Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

AUTOCONHECIMENTO: UMA METÁFORA DE GRANDE PROFUNDIDADE PARA FACILITAR A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA

Uma metáfora bem fundamentada é o destaque deste domingo na coluna AUTOCONHECIMENTO, sobre as Água do Lago para facilitar a expansão da consciência. O texto alcança os princípios fundamentais do autoconhecimento como Amor, Essência Divina, Sabedoria, Eu Superior, Espiritualidade, Mente Universal e outros. Leia o texto completo a seguir e expanda sua consciência!

Veja as Águas do Lago

Lago cercado por vegetação, e uma cidade grande com muitos prédios ao fundo.

O termo Universo – referindo-se a todas as coisas existentes, em todas as dimensões e densidades da matéria, no tempo e no espaço – é autoexplicativo quanto ao seu significado. Universo é o verso do Uno, é o verso da UNIDADE; é o plano da multiplicidade, que se origina na UNIDADE, em DEUS. Neste texto vamos falar de UNIDADE e de multiplicidade. No entanto a linguagem utilizada para a comunicação convencional é somente apropriada para representar coisas ou ideias no plano da multiplicidade. Dessa forma, como um recurso didático, para que se possa distinguir termos utilizados no contexto da multiplicidade dos mesmos termos utilizados no contexto da UNIDADE, expresso-os em MAIÚSCULAS ou minúsculas, conforme se refiram à UNIDADE ou à multiplicidade, respectivamente.

Águas Eternas

No centro da cidade existe um lago de águas eternas e inesgotáveis nunca visto pelos habitantes e ao qual ninguém tem acesso, pois está cercado por um alto muro que o circunda em toda a sua extensão. Do centro do lago partem milhares de tubos – por onde flui a água – que alcançam o muro, distribuindo-se ao seu redor, vazando-o e conectando-se, cada um, a uma torneira instalada do outro lado do muro, de onde cada morador sorve a água misteriosa proveniente de uma fonte única, que os mantêm vivos. No entanto ninguém conhece a origem da água nem está muito interessado em conhecer. Mas todos reivindicam a propriedade exclusiva da água em sua torneira, e por ela estão dispostos a matar e morrer.

Os moradores todos se conhecem e, na sua individualidade, constantemente se incomodam com as diferenças no modo de pensar e de agir dos demais, cada um com suas próprias opiniões sobre a origem da água e seus apegos a ela pelo medo de que um dia venha a faltar. A falta de sintonia pessoal entre os habitantes e a expectativa do dia da grande seca geram constantes discórdias e disputas entre o povo da cidade.

O que nenhum morador sabe é que todos eles sorvem da mesma água que lhes dá a vida e que sua nascente brota infinita e eternamente. Eles não conseguem olhar através do muro.

Um dia homens com máquinas gigantescas chegam à cidade e destroem o muro que impedia seus habitantes de verem o lago. Então, com grande surpresa, os cidadãos descobrem que têm em comum a fonte da própria vida, pois cada existência individual é mantida pela mesma essência de vida, eterna e infinita, comum a todos.

A partir desse instante, a energia da cidade se transforma completamente, afinal são todos irmãos, filhos da fonte-mãe comum que os nutre sem nada pedir de volta. Instala-se, a partir de então, sentimentos de fraternidade, generosidade e compaixão, subprodutos do AMOR que agora transcende todas as diferenças que possam existir na precária e ilusória individualidade de cada um.

Eu, tu, ele, nós, vós, eles… São os pronomes que atribuem aos seres sua condição de entidades separadas, diferenciadas e independentes. Eles identificam cada ser ou agregado de seres – nós, vós, eles – como manifestações orgânicas e psíquicas com características absolutamente individualizadas: corpo, sensações, emoções, sentimentos e pensamentos. Cada ser é único em cada um desses aspectos. Não existem dois seres iguais no mundo. Não existe “eu” igual a “tu” ou igual a “ele” nem “nós” igual a “vós” ou igual a “eles”.

Os “pro-nomes” pressupõem a existência de “nomes” e os nomes, por sua vez, pressupõem a diversidade de características dos seres que eles visam identificar. Existem os homônimos, aqueles que têm o mesmo nome. Mas foi preciso criar um termo – homônimo – para declarar a diferenciação entre dois seres que tenham nomes iguais.

Surpreendentemente, “eu, tu, ele, nós, vós, eles” somente podem distinguir os seres humanos até o nível da personalidade, onde a diferenciação é real. Quanto aos níveis superiores, os do ESPÍRITO, os pronomes perdem sua razão de ser, porque nestes níveis não existe diferenciação, separação ou individualidade. São os níveis da UNIDADE imanente ao ser humano, como gêmeos no ventre da mãe que não podem se diferenciar em relação à fonte que os nutre.

Na UNIDADE, portanto, “EU” é igual a “TU”, que é igual a “ELE”, que é igual a “NÓS”, que é igual a “VÓS, que é igual a “ELES”. Assim como a gestante é a mesma para todos os gêmeos, o lago da parábola é o mesmo para todos os habitantes. Ambos, gestante e lago, representando a “parte” ESPÍRITO dos gêmeos e dos moradores da cidade, em contraponto às suas personalidades individualizadas.

Pronomes pessoais estão relacionados a “pessoas”, “personas” e “personalidades”. Não há como utilizá-los quando tratamos da ESSÊNCIA DIVINA NO SER HUMANO. Ela é a mesma em todos os SERES, como as águas do lago.

Os atributos da personalidade – corpo, mente e emoções – são subprodutos individualizados e imperfeitos dos atributos da UNIDADE, deturpados pelas limitações da consciência, que não enxerga “através do muro”, então passam então a condicionar o comportamento humano. Os valores materiais equivocados da personalidade passam a excluir os valores sutis do ESPÍRITO: o ser exclui o SER; o amor exclui o AMOR; a sabedoria exclui a SABEDORIA, a verdade exclui a VERDADE; a vida exclui a VIDA; o ego exclui o EU Superior; e a religião exclui a ESPIRITUALIDADE.

“Ser” é o homem em sua dimensão terrena individualizada: corpo e alma, onde reside a dinâmica da fisiologia, das sensações, das emoções, dos sentimentos e dos pensamentos.

“SER” inclui a dimensão DIVINA do homem. É o SER HUMANIDADE, que, honrando sua personalidade individualizada, tem uma única origem, uma única substância e um único destino.

“Amor” refere-se ao amor terreno instintivo entre mãe e filho, entre casais ou entre amigos. É o amor egóico, que reivindica a posse e a propriedade do ser amado. É um sentimento somente satisfeito quando correspondido e cujos efeitos colaterais são o ciúme, o apego e, muitas vezes, o ódio.

“AMOR” é o atributo DIVINO do EU Superior ao qual podemos nos conectar quando os canais da personalidade que nos ligam a ELE estão sintonizados e desobstruídos. O sentimento de AMOR e o êxtase que dele emana são apenas o reflexo deste ATRIBUTO no corpo emocional de mais alta frequência vibratória em nossa alma. O AMOR, como raiz deste êxtase, não é um sentimento, pois não pertence à personalidade.

O AMOR no SER é a expansão do EU – A DIVINDADE em nós – a partir do chacra cardíaco, a todo o Universo, como o grande disseminador da Criação, qualquer que seja seu âmbito ou escala. O AMOR não é dirigido a algo ou a alguém. Ele é infinito, onipresente e incondicional. É como a luz do Sol, que não pode ter um único foco e cria a vida onde o contexto permite. O AMOR somente será compreendido quando formos ELE mesmo, quando nossa consciência alcançar o nível do ESPÍRITO.

Diz o ego: Eu te amo!

Diz o EU: EU AMO!

 

CRISTO é AMOR!

“Se por mim tens AMOR sem fim

Sou feliz que tu me AMAS;

Não que O queira só pra mim,

Mas pelo AMOR que tu derramas! ”

“Sabedoria” é a experiência acumulada pela vivência da saga da existência. É a fonte dos ensinamentos da qual bebem os mais jovens, ainda confusos diante da realidade obscura da vida. Os sábios são reconhecidos pela magnanimidade de seus conselhos e pela sua filosofia de vida, estruturada a partir de sua própria experiência e de um vasto conhecimento da trajetória de tantos outros filósofos.

“SABEDORIA” é a Sabedoria filtrada, direcionada e enriquecida pela intuição e pelo contato direto com a MENTE UNIVERSAL. Atributo da DIVINDADE – assim como o AMOR –, a SABEDORIA não dá conselhos, dá exemplos e expõe a VERDADE a quem está preparado para ela. Além disso, respeita o livre-arbítrio e o direito ao autoaprendizado. A SABEDORIA é irmã gêmea do AMOR. Um não existe sem o outro. Quem não AMA não pode ser SÁBIO, pois SABEDORIA e AMOR são ambos atributos do ESPÍRITO INDIVISÍVEL.

“Verdade” é aquela a que nos referimos quando dizemos: “Não existe uma única verdade”, “A verdade de cada um” ou ainda “O que é verdade para alguns pode não ser para outros”. São as crenças enraizadas nos seres pelos paradigmas resultantes de experiências pessoais ou a que foram expostos pelo convívio familiar e social ao longo da vida. Verdade é a VERDADE relativa ao nível de consciência de cada um.

“VERDADE” emana da SABEDORIA infinita de Deus. É aquela que é buscada pela intenção e pelo empenho no desenvolvimento da consciência. Quanto mais se eleva a consciência, mais a verdade se transmuta em VERDADE! Quando se alcançar a VERDADE absoluta, ser-se-á a SABEDORIA DIVINA, ser-se-á DEUS.

CRISTO é a VERDADE!

“Vida”, é a sequência de processos, de acontecimentos e de experiências a que se submete o ser desde o nascimento até a morte. A vida é generosa para alguns e perversa para outros, mas todos se apegam a ela com medo da morte. A vida é governada pelo instinto de sobrevivência, pelo medo das perdas de qualquer natureza, pelo separatismo e pela competição que caracterizam a individualidade da personalidade humana.

“VIDA” é a dinâmica da CRIAÇÃO. É o processo pelo qual se dá a Evolução Universal por meio das referências na multiplicidade da matéria. É a manifestação da DIVINDADE em múltiplas formas orgânicas, para o regozijo de cada uma na interação com as demais, ao expressar o AMOR do CRIADOR. A VIDA é eterna, não importando em que densidade energética ou em que plano existencial vivamos. A VIDA carrega o “DNA” do CRIADOR em todas as suas manifestações, mas nos seres humanos esse “DNA” é também implantado como fogo essencial espargido na multiplicidade de centelhas da mesma FOGUEIRA SAGRADA.

CRISTO é VIDA!

Ego”, é o conjunto dos corpos inferiores do ser humano: o corpo físico, o corpo etéreo e o corpo astral, sede da mente, das sensações, das emoções e dos sentimentos. O Ego é um sistema de energias, em que todos os corpos que o compõe, com funções específicas e de densidades diferentes, interagem entre si. É onde reside a individualidade do ser. O ego é o grande instrumento de sobrevivência e de socialização da humanidade.

“EU” é a centelha DIVINA do SER. É a UNIDADE do CRIADOR imanente ao ser humano. São os “Atributos de DEUS a cuja imagem e semelhança o HOMEM é feito”. É “o que está embaixo igual ao que está em cima”, conceitos expressos por palavras muitas vezes mal compreendidas. O EU superior não é individualizado no homem. Como o lago da parábola, “EU” é a sede dos atributos do CRIADOR: o AMOR, a MENTE e a VONTADE permanentemente presentes no INTERIOR Infinito e Eterno do SER, aos quais a consciência pode ter acesso por meio dos canais desobstruídos do ego. O ego expande-se para o exterior nas dimensões da matéria-tempo-espaço. O EU expande-se para o INTERIOR, nas dimensões do ESPÍRITO-imaterial-atemporal-infinito.

EU SOU…

“Religião” é a organização de crenças ancestrais por entidades hierárquicas que se apropriam da “Verdade” para fazer dela um produto, geralmente sob a forma de dogmas impostos aos fiéis. Ser fiel a uma verdade religiosa significa rejeitar outras verdades apregoadas com igual convicção por outras religiões. Portanto nenhuma verdade religiosa – que se pretende exclusiva – é única nem pode, por esse motivo, ser “A VERDADE”.

O Deus da maioria das religiões ocidentais está fora do ser, e a Ele se deve obediência, devoção e reverência, sob pena de martírio eterno. A religião entrega “salvação”, em troca do domínio da vontade de seus crentes. As instituições religiosas competem entre si – comportamento óbvio de apego à multiplicidade – por um número cada vez maior de fiéis engajados.

“ESPIRITUALIDADE” é a convicção de que cada um é responsável pela própria evolução espiritual e de que a chave para atingir a maturidade da consciência no Espírito está em cada ser humano. É a busca ininterrupta do aprimoramento por meio do autoconhecimento, que implica no permanente foco da atenção sobre sensações, sentimentos e pensamentos; é o exercício contínuo do crescer e do servir,voltados à busca da VERDADE; é a intenção perene de lembrar quem era-se num tempo remoto em que “o muro não havia ainda sido construído ao redor do lago”.

Houvesse consciência da origem divina UNA, comum a todos os seres, os atributos do ego não excluiriam, mas alimentar-se-iam dos Atributos do ESPÍRITO numa dança em que a consciência flutua livremente, em êxtase, entre a UNIDADE e a multiplicidade da matéria impregnada pelo ESPÍRITO.

PAZ!

Fonte: Eu sem Fronteiras

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: REPROGRAME SUA MENTE SUBCONSCIENTE, POR DR. BRUCE LIPTON

Caro(a) leitor(a),

Quem acompanha esse blog sabe que o tema central e´AUTOCONHECIMENTO. Praticamente todos os dias publico algo sobre o assunto, sem falar que já publiquei três livros que tratam deste tema. Dois já se encontram em exibição neste blog: Eu Cósmico, a essência e Crer ou Não Crer, Eis a Questão. O terceiro já publicado, em breve estará a venda nesse blog e em mais 8 grandes sites. Portanto, em todos três eu trato do poder do subconsciente e como ele rege as nossas vidas. Então, convido você a assistir o vídeo completo a seguir, com os ensinamentos do Dr. Bruce Lipton sobre o subconsciente e como reprogramá-lo.

Fonte:

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: NUNCA FIQUE DOENTE DE NOVO, POR DR. BRUCE LIPTON

Tenho a grata satisfação de apresentar na nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta quinta-feira uma mini-palestra do Dr. Bruce Lipton, que ensina nesse vídeo como você nunca mais ficará doente. Não é mágica, magia, fenômeno sobrenatural, nada disso. É conhecimento, ciência, autoconhecimento, autocura, controle emocional, coragem, disciplina e determinação. Assista a esse vídeo poderoso e nunca mais seja a mesma pessoa!

Fonte:

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: UMA INTRODUÇÃO AOS NOVE TIPOS PSICOLÓGICOS NA VISÃO DO ENEAGRAMA

Nesta quarta-feira voltamos ao assunto ENEAGRAMA na nossa coluna AUTOCONHECIMENTO com uma Introdução aos nove tipos de personalidade na visão da nossa colaboradora a psicóloga Sarita Cesana. Para quem não conhece essa CIÊNCIA é uma ótima oportunidade de entender e descobrir qual o seu tipo psicológico dentro do ENEAGRAMA e entender o seu comportamento.

O ENEAGRAMA: UMA INTRODUÇÃO AOS NOVE TIPOS DE PERSONALIDADE

O que é o Eneagrama?

Segue, abaixo, uma descrição simplificada dos 9 tipos humanos, descritos pela Sabedoria Tipológica do Eneagrama. Autores atuais já ampliaram bastante essa descrição, iniciando pelo estudo dos Instintos, passando pelas flechas, asas, subtipos, tendo, portanto, uma visão sistêmica: todos nós temos, somos e precisamos de tudo. Porém a identificação do seu eneatipo é o ponto de partida para a transformação da sua jornada, aqui e agora.

Tipo 1 (Ira) – O Perfeccionista. “Deus está nos detalhes” Ludwig Mies van Der Rohe

Enquanto todo mundo “vai levando”, contentando-se com o aceitável, os representantes do tipo 1 vão além, empenhando-se em corrigir toda e qualquer imperfeição que possam detectar no seu caminho. Exigentes consigo, e com os outros, têm um padrão de qualidade alto, muitas vezes sendo críticos vorazes e rígidos. Para eles não existe meio termo: o que não está certo, está errado. Sendo um tipo instintivo, sua ação está voltada, sempre para a fazer, e cobrar, o que deve ser feito, custe o que custar. Precisam prestar atenção na sobrecarga que pode causar a crença de que “ninguém vai fazer tão bem feito como eu”, que pode causar um desgaste grande, e desnecessário, muitas vezes.

Tipo 2 (Orgulho) – O Doador. “Eu queria ser uma rainha no coração das pessoas” Diana, Princesa de Gales

Desde muito cedo o tipo dois desenvolve um radar de alta sensibilidade às necessidades dos outros: acreditando que precisam dar amor para ter direito a ele, temendo a rejeição e/ou exclusão. Este tipo empenha-se muito nos relacionamentos, sendo um tipo emocional, se orgulha por saber exatamente quais as necessidades dos outros, estando disponível o tempo todo para satisfaze-los. Os representantes do tipo dois muitas vezes afirmam mudar o rumo, no meio de uma frase, quando intuem que sua opinião não está sendo aceita.

Tipo 3 (Vaidade) – O Realizador. “Não estou voando, estou caindo com estilo” Buzz Lightyear

Decidido, destemido, adaptável, otimista, competitivo e cheio de energia. O tipo 3 busca o sucesso, e quase sempre o alcança. Capaz de fazer várias coisas ao mesmo tempo, dificilmente se envolve com apenas uma. Em geral vistos como generosos, gente boa, são muitas vezes homens e mulheres bonitos, atraentes, donos de um sorriso cativante e contagiante. Estão sempre prontos para “salvar o mundo”, desde que sejam reconhecidos e elogiados ao final. Sendo do centro emocional, se distanciam do coração na busca pelo sucesso: sua imagem é o que vale!

Tipo 4 (Inveja) – O Romântico. “Minha alma é um campo partido, arado pelo sofrimento” Sara Teasdale

Vamos falar de pessoas com anseios doces, pungentes e intensos. Estes representantes são românticos, com dons artísticos, criativos e muito empáticos. Costumam ser os Chef’s que criam pratos únicos, os poetas que escrevem sobre as dores do mundo, aqueles que com uma simples rosa transformam todo um cenário. A sensação de perda é internalizada pelo tipo quatro como a sensação de que pessoalmente lhe falta alguma coisa. Por mais sucesso que alcance, ele tende a não se achar digno e a sentir vergonha e raiva de si mesmo.

Tipo 5 (Avareza) – O Observador. “Menos é mais”

Para o tipo cinco os sentimentos são uma perturbação cuja única consequência é prejudicar seu autocontrole. Este perfil percebe o mundo como uma coisa que interfere nos seus pensamentos, fazendo com que ele se recolha, tanto física quanto emocionalmente. Sua fantasia é de pouca energia, portanto sua tendência é o isolamento, chamado por alguns de “encastelamento”. Podendo ser carinhosas e amorosas, dentro dos seus limites e quando alcançam um nível de confiança seguro. Zelam pela sua privacidade, onde conseguem “recarregar suas baterias”, utilizando esse tempo/espaço para ler, estudar e pesquisar temas de seu interesse.

Tipo 6 (Medo) – O Questionador. “Nenhuma paixão consegue tão bem roubar à mente todo o seu poder de atuação e raciocínio quanto o medo.” Edmund Burke

O tipo seis tem o dom de perceber o que poderia dar errado, ou ser arriscado. Ele é especialmente perito em detectar perigos implícitos ou ocultos, sendo muito bem vindo em profissões em que o hábito da atenção é útil, e suas faculdades mentais valorizadas. Trabalham bem em equipe, já que sua insegurança pode ser dividida com todos. Sendo cheio de energia, acumula horas extras, totalmente absorto no que está fazendo, sendo práticos, prestativos, responsáveis e conscientes de suas obrigações. Tendo muita intuição, precisa exercitar sua fé e confiança, para não ficar refém do pensamento “e se…”

Tipo 7 (Gula) – O Epicurista. “Fique no lado ensolarado da vida, sempre no lado ensolarado da vida. É o que nos ajudará todo dia, iluminará toa a via: ficar do lado ensolarado da vida.” Canção Popular de Ada Blenkham

A palavra chave para o tipo Sete é “racionalização”. Tende mostrar-lhe que seu comportamento pode tornar-se prejudicial e verá como ele inventa milhões de razões para convencê-lo de que não é bem assim. Com um dom especial para fazer qualquer coisa deslanchar, seus representantes são pessoas otimistas, criativas, cheias de ideias e hábeis na “lábia”, como capacidade de convencimento. Os representantes do tipo Sete adoram os trabalhos que lhes permitem muita autonomia e liberdade para por em prática sua autonomia e liberdade, além de seus próprios sonhos. Porém, assim que o trabalho ficar chato, monótono, ou desafiador, eles poderão ir correndo atrás de outra coisa, outra tarefa ou novos planos. Alegres, bons companheiros para todas as horas, precisam cuidar dos riscos, assim como de finalizar tarefas, projetos, atividades, com começo, meio e fim.

Tipo 8 (Luxúria) – O Chefe “Detesto os sujeitos que se deixam encurralar por orgulho, covardia ou preguiça e ficam lá, rosnando, de braços cruzados – por que é que eles não avançam como eu e latem?” Samuel Johnson

Os representantes deste tipo são os protetores do mundo, gente prestativa que, como os pioneiros, desbravava os caminhos par que os outros pudessem transitar em segurança, depois. Durões, combativos, desafiadores e cheios de energia, eles não deixam as coisas como estão: custe o que custar enfrentam, mudam, desafiam e cuidam. Para essas pessoas menos não basta: sua presença é vista, e sentida, sem dúvida nenhuma, em qualquer lugar. São pessoas magnânimas, donas de um coração enorme, sempre prontas a perdoar e a pedir perdão, desde que percebam que erraram, ou que feriram, mesmo que esta não era a intenção.

Como sua paixão é a intensidade, devem cuidar da busca do equilíbrio, da contenção da impulsividade, que pode ser interpretada como agressividade. Justo, persistente, sincero, direto e despretensioso, eles tem muito a ensinar sobre autoproteção e conquista de desafios.

Tipo 9 (Preguiça) – O Mediador “Era uma vez um tourinho que morava na Espanha. Seu nome era Ferdinand. Todos os tourinhos com que ele vivia corriam, saltavam, e davam cabeçadas uns nos outros, menos Ferdinand. Ele gostava de ficar sentado, bem quietinho, sentindo o perfume das flores.” Munro Leaf, Ferdinand the Bull

Para entrar no mundo do Tipo Nove, desacelere o ritmo imediatamente. Sente-se confortavelmente na cadeira, assim bem relaxado, e quando se levantar, ande devagar, deixando que a vida entre em você, em vez de persegui-la a todo custo. Esse é o jeito de ser, e viver destes representantes. Com uma visão global, cumprem o essencial quase que na última hora, se deixando levar por atividades secundárias: procrastinação. Com grande facilidade em se fundir com o outro, sentem muita dificuldade de olhar para si, encontrar seus desejos e prioridades. Quando se tem muitas opções, a tendência é deixar para que alguém decida, assim o risco do conflito fica distando, tornando o ambiente, e a vida, aparentemente segura. São pessoas agradáveis ao convívio, por estarem sempre disponíveis a o que a maioria decidir: “de boa”. Amantes da paz, são ótimos mediadores, gentis, tolerantes e calmos: sua raiva passa longe, até o dia em que (como uma panela de pressão) pode explodir, e assustar a todos!

Sarita Cesana

Psicóloga, estudiosa do Eneagrama, desde 1996.

Contato: (84) 98169-1884

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: A AUTO SABOTAGEM É A IRMÃ MAIS JOVEM DA ZONA DE CONFORTO

Uma REFLEXÃO muito para você fazer nesse período de quarentena: Você reconhece a auto sabotagem? Nesta edição da coluna AUTOCONHECIMENTO trago mais um excelente texto do site Eu Sem Fronteiras cujo foco é a auto sabotagem, irmã mais jovem da velha Zona de Conforto, filha primogênita do Ego, que costuma bagunçar a nossa vida. Leia com a tenção o texto completo a seguir e tire suas conclusões!

Auto sabotagem, você a reconhece?

Mulher preocupada com mãos na cabeça sentada

Já falamos um pouco sobre o SAR e como o nosso cérebro processa as informações as quais fornecemos, diariamente, na maioria das vezes, inconscientemente, fazendo com que ele siga comandos indevidos que nos fazem adoecer e questionar o porquê de determinados pensamentos, acontecimentos e/ou certas pessoas que atraímos para perto de nós… Sim! Somos responsáveis por direcionar nosso cérebro, visto que somos protagonistas deste processo, das nossas vidas.

Por esse motivo, precisamos falar de auto-sabotagem. O que é? Por que acontece? Como interromper esse padrão? Vamos lá…

O que é?

Auto-sabotagem é a tendência de encontrar obstáculos para o que deseja atingir, procrastinar diante do objetivo, não acreditar que é capaz de realizar determinada coisa e/ou que não é merecedor de conquistar aquilo que almeja, seja um bem material, seja um relacionamento. Em suma, é uma série de atitudes destrutivas que nos paralisam diante da vida e nos impedem de ter êxito em diversos âmbitos dela.

Garoto de costas com touca e fundo degradê cinza

Por que acontece?

Porque, quando nossos pensamentos estão em baixa vibração, contemplando posturas de relativização do potencial criativo, inferiorização, insegurança, etc, repetimos comportamentos negativos. Por tornar-se algo habitual, indicamos ao nosso cérebro que esse é o estado de normalidade, ou seja, o nosso sistema entende que o funcionamento ideal é esse. Ou seja, nós induzimos o nosso cérebro a estabelecer a negatividade como padrão. Toda vez que buscarmos algo diferente, haverá automaticamente um “alerta” de “perigo”, e, por consequência, uma mensagem de bloqueio será enviada ao nosso sistema, que então restabelecerá o tal padrão tido como coerente/normal/correto.

Mulher de lado encostada em parede com cabeça abaixada

Como interromper este padrão?

Reprogramando nossa mente. Mostrando ao nosso sistema qual o padrão ideal, controlando nossos pensamentos e os direcionando para que possamos atingir metas, estabelecendo objetivos claros e agindo em prol do alcance destes. Precisamos criar situações que nos ajudem nessa caminhada. É necessário ter estratégia, refletir e planejar, ser positivo e obstinado! O caminho pode não ser curto, fácil, com resultados rápidos, mas precisamos ter certeza do nosso propósito e do que queremos para as nossas vidas. Estabelecendo uma conexão com o que queremos atingir, mostraremos ao nosso cérebro como precisamos nos comportar, no que precisamos focar e quais pensamentos precisamos ter para que gastemos energia com o que nos agrega, a nosso favor, jamais contra nós mesmos.

Assumir e reconhecer a auto-sabotagem já é um passo importante. Trabalhar para que esse padrão seja quebrado é essencial, pois a liberdade virá e com ela virão a criatividade, a abundância e o sucesso, seja em qualquer âmbito de sua vida! Permita-se!

Malu Brandão Moura

Escrito por Malu Brandão Moura

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: COMO DESVENDAR O ESPAÇO OCULTO EM TODOS NÓS E TRAZER A LUZ À NOSSA CONSCIÊNCIA

Luz e Sombras-Lidando com nossas emoções no mundo da dualidade

Jovem, cobrindo o rosto com as mãos

Já percebeu que existe um espaço interno praticamente desconhecido e inexplorado em você?

Cada ser humano tem um esconderijo dentro de si, que é desconhecido e onde a Luz da compreensão ainda não penetrou, por isso as sombras fazem a sua morada nesse lugar obscuro.

Existem formas de perceber os sinais que denotam a existência desse espaço inexplorado, com o objetivo de torná-lo conhecido.

Você já percebeu algum aspecto interno em você ou em outra pessoa que lhe traz perturbação e lhe incomoda?

Nesta reflexão vamos nos ater a estes aspectos com a finalidade de desvendar o espaço oculto em cada um de nós.

Primeiramente, é necessário levar em conta que habitamos um mundo dual, onde os opostos interagem ou se confrontam, por isso oscilamos entre luz e sombras.

As sombras que habitam em cada um de nós se refletem no mundo externo, por isso é que, ao prestar atenção à sua realidade, você pode perceber aspectos internos ocultos que se projetam no seu exterior.

Silhueta de homem em janela com cortinas e janela iluminada

Estes aspectos obscuros que existem em cada ser humano muitas vezes carregam conteúdos densos e desagradáveis, por isso é mais fácil negá-los e resistir a eles.

Ao evitar reconhecer as suas sombras, que em maior proporção atuam de forma inconsciente, e trazê-las à tona, as mesmas acabam se revelando de forma instintiva nos relacionamentos e nas situações externas, independentemente da sua vontade.

“Enquanto não nos tornarmos conscientes, o inconsciente regerá nossa vida”, já dizia o grande psicanalista Carl Jung.

Para perceber o inconsciente regendo sua vida, auto-observe-se e se dará conta de projeções, principalmente do que não está bem-resolvido em você e que, por isso, acaba se espelhando no outro.

Homem de costas com mão na cabeça e sol refletindo ao fundo

Nesse contexto, seu incômodo se denunciará de forma inconsciente, por meio de seus julgamentos e críticas à pessoa que está sendo seu espelho.

Infelizmente, por ser uma reação inconsciente, quanto mais julgamento, reclamação e crítica, mais fortes ficam as sombras que acabam gerando resistências, limitações e influenciando negativamente suas escolhas, decisões e circunstâncias, delineando, desta forma, a sua realidade.

Segue um exemplo prático disso:

Se uma pessoa antipatiza com outra porque a acha vaidosa, orgulhosa e arrogante e isso a incomoda, pode revelar aspectos internos dela projetados no próximo.

Quando se coloca a Luz da auto-observação nas sombras, as mesmas se dissipam.

No mundo dual, a Luz traz leveza, compreensão, consciência, visão e lucidez, já as sombras podem guardar medos, ressentimentos, emoções reprimidas, tristezas e amarguras soterradas, gerando insegurança, confusão, perturbação, padrões negativos, neuroses e até doenças.

Mulher de perfil com olhos fechados e mão no pescoço

A Vida é um processo de experimentação, criação e expansão, então é uma oportunidade de autorrevelação contínua.

Cada experiência, sincronicidade e ciclo trazem possibilidades de autoconhecimento e aprimoramento.

Enxergar e assumir nossas sombras com a Luz da percepção e da compreensão contribui para a dissolução delas.

Quanto mais reprimimos, disfarçamos e rejeitamos as sombras, mais elas se fortalecem e acabam aparecendo por meio de reações instintivas. É quando, por exemplo, ocorre um surto de raiva.

A raiva revela emoções e energia reprimida por causa de sentimentos que foram mal processados, por isso, quando sentir raiva, olhe para essa sensação e dê lhe vazão de forma construtiva, por exemplo:

Ao sentir raiva de alguém, olhe para o que te levou a sentir essa emoção e procure enxergar dentro de si o que a desencadeou, sem julgamento e vitimismo, mas meditando na causa dela e conversando. Desta forma será possível chegar à forma como você interpreta e cria a sua realidade, dá significados às experiências e aos seus mecanismo de defesa.

Uma forma construtiva de lidar com a raiva SEM deixar que fique reprimida no inconsciente é sublimá-la convertendo-a em força e impulso para ações e atividades positivas, tais como:

Mulher em posição de Yoga com cidade ao fundo

Fazendo atividades físicas ou esportes

Desenvolvendo ações filantrópicas ou empreendimentos culturais

Praticando meditação ou yoga

Realizando atividades artísticas, como cantar, dançar, pintar escrever, entre outras

Se puder, até grite!

Em suma, para lidar melhor com nossas sombras e viver com mais leveza e equilíbrio é necessário enxergá-las, aceitá-las e compreendê-las, criando espaço para a Luz entrar, trazendo maior lucidez e desenvolvimento da consciência.

Deise Aur
Escrito por Deise Aur
Continuar lendo

FÍSICA QUÂNTICA: É TUDO UMA QUESTÃO DE FREQUÊNCIA VIBRACIONAL

Vibrar em baixa frequência é tudo que o coronavírus quer que a humanidade faça. Independentemente disso quem conhece um pouco de física quântica sabe que quanto mais alto for a nossa vibração mais estaremos perto de um estado de espírito que nos liberta da matéria e das dores mundanas. Dentro desse raciocínio quem vibra numa frequência mais baixa mais vulnerável está ao coronavírus. Um estudo muito sério e fundamentado nos mostra exatamente essa relação. Leia o curioso texto a seguir e entenda como podemos nos proteger e exterminar esse vírus apenas com o poder da nossa mente. 

A FREQUÊNCIA VIBRACIONAL PODE NOS LIVRAR DO CORONAVÍRUS

Como qualquer outro vírus, (COVID-19) possui vibração baixa com uma estrutura de circuito eletromagnético fechado, com uma frequência de ressonância de cerca de 5,5 Hz 14,5 Hz.
Nas faixas mais altas, não é ativo e, a partir dos intervalos de 25,5 Hz e acima, o vírus morre ….
Para uma pessoa que vive em altas vibrações, isto é, na Alma, não é mais perigosa do que infecções respiratórias agudas, porque o corpo de um homem saudável “vibra” nas faixas mais altas.
Apenas ocasionalmente, por várias razões, desce em vibrações mais baixas.
As razões para isso podem ser vários distúrbios no equilibrio energético … (fadiga, exaustão emocional, hipotermia, doenças crônicas, tensão nervosa etc.) ….
O vírus na natureza, ou seja, fora do corpo, não é resistente …
A ressonância de frequência média total da Terra é agora de 27,4 Hz e, portanto, seria destrutiva para o vírus, mas há lugares em que essa frequência é reduzida, ou seja, zonas geopáticas criadas naturalmente ou artificialmente … (hospitais, prisões, Linhas de energia, veículos elétricos subterrâneos e públicos, shopping centers, escritórios, estabelecimentos de bebidas, etc.) onde as vibrações caem para níveis abaixo de 20 Hz …
PARA  OS – IN HUMANOS COM VIBRAÇÕES BAIXAS, ESTE VÍRUS É PERIGOSO
• a dor produz vibração – de 0,1 a 2 Hz;
* MEDO – de 0,2 a 2,2 Hz; !!!
• ressentimento – de 0,6 a 3,3 Hz;
• irritação – de 0,9 a 3,8 Hz;
• ruído – de 0,6 a 1,9 Hz;
• temperamento quente – 0,9 Hz;
• flash de fúria – 0,5 Hz;
• raiva – 1,4 Hz;
• orgulho – 0,8 Hz;
• orgulho (megalomania) – 3,1 Hz;
• abandono – 1,5 Hz;
• superioridade – 1,9 Hz;
MAS:
• generosidade – 95 Hz;
• obrigado (obrigado) – 45 Hz;
• sinceros agradecimentos – a partir de 140 Hz;
• um senso de unidade com outras pessoas – 144 Hz e além;
• compaixão – a partir de 150 Hz ou mais (mas a pena é de apenas 3 Hz);
• amor (como diz o ditado), isto é, quando uma pessoa entende que o amor é um sentimento bom, brilhante e com grande força, mas ainda não aprendeu a amar com o coração) vibração – 50 Hz;
• o amor que uma pessoa gera com o coração por todas as pessoas, sem exceção e todos os seres vivos – a partir de 150 Hz;
• amor incondicional, sacrificial e universal – a partir de 205 Hz.
Por milênios, a frequência do nosso planeta tem sido de 7,6 Hz. Os físicos chamam de ressonância Schumann e é devida à batida gerada por um raio na cavidade entre a Terra e a ionosfera, que atua como um guia de ondas e ressoador
Um homem se sentia confortável nessas condições, uma vez que a frequência de vibração de seu campo de energia tinha os mesmos parâmetros – 7,6 – 7,8 Hz.
No entanto, a frequência de Schumann começou recentemente a crescer rapidamente.
 Seguimos a dinâmica: janeiro de 1995 – 7,80 Hz, janeiro de 2000 – 9,30 Hz, janeiro de 2007 – 9,80 Hz, janeiro de 2012 – 11,10 Hz, janeiro de 2013 – 13,74 Hz, janeiro de 2014 – 14,86 Hz fevereiro de 2014 – 14,99 Hz; Março de 2014 – 15,07 Hz; Abril de 2014 – 15,15 Hz.
Mesmo se considerarmos a situação do ponto de vista científico, fica claro que uma pessoa que não aumenta suas vibrações logo deixará o plano terreno de uma maneira ou de outra, e nem as posições altas nem o capital acumulado o ajudará …
Portanto, não devemos ter medo!
Podemos aumentar as vibrações trabalhando consigo mesmo e estimulando o comportamento consciente.

P. S. Qualquer emoção negativa fecha o acesso à consciência limpa.

Fonte: De Coração a Coração

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: AS ESCOLHAS QUE TEMOS, AS MUDANÇAS QUE QUEREMOS, POR MONJA COEN

A extraordinária Monja Coen é o destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira numa mini-palestra sobre a mudança mágica que somos capazes de nos proporcionar. Ela afirma que existem poucas opções ao nosso alcance para tecer nossa vida e nossa ação no mundo; todo o resto parece tomado por fatos determinantes que não conseguimos alterar. No entanto, algumas decisões-chave têm um potencial mágico muito além do que a mente racional pode calcular. Assista essa fabulosa mini-palestra e expanda sua mente!

Fonte:

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: O SEU MAIOR RECURSO É O SEU SER INTERIOR, O SEU EU CÓSMICO

AUTOCONHECIMENTO: O SEU MAIOR RECURSO É O SEU SER INTERIOR, O SEU EU CÓSMICO
Woman meditating

Nesta quinta-feira o destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO é o seu Ser Interior ou o seu Eu Cósmico como o seu maior recurso, pois não é algo que você tem é o que você é, sua consciência completa e que possui toda a sabedoria, compreensão e força que você precisará para alcançar a vida plena. Leia esse fantástico texto e expanda sua consciência!

Seu Ser Interior como seu maior recurso

Mensagem de Março de 2020

Seu ser interior – sua alma ou eu superior – não é algo que você tem. É o que você é.

Sua consciência completa é seu ser interior. Todas as chamadas partes da sua mente – as partes consciente, subconsciente e superconsciente – são todas facetas da sua única consciência completa, do seu ser interior.

Sua mente consciente é o resultado de seu ser interior, concentrando a atenção no mundo exterior através do cérebro e dos sentidos físicos. Quando, em vez disso, você volta sua atenção do mundo exterior para o mundo interior, acessa os recursos do seu ser interior.

Seu ser interior possui toda a sabedoria, compreensão e força que você precisará. É o seu recurso pessoal final. Seu ser interior também é seu elo com o universo e com a consciência por trás de toda a vida, Ser Infinito.

Se você pensa que está vivendo sua vida como um artista no palco, seu ser interior é como o técnico dos bastidores que garante que seu desempenho tenha todo o apoio necessário para que tudo aconteça na hora certa.

A quantidade de conhecimento e sabedoria disponível dentro de você é ilimitada. Para acessá-la, você só precisa colocar a intenção de entrar e encontrá-la.

Seu subconsciente administra todos os seus sistemas biológicos sem esforço consciente de sua parte. De fato, se você pensar bem, a mente subconsciente de uma formiga sabe mais sobre bioquímica do que os principais cientistas de hoje.

Seu ser interior sabe ainda mais; de fato, tudo sobre qualquer coisa que você queira saber. O truque é fazer a pergunta e depois silenciar sua mente consciente o suficiente para ouvir a resposta.

Quando você se conscientiza da verdadeira natureza do seu ser interior e de seus recursos de sabedoria, compreensão e força, começa a dissolver muitas das limitações anteriores ao seu crescimento.

A chave para expressar seu potencial humano é saber que todo potencial está dentro de você e você só precisa abrir um canal externo para começar a permitir que esse potencial ilimitado flua para o mundo.

O poder está dentro. Para se tornar empoderado, você não precisa se tornar algo novo. Você só precisa perceber que já possui esse poder interior e permitir que esse potencial interior infinito flua para sua vida.

Para desenvolver seu senso de contato consciente com o seu ser interior, veja como uma maneira de você ter uma parceria no projeto da Vida. Esteja disposto a pesquisar seu ser interior para obter feedback sobre as decisões diárias. Ele tem uma visão mais ampla das energias da vida do que a sua mente física; portanto, essa é uma parceria que produz enormes benefícios para experiências felizes, seguras e produtivas.

Compartilhe com um amigo…

Fonte: https://www.spiritualdynamics.net/ — Camilla Paciello e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Continuar lendo

AUTOCONHECIMENTO: A RESPOSTA A UMA PERGUNTA QUE TODO MUNDO FAZ

O texto escolhido para publicar nesta quarta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO responde uma pergunta que todo mundo faz pelo menos uma vez na vida: O porquê as Coisas Acontecem? Um texto que você não pode deixar de ler, principalmente em tempos de coronavírus!

Resultado de imagem para O porquê as Coisas Acontecem

O porquê as Coisas Acontecem

Mensagem canalizada em Marco de 2020 – O Criador

“Quando você descobre o motivo pelo qual algo ocorreu, pode ser um pouco de alívio para você. Isso pode aliviar um pouco a pressão e permitir uma nova perspectiva que permitirá alterar a maneira como você vê o evento. É por isso que muitos de vocês querem informações. Você quer saber do que se tratava. Você quer entender por que as coisas acontecem, especialmente quando estão acontecendo em sua vida.

Bem, a resposta simples para essa pergunta seria sempre: ‘Porque você a criou, porque pensou que era a melhor experiência que você poderia ter se dado naquele momento.’ E, no entanto, essa resposta pode ser um pouco insatisfatória, preocupante para alguns de vocês. e até fazer com que você se sinta confuso e com raiva. Porque por que você criaria para si uma situação que não era ideal? Por que você se colocaria em alguma coisa?

Bem, o que você está sempre buscando no nível da alma, o Eu superior, a Fonte, é ter a experiência de si mesmo como aquilo que é Amor, aquilo que é conhecimento, aquilo que é poderoso, porque é isso que você é. . Então, quando as coisas acontecem no plano físico que desafiam todas essas verdades sobre quem você é, não parece fazer sentido. Mas, na verdade, é perfeito do jeito que você a experimentou, porque está se dando a oportunidade de se conhecer como aquele ser incondicionalmente amoroso que é onisciente e onipotente diante das evidências em contrário.

Quando você é capaz de manter essa perspectiva, embora tudo ao seu redor pareça indicar que você é menos do que realmente é, então você terá entendido e se beneficiado com a criação. Veja, quando você está em uma situação, pode ficar tão envolvido com a vibração dela que fica momentaneamente cego aos fatos sobre sua natureza e quando não está no meio da situação e está com a cabeça no nível Do ponto de vista, você pode ver facilmente por que criaria algo desagradável, doloroso e até com risco de vida.

E é isso que você precisa manter em sua consciência naqueles momentos em que tudo ao seu redor parece desmoronar ao seu redor, porque tudo o que estava sendo mantido por você antes do colapso era apenas uma ilusão. Não estava lá para refletir para você que bom pequeno criador você é. Estava lá simplesmente como um suporte para a história muito maior desse conhecimento pleno de si como Fonte.

Portanto, é por isso que é tão necessário, tão importante que você abandone todo e qualquer apego, porque esses apegos impedem que você saiba a verdade de quem você é. Porque eles são apenas os símbolos, mas não são a coisa real, porque a coisa real é um estado de ser. E é isso que você está sempre buscando – você está sempre buscando um estado de ser. E nenhuma circunstância, nenhuma quantidade de paredes em ruínas ao redor tem o poder de impedir você desse estado de ser.

É hora de deixar de lado a ilusão, a vida fingida pela qual muitos de vocês ficaram tão fascinados e simplesmente manter esse conhecimento de sua Divindade no seu centro, no seu âmago, e emanar isso para que todos e tudo ao seu redor pode vê-lo, senti-lo e ser servido por ele. Então será muito fácil entender como e por que algo ocorreu em sua vida, porque sempre será o resultado dessa frequência e você sempre saberá que foi o responsável por ela.”

Fonte:https://danielscranton.com/ — Rafael Gama e Marco Iorio Júnior — Tradutor e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Continuar lendo

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho