CUBANOS QUE VIVEM NOS EUA PROTESTAM CONTRA O COMUNISMO NA ILHA

Abaixo o comunismo!’, protestam cubanos que vivem nos EUA

Milhares de cubanos saíram às ruas em dezenas de cidades pedindo o fim da ditadura

INTERNACIONAL 

por AFP

Cubanos pedem ajuda dos EUA

JIM WATSON / AFP

Agitando bandeiras cubanas e americanas e gritando “Pátria ou Vida!”, milhares de cubanos protestaram em Miami e Washington D.C. em apoio aos protestos antigovernamentais históricos na ilha comunista, que podem significar grandes mudanças.

“Este é o momento, não há outro, e esta é a definição total de que o comunismo vai cair. Sou 100% a favor da Pátria e Vida; Abaixo o comunismo!”, afirmou o cubano Humberto Ponce Díaz à AFP nos protestos de domingo em Miami, em frente ao emblemático Café Versailles no bairro cubano de Little Havana, que começou como uma caravana de carros.

O prefeito de Miami, Francis Suárez, participou do protesto que, segundo a imprensa local, reuniu mais de 5.000 pessoas, e até pediu aos Estados Unidos para intervir na ilha.”Sessenta anos de comunismo, crueldade e opressão não podem durar mais!”, escreveu ele em seu Twitter após denunciar a repressão de manifestantes na ilha pela polícia cubana, que agrediu e prendeu inúmeros manifestantes.

“Imploramos aos Estados Unidos que tomem uma atitude enquanto nos manifestamos pacificamente nas ruas de Miami”, acrescentou.

“Pátria e vida!”, gritavam os manifestantes, muitos deles com camisetas com essa legenda, um novo grito de guerra em oposição ao governo, nascido do vídeo musical que se tornou viral e que modificou o lema oficial “Pátria ou morte”.

Cansados da crise econômica que agravou a escassez de alimentos e medicamentos e obrigou o governo a racionar eletricidade, além da explosão do número de casos de coronavírus, milhares de cubanos saíram às ruas no domingo em dezenas de cidades, gritando: “Estamos com fome”, “Liberdade” e “Abaixo a ditadura”.

Esta foi a primeira manifestação popular contra o governo a nível nacional desde a revolução de 1959 que levou Fidel Castro ao poder.

As únicas concentrações autorizadas em Cuba são geralmente as do Partido Comunista.

Embora o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, tenha reconhecido a “insatisfação” de alguns cubanos, ele também acusou Washington de querer provocar “distúrbios sociais” em Cuba e deu aos revolucionários uma “ordem de combate” para enfrentar os manifestantes.

“A Flórida apoia o povo de Cuba que vai às ruas contra o regime tirânico de Havana”, anunciou o governador do estado, Ron DeSantis, em sua conta no Twitter.

“Hoje o povo cubano disse basta! Como cubano-americana, tenho orgulho de me juntar a essas vozes que em todo o país pedem liberdade e democracia”, tuitou a vice-governadora, Jeanette Núñez, que compareceu ao protesto em Miami. “É hora de uma Cuba livre!”.

Exilados cubanos nos Estados Unidos não escondem a esperança de que os protestos de domingo signifiquem o fim do governo comunista na ilha.

Apoio dos EUA

Nesta segunda-feira (12), um grupo de 25 cubanos protestou em frente à Casa Branca, na capital americana, e alguns exigiram que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tomasse medidas a respeito.

“Espero que este presidente (Joe Biden) e o Congresso tomem medidas na direção certa e ajudem meu povo”, afirmou à AFP um deles, Sergio Álvarez, um cubano de 32 anos.

“Precisamos de ajuda”, disse este eletricista da Tesla que relatou que seu pai morreu este ano na ilha por falta de remédios.

Biden “precisa denunciar o que está acontecendo em Cuba (…) não estamos sentindo o apoio deste governo”, afirmou Elaine Miranda, uma estudante universitária cubana de 26 anos, em frente à Casa Branca.

Biden pediu na segunda-feira ao governo cubano que não recorra à violência e expressou o apoio dos Estados Unidos aos manifestantes.

O presidente, que assumiu o cargo em janeiro, ainda não reverteu nenhuma das sanções impostas pelo ex-presidente Donald Trump a Cuba e praticamente ignorou o dossiê cubano até hoje.

Seu porta-voz disse em março que “uma mudança na política em relação a Cuba não está” entre suas “maiores prioridades”.

Fonte: R7

Continuar lendo CUBANOS QUE VIVEM NOS EUA PROTESTAM CONTRA O COMUNISMO NA ILHA

PERU AINDA ESPERA SABER OFICIALMENTE QUEM SERÁ SEU NOVO PRESIDENTE, UM MÊS APÓS FIM DA VOTAÇÃO

Peru: eleitores acampam em Lima para ‘defender’ seus votos

Um mês após a votação, ainda não foi declarado um vencedor para a eleição presidencial no Peru

INTERNACIONAL

por AFP

Apoiadores dos dois candidatos acamparam em praças de Lima, capital do Peru

ERNESTO BENAVIDES / AFP – 6.7.2021

Um mês após o fim da votação, o Peru ainda espera saber oficialmente quem será seu novo presidente, enquanto eleitores dos candidatos de esquerda e direita, Pedro Castillo e Keiko Fujimori, respectivamente, acampam nas praças de Lima para “defender” seus votos.

Em meio ao frio em pleno inverno na capital, Lima, centenas de simpatizantes de Castillo, vindos da serra e da floresta, pernoitam nas cerca de 180 barracas armadas na Plaza de la Democracia, em frente ao prédio do Júri Nacional de Eleições (JNE), que está julgando impugnações de votos antes de anunciar quem venceu.

Os primeiros se instalaram na praça há mais de três semanas. Muitos vestem  trajes típicos da região andina ou amazônica enquanto esperam pacientemente que o professor da zona rural de Cajamarca (norte) seja declarado como novo presidente.

“O júri já deve anunciar Pedro Castillo para que isso tudo acabe”, afirmou à AFP Martín Quispe, de 35 anos, do distrito de Santa Teresa, região andina de Cusco.

“Morar em uma barraca significa sentir frio e não dormir bem, mas vale a pena a luta que estamos fazendo”, acrescenta Quispe, que acampa com sua esposa e filha em uma pequena barraca amarela forrada de plástico azul para se proteger da alta umidade de Lima.

“Vamos permanecer”

Merino Trigoso, líder do povo indígena amazônico Awajún, de 66 anos, que usa uma coroa de penas e um colar tradicional, também está acampando.

“Vamos permanecer até que combatam a corrupção”, disse à AFP.

“Vamos ficar até que Castillo seja proclamado, senão vamos fazer algo mais radical”, afirmou Maruja Inquilla, de 45 anos, natural de Coata, município próximo ao lago Titicaca, na fronteira com a Bolívia.

Banheiros químicos e uma tenda de serviços médicos foram instalados na praça. Os ativistas contam que se alimentam de doações.

Cerca de 200 “ronderos” — membros das rondas de vigilância rural à qual Castillo pertence — tomam conta do acampamento improvisado.

Eles carregam chicotes para manter a ordem e, se necessário, afastar adversários políticos.

“Estamos aqui para colocar ordem e disciplina. Queremos garantir que a vigília seja feita de forma ordenada”, afirma o presidente nacional das rondas camponesas, Víctor Vallejos, que usa colete preto e um sombrero, chapéu de palha.

“Vamos ajudar Keiko”

A apenas sete quarteirões de distância, a aproximadamente 700 metros, os apoiadores de Fujimori também montaram um acampamento “pela Democracia e Liberdade” neste fim de semana no Paseo de los Héroes Navales, em frente ao Palácio da Justiça.

Apesar da alta tensão, não houve confrontos após a votação de 6 de junho e todas as atividades decorrem normalmente no país.

Vestidos principalmente com camisetas da seleção de futebol peruano, esses partidários de Fujimori vêm de bairros pobres de Lima e buscam “defender” seus votos.

Fujimori denunciou que houve “fraude” na contagem, sem apresentar provas conclusivas, mas as autoridades peruanas, os Estados Unidos e a Organização dos Estados Americanos (OEA) afirmam que as eleições foram limpas e sem “irregularidades graves”.

“Não queremos um país comunista, queremos um país livre para que nossos filhos não sofram terrorismo como nos anos 1980”, com a guerrilha maoísta Sendero Luminoso, declara à AFP a cabelereira Dina Amaya, de 55 anos, do distrito de La Victoria.

Fonte: CNN
Continuar lendo PERU AINDA ESPERA SABER OFICIALMENTE QUEM SERÁ SEU NOVO PRESIDENTE, UM MÊS APÓS FIM DA VOTAÇÃO

GRAÇAS AO AVANÇO DA VACINAÇÃO AS RESTRIÇÕES CONTRA COVID-19 CHEGAM AO FIM NA ISLÂNDIA

Islândia anuncia o fim de todas as restrições contra a covid-19

Avanço na vacinação permitiu que país abandonasse regras de distanciamento social, uso de máscara e outras medidas

INTERNACIONAL  

por AFP

Restrições deixarão de vigorar a partir deste sábado (26)

Após quinze meses de sucessivas medidas reforçadas ou suavizadas, a Islândia anunciou nesta sexta-feira (25) o levantamento de todas as restrições contra a covid-19, graças ao avanço da vacinação.

“É uma sensação um tanto estranha, depois de ter estado muitas vezes aqui ou em outro lugar para anunciar o endurecimento das medidas, mas hoje é o dia em que vamos suspendê-las”, declarou em coletiva de imprensa a primeira-ministra Katrín Jakobsdottir.

Suíça libera entrada de turistas brasileiros que estiverem vacinad

As regras de distanciamento, uso de máscara, o número reduzido de pessoas reunidas em espaços públicos e os horários de abertura de bares e restaurantes deixarão de vigorar a partir de sábado, 26 de junho.

“Na realidade, estamos restaurando a sociedade a que estávamos acostumados e à qual aspiramos”, desde a entrada em vigor das primeiras restrições, em 16 de março de 2020, afirmou o ministro da Saúde islandês, Svandís Svavarsdóttir.

Esta decisão, a primeira na Europa, foi tomada de acordo com o cronograma de quatro etapas para eliminar as restrições no território islandês.

Revelada no final de abril, a decisão previa o levantamento de todas as medidas nacionais na segunda quinzena de junho “quando cerca de 75% da população – com mais de 16 anos – tiver recebido pelo menos uma dose da vacina”.

No total, 87,6% desse segmento de idade, cerca de 295 mil pessoas de uma população total de 365 mil, já tinha recebido pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19 até 24 de junho.

As restrições vão permanecer em vigor nas fronteiras, onde os visitantes não vacinados são obrigados a apresentar um teste de PCR negativo na chegada e, em seguida, passar por outro teste após cinco dias de isolamento.

Pessoas que apresentem certificado de vacinação ou tenham sido previamente infectadas com a covid-19, e que até agora precisavam ser testadas assim que chegavam à Islândia, estarão isentas desta obrigação a partir de 1º de julho.

Fonte: R7
Continuar lendo GRAÇAS AO AVANÇO DA VACINAÇÃO AS RESTRIÇÕES CONTRA COVID-19 CHEGAM AO FIM NA ISLÂNDIA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O QUE PENSAMOS SER O FIM É SÓ UM INÍCIO

Escolhemos um texto muito especial para REFLEXÃO na publicação da coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL desta quinta-feira. O tema “A senda de luz” aborda os meandros, labirintos, ilusionismo, percalços e enganos, pelos quais passamos nessa caminhada evolutiva, que ao contrario do que, a princípio, possamos imaginar é muito mais longa exaustiva, a ponto de o autor estabelecer metas para nos fazer entender que o que pensamos ser o fim é só um início, pois a nossa existência é cíclica. Então convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

A senda de luz

Devemos alcançar a meta apenas para descobrir que o que pensamos ser o fim é só um início. A luz do sol ilumina o caminho – o sol físico e o sol interior – até o infinito

Wayne Gatfield*

SENDA DE LUZ

“O crepúsculo  possui uma magia indefinível. É um momento em que o véu entre os mundos parece fino; se o sentimos, uma grande beleza penetra nosso coração e colore tudo com ternura.”

No artigo “O Farol do Desconhecido”, Blavatsky escreveu: “O farol da verdade é a natureza sem o véu ilusório dos sentidos. Ele só pode ser alcançado quando o Adepto se tiver tornado o mestre absoluto de seu eu pessoal, capaz de controlar todos os sentidos físicos e psíquicos com o auxílio de seu ‘sétimo sentido’, através do qual ele é dotado também da verdadeira sabedoria dos deuses.”

“O farol sobre o qual os olhos de  todos os verdadeiros teósofos estão fixos é o mesmo, rumo ao qual, em todas as idades, a alma humana aprisionada tem lutado. Esse farol, cuja luz não brilha sobre nenhum mar terreno, mas que se reflete nas profundezas sombrias das águas primordiais do espaço infinito, é chamado por nós, como pelos antigos teósofos de Sabedoria Divina.”

Esta está nas lendas e contos de fadas de todo o mundo. A maioria fala da busca por algo: o Santo Graal, o Velo de Ouro ou a mão de uma princesa, simbolizando a busca de realização da Sabedoria Divina e as provações do caminho para essa meta.

A luz é sempre confortante, seja do sol, da lua, das estrelas ou a suave luz do nosso lar. Mais profunda ainda é a luz interna. A luz é a mesma em todos os níveis, mas difere por suas interações com nossos diferentes veículos; a mais inferior é a luz física.

As diferentes intensidades e tonalidades da luz em diferentes épocas do ano podem ter efeito na consciência da pessoa. Às vezes um dia nublado produz uma luz que causa uma melancolia positiva sobre a mente  as emoções, fazendo perceber aquilo que os japoneses chamam de mono-no-aware, a “pungência e beleza da existência transitória”.

Todos sabemos como um dia de sol aumenta o vigor, mas isso é sutilmente diferente de acordo com o mês. O efeito do sol de primavera não é o mesmo que o do verão ou inverno. Há muita variação, dependendo também da pessoa que o experimenta.

O crepúsculo possui uma magia indefinível. É um momento em que o véu entre os mundos parece fino; se o sentimos, uma grande beleza penetra nosso coração e colore tudo com ternura. George William Russel  escreveu: “Queremos que nessa hora o místico esteja em casa, menos metafísico e científico do que de costume, mais verdadeiramente ele mesmo. É costume, a essa hora, ceder um pouco e sonhar, deixando que as ternas fantasias que o dia suprime entrem na mente. Todas as coisas se tornam estranhamente suaves e unidas. As ruas comuns assumem algo da grandeza dos templos egípcios; as crianças correm atrás das outras e, enquanto fogem, olham para nós com olhares que há muito esquecemos; embalados pelo silêncio, deixamos de lado as duras arestas materiais e lembramos que somos espíritos.”

As crianças olham o mundo maravilhadas, mas são jovens demais para exprimir esses sentimentos em palavras. À medida que crescemos perdemos essa visão e começamos a intelectualizar tudo. Ficamos frios. Mas, se desenvolvemos o lado espiritual e poético da nossa natureza, penetramos numa segunda infância, num nível inteiramente diferente. “A princípio a montanha é apenas uma montanha; depois vemos que não é realmente uma montanha; no fim, é apenas uma montanha novamente”. Este ditado zen expressa o processo de reconquistar a inocência da infância com o acréscimo das nossas experiências. É a jornada da vida: partir da perfeição inconsciente, ter consciência da nossa imperfeição; e finalmente realizar a perfeição conscientemente. Isso se houver perfeição talvez tudo seja relativo.

Assim, temos que reconquistar estado infantil que perdemos, como dizem os ensinamentos espirituais. Estamos procurando a luz que jamais brilhou sobre terra ou mar, mas que ajuda a navegar o vasto oceano da sabedoria divina rumo ao nosso destino, ou, até onde sabemos, aos diferentes estágios de uma jornada sem fim.

Todos os heróis dos mitos alcançaram a meta tornando-a seu único interesse. Venceram dificuldades aparentemente insuperáveis focando a atenção no objeto da busca. Alguns ficaram pelo caminho, mas os mais bravos triunfaram. Krishna diz, na Bhagavad-Gita, que se focarmos a atenção nele chegaremos a ele. A melhor maneira é pensar em Krishna como o Eu Superior.

Devemos assumir a condição de seres imortais – nossos eus vêm e vão, mas nossa essência não muda. Nas palavras de A Voz do Silêncio: “Tenhas paciência, candidato, como quem não teme fracasso, nem corteja o êxito. Fixa o olhar da tua alma na estrela cujo raio és, a estrela chamejante que brilha nas escuras profundidades do ser permanente, nos ilimitados campos do Desconhecido. Tenhas perseverança, como aquele que tem de resistir eternamente. As tuas sombras vivem e desaparecem; aquilo que em ti viverá para sempre, aquilo que e ti conhece (porque é conhecimento não é de vida transitória: é o homem que foi, que é e será, para quem a hora nunca soará.”

As sombras são os nossos eus passageiros. Na vasta escala das coisas, nossos poucos e curtos anos nesta vida em particular são como o ditado Zen: “A vida é como um cavalo galopante que visualizamos através da rachadura na parede.”

Todos  estamos nessa peregrinação interior e devemos encontrar o caminho ao longo de estradas muitas vezes enevoadas, que às vezes nos leva por terrenos belos, às vezes agrestes Encontramos amigos e instrutores; temos aventuras e perigosas provações, mas nossa determinação nos impulsiona para diante e o sol ilumina nosso caminho. Mesmo que ele desapareça por trás das nuvens de nossa própria criação, sabemos que ainda está lá e retornará no tempo devido.

Na escuridão a lua pede emprestada a luz do sol e nos dá conforto, até que o amanhecer lança seu feitiço sobre o mundo e nossa esperança se fortalece. Então chega o momento em que ouvimos o ímpeto do rio da vida e alcançamos a ponte que devemos atravessar. Sentiremos a emoção de saber que esta é a consumação dos nossos  esforços ao longo de muitas vidas, e que logo sonhos e pesadelo passarão; enfrentaremos uma grande escolha que por fim terminará na nossa libertação e na elevação de toda a humanidade. Luz no Caminho nos diz: “Porque em ti está a luz do mundo, a única luz que pode ser projetada sobre o caminho. Se és incapaz de percebê-la dentro de ti, é inútil que a procures em outra parte. Está fora do teu alcance, porque, quando chegares a ela, já não te encontrarás a ti mesmo. É inatingível, porque retrocede sempre. Estarás no seio da luz, mas nunca tocarás a Chama.”

Devemos alcançar a meta apenas para descobrir que o que pensamos ser o fim é só um início; até onde sabemos, não existe fim na busca. A luz do sol ilumina o caminho – o sol físico e o sol interior – até o infinito.

No caminho ajudamos uns aos outros; entendemos as limitações humanas e desejamos perdoar “não sete vezes, mas setenta e sete”, o mais gentilmente possível para com quem erra. Aprendemos que a jornada não é solitária, mas feita com nossos companheiros peregrinos, e que temos o bem da humanidade em nossa mente à medida que seguimos. E, de um  certo modo, o progresso é uma ilusão, porque já estamos lá – precisamos apenas afastar as nuvens que nos impedem de ver o sol sempre brilhante do nosso ser interior.

Todas as vidas podem ser uma aventura em busca do Santo Graal– as lutas, os desapontamentos e as alegrias são grãos para o moinho. Se  desenvolvemos a correta atitude, todas as experiências ajudam no caminho. Quando olhamos para o mundo devemos imaginar que estamos numa montanha olhando para baixo, para tudo que se passa – a mente inferior cria divisões entre países, religiões, partidos, famílias, mas internamente somos todos  o mesmo. Essas diferenças são apenas “a cruel  heresia da separatividade  que nos afasta dos demais”, como diz A Voz do Silêncio.

Permitimos que a ilusão nos separe; construímos muralhas em vez de pontes e olhamos os outros através dos nossos próprios equívocos; não fazemos concessões  à limitada natureza humana; esquecemos de tirar a venda dos nossos olhos antes de criticar os olhos do outro. “Que aquele sem pecado atire a primeira pedra.”

Se queremos que as pessoas amem umas às outras, devemos mostrar o caminho da melhor maneira possível. Assim, terminarei com uma citação de “O Novo Ciclo”, de Blavatsky: “Ninguém está tão  ocupado ou é tão pobre que não possa cria um nobre ideal e segui-lo. Por que então hesitar em limpar a senda rumo a este ideal, através de todos os obstáculos, de cada pequeno impedimento da vida social, para marchar diretamente em frente até a meta a ser alcançada? Aqueles  que fizesse este esforço logo descobririam que a ‘porta estreita’ e a ‘senda espinhosa’ levam aos amplos vales de horizonte ilimitado, àquele estado onde não mais existe morte, porque a pessoa se sente voltando a ser um deus! É verdade que as primeiras condições exigidas são absoluto desapego, ilimitada devoção ao bem-estar dos outros e completa indiferença ao mundo e suas opiniões. Para dar o primeiro passo nessa senda, o motivo deve ser absolutamente puro; nenhum pensamento deve afastar os olhos do objetivo, nenhuma dúvida deve agrilhoar os pés. Existem homens e mulheres qualificados para isto, cujo único objetivo é residir sob a égide de sua natureza divina. Que eles tenham coragem para viver a vida sem ocultá-la aos olhos dos outros! A opinião de ninguém deve ser considerada superior à voz de sua própria consciência. Que essa consciência, portanto, desenvolvida ao seu mais elevado grau, nos guie em todos os atos comuns da vida. Quanto à conduta de nossa vida interna, concentremos toda a atenção no ideal que estabelecemos, e olhemos para além, sem prestar atenção à lama sob nossos pés.”

“Na escuridão a lua pede emprestada a luz do  sol e nos dá conforto, até que o amanhecer lança seu feitiço sobre o mundo e nossa esperança se fortalece. Então ouvimos o ímpeto  do rio da vida e alcançamos a ponte que devemos atravessar.”

Fonte: Revista Sophia -ano 19-nº 89

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O QUE PENSAMOS SER O FIM É SÓ UM INÍCIO

PARADA MILITAR NA RÚSSIA COMEMOROU O DIA DA VITÓRIA QUE FOI O FIM DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E DO NAZISMO

Rússia comemora Dia da Vitória com tradicional parada militar

Para 69% dos russos, este é o principal feriado do ano; data celebra fim da Segunda Guerra Mundial e vitória sobre o nazismo

INTERNACIONAL

 Do R7, com AFP

Militares marcham ao longo da Praça Vermelha durante o desfile militar do Dia da Vitória em Moscou

DIMITAR DILKOFF / AFP – 09.05.2021

A Rússia comemorou neste domingo (9) o Dia da Vitória, data do fim da Segunda Guerra Mundial e da vitória sobre o nazismo. A festa foi celebrada com uma tradicional parada militar.

No ano passado, a festa foi realizada com 46 dias de atraso, em 24 de junho, devido à pandemia. Neste ano, o evento é realizado “com todas as medidas necessárias para conter o avanço da pandemia”, segundo a agência russa Sputinik News.

Participam neste ano mais de 190 unidades de equipamento bélico e 76 aeronaves militares, ainda de acordo com a agência.

Os eventos de 9 de maio em toda a Rússia, com paradas militares nas principais cidades, representam um momento de comunhão patriótica dedicado aos quase 20 milhões de soviéticos mortos durante o conflito mundial, segundo informações da AFP.

De acordo com o instituto de pesquisas Vtsiom, para 69% dos russos, este é o principal feriado do ano.

“Para mim e minha família, é um feriado que celebra uma vitória do povo russo. Estamos orgulhosos, lembramos e honramos nossos entes queridos e nossos bravos soldados”, declarou à AFP Yulia Goulevskikh, contadora que compareceu ao desfile militar com sua filha em Vladivostok, cidade no Extremo Oriente.

Somente após a queda da União Soviética, o grande desfile militar de 9 de maio na Praça Vermelha tornou-se um evento anual.

Em mais de 20 anos no poder, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, colocou essa data no centro de sua política, exaltando o sacrifício dos soviéticos e regularmente acusando seus adversários ocidentais de “revisionismo” histórico antirusso por tentar minimizar o papel da União Soviética na derrota de Adolf Hitler.

Continuar lendo PARADA MILITAR NA RÚSSIA COMEMOROU O DIA DA VITÓRIA QUE FOI O FIM DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E DO NAZISMO

BORIS JOHNSON DEFENDE FIM DAS MEDIDAS DE RESTRIÇÕES CONTRA CORONAVIRUS NO REINO UNIDO

Premiê do Reino Unido defende fim das medidas de restrição

Dados no país estão otimistas, mas premiê não sabe como aumento de casos na União Europeia atingiria Reino Unido

INTERNACIONAL

 Do R7

Boris Johnson defende fim de medidas de restrição

HANNAH MCKAY/REUTERS – 23.3.2021

O premiê do Reino Unido, Boris Johnson, defende o fim das medidas de restrição contra o coronavírus no país. Segundo ele, não há nada nos dados apresentados sobre a situação da pandemia no país que o impeçam de decretar o fim das medidas.

“Em alguns dias, eu finalmente poderei ir ao barbeiro. Mas, mais importante que isso, eu serei capaz de descer a rua e, com cuidado, mas irreversivelmente, eu vou poder tomar um copo de cerveja em um pub”, disse, segundo o jornal britânico The Guardian.

“E, do jeito que as coisas estão, eu não vejo absolutamente nada nos dados que me desencorajem de seguir com os nossos planos para a liberdade, destravar a nossa economia e voltar à vida que nós amamos”, concluiu.

Apesar do controle dos casos no Reino Unido, a Europa está vendo um novo aumento no número de infecções e o premiê não sabe como isso afetaria o país. Agora que o Reino Unido deixou de fazer parte da União Europeia, a entrada de cidadãos europeus em território britânico não é mais livre e, com a presença da variante britânica, diversos países do bloco restringiram as viagens para a ilha.

“A questão é: será que dessa vez vai ser tão ruim quanto no passado? Ou nós conseguimos abafar o impacto com o surgimento da vacina? Essa é uma pergunta que ainda não sabemos como responder”, refletiu o premiê.

Fonte: R7
Continuar lendo BORIS JOHNSON DEFENDE FIM DAS MEDIDAS DE RESTRIÇÕES CONTRA CORONAVIRUS NO REINO UNIDO

PINIÃO: A ERA MAIA CHEGA AO FIM

O fim de uma era…

Rodrigo MaiaRodrigo Maia

Na semana que passou o Supremo Tribunal Federal (STF) acabou com a possibilidade de reeleição dos presidentes do Senado e da Câmara, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, que pretendiam continuar no comando das duas Casas.

Confirmando o que já era esperado, os ministros do Supremo, por maioria, resolveram dar fim a uma era que durou quatro anos, cujo início foi a renúncia do ex-deputado federal, Eduardo Cunha, em julho de 2016.

A Corte, por maioria, seguiu o disposto no artigo 57, § 4º, da Constituição Federal, que veda a recondução, na mesma legislatura, para os mesmos cargos. Por outro lado, o Regimento Interno do Senado, norma típica secundária, determina a proibição de reeleição para o período imediatamente subsequente. A recondução para membro da mesa só pode ser para outro cargo, diverso do que o parlamentar ocupava antes.

Para completar, o STF entendeu que a norma do parágrafo quarto do art. 57 da CF/88 não é de reprodução obrigatória pelas constituições estaduais, pois não se constitui num principio constitucional estabelecido (STF, RTJ, 163,52).

Para Alcolumbre, o prejuízo não é tanto, já que ele está na presidência apenas por um mandato. Para Rodrigo Maia, o prejuízo é enorme, pois ele está à frente da Câmara há três mandatos, desde junho de 2016, tendo comandado importantes medidas legislativas nestes últimos tempos, a exemplo da emenda constitucional do teto de gastos e as reformas trabalhista e previdenciária, entre outras.

Sob forte pressão desde quando o STF barrou a tentativa de reeleição, Maia iniciou um movimento para emplacar uma pessoa de sua confiança no comando da Casa. Como demorou muito, o deputado Artur Lira (PP-AL) saiu na frente, inclusive com o apoio do presidente Bolsonaro. Os outros possíveis candidatos são os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), relator da reforma tributária, e o presidente do MDB, Baleia Rossi (SP).

Maia ainda tentou outros pretendentes, como o vice-presidente da Câmara, deputado Marcos Pereira e o seu amigo de longas datas, deputado Elmar Nascimento (DEM/BA), mas, pelo visto, a demora fez muita gente debandar para o bloco de Lira.

Não restam dúvidas de que as maiores dificuldades enfrentadas por Jair Bolsonaro no Congresso foram sua insistência em desprezar a politica já consagrada entre nós e a atitude independente de Rodrigo Maia, que segurou o quanto pôde inúmeras pautas vindas do Executivo.

Quando Bolsonaro resolveu ouvir os seus conselheiros políticos sobre a necessidade de criar vasos comunicantes com o Congresso, a coisa mudou. Agora ele possui uma base parlamentar suficiente para eleger o presidente da Câmara. E o nome certo pode ser Artur Lira.

Rodrigo Maia saiu fragilizado. Considerando que uma nova correlação de forças está prestes a emergir dessa eleição para a presidência da Câmara e do Senado, vai ser difícil derrotar qualquer nome proposto por Bolsonaro. Força ele tem para ganhar, pois têm cargos, ministérios e influência para atrair votos para o seu candidato.

Com a nomeação do seu indicado para o STF, Nunes Marques, o presidente mandou dizer a Rodrigo Maia que, a partir de agora, quem manda é ele, e que entrará em 2021 com um Congresso a seu favor, pronto para apoiá-lo nas reformas econômicas e nas demais. A Maia, só resta tentar se reeleger deputado, o que não está tão fácil, pelo menos no momento.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo PINIÃO: A ERA MAIA CHEGA AO FIM

ARGENTINA, O SEGUNDO PAÍS MAIS AFETADO DA AMÉRICA LATINA DECRETA O FIM DA QUARENTENA

 

Após 8 meses, Argentina decreta fim da quarentena

País é o segundo mais afetado pela covid-19 na América Latina, atrás apenas do Brasil. Apenas duas cidades continuarão confinadas até dezembro

INTERNACIONAL

Do R7

Argentina decreta fim da quarentena Argentina decreta fim da quarentena
Uma das quarentenas mais longas do mundo, a Argentina anunciou que, depois de oito meses, o confinamento será encerrado. Apesar do fim do isolamento, o presidente Alberto Fernández pediu que a população continue se cuidando e respeitando as medidas de proteção contra o novo coronavírus. O país havia decretado quarentena no dia 20 de março.Apenas as cidades de Bariloche e Puerto Deseado, na Patagônia, seguirão confinadas até o dia 20 de dezembro. A capital, Buenos Aires, começou o processo de saída do confinamento no começo de novembro.A Argentina, que tem mais de 1 milhão de casos de covid-19 e é o segundo país da América Latina mais afetado pela pandemia, atrás apenas do Brasil, é o quarto em número de casos por milhão de habitantes. Apesar da alta taxa de transmissão, autoridades afirmaram que os casos caíram 30% na última semana.

A decisão pelo fim do confinamento também está ligada a queda na popularidade de Fernández, que foi eleito em 2019.

Nesta semana também, o país desrepeitou as medidas de proteção durante o velório de Diego Maradona, craque e ídolo do futebol argentino morto na quarta-feira (25). Mais de um milhão de pessoas compareceram à cerimônia, que não teve distanciamento social ou uso de máscaras.

 

Continuar lendo ARGENTINA, O SEGUNDO PAÍS MAIS AFETADO DA AMÉRICA LATINA DECRETA O FIM DA QUARENTENA

OPINIÃO: ACABOU A ERA DO CATASTROFISMO

CoronaWitzel: O fim da era do “catastrofismo”

LER NA ÁREA DO ASSINANTE

Wilson Witzel

“Coincidentemente” desde que Wilson Witzel foi afastado, o Rio de Janeiro vem experimentando constantes quedas nos casos de COVID e de mortes. Acabou a era do “catastrofismo”. As mortes por outras causas e que inexplicavelmente estavam temporariamente “suspensas” (pois é… até isso conseguiram!) voltaram a ocorrer. Já se morre de outras coisas por aqui.

Aquelas entrevistas diárias sobre números e cheias de cerimônias também acabaram. Não se vê mais um governador arauto de funerária falando todos os dias a respeito de “suas” medidas.

O Rio tem engarrafamentos diários (como antes), praias lotadas, pessoas transitando normalmente pelas ruas, lojas cheias, frequência em bares e restaurantes… E o número de infectados está caindo dia após dia. Como pode isso? Claro que pode e já era previsível: Acabou o uso político da COVID para comprarem o queriam sem licitação.

Continuar lendo OPINIÃO: ACABOU A ERA DO CATASTROFISMO

REFLEXÃO: O FIM PODE SER APENAS O COMEÇO

Nesta terça-feira a nossa coluna REFLEXÃO nos trás um lindo conto, a história da pequena onda. Uma história que nos ensina que, às vezes, o que achamos ser o fim, pode estar sendo um lindo recomeço. Essa história, contada por Camila Zen vai lhe ajudar a entender em que onda você está!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: O FIM PODE SER APENAS O COMEÇO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar