Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

PODCAST: SEGUNDO PESQUISA, CERCA DE 9% DAS MULHERES BRASILEIRAS JÁ SOFRERAM VIOLÊNCIA SEXUAL NA VIDA

Por g1

 

Em livro sobre cultura do estupro, Ana Paula Araújo relata abuso

O podcast Abuso estreia nesta quinta-feira no Globoplay, no g1 e na Deezer. A jornalista Ana Paula Araújo mergulhou neste tema para publicar o livro “Abuso: A cultura do estupro no Brasil” (Globo Livros), que ganha sua versão em podcast, com seis episódios, publicados sempre às quintas-feiras.

Segundo dados da Pesquisa Nacional da Saúde (PNS), divulgada em maio deste ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde, cerca de 9% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de violência sexual na vida.

Produzido pelo Jornalismo da Globo, o podcast tem roteiro da Rádio Novelo. Os seis episódios narram a história de mulheres que passaram por episódios de violência sexual no Brasil e o “fantasma” do medo que mulheres têm de serem abusadas. O caso da adolescente Fernanda é o fio condutor do programa. No ano em que prestaria vestibular, ela foi abordada por um homem que anunciou um assalto e a violentou.

Ao lado da história de Fernanda, cada episódio apresenta outras mulheres que passaram por situações de abuso, muitas delas dentro da própria casa.

Para denunciar e buscar ajuda em casos de violência contra a mulher, ligue 180.

O que são podcasts?

Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça.

Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia…

Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça – e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.

Continuar lendo PODCAST: SEGUNDO PESQUISA, CERCA DE 9% DAS MULHERES BRASILEIRAS JÁ SOFRERAM VIOLÊNCIA SEXUAL NA VIDA

ILUSTRADOR POTIGUAR USA A ARTE PARA ABRIR ESPAÇO TEMÁTICO SOBRE SUICÍDIO E VALORIZAÇÃO DA VIDA

Ilustrador potiguar desenvolve artes sobre valorização da vida

Neste Setembro Amarelo, Aureliano Medeiros desenvolve projeto sobre conscientização do suicídio

Redação
30/09/2021 | 16:01

Ilustrador, Aureliano Medeiros – Foto: Reprodução

Como forma de abrir espaço de diálogo sobre a temática do suicídio e da valorização da vida por meio de imagens, o ilustrador, jornalista e escritor potiguar Aureliano Medeiros (@oiaure) foi convidado pelo cemitério, funerária e crematório da Grande Natal para desenvolver uma série de ilustrações, que estão sendo publicadas no perfil @moradadapaz no Instagram, todas as segundas e sextas-feiras do mês de setembro.

Aureliano já tem familiaridade com a temática. Em 2017, ele produziu uma série de quadrinhos em torno do Setembro Amarelo de maneira independente e ainda disponibilizou o material de conscientização gratuitamente. Dessa vez, o material também está sendo todo produzido por ele, com suporte da equipe de Psicologia do Luto da empresa.

“A ideia foi convidar Aureliano para expressar visualmente pensamentos e ideias sobre o tema para o público em geral, e ainda valorizar um artista potiguar, que tão bem traduz as mensagens que queríamos compartilhar. Buscamos tornar esse diálogo proposto pela campanha do Setembro Amarelo em algo mais lúdico e leve através das ilustrações, abrindo possibilidades concretas de percepção de sentimentos e convidando para a conversa, tão necessária nos dias de hoje e sempre”, detalhou a gerente de marketing do grupo.

O mossoroense de 32 anos é jornalista (ex-editor da editora Tribo), ilustrador, quadrinista e escritor. Ele escreveu e ilustrou o romance “Madame Xanadu” e os zines de quadrinhos “Elevador, Sobrepeso e Conexão”, além de desenvolver capas e ilustrações para diferentes publicações. Em seus quadrinhos autobiográficos, o artista retrata a si mesmo sempre desnudo.

Acerca de sua trajetória nas artes visuais, ele conta que foi motivada pela busca pela autocompreensão. “Quando comecei a desenhar, foi um momento em que eu queria entender como eu era. Foi como se conforme fosse criando, ia entendendo melhor quem eu era e junto com isso, fui construindo a pessoa que eu queria ser”, diz.

O artista conta que ficou muito feliz ao receber o convite para participar do projeto da empresa. Aureliano considera muito positivo o favorecimento de diálogos sobre o tema do Setembro Amarelo. “O tema é muito importante e por muito tempo a gente não falou sobre. Fiquei muito feliz com o convite para fazer as ilustrações e fiquei pensando que mensagem eu poderia deixar para as pessoas que talvez estivessem precisando ler naquele momento. Foi olhar para o outro e dizer ‘eu me importo com você’”, completa.

Aureliano enxerga na expressão de sentimentos que suas ilustrações retratam a oportunidade de abrir espaço para que as pessoas se sintam mais à vontade para poder abordar suas tristezas. “Acredito que quanto a mais a gente consegue falar sobre tudo isso, a gente consegue ver que tem um amanhã, que tem uma saída para nossas questões e problemas”, conclui.

Todas as ilustrações estão disponíveis para download gratuito no endereço: http://bit.ly/a-vida-vale-a-pena.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo ILUSTRADOR POTIGUAR USA A ARTE PARA ABRIR ESPAÇO TEMÁTICO SOBRE SUICÍDIO E VALORIZAÇÃO DA VIDA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O QUE VOCÊ BUSCA ESTÁ TE BUSCANDO, POR IVAN MAIA

Este vídeo é para você que ainda não descobriu o seu PROPÓSITO na vida e precisa urgentemente dar um sentido a sua vida. Nele o competente desenvolvedor de pessoas Ivan Maia lhe ensina como descobrir isso. Então te convido a assistir o vídeo completo a seguir e transformar a sua vida definitivamente! 

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O QUE VOCÊ BUSCA ESTÁ TE BUSCANDO, POR IVAN MAIA

DIPLOMATA ISRAELENSE APRESENTA PLANO PARA MELHORAR VIDA DE PALESTINOS NA FAIXA DE GAZA

Israel propõe plano para ‘melhorar vida’ de palestinos na Faixa de Gaza

Em troca, Hamas terá de se comprometer a manter uma relação pacífica . Se houver violência, resposta israelense será mais forte

INTERNACIONAL

por AFP

Yair Lapid Israel, chefe da diplomacia israelense, apresentou plano em conferência

ANDREW HARNIK / POOL / AFP

O chefe da diplomacia israelense, Yair Lapid, apresentou neste domingo (12) um plano para “melhorar” as condições de vida dos palestinos na Faixa de Gaza em troca de um compromisso de “calma” por parte do movimento Hamas, que governa o enclave.

“Por muito tempo, as únicas duas opções eram conquistar Gaza ou violência sem fim. Ambas as opções são ruins”, afirmou Lapid, apresentando sua iniciativa “Economia em troca de segurança” em uma conferência de segurança em Jerusalém.LEIA TAMBÉM

 

Especificamente, Lapid propôs um plano de duas fases, mas sem negociações com o Hamas, movimento considerado “terrorista” por Israel.

Na primeira fase, “as linhas elétricas seriam reparadas, o gás seria conectado e uma usina de dessalinização de água seria construída” em Gaza, um território que está sob bloqueio israelense há mais de 15 anos e tem uma média de 12 horas de eletricidade por dia e pouca água potável.

Em troca, os islâmicos do Hamas terão que se comprometer com “a calma por um longo período”, acrescentou Lapid, especificando que, em caso de violência, a resposta de Israel será “mais forte do que no passado”.

Numa segunda fase, serão construídos um porto e uma “ligação rodoviária” entre Gaza e a Cisjordânia, território palestiniano ocupado por Israel, assim como uma nova zona industrial, explicou.

A Cisjordânia, onde fica a sede da Autoridade Palestina de Mahmoud Abas, é separada de Gaza pelo território israelense.

O plano, que ainda não foi adotado pelo governo, não visa resolver o conflito israelense-palestino, mas sim “agir agora” para “melhorar” as condições de vida dos palestinos e “criar melhores condições para conversas futuras”, de acordo com o ministro.

Israel e o Hamas lutaram quatro guerras desde 2008. Quatro meses após a última guerra, em maio, a reconstrução do enclave ainda não começou, apesar de os compromissos de vários doadores.

Fonte: R7

Continuar lendo DIPLOMATA ISRAELENSE APRESENTA PLANO PARA MELHORAR VIDA DE PALESTINOS NA FAIXA DE GAZA

AUTOCONHECIMENTO: VIEMOS PARA ESSE MUNDO APRENDER A AMAR

Aprender a amar é tudo o que viemos fazer nessa experiência terrena. O amor que nos submetemos a aprender nessa plano tridimensional é o amor incondicional. Aquele que nos liberta quando o alcançamos. Mas não é fácil conquistar essa façanha. Amar ao próximo, a qualquer desconhecido assim como amo a mim mesmo e aos meus filhos. Dependendo do nível consciencial em que você esteja, isso pode ser impossível, mas um dia você, eu e qualquer um estará preparado para isso. Então te convido a conhecer como isso funciona nas nossa vidas. Tudo o que você for fazer, faça por amor! Isso é tudo, por enquanto.

Amor, vida e liberdade!

Coração vermelho entre as mãos de uma pessoa
Stocksnapper / Getty Images / Canva

O artigo fala sobre o amor e destaca a frase do filósofo e teólogo medieval Santo Agostinho, que diz: “Ama e faz o que quiseres”.

Tudo o que você for fazer, faça por amor. Tudo o que for pensar, pense por amor. Tudo o que for desejar, deseje por amor. Tudo o que for esperar, espere por amor. Tudo o que for sonhar, sonhe com amor!

O amor acontece quando desejamos, queremos e lutamos por ele. O amor não é uma entidade estanque, a qual que está ali na nossa frente e, quando precisamos, vamos lá e a pegamos. Não. O amor é luta, conquista.

Quem ama faz a história acontecer, não fica parado, alheio aos acontecimentos. Quem ama de verdade cuida, zela, educa.

O amor é o mais nobre sentimento humano. Não existe outro sentimento que nos faça mais humano do que o amor. O amor cura!

No amor, não há problema. O único problema é não amar. O amor identifica quem é da verdade e quem é da mentira. O amor constrói pontes, sonhos, realizações. O amor salva!

Quem ama verdadeiramente não vive na mentira. Tudo compartilha. Tudo pondera. O amor torna as pessoas acolhedoras, tolerantes e flexíveis. Quem ama é livre, fraterna, acolhedora, doce, feliz!

Quem não ama é infeliz, vive reclamando de tudo e de todos: do mundo, do clima, dos governos, do Sol, da chuva… Pode reparar, quem reclama muito da vida é porque não tem ou não viveu um grande amor!

Mulher segurando um coração de papel sobre o rosto
AnaBGD / Getty Images Pro / Canva

Amar significa ser simples, olhar a vida com positividade. Quem ama sempre enxerga o melhor no outro. É positivo. Não vive reclamando de tudo e de todos. O amor nos liberta das dores do mundo!

Como dito anteriormente, gosto muito desta frase do filósofo e teólogo medieval Santo Agostinho: “Ama e faz o que quiseres”. Isso mesmo, a essência do amor é a liberdade. Quem ama é livre!

Quem ama é cordial, educado, flexível e não vive somente para si, pois pensa sempre no outro e nunca somente em si. Ao contrário, quem não ama é intransigente, grosseiro, intolerante; vive culpando os outros!

Você já se perguntou por que a palavra amor é a mais cantada e decantada por poetas, cantores e escritores na literatura mundial? Será por que o amor é uma conquista, e não um dom?

Ser tolerante, empático, acolhedor, reflexível etc. são atitudes que demonstram que você é uma pessoa amorosa. Ter fé e esperança também! Em tudo, a oração nos coloca em outro patamar.

Quem ama de verdade ora pelos seus e pelos inimigos. “Tu, quando orardes, entra no teu quarto e fecha a tua porta, ora ao teu Pai, no segredo, e o teu Pai, no segredo, te recompensará” (Mt. 6,6).

Por fim, estar em comunhão com Deus é o caminho mais curto para a felicidade humana, para o amor, para o respeito mútuo, para a justiça, para o perdão… E viva o Amor! Viva a vida! Viva a liberdade!

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: VIEMOS PARA ESSE MUNDO APRENDER A AMAR

OPINIÃO: CHEGAMOS AO ÁPICE DA CANALHICE QUANDO AO NOTICIAR A ASCENSÃO DE UM GRUPO INTOLERANTE GENOCIDA, JORNALISTA ATENTA AO FATO DESESPERADOS EM FUGA PELA VIDA NÃO USAVAM MÁSCARAS

O Talibã no poder e a hipocrisia latente da esquerda

Reprodução InternetReprodução Internet

Alguns fatos expõem toda a imbecilidade da esquerda.

O Talibã tomando o poder no Afeganistão, com certeza, foi um desses momentos.

A hipocrisia fica latente. Mesmo com cenas dantescas, como professores chorando na despedida das alunas (que não podem mais estudar), ou de refugiados despencando de um avião (pois preferiram arriscar a morte quase certa do que aceitar a permanência no regime radical que se instalou), existem os que ainda “comemoram” por pura e simples birrinha “anti-americana”.

Chegamos ao ápice da canalhice quando, ao noticiar a ascensão de um grupo intolerante, radical e genocida (no verdadeiro sentido da palavra), uma jornalista se atenta ao fato de que, no desespero da fuga, ao correr pela sobrevivência, as vítimas não usaram máscaras.

Estamos falando de um grupo TERRORISTA, que tem estupros e assassinatos como “modus operandi”, governando um país inteiro com apoio da China, uma potência nuclear. Mas, na lacrolândia, o importante é o uso de máscaras e a “derrota” dos EUA.

São tão descolados da realidade que, ao “descobrirem” que, com os radicais no poder, os gays serão EXTERMINADOS em nome da fé, começaram a modificar a localização dos “apps de namoro”, para tentarem se comunicar com os homossexuais que ficaram presos dentro das fronteiras.

Não sabem, ou fingem não saber, que a internet é rara e ABSOLUTAMENTE CONTROLADA dentro de países totalitários (exatamente como na China, Coréia do Norte, Cuba e Venezuela, que tanto defendem). Nos raros momentos onde existe conexão, NINGUÉM se arriscará a acessar um “app de pegação”, aumentando o risco de terminar enforcado em praça pública.

Isso só pode ser feito por quem vive no “sofrimento” do “capitalismo malvadão”; idiota o suficiente pra acreditar que é oprimido em um país onde pode chamar o Presidente de Genocida, acusar o governo de Fascista e não sofrer nenhuma consequência por isso.

Hipócritas, idiotas, sem qualquer empatia, sem qualquer senso de realidade, presos em um mundo mentiroso de fantasias, preocupados apenas com militância e lacração, que não conseguem aceitar a verdade nem quando esta arromba a porta e senta nas suas cabeças.

Crianças birrentas, incapazes de respeitar a dor e o sofrimento alheio, que sequer deveriam ter suas análises ouvidas; quem dirá consideradas.

“Não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência.” (TOLSTÓI, Leon)

Fonte: Jornal da Cidade online

Continuar lendo OPINIÃO: CHEGAMOS AO ÁPICE DA CANALHICE QUANDO AO NOTICIAR A ASCENSÃO DE UM GRUPO INTOLERANTE GENOCIDA, JORNALISTA ATENTA AO FATO DESESPERADOS EM FUGA PELA VIDA NÃO USAVAM MÁSCARAS

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: QUANDO DESCOBRIMOS O VERDADEIRO PROPÓSITO DA VIDA, ELA SE TORNA MAIS SUAVE

Eis o grande propósito da vida: Aprender a amar. E por isso que o texto a seguir fala de uma grande caminhada, numa longa estrada a procura do amor, onde se pode verificar que ele está em todas as coisas, menos dentro de si mesmo. Esse vazio que aos poucos é preenchido com as experiências vividas. Mas se tivermos, desde cedo, a verdadeira noção desse propósito maior a vida fica mais bonita e mais suave de ser vivida. Então convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Saiba o que sua flor de aniversário diz sobre sua personalidade | CASA.COM.BR

A busca do amor

Em plena juventude, como fruto verde que aguarda a primavera, esperei intensamente pelo amor.

Todas as manhãs, abria a janela de minha alma e esperava que o novo dia me trouxesse o amor.

E porque ele tardasse a chegar, fechei as portas e janelas, selei os portões e saí pelo mundo.

Andei por caminhos inúmeros e estradas solitárias. Por vezes, ouvia o cortejo do amor que passava ao longe. Corria e o que conseguia ver era somente corações em festa, risos de alegria. O amor passara e eu continuava só.

Algumas noites, chegando às cidades com suas mil luzes piscando vida, ousava olhar para dentro dos recintos. Via mães acalentando filhos, cantando doces canções de ninar, casais trocando juras, crianças dividindo brincadeiras entre risos.

Em todos estava o amor. Somente eu prosseguia solitário e triste.

Depois de muito vagar, tendo enfrentado dezenas de invernos, resolvi retornar.

De longe, pude sentir o perfume dos lírios. Quando me aproximei, pude ver o jardim saudando-me.

Você voltou! – Falaram as rosas, dobrando as hastes à minha passagem.

Seja bem-vindo! – Disseram as margaridas, agitando as corolas brancas.

É bom tê-lo de volta! – Saudaram os girassóis, mostrando suas coroas douradas.

Tanto tempo havia se passado e, de uma forma mágica, os jardins estavam impecáveis. As cores bem distribuídas formavam arabescos na paisagem.

Uma emoção me invadiu a alma. Abri as portas e janelas do meu ser. Debruçado à janela da velhice, fitando a ponte que me levará para além desta dimensão, o amor passa por minha porta.

Apressadamente, coloco flores de laranjeira na casa do meu coração. Atapeto o chão para que ele entre, iluminando a escuridão da minha soledade.

Tremo de ternura. Já não sofro desejo, nem aflição.

Os olhos felizes do amor fitam os meus olhos quase apagados,reacendendo neles a luz que volta a brilhar.

Há tanta beleza no amor que me emociono.

Superado o egoísmo, não lhe peço que entre e domine o meu coração rejuvenescido.

Em razão disso, agora que descubro de verdade o que é o amor, não o retenho. Deixo-o seguir porque amando, já não peço nada. Agora posso me doar aos que vêm atrás, em abandono e solidão.

Aprendi a amar.

* * *

Feliz é a criatura que descobriu que o melhor da vida é amar.

Feliz o que leu e entendeu o Cântico do pobre de Assis: É dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, é melhor amar que ser amado.

Por ser de essência Divina, o amor supre na criatura todas as suas necessidades e a torna feliz, mesmo em meio às dificuldades, lutas e tristezas.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. LVII, do livro Estesia, pelo Espírito Rabindranath Tagore, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: QUANDO DESCOBRIMOS O VERDADEIRO PROPÓSITO DA VIDA, ELA SE TORNA MAIS SUAVE

ECONOMIA: FINANÇAS CAUSAM ESTRESSE E REFLETEM NA VIDA FAMILIAR DE 58,4% DOS BRASILEIROS

Finanças são motivo de estresse em 58,4% das famílias

Redação*

 Atualizado em:

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

As finanças causam estresse e refletem na vida familiar de 58,4% dos brasileiros, segundo o Índice de Saúde Financeira do Brasileiro. O indicador, lançado hoje (19), faz parte de uma iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) em parceria com o Banco Central para fornecer à população ferramentas de educação financeira.

O índice foi construído para avaliar a capacidade de cada pessoa em cumprir as obrigações financeiras; tomar boas decisões do ponto de vista das finanças pessoais; ter disciplina e autocontrole; sentir segurança em relação ao futuro; ter a liberdade de fazer escolhas que permitam aproveitar a vida.

O questionário do indicador foi aplicado por meio de 5 mil entrevistas em uma amostra representativa das regiões do país, faixas de renda, idade e sexo. O questionário também fica disponível na página dedicada ao tema onde os usuários podem avaliar de forma individual a própria saúde financeira.

A pesquisa nacional mostrou ainda que apenas 21,9% dos brasileiros se sentem preparados para lidar com uma grande despesa inesperada.

Pontuação

Em uma pontuação que vai de zero a 100, a média nacional ficou em 57 pontos, o que significa uma situação de razoável equilíbrio, mas com pouco espaço para erros e imprevistos. Quase a metade da população (48,3%), no entanto, está abaixo desse patamar, em faixas consideradas de baixa saúde financeira.

Desigualdades

A Região Sudeste teve o maior percentual (14,1%) de pessoas na faixa mais baixa de saúde financeira – de zero a 36 pontos. Em seguida vem a Região Nordeste, com 11% da população nessa situação.

A Região Sul tem 13,1% das pessoas no patamar de melhor saúde financeira, marcando acima de 83 pontos. Na média nacional esse índice é de 8,1%.

Os homens têm uma situação financeira melhor do que as mulheres. Entre os entrevistados do sexo masculino, 10,1% estão na faixa com situação financeira ótima e 8,3% na pontuação mais preocupante. Entre as entrevistadas, 15,1% estão na pior faixa e 5,9% na situação ótima.

Sobre o futuro, apenas 35% da população têm segurança sobre as finanças. Mais da metade (53,5%) disseram que os compromissos reduziram o padrão de vida.

Continuar lendo ECONOMIA: FINANÇAS CAUSAM ESTRESSE E REFLETEM NA VIDA FAMILIAR DE 58,4% DOS BRASILEIROS

ARTIGOS: COMO VALIDAR AS NOVAS CRENÇAS E PARADIGMAS?

→ Como Fazer a Mudança de Paradigmas? 【E-BOOK GRÁTIS!】

VALIDAR AS NOVAS CRENÇAS E PARADIGMAS PARA TRANSFORMAR A SUA VIDA

Quem está passando pelo despertar da consciência para aceitar novas crenças e paradigmas pode estar dizendo: sim eu quero mudar os meus hábitos e abraçar novas crenças e paradigmas, mas como validar as novas crenças?

Bem, não existe mistério, nem pílula mágica. O que existe, antes de mais nada é a consciência e a certeza de ter que sair da velha Zona de Conforto e com muita disciplina, coragem, perseverança e resiliência começar a exercitar e implementar as mudanças de hábitos necessárias para dar essa guinada, essa virada de mesa. Ter a consciência de que ao se repetir um determinado novo hábito por 21 dias consecutivos realmente funciona para um novo hábito que vai transformar a sua vida. Ter a consciência que tudo é absolutamente treinável, seja lá o que for. E você pode estar perguntando: como eu me conscientizo de tudo isso?

A conscientização sobre qualquer tema se adquire de diversas formas, mas a mais eficaz é aquela que você consegue mudar a sua crença sobre o tema específico. Estando isso consolidado o que resta é exercitar e quanto mais se exercitar mais rápido se consegue validar essa nova crença. Isso é líquido e certo. Se você duvida, dê uma chance a si mesmo e faça o teste. Não há custo nenhum além do tempo dedicado.

Portanto, baseado no raciocínio de que se você não tentar jamais saberá se poderia dar certo e que se você tentar é o mesmo que não acreditar, convido você a fazer, executar acreditando e  resultado final é um só: o sucesso!

Continuar lendo ARTIGOS: COMO VALIDAR AS NOVAS CRENÇAS E PARADIGMAS?

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: É IMPERATIVO ENTENDER O CICLO DA VIDA E OS RECOMEÇOS

Em RECOMEÇOS NECESSÁRIOS temos um texto de suma sabedoria para a nossa REFLEXÃO, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL deste domingo. Por isso convido você a ler esse texto maravilhoso que nos oferece esclarecimentos extraordinários sobre a morte, o renascer, o despertar e sobre evolução espiritual. Então não perca essa oportunidade de expandir a sua consciência!

RECOMEÇOS SÃO NECESSÁRIOS - YouTube

Recomeços necessários

A lei dos renascimentos rege a vida universal.

Com alguma atenção poderíamos ler em toda a natureza, como em um livro, o mistério da morte e da ressurreição.

As estações sucedem-se no seu ritmo imponente.

O inverno é o sono das coisas.

A primavera é o acordar.

O dia alterna com a noite.

Ao descanso segue-se a atividade.

O espírito deixa o corpo físico e adentra as esferas espirituais, para retornar e continuar com forças novas a tarefa interrompida.

As transformações da planta e do animal não são menos significativas.

A planta morre para renascer, cada vez que a seiva volta. Murcha para reflorir.

A larva, a crisálida e a borboleta são outros tantos exemplos que reproduzem, com mais ou menos fidelidade, as fases alternadas da vida imortal.

Como seria possível que só o homem ficasse fora do alcance desta lei?

Se tudo está ligado por laços numerosos e fortes, como admitir que nossa vida seja como um ponto atirado, sem ligação, para os turbilhões do tempo e do espaço?

Nada antes, nada depois!?

Não.

O homem, como todas as coisas, está sujeito à lei eterna.

A natureza não nos dá a morte senão para nos dar a vida.

A sucessão das existências se apresenta para todos nós como uma obra de capitalização e aperfeiçoamento.

Depois de cada existência terrestre a alma ceifa e recolhe as experiências e os frutos dela decorridos.

Todos os seus progressos ficam registrados em sua essência.

Assim, o ser, em todas as fases de sua ascensão, encontra-se tal qual a si mesmo se fez.

Nenhuma aspiração nobre é estéril.

Nenhum sacrifício é vão.

A alma deve conquistar, um por um, todos os elementos, todos os atributos de sua grandeza.

Para isso precisa de obstáculos que possam lhe oferecer lições, provocando seus esforços e formando suas experiências.

É indispensável a luta para tornar possível o triunfo e fazer surgir o herói.

Só se conhecem e se apreciam os bens que se adquirem com os próprios esforços.

Para apreciar a claridade dos dias é necessário ter atravessado a escuridão das noites.

A dor é a condição da alegria e o preço da virtude.

Através de sucessivas existências, o ser vai construindo sua individualidade, escalando os caminhos da felicidade.

E assim, nessas contínuas peregrinações, segue à procura das perfeições divinas.

Somente quando alcançar as regiões superiores, estará livre da lei dos renascimentos, porque, então, o corpo físico não será mais para ele uma necessidade.

Pense nisso!

A doutrina da reencarnação explica a desigualdade das condições, a variedade das aptidões e dos caracteres.

Dissipa os mistérios perturbadores e as contradições da vida e resolve o problema do mal.

Aproxima os homens, dizendo que entre eles não há deserdados nem favorecidos.

Esclarece que cada um é filho de suas próprias obras, senhor do seu próprio destino.

A justiça deixa de ser transferida para um domínio distante e desconhecido.

E assim, não há como ignorar que a vontade ativa de cada ser gera efeitos, imediatos ou não, bons ou maus, que recaem sobre o seu responsável, formando a trama de seu próprio destino.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no capítulo XVIII do livro O Problema do Ser, do Destino e da Dor, de Léon Denis

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: É IMPERATIVO ENTENDER O CICLO DA VIDA E OS RECOMEÇOS

AUTOCONHECIMENTO: PEGAR O ATALHO NÃO SIGNIFICA LEVAR VANTAGEM SOBRE O OUTRO

Pegar atalhos não está sempre relacionado a tirar vantagem sobre algo ou alguém! No vídeo de hoje, falo sobre essa palavra que utilizei no título do meu último livro lançado, que é a palavra “Atalho”. Costumamos relacioná-la ao fato de tirar vantagem em alguma situação, mas não é só isso. O outro modo de enxergar o atalho é vendo ele como uma forma de melhorar seu desempenho, desenvolver suas aptidões e habilidades para, com muito foco, conseguir conquistar o objetivo final que tem para sua vida.

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: PEGAR O ATALHO NÃO SIGNIFICA LEVAR VANTAGEM SOBRE O OUTRO

REFLEXÃO: HOJE EU POSSO ESCOLHER A GRATIDÃO

Nesta terça-feira, no nosso momento de REFLEXÃO temos um texto extraordinário sobre GRATIDÃO. Um olhar diferente lançado sobre o cotidiano, as coisas da vida que valoriza o lado bom das coisas, ao invés do foco nas coisas negativas e sombrias. A gratidão que é o sentimento mais nobre e vibra em alta frequência, onde o mal e a escuridão jamais se aproximam. Então convido você a ler esse texto maravilhoso, refletir e fazer o seu juízo de valor!

O Poder da Gratidão - Evolução Pessoal

Hoje eu posso escolher

Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite.

É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.

Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.

Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter um trabalho.

Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a deus pela oportunidade da experiência.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.

Se as coisas não saíram como planejei, posso gastar os minutos a me lamentar ou ficar feliz por ter o dia de hoje para recomeçar.

O dia está na minha frente esperando para ser vivido da maneira que eu quiser.

E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma às idéias e utilidade às horas. Tudo depende só de mim.”

Nesta mensagem atribuída ao saudoso Charlie Chaplin, astro de Hollywood que encantou o mundo no tempo do cinema mudo, encontramos motivos de reflexões.

Sem dúvida, a vida é feita de escolhas…

O tempo todo estamos fazendo escolhas, elegendo o que fazer e o que não fazer, o que pensar e o que não pensar, em que acreditar e em que não acreditar.

A vida está sempre a nos apresentar opções. E as escolhas dependem exclusivamente de nós mesmos.

Não há constrangimento algum. Somos senhores absolutos da nossa vontade, no que diz respeito às questões morais.

Se é verdade que às vezes somos arrastados pelas circunstâncias, é porque optamos anteriormente por entrar nesse contexto.

Assim, antes de optar por qualquer das opções que a vida nos oferece, é importante pensar nas conseqüências que virão em seguida.

Importante lembrar que não estamos no mundo em regime de exceção. Todos estamos na terra para aprender. E as lições muitas vezes são mais simples do que pensamos.

Não imaginemos que as coisas e circunstâncias desagradáveis só acontecem para nos atingir. Elas fazem parte do contexto em que nos movimentamos junto a milhares de pessoas que vivem na terra conosco.

***

Olhe, em seu jardim, as flores que se abrem e nunca as pétalas caídas.

Contemple, em sua noite, o fulgor das estrelas e nunca o chão escuro.

Observe, em seu caminho, a distância já percorrida e nunca a que ainda falta vencer.

Retenha, em sua memória, risos e canções e nunca os seus gemidos.

Conserve, em seu rosto, as linhas do sorriso e nunca os sinais da mágoa.

Guarde, em seus lábios, as mensagens bondosas e esqueça as maldições.

Conte e mostre as medalhas de suas vitórias e encare as derrotas como uma experiência que não deu certo.

Lembre-se dos momentos alegres de sua vida e não das tristezas.

A flor que desabrocha é bem mais importante do que mil pétalas caídas.

E um só olhar de amor pode levar consigo calor para aquecer muitos invernos.

Seja otimista e não se esqueça de que é nas noites sem luar que brilham mais forte nossas estrelas.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em texto atribuído a Charlie Chaplim e em mensagem de autoria desconhecida.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: HOJE EU POSSO ESCOLHER A GRATIDÃO

REFLEXÃO: SAIBA ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS NESSA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO, aqui no Blog do Saber, com Camila Zen. Muitas vezes procuramos explicação pra tudo.. tentando entender como tudo funciona, como é o certo a fazer… mas se olharmos pra dentro de nós, e nos conectarmos com o ritmo da vida, podemos perceber que as respostas já estão aqui dentro, e muitas vezes não são claras como fórmulas matemáticas… mas sim, algo que, se você se permitir, você sente muito claro dentro do seu coração. Eu espero que essa história possa te ajudar a se conectar com o ritmo da vida e de todo o universo, que é a mesma energia que vibra dentro de você. Amor e luz, namastê.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: SAIBA ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS NESSA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

BRASILEIROS APROVEITAM A VIDA EM PARIS APÓS REABERTURA

Após reabertura, brasileiras aproveitam a vida em Paris

França reabriu museus, cinemas, teatros e a área externa de bares e restaurantes no último dia 19

INTERNACIONAL

Sofia Pilagallo*, do R7

Clientes em um café da cidade no dia da reaberturaClientes em um café da cidade no dia da reabertura CHRISTIAN HARTMANN – REUTERS – 19.05.2021

Os franceses, que há praticamente sete meses não saíam às ruas, agora têm mais um bom motivo para comemorar a chegada do verão no Hemisfério Norte, no próximo dia 21: a reabertura de museus, cinemas, teatros e da área externa de bares e restaurantes, ainda que com uma série de restrições. A medida, em vigor desde o último dia 19, é parte de um plano governamental de quatro etapas para aliviar a última quarentena, que teve início em 3 de maio.

Neste dia, enfim, a França começou a caminhar a passos estreitos rumo ao fim de um longo e restrito confinamento. As escolas reabriram as portas, os cidadãos voltaram a poder circular livremente sem a necessidade de apresentar um atestado de locomoção — documento que justificasse a saída por motivo de força maior — e o toque de recolher foi postergado das 19h para as 21h.

No penúltimo estágio, com início nesta quinta-feira (9), todos os estabelecimentos, com exceção de boates, serão reabertos e as pessoas passarão a poder voltar para casa ainda mais tarde, às 23h. O país também reabrirá suas fronteiras para viajantes da União Europeia, sob a condição de apresentarem um teste PCR negativo realizado até 72 horas antes do embarque.

Por fim, em 30 de junho, espera-se que a França retome a normalidade quase que por completo. As boates permanecerão fechadas, mas não haverá mais toque de recolher ou quaisquer restrições de locomoção.

“Liberdade” é a palavra que define o sentimento da paulista Silvia Fagundes, 38 anos, que há três anos mora em Paris. Em 30 de maio, a primeira vez que saiu depois de sete meses confinada, ela aproveitou o embalo da primavera para visitar uma high line [estação de trem desativada], circuito de cerca de 5km com uma grande variedade de flores.

“Decidimos esperar pelo menos até o fim de maio para tentar evitar aglomerações, mas não teve jeito. O local estava bastante cheio — e, com a chegada do calor, também havia algumas pessoas que ficavam tirando e colocando a máscara”, conta a brasileira.

“O fato de poder sair e ver gente depois de tanto tempo confinada traz uma sensação tão curiosa que não sei nem descrever. Estava um dia mega ensolarado, eu e meu marido acordamos cedo, passeamos o dia todo. São coisas simples a que antes, talvez não déssemos tanto valor”, completa.

A mineira Aline Araújo, 24 anos, por sua vez, que há dois anos saiu da pequena Araguari, no Triângulo Mineiro, para viver na capital francesa, não conseguiu esperar tanto tempo. Como trabalha durante a semana, sua primeira saída ocorreu no primeiro sábado após a reabertura, dia 22 de maio.

Diferentemente de Silvia, que foi agraciada com um dia ensolarado, Aline teve a infelicidade de pegar mau tempo — mas isso não a impediu de sair às ruas. Determinada a comemorar o fim do confinamento, ela caminhou debaixo de intensa chuva e foi se encontrar com amigos em um bar da cidade.

“Foi muito engraçado porque, como os bares só tinham permissão de reabrir na área externa, eu fiquei sentada segurando um guarda-chuva sobre a cabeça — e achando aquilo maravilhoso”, lembra Aline do episódio com bom humor.

“Minha amiga, que mora em uma cidade vizinha aqui de Paris, conta que no dia da reabertura, chegou a um bar às 9h e saiu pouco antes das 21h, para estar em casa antes do toque de recolher. Saiu, inclusive, uma matéria sobre isso em um jornal local da cidade onde ela mora”, completa.

Pandemia controlada

Atualmente, a França já está com a pandemia relativamente controlada, com uma média móvel de 8.350 casos e 95 mortes nos últimos sete dias. Para Silvia e Aline, a melhora da crise sanitária se deve, sobretudo, aos três longos confinamentos impostos pelo governo desde março do ano passado, bem como às rígidas medidas de higiene e segurança para conter a propagação da covid-19.

No país, o descumprimento das medidas, tais como o uso obrigatório de máscara nos espaços públicos e o toque de recolher, acarretam multa de €$ 135 (cerca de R$ 830). Em caso de reincidência, o valor, que já não é nada baixo, sobe para €$ 1.500 (aproximadamente R$ 9.240).

“O francês não é um tipo de cidadão que aceita muitas regras, mas com multas tão altas, não tem como não acatar”, afirma Silvia. “Ele dança conforme a música, ou seja, segue as regras à medida que elas apertam.”

“É muito difícil ver pessoas sem máscara na rua”, diz Aline. “Também não se ouve falar de festas clandestinas ou coisas do tipo. Há pessoas que pegam o carro e vão para a casa de amigos após o toque de recolher, mas nunca eventos ilegais em bares e boates como vemos ocorrer aí no Brasil.”

Baixa taxa de vacinação

Apesar de a pandemia estar controlada e as brasileiras já terem tomado pelo menos a primeira dose da vacina, apenas Aline se sente totalmente segura para sair às ruas e retomar a vida normal. Silvia ainda fica com um pé atrás e teme o surgimento de uma nova onda de casos, ainda que mais branda.

Isso porque, diferentemente de outros países europeus, como o Reino Unido, onde a vacinação caminha a passos largos, somente 17,6% dos franceses já estão totalmente protegidos contra a covid-19. Silvia e Aline atribuem o fato a uma questão cultural.

“Historicamente falando, o francês é um cidadão que preza muito pela liberdade de escolha”, afirma Silvia. “Ele entende que é uma decisão dele ficar em casa ou não, usar a máscara ou não e tomar a vacina ou não. Estão sobrando tantas doses que até adolescentes estão conseguindo se imunizar.”

“A campanha de vacinação é forte, mas, por outro lado, tem muita gente anti-vacina, sobretudo a população mais velha”, diz Aline. “Não sei o que essas pessoas pensam, mas é certo que são negacionistas. No futuro, acho que elas terão tantos empecilhos para viver uma vida normal, como serem impedidas de viajar e entrar nos lugares, que, uma hora ou outra, não terão mais para onde correr.”

Expectativas para o futuro

Com a chegada do verão e a França caminhando rumo à terceira fase do plano de desconfinamento, as expectativas das brasileiras para o futuro são altas. Ambas gostariam de vir para o Brasil, mas a burocracia para tal é um tanto quanto desanimadora.

Dadas as circunstâncias, Silvia pensa em viajar para Portugal com o marido e já fez até uma lista de passeios que quer fazer nos próximos meses. Aline, por sua vez, no auge de sua juventude, só pensa em poder retomar os shows e festivais que tanto frequentava antes de isso tudo acontecer.

“Sabe aquele sentimento de ‘viver cada dia como se fosse o último’?”, afirma Silvia. “É mais ou menos isso. Sabemos que não será o último, mas se tem uma coisa que a pandemia nos mostrou é que a vida é imprevisível e que devemos aproveitar o aqui e agora.”

“Quero viver intensamente esse momento da reabertura e todos os outros que seguirem”, diz Aline. “Ficar sete meses confinada dentro de casa, ainda mais longe da família e do país de origem, não foi nada fácil. Agora é curtir.”

Fonte: R7

Continuar lendo BRASILEIROS APROVEITAM A VIDA EM PARIS APÓS REABERTURA

REFLEXÃO: QUANDO DOER OBSERVE, A VIDA PODE ESTAR TENTANDO LHE ENSINAR ALGO

Na nossa coluna REFLEXÃO desta sexta-feira temos um texto extraordinariamente esclarecedor e de grande sabedoria. O que a vida está tentando me ensinar? Eis o questionamento que devemos fazer toda vez que algo der errado ou não sair como havíamos planejado, pois a vida envia sinais constantemente para que paremos, reflitamos e façamos as nossas correções e/ou mudanças de cursos. Então lhe convido a ler essa maravilha de conteúdo, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Quando doer, observe. A vida está tentando ensinar-lhe algo!

O que a vida está tentando me ensinar

A oportunidade que se perdeu é o título de um artigo do jornalista Roberto Pompeu de Toledo, publicado em um periódico de grande circulação nacional.

O ensaio versa sobre como está o Mundo depois dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, e apresenta uma visão muito interessante que se inicia através das seguintes palavras:

As mortes, a dor, o medo e o luto não esgotam o assunto. Não bastasse isso, não bastasse a barbárie levada a limites impensáveis, o 11 de setembro deixou outro legado desastroso: o da oportunidade perdida.

No dia 12 de setembro de 2001, junto com o pânico, com o choro, com os trabalhos de resgate entre os escombros das torres gêmeas e a busca de culpados, misturada a esses elementos, raiava uma esperança.

Aquele terrível evento poderia ser o ponto de partida para um mundo mais amigo.

Era hora de agir em favor de um mundo menos conflitante e menos injusto. De congregar as nações em busca de soluções que tornassem o planeta Terra um lugar menos perigoso de se viver.

E assim o autor continua, lembrando depois tudo que poderia já estar diferente no Mundo e ainda não está, por muitos líderes não terem percebido que uma grande oportunidade estava sendo concedida ao Mundo.

A de recomeçar.

E como toda a transformação do Mundo passa primeiro pela nossa própria, esta é uma lição que podemos aplicar também em nossas vidas, através de uma visão diferente sobre o sofrimento que nos alcança.

Toda dor que surge em nossa vida é uma oportunidade grandiosa que recebemos. A oportunidade de amadurecer, de crescer, de reescrever nossas histórias, de recomeçar.

Imaginemos a vida nos dizendo: Pare um pouco, pense, reflita, recomece…

Um acontecimento desagradável; um flagelo destruidor; uma enfermidade; a partida de alguém; são chances que a vida nos dá para aprendermos lições preciosas.

Aquele de nós que tivesse o equilíbrio de perguntar: O que a vida está tentando me ensinar? – quando atingido por qualquer tipo de sofrimento, e conseguisse perceber as razões profundas dessas experiências, passaria a viver sem medos.

E com uma consciência espiritual fabulosa sobre as coisas deste Mundo.

A todo momento a existência está nos guiando sem percebermos.

A todo instante a vida ensina.

Constantemente a vida fala conosco, nos mostra caminhos, respostas, conseqüências.

Cabe-nos desenvolver a habilidade de escutar, de perceber em todos os níveis. Do sensorial, passando pelo racional, até o intuitivo, o que nos está sendo ministrado.

A revolta, a indignação e a vingança apenas complicam qualquer problema, enquanto a compreensão e resignação colocam-nos no caminho de resolvê-lo por completo.

Francisco de Assis sempre se referia à dor como sua irmãzinha querida, porque sabia do seu poder e utilidade.

Paulo de Tarso sempre se referia, em suas cartas, aos aguilhões que o machucavam e o faziam sofrer.

Como Francisco de Assis, ele também entendia sua dor, e dizia, inspirado:

Transbordo de júbilo no meio de todas as minhas atribulações.

* * *

A vida nos oferece oportunidades constantemente.

Será extremamente sábio aquele que conseguir perceber esses convites, essas lições, e extrair delas as forças para as mudanças necessárias.

Faça este exercício toda vez que um momento de crise se apresentar.

Troque a reclamação, a indignação e o desapontamento pelo questionamento:

O que a vida está tentando me ensinar??

Redação do Momento Espírita com base no artigo de Roberto Pompeu de Toledo, publicado na revista Veja, de 18 de setembro de 2002, no artigo intitulado O significado do sofrimento, de Sergito de Souza Cavalcanti, extraído do site www.espirito.org.br e no cap. 7, versículo 4 da II epístola de Paulo de Tarso aos Coríntios

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: QUANDO DOER OBSERVE, A VIDA PODE ESTAR TENTANDO LHE ENSINAR ALGO

MEDIDAS DE RESTRIÇÃO CAÍRAM NA AUSTRÁLIA E POPULAÇÃO PODE VOLTAR AO NORMAL

Brasileiras na Austrália falam sobre retorno à vida normal

Com casos de covid sob controle, país liberou uso de máscaras e estabelecimentos comerciais funcionam com capacidade completa

INTERNACIONAL

Giovanna Orlando, do R7

Na Austrália, medidas de restrição caíram e população pode 'voltar ao normal'

JAIMI JOY/REUTERS – 25.4.2021

Depois de enfrentar com êxito a pandemia de covid-19, a Austrália está derrubando as medidas de restrição e a população já pode sentir o gostinho de uma vida próxima do normal de novo. Desde o começo de 2021, o país registrou apenas uma morte por conta do coronavírus e Sydney, a cidade mais populosa do país, teve uma infecção em maio.

Adotando uma das posturas mais rígidas no combate à pandemia, o governo australiano foi um dos primeiros no mundo a fechar as fronteiras para voos estrangeiros, decretar lockdowns para evitar a transmissão do novo coronavírus e obrigar o uso de máscaras de proteção em locais públicos. O país teve mais de 30 mil casos de covid e 910 mortes.

Com o vírus sob controle, o governo derrubou a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais abertos e fechados na última segunda-feira (17), permitiu que grupos de pessoas voltassem a se encontrar e restaurantes, teatros e outros espaços podem voltar a funcionar atendendo o público normalmente.

“Por aqui as coisas já estão voltando ao normal”, conta a violinista brasileira Anna Murakawa, que vive na Austrália há 5 anos. “Há umas duas semanas, a gente teve um caso isolado de covid-19, aí tivemos que voltar com algumas restrições, como o uso de máscaras por uma semana, não podia ficar nos restaurantes. Mas agora essas medidas já acabaram.”

O país implementou um moderno sistema de rastreamento de casos, onde os cidadãos precisam escanear um QR Code, uma espécie de código de barra que pode ser lido pela câmera do celular, em todos os lugares que frequentam. Caso uma pessoa teste positivo para covid-19, as autoridades sanitárias conseguem saber exatamente por onde ela passou e com quem teve contato. Todas que frequentaram esses lugares precisam ser testadas e assim o governo garante a segurança geral da população.

Respeito às medidas de restrição

Com medidas rígidas e atualizações semanais de como estava a situação do país, o governo conseguiu a confiança da população que respeitou os lockdowns, o distanciamento social e outras medidas que entraram em vigor durante o ano de 2020.

“Foi um ano desafiador”, desabafa a empresária brasileira Fernanda Gazal. “A Austrália começou a agir de forma bastante rápida. Logo que os casos começaram a aparecer, a gente já entrou em lockdown, desde o começo nós já tivemos que ficar em casa”.

“As pessoas respeitaram muito e as multas eram muito rigorosas. Tinha multa de mais de mil dólares [cerca de R$ 4,1 mil] se você não respeitasse as regras”, conta Murakawa. “A cada semana, o governo ia fazendo anúncios públicos para falar como estavam os casos, como a gente poderia combater isso juntos.”

Com comércios e empresas fechadas, era de se esperar que a economia do país parasse e trabalhadores corressem o risco de ficar sem trabalho e sem ter como sustentar as famílias. A Austrália, assim como outros países do mundo, disponibilizou auxílios para os cidadãos.

“Os cidadãos australianos tiveram 700 dólares [cerca de R$ 2,8 mil] por semana como auxílio para quem perdeu o emprego. Eu, como imigrante, não recebi nada”, conta Murakawa.

Com o fim das restrições, as duas brasileiras aproveitaram para voltar a fazer o que gostavam antes da pandemia, encontrar amigos e voltar a viajar. A Austrália está com diversos pacotes de incentivo para viagens locais, como uma forma de estimular a economia e o turismo nacional, já que turistas estrangeiros ainda estão banidos e australianos estão tomando cuidado antes de sair do país.

“Uma das primeiras coisas que eu fiz foi voltar a tocar”, diz Murakawa, que se apresentou em um teatro com a casa cheia e 2 mil espectadores. “Pude ir em um restaurante com as amigas e fui viajar, porque o governo fez um pacote de incentivo onde as passagens aéreas estavam saindo até pela metade do preço.”

“Eu voltei a me encontrar com as minhas amigas, a gente marcou de ir jantar”, conta Gazal, animada. “Tem esse desejo de voltar a vida normal, de voltar a viver, encontrar as pessoas. A gente está fazendo questão de celebrar aniversários, datas especiais. [A pandemia] fez a gente valorizar muito mais esses pequenos momentos com as pessoas que a gente ama”.

Apesar da liberdade e do retorno gradual à normalidade, as duas comentam que a população ainda está cautelosa e tomando cuidados para evitar que a situação saia do controle.

“O que acontece é que tem pequenas cautelas, muitas pessoas levam álcool em gel para todos os lugares que vão, a gente evita muitos abraços e ficar perto demais. Apesar de ter voltado ao normal, eu sinto que as pessoas estão mais cuidadosas com esses detalhes”, diz Gazal.

Vacinação lenta e desconfiança

Enquanto isso, a vacinação na Austrália acontece lentamente. O país foi afetado com o atraso nas entregas das doses da vacina de Oxford, que ficaram retidas na Europa, e agora começou a vacinar os mais velhos e funcionários da saúde.

“A previsão é que a população da minha faixa etária, 30 anos e que não tem envolvimento com a área da saúde, possa ser vacinada nos próximos 2 meses”, conta Murakawa.

Além da demora, a população também desconfia da vacina produzida pela AstraZeneca por conta dos raros efeitos colaterais, como aparecimento de trombos sanguíneos. Na sexta-feira (21), o governo australiano fez um apelo para que os cidadãos com mais de 50 anos se vacinem.

Um desejo agora é que a Austrália reabra as fronteiras e permita que os turistas voltem ao país e que a população estrangeira possa visitar a família. O governo só permite viagens à trabalho e outras exceções, e é necessário ter documentos que comprovem a necessidade de deixar o país.

“A Austrália é um país composto por muitos imigrantes, muitas pessoas estão ansiosas para que as fronteiras abram. Eu quero muito visitar o Brasil e tem muitas pessoas que querem visitar suas famílias”, desabafa Murakawa.

Por enquanto, o governo disse que a previsão é de que as fronteiras aéreas da ilha reabram em 2022. Enquanto isso, as brasileiras se mantêm otimistas e confiantes em um futuro melhor no país.

“A expectativa é voltar muito melhor, aprender a apreciar esses valores que vieram com a pandemia, como o valor de um abraço, respirar sem máscara”, conclui Murakawa.

Fonte: R7

Continuar lendo MEDIDAS DE RESTRIÇÃO CAÍRAM NA AUSTRÁLIA E POPULAÇÃO PODE VOLTAR AO NORMAL

APESAR DE TER VIVIDO UMA VIDA EXTRAORDINÁRIA, PRÍNCIPE PHILIP TEVE UMA INFÂNCIA TRÁGICA E ASSUSTADORA

Conheça as histórias da infância trágica do Príncipe Philip

Duque de Edinburgo foi abandonado pelos pais quando criança e sua irmã mais velha morreu em acidente com toda a família

INTERNACIONAL

 Sofia Pilagallo, do R7*

Príncipe Philip conheceu a Rainha Elizabeth II em uma universidade nos Estados UnidosPríncipe Philip conheceu a Rainha Elizabeth II em uma universidade nos Estados UnidosAFP / ARQUIVO – 25.11.1947

Apesar de ter vivido uma “vida extraordinária”, nas palavras do primeiro-ministro do Reino Unido Boris Johnson, o Príncipe Philip, marido da Rainha Elizabeth 2ª, que morreu nesta sexta-feira (9) aos 99 anos, teve uma infância trágica e assustadora em alguns momentos.

Philip nasceu em Mon Repos, uma vila na ilha de Corfu, na Grécia, em 10 de junho de 1921. Primeiro filho homem da princesa Alice de Battenberg e do príncipe André da Grécia e Dinamarca, ele foi consagrado o sexto na linha de sucessão do trono grego.

Como membro da realeza, era de se esperar que seus primeiros anos fossem um mar de rosas — no entanto, a família foi apanhada no tumulto que tomou conta da Europa na primeira metade do século 20.

Seu pai estava servindo no exército quando a Turquia invadiu a Grécia em 1922 e, após desobedecer às ordens durante uma batalha, foi acusado de traição e exilado. Ele fugiu para Paris de barco, com Philip ainda pequeno carregado a bordo em uma caixa de laranja, e foi lá que a família gradualmente se desfez.

Sua mãe, por sua vez, sofria de uma forma de psicose e, em 1931, foi internada à força em um sanatório psiquiátrico na Suíça após sofrer um colapso nervoso. Desiludido, seu pai mudou-se para o sul da França para ficar com a amante. Do verão de 1932 até a primavera de 1937, o Duque de Edinburgo não viu nem recebeu nenhuma palavra de sua mãe, nem mesmo um cartão de aniversário. Mais tarde, ela se tornaria freira.

“Foi simplesmente o que aconteceu”, afirmou Philip em entrevista ao jornal britânico The Daily Telegraph em maio de 2017. “A família se separou. Minha mãe estava doente, minhas irmãs eram casadas, meu pai estava no sul da França. Eu apenas tinha que seguir em frente.” Anos mais tarde, quando um entrevistador lhe perguntou qual idioma ele falava em casa, ele respondeu: “O que você quer dizer com ‘em casa?”

Para a sorte do duque, o irmão mais velho de sua mãe, Georgie, interveio para cuidar dele por um período de sete anos, até sua morte. Na sequência, ele foi acolhido por outro tio, o Lord Louis Mountbaten, que o mandou para o difícil internato de Gordonstoun na orla do Mar do Norte, na Escócia — a mesma escola para a qual ele enviaria mais tarde o príncipe Charles.

Foi enquanto ele estava lá que sua irmã favorita Cecilie morreu, na Bélgica, em um acidente de avião acompanhada do marido George e dos dois filhos pequenos. Ela estava grávida de seu terceiro filho. A árdua tarefa de contar a Philip coube a seu diretor, Kurt Hahn. Segundo Hahn, Philip não desabou e “sua tristeza foi a de um homem.”

Um ano depois, o duque deixou a escola e passou a estudar no Royal Naval College, em Dartmouth, nos Estados Unidos, a conselho de seu guardião Lord Mountbatten. Foi lá que ele conheceu a jovem princesa Elizabeth, na época com 13 anos, com quem teve quatro filhos, oito netos e dez bisnetos. O casal permaneceu junto por 70 anos.

Fonte: R7

Continuar lendo APESAR DE TER VIVIDO UMA VIDA EXTRAORDINÁRIA, PRÍNCIPE PHILIP TEVE UMA INFÂNCIA TRÁGICA E ASSUSTADORA

CIÊNCIAS: CIENTISTAS DA ALEMANHA DESCOBRIRAM UMA PROTEÍNA QUE ESTÁ RELACIONADA COM A LONGEVIDADE

Estudo alemão descobre proteína associada ao tempo de vida

Na edição desta quinta-feira (4) do Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes explica por que níveis elevados da proteína NFL podem ser prejudiciais

Da CNN, em São Paulo

04 de março de 2021 às 08:48

Estudo alemão descobre proteína associada ao tempo de vida

Cientistas da Alemanha descobriram que uma proteína, conhecida como NFL, está relacionada com a longevidade. Ela é encontrada nas células nervosas do sangue. Os pesquisadores estudaram os níveis dessa proteína em idosos com cerca de 90 anos e também em um grupo centenário. De acordo com os resultados, ter níveis baixos dessa proteína pode aumentar o tempo de vida.

Na edição desta quinta-feira (4) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou por que níveis elevados dessa proteína podem ser prejudiciais para o organismo.

“Essa proteína é um neurofilamento que existe nos neurônios que estão dentro do nosso sistema nervoso central. Se o indivíduo tiver alguma doença neurodegenerativa, os neurofilamentos vão para a corrente sanguínea — conseguimos detectar por meio de um exame de sangue”, disse Gomes.

“Portanto, a correlação é que se for detectado níveis altos significa que eu estou tendo perda ou lesão neuronal, e isso se associa a um tempo de vida mais curto ou a presença de alguma doença neurodegenerativa. [A proteína] funciona como um biomarcador que nos mostra que o bom mesmo é ter os neurofilamentos onde precisam estar: dentro dos neurônios.”

(Publicado por: André Rigue)

Continuar lendo CIÊNCIAS: CIENTISTAS DA ALEMANHA DESCOBRIRAM UMA PROTEÍNA QUE ESTÁ RELACIONADA COM A LONGEVIDADE

VIVI UMA INFÂNCIA EM QUE PENSAVA ESTAR VIVENDO UMA VIDA NORMA, DIZ SOBREVIVENTE DO NAZISMO QUE FUGIU A PÉ PELOS ALPES

Eu dormia andando’: sobrevivente do nazismo fugiu a pé pelos Alpes

Ariella Pardo Segre tinha três anos quando as deportações de judeus começaram na Itália e sua família foi caminhando à Suíça

INTERNACIONAL

Eugenio Goussinsky, do R7

Ariella Segre morava na cidade de Bolonha

FACEBOOK/ARIELLA PARDO SEGRE

O frio cortante dos Alpes agredia o rosto da menina Ariella Pardo Segre, de três anos. Era o ano de 1943. Carregada por um contrabandista de cigarros, ela fazia parte de um grupo que fugira do regime nazista na Itália. Atrás dela, estavam seu irmão, Lucio, de sete anos, sua mãe Íris Volli e seu pai, Ferrucio Pardo, um renomado professor de filosofia em Bolonha, onde moravam até então.

A menina tremia de frio e de medo. Um medo que não se apresentava exatamente na forma de terror ou pânico, mas como uma incerteza paralisante, uma sina de explicação ainda impalpável para uma garota. Ela estava sendo embalada pelos ventos cruéis da vida, controlada por pessoas que guiavam o destino de populações inteiras, tão frias quanto esse imenso deserto de gelo que se deparava à sua frente.

“Vivi uma infância em que pensava estar vivendo uma vida normal. Mas não era. Havia restrições enormes e fui perceber isso anos depois que fugimos, quando fui crescendo”, revela Ariella, hoje com 80 anos.

Mas, naquele momento de fuga, ela começou a intuir que algo não ia nada bem. Dias antes, eles haviam saído às pressas de Bolonha, após o vizinho, Alfredo Giommi, alertar seu pai que a Guestapo (polícia secreta nazista) acabara de ir lá à sua procura.

“O vizinho despistou os nazistas, dizendo que não conhecia meu pai. Em seguida, assim que ele chegou, o alertou para ir embora naquele instante. Meus pais decidiram sair da Itália, a pé. Como os Alpes não são em linha reta para caminhar, demoramos muito, dias e dias para chegar à Suíça. Era um pequeno grupo decidido a sobreviver”.

Um contrabandista de cigarros conhecia rotas e abrigos e organizou a fuga.

“Minha mãe lhe deu seu anel de noivado para que me carregasse durante a caminhada. Me sentia como um saco de batatas sendo carregado de um lado para o outro, sem entender direito o porquê daquilo tudo”.

Eles saíram da Itália via Milão para onde foram, de Bolonha, de trem, no compartimento de animais.

“Assim ninguém notaria que estávamos lá. Foi um aluno de meu pai que nos ajudou a fugir de Bolonha, nos deu uma carroça e nos acompanhou até o terminal. Sem documentos em Milão, seríamos fuzilados. Por isso meu pai decidiu que atravessaríamos a fronteira para a Suíça. A situação se tornou insustentável na Itália depois de setembro de 1943, quando Mussolini voltou”, conta.

Perseguição na Itália

A partir de 1938, a situação dos judeus sob o regime fascista era penosa. Perseguidos, já não podiam frequentar escolas de outras comunidades, segundo o decreto denominado Leis Raciais Fascistas. Ferrucio também só poderia lecionar em escolas judaicas até que, gradualmente, a situação foi ficando ainda pior após setembro de 1943, quando as tropas alemãs se apoderaram da Itália.

Mussolini, após ser capturado em julho daquele ano pelos aliados, na Segunda Guerra, foi resgatado pelos alemães e reconduzido ao poder, tornando-se apenas uma marionete dos nazistas, neste novo regime denominado República Social Italiana. Foi quando as deportações de judeus para os campos de concentração se tornaram política no país.

Durante a travessia, Ariella viu sua mãe cair em uma fenda na neve. Uma sensação de abandono a abateu e ela começou a gritar desesperadamente. Um desespero que apenas aterrorizou seus companheiros de viagem, que lhe repreendiam para que parasse de gritar e expô-los ao perigo de que fossem descobertos.

“Alguém me falou: cale a boca, sua mãe morreu! Eu emudeci. Não falei mais nada, fiquei em silêncio por meses”, lembra.

Íris, no entanto, foi retirada com vida e se recuperou, a ponto de, na linha fronteiriça com a Suíça, ter forças para atirá-la pela cerca de arame farpado, antes mesmo dela.

“Ela não tinha certeza de que iria passar. Então me jogou para o meu condutor, o contrabandista, do outro lado, dizendo que era para ele me manter segura e que, se ela não sobrevivesse, pelo menos eu sobreviveria. Depois todos conseguiram passar. Eu não sentia fome nem sede, estava anestesiada. Dormia andando”.

Em campos de refugiados

Ao chegarem à Suiça, que se dizia neutra na guerra, foram enviados para um acampamento de refugiados na cidade de Lugano. Havia separação por idade e gênero. Ariella, portanto, ficou sozinha em um dos locais, longe da família, até 1945, quando as forças aliadas venceram a guerra e os levaram de volta para a Itália. As condições eram precárias.

“Eu apenas sobrevivi”, descreve Ariella.

No retorno a Bolonha, o cenário era o mesmo. Seu prédio ainda estava lá. A cidade vivia sua rotina. Mas o apartamento já não lhes pertencia. Teriam de morarna cidade onde Ariella nasceu, na condição de refugiado. Foram enviados para um campo de refugiados, onde teriam de dormir sob lonas erguidas em suportes de madeira. Mas, novamente, Alfredo Giommi, o vizinho, entrou em cena.

“Ele soube que estivemos no nosso antigo apartamento e que o novo proprietário disse que não era mais nosso. Que todos os judeus haviam perdido tudo. Ele então foi para o campo de refugiados. Me viu sentada em frente à tenda e me pegou no colo. Comecei a chorar. Meu pai, então, chegou e o abraçou. Ele nos cedeu um quarto de seu apartamento para que dormíssemos lá. Foi um anjo, nos deu um teto, o que para nós era tudo”.

Giommi recebeu, anos depois, o título de Justo entre as Nações, instituído pelo Memorial do Holocausto, em Jerusalém, em reconhecimento aos não judeus que salvaram a vida de judeus perseguidos na Segunda Guerra Mundial.

O preconceito na Europa ainda fazia da Itália e de outros países um lugar pouco confiável. Ariella iniciou o curso na Faculdade de Física, mas o interrompeu após conhecer o futuro marido, Marco Vittório Segre, que nascera em Turim, em 1934, e fugira com a família aos seis anos para o Brasil.

Ele estava na Itália para visitar parentes e os dois começaram um romance. Dois anos depois, Ariella veio para o Brasil, onde se casaram e tiveram quatro filhos. Ela passou a ser professora de italiano, inclusive em Botucatu (SP), onde morou por alguns anos, já que Marco era professor em uma faculdade na cidade. Lucio, o irmão de Ariella, ainda mora na Itália. Ferrucio faleceu em 1976 e Íris, em 1988. “Eles vinham sempre para cá, adoravam o Brasil”, conta Ariella.

Para ela, em parte, é um alívio o fato de nunca ter ido para um campo de concentração. Por outro, ela vivencia o drama também como uma vítima do nazismo. E, onde quer que vá, carrega a bandeira da defesa dos direitos humanos.

“Esse capítulo cruel da nossa história mostra como é nefasto um povo se fanatizar quando não pensa, quando não tem uma educação completa. Foi isso que ocorreu naquela época e que não pode mais ocorrer, com nenhum povo, jamais”.

Nos Alpes, Ariella aprendeu como é importante a existência do calor humano.

Fonte: R7

Continuar lendo VIVI UMA INFÂNCIA EM QUE PENSAVA ESTAR VIVENDO UMA VIDA NORMA, DIZ SOBREVIVENTE DO NAZISMO QUE FUGIU A PÉ PELOS ALPES

FÍSICA QUÂNTICA: ONDE A FILOSOFIA E A MECÂNICA QUÂNTICA SE ENCONTRAM

O renomado cientista Fritijof Capra é o destaque da nossa coluna FÍSICA QUÂNTICA deste domingo. O texto a seguir extraído do seu livro “O ponto de Mutação”, reflete sobre o ritmo da vida, numa análise que confronta a ótica da filosofia com a da ciência e encontra vários pontos de convergência entre as duas crenças. Então, lhe convido a ler esse trecho do livro e tentar entender essa afinidade entre a filosofia e física quântica!

Serendipidade: o que o universo pode preparar de bom pra você?

O Ritmo da Vida – Fritijof Capra

Em raros momentos de nossas vidas, podemos sentir que estamos sincronizados com o universo inteiro. Esses momentos podem ocorrer sob muitas circunstâncias — acertar um golpe perfeito no tênis ou encontrar a descida perfeita numa pista de esqui, em meio a uma experiência sexual plenamente satisfatória, na contemplação de uma obra de arte ou na meditação profunda.

Um aspecto intrigante da metáfora holográfica é uma possível relação com duas ideias da física moderna. Uma delas é a ideia de Geoffrey Shew de que as partículas subatômicas são dinamicamente compostas umas das outras, de tal modo que cada uma delas envolve todas as demais; a outra ideia é a noção de David Bohm de ordem implicada, de acordo com a qual toda a realidade está envolvida em cada uma de suas partes.

O que todas essas ideias têm em comum é a noção de que a holonomia — o ser total contido, de algum modo, em cada uma de suas partes — pode ser uma propriedade universal da natureza. Essa ideia também foi expressa em muitas tradições místicas e parece desempenhar um importante papel nas visões místicas da realidade.

A metáfora do holograma inspirou recentemente numerosos pesquisadores e foi aplicada a vários fenômenos físicos e psicológicos.

Lamentavelmente, isso nem sempre é feito com a necessária cautela, e as diferenças entre uma metáfora, um modelo e o mundo real são esquecidas, por vezes, na onda de entusiasmo geral. O universo não é, definitivamente, um holograma, pois exibe uma multidão de vibrações de diferentes frequências; assim, o holograma pode frequentemente ser útil como analogia para descrever fenômenos associados a esses modelos vibratórios.

Tal como no processo de percepção, o ritmo desempenha um importante papel nas várias maneiras como os organismos vivos interagem e se comunicam entre si. A comunicação humana, por exemplo, tem lugar, em grau significativo, através da sincronização e da interligação de ritmos individuais.

Recentes análises de filmes mostraram que toda conversação envolve uma dança sutil, e em sua maior parte invisível, em que a sequência detalhada de tipos de fala é precisamente sincronizada tanto com movimentos ínfimos do corpo do locutor como com os movimentos correspondentes do ouvinte.

Ambos os parceiros estão enlaçados numa sequência intricada e precisamente sincronizada de movimentos rítmicos que dura enquanto eles permanecerem atentos e envolvidos em sua conversa.

Um entrelaçamento semelhante de ritmos parece ser responsável pela forte vinculação entre os bebês e suas mães e, muito provavelmente, entre as pessoas apaixonadas. Por outro lado a oposição, a antipatia e a desarmonia surgem quando os ritmos de dois indivíduos não estão em sincronia.

Esses momentos de ritmo perfeito, quando tudo parece estar exatamente certo e as coisas são feitas com grande facilidade, são elevadas experiências espirituais em que todo tipo de separação ou fragmentação é transcendido.

Neste exame da natureza dos organismos vivos, vimos que a concepção sistêmica de vida é espiritual em sua essência mais profunda e, portanto, compatível com muitas ideias sustentadas nas tradições místicas. Os paralelos entre ciência e misticismo não se restringem à física moderna, mas podem ser estendidos agora com igual justificação à nova biologia sistêmica.

Dois temas básicos se destacam repetidamente ao estudarmos a matéria viva e não-viva, sendo também amiúde enfatizados nos ensinamentos dos místicos: a interligação e a interdependência universais de todos os fenômenos e a natureza intrinsecamente dinâmica da realidade. Nas tradições místicas encontramos também um certo número de ideias, menos relevantes ou pouco significativas para a física moderna, mas cruciais para a visão sistêmica dos organismos vivos….”

Trecho extraído do Livro : O ponto de Mutação de Fritijof Capra. pags. 281 e 282

Fonte: Leve Consciência

Continuar lendo FÍSICA QUÂNTICA: ONDE A FILOSOFIA E A MECÂNICA QUÂNTICA SE ENCONTRAM

AUTOCONHECIMENTO: A FAMOSA PARÁBOLA DE JESUS CRISTO NA INTERPRETAÇÃO DO YOGUE BRAHMA VIDYA

Normalmente as interpretações das famosas parábolas de Jesus Cristo feitas pelos teólogos não conseguem alcançar o verdadeiro teor ou o real significado das enigmáticas palavras do grande mestre e por essa razão a consciência humana cristã ainda é tão atrasada, arcaica e retrograda, representada pelos dogmas e crenças limitantes impostas aos seus fiéis. A humanidade não pode continuar caminhando com passo de formiga, sem vontade e sem direção. Por isso esse blog trabalha em prol da expansão da consciência e em busca da verdade. A leitura do texto a seguir seguramente vai fazer você refletir e despertar a consciência. 

PASTOR DANIEL DUTRA: SÉRIE OS SETE “EU SOU” DE JESUS / “EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA”

EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA

Uma das mais famosas parábolas de Jesus Cristo é interpretada pelo Instrutor de Yoga Brahma Vidya, a partir de uma revelação originada de seus profundos estudos, procurando alcançar uma dimensão mais profunda nos ensinamentos do Cristo.

Conferencia ditada por Sri Vájera Yogue Dasa, no templo da Suddha Dharma Mandalam

Depois de ter o bom karma de ser instruído por alguns dos mais altos iniciadores da Grande Organização Esotérica da Índia – denominada Suddha Dharma Mandalam – obtive a revelação, ou a intuição espiritual da conhecida frase que parece na Bíblia, pronunciada por Jesus, O Cristo, a qual é apresentada como titulo do estudo que pretendo fazer a seguir.

Recordaremos, desde logo, que Jesus, O Cristo, em muitas ocasiões, ensinava em forma de parábolas ou símbolos, para que a Sabedoria Divina contida na Ciência dos Poderes do Espírito ou Ego Pessoal fosse entendida pelos que tinham “Olhos para ver e ouvidos para ouvir” (Mateus XII, 16)

Tal procedimento é uma lei que persiste até nossos dias nas organizações esotéricas. A Divina Hierarquia de Hierofantes da Suddha Dharma Mandalam mantém em absoluto segredo as chaves para atualizar os poderes do atman, ou Ego. Isso ocorre mesmo quando há um personagem digno e santo, merecedor da Vama Deva Diksha, a grande iniciação conferida por um iniciador físico, devidamente autorizado pela Hierarquia Divina, e outorgada por um siddha espiritual (mestre espiritual).

Antes de chegar a ser merecedor ou estar apto a obter tão altíssima iniciação, os discípulos que cumprem com os requisitos adequados, observando as oito qualidades átmicas – ausência de inveja; compaixão; paz; ausência de cobiça; pureza integral física e de coração; ausência de egocentrismo; perseverança; irradiação de felicidade para todos os seres e as práticas de Raja Yoga – podem ser favorecidos com iniciações menores. Estas promovem algumas manifestações da glória que contêm o atman (alma) dentro do coração, e também visões nos planos sutis para infundir maior fé, conhecimento direto de verdades reveladas, e uma vontade mais firme para continuar o caminho, vencendo as dificuldades da vida diária, impostas pelos guias ocultos para o necessário progresso do discípulo.

ALIÁS, É FREQÜENTE QUE O DISCIPULO TENHA SONHOS simbólicos ou proféticos que o alertam a continuar firmemente no caminho da sabedoria oculta. É mediante a ciência infusa que as iniciações revelam que o estudante ou discípulo aceito descobre, pouco a pouco, mais e mais profundamente, as verdades encerradas nos símbolos, parábolas ou em contos aparentemente feitos para entreter as crianças, como podemos encontrar nos contos árabes das Mil e Uma Noites.

Voltando à análise da frase em estudo – “Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (João, XIV, 6) – direi que o entendimento vulgar é aquele que se refere à pessoa de Jesus de Nazaré, considerando-o como um exemplo individual cujo modelo de vida é o Caminho; seus ensinamentos, sermões, máximas e instruções são os meios que podem nos conduzir ao conhecimento da Verdade Eterna, diferente das verdades transitórias ou passageiras. E, por último, entende que Jesus é o representante da Vida Perpétua.

Penso que essas palavras podem ter outra dimensão, não querendo dizer que tal análise seja a ultima palavra, pois é possível que outros as compreendam de diferentes pontos de vista. Nos ensinamentos dados pelos Mestres de Sabedoria, está dito que: “ […] cada indivíduo é autor de seu próprio destino” (do livro Luz no Caminho), executando seu caminho. Pode, por acaso, ser Jesus o meu caminho? Não! Somente eu é que tenho de percorrer os caminhos que se deparam nas várias reencarnações que têm de experimentar minha chispa Divina, ou chama própria (consciência); isso deve ser feito para atualizar as potencialidades que a conduziram, plena de sabedoria, ao prapty, ou liberação final das sucessivas vidas terrenas.

NÃO PODE SER QUE O CRISTO, COMO REENCARNAÇÃO humana, seja a Verdade Eterna, pois ele nasceu, cresceu e morreu, desaparecendo fisicamente desta terra. A verdade visível de sua existência foi curta, passageira: apenas trinta e três anos. O Senhor, considerado enquanto homem, não é a Vida Eterna. Poucos dias depois de ter dito essas palavras (João, VI, 40 e 48), seu corpo individual estava morto. Então, que significado tem a palavra “vida” quando ele a pronunciou? Certamente deve expressar algo muito mais importante do que vida terrena.

A “Vida” verdadeira e eterna é aquela manifestada na partícula espiritual presente em todo ser vivo. Essa partícula percorre seu caminho, impulsionada por uma força interna, permanente e invencível. Nesse caminho, ela deve encontrar dentro de si mesma a Verdade Eterna do Espírito, individualizada no coração. E depois, com compreensão, realizar a união acidental com a onipotente e onisciente Consciência Cósmica, mantenedora da Vida Eterna na raiz evolutiva de todas as existências individuais.

Mas que condições são necessárias para percorrer esse caminho e chegar, progressivamente, à visão da Verdade Imutável? Que condições são necessárias para conhecer a ilimitada grandeza da Fonte da Vida, ou Parabrahman?

O mesmo Cristo disse: “Os pobres de espírito verão a Deus”. Quer dizer, tenham consciência de que há uma origem da vida universal. Mas, do ponto de vista esotérico, o que significa esse “pobres de espírito”? Suponho que nem um estudante primário da ciência mística possa acreditar que unicamente os tontos ou dementes poderão ver Deus, e os inteligentes e os sábios superdotados estão condenados à ignorância do contato consciente e progressivo com a união da Altíssima Glória da Substância Omnidifusa do Divino.

Essas idéias inferiores são falsas, contrárias a toda razão. Os sábios videntes da Índia explicam essas enigmáticas palavras e tiram o véu da importância que existe nos conceitos errados de alguns religiosos. “Pobres de espírito” indica aquelas pessoas “e não têm qualquer coisa que perturbe suas almas; não têm inveja, ódios, rancores, véus de ilusão e de vingança.

São “os puros de coração que verão a Deus” (Mateus V 8). Se um rico com maus sentimentos não alcança a pureza integral do corpo e da alma, será impossível para ele experimentar as gloriosas qualidades divinas; tão impossível quanto querer passar um camelo pelo buraco de uma agulha (Mateus XIX, 24).

SE QUISERMOS CHEGAR A SER IOGUES compreensivos da união transcendente eterna da Substancia Primária da Vida, plena de transcendentes poderes, é imperativo lutar até empobrecer nosso espírito, deixando-o isento dos acúmulos que perturbam o avanço no Caminho Reto, que conduz à Verdade Imutável e à Vida Eterna.

Este estudo não teria utilidade prática se não recordarmos o sistema ou método de Yoga ensinado pelo Mestre Galileo, ao indicar o dhyana (meditação) ou as condições necessárias para efetuar com êxito as editações que nos conduzem ao conhecimento da Verdade e da Vida. O Senhor ensinou dizendo: “Entra em teu aposento, fecha portase janelas e, em silencio, adora teu Pai que está nos Céus” (Mateus VI, 6). Continuarei este assunto explicando os conceitos que contem cada frase.

“Entra em teu aposento”, significa o interior do ser, mas no mais profundo de nossa alma. Temos de seguir este Caminho. Nada nem o mais Excelso Ser Divino, pode realizá-lo por nós; cada individuo tem de transitar por si mesmo. Um mestre de sabedoria só nos pode dar indicações ou nos fortalecer mediante a Graça Divina, fonte d’Ele mesmo e com a invocação da Divindade, mas cada um de nós tem de andar por seu caminho individual.

Os guias espirituais colocam nosso carro físico neste mundo, com seu motor (atma, alma) e seu combustível (shakty, energia), mas somos nós que temos de dirigi-lo, transpondo obstáculos formados por enganos de personalidade, penhascos, fossos e muitíssimos outros estorvos. O esforço para vencer essas dificuldades aperfeiçoa nossa inteligência vida após vida, e desperta os poderes inerentes da Chispa Divina (fagulha de Deus em nós), acrescentando a insignificante faculdade do livre arbítrio que possuímos para que sejamos um bom guia para o nosso próprio destino.

“fecha a porta e jenelas” significa apagar totalmente os ruídos mundanos. Silenciar os cinco indriyas, ou sentidos físicos. Abstrair todo o pensamento que distraia o dhyana, ou seja, a meditação escolhida. Não tem de entrar em nossa mente qualquer pensamento ou idéia que seja estranha para o nosso propósito contemplativo.

“Em silencio, adora teu Pai que está nos Céus”. A palavra “silencio” indica um dos mais difíceis estados mentais, necessário para conseguir obter êxitos espirituais. Podemos, com certa facilidade, fazer silencio exterior; mas dentro do aposento de nossa mente, os pensamentos saltam de um lado para o outro, como numa luta enlouquecida.

Um papagaio fala e fala sem parar um instante. Dentro da mente, produzem-se conversações, gritos, insultos e projetos, como, também idéias mentais indesejáveis, precisamente nos momentos em que queremos deixar nossa alma “pobre”, ou ausente de toda complicação. Só queremos ouvir a “voz do silêncio”. Mas o papagaio não se cala, as idéias não deixam de saltar. Sem dúvida, é necessário chegar à paz da “Oração de Quietude” para ouvir a “voz do silêncio”, melodiosa e divina.

“Adorar” significa amar sem pretender recompensas materiais nem espirituais. Adorar é um fluido espontâneo de puríssimo amor, que nasce do mais profundo da alma da Divindade. “Pai” é a essência da origem de nossa vida. “Que está nos Céus”; essa substância sutil de onde surgem todas as coisas e seres é também chamada Céu. Espírito de Deus, existente fora e dentro de tudo. É a Luz da Consciência, Poder e Glória do Absoluto sem limite. Todos os seres, sem exceção, têm de passar, vida após vida, pelo doloroso caminho que conduz ao progresso eterno, reconhecendo e adquirindo maior sabedoria, poder e glória no tempo sem limite, andando pelo “Caminho da Verdade e da Vida”.

PARA A PRATICA, DIZER MENTALMENTE E PENSAR as seguintes frases.

Eu sou o caminho: recolhendo os sentidos; adentrando-se na profundidade da alma; irradiando amor universal para alcançar o Eu Superior unindo a mente humana com o Espírito Eterno pleno de divinos poderes.

Eu sou a verdade: o corpo físico, com a efêmera existência nos planos materiais, é uma verdade passageira. Quando se alcança a visão e consciência pessoal do Espírito Eterno, a existência material se assemelha a um sonho ou ilusão. Em troca, o atma ou espírito, com sua permanência indestrutível e eterna, é considerado como uma verdade real, em meio às verdades passageiras (momentâneas) dos planos materiais.

Continuemos o Caminho concentrando o pensamento no Sol Eterno de verdade permanente, raiz de nossa vida.

Eu sou a vida: quando se alcança a união ou yoga progressivo com o atma particular, adquire-se a consciência de que esse atma subsiste mediante uma base ou raiz universal, que na Ciência Yóguica é chamado de Param-Atma, o Supremo Espírito. Esse Supremo Espírito existe indiscutivelmente unido a tudo que surgiu, surge ou surgirá no tempo sem limite, infundindo, vida e consciência progressiva a tudo quanto exista, seguindo um plano divino de aperfeiçoamento de todas as formas materiais.

Alcançar a união consciente com o atma, mediante nosso esforço e firme vontade, é o único Caminho que nos conduz á obtenção da consciência da existência da Verdade, ou Deus Supremo.

“Por meio do Filho conhecerá o Pai”, ou seja, é necessário que o filho do homem físico busque o filho espiritual de Deus, nosso espírito pessoal. Com o encontro, começará a conhecer a transcendência ilimitada da vida presente no céu, na terra e em todo o lugar, transmitindo poder, sabedoria, glória e amor. É um fluir permanente vindo do mais profundo do eterno diretor espiritual de nossa vida, Quando reconhecemos nosso Caminho, tomamos contato consciente com a Verdade dentro de nós mesmos, depois com a Vida. Então, entraremos no Reino dos Céus, onde toda a Ciência Divina nos será revelada.

Dedicamos esta publicação como um serviço à Obra Santa, impulsionada pela Divina Hierarquia em benefício e felicidade de todos os seres.

Sri Vájera Yogue Dasa é instrutor de Yoga Brahna Vidya na América, Primeira Autoridade Iniciática Externa para o Ocidente do Mandalam.

Fonte: IPPB
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A FAMOSA PARÁBOLA DE JESUS CRISTO NA INTERPRETAÇÃO DO YOGUE BRAHMA VIDYA

AUTOCONHECIMENTO: É HORA DE PERMITIR QUE O PROCESSO VÍTIMA E CRIADOR TRABALHE, PARA SENTIR UM EMPODERAMENTO MAIS PLENO NA SUA VIDA DIÁRIA

O texto da nosso coluna AUTOCONHECIMENTO deste sábado vem nos convidar a fazer uma REFLEXÃO muito importante. Vem nos lembrar que somos detentores do Poder Criativo dado pelo Criador e que muitas vezes ficamos na posição de vitimas e esquecemos que podemos resgatar esse Poder Criativo. Então lhe convido a ler otexto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

É hora de resgatar o teu Poder Criativo

 

PODER DA MENTE | Jornal do Sudoete
Mensagem de 17 de Novembro de 2020

Este tópico de vítima para criador é relevante para quase todos vocês. Isto pode ser uma surpresa, mas praticamente todos vocês escolhem não expressar sua verdade ou seu poder através de sua voz ou através de suas ações em determinados momentos. E assim é para cada um de vocês permitir que este processo de vítima a criador trabalhe com vocês para sentir um empoderamento mais pleno em sua vida diária. Sem medo das repercussões que irão prejudicá-lo ou fazer sua energia encolher. Não, porque com o empoderamento e estando no momento, vocês encontram a maneira correta de expressar sua verdade para que ela seja mais facilmente recebida pelos outros. Mas também daquele lugar de empoderamento, a reação limitada ou negativa dos outros não lhe faz mal. Isso não faz com que sua energia encolha. Ele simplesmente o desafia a encontrar maneiras ainda mais belas de expressar aquilo que você deseja expressar para que os outros possam ouvi-lo e compreendê-lo.

Sim, então perceba que é hora de cada um de vocês reivindicar o poder da criação. Está aí. Ele está fluindo através de vocês momento a momento. Mas quando vocês começam a reivindicá-lo conscientemente, quando começam a pretender com sua comunicação a amar, expressar sua verdade, e expressar sua liberdade e criatividade e sua abundância e seu amor, isto é, empoderamento. Isso é ser um criador inteligente, desperto e alerta. Este é o convite a todos e cada um de vocês

Fonte: trabalhadoresdaluz.altervista.org

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: É HORA DE PERMITIR QUE O PROCESSO VÍTIMA E CRIADOR TRABALHE, PARA SENTIR UM EMPODERAMENTO MAIS PLENO NA SUA VIDA DIÁRIA

BOAS NOTÍCIAS : EM 2019 A ESPECTATIVA DE VIDA DOS BRASILEIROS SOBE PARA 76, 6

Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,6 anos em 2019

 DIVERSOS

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A expectativa de vida ao nascer no Brasil em 2019 era de 76,6 anos, segundo dados da Tábua da Mortalidade, divulgados hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A estimativa é 0,3 ano superior à de 2018, divulgada na pesquisa do ano passado (76,3 anos).

A Tábua da Mortalidade é divulgada anualmente pelo IBGE e usa como referência dados de 1º de julho do ano anterior.

O dado, que é uma média da expectativa de vida dos dois sexos, foi publicado na edição de hoje (26) do Diário Oficial da União. A divisão do dado, por sexo, será feita às 10h pelo IBGE.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS : EM 2019 A ESPECTATIVA DE VIDA DOS BRASILEIROS SOBE PARA 76, 6

A AGITADA VIDA PÓLITICA DE MARADONA

 

De Menem a Fidel Castro: a vida política ‘agitada’ de Diego Maradona

Apesar de ter apoiado neoliberal Menem à presidência, craque argentino ficou conhecido por simpatia pelas ideologias de esquerda, incluindo seus líderes

INTERNACIONAL

BBC NEWS BRASIL

Maradona foi amigo e apoiador do líder cubano Fidel Castro até a morte

O argentino Diego Maradona, que morreu nesta quarta-feira (25/11) aos 60 anos após sofrer uma parada cardíaca em casa, era polêmico dentro e fora dos gramados, especialmente quanto ao seu posicionamento político.

Durante sua vida, o ex-jogador e técnico apoiou personalidades de campos ideológicos distintos.

De um lado, fez campanha para o neoliberal Carlos Menem, que viria a se tornar presidente argentino.

Mas foi, sem dúvida, sua simpatia pelas ideologias de esquerda, especificamente sua longa amizade com o líder cubano Fidel Castro, que ganhou os holofotes da mídia.

“Diego é um grande amigo e muito nobre também. Também não há dúvida de que ele é um atleta maravilhoso e manteve uma amizade com Cuba sem ganho material dele mesmo”, disse Castro certa vez sobre o argentino.

O encanto por Castro era tanto que Maradona tatuou o rosto do líder cubano em sua perna esquerda e o de seu compatriota argentino Che Guevara, outro expoente da Revolução Cubana, em seu braço direito.

Maradona também dedicou a Castro, entre outras pessoas, sua autobiografia, Yo soy El Diego (“Eu sou Diego”, em tradução livre).

“A Fidel Castro e, por meio dele, a todo o povo cubano “, escreveu ele, em seu livro de memórias.

Castro também foi um dos convidados mais notórios do programa que Maradona conduziu na TV argentina, do qual Pelé também participou.

O argentino também era conhecido por apoiar abertamente o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez.

Em 2005, viajou à Venezuela para se encontrar com Chávez, que o recebeu no Palácio Miraflores, sede do governo.

Após o encontro, Maradona afirmou que tinha vindo encontrar um “grande homem”, mas em vez disso encontrou um “gigante”.

“Acredito em Chávez, eu sou chavista. Tudo que Fidel faz, tudo que Chávez faz, para mim é o melhor”, disse.

A amizade entre os dois franqueou a Maradona o posto de convidado de honra de Chávez no jogo de abertura da Copa América de 2007, realizada na Venezuela.

Em seu país natal, a Argentina, Maradona também apoiou os governos de Néstor Kirchner e de sua mulher, Cristina. Em 2010, participou, inclusive, do funeral de Estado do primeiro.

Também era apoiador do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e chegou a comemorar sua soltura no Instagram.

“Hoje se fez justiça”, disse o argentino em novembro de 2019.

No Twitter, Lula lamentou a morte de Maradona.

“Diego Armando Maradona foi um gigante do futebol, da Argentina e de todo o mundo, um talento e uma personalidade única. A sua genialidade e paixão no campo, a sua intensidade na vida e seu compromisso com a soberania latino-americana marcaram nossa época”, escreveu Lula.

“No campo, foi um dos maiores adversários, talvez o maior, que a seleção brasileira já enfrentou. Fora da rivalidade esportiva, foi um grande amigo do Brasil. Só posso agradecer toda sua solidariedade com as causas populares e com o povo brasileiro. Maradona jamais será esquecido”, acrescentou.

Contra o imperialismo

Maradona também se dizia contra o imperialismo.

Na Cúpula das Américas de 2005, realizada em Mar del Plata, na Argentina, o argentino protestou contra a presença de George W. Bush no país, vestindo uma camiseta com a frase “STOP BUSH” (com o “s” em “Bush” sendo substituído por uma suástica, o símbolo nazista) e se referindo a Bush como “lixo humano”.

Em agosto de 2007, Maradona foi mais longe, fazendo uma aparição no programa semanal de televisão de Chávez, Alo Presidente, dizendo: “Odeio tudo que vem dos Estados Unidos. Odeio com todas as minhas forças”.

No entanto, em dezembro do ano seguinte, o argentino adotou uma atitude mais pró-EUA ao expressar admiração pelo sucessor de Bush, o então presidente eleito Barack Obama.

Na época, Maradona disse ter “grandes expectativas” em relação a ele.

Em dezembro de 2007, Maradona apresentou uma camisa autografada com uma mensagem de apoio ao povo do Irã. O item está exposto no museu do Ministério das Relações Exteriores iraniano.

Já em abril de 2013, Maradona visitou o túmulo de Chávez e pediu aos venezuelanos que elegessem seu sucessor designado, Nicolás Maduro, para continuar o legado do líder socialista.

O argentino chegou a participar do comício final da campanha de Maduro em Caracas, assinando bolas de futebol e chutando-as para a multidão, e presenteou Maduro com uma camisa da Argentina.

Durante as eleições presidenciais de 2018, novo apoio a Maduro: Maradona participou e dançou no comício da campanha eleitoral.

Durante a crise presidencial venezuelana de 2019, a Federação Mexicana de Futebol o multou por violar seu código de ética e dedicar a vitória do time que comandava, Dorados de Sinaloa, a Nicolás Maduro.

Na mesma entrevista a jornalistas em que prestou a homenagem a Maduro, Maradona criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Igreja Católica

Não sobrou nem mesmo para o papa.

Uma de suas histórias mais famosas foi justamente por causa de uma crítica aberta contra o Vaticano, quando João Paulo 2º era o Papa. “Entrei e vi o teto dourado. E pensei comigo mesmo: como pode ser um filho da p… morar com um teto dourado e depois ir para países pobres e beijar os meninos com a barriga assim. Parei de acreditar, porque estava vendo”, disse em sua autobiografia.

Muitos anos depois, quando o argentino Francisco foi nomeado papa, Maradona reconquistou sua confiança na Igreja.

“De agora em diante sou o capitão do time de Francisco”, disse.

Fonte: R7

 

Continuar lendo A AGITADA VIDA PÓLITICA DE MARADONA

AUTOCONHECIMENTO: FAÇA COMO A MAY, LIBERTE-SE DAS CRENÇAS LIMITANTES!

Nesta segunda-feira a nossa coluna AUTOCONHECIMENTO trás um depoimento muito tocante e revelador. O case da youtuber May Andrade, que nos revela o pode que existe dentro de cada um de nós, que ela chama carinhosamente de “Divina Centelha”. Ao ler esse depoimento você vai entender que isso também pode acontecer com você. Somos todos iguais, temos o mesmo poder. Temos o Livre Arbítrio e é tudo que precisamos para entendermos que somos deuses em evolução e que podemos tudo. Então, convido você a ler o texto completo a seguir e transformar a sua vida, assim com a May transformou a dela!

May Andrade

“O Medo travava a minha Vida”

Quando comecei meu canal no YouTube, ele era um diário de expansão da minha consciência. Naquela época eu havia começado a estudar física quântica, lei da atração, metafísica e eu estava fazendo a Ressonância Harmônica.

Esse era o último recurso que eu tinha para fazer minha vida dar certo de verdade. Eu queria ter mais abundância e harmonia em todas as áreas da minha vida e realmente vencer na vida.

Eu tinha muitos medos e através dos estudos de autoconhecimento pude identificar que a maioria deles vinha das crenças religiosas que eu tinha. Uma delas era o medo do inferno e o medo de Deus.

Eu achava que sabia quem Deus era e achava que pensava que ele era amor incondicional, mas o amor incondicional não nos enche de regras e um pai/mãe verdadeiramente amoroso não puniria filhos à um castigo tão cruel e sádico como o inferno eterno.

Aos poucos fui vencendo meus medos, um dia de cada vez. Às vezes o medo batia tão forte que eu parava de estudar por uma semana, até que os problemas da vida me faziam ter forças pra continuar procurando um caminho diferente daquele que não estava me dando resultados da vida abundante que eu queria.

Comecei a perceber padrões diferentes dos meus na vida das pessoas prósperas e de sucesso, e a notar que as pessoas muito presas em crenças religiosas tinham uma vida de limitações em várias áreas, e também uma vida de muito julgamento aos demais.

Comecei a perceber que eu me sentia muito mal quando julgava as pessoas, e que isso não me deixava feliz. Comecei a perceber o alívio que inundava o meu coração quando eu considerava a ideia de não existir esse tal de inferno e de ver Deus como O TODO, a Fonte Criadora, como é descrito na física quântica e na filosofia Hermética (O Caibalion).

Eu passava madrugadas chorando e falando com Deus, pensava que estava ficando louca. Eu pedia pra ele me ajudar a entender, que eu só estava sendo sincera e buscando a verdade. Eu pedia pra ele não ficar com raiva de mim por eu estar só perguntando, pois eu imaginava que, sendo mãe como sou, eu jamais me zangaria e castigará meu filho porque ele só estava pedindo informações.

Um dia me deparei com um áudio do volume I do Livro Conversando com Deus, na voz do Lucas no YouTube. Comecei a ouvir, e tive momentos intensos de choro enquanto as fichas caíam e eu descobria que Deus é na verdade O TODO, a Fonte Criadora, e que existe uma Centelha Divina em cada elemento de Sua sagrada criação.

A minha imagem de Deus mudou. De um Deus tirano, sádico e mal que castiga seus filhos com a danação e a tortura eterna, para uma Fonte Eterna de Energia que é puro amor, graça, abundância e compaixão!

Muitas outras coisas aconteceram, muitos livros foram atraídos até mim, e um ia complementando o outro e a minha consciência ia se expandindo. Quanto mais eu aprendia, mais eu expandia, fichas iam caindo e tudo começa a fazer sentido, como se as peças de um complexo quebra cabeças fossem finalmente se encaixando.

Quanto mais eu aprendia, quanto mais conhecimento ia entrando em meu subconsciente, menos medos eu tinha. Até que o véu se rasgou de tal forma que eu me sentia destemida, corajosa e sem medos, ao ponto de rir de tudo que um dia eu tive medo. Tudo ficou tão óbvio e esclarecido.

Durante essa jornada de autoconhecimento e expansão de consciência, minha vida foi melhorando muito, em todas as áreas. No meu casamento, meu marido dizia que eu estava melhor do que nunca, e começou a dar atenção a tudo que eu estava estudando e por ver minhas mudanças ele começou a estudar também.

Mudei no meu relacionamento com as pessoas, mudei comigo mesma, antes eu tinha uma auto estima muito baixa, me achava feia e por isso não me arrumava, me sentia fraca e dependente da ajuda das pessoas, hoje me sinto linda, amo tanto esse avatar que minha Centelha escolheu para viver essa experiência temporariamente humana. Me amo e me aceito profundamente.

Minha vida financeira também deu um salto quântico, em apenas 4 meses de canal fizemos o primeiro curso e começamos nossa empresa online com resultados que impressionaram os mais experientes do marketing digital. Hoje eu moro num lindo apartamento que exala Prosperidade, hoje eu tenho abundância financeira e total confiança de que a Fonte Criadora que provê tudo para mim é inesgotável. Contas à pagar são bençãos à pagar e eu me sinto tão agradecida.

É difícil mensurar tanta mudança em minha vida num curto espaço de tempo. Em apenas 10 meses o nosso canal chegou a 100 mil inscritos, o que seria 10 mil inscritos por mês, isso é um fenômeno.

Sei que cada um de nós tem sua própria história e sua própria trajetória. Acredito que a vida nos dá as experiências necessárias para a nossa evolução e expansão de consciência. Então, talvez o seu caminho não será exatamente como foi o meu, mas tem alguns conselhos que eu posso te dar que vão realmente funcionar para você seja qual for a sua história e trajetória.

Primeiramente invista em autoconhecimento, conhece-te a ti mesmo, faça auto análise. Pare de olhar para os outros e para o que está de errado no mundo, fazer isso só vai te causar mais sofrimento e tirar todo seu poder. O verdadeiro poder está em olhar para dentro e mudar nosso mundo interior, é só assim que a gente muda o nosso mundo exterior.

Quando eu falo em investir em autoconhecimento eu falo em você ler livros, fazer cursos na área, separar um tempo para mergulhar nos estudos. Essa fase de casulo é necessária e muito intensa no começo. Depois você poderá sair do casulo, mas não se apresse, a lagarta só sai de lá quando ela vira borboleta. Mas nunca deixe de buscar por coisas que te ajudem no autoatendimento, seremos eternos estudantes, eternos aprendizes. Sempre há mais para aprender e para evoluir.

Faça da meditação e da gratidão um hábito. Essas duas práticas me ajudaram muito a acelerar todo o processo. Quanto mais você medita, mais você cala a voz do ego. O ego é o que tem medo e as crenças limitantes. é ele quem faz você se auto sabotar.

A gratidão tem um enorme poder de atração de bençãos e energias positivas. Se você soubesse como seu campo vibracional fica elevado e poderoso quando prática a gratidão sincera, você daria mais valor a esse simples hábito. A gratidão é mesmo mágica. Eu usei e ainda uso muito o caderno da gratidão, logo após a meditação todos os dias. Escrever as bençãos foi um divisor de águas em minha vida e foi fator determinante para atrair as oportunidades que me ajudaram a subir na vida.

Bom, minhas queridas e lindas Centelhas Divinas, você está com a chave da porta das bênçãos em suas mãos, essa porta só você pode abrir, ela se abre de dentro para fora. Seja determinado e se desapegue de todas as crenças que possam estar limitando você. Esteja disposto a assumir a responsabilidade por melhorar a sua própria vida, porque essa missão é só sua e de mais ninguém. Salva-te!

– May Andrade

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: FAÇA COMO A MAY, LIBERTE-SE DAS CRENÇAS LIMITANTES!

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: GENTILEZA SEMPRE GERA GENTILEZA

Gentileza projeto de vida

O que é gentileza? Vai além das regras de convivência e de etiqueta. O profeta Gentileza já dizia que “Gentileza gera Gentileza”. O que dizem as religiões sobre o assunto. Leandro Karnal se impôs como meta para 2021: ser mais gentil. Qual o seu projeto para 2021?

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: GENTILEZA SEMPRE GERA GENTILEZA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: SAIBA COMO TER UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL E PRODUTIVA ATRAVÉS DO FOCO

Nesta quarta-feira a terapeuta Vania Kipriadis Ferro vem nos instruir e informar acerca da importância do foco em nossas vidas e falar de como algumas atividades artísticas podem ajudar a criar uma Atenção Plena, especialmente a Cerâmica. Ele diz que modelar argila traz um potencial enorme e trabalha essa questão. Por isso, lhe convido a ler com “atenção” o texto completo a seguir e aprender uma das técnicas capaz de lhe manter no presente e tornar sua vida mais produtiva e saudável!

Foco – para uma vida mais produtiva e saudável

Alvo com flechas acertada no meio e flechas voando

Ou… o que a Cerâmica pode fazer pelo seu bem-estar.

A sua mente pula de galho em galho como um macaco agitado?

Você não consegue se concentrar no mesmo assunto por mais de alguns minutos?

Está com muitas tarefas e não consegue priorizar as demandas?

Recebeu uma enxurrada de informações e precisa se organizar mentalmente para absorvê-las de forma adequada?

Bem, se você respondeu “sim” a alguma das perguntas acima, você faz parte de uma grande parcela da população que sofre com Falta de Foco. Isso é mais normal do que você imagina. Quem nunca?

Existem algumas técnicas que podem ajudar a solucionar essa questão, ou pelo menos minimizar. Nesses tempos digitais, onde estamos conectados com vários estímulos ao mesmo tempo, isso pode ser muito perturbador no dia a dia. Inclusive já escrevi aqui mesmo sobre esse tema, sugerindo o uso do floral de Bach White Chestnut. Tomar esse floral pode ser uma das formas de ajudar a manter o foco e a priorizar tarefas.

Mas hoje o foco é outro. Vamos falar de como algumas atividades artísticas podem ajudar a criar uma Atenção Plena, especialmente a Cerâmica.

Modelar argila traz um potencial enorme e trabalha essa questão. Você já experimentou?

Argila = Terra, e como elemento em si, nos coloca em Conexão com o Presente, é Corpo, matéria, nos enraíza, germina, frutifica e alimenta. Segundo Jean Chevalier e Alain Gheerbrant (*) a Terra é um símbolo de fecundidade e regeneração, eminentemente feminino, nossa “Terra-Mãe”, que deu origem aos seres humanos.

Para pessoas que vivem no “mundo da Lua”, que têm dificuldade em focar no Presente, ou que são distraídas, trabalhar com a terra pode ser útil – ajuda a manter os “pés no chão”, encarar a realidade sem subterfúgios, com mais senso de praticidade e realização = ação. Contribui para melhor nos posicionar, “marcar território”, confere mais objetividade.

Trabalhar com a terra favorece a concretização de pensamentos, sonhos, intenções, emoções. Na medida em que o indivíduo cria, e transfere algo que está no inconsciente para uma forma de argila, real – que ele toca, sente, cheira, vê –, se abre uma possibilidade de entendimento, de conscientização e elaboração do assunto sobre o qual estamos tratando.

Já observou crianças construindo castelos à beira da praia? Percebeu como elas ficam inteiramente concentradas nessa tarefa? Pois é, a terra nos ajuda a manter esse foco no Presente, e como resultado nos traz equilíbrio, nos centra e harmoniza. De quebra, possibilita-nos entrar em contato com nossa mais profunda essência.

Fonte:

Vania Kipriadis Ferro
Escrito por :  Vania Kipriadis Ferro
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: SAIBA COMO TER UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL E PRODUTIVA ATRAVÉS DO FOCO

APÓS 65 HORAS SOTERRADA NOS ESCOMBROS, MENINA DE 3 ANOS É RESGATADA COM VIDA NA TURQUIA

Menina de 3 anos é resgatada 65 horas após terremoto na Turquia

Criança foi levada ao hospital com alguns ferimentos. Mãe e três irmãos foram resgatados 23 horas após tremor; um dos meninos morreu

INTERNACIONAL

Do R7, com EFE

Menina de 3 anos é resgata de escombros

Uma menina de 3 anos foi resgatada nesta segunda-feira (2) bem e com vida depois de passar 65 horas nos escombros de um dos prédios que caíram após a passagem de um terremoto na última sexta-feira (30).

Elif Perincek tem alguns ferimentos, mas está bem. Ela é 106 pessoa resgatada das ruínas e foi levada ao hospital.

A pequena Elif ficou presa com sua mãe e três irmãos em um prédio que desabou inteiramente no bairro de Bayrakli, na periferia norte de Esmirna, o único gravemente afetado pelo terremoto de magnitude 6,8 na escala Richter, ocorrido na última sexta-feira.

Sua mãe, Seher Perinçek, e duas irmãs gêmeas foram salvas no sábado quando o corpo sem vida de seu irmão foi recuperado, e as equipes vinham trabalhando para chegar onde a menina estava.

O bombeiro Ahmet Yavuz, explicou à emissora de TV CNNTürk, que a menina estava em um “buraco de vida”, com os olhos abertos e conscientes, quando foi encontrada.

Há possibilidade de haver mais seis pessoas neste edifício e as equipes continuarão trabalhando, sem perder a esperança, até encontrarem todos, acrescentou o bombeiro.

Não há números sobre quantas pessoas ainda podem estar sob os escombros dos outros cinco edifícios, onde as equipes de resgate trabalham, mas fontes municipais disseram ontem à Agência Efe que o número final de vítimas provavelmente ultrapassará uma centena.

Fonte: R7
Continuar lendo APÓS 65 HORAS SOTERRADA NOS ESCOMBROS, MENINA DE 3 ANOS É RESGATADA COM VIDA NA TURQUIA

AUTOCONHECIMENTO: A GRATIDÃO É A CHAVE QUE ABRE A PORTA PARA SUA LIBERDADE

Vibrar na gratidão é a chave para abrir a porta que te leva à liberdade, objetivo maior de todos os seres humanos no rela sentido da palavra. Aquela liberdade que Jesus Cristo tanto pregou: “Conhecereis a verdade e ela vos libertará”. Portanto lhe convido a ler o texto completo a seguir e entender como isso se processa no seu interior!

A chave que abre porta para tudo

Mensagem canalizada em 11 de Outubro de 2020 – Arcanjo Gabriel

Amado,

Quando você sente o amor de Deus, há um senso de paz e harmonia em seu interior. Este sentimento permite a você se afastar do drama em sua vida e deixar o amor de Deus fluir em cada situação. Quando o amor divino está fluindo livremente através de você, curas milagrosas ocorrem.

Há um lugar onde você sempre pode ir para sentir o amor de Deus e este é em seu coração. Gratidão é a atitude que irá levá-lo ao seu coração. Não importa se você não vê nada em sua vida pelo qual sentir gratidão, apenas o ato de colocar sua mão em seu coração e agradecer abre uma porta em seu coração para permitir que o amor de Deus entre.

Quando nada mais houver, você pode agradecer simplesmente por estar vivo. É uma dádiva estar num corpo humano, que é um instrumento milagroso. Você pode agradecer por seu coração bater, pela sua respiração e processos digestivos continuarem sem sua direção consciente.

Se sua vida parece uma constante luta, você pode agradecer pelas lições que está aprendendo. Do outro lado da luta está a liberdade. Você pode agradecer antecipadamente por tal liberdade.

A oração altera nossa perspectiva, assim podemos ver um quadro maior do que está acontecendo em nossas vidas. Orações de agradecimento são muito poderosas e estimulam um crescente fluxo da energia de Deus em cada situação. Esta energia pode criar mudanças milagrosas para sempre. Pode requerer um certo esforço encontrar algo para se sentir agradecido quando você está desanimado, mas quando você fizer, isso vai criar uma bela mudança em sua mente. Esta mudança é a porta para uma nova consciência da verdade maior em sua vida.

A verdade maior é que você nunca está sozinho e de que está aqui na Terra para lembrar de sua conexão com a Presença Divina em sua vida. Você foi feito para viver uma vida feliz, abundante, com profunda realização. Para fazer isto, é necessário sair dos problemas que a vida apresenta e entrar no fluxo do amor de Deus, que irá trazer soluções criativas. É como se você passasse por uma porta direto para a ação correta, confiança e consciência amorosa.

Gratidão é a chave que abre a porta para tudo o que você procura – uma coisa simples que traz milagres em sua vida. Lembre-se da mensagem de hoje do Arcanjo Gabriel:

Gratidão abre a porta para sentir o amor de Deus.

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A GRATIDÃO É A CHAVE QUE ABRE A PORTA PARA SUA LIBERDADE

BOAS NOTÍCIAS: AS VOLTAS DA VIDA!! FAXINEIRA FOI PROMOVIDA A ENFERMEIRA NO MESMO LOCAL QUE LIMPAVA

Uma virada espetacular na vida de uma faxineira é o destaque da coluna BOAS NOTÍCIAS deste sábado e você vai conhecer a história de luta e superação dessa mulher negra que conseguiu sair da situação de faxineira em um centro clínico de Springfield, Massachussetts, nos EUA, para enfermeira no mesmo hospital.

De faxineira a enfermeira no mesmo hospital. Ela venceu!

Por redação

As voltas da vida! Há dez anos, Jaines Andrades era faxineira no Baystate Medical, em Springfield, Massachussetts, nos EUA. No mês passado ela foi promovida e agora trabalha como enfermeira no mesmo local que limpava.

Jaines trabalhava em uma lanchonete quando soube da vaga de limpeza no hospital e decidiu arriscar, pra ver como funcionava um centro médico e a rotina de atendimento.

Cinco anos depois, enquanto fazia faxina no hospital, ela fez um curso de enfermagem e continuou trabalhando nos serviços gerais.

“Fiquei nos serviços gerais, apesar de ser enfermeira, porque não consegui imediatamente um emprego de enfermagem em Baystate, então queria manter meu pé na porta”, explicou ela ao outlet.

A virada

No mês passado, ela foi recontratada como enfermeira iniciante e hoje, em vez de limpar as salas de cirurgia, Jaines trabalha como enfermeira certificada em cirurgia de trauma.

Para comemorar, ela postou no Facebook seus três crachás do hospital, mostrando os três postos que já ocupou e escreveu:

“10 anos de trabalho, mas valeu a pena! Sou provedora do mesmo lugar que costumava limpar…Espero que minha história possa inspirar pessoas que se sintam desencorajadas por seu passado ou de onde vêm. Eu só quero que elas saibam que, se eu posso fazer isso, qualquer um também pode”, disse ela à ABC News.

Fonte: sonoticiaboa.com.br
Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: AS VOLTAS DA VIDA!! FAXINEIRA FOI PROMOVIDA A ENFERMEIRA NO MESMO LOCAL QUE LIMPAVA

REFLEXÃO: O INVISÍVEL OCUPA NO COSMOS UM LUGAR MAIOR DO QUE O VISÍVEL

A nossa REFLEXÃO desta quinta-feira nos instiga a observarmos com mais calma e atenção o mundo invisível. Aquele composto por 90% das coisas que não enxergamos com os 5 sentidos e que não estão à vista na nossa limitada tridimensionalidade. Então convido você a ler o artigo completo a seguir para entender o significado desse mundo invisível no Cosmos. 

O mundo invisível

O invisível ocupa, no Cosmo, um lugar muito maior do que o visível. O oceano de ar é invisível, mas desempenha papel vital na vida. Centenas de animálculos são invisíveis num copo d’água, mas causam vida ou morte, doença ou saúde, a toda pessoa que beber daquela  água

D.P. Sabnis*

o mundo invisível - fefe605 - Wattpad

Existe similitude entre guerra e morte. A guerra mutila uma civilização; a morte, o corpo. Homens e mulheres aos milhares parecem não ter aprendido, com as repetidas lições da história, que as guerras são desintegradoras   da sociedade. A razão é óbvia: o mau cheiro dos corpos em decomposição é reconhecido como sinônimo de morte; o de uma sociedade em decomposição não o é.

Após a morte de uma pessoa, os sobreviventes remodelam suas vidas; o mesmo fazem povos e nações após uma guerra. Mas, ao assim fazerem, povos e nações não  aplicam a lição da morte mais que os sobreviventes de um parente ou amigo, a maior parte dos quais não indaga a respeito do significado e propósito da morte. Num dos casos, a morte é a morte do corpo, mas quem fala da alma daquele que partiu? Quantos buscam conhecimentos sobre o assunto? De modo semelhante, após um  horrível massacre, quantas pessoas se perguntam a respeito do lado espiritual das coisas, do que o poeta A. E. chamou  de “ser nacional”, a alma da nação?

Devido à nossa educação, estamos preparados para olhar apenas para o lado material e visível de todos os fenômenos – até mesmo dos fenômenos psicológicos. Doença é doença do corpo, morte é morte do corpo. Nos afazeres nacionais, são a economia e os aspectos visíveis da ordem sócia corporativa que não apenas tomam precedência, mas são a única base de pensamento e consideração. A higiene do corpo é desproporcionalmente valorizada em comparação com a higiene da mente, assim como as palavras são usadas cautelosamente porque são ouvidas pelos outros, enquanto homens e mulheres permitem que os pensamentos criem fossas por imaginarem que pensamentos invisíveis não deixam odores atrás de si.

O invisível ocupa, no Cosmo, um lugar muito maior do que o visível. O oceano de ar é invisível, mas desempenha papel vital na vida. Centenas de animálculos são invisíveis num copo d’água, mas causam vida ou morte, doença ou saúde, a toda pessoa que beber daquela água. A eletricidade é invisível, mas fornece luz e calor; pode curar e matar. Se as pessoas ao menos olhassem ao redor, logo descobririam que em sua própria existência o invisível representa não apenas um papel vital, mas é também mais importante que a parte representada-pelo que é visível. No modo como vemos e ouvimos, o invisível representa uma parte maior do que os objetos que vemos e as vozes que ouvimos. A fala, que nos põe em contato com nossos semelhantes, é um processo quase que totalmente invisível, sendo o único aspecto visível o movimento dos lábios e da língua.

Um dos objetivos do trabalho teosófico  é mostrar a importância do invisível   enquanto demolimos as superstições a seu respeito, que têm  raízes no falso conhecimento. A ausência do verdadeiro conhecimento causa danos. A ignorância é ruim, mas o falso conhecimento é pior.

Como a pessoa começa a adquirir um correto conhecimento consigo mesma? O que ela é? Apenas um corpo de carne e sangue? O que é amente? Qual é a relação entre cérebro e mente? O que são as emoções? De onde vêm a depressão e a alegria, a torpeza e a magnanimidade? Como se pode vencer o ciúme e desenvolver a gentileza? Já que o dinheiro não pode comprar a paz da mente, o que pode proporcioná-la? Se a agitação emocional afasta o sono, o que pode ser invocado para abençoar aquele que está agitado e trazer calma e repouso? Aqui estão alguns aspectos do invisível que nos tocam até a medula; é com eles que a pessoa deve começar.

Antigamente, a religião não era uma matéria de fé cega; buscava-se o conhecimento da religião, e os homens pios a ensinavam de inúmeras maneiras diferentes. Os antigos textos religiosos indicam que existia um conhecimento inestimável. Temos que aprender não apenas as linguagens antigas, nas quais os livros foram escritos, mas também os moldes nos quais grandes ideias foram  lançadas. Pois os antigos, estando mais próximos da natureza invisível do que estamos no século XXI, usavam alegorias, símbolos e comparações que nos parecem bizarros. Uma das razões por que homens e mulheres de hoje não estudam as escrituras de sua própria religião é que a linguagem não lhes é compreensível.

A morte é uma experiência universal e está tão próxima de nós que não lhe damos atenção; nem seque nos esforçarmos para saber se existe conhecimento disponível a respeito. Igualmente universal é o fenômeno da vida, com seus prazeres e dores diários; entre nascimento e morte as pessoas riem e choram, mas não sabem o que precede o nascimento, o que se segue à morte, o que é o riso e como as lágrimas são formadas. “Tudo é mistério”, dizem as pessoas, com um aceno da cabeça que acreditam ser um aceno de sabedoria e humildade, mas que na maioria das vezes é apenas um aceno de ignorância e preguiça mental.

Este conhecimento pode ser encontrado na Religião-Sabedoria dos antigos; para o mundo moderno ele está disponível através da Teosofia –  religião científica, a ciência religiosa. Nos autênticos livros teosóficos, homens e mulheres encontraram informação disponível a respeito do espírito, da alma, do corpo; a respeito  do  bem em  si mesmos  e do mal que envolve aquele bem; a respeito de seus humores causados por sentimentos feridos ou intoxicações causadas por egoísmo inflado. Mas sabemos que, em nossa civilização, as pessoas não têm tempo para ler e estudar, estão sempre ocupadas ganhando dinheiro – mas não perguntam o que farão quando vierem a possuí-lo; não sabem como se sentirão quando tiverem  alcançado o topo. Somente as verdades fundamentais da genuína ciência da alma podem ajudar a evolução do ser humano e o desabrochar da  visão espiritual. Poderes espirituais e divinos estão adormecidos em cada pessoa; quanto maior o alcance de sua visão espiritual, mais poderoso será o deus dentro dela.

Fonte: Revista Sophia  ano 18,edição 86

Continuar lendo REFLEXÃO: O INVISÍVEL OCUPA NO COSMOS UM LUGAR MAIOR DO QUE O VISÍVEL

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O TEMPO E A VIDA POR MARIO SERGIO CORTELLA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O TEMPO E A VIDA POR MARIO SERGIO CORTELLA
SP - 22/07/2016 - ISTOE - OS GURUS DA INTELECTUALIDADE BRASILEIRA. MARIO SERGIO CORTELLA - FOTO: FELIPE GABRIEL

Muito interessante a apologia metafórica que o inigualável Mario Sergio Cortella faz ao Tempo e a Vida como só ele é capaz de fazer e, apesar de auxiliado por muletas para caminhar sobre o palco, contaminar a platéia com super atenção e bom humor.Portanto, lhe convido a assistir essa magnífica aula de FILOSOFIA e enriquecer seus conhecimento e cultura!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O TEMPO E A VIDA POR MARIO SERGIO CORTELLA

BOAS NOTÍCIAS: MÃE ESCAPA DE CÂNCER DE ÚTERO E DÁ À LUZ GÊMEAS

O destaque da nossa coluna BOAS NOTÍCIAS desta quinta-feira é um verdadeiro milagre que aconteceu em Norfolk, Inglaterra. Uma mulher de 41 anos, que sobreviveu a um câncer de útero e não podia mais ter filhos dá à luz, não a uma, mas a duas gêmeas lindas. Leia a reportagem completa a seguir e conheça essa história com final feliz!

Sobrevivente de câncer de útero que não podia ter filhos dá à luz: gêmeas

Rebecca Allen e seu parceiro Andrew Kirkwood com os gêmeos Luna (ESQUERDA) e Seren Kirkwood (DIREITA).) Foto: Agência de Notícias Caters

Rebecca Allen e seu parceiro Andrew Kirkwood com os gêmeos Luna (ESQUERDA) e Seren Kirkwood (DIREITA).) Foto: Agência de Notícias Caters

Uma britânica, sobrevivente de um câncer do colo do útero e que foi informada pelos médicos que não poderia ter filhos, deu à luz e ainda por cima a gêmeas, que estão sendo chamadas de milagrosas.

Em 2017, Rebecca Allen, de 41 anos, de Norfolk, foi diagnosticada com câncer cervical em estágio inicial. O diagnóstico mudou a perspectiva de vida dela.

“Durante os meus 20 e 30 anos, eu era viciada em trabalho e tinha sempre o objetivo de alcançar a próxima faixa salarial, ou cargo. Uma criança não se encaixava na minha agenda lotada”, lembra Rebecca.

“Mas depois do meu diagnóstico, percebi que nada disso era mais importante e queria ser mãe pela primeira vez”, acrescentou.

Também faltava um companheiro. “Eu tinha 30 e poucos anos, estava solteira e tinha câncer, então não era exatamente bom para o meu perfil no Tinder”, brincou ela.

Cirurgia

Após o diagnóstico, Rebecca passou por uma traquelectomia radical – uma cirurgia para “remover o colo do útero, a parte superior da vagina e o tecido de suporte circundante”, de acordo com a Sociedade Canadense do Câncer .

O procedimento geralmente é feito para que as mulheres que lutam contra o câncer cervical em estágio inicial possam ter filhos no futuro.

No entanto, aqueles que fazem a cirurgia geralmente correm um risco maior de aborto e precisam ter o bebê por cesariana.

Amor

Logo após a operação, Rebecca Allen disse que conheceu o homem com quem ela passaria o resto da vida: Andrew Kirkwood, de 39 anos.

“Quando recebi um ok no meu check-up, começamos a tentar um bebê”.

Ela ficou grávida, mas sofreu um aborto após 10 semanas. Um mês depois, descobriu que estava grávida novamente – desta vez de gêmeos.

“Andrew e eu estávamos esperando más notícias, porque era uma gravidez de alto risco, então concordamos em não olhar para a tela do ultrassom”, disse.

“Quando a enfermeira nos disse para olhar, eu não podia acreditar nos meus olhos: dois batimentos cardíacos”, lembrou.

O parto

Em junho, com 34 semanas, Allen passou por uma cesariana de emergência e, finalmente, teve dois bebês saudáveis, Luna e Seren.

“É muito emocionante pensar que não tenho um, mas dois bebês milagrosos, depois de acreditar que talvez nunca seria mãe”, disse ela.

“Me acho incrivelmente sortuda por ter gêmeas e sou completamente apaixonada por eles”, concluiu.

Com informações da Fox

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: MÃE ESCAPA DE CÂNCER DE ÚTERO E DÁ À LUZ GÊMEAS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho