Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: NÃO BASTA SER GÊNIO TEM QUE TER INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Na sessão DESENVOLVIMENTO PESSOAL deste sábado, temos uma mini-palestra do Palestrante, escritor e psicólogo clínico Rossandro Klinjey sobre Inteligência Emocional. Se você ainda não tem intimidade com esse tema conheça aqui numa mini-palestra de 4 minutos e expanda sua consciência!

Fonte: Rossandro Klinjey

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: NÃO BASTA SER GÊNIO TEM QUE TER INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

SAÚDE: DICAS DO SAMUEL DALLE LASTE, SAIBA COMO MELHORAR A SUA VIDA SEM FUGIR DA DOR

Na nossa coluna SAÚDE desta terça-feira você vai entender que a dor faz parte da nossa evolução e ensina como encarar a dor para melhorar a sua vida. Assista ao vídeo inédito de dicas do Dr. Samuel Dalle Laste e comece a entender como isso funciona.

Fonte:

Continuar lendo SAÚDE: DICAS DO SAMUEL DALLE LASTE, SAIBA COMO MELHORAR A SUA VIDA SEM FUGIR DA DOR

AUTOCONHECIMENTO: CONSCIÊNCIA PLENA SEGUNDO A MONJA COEN

Na sessão de AUTOCONHECIMENTO desta segunda-feira, uma palestra imperdível com uma das mais importantes figuras de divulgação da meditação e consciência plena atualmente em atividade no Brasil, a Monja Coen. Assista toda, vale a pena.

Fonte:

TEDx Talks

Publicado em 25 de mai de 2016

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: CONSCIÊNCIA PLENA SEGUNDO A MONJA COEN

AUTOCONHECIMENTO: DEIXAR IR, O CAMINHO DO DESAPEGO, POR WAGNER BRAGA

Já sentiu que não consegue avançar na sua vida porque tem algo que te prende no lugar que você está? No vídeo de hoje, falo sobre o deixar ir, esse assunto tão vasto e que é tão difícil para muitas pessoas. Trata-se de desapegar das coisas para que consigamos seguir em frente e crescer. Algo que, em algum momento acontece na vida de todas as pessoas e não solucionamos porque não sabemos desapegar. Assista ao vídeo completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor.

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DEIXAR IR, O CAMINHO DO DESAPEGO, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: UM CONTO BUDISTA PARA TE GUIAR NA SUA JORNADA, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO com Camila Zen, aqui no Blog do Saber. Hoje ela nos trás um CONTO BUDISTA para te guiar na sua JORNADA. Que viver com leveza é o ponto de partida e o atalho para a vida plena. Por isso te convido a assistir o vídeo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor sobre essa experiência rica em sabedoria.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UM CONTO BUDISTA PARA TE GUIAR NA SUA JORNADA, POR CAMILA ZEN

AUTOCONHECIMENTO: O DESPERTAR DA NOSSA DIVINDIDADE PASSA PELO ALINHAMENTO DOS PENSAMENTOS E EMOÇÕES À MATRIZ DIVINA

O despertar da consciência humana é o nosso destaque desta quarta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. Você vai ver no artigo a seguir um estudo completo sobre o alinhamento dos pensamentos e emoções à matriz divina que manifestam nossa Perfeição com leveza, harmonia e glória a caminho para o Despertar da nossa Divindade. Portanto, convido você a ler esse texto maravilho e muito bem escrito por Celso Costa.

A Sétima Chave | O Despertar

Mulher abrindo a janela com luz refletindo123RF | lzflzf

Chegamos à nossa sétima e última Chave da Série Caixa Preta. Como podemos perceber, para acessar nosso Centro Criador, precisamos entender que a caixa preta não se limita ao cérebro mas no alinhamento cérebro X coração. Pensamentos e Emoções alinhados à Matiz Divina manifestam nossa Perfeição com leveza, harmonia e glória. Equilibrar esses dois centros é a chave mestra que abre todas as portas. Sobretudo, é o caminho para o Despertar da nossa Divindade.

No primeiro texto que escrevi no Eu Sem Fronteiras, falei do poder das frequências sonoras, com o título A Caixa Preta e os Florais Sonoros. Definitivamente esse é o fundamento dos fundamentos. Tudo o que há é uma composição sonora formatada pelos nossos pensamentos e emoções. É por isso que algumas formas são harmônicas e outras não. Tendo em vista que somos nós que interferimos no universo interno e externo, nada mais justo que aprendermos a usar as frequências sonoras dos nossos sentimentos alinhadas ao poder da palavra para reconstruirmos nosso mundo. Para trazermos à realidade o que tanto almejamos, a Plenitude do Amor.

Homem com rosto no chão sujo de terra e flores em volta

Fernando Cabral / Pexels

Todos podem alcançar esse estado de liberdade, alegria e leveza tão buscado que gosto de chamar de Mente do Cristo Interior. O despertar da consciência tão familiar para os monges budistas, lamas, yogues, dervixes e tantos outros buscadores é atingido, mas é passageiro. São momentos de unidade e felicidade plena (Ananda) desse estado também chamado de Samadhi, Satori, Budato ou Consciência Crística, que uma vez vivenciado jamais pode ser esquecido. Ele transforma plenamente sua vida. E uma das mais poderosas ferramentas de conexão com a divindade interior são os mantras.

A palavra mantra é de origem sânscrita e significa controle da mente, aquietamento ou instrumento para silenciar o pensamento (man = pode ser traduzido como mente, pois significa pensar, ser pensante, substância e corpo mental | tra deriva da palavra trana, libertação ou instrumento, alavanca). Segundo Sivananda, deriva da palavra trayate, que significa liberar-se. Mas não só silenciar como também acessar os mistérios do Universo.

Seu plural é “mantram”, mas no Ocidente tornou-se comum utilizar “mantras”. Segundo historiadores e antropólogos, os mantram originam-se em povos de cultura arcaica e sociedades primitivas ou tribais cujos curadores e sacerdotes recebiam o nome genérico de xamã.

A palavra xamã é adotada pela antropologia como saman, que significa “inspirado pelos seres invisíveis”. São os xamãs genericamente chamados de magos, curandeiros ou feiticeiros que usam técnicas diversas com sons de poder e cânticos para seus povos e para si mesmos com o intuito de obter mais felicidade, saúde, transcendência, iluminação e interação com seus deuses e seres divinos da natureza. Durante séculos o xamanismo espalhou-se pelo mundo e com ele as práticas mântricas. Sua utilização é hoje mais conhecida na Índia, mas ainda há muito mais a ser falado em nossa trilha rumo à metafísica do som.

Mulher em meio a natureza com braços abertos meditando

Lucas Pezeta / Pexels

OM, a palavra sagrada dos hindus, é uma das mais antigas que se conhecem. Há mais de 5 mil anos, provavelmente na Suméria antiga, Om era conhecido e utilizado como uma palavra secreta pelos místicos e sacerdotes sumérios. Quando as tribos indo-arianas foram da Suméria para o norte da Índia, elas levaram consigo o OM, a palavra secreta e preciosa. Nas escrituras indianas mais antigas conhecidas, OM sempre tem um lugar de proeminência. Quase todos os mantras e hinos são iniciados e terminados com OM. Também é utilizado sozinho, como mantra, sendo considerado o mais poderoso, segundo Swami Vishnu Devananda. A sílaba OM é considerada o som primordial do Universo (uni = Deus/Deusa | verso = manifestação). Assim, pode-se afirmar que Om é o princípio, meio e fim. É a totalidade. Segundo o Mandukya Upanishad, Om é aquele que existe, que existiu e sempre existirá. É chamado na Índia por mátriká mantra, o som matriz, matriarcal, que tudo originou.

A origem dos mantram na Índia nos leva também a esse passado milenar, quando os yogues que viviam em profunda meditação ou autoinvestigação, chamados sadhus, praticavam sons com os mais variados objetivos, sendo o principal deles o reconhecimento do ser, o aquietamento mental, a concentração e o Samadhi – Iluminação. Após várias gerações da prática mântrica, os sadhus empiricamente determinaram a língua sânscrita como ideal para a vocalização dos sons, que eram repetidos à exaustão e, se funcionassem, eram incorporados à tradição.

As mais antigas referências escritas sobre os mantram encontram-se nos vedas, textos sagrados do Oriente, surgidos entre 6000 e 2000 a.C. A palavra veda deriva da raiz vid, que significa compreensão ou sabedoria. Esses textos foram escritos em sânscrito arcaico e se dividem em quatro partes: Rig, Sama, Atarva e Yajur.

Os mantram trabalham diretamente com os aspectos mentais, direcionando e concentrando todo o poder mental numa meta ou objetivo. Muitos deles têm o poder de proporcionar satisfações como realização no amor, prosperidade, boa saúde e popularidade. Há também os que atuam contra o estresse, os que acalmam, aumentam ou reduzem batimentos cardíacos e até mesmo os que ajudam a afastar agressores. Dentro do hinduísmo existem também aqueles que se dedicam ao mantra yoga, uma das mais antigas ramificações do yoga. Eles se baseiam na vocalização dos sons ensinados pelos seus mestres, que conheciam as frequências sonoras e seus poderes de atuação sobre o corpo, a mente e o despertar da energia suprema da vida (Prana para os indianos, libido para Freud e chi para os chineses). Ao longo dos séculos, os mantram foram ganhando força pelo inconsciente coletivo ou egrégora (força da repetição).

Essa prática nos leva a acalmar a atividade mental e a estabilizar os pensamentos, acionando assim outras percepções e nos colocando em contato com a nossa essência. A constante prática mântrica conduz a um estado introspectivo, silencioso, que possibilita um diálogo interior com o que existe de mais essencial em nosso ser, o mano-bindu, ou seja, com o nosso centro real, em que opera o purusha (consciência). À medida que nos aprofundamos nas práticas mântricas, atingimos um elevado grau de autoconhecimento e desenvolvemos a intuição, tornamo-nos mais sensíveis, receptivos e menos racionais.

Os efeitos dos mantram são percebidos em nosso corpo por causa da chamada ressonância ou “simpatia” do som, que libera vibrações poderosas no organismo. A ciência que pratica os mantram e sua metafísica é chamada, na Índia, de sphotavada pam. Nessa ciência o mantra é um único fonema ou série de fonemas combinados de acordo com esquemas transmitidos pelos mestres a seus discípulos.

Aquele que conhece o segredo dos sons conhece o mistério de todo o Universo, pois o som divino é a causa de toda criação. -sufi Hazrat I. Khan

Genericamente todas as palavras são mantram, porque aquilo que falamos ou pensamos é dotado de força. Assim, quando ofendemos alguém, criamos uma força energética negativa contra essa pessoa e contra o ambiente onde estamos inseridos, por ressonância de campos. Fazer um insulto faz mal a quem fala, a quem ouve e àquele de quem se fala, mas os mestres do passado esclarecem que quem emite é o maior prejudicado por ser o propagador.

Mulher sentada em posição de lótus com sol refletindo ao fundo

Cottonbro / Pexels

Os objetivos dos mantram são os mais variados possíveis. Podemos até generalizar dizendo que para todas as finalidades existe um mantra. O mantra é uma “forma física” poderosa, constituída de sílabas com vibrações psicofísicas dotadas de propriedades energéticas. Os objetivos principais são:

• Poder de remover ignorância (avidya);

• Poder de revelar verdades (oharma);

• Poder de purificação interna (kriya);

• Poder de realizar a libertação (moksa).

A vocalização de sons mântricos não é um procedimento restrito às tradições hindus, como se costuma pensar. Os muçulmanos entoam orações bastante ritmadas, acompanhadas por um tasbeeh (espécie de terço). Os católicos romanos também possuem mantram em latim e suas preces costumam ser contadas num rosário. Os monges beneditinos são um exemplo claro da força dos mantram, pois em seus cantos gregorianos se utilizam do poder das palavras em notas, oitavas e frequências específicas, conhecidas como as seis frequências mágicas. Existem mantram egípcios, xamânicos, celtas, cabalistas e rúnicos, todos dotados de enorme poder invocativo, gerador e transformador de energia mental. Em sua maioria são em línguas mortas, como latim, aramaico, hebraico arcaico, sânscrito, que por serem inalteradas preservam a força da tradição.

A palavra mantra tem, além disso, outras acepções: linguagem sagrada, sentença, texto, hino védico, oração, reza, feitiço, conjuração, verso ou fórmula mística de encantamento etc.

Um mantra é um símbolo, a realidade simbolizada e o signo que simboliza.

Existe uma correspondência oculta entre as letras, as sílabas e os órgãos sutis do corpo humano, e também entre esses órgãos e as forças latentes ou manifestas no cosmo.

Mircéa Éliade

Homem sentado em posição de lótus com arco de flores ao fundo

Ruslan Alekso / Pexels

Todas as escolas de mistérios, como as rosacrucianas, gnósticas e egípcias, tanto nas Américas como na Europa, utilizam as práticas mântricas nos graus mais adiantados de seus ensinamentos e iniciações. Elas estudam o chamado “verbo divino”, que, segundo o conhecimento oculto, foi utilizado na criação do Universo. Esse verbo é conhecido de diversas formas, entre alguns povos, como:

• para os egípcios: palavra de Ptah;

• para os arameus: palavra de Marduk;

• para os gregos: Logos;

• para os nórdicos: o sopro de Odin;

• para os ocidentais: Luz ou Fiat Lux;

• para os hebreus: Menra.

Para nosso propósito, vamos focar no Egito, cuja prática do Poder do Verbo é conhecida como Dabraká. Esses sons sagrados fazem parte das antigas tradições, a escola de Ptah Otep e a sabedoria da Ferish, baseadas nas origens da kabbalah judaica e no Cabalion, texto de Hermes Trimegisto, o três vezes grande. Essa sabedoria, que por muito tempo foi considerada secreta, é hoje conhecida como Kabash e divulgada no Ocidente por escolas místicas. Na lista abaixo, são conhecidas como práticas de força e poder.

Antes de usar um Dabraká, é preciso ter em mente que o mesmo não poderá ser usado levianamente, sob o risco de acabar atraindo energias densas. Também aconselha-se a lavar as mãos antes dos exercícios. Deve ser praticado uma vez por dia, de preferência ao deitar-se e por um período máximo de dez minutos. Pode ser repetido mentalmente no chacra frontal ou mesmo mantralizado. Aconselho a sempre seguir os exercícios do texto anterior da Chave 6.

Mulher entre a natureza com mãos para o alto e sol iluminando-a

RF._.studio / Pexels

Abitoj – aaaabiiiiiiitooooojjjjj… Para entrar em contato com a natureza individual. Pratique sentado em silêncio.

Azu Birí – aaaazuuuubiiiiiirííííí… Para nos tornarmos mais tolerantes e plenos. Pratique em pé com uma vela acesa atrás de seu corpo para que possa observar a própria sombra.

Ummmmm Shet – muuuuu sheeeeee ttttttt… Para administrar o estresse. Durante a prática os braços devem ficar unidos no peito em forma de X.

Mishalá – miiiii shaaaaaa lááááááá… Para eliminar traumas passados. A prática deve ser à noite, com o olhar dirigido a uma vela.

Abturá – aaaaabbbbtuuuuuráááááá… Para obter bons auspícios (bênçãos) na gravidez. A gestante o pratica com as mãos sobrepostas na barriga.

Shumajet Ati – shuuuuumaaaajeeeeettttt aaaaatiiiii… Para facilitar a interpretação de sonhos. Pratica-se sentado enquanto se observa a chama de uma vela, para recordar as imagens do sonho.

Baraká – baaaaa raaaaaa kááááá… Mantra máximo dessa tradição auspiciosa que nos traz sentimentos de paz emocional. Para entoar esse mantra, coloque-se de frente para o sol e com as mãos cruzadas sobre o peito.

Ja Ha Nut Ané – Este dabraká deve ser utilizado para conseguir o autocontrole, principalmente quando se está ficando irritado com facilidade. A pronúncia correta é “JA RÁ NUTI ANÊ”. A postura indicada na prática desse Dabraká é de joelhos. Pode-se acender uma vela ou apenas imaginar uma luz na sua frente e próxima a você.

Tzair Abú – Este dabraká deve ser utilizado para limpar o corpo de energias densas, dar clareza à mente e equilibrar as emoções. A pronúncia correta é “TIZAIR ABÚ”. Depois que tomar banho e antes de sair do chuveiro, enquanto se concentra no Tzair Abú, permanecer alguns minutos deixando cair água sobre a cabeça. Depois incline um pouco o corpo e deixe a água cair sobre as costas, na região próxima aos rins.

Zi Emej – Este dabraká é indicado para quem está com dor na coluna ou de cabeça. A pronúncia correta é “ZI EMEJE”. Este Dabraká deve ser utilizado para transmitirmos energia e auxiliarmos na cura do próximo. Caso o problema seja na coluna, coloque a mão direita na dor e a esquerda levantada. Mentalizar na mão direita o ZI e na mão esquerda o EMEJ.

Sha Bar Atzi – Este dabraká é indicado para dar paz nos sonhos, melhorando a qualidade dos mesmos e combatendo a insônia. A pronúncia correta é “SHAR BAR ATIZI”. Quando seus filhos dormirem, entre no quarto e aponte seus dedos indicador e maior da mão direita em sua testa. Concentre-se no Sha Bar Atzi e pense: “Siga sonhando, filho. Que seus sonhos sejam harmoniosos e te levem a um futuro de felicidade”. Também pode ser aplicado a qualquer pessoa por quem se tenha algum sentimento.

Mulher meditando em pé com pé apoiado em joelho de olhos fechados

RF._.studio / Pexels

Esses são apenas alguns exemplos práticos que você pode começar a utilizar agora mesmo. A laringe tem uma íntima relação com as nossas energias criadoras, por isso ela é como um útero. Quando passamos a ter Consciência de como é poderosa essa energia, cuidamos mais do nosso verbo. Não nos cabem mais as palavras inarmônicas, arrítmicas, palavras de maldição, fofocas e as maledicências. Com a mesma língua, bendizemos e amaldiçoamos nossos semelhantes, que são a imagem e semelhança da Perfeição da Fonte. Ninguém tem o direito de julgar ou condenar ninguém! Nenhuma fonte produz água salgada e doce ao mesmo tempo. Não se pode estar percorrendo o Caminho e falar palavras doces e amargas de uma vez.

No ventre, o som, a vibração da voz da nossa mãe, o seu ritmo cardíaco, as suas ondas emocionais, a orquestra dos seus órgãos em funcionamento, das células que nascem e morrem começaram por ser o nosso primeiro contato com a riqueza vibracional do mundo exterior.

A vibração sonora é a matéria-prima com que criamos a nossa biblioteca de memórias, interiorizamos escalas de emoções, e geramos os primeiros padrões da nossa inteligência emocional, armazenando e edificando um conhecimento baseado nas entoações e expressões usadas pelos nossos pais e cuidadores, construindo assim a estrutura do nosso léxico emocional.

Tudo à nossa volta gera ondas, reação, vibração. Tudo vibra de fato. O corpo humano é uma caixa de som, um aparelho de ressonância capaz de produzir uma escala de 52 sons essenciais que constituem a base das frequências verbais. A palavra falada, apesar de emitida ao nível da garganta, reverbera em nosso corpo inteiro. A repetição de um mantra terapêutico, ou palavra de poder, vai limpando a memória cristalizada e sombria, reprogramando-a com uma mensagem mais positiva, saudável, feliz.

Mulher em posição de lótus meditando

Oluremi Adebayo / Pexels

Mentes que vibram de forma mais focalizada produzem harmonia e equilíbrio à sua volta.

Mas, antes de começar a usar os Dabrakás, você deve primeiro entender como a ressonância das suas palavras ressoa interiormente. Com essa auto-observação entenderemos exatamente que informações emitimos com nossas palavras.

Vamos fazer o seguinte exercício:

Fale em voz alta 7 vezes cada decreto e sinta a reação em seu corpo:

EU SOU FELIZ!

EU SOU ABUNDANTE!

EU SOU ABENÇOADA(O)!

EU ME AMO!

EU SOU PRÓSPERA(O)!

Não julgue. Apenas se observe e anote as sensações. Não importa o que quer, mas como se sente. Quando você fala, está emitindo um sinal claro, uma frequência de vibração, que ressoa em todo o corpo quando verbalizado com ênfase e propósito. Quando a palavra não vibra confortavelmente, significa que temos crenças a serem transmutadas. Anote tudo.

FUNIL

Agora pegue suas anotações e vamos à segunda parte:

Sensações desagradáveis: para polarizar, precisamos criar frases que transmutem cada uma das sensações desagradáveis. Exemplo: se você disse eu sou próspero e sentiu aperto no coração ou qualquer desconforto, pode mudar o comando para Eu Sou a Transmutação Imediata de todo limite criado pela minha consciência externa.

Faça os novos decretos de polarização, se observe e anote;

Se ainda tiver sensações desagradáveis, vá fazendo o funil com novos comandos de polarização até restar um decreto com uma sensação confortável e segura;

Sensações equilibradas: significa que o decreto ressoa e gera resultado de alteração vibracional.

Absorva as informações que entram em seu campo nesse eterno agora e transforme-as em oportunidades de mudar a si mesmo(a) e a todas as pessoas que entrarem em seu campo. Até porque isso é inevitável. Quanto mais alto estiver o seu padrão vibratório, mais pessoas se aproximarão de você para saber mais sobre a plenitude da vida.

Como disse no texto anterior, não poupe esforços na prática dos exercícios propostos. Eles são baseados em exercícios milenares da arte da magia hermética presentes em meus livros “Alquimista Quântico” e “Terapeuta de Verbopuntura”. E, sim, funcionam. Centenas de milhares de pessoas já foram beneficiadas pelas informações e técnicas das Sete Chaves da Caixa Preta. Chegou a sua vez.

Sem o domínio do Poder do Verbo, teremos muita dificuldade em viver a plenitude com que nascemos para trazer à realidade.

Se quiser saber mais sobre o domínio das Frequências Sonoras, é só visitar meu site. Tem muito mais informações disponíveis, depoimentos, vídeos e afins.

Muita Luz e Amor nesse novo começo.

Transcenda-se com leveza!

Até logo menos.

Celso Costa
Escrito por Celso Costa

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O DESPERTAR DA NOSSA DIVINDIDADE PASSA PELO ALINHAMENTO DOS PENSAMENTOS E EMOÇÕES À MATRIZ DIVINA

AUTOCONHECIMENTO: UMA INTRODUÇÃO SOBRE “EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA”

É importante de vez em quando uma reciclagem para fixação na mente dos conceitos sobre autoconhecimento. Por isso estamos republicando um post sobre o que é autoconhecimento, onde estou começando a dar minha contribuição com mini-palestras sobre o tema. Verbalizando os inúmeros temas desenvolvidos nos meus quatro livros escritos até aqui e também sobre a coletânea do sem números de publicações de terceiros postadas aqui no Blog do Saber Cultura & Conhecimento. Começo fazendo uma breve introdução sobre autoconhecimento e expansão da consciência. Espero que goste e lhe ajude no seu crescimento pessoal.

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: UMA INTRODUÇÃO SOBRE “EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA”

AUTOCONHECIMENTO: A ERA DE OURO DA HUMANIDADE E OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA DAS PESSOAS

Na sessão Autoconhecimento desta segunda-feira, mais um texto extraordinário do grande mentor Carlos Torres, sobre a evolução da consciência. Sobre a era de ouro da humanidade. A era em que estamos tendo a honra e grande oportunidade de vivenciar.

Aqui ela aborda, com muita semelhança, o magnífico poder da nossa mente que eu trato no livro Eu Cósmico, a Essência, quando eu ainda não tinha nem ideia de quem era Carlos Torres. Isso mostra que existe fundamento no que ele trata e no que eu trato no meu livro.

Então aproveitem e deleitem com essa deliciosa leitura.

A ERA DE OURO DA HUMANIDADE E OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA DAS PESSOAS.

Dentro de uma década, veremos essencialmente uma substituição de valores e um novo sistema tecnológico sendo implantado no mundo. Estas explicações estão detalhadas no livro sobre o magnífico e revolucionário sistema operacional que surgirá em breve. Quem não compreender que estamos seguindo na direção de algo maior, sentirá rapidamente uma gigantesca desconexão com o universo e as pessoas. Poderíamos dizer que será algo comparado com a implantação dos aparelhos celulares nas décadas de 80/90 ao redor do mundo. Antes de existirem, ninguém se preocupava ou se imaginava carregando um celular dentro da bolsa, pois todos viviam tranquilamente sem eles.

Mas a partir do momento que os celulares se tornaram reais e essências para a vida moderna, todos começaram a utilizar, o mundo mudou, acelerou e modificou uma geração inteira. Hoje é impossível imaginar a população sem esse pequeno aparelho que todos carregam 24 horas por dia.

A mesma coisa aconteceu depois com os computadores pessoais e a Internet. Quem hoje não utiliza essa nova tecnologia está completamente excluído do mercado de trabalho e das relações pessoais. Quem não acom­panha a evolução passa a ter muitas dificuldades de adaptação. É exatamente isso que acontecerá com esse novo desenvolvimento tecnológico do futuro, que virá para revolucionar tudo o que conhecemos até então.

Estamos falando logicamente de uma mudança comportamental e não material.

Já sabemos que tudo o que está dentro da nossa mente no tempo presente (dinheiro, carreira, trabalho, riqueza, relacionamentos, sonhos e etc.) se projeta para o futuro através da força da consciência e das inten­ções vibracionais, que se manifestam dentro de uma realidade atemporal holográfica e por intermédio da lei da atração. Isso quer dizer que o futuro nada mais é do que apenas o reflexo daquilo que estamos imaginando nesse exato momento.

As mudanças estão vindo e você poderá se tornar um super-homem ou uma supermulher se realmente compreender os poderes que estão integrados dentro da sua consciência e prontos para serem usados.

A Era de Ouro já está disponível para aqueles que entrarem nessa frequência de cura e abundância. Você também pode se beneficiar das maravilhas desse novo mundo que está nascendo. E se assim fizer, começará a usar seu poder criador a seu favor e não mais contra você.

Recebemos um instrumento, uma máquina evoluidíssima e extrema­mente eficiente capaz de feitos extraordinários, mas ao mesmo tempo, parece que roubaram o complexo manual desse magnífico aparelho chamado menteuma máquina que trabalha em total sincronismo entre o mundo físico e o espiritual. No entanto a maioria das pessoas não consegue utilizá-la adequadamente. Ainda temos muito para descobrir sobre nós mesmos. Não conseguimos usar sequer 6% de todo o potencial existente em nosso cérebro. O que seríamos capazes de fazer se utilizássemos 20% desse potencial? Imagine então se conseguíssemos usar 90 ou 100%? Pense nisso.

Acreditamos que esse manual foi perdido no tempo, mas temos agora em nossas mãos a extraordinária oportunidade de resgatar e conhecer um pouco mais sobre as maravilhas da consciência. A Era de Ouro chegou para mostrar que durante milhares de anos a humanidade evoluiu e está pronto para vislumbrar o que nenhum homem pós-diluviano viu até então.

Somos seres espirituais, vivendo uma incrível experiência no mundo material.

A cada passo que dermos para dentro de nós mesmos, mais perto estaremos da verdade e da paz. Deus não está lá fora, sentado em seu trono de ouro, imponente e autoritário, como muitos de nós aprendemos a imaginar. Um Deus amedrontador de criançasque determina o que deve e o que não deve ser feito, o que é pecado ou o que não é, construindo um mundo irreal, de terror e medo. Ele está sim, dentro de nós, em todas as células, moléculas e átomos de nosso corpo, até mesmo dentro dos elétrons, dos prótons e dentro do pequeno vazio que existe entre eles.

Está em tudo o que é vivo, em tudo o que já existiu, existe e existirá. Está em todos os tempos, em todos os lugares, no passado, no presente e no futuro. Nas plantas, nos insetos, nos minerais, nos cristais, na prata, no cobre e no ouro. No vácuo do espaço, no calor do Sol e na escuridão da Lua. Está presente na Galáxia, no Cosmos, no infinito e na luz Suprema, da qual viemos e para onde voltaremos um dia, a Grande Luz, a verdadeira morada.

Essas palavras podem parecer um tanto místicas e surreais, mas a sua consciência já está preparada para compreender o lado místico da vida. Estamos vivendo dentro de uma experiência física material densa e muito diferente da leveza e da fluidez do mundo espiritual. Temos dentro de nossa consciência todo esse conhecimento integrado. Da luz nós viemos e para ela voltaremos. Sendo assim, o conhecimento magístico está inse­rido em nós como se fosse um grande catálogo universal – só precisamos acessá-lo outra vez e nos beneficiar dos poderes que temos, mas nunca nos foram ditos.

Acredite, os nossos amigos espirituais nos guiaram e nos inspiraram para a escrita deste livro, e o objetivo sempre esteve focando numa única direção, a sua realização. Isso é o nossos mentores espirituais realmente desejam, que você realize e tenha ideais definidos, e persiga-os independente das dificuldades. Eles querem que você exerça o seu poder criativo, que ouse sonhar, que crie, modifique e agradeça pela vida que recebeu de presente. Desejam que você mostre para que veio a este mundo e ocupe o seu lugar de direito.

Fonte: a lei da atração

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A ERA DE OURO DA HUMANIDADE E OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA DAS PESSOAS

AUTOCONHECIMENTO: CONSCIÊNCIA PLENA SEGUNDO A MONJA COEN

Na sessão de AUTOCONHECIMENTO deste sábado, uma palestra imperdível com uma das mais importantes figuras de divulgação da meditação e consciência plena atualmente em atividade no Brasil, a Monja Coen. Assista toda, vale a pena.

Fonte:

TEDx Talks

Publicado em 25 de mai de 2016

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: CONSCIÊNCIA PLENA SEGUNDO A MONJA COEN

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A CARIDADE É O NOSSO GUIA PRINCIPAL DE CONDUTA PARA ALCANÇARMOS A NOSSA MELHOR VERSÃO

O texto escolhido para a nossa REFLEXÃO desta quinta-feira, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL tem como destaque o tema CARIDADE. Ele nos chama a refletir sobre a importância da caridade para a nossa evolução espiritual e compreender que ela é o nosso guia principal de conduta para alcançarmos a nossa melhor versão. Leia o artigo completo a seguir, reflita e faça o seu juízo de valor!

Um dia é pouco para a caridade!

Pessoas brancas segurando coração de papel.

bee32 / 123rf

Quando pensamos em caridade, é impossível não lembrar das palavras de São Paulo:

“Se eu falar as línguas dos homens e dos anjos, e não tiver caridade, sou como o metal que soa, ou como o sino que tine. E se eu tiver o dom de profecia, e conhecer todos os mistérios, e quanto se pode saber; e se tiver toda a fé, até a ponto de transportar montanhas, e não tiver caridade, não sou nada. E se eu distribuir todos os meus bens em o sustento dos pobres, e se entregar o meu corpo para ser queimado, se, todavia, não tiver caridade, nada disto me aproveita. A caridade é paciente, é benigna; a caridade não é invejosa, não obra temerária nem precipitadamente, não se ensoberbece, não é ambiciosa, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.”

Essa passagem do Evangelho nos dá a verdadeira dimensão do que é a caridade e como é trabalhoso conseguir ser caridoso. A caridade exige um grau de autoconhecimento enorme. Exige de nós a nossa melhor parte, aquela que precisamos trabalhar incessantemente.Homem negro segurando caixa escrito "donations".

cottonbro / Pexels

A caridade exige um grau de autoconhecimento enorme.

Antes de Paulo, Jesus nos deixou a máxima: “Fora da caridade não há salvação”, como guia principal de conduta. Conduzir nossas ações ponderando essa lição nos coloca diante de virtudes baseadas no amor, na fé, na benevolência e são essas virtudes que nos conduzem à evolução da alma.

A caridade é a benevolência, é a piedade, é a compaixão que se tem pela dor do outro. É compreender com o coração o que faz o outro sofrer. Sentir o que ele sente, colocar-se em seu lugar para iluminar a própria visão que se tem do outro. O mais importante no ato de ser caridoso é sentir-se parte do outro, é compreender que todos somos feitos da mesma essência.

A caridade nos faz enxergar além do próprio umbigo, nos faz buscar o que existe de mais divino dentro de nós. Mais do que não fazer o mal ao outro, é fazer o bem. Saímos da zona de conforto em benefício do outro, deixamos os nossos interesses pelos interesses dos outros e, mesmo que não tenhamos consciência, quando cuidamos do outro, cuidamos de nós mesmos.

Ser caridoso exige ação. O conhecimento sem a ação não é nada! Não nos leva a lugar algum.

Entretanto, observar como fazemos essa caridade é ainda mais importante. Se deixarmos o orgulho vir primeiramente, a caridade não tem valor algum. Se a caridade só tiver o objetivo de mostrar o quanto se é bom, não atingiu seu objetivo. A verdadeira caridade é amor, é velada, é aquela que não humilha, que não inferioriza ninguém.

A caridade está em suprir os que necessitam de coisas materiais? Sim, se essa é a necessidade. Que mãe que não tem o que dar de comer ou vestir aos filhos que não se sente feliz e agradecida por receber o suprimento? Quem não se sente abençoado quando percebe que o outro sentiu sua dor? Mas, existem outras formas de ser caridoso. Dar um sorriso, escutar alguém, visitar um doente, abraçar aquele que se sente triste, são tantas formas de colocar o amor em prática. O conceito cristão da caridade é ser o sujeito de qualquer atitude que gere impacto positivo na vida de alguém, seja por atos, palavras ou até mesmo pensamentos positivos emitidos para alguém. Enviar luz àquele que precisa.

Parece estranho, mas também precisamos ser caridosos com nossas próprias dificuldades, é preciso olhar para nossas próprias fraquezas e defeitos como oportunidades de aprendizado, sem vitimismo, sem culpa, sem cobranças, sentimentos que só nos colocam mais para baixo, que só nos trazem mais desalento e dificuldade de se erguer diante de uma situação difícil. Ser caridoso conosco é compreender e olhar bem para dentro de si próprio e perceber o que precisamos mudar.

Pessoas trabalhando em projeto social.
Julia M Cameron / Pexels

Enfim, se conseguirmos pautar nossas atitudes na máxima: “Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós” (Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XI), já será um grande avanço.

A prática da caridade será a forma mais rápida de conhecer a verdadeira felicidade.

Fonte: eusemfronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A CARIDADE É O NOSSO GUIA PRINCIPAL DE CONDUTA PARA ALCANÇARMOS A NOSSA MELHOR VERSÃO

REFLEXÃO: A HISTÓRIA DO REI E DAS DUAS ÁGUIAS, POR CAMILA ZEN

Quando sentimos que a vida nos dá uma rasteira, a primeira coisa que nos vem a cabeça é nos sentir injustiçados. Mas o nosso conhecimento é limitado, não temos ideia de como acontecimentos de agora vão nos afetar no futuro. Tanto os acontecimentos que julgamos bons, quanto os que julgamos ruins. A vida tem um jeito de nos guiar, nos impulsionar, que a maioria das vezes não conseguimos entender. Esse é um conto que nos ajuda a entender como, muitas vezes, as coisas que parecem ruins no momento, são necessárias pra nos fazer aprender, crescer e nos tornar capazes de viver a vida que sonhamos, e dar certos passos necessários pra isso, mas que às vezes não temos coragem. Confia na sua jornada, confia em você! E use cada oportunidade pra aprender e crescer em direção aos seus sonhos.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: A HISTÓRIA DO REI E DAS DUAS ÁGUIAS, POR CAMILA ZEN

AUTOCONHECIMENTO: SUBCONSCIENTE, A ZONA DA MENTE QUE REALIZA OS NOSSOS DESEJOS

Na coluna AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira temos o 10ª vídeo da série AUTOCONHECIMENTO, onde o destaque é o SUBCONSCIENTE, talvez a parte mais importante da consciência humana, já que é esta zona da nossa mente que materializa todos os nossos sonhos e desejos. Assista ao vídeo e ou que é, onde está e qual o poder do Subconsciente!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SUBCONSCIENTE, A ZONA DA MENTE QUE REALIZA OS NOSSOS DESEJOS

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A SIMBOLOGIA E O SIGNIFICADO DOS RITOS DE PASSAGEM

O texto a seguir sobre Ritos de Passagem fala sobre as diversas fases da vida pelas quais passamos, desde a nossa infância, passando pela adolescência, entrando na fase adulta, até a velhice, em que todas elas têm sua simbologia e importância. Esses momentos de transição, transformação, crescimento e empoderamento podem acontecer de forma mais consciente, auxiliando, portanto, na caminhada da vida e no bem da sociedade como um todo. Portanto convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor.

Ritos de Passagem

Os ritos de passagem auxiliam os seres humanos a compreenderem seu lugar no mundo e na sociedade. Trazem uma sensação de segurança, pertencimento, continuidade, aceitação, participação, orientação, e nos contam sobre de onde viemos, onde estamos e para onde vamos.

Esses momentos de transição, transformação, crescimento e empoderamento podem acontecer de forma mais consciente, auxiliando, portanto, na caminhada da vida e no bem da sociedade como um todo. Podem também passar desapercebidos, fazendo com que muitas vezes caiamos num modelo de vida automático, em que não nos questionamos sobre quem somos de fato e o que estamos fazendo no mundo.

Hoje em dia, poucos ritos ainda existem e, em sua grande maioria, são vazios de conteúdo e de profundidade, cumprindo apenas papéis de compromisso social. Como consequência, observa-se uma sociedade com sua base desestruturada, desequilibrada e descompromissada com os valores mais básicos, como o respeito e a verdade, uma sociedade deveras desconectada da terra e do porque estamos habitando o planeta.

O nascimento, tanto para o bebê como para a mãe e para o pai; as mudanças de setênio, de acordo com a Antroposofia; a primeira menstruação para as mulheres; o rito de transição dos meninos para a fase adulta, por volta dos 13, 14 anos; o batismo; o casamento; a separação; a menopausa; o ano novo; a morte e alguns rituais iniciáticos dentro de sendas espirituais são alguns exemplos de ritos de passagem.

Se imbuídos de uma forma mais compromissada e verdadeira, esses ritos de passagem poderiam ofertar um senso maior de pertencimento, direcionamento e interligação individual e coletiva, com tudo o que existe na Terra, e na importância de cada indivíduo na teia da vida.

Os ritos podem ser simples e simbólicos. O importante é que estejam conectados com o coração e com as mudanças de ciclos. São momentos de desprendimento, de morte e renascimento. De deixar ir, de criar espaço interno e na vida para que o novo venha. De honrar tudo o que se viveu e ter uma oportunidade de recomeçar. Quando sabemos onde estamos, podemos voar com mais entrega e plenitude.

Como dizia Gandhi, seja a mudança que você quer ver no mundo. Nesse caso, comece a fazer pequenos rituais em sua casa, com sua família. Por exemplo, se você tem uma filha mulher, quando ela começar a menstruar, explique para ela sobre a importância, o poder e a beleza de ser uma mulher cíclica, de entregar o sangue de volta à terra.

Se você pensa em casar, reflita internamente o que isso representa em sua vida e crie um ritual que traga elementos que simbolizem essa importância. Se você se separou de um relacionamento, reflita sobre tudo o que tal experiência lhe trouxe, honrando as dores e as alegrias vividas, libertando o outro em todos os planos, para, assim, libertar a si mesma, curando as feridas existentes, preparando-se para um recomeçar.

Lembre-se sempre que os ritos vêm trazer leveza, beleza e direção. Que podem ser inseridos em sua jornada, na medida que fizerem sentido para você. Os ritos de passagem honram o passado, nos trazem para o momento presente e constroem um futuro melhor para nós e para toda a humanidade.

Escrito por Joana Netz
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A SIMBOLOGIA E O SIGNIFICADO DOS RITOS DE PASSAGEM

REFLEXÃO: ALIMENTAR O EGO OU ALMA, EIS A QUESTÃO!

Ao ler o texto de hoje, aqui na coluna REFLEXÃO você vai perceber a diferença entre alimentar o EGO e a ALMA e também sentirá que vale mais a pena alimentar a ALMA por mais materialista que você possa ser. O texto de Patrícia Gerbrim lhe cairá como uma luva e lhe deixará mais leve e solto(a). Tenha uma ótima leitura!

Sua alma é sua paz

 em 

 

“Eu quero falar com você, que está com o coração apertado. Que sente medo. Medo de morrer. Medo que alguém que você ama morra. Medo de não ser capaz de lidar com tanta coisa que pode acontecer. Medo de perder a liberdade. De não ter o que comer.

Eu quero te dizer que você não está só. Não podemos controlar o que acontece fora de nós. Mas podemos escolher olhar para isso a partir da nossa alma, e não desse nosso pequeno ego.

Eu lhe pergunto : -Quem você está alimentando em você? Seu ego ou sua alma? Você alimenta o ego quando fica ao lado de pessoas que reclamam, que só veem o lado negativo da vida, que profetizam desastres ou gastam seu tempo atacando uns aos outros.

Você alimenta seu ego quando gasta seu tempo com programas de televisão e noticiários sensacionalistas ou posts em redes sociais que apenas fazem você se sentir mal. Você alimenta seu ego quando tenta controlar as coisas ao seu redor, quando tenta controlar as pessoas.

Perceba o que suga sua energia. Perceba o que torna você denso, triste ou hostil. Mude sua energia. Alimente a sua alma!

Para alimentar sua alma, busque tudo o que ajuda você a se elevar. O que ajuda você a encontrar algum sentido neste nosso momento histórico. Busque a beleza. A natureza. A música. O silêncio. Mergulhe em si mesmo, onde mora a paz. Procure pessoas, livros, filmes que elevam sua vibração, que ajudam você a acreditar em si mesmo, na vida, na bondade, no amor.

Aquilo que você alimenta em si mesmo se torna sua realidade. Crie harmonia. Crie saúde. Assim mudaremos o mundo, todos nós. Assim nos tornamos fontes de cura, e não de doença. Acreditem, somos mais poderosos do que nos damos conta.

Acalme seu coração. Sua alma é sua paz!” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: ALIMENTAR O EGO OU ALMA, EIS A QUESTÃO!

AUTOCONHECIMENTO: UMA INTRODUÇÃO SOBRE “EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA”

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: UMA INTRODUÇÃO SOBRE “EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA”

REFLEXÃO: A AUSÊNCIA DA MENTE QUE NOS LEVA AO ENCONTRO DA NOSSA ESSÊNCIA

O texto que publicamos hoje, aqui na coluna REFLEXÃO é de autoria de Eckhart Tolle e sendo ele quem é não poderia deixar de ser algo para uma profunda REFLEXÃO,  pois vai de encontro ao que nós temos de mais puro, belo e pessoal: a nossa essência, o nosso Eu Cósmico. Por isso lhe convido a ler essa maravilha de texto e depois refletir profundamente sobre o assunto!

Um hiato de ausência da mente

 em 

 

Um grande desafio é calar a mente. Aquela que, sem mais nem menos, começa a nos atribuir pensamentos e ideias que são exatamente contrárias ao nosso real desejo. E se, por ventura, dermos atenção à ela, é certeza de que o monstrinho que vai se criando dentro de nós, se torne imenso a ponto de nos levar ao pessimismo total, ansiedade e depressão. Quando conseguimos identificar esta invasão, podemos calar a mente, ou ao menos não deixar que tome proporções que certamente vão nos prejudicar. O texto que segue é do livro O Poder do Agora, de Eckhart Tolle. Este trecho nos convida a perceber a dimensão de nosso poder. Espero que apreciem.

“Quando escutar um pensamento, esteja ciente não só do pensamento, mas também de si próprio como testemunha do pensamento. Surge então uma nova dimensão de consciência. E, enquanto ouve o pensamento, sentirá uma presença consciente – a do seu eu mais profundo – por trás do pensamento, subjacente a ele. O pensamento perderá então o poder que tem sobre si e rapidamente abrandará, porque você deixou de estimular a mente através da sua identificação com ela. É o começo do fim do pensar involuntário e compulsivo.

Quando um pensamento abranda, você sente uma descontinuidade no caudal da mente – um hiato de ausência de mente. Ao princípio, os hiatos serão curtos, talvez de alguns segundos, mas gradualmente tornar-se-ão mais prolongados. Quando esses hiatos ocorrem, você sente uma certa quietude e uma certa paz dentro de si. É o início do seu estado natural de união sentida com o Ser, a qual é geralmente ofuscada pela mente. Com a prática, a sensação de quietude e de paz será mais profunda. De facto, a sua profundidade não tem fim. Sentirá igualmente uma subtil emanação de alegria a surgir bem do fundo de si: a alegria do Ser.”

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: A AUSÊNCIA DA MENTE QUE NOS LEVA AO ENCONTRO DA NOSSA ESSÊNCIA

AUTOCONHECIMENTO: DESCUBRA O GRAU DE CONSCIÊNCIA OU NÍVEL EVOLUTIVO QUE VOCÊ ESTÁ

DESCUBRA O GRAU DE CONSCIÊNCIA QUE VOCÊ ESTÁ.

DISPERSOS:

• Pensam pouco ou quase nada sobre o coletivo.

• Estão vivendo o individualismo e materialismo.

• Consumo inconsciente.

• Necessidade de serem reconhecidos e amados.

• Estão sempre procurando relacionamentos que preenchem seus vazios interiores.

• Se sentem capazes, mas não conseguem compreender para aonde estão indo. Derivam na vida.

• São os seres mantenedores do sistema atual.

• São facilmente manipulados e condicionados. Massa de manobra.

• Não gostam de filosofia e estudos que levam ao autoenfrentamento e o autoconhecimento.

• Geralmente estão atrelados a crenças e religiões.

• Não são piores nem melhores, só estão em estado de hibernação da consciência.

• Praticam o julgamento alheio e adoram fofocas.

• Ao invés de admirar, ainda persistem em invejar.

• Aceitam ser enganados.

EM MEMORIZAÇÃO:

• Despertaram, abriram os olhos, mas continuam deitados na cama.

• Não conseguem se levantar do sono profundo. O Corpo pesa e a força puxa para trás.

• Sentem medo do desconhecido e temem perder o controle das suas vidas.

• Compreendem que existe mais além do que podem ver.

• Estão saindo em busca de informações e esclarecimentos.

• A intuição, paranormalidade, mediunidade, inspiração e a criatividade começam a surgir com naturalidade.

• Não sabem se estão acordadas ou dormindo.

• Não sabem se estão no velho ou no novo mundo.

• Começam a ler muitos livros e se informar sobre o lado oculto da vida.

• Ao invés de invejar preferem admirar outras pessoas.

EM PROCESSO DE DESPERTAR:

• Decidiram se levantar da cama e começaram a caminhar.

• Querem descobrir seus propósitos de vida.

• Participam de encontros, palestras e vivências espirituais e mediúnicas.

• Acham-se pessoas especiais, mas ainda não descobriram que não são.

• Sentem que existe um mundo além do nosso que cria todas as coisas.

• Percebem que possuem dons e talentos criativos que nunca sentiram antes.

• Querem viver uma nova vida, mas não sabem por onde começar.

• Sentem solidão, pois se sentem diferentes dos demais. Sentem preconceito.

• Começam a ter sonhos lúcidos e projeções fora do corpo conscientes.

• Começam a sentir a intuição aumentar gradativamente.

• Conseguem ler as intenções das pessoas e sentir a energia dos ambientes.

• Querem descobrir o que foram em vidas passadas para compreenderem suas missões terrenas.

• Compreendem que existe muito mais vida além da vida.

• Tornam-se introvertidas e passam a falar somente o necessário.

• Sentem irritabilidade e nervosismo.

• Começam a sentir a necessidade de valorizar as coisas imateriais como amor, amizade e caridade.

• A maioria dos despertos volta a dormir por medo do autoenfrentamento.

EM PROCESSO DE RECONEXÃO:

• Já estão caminhando e sabem que não podem voltar atrás.

• Não aceitam mais ser enganadas.

• Já compreenderam que o amor próprio vem primeiro que o amor dos terceiros.

• São seres que quebram os paradigmas dos sistemas atuais.

• Começam a valorizar o consumo consciente.

• Necessitam conhecer a si próprios ao invés de viver pelo reconheci­mento alheio.

• Sentem a presença de seus mentores pessoais e percebem que estão sendo inspirados.

• Costumam ver números repetidos como 11.11 ou 22.22 em relógios, placas de carro e computadores.

• Sonham constantemente com lugares lúdicos e fantásticos. Cachoeiras, voos baixos, mares e oceanos.

• A intuição fica aguçada e se sentem nervosas por se sentirem diferentes e mais aceleradas que as pessoas com quem convive.

• Disfunções constantes de fígado, má digestão e metabolismo lento.

• Dores de cabeça e cansaço extremo devido o descompasso entre o mundo espiritual sutil e o mundo físico que é bem mais denso.

• Sono desconfortável.

• Vontade de não estar neste planeta. Síndrome do estrangeiro.

• Querem ajudar o próximo, mas sabem que precisam primeiro ajudar a si mesmos.

• O amor sem condições é uma meta, porém não conseguem compre­ender como praticar.

• São universalistas, não tem religião fixa.

• As crenças e dogmas não fazem mais parte do seu dia a dia.

RECONECTADOS:

• Sabem que passaram por muitas provações e o único caminho é o autoconhecimento e a humildade.

• Sentem o corpo pesado devido ao descompasso com a mente e o espírito.

• Não querem estar neste planeta, mas aceitam e compreendem que precisam passar por muitos aprendizados.

• Compreendem a fonte de seus sofrimentos e tentam seguir na direção da autocura.

• Não focam suas energias nos problemas, somente nas soluções.

• Conhecem seus propósitos de vida e lutam por ele.

• Não conseguem comer alimentos pesados que dificultem o metabo­lismo. Comem pouco.

• Sentem irritabilidade, mas tem autocontrole.

• Precisam exercer a fé o tempo todo, como se fosse a grande prova.

• Não aceitam mais os velhos modelos de consumo e relacionamento. Preferem consumir somente o suficiente.

• Adotam a filosofia do “menos e mais”.

• Meditam o tempo todo, mesmo estando dirigindo e trabalhando. A meditação se torna simultânea e natural.

• Contato direto com o espírito. Vibram na frequência neutra da gratidão.

• Sabem que estão reconectados e não costumam dizer para as pessoas.

• Não querem ser reconhecidas como pessoas especiais, pois sabem que não são.

• Têm paz, pois sabem que possuem uma família espiritual e um dia retornarão para a grande morada.

• Valorizam mais as coisas imateriais que as coisas materiais.

• Sentem que a gratidão é a única fonte da verdadeira felicidade.

• Sabem que seus sucessos é algo que alegra não somente a si, mas todos que estão ao seu redor, inclusive os seres espirituais que o acompanham.

  • Querem aprender ensinando.

Fonte: Carlos Torres

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DESCUBRA O GRAU DE CONSCIÊNCIA OU NÍVEL EVOLUTIVO QUE VOCÊ ESTÁ

ARTIGOS: NA JORNADA CELESTIAL EVOLUIR É O PADRÃO, MAS INVOLUIR TAMBÉM FAZ PARTE! POR WAGNER BRAGA

Rompendo com os processos mecânicos da vida | Gnosis Online - O seu portal do esoterismo

Quando imaginamos que viemos para esse planeta passar pelas mais diversas, incríveis e extraordinárias experiências numa jornada evolutiva com o objetivo final de sermos seres livres, desprovidos de todo e qualquer apego material, potencialmente conscientes e aptos para o amor incondicional, não conseguimos enxergar que rumo a esse espectro dimensional de 5º grau haja espaço para regressão ou involução. Há um tempo atrás, eu achava que a cada experiência estaríamos, pelo menos, um pouco mais maduros e que esse processo seria contínuo e progressivo. Porém a minha própria experiência tem mostrado e explicitado com muita veemência que a coisa não é bem assim e tenho conhecido consciências que estão passando por um processo de regressão ou involução a olhos vistos e que por mais suporte, mentoria e oportunidade que possa ter não conseguem despertar e caminhar em direção a um novo plano evolutivo. Infelizmente não é tão fácil para certas consciências sair de um nível evolutivo para outro, por mais que outras consciências mais evoluídas lhe dê suporte e a melhor assistência possível. Na verdade elas precisam passar por uma espécie de limbo para poderem em momento oportuno dar o salto quântico necessário para saírem dessa situação. Algumas consciências passam uma existência inteira patinando e/ou andando para trás. É como se, de alguma forma, aquilo fosse realmente necessário e uma escolha irredutível da alma.

Depois de muitas tentativas de ajuda e assistência espiritual, a insistência dessas consciências em continuarem no limbo é muito triste, frustrante e até deprimente perceber que estão caminhando para um abismo e o preço dessa atitude pode ser muito mais caro do que elas podem imaginar e fica o sentimento de dó, pena, consternação e impotência. É como o pastor que não conseguiu salvar uma de suas ovelhas para os lobos.

Continuar lendo ARTIGOS: NA JORNADA CELESTIAL EVOLUIR É O PADRÃO, MAS INVOLUIR TAMBÉM FAZ PARTE! POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: A ERA DE OURO DA HUMANIDADE E OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA DAS PESSOAS

A ERA DE OURO DA HUMANIDADE E OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA DAS PESSOAS.

O Poder da Mente - Descubra Como Mudar de Vida com a Sua Mente

Dentro de uma década, veremos essencialmente uma substituição de valores e um novo sistema tecnológico sendo implantado no mundo. Estas explicações estão detalhadas no livro sobre o magnífico e revolucionário sistema operacional que surgirá em breve. Quem não compreender que estamos seguindo na direção de algo maior, sentirá rapidamente uma gigantesca desconexão com o universo e as pessoas. Poderíamos dizer que será algo comparado com a implantação dos aparelhos celulares nas décadas de 80/90 ao redor do mundo. Antes de existirem, ninguém se preocupava ou se imaginava carregando um celular dentro da bolsa, pois todos viviam tranquilamente sem eles.

Mas a partir do momento que os celulares se tornaram reais e essências para a vida moderna, todos começaram a utilizar, o mundo mudou, acelerou e modificou uma geração inteira. Hoje é impossível imaginar a população sem esse pequeno aparelho que todos carregam 24 horas por dia.

A mesma coisa aconteceu depois com os computadores pessoais e a Internet. Quem hoje não utiliza essa nova tecnologia está completamente excluído do mercado de trabalho e das relações pessoais. Quem não acom­panha a evolução passa a ter muitas dificuldades de adaptação. É exatamente isso que acontecerá com esse novo desenvolvimento tecnológico do futuro, que virá para revolucionar tudo o que conhecemos até então.

Estamos falando logicamente de uma mudança comportamental e não material.

Já sabemos que tudo o que está dentro da nossa mente no tempo presente (dinheiro, carreira, trabalho, riqueza, relacionamentos, sonhos e etc.) se projeta para o futuro através da força da consciência e das inten­ções vibracionais, que se manifestam dentro de uma realidade atemporal holográfica e por intermédio da lei da atração. Isso quer dizer que o futuro nada mais é do que apenas o reflexo daquilo que estamos imaginando nesse exato momento.

As mudanças estão vindo e você poderá se tornar um super-homem ou uma supermulher se realmente compreender os poderes que estão integrados dentro da sua consciência e prontos para serem usados.

A Era de Ouro já está disponível para aqueles que entrarem nessa frequência de cura e abundância. Você também pode se beneficiar das maravilhas desse novo mundo que está nascendo. E se assim fizer, começará a usar seu poder criador a seu favor e não mais contra você.

Recebemos um instrumento, uma máquina evoluidíssima e extrema­mente eficiente capaz de feitos extraordinários, mas ao mesmo tempo, parece que roubaram o complexo manual desse magnífico aparelho chamado menteuma máquina que trabalha em total sincronismo entre o mundo físico e o espiritual. No entanto a maioria das pessoas não consegue utilizá-la adequadamente. Ainda temos muito para descobrir sobre nós mesmos. Não conseguimos usar sequer 6% de todo o potencial existente em nosso cérebro. O que seríamos capazes de fazer se utilizássemos 20% desse potencial? Imagine então se conseguíssemos usar 90 ou 100%? Pense nisso.

Acreditamos que esse manual foi perdido no tempo, mas temos agora em nossas mãos a extraordinária oportunidade de resgatar e conhecer um pouco mais sobre as maravilhas da consciência. A Era de Ouro chegou para mostrar que durante milhares de anos a humanidade evoluiu e está pronto para vislumbrar o que nenhum homem pós-diluviano viu até então.

Somos seres espirituais, vivendo uma incrível experiência no mundo material.

A cada passo que dermos para dentro de nós mesmos, mais perto estaremos da verdade e da paz. Deus não está lá fora, sentado em seu trono de ouro, imponente e autoritário, como muitos de nós aprendemos a imaginar. Um Deus amedrontador de criançasque determina o que deve e o que não deve ser feito, o que é pecado ou o que não é, construindo um mundo irreal, de terror e medo. Ele está sim, dentro de nós, em todas as células, moléculas e átomos de nosso corpo, até mesmo dentro dos elétrons, dos prótons e dentro do pequeno vazio que existe entre eles.

Está em tudo o que é vivo, em tudo o que já existiu, existe e existirá. Está em todos os tempos, em todos os lugares, no passado, no presente e no futuro. Nas plantas, nos insetos, nos minerais, nos cristais, na prata, no cobre e no ouro. No vácuo do espaço, no calor do Sol e na escuridão da Lua. Está presente na Galáxia, no Cosmos, no infinito e na luz Suprema, da qual viemos e para onde voltaremos um dia, a Grande Luz, a verdadeira morada.

Essas palavras podem parecer um tanto místicas e surreais, mas a sua consciência já está preparada para compreender o lado místico da vida. Estamos vivendo dentro de uma experiência física material densa e muito diferente da leveza e da fluidez do mundo espiritual. Temos dentro de nossa consciência todo esse conhecimento integrado. Da luz nós viemos e para ela voltaremos. Sendo assim, o conhecimento magístico está inse­rido em nós como se fosse um grande catálogo universal – só precisamos acessá-lo outra vez e nos beneficiar dos poderes que temos, mas nunca nos foram ditos.

Acredite, os nossos amigos espirituais nos guiaram e nos inspiraram para a escrita deste livro, e o objetivo sempre esteve focando numa única direção, a sua realização. Isso é o nossos mentores espirituais realmente desejam, que você realize e tenha ideais definidos, e persiga-os independente das dificuldades. Eles querem que você exerça o seu poder criativo, que ouse sonhar, que crie, modifique e agradeça pela vida que recebeu de presente. Desejam que você mostre para que veio a este mundo e ocupe o seu lugar de direito.

Fonte: a lei da atração

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A ERA DE OURO DA HUMANIDADE E OS ESTADOS DE CONSCIÊNCIA DAS PESSOAS

AUTOCONHECIMENTO: REFLEXÕES SOBRE A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA

AUTOCONHECIMENTO: A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA OU CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL NOS LEVA A ILUMINAÇÃO - Blog do SaberREFLEXÕES SOBRE A EXPANSÃO CONSCIENCIA

Dizem que uma das características da mente Racional é a separação das coisas em partes para que possam ser analisadas e compreendidas. A analise ocorre de forma sequencial, parte por parte, unindo aos poucos as partes e formando um todo coerente.  Ao mesmo tempo que essa caraterística facilita a analise das partes, dificulta que tenhamos uma visão Sistêmica do todo até que todas as partes tenham sido analisadas.
As ideias produzem impulsos elétricos no cérebro e se propagam entre os neurônios como tempestades cerebrais, que deixam pontos marcados na floresta virgem de nosso cérebro. O esforço da reflexão e investigação criam  pontes de ligação entre os neurônios,  triangulando uma área e fazendo nascer a compreensão, em um processo conhecido como sinapses. Assim, vamos por partes para chegar a compreensão do todo. Degrau por degrau subimos na escada da compreensão.
É como se estivéssemos aos poucos ligando partes de nós mesmos que estavam separadas. Este processo nos faz refletir que estas partes ligadas no permitem uma maior auto-compreensão e ao mesmo tempo nos mostra outras partes que precisam ser ligadas.
Então, entendemos que “Religare” na pratica, talvez seja estabelecer a unidade entre as diversas dualidades contrarias de nossa complexa natureza interna, nos tornando cada vez mais perenes e menos específicos, participando de ondas mais abrangentes na vida do universo e dos seres.
Talvez seja esta linearidade da razão, que nos leva a ver as coisas separadas no tempo e no espaço, a causadora de  nossas ilusões. Temos dificuldade de unir as pontas opostas e perceber que elas são uma ilusão de ótica, uma visão apenas parcial da Realidade. Vemos uma reta com dois opostos separados, mas  talvez esta reta seja na verdade uma curva, e que nos extremos deste circulo os opostos estão unidos.
Expandindo a mente alem da caixinha da razão, percebemos que múltiplas possibilidades podem ocorrer simultaneamente sem se anularem e que multas coisas não ocorrem necessariamente de forma sequencial e antagônicas como pensamos.
Seria mesmo possível, que sem nos darmos conta, ensinamos enquanto aprendemos, curamos enquanto ferimos, amamos enquanto odiamos, somos ativos enquanto passivos, fortes enquanto fracos, criativos enquanto conservadores e egoístas enquanto altruístas?
Olhando para a paisagem do Rio de Janeiro visto de cima, o Cristo de Braços abertos sobre a Guanabara, os barquinhos minúsculos sobre a enseada de Botafogo, a sombra da montanha sobre os edifícios.. Tudo isso traz uma paz e sentido de ordem e beleza que nos encantam.
Mas se descermos vemos a agitação na cidade, a gritaria das pessoas, o conflito, a briga na rua, os assaltos,  percebemos que estas pessoas estão vivendo uma outra realidade e nem se dão conta das maravilhas de quem vê a cidade do alto, ou pelos olhos do turista que observa tudo com isenção e só consegue ver a beleza, porque não é tragado pelas agitações da sobrevivência.
E nós, será que conseguimos mergulhar na agitação e voltar para o topo para desfrutar suas belezas? Será que aprendemos a conviver com as duas realidades?
E qual seria a chave para abrir a caixinha da mente e nos permitir ampliar nossos horizontes para compreender a dualidade dos contrários?
Os sábios costumam oferecer como resposta a uma pergunta uma outra pergunta.
Jesus recomendou aos seus discípulos que voltassem ser como as criancinhas para abrir as portas do Reino dos Céus.
Será que o Mestre estava aconselhando a ser um eterno perguntador, substituindo sempre que possível os pontos finais e exclamações, por pontos de interrogação? Será que a vida não é uma eterna sucessão de perguntas, onde uma resposta conduz sempre a uma outra pergunta, indefinidamente?
Por: João Sérgio P. Silva(Professional Coach, Numerólogo e Administrador de Empresas)

Fonte: Escola do Pensamento 

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: REFLEXÕES SOBRE A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA

AUTOCONHECIMENTO: SAIBA COMO RECONHECER UM VERDADEIRO MESTRE ESPIRITUAL

Na coluna AUTOCONHECIMENTO desta quinta-feira veja um texto de grandiosa profundidade e realismo para quem já percebeu que o único caminho a seguir é expandir a consciência. É importante  que cada um de nós tenhamos um mestre orientador nessa caminhada. Feliz daquele que encontra o seu mestre, pois este estará para ti como o atalho está para o peregrino. Pois bem, leia o texto a seguir e saiba como reconhecer o verdadeiro mestre para não perder tempo com impostores!

COMO RECONHECER UM VERDADEIRO MESTRE ESPIRITUAL

por  Omraam Mikhael Aivanhov

Como Reconhecer Um Mestre Espiritual - Xamanismo

Para alguns discípulos, encontrar o seu Mestre é encontrar uma mãe que aceita trazê-lo nove meses no ventre para fazê-lo nascer no mundo espiritual. E, depois de nascer, isto é, desperto, os seus olhos descobrem a beleza da Criação, os seus ouvidos ouvem a palavra divina, a sua boca saboreia alimentos celestes, os seus pés levam-no aos diferentes lugares do espaço para fazer o bem e as suas mãos aprendem a criar no mundo sutil da alma.

Muito poucas pessoas sabem o que é realmente um Mestre. Algumas leram livros que contam histórias inverossímeis: que um Mestre é perfeito, onisciente, onipotente…. que ele não tem necessidade de comer, nem de beber, nem de dormir… que ele está ao abrigo de todas as tentações e, sobretudo, que passa o seu tempo a fazer milagres, como no livro de Spalding: “A Vida dos Mestres”.

Quantas pessoas não ficaram exultantes com este livro sem suspeitarem de que contém imensas histórias sem fundamento. É verdade que os grandes Mestres têm poderes excepcionais, mas não os utilizam para fazer prodígios diante de gente embasbacada. Aparecer e desaparecer, caminhar sobre as águas, voar no espaço, materializar festins, atravessar as chamas de um incêndio, fazer aparecer casas… mesmo que seja capaz de fazê-lo, um verdadeiro Mestre não o fará, pois assistir a tais espetáculos não ajuda os humanos a transformarem-se…

Um Mestre – é necessário que você o saiba – é feito como todos os outros homens: tem os mesmos órgãos, que o fazem sentir as mesmas necessidades e os mesmos desejos. E se lhe cortar um pedaço de carne, verá que seu sangue correrá e que a sua cor é vermelha como o de toda a gente! A diferença está em que a consciência de um Mestre é muito mais vasta do que a da maioria dos homens: ele tem um ideal, pontos de vista superiores e, sobretudo, conseguiu um perfeito domínio sobre si próprio. Evidentemente, para tal é necessário imenso tempo e um trabalho gigantesco, e por isso ninguém pode tornar-se Mestre numa só encarnação.

Se você encontrar um Mestre, tenha consciência de que todas as qualidades e virtudes que ele manifesta não foram adquiridas apenas nesta vida. Não, ele teve que trabalhar durante séculos, milênios até, e, como as qualidades que adquirimos pelo nosso próprio trabalho não desaparecem no momento em que temos de deixar a terra, quando regressa ele traz de novo essas qualidades. Assim, de encarnação em encarnação, ele vai adquirindo sempre novos elementos espirituais até ao dia em que torna-se um verdadeiro condutor da luz e das virtudes divinas.

Infelizmente, há também seres que se preparam durante séculos para se tornarem condutores do mal; são os mestres da magia negra. O ser humano é livre de escolher o bem e o mal. É claro que, quando escolhe o mal, mesmo que a Inteligência Cósmica o deixe continuar durante um certo tempo, ele acabará sempre por ser aniquilado, dado que, pelo seu comportamento, se opõe à ordem universal. Mas, à partida, o ser humano tem a hipótese de escolher. Enquanto vivo, é livre de se determinar num sentido ou no outro.

Alguns seres, muito raros, apesar desta liberdade que lhes é concedida, permanecem definitivamente determinados. Os grandes Iniciados, por exemplo, determinaram-se para a luz e para o amor. Alguns, é certo, caíram, mas a maioria deles permaneceram espíritos de luz. E, aliás, quanto mais tempo passa, menor é a possibilidade de mudarem de direção, pois, graças ao seu trabalho espiritual, eles foram conseguindo transformar, divinizar, a matéria do seu corpo e esta tornou-se como que um metal inoxidável, ouro puro.

Contudo, enquanto um ser não chega a este estado de evolução, é sempre possível ele mudar de direção, e existem casos na História em que magos brancos tornaram-se magos negros.

Pergunte como é possível alguém tornar-se um mago negro… Na realidade, é muito fácil, mesmo para você: basta dar vazão à sua natureza inferior. Se transgredir continuamente as leis da bondade, da justiça e do amor, tentando obter êxito à custa dos outros, tentando derrotá-los, destruí-los, só poderá tornar-se um mago negro. É simples, é claro. Muitos imaginam que, para alguém se tornar um mago negro, é necessário que um mestre diabólico lhe ensine a arte dos encantamentos e dos esconjuros maléficos. Isso pode acontecer, mas, para alguém colocar-se ao serviço do mal, não é absolutamente necessário ter um mestre; sem instrutor, sem receita, sem nada, qualquer um pode tornar-se um mago negro se deixar-se guiar demasiado pela sua natureza inferior. E o mesmo se passa com um homem que só pense em ajudar e em esclarecer os outros: mesmo que não tenha um Mestre para o instruir, estará a caminho de tornar-se um mago branco.

Na realidade, cada ser humano tem um Mestre, e se não for um Mestre visível, será um Mestre invisível. Os criminosos têm, no mundo invisível, um mestre que não cessa de aconselhá-los a prejudicar os outros. E mesmo que eles digam:

“Nós, um mestre? Nunca!”, devem ficar a saber, estes cegos, que têm um mestre cujos conselhos perniciosos seguem dia e noite.

É evidente que, quando eu lhe falo de Mestres, refiro-me sempre aos verdadeiros grandes Mestres espirituais, aos magos brancos. Sei bem que se dá este título de Mestre a muitos artesãos para se mostrar que são excelentes na sua profissão e também aos notários, aos magistrados, aos artistas, etc… É uma maneira de ver as coisas e eu não lhes recuso este título. Mas, você deve saber que um verdadeiro Mestre, no sentido espiritual do termo, é um ser que, em primeiro lugar, conhece as verdades essenciais; não aquilo que os homens escreveram, criaram ou contaram, mas o essencial segundo a Ciência Cósmica.

Em segundo lugar, um Mestre deve ter tido a vontade de dominar, dirigir e controlar tudo em si, e realizado essa vontade. Por último, esta ciência e este domínio que ele adquiriu devem servir apenas para manifestar todas as qualidades e virtudes do amor desinteressado.

É pelo seu desinteresse que reconhecerá um verdadeiro Mestre. Cada Mestre vem à terra para nela manifestar uma qualidade particular: há, portanto, Mestres da sabedoria, Mestres do amor, ou da força, ou da pureza… Mas todos os verdadeiros grandes Mestres têm, obrigatoriamente, uma qualidade em comum: o desinteresse.

Há tantos impostores e charlatães dispostos a aproveitarem-se da ingenuidade dos humanos!

Limitaram-se a ler livrecos de ciências ocultas, muitas vezes escritos por ignorantes, e pronto! Passam a apresentar-se em todo o lado como grandes Mestres. Não trazem consigo qualquer sinal de que o Céu os reconheceu como tal; foram eles próprios que se declararam Mestres e acreditam que isso chega.

E os outros, em vez de estudarem um pouco um ser destes para ver como ele se comporta, seguem-no de olhos fechados. Ele irá enganá-los, despojá-los, subjugá-los, mas eles não se darão conta. Bom, é magnífico, eis pelo menos um ser inteligente! Os outros é que são estúpidos. Porque não procuraram saber de onde é que ele vem, como vive, quem foi seu Mestre, quem o enviou?… Ah, não, não, é inútil colocar essa questão; desde que ele lhes prometa iniciá-los em três dias – a troco de alguns milhares de dólares, é claro – acreditam nele.

Têm pressa, compreende? A iniciação não deve durar mais do que três dias. O mundo está cheio de gente desta, de burlões, de vigaristas, que se aproveitam da ingenuidade e da estupidez dos outros. Mas eles, pelo menos, são inteligentes!

Não nego que essas pessoas possam ter alguns poderes – qualquer um, desde que se exercite, pode obter certos poderes -, mas a questão está em saber como os empregam e em que sentido. É a esse respeito que o Céu se pronuncia. O Céu não se preocupa com os meios que possui, mas com o uso que deles faça. O que conta para o Céu não é sua ciência, nem sua clarividência, nem seus poderes, mas seu desinteresse. Você pode ter a ciência, a clarividência e os poderes, mas enquanto não for desinteressado, mesmo que os humanos o reconheçam como Mestre, o Céu não o reconhecerá.

A desgraça dos humanos é a sua falta de discernimento: ao encontrarem um verdadeiro Mestre, desinteressado, desconfiarão, mas seguirão o primeiro indivíduo que apareça e lhes lance poeira para os olhos, apresentando-se como Mestre. Na realidade, um verdadeiro Mestre, nunca lhe dirá que é um Mestre, nunca; ele deixará senti-lo e compreendê-lo, não tem pressa de ser reconhecido. Um falso Mestre, pelo contrário, a partir do momento em que decretou que é um Mestre, tem somente uma idéia: impôr-se aos outros.

Acabei de receber uma carta de um homem que acreditou ser capaz de tornar-se um guia espiritual: escreveu-me para contar as suas dificuldades e as suas angústias. Evidentemente, era de esperar. Por que motivo se pôs ele a enganar as pessoas com a pretensão de guiá-las, enquanto ele próprio não estava em condições de fazê-lo? Mas os humanos são assim, julgam-se capazes de guiar os outros antes de terem adquirido as virtudes necessárias: a sabedoria, o amor, a pureza, a força, o desinteresse. Não! Enquanto não se tiver recebido ordem de um ser superior para assumir a esmagadora tarefa de guiar os humanos, é muito perigoso, para quem quer que seja, querer desempenhar este papel.

Eu gostaria muito de ajudar este homem, porque vejo que ele é muito infeliz e nem sabe porquê. Imaginou que bastava ler alguns livros de ciências ocultas e pôs-se a evocar as forças poderosas do mundo invisível para as utilizar, sem ter aprendido previamente a entrar em harmonia com elas. Pois bem, quando assim é, essas forças vingam-se e dizem:

“Porque procura servir-se de nós para satisfazer os seus caprichos? Nós não queremos submeter-nos a você. É fraco e ignorante e merece uma boa lição.”

Quantos pretensos ocultistas não têm sequer um verdadeiro conhecimento das leis do mundo espiritual! Pode crer: eles leram alguns livros e, sem se prepararem, querem fazer figuras aos olhos de alguns discípulos, realizando prodígios perante eles. Pois bem, não é assim que se deve fazer.

Para se assumir o papel de guia espiritual, é necessário ter-se recebido um diploma, pois no mundo espiritual também se recebem diplomas. Os diplomas que existem no plano físico têm a sua correspondência no plano espiritual, à imagem do qual o plano físico foi criado. Os espíritos luminosos que nos enviaram à terra observam-nos, medem-nos e, se vêem que fizemos esforços, que conseguimos dominar-nos e corrigir alguns dos nossos defeitos, dão-nos o diploma. E onde está esse diploma? Não será um papel, que pode ser apagado ou destruído. É como um selo que se imprime no nosso rosto e em todo o nosso corpo, para mostrar que obtivemos vitórias sobre nós próprios. Talvez os humanos não vejam isso, mas todos os espíritos da natureza, todos os espíritos luminosos, o vêem, mesmo de longe, e então obedecem-nos e ajudam-nos.

Sim, para se ter o direito de executar certas tarefas no plano espiritual, é necessário obter também a aprovação de certos seres, e não pense que é fácil.

Muitas pessoas acham que os estudos necessários para se obter o diploma de educador ou de professor são muito demorados e difíceis. Mas isso não é nada, nada mesmo, comparado com as condições que têm que ser preenchidas por aqueles que querem ensinar aos discípulos as verdades da ciência iniciática.

Eu fico sempre espantado ao ver a ignorância e a ingenuidade das pessoas perante esta questão: todas, ou quase todas, crêem que estão à altura de poder usar o título de Mestre, imaginam que ele caiu assim do céu, já perfeito, sem Ter realizado o mínimo esforço.

Pois bem, você não encontrará criatura alguma que tenha vindo perfeita à terra. Quer a mostrem, quer a escondam, todos têm a fraqueza, ou mesmo várias.

Até os grandes Iniciados têm pelo menos uma fraqueza; por vezes é o medo, outras vezes o orgulho, ou a avareza, ou até a sensualidade. Mas a superioridade de um Iniciado advém-lhe, em primeiro lugar, de ele estar consciente dessa fraqueza e, em segundo lugar, do fato de empregar todos os meios para triunfar sobre ela.

Qualquer ser, independentemente da elevação do seu espírito, ao encarnar na terra, recebe dos pais como herança uma matéria mais ou menos defeituosa que deverá transformar, o que conseguirá graças às suas qualidades e virtudes.

E, quando o consegue, alcança uma elevação ainda maior, porque foi capaz de transformar uma matéria bruta em uma matéria elaborada de que poderá servir-se para o seu trabalho. É, pois, nos Iniciados que se descobre verdadeiramente a força do espírito, pois eles conseguem dominar tudo, ao passo que a maioria dos humanos arrasta consigo, durante toda a vida, defeitos que não consegue vencer.

No entanto, também é necessário que se saiba que um Iniciado vem à terra trazendo com ele as qualidades sobre as quais trabalhou nas encarnações precedentes. Graças a essas qualidades, ele afasta-se instintivamente do mau caminho e direciona-se, pelo contrário, para atividades construtivas, luminosas. Mesmo que não se lembre de nada, ele é impelido, sem se aperceber, a caminhar na mesma direção que seguiu no passado. Pela minha parte, durante muito tempo não tive qualquer lembrança das minhas encarnações, mas nasci nesta vida com marcas, registros, que me impeliram em uma determinada direção. *

(Extraído do livro “O que é um Mestre Espiritual?”, Ed. Prosvecta)

Obs: Os livros de Omraam Mikhael Aivanhov podem ser encontrados na Livraria Portugal, Rua Genebra, 165 – São Paulo – Tel: (11) 3104-0128 – fax: (11) 3104-1748.

– Nota de Wagner Borges: Segue abaixo um excelente texto do Hermetista chileno John Baines (pseudônimo de Dario Salas) que apresenta diversas correspondências com esses escritos do mestre Aivanhov:

OS MESTRES E O DISCERNIMENTO ESPIRITUAL

Há uma barreira muito forte que costuma afastar os levianos do estudo hermético: a ausência do atrativo exótico, que constitui um anseio seguro para pessoas ingênuas, que buscam a imagem chamativa, em detrimento da verdade intelectualmente discernida.

Deste modo, prestam toda a sua atenção aos supostos mestres que usam vestimentas insólitas e de cores chamativas, ou que usam turbantes e estranhas gemas. O sujeito de aparência comum passará seguramente inadvertido, ainda que seja um grande e genuíno mestre.

O problema reside em que pessoas que têm tido algum tipo de contato com o esotérico, difundem a crença de que os mestres são seres etéreos, que vivem isolados da matéria e que não necessitem talvez comer, defecar e nem respirar. Pensam que a espiritualidade deverá transparecer de tal maneira que o sujeito será sempre incrivelmente formoso, vidente, telepata, possuidor de um estado contínuo de desdobramento e que repudie as coisas materiais.

Para o vulgo, um mestre espiritual não pode ser de aparência comum. Deve ser muito ancião; fazer milagres; viver em um templo, gruta ou retiro. Deve vestir-se de maneira diferente; ter uma biografia cheia de eventos milagrosos e ter tido como mestre alguma autoridade superior a ele mesmo. Um homem estelar! Segundo este critério, deveria parecer um extraterrestre; usar gemas provenientes de outro planeta e vestir roupas de estilo galáctico.

Nada disto por certo corresponde ao real, já que um autêntico mestre não se diferencia em nada do homem comum, e assim deve ser precisamente. Muitos bobos perguntam de onde vem a autoridade de determinado mestre, acreditando talvez que se alcance esta condição por delegação de funções de uma espécie de “sindicato de mestres”.

Nisto influi consideravelmente o costume dos títulos profissionais, dignidades outorgadas pela sociedade aos que têm êxito em determinadas matérias. Provavelmente, se considera que se chega a ser mestre da mesma forma, isto é, sendo nomeado por um comitê de autoridades superiores. É preciso assinalar que a condição de mestre corresponde a um nível de desenvolvimento espiritual, e não a uma dignidade outorgada por outras pessoas, mesmo que para chegar a ser mestre seja preciso fazê-lo sob a direção de alguém que já possua esse dito estado de consciência.

Existe por acaso algum tipo de documento que possa certificar que “fulano de tal” possui um estado de consciência determinado? Tal suposição é absurda, já que o nível consciente se demonstra na prática, e não pelo aval de supostos colégios superiores de iniciados ou mestres. A maestria é um estado de consciência alcançado dentro do mecanismo das leis da natureza, não uma concessão graciosa de alguma divindade ou autoridades superiores.

O autêntico mestre é reconhecido invariavelmente pelos guardiões ocultos que existem no plano da energia-mente, e só estes, ao reconhecê-lo como tal, podem dar-lhe o passe para atuar em determinados contextos. Estes guardiões a que nos referimos são grandes mestres da antiguidade que vivem sem corpo físico, e que têm por missão manter a pureza do conhecimento hermético, evitando que seja contaminado pelas ambições pessoais de pseudomestres. Estes seres se encarregam de anular os estudantes de hermetismo que chegaram a obter certos conhecimentos e pretendem fazer mau uso deles.

Perguntemos a nós mesmos qual a diferença entre um menino e um adulto, e o óbvio da resposta nos permitirá de maneira equivalente separar o falso mestre do autêntico, já que só o desenvolvimento efetivo do ser estabelece a diferenciação.

– John Baines (Pseudônimo do ocultista chileno Dario Salas) –
(Texto extraído do livro “El Desarollo Del Mundo Interno” – Editora Auyantepuy – Espanha – 1984.)

Fonte: IPPB

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SAIBA COMO RECONHECER UM VERDADEIRO MESTRE ESPIRITUAL

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: SAIBA COMO SUPERAR A DEPENDÊNCIA EMOCIONAL E CONFIAR EM SI MESMO

Na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL desta terça-feira você vai ler um artigo que trata da “Dependência Emocional” gerada pela baixa autoestima e a falta de confiança em si mesmo(a). O texto apresenta dicas de como superar a dependência emocional, como elevar a autoestima e propõe exercícios de enfrentamento para o autoconhecimento. Leia com atenção, pois poderá ser de grande valia para você!

7 passos para superar a dependência emocional

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A dependência emocional oculta uma necessidade de controle e segurança, manifestada por alguém que não confia em si mesmo. Entenda por que é nociva e quais são os recursos para superá-la.

22 AGO 2018 · Última alteração: 21 OUT 2019 · Leitura: 3 min.

7 passos para superar a dependência emocional

Quando o seu bem-estar, sua felicidade ou seu equilíbrio emocional depende de outras pessoas ou do que elas façam, é muito possível que você manifeste claros sinais de dependência emocional. Trata-se de uma condição problemática, que te impede de enfrentar as situações do dia a dia como deveria, seja por falta de autoconfiança ou por medo de ficar sozinha/o.

E você? Já se perguntou qual o seu nível de dependência emocional? Faça o teste para averiguar a resposta:

De acordo com os especialistas, a dependência emocional é alimentada pela baixa autoestima e pela insegurança. Como resposta direta, a pessoa busca externamente no outro, seja no relacionamento de casal, na família ou amigos,  a segurança que não tem em si mesma. Fica “viciada” no que essas relações são capazes de proporcionar e chegam a considerar que é impossível viver sem elas. Imagina o sofrimento emocional que isso representa?

Por isso, para conseguir romper com os elos da dependência emocional e superá-la é fundamental começar a entender de onde vem esse apego, que não tem limite. Isso significa reconhecer medos e limitações, mas também aproveitar o processo de reflexão para entender quais são as suas próprias potencialidades, porque todos as temos.

É possível que se descubram feridas emocionais e situações de instabilidade, mas isso permitirá, aos poucos, ir trilhando um caminho mais autossuficiente. O processo é lento e, na maioria dos casos, merece ser acompanhamento por um psicólogo especializado em desenvolvimento pessoal. Entretanto, você pode começar a mudança ser com pequenos ajustes nos seus comportamentos e posturas:

shutterstock-692559550.jpg

  1. Comece reconhecendo que está dependente: nunca seremos capazes de superar algo que tratamos de negar. O primeiro passo sempre é saber que você se sente dependente emocional e por que existe esse apego desmesurado. Trate de entender o que cada uma dessas relações oferece a você, de positivo e negativo.
  2. Não tenha medo da incerteza: a dependência emocional vem de uma necessidade de controle, porque isso seria sinônimo de segurança. Porém, quando ela se instala, a relação se converte em tóxica. Ter consciência de que o futuro não se controla, de que a única esfera real de influência que temos é sobre nós mesmos (não me sobre os outros), ajuda a encarar o que está por vir com mente mais aberta e com menos medo, já que o incerto não tem porque ser, necessariamente, negativo.
  3. Centre-se mais em você: não se trata de ser uma pessoa egoísta, mas de ter consciência de que o que realmente importa é a sua opinião, o que você pensa sobre você, não a opinião dos demais. E é importante que você trabalhe todos os pontos que ajudam a reforçar a sua identidade pessoal.
  4. Seja capaz de dizer não: faz parte do equilíbrio emocional saber dizer não. Você precisa entender que respeitar o outro não significa abrir mão daquilo que é fundamental para recuperar e manter a sua autonomia emocional. Seja assertiva/o e respeite sua individualidade.
  5. Não viva do passado: o passado ensina e, nesse sentido, é sempre uma referência. Mas isso não quer dizer que você deva estar presa/o a essas experiências, especialmente as negativas. Isso é colocar uma carga no presente totalmente desnecessária. O grande aprendizado consiste em justamente ser capaz de trasladar as lições do passado e aplicá-las ao presente, para fazer melhor, ser melhor e se sentir melhor.
  6. Questione as suas regras: está claro que todas as experiências vividas ajudam a conformar as “regras” e crenças quando se trata de relacionamento, por exemplo. O problema é que essas regras nem sempre são objetivas ou refletem a realidade. Daí a importância de revisá-las constantemente, em função de quem você é no “agora” e de quais são as suas necessidades.
  7. Assuma a responsabilidade das suas emoções: os sentimentos pertencem à pessoa, e é contraproducente querer colocar a culpa dessas manifestações em causas externas; seria assumir uma postura vitimista. Você precisa entender que tem o controle e, exatamente por isso, é responsável por como manifesta suas emoções.

Para superar a dependência emocional é fundamental que você aprenda a estar bem sozinha/o. Saiba que isso é possível! Não deixe de pedir ajuda profissional se precisar de suporte para alcançá-lo.

Fonte: MundoPsicologo.com

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: SAIBA COMO SUPERAR A DEPENDÊNCIA EMOCIONAL E CONFIAR EM SI MESMO

CIÊNCIAS: QUAL A RELAÇÃO ENTRE VIVER MAIS E SER SAUDÁVEL?

É sabido que a longevidade, de uma maneira geral vem aumentando paulatinamente. Entretanto o que devemos considerar realmente como anos saudáveis na vida de uma pessoa? Se levarmos em consideração que a saúde integral é a composição da saúde mental, física, emocional e espiritual, quem realmente é plenamente saudável? O artigo a seguir pode esclarecer a você essa questão. 

O número de anos saudáveis ​​que uma pessoa vive está aumentando, em média

 

O número de anos saudáveis ​​que uma pessoa vive está aumentando, em média, mesmo para pessoas com condições crônicas comuns, de acordo com um novo estudo.

Houve avanços na área da saúde nas últimas décadas, o que significa que muitas pessoas com condições crônicas de saúde estão vivendo mais.

No novo estudo, os pesquisadores queriam determinar se essa extensão da vida envolve um aumento de anos com ou sem deficiência. A equipe analisou dados de dois grandes estudos populacionais de pessoas com 65 anos ou mais na Inglaterra.

Os estudos, os Estudos de Função Cognitiva e Envelhecimento (CFAS I e II) envolveram entrevistas de linha de base com 7.635 pessoas em 1991-1993 e com 7.762 pessoas em 2008-2011, com dois anos de acompanhamento em cada caso.

Tanto para pessoas saudáveis ​​quanto para aquelas com problemas de saúde, a média de anos de expectativa de vida livre de deficiência (DFLE) aumentou de 1991 a 2011. No geral, os homens ganharam 4,6 anos na expectativa de vida (IC 95%: 3,7—5,5 anos, p<0,001 )) e 3,7 anos em DFLE (IC 95%: 2,7— 4,8, p<0,001)). Homens com doenças como artrite, doença cardíaca coronária, acidente vascular cerebral e diabetes ganharam mais anos no DFLE do que anos com deficiência. As maiores melhorias no DFLE em homens foram observadas para aqueles com dificuldades respiratórias e aqueles que vivem pós-AVC.

Entre 1991 e 2011, as mulheres experimentaram um aumento na expectativa de vida aos 65 anos de 2,1 anos (IC 95%: 1,1-3,0 anos, p<0,001), e um aumento no DFLE de 2,0 anos (IC 95%: 1,0-2,9 anos, p<0,001).

Semelhante aos homens, a maior melhora na expectativa de vida para mulheres com condições de longo prazo ocorreu em anos sem deficiência. No entanto, as mulheres com comprometimento cognitivo experimentaram um aumento na expectativa de vida com incapacidade (1,6 anos, IC 95%: 0,1-3,1, p = 0,04) sem qualquer melhora no DFLE.

Homens com comprometimento cognitivo experimentaram apenas um pequeno aumento no DFLE (1,4 anos, IC 95%: -0,7-3,4, p = 0,18) com um aumento na expectativa de vida com incapacidade que foi comparável em magnitude (1,4 anos, IC 95%: 0,2 -2,5, p=0,02).

Portanto, aos 65 anos, a porcentagem de anos restantes de vida que foram gastos sem deficiência diminuiu para homens com comprometimento cognitivo (diferença CFAS II-CFAS I: -3,6%, intervalo de confiança de 95% (IC): -8,2-1,0, p=0,12) e mulheres com déficit cognitivo (diferença CFAS II—CFAS I: -3,9%, IC 95%: -7,6—0,0, p=0,04).

“Embora esses resultados sejam principalmente positivos, encontramos um aumento na porcentagem de anos restantes gastos com deficiência para homens e mulheres com deficiência cognitiva. Dado que o comprometimento cognitivo também foi a única condição de longo prazo em que a prevalência diminuiu, isso é motivo de preocupação e requer mais investigação”, dizem os autores.

Fonte: PLOS ; Imagem em destaque: Maria Madalena, licença CC

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: QUAL A RELAÇÃO ENTRE VIVER MAIS E SER SAUDÁVEL?

REFLEXÃO: QUANDO O SOFRIMENTO BATER À SUA PORTA, POR PADRE FÁBIO DE MELO

A nossa REFLEXÃO desta sexta-feira é por conta do Padre Fábio de Melo, que nos esclarece qual o papel do sofrimento nas nossas vidas enquanto seres mortais, materiais, vivendo nesse plano tridimensional da dor e do sofrimento. Convido você para ler o texto a seguir, refletir e fazer seu juízo de valor.

Dor e Sofrimento

Quando o sofrimento bater à sua porta

O sofrimento não é um estado definitivo, ele pode ser ponte e local de travessia

Sofrer é como experimentar as inadequações da vida, e elas estão por toda parte. São geradas pelas nossas escolhas, mas também pelos condicionamentos dos quais somos vítimas. Sofrimento é destino inevitável, porque é fruto do processo que nos torna humanos. O grande desafio é saber identificar o sofrimento que vale a pena ser sofrido.

Perdemos boa parte da vida com sofrimentos desnecessários, resultados de nossos desajustes, precariedades e falta de sabedoria. São os sofrimentos que nascem de nossa acomodação, quando, por força do hábito, acostumamo-nos com o que temos de pior em nós mesmos.

Administrar os problemas que nos afetam

Perdemos a oportunidade de saborear a vida só porque não aprendemos a ciência de administrar os problemas que nos afetam. Invertemos a ordem e a importância das coisas. Sofremos demais por aquilo que é de menos. Sofremos de menos por aquilo que seria realmente importante sofrer um pouco mais.
Sofrer é o mesmo que purificar. Só conhecemos verdadeiramente a essência das coisas à medida que as purificamos. O mesmo acontece na nossa vida. Nossos valores mais essenciais só serão conhecidos por nós mesmos se os submetermos ao processo da purificação.
Talvez, assim, descubramos um jeito de reconhecer as realidades que são essenciais em nossa vida. É só desvendarmos e elencarmos os maiores sofrimentos que já enfrentamos e quais foram os frutos que deles nasceram. Nossos maiores sofrimentos, os mais agudos. Por isso se transformam em valores.
O sofrimento parece conferir um selo de qualidade à vida, porque tem o dom de revesti-la de sacralidade, de retirá-la do comum e elevá-la à condição de sacrifício.
Sacrifício e sofrimento são faces de uma mesma realidade. O sofrimento pode ser também reconhecido como sacrifício, e sacrificar é ato de retirar do lugar comum, tornar sagrado, fazer santo. Essa é a mística cristã a respeito do sofrimento humano. Não há nada nesta vida, por mais trágico que possa nos parecer, que não esteja prenhe de motivos e ensinamentos que nos tornarão melhores. Tudo depende da lente que usamos para enxergar o que nos acontece. Tudo depende do que deixamos demorar em nós.
Spinoza escreveu: “Percebi que todas as coisas que temia e receava só continham algo de bom ou de mau à medida em que o ânimo se deixava afetar por elas. O filósofo tem razão. A alegria ou a tristeza só poderão continuar dentro de nós à medida que nos deixarmos afetar por suas causas. É questão de escolha. Dura, eu sei; difícil, reconheço, mas ninguém nos prometeu que seria fácil.

A situação não precisa determinar o fracasso

Se hoje a vida lhe apresenta motivos para sofrer, ouse olhá-los de uma forma diferente. Não aceite todo esse contexto de vida como causa já determinada para o seu fracasso. Não, não precisa ser assim.
Deixe-se afetar de um jeito novo por tudo isso que já parece tão velho. Sofrimentos não precisam ser estados definitivos, eles podem ser apenas pontes, locais de travessia. Daqui a pouco, você já estará do outro lado, modificado e amadurecido.
Certa vez, um velho sábio disse ao seu aluno que, ao longo de sua vida, ele descobriu ter dentro de si dois cães: um bravo e violento; outro manso e muito dócil. Diante daquela pequena história, o aluno resolveu perguntar: “Qual é o mais forte?”. O sábio respondeu: “O que eu alimentar”. O mesmo se dará conosco na lida como os sofrimentos da vida. Dentro de nós haverá sempre um embate estabelecido entre problema e solução. Vencerá aquele que nós decidirmos alimentar.

Fonte: PeFábio de Melo

Continuar lendo REFLEXÃO: QUANDO O SOFRIMENTO BATER À SUA PORTA, POR PADRE FÁBIO DE MELO

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: NA JORNADA DO DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL QUEM AMA SAI NA FRENTE

O texto a seguir trata do caminho a ser TRILHADO na jornada do DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL através de variadas experiências que se sucedem, a fim de que esse aperfeiçoamento ocorra. Tais experiências são o arcabouço do aprendizado necessário para se alcançar o amor incondicional e por isso quem ama sai na frente.

Cristiane falando de... : "Que tenhamos força e vontade pra sair da frente da TV e ir ali ver a vida de perto, pisar na areia, molhar os pés no mar, amar

Quem ama sai na frente

O desenvolvimento do Espírito em sua jornada para a plenitude dá-se em duas frentes.

Ele necessita burilar o intelecto e os sentimentos.

Variadas experiências se sucedem, a fim de que esse aperfeiçoamento ocorra.

O destino final de todos é o mesmo: a angelitude.

Ao contrário do que muitas vezes se imagina, os anjos não são seres apartados da Humanidade.

Não se trata de privilegiados, perfeitos desde a origem.

Eles são apenas nossos irmãos mais velhos.

Por obra de seu esforço, atingiram a meta, que consiste na plenitude da evolução intelectual e moral.

Infinitas foram as lutas que travaram em seu longo jornadear pelas fileiras da Humanidade.

A liberdade de que todos os Espíritos gozam permite que os caminhos sejam diferentes.

Alguns se apaixonam pelas maravilhas da arte.

Outros encontram na filosofia a razão de inúmeras vidas.

Há quem se encante pelos raciocínios lógicos das ciências exatas.

Todos os ramos do conhecimento se entrelaçam.

No zênite evolutivo, os talentos e o saber são plenos, qualquer que tenha sido o caminho trilhado.

Mas há uma peculiaridade concernente ao burilamento dos sentimentos.

Ele facilita bastante o processo evolutivo como um todo.

A liberdade constitui pressuposto do aprendizado.

Não é viável adquirir discernimento sem poder fazer opções.

Mas a contraparte obrigatória da liberdade é a responsabilidade.

O Espírito é livre para agir, experimentar e aventurar-se.

Contudo, responde por tudo o que faz.

Quando se permite atitudes equivocadas, registra desequilíbrios em sua consciência.

Tais desequilíbrios se manifestam na forma de bloqueios, fobias e enfermidades.

Às vezes são necessárias muitas encarnações para propiciar a limpeza psíquica do que se fez em apenas uma.

As posições de poder são as que mais ensejam profundas e longas crises de consciência.

Enquanto gasta tempo para se equilibrar, o Espírito retarda seu processo evolutivo.

A rigor, a evolução sempre ocorre, pois as experiências vão propiciando um irresistível amadurecimento.

Mesmo do erro sempre surgem proveitosas lições.

Entretanto, as lições oriundas de grandes equívocos tendem a ser sofridas e trabalhosas.

Justamente por isso o amadurecimento do senso moral constitui um poderoso impulsor da evolução.

Quem se compadece do semelhante não comete desatinos contra ele.

Por vezes erra, pois a perfeição é a meta final, ainda distante da Humanidade em geral.

Mas tais erros são oriundos da ignorância e não da maldade.

Jamais possuem conotação cruel e são de fácil reparação.

Assim, quem luta por se aperfeiçoar moralmente se abstém de inúmeras dores.

Ao desenvolver pureza, deixa de cometer desatinos na área da sexualidade.

Tomando gosto pela conduta honesta, não assume compromissos com o patrimônio alheio, público ou privado.

Ao adotar o trabalho e a prudência como roteiros de vida, jamais se torna um peso para os semelhantes.

Em suma, o desenvolvimento moral evita muitos erros.

Consequentemente, furta o Espírito da necessidade de sofridas atividades reparadoras.

Se você deseja trilhar em paz o caminho para o Pai, burile os seus sentimentos.

Afinal, quem ama sai na frente.

Pense nisso.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: NA JORNADA DO DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL QUEM AMA SAI NA FRENTE

DICA DE LIVRO: PROPÓSITO DE SRI PREM BABA

Quarta-feira é dia de dica de livro. Livros que, normalmente eu já tenha lido e adorado. É certo que gosto não se discute e que cada um tem o seu. Mas como o meu gosto por leitura é bastante eclético, estou dando dica de temas variados para que agrade a todos os leitores.
Hoje vou indicar um livro que, particularmente amei, me identifiquei muito com o tema e que veio realizar uma revolução na minha consciência.
O livro cujo título é PROPÓSITO, a coragem de ser quem somos, de autoria de Sri Prem Baba.
Neste livro, Sri Prem Baba expande o diálogo amoroso a que sempre se propôs, abordando temas que têm a ver com os anseios mais íntimos do ser humano.
Aqui o leitor vai vislumbrar o horizonte de um trajeto precioso que o levará ao interior de si mesmo. Quando chegar ao seu destino, encontrará o Propósito de sua existência. Essa viagem será vigorosa, transformadora e única, mas poderá ser realizada com serenidade.
Sri Prem Baba é um mestre em ensinar o caminho do amor que renova os fundamentos da existência e pode alterar os rumos da vida pessoal e coletiva. O líder humanitário afirma que “não somos uma gota d’água no oceano”, pois “o amor nos faz ser o próprio oceano”. Também explica que a paisagem interna deverá ser esquadrinhada para que possamos discernir amorosamente qual é o nosso papel no mundo.
O livro está dividido em sete partes. Ao longo das seis primeiras, que tratam do nascimento à transcendência, o leitor encontrará as coordenadas para fazer a própria viagem interior. Na sétima, aprenderá as chaves práticas que vão guiar suas descobertas rumo ao despertar do amor.

Fonte: Acervo particular

Continuar lendo DICA DE LIVRO: PROPÓSITO DE SRI PREM BABA

ARTIGOS: CORAÇÃO, INTUIÇÃO E GRATIDÃO, UM ATALHO PARA A VIDA PLENA

O destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta quarta-feira é um trecho do meu novo livro “Coração, Intuição e Gratidão, um atalho para a vida plena”, que enfatiza a importância de nos afastarmos da força do ego e sairmos da zona de conforto para que possamos crescer espiritualmente e expandir a consciência e deixar para trás as nossas crenças limitantes. Então convido você a ler essa passagem e assistir ao vídeo a seguir!

Saia da sua zona de conforto para uma vida melhor

Não é fácil não entrar na zona de conforto. Eu sei disso. Mas precisamos acima de tudo ter disciplina em todos os hábitos para não cairmos nessa armadilha. Por isso a importância de desenvolvermos o nosso lado espiritual. A importância de entrarmos em contato com o nosso ‘self’, o nosso ‘eu interior’.

Venho dizendo nas minhas publicações do Blog do Saber que este é um caminho sem volta. Pode ser que alguém ache que esse caminho é tortuoso e ruim. Mas é exatamente ao contrário. Ele vai nos levar a um estado de espírito nunca imaginado antes, onde não haverá dor, cansaço, tristeza, sofrimento nem doença. Mas para alcançarmos isso as palavras-chave são: Crença e Disciplina.  Crença no nosso próprio ilimitado poder, que se encontra no nosso inconsciente e no nosso interior. O nosso Eu Superior, nosso Eu Cósmico. Ele sim tem condições de nos conduzir para um plano onde não precisaremos mais estar presos à matéria, ao nosso EGO. Quanto a Disciplina, muita gente confunde com sofrimento.

Portanto quando aparentemente nos sacrificamos deixando de fazer algo prazeroso para nos pouparmos pensando na nossa saúde, bem-estar, longevidade, evolução e no nosso crescimento espiritual, na verdade quem está nesse estágio evolutivo não considera nem sente tais “privações” como sacrifício e sim como uma compensação. Ele sabe que aquela “privação” inicial nada mais é do que uma compensação para obter mais na frente a liberdade total e plena.

Portanto, na minha visão e entendimento o grande vilão, em última análise, que impede ou atrasa o processo de crescimento espiritual e a nossa jornada evolutiva é a tal zona de conforto, capitaneada pelo EGO preguiçoso. Sim, pois até quando nos esquivamos de estudar, ganhar conhecimento através da leitura; quando nos recusamos a conhecer o desconhecido, porque achamos que já sabemos coisas demais ou até mesmo porque temos receio de descobrir algo que possa nos assustar ou por dúvidas na nossa mente, enfim; quando impomos limites ao nosso aprendizado, estamos resistindo a sair da zona de conforto e nos recusando a enxergar as coisas que, normalmente, não enxergamos com os cinco sentidos e, desta forma, retardando o nosso processo evolutivo. Se não tomarmos consciência disso o quanto antes teremos problemas e muita perda de tempo nessa fantástica jornada.

Coração, Intuição e Gratidão, um atalho para a vida plena

Continuar lendo ARTIGOS: CORAÇÃO, INTUIÇÃO E GRATIDÃO, UM ATALHO PARA A VIDA PLENA

FILOSOFIA: QUAL É A PONTE ENTRE A CIÊNCIA E A ESPIRITUALIDADE

A nossa coluna FILOSOFIA desta quinta-feira trás um texto que reflete sobre a fronteira entre ciência e espiritualidade. Existe uma linha tênue entre as duas coisas ou elas jamais se encontrarão? Algumas obras tratam do assunto com realismo e coragem e vale a pena se aprofundar nesse assunto, já que o nosso propósito maior é a expansão da consciência e isso só ocorre se experimentarmos o conhecimento. Boa leitura!

A ciência à luz da ética

            “Nós começamos a descobrir o nosso mundo desde o momento em que nascemos. Continuamos experimentando e aprendendo até o momento de fechar os olhos, o momento da morte física. As descobertas são tarefa para toda uma vida  

Els Rijneker*

SOPHIA • JUL/AGO 2020

Espiritismo - Luz e Ciência - Posts | Facebook

Muitos livros foram escritos sobre ciência, e outros tanto sobre espiritualidade. Qual é a ponte entre ciência e espiritualidade? Deveria realmente haver uma ligação? De onde surge a inspiração para as descobertas científicas? Albert Einstein é um bom exemplo de alguém que construiu essa ponte. Dizem que A Doutrina Secreta de H. P. Blavatsky estava sempre ao seu alcance, sobre sua escrivaninha.

Existem poucos títulos referentes ao elo entre ciência e espiritualidade: O Universo em um Átomo – A Convergência da Ciência em Espiritualidade, do Dalai Lama; A Ciência do Yoga, de I. K. Taimni (Ed. Teosófica); A Ciência e o Sagrado, de R. Ravindra; Um Guia para o Modo de Vida do Bodhisattva; The Universe is a Single Atom (O Universo é um Simples Átomo); A  Flash of Lightning in the Dark of Night (Um Relâmpago na Noite Escura).

Todos os teósofos conhecem o Mantra da Unidade, de Annie Besant, que começa assim: “Ó vida oculta, que vibras em cada átomo, ó luz oculta, que brilhas em cada criatura, ó amor oculto, que tudo abrange na unidade.” O lema da Sociedade Teosófica é Satyan nasti  paro dharma (Não há religião superior à verdade). Com ênfase na liberdade de pensamento, os membros da Sociedade Teosófica são estudantes da vida, buscando a verdade juntos, buscando a arte de viver corretamente. Essa busca tem por objetivo descobrir o desconhecido através do estudo de religião, filosofia e ciência comparadas e investigar as leis inexplicadas da natureza e os poderes latentes no ser humano.

Nós começamos a descobrir o nosso mundo desde o momento em que nascemos. Continuamos experimentando e aprendendo até o momento de fechar os olhos, o momento da morte física. As descobertas são tarefa para toda uma vida. O que assimilamos, compreendemos e lembramos depende das nossas  habilidades e do nosso contexto educacional e cultural. Em suma, experienciamos o mundo através de nossos sentidos e depois acrescentamos nossos pensamentos e emoções. Nossas observações mal podem ser chamadas de imparciais, verdadeiras e puras.

Na pesquisa e na ciência existem muitas armadilhas. Atualmente é preciso discernimento, ética, integridade pessoal e espiritualidade. A Escada de Ouro, de H. P. Blavatsky,  menciona “uma vida limpa, uma mente aberta, um coração puro, um intelecto ardente, uma clara percepção espiritual”. Evidentemente isso também é trabalho para toda uma vida.

Em um simpósio realizado em março de 2014, Marco Pasi, professor de História e Filosofia Hermética, falou sobre “o desafio da alma acadêmica”: “Um dos problemas metodológicos mais frequentemente debatidos em nosso campo diz respeito àqueles que não desejam adotar uma postura neutra ou ‘agnóstica’ no estudo do esoterismo, e sim deixar seus julgamentos serem coloridos por suas próprias crenças espirituais.”

A abordagem científica – a curiosidade e a vontade de investigar e de fazer pesquisa em geral – começa a partir de observações do mundo. Hipóteses são formuladas e testadas sob condições controladas, com instrumentos de alta precisão. Como resultado é apresentada uma nova teoria. Os cientistas são agora capazes de observar a menor das partículas do mundo material. A essa altura, no entanto, surge a questão: qual é a força por trás do mundo material? Que energia é essa? O que é a vida?

Para captar isso são necessários níveis de compreensão mais “etéreos”, quase espirituais. Conseguimos ver além do mundo material? Conseguimos realmente ver e entender as coisas como elas são? Conseguimos alcançar a visão pura, sob qualquer condição? O ser humano pode ser inteligente e brilhante intelectualmente, pode ter estudado muito e reproduzido uma imensa quantidade de fórmulas, fatos e números (a chamada “doutrina do olho” ou “doutrina da cabeça”). Mas possuímos a visão interior? Somos inteligentes nesse sentido (a “doutrina do coração”)? Qual é o nosso objetivo na vida:

Qual é o nosso objetivo na vida: status, orgulho, lucro para poucos, ou o compartilhar com toda a humanidade? Existem questões até mesmo mais difíceis, já que temos uma visão tão limitada: o que  preservar, o que manter, o que liberar – porque a mudança neste mundo físico é inevitável. A correta atitude e integridade devem, necessariamente, desempenhar um papel importante na pesquisa científica. Deveríamos perguntar a nós mesmos se uma descoberta será útil e benéfica para todo o planeta ou para apenas uma parte do mundo. Se  será boa somente para a humanidade ou para todos os reinos (animais e plantas). Será correto, por exemplo, tirar a vida dos animais?

Klaus Klostermaier, professor emérito da Universidade de Manitoba, em Winnipeg, Canadá, escreveu: “Aldous Huxley, um gigante do século XX no reino das ciências humanas, cuja filosofia perene é não apenas uma inigualável antologia das religiões do mundo, mas também o esboço para a religião universal,  sugere que o jñana do Vedanta (puro conhecimento) é a chave para destrancar o portal que leva ao significado da existência.”

Os empreendimentos científicos – e com eles uma grande parte dos nossos esforços públicos na área de educação – são em grande parte dedicados a evitar as grandes questões humanas, em vez de abordá-las. A redução da racionalidade à manipulação matemática de dados não apenas restringe o escopo da ciência e a faz ignorar questões de significado, mas também convence os cientistas e as pessoas em geral de que questões desse tipo, questões relativas ao eu, são “anticientíficas”, e  portanto não vale a pena pesquisá-las. A pesquisa com relação a esse tipo de questão aparentemente “não compensa”. A ciência moderna deixa de lado, por exemplo, questões que incluem toda a gama da ética, da estética e da  espiritualidade.

Haverá uma ponte entre ciência e espiritualidade? É mais do que provável que haja. Deve haver uma, e ela pode sempre ser  melhorada.

Como devemos agir para melhorar essa condição? Esta é uma questão de ética. O primeiro passo deve ser dado individualmente. Somos todos livres para tomar essa decisão por nós mesmos, e temos que trilhar nosso próprio caminho para alcançar o grande “conhece-te a ti mesmo”, gnothi seauton, a frase gravada no frontispício do templo de Apolo em Delfos.

Movimentos espirituais visam essa meta de discernir, compreender e agir eticamente. Embora no mundo científico essa não seja uma prática comum, seria uma ideia apropriada considerar e discutir questões éticas com maior frequência, admitindo que as soluções não  são facilmente encontradas. Estudo, meditação e serviço são os três pilares da vida teosófica, ligados à arte de viver corretamente. Os cientistas devem combinar em suas pesquisas o raciocínio e a reflexão, num estudo meditativo cujo resultado levaria a um sincero serviço à humanidade.

“Os empreendimentos científicos são em grande parte dedicados a evitar as grandes questões humanas, em vez de abordá-las. A redução da racionalidade à manipulação de dados restringe o escopo da ciência.”

Fonte:  Revista Sophia, ANO 18 • Nº 86

Continuar lendo FILOSOFIA: QUAL É A PONTE ENTRE A CIÊNCIA E A ESPIRITUALIDADE

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: UMA PESQUISA REVELA O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL NOS BRITÂNICOS

Uma pesquisa encomendada pela marca de limpeza doméstica Ecover para marcar o lançamento da Ecover Refilry – um posto de gasolina reutilizado que combate o desperdício de plástico com recargas, concluiu que dois terços dos britânicos admitem amar o impulso de humor que recebem ao fazer algo ambientalmente consciente. É o despertar da consciência ambiental dando bons frutos. Leia o artigo completo a seguir e saiba dos detalhes dessa abrangente pesquisa.

Dois terços dos britânicos adoram o impulso de humor que obtêm ao fazer algo ecologicamente correto

Dois terços dos britânicos admitem amar o impulso de humor que recebem ao fazer algo ambientalmente consciente, de acordo com uma nova pesquisa.

Uma pesquisa com 2.000 adultos descobriu que eles se orgulham ao comprar produtos que reduzem seu impacto no meio ambiente e ao lavar banheiras para reutilizá-las – além de descartar resíduos de alimentos em sua própria caixa de compostagem.

Metade também fica excitada ao levar uma ‘bolsa para a vida’ para as lojas com eles, enquanto os espíritos são elevados para um em cada três ao abandonar os lenços descartáveis ​​​​em favor dos reutilizáveis.

E dois em cada cinco estão fazendo mais esforços para visitar lojas de lixo zero para reabastecer garrafas e potes velhos com produtos, em vez de comprá-los em embalagens.

A pesquisa foi encomendada pela marca de limpeza doméstica Ecover para marcar o lançamento da Ecover Refilry – um posto de gasolina reutilizado que combate o desperdício de plástico com recargas.

Tom Domen, diretor global de inovação de longo prazo da Ecover, disse: “Uma pequena mudança pode fazer uma grande diferença.

“O simples ato de reabastecer uma garrafa plástica pode fazer você se sentir bem, além de reduzir a quantidade de resíduos plásticos enviados para aterros sanitários.

“É por isso que pedimos que você escolha reutilizar e aderir à ‘recarga’, optando por produtos domésticos recarregáveis ​​e reutilizáveis, onde você pode usar a embalagem repetidamente.”

A pesquisa também descobriu que 41% acham que o governo deveria fazer mais para tornar o reabastecimento tão acessível quanto a reciclagem.

E um em cada cinco quer fazer do reabastecimento de seus produtos e despensas uma prioridade para o próximo ano.

Na verdade, mais da metade (53%) usaria mais lojas de ‘recarga’ se tivessem uma mais perto de casa, enquanto mais estações de recarga em supermercados convencionais tornariam 62% mais propensos a reutilizar em vez de reciclar.

Mas milhões de britânicos já estão fazendo trocas valiosas – incluindo reabastecimento de garrafas de água, copos de café reutilizáveis ​​e optando por sacolas reutilizáveis.

Tom Domen, da Ecover, acrescentou: “As estações de reabastecimento estão se tornando cada vez mais comuns em todo o país, e uma simples pesquisa lhe dirá onde está sua loja local.

“Até o final de 2022, nosso objetivo é ajudar as pessoas a reabastecer suas garrafas Ecover mais de três milhões de vezes no Reino Unido – o que seria o equivalente a uma recarga a cada 10 segundos.

“Lembre-se de que o plástico pode durar uma vida inteira, então vamos todos colocá-lo em prática.”

A Ecover Reillery estará aberta ao público por dois dias: 23 de março (10h às 19h) e 24 de março (9h às 19h), na 69 Borough Road, em Londres.

20 PRINCIPAIS ATIVIDADES AMIGÁVEIS DO MEIO AMBIENTE PARA COLOCAR OS BRITÂNICOS DE BOM HUMOR:

1. Levar uma sacola reutilizável para fazer compras
2. Desligar as luzes quando não estiver em uso
3. Reutilizar restos de comida
4. Lavar os recipientes de plástico e reciclá-los
5. Desligar as coisas na tomada quando não estiver em uso
6. Usar uma garrafa de água reutilizável
7 . Desligar o aquecimento / usar o aquecimento com menos frequência
8. Lavar embalagens / garrafas plásticas para reutilizá-las
9. Andar de bicicleta ou caminhar em vez de dirigir em algum lugar
10. Lavar roupas a 30 graus
11. Usar um recipiente de comida em vez de filme plástico ou papel alumínio
12 . Usar panos reutilizáveis ​​em vez de lenços descartáveis
​​13. Comer menos carne
14. Lavar as roupas com menos frequência
15. Descartar os restos de comida em compostagem
16. Reciclagem ou reparo de itens e roupas para dar-lhes uma segunda vida
17. Comprar frutas e/ou vegetais sem embalagens plásticas
18. Comprar itens de segunda mão
19. Comprar produtos ecológicos
20. Colocar restos de comida em uma caixa de compostagem

Fonte: Good News Network

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: UMA PESQUISA REVELA O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA AMBIENTAL NOS BRITÂNICOS

AUTOCONHECIMENTO: O JULGAR É INTRÍNSECO DO SER HUMANO. POR ISSO DEVEMOS NOS POLICIAR

O julgar! É intrínseco do ser humano julgar as pessoas, julgar o outro e as coisas, pois é o princípio da cognição e do livre arbítrio. A partir do momento que temos condições de, ao ver um objeto qualquer ou alguém que não conhecemos, é natural, nos questionarmos sobre, com perguntas como: essa pessoa é homem ou mulher? Se for homem tem trejeito de mulher! Se for mulher é muito feia! E por ai vai. Esses questionamentos são o start para você formar uma opinião ou um conceito daquela pessoa e isso se chama julgamento. Por isso precisamos ter muito cuidado para não fazermos juízo de valor das pessoas sem antes conhece-la. É sobre isso que trata o texto a seguir, que eu te convido a ler e se aprofundar nesse assunto!

Atenção ao que diz, ao que julga

Boca de uma mulher aberta e dela estão saindo várias letrinhas.

lassedesignen / 123RF

Muitas pessoas não conseguem compreender porque outras pessoas caminham muito bem, obtendo sucesso nos relacionamentos, na família e na atividade profissional e, por não entenderem, sempre querem o ouro do outro, em vez de fabricarem o seu próprio. Querem, entretanto se esquecem de que existe a Lei Divina e o equilíbrio Universal e que, acima do Absoluto, não há nada.

Quando você vive na sua verdade e no seu caminho, ninguém e nada se colocará à sua frente. Em determinados momentos, podem perturbar, podem “mostrar os dentes”, podem mexer em algo, porém jamais tocarão em você, jamais!

Por isso nunca saia da sua verdade, nunca deixe um só dia de fazer uma oração, de meditar ou de realizar qualquer outro movimento do campo espiritual.

Quanto mais você se concentrar nisso, mais de forma natural você fará, isto é, no seu diário viver, porque sua espiritualidade é demonstrada todos os dias e a todos os instantes de sua vida. Uma das primeiras atitudes para se fazer isso é não julgando, não colocando culpa nos outros, simplesmente olhando para frente; sem olhar para trás, sem se lembrar de passado, sem olhar à direita ou à esquerda. Olhando sempre em frente você conseguirá transformar qualquer coisa.

A natureza humana julga e comenta. Então, quando você se “pegar” fazendo isso, simplesmente fale para você mesmo que não fará mais isso. Ao agir assim, você vai tocando, mudando essa energia e, automaticamente, um dia ela não habitará mais em você e, por conseguinte, você passará a viver numa dimensão superior. Tenha consciência de que o humano já é evoluído, entretanto acessa as dimensões superiores somente quando tiver ações, comportamentos e atitudes superiores, o que só conseguirá ter total compreensão ao buscar autoconhecimento.Homem meditando com um japamala.

THÁI NHÀN / Pexels

Nunca permita que passe pelos seus pensamentos cuidar da vida alheia, jamais se preocupe com o outro e se for fazer algum movimento, que seja para favorecer; fora isso, nenhuma outra intenção!

Mudando seus hábitos, suas ações e seus comportamentos, tudo acontece. Não julgue pessoas, coisas ou situações, ou seja, não faça nenhum tipo de julgamento. O “julgar” faz com que você retroceda, ande para trás e, quando você decide não mais julgar, você principia o seu caminhar, o seu andar natural rumo às realizações e à prosperidade.

Se você quiser favorecer alguém, tenha sempre muita atenção e só vá até onde tiver que ir; favoreça com a vara e o anzol, nunca com o peixe! Ou seja, nem sempre as pessoas querem ser favorecidas ou é justo a elas terem algum tipo de favorecimento. Por isso mostre o caminho, mas não queira fazer pela pessoa o que só ela deve fazer.

PUBLICIDADE

Permitindo que o outro viva o carma dele, que ele viva a experiência dele, você pode favorecê-lo mais do que se ajudasse. Você até pode amenizar uma situação, mas nunca se envolvendo, nunca penetrando na situação e nunca carregando fardos que não pertencem a você. Lembre-se do que sempre falo: largue as pedras.

É muito importante que você viva o seu caminho, não se permitindo sair uma vírgula, um ponto do que julga, dentro de você, como verdade para você mesmo.

O caminho da ALQUIMIA é um caminho intransponível, por isso creia em si próprio e jamais qualquer coisa contrária o tocará.

*Alcides Melhado Filho, alquimista, consultor, referência mundial em Ho’oponopono, gerador de conhecimento e escritor dos livros “Arte do Equilíbrio”, “O Ho’oponopono”, “A Chama Verde Limão”, “7 Lições para Mudar sua Vida” e “A Alquimia dos Relacionamentos”. Ministra cursos de Alquimia, Numerologia Pitagórica e Tarô Alquímico, workshops e palestras. Vídeos do Alquimista disponíveis no YouTube e Vimeo. Seu objetivo é promover equilíbrio emocional, físico, mental e espiritual. https://www.instagram.com/alcides_alquimista_/

Escrito por Arte do Equilíbrio
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O JULGAR É INTRÍNSECO DO SER HUMANO. POR ISSO DEVEMOS NOS POLICIAR

REFLEXÃO: NÃO DEIXE O MEDO TE PARALIZAR E ABRIR CAMINHO PARA A ENERGIA DENSA TE PENETRAR

Hoje temos uma bela REFLEXÃO para uma terça-feira de Carnaval sem Carnaval, aqui no Blog do Saber. O medo vibra  na faixa de 0,2 a 2,0 hertz, uma frequência muito baixa. Tão baixa quanto a do coronavírus que vibra entre 5,5 e 14,5 hertz. Portanto, não importa o que se apresente ao seu redor, há uma imensa força luminosa em você, com poder suficiente para impactar nossa realidade. Visualize sempre o melhor cenário. Seja um agente da luz. Atravesse o medo!

Atravesse a medo

 em 

 

“As forças da escuridão se alimentam do seu medo e não medem esforços em criar todo tipo de situações para levar você na direção dessa energia densa. Não permita que isso aconteça. Lembre-se de duas coisas muito importantes.

Há muita manipulação nas “informações” que nos são entregues todos os dias, no sentido de nos levar a um estado de caos. Assim, respire, espere antes de tirar conclusões, observe, sinta, permita que seu Eu Superior guie você. Não alimente a densidade. Seja soberano de si mesmo, da sua energia, daquilo que você vibra.

Outra coisa, nós somos cocriadores desta realidade, assim cuidado com o que diz, com o que acredita. Se você profetiza eventos destrutivos, você cede sua energia para que seres sem luz a usem para criá-los. (eles precisam de você para isso! )

Não importa o que se apresente ao seu redor, há uma imensa força luminosa em você, com poder suficiente para impactar nossa realidade. Visualize sempre o melhor cenário. Seja um agente da luz. Atravesse o medo!

Agora é a hora de colocar em prática tudo o que aprendemos. Somos seres espirituais. Escolham manter sua vibração elevada, confiando que tudo o que ocorre tem um sentido nesse poderoso e irreversível despertar planetário coletivo.

O medo é uma cortina de fumaça jogada sobre nós, para que não nos apropriemos do nosso poder. Não pare no meio dela. Siga, resoluto. Atravesse-a. Emane luz, mantendo-se equilibrado. Não seja tomado pelo caos. Vença o medo.

Sinta as bênçãos desse manto dourado da luz divina que está, agora mesmo, sobre todos nós.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: NÃO DEIXE O MEDO TE PARALIZAR E ABRIR CAMINHO PARA A ENERGIA DENSA TE PENETRAR

ARTIGOS: SOMOS O QUE ACREDITAMOS SER, POR WAGNER BRAGA

2017. július 6.: Oroszlán Merkúr | Lilith Cadmon

Eu costumo dizer que tudo nessa vida é crença. Desde a hora que acordamos até a hora que vamos dormir, praticamente todas as nossas ações são baseadas nessa afirmação. Por exemplo, se você você escova os dentes após o café todos os dias é porque você acredita que aquela escovação vai manter seus dentes limpos e livres de cáries. Mas você pode retrucar dizendo que não é uma questão de crença, mas de cognição e lógica. Ora, se ao acordar estou com a boca cheia de bactérias que passaram a noite atuando nos meus dentes a escovação vai provocar uma limpeza e higienização da minha boca. Isso me parece óbvio.

Então eu lhe respondo que também parece algo muito óbvio que o nosso corpo precisa se exercitar. Além disso 10 de cada 10 médicos, sejam alopáticos, homeopáticos ou naturalistas, atualmente, indicam atividade física para o indivíduo se manter saudável. Entretanto na última pesquisa realizada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) descobriu-se que apenas 20% das pessoas praticam algum tipo de atividade física. Enquanto isso, alarmantes 80% não praticam absolutamente nada, enquadrando-se como sedentárias. Só para ficar mais claro, são consideradas sedentárias as pessoas que não dedicam ao menos 75 minutos por semana a exercícios de alta intensidade, ou 150 minutos a atividades de intensidade moderada. Esse dado vale para qualquer idade ou sexo. Isso equivale a apenas 21,5  minutos por dia.

Por que será que isso acontece? Ora, ao se exercitar você está cuidando do seu corpo, assim como ao escovar os dentes. Talvez a imensa maioria das pessoas escove os dentes, pelo menos 2 vezes ao dia porque o mau hálito poderia espantar as pessoas. Dentes limpos, alvos e brilhantes atraem pessoas. Mas um corpo gordo, mal cuidado e/ou obeso também pode afastar as pessoas. O contrário invariavelmente atrai as pessoas, ou seja, um corpo bonito, bem cuidado e escultural já começou muitos relacionamentos. Isso não quer dizer que alguém que não escove os dentes todos os dias ou alguém que seja obeso não seja capaz de atrair pessoas para um relacionamento pessoal ou profissional. Sim, as vezes, isso acontece, mas não é regra.

Isso acontece porque as pessoas estabelecem padrões e acreditam nesses padrões. Assim como o dinheiro, o papel moeda tem seu valor porque as pessoas acreditam nisso. Por essa lógica e por esse prisma se você acreditar que é capaz de transformar a sua vida apenas acreditando piamente em algo, você consegue, pois o primeiro passo é o sonho, o segundo é o planejamento de como alcançar esse sonho e claro, com disciplina, o terceiro passo é a execução do que você sonhou, que também requer disciplina, porque nada é fácil nem de graça, mas tudo isso vale a pena quando você conquista o seu sonho e ele se transforma em realidade. Ai, então, só lhe resta celebrar, com um sorriso no rosto e muita satisfação.

Deixe as crenças limitantes para trás e crie as suas novas crenças, aquelas que te dão asas rumo a liberdade. Se você acredita que é águia não aja como uma galinha. Por isso acredite sempre nos seus sonhos e principalmente na sua capacidade de realizá-los. Nunca entregue essa responsabilidade a ninguém, pois você é 100% responsável pela sua realidade!

Continuar lendo ARTIGOS: SOMOS O QUE ACREDITAMOS SER, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: AS DEFICIÊNCIAS GERALMENTE SÃO DÁDIVAS DE DEUS E NÃO CASTIGO

O texto que hoje publicamos, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO do Blog do Saber pode ser considerado uma dádiva de Deus para quem experimenta hoje a realidade de uma deficiência física ou mental. Pode ser a oportunidade de compreender o porquê dessa “aparente mente dura realidade”. Por isso convido você a ler o artigo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor! 

Como o espiritismo explica as deficiências

Mulher branca numa cadeira de rodas.

Marcus Aurelius / Pexels

Falar em deficiências e doenças é sempre um assunto muito difícil. Todo mundo tem ou conhece alguém próximo que já nasceu com problemas genéticos. Questionamos sempre qual a razão disso acontecer? Por que Deus, que é bom e justo, permite que isso aconteça já que a pessoa não tem chances de reverter essa situação?

Segundo o Espiritismo, a vida material é apenas uma parte de nossa existência, que é eterna.

Na antiguidade, antes do advento da era cristã, a visão da deficiência era muito grotesca e desumana. Acreditava-se que os indivíduos que assim nasciam não agradavam aos deuses, não tinham alma e eram vistos como castigos. Eram esquecidos, escondidos e abandonados. Com a chegada da era cristã, isso mudou, pois Jesus nos trouxe o conceito de fraternidade.

A partir da disseminação dos ensinamentos de Cristo, as pessoas com deficiências passaram a ser mais respeitadas e aceitas. Aí temos o advento do Espiritismo que traz ao mundo uma visão expandida da vida, das provas que passamos, e apresenta o conceito da reencarnação.

A reencarnação nada mais é do que a nova oportunidade que Deus nos oferece para reparar os erros e excessos que cometemos em outras encarnações. Deus permite os sofrimentos e provas porque sabe que com eles aprendemos e progredimos. Mas, será que entendemos que a principal função da reencarnação é nos dar oportunidades para a evolução do nosso espírito a caminho da vida eterna, da vida espiritual?

Essa aceitação é fundamental para compreendermos e aceitarmos as deficiências físicas e mentais. Em cada encarnação recebemos um corpo que é um presente de Deus, e ele nos servirá para nos auxiliar no trabalho de nossa evolução. Deveríamos cuidar dele da melhor forma possível. Sem excessos, sem vícios.

Mulher negra deficiente visual.

Tima Miroshnichenko / Pexels

Toda enfermidade física ou mental é um resgate dos excessos que cometemos em algum momento de nossas vidas passadas. Ou seja, as deficiências são, então, resultado de nossas próprias escolhas!

  •        Resgate não é punição de Deus!
  •        Resgate é a oportunidade de trazer algo de volta. E esse algo é a nossa essência divina, bondosa, perfeita.

A falta de conhecimento ou da aceitação da reencarnação é que nos leva a uma interpretação equivocada das deficiências. Estamos aqui para aprender, passando por dificuldades, por deficiências, porque a cada um de nós é dado o remédio apropriado para nossa cura. Sem as deficiências, muitos espíritos não teriam a possibilidade de resgatar suas dívidas. Aprendemos pelo amor ou pela dor. E com certeza a segunda é nossa maior escola.

NA VISÃO ESPÍRITA, AS DEFICIÊNCIAS SÃO INSTRUMENTOS DE EVOLUÇÃO, SÃO DÁDIVAS, SÃO UM CAMINHO QUE NOS AJUDAM A REEQUILIBRAR NOSSAS ENERGIAS.

O livro “Deficiente Mental: por que fui um?” psicografado por Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, é um apanhado de relatos de diversos espíritos que nasceram ou ficaram deficientes ao longo da vida. É muito interessante e vale a pena ser lido. Em um dos relatos deste livro, há o seguinte comentário:

Pessoa branca numa cadeira de rodas.

Steve Buissinne / Pixabay

“Temos muitas oportunidades de voltar à Terra em corpos diferentes e que são adequados para o nosso aprendizado necessário. Quando há muito abuso, há o desequilíbrio, e para ter novamente o equilíbrio, tem de haver a recuperação. Quando se danifica o corpo perfeito, podemos, por aprendizado, tê-lo com anormalidades para aprender a dar valor a essa grande oportunidade que é viver por períodos em um corpo de carne. O acaso não existe, Deus não nos castiga, somos o que fizemos por merecer, e as dificuldades que temos encarnados são lições preciosas”.

Precisamos aceitar que o comportamento de cada indivíduo durante suas encarnações é determinante para o surgimento das deficiências em reencarnações seguintes. E, segundo a lei da ação e reação, cada tipo de deficiência física ou mental tem uma relação direta com o tipo de abuso que um espírito praticou na última encarnação.

Precisamos ter cuidado para não criar a falsa impressão que só nascem com deficiências espíritos inferiores. Isso não é verdade! Muitas vezes, espíritos extremamente inteligentes reencarnam com debilidades (físicas ou mentais) para expiar suas provas.

Um outro livro muito interessante é  “Jornada dos Anjos”, onde há o relato de um imperador que precisou reencarnar como deficiente físico e mental para não ter a oportunidade de exercer o poder político, correndo o risco de utilizá-lo para benefício próprio como fez nas encarnações passadas. E ainda, para não ser perseguido pelos inimigos espirituais de outras encarnações. Quando imperador, sua missão espiritual era a de fazer o Cristianismo crescer e se tornar uma doutrina verdadeira, voltada para o bem comum e para a caridade. Seduzido pelo poder, deixou sua missão para trás e, com isso, atrasou por séculos sua evolução.

Em 1985, em uma entrevista dada para Hebe Camargo e Nair Bello, Chico Xavier fala sobre a origem de alguns exemplos de deficiências na encarnação atual. Uma pessoa que se suicidou com uma bala na cabeça pode, por exemplo, sofrer na próxima encarnação das seguintes deficiências:

  •        Se atingiu a área da fala, poderá ser mudo
  •        Se atingiu a área dos olhos, poderá ser cego
  •        Se atingiu áreas mais complexas, poderá voltar com problemas mentais
  •        suicídio por afogamento, eczemas
  •        se enforcou, poderá ser paraplégico
  •        Se matou alguém e em seguida se matou, esquizofrenia

As deficiências também podem ser provas de altruísmo, ou seja, um espírito que aceita vir deficiente para ajudar aos outros. Deficiências que foram pedidas pelo espírito reencarnante para ajudar seus familiares. NESSE SENTIDO, a deficiência não é um resgate ou uma expiação para uma prova pessoal, mas pode ser também uma prova solicitada para ajudar aos pais a se espiritualizarem. A dedicação, a paciência, o devotamento e a perseverança que os pais têm que despender com o deficiente vão ajudá-los a evoluírem e a se espiritualizarem através do amor ao filho que necessita.

Sei que em um primeiro olhar é difícil, mas vamos buscar o que há de positivo nas deficiências. As deficiências fazem com que o ser humano descubra novas sensibilidades, virtudes e capacidades que estavam adormecidas. E quantos não são os casos de pessoas deficientes que extrapolam todos os limites e nos revelam atitudes de força, coragem, autoconfiança e alegria de viver, mesmo com uma série de limites?

Alguém já viu aquele rapaz sem braços e sem pernas, Nicholas James Vujicic, um australiano que é um pregador evangélico e palestrante motivacional?

As deficiências são desafios, uma escola para o deficiente e os cuidadores. Quanto maior o amor e dedicação daqueles que cuidam, maior será a chance de resgate de provas para ambos: deficiente e cuidador. Um ajuda ao outro a evoluir e concluir uma etapa da evolução. Nesse contexto, a família tem um papel fundamental, seja por ter recebido a missão de ajudar ao deficiente, seja por ter a chance de também resgatar suas provas.

Mulher branca com uma das pernas amputadas.

Anna Shvets / Pexels

Em uma de suas palestras, Divaldo Pereira Franco, diz que os pais de pessoas deficientes podem ter sido pessoas envolvidas diretamente com a forma como o espírito do atual deficiente conduziu sua vida. De alguma forma, colaboraram ou ainda foram imprevidentes e não conseguiram ajudar esse irmão que hoje tem na deficiência a oportunidade de resgate de seus erros. Através da reencarnação juntos, na mesma família, poderão desenvolver o amor, o carinho, a paciência, ajudando o deficiente em sua sobrevivência, reabilitação.

E como podemos agir perante a deficiência? Culpar a Deus pela situação não ajudará em nada, pelo contrário, só prejudicará e dificultará ainda mais a condição do deficiente e do cuidador. É preciso garantir um ambiente de muita oração, muita vibração positiva, buscando a fé em Deus para cumprir a missão, para que essa seja uma reencarnação redentora. Buscar auxílio em instituições que trabalhem com os deficientes, porque estão preparados para dar bons conselhos.

De tudo isso que falamos, independentemente de buscar conhecer os porquês, daquilo que provocou a deficiência nos dias atuais, é fundamental pensar no presente, enfrentando um dia de cada vez, buscando auxílio na fé e na esperança, e principalmente, compreendendo que a vida na Terra é apenas uma passagem.

Escrito por Silvia Jara

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: AS DEFICIÊNCIAS GERALMENTE SÃO DÁDIVAS DE DEUS E NÃO CASTIGO

AUTOCONHECIMENTO: SAIBA COMO QUEBRAR PARADIGMAS E DEIXAR AS CRENÇAS LIMITANTES PARA TRÁS, POR WAGNER BRAGA

As respostas para as mudanças que você quer na sua vida estão no seu eu intrínseco! No vídeo de hoje, falo sobre a mudança de paradigmas como forma de mudar de vida. Todos nós temos vários paradigmas e/ou crenças limitantes que nos acompanham ao longo da vida e nos atrapalham na nossa jornada evolutiva. Precisamos sair da inércia para quebrar esses paradigmas, através de uma reprogramação mental. Aprenda isso assistindo a esse vídeo e muitos outros no nosso canal do Youtube!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SAIBA COMO QUEBRAR PARADIGMAS E DEIXAR AS CRENÇAS LIMITANTES PARA TRÁS, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: UMA LINDA REFLEXÃO DE VIDA SOBRE ZONA DE CONFORTO

O destaque desta sexta-feira, aqui na coluna REFLEXÃO é uma história muito interessante sobre ZONA DE CONFORTO, que nos mostra como muitas vezes é necessário uma ruptura abrupta e radical para nos libertarmos da famigerada zona de conforto e sairmos da inercia, iniciando um novo ciclo de vida. Convido você a assistir ao vídeo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor sobre isso.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA LINDA REFLEXÃO DE VIDA SOBRE ZONA DE CONFORTO

DICA DE LIVRO: A CORAGEM DE SE APAIXONAR POR VOCÊ DE GISELE MIRANDA

Como você já sabe, toda última quarta-feira do mês é dia de DICA DE LIVRO, aqui no Blog do Saber e é com muito orgulho e prazer que indico o livro A Coragem de se Apaixonar por Você da autora Gisele Miranda, minha colega de selo AUTORIDADE da Editora Gente. Um excelente livro de AUTOAJUDA E AUTOCONHECIMENTO para te ajudar a crescer nessa jornada evolutiva. A seguir o resumo do conteúdo do livro.

Seja você, identifique e valorize os seus pontos fortes, conte com a sua rede de apoio. Não silencie a sua própria voz.” – Gisele Miranda. ESCOLHA TODAS AS MANHÃS A VIDA QUE REALMENTE DESEJA TER, QUEM VERDADEIRAMENTE QUER SER. E EMPODERE-SE DAS SUAS DECISÕES. Já entregou aquele relatório urgente que a direção está cobrando? Lembrou-se de comprar o queijo preferido de seu companheiro? Retornou a ligação daquela amiga que estava para baixo? Ajudou o filho com o dever de casa de Matemática? Tarefas, tarefas e mais tarefas! No entanto, mesmo exausta de um dia estressante de trabalho, você veste o uniforme de supermulher e tenta dar conta de tudo. Mas um dia a conta chega, o esgotamento bate à sua porta, a crise lhe diz “olá!” e você se pergunta se viver é apenas apagar incêndios e se preocupar com as necessidades dos outros, esquecendo-se das suas. E mais: questiona se realmente é possível ser perfeita em tudo e para todos. Para Gisele Miranda, o momento do aprendizado é tão valioso quanto o desenvolvimento de um planejamento eficiente e assertivo, capaz de concretizar uma mudança de vida. Em A coragem de se apaixonar por você, a autora mostra que a vida é muito mais que um monte de obrigações, basta que você se conecte a sua verdadeira essência e aos seus sentimentos, reconhecendo-se como a mulher fantástica e superpoderosa que é! Você será guiada nesta emocionante jornada de autoconhecimento e conhecerá todos os passos dessa caminhada que, apesar de difícil, é libertadora. Aqui você vai: Desmistificar o mito da supermulher; Aceitar os seus vários papéis como mulher, mas sem a imposição da perfeição; Conhecer os três Rs da felicidade: ritual, ritmo e rotina, que a ajudarão a tornar o seu dia a dia mais produtivo; Aprender como reprogramar seus pensamentos, sentimentos e comportamentos; Conduzir a sua vida para a felicidade, de modo mais leve e divertido!

Continuar lendo DICA DE LIVRO: A CORAGEM DE SE APAIXONAR POR VOCÊ DE GISELE MIRANDA

REFLEXÃO: A GENEROSIDADE É BEM DIFERENTE DA BONDADE

Hoje temos um tema maravilhoso na nossa coluna REFLEXÃO. Um sentimento tão carente na maioria das pessoas: a generosidade!

O texto a seguir vem nos esclarecer a diferença da generosidade para a bondade. Lembrando que fazer o bem é bem diferente de ser bom. A verdadeira generosidade é aquele ato de amor que você doa ao próximo aquilo que realmente vai lhe fazer falta e não algo que faz parte dos seus excessos. Por isso lhe convido a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor. 

Generosidade

 em 

 

“Não raro, encontramos pessoas gentis no trato social. São aquelas que se preocupam em respeitar os direitos do próximo, em desenvolver seu espírito de cidadania, em buscar palavras e gestos amáveis para com os demais.

Também, com felicidade, encontramos pessoas educadas nas nossas relações sociais. São os companheiros que se fazem atenciosos, que se preocupam com pequenos gestos, como o saudar aos mais velhos, ceder o espaço para a senhora grávida ou apenas dar um telefonema para o conhecido para ter notícias.

Porém, quantas pessoas conseguem ser generosas? Se a gentileza e a educação nascem do respeito ao próximo, se desenvolvem no espírito de cidadania e convivência, a generosidade nasce no coração de quem está pronto para amar fraternalmente.

Vamos encontrar a generosidade no amigo que consegue compreender nossa falta quando esquecemos seu aniversário, e, ao encontrá-lo mais tarde, ao invés de nos cobrar o esquecimento, simplesmente nos oferece o coração aberto e espontâneo de sempre.

Será fruto da generosidade da alma quando não necessitamos, nem esperamos por um agradecimento, após ter feito um favor a alguém, pois o simples fato de poder ajudar a quem nos pediu nos é suficiente para preencher o coração com satisfação, sem aguardarmos nenhum tipo de reconhecimento.

E estaremos prontos para que a generosidade seja nossa companhia quando, tendo razão frente a uma contenda de grande importância ou a uma disputa por nonadas, sejamos capazes de abrir mão de reivindicar nossos direitos, em nome da paz e da boa convivência.

Jesus nos aconselha a cultivar a generosidade no coração quando afirma que se alguém nos convidar a dar mil passos, caminhemos dois mil se necessário. E, se outro nos pedir a capa, que também ofereçamos a túnica.

Muitas vezes, pensamos que generoso é aquele capaz de abrir os cofres e distribuir o muito que tem, quando, não raro, esse muito nem falta lhe fará.

A verdadeira generosidade nasce no coração que é capaz de olhar o próximo e o mundo com complacência e compreensão, sabendo que todos estamos sujeitos a erros, tropeços e enganos.

Seremos generosos quando estivermos despreocupados em conjugar o verbo ter… Ter algo, ter razão, ter alguém, pois nossas preocupações serão as de oferecer… a gentileza, a amizade, a companhia, a compreensão.

Claro que poderemos ensaiar os primeiros passos de generosidade tocando o bolso, para oferecer aquilo que nos sobra aos que têm tão pouco.

Porém, poderemos sempre investir mais e permitir que a generosidade ganhe espaço em nosso mundo íntimo, quando formos capazes de esquecer um tanto de nossas vontades, nossas razões, nossos anseios, para simplesmente semearmos, nos caminhos alheios, as flores perfumadas com a brisa da fraternidade.”

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: A GENEROSIDADE É BEM DIFERENTE DA BONDADE

ARTIGOS: A INVEJA, POR WAGNER BRAGA

Lidando com a Inveja - Igreja Assembleia de Deus - Elshaddai

Desde os primórdios da humanidade o que se viu de mais corrosivo, destrutivo e demolidor nas relações humanas foi o sentimento da INVEJA. Começando com a relação entre Caim e Abel, que se tem como o primeiro assassinato cometido por um ser humano que se tem notícia da história das civilizações. Na bíblia a história é contada como um ato de ciúmes por parte de Caim em relação a Abel, pelo fato de Deus não ter valorizado o presente ofertado por Caim tanto quanto o de Abel. Mas o fato é que A inveja é o medo de lhe faltar alguma coisa e o ciúme é o medo de que você vai perder algo que já tem. No caso dessa história Caim matou Abel por algo que ele ainda não tinha e não por algo que ele já possuía. Depois, mais adiante, temos a história do Filho Pródigo. Nesse caso não chegou a haver vingança, mas o sentimento de inveja do seu irmão pela, aparente preferência do seu pai pelo irmão mais novo, que se caracteriza como o medo de lhe faltar alguma coisa, ou seja, algo que ele ainda não tinha.

Ambos os sentimentos são comuns em todo ser humano, mas se transformam em vício e/ou pecado na medida que não são controlados pelo seu EU Interior. Essa é o nosso grande desafio. Controlar os instintos inferiores do nosso ser nessa jornada evolutiva. Por isso devemos perder o medo do AUTOCONHECIMENTO, pois só assim conseguiremos o desenvolvimento espiritual necessário para alcançarmos a nossa melhor versão.

Continuar lendo ARTIGOS: A INVEJA, POR WAGNER BRAGA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: COMO ADQUIRIMOS O SENSO DO BEM COMUM E DA CONSCIÊNCIA CIDADÃ?

O texto que estamos publicando nesta edição de quinta-feira, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL trás uma profunda REFLEXÃO sobre ética, moral e bons costumes, que são os pilares para uma boa e consistente formação do espiritual e do sagrado em nossa alma. Portanto convido você a ler, interpretar, refletir e fazer o seu juízo de valor acerca de bem comum e Consciência Cidadã. 

Bem Comum e Consciência Cidadã

Ilustração de cabeças humanas feitas de papel, uma ao lado da outra

Wildpixel / Getty Images / Canva

Isso não é problema meu! Tenho que cuidar da minha vida, não posso resolver os problemas do mundo.

Certamente você, em algum momento de sua vida, já se deparou, com pessoas que assumem atitudes de má vontade ou de falta de colaboração para resolução de um problema que está afetando sua vida. Essas pessoas perderam o senso do bem comum, se é que algum dia o tiveram.

Você também deve ter presenciado ou vivenciado situações nas quais você foi subestimado(a), desrespeitado(a), agredido(a). É possível que você tenha retrucado: por favor, me respeite eu sou um(a) “cidadã (o) de bem”. Ou ainda: fulano, você não pode tratá-lo(a) dessa maneira, ele(a) é um(a) cidadã(o) de bem.

Eu passei muitas vezes por várias situações dessas, a maioria delas no serviço público. Vamos refletir um pouco sobre isso?

O que podemos entender pela expressão “cidadão ou cidadã de bem”, considerando a sua utilização no cotidiano de nossas vidas? Habitualmente, utilizamos essa expressão quando nos referimos a uma pessoa de bom comportamento, isto é, que nunca cometeu um ato ilegal ou, ainda, uma pessoa trabalhadora, pacífica, que cumpre seus deveres no convívio em sociedade. Esse é um conceito próprio do senso comum.

Vamos aprofundar um pouco essa visão? O que é o bem, do ponto de vista da ética, ou seja, do campo da filosofia que tem como objeto os princípios e valores que orientam a ação humana?

Homem asiático de idade sorrindo e dando um joinha para a foto
DragonImages / Canva

Se procuramos na história da filosofia, desde a filosofia clássica até a contemporânea, encontraremos vários pensadores que elaboraram importantes reflexões sobre esse tema. Destaco aqui o filósofo Immanuel Kant (1724-1804) que situa a questão do bem e do mal no plano da razão pura. Para ele, a razão orienta o homem a agir de acordo com a lei moral, não de acordo com suas inclinações ou interesses individuais. Nesse sentido, o cumprimento do dever moral encerra uma profunda tensão entre nossos desejos pessoais e o que devemos fazer por respeito à lei moral. Assim sendo, a bondade humana é o resultado do agir virtuoso do homem, uma vez que dele exige esforço (vontade) e coragem para fazer valer a lei moral que obriga sua consciência a agir de forma correta. Nesse exercício de ação virtuosa, cada pessoa forma a sua consciência cidadã e cumpre o fim a que se destina porque, ao superar seu egoísmo, desenvolve a sua humanidade e reconhece a humanidade de seu semelhante.

Seguindo a mesma linha de raciocínio que estamos desenvolvendo até aqui, vamos aprofundar um pouco mais a ideia de bem, analisando a expressão “bem comum”. A palavra “comum” não tem aqui o significado de algo que é usual ou habitual. Refere-se a uma situação que ultrapassa a nossa individualidade, que nos coloca numa interação recíproca com outras pessoas. O bem comum, portanto, requer de cada indivíduo um esforço ainda maior para superar a tensão entre seu eu individual e o eu coletivo, uma vez que aqui se trata da coexistência de seres humanos com direitos e autonomia.

A esse respeito Kant afirma:

“Age de tal maneira que uses a humanidade tanto na tua pessoa como na pessoa de qualquer outro, sempre e simultaneamente como fim e nunca como meio.”

Essa afirmação kantiana deixa claro que a obediência à lei moral possibilita o respeito à dignidade da pessoa humana, ou seja, nenhum indivíduo deve tratar seu semelhante como coisa ou meio para a realização de seus desejos ou interesses próprios, manipulando-o ou coagindo-o a seguir sua vontade egoísta, inescrupulosa ou interesseira.

Homem apontando para si mesmo, em sinal de egoísmo
Koldunov / Getty Images / Canva

Tomando como referência os pressupostos éticos da moral kantiana aqui apresentados, chegamos a um ponto extremamente delicado: como poderemos enfrentar o desafio de sermos e permanecermos “cidadãos e cidadãs de bem” num mundo onde predominam os interesses privados e a desvalorização do bem comum? De que forma poderemos transformar a nossa prática cotidiana, meramente individualista, na perspectiva do bem-estar de todos? Em outras palavras, o que faremos para cumprir o dever moral de nos tornarmos verdadeiramente humanos? Um desafio e tanto, você concorda comigo, meu caro leitor?

Kant nos orienta de forma magistral a enfrentarmos tal desafio. Cada pessoa deve exercitar, cotidianamente, em qualquer circunstância ou contexto, a sua “boa vontade”. Parece simples, mas não é. Sabe por quê? Justamente pelo fato de sermos humanos e, como tal, nem sempre dominarmos nossos instintos, impulsos, desejos e interesses. Por isso muitas vezes não fazemos o que devemos. O ideal do homem virtuoso proposto pelo filósofo Kant exige a prática ininterrupta da consciência esclarecida pela razão, da autocrítica e da boa vontade, principalmente quando se trata do bem comum.

Então o que podemos fazer? Penso que devemos ficar juntos, ou melhor, unidos pelo ideal da humanidade. Você pode achar tudo isso utópico, mas se realmente quisermos ser cidadãos ou cidadãs de bem, precisamos, em primeiro lugar, ter clareza dos fins e deveres morais que motivam a nossa vontade a agir de forma correta. Depois e sempre, cultivar a boa vontade, a cada dia de nossa vida e em qualquer circunstância, a tal ponto que o nosso bem represente o bem supremo, que é o bem de todos.

Concluo com uma provocação kantiana: “Um ser humano tem o dever de erguer-se da tosca condição de sua natureza, de sua animalidade cada vez mais rumo à humanidade (…) tem o dever de reduzir sua ignorância por meio da instrução e corrigir seus erros (…) um ser humano tem o dever de conduzir o cultivo de sua vontade à mais pura disposição virtuosa (…) esta disposição é perfeição interior moralmente prática.”

Não somos todos santos, mas podemos ser virtuosos. Um cidadão acima de qualquer suspeita.

Você também pode gostar:

Estarmos o tempo todo dizendo: “Isso que eu estou tentando fazer é bom para todos ou eu estou sendo simplesmente egoísta nisto que eu estou fazendo?”. E aí eu incluiria também o egoísmo coletivo. É aquela ideia de que é a minha empresa que importa, o resto que se dane. É meu país que importa, o resto que se dane. Então é isso também. A gente olha ao redor da gente e começa a ver, por exemplo, o egoísmo coletivo de uma sociedade inteira que egoisticamente está tentando puxar todas as vantagens para si, esquecendo outros países, outras populações, outras pessoas, outros seres vivos.

O grande guia está dentro de nós.

Igualdade e diversidade

No momento em que nós estamos numa democracia, temos que ter diálogo de alta qualidade, em que os diversos entram no diálogo, têm pontos de vista até contrários. A gente fala até da polarização que existe e a gente pode manter a nossa posição. Mas se não quiser se engajar no diálogo, a gente jamais vai chegar ao bem comum.

Precisamos efetivamente de diversidade, de posições diferentes, mas todos pensando no bem comum. E isso leva a diálogos mais profundos, autênticos, que chegam às melhores soluções para todos.

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: COMO ADQUIRIMOS O SENSO DO BEM COMUM E DA CONSCIÊNCIA CIDADÃ?

AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA OS DIVERSOS TIPOS DE MEDITAÇÃO QUE PODEM AJUDA A SUPERAR CRISES CONJUGAIS

Como superar crises amorosas com a ajuda da meditação é o que você vai aprender lendo o artigo a seguir, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira. Existe uma técnica de meditação para cada tipo de problema a ser resolvido. Leia o texto completo a seguir e saiba como encarar cada.

Aprenda a superar crises na vida amorosa com a ajuda da Meditação

Mulher meditando de joelhos e mãos unidas em uma sala

Elina Fairytale / Pexels

Coração partido, desentendimentos com a pessoa amada, crises de ciúme… Nem só de coisas boas é feito o amor e um relacionamento amoroso. Muitos problemas, dores e crises podem surgir por causa dele, e lidar bem com tudo isso é essencial para ter mais qualidade de vida.

Quando passamos por momentos em que sentimentos de angústia, dor e ansiedade se apossam de nós, podemos recorrer a algumas técnicas que nos ajudam a lidar com essas situações, e uma delas é a meditação.

A meditação tem muitos benefícios físicos, mas como estamos falando das maneiras com as quais ela pode ajudar você a lidar com crises na vida amorosa, vamos focar nos pontos positivos dela para a sua saúde mental.

O maior de todos, talvez, seja a diminuição do sentimento de ansiedade, bem como o combate a doenças que causam crises na vida amorosa e que também são atenuadas por elas, como depressão, transtorno de ansiedade generalizada, síndrome do pânico, TOC, dentre muitas outras.

Além disso, a meditação atua diminuindo o estresse e a irritabilidade, ajudando-nos a evitar debates, discussões e brigas, bem como a evitar atitudes impulsivas e imprudentes. Outros benefícios da meditação dizem respeito ao sono: ela melhora a qualidade dele e combate a insônia.Mulher deitada na cama dormindo tranquilamente

Ketut Subiyanto / Pexels

Quando passamos por crises na vida amorosa, é comum que fiquemos sem foco e sem concentração, e a meditação ajuda bastante no controle da concentração, da memória e do raciocínio, evitando esses sintomas que tanto incomodam em momentos de crise e tristeza.

Por fim, a meditação ajuda no controle das nossas emoções e também aumenta a autoestima, que é grande causadora de problemas entre casais, como crises de ciúme e sentimentos de insegurança.

Como fazer meditação?

Muitas pessoas pensam que a única maneira de meditar é se sentar com as pernas cruzadas, fechar os olhos e falar “om”, mas há muito mais que podemos fazer quando o assunto é meditar. Confira abaixo 4 técnicas de meditação que você pode usar para aliviar as crises nas suas relações amorosas.

Atenção plena

Chamada também pelo seu nome em inglês (mindfulness) é o tipo de meditação mais comum, no qual nos sentamos ou nos deitamos em uma posição confortável e concentramos nossa mente no momento presente, tentando evitar pensamentos a respeito do passado, do futuro ou mesmo sobre os problemas atuais.

Jovem fazendo ioga no chão em casa.

vakhitovalyubov / 123RF

É uma meditação que tem foco na respiração e em outros sentidos. Controlando sua respiração e prestando atenção nela, você evita que sua mente vague. Você também pode estimular outros sentidos, como tato, passando pés e mãos em texturas, ou olfato, com o uso de incensos, por exemplo.

Se você tiver dificuldade de manter o foco ou de se acostumar a esse tipo de meditação, procure meditação guiada no YouTube ou nas lojas de aplicativos. Usando essas meditações narradas, você vai conseguindo se acostumar à meditação.

Tai chi chuan

O tai chi chuan é uma técnica milenar chinesa que é chamada de arte marcial, mas que não tem movimentos agressivos nem a intenção de ensinar autodefesa ou algo assim. No tai chi chuan, os movimentos realizados são lentos e em silêncio, o que estimula a conexão com o próprio corpo, a concentração e a tranquilidade.

Mulher de kimono praticando Tai chi chuan

sonelly / 123RF

É uma boa técnica para quem se sente ainda mais relaxado quando exercita o corpo, além da mente. É ótima também para quem, quando passa por crises, tem dores e tensões musculares, porque o tai chi chuan ajuda no relaxamento dos músculos e do corpo como um todo.

Yoga

Outra opção para quem gosta de exercitar o corpo para aliviar o estresse ou precisa relaxar um pouco a tensão muscular é o yoga, que é quase que uma união entre a meditação da mente e a “meditação do corpo”.

Trabalhando, ao mesmo tempo, a parte física e a parte mental, de forma interligada, o yoga ajuda a aumentar os níveis de concentração, enquanto diminui a ansiedade e trabalha aspectos físicos como a flexibilidade, a respiração e a sensação de bem-estar com o próprio corpo.

Meditação transcendental

Esse tipo de meditação é o que mais exige dos praticantes, mas é aquele que mais traz sensação de relaxamento, foco e diminuição da ansiedade. Para começar a praticá-la, procure um instrutor, porque há algumas especificidades a respeito dela que é muito difícil aprender sem receber instrução.

Além de reduzir a ansiedade, o nível de estresse e os sintomas da depressão, por exemplo, esse tipo de meditação aumenta o nível de conexão consigo mesmo e, consequentemente, aumenta a autoestima do praticante.

Essas são apenas algumas técnicas de meditação, entre tantas e tantas disponíveis, que podem ajudá-lo a lidar com momentos de crise na vida amorosa, que causam ansiedade, estresse, depressão, entre outros sentimentos que são os mais combatidos pela prática da meditação.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA OS DIVERSOS TIPOS DE MEDITAÇÃO QUE PODEM AJUDA A SUPERAR CRISES CONJUGAIS

AUTOCONHECIMENTO: PROPÓSITO DE VIDA, SAIBA O QUE FAZER DEPOIS QUE VOCÊ DESCOBRE O SEU, POR WAGNER BRAGA

No vídeo de hoje você vai entender o que o propósito de vida individual de cada um, saber o que é o talento inato que cada ser humano possui para cumprir a sua missão aqui na terra e o que fazer depois disso. Assista ao vídeo completo a seguir e saiba o que fazer depois de descobrir qual é o seu!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: PROPÓSITO DE VIDA, SAIBA O QUE FAZER DEPOIS QUE VOCÊ DESCOBRE O SEU, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: DESLIGAR A TV É A OPÇÃO MAIS INTELIGENTE PARA TERMOS UM FUTURO MELHOR

O blog Sabedoria Universal sempre está publicando os textos de pura sabedoria do incrível Eckhart Tolle, que eu, normalmente, os reproduzo aqui na coluna REFLEXÃO do Blog do Saber. O tema da edição desta terça-feira aborda o grande problema que é a invasão dos canais de tv  nos lares da nossa sociedade, alienando as nossas crianças e transformando-as no futuro em adultos imbecis. Por isso convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Desligue! Temos esta opção!

 em 

 

“Ver televisão é a atividade de lazer favorita (ou melhor, a opção de inatividade) de milhões de pessoas em todo o mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, quem está na faixa dos 60 anos de idade já terá passado 15 anos diante da tela da TV. Em muitos outros países, os índices são semelhantes.

Para um número significativo de pessoas, ver televisão é algo “relaxante”. Observe a si mesmo e verá que, quanto mais tempo sua atenção permanece tomada pela tela, mais sua atividade intelectual se mantém suspensa. Assim, por longos períodos você estará assistindo a atrações como programas de entrevistas, jogos, shows de variedades, quadros de humor e até mesmo a anúncios sem que quase nenhum pensamento seja gerado pela sua mente. Você não apenas deixa de se lembrar dos seus problemas como se torna livre de si mesmo por um tempo – e o que poderia ser mais relaxante do que isso?

Então ver televisão cria o espaço interior? Será que isso nos faz entrar no estado de presença? Infelizmente, não é o que acontece. Embora a mente possa ficar sem produzir nenhum pensamento por um bom tempo, ela permanece ligada à atividade do pensamento do programa que está sendo exibido. Mantém-se associada à versão televisiva da mente coletiva e segue absorvendo seus pensamentos. Sua inatividade é apenas no sentido de que ela não está gerando pensamentos. No entanto, continua assimilando os pensamentos e as imagens que chegam à tela. Isso induz um estado passivo semelhante ao transe, que aumenta a suscetibilidade, e não é diferente da hipnose. E por isso que a televisão se presta à manipulação da “opinião pública”, como é do conhecimento de políticos, de grupos que defendem interesses específicos e de anunciantes – eles gastam fortunas para nos prender no estado de inconsciência receptiva. Querem que seus pensamentos se tornem nossos pensamentos e, em geral, conseguem.

Portanto, quando estamos vendo televisão, nossa tendência é cair abaixo do nível do pensamento, e não nos posicionarmos acima dele. A TV tem isso em comum com o álcool e com determinadas drogas. Embora ela nos proporcione um pouco de alívio em relação à mente, mais uma vez pagamos um preço alto: a perda da consciência. Assim como as drogas, essa distração tem uma grande capacidade de viciar. Procuramos o controle remoto para mudar de canal e, em vez disso, nos vemos percorrendo todas as emissoras. Meia hora ou uma hora mais tarde, ainda estamos ali, passeando pelos canais. O botão de desligar é o único que nosso dedo parece incapaz de apertar. Continuamos olhando para a tela. Porém, normalmente não porque algo significativo tenha chamado nossa atenção, e sim porque não há nada interessante sendo transmitido. Depois que somos fisgados, quanto mais trivial e mais sem sentido é a atração, mais intenso se torna nosso vício. Se isso fosse estimulante para o pensamento, motivaria nossa mente a pensar por si mesma de novo, o que é algo mais consciente e, portanto, preferível a um transe induzido pela televisão. Dessa forma, nossa atenção deixaria de ser prisioneira das imagens da tela.

O conteúdo da programação, caso apresente alguma qualidade, pode até certo ponto neutralizar, e algumas vezes até mesmo desfazer, o efeito hipnótico e entorpecedor da TV. Existem determinados programas que são de uma utilidade extrema para muitas pessoas – mudam sua vida para melhor, abrem seu coração, fazem com que se tornem mais conscientes. Há também algumas atrações humorísticas que acabam sendo espirituais, mesmo que não tenham essa intenção, por mostrarem uma versão caricata da insensatez humana e do ego. Elas nos ensinam a não levar nada muito a sério, a permitir um pouco mais de descontração e leveza na nossa vida. E, acima de tudo, nos ensinam isso enquanto nos fazem rir. O riso tem uma extraordinária capacidade de liberar e curar. Contudo, a maior parte do que é exibido na televisão ainda está nas mãos de pessoas que são totalmente dominadas pelo ego. Assim, a intenção oculta da TV é nos controlar nos colocando para dormir, isto é, deixando-nos inconscientes. Mesmo assim, existe um potencial enorme e ainda inexplorado nesse meio de comunicação.

Evite assistir a programas e anúncios que o agridam com uma rápida sucessão de imagens que mudam a cada dois ou três segundos ou menos. O hábito de assistir à televisão em excesso e essas atrações em particular são duas causas importantes do transtorno de déficit de atenção, um distúrbio mental que vem afetando milhões de crianças em todo o mundo. A atenção deficiente, de curta duração, torna todos os nossos relacionamentos e percepções superficiais e insatisfatórios. Qualquer coisa que façamos nesse estado, qualquer ação que executemos, carece de qualidade, pois a qualidade requer atenção.

O hábito de ver televisão com frequência e por longos períodos não só nos deixa inconscientes como induz a passividade e drena toda a nossa energia. Portanto, em vez de assistir à TV ao acaso, escolha os programas que despertam seu interesse. Enquanto estiver diante dela, procure sentir a vívida atividade dentro do seu corpo – faça isso toda vez que se lembrar. De vez em quando, tome consciência da sua respiração. Desvie os olhos da tela em intervalos regulares, pois isso evitará que ela se aposse completamente do seu sentido visual. Não ajuste o volume acima do necessário para que a televisão não o domine no nível auditivo. Tire o som durante os intervalos. Procure não dormir logo após desligar o aparelho ou, ainda pior, adormecer com ele ligado.” (O despertar de uma nova consciência – Eckhart Tolle)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: DESLIGAR A TV É A OPÇÃO MAIS INTELIGENTE PARA TERMOS UM FUTURO MELHOR

DESENVOVIMENTO ESPIRITUAL: CONHEÇA A SUA ESSÊNCIA HUMANA E DIVINA

Um texto incrível, de uma sensibilidade e sabedoria poucas vezes vistas é o destaque da nossa coluna deste domingo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL. O Eu aparente e o Eu real é uma daquelas obras comparáveis ao Sermão da Montanha, que veio para esclarecer qual é a nossa essência enquanto seres humanos e divinos. Portanto convido você a ler o texto a seguir completo, refletir e fazer o seu juízo de valor.

O EU APARENTE E O EU REAL – por Sry Aurobindo

– Por Sry Aurobindo –

Este é o teu trabalho e a meta de teu ser e a razão de estares aqui, para tornar-te o divino super-homem e um perfeito receptáculo da Divindade. Tudo o mais que tens que fazer é somente uma preparação para te aprontares, ou uma alegria no caminho, ou um declínio de teu propósito. Mas a meta é esta, e o propósito é este e não no poder do caminho e na alegria do caminho, porém na alegria da meta está a grandeza e o deleite de teu ser. A alegria do caminho é porque aquilo que te está atraindo está também dentro de ti, na tua senda, e o poder para galgar te foi dado, para que possas escalar até tuas próprias culminâncias.

Se tu tens um dever, este é teu dever; se tu perguntas qual será tua meta, que esta seja tua meta; se tu careces de prazer, não existe maior alegria, pois toda outra alegria é fragmentada ou limitada, a alegria de um sonho, ou a alegria de um sono ou a alegria do auto esquecimento. Mas esta é a alegria de teu ser inteiro.

Porque, se tu dizes que é meu ser, este é teu ser, o Divino, e tudo mais é apenas sua aparência pervertida e fragmentada. Se procuras a Verdade, esta é a Verdade. Coloque-a diante de ti, e em todas as coisas sê fiel a ela.

Disse bem alguém que viu, mas através de um véu, e tomou o véu pela face, que tua meta é a de te tornares tu mesmo; e ele disse bem, outra vez, que é da natureza do homem transcender a si mesmo. Esta é, na verdade, sua natureza, e esta é, na verdade, a meta divina de sua transcendência.

O que é, então, o eu que tu tens de transcender? E o que é o Eu que tu tens de te tornar? Porque é aqui que tu não deverias fazer nenhum erro; pois esse erro, de não te conheceres a ti mesmo, é a fonte de todas as tuas tristezas e a causa de todos os teus tropeços.

Isso que tu tens de transcender, é o eu que tu aparentas ser, e isso é o homem como tu o conheces, o aparente Purusha*. E o que é este homem? Ele é um ser mental, escravizado à vida e à matéria; e quando não está escravizado à vida e à matéria, ele é o escravo de sua mente. Mas essa é uma escravidão grande e pesada, porque ser escravo da mente é ser escravo do falso, do limitado e do aparente.

O Eu que tu tens de te tornar é aquele Eu que tu és dentro, por trás do véu da mente e da vida e da matéria. É ser o espiritual, o divino, o super-homem, o real Purusha. Porque aquilo que está acima do ser mental é o super-homem. E ser o senhor de tua mente, de tua vida e de teu corpo é ser um rei sobre a Natureza, de quem és agora um instrumento, é revelar-se acima dela, que agora te tem sob seus pés. É ser livre, e não o escravo; é ser uno, e não dividido; é ser imortal, e não sombreado pela morte; é ser pleno de luz, e não obscurecido; é ser pleno de bem-aventurança, e não um joguete de tristezas e sofrimentos; é ser exaltado ao poder, e não lançado dentro da fraqueza. É viver no Infinito e possuir o finito. É viver em Deus e ser uno com Ele em seu ser. Tornar-te tu mesmo é ser isso e tudo que flui disso.

Sê livre em ti mesmo e, portanto, livre em tua mente, livre em tua vida e em teu corpo. Porque o Espírito é liberdade.

Sê uno com Deus e com todos os seres; vive em ti mesmo, e não em teu pequeno ego. Porque o Espírito é união.

Sê tu mesmo imortal e não ponhas tua fé na morte; porque a morte não é de ti mesmo, mas de teu corpo. Porque o Espírito é imortalidade.

Ser imortal é ser infinito em ser e consciência e bem-aventurança; porque o Espírito é infinito, e aquilo que é finito vive apenas de sua infinitude.

Estas coisas tu és, portanto tu podes tornar-te todas elas; mas se tu não fores estas coisas, então tu não podes nunca te tornar nelas. O que está dentro de ti, isso somente pode ser revelado em teu ser. Tu aparentas, na verdade, ser diferente, mas por que razão deverias te escravizar às aparências?

Melhor erguer-te, transcender a ti mesmo, tornar-te tu mesmo. Tu és homem, e toda a natureza do homem é tornar-se mais que ele mesmo. Ele era o homem-animal, ele tem que se tornar mais que o animal-homem. Ele é o pensador, o artesão, o que busca a beleza. Ele será mais que o pensador, ele será o vidente do conhecimento, ele será mais que o artesão, ele será o criador e o senhor de sua criação; ele será mais que aquele que busca a beleza, porque desfrutará de toda a beleza e de todo o deleite… No físico, ele procura por esta substância imortal; no vital, ele busca a vida imortal e o infinito poder de seu ser; no mental, e parcialmente em conhecimento, busca a luz total e a completa visão.

Possuir isso é tornar-se o super-homem; porque ele tem que se erguer acima da mente até a super-mente. Chame-a de mente ou Conhecimento, ou de Super-mente; é o poder e a vontade divina e a divina consciência. Pela Super-mente o Espírito viu e criou a si mesmo em mundos; por ela, ele vive neles e governa-os. Por ela, ele é Swarat**, o soberano de si e de tudo.

Viver no Ser Divino e deixar que a consciência e a ventura, a vontade e o conhecimento do Espírito te possuam e brinquem contigo e através de ti, este é o significado.

Esta é a transfiguração de ti mesmo na montanha. É descobrir Deus em ti mesmo e revelá-Lo a ti mesmo em todas as coisas. Vive em seu ser, brilha com sua luz, age com seu poder, regozija-te com sua ventura. Sê esse Fogo e esse Sol e esse Oceano. Sê essa alegria, essa grandeza e essa beleza.

(Texto extraído do excelente livro “Sabedoria de Sry Aurobindo” – Editora Shakti – 1999.)

Fonte: IPPB
Continuar lendo DESENVOVIMENTO ESPIRITUAL: CONHEÇA A SUA ESSÊNCIA HUMANA E DIVINA

PONTO DE VISTA: VOTAR CONSCIENTE NO 1º TURNO PARA VOTAR NO MELHOR NO 2º TURNO

Caro(a) leitor(a),

Vejo essa queda de braço do presidente Bolsonaro com o autoritário e criminoso da constituição Alexandre de Moraes como um grande teatro num palco armado para desviar a atenção do povo brasileiro, que adora esse tipo de barraco, principalmente os bolsonaristas, com o intuito de tirar o foco das pesquisas eleitorais que vem enchendo o noticiário semana a semana e vem causando um desgaste na imagem de Bolsonaro a cada pesquisa anunciada. 

É sabido que uma mentira quando contada muitas vezes acaba se tornando uma verdade. Dai a insistência, faltando ainda um bom tempo para as eleições em se fazer pesquisas mentirosas com tanta frequência. É simplesmente psicológico e o povo brasileiro, principalmente o “povão”, acredita que dar o seu voto para o candidato com menor chance de ganhar é desperdiçar o voto. Prova maior disso é que só se fala em Bolsonaro e Lula no segundo turno. A maioria das pessoas esquece que existe um primeiro turno com um leque enorme de opções e que é uma etapa a ser cumprida.

Se pularmos essa etapa tão importante, ai sim estaremos jogando o voto no lixo, pois é a oportunidade de dar o voto consciente, votando no candidato que você acha ser o melhor para o Brasil. Se todo brasileiro votasse assim no segundo turno teríamos dois bons candidatos disputando e de repente qualquer um dos dois seria uma boa opção para o nosso país. Sendo assim não cairíamos no risco de golpe, ruína da economia ou até mesmo Impeachment, como foi o caso por duas vezes nos últimos 25 anos.

Sem o voto consciente no primeiro turno estaremos reeditando a dura realidade que vivemos hoje com uma grande chance de piorarmos ainda mais ela. Portanto vamos votar com consciência para que não nos reste no 2º turno apenas a opção de votar no menos ruim ao invés de no melhor.

Inquérito sobre TSE: PF vê indícios de crime e aponta atuação ‘direta’ e ‘consciente’ de Bolsonaro

Ao STF, AGU diz que dados exibidos pelo presidente não estavam em sigilo.

Isac Nóbrega | PR

Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal (PF) afirmou enxergar indícios de crime e atuação ‘direta’ e ‘consciente’ do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao supostamente vazar dados sigilosos em uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

A acusação informal é trazida em um despacho assinado pela delegada Denisse Dias Ribeiro, responsável pela investigação que foi aberta mediante ordem do ministro Alexandre de Moraes.

No texto, o órgão diz que há indícios de delito na conduta de Bolsonaro, do tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid — ajudante de ordens do presidente — e do deputado federal Filipe Barros (PSL-PR). Na ocasião, em agosto do ano passado, os três participaram de uma ‘live’ por meio das plataformas digitais.

Apesar de o relatório ter sido enviado ao Supremo em novembro, o documento se tornou público nesta sexta-feira (28), após Moraes decidir retirar o sigilo do inquérito.

Em seu escrito, a delegada Denisse assegura que não pediu o indiciamento do chefe do Executivo e de Filipe Barros porque há divergência, na Suprema Corte, sobre a possibilidade de a PF indiciar um político com foro privilegiado.

“Da mesma forma, a materialidade está configurada por meio da realização da própria live e dos links de disponibilização do material, situação que também não foi negada pelas pessoas ouvidas”,  alega trecho da manifestação.

O outro lado

Nesta sexta, ao protocolar um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF), a Advocacia-Geral da União sustenta que o presidente não vazou documentos sigilosos porque, segundo o texto, no dia em que o mandatário compartilhou as informações, em 4 agosto de 2021, os autos do inquérito ainda não estavam sob segredo de justiça.

“O sigilo tão-somente restou decretado posteriormente à realização da live (04/08/2021)”, argumentou a AGU no recurso.

“Indagado se referido inquérito constava no sistema de polícia judiciária da Polícia Federal com a etiqueta ‘sigiloso’, respondeu QUE não constava, que desde a sua instauração não foi cadastrado tanto no sistema SISCART, quanto no Epol a etiqueta ‘sigiloso’”, assegura outro trecho da oitiva.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo PONTO DE VISTA: VOTAR CONSCIENTE NO 1º TURNO PARA VOTAR NO MELHOR NO 2º TURNO

AUTOCONHECIMENTO: SAIBA O QUE REALMENTE É CARMA, POR WAGNER BRAGA

No vídeo desta sexta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, eu faço mais um questionamento. É muito comum utilizarmos o Carma como desculpa para as coisas. No vídeo de hoje, o questionamento que trago é relacionado ao tão falado Carma que, muitas vezes, é mencionado de forma errada. Quando você aceita algo como Carma, você está na zona de conforto, admitindo que nasceu para sofrer, penar e que isso é assim mesmo. Não, nada é tão ruim que não possa piorar ou melhorar, mas quem determina isso é você e não a vontade de Deus ou do destino. Então vamos assistir ao vídeo completo a seguir e desmistificar essa história de Carma!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SAIBA O QUE REALMENTE É CARMA, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ SABE QUAL É O SEU PROPÓSITO E SUA MISSÃO DE VIDA? POR WAGNER BRAGA

Cada ser humano tem sua missão no mundo. No vídeo de hoje, o questionamento que trago é relacionado ao propósito individual do ser humano. Algo que todos têm, porém alguns nascem com isso mais aflorado, já sabendo o que deve ser feito, enquanto outros, precisam seguir a intuição para descobrir. Dai a importância do AUTOCONHECIMENTO para desenvolver a percepção sensorial que todo ser humano tem e que é o caminho para descobrir o seu propósito individual, que muitas vezes ainda não despertou. Assista ao vídeo a seguir e saiba como descobrir a sua missão de vida!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ SABE QUAL É O SEU PROPÓSITO E SUA MISSÃO DE VIDA? POR WAGNER BRAGA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: EVOLUÇÃO SIGNIFICA TREVAS, DOR, SOFRIMENTO, SABEDORIA E FINALMENTE LUZ

O curto texto “Evoluindo”, a seguir, retrata tudo que você, eu ou qualquer um de nós já passou, está passando ou vai passar um dia nessa trajetória evolutiva espiritual. É um caminho que começa com trevas, muita dor e sofrimento, mas que, aos poucos, se transforma em serenidade, paz, mansidão, sabedoria e muita, mas muita luz. Então convido você a ler esse belo texto de autor desconhecido e expandir um pouco mais a sua consciência.

Evoluindo

 em 

 

Todos somos luz e estamos em processo evolutivo. Já disseram que crescer dói. Para sair do casulo é preciso quebrar a barreira, e esta é uma tarefa solitária porque somente nós nos conhecemos profundamente. Sempre vai valer à pena!

“Você sentirá dor. Você vai duvidar de si mesmo mil vezes. Eles vão te dizer que você está ficando louco.

Você perderá amigos. Sua família, às vezes, não vai te entender. As pessoas vão te odiar sem motivo. Você desenvolverá hábitos estranhos. Vai lutar com seus monstros : medo, ego e ignorância.

Não vai se importar com o que outros pensam de você. Você vai sentir que não se encaixa neste mundo. Se tornará terrivelmente seletivo, será deixado aos poucos sozinho. Mas vai valer a pena!

Ninguém acende fantasiando figuras de luz, mas se fazendo ciente da escuridão que nos rodeia e que habita em nós. O verdadeiro despertar espiritual não é uma carícia, mas sim um balde de água fria.

De que serviria para você acariciar seu ego, com sussurros, fantasias ou anseios? Quando o que você precisa é de um chacoalhão forte para assimilar realmente o que é a vida.

O verdadeiro despertar espiritual é um processo de destruição. É o desmoronamento de tudo o que você não é!” (autor desconhecido)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: EVOLUÇÃO SIGNIFICA TREVAS, DOR, SOFRIMENTO, SABEDORIA E FINALMENTE LUZ

ARTIGOS: EQUILÍBRIO MENTE, CORPO E ESPÍRITO, POR WAGNER BRAGA

Equilíbrio do Corpo, Mente e Espírito - Música de Meditação e Relaxamento, Sons da Natureza, Equilíbrio interior e Paz by Música para Relaxar Maestro &amp; Relaxamento Soundscape on Amazon Music - Amazon.com

Quando se fala SAÚDE há de se pensar nela como algo mais amplo e não apenas na saúde física, já que o ser humano é composto de corpo, mente e espírito. Essa tríade que precisa estar em equilíbrio para que tenhamos a saúde integral: física, mental, espiritual e emocional. Ocorre que, durante a vida passamos por atribulações e muitas provações diariamente, além de todo o stress do dia a dia no trabalho e em casa. Isso tudo causa a desconexão do corpo-mente-espirito, evoluindo para o desequilíbrio dessa tríade. A consequência desse desequilíbrio é a doença, que pode ser física, mental, espiritual ou emocional, ou ainda os 4 ao mesmo tempo, que é a situação mais complicada de todas.

A cultura oriental desenvolveu alguns métodos milenares de cura natural para esse desequilíbrio, sempre baseado na AUTOCURA, poder inerente a todo ser humano de se regenerar, desde as enfermidades mais simples até as mais complexas. esses métodos de regeneração atuam na causa e não no sintoma da doença. Desta forma eliminando a doença definitivamente, ao contrário da alopatia que atua no sintoma como um paliativo naquele momento de crise aguda. Infelizmente essa cultura não proliferou aqui no ocidente, deixando o caminho completamente aberto para a indústria farmacêutica e os médicos inescrupulosos e gananciosos.

Não é coincidência que tenhamos nas grandes cidades uma farmácia em cada esquina e do outro lado cada vez mais pessoas dependentes de remédios como nunca se viu antes. Isso ficou explícito com o evento da pandemia e correria das grandes farmacêuticas para produzir vacinas e remédios para conter o vírus da Covid-19. Todos estão tão concentrados e mobilizados no desenvolvimento dessas vacinas, como se fosse a única solução para o problema que esqueceram completamente as outras alternativas, como terapias holísticas, meditação, yoga, homeopatia, ozônio terapia, etc.

Tudo isso que está acontecendo no mundo só vem a reafirmar que não podemos continuar dependendo de médicos e remédios para vivermos com saúde integral. Precisamos cada vez mais confiar e acreditar nosso pode individual de AUTOCURA, que já está no nosso DNA e que só falta entendermos que somos o supremo comandante do nosso organismo e mais ninguém. Com uma mente sã, um corpo são e um espírito são somos imbatíveis.

Continuar lendo ARTIGOS: EQUILÍBRIO MENTE, CORPO E ESPÍRITO, POR WAGNER BRAGA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho