MANOBRA MILITAR DA CHINA PERTO DE TAIWAN É UMA ADVERTÊNCIA APÓS DECLARAÇÃO DE BIDEN

China faz manobra militar perto de Taiwan como ‘advertência’ por declarações de Biden

Presidente americano afirmou que interveria militarmente na ilha em caso de uma ataque de Pequim

Porta-voz do exército da China destacou em fala que Taiwan é território chinês

DADO RUVIC/REUTERS – 28/04/2022

O Exército da China anunciou nesta quarta-feira (25) que realizou manobras militares perto de Taiwan como uma “advertência contra a conspiração entre as forças separatistas e os Estados Unidos”, depois que o presidente americano, Joe Biden, disse que seu país interviria militarmente se Pequim tentasse se apoderar da ilha.

“Esta é uma patrulha do Exército Popular de Libertação (EPL) em torno de Taiwan com o objetivo de prontidão de combate e exercícios de treinamento tanto no mar quanto no ar”, disse o coronel Shi Yi, porta-voz do Comando do Teatro Oriental, em comunicado.

Shi afirmou que os exercícios são “uma advertência solene contra o recente conluio entre os Estados Unidos e as ‘forças separatistas taiwanesas”.

“É hipócrita e fútil que os EUA tomem ações completamente opostas a suas palavras e frequentemente encorajem as ‘forças de independência de Taiwan’. Todos esses atos dos EUA só levarão a uma situação perigosa e terão sérias consequências para si mesmos”, declarou.

O porta-voz também enfatizou que “Taiwan é parte da China”, e por isso o país quer “salvaguardar firmemente a soberania e a segurança nacional, bem como a paz e a estabilidade na região”.

Na segunda-feira (23), a China reagiu com veemência às declarações de Biden de que os EUA continuam empenhados em defender Taiwan e que podem intervir militarmente no caso de uma invasão chinesa à ilha, que Pequim considera uma parte “inalienável” de seu território.

Em outubro passado, a China e os Estados Unidos tiveram uma discussão semelhante sobre Taiwan depois que Biden anunciou um “compromisso” explícito de defender a ilha no caso de uma invasão chinesa.

A China insiste em “reunificar” a República Popular com a ilha, que tem sido governada autonomamente desde que o partido Kuomintang lá se estabeleceu em 1949, após perder a guerra civil contra os comunistas.

Desde então, tem havido apelos crescentes para que Taiwan declare independência como um Estado soberano, o que irrita Pequim, que reitera que “a reunificação será alcançada”.

Continuar lendo MANOBRA MILITAR DA CHINA PERTO DE TAIWAN É UMA ADVERTÊNCIA APÓS DECLARAÇÃO DE BIDEN

DIREITO-JUSTIÇA: PROJETO DE LEI QUE AMPLIA MEDIDA PROTETIVA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA FOI SANCIONADO PELO PRESIDENTE BOLSONARO

Lei que amplia pena para agressores de crianças é sancionada; veja pontos aprovados

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, na tarde desta terça-feira (24), o projeto de lei que amplia medidas protetivas para crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica ou familiar. A norma também passa a considerar crime hediondo o assassinato de menor de 14 anos, com pena de reclusão de 12 a 30 anos.

O texto determina pena de três meses a dois anos para quem descumprir decisão judicial favorável à adoção de medidas protetivas de urgência. Além disso, aumenta de um terço à metade a pena de homicídio contra menor de 14 anos se o crime for cometido por familiar, empregador da vítima, tutor ou curador, ou se a vítima é pessoa com deficiência ou tenha doença que implique o aumento de sua vulnerabilidade.

A proposta foi batizada de Lei Henry Borel, em homenagem ao menino de 4 anos que foi espancado e morto em março de 2021. Os acusados do crime são a mãe de Henry, Monique Medeiros, e o padrasto do menino, o ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Jairinho. A mãe obteve autorização para responder pelo crime em liberdade, com uso de tornozeleira eletrônica. Já o ex-vereador Jairinho continua preso.

“Um fato lamentável e que marcou a todos nós no Brasil, a violência contra uma criança. O projeto foi feito com o espírito de punir, obviamente, mas também de desestimular ações dessa natureza”, afirmou o presidente Bolsonaro, ao sancionar a lei. A cerimônia contou com a participação de parte da bancada feminina de deputadas federais.

O projeto de lei foi de autoria das deputadas Alê Silva (Republicanos-MG) e Carla Zambelli (PL-SP). “As crianças do Brasil, a partir de hoje, vão ter à sua disposição um elemento em lei a mais para protegê-las e tornar muito mais drástica e difícil a vida de quem quiser tirar a vida de uma criança”, disse Alê Silva.

O projeto ainda prevê punição para quem deixar de comunicar à autoridade pública a prática de violência, de tratamento cruel ou degradante, ou de formas violentas de educação, correção ou disciplina, contra criança ou adolescente, ou o abandono de incapaz. A pena será de seis meses a três anos, mas poderá ser aumentada se a omissão partir de parentes ou se levar à morte da vítima.

A matéria promoveu alterações no Código Penal e passou a considerar Lei Maria da Penha como referência para a adoção de medidas protetivas, procedimentos policiais e legais e de assistência médica e social. Independentemente da pena prevista, não poderão ser aplicadas as normas da lei dos juizados especiais. Com isso, a pena não poderá ser convertida em doação de cestas básicas ou pagamento de multa.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo DIREITO-JUSTIÇA: PROJETO DE LEI QUE AMPLIA MEDIDA PROTETIVA PARA CRIANÇA E ADOLESCENTE VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA FOI SANCIONADO PELO PRESIDENTE BOLSONARO

PRESIDENTE DA CÂMARA DOS EUA FOI PROIBIDA DE RECEBER A COMUNHÃO EM RAZÃO DO APOIO PÚBLICO AO ABORTO

Presidente da Câmara dos EUA é proibida de comungar por apoio a aborto

Católica, Nancy Pelosi recebeu carta de arcebispo de São Francisco com pedido para rejeitar posicionamento sobre o tema

Nancy Pelosi foi confrontada publicamente pelo arcebispo Salvatore Cordileone

Nancy Pelosi foi confrontada publicamente pelo arcebispo Salvatore Cordileone | Foto: Divulgação/Flickr

A deputada Nancy Pelosi, atual presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, foi proibida de receber a comunhão em sua cidade, São Francisco, em razão do apoio público à causa do aborto. A decisão partiu do arcebispo local, Salvatore Cordileone.

Por meio de carta, o arcebispo Cordileone expressou que havia pedido a Pelosi em outras ocasiões para “rejeitar publicamente sua defesa do ‘direito’ ao aborto ou se abster de fazer alusão à sua fé católica em público e receber a Santa Comunhão”. Caso contrário, continua o religioso, a política do Partido Democrata seria excluída do acesso ao sacramento.

“Como você não rechaçou publicamente sua posição sobre o aborto e continua se referindo à sua fé católica para justificar sua posição e recebendo a Santa Comunhão, chegou a hora”, escreveu o arcebispo, em comunicado público

“Estou, portanto, notificando que você não pode se apresentar à Santa Comunhão e que, se o fizer, não será admitida para recebê-la, até que repudie publicamente sua defesa da legitimidade do aborto e confesse e receba absolvição desse grave pecado no sacramento da Penitência.”

A Comunhão — rito no qual os fiéis comem pão e vinho consagrados por um sacerdote — é um ato central do dogma da Igreja Católica.

Revisão do aborto nos EUA

A Suprema Corte admitiu que analisa rever a decisão sobre o aborto, em vigor nos Estados Unidos desde 1973. A expectativa é que a legalidade da prática passe a ficar sob responsabilidade dos Estados. Atualmente, a interrupção da gravidez é um direito constitucional.

A possibilidade de revisão da legislação do aborto gerou uma onda de manifestações de rua pelo país, tanto de ativistas contra a prática como aqueles a favor. Em paralelo, centros de apoio à gravidez foram alvos de atentados nas últimas semanas.

A Suprema Corte dos Estados Unidos tem, desde 2020, maioria conservadora em sua composição, com seis juízes, contra três de viés liberal ou progressista. Hoje, pelo menos oito Estados têm leis proibitivas que podem ser implementadas se a Justiça autorizar.

Fonte: R7

Continuar lendo PRESIDENTE DA CÂMARA DOS EUA FOI PROIBIDA DE RECEBER A COMUNHÃO EM RAZÃO DO APOIO PÚBLICO AO ABORTO

PRESIDENTE DA COREIA DO SUL ASSUMIU O PODER E FAZ PEDIDO A COREIA DO NORTE

Novo presidente da Coreia do Sul assume o poder em momento de tensão com a Coreia do Norte

Durante a posse, Yoon Suk-yeol pediu ao país vizinho que renuncie a suas armas nucleares em troca de incentivos econômicos

O presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, assumiu o cargo nesta terça-feira (10)

LEE JIN-MAN/AFP – 10.05.2022

O novo presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, assumiu o poder nesta terça-feira (10) com um pedido para que a Coreia do Norte renuncie ao arsenal nuclear em troca de incentivos econômicos, em um momento de grande tensão na península.

Yoon, um conservador de 61 anos, chegou ao poder em um momento em que a Coreia do Norte adota uma postura cada vez mais beligerante. Pyongyang executou 15 testes militares desde o início do ano, dois deles na semana passada. A Coreia do Sul e os Estados Unidos suspeitam que o regime norte-coreano deseja retomar os testes nucleares.

O novo presidente comandou nesta terça-feira sua primeira reunião com as principais autoridades do Estado-Maior em um bunker subterrâneo na sede da presidência.

Yoon afirmou que se Pyonyang “embarcar genuinamente em um processo para a desnuclearização completa”, está disposto a apresentar um “plano ousado” para ajudar a empobrecida economia da Coreia do Norte e melhorar o nível de vida de sua população.

Uma oferta de diálogo

“Os programas nucleares da Coreia do Norte constituem uma ameaça, não apenas para nossa segurança, mas para todo o nordeste da Ásia”, acrescentou o presidente, antes de destacar que a “porta do diálogo permanecerá aberta” para resolver pacificamente esta ameaça.

O novo chefe de Estado afirmou que o país enfrenta “múltiplas crises”, citando a pandemia de Covid-19, os problemas na rede de abastecimento e os conflitos mundiais que, segundo ele, “jogam uma longa sombra” na Coreia do Sul. “Os coreanos nunca se renderam, nos tornamos mais fortes e sábios”, disse.

Para Park Won-gon, professor da Universidade Ewha, a oferta de Yoon de ajudar economicamente a Coreia do Norte é uma estratégia “antiquada”. “Desde 2009, a Coreia do Norte afirma que não renunciará a suas armas nucleares em troca de incentivos econômicos”, explicou Park à AFP.

Um “jovem grosseiro”

O novo presidente prometeu uma diplomacia mais agressiva após as tentativas fracassadas de aproximação com a Coreia do Norte de seu antecessor Moon Jae-in.

Após sua vitória na eleição, Yoon disse que trataria com “severidade” a ameaça representada pelo regime de Kim Jong Un.

Durante a campanha, ele se referiu a Kim como um “jovem grosseiro” ao qual ensinaria “bons modos”.

Yoon também afirmou que busca uma relação mais sólida com os Estados Unidos, principal aliado contra Pyongyang. O presidente Joe Biden visitará Seul no fim de maio.

A delegação americana na cerimônia de posse foi liderada por Douglas Emhoff, o marido da vice-presidente Kamala Harris. Japão e China, países com os quais Yoon pretende suavizar as relações em alguns momentos conturbadas, enviaram representantes de alto escalão.

Baixa popularidade

No cenário interno, a frustração crescente da opinião pública com o governo liberal de Moon Jae-in parece estar na origem da vitória de Yoon.

Moon venceu a eleição presidencial de 2017 com a promessa de adotar um programa baseado na igualdade de oportunidades na 10ª maior economia mundial, após a destituição de sua antecessora Park Geun-hye, arrastada por um escândalo de corrupção.

Mas ele foi acusado de leniência com seus próprios aliados que admitiram receber subornos. Também foi criticado por suas políticas econômicas que, para alguns, agravaram as desigualdades do país.

Yoon não terá um mandato fácil e assume o poder com um índice de popularidade de 41%, um dos menores da história democrática da Coreia do Sul para um início de mandato, segundo uma pesquisa recente do instituto Gallup.

Uma das razões, segundo a pesquisa, é sua decisão de transferir a sede da presidência do Palácio Azul para a antiga sede do ministério da Defesa, no centro de Seul.

A mudança não foi bem recebida pela opinião pública e foi encarada como um risco para o país em um momento de tensão com a Coreia do Norte.

Yoon alegou que o Palácio Azul foi a sede da administração colonial japonesa entre 1910 e 1945 e é um “símbolo do poder imperial”.

Quase 40 mil pessoas foram convidadas para a cerimônia de posse, a mais cara da história do país, com orçamento de 3,3 bilhões de wons (2,6 milhões de dólares).

Continuar lendo PRESIDENTE DA COREIA DO SUL ASSUMIU O PODER E FAZ PEDIDO A COREIA DO NORTE

ENTREVISTA COM PRESIDENTE DO INSS É INTERROMPIDA POR ASSESSORA E DEIXA PERGUNTA SEM RESPOSTA

Por g1 DF e TV Globo

 

Assessora interrompe entrevista e não deixa novo presidente do INSS responder a perguntaAssessora interrompe entrevista e não deixa novo presidente do INSS responder a pergunta

Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano assumiu a presidência do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) no dia 7 de abril. Ele substitui José Carlos Oliveira, nomeado Ministro do Trabalho e Previdência no lugar de Onyx Lorenzoni (PL), que pretende disputar o governo do Rio Grande do Sul.

Serrano é servidor público e já atuava no INSS como diretor e presidente substituto. Na última semana, a jornalista Mônica Carvalho, da TV Globo, conversou com ele sobre as novas regras para a análise de pedidos de benefícios.

No entanto, o que mais chamou a atenção foi a pergunta não respondida por ele. Ao ser questionado sobre o aumento no volume de trabalho – ao mesmo tempo em que há uma diminuição no quadro de servidores – a assessora interrompeu a entrevista. Alegando que a agenda estava “muito corrida”, ela impediu que o presidente do INSS falasse (veja vídeo cima).

A jornalista falava sobre o aumento no número de pedidos para concessão de benefícios, ao mesmo tempo em que há menos servidores para analisar estas demandas. “É verdade ou possível que os analistas estejam decidindo mais rapidamente pelo indeferimento para desafogar o trabalho?“, questionou a jornalista e, neste momento, sem que Serrano iniciasse uma resposta, a entrevista foi encerrada pela assessora.

Veja abaixo outros temas da conversa com o novo presidente do INSS, Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano:

Desafios para 2022

Segundo o presidente, o grande desafio do INSS para este ano é reaproximar o instituto da população. “É a gente poder voltar a ter esse atendimento presencial nas nossas agências, voltar o atendimento para a população, fazer as pazes com a população, ter essa presença do INSS, de novo, como referência de bom atendimento à sociedade”.

Nova instrução normativa

INSS publicou, no final de março, uma nova instrução normativa e mais 10 portarias que alteram regras para a análise dos pedidos de benefícios. Na entrevista, Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano prometeu que, “nos próximos dias”, será publicada no site da autarquia, toda a explicação sobre como vão funcionar as novas regras.

“A gente vai trazer essa instrução normativa até num modelo um pouco mais interativo para que as pessoas acessem e consultem, que tenham uma interpretação daquilo, um caso prático aplicado, um comparativo, como era antiga redação e como ficou agora”, diz o presidente.

Segundo ele, “a ideia é trazer, já que é uma norma grande, uma norma que baliza todo o serviço da Previdência, dar um destaque um pouco maior para instrução normativa dentro do nosso portal

Constantes pedidos de documentação para beneficiados

A jornalista Mônica Carvalho questionou o presidente do INSS sobre a incompreensão, por parte do cidadão, pelos inúmeros pedidos de documentação e provas, “mesmo que já tenham sido entregues previamente”. Conforme Serrano, problemas desse tipo devem acabar quando as informações da Previdência Social estiverem totalmente informatizadas.

“É importante destacar que, com a modernização, a base de dados do INSS detém muitas informações: informações de vínculos, de trabalhos anteriores, de salários. Boa parte disso tá no nosso sistema. Lógico que essa informação foi construída ao longo de décadas, então, a gente também tem informações que são da década de 60, 70, época que a gente não tinha sistema informatizado e, justamente, às vezes, nesses períodos é que a gente tem lapsos de informação, e por muitas vezes é necessário pedir documentação complementar”, respondeu Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano.

Como saber qual documentação apresentar para o pedido?

Perguntado sobre a responsabilidade do segurado, de estar ciente sobre a documentação apresentada, ou se o aplicativo poderia notificar o cidadão sobre essas necessidades, o presidente disse que a responsabilidade cabe ao segurado.

“No momento do requerimento, o cidadão é orientado [sobre] qual a documentação necessária para aquela análise. No nosso site existe uma documentação mínima que a gente orienta que seja anexada, e, ao longo do requerimento, aparecem alguns campos pra ele [cidadão] ir anexando documentação”, diz Serrano.

“Caso no momento da análise do processo seja identificado que falta um documento ou complementação de documentação, a nossa instrução diz que, se não for possível analisar com os documentos constantes, tem que ser emitida uma carta de exigência solicitando uma documentação complementar”, aponta o presidente do INSS.

Fonte: G1 

Continuar lendo ENTREVISTA COM PRESIDENTE DO INSS É INTERROMPIDA POR ASSESSORA E DEIXA PERGUNTA SEM RESPOSTA

PRESIDENTE DOS EUA PROPÔS UTILIZAR BENS CONFISCADOS DOS BILIONÁRIOS RUSSOS PARA COMPENSAR A UCRÂNIA PELOS DANOS CAUSADOS PELA INVASÃO DAS TROPAS DE MOSCOU

Biden propõe transferir para a Ucrânia bens confiscados de bilionários russos

Presidente americano chamou oligarcas de ‘caras malvados’ e ainda pediu ao Congresso que autorize o repasse de US$ 33 bilhões em ajuda à Ucrânia

Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em pronunciamento sobre a guerra na Ucrânia

REPRODUÇÃO/ YOUTUBE – CASA BRANCA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, propôs nesta quinta-feira (28) utilizar os bens confiscados dos bilionários russos, a quem chamou de “caras malvados” para compensar a Ucrânia pelos danos provocados pela invasão das tropas de Moscou ao país. A declaração ocorreu em anúncio feito na Casa Branca.

Essa proposta, um endurecimento da posição de Washington frente a Moscou, será acompanhada de novas ajudas militares a Kiev, também anunciadas por Biden nesta quinta-feira.

O líder americano ainda pediu ao Congresso que autorize o repasse de 33 bilhões de dólares (R$ 165 bilhões) em ajuda à Ucrânia, sendo 20 bilhões de dólares (R$ 100 bilhões) em ajuda militar.

Do total, 8,5 bilhões de dólares ajudarão o governo ucraniano a responder à crise imediata”, enquanto cerca de 3 bilhões de dólares são necessários para financiar assistência humanitária e lidar com o choque global de preços de abastecimento de alimentos resultante da invasão russa

“Nós não estamos atacando a Rússia, estamos ajudando a Ucrânia a se defender da agressão que sofre. (…) Nós devemos ajudar os ucranianos a lutarem pelo seu território ou estaremos do lado das agressões russas”, apontou. O presidente ainda disse que as ações humanitárias feitas pelos EUA para ajudar os ucranianos irão continuar, como o com o envio de alimentos, água e remédios.

Biden citou um “sistema de segurança de longo prazo”, estratégia para continuar ajudando a Ucrânia contra as ameaças e agressões da Rússia. Ele garantiu que os refugiados ucrânianos são bem-vindos nos EUA e que receberão vistos de entrada.

O governo americano já concedeu mais de 3 bilhões de dólares (R$ 15 bilhões) em armamento à Ucrânia desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro. A Casa Branca busca agora obter financiamento suficiente do Congresso para poder estender essa assistência até outubro.

Os países da União Europeia confiscaram até agora mais de 30 bilhões de dólares (R$ 150 bilhões) em ativos russos, dos quais 7 bilhões (R$ 35 bilhões) são de bens de luxo pertencentes a bilionários (iates, obras de arte, imóveis e helicópteros), disse a Casa Branca.

“Nao pertmitiremos que a Rússia intimide os países ocidentais por conta das sanções. As ameaças não irão vencer”, completou o líder americano. Para ele “a energia não é só uma commodity, mas uma arma dos russos que está sendo usada para intimidar e chantagear outras nações.”

O governo dos Estados Unidos “bloqueou barcos e aviões no valor de mais de 1 bilhão de dólares, e congelou centenas de milhões de dólares das elites russas em contas americanas”.

Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA PROPÔS UTILIZAR BENS CONFISCADOS DOS BILIONÁRIOS RUSSOS PARA COMPENSAR A UCRÂNIA PELOS DANOS CAUSADOS PELA INVASÃO DAS TROPAS DE MOSCOU

ENTENDA O QUE É A GRAÇA CONSTITUCIONAL CONCEDIDA A DANIEL SILVEIRA

Por g1

 

Decreto que deu indulto a Daniel Silveira — Foto: ReproduçãoDecreto que deu indulto a Daniel Silveira — Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro concedeu nesta quinta-feira (21) perdão da pena ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado na véspera a oito anos e nove meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal.

Bolsonaro usou o artigo 734 do Código de Processo Penal, segundo o qual o presidente da República pode conceder “espontaneamente” a graça presidencial. Diz o artigo:

“A graça poderá ser provocada por petição do condenado, de qualquer pessoa do povo, do Conselho Penitenciário, ou do Ministério Público, ressalvada, entretanto, ao Presidente da República, a faculdade de concedê-la espontaneamente”.

O professor de direito Bruno Melaragno disse à Globonews que “a graça é [um perdão] individual, pessoal, e que o chefe de Estado concede a alguém condenado ou que já está cumprindo pena. Não digo que é inédito, mas é muito raro”.

Continuar lendo ENTENDA O QUE É A GRAÇA CONSTITUCIONAL CONCEDIDA A DANIEL SILVEIRA

BIDEN FORMALIZA DESIGNAÇÃO DA COLÔMBIA COMO ALIADO ESTRATÉGICO FORA DA OTAN

Joe Biden oficializa Colômbia como ‘aliado importante da Otan’

Presidente dos Estados Unidos deu aos colombianos o título que apenas Argentina e Brasil possuem na América Latina

Iván Duque (à esq.) e Joe Biden (à dir.) em visita oficial do colombiano aos EUAIván Duque (à esq.) e Joe Biden (à dir.) em visita oficial do colombiano aos EUALATIN AMERICA NEWS AGENCY VIA REUTERS CONNECT – 10.3.2022

presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, enviou uma carta nesta quinta-feira (21) à presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, para formalizar a designação da Colômbia como um aliado estratégico fora da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).Em comunicado transmitido pela Casa Branca, Biden afirma que essa designação é “um reconhecimento da importância da relação entre os Estados Unidos e a Colômbia e as contribuições cruciais colombianas para a segurança regional e internacional”.

Biden já havia feito o anúncio em março ao presidente Iván Duquedurante sua visita a Washington.

“A Colômbia é a pedra angular de nossos esforços compartilhados para construir um hemisfério próspero, seguro e democrático”, disse.

O status de “aliado importante não pertencente à Otan” (MNNA, na sigla em inglês), uma qualificação legal que os Estados Unidos concedeu a 18 países, proporciona benefícios em questões militares e comerciais. A Argentina e o Brasil, designados por Bill Clinton em 1998 e por Donald Trump em 2019, eram até agora os únicos latino-americanos.

Fonte: R7

Continuar lendo BIDEN FORMALIZA DESIGNAÇÃO DA COLÔMBIA COMO ALIADO ESTRATÉGICO FORA DA OTAN

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA PETROBRAS ELEGEU JOSÉ MAURO FERREIRA COELHO COMO NOVO PRESIDENTE

José Mauro Coelho é eleito presidente da Petrobras

Coelho é é ex-secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia e assume o lugar do general Joaquim Silva e Luna

Do CNN Brasil Business*

 

O Conselho de Administração da Petrobras elegeu, nesta quinta-feira (14), José Mauro Ferreira Coelho como novo presidente da Petrobras. A informação foi confirmada à CNN por dois membros do Conselho.

A eleição teve dois votos contrários e uma abstenção. Dois conselheiros deixaram os votos consignados a distância porque não puderem estar presentes na reunião.

Indicado pelo governo federal para presidir a Petrobras, José Mauro Coelho teve seu nome aprovado nesta quarta-feira (13) em assembleia-geral para integrar o conselho de administração da estatal.

Coelho é ex-secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), cargo que ocupou de abril de 2020 a outubro de 2021.

Antes de ser secretário do MME, Coelho foi por quatro anos diretor de petróleo, gás e biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), estatal que presta serviços ao Ministério na área de estudos e pesquisas para ajudar no planejamento do setor energético.

Coelho tem 25 anos de experiência nos setores de petróleo, gás natural e biocombustíveis, como descreve em seu currículo Lattes, dos quais 14 passou no serviço público. Também atuou na área acadêmica como professor de graduação e pós-graduação e escritor. Tem graduação em Química Industrial.

A escolha do governo veio depois que o empresário Adriano Pires desistiu da indicação para assumir o comando da petroleira.

Coelho assume o lugar do general Joaquim Silva e Luna, que está no comando da empresa desde abril de 2021.

À CNN, Silva e Luna disse que a indicação de Ferreira Coelho é “boa” e “técnica” e vai “garantir continuidade do trabalho da empresa”. “Eu conheço o José Mauro de outros tempos. Já tinha ligação com ele desde os tempos de Itaipu e nesse período aqui na Petrobras também. Nós somos amigos. É uma boa escolha, uma indicação técnica”, disse.

Quando empossado, José Mauro Ferreira Coelho será o terceiro presidente da Petrobras em três anos do governo de Jair Bolsonaro.

Em nota, a Petrobras confirmou a eleição de José Mauro, para um mandato de um ano, e agradeceu ao general Silva e Luna. “A companhia agradece o importante trabalho realizado pelo general Joaquim Silva e Luna, por sua liderança, dedicação e contribuição à frente da Presidência da companhia e como membro do Conselho de Administração. Sua gestão foi marcada pela valorização da força de trabalho da Petrobras.”

“Na gestão de Joaquim Silva e Luna, a Petrobras consolidou sua posição financeira se tornando uma empresa forte e saudável, para que pudesse desempenhar seu papel social de investir, gerar empregos, pagar tributos, retornar dividendos aos acionistas, incluindo a União, e contribuir para o desenvolvimento do país. Sua gestão também foi pautada pela consolidação de seus mecanismos de governança e conformidade”, destaca o texto divulgado pela estatal.

Fonte: CNN

Continuar lendo CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA PETROBRAS ELEGEU JOSÉ MAURO FERREIRA COELHO COMO NOVO PRESIDENTE

PRESIDENTE DOS EUA ADVERTE AS EMPRESAS AMERICANAS QUE SE PROTEJAM DE POSSÍVEIS ATAQUES CIBERNÉTICOS REALIZADOS PELA RÚSSIA

Biden pede a empresas americanas que se protejam de possível ciberataque russo

Segundo a Casa Branca, ações criminosas podem ser direcionadas para infraestruturas essenciais, sob posse pública ou não

Presidente Joe Biden em registro feito no jardim da Casa Branca

KEVIN DIETSCH/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/GETTY IMAGES VIA AFP – 20.3.2022

presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu nesta segunda-feira (21) às empresas que se protejam de possíveis ataques cibernéticos realizados pela Rússia em resposta às sanções ocidentais impostas a Moscou pela sua ofensiva na Ucrânia.

“Meu governo reitera essas advertências baseando-se nos dados dos serviços de inteligência em constante evolução, segundo os quais o Estado russo analisa diferentes formas de possíveis ciberataques”, escreveu o presidente em comunicado divulgado pela Casa Branca.

Os ataques cibernéticos entram no “manual de estratégia” do Estado russo, insiste Biden. É “crucial acelerar o reforço da nossa segurança cibernética interna”, alertou o presidente.

Segundo a Casa Branca, os ataques podem ser direcionados para infraestruturas essenciais, muitas delas em mãos do setor privado.

“Ainda temos muito a fazer para garantir que fechamos todas as portas de entrada digitais, especialmente a dos serviços de capital dos quais os americanos dependem”, afirmou Anne Neuberger, funcionária encarregada da segurança para a tecnologia cibernética.

Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA ADVERTE AS EMPRESAS AMERICANAS QUE SE PROTEJAM DE POSSÍVEIS ATAQUES CIBERNÉTICOS REALIZADOS PELA RÚSSIA

PRESIDENTE DA UCRÂNIA DIZ QUE ESTÃO DESENVOLVENDO PROGRAMA DE APOIO AOS UCRANIANOS DESLOCADOS PELA INVASÃO RUSSA

Zelensky anuncia assistência aos ucranianos deslocados pela invasão

Plano irá ajudar as pessoas a encontrarem emprego, a conseguirem habitação e a irá prestar apoio às famílias que abrigam deslocados em territórios em que existam combates

Yulia Shevchenko

da CNN

Volodymyr Zelensky, presidente da UcrâniaVolodymyr Zelensky, presidente da UcrâniaFacebook/Reprodução

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky anunciou, no sábado (19), em horário local, uma assistência aos ucranianos deslocados pela invasão russa.

Falando em uma mensagem de vídeo, Zelensky disse que os ministros do país estão desenvolvendo um programa para apoiar as pessoas que foram forçadas a fugir ou perderam suas casas devido à guerra.

1. Ajudar as pessoas deslocadas a encontrar empregos nos lugares em que estão atualmente localizadas, “para que cada um de nosso povo, cada uma de nossas famílias, tenha a base para a vida”.

2. Providenciar habitação para os deslocados e organizar esforços para reconstruir as casas destruídas assim que a guerra terminar.

3. Dar apoio às famílias que abrigam pessoas que fugiram de territórios ocupados ou áreas onde o combate está em andamento. “No mínimo, eles receberão o reembolso de suas despesas de serviços públicos relacionadas ao alojamento das pessoas reassentadas”, disse Zelensky.

Zelensky acrescentou que um centro de coordenação foi estabelecido para lidar com entregas de ajuda humanitária à Ucrânia e que o chefe do gabinete do presidente consultou embaixadores para acelerar a medida.

Fonte: CNN

Continuar lendo PRESIDENTE DA UCRÂNIA DIZ QUE ESTÃO DESENVOLVENDO PROGRAMA DE APOIO AOS UCRANIANOS DESLOCADOS PELA INVASÃO RUSSA

PRESIDENTE DOS EUA ANUNCIARÁ NESTA TERÇA-FEIRA (16) O ENVIO DE US$ 800 MILHÕES EM AJUDA DE SEGURANÇA À UCRÂNIA

Biden anunciará US$ 800 milhões em ajuda de segurança à Ucrânia

Presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, deve discursar virtualmente para congressistas americanos nesta quarta-feira (16)

INTERNACIONAL

por AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciará nesta quarta-feira (16) o envio de US$ 800 milhões em ajuda para a Ucrânia, no mesmo dia em que o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, tem previsto discursar virtualmente para congressistas americanos.

A decisão eleva “o total da ajuda anunciada para 1 bilhão de dólares somente na última semana”, declarou o funcionário do governo americano, que pediu anonimato.

Zelenski deverá renovar seus pedidos por mais ajuda quando se dirigir ao Congresso virtualmente, enquanto alguns legisladores pressionam a Casa Branca a adotar uma linha mais dura em relação à invasão russa.

Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA ANUNCIARÁ NESTA TERÇA-FEIRA (16) O ENVIO DE US$ 800 MILHÕES EM AJUDA DE SEGURANÇA À UCRÂNIA

BAIXA POPULARIDADE E ALEGAÇÃO DE CORRUPÇÃO MOTIVA CONGRESSO DO PERU APROVAR INÍCIO DO PROCESSO DE IMPEACHMENT DO PRESIDENTE

Congresso do Peru aprova início de processo de impeachment de Pedro Castillo

Presidente peruano passará pela segunda moção de destituição em menos de um ano de mandato

INTERNACIONAL |

Do R7

com informações da EFE e da Reuters

Presidente do Peru, Pedro Castillo, durante discurso em fevereiro

ALDAIR MEJIA/PERUVIAN PRESIDENCY/AFP – 4.2.2022

O Congresso do Peru aprovou nesta segunda-feira (14) o início do processo de impeachment do presidente Pedro Castillo, em meio à baixa popularidade e alegações de corrupção. O Congresso, liderado pela oposição, aprovou por 76 votos a 41 o início do julgamento político.

O Congresso peruano intimou Castillo a apresentar sua defesa sobre o processo em 28 de março. Para cassar Castillo, serão necessários 87 votos a favor do impeachment.

No entanto, o legislador Jorge Montoya, do partido de extrema direita Renovação Popular, propôs que o debate fosse antecipado para 18 de março, o que gerou a rejeição do partido governista Peru Livre e a suspensão da sessão plenária para tomar uma decisão final sobre a data no Conselho de Porta-Vozes.

Montoya é um dos promotores do movimento de destituição junto com parlamentares do partido fujimorista Força Popular e dos conservadores Avança País, Somos Peru, Podemos Peru e Aliança para o Progresso.

Esta é a segunda moção de destituição apresentada contra o esquerdista Castillo, depois que a primeira não alcançou os votos necessários para seu debate, no fim do ano passado.

Uma eventual destituição de Castillo, no poder desde 28 de julho, exigirá o voto favorável de 87 dos membros do Legislativo, circunstância que já ocorreu em 2020 com o então presidente, Martín Vizcarra (2018-2020).

A petição atual inclui 20 pontos, que vão desde as nomeações “questionáveis” de pelo menos dez ministros de Estado até a suposta existência de um “gabinete nas sombras”, além das declarações do presidente em entrevista à emissora CNN sobre sua intenção de convocar um referendo para conceder à Bolívia uma saída para o mar.

A moção também menciona o suposto crime de tráfico de influência em licitações e promoções de policiais e militares, além de denúncias de uma empresária que vinculou Castillo a uma suposta rede de corrupção.

Minutos antes da admissão da moção para debate, o Conselho de Porta-Vozes do Congresso havia aprovado o comparecimento do chefe de Estado nesta terça-feira (15) para oferecer uma mensagem aos parlamentares, conforme solicitado em seu nome pelo presidente do Conselho de Ministros, Aníbal Torres.

O chefe do gabinete havia antecipado que Castillo queria anunciar novas medidas estatais, incluindo “uma surpresa”, em razão da “insegurança política” que “está causando muitos danos”.

Continuar lendo BAIXA POPULARIDADE E ALEGAÇÃO DE CORRUPÇÃO MOTIVA CONGRESSO DO PERU APROVAR INÍCIO DO PROCESSO DE IMPEACHMENT DO PRESIDENTE

PRIMEIRO-MINISTRO DE ISRAEL CONVERSOU COM PRESIDENTE DA RÚSSIA SOBRE OS ESFORÇOS PARA ALCANÇAR UM CESSAR- FOGO

Premiê israelense e presidente russo conversam sobre esforços para alcançar cessar-fogo

Naftali Bennett e Vladimir Putin também teriam discutido sobre questões de ajuda humanitária ao povo ucraniano

Vladimir Putin (à esq.) e Naftali Bennett (à dir.) durante encontro oficial em 2021

YEVGENY BIYATOV/SPUTNIK/AFP – 22.10.2021

O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, falou por telefone nesta segunda-feira (14) com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, sobre “os esforços para alcançar um cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia”, segundo confirmou à Agência Efe uma fonte israelense.

O diálogo entre os dois chefes de Estado durou cerca de uma hora e meia, tendo espaço também para questões humanitárias, de acordo com a fonte.

A conversa de Bennett com Putin coincide com a quarta rodada de negociações entre as delegações de Rússia e Ucrânia, que aconteceu hoje, por videoconferência, sem que fosse alcançado algum acordo que encerre o conflito no Leste Europeu.

No sábado (12), o premiê israelense já havia feito um longo telefonema ao presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, “em que foram discutidas formas de deter os combates”, de acordo com o gabinete do chefe de Estado de Kiev.

Desde então, o presidente ucraniano vem solicitando a realização de reuniões com a Rússia em Jerusalém, diante do papel que considera ter Israel como mediador.

No último dia 5, Bennett se tornou o primeiro líder internacional a ser recebido por Putin desde o início da invasão da Ucrânia. Em seguida, o premiê intensificou o diálogo com autoridades como o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, e o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Fonte: R7

Continuar lendo PRIMEIRO-MINISTRO DE ISRAEL CONVERSOU COM PRESIDENTE DA RÚSSIA SOBRE OS ESFORÇOS PARA ALCANÇAR UM CESSAR- FOGO

UTILIDADE PÚBLICA: SEGUNDO SINGÁS-RN, PREÇO DO GÁS DE COZINHA PODE CHEGAR À R$ 130,00 NO RN A PARTIR DESTA SEXTA-FEIRA (11)

Por g1 RN

 

Preço do gás de cozinha pode chegar a R$ 130 no RN após novo aumento, diz sindicato de revendedores — Foto: Heloisa Guimarães/Inter TV CabugiPreço do gás de cozinha pode chegar a R$ 130 no RN após novo aumento, diz sindicato de revendedores — Foto: Heloisa Guimarães/Inter TV Cabugi

O preço do botijão de gás de cozinha vai aumentar nesta sexta-feira (11) no Rio Grande do Norte. De acordo com o Sindicato dos Revendedores Autorizados de Gás Liquefeito de Petróleo (Singás-RN), o preço do botijão vai variar de R$ 125 a R$ 130 no estado.

O valor vai sofrer novo reajuste em função do aumento de 16,1% para as distribuidoras, anunciado pela Petrobrás na quarta-feira (9). Segundo a estatal, o preço passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg.

De acordo com o presidente do Singás-RN, Francisco Correia, o preço vai ser reajustado nesta sexta-feira (11).

Ele reconhece que o aumento gera muita reclamação dos consumidores. “Nos últimos meses houve um aumento de mais de R$ 40 no preço do botijão. Realmente para a população que ganha um salário mínimo é muito difícil e a reclamação é muito grande. A insatisfação das classes C, D e E é enorme. A gente vê, inclusive, muita gente que está cozinhando à lenha por causa dessa dificuldade”, disse Francisco.

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SEGUNDO SINGÁS-RN, PREÇO DO GÁS DE COZINHA PODE CHEGAR À R$ 130,00 NO RN A PARTIR DESTA SEXTA-FEIRA (11)

PRESIDENTE DA RÚSSIA DIZ QUE O PAÍS É CAPAZ DE SUPERAR AS CONSEQUÊNCIAS DAS SANÇÕES INTERNACIONAIS

Putin diz que Rússia é capaz de superar sanções ocidentais

Presidente afirma que país continua cumprindo com os contratos de fornecimento de combustível com o mercado internacional

Vladimir Putin acredita que Rússia pode se ajustar contra sanções internacionais

MIKHAIL KLIMENTYEV/SPUTNIK/AFP – 10.3.2022

presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira (10) que o país é capaz de superar as consequências das sanções internacionais e que está cumprindo o fornecimento de recursos energéticos para a Europa e outras partes do mundo.

Putin também declarou que a Rússia pode administrar os ativos das empresas estrangeiras que estão suspendendo ou deixando as operações no país em resposta à invasão da Ucrânia.

“Peço ao governo que não perca isso de vista, diante daqueles que vão fechar suas unidades de produção. Devemos agir aqui de forma decisiva. Portanto, como sugeriu o primeiro-ministro (Mikhail Mishustin), teremos que introduzir a gestão externa, e depois transferir essas empresas para aqueles que querem trabalhar. Existem instrumentos legais suficientes, instrumentos de mercado”, afirmou Putin em uma reunião com membros do governo russo.

O presidente russo respondeu dessa forma à saída de centenas de empresas estrangeiras da Rússia desde o início da ofensiva militar contra a Ucrânia, em 24 de fevereiro. Por outro lado, ele garantiu que o país continua aberto para negócios com os investidores estrangeiros que quiserem permanecer.

“Não vamos nos fechar a ninguém, estamos abertos a trabalhar com todos os nossos parceiros estrangeiros que desejarem. Os direitos dos investidores estrangeiros e colegas que permanecem na Rússia e trabalham na Rússia devem ser protegidos de forma confiável”, afirmou.

Putin também ressaltou que a Rússia está cumprindo todas as suas obrigações em relação ao fornecimento de recursos energéticos para a Europa e outras partes do mundo, incluindo a própria Ucrânia.

“Sobre aqueles países que estão dando passos hostis em direção a nosso país e nossa economia, sabemos muito bem que eles estão chamando seus cidadãos para apertar o cinto, para usarem roupas mais quentes. E eles falam das sanções que nos impõem como motivo para a piora dessa situação”, disse.

“Tudo parece muito estranho, especialmente porque estamos cumprindo todas as nossas obrigações. Deixe-me enfatizar mais uma vez que estamos cumprindo todas as nossas obrigações no campo do fornecimento de energia”, acrescentou.

O líder russo mostrou confiança de que o país vai conseguir superar, com a ajuda de outros parceiros, as dificuldades criadas pelas sanções ocidentais.

“Nós, juntamente com nossos parceiros que não reconhecem estas ações ilegais, certamente encontraremos uma solução para todos os problemas que eles estão tentando nos criar”, afirmou.

Putin também negou que a Rússia seja a culpada pelo aumento dos preços do petróleo nos Estados Unidos, alegando que isso aconteceu devido à decisão do governo americano de parar de importar combustíveis russos.

Por fim, ele ressaltou que os EUA estão tentando culpar a Rússia “por seus próprios erros” e que agora estão tentando comprar petróleo de países aos quais impôs sanções anteriormente, como Irã e Venezuela, e que o mesmo acontecerá com relação à Rússia.

Continuar lendo PRESIDENTE DA RÚSSIA DIZ QUE O PAÍS É CAPAZ DE SUPERAR AS CONSEQUÊNCIAS DAS SANÇÕES INTERNACIONAIS

LÍDER DA OPOSIÇÃO CONSERVADORA FOI ELEITO PRESIDENTTE DA COREIA DO SUL

Conservador Yoon Suk-yeol é eleito presidente da Coreia do Sul

Opositor obteve 48,59% dos votos frente a 47,79% do atual mandatário sul-coreano Lee Jae-myung

Yoon Suk-yeol comemora vitória em eleição presidencial na Coreia do Sul

JUNG YEON-JE/AFP – 9.3.2022

O líder da oposição conservadora, Yoon Suk-yeol, foi eleito presidente da Coreia do Sul, informou nesta quarta-feira (9) a agência Yonhap, depois que o adversário governista, o liberal Lee Jae-myung, admitiu sua derrota.

Após a apuração de 98% dos votos da eleição realizada na quarta-feira, Yoon, do PPP (Partido do Poder Popular), “obteve 48,59% dos votos frente a 47,79% para Lee”, do Partido Democrático (centro-esquerda), do atual presidente Moon Jae-in, detalhou a Yonhap.

“Esta é uma vitória para o grande povo da Coreia do Sul”, declarou Yoon a apoiadores que cantavam seu nome na Assembleia Nacional.

Após uma campanha dominada por calúnias entre os dois principais candidatos, a participação eleitoral foi de 77,1%, no país de cerca de 52 milhões de habitantes.

Os dois partidos estão em polos ideologicamente opostos. A vitória de Yoon marcará o início de um regime mais conservador após cinco anos sob os liberais moderados do presidente cessante.

É também uma reviravolta dramática para o PPP, que ficou estremecido em 2017 depois que o líder e presidente do país, Park Geun-hye, foi destituída e presa por acusações de corrupção, antes de ser perdoada.

De acordo com analistas, um habitual “ciclo de vingança” pode começar agora na política sul-coreana, onde os presidentes cumprem apenas cinco anos de mandato e todos os ex-líderes vivos foram presos por corrupção após deixar o cargo.

Durante a campanha eleitoral, Yoon ameaçou investigar o atual presidente Moon Jae-in, citando “irregularidades”, embora sem especificar quais.

Mas em seu discurso de vitória, ele adotou um tom mais conciliador, transmitindo ao país, após uma campanha polarizada, que “a competição acabou e todos devem dar as mãos para se tornar um”.

Continuar lendo LÍDER DA OPOSIÇÃO CONSERVADORA FOI ELEITO PRESIDENTTE DA COREIA DO SUL

DURANTE CONVERSA POR TELEFONE NICOLÁS MADURO EXPRESSA FORTE APOIO AO PRESIDENTE RUSSO VLADIMIR PUTIN

Nicolás Maduro expressa ‘forte apoio’ a Vladimir Putin em ligação

Presidente venezuelano reforçou a narrativa de que a Rússia está combatendo o ‘nazismo’ em conflito na Ucrânia

Presidente Nicolás Maduro em evento oficial na Venezuela

PALACIO DE MIRAFLORES/EFE – 22.2.2022

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, expressou nesta terça-feira (1º) seu “forte apoio” ao presidente russo, Vladimir Putin, durante uma conversa por telefone entre os dois, seis dias após a invasão russa da Ucrânia, informou o Kremlin a repórteres.

“Nicolás Maduro expressou seu forte apoio às ações-chave da Rússia, condenando a atividade desestabilizadora dos Estados Unidos e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e enfatizando a importância de combater a campanha de mentiras e desinformação lançada pelos países ocidentais”, indica a declaração do governo russo após a ligação realizada por “iniciativa venezuelana”.

Putin, por sua vez, “compartilhou sua visão da situação em relação à Ucrânia, destacando que os objetivos da operação militar especial eram proteger a população civil do Donbass”, territórios separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, assim como “a soberania russa sobre a Crimeia, a desmilitarização e a desnazificação do Estado ucraniano e a garantia de sua condição neutra e não nuclear”.

A relação russo-venezuelana remonta à época do falecido presidente Hugo Chávez, que apoiou a Rússia durante a guerra-relâmpago com a Geórgia, em agosto de 2008, pelo controle da Ossétia do Sul. Após o conflito, Moscou reconheceu a independência dessa província e de Abkhazia, outra região georgiana separatista pró-Rússia.

Chávez (1999-2013) também comprou armas e equipamentos militares russos por centenas de milhões de dólares em meio a um boom do petróleo, que terminou em 2014.

Fonte: R7

Continuar lendo DURANTE CONVERSA POR TELEFONE NICOLÁS MADURO EXPRESSA FORTE APOIO AO PRESIDENTE RUSSO VLADIMIR PUTIN

SEGUNDO PORTA-VOZ DA ONU, ORGANISMO MUNDIAL “PLANEJA MELHORAR ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA AO POVO DA UCRÂNIA”

Chefe da ONU conversa com presidente da Ucrânia e diz que vai aumentar ajuda

Secretário-geral António Guterres disse que a organização lançará na terça-feira (1º) um apelo de financiamento de suas operações

António Guterres conversou com Volodmir Zelenski neste sábado (26)

CARLO ALLEGRI/REUTERS – 23.02.2022

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, conversou com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, neste sábado (26). Segundo um porta-voz da ONU, ele disse que o organismo mundial planeja “melhorar a assistência humanitária ao povo da Ucrânia”.

“Ele informou ao presidente que as Nações Unidas lançarão na terça-feira [1º] um apelo de financiamento de nossas operações humanitárias na Ucrânia”, disse o porta-voz da ONU em comunicado.

O chefe de ajuda da ONU, Martin Griffiths, disse nesta sexta-feira (25) que mais de 1 bilhão de dólares serão necessários para operações de ajuda na Ucrânia nos próximos três meses, já que centenas de milhares de pessoas estão refugiadas depois que a Rússia invadiu o país.

Continuar lendo SEGUNDO PORTA-VOZ DA ONU, ORGANISMO MUNDIAL “PLANEJA MELHORAR ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA AO POVO DA UCRÂNIA”

BIDEN LIBERA US$ 350 MILHÕES DE DÓLARES EM NOVAS AJUDAS MILITARES À UCRÂNIA

Presidente dos EUA aprova ajuda de US$ 350 milhões à Ucrânia

Joe Biden manteve uma conversa telefônica de 40 minutos com o líder ucraniano, Volodymyr Zelenski, nesta sexta-feira (25)

INTERNACIONAL

 Do R7, com informações da EFE

Biden libera 350 milhões de dólares em ajuda

BRENDAN SMIALOWSKI/AFP – 22.2.2022

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, aprovou na noite desta sexta-feira (25) a liberação de até 350 milhões de dólares em novas ajudas militares à Ucrânia, que sofre ataques da Rússia desde quinta-feira (24).

Em um memorando, Biden autorizou o Departamento de Estado a direcionar até US$ 250 milhões em ajuda geral à Ucrânia e até US$ 350 milhões em “itens e serviços de defesa”, incluindo educação e treinamento militar.

O anúncio veio depois que o presidente dos EUA manteve uma conversa telefônica de 40 minutos com seu colega ucraniano, Volodymyr Zelenski, na sexta-feira (25), para discutir ajuda militar e sanções.

Embora a Casa Branca não tenha divulgado o conteúdo da conversa, Zelenski disse no Twitter que conversou com Biden sobre “fortalecer as sanções”, “assistência concreta à defesa” e “uma coalizão antiguerra”.

“Grato aos Estados Unidos pelo forte apoio à Ucrânia”, acrescentou o líder ucraniano.
Em reação ao ataque russo, Biden atingiu a Rússia com sanções a seus bancos e sua elite, além de restrições às exportações de alta tecnologia para a Rússia, entre outras medidas, às quais se somaram a punições econômicas contra o presidente Vladimir Putin e outras várias figuras do seu Governo.

Fonte: R7

ARTE/R7

Continuar lendo BIDEN LIBERA US$ 350 MILHÕES DE DÓLARES EM NOVAS AJUDAS MILITARES À UCRÂNIA

PRESIDENTE DOS EUA ANUNCIOU QUE SANÇÕES ECONÔMICAS CONTRA RÚSSIA COMEÇAM A VALER A APRTIR DESTA QUARTA-FEIRA (23)

Biden diz que sanções contra a Rússia valem a partir desta quarta

Segundo o presidente dos EUA, bancos estatais e instituições financeiras russas não poderão negociar com o Ocidente

INTERNACIONAL

 Lucas Ferreira, do R7

Biden anuncia novas sanções e diz que Rússia perderá acesso a empréstimos no Ocidente - 22/02/2022 - Mundo - FolhaO presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira (22) que as sanções econômicas contra a Rússia começam a valer já amanhã, quarta-feira. Bancos estatais russos e outras instituições finaceiras sofrerão cortes de investimentos e financiamentos ocidentais.

De acordo com Biden, a elite russa será a próxima a sofrer sanções com a escalada das tensões. O presidente americano ressaltou que todas as medidas estão alinhadas com os parceiros ocidentais.

O mandatário americano também classificou o reconhecimento das regiões separatistas na Ucrânia como a anexação de mais um pedaço do país pela Rússia. Segundo Biden, esse movimento seria apenas o começo da invasão russa.

Putin afirmou que envio de tropas para região separatista ucraniana pode não ser imediato

Apesar de criticar a ação de Putin em relação aos territórios separatistas, Biden ressaltou que os Estados Unidos não têm intenção de lutar contra a Rússia, defendendo apenas os territórios das nações da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

“Autorizei movimentos adicionais de forças e equipamentos dos EUA, já mobilizados na Europa, para fortalecer nossos aliados do Báltico, Estônia, Letônia e Lituânia”, disse Biden. “Deixe-me ser claro, esses são movimentos totalmente defensivos de nossa parte.”

Biden revelou durante o discurso que o governo russo estaria estocando grandes quantidades de bolsas de sangue. Na visão do presidente dos Estados Unidos, esse seria um sinal de que a Rússia se prepara para uma guerra.

“Não há dúvida de que a Rússia é o agressor, então estamos atentos aos desafios que enfrentamos. […] No entanto, ainda há tempo para evitar o pior cenário que trará um sofrimento incalculável a milhões de pessoas se agirem como sugeriram”, disse Biden.

O presidente americano também assegurou que fará de tudo para que o conflito no Leste Europeu não interfira na economia americana, em especial no preço dos combustíveis do país.

Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA ANUNCIOU QUE SANÇÕES ECONÔMICAS CONTRA RÚSSIA COMEÇAM A VALER A APRTIR DESTA QUARTA-FEIRA (23)

PRESIDENTE DA UCRÂNIA DIZ QUE APOIA NEGOCIAÇÕES DE PAZ DENTRO DOS GRUPOS TCG E OSCE DOS QUAIS O PAÍS PARTICIPA JUNTO COM A RÚSSIA

Presidente da Ucrânia pede cessar-fogo imediato no leste do país

Confrontos entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas se intensificaram na região nos últimos dias

INTERNACIONAL

 Do R7

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, pediu cessar-fogo imediato

GLEB GARANICH/REUTERS – 14.01.2022

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, pediu neste domingo (20) um cessar-fogo imediato na parte leste do país, onde os confrontos entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas se intensificaram nos últimos dias.

Ele acrescentou que a Ucrânia apoia as negociações de paz dentro do Grupo de Contato Trilateral (TCG, em inglês), das quais o país participa, junto com a Rússia e a Osce (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa).

“Nós defendemos a intensificação do processo de paz. Apoiamos a convocação imediata do TCG e a introdução imediata de um regime de silêncio”, publicou Zelenski no Twitter.

Continuar lendo PRESIDENTE DA UCRÂNIA DIZ QUE APOIA NEGOCIAÇÕES DE PAZ DENTRO DOS GRUPOS TCG E OSCE DOS QUAIS O PAÍS PARTICIPA JUNTO COM A RÚSSIA

SECRETÁRIO DA CULTURA AFIRMOU QUE SUA PERMANÊNCIA NO CARGO É UMA DECISÃO EXCLUSIVA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Meu chefe que manda. Farei o que comandar”, diz Mario Frias sobre permanência na pasta

Sob críticas por gastos no exterior, secretário nacional da Cultura afirmou à CNN que não tem planos além de ajudar o presidente Jair Bolsonaro

Gustavo Uribe

Basília Rodrigues

da CNN

Brasília

Secretário especial da Cultura, Mario FriasSecretário especial da Cultura, Mario FriasMarcello Casal Jr/Agência Brasil

O secretário nacional da Cultura, Mario Frias, disse nesta quinta-feira (17) à CNN que a sua permanência no cargo é uma decisão exclusiva do presidente Jair Bolsonaro.

O ator tem sofrido críticas nas redes sociais por gastos feitos em viagem de trabalho aos Estados Unidos, no ano passado. Após a repercussão negativa, o secretário nacional não fez parte da comitiva do presidente ao leste europeu.

“O meu chefe que decide”, afirmou Frias. “O meu chefe que manda. Farei o que comandar”, acrescentou, ressaltando que não tem planos “além de ajudar” o presidente.

O Ministério Público solicitou na sexta-feira (11) que o Tribunal de Contas da União apure os gastos de mais de R$ 39 mil da viagem do secretário nacional.

De acordo com os registros na agenda da Secretaria Especial de Cultura, durante a viagem Mario Frias se encontrou com o empresário Bruno Garcia, o lutador de jiu-jitsu Renzo Gracie e com dois produtores da Broadway, tradicional indústria americana de teatro musical.

Em conversa com a CNN, Frias afirmou que segue atuando na pasta todos os dias, “às vezes à noite também”.

Os gastos públicos durante a viagem causaram desgaste também na imagem do secretário junto a assessores do governo, mas auxiliares palacianos não acreditam em uma saída dele em fevereiro.

Eles destacam que Frias é muito próximo dos filhos do presidente, o que poderia lhe garantir a permanência no cargo, e lembram da pretensão do secretário de sair candidato a deputado federal neste ano.

Caso seja candidato, Frias terá de se desincompatibilizar da função até o final de março, por isso, dizem assessores palacianos, não faria sentido uma saída neste momento se ele poderia deixar o posto daqui a um mês.

Continuar lendo SECRETÁRIO DA CULTURA AFIRMOU QUE SUA PERMANÊNCIA NO CARGO É UMA DECISÃO EXCLUSIVA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O PRESIDENTE DOS EUA AFIRMA QUE APESAR DE MOSCOU ANUNCIAR RETIRADA DAS TROPAS DAS FRONTEIRAS HÁ UM RISCO ELEVADO DE INVASÃO DA UCRÂNIA POR PARTE RÚSSIA

Biden diz que risco de a Rússia invadir a Ucrânia é muito elevado

Segundo o presidente americano, Moscou não está retirando as tropas da fronteira, mas reforçando o número de militares

Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

ALEX WONG / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta quinta-feira (17) que o risco de a Rússia invadir a Ucrânia é “muito elevado”, apesar do anúncio de Moscou de mais retiradas de tropas da fronteira.

A ameaça é “muito alta, porque eles não retiraram nenhuma de suas tropas. Eles moveram mais tropas”, disse Biden a repórteres na Casa Branca.

“Temos motivos para acreditar que eles estão fazendo uma operação de pretexto para ter uma desculpa para entrar.”

“Todas as indicações que temos são de que eles estão preparados para entrar na Ucrânia, atacar a Ucrânia”, insistiu.

“Minha percepção é que isso vai acontecer nos próximos dias.”

Biden disse que ainda não leu uma nova resposta escrita do presidente russo, Vladimir Putin, às propostas dos EUA para uma saída diplomática da crise.

As forças militares russas cercaram grande parte das fronteiras da Ucrânia como parte de uma tentativa de derrubar as políticas pró-ocidentais do país, incluindo seu objetivo de longo prazo de ingressar na Otan.

No entanto, disse que não tem planos de ligar para o presidente russo.

Continuar lendo O PRESIDENTE DOS EUA AFIRMA QUE APESAR DE MOSCOU ANUNCIAR RETIRADA DAS TROPAS DAS FRONTEIRAS HÁ UM RISCO ELEVADO DE INVASÃO DA UCRÂNIA POR PARTE RÚSSIA

FRANK-WALTER É O QUINTO PRESIDENTE REELEITO NA HISTÓRIA DA ALEMANHA

Frank-Walter Steinmeier é reeleito presidente da Alemanha

Social-democrata, que contava com o apoio da maioria dos partidos, alcançou 1.045 votos dos 1.425 votos válidos

Frank-Walter Steinmeier é o quinto presidente reeleito na história da Alemanha

MICHAEL SOHN/POOL/AFP – 13.2.2022

A Assembleia Federal da Alemanha reelegeu neste domingo (13) o atual presidente do país, Frank-Walter Steinmeier, para um novo mandato de cinco anos como chefe de Estado, cargo representativo para o qual contou com o apoio dos principais partidos políticos do país.

Steinmeier, de origem social-democrata, foi eleito por 1.045 votos em 1.425 votos válidos, segundo a contagem lida por Bärbel Bas, presidente do Bundestag, a Câmara Baixa do Parlamento alemão.

Um total de 1.472 pessoas podiam votar: os 736 deputados do Bundestag mais o mesmo número de representantes propostos pelas assembleias legislativas dos Länder, entre os quais, além de políticos, havia representantes de várias esferas da sociedade alemã. Ao final, foram apurados 1.437 votos, 86 abstenções e 12 votos nulos.

A reeleição do ex-ministro das Relações Exteriores era dada como certa após o consenso que sua candidatura recebeu dos partidos que compõem a coalizão que governa a Alemanha e é presidida pelo também social-democrata Olaf Scholz.

Steinmeier, de 66 anos, é o quinto presidente alemão a renovar o cargo; antes dele foi Horst Köhler, em 2009, que renunciou um ano depois.

Frank-Walter Steinmeier foi ministro das Relações Exteriores entre 2005 e 2009 e entre 2013 e 2017. Além disso, foi candidato social-democrata à chancelaria nas eleições federais de 2009, tendo sido derrotado por Angela Merkel.

O Partido Liberal, os Verdes e o Partido Social-Democrata já tinham maioria suficiente para reeleger Steinmeier, que decidiu tentar seguir no cargo, como disse ao anunciar sua candidatura, para “continuar acompanhando o país no caminho para um futuro pós-pandêmico”.

Confirmando que estava disposto a continuar no cargo, Steinmeier declarou que sua intenção era ajudar a “construir pontes” a partir da Presidência e não deixar que a crise causada pela pandemia levasse a uma “divisão social” no país.

Continuar lendo FRANK-WALTER É O QUINTO PRESIDENTE REELEITO NA HISTÓRIA DA ALEMANHA

BIDEN DIZ QUE O IMPASSE COM A UCRÂNIA PODE SER RESOLVIDO DE FORMA DIPLOMÁTICA OU DE OUTRAS MANEIRAS

Biden diz a Putin que EUA estão prontos para ‘todos os cenários’

Em conversa, presidente afirmou que americanos estão dispostos a resolver impasse de maneira diplomática ou por outros meios

INTERNACIONAL

Do R7, com informações da AFP

Presidente Joe Biden em conversa telefônica com o líder russo Vladimir Putin

WHITE HOUSE/AFP – 12.2.2022

presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, advertiu o líder russo Vladimir Putin que o governo americano está pronto para “todos os cenários”. Segundo o mandatário da Casa Branca, o impasse com a Ucrânia pode ser resolvido por meios diplomáticos ou de outras maneiras, sem especificar quais.

Em conversa por telefone neste sábado (12), Biden também afirmou que os Estados Unidos “responderão decisivamente e imporão custos rápidos e severos à Rússia” em caso de invasão da Ucrânia, segundo a Casa Branca.

De acordo com informações da agência AFP, um funcionário de alto escalão do governo americano revelou que a conversa entre os presidentes não provocará “mudança fundamental” sobre as tensões na Ucrânia.

“[A conversa] foi profissional, substantiva e durou mais de uma hora. Não houve mudança fundamental sobre o que se está desenvolvendo há várias semanas”, conta o funcionário da Casa Branca, que pediu para não ter a identidade revelada.

A expectativa nas últimas 24 horas era que a conversa entre Biden e Putin desacelerasse a escalada de tensões na Europa. Enquanto nações do Ocidente deslocam tropas para países no leste do continente, como a Polônia, os russos aumentam o contingente de militares nas proximidades da fronteira da Ucrânia.

Mais cedo neste sábado, Putin classificou como “especulações provocativas” quaisquer insinuações sobre uma invasão da Ucrânia. Enquanto isso, americanos afirmam que russos podem iniciar uma ofensiva militar até o fim dos Jogos Olímpicos de Inverno, no dia 20.

Continuar lendo BIDEN DIZ QUE O IMPASSE COM A UCRÂNIA PODE SER RESOLVIDO DE FORMA DIPLOMÁTICA OU DE OUTRAS MANEIRAS

TENENTE-CORONEL ASSUME O PODER EM BURKINA FASO APÓS UM GOLPE DE ESTADO

Após golpe de Estado, tenente-coronel Damiba é declarado presidente de Burkina Faso

País sofreu sanção da União Africana e da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental após militares tomarem o poder

Tenente-coronel Paul-Henri Sandaogo Damiba assume o poder em Burkina Faso

RADIODIFFUSION TÉLÉVISION DU BURKINA / AFP

O tenente-coronel Paul-Henri Sandaogo Damiba, que assumiu o poder em Burkina Faso após um golpe de Estado em 24 de janeiro, foi declarado “presidente” pelo Conselho Constitucional, perante o qual em breve prestará juramento – disseram fontes judiciais à AFP nesta quinta-feira (10).

O Conselho Constitucional indica que “Paul-Henri Sandaogo Damiba, tenente-coronel das Forças Armadas nacionais, presidente do Movimento Patriótico para Salvaguarda e Restauração (MPSR, junta no poder), é o presidente” do país, a contar de 24 de janeiro.

No fim do mês passado, a União Africana (UA) anunciou a suspensão de Burkina Faso de todas as atividades na organização “até o restabelecimento efetivo da ordem constitucional no país”, após o golpe militar que depôs o presidente Marc Christian Kaboré.

O país também foi suspenso das instâncias da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), o mesmo acontecendo nos casos de Guiné e Mali. Ambos os países também foram palco, recentemente, de golpes de Estado.

Desde 2015, Burkina Faso está mergulhada em uma espiral de violência atribuída a movimentos jihadistas afiliados à Al Qaeda e ao grupo Estado Islâmico. Essa escalada deixou, até o momento, pelo menos 2.000 mortos, e forçou 1,4 milhão de pessoas a fugirem de suas casas.

Continuar lendo TENENTE-CORONEL ASSUME O PODER EM BURKINA FASO APÓS UM GOLPE DE ESTADO

PRESIDENTE DA PETROBRAS DISSE QUE VER COM “BONS OLHOS” O TEXTO DA PEC DOS COMBUSTÍVEIS

Presidente da Petrobras diz que PEC dos combustíveis “contribui muito”

Durante o encontro, general Joaquim Silva e Luna disse ver com “bons olhos” o texto da proposta

Caio Junqueira

da CNN

 

O presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna se reuniu nesta segunda-feira (7) com o relator da PEC dos combustíveis na Câmara deputado Christino Áureo (PP-RJ).

À CNN, Silva e Luna afirmou que “nesse momento de preços muito altos de combustíveis, e sem perspectiva de baixa no curto prazo, por razões muito mais externas do que internas. Há que se encontrar uma saída temporária, via tributos. Entendo que essa PEC do deputado Christino Áureo contribui muito. O parlamento aperfeiçoa”, disse.

Durante o encontro, o general disse ver com “bons olhos” seu texto, relatou o deputado.

“Eu sinto que a empresa tem a visão de que o papel principal dela ao dar resultado através de dividendos e estar contribuindo com equilíbrio fiscal. Ela está sensível ao que, na ponta, está ocorrendo com o consumidor”, afirmou o deputado Christino Áureo.

“Ele [general Silva e Luna] tem a preocupação de que a Petrobras se mantenha forte”.

Na avaliação dele, “estão querendo desqualificar a minha PEC dizendo que causaria um rombo fiscal e não é isso”. “Houve um incremento de receitas fiscais e extrafiscais ao longo de 2021 e com projeção para incrementar em 2022 e 2023. Minha PEC acompanha esse cenário. E tanto o orçamento da União quanto dos estados foi utilizado para cobrir resultados primários e isso foi uma escolha. Só que é preciso de certo modo aproveitar esse cenário de incremento para olhar para o excesso de carga tributária que combustíveis têm hoje e que contaminam a inflação e a economia brasileira.”

O relator disse que “não é correto relacionar a PEC dos combustíveis com irresponsabilidade fiscal”. Lembrou que foi secretário de estado no Rio de Janeiro e negociou “um grande ajuste fiscal no estado”.

Afirmou ainda que o papel do Congresso é mediar esse debate. “Não estimulo nenhum tipo de concorrência entre textos da Câmara e do Senado. Há diversas opiniões divergentes sobre o assunto e um dos papéis do Congresso é justamente mediar esse debate até mesmo para ajudar o governo a mediar as diferentes visões internas que ele têm internamente.”

A PEC gerou polêmica porque ela não tem apoio da equipe econômica do governo, mas é apoiada pela ala política.

Continuar lendo PRESIDENTE DA PETROBRAS DISSE QUE VER COM “BONS OLHOS” O TEXTO DA PEC DOS COMBUSTÍVEIS

BIDEN ENVIA MENSAGEM AOS TERRORISTAS DE TODO MUNDO

Biden diz que EUA irão ‘caçar e encontrar’ terroristas

Presidente norte-americano afirmou que líder do Estado Islâmico explodiu todo um andar de um prédio para não ser preso

INTERNACIONAL

 Do R7, com informações da AFP

O presidente dos EUA, Joe Biden. fez um pronunciamento rápido nesta quinta-feira (3) na Casa Branca, para comentar a operação das forças especiais do país que resultou na morte do líder Estado Islâmico (EI), Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurashi, na Síria.Biden assegurou que “a operação de ontem à noite removeu um grande líder terrorista do campo de batalha e enviou uma forte mensagem aos terroristas de todo o mundo: vamos caçar vocês e encontraremos vocês”.

“Em um último ato desesperado de covardia, e sem se importar com a vida de sua própria família ou de outras pessoas no prédio, ele escolheu explodir a si mesmo, não apenas o cinto (de explosivos), mas todo o terceiro andar do que enfrentar a justiça pelos crimes que cometeu, levando vários familiares com ele, como fez seu antecessor”, explicou.

Os soldados americanos que participaram da ação estão bem.

Segundo Biden, al-Qurashi subiu à liderança do Estado Islâmico em 2019, depois que outra operação de forças norte-americanas eliminou o antecessor Abu Bakr al-Baghdadi. “Desde então, o EI realizou ataques contra os EUA, seus aliados e incontáveis civis no Oriente Médio, na África e no Sul da Ásia. Ele supervisionou operações do grupo ao redor do mundo”, afirmou.

O presidente norte-americano também acusou al-Qurashi de ser o responsável pelo recente ataque contra uma prisão no norte da Síria onde estão detidos combatentes do EI.

“Ele também foi a força que moveu o massacre da minoria yazidi no norte do Iraque em 2014”, disse Biden, que citou massacres de vilas inteiras e a venda de mulheres e meninas yazidis como escravas, além do uso em massa de estupros “como arma de guerra”.

Fonte: R7

Continuar lendo BIDEN ENVIA MENSAGEM AOS TERRORISTAS DE TODO MUNDO

APOSENTADOS NÃO TERÃO MAIS QUE FAZER PROVA DE VIDA PRESENCIAL

Por Guilherme Mazui e Filipe Matoso

, g1 — Brasília

 

Aposentados não terão mais que fazer prova de vida presencial
Aposentados não terão mais que fazer prova de vida presencial

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), José Carlos Oliveira, informou nesta quarta-feira (2) que os cidadãos não precisarão mais sair de casa para fazer a prova de vida e que o governo passará a usar outros tipos de dados para confirmar se a pessoa está viva.

Segundo o governo a medida entrará em vigor quando for publicada no “Diário Oficial da União”, mas Oliveira não informou quando isso acontecerá. Segundo ele, se o governo não encontrar dados recentes da pessoa, irá à residência dela para a prova biométrica.

Oliveira deu as informações ao discursar em cerimônia no Palácio do Planalto, da qual participaram, entre outras autoridades, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. Durante o evento, foi assinada uma portaria para mudar as regras da prova de vida.

A prova de vida é obrigatória para aposentados, pensionistas e para quem recebe benefícios do INSS por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético. O procedimento serve para evitar fraudes e garante a manutenção do pagamento.

Mudanças até 31 de dezembro

Segundo o presidente do INSS, atualmente 36 milhões de brasileiros se deslocam para fazer a prova de vida, dos quais 5 milhões têm mais de 80 anos de idade.

De acordo com o governo, o INSS tem até 31 de dezembro deste ano para implementar as mudanças necessárias. “Até essa data, o bloqueio de pagamento por falta da comprovação de vida fica suspenso”, informou o governo.

Atualmente, ainda segundo o governo federal, não há pessoa bloqueada por falta de prova de vida e a família do beneficiário será informada que a prova de vida deu certo.

O governo informou ainda que a cada dez meses, entre um aniversário e outro do beneficiário, o INSS terá a obrigação de encontrar a prova de que a pessoa está viva.

Governo vai assinar portaria que altera regras para prova de vida do INSS
Governo vai assinar portaria que altera regras para prova de vida do INSS

O anúncio

De acordo com o presidente do INSS, a partir de agora, a “obrigação” de fazer a prova de vida é do próprio órgão.

Durante a cerimônia, José Carlos Oliveira deu os seguintes exemplos que servirão para o governo comprovar que uma pessoa está viva:

  • se o cidadão tirar ou renovar o passaporte;
  • se o cidadão tirar carteira de identidade ou renovar o documento;
  • se o cidadão votar;
  • se o cidadão fizer transferência de veículo;
  • se o cidadão fizer empréstimo consignado.

“Nós vamos aceitar isso como prova de vida”, declarou o presidente do INSS.

Além desses itens, o cerimonial do Palácio do Planalto informou durante o evento que também serão aceitos:

  • emissão ou renovação de carteira de motorista;
  • registros de vacinação;
  • registro de consultas no SUS.

Em seguida, José Oliveira informou que o governo federal também passará a buscar dados em bases de informações dos governos estaduais e municipais. O governo informou que também pretende usar bases de dados de entidades privadas, mas este ponto ainda está em negociação.

“Se caso nós não encontramos um movimento do cidadão em uma dessas bases, mesmo assim, o cidadão não vai precisar sair de casa para fazer a prova de vida”, afirmou.

“O INSS proverá meios, com parcerias que fará, para que o servidor, o correio, para que essa entidade parceira vá na residência e faça a captura biométrica na porta do segurado. Para que o segurado não saia mais da sua residência”, acrescentou.

Biometria

A prova de vida digital é feita por meio de biometria facial. O INSS usa a base de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Portanto, podem fazer a biometria facial os segurados que tenham carteira de motorista ou título de eleitor, com biometria cadastrada no Departamento de Trânsito (Detran) ou na Justiça Eleitoral, respectivamente.

Continuar lendo APOSENTADOS NÃO TERÃO MAIS QUE FAZER PROVA DE VIDA PRESENCIAL

PRESIDENTE DA RÚSSIA AFIRMOU AO PRESIDENTE DA FRANÇA QUE OS EUA E A OTAN IGNORAM PREOCUPAÇÕES DE SEGURANÇA DE MOSCOU

Putin diz que EUA e Otan ignoraram preocupações da Rússia

Líder russo conversou por telefone com o presidente da França, Emmanuel Macron, sobre a crise na fronteira com a Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, é visto no Cemitério Memorial Piskaryovskoye

ALEXEY NIKOLSKY/AFP – 27.01.2022

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou ao presidente da França, Emmanuel Macron, que os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ignoraram as principais preocupações de segurança de Moscou. Os dois líderes conversaram por telefone nesta sexta-feira (27).

No início da semana, os Estados Unidos e a Otan responderam as várias demandas de segurança solicitadas pela Rússia, que pediu para que o Ocidente nunca admitisse a Ucrânia na aliança liderada pelos norte-americanos.

“As respostas dos EUA e da Otan não levaram em conta as preocupações fundamentais da Rússia, incluindo impedir a expansão da Otan e se recusar a implantar sistemas de armas de ataque perto das fronteiras russas”, disse Putin a Macron, segundo um comunicado do Kremlin.

Apesar de Putin ter afirmado que os Estados Unidos “ignoraram” outras preocupações importantes descritas pela Rússia, o chefe de Estado confirmou a Macron que estudará “cuidadosamente” as respostas dos norte-americanos e depois decidirá sobre outras ações.

O acúmulo de tropas russas nas proximidades da fronteira com a Ucrânia levantou temores de que o Kremlin estaria avaliando invadir seu vizinho pró-União Europeia, mas Putin reiterou que não quer guerra e negou qualquer plano de invasão.

O mandatário russo, no entanto, pediu a Macron que as autoridades ucranianas façam um “diálogo direto” com os líderes separatistas no leste do país.

Após a conversa com Putin para abordar a crise, Macron também falará nesta sexta-feira (27) com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. O objetivo do líder francês é encontrar os meios necessários para uma desescalada na tensão entre as nações.

Durante a conversa telefônica entre os presidentes russo e francês, que teria durado mais de uma hora, os dois concordaram em “continuar o diálogo” sobre uma série de questões relacionadas à segurança.

Continuar lendo PRESIDENTE DA RÚSSIA AFIRMOU AO PRESIDENTE DA FRANÇA QUE OS EUA E A OTAN IGNORAM PREOCUPAÇÕES DE SEGURANÇA DE MOSCOU

NOVO ACORDO DA ARGENTINA COM FMI PERMITIRÁ O PAÍS CRESCER E HONRAR OS COMPROMISSOS

Argentina anuncia novo acordo sobre dívidas com o FMI

Presidente Alberto Fernández anunciou nesta sexta-feira que negociações resultaram em “menos restrições” para o país

INTERNACIONAL 

por AFP

Segundo Fernández, novo acordo permitirá ao país crescer e honrar seus compromissos

ESTEBAN COLLAZZO / PRESIDÊNCIA DA ARGENTINA VIA AFP – 28.1.2022

A Argentina chegou a um novo acordo de crédito com o Fundo Monetário Internacional (FMI), anunciou, nesta sexta-feira (28), o presidente Alberto Fernández, no mesmo dia que deve pagar mais de US$ 700 milhões (cerca de R$ 3,7 bilhões) pelo primeiro vencimento deste ano de uma dívida de US$ 44 bilhões (cerca de R$ 237 bilhões).

“Quero anunciar que o governo da Argentina chegou a um acordo com o Fundo Monetário Internacional. Comparado aos anteriores que a Argentina assinou, este acordo não contempla restrições que atrasam nosso desenvolvimento”, disse o presidente em um discurso gravado.

“Tínhamos uma dívida impagável que nos deixava sem presente nem futuro e agora temos um acordo razoável que nos permitirá crescer e cumprir nossas obrigações com nosso crescimento”, disse o presidente de centro-esquerda.

O acordo deve aliviar o ônus dos vencimentos da dívida concentrada neste ano (cerca de 19 bilhões de dólares) e no próximo (mais 20 bilhões). Além disso, havia outro pagamento planejado em 2024 de mais de quatro bilhões.

“Esse entendimento pretende sustentar a recuperação econômica que já começou. Prevê que não haverá queda do gasto real e sim aumento do investimento em obras públicas por parte do governo nacional. Tampouco prevê saltos de desvalorização”, acrescentou.

A Argentina prometeu reduzir seu déficit fiscal para 0,9% do Produto Interno Bruto em 2024, com metas de 1,9% em 2023 e 2,5% em 2022, informou o ministro da Economia, Martín Guzmán, em entrevista coletiva.

No ano passado, com crescimento econômico de 10%, o déficit foi de 3%.

O acordo também prevê um crescimento em 2022 de cinco bilhões de dólares em reservas internacionais, que atualmente somam pouco mais de 38 bilhões.

“Os regulamentos sobre a conta financeira continuarão”, disse Guzmán. Na Argentina, o controle cambial está em vigor desde meados de 2019.

‘Negociações difíceis’

O governo Fernández iniciou formalmente suas negociações com o FMI em agosto de 2020. Ao longo das conversas, insistiu que o caminho para reduzir o déficit fiscal é o crescimento econômico e não a redução dos gastos públicos.

O acordo deve ser ratificado pelo Congresso. Além disso, Guzmán indicou que “ainda temos que trabalhar nos memorandos de entendimento e isso levará algumas semanas”.

“As negociações foram realmente difíceis”, disse o ministro. “Houve um trabalho político e técnico muito forte”, disse.

O FMI concedeu à Argentina em 2018, durante o governo do liberal Mauricio Macri (2015-19), um empréstimo de 57 bilhões de dólares em meio a uma crise cambial, dos quais o país recebeu cerca de 44 bilhões, uma vez que Fernández renunciou às parcelas pendentes quando assumiu o cargo em dezembro de 2019.

Em 2020, após reestruturar cerca de 66 bilhões de dólares em dívidas com credores privados internacionais, o governo iniciou negociações com o FMI para substituir o acordo de stand-by de 2018 por um acordo de facilidade estendida que estendesse os prazos de pagamento.

Continuar lendo NOVO ACORDO DA ARGENTINA COM FMI PERMITIRÁ O PAÍS CRESCER E HONRAR OS COMPROMISSOS

FRACASSOU A TERCEIRA RODADA DE VOTAÇÃO DO PARLAMENTO DA ITÁLIA PARA ELEGER O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Terceira votação para eleger presidente da Itália fracassa

Cerca de 40% dos deputados, senadores e representantes regionais votaram em branco, mostrando falta de consenso entre italianos

O atual presidente Sergio Mattarella foi o mais votado, apesar de descartar segundo mandato

ALBERTO PIZZOLI/POOL/AFP – 26.1.2022

A terceira rodada de votações no Parlamento da Itália para eleger o presidente da República fracassou nesta quarta-feira (26) já que ninguém alcançou os dois terços dos votos, prolongando a incerteza sobre o futuro do primeiro-ministro Mario Draghi.

Dos mais de mil participantes (entre deputados, senadores e representantes das regiões), 412 votaram em branco, o que reflete a ausência de consenso sobre um candidato entre os maiores partidos.

O atual presidente Sergio Mattarella, de 80 anos, que descartou se apresentar para um segundo mandato, foi o mais votado, com 125 adesões. Na quinta-feira (27) haverá uma quarta rodada de votações, na qual se reduz pela metade mais um (505) os votos necessários para ser eleito.

As funções do presidente são essencialmente honorárias na Itália, onde rege o sistema parlamentar, mas neste ano está em jogo o papel de Mario Draghi, uma candidatura de muito peso e prestígio, cuja eleição colocaria o atual governo em crise.

Sua eleição poderia provocar um pleito antecipado e atrasar as reformas necessárias para garantir a aprovação dos fundos gigantescos da União Europeia para a recuperação econômica prometidos à Itália.

O processo para eleger o presidente na Itália, com um mandato de sete anos, é notoriamente difícil, com votações secretas, acordos entre bastidores e sem candidatos oficiais, portanto costuma ser comparado com um conclave papal.

Fonte: R7

Continuar lendo FRACASSOU A TERCEIRA RODADA DE VOTAÇÃO DO PARLAMENTO DA ITÁLIA PARA ELEGER O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

PRESIDENTE DA ARMÊNIA RENUNCIOU AO CARGO ALEGANDO INCAPACIDADE DE SEU GABINETE DE INFLUENCIAR A POLÍTICA DO PAÍS DURANTE A ATUAL CRISE

Presidente da Armênia renuncia em meio a crise nacional

Após guerra com Azerbaijão, Armen Sarkissian alegou que seu gabinete se mostrou incapaz de influenciar a política do país

Presidente culpou Constituição por inação política de seu governo

REUTERS/HAYK BAGHDASARYAN – 23/1/2022

O presidente da Armênia, Armen Sarkissian, cujo papel é protocolar, anunciou sua renúncia neste domingo (23), alegando que seu gabinete se mostrou incapaz de influenciar a política do país durante a atual crise.

O anúncio acontece após um período de instabilidade nessa pequena nação do Cáucaso com dificuldades econômicas e depois de uma sangrenta guerra com o Azerbaijão pelo controle da região de Nagorno-Karabakh.

A guerra, que deixou mais de 6.000 mortos, resultou no envio de forças de paz da Rússia para a região em disputa.

A humilhante derrota da Armênia no conflito e a perda, no fim de 2020, de Nagorno-Karabakh desencadearam grandes protestos sociais e uma crise interna que colocou frente a frente Sarkissian e o primeiro-ministro, Nikol Pashinyan.

“Esta não é uma decisão emocional e segue uma lógica específica”, declarou Sarkissian em comunicado divulgado em seu site.

“O presidente não tem as ferramentas necessárias para influenciar processos importantes de política externa e interna em tempos difíceis para o povo e para o país”, completou.

Seu papel é sobretudo protocolar e o Poder Executivo recai principalmente no primeiro-ministro Pashinyan.

No centro da desavença está a decisão de demitir o chefe do Estado-Maior do Exército. Sarkissian rejeitou assinar a ordem de Pashinyan para a demissão, um duro golpe para o criticado primeiro-ministro.

O chefe de Estado argumentava que a crise na Armênia não poderia ser encerrada com frequentes mudanças de pessoal nas estruturas de liderança do país.

Neste domingo Sarkissian denunciou “uma realidade em que o presidente não pode vetar leis que considera ruins para o povo e o país”.

“Espero que as mudanças constitucionais possam ser implementadas e que o próximo presidente e a administração presidencial possam operar em ambiente mais equilibrado”, acrescentou o comunicado.

A Constituição da Armênia estipula que o Parlamento, controlado por partidos que apoiam Sarkissian, deve organizar uma votação para escolher o próximo presidente em até 35 dias.

Ex-professor de física, Armen Sarkissian, nascido em 1953 em Yerevan, a capital, foi primeiro-ministro de 1996 a 1997, antes de servir como embaixador no Reino Unido. Foi eleito presidente em março de 2018.

O anúncio de sua renúncia veio logo depois de uma visita aos Emirados Árabes Unidos, após a qual seu gabinete disse que tiraria uma folga para exames médicos, sem dar detalhes.

Desde o desmantelamento da União Soviética, a economia armênia passa por dificuldades. O dinheiro enviado pela comunidade armênia no exterior contribuiu para a construção de escolas, igrejas e outros projetos de infraestrutura, inclusive em Nagorno-Karabakh.

O país tem uma diáspora grande e politicamente poderosa que se espalhou pelo mundo após os massacres da era otomana. Agora é estimada em 10 milhões de pessoas, principalmente na Rússia, Estados Unidos e França.

Continuar lendo PRESIDENTE DA ARMÊNIA RENUNCIOU AO CARGO ALEGANDO INCAPACIDADE DE SEU GABINETE DE INFLUENCIAR A POLÍTICA DO PAÍS DURANTE A ATUAL CRISE

DEPUTADA MALTESA FOI ELEITA PRESIDENTE DO PARLAMENTO EUROPEU COM MAIORIA DOS VOTOS

Deputada maltesa é eleita presidente do Parlamento Europeu

Conservadora maltesa Roberta Metsola obteve maioria na primeira rodada de votação e sucederá ao italiano David Sassoli

Roberta Metsola dirige-se ao Parlamento Europeu durante uma sessão plenária

PATRICK HERTZOG/APF – 18.01.2022

A deputada conservadora maltesa Roberta Metsola foi eleita presidente do Parlamento Europeu, nesta terça-feira (18), ao obter maioria na primeira rodada de votação, e sucederá ao italiano David Sassoli.

Metsola obteve 458 votos e sucederá ao italiano David Sassoli, falecido em 11 de janeiro. Na disputa pela presidência, a conservadora venceu a sueca Alice Bah Kuhnke, candidata do bloco verde, com 101 votos, e a espanhola Sira Rego, da esquerda, com 57 votos.

A candidatura de Metsola recebeu o apoio do maior bloco político do Parlamento Europeu, o Partido Popular Europeu (PPE, à direita).

Desta forma, Metsola tornou-se a terceira mulher a presidir o Parlamento Europeu, depois das francesas Simone Veil (1979 a 1982) e Nicole Fontaine (1999 a 2002).

Em seu primeiro discurso como presidente do Parlamento, Metsola prestou homenagem a Veil e Fontaine, expressando sua esperança de que “não demore mais 20 anos” para que outra mulher alcance essa posição.

Posição questionada

A pessoa escolhida para presidir o Parlamento “precisa ser uma pessoa que constrói consenso, que ouve, que pode unir diferenças”, disse Metsola, no discurso de apresentação de sua candidatura.

Deputada desde 2013 e vice-presidente do Parlamento desde 2020, Metsola, que completa 43 anos nesta terça-feira (18), ganhou recentemente visibilidade ao substituir temporariamente Sassoli, que esteve afastado da Câmara por doença durante várias semanas.

Mas ela também atraiu críticas de alguns de seus colegas, em particular por suas convicções antiaborto, uma visão amplamente difundida em Malta, o último país da União Europeia (UE) onde o aborto permanece completamente ilegal.

Consciente das reservas que levantou sobre esta questão, Metsola havia antecipado que seu dever como chefe do Parlamento “será representar a posição do Parlamento”, inclusive sobre direitos sexuais e reprodutivos.

Acordos e desacordos

Segundo a tradição, quase sempre houve uma alternância entre a esquerda e a direita para as eleições intercalares para o Parlamento Europeu.

Metsola foi inicialmente beneficiada pelo acordo alcançado entre as três principais forças políticas EPP, S&D (social-democratas) e Renew Europe (centristas e liberais).

Esses grupos concordaram em 2019 em apoiar a candidatura do social-democrata Sassoli e que um candidato do PPE assumisse o cargo na segunda metade da legislatura.

Mas devido aos seus recentes sucessos eleitorais, particularmente na Alemanha, os social-democratas revisaram sua posição sobre esse entendimento.

A líder do grupo dos social-democratas, a espanhola Iratxe García, destacou que queria defender um candidato “de acordo com prioridades e valores”.

Os três grupos finalmente chegaram a um novo acordo na última segunda-feira, em torno de uma declaração política que menciona várias prioridades, incluindo a luta contra a violência contra as mulheres e pela igualdade de gênero.

O documento também menciona a tributação europeia e o local de implementação de uma diretiva de salário mínimo.

O acordo ainda atribui 5 lugares de deputados parlamentares ao grupo dos social-democratas, bem como alguns presidentes de comissões.

Continuar lendo DEPUTADA MALTESA FOI ELEITA PRESIDENTE DO PARLAMENTO EUROPEU COM MAIORIA DOS VOTOS

PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, ARTHUR LIRA ANUNCIOU QUE VOLTARÁ AO MODELO REMOTO DE TRABALHO ATÉ O CARNAVAL

Por Luiz Felipe Barbiéri, g1 — Brasília 

O presidente da Câmara dos DeputadosArthur Lira (PP-AL), anunciou nesta segunda-feira (17) que a Câmara voltará ao modelo remoto de trabalho em razão do aumento no número de novos casos de Covid no país, nas últimas semanas. A medida, a princípio, vai durar até o carnaval.

As infecções pela variante ômicron fizeram a média móvel de casos no Brasil subir mais de 600% desde dezembro. Um ato regulamentando a volta do trabalho remoto deve ser publicado ainda nesta segunda.

“Trabalho remoto até o Carnaval. Medida necessária até vencermos esta nova onda. Também vai nos ajudar na melhor aplicação dos recursos públicos”, disse Lira em uma rede social.

“Tarifas aéreas estão altíssimas e a flexibilidade nas remarcações só acontece quando é do interesse das companhias”, acrescentou o presidente da Câmara.

Alguns parlamentares, como o deputado Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR) e o líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), testaram positivo para a Covid durante o recesso.

O Congresso está em recesso legislativo até o fim do mês, mas há profissionais de áreas técnicas e administrativas que seguem trabalhando presencialmente.

Votação remota

Durante a fase mais aguda da pandemia, os parlamentares eram autorizados a registrar presença e votar pelo aplicativo da Câmara, sem precisar comparecer à Casa.

Com o retorno dos trabalhos presenciais em outubro do ano passado, os deputados foram obrigados a registrar presença em pontos da Câmara, embora continuasse autorizada a votação pelo aplicativo.

Exceções à regra só eram permitidas para gestantes e parlamentares que comprovassem alguma comorbidade. Os casos eram analisados pela Mesa Diretora da Câmara.

Senado mantém semipresencial

Procurada pelo g1, a assessoria do Senado informou que seguem em vigor as mesmas regras de funcionamento da Casa que valeram no ano passado.

As sessões deliberativas acontecem no formato semipresencial, com a possibilidade de votação e participação nos debates de forma remota.

Nos casos de votações secretas, de análise de autoridades, por exemplo, são realizadas as semanas de “esforço concentrado” com a colocação de urnas do lado de fora do plenário e na Chapelaria, uma das entradas do Congresso. Nas votações secretas, por questões de segurança, os senadores precisam comparecer ao Senado.

Continuar lendo PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, ARTHUR LIRA ANUNCIOU QUE VOLTARÁ AO MODELO REMOTO DE TRABALHO ATÉ O CARNAVAL

EX-SENADOR HAITIANO ACUSADO PELA MORTE DO PRESIDENTE DO PAÍS FOI PRESO NA JAMAICA

Ex-senador é preso na Jamaica por assassinato do presidente do Haiti

O haitiano John Joel Joseph é um dos principais suspeitos da morte de Jovenel Moise, em julho de 2021

Jovenel Moise foi assassinado dentro da residência oficial

VALERIE BAERISWYL / AFP – 23.7.2021

O ex-senador haitiano John Joel Joseph, procurado pelas autoridades do Haiti na investigação do assassinato do presidente Jovenel Moise, em julho do ano passado, foi preso na Jamaica, informou neste sábado (15) uma fonte da polícia local.

Joseph foi detido na noite de sexta-feira (14) e está atualmente preso em instalações da polícia, disse o informante, sem dar mais detalhes sobre os procedimentos. Ele explicou apenas que as forças de segurança jamaicanas estavam atuando em coordenação com “parceiros internacionais” e que havia “investigações conjuntas”.

O presidente haitiano foi assassinado em julho, mas, apesar da prisão de vários suspeitos, ainda há muitas incertezas em torno do crime. Já no mesmo mês, as autoridades do país publicaram um cartaz de busca por John Joel Joseph, descrito como um indivíduo “perigoso e armado”.

No início deste mês, um ex-soldado colombiano foi acusado nos Estados Unidos de fazer parte do grupo de 20 homens que matou Jovenel Moise e feriu gravemente sua esposa em sua residência presidencial, em Porto Príncipe, em 7 de julho de 2021.

Mais de 40 pessoas, entre elas 15 colombianos e americanos de origem haitiana, já foram detidas em conexão com a investigação.

Fonte: R7

Continuar lendo EX-SENADOR HAITIANO ACUSADO PELA MORTE DO PRESIDENTE DO PAÍS FOI PRESO NA JAMAICA

WASHINGTON E SEUS ALIADOS “VÃO RESPONDER DECISIVAMENTE” SE A RÚSSIA AGIR PARA INVADIR A UCRÂNIA, AFIRMOU BIDEN

Biden diz a presidente da Ucrânia que agirá em caso de invasão russa

Os dois líderes conversaram por telefone para tratar das tensões na fronteira com a Rússia

INTERNACIONAL

 por AFP

ATUALIZADO EM 02/01/2022 – 21H46

Presidente americano, Joe Biden, e o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski

JIM WATSON, GINTS IVUSKANS / AFP

O presidente americano, Joe Biden, disse a seu colega ucraniano, Volodimir Zelenski, neste domingo (2), que Washington e seus aliados “vão responder decisivamente” se a Rússia agir para invadir seu vizinho pró-ocidental, informou a Casa Branca.

Ao comentar a conversa por telefone entre os dois presidentes, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, também disse que Biden expressou seu apoio aos esforços diplomáticos, inclusive os diálogos de alto nível entre funcionários russos e americanos, previstos para 9 e 10 de janeiro em Genebra.

“O presidente Biden deixou claro que os Estados Unidos e seus aliados e sócios responderão de forma decisiva se a Rússia chegar a invadir a Ucrânia”, afirmou Psaki em um comunicado.

Biden também “reafirmou o compromisso dos Estados Unidos com a soberania e a integridade territorial da Ucrânia”, acrescentou.

“Apreciamos o apoio inquebrantável à Ucrânia”, manifestou-se Zelenski no Twitter, explicando que tinha conversado com Biden sobre “ações conjuntas da Ucrânia, Estados Unidos e outros parceiros para manter a paz na Europa e evitar uma escalada”, em um momento em que se teme uma possível invasão russa da Ucrânia.

A demonstração de apoio dos Estados Unidos à Ucrânia ocorre dias depois de Biden ter advertido o presidente russo, Vladimir Putin, sobre graves consequências caso Moscou invada seu vizinho.

Washington e seus aliados europeus acusam a Rússia de ameaçar a Ucrânia com uma nova invasão.

Cerca de 100 mil militares russos se concentram perto da fronteira do país, onde Putin já ocupou a região da Crimeia, em 2014, e é acusado de fomentar uma guerra separatista pró-russa que explodiu naquele ano no leste.

Moscou descreve a presença de tropas como proteção à expansão da Otan, apesar de a Ucrânia não ter sido convidada a ser membro da aliança militar.

Continuar lendo WASHINGTON E SEUS ALIADOS “VÃO RESPONDER DECISIVAMENTE” SE A RÚSSIA AGIR PARA INVADIR A UCRÂNIA, AFIRMOU BIDEN

PRESIDENTE BOLSONARO ANUNCIA EM LIVE NOVO VALOR DO SALÁRIO MÍNIMO PARA 2022

Bolsonaro anuncia salário mínimo de R$ 1.212 em 2022

A última vez em que o salário mínimo teve ganho real foi no início de 2019, primeiro ano de mandato de Bolsonaro

Da CNN

Em São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro (PL) anunciou, em sua última live do ano, nesta quinta-feira (30), que salário mínimo vai subir a R$ 1.212 a partir de 1º de janeiro de 2022. O valor é R$ 112 acima dos atuais R$ 1.100. Uma Medida Provisória (MP) será editada até esta sexta-feira (31) para estipular novo valor.

O reajuste repõe a perda no poder de compra dos brasileiros devido à alta de preços ao longo de 2021. Apesar da pressão por um reajuste acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o governo não promoveu um aumento real do salário mínimo pelo impacto nas contas públicas, já que os benefícios da Previdência e também sociais estão atrelados ao piso.

O salário mínimo é base de referência para outras despesas, como os benefícios da Previdência Social e de assistência social a idosos e pessoas com deficiência (BPC), além do abono salarial.

O governo incorporou no salário mínimo de 2022 mais R$ 1,62 referente à inflação maior de 2020 que não havia sido contabilizada no valor deste ano. É que o valor do benefício foi definido antes da divulgação oficial do INPC fechado de 2020. O governo optou na época em não mudar o valor e incorporar o adicional em 2021, o que é previsto na legislação.

A última vez que o salário mínimo teve ganho real foi no início de 2019, primeiro ano de mandato de Bolsonaro, quando ele assinou um decreto atualizando o valor do piso de acordo com a política de valorização aprovada no governo Dilma Rousseff (PT) e válida de 2016 a 2019.

Desde então, o governo Bolsonaro tem concedido apenas aumentos para repor a inflação. Essa decisão tem sido influenciada pelo fato de o salário mínimo ser referência para dois terços da despesa pública, como benefícios previdenciários, assistenciais e seguro-desemprego.

A política de reajustes pela inflação e variação do Produto Interno Bruto (PIB) vigorou entre 2011 e 2019, mas nem sempre o salário mínimo subiu acima da inflação.

Em 2017 e 2018, por exemplo, foi concedido o reajuste somente com base na inflação porque o PIB dos anos anteriores (2015 e 2016) teve retração. Por isso, para cumprir a fórmula proposta, somente a inflação serviu de base para o aumento.

Continuar lendo PRESIDENTE BOLSONARO ANUNCIA EM LIVE NOVO VALOR DO SALÁRIO MÍNIMO PARA 2022

LEI QUE INSTITUI AUXÍLIO BRASIL É SANCIONADA PELO PRESIDENTE BOLSONARO

Bolsonaro sanciona lei que institui o Auxílio Brasil

Programa social, com valor mínimo de R$ 400, substitui o Bolsa Família, criado há 18 anos

Elizabeth Matravolgyi

Henrique Andrade

da CNN

Sâo Paulo

Logo do novo programa social do governo federal, o Auxílio BrasilLogo do novo programa social do governo federal, o Auxílio BrasilRafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou a lei que institui o Auxílio Brasil, programa social que substitui o Bolsa Família, criado em 2003. A decisão foi publicada, com vetos, no Diário Oficial da União desta quinta-feira (30).

A Medida Provisória responsável pela lei, editada em agosto pelo governo federal, foi aprovada pelo Senado em 2 de dezembro e em 25 de novembro pela Câmara dos Deputados.

O Auxílio Brasil começou a ser pago em novembro, mas o valor de R$ 400, prometido pelo governo, só foi implementado em 10 de dezembro, após a promulgação da PEC dos Precatórios, que abriu espaço fiscal no Orçamento, e a publicação de uma Medida Provisória que complementou as parcelas já previstas.

Os brasileiros contemplados com o Bolsa Família não precisam realizar um novo cadastro para receber os recursos do Auxílio Brasil.

Os beneficiários podem retirar os valores nas lotéricas, agências da Caixa e pelo aplicativo Caixa Tem, no qual constam todas as instruções sobre o pagamento.

Continuar lendo LEI QUE INSTITUI AUXÍLIO BRASIL É SANCIONADA PELO PRESIDENTE BOLSONARO

BIDEN VAI OFERECER A PUTIN “VIA DIPLOMÁTICA” PARA RESOLVER TENSÃO SOBRE A UCRÂNIA

Biden e Putin conversarão por telefone sobre tensão na Ucrânia

Presidente dos EUA vai oferecer  ‘uma via diplomática’ ao líder russo; um novo encontro está marcado para o dia 10 de janeiro

Joe Biden e Vladimir Putin conversarão por telefone sobre a Ucrânia nesta quinta-feira (29)

DIGITE O AUTOR DA FOTO AQUI

O presidente americano, Joe Biden, vai oferecer ao seu colega russo, Vladimir Putin, “uma via diplomática” para tentar resolver a tensão sobre a Ucrânia, durante a conversa por telefone que os dois terão na quinta-feira, informou a Casa Branca nesta quarta (29).

Biden e Putin falarão por telefone “para discutir várias questões, incluindo os próximos compromissos diplomáticos com a Rússia”, anunciou uma porta-voz da Casa Branca para questões de segurança. O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, confirmou a informação, especificando que o telefonema ocorrerá “na última hora da noite (horário de Moscou)”.

Biden, que falará com Putin de sua casa em Delaware, se dirá disposto a empreender “uma via diplomática”, mas os Estados Unidos, que seguem “profundamente preocupados” com a presença de tropas na fronteira com a Ucrânia, também estão “preparados para responder” em caso de invasão, afirmou um alto funcionário da Casa Branca.

Washington “gostaria que as tropas voltassem às suas áreas de treinamento habituais”, disse essa fonte.

O telefonema entre os chefes de Estado acontecerá duas semanas antes das negociações entre os dois países, marcadas para 10 de janeiro, sobre os tratados de controle de armas nucleares e a situação na fronteira russo-ucraniana, em que o Ocidente acusa Moscou de concentrar tropas para um possível ataque.

O governo Biden continua realizando “ampla diplomacia com nossos aliados e parceiros europeus, consultando e coordenando uma abordagem comum em resposta à concentração militar da Rússia na fronteira com a Ucrânia”, disse a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Emily Horne, em um comunicado.

Na quarta-feira (29), o secretário de Estado americano, Antony Blinken, se reuniu com o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski.

O chefe da diplomacia americana “reiterou o apoio inabalável dos Estados Unidos à independência, soberania e integridade territorial da Ucrânia em face do reforço militar da Rússia”, disse seu porta-voz, Ned Price.

Blinken e Zelenski falaram dos esforços para “resolver pacificamente o conflito no leste da Ucrânia e os próximos contatos diplomáticos com a Rússia”, acrescentou.

Zelensky também mencionou “esforços diplomáticos para alcançar a paz” e enfatizou em um tuíte que havia recebido garantias de “total apoio americano” para “combater um ataque russo”.

Esta será a segunda conversa telefônica entre as duas lideranças em menos de um mês. No início de dezembro, Joe Biden ameaçou Vladimir Putin com sanções “como nunca viu” se atacasse a Ucrânia.

A Rússia afirma ter agido em resposta ao que considera uma hostilidade do Ocidente e recentemente apresentou dois projetos de um tratado para impedir a expansão da Otan e encerrar as atividades militares das potências ocidentais perto das fronteiras russas. Acima de tudo, quer evitar que a Ucrânia se torne membro da Aliança Atlântica.

A negociação de 10 de janeiro é tensa. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, descartou “concessões” desde o início e os Estados Unidos já haviam alertado sobre alguns pedidos russos considerados “inaceitáveis”.

Essas negociações bilaterais precederão uma reunião marcada para 12 de janeiro entre a Rússia e a Otan. Ela é seguida de outra no dia 13 de janeiro entre Moscou e a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), da qual os Estados Unidos fazem parte, um porta-voz americano relatou na segunda-feira.

Em 2014, a Rússia anexou parte do território ucraniano, a península da Crimeia, manobra pela qual foi alvo de sanções.

Continuar lendo BIDEN VAI OFERECER A PUTIN “VIA DIPLOMÁTICA” PARA RESOLVER TENSÃO SOBRE A UCRÂNIA

ÚLTIMO PRESIDENTE DA UNIÃO SOVIÉTICA FALA SOBRE MOMENTOS APÓS QUEDA DO BLOCO DE PAÍSES SOCIALISTA

Após 30 anos da queda da URSS, Gorbachev lembra de ‘dias difíceis’

Último presidente do bloco socialista disse que, se tivesse tomado uma decisão militar, teria criado uma “guerra civil seríssima”

INTERNACIONAL

Da Ansa

Mikhail Gorbachev, último líder da União Soviética

VITALY ARMAND/AFP – 25.12.1991

O último presidente da União Soviética (URSS), Mikhail Gorbachev, deu uma entrevista à agência russa Tass, e falou sobre os momentos após a queda do bloco de países socialistas, 30 anos depois dos acontecimentos.

Segundo o russo, se tivesse sido feita uma “reforma a tempo”, a União Soviética poderia ter sobrevivido como uma “união de Estados soberanos, mas era tarde demais”.

Gorbachev renunciou em 25 de dezembro de 1991 e, no mesmo dia, a bandeira da URSS foi substituída pelo tricolor da Rússia. Formalmente, porém, o bloco se dissolveu um dia depois por ordem do Soviete Supremo.

“Foram dias bastante escuros para a União Soviética, para a Rússia e também para mim. Mas, não tinha o direito de agir de maneira diferente. Em primeiro lugar, porque teria que ter deixado de ser eu mesmo. E depois, uma decisão do tipo militar, teria criado uma guerra civil seríssima e com consequências imprevisíveis. Eu estava certo de que esse era um cenário a se evitar de qualquer maneira”, disse à Tass.

“É certo ainda que o país poderia ter sobrevivido também depois da tentativa de golpe de Estado em agosto de 1991, mas desde o início nós subavaliamos o caso e a profundidade dos problemas nas relações interétnicas e entre o centro e as repúblicas. Demorou-se muito tempo para entender que a União precisava de uma renovação”, destacou.

Ainda conforme Gorbachev, uma “união de Estados soberanos” teria sido a melhor solução para as nações da área.

“Em primeiro lugar, os países teriam virado membros das Nações Unidas, enquanto a União teria mantido o assento no Conselho de Segurança. As forças armadas e as armas nucleares teriam ficado sob um único comando. Estou certo de que teria sido muito melhor do que o que aconteceu após a queda da União Soviética”, finalizou à Tass.

Gorbachev chegou ao poder em 1985 e iniciou uma série de reformas econômicas e políticas, que ficaram conhecidas como Perestroika e Glasnot. Muitos apontam, porém, que essas ações do então presidente foram os motivos que provocaram a dissolução da URSS.

Continuar lendo ÚLTIMO PRESIDENTE DA UNIÃO SOVIÉTICA FALA SOBRE MOMENTOS APÓS QUEDA DO BLOCO DE PAÍSES SOCIALISTA

ACORDO FECHADO PELO PRESIDENTE DA COREIA DO SUL PODE POR FIM A GUERRA DE 70 ANOS

Após 70 anos, guerra da Coreia está perto de ter um fim definitivo?

Conflito foi interrompido por um cessar-fogo assinado em 1953, mas nunca houve uma declaração de paz formal

INTERNACIONAL

 Sofia Pilagallo*,

do R7

Moon Jae-in (à esquerda) e Kim Jung-un (à direita) juntos em setembro de 2018

AFP – 17.09.2018

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, afirmou na semana passada que fechou um “acordo em princípio” com a Coreia do Norte, Estados Unidos e China para declarar formalmente o fim da Guerra da Coreia, que teve início em 1950. O conflito foi interrompido três anos depois, quando ambas as partes assinaram um cessar-fogo, ou armistício, mas o fim da guerra nunca foi oficialmente declarado.

Segundo o professor de Relações Internacionais da Facamp (Faculdades de Campinas) James Onnig, é importante ressaltar que tanto os EUA quanto a China não estão diretamente envolvidos no conflito, mas ambos os países fazem parte do tratado devido a questões geopolíticas que envolvem as Coreias.

Enquanto os Estados Unidos ainda contam com tropas e bases militares instaladas no território sul-coreano, o que faz com que o país seja visto como parceiro da Coreia do Sul, a China é um dos principais parceiros econômicos e diplomáticos da Coreia do Norte.

“O número de soldados americanos em território sul-coreano vem diminuindo, mas ainda é muito presente. Então, essa perspectiva faz com que os EUA sejam vistos com antagonismo em relação à Coreia do Norte”, afirma.

“No caso da China, a questão é um pouco mais genérica. Formalmente falando, ela não tem soldados dentro do território norte-coreano, mas sabe-se que a potência asiática tem um poder de influência muito grande sobre a Coreia do Norte”, completa.

O acordo

É fato que todas as partes envolvidas têm interesse em um acordo de paz. Mas, as negociações ainda não tiveram início — e, para Onnig, é difícil que o tratado seja consumado. Cada lado tem suas respectivas exigências, e nenhum deles parece querer recuar.

De um lado, a Coreia do Norte exige que o primeiro passo parta do Ocidente, com o fim do bloqueio econômico e militar contra o país e o fim da pressão sobre o programa nuclear norte-coreano. De outro, a Coreia do Sul acredita que o primeiro aceno deve vir do lado de lá, e pede que Coreia do Norte encerre seu programa nuclear.

Coreia do Norte chegou a assinar o TNP (Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares), estabelecido em 1968, mas saiu do acordo em 2003 e, desde 2010, vem avançando em uma escalada militar que teve seu ápice em 2017.

O regime de Kim Jong-un deixou claro que não está disposto a encerrar o conflito enquanto os EUA “mantiverem sua postura hostil”, se referindo à presença militar americana na Coreia do Sul. O governo norte-coreano considera a medida uma ameaça e teme uma eventual invasão, uma vez que os norte-americanos não sinalizaram se irão retirar suas tropas.

“Esta situação é insolúvel porque algum dos lados precisa recuar. E, no momento geopolítico que estamos vivendo, não só por conta da pandemia, mas também pelas dúvidas que cercam a conjuntura econômica, acho muito difícil que isso aconteça”, diz.

Conflitos recentes

O professor lembra que esta não é a primeira vez que as Coreias tentam uma aproximação desde o cessar-fogo assinado em 1953. Em 2004, os dois países uniram esforços para construir, em conjunto, um distrito industrial que recebeu o nome de Kaesong.

O local, situado no extremo sul da Coreia do Norte, próximo à fronteira com a Coreia do Sul, contava com indústrias sul-coreanas e mão de obra norte-coreana. Mas, o projeto foi sofrendo seus percalços até que, em 2014, o governo da Coreia do Sul encerrou seu apoio financeiro, alegando que a Coreia do Norte estaria produzindo muitas armas nucleares. De 2014 para cá, a situação ficou ainda pior.

“Em 2020, a Coreia implodiu o escritório conjunto de relações com a Coreia do Sul, em Kaesong, o que foi uma ação muito simbólica. No português bem claro, o recado que a Coreia do Norte tentou passar foi: ‘acabou o papo’. Portanto, não só a atual conjuntura, como também o histórico recente de conflitos entre as Coreias, levam a crer que a paz entre os países está longe de ser uma realidade”, afirma.

Continuar lendo ACORDO FECHADO PELO PRESIDENTE DA COREIA DO SUL PODE POR FIM A GUERRA DE 70 ANOS

CANDIDATO DA ESQUERDA GABRIEL BORIC FOI ELEITO PRESIDENTE DO CHILE

Gabriel Boric é eleito presidente do Chile

Candidato da esquerda derrotou o conservador José Antonio Kast, que o cumprimentou pela vitória nas urnas

INTERNACIONAL

Do R7

Gabriel Boric é o novo presidente do Chile

CLAUDIO REYES/AFP – 19.12.2021

Gabriel Boric foi eleito neste domingo (19) o novo presidente do Chile. O deputado de esquerda representante do Partido Convergência Social já recebeu o telefonema de seu adversário, o advogado ultraconservador José Antonio Kast, cumprimentando-o pela vitória nas urnas. A votação em segundo turno foi realizada a partir das 8h deste domingo.

“Acabo de falar com Gabriel Boric e o felicitei por seu grande triunfo. Desde hoje ele é o presidente eleito do Chile, merece todo o nosso respeito e colaboração construtiva. O Chile está sempre em primeiro lugar”, escreveu Kast nas redes sociais.

Às 20h, com 45.362 urnas apuradas, o que corresponde a 96,74% do total, de 46.887, Boric tinha 55,81% dos votos, contra 44,19% de Kast.

No primeiro turno, disputado há pouco menos de um mês, o advogado Kast, de 55 anos, foi o primeiro colocado, com 27,91% dos votos, enquanto o deputado Boric, 35, obteve 25,83%.

O resultado do segundo turno também pode ser decisivo para a simples adoção da futura Constituição chilena, que está em elaboração e deve ser finalizada entre abril e julho de 2022. A tendência é que o governo Boric abrace com mais facilidade as novas leis, elaboradas por um grupo composto mais de independentes que de políticos mais tradicionais.

Durante o dia, os holofotes se voltaram para o próprio território chileno, onde não faltaram críticas aos problemas no transporte público e engarrafamentos, que atrapalharam a vida dos eleitores. Nas comunas de Puente Alto, Maipú, La Florida e San Miguel, todas na região metropolitana de Santiago, foi possível encontrar pessoas que esperavam até duas horas para conseguir condução e se deslocar para o local de votação.

“É o cúmulo que nós, idosos, tenhamos que esperar tanto tempo no sol, com este calor”, disse à Agência Efe a aposentada Mariana Vargas, que vive no bairro de La Reina, na cidade de Santiago. Integrantes das campanhas dos dois candidatos também se queixaram da situação e incentivaram eleitores a dar carona a vizinhos, com o objetivo de garantir mais um voto no pleito, que foi marcado pelo equilíbrio nas pesquisas.

Por volta do meio-dia, prefeituras disponibilizaram veículos oficiais para transportar moradores para os locais de votação. Boric chegou a afirmar que o governo do presidente Sebastián Piñera buscava “boicotar” as eleições. A ministra dos Transportes, Gloria Hutt, reconheceu o problema ao longo do dia e garantiu que estava fazendo “todos os esforços” para resolvê-lo o mais rapidamente possível.

“Há episódios de congestionamentos em vias importantes, e isso afeta a fluidez dos trajetos do transporte público, quando não há via exclusiva. Com isso, os tempos de espera aumentaram”, admitiu a titular da pasta, em entrevista coletiva.

O porta-voz do governo, Jaime Bellolio, por sua vez, negou acusações da existência de uma estratégia em prática para que as pessoas não votassem no segundo turno. “Temos cerca de 75% mais ônibus circulando do que em um domingo normal”, disse o representante do Executivo.

Continuar lendo CANDIDATO DA ESQUERDA GABRIEL BORIC FOI ELEITO PRESIDENTE DO CHILE

POLÍTICA: PAULINHO FREIRE É REELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL

Por g1 RN

 

Sessão da Câmara Municipal reelegeu presidente da Casa para biênio 2023-2024 — Foto: Elpídio Júnior/CMNSessão da Câmara Municipal reelegeu presidente da Casa para biênio 2023-2024 — Foto: Elpídio Júnior/CMN

Mais de um ano antes de concluir o mandato, o vereador Paulinho Freire (PDT) foi reeleito presidente da Câmara Municipal de Natal na sessão realizada nesta quarta-feira (15), para o biênio 2023 a 2024. Freire preside do Legislativo da capital potiguar desde 2019.

No início da atual legislatura, em janeiro de 2021, o vereador foi novamente eleito presidente, pelos colegas parlamentares. Segundo o próprio presidente, ele consultou advogados que disseram que há entendimentos jurídicos de que sua reeleição seria possível.

“Durante todo esse processo, independentemente de ter eleição agora ou depois, conversei com vários especialistas do direito e todos disseram que eu tinha direito a essa reeleição, então estou com muita tranquilidade”, disse.

Do total de 29 vereadores, 27 votaram a favor da continuidade do mandato. O vereador Professor Robério se absteve e a vereadora Ana Paul, do PL, foi a única a votar contra.

“Quando existiu este ano uma pretensa vontade da recondução do presidente atual nós entramos com um mandado de segurança dizendo que não poderia ser feita essa nova recondução, haja visto que no biênio passado ele foi eleito presidente, neste biênio ele foi eleito presidente, assim, reeleito, reconduzido e que seria inconstitucional uma nova recondução. E existe sim a possibilidade de uma nova recondução, agora é inconstitucional a previsão de reeleições ilimitadas e sucessivas. Essas são minhas razões de votar contra”, afirmou a parlamentar.

Apesar disso, outros vereadores, como Aldo Clemente (PDT), consideraram que o Supremo definiu que não há limitação por se tratarem de legislaturas diferentes.

Para 2023 e 2024 a composição da Mesa Diretora da Câmara ficou assim:

  • Presidente: Paulinho Freire (PDT)
  • Primeiro vice: Érico Jácome (MDB)
  • Segundo vice: Hermes Câmara (PTB)
  • Primeiro secretário: Aldo Clemente (PDT)
  • Segundo secretário: Felipe Alves (PDT)
  • Terceira secretária: Brisa Bracchi (PT)
  • Quarto secretário: Anderson Lopes (Solidariedade)

Fonte: G1 RN

Continuar lendo POLÍTICA: PAULINHO FREIRE É REELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL

BOLSONARO CONFIRMA PRESENÇA NA CERIMÔNIA DE POSSE DE ANDRÉ MENDONÇA COMO MINISTRO DO STF

Bolsonaro confirma presença na posse de André Mendonça no STF

Presidente apresentou, nesta quarta (15), um teste negativo para a Covid-19; diagnóstico é exigido para entrada nos prédios da Corte

Leonardo Lopes

Neila GuimarãesDaniel Adjutoda CNN

em São Paulo e Brasília

Jair Bolsonaro e André Mendonça.Jair Bolsonaro e André Mendonça.Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro confirmou sua presença na cerimônia que empossará André Mendonça como novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação foi confirmada em nota enviada pela assessoria da Corte. O evento está marcado para a tarde desta quinta-feira (16).

A equipe médica da Presidência enviou, nesta quarta (15), um teste com resultado negativo para Covid-19. O diagnóstico negativo para infecção pelo coronavírus é uma exigência para entrada nos prédios da Corte, como previsto na resolução 748/2021 do STF, que dispõe sobre as regras para conter a disseminação da Covid-19.

O âncora Daniel Adjuto antecipou no Live CNN que o resultado do exame de Bolsonaro era aguardado pelo STF, e que ele foi convencido a fazer para evitar novos embates. O convite, que a CNN teve acesso, traz a obrigatoriedade do “certificado de vacinação válido ou teste RT-PCR ou teste antígeno negativos realizados nas últimas 72 horas”.

Na terça (14), o ministro Luiz Roberto Barroso reforçou, em resposta a recurso da Advocacia-Geral da União, que o comprovante de vacinação é obrigatório para brasileiros e estrangeiros residentes no país entrarem no Brasil.

Crítico da exigência, o presidente Jair Bolsonaro teria sido convencido a fazer o teste para evitar novos embates e prestigiar a posse de seu segundo indicado à Corte.

O próprio presidente da República escolheu Mendonça para ocupar o lugar do ex-ministro Marco Aurélio Mello, aposentando compulsoriamente em julho deste ano ao completar 75 anos.

cerimônia para posse de Mendonça deve acontecer no dia 16, conforme previsão do presidente do Supremo, ministro Luiz Fux.

Segundo fontes ouvidas pela CNN, a data foi reservada tendo em vista que no dia 17 será realizada a última sessão antes do recesso de final de ano. No mesmo dia será realizada uma cerimônia de encerramento do ano Judiciário.

Relembre como foi o processo de nomeação dos outros ministros do STF

Gilmar Mendes assumiu em 2002, indicado por FHCRicardo Lewandowski foi aprovado em 2006, indicado por LulaCármen Lúcia chegou à Corte em 2006, indicada por LulaDias Toffoli foi indicado por Lula em 2009Luiz Fux assumiu a cadeira em 2011, indicado por Dilma RousseffRosa Weber também foi indicada por Dilma Rousseff em 2011Luís Roberto Barroso chegou à Corte em 2013, indicado por Dilma RousseffEdson Fachin foi mais uma indicação de Dilma, em 2015Alexandre de Moraes foi indicado por Michel Temer, em 2017Nunes Marques foi o primeiro indicado de Bolsonaro, em 2020

Continuar lendo BOLSONARO CONFIRMA PRESENÇA NA CERIMÔNIA DE POSSE DE ANDRÉ MENDONÇA COMO MINISTRO DO STF

DENÚNCIA: PRESIDENTE DA CPI DO CONSÓRCIO NORDESTE DENUNCIA TENTATIVA DE SABOTAGEM DOS TRABALHOS POR PARTE DO RELATOR

Em grave denúncia, presidente da CPI do Consórcio Nordeste escancara omissões em relatório de deputado do PT

Reprodução Redes SociaisReprodução Redes Sociais

O deputado estadual Kelps Lima (Solidariedade-RN), presidente da CPI do Consórcio Nordeste, em curso na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte para apurar as denúncias de desvios de conduta e de corrupção, durante as ações de combate à pandemia do novo coronavírus, denunciou o que parece ser uma tentativa de ‘sabotagem’ dos trabalhos realizados nos últimos dois meses.

Segundo Kelps, mesmo diante de confissões e provas robustas, o relator da CPI, deputado Francisco do PT, decidiu não indiciar os gestores envolvidos, todos, aliás, membros do partido em questão.

A constatação veio após a leitura da proposta de relatório, no final da semana passada.

“Pra mim, uma gigantesca decepção. O deputado Francisco, mesmo com a constatação de que 50 milhões foram roubados, duas operações da polícia, a confissão do prefeito de Araraquara de que foi Carlos Gabas que tirou o dinheiro do povo nordestino para doar para Edinho (Silva) do PT em Araraquara, e mesmo assim, Francisco do PT não pediu o indiciamento de ninguém do PT. Todos esses atos foram geridos por membros do PT, todo esse dinheiro perdido todos esses escândalos.”

O relatório será votado na próxima quinta-feira (16) e Kelps promete, até lá, conseguir aprovar as mudanças no texto, para que a justiça seja feita.

Mas temos que convir que, mesmo sendo um gesto político de boa vontade, entregar o relatório a um parlamentar do PT, quando investigados são colegas de legenda, é a mesma coisa que ‘entregar o pote de ouro para que o ladrão tome conta’.

E vale ressaltar que, confirmadas as denúncias de que o relatório sofre grave interferência e manipulação, Francisco do PT precisa responder ao Conselho de Ética.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo DENÚNCIA: PRESIDENTE DA CPI DO CONSÓRCIO NORDESTE DENUNCIA TENTATIVA DE SABOTAGEM DOS TRABALHOS POR PARTE DO RELATOR

BIDEN ADVERTIU PUTIN SOBRE SANÇÕES AMERICANAS SEM PRECEDENTES CASO A RÚSSIA ATAQUE A UCRÂNIA

Biden diz que ameaçou Putin com sanções ‘nunca vistas’

Presidente dos EUA disse ter avisado Putin que adotará punições econômicas pesadas se houver invasão à Ucrânia

Biden prometeu fortalecer a presença militar norte-americana na Europa em caso de ataque

ALEX BRANDON / AFP – 8.12.2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou nesta quarta-feira (8) que advertiu o russo, Vladimir Putin, sobre sanções sem precedentes americanas caso a Rússia ataque a Ucrânia.

Um dia depois de uma cúpula virtual entre os dois, Biden contou que disse a Putin que os Estados Unidos retaliariam com sanções “como nunca antes vistas” no caso de um ataque russo à Ucrânia.

“Deixei bem claro que, se invadir a Ucrânia, haverá consequências, graves consequências, consequências econômicas como nunca visto antes”, declarou Biden a repórteres na Casa Branca.

O presidente americano também alertou que, além das medidas econômicas, Washington fortalecerá sua presença militar nos territórios dos países da Otan no Leste Europeu se Moscou atacar a Ucrânia.

“Provavelmente teríamos de reforçar nossa presença nos países da Otan para tranquilizar especialmente os que estão no flanco oriental. Além disso, deixei claro que também forneceríamos capacidades defensivas aos ucranianos”, lembrou.

Biden, porém, considerou que enviar tropas dos Estados Unidos para defender a Ucrânia de um eventual ataque da Rússia “não está sendo considerado” por seu governo, porque o país não faz parte da aliança da Otan.

“A ideia de que os Estados Unidos usarão a força unilateralmente para confrontar a Rússia no caso de uma invasão da Ucrânia não está sendo considerada neste momento”, afirmou.

“Temos uma obrigação moral e uma obrigação legal para com os nossos aliados da Otan nos termos do artigo cinco. É uma obrigação sagrada. E essa obrigação não se estende à … Ucrânia”, argumentou.

Fonte: R7

Continuar lendo BIDEN ADVERTIU PUTIN SOBRE SANÇÕES AMERICANAS SEM PRECEDENTES CASO A RÚSSIA ATAQUE A UCRÂNIA

JORNALISTA FILIPINA RECEBE AUTORIZAÇÃO DA JUSTIÇA PARA VIAJAR E RECEBER O PRÊMIO NOBEL DA PAZ

Jornalista filipina é autorizada a viajar para receber Nobel da Paz

Maria Ressa é crítica do presidente das Filipinas e foi vencedora do prêmio por seus esforços para defender a liberdade de expressão

Jornalista filipina Maria Ressa ganhou o prêmio Nobel da Paz deste ano

REUTERS – 08.10.2021

A jornalista filipina Maria Ressa pode viajar a Oslo para receber o Prêmio Nobel da Paz na sexta-feira (10): ela recebeu autorização da justiça depois de recorrer a três tribunais.

Ressa, crítica do presidente filipino Rodrigo Duterte, e o jornalista russo Dmitri Muratov foram anunciados em outubro como os vencedores do Nobel da Paz por seus esforços para “salvaguardar a liberdade de expressão”.

A jornalista, ex-correspondente da CNN, aguarda um recurso contra uma condenação no ano passado em um caso de difamação online e teve de pedir permissão a três tribunais para comparecer à cerimônia de 10 de dezembro.

O Tribunal de Apelações Tributárias decidiu que Ressa, cofundadora do portal Rappler, pode viajar a Noruega de 8 a 13 de dezembro.

Maria Ressa enfrenta sete processos judiciais, incluindo o recurso contra a condenação por difamação online, que pode resultar em uma pena de seis anos de prisão.

Fonte: R7

Continuar lendo JORNALISTA FILIPINA RECEBE AUTORIZAÇÃO DA JUSTIÇA PARA VIAJAR E RECEBER O PRÊMIO NOBEL DA PAZ

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar