ARTIGO: A ESPIRITUALIDADE É O ÚNICO CAMINHO PARA SOBREVIVER ÀS AMEAÇAS QUE NOS CERCAM

Tenho visto tanta gente adoecendo e morrendo de graça que fico pensando! O mundo está realmente muito perigoso, agressivo, ácido e difícil de sobreviver, com tantas bactérias e vírus espalhadas aos milhões e até bilhões ou será que o ser humano está a cada dia mais frágil apesar de todo o avanço da ciência e da tecnologia? Quando olhamos para o passado e vemos o quão era difícil a sobrevivência do homem num mundo tão hostil e cercado de grandes feras por todos os lados e mais adiante a ameaça saiu do mundo macro, das feras, para o mundo microscópico, os grandes surtos pandêmicos como a peste negra, a peste bubônica, a gripe espanhola e tantas outras  de  facilmente percebemos que as ameaças a que o homem foi submetido ao longo de sua trajetória terrestre nunca ultrapassaram a sua capacidade de dominá-las ou bani-las da face da terra, ou seja, os meios para combater e exterminar essas ameaças sempre estiveram ao alcance do intelecto e dos recursos materiais. Mas sempre foi muito difícil e custoso para a humanidade alcançar essas vitórias sobre essas ameaças. Isso ocorre justamente por causa do desequilíbrio evolutivo mente-corpo-espírito. A humanidade sempre deu ênfase ao desenvolvimento  intelectual e material e ignoraram o desenvolvimento espiritual. Neste plano, infelizmente, ainda estamos na idade da pedra. O desenvolvimento espiritual não requer 5% do esforço e consumo de energia que o desenvolvimento intelectual e material necessitam, pois envolve apenas o esforço pessoal, o conhecimento, a leitura, a meditação, os exercícios mentais, exercícios físicos e uma alimentação saudável. A autocura é algo palpável, real e iminente. Ela está no nosso DNA. Só falta assumirmos o comando e aprendermos a vibrar em altas frequências e nada, absolutamente nada, que vibre em baixa frequência jamais nos atingirá.

 

Continuar lendo ARTIGO: A ESPIRITUALIDADE É O ÚNICO CAMINHO PARA SOBREVIVER ÀS AMEAÇAS QUE NOS CERCAM

AUTOCONHECIMENTO: NOS FUNDAMENTOS DO NOVO HUMANO NÃO PRECISAMOS SOFRER PARA EVOLUIR

A nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta quinta-feira tem a honra de publicar um artigo incrivelmente maravilhoso da brilhante  Professora e Terapeuta Vanessa Queiroz que aborda os Fundamentos do Novo Humano, cuja principal crença é a de que não precisamos sofrer para evoluir. Podemos evoluir pacificamente. Portanto, convido você a ler o artigo e assistir aos vídeos a seguir para descobrir esse caminho que também pode ser pavimentado por você!

Fundamentos do Novo Humano

Evoluindo pacificamente.

Um artigo escrito por Vanessa Queiroz.

 

Todos os dias somos colocados à prova, seja por desafios pessoais ou comunitários, fazendo com que a evolução seja eminente. A evolução é parte da história da humanidade e a evolução espiritual também. Infelizmente temos a crença limitante de que a evolução é dolorosa por conta da carga que carregamos sobre o conceito de “pecado” e “karma”.

 

Neste artigo compartilho com você como Evoluir Pacificamente, desatrelando a ideia de que estamos aqui para pagar pecados ou reparar os erros de vidas passadas. Este é um dos principais fundamentos do Novo Humano.

Trago boas novas! Vamos lá?

1. Não é preciso evoluir através da dor

 

Esta frase me faz refletir muito em como chegamos a este conceito de que a evolução só é possível através da dor. Muito dessa crença limitante está atrelada a conceitos da Igreja onde o pecado pede por absolvição, de que somos seres pecadores e imperfeitos, de que Deus nos pune pelos nossos atos errôneos.

É possível ver também em círculos de pessoas que estão no processo do despertar espiritual que a palavra “karma” ao ser adicionada em seu repertório traz conceitos parecidos com os da Igreja. O Karma diz que viemos nesta vida para reparar o que fizemos de errado em vidas passadas.

Nos dois casos é possível ver o ser humano vivendo uma vida limitada focando nos atos errôneos ou erros do passado. Carregar o passado dessa forma, só nos faz repetir padrões. Se você pudesse pintar uma imagem pensando na frase anterior, qual seria? Uma imagem que evoca liberdade ou prisão?

“O Karma é algo criado pelo próprio humano. É nosso próprio nível de consciência que gera o karma” (Kryon por Lee Carrol)

 

Eu mesma não escapei desta dinâmica que o ser humano passa, mas em certo ponto da minha evolução coube a mim estudar mais sobre o assunto pois em um momento isto me parecia inadequado.

A vida não é punição, muito pelo contrário. A vida é celebração!

“Sua luz é muito maior do que você imagina! Por ela te levar a este ponto de curiosidade já é uma evidência de que algo dentro de você está buscando a evolução da consciência gerando esta transição.” (Kryon por Lee Carrol)

2. Qual o motivo de pessoas vivenciarem uma Evolução Dolorosa?

 

Ao passo que o Despertar Espiritual começou a virar pauta e conhecimentos começaram a ser compartilhados, a ideia de que somos merecedores de coisas boas e de que somos seres divinos foi se espalhando.

 

Creio que você que lê este artigo deve estar mais perto deste cenário do que do cenário do capítulo anterior. Já lemos muito, estudamos muito, meditamos muitos, não é?

Encontramos respostas para estas questões. Cada um tem a sua. Mas, nem sempre é possível fazer com que a Evolução Não Seja Dolorosa. Digo isso pois mesmo depois de muitos cursos e leituras, quebrar este padrão de pensamento foi desafiador.

Coisas bobas do dia a dia e até os grandes desafios me faziam voltar ao pensamento do capítulo anterior, mesmo que inconscientemente. Como seguir a diante, mudar nas minhas manifestações e integrar nas minhas atitudes as leituras, os aprendizados, os cursos e os processos terapêuticos que eu havia passado? O que eu estava fazendo de errado para atrair uma realidade que não era exatamente a que eu desejava?

 

Durante os estudos para tornar-me Professora das Séries de Ativações Mestres eu encontrei em palavras algo que eu só havia sentido. Estas ativações são um aglomerado de processos terapêuticos e energéticos que mexem em nossa Malha de Calibração Universal®. Trazidas pela querida Peggy Phoenix Dubro, canalizadora da EMF Balancing Technique®, pude entender melhor como atingir um objetivo: Evoluir Pacificamente.

Mergulhada e honrada em fazer parte dos cursos da Peggy me deparei com informações muito valiosas e o melhor: práticas.

 

Nos dias atuais precisamos de técnicas energéticas facilitadoras e que nos possibilitem colocar em prática nos hábitos o que sabemos no intelecto. Percebi que este dilema não era só meu. Todos nós sabemos de tantas informações, temos tantas respostas na ponta da língua, mas que não conseguimos colocar em prática.

 

Aqui vai uma informação valiosa: a ideia de evolução está muito atrelada a religiosidade e a retiros espirituais como é o caso de monges e freiras. Precisamos tornar consciente que a tecnologia evolutiva também evolui. O universo entende a necessidade e o “tempo” e assim torna disponível informações e técnicas adequadas para o estilo de vida. Hoje no estilo de vida moderno não se adequa longas práticas meditativas ou a possibilidade de se fazer retiros com frequência com intensão de atingir a iluminação. O universo não desampara nunca. Se não se encaixa na vida moderna, ele cria novas possibilidades para que a expansão da consciência e a evolução continue.

 
 

O motivo de vivenciarmos uma Evolução Dolorosa é porque somos REATIVOS. Quando nos deparamos com situações desafiadores e somos reativos, rapidamente buscamos por referências internas não adequadas. Quando buscamos rapidamente por respostas nestas situações temos como princípio REAGIR. Reagir é um ato superficial, recheado de julgamentos e criticidade que, por consequência, não permite entrar em contato com o silêncio, a sabedoria interior e o Eu Multidimensional.

 

Então aqui temos a resposta, para Evoluir Pacificamente precisamos de:

– Parar de reagir

– Entrar em contato com a sabedoria interior através do silêncio, da quietude

– Neutralidade

– Desapegar do hábito de julgar (os outros e a si mesmo)

– Desapegar do hábito de criticar (os outros e a si mesmo)

– Sentir com a mente e saber com o coração

– Estar pacificamente presente no aqui e agora e em contato com o Eu Multidimensional (mais sobre esse ponto no ultimo capitulo)

 

Peggy costuma dizer: “um tempo para ficar quieto e um tempo para agir.”

Kryon diz: “um tempo para saber e um tempo para não saber.”

Estas são frases que nos dão diretrizes para não julgar e não criticar. Concorda?

3. A Evolução Pacífica está dentro de você!

 

Durante os encontros do grupo da Ordem Lemuriana das Famílias Estelares sempre lembro os membros assinantes sobre a nossa origem estelar.

 

Cada habitante da Terra teve ao menos uma encarnação em Lemúria. Este é um dos motivos de tanta curiosidade sobre este tema. Mas poucos sabem sobre a “Semente Evolutiva” que carregamos dentro de nós. Esta semente foi “plantada” há muitos e muitos anos pelas Mães Estelares.

Nossa primeira encarnação aconteceu em Lemúria, onde aprendemos a viver como humanos. Desde então estamos nesta espiral evolucionária, agregando cada vez mais informações ao nosso DNA, a caminho do despertar do nosso Ser Infinito e Multidimensional. O que precisamos fazer é ativar o nosso DNA para acessar um maior nível de consciência existente em nós. Sim, a consciência que tanto buscamos está na verdade completa, dentro de nós, esperando para ser libertada.

Precisamos honrar e crer neste nível de consciência maior que existe dentro de nós.

Além deste nível de consciência presente dentro de nós, também temos os atributos. Fomos criados para entender que cada um é diferente do outro. Isto é uma verdade até determinado ponto. Todos nós, cada um de nós, possui um acervo infinito de atributos de mestria. Neste ponto somos iguais.

Isso quer dizer que cada um de nós tem a habilidade e a capacidade de ser: sábio, generoso, gentil, próspero, equilibrado, cocriativo, entre tantas outras facetas. Integrando os atributos de mestria ativamos uma nova vida a ser vivida. A vida mais iluminada que se pode viver.

“Somos mestres e só precisamos nos lembrar disso. Afirme e intencione: Eu sou um mestre e sei disso! Não importa o que digam; a mestria, como a iluminação, não é um objetivo distante. É um modo de viver a vida exatamente aqui e agora, e um verdadeiro mestre está constantemente crescendo em sua habilidade de cocriar a vida mais iluminada que puder.” (Peggy Phoenix Dubro)

 

Todo mundo tem habilidade de ser gentil, generoso, amoroso…, mas vamos encobrindo isso sem permitir que estas manifestações aconteçam. Peggy diz que quando evoluímos o nosso nível de consciência, cria-se novas e benéficas maneiras de viver a vida. Então nos alimentamos melhor, somos mais gentis e mais generosos, nos revelamos como mais compassivos… Ocorre uma transformação em nosso estilo de vida.

Todos os atributos de mestria estão diretamente ligados a esta nova forma de viver (estilo de vida), que são os fundamentos do Novo Humano. Quando construímos uma casa, precisamos fazer a fundação primeiro para que a casa que irá ser construída esteja sustentada… certo? No caso do Novo Humano, acontece da mesma maneira.

 
 

Ao usarmos os atributos de mestria mudamos a maneira que vivemos, como consequência temos os “fundamentos” necessários para sermos mais de nós mesmos e libertar o Novo Humano.

4. O que eu posso fazer de diferente?

Antes de dormir eu me faço a seguinte pergunta “O que eu posso fazer de diferente?” e analiso como foi meu dia, as situações que eu vivi e as que me foram apresentadas. Primeiramente eu acolho tudo, pois creio que tudo está no fluxo e que tem um motivo maior. Depois me pergunto novamente: “O que eu poderia ter feito diferente, melhor?”

Esta pergunta é um convite para grandes transformações e nos permite acessar atributos de mestria que são naturais. Lembrando desses atributos nos possibilitamos viver o próximo dia com intenções alinhadas com nossa evolução pacífica.

Lembre-se: cada um de nós somos responsáveis pela nossa própria realidade. Normalmente somos reativos a nossa realidade, normalizando o processo de vitimismo, julgamento e criticidade. Ao invés disso, celebre no espírito de viver energeticamente consciente. Pergunte-se: O que eu quero de verdade pra minha vida?

Quanto mais consciência enérgica nós temos, mais senso de equilíbrio e mais habilidade teremos ao fazer escolhas do que é realmente essencial para nós. Escolhemos nossa realidade e podemos mudá-la caso se revele como não ideal. Construa o seu fluxo dentro do que você realmente quer. Deixe fluir a energia divina dentro de você. Deixe de se esconder de si mesmo. Incoerências não são aceitas no processo de evolução pacífica.

5. Como estar pacificamente presente no aqui e agora e ao mesmo tempo ser multidimensional?

A questão de estar presente no aqui e agora vs. multidimensionalidade é dúvida de muitos pois parece um conceito antagônico. Vamos desmistificar, como sempre, tudo é mais simples do que parece.

Estar no aqui e agora não significa estar conectado à 3ª Dimensão. Apesar de estarmos vivendo na 3ª Dimensão, temos acesso a energias de 4ª e 5ª Dimensão que estão conectadas à frequência de multidimensionalidade. Conversamos sobre isso nos artigos anteriores, clique aqui para acessá-los.

O processo de evolução sobre o prisma dimensional era tido como hierárquico, ou seja, se estamos na 3ª dimensão precisaríamos ascender para as dimensões superiores para evoluir. O que Peggy diz reescrevendo esse conceito é que a evolução esta no aqui e no agora. O que é preciso é nos conectarmos com o Eu Multidimensional e trazer toda as habilidades deste Eu, para o momento do agora. Assim podemos viver uma vida na 3ª Dimensão porém com uma visão multidimensional.

Além disso quando estamos 100% presentes, aqui entenda que estamos falando de PRESENÇA, estamos conectados e intencionados em tudo o que fazemos. Estar no aqui e agora é diferente de estar vivendo a vida tridimensional. Trata-se de estar por inteiro, integrando nosso ser multidimensional para estar presente (presença) no aqui e agora.

“Quando estamos inteiros significa que integramos o ser multidimensional para estar presente neste corpo. Quando não integramos o ser multidimensional não temos presença.” (Vanessa Queiroz)

 

Precisamos lembrar que temos um “Eu” muito maior do que este que tocamos. As Séries de Ativações Mestres nos auxiliam muito neste ponto por ser uma ferramenta facilitadora e capacitadora. Precisamos ser mais do que somos. Realmente. Multidimensionais.

Fico a disposição. Quer me mandar uma mensagem de WhatsApp? Clique aqui.

Se você é um profissional integrativo ou deseja ser, consulte-me sobre os cursos de formação para atender com estas técnicas, ou clique aqui.

Bençãos de Amor Universal,

Vanessa Queiroz.

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: NOS FUNDAMENTOS DO NOVO HUMANO NÃO PRECISAMOS SOFRER PARA EVOLUIR

AUTOCONHECIMENTO: A AVENTURA DE SER HUMANO CONFIRMA QUE ESTAMOS AQUI NUMACAMINHADA EVOLUTIVA

O site Trabalhadores da Luz é uma das ricas fontes de informações sobre AUTOCONHECIMENTO, aqui no Blog do Saber. Apesar disso publico muito pouco conteúdo desse maravilhoso site, pois tenho consciência de que a maioria dos leitores desse blog ainda não estão preparados para assimilar positivamente as revelações dos mentores desse respeitável e sábio site. Entretanto, é muito fácil perceber quando um determinado artigo e/ou mensagem tem o poder de provocar o interesse e a compreensão desse público tão carente do despertar da consciência. O texto de deste sábado, nesta coluna, “A aventura de ser um um humano”, na minha percepção, conecta com o leitor desse blog, pois explica muito realisticamente o que é 3ª,4ª e 5ª dimensões. Outros textos e artigos que publiquei aqui sobre esse tema não tiveram o esclarecimento e clareza que o texto a seguir tem. Portanto, convido você, que está interessa em expandir sua consciência a ler na integra esse texto esclarecedor! 

A aventura de ser um Humano

Mensagem de 15 de Março de 2021

Há milhares de anos, a humanidade tomou uma decisão: uma decisão de viver com um sentimento de separação interior. Naquela época, os espíritos tinham se cansado de encarnar como espíritos plenamente conscientes no mundo físico. Eles queriam mais desafios na vida.. Eles queriam transformar a vida em um mistério, uma verdadeira experiência humana, independente e verdadeira, e não apenas uma extensão do espírito na matéria.

Tenham em mente que, no estado natural da vida espiritual, como espíritos livres nos reinos mentais, há bem poucas limitações.

As pessoas podem manifestar qualquer coisa que elas precisem, deslocar-se instantaneamente no espaço, mudar para uma posição diferente no tempo, tudo na velocidade do pensamento. Nos reinos mentais, as pessoas podem visitar os amigos ou acompanhá-los, explorando o universo, tudo através do poder do pensamento. É por isto que eles são chamados de reinos mentais..

Para ser mais específico, os reinos mentais existem na consciência da quinta dimensão e são o domínio de sua alma ou do seu ser interior.

Entre o mundo físico da terceira dimensão e o reino da quinta dimensão do seu ser interior se encontra o reino espiritual ou astral da quarta dimensão, habitado por pessoas no início das principais etapas da vida após a morte. Nos estágios finais da vida após a morte, as pessoas entram na quinta dimensão para considerarem as suas opções para uma maior experiência.

A encarnação física é sempre voluntária. Nada obriga uma alma a encarnar em outra vida física. É sempre uma decisão a um nível pessoal e do grupo de alma, se retornam à vida física na Terra.

Há milhares de anos, a experiência física era uma extensão plenamente consciente do espírito na matéria. As pessoas sabiam que elas estavam como espíritos, conectadas aos seus eus internos e ao universo como um todo..

“E se”, elas disseram, “viéssemos à existência física e não soubéssemos quem nós éramos? Poderíamos dedicar todas as nossas vidas à busca de respostas para o mistério. Imaginem que desafio seria!”

A Humanidade, então, tomou a decisão conjunta de mergulhar ainda mais em uma realidade mais focada e mais densa. Seu foco era dirigido aos sentidos físicos, juntamente com um desligamento dos níveis superconscientes e subconscientes do pensamento.

Ao manter um foco firme no mundo “externo” dos sentidos, os seres humanos poderiam até acreditar que eles estariam fixos em um local no espaço e trancados em um continuum do tempo.

Imaginem, a vida física se tornaria tão intensa, tão real, tão convincente!

Agora, a maioria das pessoas adora passeios emocionantes, como aqueles nos parques de diversão. E se o passeio parecer assustador, tanto melhor! Passeios de montanha russa são assustadores.

Os antigos Trens Fantasma nos parques do Reino Unido eram assustadores. Os Castelos Assombrados da Disney, em seus Parques Temáticos na Califórnia, Flórida, Paris e Tóquio, são todos aterrorizantes. Tão aterrorizantes que, quando o passeio termina, as pessoas dizem:

“Isto foi ótimo! Querem mais uma volta de novo?”

A vida pode ser amedrontadora, também. Uma vida passada sem uma conexão constante e consciente com a sua verdadeira natureza interior é sempre um desafio.

Hoje, o passeio no Parque de Diversões da separação interior está chegando ao fim. A Mudança para a Nova Realidade está acontecendo hoje. Estamos nos tornando mais e mais conscientes de nossa natureza interior. Aqueles que compreendem a ideia da Nova Realidade irão desenvolver ativamente esta conexão interior e não apenas esperar que isto os surpreenda, enquanto se revela lentamente.

E, lembrem-se: Este passeio intenso através do mundo físico foi sempre uma escolha. Podemos não nos lembrar de quando a escolha foi feita, mas, a um nível de alma, estivemos de bom grado entrando e partindo do parque temático da vida física na Terra, desde então.

Encarnamos para a experiência da vida física, e para ajudarmos a transformar esta realidade para o seu estado derradeiro. Aquele que, hoje, está surgindo gradualmente.

Estes são os dias da transformação, o tempo da Mudança. O passeio assustador está chegando ao fim. Como uma cultura, estamos prestes a nos encontrarmos e a nos conectarmos interiormente.

Owen Waters — Fonte: www.SpiritualDynamics.net
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A AVENTURA DE SER HUMANO CONFIRMA QUE ESTAMOS AQUI NUMACAMINHADA EVOLUTIVA

PSICOLOGIA: SAIBA EM QUE CONSISTEM, NA VISÃO DE CARL JUNG, OS TIPOS PSICOLÓGICOS

Para quem tem interesse em se aprofundar na área do AUTOCONHECIMENTO, neste sábado, aqui na coluna PSICOLOGIA você vai conhecer o que são os Tipos Psicológicos descobertos pelo Psiquiatra Suíço Carl Gustav Jung (1875-1961) e como esses arquétipos influenciam nos processos psicológicos básicos, para a determinação do caráter de uma pessoa. Então lhe convido a ler o texto completo a seguir e entender mais sobre o comportamento humano.

TIPOS PSICOLÓGICOS – ATITUDES E FUNÇÕES

Publicado por Institutofreedom 
27 de janeiro de 2017

 

No ano de 1921, Jung publica o resultado de um de seus estudos mais importantes no contexto da personalidade humana. A obra Tipos Psicológicos proporcionou uma intensa contribuição, pois este estudo identificou um certo número de processos psicológicos básicos, descrevendo também de que forma esses processos se ligam em diversas combinações para a determinação do caráter de uma pessoa.

Os Tipos Psicológicos consistem num sistema de combinações entre Atitudes e Funções.

O Psiquiatra Suíço Carl Gustav Jung (1875-1961) nos deixou um importante legado que nos remete à distinção entre as atitudes básicas do ser humano e suas mais variadas dimensões. Para que possamos entender melhor essa distinção entre as atitudes de Introversão e Extroversão, é preciso compreender a essência entre dois outros termos que pretendo abordar neste pequeno artigo: Objetivo e Subjetivo.

O Termo “objetivo” nos leva à compreensão de tudo aquilo que está conectado com o Mundo Externo (o não-eu). Já o termo Subjetivo nos dá o entendimento de tudo o que se faz presente no Mundo Interno, o que nos orienta à percepção do próprio eu.

Através desse segmento proposto por Jung, conclui-se que na Extroversão, a libido é direcionada ao mundo exterior objetivo, e se aplica às questões das percepções, pensamentos e sentimentos que se referem a objetos, pessoas e animais, e também às outras circunstâncias como as pressões do ambiente. Na Introversão, a libido é direcionada para o mundo interno Subjetivo, fluindo para as estruturas e os processos psíquicos conectados com o próprio eu.

No entanto, é preciso deixar claro que o sujeito pode se demonstrar extrovertido e alguns momentos e introvertido em outros. Porém, uma dessas atitudes é predominante. Quando predomina a objetividade, o indivíduo é qualificado como Extrovertido e quando se pondera que uma pessoa é subjetiva, qualifica-se como Introvertida.

O ser humano introvertido se interessa muito pelo seu mundo interno; se apresenta mais introspectivo diante das circunstâncias, geralmente é muito retraído, esboçando traços de timidez em muitos casos, sendo assim, muito preocupado com suas próprias questões ligadas ao seu interior. Devido à maneira que se orienta para a sociedade, ele parece aos olhos externos, alguém anti-social e extremamente reservado.

O sujeito Extrovertido se preocupa com as questões relacionadas ao externo, é mais direcionado aos relacionamentos com as pessoas e as coisas. Ele se apresenta para a sociedade de uma forma diferente, dando à impressão de ser mais ligado, ativo e amistoso com tudo aquilo que o cerca.

A distinção entre essas duas atitudes da psique fica dimensionada da seguinte forma em nossa mente: A Atitude oposta àquela demonstrada pelo consciente, fica presente de maneira significativa no inconsciente. Assim, podemos concluir que o Extrovertido Consciente, na verdade é um Introvertido Inconsciente e vice-versa.

Vamos agora, compreender um pouco sobre as Funções Psicológicas propostas por Jung.

Carl Gustav Jung (1875-1961), nos deixou um ensinamento muito importante e determinante no contexto do Funcionamento da psique. Este ensino nos remete as Quatro Funções Psicológicas:

•Pensamento;
•Sentimento;
•Sensação;
•Intuição.

Jung divide as Funções Psicológicas em dois grupos:

•As Irracionais (Percepção): Sensação e Intuição;
•As racionais (Julgamento): Pensamento e Sentimento.

O Pensamento é uma função psicológica que tem a missão de associar idéias umas as outras para que se possa chegar a uma conclusão e uma solução de um determinado problema. É uma função intelectual, com o objetivo de compreender as coisas. As principais características do Pensamento são: A lógica, a racionalidade, a objetividade e a busca pelos resultados.

A Função Sentimento é avaliadora, o trabalho exercido por ela consiste em aceitar ou rejeitar uma idéia, definindo-a como agradável ou desagradável. Suas principais características são: A Afetividade, a conciliação, o zelo por sua subjetividade e seus relacionamentos emocionais com as pessoas.

Segundo Jung, a Sensação é uma percepção sensorial que consiste em todas as experiências conscientes produzidas pelos órgãos dos sentidos: Visões, ruídos, cheiros, paladares e todas as sensações que se originam no interior do nosso corpo. As características principais que nos remetem a essa função são: A utilização dos Cinco Sentidos, a percepção de algo concreto, o senso da realidade e a realização. Esta função também é muito ligada com o “Aqui e Agora”.

A Intuição não exige nenhum julgamento, pois o indivíduo não sabe de onde ela vem, nem de onde se origina. Esta função também é muito conhecida como percepção extra-sensorial. Suas principais características: O Sexto Sentido, Imaginação, Visão de futuro, forte criatividade e facilidade para enxergar novas possibilidades.

“Esses quatro tipos funcionais correspondem aos recursos óbvios através dos quais a consciência obtém sua orientação para a experiência.”
(Carl Gustav Jung)

A Sensação nos diz que uma coisa existe, o Pensamento nos diz o que é essa coisa, o Sentimento nos informa se a coisa é agradável ou não, e a Intuição nos diz de onde ela vem e para onde ela vai.

Na realidade, todos nós temos as Quatro funções Psicológicas, porém existe a Função Principal (onde me sinto mais confortável), a Auxiliar, a Terciária e a Inferior (função que exige algo a mais de mim / consiste na atuação da Sombra).

Ex: Se minha função principal for o Pensamento Introvertido, minha função inferior será Sentimento Extrovertido. (100% oposto).

TIPOS PSICOLÓGICOS E SUAS FUNÇÕES INFERIORES

1. Tipo Pensamento Introvertido:
Pessoas com esse tipo dão valor as idéias do ponto de vista do sujeito, não do objeto. Eles se mostram interessados pela produção de idéias novas. Facilmente se perdem no mundo da fantasia. Não são práticos, são mais teóricos.
Função Inferior: Sentimento Extrovertido.

2. Tipo Pensamento Extrovertido:
O Pensamento Extrovertido carrega em si uma vida governada pelo pensamento. Costumam ser indivíduos com organização e praticidade.
Função Inferior: Sentimento Introvertido.

3. Tipo Sentimento Introvertido:
São personalidades difíceis de serem compreendidos, pois seu exterior pouco revela. Pessoas do tipo Sentimento Introvertido transmitem uma leve impressão de não possuírem nenhuma espécie sentimento. São pessoas reservadas e também demostram tendencia a serem autoritárias.
Função inferior: Pensamento Extrovertido

4. Tipo Sentimento Extrovertido:
Os indivíduos que carregam em si o Tipo Sentimento Extrovertido sempre estabelecem relações de profunda harmonia com o ambiente. O pensamento está subordinado ao sentimento. São vulneráveis ao objeto amado. Fazem amizades com extrema facilidade, pois possuem uma boa conversa.
Função Inferior: Pensamento Introvertido.

5. Tipo Sensação Introvertida:
Os indivíduos do Tipo Sensação Introvertida carregam em si a intensidade da sensação subjetiva. Possuem uma tendência recuar do mundo exterior e seus dilemas. Há uma separação entre a consciência e o corpo físico. Demosntram intensa dificuldade de compreender a si próprios.
Função Inferior: Intuição Extrovertida.

6. Tipo Sensação Extrovertida:
São indivíduos que têm percepção dos fatos bem desenvolvida. Costumam procurar por pessoas ou situações que lhe proporcionem fortes sensações. Essas pessoas concentram sua atenção para o físico, possuindo um bom gosto estético. São pessoas que costumeiramente não se esquecem de seus compromissos e são sempre bem rígidos com a pontualidade.
Função Inferior: Intuição Introvertida.

7. Tipo Intuição Introvertida:
Indíviduos do Tipo Intuição Introvertida são mais direcionadas para os conteúdos do inconsciente. Não são muito comunicativas e geralmente são mal compreendidos pelo outro. São mais ligados às questões da espiritualidade, carregando em si uma misteriosa capacidade de pressentir o futuro.
Função Inferior: Sensação Extrovertida.

8. Tipo Intuição extrovertida:
São pessoas que possuem uma grande capacidade para perceber as coisas ao seu redor. Enxergam o mundo através de uma percepção externa. Estão sempre à espera de novos horizontes e de novas oportunidades. O Tip Intuição Introvertida não são muito ligados às quesões relacionadas ao corpo, não percebendo quando estão cansados ou famintos. Sentem-se prisioneiros em várias situações que apresentam estabilidade.
Função Inferior: Sensação Introvertida.

Texto: Evandro Rodrigo Tropéia

Qual será a sua Atitude predominante?
Qual será a sua Função Psicológica principal?

Referências Bibliográficas: HALL, C.S; Nordby, V.J. Introdução à Psicologia Junguiana. Ed. Cultrix, SP, 2003.

Fonte: Instituto Freedom

Continuar lendo PSICOLOGIA: SAIBA EM QUE CONSISTEM, NA VISÃO DE CARL JUNG, OS TIPOS PSICOLÓGICOS

CIÊNCIAS: ESPECIALISTAS ENCONTRAM NOVAS GLÂNDULAS NO CORPO HUMANO

A ciência continua avançando com muita rapidez no mundo. Já se fala que todo o conhecimento humano, na atualidade dobra a cada dia que se passa. Apesar de toda essa velocidade ainda existem descobertas que estão com um atraso de 300 anos, como é o caso do artigo que publicamos agora na coluna CIÊNCIAS desta sexta-feira. Estruturas foram encontradas por acaso no corpo humano onde se pensava conhecer tudo. Pesquisadores holandeses dizem ter encontrado mais um par de glândulas salivares localizadas entre o fim da cavidade nasal e o começo da garganta. Convido você a ler o artigo completo a seguir e ficar a par dessa incrível descoberta!

Médicos descobrem novo órgão no corpo humano

Esta é a primeira descoberta do gênero em cerca de 300 anos. Estruturas foram encontradas por acaso

JULIANA CONTAIFER

ATUALIZADO 22/10/2020 11:42

anatomia da cabeçaCSA IMAGES/GETTY IMAGES
Apesar dos avanços tecnológicos e séculos de estudo de anatomia, um time de pesquisadores holandeses identificou mais uma estrutura no corpo humano. Em um estudo publicado na última edição do jornal Radiotherapy and Oncology, os especialistas dizem ter encontrado mais um par de glândulas salivares localizadas entre o fim da cavidade nasal e o começo da garganta.As glândulas são órgãos cuja utilidade é secretar substâncias.Se confirmado, será o primeiro achado do tipo em cerca de 300 anos — até o momento, só se conheciam três tipos de glândulas salivares.

A descoberta foi feita por acaso. A pesquisa analisava imagens em alta definição dos tecidos do corpo de pacientes com câncer de próstata quando encontrou duas estruturas diferentes no centro da cabeça.

Dois cadáveres foram dissecados para encontrar as glândulas, que são semelhantes às que se encontram debaixo da língua. A localização não é acessível e é preciso uma imagem bastante sensível para detectar as estruturas, o que pode explicar por que não tinham sido encontradas até agora.

Desdobramentos
Segundo os oncologistas, a descoberta pode afetar tratamentos de pacientes com câncer. Normalmente, se toma bastante cuidado na radioterapia para evitar atingir as glândulas salivares, mas muitos pacientes acabam com problemas crônicos de boca seca e dificuldade para engolir. Isto, provavelmente, acontece porque as novas estruturas não são poupadas no tratamento.

Os cientistas alertam que o estudo é preliminar, foi feito com poucos pacientes (e apenas uma mulher), e deve ser expandido para confirmar se as glândulas realmente são desconhecidas.

Fonte: Metropoles

Continuar lendo CIÊNCIAS: ESPECIALISTAS ENCONTRAM NOVAS GLÂNDULAS NO CORPO HUMANO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar