Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

AUTOCONHECIMENTO: TENHA AUTOCONTROLE, NÃO ENTRE EM DESESPERO, VIVA O MOMENTO PRESENTE, POR WAGNER BRAGA

Esqueça o que ficou para trás e o que ainda vai acontecer. Viva o presente! Esta é a mensagem do vídeo desta sexta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. Neste conteúdo falo um pouco sobre autocontrole, algo extremamente importante, principalmente nesses tempos difíceis que estamos vivendo. Dei algumas dicas do que você pode fazer quando se encontrar numa situação de desespero. Saiba que para todo problema existem no mínimo duas soluções, mas você só consegue enxergar se parar para refletir e se acalmar. Assista ao vídeo, reflita e faça seu juízo de valor!

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: TENHA AUTOCONTROLE, NÃO ENTRE EM DESESPERO, VIVA O MOMENTO PRESENTE, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: O NOSSO MUNDO INTERIOR É MUITO MAIOR DO QUE VOCÊ IMAGINA

Nada melhor para analisar e refletir, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO  do que sobre o nosso mundo interior, já que autoconhecimento nada mais é do que conhecer o nosso mundo interior, sem medo ou restrições, para encontrar o equilíbrio, o poder e a tão sonhada liberdade. Essa é a mensagem que nos trás o breve texto a seguir.

Como está seu mundo interior? – cpdhumano

NOSSO MUNDO INTERIOR PRECISA DE ATENÇÃO.

Kate Spreckley.

29/03/2021.

As energias desta Lua Cheia foram construídas em direção a uma liberação poderosa.

Nesse período, emoções não resolvidas vêm à tona, trazendo uma nova visão para os desafios e dificuldades que enfrentamos.

Quaisquer desequilíbrios dentro de nós estão se tornando mais aparentes, oferecendo-nos a oportunidade de começarmos a retificar o equilíbrio interno.

Antes que possamos equilibrar nosso mundo externo, nosso mundo interno precisa de atenção.

À luz desta Lua Cheia, você pode esperar que ocorram percepções repentinas que revelam onde estão os desequilíbrios e por quê.

Você pode obter uma compreensão mais profunda de como suas emoções não resolvidas e padrões de pensamentos negativos afetam sua visão de si mesmo e de seu mundo.

Lembre-se de que, sem limpar o antigo e deixar ir o passado, você permanece preso e incapaz de seguir em frente. Agir torna-se difícil, pois você questiona e duvida dos passos que deve tomar para manifestar algo novo.

Com muito Amor,

Kate Spreckley

Fonte: Spirity PathwaysWebsite:
https://www.spiritpathways.co.za/

Fonte: Portal Arcoiris

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O NOSSO MUNDO INTERIOR É MUITO MAIOR DO QUE VOCÊ IMAGINA

DICA DE LIVRO: O PODER DA CONSCIÊNCIA DE NEVILLE GODDARD

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é o livro do místico Neville Goddard, O Poder da Consciência. Um excelente livro que irá aumentar o seu nível de consciência sobre a vida e sobre a si mesmo. O poder da Consciência mostra através de argumentos lógicos que os nossos pensamentos formam a nossa realidade. Principalmente, quando focamos a nossa atenção, em nossa imaginação, afim de sermos melhores do que já somos.

“Se você não se imaginar sendo diferente do que você é, então você continuará a ser como você é”.

Este livro vai mudar a sua vida, tenha certeza!

Fonte: imagem da Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O PODER DA CONSCIÊNCIA DE NEVILLE GODDARD

ARTIGOS: VOCÊ É 100% PELA SUA REALIDADE! ASSUMA O COMANDO!

VOCÊ PODE, DEVE E VAI ASSUMIR O COMANDO DA SUA VIDA, ISSO É INDISCUTÍVEL!

O quão você confia em você? O quão você acredita em você?

Você confia realmente no seu potencial, na sua obstinação, na sua determinação, na sua resiliência ou você tem dúvida?

Você já tem noção, já tem consciência que você é 100% responsável pela sua realidade ou você ainda pensa que Deus vai resolver os seus problemas? Ainda está na esperança ou esperando um milagre acontecer para resolver a sua vida?

Se você ainda pensa assim está esperando tudo se resolver através da providência divina, eu tenho uma coisa pra te contar!

Esqueça, esqueça tudo isso! Mude de paradigma e mude suas crenças limitantes!

Dê um salto quântico e transforme completamente a sua vida, a sua realidade.

Vou te dizer como:

  • Comece trocando algumas palavras do seu vocabulário porque as palavras têm muita, muita força e são elas que determinam a sua realidade. Troque a palavra Esperança pela palavra CONFIANÇA e todas as palavras negativas como, por exemplo: ‘não consigo’, ‘não posso’, por palavras e expressões positivas, tais como: ‘Eu faço’, ‘eu realizo’, ‘eu executo’, ‘eu sou capaz’, ‘eu sou, eu posso’, ‘para mim, nada é impossível’. Pare de esperar pelos outros, pela ação divina, pelo milagre e tome uma atitude. Acredite em você, na sua capacidade, na sua inteligência, no seu poder de transformar as coisas, de transformar a sua vida completamente. Você tem o poder. Ele lhe foi dado quando você foi concebido e ninguém, ninguém mesmo pode tirar isso de você. Ele é só seu e é único. Então confie, confie em você e vá em frente. Sonhe, planeje, execute e celebre!
  • Não faça o bem, simplesmente seja bom. Seja grato e pratique a Gratidão diariamente em qualquer lugar e a qualquer momento. Não agradeça apenas pelo que fizerem por você, mas inclusive, pelo que você fizer pelos outros. Pense na oportunidade e na honra de poder, por exemplo, doar um órgão pra salvar uma vida! Então, nunca perca a oportunidade de ser grato por poder ajudar alguém.
  • Nunca desobedeça as leis universais! Não estou falando dos 10 mandamentos da Bíblia, mas das Leis que regem o universo inteiro. Essa desobediência é a causa de todo o atraso evolutivo da humanidade. Quando você acha que vale mais ou tem mais direitos do que o seu próximo, está violando essas leis e a principal delas a Lei de Causa e Efeito. O universo não diferencia ninguém, nenhum animal ou objeto. Existe um equilíbrio que não pode ser desfeito. Tudo que fazemos contra os outros se volta para nós da mesma. Assim como quando fazemos a favor. Portanto, o positivo atrai o positivo e o negativo atrai o negativo. Quem ousa ir contra essa máxima paga muito caro por isso. Não é uma questão de castigo ou carma, mas de uma lei inquebrantável que vale para todos indistintamente. Por isso, na dúvida, seja positivo(a), honesto(a), bom caráter(a), verdadeiro(a), sincero(a) e humilde e só atrairá coisas boas, não sentirá dor, nem sofrerá mais.

Finalmente, tudo na vida é crença! A sua realidade é construída sobre as suas crenças, crenças limitantes que você, eu e todo mundo trás consigo, do inconsciente coletivo, mas são crenças limitantes que precisam ser deixadas para trás ou atualizadas e aprimoradas, pois estamos numa caminhada de aprendizado evolutiva e precisamos aprender com os erros. Então, na dúvida você não tem nada a perder se acreditar que pode, que deve e vai assumir toda a responsabilidade pela sua realidade!

 

Continuar lendo ARTIGOS: VOCÊ É 100% PELA SUA REALIDADE! ASSUMA O COMANDO!

AUTOCONHECIMENTO: A VERDADE ESTÁ CHEGANDO, POR CARLOS TORRES

Segunda-feira é início de semana, dia de renovação e por isso mesmo trazemos AUTOCONHECIMENTO para lhe ajudar a crescer e evoluir. Hoje temos o escritor e mensageiro Carlos Torres que trás uma mensagem super esclarecedora sob o título: ” A verdade está chegando”. Portanto, lhe convido a ouvir essa mensagem que, sem dúvida alguma, vai expandir a sua consciência e lhe ajudar a ser uma pessoa melhor!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A VERDADE ESTÁ CHEGANDO, POR CARLOS TORRES

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SERMÃO DA MONTANHA, POR HUBERTO ROHDEN

É com muito prazer e satisfação que publico, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL o texto a seguir: “Sermão da Montanha”, do renomado e grande sábio Huberto Rohden, que pode ser considerado a obra prima de toda a literatura espiritual já escrita até hoje, já que o não menos sábio MahatmaGandhi expressou: “Se toda a literatura espiritual da humanidade perecesse, e só se salvasse o Sermão da Montanha, nada estaria perdido”. Então, convido você para conhecer através de um olhar diferente o maior ensinamento que Jesus nos deixou.

Sermão da Montanha

“Se toda a literatura espiritual da Humanidade perecesse, e só se salvasse o Sermão da Montanha, nada estaria perdido”. (Mahatma Gandhi)
 Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus!
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados!
Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra!
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados!
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia!
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!
Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!
Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus!
Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de Mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós.
(Mateus, 5:3-12)

O SERMÃO DA MONTANHA

por Huberto Rohden

Parte1

“Bem-Aventurados os Pobres Pelo Espírito!”
“Poucas palavras do Evangelho sofreram, através dos séculos, tão grande adulteração e ludíbrio tamanho como estas. Escritores e oradores de fama mundial, e até ministros do Evangelho, aderem à blasfêmia de que o Nazareno tenha proclamado bem-aventurados e cidadãos do reino dos céus os “pobres de espírito”, isto é, os apoucados de inteligência, os idiotas e imbecis, os mentalmente medíocres.
“Se assim fosse, o próprio Nazareno, riquíssimo de espírito, não faria parte dos bem-aventurados e possuidores do reino dos céus.
“Jesus proclama bem-aventurados, todos aqueles que são pobres, ou desapegados, dos bens terrenos…
“O verdadeiro abandono decorre da libertação interna. A questão é possuir sem ser possuido, pois todo possuído é escravo.
“…Ser rico ou ser pobre são coisas que nos acontecem, de fora — mas a arte de saber ser rico ou de ser pobre, é algo que nós produzimos, de dentro. O que nos faz bons ou maus não é aquilo que nos acontece, mas sim o que nós mesmos fazemos e somos.
“Ser rico não é pecado — ser pobre não é virtude. Virtude ou pecado é saber ou não saber ser rico ou pobre.
“…Bem-aventurados os pobres pelo espírito, os que, pela força do espírito, se emanciparam da escravidão da matéria. Deles é o reino dos céus, que está dentro do homem e esse leva consigo o reino da sua felicidade aonde quer que vá…”

Parte 2

“Bem-Aventurados os Puros de Coração”
“Puro de coração é aquele que se libertou, não só dos objetos externos, mas, também, do sujeito interno, isto é, daquilo que ele idolatrava como sendo o seu sujeito, o seu eu, embora fosse apenas o seu pseudo-eu, o seu pequeno ego físico-mental.
“De maneira que ser puro de coração é ainda mais glorioso do que ser pobre pelo espírito; ser interiormente livre da obsessão do ego vivo é mais do que ser livre da escravidão da matéria morta.
“…Enquanto o pequeno eu não tiver em si suficiente segurança interna, necessita de buscar seguranças em fatores externos; mas a segurança interna torna supérflua as seguranças externas; o pequeno eu fez tantos ‘seguros de vida’ porque não possui segurança. Age sob o impulso da lei da compensação.
“…Ninguém pode ver claramente o Deus transcendente do universo de fora antes de ver nitidamente o Deus imanente do universo de dentro.
“Nas letras sacras — como também nos escritos de Mahatma Gandhi — “impureza” quer dizer egoísmo, e “pureza” significa o oposto, que é o amor universal a solidariedade cósmica.
“Enquanto o homem não ultrapassar as estreitas barreiras do seu ego personal, está com os olhos vendados, separados de Deus por uma camada impermeável à luz, que é a impureza do coração. Por mais que um ególatra ouça falar em Deus, nada compreende, porque com­preender supõe ser. Ninguém pode compreender senão aquilo que ele vive ou é no seu íntimo ser. Entender é um ato mental, mas compreender é uma atitude vital; entender mentalmente é uma função parcial, unilateral do nosso ego humano — compreender é uma vivência total, unilateral, do nosso Eu divino. Quem não é divino não pode saber o que é Deus. O egoísta é antidivino, e por isso não pode compreender o que é divino, não pode ver a Deus, antes de adquirir “pureza de coração”.
“Ver a Deus” “ver o reino de Deus”, são ex­pressões típicas que Jesus usa para designar a experiência direta da Realidade eterna, o contato íntimo com ela. Outros crêem em Deus — mas só o puro de coração vê a Deus. O simples crer, embora necessário como estágio preliminar, não é suficiente para a definitiva redenção do homem, que consiste na vidência ou visão de Deus.”
*
“Se é difícil a “pobreza pelo espírito”, muito mais difícil é a “pureza do coração”. O desapego dos bens externos é o abandono de algo que não fez, nem jamais poderá fazer parte integrante do homem algo que nunca foi nem pode ser realmente “seu” – ao passo que o ego personal faz parte integrante do homem, é “seu”, embora não seja ele mesmo; e por isso a renúncia à sua personalidade físico-mental em prol da sua individualidade espiritual é, incom­paravelmente, mais difícil do que a renúncia à cobiça dos bens externos. Parece ser uma morte para o homem que ainda não descobriu o seu eterno Eu. Mas essa morte é indispensável para a ressurreição. A coragem de arriscar ou não arriscar esse salto mortal do ego humano para o Eu divino é que divide a humanidade em dois campos: em profanos e iniciados, nos de fora e nos de dentro, em cegos e videntes, em inexperientes e experientes, em insipi­entes e em sapientes. É necessário que o homem sofra tudo isso para, assim, entrar em sua glória…”
“O despertar dessa nova vidência, que existe, dormente, em cada um de nós, requer exercício in­tenso, assíduo e prolongado, porque o homem tem de superar barreiras já estabilizadas há séculos e milênios…
“Esse exercício diário é vital consiste, principal­mente, em uma permanente atitude interna de querer servir, servir espontânea e gratuitamente a todos. Esse clima de querer servir, espontânea e gratuitamente, remove os obstáculos que existem entre nós e o Todo (Deus), porque diminui gradualmente o egoís­mo unilateral e exclusivista e aumenta a solidariedade inclusivista, que uns chamam altruísmo, outros amor, outros ainda benevolência universal. Com essas práticas diárias, a muralha opaca que se ergue entre nós e Deus se torna cada vez mais transparente, permitindo-nos a visão da grande Luz.”

Parte 3

“Bem-Aventurados os Mansos…”
“O homem que encontrou o seu Eu divino é necessariamente manso.
“Todos os seres que não atingiram a consciência espiritual recorrem à violência para conseguirem os seus fins. Os irracionais só conhecem violência ma­terial. O homem, depois de intelectualizado, desco­briu outro tipo de violência muito mais eficiente, que é a violência mental… são certos argumentos analíticos de que a inteligência se serve para conseguir os seus fins próprios da personalidade do ego.
“Quando o homem descobre em si as potências di­vinas, desiste definitivamente de toda e qualquer espécie de violência física e mental. Não mais confia em máquinas e aparelhos materiais manobrados pela força do intelecto, nem recorre às energias do mundo astral para conseguir efeitos de magia mental a atuarem sobre o mundo visível.
“O homem auto-realizado descobriu a essência de si mesmo e de todas as coisas, essência essa que é imaterial, e por isso não mais o interessam as aparências periféricas, que os profanos consideram realidades.
“Por isto, não há para o homem manso de coração motivo algum para recorrer à fraqueza da violência brutal, quando ele possui a força da suavidade e benevolência espiritual.”
*
“O que, à primeira vista, causa estranheza nessa bem-aventurança é a promessa de que os mansos possuirão (ou herdarão) a “terra”… A humanidade imperfeita que agora habita esta terra com suas vibrações baixas e pesadas terá de passar por muitos estágios de evolu­ção, em outros mundos, outros planetas ou nos espaços intersiderais, e, após longos milênios de experiências e sofrimentos, voltará ela, purificada e com outras vibrações, a habitar esta terra, transforma­da em um habitáculo de seres puros. Esses homens puros serão “mansos”, isto é, não violentos; nada farão por meio de força bruta, tudo farão com força espiritual. O espírito da força será substituído pela força do espírito
“Violenta non durante*, diziam os antigos pensadores romanos; as coisas violentas não duram — as coisas suaves têm duração garantida, embora a sua atuação inicial seja, quase sempre, lenta e quase imperceptível. Uma bomba atômica destrói uma cidade inteira em poucos segundos, ao passo que uma semente viva leva séculos inteiros para construir uma árvore no seio da floresta. Aqui, a força suave da vida — acolá a força brutal da morte.
“Amar incondicionalmente, é o caminho mais curto e rápido às alturas da compreensão integral e universal.”

Parte4

“Bem-Aventurados os Misericordiosos”
“Misericordioso é aquele que tem coração para os míseros; aquele que com­preende e ama os fracos, os ignorantes, os doentes, todos os necessitados de corpo, mente e alma, e procura aliviar-lhes os sofrimentos.
“O homem meramente profano é ruidosamente , o homem místico é silenciosamente solitário. Mas o homem plenamente crístico é dinamicamente solidário.
“Essa solidariedade dinâmica do homem cristi­ficado não exclui, mas inclui a solidão espiritual do místico. O homem crístico é, por dentro, unicamente de Deus, e, por fora, de todas as creaturas de Deus.
“Quanto mais o homem dá, na horizontal, tanto mais recebe, na vertical. Existe uma lei cósmica que produz infalívelmente o enriquecimento do homem que em si mantém, permanentemente, uma atitude doadora, que está sempre disposto a dar do que tem e a dar o que é, isto é, ajudar a seus semelhantes com os objetos que possui e com o amor do próprio sujeito que ele é. Não basta “fazer o bem” (dar objetos) — é necessário também “ser bom” (dar o sujeito).
“Pode alguém fazer o bem sem ser bom, porque esse ‘bem” é apenas um objeto — mas ninguém pode ser bom sem fazer o bem, porque esse “ser bom” é o próprio sujeito, que, como o próprio vocábulo diz, “subjaz” (jaz por debaixo) como causa a todos os efeitos, que “objazem” (jazem defronte ou de fora). Não são os efeitos que produzem a causa, mas é a causa que produz os efeitos; não são os objetos, o “fazer bem”, que produzem o sujeito, o “ser bom”, mas sim vice-versa, o “ser bom” produz o “fazer bem”.
“Por isso, os misericordiosos que Jesus proclama bem-aventurados não são apenas pessoas eticamente boas, fazedoras do bem — mas são pessoas misticamente perfeitas, experientes de Deus, e, por isto, essencialmente boas.
“Esses homens essencialmente perfeitos pelo imediato contato com Deus são, também, existencialmente bons pela solidariedade com todas as creaturas de Deus. Quem viveu misticamente o Deus do mundo, vive eticamente com todo o mundo de Deus, porquanto a profunda vertical da mística produz necessariamente a vasta horizontal da ética — é esta a grandiosa matemática cósmica da Verdade Libertadora.
“Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará.” Esses misericordiosos receberão misericórdia, não dos homens, mas de Deus. A misericórdia que eles fazem a seus semelhantes não é causa, mas condição para que recebam misericórdia de Deus, porque ninguém pode merecer causalmente uma dádiva divina; tudo que é espiritual e divino é es­sencialmente gratuito, é de graça, porque é graça; é, todavia, necessário que o homem crie dentro de si o clima propício para que essa dádiva gratuita lhe possa ser concedida; esse clima propício, ou essa receptividade, é que é a condição, que em hipótese alguma é causa.
Quem espera recompensa, pagamento, pelos benefícios que presta à humanidade é egoísta, mercenário, ainda que essa recompensa consista apenas no desejo de reconhecimento ou gratidão da parte de seus beneficiados. Esse desejo não deixa de ser egoísta e mercenário e tolhe ao homem a “gloriosa liberdade dos filhos de Deus”, tornando-o escravo e prisioneiro de uma prisão muito perigosa, porque sumamente sutil e, aparentemente, justificada, como é o desejo de gratidão. O beneficiado, é certo, tem a obrigação de ser grato, mas o benfeitor não tem o direito de esperar gratidão. Com esse desejo, por mais secreto e bem camuflado, ele inutilizaria a sua ação e tolheria a si mesmo a liberdade.
“O homem crístico está liberto de qualquer espírito mercenário; trabalha inteiramente de graça, nem espera resultado algum externo de seus trabalhos. Trabalha por amor à sua grande missão, pois sabe que é embaixador plenipotenciário de Deus aqui na terra e em outros mundos. E é por isso, que ele trabalha com o máximo de perfeição e alegria em tudo, tanto nas coisas grandes como nas coisas peque­nas. Nunca trabalha para ter público que o aplauda. Por isso, não o exaltam louvores, nem o deprimem censuras; é indiferente a vivas e a vaias, a aplausos e a apupos, a benquerenças e malquerenças, porque se libertou definitivamente de todas as escravidões do homem profano, do “homem velho”, e se revestiu da leve e luminosa vestimenta do “homem novo” liberto pela Verdade.
“Esse homem vive permanentemente na atmosfera serena e sorridente da “gloriosa liberdade dos filhos de Deus”, cujo diploma crístico vem resumido nas seguintes palavras: “Quando tiverdes feito tudo o que devíeis fazer, dizei: “Somos servos inúteis, cumprimos apenas a nossa obrigação, nenhuma recompensa merecemos por isto”…
“São estes os misericordiosos que alcançarão misericórdia — esses bem-aventurados…”

Parte 5

“Bem-Aventurados os que Têm Fome e Sede da Justiça”
“Esta bem-aventurança visa, sobretudo, os insatisfeitos, os descontentes consigo mesmos, os que sofrem o tormento do Infinito, a nostalgia do Eterno, os que vivem ou agonizam em uma estranha inquietude metafísica, os que crêem mais no muito que ignoram do que no pouco que sabem.”
“Antes de tudo convém esclarecer o que aqui se entende pela palavra “justiça”. Esta palavra, toda vez que ocorre nas sagradas Escrituras, significa a relação ou atitude justa e reta que o homem assume em face de Deus. Não se refere à justiça no sentido jurídico, do plano horizontal, como é usada na vida social de cada dia. Justiça é, pois, a compreensão intuitiva de Deus (a mística) e o seu natural trans­bordamento na vida cotidiana (a ética).
“Jesus proclama felizes os que têm fome e sede dessa experiência íntima, os que estão insatisfeitos com o pouco ou muito que alcançaram no caminho árduo da sua cristificação. Sabem que estrada imensa lhes resta ainda a percorrer; mas sabem que é glorioso continuarem a andar rumo a seu grande destino. São como aves migratórias que, à aproxima­ção do outono, percebem em si o tropismo de regiões distantes, nunca vistas, onde a luz e o calor, já em declínio na zona do seu habitat, se acham em plena ascensão. Daí o misterioso magnetismo que as atrai para regiões longínquas.
“Para que o homem sinta em si essa espécie de nostalgia metafísica, deve ele ter ultrapassado certas fronteiras de vivência comum; deve sentir certo can­saço — ia quase dizendo pessimismo — da vida terrestre, deve sentir, com maior ou menor intensidade e nitidez, o anseio de algo que nunca viu, mas de cuja existência tem intuitiva certeza. O homem que ainda vive totalmente engolfado nos afazeres da lufa-lufa comum dos profanos, caçadores de matéria morta e carne viva , esse não está maduro para ter fome e sede de um mundo invisível. Antes de sentir essa fome, terá de experimentar o fastio daquilo de que agora tem fome. “Quem bebe desta água (das coisas materiais) torna a ter sede (das mesmas); mas quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede (das coisas materiais)” porque esta água se lhe tornará em uma fonte que jorra para a vida eterna.
“Sendo que as coisas materiais não apagam o desejo; pelo contrário, quanto mais gozadas tanto mais acendem o desejo, porque a posse aumenta o desejo, e o desejo exige novas posses — os profanos têm de intensificar cada vez mais os estímulos para sentirem ainda novos gozos; e, não raro, procuram narcotizar-se com os pequenos finitos de cada dia para não sofrerem a insatisfação de que estas coisas não podem dar definitiva satisfação. Em vez de ultrapassarem a barreira das quantidades e entrarem na zona da qualidade, tentam aumentar as quantidades – assim como quem bebe água salgada para apagar a sede, acendendo-a cada vez mais.”
“O divino Mestre proclama felizes os que sofrem essa fome e sede da experiência de Deus, porque eles serão “saciados”.
“É certo que, um dia, em outros mundos, essa nostalgia será satisfeita, porque a natureza não engana seus filhos, impelindo-os a um alvo fictício. Se existem terras tropicais adivinhadas pelas aves migra­tórias das zonas frias, não pode deixar de existir aquele mundo que os anseios metafísicos dos melhores dentre os filhos dos homens sentem nas profundezas da alma.
“Ainda que o finito em demanda do Infinito tenha sempre diante de si itinerário ilimitado, e jamais chegará a um ponto onde lhe seja vedado progredir ulteriormente — porque não há “luz vermelha” nos caminhos de Deus — é certo que o humano viajor chegará a um ponto em que a sua compreensão e amor de Deus o tornará profundamente feliz.”

Parte 6

“Bem-Aventurados os Pacificadores”
“A palavra latina pacificare, da qual é derivada pacificus, é composta de dois radicais (e o mesmo acontece em grego): pax e facere, isto é, “paz” e “fazer”. Pacificador (em latim: pacificus) é, pois, aquele que faz a paz, é um “fazedor de paz”, um homem que possui em si a força creadora de estabelecer ou restabelecer um estado ou uma atitude permanente de paz no meio de qualquer campo de batalha.
“A tradução “pacíficos”, em vez de “pacificadores”, que se encontra em muitas versões portuguesas, não corresponde ao sentido do original grego eirenopoíí, nem ao latim pac~fici, porque ambos significam um processo ativo e dinâmico, e não apenas um estado passivo de paz.
“Quem é, pois, verdadeiro pacificador?
“Não é, em primeiro lugar, aquele que restabelece a paz entre pessoas ou grupos litigantes, mas sim aquele que estabelece e estabiliza a paz dentro de si mesmo. Aliás, ninguém pode ser verdadeiro pacificador de outros se não for pacificador de si mesmo. Só um autopacificador é que pode ser um alo-pacificador. A pior das discórdias, a mais trágica das guerras é o conflito que o homem traz dentro de si mesmo o conflito entre o ego físico-mental da sua humana personalidade e o Eu espiritual da sua divina individua­lidade. Se não houvesse conflito interior, entre o seu Lúcifer e o seu Lógos, não haveria conflitos exteriores na família, na sociedade, nas nações, entre povos. Todos os conflitos externos são filhos de algum conflito interno não devidamente pacificado. Por isso, é absurdo querer abolir as guerras ou revoluções de fora, as discórdias domésticas no lar ou no campo de batalha, enquanto o homem não abolir primeiro o conflito dentro da sua própria pessoa.
“O grande tratado de paz tem de ser assinado no foro interno do Eu individual antes de poder ser ratificado no foro externo das relações sociais. Nunca haverá Nações Unidas, nunca haverá sociedade ou família unida enquanto não houver indivíduo unido. Pode, quando muito, haver um precário armistício (que quer dizer “repouso de armas”), mas não uma paz sólida e duradoura enquanto o indivíduo estiver em guerra consigo mesmo. Que é um armistício se não uma trégua, maior ou menor, entre duas guerras? Paz social, segura e estável, supõe paz individual, firme e sólida.”
“Quando o homem é mau e desabrido com os outros é porque não tem paz interior e sente a necessidade de descarregar o exces­so da sua infelicidade — “nervosismo”, na linguagem eufemística de cada dia — em alguém ou em alguma coisa, e os objetos mais próximos servem de para-raios para essa tensão do homem infeliz. Propriamen­te, deveria esse homem ser áspero consigo mesmo, o principal culpado; mas, como o egoísmo não lhe permite semelhante sinceridade, são os inocentes ou os menos culpados não raro, até coisas e animais domésticos alvo dessa irritação do homem intimamente desarmonizado consigo mesmo.
“Quando o homem tolera a si mesmo, graças a uma profunda paz de consciência, todas as coisas e pessoas do mundo são toleráveis; mas, quando o homem, de consciência insatisfeita, não se tolera a si mesmo, nada lhe é tolerável.
“O remédio não está em mudar os objetos, mas em corrigir o sujeito. Isto, porém, supõe uma sinceridade muito difícil e rara.”
“A paz é, pois, um atributo do ser, é algo qualitativo, algo que tem afinidade com o EU SOU do homem. O homem que tem plena consciência do seu divino EU SOU não tem motivo para brigar ou declarar guerra a alguém por causa dos teres, que desunem os homens profanos. Mesmo que os outros o tratem com injustiça por causa dos teres, o homem espiritual sabe que todo esse mundo quantitativo do ter é pura ilusão: ninguém pode ter algo que ele não é, só o nosso ser é realmente nosso.
“Por isso, o homem que chegou ao conhecimento de si mesmo é invulnerável; ninguém pode prejudicá­-lo, ninguém pode ofendê-lo, ninguém pode empobre­cê-lo, ninguém lhe pode infligir perda de espécie alguma, uma vez que ninguém pode obrigá-lo a perder o que ele é, e aquilo que ele tem não o enriquece nem a sua perda o empobrece.
“A paz nasce, portanto, de uma profunda sabedoria, do conhecimento da verdade sobre si mesmo. Quem conhece essa verdade é livre de todo o ódio, tristeza, rancor, senso de perda e frustração.”
“Uma pessoa profundamente harmonizada em si mesma irradia harmonia ao redor de si e satura dessa imponderável e benéfica radiação, todas as coisas.
“As suas auras benéficas envolvem tudo em um halo de serenidade e bem-estar, de fascinante leveza e luminosidade, que atuam, imperceptível, porém, seguramente, sobre outras pessoas receptivas.
“O homem que estabeleceu a paz de Deus em sua alma é um poderoso fator para restabelecer a paz em outros indivíduos, e, através destes, na sociedade. Não é necessário que fale muito em paz, que aduza eruditos argumentos propace — basta que ele mesmo seja uma fonte abundante e um veemente foco de paz.
“O filósofo místico norte-americano Émerson disse, certa vez, a um homem que falava muito em paz, mas não possuía paz dentro de si: “Não posso ouvir o que dizes, porque aquilo que és troveja muito alto.”
“Quem não é pacificado dentro de si mesmo, não pode ser pacificador fora de si.”

Parte 7

“Bem-Aventurados os Tristes”
“… pode haver uma tristeza-­atitude e uma alegria-atitude — como também pode haver uma tristeza-ato e uma alegria-ato. Pode alguém ser triste e estar alegre — como também pode ser alegre e estar triste, o que é decisivo é a atitude interna, permanente, negativa ou positiva. E essa atitude radica, em última análise, em um profundo substrato metafísico, a VERDADE, ou então o seu contrário. Quem tem a consciência reta e sincera de estar na Verdade é profundamente alegre, calmo, feliz, embora externamente lhe aconteçam coisas que o entristeçam — e quem , no íntimo da sua consciência, sabe que não está na Verdade é pro­fundamente triste, ainda que externamente se distraia com toda a espécie de alegrias.
“Quanto mais triste o homem é internamente, pela ausência de harmonia espiritual, tanto mais necessita ele de alegrias externas, geralmente ruidosas e violentas. Esse homem não tolera a solidão, que lhe traz consciência mais nítida da sua vacuidade ou desarmonia interior; por isso, evita quanto possível estar a sós consigo; procura companhia por toda a parte, e, quando não a pode ter em forma de pessoas, canaliza para dentro da sua insuportável solidão parte dos ruídos da rua, por meio do jornal, do rádio, da televisão. Alguns vão mais longe e recorrem a entorpecentes — maconha, cocaína, morfina, etc., para camuflarem, por algum tempo, a sensação da sua triste solidão.
“Quem teme a concentração necessita de toda a espécie de distrações para poder suportar a si mesmo. E, como essas distrações e prazeres, pouco a pouco, calejam a sensibilidade, necessita esse ho­mem de intensificar progressivamente os seus estimulantes artificiais para que ainda produzam efeito sobre seus nervos cada vez mais embotados. Por fim, nem já os mais violentos estimulantes lhe causam mossa e então esse homem chega, não raro, a tal grau de tristeza, no meio de suas “alegrias” que põe termo à sua tragédia por meio do suicídio. Outros acabam no manicômio. É que nenhum homem pode viver sem uma certa dose de alegria.
“Enquanto o homem não descobrir a bela tristeza da vida espiritual, tem de iludir a sua fome e sede de felicidade com essas horrorosas alegrias da vida material. Essas alegrias externas, porém, têm sobre ele o efeito da água do mar, que tanto maior sede dá quanto mais dela se bebe.”
“O homem cuja felicidade nasceu da verdade é calmo e sereno em todas as vicissitudes da vida, porque sabe que não precisaria mudar de direção fundamental se a morte o surpreendesse nesse instante. Perguntaram ao jovem estudante João Berchmans, que estava jogando bola, o que faria se soubesse que, daí a cinco minutos, tivesse de morrer; respondeu calmamente: “Continuaria a jogar.” Assim só pode falar quem tem plena certeza de que está no caminho certo, em linha reta ao seu destino, embora distante da meta final.
“Ora, esse caminho não pode deixar de ser es­treito e árduo, uma espécie de tristeza, como é toda a disciplina; mas no fundo dessa tristeza externa dormita uma grande alegria interior. É, todavia, uma alegria anônima, silenciosa, imponderável, como costumam ser os grandes abismos e as grandes alturas. Aos olhos dos profanos, leva o homem espiritual uma vida tristonha e descolorida; o seu ambiente parece monótono e cor de cinza como um vasto deserto. E talvez não seja possível dar ao profano uma idéia da profunda alegria e felicidade que o homem espiritual goza, porque esta felicidade jaz numa outra dimensão totalmente igno­rada pelo profano. O homem habituado a certo grau de espiritualidade tem uma imensa vantagem sobre o homem não-espiritual; não necessita de estímulos violentos para sentir alegria, porque a sua alegria não vem de fora, e sim de dentro. Basta-lhe uma florzinha à beira da estrada; basta o sorriso de uma criança caminho à escola; basta o tanger de um sino ao longe; basta o cintilar de uma estrela através da escuridão — tudo enche de alegria, suave e pura, a alma desse homem, porque ela está afinada pelas vibrações delicadas que vêm das luminosas alturas de Deus. E as fontes da sua alegria brotam por toda a parte; nem é necessário que saia de casa para encontrar motivos de alegria, porque a sua alegria é de qualidade, que não está sujeita às categorias de tempo e espaço, como as alegrias ruidosas e grosseiras dos profanos. Um único grau de alegria-qualidade dá maior felicidade do que cem graus de alegria-quantidade.
“Por isso a vida do homem espiritual é uma bela tristeza, ao passo que a vida do homem profano é uma pavorosa alegria. Mas o homem espiritual prefere a sua bela tristeza à pavorosa alegria do profano, que ele compreende perfeitamente, porque também ele já passou por esse estágio infeliz — ao passo que o profano não compreende a felicidade anônima do iniciado, porque nunca passou por essa experiência.”
“Geralmente, os homens mais felizes são ignorados pela humanidade que escreve e lê livros e jornais, que fala do alto dos púlpitos e das tribunas, que perde tempo com rádio e televisão ou procura salvar o gênero humano pela política, Os milionários da felicidade são, quase sempre, os grandes anônimos da história, os “não-existentes”. Os poucos homens que aparecem em público são raras exceções da regra. O grande exército dos “bem-aventurados” não aparece em catálogos e cadastros estatísticos. São os irmãos anônimos da “fraternidade branca” que estão presentes em toda a parte onde haja serviços a prestar, mas ninguém lhes percebe a presença, porque sempre desaparecem por detrás das suas obras. Os muitos e os ruidosos que se servem das suas obras como de fogo de artifício e deslumbramento pirotécnico para iluminar a sua personalidade não fazem parte da “fraternidade branca”, porque não se eclipsaram no anonimato da benevolência universal.
“Os verdadeiros redentores da humanidade são tão felizes no cumprimento da sua missão que nunca esperam pelos aplausos de platéias, mas desaparecem por detrás dos bastidores do esquecimento, no mesmo tempo em que terminam a sua tarefa. São igualmente indiferentes a vivas como a vaias, a aplausos como a apupos, a louvores como a vitupérios, porque eles vivem no mundo da silenciosa e profunda verticalidade invisível, incompreendidos pelos habitantes da ruidosa horizontalidade visível.
“Bem-aventurados os que estão tristes — porque eles serão consolados.”

Parte 8

“Bem-Aventurados os que Sofrem Perseguição por Causa da Justiça”
“Justiça” significa a atitude justa e reta do homem para com Deus. O homem “justo”, nos livros sacros, é o homem santo, o homem crístico, o homem que realizou em alto grau o seu Eu divino pela experiência mística manifestada na ética. O homem “justo” é o homem que se guia, invariavelmente, pelos dois grandes mandamentos, o amor de Deus e a caridade do próximo.
“Mas, será possível que alguém sofra perseguição por causa dessa justiça, por causa da sua santidade?
“O Evangelho de Jesus está repleto de afirmações dessa natureza, e a experiência multissecular o con firma. “Por causa do meu nome sereis odiados de todos, e chegará a hora em que todo aquele que vos matar julgará prestar um serviço a Deus. “Arrastar- vos-ão perante reis e governadores e sinagogas; mas não vos perturbeis! Porque o servo não está acima de seu senhor; se a mim perseguiram também vos hão de perseguir a vós. “Os inimigos do homem são os seus companheiros de casa.”
“Estamos habituados a pensar e a dizer que esses perseguidores dos justos são homens maus, perversos, de má-fé; e, de fato, assim acontece muitas vezes. Entretanto, as mais cruéis perseguições que a história humana conhece foram perpetradas por homens sinceros e subjetivamente bons, em nome da verdade e do bem, em nome de Deus e do Cristo. Sobretudo as igrejas e sociedades religiosas organi zadas têm empreendido, e empreendem ainda, cruzadas e “guerras santas”, trucidando infiéis, queimando hereges, torturando homens de elevada espirituali dade, excomungando como apóstatas e perversos muitos dos homens mais puros e santos que o mundo conhece. A maior parte desses perseguidores não tem má intenção nem consciência pecadora; agem por um sentimento de dever.
“Há duas razões fundamentais por que o homem justo é perseguido por outros homens individuais ou por sociedades humanas.
“1 — Um indivíduo persegue outro indivíduo, não só porque este seja mau, mas, também, pelo fato de ser bom.
“Por quê?
“Porque o homem justo aparece como elemento hostil a outro homem menos justo. A simples presença de um homem mais santo do que eu é, para mim, uma declaração de guerra, ou, pelo menos, uma permanente ofensa. O homem espiritual, pelo simples fato de existir, diz silenciosamente a outros: “Vós devíeis ser como eu, mas não sois, e isto é culpa vossa”. Nenhum homem espiritual, é claro, diz isto; mas os profanos interpretam deste modo a presença do homem justo, e atribuem a este a ingrata censura. Ora, ninguém tolera, por largo tempo, a consciência da sua inferioridade. Enquanto não aparece outro homem de elevada espiritualidade, pode o homem menos espiritual viver tranqüilo na sua inferiorida de, porque esta não é nitidamente percebida senão quando polarizada pelo contrário ou por uma espiritualidade superior. Quando o homem pouco espiritual encontra outro ainda menos espiritual, sente-se ele relativamente seguro do seu plano, e tem mesmo a tendência instintiva de fechar os olhos para as virtudes do outro, a fim de poder brilhar mais intensamente, ele só, como aquele fariseu, no templo em face do publicano. E que o homem profano mede o seu valor pelo relativo desvalor dos outros. Quando então a sua luz é, ou parece ser, mais forte que as luzes dos outros, o homem profano ou de escassa espiritualidade experimenta um senso de segurança e tranqüilidade; não tem remorsos da sua pouca espiritualidade nem se julga obrigado a um esforço especial para subir. Entre cegos, diz o provérbio, quem tem um olho é rei.
“Mas ai desse homem complacentemente satisfeito consigo mesmo, se lhe aparecer alguém de maior espiritualidade! Logo começa ele a sentir-se inseguro e inquieto. Em face dessa inquietação, duas atitudes seriam possíveis: a) o vivo desejo de ser tão espiritual como o outro e o esforço correspondente a esse desejo; b) uma atitude de despeito e agressividade.
“A primeira atitude é a dos homens humildes e sinceros; a segunda é a dos homens orgulhosos e insinceros consigo mesmos. Os primeiros se tornam discípulos do homem espiritual, os últimos se tornam seus adversários.
“É doloroso para um pigmeu ver-se eclipsado por um gigante. É desagradável para um impuro ter a seu lado um homem puro. Se o pigmeu não sente em si a capacidade de crescer; se o impuro não dispõe da força de se tornar puro, declarará guerra ao gigante e ao puro.”
“2 — No terreno social das organizações eclesi ásticas acresce ao primeiro, outro fator, aparentemente mais justificável: o homem altamente espiritualizado é sempre uma espécie de exceção da regra, é um pioneiro que abandonou as velhas estradas conhecidas e batidas pela turbamulta dos crentes e rasga caminhos novos, “por mares nunca dantes navegados”, por ignotas florestas, por ínvios desertos que poucos conhecem. Esse homem ultrapassa, quase sempre, os caminhos tradicionais do passado, e até do presente, e abre novas rotas para o futuro. Toda e qualquer inovação, por mais verdadeira, é, no principio, considerada como erro, e até como perigo social.
“De maneira que o fator “massa” e o fator “tradição” nos dão uma espécie de segurança e firmeza, no meio da insegurança e incerteza que, naturalmente, experimentamos por entre as trevas ou penumbras da vida espiritual. E isto nos faz bem.
“Por isso , as sociedades religiosas organizadas, que contam sempre com o fator massa e tradição, dão grito de alerta e de alarme, e previnem seus filhos contra o perigoso inovador, o herege, o demo lidor, o apóstata. Quando as sociedades religiosas possuem suficiente poder físico, eliminam do número dos vivos o perigoso demolidor das tradições, e isto “pela maior glória de Deus e salvação das almas”. Quando não possuem esse poder, procuram neutra lizar a ação do herege matando-o moralmente, isolando-o por meio de campanhas sistemáticas de difamação e calúnia. E como, segundo eles, o fim justifica os meios, e como o fim é (ou parece ser) bom, todos os meios são considerados lícitos e bons, mesmo os maiores atentados à verdade, à justiça, à caridade.
“Donde se segue que o homem espiritual vive em uma relativa solidão. A massa não simpatiza com ele se não lhe é positivamente antipático, mantém pelo menos uma atitude de apatia e desconfiança em face dele.
“Para o homem espiritual, porém, o fator “massa” é sobejamente compensado pelo fator “elite” ou mesmo pelo simples testemunho da sua consciência em plena solidão.
“Existe, aqui na terra, e por toda a parte, a “comunhão dos santos”, isto é, a misteriosa união de todos os que conhecem e amam a Deus, a fra­ternidade branca dos irmãos anônimos formada pelos solitários pioneiros do Infinito. E eles sabem quE é profundamente verdadeiro o que o grande Mestre disse: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles”. Dois ou três — porque nunca serão muitos no mesmo lugar e tempo, os homens cristificados. E mesmo que sejam mais, nunca deixará de imperar a misteriosa lei da polaridade ou da trindade; dentro de um grupo maior haverá sempre essa constelação interna de dois ou três. A grande experiência crística circulará sempre entre dois ou três, e só mediante essa pequena constelação é que ela se comunicará ao resto do céu estrelado e às galáxias do universo espiritual.”

Parte 9

“Vós Sois a Luz do Mundo”
“Sabemos, em nossos dias, que a luz cósmica, não focalizada — o “c” da conhecida fórmula einsteiniana, E = mc2 — é a base e, por assim dizer, a matéria-prima de todas as coisas do mundo material e astral. Os elementos da química, desde o mais simples até ao mais complexo, são filhos da luz invisível, a qual quando condensada em diversos graus, produz os elementos, e destes são feitas todas as coisas do mundo.
“Quer dizer que, no plano físico, a luz é a causa e origem de todas as matérias e forças do universo.
“Ora, o que a luz é no plano físico, isto é Deus na ordem metafísica ou espiritual do cosmos. A luz física é o grande símbolo desse simbolizado metafísico.
“A luz é a única coisa incapaz de ser contaminada, porque a sua vibração é máxima, que não é afetada por nenhuma vibração inferior.
“Todas as coisas do mundo são lucigênitas, e sua íntima essência é luz ou lucidez. E tanto mais incontaminável é uma coisa quanto mais lúcida.
“Toda a tarefa da espiritualização do homem consiste em que ele faça a sua existência humana tão pura e luminosa como a sua essência divina — que essencialize toda a sua existência.
“A lucidez ou luminosidade consiste na intensi dade da nossa consciência divina. No plano da ideologia dualista, em que se move quase toda a teologia e filosofia do ocidente cristão, é difícil o homem convencer-se definitivamente de que a íntima essência do seu próprio ser seja idêntica à essência divina.”
Diz, pois, o divino Mestre:
“Vós sois a luz do mundo… Não pode permanecer oculta uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma lampada e se põe debaixo do alqueire, mas sim sobre o candelabro para que alumie a todos os que estão na casa. Assim brilhe a vossa luz perante os homens para que vejam as vossas boas obras —e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”.
“O homem realmente cristificado não deve ocultar-se debaixo do alqueire do anonimato, mas brilhar no candelabro da mais larga publicidade —deve ser até como uma cidade ou um farol no alto de um monte, para que o mundo inteiro veja os fulgores dessa luz e por ela oriente a sua vida.
“É opinião assaz comum entre os inexperientes que o homem espiritual deva evitar a publicidade e procurar o mais possível a obscuridade da solidão e do anonimato, a fim de não perder a sua sacralidade e cair vítima da profanidade. E, de fato, essa solidão e esse anonimato são necessários, embora num sen tido diferente daquele que os profanos supõem.
O ego físico-mental do homem comum deve desaparecer no anonimato, e o seu Eu divino deve viver em profunda solidão. O homem espiritual deve ser profundamente solitário com Deus, para que possa ser vastamente solidário com todas as creaturas de Deus: assim não há perigo de profanação.
Ai daquele que perder a sua silenciosa sacrali dade em Deus! De nada lhe servirá a sua ruidosa sociabilidade com os homens e o mundo. A profana sociedade tem de ser fecundada pela mística sacrali dade para que resulte em fecunda solidariedade.
“Em suas relações com Deus é todo homem profundamente só e solitário; ninguém o pode acom­panhar a essas alturas e profundezas, envoltas em eterno silêncio. Ninguém poderá saber jamais o que se passou entre a alma e Deus, nas silenciosas alturas do Himalaia ou na taciturna vastidão do Saara onde se dá esse encontro entre Deus e a alma humana. A experiência mística se dá para além das barreiras do tempo e do espaço, no anonimato do “terceiro céu”, e por isso é essencialmente intransferível e incomunicável; o que é dito à alma, nessa luminosa escuridão, são “ditos indizíveis”.
“Essa solidão vertical é necessária e não pode jamais ser substituida pela sociedade horizontal. Esse santuário íntimo do homem é indevassável; nem as relações mais íntimas, de pai a filho, de mãe e filha, de esposo a esposa, de amigo a amigo, podem desvendar esse mistério. Onde não existe e persiste essa solidão cósmica, esse profundo silêncio metafísico , esse indevassável anonimato místico entre a alma e Deus, toda a publicidade é um perigo e uma profanação, é uma apostasia e uma infidelidade cometida contra a sacralidade do Eu divino. O homem que não possua suficiente fidelidade a seu Eu divino não deve arriscar-se à publicidade; não deve colocar-se no alto do candelabro ou no cume do monte; é preferível que fique debaixo do alqueire ou no fundo do vale, onde não há perigo de quedas catastróficas. Quanto mais alto o homem está, mais profundamente poderá cair , se essa altura lhe der vertigens.
“O perigo da vertigem vem da ilusão de que essa sublime posição seja obra do seu ego personal, vem do erro fatal de que a pessoa humana tenha creado essa glória no alto do candelabro ou no cume do monte.
“Duas vezes, diz um grande iniciado oriental, Brahman se sorri do homem, da primeira vez quando o homem afirma: “Eu faço isto, eu faço aquilo”, e da segunda vez quando o homem diz: “Eu vou morrer”.
“Ambas às vezes o homem confunde o seu verdadeiro Eu com o seu pseudo-eu. Quando o homem pensa que é ele — seu ego personal — que fez isto ou aquilo, e não o “pai dos céus” — o seu Eu divino; quando o homem pensa que o seu eterno e imortal Eu divino vai morrer — então se revela totalmente analfabeto no conhecimento de si mesmo.
“Onde há ilusão há possibilidade de queda. Só quando a totalidade da ilusão cedeu à totalidade da verdade é que há segurança absoluta.
“Tem-se dito que a experiência mística torna o homem orgulhoso e desprezador de seus semelhantes, os “profanos” lá embaixo. Quem assim pensa e fala não sabe o que quer dizer experiência mística. Esse orgulho é possível no caso da pseudomística, quando o homem atribui a sua espiritualidade ao mérito de seu ego personal, ignorando que “todo o dom perfeito vem de cima, do Pai das luzes”, e que a iluminação espiritual é obra da graça divina. Mas, ninguém pode orgulhar-se daquilo que é de Deus, só se pode envaidecer de algo que seja do seu ego.
“Um jovem ocultista britânico perguntou a um grande místico da Índia se achava que ele, o ocultista, poderia, um dia, chegar a fazer as “obras de poder”, chamadas “milagres”, que Jesus fazia; ao que o iniciado lhe respondeu calmamente: “Pode, sim, contanto que você não creia que é você que fez essas obras.”
“Quem atribui a seu pequeno ego humano qualquer obra espiritual está no erro; o erro gera o orgulho, e o orgulho prepara a queda. Mas quem compreendeu definitivamente que nenhum efeito espiritual pode provir de uma causa material ou mental, esse está na verdade, e a verdade o libertará de qualquer ilusão e perigo de queda.
“Quando Jesus diz a seus discípulos que devem colocar a sua luz no candelabro ou no alto do monte supõe ele que esses homens possam ultrapassar o estágio da Ilusão sobre si mesmos e adquirir plena clareza e certeza sobre a causa real de todos os efeitos espirituais.
“Não existe, no mundo físico, nenhum elemento incontaminável exceto a luz. Todas as outras coisas aceitam impureza.
“É esta, sem dúvida a mais pura glória do homem crístíco, poder ser puro no meio dos impuros e das impurezas em derredor; purificar as impurezas sem se contaminar com essas impurezas É o máximo de invulnerabilidade.
“Nenhum homem purificado pelo conhecimento da verdade sobre si mesmo se sente ofendido por atos, palavras ou opiniões injustas dos outros, porque sabe que essas ofensas não atingem o seu verdadeiro Eu divino, senão apenas o seu falso eu humano.
“Esta luz divina que em mim está deve ser colo cada no candelabro como uma lâmpada, no alto do monte como um farol. Quem é remido do seu falso eu pode ajudar outros para se redimirem também. Por isso, deve ele fazer brilhar a sua luz, porque essa luz é a luz de Deus que brilha através do homem, como através de um límpido cristal, no caso que o homem renuncie à opacidade do seu egoísmo e aceite a transparência do amor.”
Huberto Rohden
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SERMÃO DA MONTANHA, POR HUBERTO ROHDEN

AUTOCONHECIMENTO: NADA ACONTECE POR ACASO NEM É ALEATÓRIO

AUTOCONHECIMENTO: NADA ACONTECE POR ACASO NEM É ALEATÓRIO
Metamorphosis (life cycle) of the Swallowtail (Papilio machaon). 3 different instars (stages).

Nada na vida é coincidência ou acontece por acaso. Tudo tem um motivo ou explicação para acontecer. Segundo a Física Quântica estamos todos interligados e portanto todos os eventos e fatos possuem uma correlação. Por isso o que está ocorrendo agora, diferentemente do que o pensamento Darwiniano acredita, não é uma experiência aleatória. Convido você a ler o artigo completo a seguir e entender como e porque isso acontece!

O que está ocorrendo agora não é uma experiência aleatória

Mensagem de 30 de Março  de 2021

Estamos vivendo no momento mais notável em que a Terra se move através de uma mudança planetária, gerando um período de grande purificação e transformação. Este é um momento cataclísmico, com eventos dramáticos ocorrendo e revelando que todo o sistema e estrutura que sustentam nosso mundo devem evoluir e mudar.

Para muitos, é uma época de confusão e caos, a medida que o mundo muda rapidamente, trazendo à tona muitas das questões sociais e ambientais e injustiças com as quais temos vivido por séculos. Não podemos mais ignorar o profundo significado da Terra e sua influência em nossas vidas. Não podemos mais continuar a lucrar e progredir enquanto abusamos do ambiente natural. E precisamos reconhecer que todas as facetas de nosso mundo devem se transformar para atender às necessidades de uma sociedade futura.

É importante que reconheçamos que este tempo é de fato um processo evolutivo muito natural. É algo que foi profetizado por culturas indígenas por centenas de anos. Podemos ver essas profecias na cultura maia na América do Sul, no povo Hopi da América Central, nos bosquímanos da África e nos aborígenes australianos que falaram sobre a mudança na Terra e as mudanças que ocorrerão como resultado.

As culturas indígenas em todo o mundo sabem e entendem que toda a criação, o que inclui a Terra, faz parte de uma expansão galáctica progressiva. Essa expansão ocorre dentro de uma estrutura em evolução de ciclos cósmicos que vão e vêm, como as estações e as marés. O crescimento, o desenvolvimento e a evolução da humanidade dependem desses ciclos e estão conectados a eles por meio da Terra. Esses ciclos sempre mudaram, transformaram, informaram e desenvolveram a consciência da humanidade e trouxeram beleza incrível e destruição alucinante.

O que está ocorrendo agora não é uma experiência aleatória, nem como punição por qualquer mal que a humanidade possa ou não ter cometido. Está ocorrendo por causa de um evento significativo e sagrado que ocorre a cada 13.000 anos. Um evento que marca o movimento da energia espiritual da Terra de um local para outro no planeta. A energia espiritual da Terra informa, transforma, orienta e dirige nossa consciência humana. Com sua relocação, há uma mudança profunda, um despertar, que ocorre coletivamente para a humanidade.

Nos últimos 13.000 anos, a energia espiritual da Terra esteve localizada na região da Índia e do Tibete. Esta área tem sido o centro espiritual da humanidade por milhares de anos, e é onde a consciência humana se expandiu por meio da mente e nas áreas de iluminação.

Em 1949, logo após o fim da 2ª Guerra Mundial, a energia espiritual da Terra foi ativada e sua longa jornada para um novo local foi iniciada. Este novo local fica na região do Chile e Peru na América do Sul. E é esta mudança para a América do Sul, que tem estimulado uma expansão em nossa consciência humana, estimulando-nos a despertar e desenvolver através do coração e da alma. Como resultado, houve um profundo despertar ocorrendo em toda a humanidade, criando uma mudança dramática nas bases de nosso mundo. É essa mudança que exige mudanças e transformações significativas.

Acho que é importante reconhecer que não há razão para julgar ou criticar como vivemos até este ponto. Ou como nossas culturas e sociedades foram formadas. Esta formação foi uma parte necessária de nosso desenvolvimento evolutivo e, por meio dela, ganhamos uma vasta compreensão do ego humano e sua capacidade de destruição. Precisamos nos explorar por meio da mente e do ego, reconhecendo assim que, sem o equilíbrio do feminino, a força masculina da criação é destrutiva. Este tem sido um aspecto muito necessário ao nosso crescimento e desenvolvimento. E que precisamos seguir em frente.

Mas agora, neste ponto da evolução da humanidade, estamos embarcando em um novo ciclo, uma nova jornada, que traz em equilíbrio as duas forças predominantes da criação – o feminino e o masculino. O que equilibra o coração e a mente. À medida que essas duas forças energéticas aprendem a trabalhar juntas, somos capazes de equilibrar tudo o que está desequilibrado. Somos capazes de iniciar e co-criar uma nova maneira de viver e de ser na Terra que se alinha com os princípios universais do equilíbrio e harmonia.

Há benefícios incríveis no período pelo qual estamos passando. Esses benefícios incluem a oportunidade de redefinirmos quem somos, de despertar nossa autenticidade, nossa singularidade e de trazer ao mundo a essência de nossa alma. Temos a oportunidade de incorporar plenamente a totalidade de nossa alma e refletir isso no mundo. Temos a oportunidade de embarcar em uma grande odisséia. Uma grande jornada de cura que não só beneficia nosso eu humano, mas também traz uma cura profunda para nossa alma, nossas linhagens ancestrais e as gerações futuras.

Temos a oportunidade de fazer parte de um novo mundo, de uma nova realidade, onde a discriminação, a segregação e a separação já não mais existem. Um mundo onde a necessidade de domínio e controle é liberada. Um mundo construído com base na verdade, integridade e impecabilidade. Um mundo que respeita toda a vida. Que realmente aprecia que a Terra seja um santuário lindo e sagrado onde existe a divindade.

Mas primeiro precisamos mudar nossas  maneiras. Precisamos despertar, curar e crescer. Precisamos expandir nossa percepção e nossa consciência para que possamos conceber uma nova maneira de viver e ser. Precisamos mudar de uma consciência baseada na mente para uma consciência baseada no coração, onde o foco está na incorporação plena de nossa alma. Precisamos passar por este poderoso período de purificação, transformação e mudança, que nos ajudará a abandonar as necessidades de nosso ego e permitir que nossa alma assuma o domínio sobre nossa vida.

Tanta coisa está mudando à medida que as estruturas subjacentes de nosso mundo são arrancadas, revelando os ossos quebrados de uma velha realidade. Um futuro muito diferente nos espera e, como tal, é essencial lembrarmos que não podemos usar o passado como um quadro de referência para criar o futuro. Devemos usar nossas capacidades intuitivas ao plantarmos novas sementes, iniciarmos novas criações e manifestarmos novos objetivos de vida.

Se ainda não o fez, recomendo que comece sua jornada de cura. Que se envolva com as mudanças que você está sendo chamado a fazer.Que abra o seu coração e abra espaço para reflexão. Que se interiorize e redescubra e experimente a sua paisagem interior, a realidade de sua alma. Mergulhe nas suas partes mais profundas e sombrias e traga à luz a sua magnificência, o brilho da sua alma. Encontre maneiras de explorar quem você se tornou para poder ser quem você é.

Ao fazer o que está sendo chamado a fazer, ao abrir seu coração e ouvir os sussurros de sua alma, você é capaz de fazer parte do próximo ciclo de evolução da Terra.

Muito Amor,

Kate Spreckley © 2020 — Fonte: https://www.spiritpathways.co.za/
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: NADA ACONTECE POR ACASO NEM É ALEATÓRIO

AUTOCONHECIMENTO: A AUTOCURA É REAL E IMINENTE, VOCÊ QUE NÃO QUER ENXERGAR!

No vídeo desta sexta-feira, começo a falar sobre Autocura, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, esse processo que é algo completamente viável e importante na vida de todo ser humano. Nós precisamos assumir o comando do nosso processo de Autocura, saindo da zona de conforto, para assim, conseguirmos controlar a nossa Saúde Integral e viver de forma plena, em harmonia. Só você pode mudar sua vida! Sabe por que? Porque você é100% responsável pela sua realidade!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A AUTOCURA É REAL E IMINENTE, VOCÊ QUE NÃO QUER ENXERGAR!

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A TERAPIA CHAMADA COMPAIXÃO,POR OSHO

Um texto fenomenal de bom é o destaque da nossa coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL desta quinta-feira. A terapia chamada compaixão, nos convida a entender porque a Compaixão é a forma mais pura e elevada do amor. Segundo Buda, “sentir compaixão pelo mundo inteiro, compartilhar seu amor, faz você liberar a energia na atmosfera e essa energia pode ser usada pelos outros”. Então convido você a ler o texto completo a seguir e ficar mais iluminado!

A terapia chamada compaixão

Disseram a Osho:

Uma vez ouvi você dizer “Só a compaixão é terapêutica”. Por favor, fale sobre a compaixão.

Sim, só a compaixão é terapêutica – porque tudo que é ruim no homem é devido à falta de amor. Tudo que é errado no homem está em algum lugar associado com o amor. Ele não tem sido capaz de amar, ou não tem sido capaz de receber amor. Ele não tem sido capaz de compartilhar seu ser. Essa é a miséria. Isso cria todo tipo de complexos por dentro.

Esses ferimentos íntimos podem vir à tona de muitas maneiras: podem se tornar doenças físicas, podem se tornar doenças mentais – mas profundamente o homem sofre de falta de amor. Assim como a comida é necessária para o corpo, amor é necessário para a alma. O corpo não pode sobreviver sem comida, e a alma não pode sobreviver sem amor. Na verdade, sem amor a alma sequer nasceu – não existe a questão de sua sobrevivência.

Você simplesmente pensa que tem uma alma; você acredita que tem uma alma devido ao seu medo da morte. Porém, você não sabe a não ser que você tenha amado. Só no amor a pessoa vem a sentir que é mais do que o corpo, mais do que a mente.

É por isso que digo que a compaixão é terapêutica. Que é compaixão? Compaixão é a forma mais pura de amor. Sexo é a forma mais baixa do amor, compaixão é a forma mais elevada do amor. No sexo, o contato é basicamente físico; na compaixão o contato é basicamente espiritual. No amor, compaixão e sexo estão misturados, o físico e o espiritual estão misturados. Amor é o meio caminho entre sexo e compaixão.

Você também pode chamar a compaixão de oração. Você também pode chamar a compaixão de meditação. A mais alta forma de energia é compaixão. A palavra compaixão é bela: metade dela é paixão – de algum modo paixão tornou-se tão refinada que não é mais como uma paixão. Ela tornou-se compaixão.

No sexo, você usa o outro, você reduz o outro a um meio, você reduz o outro a uma coisa. Eis porque num relacionamento sexual você se sente culpado. Essa culpa não tem nada a ver com ensinamentos religiosos; essa culpa é mais profunda do que os ensinamentos religiosos. Num relacionamento sexual como tal você se sente culpado. Sente-se culpado porque você está reduzindo um ser humano a uma coisa, a um produto a ser usado e jogado fora.

É por isso que no sexo você também sente uma espécie de servidão; você também está sendo reduzido a uma coisa. E quando você é uma coisa sua liberdade desaparece porque sua liberdade só existe quando você é uma pessoa. Quanto mais você for uma pessoa, mais livre você é, quanto mais uma coisa você for, menos livre você é.

A mobília do seu quarto não é livre. Se você deixar o quarto trancado e voltar após muitos anos, a mobília estará no mesmo lugar, da mesma maneira; ela não irá se arrumar de uma nova maneira. Ela não tem nenhuma liberdade. Contudo se você deixar um homem no quarto, você não irá encontrá-lo do mesmo jeito – nem mesmo no outro dia, nem mesmo no próximo momento. Você não pode encontrar o mesmo homem novamente.

O velho Heráclito diz: Você não pode pisar no mesmo rio duas vezes. Você não pode encontrar o mesmo homem novamente. É impossível encontrar o mesmo homem duas vezes, porque o homem é um rio, continuamente fluindo. Você nunca sabe o que vai acontecer. O futuro permanece aberto.

Para uma coisa, o futuro está fechado. Uma pedra permanecerá uma pedra. Ela não possui nenhuma potencialidade para crescer. Ela não pode mudar, não pode evoluir. Um homem nunca permanece o mesmo. Ele pode recuar, pode ir adiante, pode ir para o inferno ou para o céu, ele, porém, nunca permanece o mesmo. Continua se movendo, desse ou daquele jeito.

Quando você tem um relacionamento sexual com alguém, você reduziu essa pessoa a uma coisa. E reduzindo-a você reduziu a si mesmo também a uma coisa, porque é um compromisso mútuo que “Eu lhe permito me reduzir a uma coisa, você me permite lhe reduzir a uma coisa. Eu lhe permito usar-me, você me permite usá-lo. Usamos um ao outro. Nos tornamos coisas”.

Eis porque… observe dois amantes: quando eles ainda não estão consolidados. O romance ainda está vivo, a lua de mel ainda não acabou e você vai ver duas pessoas pulsando com vida, prontas para explodir – prontas para explodir no desconhecido. E então observe um casal, o marido e a esposa, e você verá duas coisas mortas, dois túmulos, lado a lado – ajudando um ao outro permanecer morto, forçando um ao outro permanecer morto. Esse é o constante conflito do casamento. Ninguém quer ser reduzido a uma coisa!

Sexo é a forma mais baixa dessa energia “X”. Se você for religioso, chame isso de “Deus”, se você for científico, chame-o de “X”. Essa energia, X, pode tornar-se amor. Quando ela se torna amor, então você começa a respeitar a outra pessoa. Sim, às vezes você usa a outra pessoa, mas você se sente grato por isso. Você nunca diz obrigado para uma coisa. Quando você está apaixonado por uma mulher e faz amor com ela, você diz obrigado.

Quando você faz amor com sua esposa, você já disse alguma vez obrigado? Não, você tem isso como certo. Alguma vez sua esposa já lhe disse obrigado? Talvez, muitos anos atrás, você pode se lembrar algum tempo quando você estava indeciso, estava só tentando, cortejando, seduzindo um ao outro – talvez. Mas uma vez consolidado, ela alguma vez já lhe disse obrigado por alguma coisa? Você já fez tantas coisas por ela, ela já fez tantas coisas por você, ambos estão vivendo um para o outro, a gratidão porém, desapareceu.

No amor, existe gratidão, existe uma profunda gratidão. Você sabe que o outro não é uma coisa. Você sabe que o outro possui uma grandeza, uma personalidade, uma alma, uma individualidade. No amor você concede liberdade total ao outro. É claro, você dá e recebe: é um relacionamento de dar e receber… mas com respeito.

No sexo, é um relacionamento de dar e receber sem nenhum respeito. Na compaixão, você simplesmente dá. Não há nenhuma idéia na sua cabeça em receber alguma coisa de volta; você simplesmente compartilha. Não que coisa alguma venha! Isso retorna um milhão de vezes, mas isso é só dessa maneira, só uma consequência natural. Não há nenhum anseio por isso.

No amor, se você der alguma coisa, bem lá no fundo você continua esperando que isso deve retornar. Se isso não retornar, você fica reclamando. Você pode não dizer isso, mas de mil e uma maneiras pode se deduzir que você está resmungando, que você está sentindo que foi enganado. Amor parece ser uma barganha sutil.

Na compaixão você simplesmente dá. No amor, você fica agradecido porque o outro lhe deu algo. Na compaixão, você fica agradecido porque o outro levou algo de você; você está agradecido porque o outro não lhe rejeitou. Você veio com energia para dar, você tinha vindo com muitas flores para partilhar, e o outro lhe permitiu, o outro foi receptivo. Você é grato porque o outro foi receptivo.

Compaixão é a forma mais elevada do amor. Muito retorna – um milhão de vezes mais, digo – mas isso não é o mais importante, você não anseia por isso. Se isso não vier não há nenhuma queixa quanto a isso. Se vier você fica simplesmente surpreso! Se isso vier, é inacreditável. Se não vier não há problemas – você nunca deu seu coração a alguém por alguma barganha. Você simplesmente derrama porque você tem.

Você tem tanto que se você não derramar você ficará sobrecarregado. Assim como uma nuvem carregada de água de chuva precisa derramar. E da próxima vez quando uma nuvem estiver chovendo observe em silêncio, e você irá sempre ouvir, quando a nuvem derramou a chuva e a terra a absorveu, você irá sempre ouvir a nuvem dizer para a terra “Obrigado”. A terra ajudou a descarregar a nuvem.

Quando uma flor brota, ela precisa compartilhar sua fragrância com os ventos. É natural! Isso não é uma barganha, não é um negócio; é simplesmente natural! A flor está repleta de fragrância – que fazer? Se a flor mantiver a fragrância para si mesma então a flor se sentirá muito tensa, numa profunda angústia.

A maior angústia na vida é quando você não pode expressar, quando você não pode comunicar, quando você não pode compartilhar. O homem mais pobre é aquele que não tem nada para partilhar, ou tem alguma coisa para partilhar, mas perdeu a capacidade, a arte, de como compartilhá-la; assim um homem é pobre.

O homem sexual é muito pobre. O homem amoroso é comparativamente mais rico. O homem compassivo é o mais rico; ele está no topo do mundo. Ele não tem nenhum confinamento, nenhuma limitação. Ele simplesmente dá e prossegue em seu caminho. Ele nem mesmo espera que você diga um obrigado. Com tremendo amor ele compartilha sua energia. Isso é que chamo de terapêutico.

Buda costumava dizer aos seus discípulos, “Após cada meditação, sejam compassivos – imediatamente – porque quando você medita, o amor cresce, o coração fica repleto. Após cada meditação, sinta compaixão pelo mundo inteiro para que você compartilhe seu amor e você libera a energia na atmosfera e essa energia pode ser usada pelos outros”.

Eu também gostaria de dizer isso a vocês: Após cada meditação, quando vocês estiverem celebrando, tenham compaixão. Apenas sinta que sua energia deve ir e ajudar as pessoas de qualquer maneira que elas necessitem. Apenas libere-a! Você ficará descarregado, você irá se sentir bem relaxado, irá se sentir muito calmo e quieto, e as vibrações que você liberou ajudarão a muitos. Termine suas meditações sempre com compaixão.

E a compaixão é incondicional. Você não pode ter compaixão só por aqueles que são amigáveis com você, só por aqueles que estão relacionados a você. Compaixão inclui tudo… intrinsecamente tudo. Assim se você não pode sentir compaixão pelo seu vizinho, então esqueça tudo sobre meditação, porque isso não tem nada a ver com alguém em particular. Tem algo a ver com seu estado interior.

Seja a compaixão! Incondicionalmente, não direcionada, não endereçada. Assim você se torna uma força curativa nesse mundo miserável.

Osho, em “A Sudden Clash of Thunder”
Fonte: Osho.com
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A TERAPIA CHAMADA COMPAIXÃO,POR OSHO

REFLEXÃO: MANTENHA-SE NO AGORA, NO PRESENTE, NESTE EXATO MOMENTO

O texto escolhido para publicar nesta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO é bem curto, porém muito inteligente e de extrema sabedoria. Sobre viver o hoje, o agora, este exato momento. Aceitar este exato momento é o que nos torna livres. Respire fundo. Sinta a vida. Seja grato/a. Leia o texto completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor!

Respire. Permita. Sinta

 em 

 

“Só existe o agora. Este exato momento.

Todas as suas preocupações sobre o futuro são criações da sua mente. Tudo pode mudar de um instante para outro. Nada é previsível.

Ainda assim, há uma inteligência maior que conduz tudo com absoluta perfeição. Quando entendemos isso, algo em nós relaxa.

Mais do que nunca precisamos compreender isso. Aceitar este exato momento é o que nos torna livres. Respire fundo. Sinta a vida. Seja grato/a.

Na aceitação deste exato momento há um portal. Uma fenda na ilusão, por onde conseguimos sentir o que é real.

Precisamos abrir espaço para sentir isso. Uma brecha nessa insana correnteza de pensamentos, crenças e certezas. Basta uma pequena abertura. Um instante por onde a luz possa passar.

Respire. Permita. Sinta.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: MANTENHA-SE NO AGORA, NO PRESENTE, NESTE EXATO MOMENTO

ARTIGOS: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA ACONTECE ATRAVÉS DO AUTOCONHECIMENTO

Despertar da Consciência: 9 dicas para te ajudar! • Guia da Alma

O AUTOCONHECIMENTO É O CAMINHO PARA DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

Dizem que 70% de tudo que aprendemos ao longo da vida assimilamos até os 7 ou 8 anos de idade. Esse pensamento já está superado há algum tempo, visto que, atualmente, todo o conhecimento acumulado da humanidade, já dobra a cada 15 dia. Ao longo da minha breve vida aprendi muitas coisas, mas tenho plena certeza que o conteúdo mais importante e valioso só vim começar a aprender depois dos 30 anos de idade e esse conteúdo é bem diferente do que a maioria das pessoas costumam assimilar. Tal conteúdo tão valioso só começa a ser assimilado após o despertar da consciência. Antes disso você pode estudar muito, fazer pós-graduação, mestrado, doutorado, pós-doutorado, ler um livro por dia e o seu aprendizado vai ser apenas cognitivo. Provavelmente não somará nada ou quase nada na evolução da sua alma. Esse conteúdo valioso se chama AUTOCONHECIMENTO. Para se ter uma ideia do que estou falando a nossa mente é subdividida em três compartimentos: o consciente, o subconsciente e o inconsciente. Ao contrario do que a maioria das pessoas possa imaginar, o nosso consciente ocupa apenas 5% da nossa mente. Ao passo que 95% são ocupados pelos subconsciente e inconsciente. Portanto, todo o conhecimento que acumulamos conscientemente ao longo da vida é uma ínfima parte da nossa poderosa mente.

Por isso todo o conhecimento adquirido lá fora precisa passar pelo filtro do subconsciente e ser analisado pelo inconsciente. Se não for assim de nada vale acumular tanto conhecimento. Ocorre que a maioria das pessoas não submete o conteúdo captado ao inconsciente por puro medo. Medo de penetrar na imensidão do subconsciente e inconsciente. O medo de encarar os seus traumas, suas dores e sofrimentos passados. Dai a importância de se autoconhecer.

Tudo na vida tem um motivo e uma explicação. Infelizmente somos muito limitados enquanto seres semiconscientes, que só conseguimos perceber as coisas cerceadas  pelos 5 sentidos. 90% das coisas do universo estão numa dimensão acima da que vivemos, a 3ª dimensão. Para que tenhamos condições de enxergar essas coisas é necessário desenvolvermos a percepção sensorial da Intuição. Intuir é preciso para que possamos ter a sensibilidade necessária de enxergar tais objetos, onde podemos evitar situações indesejáveis e nos mantermos vibrando em alta frequência.

Acredite no seu potencial, não tenha medo de se autoconhecer e dê um salto quântico na sua vida.

Namastê!

Wagner Braga

Continuar lendo ARTIGOS: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA ACONTECE ATRAVÉS DO AUTOCONHECIMENTO

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: CONHEÇA A SINCRONICIDADE,UM CONCEITO DESENVOLVIDO POR CARL JUNG

Domingo é dia de reflexão. É o dia da semana que temos mais tempo para pensar na vida e o que estamos fazendo aqui. Por isso trago um artigo superinteressante que fala sobre a sincronicidade, um fenômeno recorrente entre seres humanos, que o icônico psicanalista Carl Jung desenvolveu um conceito sobre tal fenômeno. Por isso convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer mais sobre esse fenômeno tão comum, mas que a maioria das pessoas não entende!

Sincronicidade: entenda esse conceito desenvolvido por Carl Jung

Mulher meditando
Mikhail Nilov / Pexels

Alguma vez você já observou uma série de coincidências acontecendo? Pense na seguinte situação: uma pessoa precisa comprar determinado produto. E, então, esse produto entra em promoção justamente quando ela pensou nele. Depois, essa mesma pessoa descobre que iria ganhar esse produto de alguém querido.

Ainda que a situação apresentada seja muito simples, alguém que se deparasse com ela poderia dizer algo como “é muita coincidência!”. Mas será que uma série de eventos que se relacionam um com o outro são simplesmente uma coincidência? Ou será que existe algo por trás disso?

O conceito de sincronicidade, desenvolvido por Carl Gustav Jung, nos apresenta uma nova perspectiva sobre essa questão. Esse mesmo conceito também é interpretado pela espiritualidade, o que pode ampliar ainda mais os seus conhecimentos sobre esses eventos inexplicavelmente conectados.

A seguir, desvende se existe algo por trás dessas supostas coincidências que o Universo nos apresenta e tire as suas conclusões sobre o assunto. Depois disso, você vai descobrir que há mais de uma maneira de analisar os eventos que acontecem em nossas vidas, e todas elas são válidas!

A sincronicidade por Carl Jung

Carl Gustav Jung é conhecido por ter fundado a psicologia analítica. Entre os conceitos desenvolvidos por ele estão o arquétipo, o inconsciente coletivo e a sincronicidade, que será o nosso foco neste artigo.

Homem segurando livro aberto

Lisa Fotios / Pexels

De maneira simples, Jung definiu a sincronicidade como uma coincidência significativa. Porém, se analisarmos de forma mais aprofundada, saberemos que ele propõe que determinados acontecimentos não estão relacionados pelo acaso, e sim por algum outro significado.

Isso significa que, ao presenciar mais de um evento acontecendo em sequência, que coincidem revelando um padrão entre eles, esse padrão é o que indica o significado que está relacionando essas duas situações em um caso de sincronicidade.

Coincidência x sincronicidade

Muitas pessoas podem confundir os conceitos de coincidência e de sincronicidade. Para evitar esse tipo de equívoco, vamos analisar o que é cada um deles.

Em primeiro lugar, coincidência é o nome dado a eventos que apresentam semelhança entre si, ainda que não estejam diretamente relacionados.

Em segundo lugar, a sincronicidade ocorre quando existe uma relação entre os eventos que são semelhantes, como se esses acontecimentos não fossem aleatórios.

Tipos de sincronicidade

Jung ainda definiu que a sincronicidade pode ser classificada em três categorias distintas. Para que você consiga entender cada uma delas de forma simples, adaptamos a explicação de cada uma com termos que costumamos utilizar no cotidiano. Confira!

1) Coincidência de um estado psíquico do observador com um acontecimento objetivo externo e simultâneo

Uma mulher na praia em frente ao pôr sol

Manny Moreno / Unsplash

Nesse caso, o pensamento ou o sonho de uma pessoa está relacionado com algum evento que ainda irá acontecer. Assim, seria impossível estabelecer uma relação de causa e efeito entre eles. É como se você sonhasse com um gato e, enquanto estivesse falando sobre esse sonho, um gato semelhante ao que você viu no sonho aparecesse diante de você.

2) Coincidência de um estado psíquico com um acontecimento exterior correspondente mais ou menos simultâneo

Para essa categoria, uma pessoa tem um pensamento ou um sonho que se relaciona a um fato que está acontecendo no mesmo momento, em um lugar muito distante dessa pessoa. Então, a relação entre ambos só será percebida posteriormente. É como sonhar que está chovendo ao mesmo tempo em que chove em uma cidade distante.

3) Coincidência de um estado psíquico com um acontecimento futuro, distante no tempo e ainda não presente

Finalmente, esse tipo de coincidência ocorre como se a pessoa que está pensando ou sonhando fosse capaz de prever o futuro. Alguma vez você já sonhou que algo iria acontecer e, alguns dias depois, aquilo realmente aconteceu? Esse é o exemplo mais preciso desse tipo de sincronicidade.

Sincronicidade e espiritualidade

Outra forma de analisar a sincronicidade é a partir do ponto de vista espiritual. Nesse caso, devemos compreender que tudo que acontece com uma pessoa tem uma razão de ser. Nada é por acaso, e tudo apresenta um significado por trás, ainda que não sejamos capazes de entendê-lo plenamente.

Dessa forma, a sincronicidade é o que nos traz um novo olhar sobre a vida. Uma vez que sabemos que tudo está acontecendo por um motivo, tanto as coisas boas quanto as coisas ruins, nos tornamos capazes de analisar as lições por trás de tudo isso. Isso significa que precisamos prestar atenção às mensagens espirituais que constantemente são enviadas para nós.

Da próxima vez que algo inesperado ou indesejado acontecer na sua vida, ou quando um plano der errado, reconheça que isso é uma lição que o Universo está lhe enviando. É um indício de que você precisa respirar fundo, compreender o que você está buscando para a sua vida e desenvolver um novo caminho.

A sincronicidade é um conceito desenvolvido por Carl Jung que nos mostra como as coincidências podem ser muito mais do que uma obra do acaso. Se você acredita que tudo que acontece tem um motivo e que é possível interpretar as lições que a vida nos oferece, avalie como esse conceito se manifesta na sua vida diariamente!

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: CONHEÇA A SINCRONICIDADE,UM CONCEITO DESENVOLVIDO POR CARL JUNG

DICA DE SAÚDE: CONHEÇA O EXERCÍCIO DAS TRÊS BENÇÃOS, POR DR. SAMUEL DALLE LASTE

Sábado é dia de DICA DE SAÚDE com o Dr. Samuel Dalle Laste e hoje a dica é o exercício das TRÊS BÊNÇÃOS? [DICA #23] 🙏🙏🙏 Sabemos que grande parte dos quadros de depressão possuem relação com disfunções bioquímicas que podem ocorrer no organismo das pessoas. Ainda assim, existem técnicas e exercícios que o Dr. Dalle Laste utiliza no seu consultório e são capazes de ajudar a transformar gradativamente a visão negativa sobre a vida que uma pessoa com quadro depressivo normalmente apresenta. Um desses exercícios chama-se TRÊS BENÇÃOS e ele é o tema da nossa super dica de hoje!

Fonte:

Continuar lendo DICA DE SAÚDE: CONHEÇA O EXERCÍCIO DAS TRÊS BENÇÃOS, POR DR. SAMUEL DALLE LASTE

AUTOCONHECIMENTO: SAIBA COMO MATERIALIZAR SEUS SONHOS, POR WAGNER BRAGA

Você se pergunta porque não consegue crescer na sua vida? No vídeo sobre AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira, vou te ajudar a entender porque isso acontece e te ajudar a melhorar esse aspecto! Nós podemos conseguir tudo que queremos para a nossa vida, se tomarmos uma atitude e pusermos o foco nisso. Requer Atitude, determinação, disciplina, vontade e execução. É preciso reprograma o seu subconsciente. Então venha comigo, embarque nessa e transforme sua vida!

Fonte: Wagner Braga

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SAIBA COMO MATERIALIZAR SEUS SONHOS, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA PARA VOCÊ REFLETIR COMO VÊ O MUNDO!

Nesta sexta-feira temos mais um conto da Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO. Quem é você nesse conto? Um conto sobre o que pensamos do mundo e das pessoas, e sobre como isso reflete em nós. ✨“Eu vou começar com a pessoa no espelho. Vou pedir pra mudar o seu jeito. E nenhuma mensagem poderia ser mais clara; se você quer fazer do mundo um lugar melhor; dê uma olhada em si mesmo e comece a mudança.” – Michael Jackson.✨ Então, quem é você nesse conto? Eu espero que essa história possa te inspirar e inspirar as pessoas que você ama. Amor e luz, namastê.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA PARA VOCÊ REFLETIR COMO VÊ O MUNDO!

AUTOCONHECIMENTO: A FÍSICA QUÂNTICA QUANTIFICOU AS EMOÇÕES SEGUNDO SUAS FREQUÊNCIAS VIBRATÓRIAS

Para a Física Quântica tudo, absolutamente tudo, seja materialmente palpável ou seja imaterial vibra em alguma frequência. O Dr. David Hawkins, em seu estudo de PhD, conseguiu quantificar as frequências vibratórias das emoções humanas. Concluiu que os sentimentos e emoções negativas vibram em baixas frequências e os sentimentos e emoções positivas vibram em alta frequência. No texto a seguir temos uma resumo do seu livro Poder vs Força onde você pode aprender quais os sentimentos e emoções que fazem bem ao seu DESENVOLVIMENTO PESSOAL E ESPIRITUAL.

Frequência Vibracional das Emoções Humanas - Elainne Ourives - YouTube

“Quânticamente:
O Covid tem uma vibração de 5.5 Hz e morre acima de 25.5 Hz.
Para os seres humanos com vibração mais alta o vírus é uma gripe simples.
As razões para ter a vibração baixa pode ser:
⛔Cansaço
⛔Medo
⛔Tensão nervosa
⛔Raiva
⛔Ódio
É por isso que temos que vibrar alto e não olhar constantemente para as notícias, para que não nos baixe a frequência.
A frequência da terra hoje é 27,4 Hz, mas há lugares que vibram muito baixo como:
⛔Hospitais
⛔Centros Assistenciais
⛔Bares
⛔Prisões
É onde a vibração cai para 20Hz ou menos ainda.
Veja algumas baixas vibrações causadas por determinados sentimentos:
⭕Dor 0,1 às 2 hz
⭕Medo de 0,2 hz.
⭕Irritação 0,9 a 6,8 hz
⭕Ruído 0,6 a 2,2 hz.
⭕Orgulho 0,8 hz
⭕Abandono 1,5hz.
⭕Superioridade 1,9 hz.
Portanto, em vez disso, vibre em:
✅Generosidade 95 hz
✅Agradecimentos verdadeiros 150 hz
✅Compaixão 150 hz ou mais.
✅Amor ao próximo e a todos os seres vivos 150 hz e mais.
✅Amor incondicional e universal a partir dos 205 hz
O que nos ajuda a Vibrar Alto?
✅Amar
✅Sorrir
✅Abençoar
✅Brincar
✅Pintar
✅Cantar
✅Meditar, Yoga, Taichi, Caminhar ao Sol
✅Faça exercício, aproveite a natureza
✅Alimente-se com os alimentos que a Terra nos dá: sementes-grãos, cereais, legumes, frutas e tome água!
A vibração da oração vai de 120 hz a 350 hz
VIBREMOS ALTO!!!”
(A fonte original desta informação é do livro Poder vs Força. Baseado na tese de doutoramento de David R Hawkins.) 🍁
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A FÍSICA QUÂNTICA QUANTIFICOU AS EMOÇÕES SEGUNDO SUAS FREQUÊNCIAS VIBRATÓRIAS

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FÉ E ESPERANÇA COEXISTEM HARMONICAMENTE

O destaque desta quinta-feira, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL é o tema Fé e esperança do texto a seguir de autoria de Luiz Guimarães, na ótica da doutrina espírita. Na teologia católica o tripé fundamental é: Fé, esperança e caridade. Mas pela doutrina espírita a fé e a esperança coexistem harmonicamente e, se uma delas enfraquece, teremos o reflexo na outra. Integram o cotidiano de todo ser humano nas pelejas da vida. Ocorre que a ‘esperança’, tanto numa como na outra é contextualizada no sentido de esperar, como consta em Hebreus 11:1 – “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem”. Convido você a ler o texto completo a seguir e refletir se não seria melhor termos a esperança sonhar? Já que o sonho pode ser planejado, executado e celebrado?

Fé e esperança

Mão masculina próxima de plantas. Ao fundo, há a luz solar.
gajus / 123RF

“Se podes? Tudo é possível àquele que crê” Marcos 9:23

Todo aquele que possui fé terá a esperança como porto de chegada. Coexistem harmonicamente e, se uma delas enfraquece, teremos o reflexo na outra. Integram o cotidiano de todo ser humano nas pelejas da vida. Tudo que realizamos tem um objetivo e a vontade de atingi-lo tem por base a fé. Consta em Hebreus 11:1 – “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem”.

Contudo a razão não pode estar ausente desse binômio. Sem ela essa estrutura não tem sustentação, pois a consciência do objetivo colimado deve estar presente, já que somos os seres inteligentes da criação e não podemos prescindir do raciocínio lógico.

Temos no Evangelho Segundo o Espiritismo, FEB Ed. 131ª, Capítulo XIX, item 7: “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão em todas as épocas da humanidade”. Por outro lado, a fé cega, que é desprovida do bom senso, pode desaguar nos excessos do fanatismo, que igualmente padece da falta de fundamento. Resulta dessa irreflexão o insucesso do que se almeja, sendo essa irracionalidade prejudicial a todos.

Referimo-nos a Rodolfo Calligaris no livro “Páginas do Espiritismo Cristão”, p. 17, onde consta: “[…] a fé necessita de uma base, base que é a inteligência perfeita daquilo em que se deve crer”. Nos caminhos da fé temos de percorrer os degraus da paciência, resiliência e perseverança para que as conquistas que repousam na esperança sejam alcançadas. É um percurso que no dia a dia consolida nossas aspirações, sempre amparadas pela prece e louvor a Deus.

Imprescindível nessa trajetória é a realização de obras. A fé não pode se constituir de sentimento inerte. Tal qual a caridade que é o amor na dimensão dinâmica, ela necessita do labor diário para que não esmoreça a esperança. Corroborando essa assertiva, citamos Tiago 2:18 – “Mas alguém dirá: ‘Você tem fé; eu tenho obras’. Mostre-me sua fé sem obras e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras”.

Nesse contexto devemos entender que é preciso ter mérito naquilo que pretendemos conseguir. Nem sempre o que queremos será o melhor e, não raro, não merecemos. Lembremo-nos de que estamos vinculados à lei do merecimento e que Deus soberano e justo nos proverá daquilo de que necessitamos.

No livro “O consolador”, questão 257, encontramos: “A esperança é a filha direta da fé. Ambas estão uma para a outra como a luz reflexa dos planetas está para a luz central e positiva do Sol. A esperança é como o luar que se constitui dos bálsamos da crença. A fé é a divina claridade da certeza”. Elas são fortalecidas quando concebemos a reencarnação e a imortalidade da alma.

A cada existência renovam-se as oportunidades e aspirações. Temos nas bem-aventuranças o manual perfeito para nortear o nosso sentimento de esperança (quem tem fé está no caminho daquilo que plantou no terreno da esperança).

Luiz Guimaraes
Escrito por Luiz Guimaraes
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FÉ E ESPERANÇA COEXISTEM HARMONICAMENTE

REFLEXÃO: UMA CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL SILENCIOSA

Um movimento das forças da luz e do bem, tal qual uma conspiração espiritual silenciosa é o destaque desta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO. O texto a seguir publicado por Beth Michepud em seu blog Sabedoria Universal, cujo título é “Invasão Silenciosa” aborda com sutileza as consequências dessa transição planetária a qual estamos passando, onde muitos estão no processo evolutivo de mudança de plano dimensional e trabalham silenciosamente no intuito de ajudar aos que ainda não despertaram a saírem da inércia. Este é um texto que você precisa ler e dar um salto quântico evolutivo! 

Invasão Silenciosa

 em 

 

“Na superfície da Terra, exatamente agora, há guerras e violência e tudo parece negro. Mas, simultaneamente, algo silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma Luz mais elevada.

Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima. É uma operação global. Uma conspiração espiritual. Há células dessa operação em cada nação do planeta. Vocês não vão nos assistir na TV, nem ouvir nossas palavras nos rádios e nem ler sobre nós nos jornais. Não buscamos a glória. Não usamos uniformes. Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes. Temos costumes e cores diferentes.

A maioria trabalha anonimamente. Silenciosamente trabalhamos fora de cena, em cada cultura e lugar do mundo. Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales. Nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas. Você talvez cruze conosco nas ruas, e nem perceba, seguimos disfarçados. Ficamos atrás da cena, e não nos importamos com quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho.

De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho. Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais. Mas a noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia. Alguns que conhecem o trabalho nos chamam de “O Exército da Consciência”. Lentamente estamos construindo um novo mundo, com o poder de nossos corações e mentes. Seguimos com alegria e paixão.

Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central. Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note, poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras carinhosas, meditações e preces, danças, ativismo social, sites, blogs, atos de bondades. O mundo precisa de amor!

Expressamo-nos de uma forma única e pessoal, com nossos talentos e dons. Sendo a mudança que queremos ver no mundo. Essa é a força que move nossos corações. Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação. Sabemos que no silêncio e humildade teremos o poder de todos os oceanos juntos.

Nosso trabalho é lento e meticuloso. Como na formação das montanhas. O amor será a religião do século XXI. Sem pré-requisitos de grau de educação. Sem requisitar um conhecimento excepcional para a sua compreensão. Porque nasce da inteligência do coração, escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano.

Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo. Ninguém pode fazer esse trabalho por você. Nós estamos recrutando. Talvez você se junte a nós ou talvez já tenha se unido. Todos são bem-vindos, a porta está aberta.” (Emmanuel)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL SILENCIOSA

AUTOCONHECIMENTO: OS SETE PRICÍPIOS HERMÉTICOS, POR HERMES TRIMEGISTO

Tenho falado sempre sobre as Leis Universais nas minhas publicações do Blog do Saber, assim como nos meus livros e vídeos no YouTube e no Instagram, pois independente de crença, religião ou não crença, somos regidos por essas leis e pelos 7 princípios Herméticos, que são: Mentalismo, Correspondência, Vibração, Polaridade, Ritmo, Causa e Efeito e Gênero. O princípio de Causa e Efeito é o mais importante de todos. nele está contida a maior das leis universais: O positivo atrai o positivo e o negativo atrai o negativo. É preciso termos a consciência de que essas são as leis que devemos obedecer integralmente. Então lhe convido a ler o artigo completo a seguir e aumentar a sua consciência!

Os 7 Princípios Herméticos

Mensagem de 16 de Março de 2021

Os 7 Princípios Herméticos são baseados nos ensinamentos filosóficos de Hermes Trimegisto e refletem leis universais que ilustram como o universo funciona. Esta filosofia pode guiar nosso entendimento de manifestação em nosso mundo. Tirar um tempo para entender o significado dos princípios pode ajudar a ver como eles podem ser aplicados efetivamente e melhorar a vida de alguém. Os princípios são Mentalismo, Correspondência, Vibração, Polaridade, Ritmo, Causa e Efeito e Gênero. Eles foram todos pensados para trabalhar em conjunto e quando entendidos, fornecem intuições para a natureza espiritual mais profunda da realidade. Quando você entende e pratica os 7 Princípios Herméticos, será menos uma vítima, vai tornar-se mais consciente de si mesmo e ser um criador consciente mais eficaz.

Os 3 primeiros princípios podem ser particularmente úteis para entender como criamos a realidade na qual vivemos e como podemos usar nossos corpos mental e emocional, em conjunção um com o outro, para manifestar magicamente o que verdadeiramente desejamos em nosso próprio mundo. Estes são os Princípios do Mentalismo, Correspondência e Vibração.

“Os Princípios da Verdade são sete; aquele que os conhece, compreensivamente, possui a Chave Mágica com cujo toque todas as Portas do Templo se abrem.” – O CAIBALION”

MENTALISMO – “Tudo é mente, o Universo é Mental.”

Isso afirma que tudo, toda a criação, é mental em natureza. Como tal, pensamentos são criativos em natureza e portanto a fisicalidade vem da mente. Em essência, isso significa que aquilo que pensamos, nos tornamos; nossa definição cria nossa realidade. Portanto, ficar atento ao que estamos pensando, dizendo ou sentindo sobre o mundo ao nosso redor, está em essência criando o que chega em nossas vidas. Um grande exemplo disso é ligar para o trabalho dizendo que está doente, quando não está…a próxima coisa que acontece é você ficar doente! O subconsciente é tão poderoso quanto o consciente e igualmente criativo. Portanto, se desejamos acessar isso de uma maneira positiva, compreender nossas feridas e gatilhos torna-se emponderador, conforme vemos no Princípio 2.

CORRESPONDÊNCIA – “Assim como em cima, é embaixo; assim como dentro, é fora”.

Isto significa que pensamentos, palavras, crenças e imagens que mantemos em nossa mente consciente e inconsciente, irão se manifestar como um espelho em nossas circunstâncias externas. Se mantemos padrões de falta, manifestamos escassez. Da mesma forma, se mantemos pensamentos de saúde e cura, podemos curar nossas próprias doenças. A chave é alinhar pensamentos e sentimentos entre os corpos mental, emocional (tanto consciente quanto inconsciente) e físico, pois o corpo físico também armazena padrões reacionários, feridas e traumas. Conforme liberamos nossas feridas e programações, nós “elevamos nossas vibrações”, o que nos traz o 3o Princípio.

VIBRAÇÃO –  “Nada descansa, tudo se move, tudo vibra.”

Um fenônemo conhecido e estudado, a ciência confirma que tudo vibra em sua própria frequência. A própria Terra tem uma frequência que é medida pela Ressonância Schumann, a qual nunca é constante. Tudo está em movimento o tempo todo. Quanto mais devagar a vibração, mais densas e mais devagar as coisas se tornam. Por exemplo, a Ressonância Schumann mede a frequência da Terra tipicamente ao redor de 7.83 Hz, enquanto que a frequência da luz visível varia de 430 a 750 trilhões de Hz. Portanto, o conceito de “elevar suas vibrações” pode ser entendido. Conforme aplicado para manifestar e criar realidade, quanto mais tempo nas vibrações elevadas de paz, aceitação e amor, mais rápida e facilmente pode-se manifestar, passando do peso da densidade da Terra para a velocidade da luz. Um exemplo do poder da frequência em palavras e emoções pode ser encontrado no trabalho do médico japonês Masaru Emoto. Ele fez experimentos com água e o efeito das palavras na estrutura cristalina, com resultados impressionantes.

Juntos, os 3 primeiros princípios herméticos do Mentalismo, Correspondência e Vibração, mostram como é importante manter-nos focados em nosso próprio corpo mental, físico e emocional. Quando vemos a ideia de que tudo o que se manifesta em nossa realidade é um reflexo no nós mesmos, podemos começar a entender que temos mais controle sobre nossa vida do que parece. Como tal, aprofundar-se em nosso próprio mundo interno e aceitar a responsabilidade pelo que está lá fora, torna-se uma enorme ferramenta para causar grande mudança e criar conscientemente o verdadeiro desejo de nosso coração em nossa vida.

Fonte: https://eraoflight.com/
Roseli Giusti Zahm e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: OS SETE PRICÍPIOS HERMÉTICOS, POR HERMES TRIMEGISTO

AUTOCONHECIMENTO: PARA QUE SERVE A CULPA? POR DR. DAVID HAWKINS

Na série Dr. David Hawkins e os níveis de consciências, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO deste domingo vamos aprender tudo sobre a CULPA. Para que serve a Culpa? Aceitar a realidade sem cair na culpa é um grande desafio para a maioria das pessoas, mas podemos substituir o sentimento de Culpa pelo sentimento do Aprendizado. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e saber como isso é possível e qual o ganho no nosso caminhar evolutivo!

Série Dr. David Hawkins e os Níveis de Consciência – para que serve a Culpa?

Mãos apontam para mulher que coloca o rosto sob as mãos.
olegdudko / 123RF

Tudo é motivo para nos sentirmos culpados:

  • Se estamos em casa, sentimos culpa por não estarmos trabalhando.
  • Se estamos no trabalho, culpamo-nos por não estarmos com a família.

Toda vez que transferimos nossa responsabilidade para algo ou alguém, culpando tudo e responsabilizando outros por algo que saiu diferente do que queríamos, experimentamos uma culpa que se transforma em ódio vingativo, uma defesa do ego que não considera que qualquer situação acontece porque foi necessário acontecer para que tivéssemos nosso aprendizado.

Essa é a mais pura realidade!

Aceitar a realidade sem cair na culpa é um desafio.

Tudo que acontece conosco é de nossa responsabilidade. Nossas decisões e necessidades de aprendizado nos levaram até aquilo que aconteceu ou deixou de acontecer.

Tomamos decisões com base na consciência que tínhamos naquele momento. E só podemos julgá-las como más decisões porque evoluímos para enxergá-las assim. Caso contrário, ainda seriam uma boa escolha.

Assim, o erro se transforma em aprendizado. Em vez de sofrer, podemos agradecer por enxergar nossos erros e poder superá-los.

A angústia da culpa é trocada por alívio e alegria.

A culpa não serve para nada em nossa vida adulta!

É apenas um recurso para nosso desenvolvimento. A partir dela, a criança compreende o certo e o errado, tornando-se responsável por seus atos. Quando adultos, a culpa é quase algo obsoleto e pode ser substituída por aprendizagem.

Errou? Aprenda e pronto! Só isso.

Como vencer a culpa?

Para conseguir vencer a culpa é necessário observar os sentimentos e os padrões que construímos para proteger nossos prazeres e desejos de curto prazo.

Observar é perceber quais são nossos sentimentos, nossas sensações e nossos pensamentos e como eles se manifestam. Eles são apenas sugestões da mente.

Tudo isso são impulsos de nossa mente, e nós não somos esses impulsos, mas sim o observador por trás deles. É o observador que permite o pensamento.

A observação de tudo o que se sucede não é: análise, crítica, reflexão, julgamento, resistência.

Observação é entender e compreender silenciosamente. É aceitar e desapegar do controle do resultado, permitindo-se ser quem é dando o seu melhor em todos os momentos.

Isso é amor, e a amor cura a culpa.

Para entender esse e tantos outros níveis de consciência, sugerimos que se aprofunde nesses níveis por meio da leitura dos livros do Dr. David Hawkins, como o “Deixar Ir”, livro traduzido para o português com exclusividade pela Pandora Treinamentos.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: PARA QUE SERVE A CULPA? POR DR. DAVID HAWKINS

AUTOCONHECIMENTO: A AVENTURA DE SER HUMANO CONFIRMA QUE ESTAMOS AQUI NUMACAMINHADA EVOLUTIVA

O site Trabalhadores da Luz é uma das ricas fontes de informações sobre AUTOCONHECIMENTO, aqui no Blog do Saber. Apesar disso publico muito pouco conteúdo desse maravilhoso site, pois tenho consciência de que a maioria dos leitores desse blog ainda não estão preparados para assimilar positivamente as revelações dos mentores desse respeitável e sábio site. Entretanto, é muito fácil perceber quando um determinado artigo e/ou mensagem tem o poder de provocar o interesse e a compreensão desse público tão carente do despertar da consciência. O texto de deste sábado, nesta coluna, “A aventura de ser um um humano”, na minha percepção, conecta com o leitor desse blog, pois explica muito realisticamente o que é 3ª,4ª e 5ª dimensões. Outros textos e artigos que publiquei aqui sobre esse tema não tiveram o esclarecimento e clareza que o texto a seguir tem. Portanto, convido você, que está interessa em expandir sua consciência a ler na integra esse texto esclarecedor! 

A aventura de ser um Humano

Mensagem de 15 de Março de 2021

Há milhares de anos, a humanidade tomou uma decisão: uma decisão de viver com um sentimento de separação interior. Naquela época, os espíritos tinham se cansado de encarnar como espíritos plenamente conscientes no mundo físico. Eles queriam mais desafios na vida.. Eles queriam transformar a vida em um mistério, uma verdadeira experiência humana, independente e verdadeira, e não apenas uma extensão do espírito na matéria.

Tenham em mente que, no estado natural da vida espiritual, como espíritos livres nos reinos mentais, há bem poucas limitações.

As pessoas podem manifestar qualquer coisa que elas precisem, deslocar-se instantaneamente no espaço, mudar para uma posição diferente no tempo, tudo na velocidade do pensamento. Nos reinos mentais, as pessoas podem visitar os amigos ou acompanhá-los, explorando o universo, tudo através do poder do pensamento. É por isto que eles são chamados de reinos mentais..

Para ser mais específico, os reinos mentais existem na consciência da quinta dimensão e são o domínio de sua alma ou do seu ser interior.

Entre o mundo físico da terceira dimensão e o reino da quinta dimensão do seu ser interior se encontra o reino espiritual ou astral da quarta dimensão, habitado por pessoas no início das principais etapas da vida após a morte. Nos estágios finais da vida após a morte, as pessoas entram na quinta dimensão para considerarem as suas opções para uma maior experiência.

A encarnação física é sempre voluntária. Nada obriga uma alma a encarnar em outra vida física. É sempre uma decisão a um nível pessoal e do grupo de alma, se retornam à vida física na Terra.

Há milhares de anos, a experiência física era uma extensão plenamente consciente do espírito na matéria. As pessoas sabiam que elas estavam como espíritos, conectadas aos seus eus internos e ao universo como um todo..

“E se”, elas disseram, “viéssemos à existência física e não soubéssemos quem nós éramos? Poderíamos dedicar todas as nossas vidas à busca de respostas para o mistério. Imaginem que desafio seria!”

A Humanidade, então, tomou a decisão conjunta de mergulhar ainda mais em uma realidade mais focada e mais densa. Seu foco era dirigido aos sentidos físicos, juntamente com um desligamento dos níveis superconscientes e subconscientes do pensamento.

Ao manter um foco firme no mundo “externo” dos sentidos, os seres humanos poderiam até acreditar que eles estariam fixos em um local no espaço e trancados em um continuum do tempo.

Imaginem, a vida física se tornaria tão intensa, tão real, tão convincente!

Agora, a maioria das pessoas adora passeios emocionantes, como aqueles nos parques de diversão. E se o passeio parecer assustador, tanto melhor! Passeios de montanha russa são assustadores.

Os antigos Trens Fantasma nos parques do Reino Unido eram assustadores. Os Castelos Assombrados da Disney, em seus Parques Temáticos na Califórnia, Flórida, Paris e Tóquio, são todos aterrorizantes. Tão aterrorizantes que, quando o passeio termina, as pessoas dizem:

“Isto foi ótimo! Querem mais uma volta de novo?”

A vida pode ser amedrontadora, também. Uma vida passada sem uma conexão constante e consciente com a sua verdadeira natureza interior é sempre um desafio.

Hoje, o passeio no Parque de Diversões da separação interior está chegando ao fim. A Mudança para a Nova Realidade está acontecendo hoje. Estamos nos tornando mais e mais conscientes de nossa natureza interior. Aqueles que compreendem a ideia da Nova Realidade irão desenvolver ativamente esta conexão interior e não apenas esperar que isto os surpreenda, enquanto se revela lentamente.

E, lembrem-se: Este passeio intenso através do mundo físico foi sempre uma escolha. Podemos não nos lembrar de quando a escolha foi feita, mas, a um nível de alma, estivemos de bom grado entrando e partindo do parque temático da vida física na Terra, desde então.

Encarnamos para a experiência da vida física, e para ajudarmos a transformar esta realidade para o seu estado derradeiro. Aquele que, hoje, está surgindo gradualmente.

Estes são os dias da transformação, o tempo da Mudança. O passeio assustador está chegando ao fim. Como uma cultura, estamos prestes a nos encontrarmos e a nos conectarmos interiormente.

Owen Waters — Fonte: www.SpiritualDynamics.net
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A AVENTURA DE SER HUMANO CONFIRMA QUE ESTAMOS AQUI NUMACAMINHADA EVOLUTIVA

AUTOCONHECIMENTO: DESMISTIFICANDO A ANSIEDADE E APRENDENDO A LIDAR COM ELA

O destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta quarta-feira é o distúrbio mental da “ansiedade”. O artigo a seguir orienta as pessoas que sofrem de ansiedade como reconhecer os sintomas e como lidar com esse transtorno mental. Por isso convido você a ler o artigo completo a seguir para que tenha condições de ter o controle da sua vida nos momentos de crise.

O que fazer em uma crise de ansiedade?

Mulher com as mãos no rosto pensativaDương Nhân / Pexels

Para muitas pessoas, ansiedade é um sentimento que define a empolgação para um acontecimento, como encontrar um ente querido ou fazer uma viagem. Nessas situações, a ansiedade é mesmo uma sensação positiva, porque não está se manifestando de forma intensa e exagerada.

Por outro lado, a ansiedade pode ser extremamente prejudicial, tornando-se até mesmo um transtorno mental. Alguém que tem essa sensação de forma excessiva, preocupando-se com questões que estão fora de controle ou que sequer existem, por exemplo, apresentará sintomas físicos muito desagradáveis.

A partir do que foi apresentado, compreendemos que a ansiedade não é uma simples empolgação. Pelo contrário, é uma doença que precisa de tratamento e com a qual muitas pessoas sofrem. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2019 cerca de 260 milhões de indivíduos foram diagnosticados com o transtorno em todo o mundo.

Caso você já tenha recebido o diagnóstico de transtorno de ansiedade e esteja enfrentando dificuldades para lidar com os momentos de crise, o conteúdo que preparamos te ajudará. Ou, então, se você ainda não se consultou com um profissional da saúde, mas imagina que tem essa doença, leia as nossas orientações e procure ajuda!

Sintomas de ansiedade

Como vimos anteriormente, a ansiedade é uma sensação que pode se manifestar física e emocionalmente. Uma vez que cada corpo funciona de um jeito, não existe uma quantidade exata de sintomas que podem se manifestar no corpo de alguém. Então observe como você tem passado os dias, busque orientação médica e cuide da sua saúde!

Mulher sentada no sofá e olhando para janela.
fizkes / 123RF

Para começar a entender mais sobre esse transtorno, veja quais são os sintomas físicos do transtorno de ansiedade: dor no peito, aumento dos batimentos cardíacos, falta de ar, sudorese elevada, tremores pelo corpo, fadiga, boca seca, mãos e pés frios, náusea, diarreia e tensão muscular.

Além dos sintomas físicos, há também os emocionais: medo intenso, preocupação exacerbada, sensação de que algo ruim vai acontecer, irritabilidade, nervosismo constante, dificuldade para relaxar, sentimento de tensão, problemas de concentração e insônia. Tanto os sintomas físicos quanto os emocionais podem se manifestar a qualquer momento.

O que fazer durante a crise de ansiedade?

Uma crise de ansiedade é caracterizada pelo momento em que os sentimentos negativos ou os sintomas físicos incômodos de uma pessoa começam a se manifestar com muita intensidade. Ela pode ser fomentada por um gatilho ou por uma situação que deixe esse indivíduo preocupado, mas isso não é uma regra. Já que a crise de ansiedade é imprevisível, o melhor a fazer é entender como podemos lidar com ela, para que essa sensação seja amenizada o mais rapidamente possível. Confira!

1) Observe o que existe ao seu redor

Uma crise de ansiedade pode ser desencadeada pela sensação de que algo ruim vai acontecer, mesmo que isso não seja verdade, então foque no que realmente existe no presente. Nomeie algo que você pode tocar, algo que você pode cheirar, algo que você pode olhar e algo que você pode ouvir. Concentre-se em tudo isso!

2) Controle a sua respiração

Mulher meditando em sua cama

Andrea Piacquadio / Pexels

Durante uma crise de ansiedade, a respiração de um indivíduo pode ficar muito acelerada ou ofegante. Inspire o ar e o segure por um tempo. Depois, libere-o calmamente. Repita esse processo quantas vezes forem necessárias, até que você retome o controle sobre a sua respiração.

3) Elimine a tensão dos seus músculos

Em situações de medo, é comum que nossos músculos se contraiam imediatamente. Em uma crise de ansiedade, isso também acontece, então procure sentar ou deitar, para deixar os seus músculos relaxados. Estique os braços e as pernas enquanto controla a sua respiração.

4) Evite pensar nos problemas que te preocupam

Se a crise de ansiedade tiver sido motivada por algum gatilho, pensar sobre isso só fará com que você tenha mais dificuldade para encerrar a crise. Desvie a sua atenção para outros pensamentos, tente escrever algo ou cantar uma música e dê um tempo para sua mente se recuperar.

5) Imagine um lugar que te traga paz

Mulher de olhos fechados em um gramado

Anastasiya Lobanovsk / Pexels

Caso você esteja em um lugar que despertou uma crise de ansiedade, feche os olhos e comece a imaginar que você não está ali. Imagine um campo, uma praia, uma cachoeira ou a sua casa. Visualize esse lugar que te traz paz e deixe seu corpo se levar por essa sensação de relaxamento.

Como tratar a ansiedade de forma correta?

Agora que você já sabe o que fazer nos momentos de crise de ansiedade, está na hora de se informar sobre a melhor forma de tratar esse transtorno, para que esses episódios sejam cada vez menos frequentes, chegando a ponto de não existirem. Veja só!

O primeiro tratamento indicado para a ansiedade é o acompanhamento psicológico e/ou psiquiátrico. É por meio dele que é possível diagnosticar a doença, identificar o estágio no qual ela está e trabalhar os problemas e as preocupações que estão causando esse transtorno.

Você também pode gostar

Para complementar o auxílio médico, porém, uma pessoa que sofre de transtorno de ansiedade pode encontrar apoio nas práticas integrativas e complementares. Elas são terapias holísticas certificadas pela Organização Mundial da Saúde que fornecerão um tratamento a partir de recursos terapêuticos e, na maioria das vezes, naturais.

Entre as 29 práticas integrativas e complementares que são oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão: Aromaterapia, Cromoterapia, ReikiMeditação e Yoga. A seguir, entenda como cada uma delas funciona e escolha aquela que agrada mais!

1) Aromaterapia

Óleo essencial

gioiak2 / 123RF

A partir de óleos essenciais, a Aromaterapia promove o equilíbrio e o bem-estar de uma pessoa, cujo sistema nervoso será estimulado com perfumes variados. Em geral, tais perfumes são produzidos a partir de flores e de plantas.

2) Cromoterapia

A Cromoterapia é uma forma de terapia que permite que a energia das cores seja transferida para o corpo de uma pessoa, promovendo equilíbrio energético e proporcionando boas sensações. Nesse sentido, cada cor age para diferentes fins.

3) Reiki

Reiki é o nome de uma prática que tem como objetivo transferir a energia vital de uma pessoa para outra, a partir de técnicas de imposição de mãos. Com essa terapia é possível restaurar o equilíbrio energético de um corpo, promovendo bem-estar.

4) Meditação

Homem sentado no chão meditando

cottonbro / Pexels

Com o objetivo de focar a atenção de uma pessoa em uma questão, em uma situação ou em um sentimento, a meditação pode auxiliar no tratamento da ansiedade. Há uma série de tipos de meditação que podem ser descobertos por quem deseja se conhecer mais e desenvolver a própria capacidade de lidar com problemas.

5) Yoga

Yoga é um conjunto de exercícios que tem como objetivo promover a conexão entre o corpo e a mente de uma pessoa. Essa prática também é considerada meditativa, visto que tem como um dos objetivos facilitar a resolução de problemas internos e traumas.

Considerando tudo que foi apresentado, a ansiedade é um transtorno mental que precisa de atenção e de tratamento. Nos momentos de crise, as dicas que separamos te ajudarão, mas é essencial que você busque auxílio médico de diferentes formas para evitar que esses episódios continuem tirando a sua paz e prejudicando o seu bem-estar.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DESMISTIFICANDO A ANSIEDADE E APRENDENDO A LIDAR COM ELA

REFLEXÃO: A FORÇA E A CORAGEM COMO PARCEIRAS NOS DESAFIOS DA NOSSA CAMINHADA

A Força e a Coragem são virtudes do ser humano que precisam caminhar e atuar juntas nos desafios que nos acometem diariamente. Uma é complemento da outra. Há momentos que precisamos de uma, em outros momentos precisamos da outra e, às vezes necessitamos das duas juntas. Por isso, é importante refletir sobre isso para sabermos a hora certa de usar um e outra. Então convido você a ler o texto a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor.

Mensagem de força e coragem:inspire-se a lutar pelo que quer

Força e coragem

Você se considera uma pessoa de coragem?

E, se tem coragem, também tem força o bastante para suportar os desafios da caminhada?

Em muitas ocasiões da vida, não sabemos avaliar o que realmente necessitamos: se de força ou de coragem.

E há momentos em que precisamos das duas virtudes conjugadas.

Há situações que nos exigem muita força, mas há horas em que a coragem se faz mais necessária.

Eis aqui alguns exemplos:

É preciso ter força para ser firme, mas é preciso coragem para ser gentil.

É preciso ter força para se defender, mas é preciso coragem para não revidar.

É preciso ter força para ganhar uma guerra, mas é preciso coragem para se render.

É preciso ter força para estar certo, mas é preciso coragem para admitir a dúvida ou o erro.

É preciso ter força para manter-se em forma, mas é preciso coragem para ficar de pé.

É preciso ter força para sentir a dor de um amigo, mas é preciso coragem para sentir as próprias dores.

É preciso ter força para esconder os próprios males, mas é preciso coragem para demonstrá-los.

É preciso ter força para suportar o abuso, mas é preciso coragem para faze-lo parar.

É preciso ter força para fazer tudo sozinho, mas é preciso coragem para pedir apoio.

É preciso força para enfrentar os desafios que a vida oferece, mas é preciso coragem para admitir as próprias fraquezas.

É preciso força para buscar o conhecimento, mas é preciso coragem para reconhecer a própria ignorância.

É preciso força para lutar contra a desonestidade, mas é preciso coragem para resistir às suas investidas.

É preciso força para enfrentar as tentações, e é preciso coragem para não cair nas suas armadilhas.

É preciso ter força para gritar contra a injustiça, mas é preciso muita coragem para ser justo.

É preciso força para pregar a verdade, mas é preciso coragem para ser verdadeiro.

É preciso força para levantar a bandeira da paz, mas é preciso coragem para construí-la na própria intimidade.

É preciso ter força para falar, mas é preciso coragem para se calar.

É preciso força para lutar contra a insensatez, mas é preciso coragem para ser sensato.

É preciso ter força para defender os bens materiais, mas é preciso coragem para preservar o patrimônio moral.

É preciso ter força para amar, mas é preciso coragem para ser amado.

É preciso ter força para sobreviver, mas é preciso coragem para aprender a viver.

Enfim, é preciso ter muita força para enfrentar as batalhas do dia-a-dia, mas é preciso muita coragem moral, para vencer-se a si mesmo.

Força e coragem: duas virtudes com as quais podemos conquistar grandes vitórias. E a maior delas é a vitória sobre as próprias imperfeições.

***

A coragem de vencer-se antes que pretender vencer o próximo, de desculpar antes que esperar ser desculpado e de amar apesar das decepções e desencantos, revela o verdadeiro cristão, o legítimo homem de valor.

Por essa razão a coragem é calma, segura, fonte geradora de equilíbrio que alimenta a vida e eleva o ser aos altos cumes da glória e da felicidade total.

(Da equipe de redação do Momento Espírita)

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: A FORÇA E A CORAGEM COMO PARCEIRAS NOS DESAFIOS DA NOSSA CAMINHADA

AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA OS 4 TEMPERAMENTOS E COMO PODE AFETAR SUA VIDA

Na coluna AUTOCONHECIMENTO desta terça-feira você vai conhecer os 4 temperamentos em as pessoas são divididas ou classificadas: Colérico, Melancólico, Fleumático ou Sanguíneo! Assista ao vídeo completo e depois reflita: Qual é o meu temperamento humano? Esse é mais do que um teste de Personalidade, essa é a busca por conhecer quem você é. Portanto, não deixe passar essa oportunidade de se conhecer melhor!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA OS 4 TEMPERAMENTOS E COMO PODE AFETAR SUA VIDA

REFLEXÃO: O CRÍTICO ATACA PARA NÃO SER ATACADO

Nesta terça-feira, aqui na coluna REFLEXÃO vamos abordar o perfil da pessoa Crítica. Aquela que para afugentar a possibilidade de nos encarar fica alerta a tudo o que se passa ao seu redor, a fim de criticar a maioria das ações dos outros. Por que essa pessoa age assim? Portanto convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Crítica, pra quê?

 em 

 

“A crítica advém do julgamento vicioso: ela serve para afastar a atenção sobre nós mesmos e para afugentar a possibilidade de nos encarar. Assim sendo, a pessoa fica alerta a tudo o que se passa ao seu redor, a fim de criticar a maioria das ações dos outros. O que leva alguém a agir assim é o fato de temer os mesmos problemas que critica.

Obviamente esta pessoa não tem consciência disto e critica com base em seus valores pessoais, apegando-se a qualquer mínimo gesto do outro. Por menor que seja o deslize cometido, um motivo para duras críticas já é criado e, a partir daí, desencadeiam-se outras situações. O crítico nem sempre diz o que pensa, mas mesmo permanecendo em silêncio fica indignado com a conduta daqueles que o cercam.

Essa postura compromete em muito o estabelecimento de um bom nível de convivência entre as pessoas, pois quem critica enfraquece a capacidade realizadora do criticado, dificultando assim o seu desenvolvimento espiritual e também o das outras pessoas. Isso impede a colaboração que certamente fortaleceria o grupo familiar ou os demais grupos e, por este motivo, os críticos fervorosos tendem ao longo do tempo a ficar sozinhos.

Ao invés de delegar responsabilidades e dividir as funções, permitindo que cada um participe ativamente e à sua maneira das atividades pertinentes à casa onde mora, o crítico gosta de estar em tudo e não poupa palpites mesmo sem ser consultado. É implicante com tudo, com todos e com o modo como as tarefas são desenvolvidas, além de ter o hábito de corrigir as pessoas que estão ao seu lado e, quando não consegue com que façam de acordo com sua vontade, lança duras críticas.

Essa postura promove a intriga e acarreta excesso de preocupação, ocasionando desgastes desnecessários das pessoas envolvidas e de quem presencia, além de também provocar um mal-estar no ambiente. Mesmo assim o crítico não costuma a se render, uma vez que não reconhece a sua maneira complicada de ser, aproveitando então para lançar mais críticas àqueles que estão ao seu lado.

A crítica é fruto de um pré-julgamento lançado em forma de condenação. No entanto, sabemos que condenar não resolve absolutamente coisa alguma, apenas distancia o crítico das possíveis soluções e tumultua ainda mais o ambiente.

Criticar é atribuir ao outro um desconforto que existe somente dentro do próprio ser que critica. Ser implicante com as pessoas que o cercam representa a projeção de seus próprios conflitos afetivos – é uma espécie de precaução para evitar ser surpreendido por suas próprias atitudes.

De certa forma, o crítico está punindo aqueles que o cercam. Ele age assim para disfarçar a sua revolta por às vezes ter sido muito machucado no passado, projetando a sua discórdia interna naqueles que compartilham de sua vida afetiva atualmente. Ou ainda, age assim por orgulho e fuga de si mesmo, uma vez que criticar é apontar para fora e não para dentro.

A superação desta condição não está na melhora do desempenho alheio – está no reconhecimento do próprio crítico sobre o seu desvio comportamental e no entendimento e aceitação de que cada pessoa é um ser diferente e único. Cada um tem sua individualidade. Na medida em que o crítico passa a resolver as suas próprias chagas afetivas, desprendendo-se do ódio que guarda por aqueles a quem acha que lhe fizeram mal, certamente vai parar de implicar e criticar, restabelecendo o seu bom humor outrora perdido. Passará então a interpretar as situações cotidianas de uma forma mais positiva e não mais negativa e crítica, valorizando mais as outras pessoas, coisa que antes não conseguia fazer. Por fim, cultivará um maior espírito de colaboração, sem se apegar a tantos detalhes e não fazendo mais chuvas com um copo d’água.

Essa reformulação interior é indispensável para que nos tornemos pessoas passíveis de convivência, de modo a fortalecer os laços afetivos e promover uma maior harmonia nos relacionamentos. Além dos benefícios trazidos ao campo emocional, a renovação desta postura beneficia também o campo físico.

Para resolver as mágoas que nos travam no caminho de nossa alquimia interior, faz-se necessário entendermos como elas surgiram em nós. A mágoa é sempre fruto de uma expectativa sobre alguém ou algo, a qual consequentemente foi traída ou frustrada. Normalmente torna-se manifesta quando aquilo que você buscava em um relacionamento ou em uma situação de convivência não foi alcançado.

A pessoa magoada não aceita o fato de que o outro não tem qualquer obrigação de responder aos seus anseios e desejos, não sabendo então respeitar a individualidade alheia. Desta forma, focaliza somente a si mesma, o que restringe a sua ótica sobre a situação, visto que ao mesmo tempo em que acusa o seu companheiro de ser egoísta através da crítica, na verdade ela própria está vivendo egoisticamente, porém não percebe.

Por mais que seja sofrível, o fato é que ninguém é o centro do mundo e que os outros não têm obrigação alguma de girarem em torno de nós. Cada um tem os seus próprios sentimentos e nem sempre pensam como nós. Há de se respeitar isso.

Ademais, devemos entender ainda que a grande parte dos ferimentos causados pelas atitudes dos outros é atribuída também à nossa conduta. Na verdade não existe a vítima da forma como a concebemos, sempre existe uma culpa recíproca – nem que seja em parte, ela existe e muitas vezes são questões de conveniências, de negligência, falta de diálogo, etc. Desta forma, não podemos atribuir ao outro toda a culpa pelos infortúnios causados a nós mesmos.

Consciente disso, não adianta carregar a culpa ou atribuí-la ao outro junto às críticas. É necessário posicionar-se de uma maneira inteligente e filosófica perante a vida, assumindo o presente e parando de viver do passado. É necessário abandonar as mágoas, perdoando e desprendendo-se das críticas e dos julgamentos. O perdão liberta não aquele quem é perdoado e sim aquele quem perdoa.

Os críticos compulsivos, por desarmonia emocional, não conseguem conviver. Normalmente somatizam a energia emocional de seu astral para o físico, dando o surgimento aos cálculos renais.

Portanto, busquemos combater a crítica pela aceitação das diferenças e pelo perdão incondicional.”

(Fonte: academiadefilosogia.org)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: O CRÍTICO ATACA PARA NÃO SER ATACADO

ARTIGOS: A ESCALA DAS EMOÇÕES, POR WAGNER BRAGA

Nesta terça-feira o nosso assunto, aqui na coluna ARTIGOS é Física Quântica, onde falo sobre vibração, frequência e a Escala das Emoções desenvolvida pelo Dr. David R. Hawkins, para medir e quantificar a quantas vibram as nossas emoções e qual a influência disso nas nossas vidas e na nossa evolução. Então conheça a Escala das Emoções e saiba quais as emoções benéficas e quais as maléficas!  

Você conhece a escala de emoções? – Ana Paula Barros

A ESCALA DAS EMOÇÕES

As emoções estão conectadas com o que acreditamos que irá garantir a nossa sobrevivência e não o que realmente irá. Na verdade, emoções por si só são a causa do medo primário que leva as pessoas procurarem segurança constantemente.

Desta forma, a mente é um mecanismo de sobrevivência e usa principalmente as emoções como método. Os pensamentos são produzidos pelas emoções que, eventualmente, se tornam sinônimos. Não raro milhares e até mesmo milhões de pensamentos acabam sendo substituídos por uma única emoção.

Para simplificar e dar clareza, vamos utilizar a escala das emoções que correspondem aos níveis de consciência, sua base científica e aplicações práticas são encontradas no livro Poder vs. Força: Os Determinantes Ocultos do Comportamento Humano (Hawking, [1995], 2012, 2019).

No universo, tudo emite energia, seja positiva ou negativa. É do conhecimento de todos a diferença entre uma pessoa positiva (amigável, verdadeira, alegre) e uma pessoa negativa (gananciosa, traidora, odiosa). Como sabemos “semelhante atrai semelhante”. As diferentes energias vibram em frequências ou “níveis de consciência.” O Dr. David Hawkins desenvolveu O Mapa da Consciência, que fornece uma visão linear, logarítmica de força energética, em frequências que variam de 1 a 1000 Hertz , onde o nível de Iluminação Plena (1000), que no meu livro Gratidão, Intuição e Gratidão, um atalho para a vida plena eu chamo de “Pleni Consciência”, está no topo do mapa e representa o nível mais alto que pode ser atingido no reino humano; que se compara a energia de Jesus Cristo, Buda e Krishna. Por exemplo, o nível da Vergonha (20) está no fundo, perto da morte, representando que o ser mal sobrevive. Já o nível da Coragem (200) é o ponto crítico que marca a troca da energia negativa para a energia positiva. A partir dai temos a Neutralidade (250), a Disposição (310), a Aceitação (350), a Razão (400), o Amor (500), a Alegria ou Amor Incondicional (540) e a paz (600). Acima disso temos ainda a Gratidão, que vibra a 900 Hertz. Abaixo da Coragem temos: o Orgulho (175), a  Raiva (150), o Desejo (125), o Medo (100), Tristeza (75), Apatia (50), Culpa (30) e a Vergonha (20) vibrando perto da morte.

Tradicionalmente, os níveis de energia também são associados aos centros energéticos do corpo, que são mais conhecidos como “Chakras”. Os chakras são centros energéticos por onde a “energia Kundalini” tende a fluir, uma vez que é acordada no nível da Coragem (200). Os centros energéticos (chakras) podem ser medidos por uma variedade de técnicas clínicas e instrumentos eletrônicos sensitivos.

A energia em cada chakra flui através de canais chamados “meridianos” para todo o corpo energético, que é como uma planta do corpo físico. Cada meridiano é associado a um determinado órgão e, por sua vez, cada órgão está associado a uma emoção em particular. Uma emoção negativa desequilibra a energia do seu meridiano e órgão associado. Por exemplo, depressão, desespero e melancolia se associam ao meridiano do fígado, então essas emoções tendem a interferir nas funções deste órgão. Todo sentimento negativo prejudica um órgão do corpo; conforme os anos vão passando, esse órgão começa a adoecer e eventualmente para de funcionar.

O nosso estado emocional influencia não apenas nossas vidas mas também a vida em nossa volta. Se o nosso nível energético é baixo influencia negativamente toda a vida em nosso redor. O contrário também e verdadeiro, ou seja, quanto maior o nível emocional de evolução, mais positiva nossa vida se torna em todos os níveis, e nós sustentamos toda a vida em nossa volta. Conforme sentimentos negativos são reconhecidos e rendidos, vamos ficamos mais livres e subimos na escala e passamos a vivenciar predominantemente sentimentos positivos.

As emoções baixas são limitantes e não nos deixam enxergar o nosso verdadeiro Eu. A partir do momento que começamos a nos render e deixamos ir as emoções baixas e chegamos perto do topo da escala, um novo tipo de experiência começa a acontecer. Bem no topo da escala enxergamos com clareza o verdadeiro Eu e os níveis variáveis de Iluminação. O mais importante é notar que, quanto mais subimos  e somos mais livres, acontece o que o mundo chama de consciência espiritual, intuição e crescimento da consciência. Essa é a experiência comum de todas as pessoas que renderam seus sentimentos negativos. Elas se tornaram cada vez mais conscientes. O que antes era impossível de ver ou vivenciar nos níveis baixos de consciência passa a ser claro e incrivelmente óbvio nos níveis mais elevados.

Retirado do livro Deixar Ir, o Caminho do desapego de David Hawkins, M. D. Ph.D.

Wagner Braga

Continuar lendo ARTIGOS: A ESCALA DAS EMOÇÕES, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: UMA HISTÓRIA REAL SOBRE SUPERAR DESAFIOS, POR CAMILA ZEN

Hoje convido você a assistir ao vídeo de Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO, sobre superar desafios, através de uma história real, de uma mulher que passou por muitas agruras e desafios, recebeu muitos nãos, mas não desistiu, não sucumbiu , foi em frente e hoje é uma das mulheres mais ricas do mundo, J. K. Rowling, autora da saga Harry Potter. Então, convido você a assistir o vídeo a seguir, onde Camila Zen conta essa história de transformação e vitórias. Eu espero que esse vídeo possa te ajudar ou ajudar alguém que você ama e que você nunca deixe de acreditar em você 🧡 Amor e luz, namastê!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA HISTÓRIA REAL SOBRE SUPERAR DESAFIOS, POR CAMILA ZEN

AUTOCONHECIMENTO: APRENDA O QUE É BLOQUEIO EMOCIONAL E COMO DESBLOQUEÁ-LA

O artigo a seguir sobre bloqueio emocional é o destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO deste sábado. A autora do artigo Carla Marçal nos explica o que é bloqueio emocional e ensina como desbloqueá-lo. Por isso, você que padece desse mal não pode deixar de ler esse breve, mas espetacular artigo sobre esse tema tão importante nos dias atuais.

O que é bloqueio emocional e como desbloqueá-lo?

Mulher com a mão sobre o rosto e apoiada à frente de uma bancada.
Kamil Macniak / 123RF

O que é bloqueio emocional e como desbloqueá-lo? Essa situação é familiar para você?

Muitas pessoas se sentem impedidas de realizar seus sonhos e viver plenamente. Talvez muitas não saibam, mas isso tudo pode ter a ver com o bloqueio emocional.

O bloqueio emocional é uma espécie de barreira psicológica, um mecanismo de defesa que pode estar presente no subconsciente e que nos impede de interpretar alguns aspectos da vida a nosso favor. Essa barreira tem a capacidade de bloquear a nossa chegada às metas que acreditamos ser a fonte da felicidade.

Insegurança, sentimentos de inferioridade, medo, ciúme, pensamentos negativos e inveja são alguns dos sintomas mais comuns de bloqueio emocional. Eles afetam a sua vida por inteiro e podem gerar um clima interno de ansiedade e estresse.

Por não conseguir cuidar dos sentimentos de insegurança, o corpo se contrai, o sistema nervoso sofre alterações, os hormônios do estresse entram em ação, a sua cabeça começa a entrar numa espiral, e tudo que você deseja é sair desse estado emocional.

Mulher com o rosto sobre os joelhos.

Pixabay / Pexels

Pelas terapias integrativas, como o ThetaHealing®, é possível iniciar o processo de harmonização por meio da formação de frequências de ondas cerebrais, reduzindo as tensões e a dor emocional, trazendo alívio aos estados de estresse, ansiedade, depressão e angústia.

Dessa forma, as emoções reprimidas e bloqueadas não se transformam em doenças, e os padrões de pensamentos que podem conduzi-lo a um caminho de desventura são transformados e transmutados.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: APRENDA O QUE É BLOQUEIO EMOCIONAL E COMO DESBLOQUEÁ-LA

AUTOCONHECIMENTO: COMO VIVER UMA VIDA MAIS POSITIVA

No vídeo desta sexta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, eu falo um pouco sobre como podemos direcionar nossas vibrações para ter uma vida mais positiva. Explico a influência dos sentimentos que vibramos nas nossas realizações e como devemos manter as energias negativas afastadas da nossa mente para vibrarmos em frequências elevadas e as sombras não nos alcançarem. Então convido você a assistir esta palestra esclarecedora que pode transformar a sua vida!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: COMO VIVER UMA VIDA MAIS POSITIVA

REFLEXÃO: VIBRAR NA LUZ E SE TRANSFORMAR NUM FAROL PARA OS OUTROS

Quando vibramos na mais alta frequência nos afastamos das sombras e da escuridão e nos aproximamos da luz em sua essência. Essa é a mensagem de hoje para quem ainda não conseguiu vibrar na luz. Não é difícil assim como se pensa: ”lembre-se de quem você de verdade é, e seja você mesmo/.” Isso vai te libertar das crenças limitantes e lhe fazer ter uma vida mais leve e plena!

Vibrar na Luz

 em 

 

“Antes de vir a este planeta, você recebeu apenas duas recomendações: ”lembre-se de quem você de verdade é, e seja você mesmo/.” A escolha mais perigosa que podemos fazer neste momento é a de não ouvirmos essa voz que todos temos dentro de nós, e colocarmos o nosso poder nas mãos de outros.

Chegou a hora de crescermos. Crescer é assumir responsabilidade por nossas vidas, por nossas escolhas, por nossas ações. É compreender que cabe a cada um de nós o empenho em encontrar, por si mesmo, o melhor caminho a ser tomado. Não há fontes externas confiáveis. A verdade não está na superfície, no que nos é dito, no que nos é contado por essa caixa de produção em massa que chamamos de televisão.

O quanto de sua energia você tem empregado em compreender este momento? Você tem estado aberto para entender este momento a partir de uma visão espiritual? Embora tudo pareça absolutamente sombrio e assustador, há um sentido neste momento, que precisa ser compreendido. Seu desafio é não se tornar refém do medo. Confiar na luz sob o calor do Sol é fácil. Nosso desafio é continuar confiando na luz, mesmo em meio à escuridão.

Se você se lembra que é luz, e se confia na luz, poderá ser guiado por ela. Sinta, se puder, essas palavras em seu coração. Não vivemos em um “mundo lego” , feito de bloquinhos de matéria. Vivemos em um mundo energético. Sua vibração cria sua realidade. Nossa vibração conjunta cria nossa realidade coletiva. Vibre da forma mais elevada que puder. Assim você atravessa a escuridão. Assim você se torna um farol para outros. Assim você honra sua verdadeira essência.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: VIBRAR NA LUZ E SE TRANSFORMAR NUM FAROL PARA OS OUTROS

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SAGRADO FEMININO AINDA PODE SER RESGATADO

Hoje temos, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL um texto especialíssimo que aborda um tema muito em evidência “O Sagrado Feminino”. O Sagrado Feminino é um movimento muito antigo que busca resgatar o lado Sagrado que existe dentro de cada mulher. Lendo o texto a seguir você saber o que é o Sagrado Feminino, como ele foi perdido ao longo da história da humanidade e como ele pode ser resgatado. 

O QUE É O SAGRADO FEMININO? RESGATE O SEU PODER INTERIOR


Por WeMystic Brasil
TimeTempo de leitura: 5 min

 

mulher contemporânea viu a sua essência ser apagada pelas diversas imposições da nossa sociedade e do mundo moderno: a mulher que tem que ser boa mãe, boa esposa, uma excelente profissional, boa dona de casa, com aparência física em dia, boa amiga, enfim, as pressões para que as mulheres sejam boas em tudo apagou o que elas têm de mais precioso: a sua porção sagrada. Existe um poema muito bonito de autor desconhecido que diz, veja um trecho:

“Houve um tempo, em que todas as mulheres eram sagradas.

Em que eram vistas como Deusas, como senhoras de seu próprio destino.

Houve um tempo, em que o corpo era sagrado, em que o sexo era uma prece.

Em que homens e mulheres respeitavam-se e reverenciavam-se.”

A mulher foi, com o passar dos tempos, sendo diminuída em importância pela sociedade patriarcal, considerada menos inteligente, menos apta, como mera complementação do homem e deixou a sua essência ser apagada. A sua divindade ainda existe, dentro de cada uma delas, o seu poder e a sua energia feminina estão presos dentro da Mulher Interior, e o objetivo do Sagrado Feminino é despertá-los.

 

OS CAMINHOS DO SAGRADO FEMININO

Falar do Sagrado Feminino é trocar conhecimento sobre a sabedoria interna da energia feminina, é abrir os caminhos da intuição nata de cada mulher, despertar a sua essência, o poder da sua feminilidade, o poder de uma força geradora de vida e da sexualidade sagrada.

Essa consciência do poder e valor da mulher é muito antiga, é ancestral, e ao conhecê-la podemos nos reconectar às nossas ancestrais e reconectar à nossa natureza, com todos os seus ciclos. Na busca pelo Sagrado Feminino, as mulheres envolvem-se em uma consciência amorosa para retomar os seus valores no âmbito pessoal, social, cultural, psicológico e religioso, para encontrar dentro de si a plenitude, a sua verdade e sua essência. Ao se conectar consigo mesmo, a mulher passa a se valorizar e honrar o dom sagrado de ser mulher, de ser mãe, esposa, avó ou filha. É uma caminhada de autovalorização e de autoconhecimento que toda mulher deveria fazer para conhecer a força feminina que reside dentro de cada uma delas.

OS MÉTODOS DO SAGRADO FEMININO

Existem, nas reuniões de mulheres que evocam o Sagrado Feminino, diversos métodos específicos de ordem mental, espiritual, física e psíquica para que as mulheres consigam despertar de forma verdadeira a sua essência e encontrar a sua sacralidade. É uma busca lenta e longa pela sua feminilidade para alcançar esta consciência. As metas a nível pessoal e corporal são voltadas ao reequilíbrio do ciclo, purificando e reconectando a mulher ao poder intrauterino que só elas possuem, onde reside a a transformação da sua energia vital em poder mental e consciente. O reequilíbrio busca integrar o poder da alma com a consciência exterior. As práticas buscar realinhar, harmonizar e rejuvenescer a nossa saúde física, sexual, emocional e mental através da reconexão com a Terra, com o Cosmos, com outras mulheres e consiga mesma. As metas específicas podem ser listadas da seguinte maneira:

  • A RECONEXÃO DA MULHER À TERRA

    É o conhecimento da sua origem, dos outros planos dimensionais a que ela faz parte para que ela possa ser a sua própria porta voz, que consiga encontrar os seus propósitos, entender a sua relação com a Terra e com os outros seres e se renovar como mulher.

  • HARMONIZAR E ATIVAR A SUA VIBRAÇÃO

    Todo ser humano possui uma vibração própria, mas todos os dias as mulheres vêm a sua vibração sendo apagada e podada, e por isso muitas vezes a ignoram ou mesmo a anulam. A prática ajuda a desbloquear a energia criadora, geradora e ancoradora, abre a consciência da mulher e a reconecta com aquilo que é importante para ela e para sua missão. Expande sua consciência para seus propósitos e missões para inaugurar um ciclo de evolução.

  • INTEGRAR A ‘FEMINILIDADE SAGRADA’

    Por fim, encontrar e reconhecer a porção sagrada que existe dentro de cada uma. Ancorar a sua nova consciência interior e saber utilizá-la para a evolução, para distribuir luz e despertar a luz dentro de cada mulher que possui a sua consciência apagada ou anulada.

Este despertar do Sagrado Feminino tem sido redescoberto e está se multiplicado em trabalhos desenvolvidos por mulheres empenhadas em divulgar essa sabedoria ancestral com outras. Isso é feito através de círculos de mulheres, terapias individuais, retiros e workshops (formações específicas) onde o trabalho das Deusas femininas são despertados dentro da estrutura psíquica de cada mulher, para a maior compreensão da sua alma, do seu corpo e da sua missão. Procure um grupo de estudo do Sagrado Feminino mais próximo de você e desperte o que há de sagrado na sua mulher interior.

WeMystic Brasil

Fonte: We Mystic

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SAGRADO FEMININO AINDA PODE SER RESGATADO

AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ SABE O QUE É CONSTELAÇÃO SISTÊMICA?

Nesta terça-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO estamos trazendo para você um assunto, ainda pouco difundido na nossa sociedade: a Constelação Sistêmica. Algumas pessoas pode até achar que não, mas o fato é que boa parte da nossa sociedade ainda reluta em aceitar terapias individuais, quanto mais em grupo. Existe um preconceito com relação aos cuidados com saúde mental. A psiquiatria e a psicanálise ainda são vistos por muita gente como coisa para doido ou débil metal. Por isso, estamos trazendo esclarecimentos sobre essa que é uma das terapias mais importantes e eficaz na busca da saúde mental. Então, leia o artigo completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor!

O QUE É CONSTELAÇÃO SISTÊMICA

Para quem acha que, ao vir ao mundo, herdamos apenas os traços e patrimônios genéticos, é preciso reavaliar esta convicção, uma vez que há, também, os sistemas de crença e esquemas comportamentais. Basicamente, a nossa família é um campo de energia. E cada um de nós evoluí dentro deles. Dessa forma, cada indivíduo (incluindo nós mesmos) ocupa um lugar único, desde o nascimento.Assim, somos mantidos em nosso campo familiar e pessoal em determinado nível, de modo a ficarmos estagnados ou crescermos em direção à felicidade, além de influenciar em nossas livres escolhas, no êxito ou fracasso daquilo que empreendemos, nos nossos relacionamentos, para que sejam duráveis, agradáveis ou não, e mais que isso, esse campo de energia também é capaz de influenciar na nossa saúde, bem-estar e, até, nas doenças.

Explicação da razão para que essas situações aconteçam, é o fato de que experimentamos o sentimento de termos sido mantidos nos esquemas problemáticos desde tempos imemoriais. Consequentemente, as constelações familiares nos dão a oportunidade de entender, compreender, os esquemas em seu mais profundo nível.

Convido você a me acompanhar nesta poderosa leitura e conhecer um pouco mais sobre o conceito de constelação sistêmica, bem como a sua influência sobre a nossa vida como um todo.

O que é Constelação Sistêmica?

Constelação Sistêmica é um método psicoterápico, desenvolvido pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger. Ela estuda as emoções e energias que, consciente e inconscientemente, acumulamos. Este aprofundamento possibilita compreender como esses fatores influenciam em nossa tomada de decisão, de forma a reverter os aspectos negativos que desequilibram nossa vida.

Em seus estudos, e com base em sua ampla atuação como terapeuta familiar, Hellinger, que também é filósofo e teólogo, pôde perceber como inúmeras experiências, especialmente as vividas no ambiente familiar, são decisivas para a nossa saúde emocional. Neste sentido, podemos concluir que essas experiências, acumuladas desde a infância, nos tornam parte de vários sistemas, e impactam diretamente em nossos comportamentos e nos resultados que alcançamos na vida que levamos atualmente.

Deste modo, as heranças emocionais que herdamos de nossa família, como perdas, brigas, doenças, separações traumáticas, tragédias, entre outras, podem ser âncoras negativas em nosso processo de evolução, não só pessoal, como profissional também.

Os tipos de constelações

A abordagem via Constelação Sistêmica, permite aplicações ainda, no que tange os seguintes aspectos:

1 – Constelação Sistêmica Empresarial

Aqui são abordadas questões que dizem respeito ao ambiente empresarial. Cabe ao responsável pela sessão da Constelação Sistêmica Empresarial abordar situações ligadas à liderança, hierarquia e até mesmo ao sentimento de pertencimento das pessoas que fazem parte da empresa.

O objetivo desta abordagem é promover a melhoria nas relações entre colaboradores e gestores, bem como entre líderes e stakeholders.

2 – Constelação Sistêmica Profissional 

Neste segmento da Constelação Sistêmica são abordadas questões que interferem no campo profissional. Podem ser traumas, medos ou ainda relações que impedem os profissionais de descobrirem os seus verdadeiros dons e talentos. Com a Constelação Sistêmica Profissional é possível identificar quais são as habilidades profissionais dos colaboradores de maneira clara e autêntica.

3 – Constelação Sistêmica Pessoal

Assim como na constelação familiar, no momento de constelar sistemicamente a situação apresentada pelo indivíduo/cliente/paciente, outras pessoas são convidadas para esta dramatização, e são inseridas no processo para representar os personagens, do contexto do protagonista, que fazem parte de um problema específico, que este deseja e precisa superar em sua vida, para que assim, tenha a oportunidade de evoluir.

Quem conduz uma constelação geralmente é um psicoterapeuta, ou um constelador sistêmico, que a realiza através de uma dramatização em grupo. Assim, mesmo não tendo todas as informações sobre a vida do cliente, ou quem são as pessoas que participam do processo com ele, o terapeuta, aos poucos, vai localizando, por ordem de relevância, as pessoas que estão sendo representadas e identificando seu peso emocional na vida do paciente.

Com isso, ele pode aplicar suas técnicas, para que o cliente alcance o perdão e ressignifique aspectos negativos de suas experiências (enxergar o lado positivo da questão abordada), e imprimir no cliente uma nova dimensão do problema, buscando a superação e o alcance dos seus objetivos, e da qualidade da vida, que este empecilho impossibilitava.

4 – A natureza do nosso campo de energia

Resumidamente: é a nossa família, mais precisamente a história da nossa família. Em especial sua religião, crenças, país de origem – fortes exemplos de como somos influenciados ao longo da vida. Desse modo, a natureza do nosso campo de energia sistêmica é moldada por acontecimentos marcantes, como a história dos relacionamentos dos nossos pais e dos nossos avós.

Pode ser também influenciada pela morte de uma criança muito nova, aborto, parto prematura, adoção, suicídio, guerra, exílio forçado, troca de religião, incesto, antepassado agressor ou vítima. Bem como traição ou, até mesmo, a confiança.

As ações generosas e altruístas dos nossos pais e antepassados são altamente saudáveis para nós. Em contrapartida, as más ações deles modificam fortemente o campo energético familiar, obrigando as gerações posteriores (no caso, nós) a arcar com as consequências.

Entre as más ações podemos citar exemplos como: adquirir bens de forma duvidosa, trapacear ou roubar, pertencer a uma corporação cuja função envolve matar (a exemplo do exército), as diferentes formas de violência, a internação psiquiátrica ou a prisão de membros da família, os acidentes que terminam em trágicas mortes, renegar a sua religião ou seu país.

5 – Pertencimento

Todos nós, enquanto indivíduos, temos o direito ao pertencimento. Essa é uma ligação que não pode ser cedida ou negada a ninguém. Nós pertencemos a um grupo, independentemente de nossas ações. Trata-se de um vínculo que transcende a moral e o merecimento. Posso citar duas consequências deste princípio, sendo elas:

– Exclusão:  nos casos em que esquecemos, ou preferimos esquecer, aquele tio alcoólatra, a avó internada em um asilo, o parente criminoso, ou quem quer que seja e, independentemente do motivo, essas são ações de exclusão. Quando excluímos uma pessoa da nossa constelação sistêmica, os vínculos familiares e sistêmicos atuam nos membros atuais, provocando uma compensação. Por exemplo, algum familiar poderá ter a tendência ao alcoolismo de forma “inexplicada”, “inconsciente”.

No vídeo abaixo eu falo um pouco mais sobre a Lei do Pertencimento no Sistema Familiar. Assista e confira:

– Consciência: Outro exemplo do princípio de pertencimento está na consciência. Assim como na torcida. Quando fazemos alguma piadinha maldosa sobre outros times, ficando tudo bem depois, porque estamos apenas defendendo o nosso time do coração. Dessa forma, o nosso coração fica “leve”. Não é comum que elogiemos uma jogada do adversário, porque não faz parte do nosso sistema.

Ainda no princípio de pertencimento sobre a consciência, é o que acontece com os soldados de uma guerra. Moralmente e em outras situações como na mesa de um café, aqueles homens jamais atirariam uns contra os outros. Porém, no contexto de guerra, matar e morrer pelo seu país é o certo a se fazer.

Benefícios da Constelação Sistêmica

O processo que os mais diversos tipos de constelações sistêmicas desenvolvem são tão poderosos, que a sua aplicação já está sendo realizada em ambientes e situações variadas, como em mediações de conflitos no Poder Judiciário, em escolas e também no Sistema Único de Saúde – SUS, adotada como uma de suas práticas integrativas.

A partir disso, e de tudo o que lemos até aqui, conseguimos perceber que trata-se de um processo de que oferece muitos benefícios a quem dele se utiliza. Confira, a seguir, quais são estes benefícios.

Uma vida com mais significado e leveza

A partir do momento que temos a oportunidade de entender melhor os motivos que nos levam a agir de determinada forma e não de outra, bem como de compreender porque algumas situações acontecem e se repetem com frequência em nossa existência, conseguimos levar uma vida com muito mais significado e leveza.

Isso porque passamos a ampliar a nossa consciência sobre estas situações de desajuste, seja em nossa família ou em nosso ambiente profissional, para que assim tenhamos a oportunidade de implementar as ações necessárias, para que as mudanças se tornem verdadeiramente efetivas e consigamos seguir em frente de forma plena, harmoniosa e tranquila.

Desenvolve o autoconhecimento

Algo que nos ajuda a evoluir enquanto indivíduos e profissionais é desenvolver plenamente o nosso autoconhecimento. Sendo assim, quando investimos e passamos pelo processo de constelação sistêmica temos a oportunidade de conhecer a nós mesmo melhor, de entender nossos sentimentos, as emoções que regem nossas ações e comportamentos, entre outros aspectos de nosso ser, que nos a ajudam a compreender o que precisamos potencializar em nossa personalidade e o que precisamos modificar, para que assim alcancemos a realização pessoal e profissional.

Melhoria nos relacionamentos

Outro grande benefício que a aplicação das constelações sistêmicas traz para a vida de todo e qualquer tipo de pessoa é a melhoria em seus relacionamentos. Isso porque, a partir deste processo, conseguimos compreender melhor a nossa própria história, assim como a história das pessoas que nos cercam.

Com isso, desenvolvemos um respeito por nós mesmos, por tudo aquilo que passamos, e também pelas pessoas com as quais nos relacionamos, respeitando suas ações e comportamentos e tendo cada vez mais empatia por cada uma delas.

Traz resultados para diversas profissões

No que diz respeito ao aspecto profissional da vida de uma pessoa, podemos dizer que o processo de constelação sistêmica traz benefícios para diversos tipos de profissões. Assim, médicos, advogados, profissionais da área de administração, recursos humanos, professores, assistentes sociais, entre muitos outros, se beneficiam desta aplicação, pois o seu conhecimento melhora os relacionamentos, já que traz consciência sobre o papel que cada um deve ocupar em determinado sistema.

Neste sentido, conseguimos entender que em todo e qualquer tipo de ambiente onde haja interação humana, a aplicação da constelação sistêmica trará resultados satisfatórios a todos os envolvidos.

Conheça as Constelação Sistêmica Integrativa

Além dos benefícios que mostrei a você até aqui existem diversos outros que podem te ajudar a ter uma vida mais plena e realizada. Para que você descubra cada um deles, te convido a conhecer o curso desenvolvido por mim, em conjunto com a minha MEGA POWER equipe do Instituto Brasileiro de Coaching – IBC: Constelação Sistêmica Integrativa – CSI.

Trata-se de uma formação que te mostrará uma nova abordagem para que você consiga resolver os conflitos existentes em sua vida, de forma muito mais efetiva, sendo capaz de transformar positivamente a sua história.

Ao se permitir ir além e realizar este poderoso curso, você estará imediatamente apto a ter maior compreensão sobre os mais diversos contextos familiares e de equipes, fazer mediação e resolução de conflitos, tornar-se um facilitador e aplicar as técnicas, conhecimentos e ferramentas da constelação, tanto em sua vida quanto na vida das pessoas ao seu redor, entre muitos outros benefícios. Além disso, você terá plenas condições de aplicar todo o seu aprendizado em na área pessoal, familiar, profissional e organizacional, proporcionando transformações ainda mais poderosas em todos estes contextos.

Lembre-se sempre de se lembrar de nunca esquecer de ousar ir além a todo momento, pois somente assim o poder lhe será dado.

E você, conhece a Constelação Sistêmica? O que achou deste conteúdo? Use o espaço abaixo para me contar a sua experiência e a sua opinião sobre o assunto e, se este artigo te ajudou de forma positiva, curta e compartilhe em suas redes sociais, para que ajude também os seus amigos em seu processo de evolução contínua.

Copyright: Rawpixel.com 565936849 https://www.shutterstock.com/pt/g/Rawpixel.com

Fonte: IBC

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ SABE O QUE É CONSTELAÇÃO SISTÊMICA?

ARTIGOS: COMO NOS TORNAMOS PACIENTES DE ESTIMAÇÃO SEM PERCEBER

A AUTOCURA É REAL E IMINETE. VAMOS ASSUMIR O COMANDO?

A autocura em nosso corpo: entenda esse fenômeno - WeMystic Brasil

Quando decidimos ir ao médico, geralmente é porque estamos sentindo alguma dor. Então você marca a consulta e se submete a avaliação médica. Você vai porque nessa vida é costume entregar a responsabilidade de cuidar da nossa saúde aos médicos e remédios. Normalmente você não para pra pensar o porquê dessa dor e muito menos se não existe uma outra forma de fazê-la parar! É o pragmatismo da vida. Cada macaco no seu galho, não é mesmo? Então você vai ao médico. Ai ele livra você da dor, prescrevendo um remédio. Isso por si só já parece um grande feito. Então você já fica agradecido(a) e passa a confiar nele, mas esse remédio só vai atingir o sintoma, provavelmente não atuará sobre a causa e ainda é provável que esse remédio provoque algum efeito colateral, fazendo você voltar ao consultório para tratar outro sintoma provocado por aquele remédio. Desta forma, o médico(a) pode deixar você num ciclo vicioso. Durante todo esse processo, em momento algum, vai passar pela sua cabeça a possibilidade da autocura. Algo certamente viável para qualquer pessoa, mas requer esforço pessoal, ou seja, vai requerer: disposição, trabalho, treinamento, dedicação, concentração e foco. Parece ser muita coisa, não? Apesar disso é muito mais barato, saudável e eficaz. Barato porque você pode conseguir a autocura sem precisar pagar várias consultas médicas, comprar um monte de remédios, muitas vezes caros. Saudável porque o tratamento é mental e se precisar tomar algum remédio será natural. Eficaz porque a cura é definitiva, pois será tratada a causa e não apenas o sintoma.

É claro que não é fácil, nem simples assim como estou falando, pois requer, primordialmente, que a pessoa se volte para esse tipo de crença. Para isso muitos paradigmas precisam ser quebrados, já que a medicina tradicional ou alopata se desenvolveu e tomou conta das sociedades ocidentais. Uma das coisas que muito contribuiu para essa expansão da alopatia foi o estilo de vida corrido, agitado e de muitas responsabilidades da vida moderna. As pessoas passaram, cada vez mais, a não ter tempo para cuidar do corpo e da mente e por causa dessa correria e da falta de tempo passaram a se contentar com a não dor, ou seja, o pragmatismo do alívio da dor. Não importando o resto.  A medicina homeopática, apesar de milenar, vem perdendo espaço por causa desse pragmatismo, já que seus tratamentos são mais prolongados por atingirem a causa e não o sintoma. Entretanto a cura é definitiva.

O nosso corpo já possui no próprio DNA a programação da AUTOCURA. Note que a nossa luta pela sobrevivência ocorre segundo a segundo, minuto a minuto, hora a hora, dia a dia. A todo momento estamos sendo invadidos por bactérias, vírus e corpos estranhos. Quando levamos a mão à boca ou roemos uma unha estamos sendo invadidos por esses corpos estranhos, mas o nosso organismo na grande maioria dos casos está preparado para se defender desses invasores, através da autocura ou homeostase. Isso acontece automaticamente. Porém, quando adoecemos  significa que esse equilíbrio ou homeostase foi desfeito e pode ter sido por causa do nosso emocional. Uma depressão ou uma profunda tristeza. Mas esse equilíbrio pode ser reestabelecido se a pessoa sair desse estado emocional negativo, realizando-se assim a autocura. E isso pode acontecer sem a necessidade de remédios, mas através da valorização da autoestima, de uma reprogramação mental, da libertação das crenças limitantes. Portanto, a partir do momento que nos conscientizarmos que temos o poder da autocura e que só está faltando assumirmos o comando dessa fantástica máquina deixaremos de ser pacientes de estimação e assumiremos o comando da nossa saúde integral.

Wagner Braga

Continuar lendo ARTIGOS: COMO NOS TORNAMOS PACIENTES DE ESTIMAÇÃO SEM PERCEBER

ESTUDOS TEOLÓGICOS: A CABALA, AS LEIS ESPIRITUAIS E A CRIAÇÃO DO UNIVERSO

Nesta segunda-feira estamos de volta com a nossa coluna ESTUDOS TEOLÓGICOS trazendo esclarecimentos sobre a CABALA. O seu conceito, o que é, onde surgiu, quem a pratica, sua importância para a humanidade e seu significado. Lendo o artigo completo a seguir você vai adquirir um conhecimento mais profundo sobre essa crença e saber a sua relação com o Judaísmo e outras religiões.

Cabala

Mulher com as mãos unidas ao lado de uma vela
sparkbadaboom / 123RF

A cabala é, essencialmente, uma sabedoria que remete ao conhecimento existente desde antes da criação do Universo, que esteve sob os cuidados e domínio de Adão, no Jardim do Éden. A cabala explica desde a formação do Universo até em como funcionam as energias e leis espirituais estabelecidas aqui na Terra, bem como responde às nossas perguntas mais profundas e fundamentais, tais como o porquê de os bons e justos sofrerem e qual o sentido da vida.

Etimologicamente, a palavra cabala origina-se do hebraico e significa, literalmente, “receber”. Trata-se, portanto, de uma sabedoria que é passada pelos mestres, sendo “recebida” pelos seus alunos ou discípulos, o que pode ser comparado também como a transmissão da Luz espiritual aos que assim estejam aptos a receber.

Com o passar dos tempos, essa sabedoria foi transmitida por diversas escolas e líderes espiritais, como Noé, Abraão, Moisés e, mais recentemente, rabinos justos e ilustres como Rav Isaac Luria, o santo ARI, que fundou sua escola na cidade de Tzfat, Israel, no século XVI E.C. O santo ARI proporcionou uma abertura incomensurável desses estudos ao grande público leigo, sendo antes restritos a pequenos grupos eleitos.

Livro antigo aberto

balazschristina / 123RF

Sendo os judeus os guardiães da lei, da Torá e seus preceitos, a cabala acabou sendo associada a esse povo ou mesmo à sua religião, o judaísmo. A cabala, porém, é anterior ao judaísmo e possui diversas vertentes.

Em síntese, a cabala procura desvendar os códigos ocultos da Torá (os cinco primeiros livros da Bíblia, ou pentateuco, sendo eles Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio), entregue por escrito nas mãos de Moisés há aproximados 3200 anos. Segundo os mestres cabalistas, a Torá não deve ser lida literalmente, sendo que possui todas as orientações de vida e todas as respostas aos dilemas e perguntas da humanidade, sobre o modo que devemos viver para alcançar a vida plena.

Atualmente, como previsto pelos grandes cabalistas, chegou o momento de essa sabedoria ser disseminada às massas, de forma simples e direta, para que a época do Messias possa se estabelecer. Em tempos de escuridão e desafios cada vez maiores que precisamos enfrentar, é maior o potencial para a Luz do Criador ser revelada, de forma irrestrita.

Escolha a vida e revele a Luz do Criador!

Denis Schaefer
Escrito por Denis Schaefer

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo ESTUDOS TEOLÓGICOS: A CABALA, AS LEIS ESPIRITUAIS E A CRIAÇÃO DO UNIVERSO

AUTOCONHECIMENTO: ENCONTRE A MOTIVAÇÃO QUE PRECISA DENTRO DE VOCÊ, POR WAGNER BRAGA

Toda sexta-feira você vai encontrar, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, mini palestras motivacionais super esclarecedoras de Wagner Braga sobre tudo que você está precisando ouvir para dar uma guinada e transformar radicalmente a sua vida, para muito melhor é claro! No vídeo de hoje o autor, palestrante e mentor fala sobre REPROGRAMAÇÃO MENTAL. Ele ensina, de forma simples e didática, como você pode realizar todos os seus sonhos através de exercícios de mentalização. Então não perca essa oportunidade única de se transformar e transformar a sua vida!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ENCONTRE A MOTIVAÇÃO QUE PRECISA DENTRO DE VOCÊ, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: LEVEZA EM FORMA DE PRECE NUMA ANTIGA ORAÇÃO DE PROTEÇÃO CELTA

A nossa REFLEXÃO desta sexta-feira vem em forma de oração. Uma antiga oração de proteção Celta.

Para que você alcance paz, felicidade, prosperidade e ótimos inícios neste novo ciclo, esta antiga benção celta traz proteção e realização nos projetos que estão há muito tempo parados ou que andam sem sucesso.

Essa antiga oração celta abre os desejos da alma e desperta a força que estava escondida em você, aliviando os pesos, tensões e maus agouros que afligem a sua mente, o seu corpo e o seu senso de liberdade e força.

Por isso é recomendável fazê-la tanto em momentos de desconforto e fraqueza quanto em momentos de maior tranquilidade como forma de se sentir ainda mais conectada consigo mesma e segura de que tudo seguirá bem e dentro do que está traçado para a sua vida. (We Mystic)

Oração Celta

 em 

 

Hoje trago leveza em forma de prece. É uma antiga oração de proteção celta . Espero que apreciem.

“Que jamais, em tempo algum, o teu coração acalente ódio.
Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida.
Que a música seja tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.
Que os teus momentos de amor contenham a magia de tua alma eterna em cada beijo.
Que os teus olhos sejam dois sóis olhando a luz da vida em cada amanhecer.
Que cada dia seja um novo recomeço, onde tua alma dance na luz.
Que em cada passo teu, fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração.
Que em cada amigo o teu coração faça festa, que celebre o canto da amizade profunda que liga as almas afins.
Que em teus momentos de solidão e cansaço, esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.
Que o teu coração voe contente nas asas da espiritualidade consciente, para que tu percebas a ternura invisível, tocando o centro do teu ser eterno.
Que um suave acalanto te acompanhe, na terra ou no espaço, e por onde quer que o imanente invisível leve o teu viver. Que o teu coração sinta a presença secreta do inefável!
Que os teus pensamentos e os teus amores, o teu viver e a tua passagem pela vida, sejam sempre abençoados por aquele amor que ama sem nome.
Aquele amor que não se explica, só se sente. Que esse amor seja o teu acalento secreto, viajando eternamente no centro do teu ser.
Que a estrada se abra à sua frente. Que o vento sopre levemente às suas costas.
Que o sol brilhe morno e suave em sua face.
Que respondas ao chamado do teu Dom e encontre a coragem para seguir-lhe o caminho. Que a chama da raiva te liberte da falsidade.
Que o ardor do coração mantenha a tua presença flamejante e que a ansiedade jamais te ronde.
Que a tua dignidade exterior reflita uma dignidade interior da alma.
Que tenhas vagar para celebrar os milagres silenciosos que não buscam atenção.
Que sejas consolado na simetria secreta da tua alma.
Que sintas cada dia como uma dádiva sagrada tecida em torno do cerne do assombro.
Que a chuva caía de mansinho em seus campos…
E, até que nos encontremos de novo…
Que os Deuses lhe guardem na palma de Suas mãos.
Que despertes para o mistério de estar aqui e compreendas a silenciosa imensidão da tua presença.
Que tenhas alegria e paz no templo dos teus sentidos.
Que recebas grande encorajamento quando novas fronteiras acenam.
Que este amor transforme os teus dramas em luz, a tua tristeza em celebração, e os teus passos cansados em alegres passos de dança renovadora.
Que jamais, em tempo algum, tu esqueças da Presença que está em ti e em todos os seres.
Que o teu viver seja pleno de Paz e Luz!”

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: LEVEZA EM FORMA DE PRECE NUMA ANTIGA ORAÇÃO DE PROTEÇÃO CELTA

AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA O MÉTODO DE REPROGRAMAÇÃO MENTAL DO DR. BRUCE LIPTON

Tenho falado muito nos meus artigos, palestras e nos meus livros sobre o poder da mente, sobre a nossa consciência, o consciente, o subconsciente e o inconsciente. Sobre como podemos mudar radicalmente a nossa realidade, principalmente se não estamos satisfeitos com ela, através de uma reprogramação do nosso subconsciente. É que, quando nascemos já trazemos uma programação mental, que na maioria das vezes não nos serve. Mas é possível mudar essa programação mental. Aprenda como assistindo essa incrível palestra do Dr. Bruce Lipton!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA O MÉTODO DE REPROGRAMAÇÃO MENTAL DO DR. BRUCE LIPTON

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O MEDO GERADO PELAS CRENÇAS LIMITANTES NOS IMPEDE DE CONHECERMOS A VERDADE

No texto Transcendendo as ilusões a seguir o autor fala da prisão em que vivemos nesse plano 3D, das crenças limitantes que nos impedem de crescer, evoluir e transcender para planos mais elevados, onde a liberdade impera e não há dor nem sofrimento. O medo gerado pelas nossas crenças limitantes nos aprisiona e nos impede de dar esse salto quântico. Portanto, convido você a ler o texto completo a seguir sair do mundo de ilusões para o mundo da verdade!

Transcendendo as ilusões

Nós não conhecemos a liberdade, portanto temos medo de deixá-la florescer; os seres humanos vivem nas trevas de uma prisão, e por isso têm medo da luz do sol que brilha fora das muralhas erigidas por suas próprias mentes, as muralhas da crença e do preconceito ‘

Clemice Petter*

Muita coisa tem sido dita e escrita a respeito da verdade. Muitas pessoas pensam que sabem o que significa viver uma vida espiritual, que sabem o modo, as “práticas” exigidas e o caminho para chegar à verdade. Facilmente esquecemos o que os ensinamentos têm assinalado; está nos Upanishades, foi dito por J. Krishnamurti e por H. P. Blavatsky: “Aqueles que dizem que sabem, não sabem.” A suposição de que sabemos pode ser a maior de todas as ilusões. Se considerarmos a história da humanidade, veremos que aqueles que pensavam que sabiam, que tinham certeza e que criaram fórmulas e moldes para a vida, e assim se colocaram na posição de ditar aos outros como viver, foram as pessoas que trouxeram miséria e corrupção.

Nossa estrutura social está construída sobre moldes de respostas prontas aos desafios da vida. Nossos sistemas educativos estão voltados a moldar a mente da criança numa direção preestabelecida. Pensamos que sabemos qual é o modo correto de vida, e assim, ensinamos aos nossos filhos a serem tão infelizes quanto nós. Nós não conhecemos a liberdade, portanto temos medo de deixá-la florescer; os seres humanos vivem nas trevas de uma prisão, e por isso têm medo da luz do sol que brilha fora das muralhas erigidas por suas próprias mentes, as muralhas da crença e do preconceito, as muralhas do “conhecimento”.

Pelo fato de termos sido moldados segundo um determinado padrão, pensamos que seguir um padrão é um modo de vida. Cada um tem sua própria fórmula a respeito do que os outros devem fazer ou ser. Certamente não aplicamos nossas teorias a nós mesmos, em nossa própria vida; mas queremos que os outros as apliquem em suas vidas. Temos certeza do que há de errado no mundo e de que sabemos como pode ser corrigido, mas somos impotentes no nosso próprio lar. Não sabemos como pôr fim às nossas tristezas, às nossas incertezas diárias e aos nossos medos profundos, nem sabemos como responder aos nossos filhos quando nos fazem as perguntas mais simples e mais inocentes. O fato é que não sabemos como nos relacionar, como vivermos juntos em harmonia e cooperação. Divisão e competição têm sido o modo de vida dos seres humanos neste planeta.

Sendo assim, o que realmente sabemos, e não o que pensamos que sabemos? Lemos muitas coisas em livros e ouvimos as conclusões a que as pessoas chegam, e, portanto, pensamos que sabemos. Quanto mais lemos, mais pensamos que sabemos. Quanto mais pensamos que sabemos, menos entendemos. O conhecimento fecha a porta à compreensão; isso é muito fácil de ver, se realmente quisermos olhar. Portanto, o grande inimigo da humanidade no atual estágio de ignorância é o conhecimento. Isso pode soar um tanto contraditório, mas não é, porque ignorante é aquele que não conhece a si próprio. Não importa quantos livros se tenha lido, se esses livros são sagrados ou mundanos, ou quantos títulos antecedem o nome da pessoa – se não tem autoconhecimento, o ser humano é um ignorante. Se a pessoa percebe o que está ocorrendo no mundo, verá que a atual estrutura social é o resultado da ignorância humana.

A ciência avançou tremendamente no último século, mas foi incapaz de resolver os nossos mais básicos problemas; pelo contrário, eles estão aumentando. Vivemos na era da informação – jamais anteriormente na história da humanidade tivemos tanto conhecimento – e, contudo, estamos enfrentando a maior de todas as crises. Sabemos muito, mas entendemos tão pouco… O conhecimento não está ajudando o ser humano a despertar a natureza humana  gentileza, compaixão e responsabilidade que permanece oculta. Para lidar com isso precisamos compreender a nós mesmos. O autoconhecimento é a chave que abre os portais desta prisão autoimposta, é o caminho para a liberdade, e essa liberdade é o libertar-se do “eu” e do “meu”. Sem liberdade, a aquisição incessante de conhecimento leva inevitavelmente à autodestruição, como podemos ver acontecendo bem diante dos nossos olhos: a insana destruição do meio ambiente, a poluição da água e do ar e o envenenamento deliberado do nosso próprio alimento. Estamos destruindo nosso próprio lar e somos incapazes de ver; consequentemente, não conseguimos mudar isso.

                                                                  Espírito cooperativo

Para ir além da ilusão, precisamos primeiramente entender o mundo por ela criado. O mundo no qual vivemos é um mundo que não conhece a compaixão, que está se tornando cada vez mais violento, brutal e competitivo. Existem aqueles que dizem que a competição é o caminho, que precisamos ser competitivos para progredir. Isso mostra apenas o quão pouco entendemos. Precisamos questionar o que chamamos de progresso e civilização. Ensinar às crianças nas escolas a serem competitivas é um crime contra a humanidade, pois a competição mata o espírito cooperativo; ensinar às crianças uma fórmula para a vida, dizendo-lhes o que devem sentir, como devem amar, é ainda pior. Dizer-lhes o que é o amor é matar a inocência e estupidificar a mente. A verdadeira educação é permitir à criança pensar por si mesma, e não lhe ensinar o que pensar. Até aqui não entendemos ainda este fato simples e óbvio.

Blavatsky nos advertiu a respeito da necessidade de se entender os modos e meios da mente, para não sermos escravos dela. Na primeira página de A Voz do Silêncio, ela escreveu: “A mente é a grande assassina do real. Que o discípulo mate o assassino.” Ela disse que devemos “buscar o rajá [rei] dos sentidos, o produtor de pensamento, aquele que desperta a ilusão.” Blavatsky escreveu isso há mais de cem anos; quantos realmente deram atenção a este ensinamento básico? Muito poucos, parece.

Krishnamurti viajou pelo mundo por mais de sessenta anos explicando, em centenas de locais diferentes, essas afirmações curtas e profundas feitas por Blavatsky. Quantos de nós somos capazes de lhe dar ouvidos? Nenhum instrutor antes de Krishnamurti foi tão profundo e explicou de modo tão detalhado o despertar das ilusões e os meios e modos da mente – a grande assassina do real. Mas, pelo fato de sua linguagem ser simples, de ele não se apresentar
como autoridade e nada prometer, poucos querem ouvi-lo.

Krishnamurti não alega que sabe, ele convida a viajar com ele, a descobrir por si próprio, caminhar juntos como amigos; e caminhar juntos é muito difícil para nós, porque estamos acostumados à autoridade. Nós adoramos autoridade estabelecida pela mente; somos incapazes de ver a natureza destrutiva da autoridade no reino psicológico.

Para ir além da ilusão precisamos sentir o impulso, sermos sérios e capazes de permanecer sós. Assim, a primeira coisa a compreender é a nossa própria ignorância; mais uma vez Blavatsky advertiu sobre isso. Gostamos de pensar que somos grandes e que sabemos. É a vaidade que nos cega; em vez de começar com o primeiro passo pensamos que podemos saltar até o último; em vez de começar a caminhar, pensamos que podemos começar com a chegada. Mas não existem atalhos ou milagres que possam nos fazer entender o mecanismo do nosso criador de ilusões, dessa máquina de pensar chamada mente. Isso pode parecer possível – afinal, a mente é perita em enganar.

      A chave da prisão

Não existe saída desta prisão autoimposta na qual os seres humanos vivem. O autoconhecimento é a chave, e isso foi esclarecido por Blavatsky mo prefácio de A Voz do Silêncio: “O Livro dos Preceitos Áureos – alguns dos quais são pré budistas, ao passo que outros pertencem a uma época posterior – contém uns noventa pequenos tratados distintos. Destes aprendi de cor, há muitos anos, trinta e nove. Para traduzir os outros, teria que recorrer a apontamentos
dispersos entre um número de papéis e notas, acumulados em vinte anos e nunca postos em ordem, demasiado grande para que a tarefa fosse fácil. Nem poderiam eles ser, todos, traduzidos e dados a um mundo demasia- do egoísta e aprisionado aos objeto dos sentidos, para que pudesse estar preparado a receber, com a devida atitude do espírito, uma moral tão elevada. Porque, a não ser que um homem se entregue perseverante ao cultivo do autoconhecimento, ele jamais dará, de bom grado, ouvidos a conselhos de tal natureza.” [itálico acrescentado]

Aqueles que estão estudando A Voz do Silêncio entendem que o autoconhecimento é o início, é o primeiro passo. Sem ele a pessoa é cega e surda em questões espirituais. Portanto, é totalmente inútil continuar lendo livros se não queremos assumir uma jornada interior que revelará as ilusões projetadas pela mente.

Muitos dizem que ir além da ilusão é apenas para poucos, que não é para todos; seria melhor dizer que é para aqueles que são sérios, para aqueles interessados na verdade, não importa o que aconteça. É para aqueles que não mais estão encantados com a doce canção das ilusões despertadas pelo desejo de conforto, seja físico ou psicológico. Assim, a
verdadeira dificuldade nesta questão é de quanto a pessoa está disposta a abrir mão, o quanto está disposta a considerar, a penetrar dentro de si mesma. Os Instrutores disseram que o “eu” é a ilusão primária. Intelectualmente sabemos disso, mas não conseguimos entender ou ver. Não conseguimos entender que esse “eu” seja criação da mente, e, enquanto não entendermos os modos e meios da mente, não conseguiremos ver as ilusões que são os seus subprodutos.

A mente é uma ferramenta cega destinada a ser usada pela inteligência. O problema é que os seres humanos transformaram uma ferramenta cega no rei supremo – um rei cego, adorado por ignorância. A ilusão de que existe inteligência na mente é criada pela falsa impressão de que, pelo fato de termos desenvolvido muita tecnologia, somos inteligentes. Mas tecnologia é basicamente o conhecimento do processo mecânico das coisas, enquanto a inteligência está muito além do mecânico.

Para a inteligência se concretizar é preciso desenvolver a mente e o coração; inteligência significa amor, compaixão e responsabilidade. Responsabilidade no sentido de poder responder – e para isso precisamos primeiramente ser capazes de ouvir. Para ouvir precisamos ser sensíveis; portanto, para a inteligência se concretizar, precisamos trabalhar muito. Não é uma tarefa fácil para uma mente preguiçosa, uma mente que foi colocada para dormir pelas crenças. A mente mecânica, sem a luz da inteligência, está propensa a criar cada vez mais miséria, como atualmente está acontecendo no mundo. nos dividiu em eu e você, meu país e seu país, é o que está destruindo a ca-
sa em que vivemos – a Terra. O poder dessa ilusão é tal que nos torna incapazes de ver que estamos destruindo o próprio ambiente no qual estamos nos desenvolvendo. Nos últimos cinquenta anos, em nome do que orgu-
lhosamente chamamos de progresso, destruímos o meio ambiente com uma velocidade inacreditável. Pensamos que somos inteligentes e civilizados, mas a realidade mostra o contrário; somos bárbaros, como éramos há dois mil anos ou mais. Temos que mudar agora, não no futuro, porque o comportamento humano tornou-se uma ameaça à vida no planeta.

Para transformar a sociedade, precisamos transformar a nós mesmos; isso é muito óbvio. Não podemos ter uma sociedade diferente com o mesmo tipo de mentalidade que criou essa desordem. Para trazer ordem ao mundo precisamos trazê-la a nós mesmos. Pensar que podemos ajudar a humanidade a se livrar dos pensa-
mentos, sentimentos e comportamentos desordenados e conflitantes é a mesma coisa que pensar que podemos limpar uma casa com um pano sujo e uma água suja.

Ir além da ilusão é pôr fim ao “eu”, o local de origem de toda a miséria e degeneração humana.

Fonte: SOPHIA • NOV/DEZ 2020

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O MEDO GERADO PELAS CRENÇAS LIMITANTES NOS IMPEDE DE CONHECERMOS A VERDADE

DICA DE LIVRO: DEIXAR IR, O CAMINHO DO DESAPEGO, DE DAVID R. HAWKINS

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é extraordinária, pois trata-se de um dos melhores livros que eu já li, aliás, estou lendo, na minha vida. O livro “Deixar Ir – O caminho do Desapego do Dr. David R. Hawkins é um guia perfeito para todo aquele que quer alcançar a sua melhor versão e/ou como ele próprio diz: a iluminação! Durante muitas décadas das práticas clínicas psiquiátricas do autor, o objetivo principal era encontrar a maneira mais efetiva para aliviar o sofrimento humano em todas as suas diversas formas. Ao final deste livro, você poderá afirmar que a pessoa que iniciou esta leitura não é mais a mesma que encerra. Você está agora diante do caminho pela liberdade que tanto anseia, livre das crenças limitantes que antes te colocavam distantes deste universo de rendição – e principalmente: pronto para compartilhar e desdobrar tais ensinamentos às pessoas ao seu redor, em seu trabalhos, com seus amigos e família. Portanto, adquira agora mesmo o seu exemplar, leia-o inteiro e dê um salto quântico!

Fonte: Acervo particular

Continuar lendo DICA DE LIVRO: DEIXAR IR, O CAMINHO DO DESAPEGO, DE DAVID R. HAWKINS

AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ É 100% RESPONSÁVEL PELA SUA REALIDADE. ESS É O SEU PODER!

Todos os dias  percorro a internet pesquisando novos artigos que possam esclarecer, elucidar e convencer a você leitor sobre o poder da nossa mente, sobre o que, nós seres humanos, somos capazes de materializar nas nossas vidas e tenho encontrado bons artigos e textos capazes de transformar a sua vida. O texto a seguir é curto e de uma enorme simplicidade, mas, para mim, altamente convincente, pois utiliza a lógica metafórica. Então, convido você a ler, refletir e fazer o seu juízo de valor!

O poder da nossa materialização

Mulher pensativa com a mão no queixo

Povozniuk / Getty Images / Canva

Estava eu outro dia na praia. Na realidade, estava num apartamento com a minha irmã e a minha sobrinha. O dia tinha sido de muito trabalho para mim, já que faço atendimentos online de qualquer maneira. Mas, durante todo o dia, notei que a minha irmã estava reclamando bastante.

Não moramos juntas há muitos anos, então não sei se esse é o modus operandi dela. Mas ela reclamava de absolutamente tudo o que acontecia durante o dia: o Sol estava muito quente, o vizinho estava fumando na varanda, ela estava lavando louça demais e daí por diante.

Decidi não entrar naquela energia e fiquei bem na minha. Lá pelas tantas vírgulas perto das 21h, entra uma barata voadora enorme pela janela. Eu morei lá um ano inteiro, já passei mais feriados lá do que na minha própria casa, e nunca uma barata entrou enquanto eu estava lá.

Eu entendo, estava bastante calor naquele dia. Mas por que em outros dias de calor não acontece essas coisas e naquele dia, com aquele excesso de reclamação, isso aconteceu?

Mulher pensativa com a mão no queixo

SanneBerg / Getty Images Pro / Canva

Temos o poder de materializar as coisas. É o que eu acredito, é o que eu vejo acontecer o tempo todo. Quando eu quero uma resposta do universo, eu peço por borboletas, e eu sempre vejo lindas borboletas respondendo às minhas questões. Agora mesmo, enquanto eu converso com vocês, tem uma enorme na minha lavanderia.

Então por que o excesso de reclamação, o mau humor e o momento ruim de vida não poderiam materializar uma barata? O universo responde àquilo que nós emanamos. Quando emanamos sentimentos negativos recebemos bichos não tão positivos.

Comece a notar quando essas coisas acontecem com você. Possivelmente você criou aquela manifestação na sua vida momentos antes, dias antes ou até mesmo anos antes. O exemplo da barata é uma coisa bem pequena, mas isso pode acontecer também com coisas grandes. Acidentes, assaltos ou encontrar dinheiro na rua. Você cria a sua realidade com tudo o que você pensa e principalmente com aquilo que você fala.

Orai e vigiai, já diria Jesus!

Fonte: Eu Sem Fronteira

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ É 100% RESPONSÁVEL PELA SUA REALIDADE. ESS É O SEU PODER!

ARTIGOS: A COVID-19 E O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

DESPERTAR da consciência coletiva: a missão do coronavírus. Veja vídeo

Estamos vivenciando uma oportunidade incrível de alinhar e corrigir o desequilíbrio entre o intelectual e o espiritual. E esse alinhamento só acontece se trabalharmos junto a saúde mental e física, desenvolvendo a inteligência emocional. Estamos passando por uma transição planetária que se iniciou em 2012 e nunca se falou tanto em autoconhecimento, Ego, Eu Superior, Eu Cósmico, Consciência Cósmica, Consciência Divina, Espiritualidade, física quântica, mecânica quântica, mundo quântico, frequência, vibração, frequência vibracional, gratidão e Amor como agora. Se você for pesquisar essas palavras vão aparecer em milhares de sites, publicações, vídeos no youtube e artigos em jornais e periódicos sobre esses assuntos. Digo isso para enfatizar que estamos passando pelo Despertar da Consciência, que aqui no Brasil, tudo que passamos desde o evento da Lava Jato e o Impeachment de uma presidente da República até a prisão de um Ex-presidente da república e para não ficar só na política vamos lembrar que outros poderosos no campo religioso/espiritual e na medicina também foram parar atrás das grades, na grande limpeza das energias negativas que se processa nessa transição, mostrando que a mentira que já tinha pernas curtas, está anã e em breve rastejará por não ter mais nem pé. Todos esses eventos foram aos poucos expandindo a consciência da humanidade e a pandemia da Covid-19 veio para coroar essa transição planetária, pois igualou todo mundo independente de raça, cor, gênero, classe social, ricos e pobres. Todos sem distinção foram submetidos ao poder desse vírus e como diz o velho ditado: “se não aprendemos pelo amor, aprendemos pela dor”. Então, essa pandemia deu a oportunidade aos que ainda estavam dormindo em berço esplêndido, despertarem a consciência e se libertarem desse plano 3D, passando para a 4ª e 5ª dimensões. Aos que, ainda assim, não despertarem, estarão fadados a experimentarem mais uma existência na dor e no sofrimento.

Wagner Braga

Continuar lendo ARTIGOS: A COVID-19 E O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: COMO ILUMINAR A ESCURIDÃO DE SUA VIDA, POR IVAN MAIA

Onde há luz não há trevas ou escuridão, onde há o bem o mal não sobrevive, onde há a inteligência não existe a ignorância. Por isso você precisa assistir o vídeo a seguir onde o palestrante e mentor Ivan Maia fala sobre Como Iluminar a Escuridão de Sua Vida. Não deixe de ver. Isso pode fazer uma enorme diferença na sua vida!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: COMO ILUMINAR A ESCURIDÃO DE SUA VIDA, POR IVAN MAIA

REFLEXÃO: PARÁBOLA SOBRE GRATIDÃO, POR CAMILA ZEN

Vamos iniciar a semana com uma profunda REFLEXÃO assistindo o vídeo a seguir, onde Camila Zen nos conta a Parábola sobre GRATIDÃO. Gratidão é o exercício de focar no bom. É a chave que abre a porta pra felicidade. A chave que destranca a porta pra tudo que procuramos na vida: felicidade e contentamento. E se você ficar em silêncio, sair um pouco do barulho do mundo, do que todos dizem que você deve ser ou fazer, e pensar por um momento pelo que você pode ser grato, eu tenho certeza que você vai encontrar muitos motivos! Depois de assistir esse vídeo me diga:  Você tem certeza que de vez em quando não age como o rei? Eu espero, do fundo do meu coração que essa mensagem chegue até alguém que esteja precisando ouvir isso hoje, pra se sentir ainda mais em paz e feliz. Namastê!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: PARÁBOLA SOBRE GRATIDÃO, POR CAMILA ZEN

AUTOCONHECIMENTO: O QUESTIONAMENTO MAIS IMPORTANTE DA VIDA DO SER HUMANO NÃO PODE PASSAR ILESO!

Uma mensagem curta, mas direta, eficaz e convincente é o nosso destaque deste sábado, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. O texto a seguir nos remete a uma REFLEXÃO muito importante: Qual o nosso propósito nesta encarnação, independentemente de acreditarmos em reencarnação ou não! Quer acreditemos ou não nos ciclos cármicos, isso pouco importa. O que importa é que estamos abrindo novos caminhos sem saber para onde, exatamente, estamos nos movendo! Então, para onde estamos indo? Leia o texto a seguir, reflita e faça seu juízo de valor!

 

Há escolhas a fazer e direções a escolher

Mensagem de 17 de Fevereiro de 2021

Muitos podem se perguntar em um momento ou outro por que eles encarnaram aqui neste momento específico. Qual é o propósito? O que estamos aqui para fazer? Mais do que nunca, essas questões estão surgindo, pois não estamos mais presos aos ciclos cármicos do passado. Isso pode ser um pouco perturbador, pois significa que estamos abrindo novos caminhos e nos movendo em direções nas quais não nos movíamos antes. Aprofundar nossa conexão com nossa alma nos capacita a reexaminar a vida que estamos vivendo e a nova vida que está emergindo lentamente.

Há escolhas a fazer e direções a escolher. Ter clareza com sua alma sobre o que é mais importante e mais relevante é a chave para tomar essas decisões. Lembre-se de que você está aqui para agir e concluir certas tarefas que são únicas e essenciais para o crescimento e a cura de você mesmo e do coletivo. Não deixe que a incerteza o impeça de fazer uma escolha. Aprenda a viver a vida por meio de seu eu intuitivo e tenha em mente que você sempre pode escolher novamente.

Muito Amor,

Kate Spreckley © 2020 — Fonte: https://www.spiritpathways.co.za/
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O QUESTIONAMENTO MAIS IMPORTANTE DA VIDA DO SER HUMANO NÃO PODE PASSAR ILESO!

AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA – PARTE 6, POR WAGNER BRAGA

No último vídeo da série ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA? Vamos falar sobre como ela age no desempenho profissional, o que fazer para não cair nessa velha armadilha, ser mais proativo no trabalho, o que pode nos causar mais reconhecimento e crescimento pessoal e como alcançar a sua melhor performance. Então, assista ao vídeo completo e se gostar divulgue para os seus amigos e os ajude a serem profissionais de alta performance!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA – PARTE 6, POR WAGNER BRAGA

CIÊNCIAS: A COQUELUXE DO MOMENTO NO COMBATE AO CORONAVÍRUS SE CHAMA ÓXIDO NÍTRICO

Na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL desta quarta-feira, 24/02, publicamos um artigo sobre o Óxido Nítrico, um gás existente na natureza, mas também no nosso corpo. Infelizmente, logo aos 30 anos de idade nosso organismo começa a diminuir sensivelmente a produção desse gás extremamente importante para a manutenção da nossa saúde e bem estar. A ciência descobriu agora que esse composto é extremamente eficaz no combate ao COVID-19. Éo que você vai saber ao ler o artigo a seguir!

O aumento dos níveis de óxido nítrico natural nos pulmões é um possível tratamento para COVID-19, conclui o estudo

Os pesquisadores descobriram que uma forma eficaz de tratar o coronavírus por trás da epidemia de SARS de 2003 também atua no vírus que está no centro da pandemia de COVID-19 em andamento.

A substância em questão é o óxido nítrico, um composto com propriedades antivirais que é produzido naturalmente pelo próprio corpo.

“Até onde sabemos, o óxido nítrico é a única substância que demonstrou ter um efeito direto sobre o SARS-CoV-2 [o vírus por trás da atual pandemia]”, disse Åke Lundkvist, professor da Universidade de Uppsala, que liderou o estudo, publicado em Redox Biology.

Embora as vacinas existam para ajudar a evitar que as pessoas adoeçam, ainda não existe uma cura eficaz para as pessoas que contraem COVID-19.

A ênfase principal nos tratamentos testados tem sido o alívio dos sintomas. Isso pode encurtar as internações hospitalares e reduzir a mortalidade. Até o momento, entretanto, não foi possível provar que algum desses tratamentos afetou o vírus real por trás da infecção.

O óxido nítrico é um composto produzido no corpo. Suas funções incluem atuar como um hormônio no controle de vários órgãos. Ele regula, por exemplo, a tensão nos vasos sanguíneos e o fluxo sanguíneo entre e dentro dos órgãos. Na insuficiência pulmonar aguda, o óxido nítrico pode ser administrado como gás inalado, em baixas concentrações, para aumentar o nível de saturação de oxigênio no sangue.

Durante a epidemia de coronavírus SARS (síndrome respiratória aguda grave) de 2003, esta terapia foi testada com sucesso. Uma das principais razões para os resultados bem-sucedidos foi que a inflamação nos pulmões dos pacientes diminuiu. Essa propriedade do óxido nítrico – a proteção que ele oferece contra infecções, por ser antibacteriana e antiviral – é exatamente o que agora interessa aos pesquisadores.

Seu estudo se baseia em uma descoberta sobre o coronavírus que causou a primeira epidemia de SARS. Em 2003, o óxido nítrico liberado da S-Nitroso-N-acetilpenicilamina (SNAP) provou ter um efeito antiviral distinto.

Os pesquisadores da Universidade de Uppsala e do Instituto Karolinska investigaram agora como o novo coronavírus envolvido na pandemia atual, SARS CoV-2, reage ao composto. E o SNAP também demonstrou um claro efeito antiviral neste vírus – e um efeito que ficou mais forte à medida que a dose foi aumentada.

“A dosagem e o momento do início do tratamento provavelmente desempenham um papel importante no resultado e agora precisam ser explorados o mais rápido possível”, diz Åke Lundkvist.

O grupo de pesquisa agora planeja prosseguir investigando os efeitos antivirais do óxido nítrico emitido na forma de gás. Para isso, eles construirão um modelo em laboratório para simular com segurança uma forma concebível de terapia para os pacientes.

Fonte: Uppsala University

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: A COQUELUXE DO MOMENTO NO COMBATE AO CORONAVÍRUS SE CHAMA ÓXIDO NÍTRICO

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A FILOSOFIA INDIANA É UM DOS GRANDES LEGADOS QUE RECEBEMOS DO ORIENTE

                 A FILOSOFIA DO YOGA

“A Filosofia indiana  é um dos grandes legados que recebemos do Oriente. É um manancial de ensinamentos essenciais para compreendermos a nós mesmos, e possui uma riqueza espiritual sem precedentes. A prática do yoga é um dos seus pilares.”

Cleber Pacheco*

Resultado de imagem para A sabedoria do yoga

A Filosofia indiana é um dos grandes legados que recebemos do Oriente. É um manancial de ensinamentos essenciais para compreendermos a nós mesmos, e possui uma riqueza espiritual sem precedentes. A prática do yoga é um dos seus pilares, e engloba psicologia, ciência e religiosidade  ,em busca da integração interna e da união com o divino.

Os Yoga-Sutras de Patañjali (A Ciência do Yoga, Ed. Teosófica) estabeleceram um sistema, um guia completo que nos auxilia em nossa jornada de autoconhecimento. É como se ele tivesse traçado um mapa muito bem detalhado das diversas etapas do nosso desenvolvimento espiritual, a fim de nos libertarmos da ilusão, de superarmos o irreal para, enfim, atingirmos o real. E isso foi feito de um modo muito mais profundo do que qualquer método da psicologia ocidental. Esta, inicialmente, buscou estudar os aspectos patológicos do ser humano, dando ênfase às doenças psíquicas. Freu visava à cura, mas rejeitava o lado místico e espiritual, pois ele almejava legitimar os seus ensinamentos como estritamente científicos, rejeitando assim o aspecto mais sutil de nossas experiências. Esta é a chamada Primeira Psicologia, limitada ao estudo do inconsciente pessoal.

Foi Jung que ampliou as pesquisas, buscando englobar a memória ancestral da humanidade, chamando-a de inconsciente coletivo e estudando as manifestações artísticas e religiosas, incluindo até mesmo a alquimia em suas pesquisas. A sua além do nível pessoal, alcançando o arquetípico. Mas, a rigor, a Segunda Psicologia ocorreu por meio de Abraham Maslow, Eric Fromm e outros, concentrando-se não apenas no aspecto doentio, mas dando enfoque ao ser humano saudável, dito “normal”, em busca de sua essência.  contribuição  foi levar a psicologia

A Terceira Psicologia volta-se para a Supraconsciência, ou seja, é a psicologia dos seres autorrealizados,  aqueles que já desenvolveram todas as suas possibilidades de crescimento.

Os Yoga-Sutras sistematizara tudo isso muito antes da psicologia ocidental, de modo científico e integrado com a filosofia, sendo, portanto, um caminho completo, que abarca toda a experiência humana na Terra– cuja tarefa é conhecer o mundo manifesto para alcançar o imanifesto, o puro ser, e unir-se a ele por inteiro. Assim, uma vez autorrealizado, o ser humano se torna divino, e, em unidade e totalidade, contribui para auxiliar a todos aqueles que trilham o caminho espiritual.

Trabalhar o ser humano de modo integral é a tarefa proposta pelos Sutras. Cuidar do corpo, lidar corretamente com o prana, a energia vital, trabalhar a mente e libertá-la de to-

dos os seus condicionamentos, a fim de que ela se torne um instrumento adequado para a manifestação de Atma, o nosso eu verdadeiro. O trabalho mais intenso e profundo a ser feito dá-se em nível mental, pois é este o local onde a união proposta pelo yoga deve ocorrer. É a mente que divide; nela reside a dualidade, a ilusão da separatividade, de solidão, gerando desordem.

O conflito só existe na dualidade, onde os opostos lutam entre si, um do yoga A sabedoria Cleber Pacheco* A Filosofia indiana é um dos grandes legados que recebemos do Oriente. É um manancial de ensinamentos essenciais para compreendermos a nós mesmos, e possui uma riqueza espiritual sem precedentes. A prática do yoga é um dos seus pilares, e engloba psicologia, ciência e religiosidade, em busca da integração interna e da

união com o divino. Os Yoga-Sutras de Patañjali (A Ciência do Yoga, Ed. Teosófica) estabeleceram um sistema, um guia completo que nos auxilia em nossa jornada de autoconhecimento. É como se ele tivesse traçado um mapa muito bem detalhado das diversas etapas do nosso desenvolvimento espiritual, a fim de nos libertarmos da ilusão, de superarmos o irreal para, enfim, atingirmos o real. E isso foi feito de um modo muito maisprofundo do que qualquer método da psicologia ocidental. Esta, inicialmente, buscou estudar os aspectos patológicos do ser humano, dando ênfase às doenças psíquicas. Freudvisava à cura, mas rejeitava o lado místico e espiritual, pois ele almejava legitimar os seus ensinamentos como estritamente científicos, rejeitando assim o aspecto mais sutil de nossas experiências. Esta é a chamada Primeira Psicologia, limitada ao estudo do inconsciente pessoal. Foi Jung que ampliou as pesquisas, buscando englobar a memória ancestral da humanidade, chamando-a de inconsciente coletivo e estudando as manifestações artísticas e religiosas, incluindo até mesmo a alquimia em suas pesquisas. A sua contribuição foi levar a psicologia “A Filosofia indiana  é um dos grandes legados que recebemos do Oriente. É um manancial de ensinamentos essenciais para compreendermos a nós mesmos, e possui uma riqueza espiritual sem precedentes. A prática do yoga é um dos seus pilares.”tentando conquistar e possuir o outro, podendo fazer uso da força, e até mesmo da violência, se achar necessário. A dualidade gera medo. Por sua vez, este produz insegurança e a sensação da necessidade de luta, de fugir da dor para obter o prazer. Uma vez alcançada a unidade, o medo desaparece, assim como a necessita de lutar ou de fugir. Não há mais oscilação de um extremo para outro. O yoga nos ensina que é possível ir ainda além da reconciliação dos opostos. Ele nos possibilita uma integração total. Os obstáculos mentais são removidos e a iluminação enfim ocorre.

Afirma um dos Sutras: “Falta de percebimento da realidade, o senso de egoísmo, atrações erepulsões  emrelação a objetos e o forte desejo de viver são as grandes aflições ou causas de todas as misérias da vida.” A capacidade de dizer muito com um mínimo de palavras é característica dos Sutras, que exigem um estudo sério por parte dos aspirantes e, com isso, levam cada um a vencer suas próprias limitações a fim de alcançar a compreensão da riqueza de significados neles existentes.

Explicar e analisar detalhadamente todas as etapas necessárias para chegar à autorrealização é tarefa mais importante e prodigiosa que o sistema do yoga nos traz. É um verdadeiro tesouro legado a todos, indicando, com grande sabedoria, como podemos cumprir o autêntico objetivo de nossas vidas.

Fonte: SOPHIA • NOV/DEZ 2020

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A FILOSOFIA INDIANA É UM DOS GRANDES LEGADOS QUE RECEBEMOS DO ORIENTE

SAÚDE: SAIBA TUDO SOBRE CRUDIVORISMO COM O DR. SAMUEL DALLE LASTE

Quinta-feira é dia da coluna SAÚDE e o destaque de hoje é mais uma mini palestra do extraordinário Dr. Samuel Dalle Laste, ensinado o que é CRUDIVORISMO, a alimentação saudável baseada em RAW FOOD. Então, te convido a conhecer essa modalidade de alimentação que está crescendo bastante entre as pessoas que gostam de alimentação saudável. 

Fonte:

Continuar lendo SAÚDE: SAIBA TUDO SOBRE CRUDIVORISMO COM O DR. SAMUEL DALLE LASTE

MOMENTO ESPETACULAR: CONHEÇA WIM HOF O HOMEM DE GELO E CONSTATE DO QUE NOSSA MENTE É CAPAZ

Há 4 anos vi uma reportagem na TV, no programa Esporte Espetacular, sobre um holandês, chamado Wim Hof, que resistiu ao ficar submerso em gelo, num laboratório, totalmente monitorado, por uma hora e meia, sem alteração nenhuma do seu organismo. Dos batimentos cardíacos à temperatura do seu corpo, nada se alterou durante todo o experimento, para espanto e estupefação dos cientistas que o acompanharam. Antes disso, ele já havia escalado o Monte Kilimanjaro, na Índia, apenas de bermuda e chegou a 7.500 m de altitude no Everest descalço. Perguntaram a ele como ele consegue toda essa façanha e ele disse simplesmente: ‘Eu ponho foco naquilo e me concentro, envio o comando para o meu corpo e ele obedece’. Ele disse que ‘as células possuem memória e gravam as experiências passadas’. Então, só depende de, antes de mais nada, acreditarmos, depois pôr o foco naquilo, exercitar todos os dias, através de exercícios de mentalização e, por fim, não desistir nunca. A seguir você vai assistir essa experiência e ver com os seus próprios olhos do que a nossa mente é capaz. Então acredite! Você também pode!

Fonte:

Continuar lendo MOMENTO ESPETACULAR: CONHEÇA WIM HOF O HOMEM DE GELO E CONSTATE DO QUE NOSSA MENTE É CAPAZ

REFLEXÃO: É NOSSA OBRIGAÇÃO EDE MAIS NINGUÉM O PROCESSO DE CURA

O texto que trago hoje para a sua REFLEXÃO, de autoria de Patrícia Gebrim, é sobre a nossa sociedade doente, suja e mofada que precisa ser curada, limpa e desintoxicada da agressividade, da falta de ética, da corrupção, das mentiras, da falta de empatia, da escuridão. Essa sujeira toda precisa ser varrida da face da terra e só nós, cada um individualmente pode fazer isso. Convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor! 

Nós somos a cura

 em 

 

“O que está acontecendo no mundo ao nosso redor não é novo. Toda essa feiura que andamos vendo, já existia, mas antes estava camuflada.

Vivíamos em um quarto sujo e escuro. O que acontece é que agora a luz está acesa e estamos vendo tudo. .Estamos vendo nossa própria feiura.

Nosso medo, transformado em agressividade. Nossa falta de ética. Nossas mentiras. Nossa escuridão. Nossa absoluta falta de empatia. Entendam, isso não é ruim.

Não podemos limpar algo se não vemos a sujeira. Não podemos curar se não vemos aquilo que está adoecido. Observe tudo com atenção. Perceba o que sente frente à ignorância humana. Perceba o que “sente”. Não se anestesie.

Nós estamos aqui para curar isso. Nós é que precisaremos fazer isso. Não o governo. Não a religião. “Nós” !!!

Se simplesmente tivéssemos mais compaixão uns pelos outros, se permitíssemos que cada um evoluísse no seu ritmo, se parássemos de julgar e nos uníssemos, o processo seria mais rápido. Mas faremos isso como pudermos. Levará o tempo que for necessário, mas um dia sairemos, juntos, desse momento que vivemos. Assim confio.” (Patrícia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: É NOSSA OBRIGAÇÃO EDE MAIS NINGUÉM O PROCESSO DE CURA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho