina comum no estado foi de R$ 6,34 na semana da pesquisa. O único estado com valor superior foi o Acre, com R$ 6,39.

O Rio de Janeiro teve preço médio de R$ 6,33 e se manteve atrás do estado potiguar, na terceira posição.

Para o levantamento, a ANP pesquisou 52 postos em todo o Rio Grande do Norte. O menor preço encontrado na investigação foi de R$ 6,15, enquanto o maior chegou a R$ 6,39.

Essa é a primeira pesquisa completa após o reajuste da Petrobras no último dia 5 de R$ 0,16 no preço da gasolina na refinaria. O aumento foi sentido dois dias depois nos postos do estado e desencadeou em protestos.

Preço médio é maior em Natal

O preço médio da gasolina comum em Natal é R$ 0,04 mais alto em Natal do que no estado, segundo a ANP.

Na capital potiguar, a média de preço nos 25 postos pesquisados foi de R$ 6,38. O preço mínimo encontrado na pesquisa foi de R$ 6,35, sendo o máximo de R$ 6,39.

Em Parnamirim, o preço médio foi de R$ 6,30, sendo R$ 6,15 o mínimo e R$ 6,38 o máximo. Foram 10 postos pesquisados.

Em Mossoró, o preço médio ficou em R$ 6,27, com o mínimo em R$ 6,25 e o máximo em R$ 6,28. Ao todo, 17 postos estiveram no levantamento.

Ranking dos estados com gasolinas mais caras (preço médio)

  1. Acre: R$ 6,39
  2. Rio Grande do Norte: R$ 6,34
  3. Rio de Janeiro: R$ 6,33
  4. Piauí: R$ 6,27
  5. Goiás: R$ 6,20
  6. Rio Grande do Sul: R$ 6,12
  7. Bahia: 6,04
  8. Minas Gerais: R$ 6,01
  9. Tocantins: R$ 6,00
  10. Distrito Federal: R$ 5,998
  11. Alagoas: R$ 5,99
  12. Mato Grosso: R$ 6,969
  13. Espírito Santos: R$ 6,967
  14. Rondônia: R$ 5,95
  15. Pernambuco: R$ 5,92
  16. Pará: R$ 5,87
  17. Mato Grosso do Sul: R$ 5,827
  18. Ceará: R$ 5,822
  19. Amazonas: R$ 5,79
  20. Sergipe: R$ 5,75
  21. Maranhão: R$ 5,70
  22. Paraíba: R$ 5,58
  23. Roraima e Santa Catarina: R$ 5,532
  24. Roraima e Santa Catarina: R$ 5,532
  25. São Paulo: R$ 5,48
  26. Paraná: R$ 5,51
  27. Amapá: R$ 5,05

Fonte: G1 RN

Continuar lendo SEGUNDO ANP, O RN TEM A SEGUNDA GASOLINA MAIS CARA DO BRASIL

DESVIO DE R$ 3,2 BILHÕES EM VERBAS PARA A SAÚDE ESTÁ SENDO INVESTIGADO PELA POLÍCIA FEDERAL

PF investiga desvio de R$ 3,2 bilhões em verbas destinadas à Covid-19

Até o momento, a PF já apreendeu mais de R$ 190 milhões em 103 operações pelo Brasil

Vianey Bentes, da CNN, em Brasília

 Atualizado 19 de julho de 2021 às 22:32

Polícia Federal (PF) afirmou nesta segunda-feira (19) que já realizou mais de 100 operações para reprimir o desvio e a utilização indevida de verba pública federal destinada ao enfrentamento da Covid-19 em todo o país. De acordo com a PF, o volume investigado já alcançou a cifra de R$ 3,2 bilhões.

Os estados com valores mais expressivos sob investigação são Pará (R$ 1,4 bi), Rio de Janeiro (R$ 850 milhões), Pernambuco (R$ 198 milhões), São Paulo (R$ 118 milhões), Minas Gerais (R$ 100 milhões), Rondônia (R$ 92 milhões) e Piauí (R$ 82 milhões).

Desde a deflagração da primeira operação para apurar os desvios, a Alquimia, na Paraíba, em abril do ano passado, outras 102 operações foram realizadas até o dia 13 de julho.

O Amapá é o estado com maior número de operações (11), seguido por Maranhão (10), Pernambuco (8), Sergipe (8), Rio de Janeiro (7), São Paulo (6), Piauí (6), Pará (6) e Rondônia (4).

A PF já cumpriu 158 mandados de prisão temporária, 17 de prisão preventiva e 1.536 mandados de busca e apreensão em 205 municípios de 26 unidades da Federação, já tendo apreendido R$ 190 milhões desde a primeira operação.

Continuar lendo DESVIO DE R$ 3,2 BILHÕES EM VERBAS PARA A SAÚDE ESTÁ SENDO INVESTIGADO PELA POLÍCIA FEDERAL

PRIMEIRA PESSOA VACINADA NO BRASIL COM CORONAVAC AFIRMA EFICÁCIA DO IMUNIZANTE

Sou prova viva de que Coronavac é eficaz, diz 1ª pessoa vacinada no Brasil

Para Mônica Calazans, “quem fala mal da Coronavac não tem conhecimento” e “vacina boa é vacina no braço”

Tamires Vitorio, com produção de Thiago Felix, da CNN, em São Paulo*

 Atualizado 17 de julho de 2021 às 12:09

1ª vacinada no Brasil: Quem me ataca não tem coragem de estar na linha de frente

Era 17 de janeiro de 2021 quando a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Brasil, se tornando a primeira pessoa a ser vacinada no país inteiro. Calazans recebeu o imunizante Coronavac, desenvolvido no país pelo Instituto Butantan, no Hospital das Clínicas de São Paulo e atualmente já está completamente imunizada.

Para ela, as críticas à Coronavac são “ataques sem fundamento”. “Quem ataca não tem conhecimento. Sou prova viva de que a vacina é eficaz e os cientistas elaboraram muito bem”, diz ela em entrevista à CNN. “No fundo todo mundo vai acabar se vacinando porque todo mundo quer tirar a máscara”, afirma.

Segundo Calazans, ela não teve efeito colateral após tomar as duas doses do imunizante. A enfermeira também afirmou, sobre casos de “sommelier de vacina”, ou seja, pessoas que chegam nos postos de saúde e querem escolher qual imunizante irão tomar, que “vacina boa é vacina no braço”.

“Agora temos mais confiança que temos vacina, a equipe que eu trabalho está imunizada, trabalhamos com mais segurança, mas isso não dá o direito de abrirmos a guarda enquanto todo mundo não estiver vacinado. Não tirem a máscara”, alerta Calazans.

Calazans conta que, depois que o pesadelo da pandemia passar, ela quer “mostrar o seu sorriso tirando a sua máscara”. “Os hábitos de higiene, como lavar as mãos frequentemente, temos de levar para a nossa vida. Mas quero que todo mundo possa mostrar o seu sorriso, que eu possa apertar as mãos e abraçar as pessoas, ir a uma festa com segurança, retomar a vida normal. Hoje não fazemos mais isso”, diz.

Calazans parabenizou “todos os seus colegas da área da saúde”. A enfermeira ainda fez um pedido, ressaltando para que as pessoas tomem cuidado e continuem a obedecer as medidas para evitar o contágio. “Olhe para o futuro. Vamos passar com excelência por esse período”, afirma.

Seis meses depois da primeira pessoa vacinada contra a Covid-19, o Brasil ocupa o 66º lugar no ranking global de aplicação de doses da vacina neste sábado (17), na relação a cada 100 habitantes, com 57,62 doses aplicadas.

Mônica Calazans, de 54 anos, mora em Itaquera, na zona Leste da capital paulista, e trabalha no hospital Emílio Ribas, referência no tratamento de Covid-19 no país. Para chegar ao seu trabalho, de acordo com um relato feito ao governo de São Paulo, ela leva cerca de uma hora e meia.

A enfermeira tem perfil de alto risco para complicações da Covid-19: é obesa, hipertensa e diabética. Mesmo assim, em maio, quando a pandemia atingia alguns de seus maiores picos, escolheu trabalhar no Emílio Ribas, mesmo ciente de que a unidade estaria no epicentro do combate à pandemia. Segundo ela, a vocação falou mais alto.

A profissional atuou como auxiliar de enfermagem durante 26 anos e resolveu fazer faculdade já mais adulta, e conseguiu o diploma de enfermeira aos 47 anos.

Corintiana, Mônica é viúva e mora com o filho Felipe, de 30 anos, conta que é minuciosa nos cuidados de higiene e distanciamento no trabalho e quando chega em casa.

Em 2020, Mônica foi a vencedora do prêmio Notáveis CNN por conta de sua luta contra o novo coronavírus. Ao receber o prêmio, ela se emocionou. “Eu não sei nem se essa palavra, heroína, cabe a mim. Falo por mim, por todos os profissionais de saúde que ainda estão na linha de frente e aqueles que não estão mais com a gente, que tentaram fazer um trabalho perfeito e foram arrebatados pela doença”, disse.

Fonte: CNN

Continuar lendo PRIMEIRA PESSOA VACINADA NO BRASIL COM CORONAVAC AFIRMA EFICÁCIA DO IMUNIZANTE

KETLEYN E BRUNINHO SERÁ O CASAL DE PORTA-BANDEIRAS DO BRASIL NA CERIMÔNIA DE ABERTURA DO EVENTO NO JAPÃO

Por Carlos Gil — Tóquio

 

No dia 23 de julho, a bandeira brasileira entrará pelo Estádio Olímpico de Tóquio em mãos que conhecem bem o peso de uma medalha. Ketleyn Quadros, bronze nas Olimpíadas de Pequim com o judô, e Bruninho, campeão olímpico com o vôlei, serão o casal de porta-bandeiras do Brasil na cerimônia de abertura do evento no Japão.

Os dois foram anunciados pelo Comitê Olímpico do Brasil neste sábado (horário de Tóquio). É a primeira vez que uma dupla terá a missão de carregar a bandeira brasileira em uma cerimônia de abertura das Olimpíadas. Ketleyn e Bruninho vão desfilar pelo estádio olímpico com roupas inspiradas nas cores do Brasil, leves e informais.

Bruninho vai ser porta-bandeira do Brasil em Tóquio junto com Ketleyn Quadros — Foto: Miriam Jeske/COBBruninho vai ser porta-bandeira do Brasil em Tóquio junto com Ketleyn Quadros — Foto: Miriam Jeske/COB

Os dois, porém, só vão devem se encontrar na próxima semana, na Vila Olímpica. A dupla de porta-bandeiras, por enquanto, está em bases do Comitê Olímpico do Brasil no Japão. Ketleyn está com a delegação do judô em Hamamatsu, enquanto Bruninho está em Ota com a seleção masculina de vôlei.

Ketleyn Quadros entrou para a história como a primeira mulher do país a conquistar uma medalha em provas individuais em uma edição dos Jogos, em 2008. Agora, será a terceira atleta a levar a bandeira em uma cerimônia de abertura, depois de Sandra Pires, em Sydney 2000, e Yane Marques, no Rio.

Ketleyn Quadros, do judô, com medalha de bronze olímpica — Foto: Paul Gilham/Getty ImagesKetleyn Quadros, do judô, com medalha de bronze olímpica — Foto: Paul Gilham/Getty Images

– Estou muito orgulhosa de representar não só o judô, que é o esporte da minha vida, mas também as mulheres brasileiras, guerreiras e lutadoras. Fico muito emocionada com o convite – disse a judoca, que vai buscar uma nova medalha olímpica na categoria até 63kg.

Bruninho, por outro lado, se acostumou a subir ao pódio olímpico. Além do ouro conquistado em casa, no Rio, em 2016, também soma duas pratas, em Pequim 2008 e Londres 2012. Em Tóquio, terá a honra de representar o país na festa de abertura dos Jogos.

– A escolha de fazer uma dupla com vôlei e judô foi muito feliz. São dois dos esportes mais importantes da história olímpica brasileira. Acho muito justo. É um orgulho, uma conquista pessoal. Mas é, também, um reconhecimento à modalidade. É a primeira vez que alguém do vôlei de quadra terá essa honra. É um esporte que, depois da Geração de Prata, está sempre trazendo medalhas. É um reconhecimento a quem veio antes, pessoas com quem aprendi, me inspirei e que poderiam ter tido essa honra antes de mim.

Ketleyn e Bruninho mantiveram segredo até mesmo de seus companheiros de esporte. Ao gravar a entrevista, a judoca, por exemplo, despistou o restante da delegação. O capitão da seleção de vôlei, por sua vez, só avisou a um grupo restrito. Entre eles, claro, o pai, Bernardinho.

– Eu falei para ele porque tem muito dele nisso. Não só pela medalha, por ele ser um medalhista olímpico, de uma geração que abriu portas para tanta gente. Mas, também, por ter sido o treinador de gerações maravilhosas e vitoriosas. Meu pai vai estar também ali, cumprindo esse papel.

Ketleyn ficou longe do mundo olímpico por dois ciclos. Bronze em Pequim, não conseguiu se classificar para Londres e Rio. De volta, agora, será a primeira judoca porta-bandeira desde Aurélio Miguel, que representou o esporte nos Jogos de Barcelona, em 1992. Em tempos de pandemia, uma vitória a mais na vida de quem se acostumou a superar barreiras.

– Eu lutei muito na minha vida. Para mim é muito importante para ser escolhida. Muito orgulho de representar meu esporte e de ser mais uma mulher a carregar a bandeira.

Na história

Em 100 anos de história do Brasil em Olimpíadas até Tóquio, foram 20 porta-bandeiras diferentes, em 21 edições. Sylvio de Magalhães Padilha e João Carlos de Oliveira, do atletismo, foram os únicos que carregaram a bandeira em duas edições. Os brasileiros não participaram das Olimpíadas de 1928 por conta da grave crise econômica que o país vivia naquele ano. Em 1940 e 1948, os Jogos não foram realizados por conta da Segunda Guerra Mundial.

Na história, o atletismo é o grande celeiro de porta-bandeiras do Brasil, com oito representantes. O basquete tem quatro. A vela vem logo em seguida, com três. O judô vai, agora, igualar o número com Ketleyn.

Os porta-bandeiras do Brasil em Olimpíadas

OlimpíadasAtletaEsporte
Antuérpia 1920Afrânio Antônio CostaTiro Esportivo
Paris 1924Alfredo GomesAtletismo
Los Angeles 1932Antônio Pereira LiraAtletismo
Berlim 1936Sylvio de Magalhães PadilhaAtletismo
Londres 1948Sylvio de Magalhães PadilhaAtletismo
Helsinque 1952Mário Jorge da Fonseca HermesBasquete
Melbourne 1956Wilson BombardaBasquete
Roma 1960Adhemar Ferreira da SilvaAtletismo
Tóquio 1964Wlamir MarquesBasquete
Cidade do México 1968João Gonçalves FilhoPolo Aquático
Munique 1972Luiz Cláudio MeninBasquete
Montreal 1976João Carlos de OliveiraAtletismo
Moscou 1980João Carlos de OliveiraAtletismo
Los Angeles 1984Eduardo Souza RamosVela
Seul 1988Walter CarmonaJudô
Barcelona 1992Aurélio MiguelJudô
Atlanta 1996Joaquim CruzAtletismo
Sydney 2000Sandra PiresVôlei de Praia
Atenas 2004Torben GraelVela
Pequim 2008Robert ScheidtVela
Londres 2012Rodrigo PessoaHipismo
Rio 2016Yane MarquesPentatlo
Continuar lendo KETLEYN E BRUNINHO SERÁ O CASAL DE PORTA-BANDEIRAS DO BRASIL NA CERIMÔNIA DE ABERTURA DO EVENTO NO JAPÃO

RN É O PIOR ESTADO DO BRASIL NO AUMENTO DE ARRECADAÇÃO

Mesmo com cenário favorável, RN é o pior estado do Brasil no aumento da arrecadação

Com inflação em alta, a arrecadação dos estados brasileiros aumentou mais de R$ 50 bilhões em 2021 na comparação com o ano passado. Mesmo com esses números favoráveis à arrecadação, o Rio Grande do Norte teve o pior desempenho entre todos os estados brasileiros.

O RN cresceu a arrecadação em 8,8%. Atrás apenas do Distrito Federal, que é uma unidade federativa, com 6,3%. O estado que mais cresceu a arrecadação foi Goiás com 24,1%.

Para se ter um parâmetro, estados vizinhos como Paraíba, Pernambuco e Ceará cresceram, respectivamente: 14,5%, 12,8% e 17,2%.

Continuar lendo RN É O PIOR ESTADO DO BRASIL NO AUMENTO DE ARRECADAÇÃO

RN SERÁ REPRESENTADO NA POLÔNIA PELA MISS POTIGUAR DEISE BENÍCIO

Miss Potiguar se prepara para representar Brasil na Polônia em agosto

Natural de São Rafael, sertão potiguar, Deise Benício, que já foi Miss Rio Grande do Norte em 2014 e representou o Brasil no Japão no mesmo ano, está as vésperas da despedida do universo miss na Europa.

Redação 10/07/2021 | 09:20

Deise Benício Miss Brasil SupranationalDeise Benício foi a vencedora do Miss Brasil Supranational e vai representar o País na Polônia – Foto: Reprodução / Instagram

É possível que você já a conheça ou ache seu rosto familiar. Com uma trajetória na moda que começou aos 14 anos de idade, a modelo e estudante de Direito, Deise Benício, já tem no seu portfólio trabalho com diversas marcas. E agora, aos 29 anos, se prepara para um novo desafio: em agosto, a jovem que é nascida em São Rafael, mas que viveu boa parte da vida em Macaíba, região metropolitana de Natal, embarca para a Polônia para representar o Brasil em um concurso internacional de beleza, o Miss Supranational. Deise conquistou a vaga para representar o país em um concurso realizado em novembro do ano passado, disputando com meninas de todo o Brasil. Ela representou o Distrito Federal, lugar onde mora atualmente. A realização do certame ficou com a data em aberto, em razão da pandemia do novo coronavírus, e, por isso, a viagem para a grande final acontecerá quase um ano depois. Deise coroada Miss Brasil Supranational “Estou com um frio na barriga enorme. Não é o primeiro concurso internacional do qual participo, mas é o último. Então, some à responsabilidade de representar o Brasil o peso de uma despedida deste universo que sempre me deixou tão encantada”, conta a miss, que em 2014 foi ao Japão com a faixa brasileira participar do Miss International, outra franquia de concursos de beleza. Lá, do outro lado do mundo, ficou entre as seis primeiras, disputando com mais de 70 candidatas de diversas nacionalidades. “Foi uma experiência inesquecível. Era minha primeira viagem internacional e logo para o Japão, um lugar completamente diferente, com uma cultura muito particular”, recorda. “Hoje me sinto ainda mais preparada para esse desafio. A maturidade ajuda muito, sabia?”, brinca a bela de sorriso fácil. Antes de ir ao Japão, ela ficou em terceiro lugar no Miss Brasil, na franquia Universo, representando o Rio Grande do Norte. Em desfile de gala durante o concurso A atual Miss Brasil Supranational conta com bastante empolgação que os critérios destes concursos mudaram. E ela sente que não está submetendo somente sua beleza à aprovação de um júri. “Se fosse exclusivamente isso, eu não participaria. O que estou colocando à disposição é minha capacidade de usar minha voz para representar causas, para ser voz para quem não consegue ser ouvido. E é por essas bandeiras, da igualdade de gênero, da tolerância e do respeito, que estou enfrentando mais este desafio”. A final do concurso será no dia 21 de agosto, mas ela deve embarcar alguns dias antes para cumprir quarentena e participar de todas as etapas do confinamento. No momento, a correria é total. Além dos cuidados estéticos, tem ensaios de passarela, provas de roupa, exames médicos e um intensivo de inglês. “Retal final é assim mesmo. Mas o carinho que eu tenho recebido deixa tudo muito mais leve”. DE SÃO RAFAEL PARA O MUNDO “Sou Nordestina, potiguar, são rafaelense e tenho muito orgulho disso”, afirma categoricamente Deise Benício, que revela também a importância desse empoderamento regional. O sotaque, apesar de já morar em Brasília há alguns anos, é o mesmo. “É quem eu sou”. O preconceito, conta, é inegável. Ela percebeu que havia um tratamento diferente desde que representou o Rio Grande do Norte no Miss Brasil, sete anos atrás. “As pessoas não esperam que sejamos bonitas ou inteligentes. E essa ‘surpresa’ que às vezes vem até em formato de elogio é também discriminação”. Algumas brincadeiras – ela fez o sinal de aspas com as mãos – escuta até hoje. Deise fazendo ação social como ajudante do Noel Contudo, nunca cogitou esconder ou “disfarçar” suas raízes. E um motivo a mais para isso é o fato de que seu sonho de miss se transformou em um sonho de família. Quando ela entrou pra esse universo dos concursos, as famílias paterna e materna se uniram em uma torcida digna de Maracanã em final Fla-Flu. “Minha família é muito grande e são pessoas muito animadas, que, além do apoio e do suporte, me dão a energia que eu preciso para seguir firme”, revela. A torcida de Deise sofreu uma grande baixa em 2016, com a morte de seu pai. “Ele me apoiava muito, e eu ainda consigo sentir a torcida dele sempre que subo na passarela”. A conexão com sua cidade natal, localizada na região oeste do estado, é fortalecida anualmente nos fins de ano, quando ela se veste de ajudante do Papai Noel (que no caso é o irmão dela, Diego Benício) e distribui presentes para crianças carentes do município. “Minha família faz isso há muitos anos e, sempre que eu posso, estou junto”.

Fonte: Agora Rn

Continuar lendo RN SERÁ REPRESENTADO NA POLÔNIA PELA MISS POTIGUAR DEISE BENÍCIO

TURQUIA SUSPENDEU ATÉ NOVA ORDEM VOOS DIRETO COM O BRASIL ENTRE OUTROS PAÍSES

Turquia suspende voos com Brasil e impõe quarentena a viajantes

Ministério do Interior turco emitiu decreto proibindo viagens diretas para países com cepas mais contagiosas do novo coronavírus

INTERNACIONAL

DA EFE

Países com cepas mais contagiosas da covid-19 não podem fazer voos diretos para a Turquia

EFE/EPA

A Turquia suspendeu até nova ordem os voos diretos com Brasil, África do Sul, Índia, Bangladesh, Nepal e Sri Lanka, países com cepas consideradas mais contagiosas do novo coronavírus, segundo um decreto do Ministério do Interior turco.

Em comunicado, a pasta indica que as pessoas que estiveram em um dos seis países mencionados nos 14 dias anteriores à chegada à Turquia precisam ter um exame de PCR negativo para covid-19 e necessitarão realizar uma quarentena de 14 dias em lugar a ser informado às autoridades, além de serem submetidas a outro teste ao final do período de isolamento.

Os viajantes procedentes de Afeganistão e Paquistão deverão cumprir uma quarentena de dez dias. Já os de Reino Unido, Egito, Irã e Singapura necessitam apenas um teste de PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores.

Ao chegarem de qualquer outro país, sem estadia recente nos já mencionados, os viajantes não necessitam um PCR negativo caso apresentem um certificado de vacinação ou um documento que comprove que se recuperaram da covid-19 nos últimos seis meses.

Todas estas medidas entrarão em vigor nesta quinta-feira, 1º de julho, e o país suspenderá todas as restrições vigentes até agora para tentar frear a pandemia.

Não haverá mais o toque de recolher noturno, nem nos fins de semana, e a atividade econômica, inclusive hotéis e restaurantes, voltará aos horários habituais de antes da pandemia, confirmou o governo.

No entanto, será mantida por enquanto a proibição de fumar narguilé em cafeterias, por “representar um sério risco de expansão da pandemia”. Além disso, não será permitida música depois da meia-noite.

Continuar lendo TURQUIA SUSPENDEU ATÉ NOVA ORDEM VOOS DIRETO COM O BRASIL ENTRE OUTROS PAÍSES

RN VAI RECEBER UMA DAS MAIORES COMPANHIAS NO SEGMENTO DE GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA DAS AMÉRICAS

Empresa de energia eólica investe R$ 6 bilhões no RN; Fase de construção vai gerar 900 empregos

Foto: Sandro Meneses

O Rio Grande do Norte, líder nacional em energia eólica em terra com mais de 5 gigawatts de potência instalada, vai receber mais um importante investimento para o estado. Trata-se da AES Brasil, uma das maiores companhias privadas do segmento de geração de energia no Brasil, que apresentou, nesta segunda-feira (21), importante projeto voltado para os municípios de Lajes, Angicos, Pedro Avelino e Fernando Pedroza.

Com investimento inicial de R$ 6 bilhões e previsão de iniciar a construção já no segundo semestre, o Complexo Eólico Cajuína vai gerar 900 postos de trabalho durante a fase construção das obras e, após essa etapa, irá contratar equipes de manutenção e operação para atuarem no complexo. A empresa atua há 20 anos no Brasil com investimentos em energia hídrica, solar e consolida a atuação no Rio Grande do Norte com o investimento em energia eólica.

“Nosso compromisso é levar para o Rio Grande do Norte o Programa de Diversidade e Inclusão da empresa, onde temos um programa de preparação exclusiva de mulheres para as atividades de operacionalização dos parques”, disse a Presidente da AES Brasil, Clarissa Sadock.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo RN VAI RECEBER UMA DAS MAIORES COMPANHIAS NO SEGMENTO DE GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA DAS AMÉRICAS

ECOLOGIA-MEIO AMBIENTE: BRASIL É O PAÍS DO MUNDO QUE MAIS DEDICA TERRITÓRIO A PROTEÇÃO DE VEGETAÇÃO NATIVA

Estudo da ONU aponta que Brasil é líder na proteção de florestas

Foto: Banco de imagens/Estadão Conteúdo

O Brasil é o país do mundo que mais dedica território à proteção de vegetação nativa. A afirmação é da Organização das Nações Unidas (ONU), publicada em estudo sobre Áreas Protegidas no Planeta, que considera como terras protegidas as unidades de conservação, parques nacionais, estações hidrológicas e também aquelas destinadas a povos tradicionais, como os indígenas. Entre as dez maiores nações do mundo em extensão territorial, o Brasil está na liderança como o país que mais protege florestas. O ranking preparado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) foi publicado na revista Oeste. Nele, o Brasil lidera com 30% da área protegida, ao lado da Austrália, que tem 20%, China, com 15,6%, Rússia, com 11,2%, e os demais países com 10% ou menos de proteção. Segundo o doutor em Ecologia e presidente da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda, a proteção ambiental brasileira é quase três vezes maior em comparação com as demais nações.

“Isso não é conhecido e nem reconhecido. Não se fala disso aqui dentro e muito menos lá fora. Eu quase diria que para alguns é importante esconder essa realidade. Essa realidade precisa ser conhecida, temos que conhecer como a própria ONU declara no seu relatório sobre as áreas protegidas do mundo que o Brasil tem a maior rede de áreas protegidas terrestres do planeta, o Brasil representa 6% das terras do mundo, sua extensão territorial, mas das áreas protegidas ele é 12%. Isso precisa ser conhecido para que, num segundo momento, seja reconhecido”, afirma. A extensão das áreas protegidas pelo Brasil equivale a 54% de todo o território europeu. Se projetarmos a dimensão territorial das áreas protegidas do nosso país na superfície da Europa, 15 países ficariam cobertos pela mata. No debate da sustentabilidade, a pauta do desmatamento segue no radar. Nesta semana, uma pesquisa feita pela Coalização Brasil, Clima, Florestas e Agricultura mostrou que 90% dos executivos já utilizam dados de desmatamento para tomar decisões nos negócios. Segundo Evaristo de Miranda, esse tema precisa de gestão. “É um tema que temos que gerir, mas ele é apenas um dos componentes do grande tema da gestão das florestas, da gestão da Amazônia, do desenvolvimento sustentável que compõe com tudo isso”, diz. Novos estudos sobre proteção ambiental estão sendo feitos pela Embrapa com dados do Cadastro Ambiental Rural e do Censo, e a expectativa é que eles sejam publicados nas próximas semanas.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ECOLOGIA-MEIO AMBIENTE: BRASIL É O PAÍS DO MUNDO QUE MAIS DEDICA TERRITÓRIO A PROTEÇÃO DE VEGETAÇÃO NATIVA

POLÍTICA: BRASIL VOLTOU A SER MEMBRO ROTATIVO DO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU

Brasil está de volta ao Conselho de Segurança da ONU

Foto: Alan Santos/PRFoto: Alan Santos/PR

Com PIB em alta, apesar de um ano pandêmico, e vacinação contra a Covid-19 a todo o vapor, o Brasil tem mais razões para festejar e ser reconhecido como nação confiável e em desenvolvimento: voltou a ser membro rotativo do Conselho de Segurança da ONU pelo biênio (2022-2023). A escolha foi feita na sexta-feira (11), em Nova York, durante a 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas. O país recebeu 181 votos a favor da inclusão.

O Conselho da ONU é responsável pela manutenção da paz e segurança internacional e será a 11ª vez que o Brasil integrará o órgão.

A última vez que o Brasil participou do Conselho de Segurança da ONU foi há 10 anos atrás.

O Itamaraty comemorou a ascensão do Brasil ao órgão e disse que a aprovação reflete “o reconhecimento da histórica contribuição brasileira para a paz e a segurança internacionais”.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores disse que, como membro rotativo, o Brasil pretende “fortalecer as missões de paz da ONU e defender os mandatos que corroborem a interdependência entre segurança e desenvolvimento”.

O Conselho de Segurança é composto por cinco membros permanentes que têm direito a veto: Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França e por dez integrantes rotativos, eleitos para mandatos de dois anos cada um.

Em novembro de 2020, quando o Brasil mostrou interesse em voltar ao órgão, os países do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, manifestaram apoio à candidatura do país.

O presidente da Rússia, Vladmir Putin, puxou o coro para que haja uma reforma ampla da ONU para abrigar mais países do grupo no Conselho, que representa o principal árbitro de conflitos no sistema internacional.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: BRASIL VOLTOU A SER MEMBRO ROTATIVO DO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU

STF AUTORIZOU A REALIZAÇÃO DA COPA AMÉRICA NO BRASIL

Copa América: Conmebol pede e Maracanã deve fechar por 17 dias

Estádio sediará a final do torneio; interdição busca recuperar o gramado

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

10 de junho de 2021 às 18:46

Estádio do MaracanãEstádio do Maracanã será interditado para que o gramado se recupere Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Após um pedido da Conmebol, o Maracanã deve ser interditado por pelo menos 17 dias. O tema foi tratado durante uma reunião entre membros da entidade sul-americana e representantes do complexo esportivo que aconteceu na tarde desta quinta-feira (10). O estádio sediará a final da Copa América, que acontece em 10 de julho, às 21h. 

A previsão é que a Conmebol pague o aluguel do Estádio Jornalista Mário Filho durante o período acordado. De acordo com informações obtidas pela CNN, a cessão do Maracanã deve acontecer a partir de 24 de junho.

Apesar do Maracanã sediar apenas um jogo na competição, o fechamento do estádio de forma antecipada é um pedido da Conmebol com o intuito de recuperar o gramado para a final do torneio.

Por realizarem os seus jogos no estádio, Flamengo e Fluminense também foram consultados. Caso o período de interdição seja mantido, quatro jogos do campeonato brasileiro precisarão ser remarcados, sendo um do rubro-negro e três do tricolor carioca.

Em 2019, a gestão que administra o Maracanã recebeu cerca de R$ 1,7 milhão para a realização de cinco jogos da Copa América no Maracanã.

Continuar lendo STF AUTORIZOU A REALIZAÇÃO DA COPA AMÉRICA NO BRASIL

ESPORTE-SAÚDE: QUEIROGA NÃO VÊ RISCOS EM REALIZAR COPA AMÉRICA NO BRASIL

Queiroga diz que não vê ‘risco adicional’ na realização da Copa América

Ministro da Saúde afirmou que outros eventos esportivos acontecem no Brasil e que não houve ‘sequer um caso de contaminação em campo’

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

07 de junho de 2021 às 09:5

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na Câmara dos DeputadosMinistro da Saúde, Marcelo Queiroga, na Câmara dos Deputados Foto: Reprodução / CNN

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (7) que não vê “risco adicional” na realização da Copa América no Brasil. O país foi anunciado como sede do campeonato pela Conmebol e confirmado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, na última terça-feira(1º).

Segundo Queiroga, o país recebeu outros eventos esportivos como o Campeonato Brasileiro que “ocorreu normalmente, com várias partidas, não houve sequer um caso de contaminação no campo.”

De acordo com o governo federal, a Copa América acontecerá em quatro estados a partir de 13 de junho – Brasília, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Goiás. Para o ministro da Saúde, há um controle sanitário no Brasil que permite o monitoramento de casos da Covid-19 enquanto o evento acontece.

“As pessoas estão entrando no país seguindo as regras, com exames de RT-PCR. Com controle sanitário adequado, eu não vejo um risco adicional em função dessa competição. A vigilância em saúde existe. Os protocolos sanitários da CBF são validados por especialistas.”

Para Queiroga, não cabe ao ministério proibir o evento. “A prática de esportes não está proibida. A Copa América é um evento privado. Não compete ao Ministério da Saúde autorizar ou não.”

Reconvocação na CPI da Pandemia

O ministro da Saúde voltará a falar aos senadores da CPI da Pandemia nesta terça-feira (8). Ele foi reconvocado e deve prestar esclarecimentos sobre explicar contradições e sanar dúvidas dos membros da comissão a partir das declarações de outros depoentes já ouvidos.

“Eu retorno à CPI sem problemas. Os senadores são pessoas que têm um grande espírito público e acreditamos que querem buscar o melhor cenário para o nosso país”, disse Queiroga na manhã desta segunda-feira.

Continuar lendo ESPORTE-SAÚDE: QUEIROGA NÃO VÊ RISCOS EM REALIZAR COPA AMÉRICA NO BRASIL

CONFIRMADAO POR BOLSONARO A COPA AMÉRICA NO BRASIL E AS CIDADES QUE SEDIARÃO OS JOGOS

MT, RJ, DF e GO sediarão Copa América, diz governo

O anúncio foi feito pelo ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, que confirmou que as partidas serão disputadas sem público

Da CNN, em São Paulo*

 Atualizado 01 de junho de 2021 às 19:54

MT, RJ, DF e GO sediarão Copa América, diz governo

As partidas da Copa América no Brasil serão nos estados de Mato Grosso, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Goiás. O anúncio foi feito nesta terça-feira (1º) pelo ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, no Twitter.

O ministro também confirmou que as partidas serão disputadas sem público.

Há menos de uma hora, em evento de transferência de tecnologia de vacina nesta tarde, Bolsonaro disse que a CBF, em colaboração com a Casa Civil, está escolhendo as cidades-sede em comum acordo com governadores.

De acordo com o presidente, quatro gestores estaduais já se prontificaram: os de Brasília, Rio de Janeiro, do Mato Grosso do Sul e de Goiás — no entanto, o estado confirmado por Ramos é Mato Grosso, não Mato Grosso do Sul. Outro também teria manifestado interesse, mas Bolsonaro não disse de qual estado. “Ao que tudo indica, o Brasil sediará a Copa América”, declarou.

O governo do Distrito Federal informou que “nada foi comunicado oficialmente”.

Em nota, o governador de Mato Grosso informou que entrou em contato com a direção da CBF. Mauro Mendes (DEM) recebeu a informação de que a cidade de Cuiabá está em análise e que “o governo acredita ser possível a realização dos jogos da Copa América”.

Já a prefeitura de Cuiabá demonstrou preocupação. “Diante da iminência de uma terceira onda da Covid-19, a prefeitura pede que a população não se descuide e vê com preocupação a realização da Copa América neste momento tão crucial em que novas variantes do vírus surgem a toda hora.”

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou à CNN que vai “trabalhar para que seja um belo evento e para que não tenhamos efeitos negativos na saúde”

Em nota, o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), afirmou que recebeu uma ligação do governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM), nesta terça-feira, “para consultá-lo sobre a realização da Copa América em Goiás”.

“O prefeito lembrou que os estádios da capital são geridos pelo Estado e que, estabelecidos protocolos sanitários seguros, é favorável à realização do torneio, assim como ocorreram partidas dos campeonatos nacionais da Série A e B, Copa Sul-Americana e Copa do Brasil em Goiânia”, informou a assessoria de Cruz em nota.

Ontem, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) confirmou que a Copa América seria no país, mas Ramos disse não haver “nada certo”. A confirmação oficial do governo só veio nesta terça.

A competição está prevista para acontecer entre 13 de junho e 10 de julho.

A realização da Copa América no país é motivo de críticas por especialistas em razão do momento de pandemia: além da inadequação de se fazer um evento festivo enquanto o país soma mais de 465 mil mortos pela Covid-19, os críticos apontam os riscos sanitários na chegada de viajantes de países vizinhos ao mesmo tempo em que tenta controlar a proliferação de variantes vindas do exterior.

(*Com informações de Bárbara Baião, Gustavo Uribe, Larissa Rodrigues e Leandro Resende, da CNN, em Brasília e no Rio de Janeiro)

Fonte: CNN

Continuar lendo CONFIRMADAO POR BOLSONARO A COPA AMÉRICA NO BRASIL E AS CIDADES QUE SEDIARÃO OS JOGOS

SEGUNDO TÉCNICOS, DEVIDO A CRISE HIDROLÓGICA ENFRENTADA PELO BRASIL EVITAR RACIONAMENTO DE ENERGIA EXIGIRÁ UMA VERDADEIRA “DISPUTA PELA ÁGUA”

Crise hídrica no Brasil deve gerar “disputa pela água”, dizem especialistas

O sucesso nessas tratativas é visto como essencial para garantir o atendimento à demanda em 2021

Por Luciano Costa e Rodrigo Viga Gaier, da Reuters

28 de maio de 2021 às 19:50

Instrumento para medição do nível d'água na barragem Instrumento para medição do nível d’água na barragem da usina hidrelétrica de Furnas, em São José da Barra (MG)Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

Uma crise hidrológica histórica enfrentada pelo Brasil nos últimos meses passou a gerar preocupações sobre a oferta de energia, e técnicos responsáveis pela operação do sistema elétrico avaliam que evitar um racionamento ou blecautes exigirá uma verdadeira “disputa pela água”.

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), liderado pelo Ministério de Minas e Energia, disse após reunião extraordinária na quinta-feira que a escassez de chuvas faz com que seja importante flexibilizar restrições à operação de algumas hidrelétricas, incluindo Jupiá, Porto Primavera e Ilha Solteira, em São Paulo, e Furnas, em Minas Gerais.

Essas medidas, para permitir maior geração de energia ou mais armazenamento em determinadas regiões, precisam ser negociadas com órgãos como a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Ibama, por questões ambientais, e muitas vezes com políticos, devido ao turismo na região dos lagos.

O sucesso nessas tratativas é visto como essencial para garantir o atendimento à demanda em 2021, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento do assunto.

“Racionamento deenergia não está no cenário, mas se não acontecer a flexibilização da vazão, não tem jeito”, disse uma das fontes, que falou sob a condição de anonimato devido à sensibilidade do tema.

“A situação é preocupante? É. Todos temos que estar preocupados e atentos. Mas é desesperadora? Não, não é, ainda temos a carta na manga que é essa flexibilização da vazão.”

Uma segunda fonte foi na mesma linha. “Existe alerta, mas não pânico. Temos recursos desde que sejam flexibilizadas as restrições hidráulicas e as térmicas compareçam. É cedo para falar disso, mas a situação é de total atenção.”

A fonte disse que “ANA e Ibama serão fundamentais”, e que também é preciso alguma torcida por chuvas na região Sul.

“Estamos ‘na mão’ do Sul e de vencermos as flexibilizações hidráulicas”, afirmou, também sob condição de sigilo.

Um racionamento de energia vivenciado pelo Brasil em 2001, que esfriou a economia e atrapalhou planos eleitorais de aliados do então presidente Fernando Henrique Cardoso, tornou discussões sobre o tema praticamente um tabu no Brasil desde então.

Mas o assunto volta ao radar de tempos em tempos, agora depois de o período entre setembro e maio ter registrado os piores níveis de chuvas em 91 anos de histórico no reservatório das hidrelétricas, principal fonte de geração do Brasil.

As flexibilizações na operação de usinas que o CMSE busca, no entanto, podem enfrentar alguma resistência por preocupações ambientais ou mesmo políticas, disse à Reuters um importante técnico do setor.

Medidas sobre vazões também poderiam ter efeitos danosos para setores como o de café, importante na área de Furnas.

“Sendo franco, essa questão vai ser muito difícil, é uma pauta antipática. Acho que vai dar briga, sempre deu”, afirmou, ao lembrar que no passado o governo do presidente Jair Bolsonaro costurou acordos com políticos de Minas Gerais para manter um nível mínimo em lagos como Furnas, que fomentam o turismo.

Nesta sexta-feira, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), criticou duramente o ONS, após a divulgação de informações sobre o pedido do CMSE para flexibilizar a operação de usinas incluindo Furnas.

“O ONS, vinculado ao Ministério de Minas e Energia, apoderou-se das águas brasileiras para o seu propósito único de geração de energia… a previsão de secar os reservatórios do sistema de Furnas, em Minas Gerais, é inaceitável, ainda mais depois dos acordos feitos com a bancada federal do Estado”, escreveu ele no Twitter.

“Essa política energética sem ideias, que não planeja e não pensa em médio e longo prazo, reduz os níveis de água e sacrifica o abastecimento, o turismo, a navegação, a agropecuária, a piscicultura e o meio ambiente”, atacou.

Procurado, o ONS não respondeu especificamente às afirmações do senador, mas disse que decisões sobre flexibilizações operativas serão tomadas pela ANA e encaminhadas ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), “por se tratarem de importantes iniciativas para manterem a segurança no abastecimento”.

O ONS também disse que “o cenário merece atenção”, mas não vê risco de falta momentânea de oferta, ou déficit de potência, “considerando as medidas necessárias para a segurança e a continuidade do suprimento de energia que foram tomadas pelo CMSE”.

O órgão do setor de energia também destacou que “vem reforçando a gestão de todos os reservatórios” e que trabalha junto ao Ibama e à ANA para “assegurar a governabilidade da operação hidráulica das principais bacias da região Sudeste”.

Na quinta-feira, o CMSE alertou que medidas de flexibilização são necessárias para “mitigar o risco da perda do controle hídrico na bacia do rio Paraná”.

A ANA disse em nota que “está realizando a análise da solicitação do ONS”, sem detalhar.

Já o Ministério de Minas e Energia afirmou que “a situação atual é desafiadora” e que trabalha com foco em “manter o máximo possível de água nos reservatórios” das hidrelétricas.

“O objetivo é garantir que, mesmo com poucas chuvas, seja mantido um volume de água suficiente tanto para geração de energia elétrica quanto para os demais usos da água. Sem um controle adequado das vazões, podem ocorrer impactos a todos os usuários”, afirmou a pasta em nota à Reuters.

As preocupações com o suprimento vêm 20 anos depois do racionamento histórico de 2001, e assim como naquela ocasião também um ano antes de uma eleição, quando geralmente há incentivos à economia em qualquer governo, pontuou a especialista Leontina Pinto, da Engenho Consultoria.

Ela ainda disse que esforços para evitar a qualquer preço uma crise de energia, que incluem o uso em massa de térmicas, mais caras, podem gerar uma pesada conta quando os custos forem repassados à tarifa, o que ocorreu em 2015, após o país ter enfrentado riscos de oferta no ano anterior.

“Meu nível de preocupação é muito alto. A gente consegue uma retomada econômica sem energia? Ou com energia a preços estratosféricos?”, questionou ela.

“Eu tenho um programa aqui de simulações, eu chamo de racionômetro. Brinco que já está no momento de ‘ligar’ ele de novo.”

Continuar lendo SEGUNDO TÉCNICOS, DEVIDO A CRISE HIDROLÓGICA ENFRENTADA PELO BRASIL EVITAR RACIONAMENTO DE ENERGIA EXIGIRÁ UMA VERDADEIRA “DISPUTA PELA ÁGUA”

BOAS NOTÍCIAS: UMA AVALANCHE DE CONCURSOS PÚBLICOS ABERTOS

Aberta mais uma temporada de concursos públicos. São 57 concursos abertos em todo o Brasil, que vão de prefeituras municipais a bancos oficiais. De defensoria pública a organizações não governamentais – ONGs. De Polícia Militar estadual a Tribunal de Contas Estadual. Portanto, escolha logo o seu concurso e se inscreva o quanto antes, pois as vagas são limitadas!

Brasil tem 57 concursos públicos abertos. Salários chegam a R$ 12 mil

Por Monique de Carvalho

Pelo menos 57 concursos públicos estão com inscrições abertas esta semana. São mais de 6 mil vagas, com salários que chegam a R$ 12 mil.

Entre elas, destacamos o Banco de Brasília (BRB), que oferece 100 oportunidades, sendo 50 para contratação imediata e o restante para formação de cadastro reserva.

Metrópoles publicou e a gente compartilha com você.

Veja alguns dos concursos abertos:

Banco de Brasília (BRB)

Cargos: áreas de Tecnologia da Informação

Vagas: 100 (50 imediatas e 50 em cadastro reserva)

Requisitos: nível superior

Remuneração: R$8.142

Inscrições: até 16/07/2021

Acesse o edital

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

Cargos: atuação na prevenção e combate a incêndios florestais nos estados de Goiás, Rio de Janeiro, Minas Gerais e o Distrito Federal

Vagas: 145 temporárias (contrato de 24 meses)

Requisitos: nível fundamental

Remuneração: R$1.100

Inscrições: até 26/05/2021

Acesse o edital

Polícia Militar do Estado de Alagoas

Cargos: agente da polícia militar

Vagas: 1.060

Requisitos: nível médio

Remuneração: de R$ 1.682,33 a R$ 8.099,94

Inscrições: até 28/05/2021

Acesse o edital

Defensoria Pública do Estado da Bahia

Cargos: defensor público

Vagas: 18

Requisitos: nível superior

Remuneração: R$ 22.528,54

Inscrições: até 23/06/2021

Acesse o edital

Tribunal de Contas do Estado do Amazonas

Cargos: Auditoria Governamental; Auditoria de Obras Públicas; Auditoria de Tecnologia da Informação; e Ministério Público de Contas

Vagas: 40 vagas + cadastro reserva

Requisitos: nível superior

Remuneração: R$ 8.328,77

Inscrições: até 22/06/2021

Acesse o edital

Tribunal de Contas do Piauí

Cargos: Auditoria Governamental; Auditoria de Obras Públicas; Auditoria de Tecnologia da Informação; e Ministério Público de Contas

Vagas: 6 vagas

Requisitos: níveis médio e superior

Remuneração: de R$ 2.699,79 a R$ 11.474,13

Inscrições: até 21/06/2021

Acesse o edital

Com informações de Metrópoles

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: UMA AVALANCHE DE CONCURSOS PÚBLICOS ABERTOS

SEGUNDO EMBAIXADOR, O BRASIL DEVE SER COMTEMPLADO COM DOAÇÃO DE DOSES DE VACINAS PELA UE

Brasil deve ser contemplado com doação de vacinas da Europa, diz embaixador

Embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez falou à CNN sobre o anúncio feito pelo bloco europeu de distribuição de 100 milhões de imunizantes

Produzido por Thiago Felix, da CNN, em São Paulo

21 de maio de 2021 às 16:28

Brasil deve ser contemplado com doação de vacinas da Europa, diz embaixador

 

Em uma declaração feita nesta sexta-feira (21) pela presidente da Comissão Europeia, Ursula van der Leyen, a União Europeia (UE) informou que doará ao menos 100 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 até o final de 2021. Embaixador da UE no Brasil, Ignacio Ybáñez afirmou, em entrevista à CNN, que o Brasil deve ser contemplado com as doações, pois a “ideia é cobrir todas as partes do mundo.”

Segundo ele, a ação faz parte do entendimento da União Europeia de que não será possível superar a pandemia do novo coronavírus de forma isolada

“Só vamos sair dessa se sairmos juntos, não vamos sair parte do mundo e o resto não; isso não é possível. Desse ponto de vista, a UE tem se focado para colaborar com todos os países”, disse Ybáñez.

Ursula van der Leyen também prometeu 1 bilhão de euros (o equivalente a R$ 6,49 bilhões) para a construção de fábricas de vacina na África.

Durante a conferência de saúde do G20, a Pfizer e a BioNTech se comprometeram a entregar 1 bilhão de doses da vacina desenvolvida em conjunto por elas até dezembro deste ano, e outro bilhão em 2022.

A Johnson & Johnson também informou, durante a conferência, que irá fornecer até 200 milhões de doses do imunizante dela até o fim do ano ao consórcio Covax, administrado pela Gavi e pela OMS.

A missão do Covax é comprar vacinas contra Covid-19 em grandes quantidades e enviá-las para as nações mais pobres, que não podem competir com os países ricos na obtenção de contratos com as principais empresas farmacêuticas.

Restrições a brasileiros

Países que compõem o bloco europeu decidiram aliviar as restrições e, com isso, discutir formas de reabrir as fronteiras para turistas em meio à pandemia de Covid-19. Nesta semana, embaixadores de 27 países aprovaram uma proposta que afrouxa alguns critérios na hora de determinar quais países já são considerados seguros.

A ideia é permitir a entrada de turistas totalmente vacinados vindos desses lugares. Ybáñez disse que a medida ainda não abrange brasileiros, sobretudo por causa do temor da variante identificada em Manaus.

“Tendo em conta a melhora da situação em alguns países começamos a pensar na reabertura, mas que será sempre baseada na situação epidemiológica de cada um dos países e a evolução da vacinação”, explicou. “Por agora, há um grupo muito reduzido, são oito países que podem entrar na UE e pouco a pouco vamos ir melhorando.”

Fonte: CNN

Continuar lendo SEGUNDO EMBAIXADOR, O BRASIL DEVE SER COMTEMPLADO COM DOAÇÃO DE DOSES DE VACINAS PELA UE

OPINIÃO:DESEQUILIBRADO O DRÁCULA NAS PLANILHAS DA ODEBRECHT, SENADOR HUMBERTO COSTA SUGERIU À PAZUELLO PEDIR DESCULPAS AO BRASIL POR SUA GESTÃO

Senador Humberto Costa, o Sindicato do Crime (PT) é que deve desculpas ao Brasil

Foto reproduçãoFoto reprodução

Nessa quarta-feira (19), durante o depoimento do ex-Ministro da Saúde Eduardo Pazuello na CPI, o Senador Humberto Costa (conhecido pelo codinome “Drácula”, nas planilhas do departamento da propina da Odebrecht) demonstrou profunda irritação com o Senador Flávio Bolsonaro, esbravejando desequilibradamente: “eu exijo respeito!” e “respeite o presidente Lula” (esse tal de Lula é aquele sujeito cínico que comandou o maior esquema de corrupção “nunca antes visto na história deste País”, a partir de 2003.

É que momentos antes o senador Flávio Bolsonaro havia feito o seguinte comentário: “está lembrando do Lula!”, ao se referir à expressão “Pixuleco” usada pelo senador Renan Calheiros insistentemente na CPI.

Contextualizando o assunto, vale lembrar que ao deixar o ministério, Pazuello afirmou “que políticos estavam insatisfeitos com sua gestão por não terem recebido ‘pixulé’, referindo-se a pequenos saldos de projetos que não foram aplicados e que políticos poderiam realocar.

Importante lembrar que Pazuello reuniu todos os saldos não aplicados (os “pixulés”), fez uma única portaria e investiu tudo no combate à Covid-19, salvando vidas, para insatisfação dos dráculas que estavam à espreita.

Ao final de sua manifestação na CPI, Drácula, digo, o senador Humberto Costa sugeriu ao ex-ministro Eduardo Pazuello que pedisse desculpas ao Brasil, por uma suposta má gestão no enfrentamento ao coronavírus.

Pazuello pedir desculpas ao Brasil? É sério isso? A observação do senador Humberto Costa é cínica inversão de valores – se é que o PT tem algum.

Ocorre que quem deve pedir desculpas ao Brasil é Lula, também conhecido como “Amigo” nas planilhas do departamento de corrupção da Odebrecht. A propósito, o “Amigo”, não deveria pedir simples desculpas, mas pedir perdão pela destruição do Brasil durante 13 anos, promovida por ele e pelo PT (um “Sindicato do Crime”, segundo a edição nº 2470, de 13/04/2017, da Revista Isto É).

Como a memória do brasileiro é fraca, vale a pena relembrar a devastação que o PTvírus impôs ao Brasil. Recorro a trechos da citada edição de Isto É (acessada em https://istoe.com.br/um-sindicato-crime/):

“As principais lideranças petistas ou estão presas ou sob investigação. Entre os 98 citados na lista de Edson Fachin, nomes ligados ao ex-presidente Lula ganham destaque e comprovam que o PT se transformou em uma escola de corrupção.

O Partido dos Trabalhadores está no epicentro da lista do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, que autorizou a abertura de inquérito contra 98 políticos citados nas delações da Odebrecht. Ao PT cabe o papel de protagonista do esquema de corrupção envolvendo contratos da empreiteira com o governo. Com a divulgação da lista, a legenda perde, de uma vez por todas, a chance de reconstruir sua imagem diante de um Brasil destroçado sistematicamente nos últimos 13 anos, período em que os petistas desfrutaram das benesses do poder e dilapidaram o patrimônio público em três mandatos completos e um interrompido.

A lista de Fachin vem para comprovar o que já era sabido: os líderes do PT arquitetaram o mais amplo e devastador projeto de corrupção que se conhece, uma roubalheira que levou o País a mergulhar numa crise econômica sem precedentes. ‘O lulopetismo representa a maior tragédia da história do Brasil’, diz o historiador e escritor Marco Antonio Villa. ‘O PT será lembrado para sempre pelo legado que deixa, de autor do projeto criminoso de poder que destruiu a estrutura do Estado brasileiro e da ética republicana’.

PROMISCUIDADE

Além dos ex-presidentes e chefes da quadrilha Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, petistas como o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, já preso pelo processo do mensalão, o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, o ex-ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, os senadores Lindbergh Farias e Humberto Costa,a senadora Gleisi Hoffmann, pré-candidata à presidência do PT, e os deputados Vincentinho, Marco Maia, Maria do Rosário e Arlindo Chinaglia são alguns dos mencionados (leia quadro). Todos são acusados de ter participado de esquemas de corrupção, caixa dois, compra de votos, troca de favores e outras ações ilícitas. ‘O PT amplificou um sistema de promiscuidade com empresariado e isso tudo terminou contaminando o conjunto das obras partidárias que fez’, diz o cientista político José Lavareda. ‘Ou seja, o Brasil terá como lembrança do período petista os fatos revelados para a sociedade pela operação Lava Jato’.

Junto com o projeto de poder do PT que faliu o Brasil ao lotear cargos públicos, saquear estatais em bilhões de reais e instaurar uma profunda crise, faliu também o Partido dos Trabalhadores. Nas últimas eleições municipais, o resultado dos escândalos foi visto claramente nas urnas: passou de terceiro partido com mais cidades sob a sua gestão para o décimo, ao eleger apenas 256 prefeitos em todo o Brasil — em 2012, 630 prefeituras eram comandadas pelo PT, um encolhimento de 60%. ‘Muito provavelmente o PT não vai ter mais a influência que um dia teve no Brasil. O partido virou um cadáver difícil de ser administrado politicamente, um estorvo, uma herança que ninguém quer lembrar’, diz Vila. ‘Não dá mais para usar o Bolsa Família para ganhar votos, o PT virou o partido do petrolão’, completa.”

O esquecimento dos fatos passados e a ocultação deliberada da verdade pela Esquerda brasileira tem causa: a construção estratégica, deliberada e reiterada de falsas narrativas, ou seja, a massificação de “pós verdades”. Sem limites, são capazes de transformar bandidos em heróis, algozes em vítimas, diabo em anjo e justos em injustos.

Foto de Milton Córdova Junior

Milton Córdova Junior

Fonte: Jornal da Cidade online

Continuar lendo OPINIÃO:DESEQUILIBRADO O DRÁCULA NAS PLANILHAS DA ODEBRECHT, SENADOR HUMBERTO COSTA SUGERIU À PAZUELLO PEDIR DESCULPAS AO BRASIL POR SUA GESTÃO

GOVERNO DA ESPANHA PRORROGOU ATÉ JUNHO AS RESTRIÇÕES DE VOOS DO BRASIL E DA ÁFRICA DO SUL

Espanha prorroga restrições a voos de Brasil e África do Sul até junho

Exceções incluem espanhóis, andorranos, residentes em ambos os países, trabalhadores de determinados setores e outros

INTERNACIONAL

 Da EFE

Restrições a viajantes entraram em vigor no país em 2 de fevereiro

HECTOR RETAMAL / AFP

O governo da Espanha prorrogou novamente, dessa vez até 8 de junho, as restrições aos voos do Brasil e da África do Sul para conter a entrada das variantes do novo coronavírus. Desta forma, apenas as aeronaves destes países ocupadas por espanhóis, andorranos ou residentes em ambos os países podem aterrissar nos aeroportos espanhóis.

A porta-voz do Executivo espanhol, María Jesús Montero, explicou nesta terça-feira (18) hoje que estas limitações são adotadas para evitar a propagação de infecções da covid-19.

Milhares de pessoas vão a show nos EUA pela 1ª vez depois de vacinadas

A medida entrará em vigor à meia-noite do dia 25 de maio, quando a atual prorrogação terminar, e se extenderá até a meia-noite de 8 de junho.

Os passageiros em trânsito internacional para um país que não pertença ao espaço Schengen (espaço comum da União Europeia) com uma escala inferior a 24 horas sem sair da zona de trânsito do aeroporto espanhol também poderão viajar nestes aviões.

O Ministério da Saúde espanhol especificou em um comunicado de imprensa que estas restrições, que entraram em vigor em 2 de fevereiro, não afetam o pessoal aeronáutico necessário para realizar atividades de transporte aéreo.

Além disso, estão previstas outras isenções relativas a voos de aeronaves do Estado, serviços de busca e salvamento, voos com escala em território espanhol para fins não comerciais e que têm como destino final outro país, voos de carga exclusivos, voos posicionais e humanitários, assim como médicos ou de emergência.

Fonte: R7
Continuar lendo GOVERNO DA ESPANHA PRORROGOU ATÉ JUNHO AS RESTRIÇÕES DE VOOS DO BRASIL E DA ÁFRICA DO SUL

JULIA GAMA, A MISS BRASIL DE 2020 FICA EM 2º LUGAR NO MISS UNIVERSO

 

Julia Gama, a Miss Brasil 2020, durante discurso no Miss Universo — Foto: Reprodução Twitter/missuniverseJulia Gama, a Miss Brasil 2020, durante discurso no Miss Universo — Foto: Reprodução Twitter/missuniverse

A brasileira Julia Gama ficou em 2º lugar na 69ª edição do Miss Universo, que aconteceu na noite deste neste domingo (16). A vencedora do concurso foi a mexicana Andrea Meza.

Andrea recebeu a coroa da sul-africana Zozibini Tunzi, eleita na edição disputada em 2019. O Miss Universo não aconteceu em 2020 por causa da pandemia de Covid-19.

O Brasil não vence o Miss Universo desde 1968 (antes, ganhou também em 1963). E não conquistava o segundo lugar desde 2007, quando a mineira Natalia Guimarães também quase levou o título.

Na etapa final do concurso, quando as 5 primeiras colocadas discursam, Julia falou sobre saúde mental.

“É um tópico ainda bastante estigmatizado e, por isso, não conseguimos falar abertamente. Mas para todos aqui esta noite, eu peço que lembrem disso. Por favor, vamos normalizar conversas sobre ansiedade e depressão. Vamos nos apoiar e compartilhar empatia.”

A cerimônia que corou Andrea aconteceu no Seminole Hard Rock Hotel & Casino Hollywood, em Miami, nos EUA. Em terceiro lugar ficou a Miss Peru, Janick Maceta. As quarta e quinta posições ficaram com Índia (Adline Castelino) e República Dominicana (Kimberly Jiménez).

A vencedora

Andrea tem 26 anos, é formada em engenharia de software e vegana. Ela pratica crossfit e esportes radicais, como rapel e sandboard.

Segundo contou ao site do Miss Universo, Andrea gosta de cantar e tem uma família grande, com 40 primos.

Veja fotos da vencedora:

Brasileira

Julia Gama foi eleita Miss Brasil em agosto de 2020, em uma premiação virtual por causa da pandemia de Covid-19.

As candidatas brasileiras foram avaliadas através de vídeos de desfiles, entrevistas e fotografias antigas. Segundo a organização, Julia foi a brasileira que atendeu a todos os requisitos do maior concurso internacional de beleza.

Julia tem 27 anos e é natural de Porto Alegre (RS). Atualmente, a gaúcha mora na China, onde trabalha como atriz.

Ela foi eleita Miss Mundo 2014, representando o Brasil no Miss World, o mais antigo concurso internacional de beleza do mundo.

Fonte: G1

Continuar lendo JULIA GAMA, A MISS BRASIL DE 2020 FICA EM 2º LUGAR NO MISS UNIVERSO

VISANDO REFLETIR SOBRE OS MOTIVO QUE TORNARAM AS LIVES MUSICAIS UM FENÔMENO NO BRASIL, PRODUTOR CULTURAL DO RN LANÇA LIVRO

Por G1 RN

 

Daniel Campos é autor do livro sobre lives — Foto: Divulgação/UFRNDaniel Campos é autor do livro sobre lives — Foto: Divulgação/UFRN

O Brasil viveu uma explosão de lives culturais devido ao isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19 entre 2020 e 2021. Esse novo momento, após uma transição forçada e acelerada para o ambiente digital, virou tema do livro do produtor cultural da UFRN, Daniel Campos.

“Lives e Eventos Culturais no Brasil – Pandemia no Presente, Panorama do Futuro” é um ensaio que abre o olhar para o novo cenário com a lives e as estratégias desse momento. A produção foi publicada pela Lei Aldir Blanc e pode ser adquirido na Cooperativa Cultural da UFRN.

Segundo o autor Daniel Campos, houve uma coleta de dados de artistas e espectadores brasileiros das lives e depoimentos exclusivos de artistas, produtores e outros profissionais envolvidos para a produção do livro. A obra traz referências ainda de trabalhos acadêmicos, sites de jornais e revistas especializadas na internet.

De acordo com Daniel, o Brasil foi, provavelmente, o único país do mundo a realizar um grande número de lives com produção, ou seja, apresentações que requerem planejamento, equipe envolvida, equipamentos e locações que acabam por gerar custos similares ao de um show.

“Diferente do conceito de live em casa, sem (grande) produção e sem músicos, tal como foi apresentado por Chris Martin, vocalista da banda britânica Coldplay, um dos artistas pioneiros das lives durante a pandemia”, explica.

Segundo o autor, o trabalho não tem o propósito de chegar a conclusões definitivas, mas registrar mudanças importantes na oferta de eventos culturais.

O ensaio visa refletir sobre os motivos que tornaram as lives culturais um fenômeno no Brasil, as formas como operam e apontar inovações, atitudes e comportamentos dos artistas diante desse novo cenário nas plataformas digitais, direitos autorais e propaganda e publicidade.

O trabalho aborda, também, questões intrínsecas relacionadas à mediação das lives e às perspectivas e proposições futuras.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo VISANDO REFLETIR SOBRE OS MOTIVO QUE TORNARAM AS LIVES MUSICAIS UM FENÔMENO NO BRASIL, PRODUTOR CULTURAL DO RN LANÇA LIVRO

VACINA COVAXIN TEM AUTORIZAÇÃO DA ANVISA PARA TESTES CLÍNICOS NO BRASIL

Anvisa autoriza testes clínicos da Covaxin no Brasil

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 13 de maio de 2021 às 17:41

Anvisa autoriza ensaio clínico da vacina indiana Covaxin no Brasil - Diário do Poder

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta quinta-feira (13) os testes clínicos no Brasil da vacina Covaxin, contra a Covid-19, desenvolvida pela farmacêutica indiana Bharat Biotech. O pedido foi feito à agência pela empresa Precisa Medicamentos, parceira no Brasil.

Os estudos da Covaxin serão da fase 3, com teste em humanos, seguindo os critérios de qualidade de pesquisas desse tipo. O estudo será controlado por placebo e randomizado. Isto é, parte dos voluntários receberá a vacina e a outra parte, um placebo, a fim de comparação. A distribuição da dose dos placebos deverá ser feita de forma aleatória — isto é, randomizada.

Serão 4.500 voluntários nos testes no Brasil, se juntando a 26.300 voluntários na Índia. A maior parte estará no estado de São Paulo, com 3.000 voluntários, e outros 1.500 distribuídos entre Rio de Janeiro, Bahia e Mato Grosso.

De acordo com a Anvisa, este é o sétimo imunizante a ter autorizado o estudo clínico de fase 3 no Brasil. Em 2020, foram autorizados os testes das vacinas de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, Coronavac (Sinovac/Butantan), Pfizer/Wyeth e Janssen-Cilag.

A Covaxin é a terceira vacina autorizada a testes em 2021. No mês passado, a Anvisa autorizou os estudos clínicos com a vacina da canadense Medicago e com a vacina da chinesa Sichuan Biopharmaceuticals.

No final de março, a Anvisa rejeitou um pedido do Ministério da Saúde para importar a Covaxin.

À época, por 5 votos a 0, a agência aceitou o voto do diretor-relator, Alex Machado Campos, que afirmou que a fabricante não conseguiu comprovar a eficácia e a segurança do imunizante, com falta de garantia da inativação do vírus. A Covaxin é uma vacina de vírion (partícula viral infecciosa) inteiro inativado.

Um dia antes dessa votação, a agência brasileira ainda negou certificado de boas práticas para Bharat Biotech, que produz a Covaxin. O governo federal esperava importar 20 milhões de doses do imunizante indiano.

Fonte: CNN

Continuar lendo VACINA COVAXIN TEM AUTORIZAÇÃO DA ANVISA PARA TESTES CLÍNICOS NO BRASIL

O BRASIL PODERÁ RECEBER EM BREVE DOSES DE VACINAS EXCEDENTES DOS EUA

Bolsonaro afirma que Estados Unidos podem enviar vacinas ao Brasil em breve

Segundo Bolsonaro, governo tem feito “todo o possível” para ampliar o programa de vacinação contra a Covid-19 no Brasil

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

05 de maio de 2021 às 21:03

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair BolsonaroFoto: Mateus Bononi/Getty Images

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (5) que os Estados Unidos podem anunciar em breve o envio ao Brasil de doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19.

Segundo Bolsonaro, seu governo tem feito “todo o possível” para ampliar o programa de vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Os Estados Unidos já passaram da marca de 200 milhões de doses de vacinas aplicadas e têm doses excedentes do imunizante da AstraZeneca.

Na semana passada, o governo americano anunciou que vai compartilhar 60 milhões de doses da vacina, o que despertou o interesse de vários países preocupados em acelerar suas vacinações.

A novidade foi mencionada pelo presidente em entrevista coletiva dada no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, após Bolsonaro receber Robson Nascimento de Oliveira, ex-motorista do jogador de futebol Fernando Lucas Martins. Robson foi condenado à prisão na Rússia por tráfico de drogas, ao ser pego com um medicamento que é permitido no Brasil, mas proibido na Rússia.

No momento em que falou sobre a possibilidade do envio das doses de vacinas ao Brasil, Bolsonaro argumentava que seu governo tem mantido boas relações diplomáticas com nações importantes, como os Estados Unidos, a Rússia e também a China.

China

Nesta quarta-feira, a relação comercial e diplomática entre o Brasil e a China voltou ao noticiário depois que o presidente da República levantou a possibilidade de o coronavírus causador da Covid-19 ter sido criado em laboratório.

Sem citar nominalmente a China, maior parceiro comercial do Brasil há mais de uma década, Bolsonaro falou em “guerra química” e em “guerra bacteriológica” e questionou: “Qual o país que mais cresceu seu PIB [Produto Interno Bruto]? Não vou dizer para vocês”.

Em 2020, o PIB da China apresentou expansão de 2,3%, enquanto a maior parte das grandes economias do planeta registrou retração. Para efeito de comparação, o PIB do Brasil encolheu 4,1%, o dos Estados Unidos caiu 3,5% e o da Alemanha ficou 5% menor do que no ano anterior. No entanto, o impacto da pandemia na economia chinesa aconteceu antes do resto do mundo, já que o novo coronavírus foi primeiro encontrado no país asiático.

A fala de Bolsonaro repercutiu politicamente e rendeu comentários preocupados do senador Omar Aziz, que preside a Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia.

“Hoje foi ruim, viu, e chama de guerra química e tal. E a gente está dependendo, a gente está na mão dos chineses para trazer o IFA [insumo farmacêutico ativo], nós não temos produção de IFA aqui e não vamos ter tão cedo”, disse Aziz.

Questionado se teria sido “mal compreendido” ao falar da China, Bolsonaro respondeu que não mencionou a palavra “China” e reclamou da imprensa.

“Vocês da imprensa não falam onde nasceu o vírus. Falem, ou estão temendo alguma coisa?”, disse o presidente.

Fonte: CNN

Continuar lendo O BRASIL PODERÁ RECEBER EM BREVE DOSES DE VACINAS EXCEDENTES DOS EUA

GOVERNO DOS EUA ESTÁ EM CONTATO COM PRESIDENTE DO BRASIL PARA FORNECER AJUDA À HOSPITAIS DO PAÍS

Casa Branca trabalha com governo brasileiro para auxiliar hospitais

Medida está sendo tomada por conta da aceleração da pandemia no Brasil e vai girar em torno de R$ 108 milhões

INTERNACIONAL

por Agência Estado

Auxílio vai girar em torno de R$ 108 milhões, segundo a porta-voz da Casa Branca

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou nesta terça-feira (4), que o governo dos Estados Unidos está em contato com o Brasil para fornecer ajuda a hospitais diante da aceleração da  pandemia no país.

Durante uma coletiva de imprensa, a assessora informou que o auxílio deve ficar em torno de US$ 20 milhões (cerca de R$ 108 milhões na cotação atual) em medicamentos usados para a intubação de pacientes.

Segundo Jen Psaki, as negociações envolvem a Organização Pan-americana de Saúde (Opas) e ainda não estão finalizadas.

Recentemente, a Casa Branca anunciou que ajudaria no combate à crise sanitária na Índia, que tem registrado recordes de casos e mortes por covid-19.

Durante a coletiva de imprensa, a porta-voz informou que a ajuda enviada pela Casa Branca à Índia inclui 1.500 cilindros de oxigênio, 550 concentradores de oxigênio e uma unidade de geração de oxigênio em grande escala.

Ao ser questionada se uma parte dos estoques da vacina da AstraZeneca que serão doados pelos EUA irão para o Brasil, Psaki se limitou a responder que há “uma gama de solicitações” do mundo inteiro pelos imunizantes.

Fonte: R7
Continuar lendo GOVERNO DOS EUA ESTÁ EM CONTATO COM PRESIDENTE DO BRASIL PARA FORNECER AJUDA À HOSPITAIS DO PAÍS

“ESPERAMOS CONTINUAR A TRABALHAR JUNTOS PARA COLOCAR NOSSO MUNDO NO CAMINHO DE UM FUTURO SEGURO, PRÓSPERO E SUSTENTÁVEL”, AFIRMA ENVIADO DOS EUA APÓS CONVERSA COM MINISTROS DO MEIO AMBIENTE E DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL

EUA anunciam diálogo com governo do Brasil sobre metas climáticas

Nas redes sociais, John Kerry disse ter conversado, nesta sexta-feira (30), com ministros das Relações Exteriores e do Meio Ambiente

INTERNACIONAL

por Reuters

John Kerry vai conversar com ministros brasileiros sobre clima

REUTERS – 30.4.2021

O enviado dos Estados Unidos para o clima, John Kerry, afirmou nesta sexta-feira (30) ter conversado com o ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, e com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a respeito de novas metas climáticas do Brasil.

“Eu falei hoje com os ministros do Meio Ambiente, Salles, e das Relações Exteriores, França, do Brasil sobre as importantes novas metas climáticas do Brasil”, disse Kerry no Twitter.

“Esperamos continuar a trabalhar juntos para colocar nosso mundo no caminho de um futuro seguro, próspero e sustentável”, acrescentou.

Na semana passada, em discurso durante a Cúpula do Dia da Terra, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil irá atingir a neutralidade climática em 2050, e reafirmou a intenção de zerar o desamamento ilegal em 2030, mas voltou a pedir recursos internacionais para o país atingir essas metas.

O Brasil e os Estados Unidos negociam desde fevereiro um possível financiameto norte-americano a medidas de combate ao desmatamento da Amazônia, com o Brasil pedindo recursos para financiar ações, enquanto os EUA pedem resultados antes de liberar dinheiro.

O desmatamento na Amazônia explodiu em 2019, depois da eleição do presidente Jair Bolsonaro, e atingiu em 2020 o maior índice desde 2012, com 11.088 km² de mata desaparecendo entre agosto de 2019 e julho de 2020, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Aliado do ex-presidente norte-americano Donald Trump, Bolsonaro foi pego de surpresa pela eleição do democrata Joe Biden, que não acreditava que aconteceria.

Com a mudança de governo nos EUA, o tema das mudanças climáticas –e, consequentemente, o desmatamento da Amazônia– mudou de patamar e passou a ser central no relacionamento entre os dois países, o que forçou o governo brasileiro a uma mudança de postura.

Procurados, o Itamaraty e o Ministério das Relações Exteriores não responderam de imediato a pedidos de comentários sobre a conversa dos ministros com Kerry.

Fonte: R7
Continuar lendo “ESPERAMOS CONTINUAR A TRABALHAR JUNTOS PARA COLOCAR NOSSO MUNDO NO CAMINHO DE UM FUTURO SEGURO, PRÓSPERO E SUSTENTÁVEL”, AFIRMA ENVIADO DOS EUA APÓS CONVERSA COM MINISTROS DO MEIO AMBIENTE E DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL

AÇÕES DO PACTO NACIONAL DOS DIREITOS DE PESSOA IDOSA É IMPLEMENTADA NO RN

RN é primeiro no Brasil a implementar ações do Pacto Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa

28 abr 2021

Programa Felicidade do Idoso

O Rio Grande do Norte é o primeiro estado do Brasil a executar as ações previstas no Pacto Nacional de Implementação dos Direitos da Pessoa Idosa com a realização da Reunião de Sensibilização de Adesão Municipal iniciada nesta segunda-feira (26)  com os territórios Mato Grande, Trairi e Seridó.

As reuniões prosseguem hoje com os territórios Terras Potiguaras,  Potengi e Agreste e Litoral Sul, e amanhã com os territórios Alto Oeste, Sertão Apodi, Açu/Mossoró, e Sertão Central e Litoral Norte a partir das 13h.

Na abertura das reuniões nesta segunda-feira, o presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, Antônio Costa, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, idealizador do Pacto, explicou que pretende enviar uma circular aos demais estados do Brasil sugerindo que adotem o modelo de implementação do Governo do RN.

A secretária de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (SETHAS), Iris Oliveira, disse que o objetivo das reuniões é apresentar aos municípios do Rio Grande do Norte, o Pacto juntamente com a Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa. O Governo do Estado, assinalou a secretária, que sensibilizar os municípios sobre a importância da adesão ao  Pacto “considerando que esta ação reforça o processo de qualificação e aprimoramento da Política da Pessoa Idosa”.

O RN aderiu ao Pacto na abertura do I Seminário de Envelhecimento promovido pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDEPI/RN), dia 30 de março de 2021. “Nos comprometemos a atuar junto aos municípios para criação, ativação e capacitação dos conselhos municipais em todo Estado”, frisou a secretária.

O presidente do CEDEPI, Gustavo Brito, destacou a parceria da atual gestão estadual com o Conselho e reforçou a necessidade dos municípios aderirem ao Pacto também como forma de obtenção de recursos para investimento em ações voltadas à melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa.

Desde que assumiu, o Governo Fátima Bezerra promoveu várias ações por meio da Sethas voltadas para a pessoa idosa como a organização da V Conferência Estadual dos direitos da pessoa idosa em 2019 em parceria com o CEDEPI. Também elaborou o diagnóstico das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) não governamentais com a realização de visitas técnicas a todas elas.
A Sethas também publicou a Cartilha – Proteção social da pessoa idosa no Sistema único de Assistência Social em 2020 em alusão à data “15 de Junho”, por ser reconhecida como o Dia Mundial de sensibilização da sociedade civil para a Luta Contra a Violência à Pessoa Idosa.

Também realizou em parceria com o CEDEPI o Seminário sobre a violência Contra a pessoa idosa – IFRN 2019, e destinou ações do Programa RN Chega Junto com distribuição de 960 cestas básicas para 32 ILPIs Filantrópicas, máscaras, álcool em gel e distribuição de leite e bebidas lácteas. Também houve Reuniões Territoriais em parceria com a SESAP, com gestores da saúde, da Assistência Social e representantes das ILPIs para alinhamento de ações conjuntas na garantia da proteção idosa durante a Pandemia.

Iris Oliveira também destacou como ações a publicação de edital para 32 Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) dentro do Programa do RN Chega Junto. Treze foram selecionadas com destinação de apoio financeiro para o fortalecimento de ações de acolhimento aos idosos do Estado.

Continuar lendo AÇÕES DO PACTO NACIONAL DOS DIREITOS DE PESSOA IDOSA É IMPLEMENTADA NO RN

CONSUMO DE VINHO NO BRASIL LIDERA A DEMANDA MUNDIAL EM 2020

Consumo sobe 18% na pandemia e Brasil lidera demanda por vinho no mundo em 2020

O relatório divulgado esta semana em Paris revela que o ritmo de crescimento do mercado de vinho no Brasil é o maior desde o ano 2000

Fernando Nakagawa

Por Fernando Nakagawa, CNN  

Atualizado 23 de abril de 2021 às 20:18

Consumo sobe 18% na pandemia e Brasil lidera demanda por vinho no mundo em 2020

A pandemia fechou restaurantes e impediu jantares, mas, pelo visto, muitos brasileiros decidiram relaxar em casa e o Brasil foi o país onde o consumo de vinho mais cresceu em todo o mundo em 2020. O fenômeno foi destacado no relatório anual da Organização Internacional do Vinho (OIV). Por aqui, o consumo cresceu 18,4% e, assim, o Brasil foi na contramão do mundo, onde a demanda pelas garrafas caiu 2,8% na comparação com 2019.

O relatório divulgado esta semana em Paris revela que o ritmo de crescimento do mercado de vinho no Brasil é o maior desde o ano 2000. Ao todo, o Brasil consumiu 430 milhões de litros. Nos supermercados e adegas, as garrafas mais comuns têm 750 ml. Assim, o Brasil consumiu o equivalente a 573,3 milhões de garrafas no ano passado.

O relatório anual mostra que o mercado de vinho teve comportamentos muito diferentes entre os grandes mercados. Brasil, Itália e Argentina lideram o grupo minoritário onde o consumo aumentou durante a pandemia. Nesses países, o consumo em casa fez o mercado crescer. O ritmo de crescimento, porém, foi bem menor que o visto no Brasil: 7,5% entre italianos e 6,5% entre argentinos.

Consumo de vinhoConsumo de vinho Foto: Reprodução / CNN

Mas o consumo mundial caiu, principalmente por causa da China, onde a demanda diminuiu 17,4%. Outro grande mercado, a Espanha, teve queda de 6,8%. China e Espanha sofreram do mal do fechamento do mercado “Horeca” – acrônimo com as sílabas de hotel, restaurante e eventos (catering, em inglês) – que ficou basicamente fechado durante a pandemia.

Apesar do crescimento no ano passado, os brasileiros ainda bebem pouco vinho: média de 2,6 litros por ano. Isso dá aos brasileiros a posição 22ª do mundo. Portugal lidera a lista com 51,9 litros por ano e é seguido por Itália (46,6 litros), França (46 litros) e Argentina (27,6 litros)

.Consumo de vinhoConsumo de vinho Foto: Reprodução / CNN

Fonte: CNN

Continuar lendo CONSUMO DE VINHO NO BRASIL LIDERA A DEMANDA MUNDIAL EM 2020

SEGUNDO EMBAIXADOR DOS EUA, O PRESIDENTE DO BRASIL ASSUMIU UM COMPROMISSO MUITO AMBICIOSO, O DE ‘NEUTRALIZAR A EMISSÃO DE CARBONO ATÉ 2050’

Compromisso ambiental de Bolsonaro é ambicioso, diz embaixador dos EUA no Brasil

Durante a Cúpula de Líderes pelo Clima nesta quinta-feira (22), o presidente se comprometeu a chegar à neutralidade de emissão de carbono até 2050

Produzido por Lourival Sant’Anna e texto por Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 22 de abril de 2021 às 22:00

Compromisso ambiental de Bolsonaro é ambicioso, diz embaixador dos EUA no Brasil

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, disse em entrevista exclusiva à CNN que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez um compromisso de muita ambição durante a Cúpula de Líderes pelo Clima nesta quinta-feira (22), quando se comprometeu a chegar à neutralidade de emissão de carbono até 2050.

“É o mesmo compromisso que nós fizemos e outros países que têm esse grande interesse fizeram. Isso é bastante importante. Tem certas pessoas que duvidam se vão chegar à meta ou não. Tem que ter primeiro a grande ambição que o presidente Jair Bolsonaro mostrou”, disse Chapman.

De acordo com o embaixador, o objetivo agora é encontrar formas de ajudar o país a cumprir esta meta. Segundo ele, existem empresários do setor privado e “grandes” organizações não-governamentais que querem “colocar dinheiro” para ajudar o Brasil a alcançar essas metas.

Chapman acredita que a ajuda financeira deve começar a chegar assim que os resultados começarem a aparecer. O embaixador também ressaltou que a responsabilidade não é apenas do governo federal.

“Queremos ver resultados. Eu acho que as finanças vão fluir com muito mais frequência, em volume, quando pudermos nos próximos três ou quatro meses um resultado bastante importante no desmatamento. O dever não é somente do governo federal, mas também dos governos estaduais e do setor privado. Temos todos que trabalhar em conjunto”, afirmou.

Ausência de Biden no discurso de Bolsonaro

Questionado se a ausência do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, durante o pronunciamento de Bolsonaro e o fato do Brasil ter sido apenas o 21.º país a discursar na Cúpula eram indicativos de indisposição e má vontade com o país, o embaixador minimizou o ocorrido.

“Acho que se isso fosse verdade, a União Europeia e a Austrália também estariam conversando conosco sobre este fato. Às vezes, o presidente precisa sair e não era previsto. Essas coisas são de protocolo e logística. Isso não tem nada a ver com todas as coisas importantes que passaram no evento de hoje”, ressaltou.

Fonte: CNN

Continuar lendo SEGUNDO EMBAIXADOR DOS EUA, O PRESIDENTE DO BRASIL ASSUMIU UM COMPROMISSO MUITO AMBICIOSO, O DE ‘NEUTRALIZAR A EMISSÃO DE CARBONO ATÉ 2050’

NATAL ESTÁ ENTRE OS TRÊS PRINCIPAIS DESTINOS DO BRASIL ESCOLHIDO PELOS VIAJANTES EM 2020

Capital do RN, Natal foi o segundo destino mais vendido do Brasil em 2020

20 abr 2021

Luciano Vale: NATAL É O SEGUNDO DESTINO MAIS PROCURADO NO BRASIL

Lançado hoje (20) via plataformas digitais, o Anuário da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa) 2021 traz a capital do Rio Grande do Norte entre os três principais destinos do Brasil escolhidos pelos viajantes no ano passado. O documento reúne dados estatísticos e de posicionamento estratégico sobre o cenário econômico do turismo durante o ano atípico de convívio com a pandemia.

Segundo o Anuário, os destinos de sol e mar mantiveram a preferência dos viajantes sendo as cidades de Salvador, Natal, Maceió, Rio de Janeiro e São Paulo as mais vendidas, respectivamente. O que segue uma tendência dos últimos anos no qual aponta o Nordeste como o responsável de quase 70% das vendas dessas operadoras.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo NATAL ESTÁ ENTRE OS TRÊS PRINCIPAIS DESTINOS DO BRASIL ESCOLHIDO PELOS VIAJANTES EM 2020

DENTRO DO GRUPO QUE COMPÕE AS 20 MAIORES ECONOMIAS DO MUNDO, O BRASIL ESTÁ EM 9º LUGAR NA APLICAÇÃO DE DOSES DA VACINA CONTRA COVID-19

Painel da Vacina: entre países do G20, Brasil é o 9º que mais aplicou doses

Em números absolutos, o país já aplicou mais de 35 milhões de doses dos imunizantes contra a Covid-19; são 16,63 doses aplicadas a cada 100 habitantes

Julyanne Jucá e Vital Neto, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 17 de abril de 2021 às 21:46

Painel da Vacina: entre países do G20, Brasil é o 9º que mais aplicou doses

O Brasil segue em 9º lugar na aplicação de doses da vacina contra a Covid-19, considerando o número de doses a cada 100 habitantes, entre os países que compõem o G20, grupo das 20 maiores economias do mundo.

Segundo os dados atualizados neste sábado (17), o país aparece com 16,63 doses aplicadas a cada 100 habitantes. O Reino Unido, que já vacinou todos os adultos acima dos 50 anos, continua em primeiro lugar, com 61,14 doses aplicadas a cada 100 pessoas.

Os Estados Unidos aparecem em 2º lugar, com 60,48 doses aplicadas a cada 100 habitantes – Alemanha (25,46), Canadá (25,24), Itália (24,22), França (23,85) e Turquia (23,49) aparecem na sequência.

A Arábia Saudita aparece em 8º lugar, com 19,53 doses da vacina contra a Covid-19 aplicadas – a cada 100 habitantes.

Brasil está em 9º lugar entre os países do G20 que mais vacinaramFoto: Arte/CNN

Considerando os países do G20, mas analisando o ranking a partir de números absolutos, o Brasil já aplicou mais de 35 milhões de doses e aparece em 5º lugar. No ranking global, considerando a aplicação a cada 100 pessoas, o país está na 56º posição.

No total de doses aplicadas, o Brasil é o 5º colocado entre os integrantes do G2Foto: Arte/CNN

Neste sábado (17), os Estados Unidos que permanecem em primeiro lugar no ranking, considerando os números absolutos, superaram a meta estabelecida pelo presidente Joe Biden – ele previa 200 milhões até 100 dias de mandato. Atualmente, os EUA tem mais de 202 milhões de doses aplicadas.

Na sequência, aparece a China com mais de 187 milhões de doses aplicadas, em números absolutos, seguida pela Índia, que se aproxima de 120 milhões e Reino Unido, em 4º lugar, com mais de 41 milhões de doses aplicadas.

Os dados foram compilados pela Agência CNN com informações das secretarias estaduais de Saúde e do site Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford, no Reino Unido.

O Brasil já aplicou mais de 35 milhões de doses da vacina contra a Covid-19Foto: Arte/CNN

Continuar lendo DENTRO DO GRUPO QUE COMPÕE AS 20 MAIORES ECONOMIAS DO MUNDO, O BRASIL ESTÁ EM 9º LUGAR NA APLICAÇÃO DE DOSES DA VACINA CONTRA COVID-19

OPINIÃO: STF ESTÁ EXTRAPOLANDO SEUS LIMITES CONSTITUCIONAIS E TORNANDO O BRASIL UM “PAÍS DE PRIVILEGIADOS”

Supremo extrapola seus limites constitucionais

Foto: Nelson Jr./SCO/STFFoto: Nelson Jr./SCO/STF

Nas últimas semanas, pautas parlamentares foram decididas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), como a prisão em flagrante do deputado federal Daniel Silveira, a suspensão de decretos que ampliam a compra de armas, a instalação da CPI da Covid, entre outras.

O que a Suprema Corte pretende?

Violar o sistema acusatório constitucional, criar um “país dos privilegiados”, tornar-se o órgão mais poderoso do Brasil? A verdade é que seus membros têm pactos com a “velha ordem”.

Ali estão sem voto algum, sem representar qualquer brasileiro por direito, sem concurso, sem procuração.

Ali estão porque foram indicados e com isso, tornam-se devedores.

Pretendem ser agentes de mudanças, mas mudanças que atendam interesses, em vez de atuarem como verdadeiros guardiões da Constituição, função oficial do cargo que exercem. Passam a legislar. Não raro, a maioria do pleno do STF, muitos tribunais inferiores e mesmo juízes singulares enveredam por igual caminho, substituindo-se ao Congresso Nacional, ou estabelecendo certa interatividade, quando não proatividade, com o texto constitucional.

A Suprema Corte tem se posicionado acima da supremacia popular.

Aonde vamos chegar?

O voto impresso, o imposto sindical, o aborto, o casamento homoafetivo, a liberdade de expressão, o abuso de autoridade, o fim do foro privilegiado, a revisão da anistia e muitas outras pautas parlamentares relevantes são decididas pelos nobres ministros sem preocupação em atender os anseios do povo brasileiro.

A corte determina o destino de uma nação e ponto final, não há espaço para opiniões contrárias.

Os diversos habeas corpus julgados pelo Supremo constituem, em determinados casos, uma invasão da competência do Superior Tribunal de Justiça, responsável pela solução definitiva dos casos civis e criminais.

O Supremo não se contenta em decidir somente quando há divisão, para solucionar um impasse. Mesmo nas situações de entendimento obtido por consenso, o STF opta por invalidar a decisão tomada pelos demais tribunais. Vide o caso da anulação de todas as condenações de Lula.

Os ministros, inclusive, usam ultimamente a tática do “policial bom e do policial mau”, com o princípio do contraste da percepção. Em seus julgamentos, há variações que vão do estilo “voto medíocre” ao “voto excelente”, há um revezamento entre eles para que cada um possa ser o “herói” da vez, talvez como tentativa de disfarçar o real compromisso assumido com os políticos que os indicaram no passado.

A cada novo julgamento, os ministros se superam nos argumentos pífios. O resultado só poderia ser um – a revolta do povo brasileiro.

Não é à toa que pedidos de impeachment de ministros, que circulam na internet, tenham milhões de assinaturas.

Os cidadãos não assistem mais aos desmandos passivos. Quando os ministros da Alta Corte soltam os presos da Lava Jato, alegando que excessos foram cometidos, as pessoas se indignam e optam por manifestar seu descontentamento nas ruas, ou por expressar sua revolta na rede. E outros presos condenados em segunda instância acabam tendo sua liberdade concedida.

A grande maioria condena os absurdos legais e morais promovidos pelo Supremo e hoje há diversos meios para que todos possam divulgar a decepção que sentem.

Inclusive, diversos juristas de renome já divulgaram publicamente equívocos do STF, que parece não acreditar e não confiar nas instituições às quais a Constituição atribuiu o poder de investigar. Esses especialistas condenam uma atuação baseada no autoritarismo e na ilegalidade.

Essas “revoltas” populares atingem seus objetivos diversas vezes. Em passado recente, cerca de 190 deputados federais assinaram o requerimento para instalação da CPI destinada a matar a Operação Lava Jato. Houve grande repercussão negativa. O medo com a proximidade das eleições fez com que os deputados mudassem de ideia e resolvessem coletar assinaturas, desta vez para impedir a criação da tal Comissão de Inquérito Parlamentar. Ou seja, como representantes do povo, ouviram o que os eleitores queriam, senão por bem, ouviram por mal.

Com o aumento da insegurança jurídica, a representação popular teme perder substância, uma vez que os que dela têm mandato já perderam o pudor.

Nesse quadro, protestar ainda é uma das armas mais eficazes para obter algum êxito contra os abusos.

É importante observar que não adianta apenas criticar deputados e senadores se o próprio povo fez essa escolha ao eleger seus candidatos. No caso dos parlamentares, há ainda algum consolo: é possível mudar os mandatários na próxima eleição ou nas seguintes. Porém, o ativismo político do Judiciário, como mudar?

A missão da manutenção da ordem estabelecida nos últimos vinte anos pode sucumbir, assim como a vontade dos representantes do povo. Não é hora de andar para trás.

O Judiciário já é há muito tempo conhecido por sua distância da população, seu excesso de autonomia, suas decisões em sigilo. É uma caixa-preta intocável e os ministros da Egrégia Corte representam uma casta jurídica repleta de privilégios. Mais do que em qualquer outro momento da história, o Supremo terá, daqui pra frente, que demonstrar de que lado está em relação ao combate à corrupção e impunidade. Ou seja, se está ou não do lado do povo que o sustenta.

Termino citando novamente Rui Barbosa:

“A pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela, não há a quem recorrer”.

E agora, Abraham Lincoln:

“Nós, os cidadãos , somos os legítimos senhores do Congresso e dos tribunais, não para derrubar a Constituição, mas para derrubar os homens que pervertem a Constituição”.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: STF ESTÁ EXTRAPOLANDO SEUS LIMITES CONSTITUCIONAIS E TORNANDO O BRASIL UM “PAÍS DE PRIVILEGIADOS”

BOAS NOTÍCIAS: BRASIL ATINGE 1 MILHÃO DE DOSES DE VACINAS APLCADAS EM 24 HORAS

Neste domingo temos a enorme alegria de informar que o Brasil atingiu mais de 1 milhão de doses de vacinas aplicadas em 24 horas. No total, 1.095.362 pessoas receberam a vacina, sendo que 963.429 receberam a primeira dose e 131.933 a segunda. Algo para comemorar, pois agora o processo de vacinação vai acelerar.

Inédito: Brasil aplica mais de 1 milhão de doses de vacinas em 24h

Pela primeira vez o Brasil conseguiu aplicar mais de 1 milhão de doses de vacinas em 24 horas. Isso não acontecia desde janeiro, quando a vacinação começou em São Paulo.

O feito foi divulgado pelo Consórcio de Veículos de Imprensa na última quinta, 1º e contém informações dos 26 Estados e do Distrito Federal.

No total, 1.095.362 pessoas receberam a vacina, sendo que 963.429 receberam a primeira dose e 131.933 a segunda.

Com isso, o Brasil chegou à marca de 18.548.301 pessoas vacinadas.

Desses, 5.233.544 receberam as duas doses.

Imunizados

A quantidade de pessoas imunizadas equivale a 8,78% da população brasileira – dos 211 milhões de habitantes, 18,5 milhões foram vacinados até agora.

Já a porcentagem de pessoas que receberam as duas doses é de apenas 2,47%.

Em números absolutos, São Paulo conta com o maior número de vacinados: 4,67 milhões.

A Bahia, com 1,66 milhão, e Minas Gerais, com 1,61 milhão vêm em seguida.

Já em termos proporcionais, a Bahia é o Estado que vacinou mais habitantes, com 11,15% da população recebendo ao menos a primeira dose.

Já o Mato Grosso, com 5,2% da população imunizada, é o pior Estado até o momento na vacinação.

No mesmo dia que a marca foi atingida, o Brasil registrou 91.097 casos e 3.679 mortes causadas pela doença, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS).

Vamos lá gente! Estamos no caminho certo, mas ainda dá pra melhorar!

Com informações da JovemPan

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: BRASIL ATINGE 1 MILHÃO DE DOSES DE VACINAS APLCADAS EM 24 HORAS

COMPANHIA AÉREA ESTATAL DA BOLÍVIA VAI REALIZAR “VOOS ESPECIAIS DE REPATRIAÇÃO NO BRASIL”

Aérea estatal da Bolívia anuncia voos de repatriação no Brasil

Governo boliviano anunciou fechamento da fronteira a partir de sexta (2), mas autorizou três horas de trânsito na fronteira por dia

INTERNACIONAL

EFE

companhia aérea estatal da Bolívia (BoA) informou neste sábado que vai realizar "voos especiais de repatriação" no Brasil

JUAN CARLOS TORREJÓN / EFE / ARCHIVO – 03.04.2021

A companhia aérea estatal da Bolívia (BoA) informou neste sábado (3) que vai realizar “voos especiais de repatriação” durante o período de fechamento das fronteiras com o Brasil para evitar a entrada da variante P-1 no país.

Por meio de um comunicado divulgado em redes sociais, a companhia disse que esses voos serão feitos durante os sete dias de duração do fechamento das fronteiras com o Brasil, que serão monitorados “sob rígidos controles e protocolos de controle epidemiológico”.

“As operações regulares estão sendo canceladas, afetando nossos usuários, aos quais pedimos que entrem em contato conosco para o reagendamento de seus voos”, diz a nota.

Segundo o ministro de Governo da Bolívia, Eduardo del Castillo, os protocolos de controles serão realizados em “todos e cada um” dos postos de fronteira e coordenados com a migração e o Serviço Nacional de Saúde Agrícola e Segurança Alimentar (Senasag).

Apesar do fechamento da fronteira a partir da última sexta-feira, o governo boliviano autorizou três horas de “trânsito na fronteira” por dia.

Para “mitigar os riscos associados às novas variantes”, o governo presidido por Luis Arce está priorizando a vacinação nas cidades da fronteira com o Brasil. Também passou a ser realizado um “bloqueio epidemiológico” com brigadas médicas e envio de medicamentos e vacinas para essas regiões.

Fonte: R7
Continuar lendo COMPANHIA AÉREA ESTATAL DA BOLÍVIA VAI REALIZAR “VOOS ESPECIAIS DE REPATRIAÇÃO NO BRASIL”

EUA VÃO AJUDAR O BRASIL EM SEUS ESFORÇOS PARA MAXIMIZAR O ACESSO ÀS VACINAS, AFIRMA EMBAIXADOR

EUA vão ajudar Brasil a ter acesso às vacinas, diz embaixador

Todd Chapman reuniu-se nesta terça com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga e garantiu colaborar no enfrentamento da covid

BRASIL

 Do R7

Todd Chapman, embaixador dos EUA no BrasilTodd Chapman, embaixador dos EUA no Brasil DIVULGAÇÃO/US EMBASSY

A Embaixada dos Estados Unidos afirmou em nota nesta terça-feira (30) que o país vai ajudar o Brasil em seus esforços e maximizar o acesso dos Brasil às vacinas. O embaixador Todd Chapman reuniu-se por videoconferência com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga para revisar a cooperação dos Estados Unidos com o Brasil no combate à pandemia do novo coronavírus.

“Os Estados Unidos têm estado ao lado do Brasil e do povo brasileiro no enfrentamento da covid-19 desde o início da pandemia. A reunião entre o embaixador Chapman e o ministro Queiroga foi uma oportunidade importante para reiterar nosso compromiso”, diz a nota.

“O embaixador aproveitou a oportunidade para revisar a cooperação dos EUA e conversou sobre ao acesso às vacinas. Embora nossa primeira prioridade seja garantir o acesso dos norte-americanos às vacinas, estamos engajando ativamente o Brasil em maneiras de ajudar em seus esforços e maximizar o acesso dos Brasil às vacinas seguras, eficazes e de qualidade para os brasileiros.”

O embaixador norte-americano também destacou o que os EUA já realizaram ao longo dos 12 meses da pandemia, como por exemplo,  o fornecimento de insumos, equipamentos de saúde, cestas basicas, ventiladores pulmonares, hospitais de campanha, equipamentos de proteção individual e assistência técnica médica.

O governo dos EUA e o setor privado norte-americano já doaram mais de US$ 75 milhões para comunidades brasileiras que lutam contra o ritmo acelerado do novo vírus.

Embaixador Chapman reafirmou o compromisso dos EUA com a continuidade dos esforços para reduzir o impacto da pandemia em comunidades brasileiras.

Fonte: R7

Continuar lendo EUA VÃO AJUDAR O BRASIL EM SEUS ESFORÇOS PARA MAXIMIZAR O ACESSO ÀS VACINAS, AFIRMA EMBAIXADOR

POLÍTICA: O COLUNISTA RODRIGO CONSTANTINO FAZ UM ALERTA SOBRE UMA EVENTUAL APROXIMAÇÃO ENTRE BRASIL E CHINA ATRAVÉS DE ARTHUR LIRA

Constantino alerta sobre a “relação” de Lira com o Partido Comunista Chinês

Fotomontagem: Arthur Lira e Rodrigo Constantino (Reprodução)Fotomontagem: Arthur Lira e Rodrigo Constantino (Reprodução)

Em sua conta no Twitter, o colunista Rodrigo Constantino fez uma publicação alertando sobre uma eventual aproximação entre Brasil e China, através de Arthur Lira:

“Bom dia. Todos prontos para aprender mandarim, abandonar as urnas e enaltecer o comunismo?

Parece que não precisaremos mais de presidente ou eleição. O PCC controlará tudo diretamente pra nós. Uma província chinesa, olha que maravilha!”.

A postagem foi em resposta a duas publicações feitas pelo embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, no dia 25, em que o diplomata chinês anunciou uma conversa entre o presidente da Assembleia da China e o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil:

“O Presidente da Assembleia Popular Nacional da China, Sr. Li Zhanshu acabou de ter uma videoconferência, nesta noite da quinta-feira, com o Presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Sr. Arthur Lira”, noticiou ele.

“Os dois Presidentes trocaram sinceramente opiniões e manifestaram os interesses comuns de aprofundamento das relações bilaterais, ampliação do intercâmbio e cooperação parlamentares, além do reforço da parceria no combate à pandemia e nas vacinas”, detalhou o embaixador chinês.

Foi só isso, por enquanto, mas o assunto é, de fato, intrigante…

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: O COLUNISTA RODRIGO CONSTANTINO FAZ UM ALERTA SOBRE UMA EVENTUAL APROXIMAÇÃO ENTRE BRASIL E CHINA ATRAVÉS DE ARTHUR LIRA

PRESIDENTE DOS EUA JOE BIDEN CONVIDOU 40 LÍDERES MUNDIAIS ENTRE ELES O PRESIDENTE DO BRASIL JAIR BOLSONARO PARA UMA CÚPULA SOBRE O CLIMA

Biden convida Bolsonaro e outros líderes para cúpula sobre o clima

No Dia da Terra, em 22 de abril, 40 chefes de Estado terão reunião virtual para discutir medidas de combate às mudanças climáticas

INTERNACIONAL

 Da AFP

Joe Biden quer retomar a participação dos EUA nas decisões sobre o clima e o meio ambiente

JIM WATSON / AFP

O presidente dos EUA, Joe Biden, convidou 40 líderes mundiais, entre eles o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping, para uma cúpula virtual sobre o clima, informou nesta sexta-feira (26) à AFP um alto funcionário do Departamento de Estado.

A reunião, prevista para os dias 22 e 23 de abril e que tem como objetivo marcar o retorno de Washington à primeira linha do combate às mudanças climáticas, depois de o governo de Donald Trump abandonar o Acordo de Paris sobre o clima.

O novo presidente democrata anunciou a intenção de organizar uma reunião coincidindo com o Dia da Terra, em 22 de abril, antes da cúpula da ONU prevista para novembro em Glasgow, Escócia.

A reunião durará dois dias e por causa da pandemia será celebrada de forma virtual.

Cumprindo sua promessa de campanha, Biden decretou no primeiro dia do seu mandato o retorno dos Estados Unidos ao Acordo de Paris sobre o Clima.

A reincorporação dos Estados Unidos — os maiores emissores de CO2 do mundo — foi efetivada em 19 de fevereiro. Quase todos os países do mundo integram o pacto assinado em 2015.

Fonte: R7
Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA JOE BIDEN CONVIDOU 40 LÍDERES MUNDIAIS ENTRE ELES O PRESIDENTE DO BRASIL JAIR BOLSONARO PARA UMA CÚPULA SOBRE O CLIMA

VACINAS RESERVADAS PARA APLICAÇÃO DA 2ª DOSE SÃO LIBERADAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE PARA AMPLIAR O NÚMERO DE VACINADOS

Ministério da Saúde libera uso de vacinas reservadas para aplicação da 2ª dose

De acordo com o ministério, a ação deve ampliar o número de vacinados no Brasil e é válida também para os imunizantes entregues neste final de semana

Daniel Fernandes, da CNN, em São Paulo

Atualizado 21 de março de 2021 às 17:08

Profissional prepara vacina contra Covid-19 para aplicação no Rio de JaneiroProfissional prepara vacina contra Covid-19 para aplicação
Foto: Delmiro Júnior/Agência O Dia/Estadão Conteúdo (19.mar.2021)

Ministério da Saúde autorizou neste domingo (21) que estados e municípios usem todo o estoque de vacinas contra a Covid-19 para a primeira dose da imunização. Anteriormente, a orientação era de que 50% dos imunizantes fossem mantidos como estoque de segurança para a segunda etapa da vacinação.

De acordo com o ministério, a ação deve ampliar o número de vacinados no Brasil e é válida também para os imunizantes entregues neste final de semana – um total de 5 milhões de doses do Butantan e da AstraZeneca, produzidas pela Fiocruz.

Em comunicado, a pasta afirmou que a decisão era estudada há cerca de duas semanas, e que “levou em conta a previsão de entregas semanais do Butantan e da Fiocruz, que aceleraram a produção a partir da chegada de matéria-prima (IFA) importada, garantido assim a estabilização das distribuições aos estados por parte do Ministério”.

Imbróglio

No dia 19 de fevereiro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse à Frente Nacional de Prefeitos (FNP) que todas as vacinas disponíveis no país seriam usadas para a primeira etapa da imunização, e que não seria mais necessário reservar metade dos imunizantes para a segunda dose.

Porém, no dia 24 do mesmo mês, como informou o colunista da CNN Leandro Resende, o governo mudou a orientação e pediu aos municípios para fazerem a reserva para a segunda dose.

No documento, o Ministério da Saúde afirmou que a decisão foi tomada porque, à época, não havia “um fluxo de produção regular da vacina”.

Expectativa

De saída do Ministério da Saúde, o general Eduardo Pazuello afirmou neste domingo (21) à CNN que os números de vacinação no Brasil devem “dobrar” nesta semana, após a nova orientação.

“Com a liberação para aplicação de imediato de todo o estoque de vacinas guardadas nas secretarias municipais, vamos conseguir dobrar a aplicação essa semana, imunizando uma grande quantidade da população brasileira, salvando e protegendo mais vidas” disse o ministro à CNN.

Continuar lendo VACINAS RESERVADAS PARA APLICAÇÃO DA 2ª DOSE SÃO LIBERADAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE PARA AMPLIAR O NÚMERO DE VACINADOS

PESQUISADORES BRASILEIROS DESCOBRIRAM A CIRCULAÇÃO NO PAÍS DE UMA NOVA VARIANTE DO CORONAVIRUS

Pesquisadores descobrem nova variante do coronavírus que já circula no país

Chamada de N.9, ela já foi encontrada em 11 estados e está concentrada no Nordeste do Brasil

Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro

12 de março de 2021 às 16:38

Pesquisa com vacina contra Covid-19 da biofarmacêutica CureVac em Tuebingen, AlePesquisa com vacina contra Covid-19 da biofarmacêutica CureVac em Tuebingen, AlemanhaFoto: Andreas Gebert/Reuters (12.mar.2020)

Pesquisadores brasileiros descobriram a circulação no Brasil de uma nova variante do novo coronavírus, o vírus causador da Covid-19.

Ela foi encontrada e informada em uma comunicação conjunta de dois grupos, a Rede Corona-ômica, responsável por sequenciamento genético, e por instituições parceiras do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), e tem sido chamada de N.9.

A linhagem preocupa os cientistas porque ela contém a mutação E484K, na proteína S, a mesma presente nas variantes de preocupação amazônica, britânica e sul-africana.

As três variantes de preocupação estão associadas a um índice maior de transmissibilidade do novo coronavírus, e pesquisadores ainda investigam a capacidade delas de escape dos anticorpos. As primeiras amostras com essa variante no país são de novembro e foram encontradas em São Paulo.

Em um artigo pré-publicado por pesquisadores da Fiocruz, que utilizaram a metodologia conhecida como relógio molecular, estima que tenha surgido entre junho e setembro, e se espalhou por estados do Sul, Sudeste, Norte e Nordeste.

O artigo classifica a variante como de baixa prevalência, porque foi encontrada em 3% das amostras analisadas, isto é, 35 genomas. Depois de ter sido encontrada no dia 11 de novembro em São Paulo, logo se espalharia, com detecções em amostras de Santa Catarina, Amazonas, Pará, Bahia, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí e Sergipe.

Coordenador da Rede Corona-ômica, o virologista Fernando Spilki demonstra preocupação com a possibilidade de a variante ter maior transmissibilidade, e entende que a falta de medidas de controle é responsável pela propagação de variantes do vírus.

“O excesso de pessoas nas ruas, as aglomerações, a falta de uso de máscaras provoca esse tipo de reação, o vírus encontra mais hospedeiros. É claro que a vacinação também vai ajudar a evitar que processos como esses ocorram, mas as projeções mostram que os primeiros casos ocorreram entre junho e setembro, um período no qual ainda não havia vacinação disponível”, explica o especialista.

Sobre a baixa incidência encontrada na pesquisa, o pesquisador entende que ainda é cedo para ter conclusões. “Podem ser as primeiras detecções, um volume baixo, mas já está distribuída entre vários estados”, conclui Spilki.

Continuar lendo PESQUISADORES BRASILEIROS DESCOBRIRAM A CIRCULAÇÃO NO PAÍS DE UMA NOVA VARIANTE DO CORONAVIRUS

A FACILITAÇÃO NO PROCESSO DE IMPORTAÇÃO, ACELEROU A COMPRA DE ARMAS ESTRANGEIRAS PELOS BRASILEIROS

Compras crescem mais de 2.000% e Brasil já importa mais armas que lápis

Importações crescem ininterruptamente desde 2017 com maior demanda e processos que facilitaram a burocracia para a compra de revólveres e pistolas estrangeiras

Fernando Nakagawa

Por Fernando Nakagawa, CNN  

 Atualizado 12 de março de 2021 às 19:32

A facilitação do processo de importação acelerou a compra de armas estrangeiras. Dados do Ministério da Economia mostram que brasileiros importaram US$ 29,3 milhões em revólveres e pistolas no ano passado, recorde histórico. Esse não é um fenômeno novo e o crescimento dos valores é ininterrupto desde 2017. O volume importado no ano passado foi 2.656% maior que a média da série histórica iniciada em 1997. Hoje, o Brasil já importa mais armas de fogo que bicicletas ou lápis.

Historicamente, o Brasil era considerado um mercado modesto para armas de fogo estrangeiras. Por duas décadas, a média anual de importações girou na casa de US$ 1,1 milhão, segundo dados do Comex Stat, o banco de dados de comércio exterior do Ministério da Economia.

Desde então, no entanto, as cifras crescem exponencialmente. Em 2017, as importações de revólveres e pistolas somaram US$ 2,2 milhões –o dobro da média histórica. No ano seguinte, as compras foram multiplicadas por cinco, para US$ 11,8 milhões. Em seguida, em 2019, quase dobraram novamente, para US$ 21,2 milhões. Em 2020, novo aumento, dessa vez de 38,2%.

Com esse aumento das importações, a compra de revólveres e pistolas já supera valores gastos em itens populares da pauta brasileira de importações. Em 2020, o Brasil importou mais armas que ferros de passar roupa, bicicletas ou lápis.

 

Desde o começo da semana, a coluna tenta uma entrevista com a Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam) para tratar do assunto, mas a entidade informou que não tem porta-voz disponível.

Empresários do setor explicam que o aumento das importações é resultado da maior demanda por armas modernas e também da agilidade na autorização para essa compra.

Para importar uma arma é preciso a emissão dois documentos: o certificado internacional de importação e a licença de importação. Historicamente, a emissão desses dois documentos tomava até 120 dias da empresa importadora. Desde 2017, mudanças administrativas aceleraram o processo e atualmente o mesmo processo pode levar até 25 dias.

A Áustria é a origem da maioria das importações e respondeu por 79,3% das armas compradas no ano passado pelos brasileiros. O país é a sede da Glock, grande fabricante de pistolas semiautomáticas que custam a partir de R$ 7 mil no mercado brasileiro. Em seguida, aparecem os Estados Unidos com 15,4%. Todos os demais países têm participação de menos de 2% das importações.

Fonte: CNN
Continuar lendo A FACILITAÇÃO NO PROCESSO DE IMPORTAÇÃO, ACELEROU A COMPRA DE ARMAS ESTRANGEIRAS PELOS BRASILEIROS

BOAS NOTÍCIAS: EM MEIO A PANDEMIA SAI O RANKING DAS 100 EMPRESAS COM MELHOR REPUTAÇÃO NO BRASIL

Em meio a, talvez, maior crise pandêmica e econômica de todos os tempos em toda a humanidade e de tantas notícias tristes e negativas, uma pesquisa avaliou as 100 empresas com melhor reputação no Brasil. Esse é o destaque da nossa coluna BOAS NOTÍCIAS desta sexta-feira, que tenho prazer de trazer ao seu conhecimento. Então conheça a seguir o ranking das 100 empresas com melhor reputação no Brasil durante a pandemia.

Ranking: 100 empresas com melhor reputação no Brasil na pandemia

Muitas empresas ajudaram o povo brasileiro durante esta pandemia com doações, produção e dinheiro. E resultado dessa responsabilidade social fica marcado na cabeça das pessoas.

As 100 empresas melhor avaliadas pelos brasileiros estão no ranking da 7ª edição da pesquisa de campo Monitor Empresarial de Reputação Corporativa (Merco), divulgada pela revista Exame.

O levantamento, feito entre julho e dezembro de 2020, com 2.366 entrevistados, traz nas primeiras posições a Natura, a Ambev, o Magazine Luiza, o Grupo Boticário e o Bradesco. (veja lista baixo)

O ranking este ano teve movimentações fortes tanto de crescimento como de queda de posições, com destaque para o iFood que subiu 63 posições e chegou ao 35º lugar, seguido por Cacau Show, de 99ª para 37ª e BRF, que subiu 54 posições e foi de 82ª para 28ª colocada.

Lylian Brandão, diretora geral da Merco Brasil, disse essas empresas tiveram o compromisso de manter os negócios em ordem durante a pandemia da Covid-19 sem deixar de lado a responsabilidade corporativa e social.

“Essas ações tiveram ainda mais relevância no ano passado. Além disso, um destaque do ranking é o protagonismo das empresas brasileiras no TOP 5”.

A Merco destacou também os 100 líderes com melhor reputação no país e teve um recorde de 12 mulheres na lista.

Veja o ranking das 100 mais:

20202019EMPRESASETOR
11NATURACOSMÉTICOS E PERFUMARIA
22AMBEVBEBIDAS
310MAGAZINE LUIZAVAREJO
44GRUPO BOTICÁRIOCOSMÉTICOS E PERFUMARIA
58BRADESCOSERVIÇOS FINANCEIROS
65GOOGLEINDÚSTRIA DIGITAL
73ITAÚ UNIBANCOSERVIÇOS FINANCEIROS
86NESTLÉALIMENTOS
911COCA COLABEBIDAS
109TOYOTAINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
1114HOSPITAL-SÍRIO LIBANÊSSERVIÇOS DE SAÚDE
1221RENNERVAREJO DE MODA
1328PORTO SEGUROSEGUROS
1438MERCADO LIVREINDÚSTRIA DIGITAL
1515UNILEVERBENS DE CONSUMO
1617AVONCOSMÉTICOS E PERFUMARIA
1745LOJAS AMERICANASVAREJO
1812NETFLIXENTRETENIMENTO
1920GERDAUMINERAÇÃO, SIDERURGIA E METALURGIA
2019MICROSOFTTECNOLOGIA
2113VOLKSWAGENINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
2218HOSPITAL ALBERT EINSTEINSERVIÇOS DE SAÚDE
2327P&GBENS DE CONSUMO
2440AMAZONINDÚSTRIA DIGITAL
2523SANTANDERSERVIÇOS FINANCEIROS
2633GPAVAREJO
277APPLEELETROELETRÔNICOS
2882BRFALIMENTOS
2924JOHNSON & JOHNSONBENS DE CONSUMO
3055ALPARGATASROUPAS, CALÇADOS E ACESSÓRIOS
3122HONDAINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
3235MCDONALD´SRESTAURANTES
3346VIVOTELECOMUNICAÇÕES
3425SAMSUNGELETROELETRÔNICOS
3598IFOODINDÚSTRIA DIGITAL
3641BAYERINDÚSTRIA FARMACÊUTICA
3799CACAU SHOWALIMENTOS
3842NUBANKSERVIÇOS FINANCEIROS
3943BANCO DO BRASILSERVIÇOS FINANCEIROS
4047CIELOMEIOS DE PAGAMENTO
4144CARREFOURVAREJO
4288SUZANOMADEIRA, PAPEL E CELULOSE
4329EMBRAERAVIAÇÃO
4464PEPSICOALIMENTOS
4536LATAMTRANSPORTE E LOGÍSTICA
4649ADIDASROUPAS, CALÇADOS E ACESSÓRIOS
4753PETROBRASENERGIA
4831TRAMONTINABENS DE CONSUMO
4932HEINEKENBEBIDAS
5030FIATINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
5116DANONEALIMENTOS
5226MERCEDES BENZINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
5359CASAS BAHIAVAREJO
5456IBMTECNOLOGIA
5537IPIRANGAENERGIA
5695AZULTRANSPORTE E LOGÍSTICA
57VISAMEIOS DE PAGAMENTO
58783MQUÍMICA E PETROQUÍMICA
5975JBSALIMENTOS
6066CAIXA ECONÔMICA FEDERALSERVIÇOS FINANCEIROS
6151RAIA DROGASILFARMÁCIA
6265BUNGEAGRONEGÓCIO
6339FACEBOOKINDÚSTRIA DIGITAL
6460CLAROTELECOMUNICAÇÕES
6573AREZZOROUPAS, CALÇADOS E ACESSÓRIOS
66ULTRAFARMAFARMÁCIA
67XP INVESTIMENTOSFUNDOS DE INVESTIMENTO
68DROGARIA SÃO PAULOFARMÁCIA
6948FORDINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
7068LENOVOELETROELETRÔNICOS
71TOTVSTECNOLOGIA
7252VOLVOINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
7381TIGREINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
7479FLEURYSERVIÇOS DE SAÚDE
7550GOLTRANSPORTE E LOGÍSTICA
7663GRUPO GLOBOCOMUNICAÇÕES
7771AURORA ALIMENTOSALIMENTOS
7870SIEMENSELETROELETRÔNICOS
7972AMILSERVIÇOS DE SAÚDE
8094ELETROBRASDISTRIBUIDORA DE ENERGIA
8180BRASKEMQUÍMICA E PETROQUÍMICA
8297WEGBENS DE CAPITAL
8374KLABINMADEIRA, PAPEL E CELULOSE
84100USIMINASMINERAÇÃO, SIDERURGIA E METALURGIA
8567GECONGLOMERADO
8662GRUPO BIGVAREJO
8784BASFQUÍMICA E PETROQUÍMICA
8877TIMTELECOMUNICAÇÕES
89COSANENERGIA
9087VALEMINERAÇÃO, SIDERURGIA E METALURGIA
9191MONDELEZALIMENTOS
9286OITELECOMUNICAÇÕES
9369GRUPO ABRILCOMUNICAÇÕES
9485CARGILLAGRONEGÓCIO
9589ULTRAPARCONGLOMERADO
963G CAPITALFUNDOS DE INVESTIMENTO
97ALIMENTOS COAMOALIMENTOS
9896ENELDISTRIBUIDORA DE ENERGIA
9992NOVONORCONGLOMERADO
10034VOTORANTIMCONGLOMERADO

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa – com informações da Exame

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: EM MEIO A PANDEMIA SAI O RANKING DAS 100 EMPRESAS COM MELHOR REPUTAÇÃO NO BRASIL

EM MARÇO O TOTAL DE DOSES DE VACINAS CONTRA COVID-19 NO BRASIL PODE CRESCER DE FORMA EXPONENCIAL

Com maior produção local, Saúde espera 30 milhões de doses de vacina em março

Instituto Butantan e Fiocruz devem entregar neste mês lotes expressivos de doses produzidas no Brasil com insumos importados

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

Atualizado 06 de março de 2021 às 18:39

Com maior produção local, Saúde espera 30 milhões de doses de vacina em março

O total de doses de vacinas contra a Covid-19 disponíveis para o Brasil pode crescer de forma exponencial em março, a se confirmar a expectativa do Ministério da Saúde. De pouco mais de 6 milhões de doses em fevereiro, a projeção é a disponibilização de 30 milhões neste mês de março.

O gatilho para a expansão do quantitativo de imunizantes é a expansão da produção local da Coronavac e da vacina de Oxford, preparadas no Brasil pelo Instituto Butantan e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). É esperada, também, a primeira remessa do consórcio internacional Covax Facility.

O Butantan já produz localmente vacinas contra a Covid-19 desde janeiro, mas o quantitativo deve crescer em cinco vezes entre fevereiro e março. O cronograma do Ministério da Saúde prevê que a entidade ligada ao Governo de São Paulo entregue 23,3 milhões de doses da Coronavac neste mês.

A Fiocruz é esperada para dar a largada na produção local da vacina de Oxford e da AstraZeneca. Até agora, o Brasil recebeu 4 milhões de doses importadas, produzidas em um laboratório indiano. A expectativa é de 3,8 milhões de doses do imunizante produzidas no país em março.

Por fim, a pasta conta ainda com a primeira remessa do Covax Facility, o consórcio ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS). O Covax deve enviar ao Brasil, segundo o cronograma, 2,9 milhões de doses, também da vacina Oxford/AstraZeneca.

O cronograma divulgado pelo Ministério da Saúde neste sábado (6) não lista a vacina indiana Covaxin. Nas projeções anteriores, o governo federal listava as primeiras 8 milhões de doses do imunizante da farmacêutica Bharat Biotech neste mês.

IFA importado

A produção local de vacinas contra a Covid-19 não depende apenas, no entanto, de insumos presentes aqui no Brasil. Na verdade, todos os registros do cronograma preveem que o Butantan e a Fiocruz trabalhem em “produção nacional com IFA importado”.

O IFA é o ingrediente farmacêutico ativo, a substância que carrega a função esperada para vacinas e medicamentos. A Coronavac é uma vacina cujo IFA é o próprio vírus, no caso o novo coronavírus, só que inativado. A vacina de Oxford é uma vacina feita com um vírus modificado para imitar o causador da Covid-19.

Continuar lendo EM MARÇO O TOTAL DE DOSES DE VACINAS CONTRA COVID-19 NO BRASIL PODE CRESCER DE FORMA EXPONENCIAL

ESPECIALISTAS APONTAM SITUAÇÕES EM QUE O BRASIL VIVEU COLAPSO NA SAÚDE E COMPARAM COM A ATUAL

Entenda quando um sistema de saúde entra em colapso e como sair da crise

Especialistas apontam situações em que Brasil viveu colapso na saúde e comparam com situação atual causada pelo coronavírus

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

03 de março de 2021 às 05:00

Hospital na capital de Santa Catarina, com leitos de UTI de Covid-19 ocupadosHospital Florianópolis, na capital de Santa Catarina, com todos os leitos de UTI de Covid-19 ocupados

Um ano após a pandemia do novo coronavírus chegar ao Brasil, o país vive no início deste mês de março o momento mais crítico no sistema de saúde, com ocupação máxima de leitos e recordes diários no número de novas mortes.

Muito se diz que vivemos uma situação de “colapso” na saúde em diversas localidades do país em razão da Covid-19, mas o que torna uma crise grave a ponto de merecer esse título?

Especialistas ouvidos pela CNN afirmam que um dos principais fatores é a proporção dos leitos ocupados, pela dificuldade de se ocorrer atrás da ampliação dessa estrutura, que demanda recursos e mão de obra. Também entra na conta o ritmo de agravamento da crise, o quanto o agente causador do colapso está avançando frente à capacidade de contê-lo.

“Um dos alertas importantes é a capacidade instalada de leitos, porque é muito difícil você ampliar rapidamente leitos de UTI, é uma área altamente especializada, que depende de pessoal muito qualificado e que não está disponível de maneira imediata no mercado”, afirma José Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

“O grau de circulação do vírus, a capacidade do vírus de se transmitir. Aumentando a circulação de vírus mais pessoas adoecem, mais pessoas vão procurar assistência médica e mais pessoas vão ser internadas”, completa Temporão à CNN.

O médico Felipe Duarte Silva, gerente de práticas médicas do Hospital Sírio Libanês, afirma que o sistema de saúde não é preparado para o surgimento de uma doença como a Covid-19, com características muito diferentes das doenças tradicionais.

“Os sistemas de saúde usam a experiência prévia de atendimento à múltiplas doenças para montar suas estruturas. Num cenário desconhecido, fica muito difícil se preparar. A distribuição de leitos atuais foi feita para atender as doenças mais tradicionais da população, tivemos que nos adaptar rapidamente a essa nova realidade, pois além da Covid-19, temos que continuar a atender todas as outras doenças”, afirma o médico.

Covid-19

Para Edison Luiz Durigon, professor titular de virologia do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP), a atual situação do colapso na saúde está sendo determinada pelo tipo de doença que o novo coronavírus causa, por ser uma doença que gera muitas internações.

“É um vírus silencioso, as pessoas pegam e passam bastante tempo sem recorrer ao serviço médico. Quando recorrem, já chegam em uma situação mais delicada e precisam ser internadas”, explica Durigon.

O professor prossegue, argumentando que a situação se agrava pela complexidade dos recursos hospitalares necessários e o tempo de internação longo a que os pacientes são submetidos.

“As pessoas acabam ficando internadas muito tempo, isso colabora para piorar a situação, isso é o que determina o colapso da saúde, o número excessivo de casos de uma doença que interna muito e leva muita gente para a UTI”, acrescenta o virologista.

Há como prever o colapso?

É preciso haver um acompanhamento da evolução da ocupação hospitalar de forma contínua, assim como da demanda e da evolução do cenário nacional e regional. Isso permite fazer previsões, porém elas só são eficientes no curtíssimo prazo, segundo explica o gerente de práticas médicas do Hospital Sírio-Libanês, Felipe Duarte Silva.

“Quando tentamos fazer previsões de longo prazo, vimos que elas foram muito impactadas pelo cenário nacional. Tentamos fazer modelo preditivo, mas isso acabou não se concretizando. A logística de planejamento de divisão e ocupação de leitos é fundamental para garantir que não chegue a um colapso”, acrescenta.

O médico diz que o preparo para o colapso é feito quando os profissionais se reúnem diariamente para analisar os números de pessoas acometidas, as taxas de ocupação de UTI, os espaços, equipes e equipamentos.

“Avaliamos o cenário e criamos planos de ação para quando o hospital alcançar determinados indicadores. Daí, aciona-se aberturas de novos leitos, mudança de espaços, e aquilo que foi planejado para atender os pacientes. Tem como prever o colapso, mas não tem como garantir isso 100%. A melhor forma de prevenir o colapso é ter planos de ação mapeados a partir da análise de dados”.

O ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão enxerga a previsão como um planejamento que deve partir do governo federal. Para Temporão, teria sido necessária uma articulação nacional ao longo de 2020 a fim de prevenir a situação atual — o que, avalia o ex-ministro, não ocorreu.

O virologista Edison Durigon também avalia que o colapso poderia ter sido antecipado e critica “falta absoluta de planejamento”.

“Quando começou o colapso de saúde em março, o Brasil estava em uma situação delicadíssima, Manaus foi uma catástrofe total, uma tragédia anunciada. O que acontece agora é que todos os hospitais de campanha foram desmontados e não fizeram nada. Começamos a ver a segunda onda acontecer na Alemanha, Itália, EUA e novamente ficamos olhando o vírus chegar”, argumenta.

Como sair da crise?

A visão do gerente do Sírio-Libanês, em uma das regiões do Brasil mais afetadas pelo vírus, é de que o colapso pode ser solucionado com a distribuição de leitos a partir de análise de dados e com o comportamento colaborativo de todos.

“Essa colaboração se traduz dentro do hospital, onde todos trabalham incansavelmente para atender os pacientes que procuram nossa instituição, e fora do hospital, com o uso de máscaras, distanciamento social e higiene frequente das mãos”, sintetiza Felipe Duarte Silva.

Os especialistas concordam que a imunização é a solução mais urgente para desafogar o sistema de saúde em situações de crise.

“A saída dessa situação dependeria de um lado de nós conseguirmos o acesso rápido à um número muito grande de doses, o que é difícil hoje, o bem mais escasso no mundo no mercado mundial são as vacinas, e uma revisão crítica por parte do governo federal por sua postura alienada e anticiência”, afirma o ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão.

Temporão acrescenta ainda outras medidas que devem ser adotadas e defende que o Ministério da Saúde lide o esforço de combate, listando medidas como distanciamento social, lockdown, uso de máscaras, medidas de higiene e a imunização.

“A única saída é vacinar, de maneira que a gente consiga diminuir o número de casos, diminuir o número de internações e diminuir o índice de mortalidade. Com isso, a gente sai fora do colapso do sistema de saúde”, afirma o virologista e chefe do departamento de Microbiologia na USP.

Brasil já viveu colapsos outras vezes

Zika, Sarampo e H1N1 são doenças mais recentes que já causaram colapso na saúde do Brasil conforme apontam os especialistas. No passado, a gripe espanhola. No entanto, argumentam, nenhuma situação tão alarmante como a que vivemos atualmente.

“O Brasil já viveu vários colapsos na saúde, um exemplo recente é a epidemia do Sarampo, em Manaus, em 2018, crianças foram à óbito por falta de internação, em 2009 tivemos a pandemia da gripe, da H1N1 e o Brasil viveu um colapso de saúde novamente, com essa doença bastante séria, mas foi mais rápido, a pandemia levou de 3 a 4 meses, então o sistema de saúde conseguiu respirar logo”, afirma Durigon.

Para o médico do Sírio-Libanês, há comparações do cenário atual com a gripe espanhol, “mas aquele era outro mundo, com menos conhecimento e tecnologia”.

“O Brasil já viveu outros momentos críticos sim, em 2009, eu era ministro, e tivemos a pandemia do H1N1, mas nós vacinamos 100 milhões de brasileiros em 2010, mobilizamos, usamos a ciência como aliada, seguimos a recomendação das organizações internacionais. Tivemos surto de febre amarela, surto de dengue, em nenhum momento nós vimos o que estamos assistindo estarrecidos hoje”, afirma José Gomes Temporão.

“Chegou a hora de o Brasil olhar para o que está acontecendo e começar a investir dinheiro em saúde pública, a criar mais hospitais, mais leitos de UTI, a criar uma infraestrutura mínima para que a gente possa combater essas novas pandemias, endemias e epidemias. O coronavírus não será nossa última pandemia”, finaliza o virologista da USP.

Fonte: CNN
Continuar lendo ESPECIALISTAS APONTAM SITUAÇÕES EM QUE O BRASIL VIVEU COLAPSO NA SAÚDE E COMPARAM COM A ATUAL

CIENTISTA POLÍTICO DIZ OS MOTIVOS DE OS RELATÓRIOS APONTAREM QUE ESTÁ SE FORMANDO UMA ‘TEMPESTADE PERFEITA NO BRASIL’

Consultoria vê ‘tempestade perfeita’ para o Brasil

Diretor para as Américas do grupo Eurásia analisa situação do Brasil com possível aprovação do Auxílio Emergencial e contrapartidas fiscais na Câmara e Senado

Produzido por Jorge Fernando Rodrigues, da CNN, em São Paulo

03 de março de 2021 às 00:17

Consultoria vê 'tempestade perfeita' para o Brasil

 

O cientista político e diretor para as Américas do Grupo Eurasia, Christopher Garman, disse à CNN na noite desta terça-feira (2) os motivos de o relatório da consultoria apontar que está se formando a “tempestade perfeita” no Brasil em março.

“Quisemos alertar a confluência de fatores que sugerem um ambiente político-social dramático no mês. Estamos no meio de uma piora do quadro sanitário, com vários governos implementando medidas de restrição social mais severas, em um contexto em que o auxílio emergencial não foi renovado no final do ano passado. Entramos o ano com queda de renda, aumento da pobreza e prestes a uma onda de restrições sociais”, explica.

Ele ressalta que os aumentos dos combustíveis e da conta de luz agravam o cenário para a população. “E o problema político é o tempo necessário para aprovar uma reforma fiscal. Essa PEC vai demorar pelo menos um mês olhando os prazos regimentais do Senado e da Câmara. As demandas sociais vão crescer tremendamente nas próximas semanas e o Congresso não tem capacidade de aprovar essa solução fiscal rápida”, avalia.

Apesar dos entraves, Garman acredita que o governo tem condições de aprovar o que é necessário. “A votação deve incluir os gatilhos de teto de gastos e a cláusula de calamidade pública para novas contrapartidas fiscais. O problema é que o prazo deve demorar, mas as demandas sociais estarão enormes nas próximas semanas”.

Caso o auxílio emergencial seja liberado antes das contrapartidas, o mercado ficará com dúvidas. “Se você dá o auxílio agora, por que o Congresso vai aprovar essa reforma fiscal? Esse foi o grande motivo da venda de ativos nos últimos dias. O resultado não vai ser tão desastroso, mas o intervalo vai ser dramático”, prevê.

Fonte: CNN

Continuar lendo CIENTISTA POLÍTICO DIZ OS MOTIVOS DE OS RELATÓRIOS APONTAREM QUE ESTÁ SE FORMANDO UMA ‘TEMPESTADE PERFEITA NO BRASIL’

O GOVERNO DO PERU ANUNCIOU PRORROGAÇÃO NA SUSPENSÃO DE VOOS DO BRASIL ATÉ 14 DE MARÇO

Peru prorroga suspensão de voos do Brasil até o dia 14 de março

Restrição terminava neste domingo (28), mas governo tenta evitar no país a disseminação da variante brasileira do coronavírus

BRASIL

 Do R7

Aeroporto de Cumbica vazio em maio do ano passado em razão de restrições

FERNANDO BIZERRA / EFE – 25.5.2020

O governo do Peru anunciou neste domingo (28) a prorrogação até o dia 14 de março da suspensão de voos originários do Brasil. A medida é uma forma de prevenção contra a disseminação da variante brasileira do novo coronavírus.

A decisão foi publicada em decreto no Diário Oficial do governo peruano.  “Resolve-se prorrogar, de 1º a 14 de março, a suspensão dos voos de passageiros procedentes do Brasil”, afirma a publicação. Antes, a suspensão estava marcada para terminar neste domingo.

O Peru é apenas um dos países com suspensão de voos do Brasil. A lista inclui ainda Portugal, Reino Unido, Itália, Colômbia, Turquia, Israel e África do Sul.

Fonte: R7
Continuar lendo O GOVERNO DO PERU ANUNCIOU PRORROGAÇÃO NA SUSPENSÃO DE VOOS DO BRASIL ATÉ 14 DE MARÇO

DIANTE DE UM VIRUS QUE TEM MUITA ENERGIA QUALQUER RELAXAMENTO É PERIGOSO, DIZ DIRETOR EXECUTIVO DA OMS SOBRE PANDEMIA NO BRASIL

Pandemia: Diretor da OMS admite preocupação com situação do Brasil

“A situação do Brasil mostra que isso não acabou para ninguém”, disse Mike Ryan nesta sexta-feira (26)

INTERNACIONAL

Do R7, com informações da EFE

"A situação do Brasil mostra que isso não acabou", disse Mike Ryan

SALVATORE DI NOLFI/EFE

O diretor-executivo de emergências da OMS (Organização Mundial da Saúde), Mike Ryan, admitiu preocupação com o momento do Brasil no combate ao novo coronavírus, que é o causador da covid-19.

“A situação do Brasil mostra que isso não acabou para ninguém, pois qualquer relaxamento é perigoso, diante de um vírus que ainda tem muita energia”, disse o representante da agência, em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (26).

“Se as medidas sanitárias de controle não forem mantidas durante a introdução das vacinas, pagaremos um preço alto”, completou Ryan.

O Brasil tem o terceiro maior número de casos de infecção no mundo (10,4 milhões, segundo o Ministério da Saúde), mas o diretor da agência admitiu não estar claro se a magnitude do contágio tem relação com o surgimento de uma variante do novo coronavírus no país.

Mas Ryan fez um apelo pela continuação dos cuidados, com distanciamento social e uso de máscaras, que se mostraram eficazes contra todas as cepas do coronavírus. “Aumentar a capacidade do sistema de saúde é algo positivo, mas não é suficiente”, afirmou o diretor da OMS.

Fonte: R7
Continuar lendo DIANTE DE UM VIRUS QUE TEM MUITA ENERGIA QUALQUER RELAXAMENTO É PERIGOSO, DIZ DIRETOR EXECUTIVO DA OMS SOBRE PANDEMIA NO BRASIL

BRASIL E PORTUGAL SELARAM UM ACORDO QUE VAI DISPONIBILIZAR VOO PARA TRAZER BRASILEIROS QUE ESTÃO NO PAÍS

Itamaraty faz acordo com Portugal para trazer brasileiros que estão no país

Da CNN, em São Paulo

21 de fevereiro de 2021 às 10:11

Resultado de imagem para fotos do itamaraty

Brasil e Portugal selaram um acordo e vão disponibilizar um voo extraordinário para trazer brasileiros que estão em Lisboa. As viagens do país europeu para o território nacional estão suspensas por conta do agravamento da pandemia de Covid-19.

Na conversa entre o Itamaraty e as autoridades portuguesas, ficou definido que um voo especial sairá de Lisboa e chegará ao Aeroporto Internacional de Guarulhos na próxima sexta-feira (26). O acordo só valerá para quem comprar passagens de volta por meio da empresa portuguesa TAP.

Segundo a Associação Brasileira de Portugal, atualmente 360 brasileiros estão em Portugal sem conseguir retornar.

Para embarcar, os passageiros devem mostrar o resultado de um teste, feito em até no máximo 72 horas, comprovando que não estão infectados pela Covid-19. Ao chegarem de volta, todos deverão preencher um formulário emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

15 mil portugueses já morreram vítimas da Covid-19. A previsão é que os voos entre Portugal e Brasil permaneçam suspensos até o dia 1º de março.

Fonte: CNN

Continuar lendo BRASIL E PORTUGAL SELARAM UM ACORDO QUE VAI DISPONIBILIZAR VOO PARA TRAZER BRASILEIROS QUE ESTÃO NO PAÍS

O BRASIL COGITA FECHAR ACORDO PARA UTILIZAR MAIS DUAS VACINAS CONTRA COVID-19, MAS DEPENDE DO AVAL DA ANVISA

Esperada por governo e clínicas, vacina indiana ainda depende de aval da Anvisa

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

22 de fevereiro de 2021 às 05:00

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida por institutos indianos foi batizada de A Covaxin, vacina contra a Covid-19 desenvolvida por institutos indianos Foto: Reprodução/Bharat Biotech

O Brasil cogita fechar nos próximos dias acordo para a utilização no país de mais duas vacinas contra a Covid-19, a russa Sputnik V e a Covaxin, desenvolvida na Índia pelo laboratório Bharat Biotech. Além do acerto financeiro, os imunizantes dependerão ainda da aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação na população.

Na noite da última sexta-feira (19), o governo publicou uma edição extra do Diário Oficial da União com dois extratos de dispensa de licitação para a compra das vacinas. O documento assegura R$ 693,6 milhões para a compra da vacina russa e R$ 1,614 bilhão para a indiana.

Em nota enviada à CNN, o Ministério da Saúde afirma que planeja, nos próximos dias, assinar contrato com a Precisa Medicamentos, que poderá trazer ao Brasil, entre março e maio, mais de 30 milhões de doses da Covaxin, além de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V.

A vacina indiana está aguardando autorização da Anvisa para realizar os estudos clínicos da fase 3 no Brasil. As análises serão conduzidas pelo Instituto Albert Einstein. A novidade despertou interesse nas clínicas particulares brasileiras, que já entraram em contato com a empresa para compra de doses.

A Anvisa se reuniu com representantes do Bharat Biotech, da Precisa Farmacêutica – representante do laboratório indiano no país – e do Hospital Albert Einstein para discutir a melhor estratégia para a submissão formal do pedido de estudo clínico da Covaxin no país.

“Esta iniciativa de reuniões prévias para troca de informação tem o objetivo de dar agilidade às análises e garantir que a pesquisa que será feita no Brasil seja capaz de produzir dados cientificamente válidos sobre segurança e eficácia da vacina”, informou a Anvisa.

O que se sabe sobre a Covaxin

A Covaxin é uma vacina para o combate ao Sars-CoV-2 de duas doses. O imunizante é produzido a partir de vírus inativado.

A vacina é desenvolvida na Índia pela Bharat Biotech em colaboração com o Conselho Indiano de Pesquisa Médica (ICMR) e o Instituto Nacional de Virologia (NIV), com apoio da Fundação Bill & Melinda Gates.

Segundo os fabricantes, o laboratório possui capacidade instalada de produção de 300 milhões de doses anuais.

Entre as vantagens do imunizante está a conservação, já que pode ser armazenada em temperaturas que variam de 2ºC a 8ºC. Além disso, de acordo com a Bharat Biotech, a vacina se mostrou eficaz em testes contra a nova variante britânica do vírus.s

Resultados apresentados

A Covaxin foi avaliada em ensaios clínicos nas fases 1 e 2, com resultados promissores de segurança e resposta imunológica, informou o laboratório à CNN.

“O desenvolvimento do produto e os dados dos ensaios clínicos obtidos até agora geraram cinco artigos científicos*, que foram submetidos a revistas internacionais e revisados por pesquisadores independentes”, afirma a Bharat Biotech.

A primeira fase de testes da vacina apresentou resultados de segurança e resposta imunológica dentro do esperado, de acordo com um estudo publicado em 21 de janeiro pela revista londrina “The Lancet”, referência em publicações científicas no mundo.

Uso emergencial na Índia

A publicação dos dados da fase 2 dos ensaios clínicos está sendo submetida ao processo de revisão por pesquisadores independentes. No entanto, segundo o laboratório responsável pela Covaxin, “os resultados até agora divulgados nos permitem manter o mais elevado grau de certeza na eficácia do imunizante”.

Após a apresentação desses resultados, em 3 de janeiro a Covaxin foi recomendada para uso restrito em situação de emergência por um painel nomeado pelo governo indiano, que submeteu suas descobertas ao Drugs Controller General of India, a Anvisa do país.

Desde então, a Índia ampliou o uso da Covaxin em seu programa de imunização em massa, que teve início em 16 de janeiro e aplicou 5 milhões de doses da vacina em profissionais da área da saúde, segundo a Precisa Medicamentos.

Em que fase estão os testes?

Os ensaios clínicos de fase 3 da Covaxin começaram em meados de novembro de 2020 e estão hoje na reta final, com 26 mil voluntários em toda a Índia.

A Precisa Medicamentos, representante do laboratório no Brasil, assinou um termo de cooperação científica com o Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein para realizar no país os estudos complementares de fase 3 da vacina. Os testes devem ser iniciados imediatamente após o aval da Anvisa..

Interesse privado

O governo federal incluiu a Bharat Biotech no Plano Nacional de Imunização divulgado pelo Ministério da Saúde em dezembro.

“Ainda no ano passado, o Ministério da Saúde convidou representantes da Bharat Biotech para uma apresentação sobre a vacina – assim como fez com outros fabricantes. Dessa apresentação surgiu um termo de compromisso, no qual a Bharat Biotech se compromete a atender a demanda do governo federal, após a aprovação da vacina pela Anvisa”, informou a Precisa Medicamentos.

Também existe a intenção de fornecer a vacina ao mercado privado, após o atendimento da demanda do sistema público de saúde. Segundo a Precisa, a intenção é “atender principalmente empresas que necessitem imunizar seus colaboradores para, com isso, garantir o acesso a um número maior de brasileiros e permitir retomada mais rápida e segura da plena atividade econômica”.

“Tanto o fornecimento para o serviço público de saúde quanto ao privado dependem da regulamentação da Anvisa”, ressaltou a empresa.

O que especialistas dizem sobre a vacina

CNN ouviu especialistas sobre o laboratório indiano Bharat Biotech, o histórico de produção de vacinas a baixo custo para países em desenvolvimento e sobre as semelhanças dessa vacina com a chinesa Coronavac, que já é aplicada no país.

De acordo com o imunologista Eduardo Nolasco, a vacina indiana utiliza o vírus inativado, como a Coronavac, entretanto, possui o acréscimo de uma importante molécula protetora contra o vírus.

“Acrescentaram na vacina uma molécula que faz com que a resposta de linfócitos T seja aumentada. É o que a gente chama de resposta celular. É basicamente a formulação dela que difere da Coronavac, principalmente por conta desse indutor da resposta de linfócitos T”, explica.

“Isso é muito importante porque já foi avaliado que a nossa principal resposta de defesa à Covid-19 é de linfócitos T, então eles acrescentaram essa molécula que vai aumentar a produção dessa resposta, que é importante e protetora, talvez até mais do que a própria produção de anticorpos”, completa.

O imunologista acrescenta que a Índia já responde por mais de 60% de produção de vacinas no mundo. “A Bharat Biotech participa ativamente dessa produção. Possui inúmeras vacinas conhecidas, como as vacinas contra raiva, coqueluche, mas talvez a mais famosa seja a Rotavac, que é uma vacina contra o rotavírus, que provoca bastante mortes nos países em desenvolvimento”, diz.

Segundo o médico, a Índia introduziu a Rotavac no seu programa de imunização em 2016 e tem mais de 35 milhões de doses fornecidas até o momento. “A RotaVac chegou a ser fornecida a países pobres por US$ 1, e esse valor ainda pode ser reduzido se for [pedido] uma grande disponibilidade de doses, então eles conseguem fazer bastante vacinas a preços acessíveis para esses países em desenvolvimento”.

Mas ainda que o laboratório se destaque na produção de vacinas, é preciso considerar a eficiência da distribuidora dessas doses no Brasil. É o que pondera o sanitarista e ex-diretor da Anvisa, Ricardo Oliva.

“É preciso saber qual a experiência que a Precisa Medicamentos tem em importar vacinas, receber vacinas, fazer controle, distribuição. Uma coisa é receber da Fiocruz, com certeza fariam todo o controle necessário, o embarque, monitoramento no caminho, agora não sei se a Precisa tem competência para isso”, afirma Oliva.

Um dos fundadores e ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina Neto ressalta a importância da conclusão da fase 3, uma vez que a aprovação desta etapa na Índia não pode interferir na distribuição da vacina em outros países.

“O laboratório é um grande produtor de vacina e ainda exporta para o mundo inteiro imunizantes bastante tradicionais, como o que desenvolveu agora para a Covid-19. Porém, o fato de ela ter sido registrada pela agência de vigilância sanitária da Índia não significa nada”, afirma. “A vacina da Bharat Biotech tem o registro da Índia, lá ela pode e está sendo usada, mas para ser usada fora de lá, falta um estudo de fase 3, por exemplo”, diz Vecina.

Fonte: CNN

Continuar lendo O BRASIL COGITA FECHAR ACORDO PARA UTILIZAR MAIS DUAS VACINAS CONTRA COVID-19, MAS DEPENDE DO AVAL DA ANVISA

EM TAIWAN, VIAJANTES VINDOS OU COM PASSAGENS PARA O BRASIL FARÃO QUARENTENA

Taiwan confirma três casos da variante covid-19 do Brasil

Ministro da saúde determina que brasileiros ou pessoas que estiveram por aqui fiquem de quarentena em lugar isolado

INTERNACIONAL

 por Reuters

A partir de quarta viajantes vindos ou com passagem no Brasil farão quarentena
WALLACE WOON/EFE/EPA

O governo de Taiwan confirmou neste domingo (21) que foram diagnosticados três casos da variante brasileira da covid-19. Com isso, todas que chegaram do Brasil vão ter de passar por quarentena a partir dessa semana.

O ministro da Saúde, Chen Shih-chung, afirmou que três pessoas firam diagnosticadas com novo coronavírus no mês passado e só no último sábado foi confirmada que era pela P.1, como é chamada a mutação do Amazonas. Os infectados estão sendo tratados em hospitais.

Chen acrescentou que a partir da meia-noite da próxima quarta-feira, qualquer pessoa que chegue do Brasil em Taiwan ou que tenha estado no Brasil nos últimos 14 dias deve ficar em quarentena em um local fechado por duas semanas. Assim como as chegadas da Grã-Bretanha e da África do Sul, já que também devem ser evitadas a propagação de variantes encontradas lá.

As pessoas que chegam a Taiwan dos outros países devem ficar em quarentena em casa por 14 dias. Elas são acompanhadas de perto pelas autoridades para garantir que não saiam de casa.

A pandemia matou 245.977 pessoas no Brasil, o pior número de mortes fora dos Estados Unidos.

O Brasil tem mais de 10 milhões de casos confirmados de coronavírus, já que uma nova variante descoberta na Amazônia ameaça devastar ainda mais um país onde as inoculações foram suspensas em muitas cidades por falta de vacinas.

Taiwan manteve a pandemia sob controle graças à prevenção precoce e eficaz, incluindo o fechamento de suas fronteiras. Existem apenas 40 casos ativos em tratamento em hospitais.

Fonte: R7
Continuar lendo EM TAIWAN, VIAJANTES VINDOS OU COM PASSAGENS PARA O BRASIL FARÃO QUARENTENA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar