DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: ENERGIA KUNDALINI, SAIBA COMO DESPERTÁ-LA

Nesta quinta-feira, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL você vai conhecer a energia Kundalini, que todas as pessoas guardam na base da coluna, região conhecida como cóccix, mas que permanece adormecida em nossos corpos, até que uma alma de nível superior a desperte. Então é necessário desenvolver a própria alma, conectando-se com a própria essência e se abrindo para a espiritualidade. Convido você a ler o artigo completo a seguir e entender como isso pode ocorrer!

Kundalini — O que é e como despertar sua energia

Silhueta de uma pessoa meditando em posição de lotus com a representação dos seus 7 chakras
Nikki Zalewski / 123RF

Conforme acumulamos mais conhecimentos sobre a nossa espiritualidade, compreendemos que todos os corpos apresentam centros de energia. De acordo com o hinduísmo, por exemplo, esses centros de energia são chamados de chakras, mas há outras maneiras de interpretá-los.

O fato é que todos os corpos carregam energia e, quanto mais equilibrada ela estiver, melhor uma pessoa se sentirá. Do contrário, ela pode vibrar energias negativas em excesso, o que acarreta problemas na saúde física e na saúde emocional. Sendo assim, é muito importante atentar-se para essa parte de quem somos.

Além disso, também devemos considerar que existem outros planos espirituais que não conseguimos enxergar. Se direcionarmos as nossas energias da maneira correta, poderemos acessá-los e, com isso, experienciar um despertar da própria consciência.

Um dos meios de alcançar esse plano espiritual mais profundo e revelador é a partir da Kundalini. A seguir, você vai entender como esse conceito se relaciona com a energia presente nos nossos corpos e com a capacidade de acessar um conhecimento superior. Confira!

O que é Kundalini?

Kundalini é uma energia que todas as pessoas guardam na base da coluna, região conhecida como cóccix. No entanto, essa energia permanece adormecida em nossos corpos, até que uma alma de nível superior a desperte. Por esse motivo, a palavra “Kundalini” significa, em sânscrito, “enrolada como uma cobra”.

Uma vez que a Kundalini for ativada, ela terá o poder de atravessar os seis chakras que estão acima do centro de energia onde ela reside (o sacro). Isso significa que ela percorrerá os chakras Svadhisthana, Manipura, Anahata, Vishuddha, Ajna e Sahasrara.

Nessa trajetória, a energia Kundalini equilibra os centros energéticos de um corpo, além de se conectar com o poder primordial divino, chamado de Param Chaitanya. Dessa forma, será possível descobrir a existência de Deus no próprio inconsciente, obtendo disciplina e maturidade além da iluminação espiritual.

Como despertar a Kundalini?

Depois de conhecer os benefícios de despertar a Kundalini, como o equilíbrio dos chakras e a iluminação espiritual, é compreensível que uma pessoa queira realizar essa técnica sozinha. Mas será que isso é possível?

Como foi dito anteriormente, somente uma alma evoluída é capaz de despertar a Kundalini. Então o primeiro ponto necessário para que isso ocorra é desenvolver a própria alma, conectando-se com a própria essência e se abrindo para a espiritualidade.

Um pessoa sentada no chão de uma praça meditando em frente ao Sol.

Prasanth Inturi / Pexels

Para que isso ocorra da melhor forma possível, e para que a energia Kundalini seja ativada, basta realizar a prática chamada de Kundalini Yoga. Também conhecida como Yoga de Consciência, ela é considerada uma ciência milenar para a expansão da consciência, o que estimula a subida da energia Kundalini para os chakras que estão acima dela.

Ou seja, se você quer ativar essa energia poderosa e diferente que já está dentro de você, procure um profissional que ofereça a Kundalini Yoga e desperte a sua capacidade de se conectar com o universo, favorecendo a evolução da sua alma!

Os benefícios da Energia da Kundalini

Caso você ainda esteja em dúvida se deve mesmo se dedicar a despertar a sua energia Kundalini, conheça alguns dos benefícios que ela oferece para a sua mente e para o seu corpo!

1) Restauração da harmonia do corpo

Ao ativar a energia Kundalini, é possível promover a harmonia entre os sistemas nervoso e glandular. Dessa forma, os chakras serão alinhados com mais facilidade, trazendo uma sensação de bem-estar.

2) Fortalecimento da musculatura

O fortalecimento da musculatura é outro benefício proporcionado pela liberação da Kundalini. Isso porque, além dos exercícios sugeridos pela prática, é recomendada uma transformação dos hábitos alimentares, favorecendo a saúde física.

3) Aumento da vitalidade física e psíquica

O aumento da vitalidade física e psíquica é uma consequência do fluxo de energia Kundalini pelo corpo. Com ela, uma pessoa tem mais consciência sobre o próprio corpo e sobre a própria mente, tendo a capacidade de se conectar com a própria essência.

4) Relaxamento do corpo e da mente

O relaxamento do corpo e da mente é possível por meio da energia Kundalini porque ela nos leva a um estado de meditação profundo. Assim conseguimos nos desligar das preocupações e dos problemas, dando espaço somente para a iluminação.

5) Sensação de êxtase

A sensação de êxtase proveniente do despertar da energia Kundalini é um dos melhores benefícios desse processo. O indivíduo que o realiza entra em um estado de expansão da própria consciência e consegue perceber a sutileza de cada parte do universo.

A partir de tudo o que foi apresentado sobre a Kundalini, compreendemos que essa forma de energia que existe em todos nós, quando ativada, pode nos transformar. Aproveite o seu dia para buscar um local que realize a Kundalini Yoga e se sinta melhor com os benefícios incríveis dessa prática!

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: ENERGIA KUNDALINI, SAIBA COMO DESPERTÁ-LA

DICA DE LIVRO: O CÓDIGO DE DEUS, DE GREGG BRADEN

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira vai para “O Código de Deus, o segredo do nosso passado, a promessa do nosso futuro”, de Gregg Braden, autor do best-seller “O Efeito Isaias”, que já indiquei aqui na coluna. Uma mensagem codificada foi descoberta nas moléculas da vida, no interior do DNA em cada célula do nosso corpo. Graças a um achado notável que liga o alfabeto bíblico ao nosso código genético, a “linguagem da vida” agora pode ser lida como as letras antigas de uma mensagem eterna. Neste trabalho fascinante, Gregg Braden compartilha a descoberta que mudou sua vida e que o levou a se dedicar durante doze anos a um estudo profundo sobre as mais sagradas e respeitadas tradições da humanidade. A extensa pesquisa global do autor e suas descobertas controversas possibilitarão ao leitor decifrar a mensagem codificada nas nossas células desde o dia da nossa origem e aprender como a mensagem no nosso DNA pode se tornar uma base para a resolução de conflitos. Um livro que você precisa ler para entender o sentido da vida!

Fonte: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O CÓDIGO DE DEUS, DE GREGG BRADEN

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SAGRADO FEMININO AINDA PODE SER RESGATADO

Hoje temos, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL um texto especialíssimo que aborda um tema muito em evidência “O Sagrado Feminino”. O Sagrado Feminino é um movimento muito antigo que busca resgatar o lado Sagrado que existe dentro de cada mulher. Lendo o texto a seguir você saber o que é o Sagrado Feminino, como ele foi perdido ao longo da história da humanidade e como ele pode ser resgatado. 

O QUE É O SAGRADO FEMININO? RESGATE O SEU PODER INTERIOR


Por WeMystic Brasil
TimeTempo de leitura: 5 min

 

mulher contemporânea viu a sua essência ser apagada pelas diversas imposições da nossa sociedade e do mundo moderno: a mulher que tem que ser boa mãe, boa esposa, uma excelente profissional, boa dona de casa, com aparência física em dia, boa amiga, enfim, as pressões para que as mulheres sejam boas em tudo apagou o que elas têm de mais precioso: a sua porção sagrada. Existe um poema muito bonito de autor desconhecido que diz, veja um trecho:

“Houve um tempo, em que todas as mulheres eram sagradas.

Em que eram vistas como Deusas, como senhoras de seu próprio destino.

Houve um tempo, em que o corpo era sagrado, em que o sexo era uma prece.

Em que homens e mulheres respeitavam-se e reverenciavam-se.”

A mulher foi, com o passar dos tempos, sendo diminuída em importância pela sociedade patriarcal, considerada menos inteligente, menos apta, como mera complementação do homem e deixou a sua essência ser apagada. A sua divindade ainda existe, dentro de cada uma delas, o seu poder e a sua energia feminina estão presos dentro da Mulher Interior, e o objetivo do Sagrado Feminino é despertá-los.

 

OS CAMINHOS DO SAGRADO FEMININO

Falar do Sagrado Feminino é trocar conhecimento sobre a sabedoria interna da energia feminina, é abrir os caminhos da intuição nata de cada mulher, despertar a sua essência, o poder da sua feminilidade, o poder de uma força geradora de vida e da sexualidade sagrada.

Essa consciência do poder e valor da mulher é muito antiga, é ancestral, e ao conhecê-la podemos nos reconectar às nossas ancestrais e reconectar à nossa natureza, com todos os seus ciclos. Na busca pelo Sagrado Feminino, as mulheres envolvem-se em uma consciência amorosa para retomar os seus valores no âmbito pessoal, social, cultural, psicológico e religioso, para encontrar dentro de si a plenitude, a sua verdade e sua essência. Ao se conectar consigo mesmo, a mulher passa a se valorizar e honrar o dom sagrado de ser mulher, de ser mãe, esposa, avó ou filha. É uma caminhada de autovalorização e de autoconhecimento que toda mulher deveria fazer para conhecer a força feminina que reside dentro de cada uma delas.

OS MÉTODOS DO SAGRADO FEMININO

Existem, nas reuniões de mulheres que evocam o Sagrado Feminino, diversos métodos específicos de ordem mental, espiritual, física e psíquica para que as mulheres consigam despertar de forma verdadeira a sua essência e encontrar a sua sacralidade. É uma busca lenta e longa pela sua feminilidade para alcançar esta consciência. As metas a nível pessoal e corporal são voltadas ao reequilíbrio do ciclo, purificando e reconectando a mulher ao poder intrauterino que só elas possuem, onde reside a a transformação da sua energia vital em poder mental e consciente. O reequilíbrio busca integrar o poder da alma com a consciência exterior. As práticas buscar realinhar, harmonizar e rejuvenescer a nossa saúde física, sexual, emocional e mental através da reconexão com a Terra, com o Cosmos, com outras mulheres e consiga mesma. As metas específicas podem ser listadas da seguinte maneira:

  • A RECONEXÃO DA MULHER À TERRA

    É o conhecimento da sua origem, dos outros planos dimensionais a que ela faz parte para que ela possa ser a sua própria porta voz, que consiga encontrar os seus propósitos, entender a sua relação com a Terra e com os outros seres e se renovar como mulher.

  • HARMONIZAR E ATIVAR A SUA VIBRAÇÃO

    Todo ser humano possui uma vibração própria, mas todos os dias as mulheres vêm a sua vibração sendo apagada e podada, e por isso muitas vezes a ignoram ou mesmo a anulam. A prática ajuda a desbloquear a energia criadora, geradora e ancoradora, abre a consciência da mulher e a reconecta com aquilo que é importante para ela e para sua missão. Expande sua consciência para seus propósitos e missões para inaugurar um ciclo de evolução.

  • INTEGRAR A ‘FEMINILIDADE SAGRADA’

    Por fim, encontrar e reconhecer a porção sagrada que existe dentro de cada uma. Ancorar a sua nova consciência interior e saber utilizá-la para a evolução, para distribuir luz e despertar a luz dentro de cada mulher que possui a sua consciência apagada ou anulada.

Este despertar do Sagrado Feminino tem sido redescoberto e está se multiplicado em trabalhos desenvolvidos por mulheres empenhadas em divulgar essa sabedoria ancestral com outras. Isso é feito através de círculos de mulheres, terapias individuais, retiros e workshops (formações específicas) onde o trabalho das Deusas femininas são despertados dentro da estrutura psíquica de cada mulher, para a maior compreensão da sua alma, do seu corpo e da sua missão. Procure um grupo de estudo do Sagrado Feminino mais próximo de você e desperte o que há de sagrado na sua mulher interior.

WeMystic Brasil

Fonte: We Mystic

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SAGRADO FEMININO AINDA PODE SER RESGATADO

DICA DE LIVRO: O EFEITO ISAIAS DE GREGG BRADEN

Quarta-feira é dia de DICA DE LIVRO e a de hoje é O Efeito Isaias de Gregg Braden. Esta obra trata dos Manuscritos de Isaías, provavelmente o mais importante dos Manuscritos do Mar Morto, descobertos em 1946. Nela o autor combina pesquisas no campo da física quântica com as palavras do profeta Isaías e dos antigos essênios, demonstrando que as profecias que se referem a uma catástrofe global e a sofrimentos podem representar apenas possibilidades futuras, e não previsão de um fim iminente, e afirma que temos o poder de alterar essas possibilidades. Então não perca tempo! Adquira logo este livro maravilhoso e comece a leitura!

Fonte: Acervo próprio

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O EFEITO ISAIAS DE GREGG BRADEN

AUTOCONHECIMENTO: COMO O EGO USA O CAMINHO ESPIRITUAL PARA SUAS PRÓPRIAS PRIORIDADES

WeMystic BrasilWeMystic
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: COMO O EGO USA O CAMINHO ESPIRITUAL PARA SUAS PRÓPRIAS PRIORIDADES

AUTOCONHECIMENTO: O QUESTIONAMENTO MAIS IMPORTANTE DA VIDA DO SER HUMANO NÃO PODE PASSAR ILESO!

Uma mensagem curta, mas direta, eficaz e convincente é o nosso destaque deste sábado, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. O texto a seguir nos remete a uma REFLEXÃO muito importante: Qual o nosso propósito nesta encarnação, independentemente de acreditarmos em reencarnação ou não! Quer acreditemos ou não nos ciclos cármicos, isso pouco importa. O que importa é que estamos abrindo novos caminhos sem saber para onde, exatamente, estamos nos movendo! Então, para onde estamos indo? Leia o texto a seguir, reflita e faça seu juízo de valor!

 

Há escolhas a fazer e direções a escolher

Mensagem de 17 de Fevereiro de 2021

Muitos podem se perguntar em um momento ou outro por que eles encarnaram aqui neste momento específico. Qual é o propósito? O que estamos aqui para fazer? Mais do que nunca, essas questões estão surgindo, pois não estamos mais presos aos ciclos cármicos do passado. Isso pode ser um pouco perturbador, pois significa que estamos abrindo novos caminhos e nos movendo em direções nas quais não nos movíamos antes. Aprofundar nossa conexão com nossa alma nos capacita a reexaminar a vida que estamos vivendo e a nova vida que está emergindo lentamente.

Há escolhas a fazer e direções a escolher. Ter clareza com sua alma sobre o que é mais importante e mais relevante é a chave para tomar essas decisões. Lembre-se de que você está aqui para agir e concluir certas tarefas que são únicas e essenciais para o crescimento e a cura de você mesmo e do coletivo. Não deixe que a incerteza o impeça de fazer uma escolha. Aprenda a viver a vida por meio de seu eu intuitivo e tenha em mente que você sempre pode escolher novamente.

Muito Amor,

Kate Spreckley © 2020 — Fonte: https://www.spiritpathways.co.za/
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O QUESTIONAMENTO MAIS IMPORTANTE DA VIDA DO SER HUMANO NÃO PODE PASSAR ILESO!

AUTOCONHEIMENTO: SAIBA TUDO SOBRE “A CURA PELA FÉ” NUMA ENTREVISTA COM O DR. JEFF LEVIN

A postagem desta quinta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO é uma oportunidade única de você conhecer qual a relação entre as práticas religiosas ou espirituais e a saúde. Numa entrevista com uma das maiores autoridades em estudos definidos como epidemiologia da religião, cujo objetivo principal é saber como atores espirituais previnem a incidência de enfermidades em determinadas regiões e a mortalidade, e promovem a saúde e o bem-estar – estabelecendo o relacionamento existente entre ciência, medicina e espiritualidade. Ele esclarece para você todas essas dúvidas existentes na sua cabeça.

Nenhuma descrição de foto disponível.

A CURA PELA FÉ

Hoje em dia, Jeff Levin é considerado um dos principais nomes nos estudos científicos a respeito da relação entre as práticas religiosas ou espirituais e a saúde.

Por Gilberto Schoereder

Várias pesquisas vêm sendo realizadas nos últimos anos envolvendo o que alguns chamam de “o poder da oração”. Uma das grandes autoridades mundiais nesse campo é o dr. Jeff Levin, um epidemiologista social formado em religião, sociologia, saúde pública, medicina preventiva e gerontologia na Universidade Duke, na Universidade da Carolina do Norte, na Divisão Médica da Universidade do Texas e na Universidade de Michigan.

Ele é pesquisador do National Institute for Healthcare Research e seus estudos podem ser definidos como epidemiologia da religião – o estudo científico de como fatores espirituais previnem a incidência de enfermidades em determinadas regiões e a mortalidade, e promovem a saúde e o bem-estar – estabelecendo o relacionamento existente entre ciência, medicina e espiritualidade.

Seu trabalho estabelece pontes entre diferentes campos de atividade, como epidemiologia, gerontologia, sociologia, psicologia e medicina alternativa e complementar.

As perguntas básicas que seus estudos apresentam são: Como a fé religiosa atua como um recurso na prevenção de doenças e na promoção do bem-estar?; Um relacionamento de amor com Deus é uma característica das pessoas saudáveis?; A religiosidade é um fator de proteção contra doenças ao longo do processo de envelhecimento?; Existem efeitos terapêuticos ou preventivos de energias sutis ou estados alterados de consciência?

O resultado de suas pesquisas foi publicado no livro Deus, Fé e Saúde (Editora Cultrix). Entrevistamos o dr. Levin por e-mail para que ele nos falasse mais sobre seu trabalho e as mais recentes descobertas nessa área, assim como sua relação com teorias e posturas mais conservadoras da medicina, que ainda resistem em aceitar as evidências científicas coletadas nos últimos vinte anos.

A relação entre a oração ou as preces e a saúde se tornou um dos assuntos mais comentados da atualidade. Essa relação positiva entre ambas está definitivamente comprovada ou ainda estamos no campo das evidências? Em que ponto se encontram as pesquisas científicas?

O campo da pesquisa em espiritualidade e saúde compreende, na verdade, três áreas de estudo diferentes. Uma delas, aquela em que minha pesquisa se focou nos últimos vinte anos, envolve investigações epidemiológicas de como a fé ou o envolvimento religioso influencia a saúde física e mental. Já foram feitos mais de mil estudos com esse enfoque e, hoje, a ideia de que aspectos da vida religiosa podem ser benéficos para a saúde ou o bem-estar de algumas pessoas é aceita de forma geral e não controversa.

As duas outras áreas de pesquisa em espiritualidade e saúde envolvem: 1) estudos experimentais de laboratório, como em psicofisiologia, explorando os correspondentes espirituais de estados alterados de consciência; 2) testes clínicos investigando os efeitos da oração à distância. Em contraste com a pesquisa epidemiológica, esses estudos encontram muito mais resistência. Pessoalmente, acredito que existem boas evidências para ambas, mas os temas e conceitos levantados por esses estudos desafiam a estreiteza da visão de mundo de muitos cientistas das correntes estabelecidas.

Tem se falado na influência de fatores espirituais ou religiosos no processo de cura. Foi realizada alguma tentativa no sentido de determinar se se trata, de fato, de fatores espirituais, ou pode se tratar da ação da mente, como ocorre em tantos dos chamados “fenômenos parapsicológicos”? Em outras palavras, a crença de uma ou mais pessoas daria início a um processo ou uma ação mental. O que o senhor pensa a esse respeito?

Eu não estou certo de que usando os métodos naturalistas da ciência empírica poderemos algum dia desemaranhar esses dois conceitos. Aqui, nos Estados Unidos, médicos religiosamente muito conservadores opuseram muita resistência a essa pesquisa. Eles vêem os resultados de estudos de oração e cura, e quer atribuir qualquer cura subseqüente à intervenção “sobrenatural” de Deus. Outros reconhecem a possibilidade de que o ato de rezar envolva criar uma intenção mental positiva que pode ter, por si mesma, um efeito curativo. Mas isso é interpretado pelo primeiro grupo como blasfemo e até mesmo, acredite ou não, satânico – porque parece implicar efeitos que são inerentemente parapsicológicos, e a parapsicologia é considerada maligna.

Considero essa reação perturbadora por duas razões. Em primeiro lugar, fez muitos médicos cristãos conservadores rejeitar efetivamente os resultados de estudos de oração e cura, porque os estudos implicavam que as orações de qualquer um podem ser efetivas, independentemente de religião, talvez devido a algum tipo de mecanismo paranormal. Isso ameaça as reivindicações de exclusividade que alguns fazem para sua própria religião e para os resultados de orações dessa religião.

Em segundo lugar, se os resultados forem devidos “apenas” à parapsicologia – em vez de a Deus, por assim dizer -, por que isso seria um problema? Em última instância, todos esses efeitos vêm de Deus. Eu acredito que o Criador dotou os seres humanos com todo tipo de aptidão, algo que os grandes místicos conhecem há milhares de anos e que cientistas ocidentais só agora procuram entender. Mais de cem anos de pesquisa parapsicológica confirmaram isso, para satisfação minha e de muitos outros.

Durante suas pesquisas, o senhor teve conhecimento da ação dos chamados “médiuns de cura”? De alguma forma, esses casos podem estar relacionados?

Já ouvimos falar que a cura não provém exatamente dos médiuns, mas da crença das pessoas que os consultam.

Pessoalmente, nunca pesquisei sobre médiuns, mas tenho uma posição a respeito. Acredito que, quando se trata de orações, cura pelas mãos ou por energia, ou qualquer outra forma sutil de terapia bioenergética ou relativa à consciência, todos os elementos da interação curativa podem ser importantes; em outras palavras, as habilidades, características e intenções de quem cura, o método da cura e as crenças do paciente. Tudo isso pode entrar em jogo até certo ponto, mas pode variar de acordo com a situação.

Quanto a uma condição sine qua non para o sucesso da cura, já ouvi muitos curandeiros dizendo que descobriram, por experiência própria, que é indispensável haver uma intenção amorosa por parte do curandeiro ou rezador; independentemente de outros elementos (método, técnica, expectativas de paciente, etc.). É fundamental haver uma intenção sincera e abnegada de amor fraterno, que deseje o melhor benefício para a pessoa, de acordo com a vontade de Deus.

Já ouvimos falar de experiências de “prece a distância”, com resultados positivos. Inclusive, as pessoas que realizavam as preces não sabiam a quem elas se dirigiam. O que o senhor pode nos dizer sobre esse assunto?

Como muitos leitores já devem saber, houve vários estudos recentes que investigaram os efeitos da oração a distância. Alguns desses estudos foram, de fato, bem controlados, com método duplo-cego e amostragem criteriosa; foram testes clínicos de certa forma similares aos testes farmacológicos que avaliam os efeitos de novas drogas. Para horror de muitos médicos acadêmicos convencionais, alguns desses estudos mostraram resultados, com índices de recuperação que foram melhores entre os pacientes que foram alvo de orações sem o saberem do que entre os pacientes dos grupos de controle.

Acredite ou não, já houve quase duzentas investigações desse tipo. E não só em pessoas, mas outros organismos, como animais e plantas. A pesquisa foi compilada de forma muito abrangente em um livro soberbo chamado Spiritual Healing (Cura Espiritual), escrito por meu amigo Dr. Dan Benor, um médico norte-americano. Ele descobriu que cerca de um quarto dos estudos foi realizado com uma metodologia de pesquisa impecável, e que, desse um quarto, aproximadamente três quartos constataram resultados positivos. Em outras palavras, isso é evidência e que orações a distância tiveram um efeito mensurável e benéfico.

Em seu livro Deus, Fé e Saúde, o senhor estabelece uma relação entre o modo como o compromisso religioso influencia o comportamento, e o modo como o comportamento influencia a saúde. No entanto, o comportamento de uma pessoa não está necessariamente ligado ou necessariamente dependente de um compromisso religioso. Foi feita alguma pesquisa no sentido de determinar o comportamento de pessoas não-religiosas, para ver se aquelas que têm comportamento saudável têm uma saúde melhor, como as religiosas ou espiritualizadas? O senhor diz em seu livro que as pesquisas mostram que o comportamento não-saudável não relacionado à postura religiosa ou espiritual?

É claro que as pessoas podem ser perfeitamente saudáveis sendo ou não sendo religiosas ou espiritualizadas. O que tentei fazer no meu livro foi examinar os “mecanismos” subjacentes às relações entre espiritualidade e saúde observadas em pesquisas. Essas associações existem, eu concluí, exatamente porque a religiosidade pode motivar comportamentos saudáveis, pode gerar relações sociais de apoio e solidariedade, pode produzir sentimentos ou emoções poderosos, etc. E já se sabe que cada um desses fatores – hábitos saudáveis, relacionamentos, sentimentos – é importante para a saúde.

Existem diferenças visíveis entre “estar associado a uma religião” e ter o que se poderia chamar de uma “atitude espiritual independente”? Faz diferença se a pessoa reza numa igreja ou em qualquer outro tipo de templo, ou se ela reza em casa, e segundo suas próprias regras? O que conta, afinal, é o comportamento, é o modo de pensar, é uma sintonia especial, ou outro fator?

Eu não acredito que faça qualquer diferença. Um dos primeiros fatos básicos que descobri quando comecei minha pesquisa, vinte anos atrás, é que um efeito saudável da religiosidade ou da espiritualidade parecia ser uma constante universal na natureza. Isto é, quando se toma como referência ou pessoas sem um caminho espiritual ou a população como um todo, efeitos epidemiologicamente protetores ou preventivos foram observados em católicos, protestantes, judeus, budistas, hindus, muçulmanos, zoroastristas, etc. Além disso, uma quantidade considerável de estudos mostrou um benefício às pessoas que, mesmo não sendo formalmente religiosas, estão envolvidas com meditação ou outras buscas espirituais.

O Institute of Noetic Sciences, uma esplêndida organização na Califórnia, publicou um relatório excelente chamado The Physcal and Psychological Effects of Meditation (Os Efeitos Físicos e Psicológicos da Meditação) documentando esses estudos.

O senhor entende que essa aproximação da ciência com a religião é uma tendência para o futuro? O filósofo Ken Wilber já vem se manifestando há anos a respeito da necessidade de se desenvolver aproximando as visões científica e espiritual. O que o senhor pensa a esse respeito?

Nos últimos trinta anos, os acadêmicos dos Estados Unidos têm demonstrado um considerável interesse em explorar a interface entre religião e ciência. Porém, muito desse discurso aconteceu dentro do contexto rígido das filosofias e visões de mundo adotadas pelos acadêmicos e pelas religiões predominantes. Um “novo paradigma” que unifique as abordagens científica e espiritual seria certamente um desdobramento bem-vindo. Mas precisamos nos perguntar: Qual paradigma? Qual abordagem científica? Perspectiva espiritual de quem?

Ken Wilber fala para muitas pessoas que têm interesse intelectual na consciência e em caminhos espirituais alternativos, mas eu não diria que o mundo acadêmico ortodoxo esteja pronto para isso. Para boa parte da comunidade acadêmica, o diálogo entre ciência e religião é um diálogo entre uma visão muito materialista e mecanicista de ciência e uma versão cartesiana de espiritualidade, baseada num paradigma muito antigo.

Já existe alguma tentativa de se desenvolver uma teoria a respeito dessa ação da prece na melhora da saúde das pessoas, ou ainda é muito cedo para isso? O senhor entende que uma tória desse gênero deverá estar ligada a teorias desenvolvidas pela parapsicologia, envolvendo a atuação da mente sobre a matéria?

Uma das críticas que os céticos organizados fazem incessantemente à literatura científica sobre oração e cura é que esses estudos não podem ser verdadeiros porque não existe uma teoria que explique as descobertas. Assim, de acordo com essa crítica, os resultados são impossíveis.

A crítica é errônea por dois motivos distintos. Primeiro, a pesquisa clínica estabelece uma distinção entre eficácia e mecanismo de ação. A eficácia de uma terapia pode ser demonstrada muito tempo antes de se compreender o mecanismo subjacente de ação. É o caso da aspirina, que sabíamos que funcionava antes de entendermos por quê. Ignorar ou condenar os resultados de pesquisas metodologicamente sólidas porque eles não se enquadram nas atuais teorias seria a morte da ciência. Qualquer grande novo avanço, por definição, será gerado pela necessidade de se formular uma nova perspectiva teórica que responda a dados inesperados. É assim que as coisas têm funcionado ao longo da história da ciência.

Mas a segunda razão que invalida as objeções dos céticos é muito mais básica: existem, de fato, teorias e perspectivas para nos ajudar a entender como e por quê a oração pode curar. Sobre esse tópico já foi escrito mais do que eu poderia abordar aqui, mas basta dizer que há muitos anos têm surgido livros acadêmicos e artigos científicos com esse enfoque.

Propuseram-se muitos mecanismos de ação possíveis, aproveitando trabalhos estimulantes nas áreas da física, do estudo da consciência, da psicofisiologia e da parapsicologia. Todo tipo de força, energia ou campos foi cogitado, inclusive conceitos como os de mente estendida, campos mórficos, mente não-local, psi, energias sutis, etc. O pesquisador alemão, Dr. David Aldridge, escreveu muito sobre esse tópico, assim como meu amigo Dr. Larry Dossey, o médico norte-americano, em muitos de seus livros, como Palavras que Curam (Healing Words, Editora Cultrix).

Acredito que a parapsicologia guarda uma riqueza de demonstrações empíricas e de proposições teóricas no que tange à oração a distância e seus efeitos de cura. Mas, infelizmente, muitos cientistas e médicos acadêmicos ortodoxos desdenham e não acreditam nesse trabalho, ao mesmo tempo em que o conhecem tão pouco. Essa postura vem principalmente da ignorância e de uma necessidade corporativista de proteger o próprio território. É pena, mas isso também parece ser uma constante na história da ciência e da medicina.

Para Saber Mais:

Deus, Fé e Saúde – Jeff Levin –
Editora Cultrix
Fone : (11) 6166-9000
Site de Jeff Levin: / www.religionandhealth.com/index.htm

(Extraído da revista Sexto Sentido 52, páginas 26-31)

Fonte: IPPB
Continuar lendo AUTOCONHEIMENTO: SAIBA TUDO SOBRE “A CURA PELA FÉ” NUMA ENTREVISTA COM O DR. JEFF LEVIN

REFLEXÃO: O CARÁTER DOS NOSSOS FILHOS É O ESPELHO DO NOSSO EXEMPLO

O texto de hoje, aqui na coluna REFLEXÃO trata da importância do exemplo na EDUCAÇÃO dos filhos. Sem a consciência de sermos verdadeiros em todas as situações do cotidiano, muitos de nós apresentamos uma realidade distorcida aos nossos filhos e por isso há tantos desvios de caráter e personalidade. Então, convido você a ler esse texto esclarecedor, refletir e fazer o seu juízo de valor.

QUEM É VOCÊ QUANDO NINGUÉM ESTA OLHANDO? - Luciano Subirá - ORVALHO.COM - LUCIANO SUBIRÁ

O Que Você é Fala Mais Alto

Era uma tarde de domingo ensolarada na cidade de Oklahoma. Bobby Lewis aproveitou para levar seus dois filhos para jogar mini-golf. Acompanhado pelos meninos dirigiu-se à bilheteria e perguntou:

– Quanto custa a entrada?

O bilheteiro respondeu prontamente:

– São três dólares para o senhor e para qualquer criança maior de seis anos. A entrada é grátis se eles tiverem seis anos ou menos. Quantos anos eles têm?

Bobby informou que o menor tinha três anos e o maior, sete.

O rapaz da bilheteria falou com ares de esperteza:

– O senhor acabou de ganhar na loteria, ou algo assim? Se tivesse me dito que o mais velho tinha seis anos eu não saberia reconhecer a diferença. Poderia ter economizado três dólares.

O pai, sem se perturbar, disse:

– Sim, você talvez não notasse a diferença, mas as crianças saberiam que não é essa a verdade.

……………………………………..

Sem a consciência que Bobby tinha da importância de sermos verdadeiros em todas as situações do cotidiano, muitos de nós apresentamos uma realidade distorcida aos nossos filhos.

Tantas vezes, para economizar pequena soma em moedas, desperdiçamos o tesouro do ensinamento nobre e justo.

Desconsiderando a grandeza da integridade e da dignidade humanas, permitimos que esses valores morais sejam arremessados fora, por muito pouco.

Nesses dias de tanta corrupção e desconsideração para com o ser humano, vale a pena refletir sobre os exemplos que temos dado aos nossos filhos.

Às vezes, não só mentimos ou falamos meias verdades, como também pedimos a eles que confirmem diante de terceiros as nossas inverdades.

Agindo assim, estaremos contribuindo para a construção de uma sociedade moralmente enferma desde hoje.

Ademais, o fato de mentirmos nos tira a autoridade moral para exigir que os filhos nos digam a verdade, e isso nos incomoda.

Pensamos que pequenas mentiras não farão diferença na formação do caráter dos pequenos, mas isso é mera ilusão, pois cada gesto, cada palavra, cada atitude que tomamos, estão sendo cuidadosamente observadas e imitadas pelas crianças que nos rodeiam.

Daí a importância da autoridade moral, tão esquecida e ao mesmo tempo tão necessária na construção de uma sociedade mais justa e digna.

E autoridade moral não quer dizer autoritarismo. Enquanto o autoritarismo dita ordens e exige que se cumpra, a autoridade moral arrasta pelo próprio exemplo, sem perturbação.

A verdadeira autoridade pertence a quem já conquistou-se a si mesmo, domando as más inclinações e vivendo segundo as regras de bem proceder.

Dessa forma, o exemplo ainda continua sendo o melhor e mais eficaz método de educação.

Sejamos, assim, cartas vivas de lições nobres para serem lidas e copiadas pelos que convivem conosco.

……………………………………..

Diz o poeta americano Ralph Waldo Emerson: “quem você é fala tão alto que não consigo ouvir o que você está dizendo.”

Em tempos de desafios e lutas, quando a ética e a moral são mais importantes que nunca, assegure-se de ter deixado um bom exemplo para aqueles com quem você trabalha ou convive.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro Histórias para aquecer o Coração.

Continuar lendo REFLEXÃO: O CARÁTER DOS NOSSOS FILHOS É O ESPELHO DO NOSSO EXEMPLO

AUTOCONHECIMENTO: DESENVOLVA A SUA POTÊNCIA PARA TER UMA VIDA DE LEVEZA E QUALIDADE

Escolhi o texto a seguir com o título de “a sua potência é a sua praia”, pois é um chamado para o despertar da consciência e nos fazer entender que somos energia numa forma densa, mas que se investirmos na nossa potência que está adormecida dentro de nós temos total condição de ao abandonarmos esse corpo denso passarmos para um estagio energético menos denso e ter uma vida de leveza e qualidade. Então, convido você a ler breve texto a seguir e expandir sua consciência!

A sua potência é a sua praia

Mulher feliz em um balanço
choreograph / 123rf

Uma das maiores alegrias na vida é ter a oportunidade de se fazer o que se ama fazer, pois isso evita que a sexta-feira seja a única coisa boa que se espera da vida. Fazer o que se ama é prazeroso desde quando se acorda em uma manhã de segunda-feira, até o final de semana, afinal a vida é prazerosa quando estamos utilizando nossa potência, estado de realizar-se como ser.

Existe todo um processo até se alcançar uma vida em que se diga: “Isso era tudo o que eu buscava”. Neste sentido, precisamos de planejamento e de foco. Não menos importante, se elenca o estado espiritual, isto é, nossa envergadura de espiritualidade, sempre apontada em direção da liberdade, imparcialidade e equilíbrio.

Para se ter uma vida de leveza e qualidade, além de se fazer aquilo que se ama fazer, é preciso ter o silêncio da mente, a paz interior, a leveza da alma, o bem-estar consigo mesmo, isto é, a aceitação da vida que acontece no aqui e agora. Portanto precisamos desenvolver nossa espiritualidade, nossa empatia, nosso não julgamento e nossa ação transformadora para com o nosso próximo.

O fato é que somos uma energia no universo, uma energia em potência, logo não somos perpétuos. Contudo nossa alma é imortal, vive para sempre, e, enquanto estivermos neste casco de corpo humano, precisamos utilizar nossa energia, nossa potência, colocar em ação nossos projetos, fazendo com que nossos momentos sejam produtivos e sempre fazendo com que nossas tomadas de decisão sejam eficazes dentro do nosso cronograma, isto é, que atendam ao espaço dos ciclos dentro de um projeto de vida.

No final de tudo, que atenda ao propósito de vida, a fim de integrar nossa existência, atender nossas expectativas e servir aos nossos sonhos. Para isso, passamos por um longo processo de experiências, então é contabilizado ao olharmos para trás, veremos as perdas pelo caminho, sonhos abandonados, projetos esquecidos, tudo por conta da força, da potência utilizada no sonho majoritário. Por fim, seja incrível em seu turno enquanto vida.

Nilo Deyson Monteiro Pessanha
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DESENVOLVA A SUA POTÊNCIA PARA TER UMA VIDA DE LEVEZA E QUALIDADE

DICA DE LIVRO: O LIVRO DE OURO DE SAINT GERMAIN, DE SAINT GERMAIN

A nossa DICA DE LIVRO dessa quarta-feira é um presente de Natal para você entrar no ano novo uma pessoa totalmente diferente e muito mais sábia e quiçá com a solução dos seus maiores problemas na mão: O livro de Ouro de Saint Germain. Aqui está o segredo dos segredos e o mistério dos mistérios, agora corregido e revisado, este livro foi há muito tempo ocultado da maioria, e servindo como fonte de riquezas para uma minoria. Pois, nele contém, a base do conhecimento da manifestação e precipitação de tudo que se pense ou se imagine. Este livro foi que serviu de base para o livro: o segredo e tantos outros do tema. Foi com o conhecimento dos sagrados ensinamentos contido nesse livro que muitos adquiriram poder e riquezas abundantemente. Escrito em 1932, este livro traz a chave, pelo qual aquele quem o possuir, abrirá todas as portas do poder e prosperidade infinita. Sendo, a forma arquetípica perfeita, contida dentro do todo e o absoluto que constitui a redenção universal. Então não perca tempo. Peça já o seu e expanda sua consciência!

Fonte: Acervo próprio

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O LIVRO DE OURO DE SAINT GERMAIN, DE SAINT GERMAIN

EDITORIAL: UMA LINDA MENSAGEM DE NATAL

Caro(a) leitor(a),

Hoje é Natal!

Uma data que, independentemente do credo ou da religião tem um simbolismo crucial para o desenvolvimento e evolução da raça humana, porque a mensagem do Natal, na figura de Jesus Cristo é única e exclusivamente o “AMOR”. Amar é o objetivo maior de qualquer ser humano, seja teísta ou ateu. A nossa experiência aqui é aprender a amar, através, muitas vezes,  de caminhos tortuosos, com sofrimento e dor. Nessa caminhada evolutiva vamos, aos poucos, nos polindo, nos lapidando até alcançarmos o nível de consciência cósmica que o criador delineou para todos nós. Portanto o texto a seguir é para todos aqueles que estão nessa longa caminhada da expansão da consciência!

É chegado o Natal!

Publicado em 24.12.2020

Reprodução | The Bible

A igreja instituiu o Natal como uma festa cristã para comemorar o nascimento de Jesus Cristo, desde o século IV. É uma celebração que acontece uma vez por ano em quase todas as nações do planeta, no dia 25 de dezembro.

O Natal é uma festa marcada pela troca de presentes entre as pessoas; pela refeição especial da ceia; pelas músicas natalinas e cantatas de natal nas igrejas, além das luzes que decoram as árvores de Natal e os jardins das residências.

Há um esforço para que o brilho do Natal apareça e não passe despercebido sem ser celebrado, mesmo porque é uma festa em que as pessoas se reúnem para estar em família, e muitos são encorajados a pedir e a liberar perdão e promover a reconciliação entre parentes e amigos.  O Natal tem esse poder restaurador e possui um significado profundo por agregar uma mensagem que oferece verdade e esperança a qualquer ser humano em desespero, inclusive:

“O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz; e aos que estavam detidos na região e sombra da morte, a luz raiou”. (Mateus 4:16) 

Se Herodes tivesse conseguido matar Jesus, quando ordenou que todos os bebês do sexo masculino e com até dois anos de idade fossem mortos, ele teria conseguido impedir a realidade do Natal na vida das pessoas, e elas ficariam privadas de receber o poder transformador e a alegria verdadeira.

Portanto, a grande força do Natal não está no brilho das luzes, mas naquele que é a Luz do mundo que, ao invés de ser morto quando bebezinho, brilhou dentro do coração das pessoas do seu tempo, e continua a brilhar até os dias de hoje.

A turbulenta realidade pela qual o mundo atravessa, por efeito da pandemia do coronavírus, levou muitos governantes a penalizar o Natal como uma festa que pode vitimizar pessoas pelo simples ato de se reunirem em família. Mas, graças a Deus, o verdadeiro Natal já aconteceu!

Ele, Jesus Cristo, nasceu, morreu e ressuscitou; proclamou sua mensagem, e ainda continua nascendo em muitos corações.

Quando Jesus nasce dentro de nós, as velhas práticas morrem – ressuscitando novos homens e novas mulheres, afim de brilhar através da vida deles.

Este é o espírito do Natal que deve se movimentar em nosso interior, em que jamais alguém conseguirá deter seu espírito celebrativo, pois é um movimento orquestrado por Aquele que é “Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, e Príncipe da Paz”. (Isaias 9:6)

Feliz Natal, em família!

Ajude a evangelizar o mundo!

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo EDITORIAL: UMA LINDA MENSAGEM DE NATAL

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: SAIBA O QUE É ESPIRITUALIDADE E A DIFERENÇA PARA RELIGIOSIDADE

O texto de hoje, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL é justamente sobre espiritualidade. Você vai saber o que é espiritualidade, o que é religiosidade e quais as diferenças. O fato é que a maioria das pessoas confundem uma com a outra e muitas vezes não sabem mesmo o que significa cada uma. Então, não perca essa oportunidade de esclarecer suas dúvidas e expandir sua consciência!

ESPIRITUALIDADE – O que é; qual a importância; e como desenvolvê-la. – Camila Schmidt

O que é espiritualidade?

Mensagem de 15 de Novembro de 2020

Talvez você já tenha ouvido falar de espiritualidade, mas não tem certeza do que é. Bem, é diferente da religião, e você pode praticá-la mesmo que não seja religioso. Descubra sobre diferentes tipos de espiritualidade e as razões pelas quais algumas pessoas decidem viver vidas espirituais.

Isto pode ajudar se:

Você está se perguntando o que significa espiritual
Você está curioso sobre os diferentes tipos de espiritualidade
Você quer saber como você pode ser espiritual, mas não religioso.
Garota lendo livro em uma biblioteca

O que é espiritualidade?

Espiritualidade é algo muito falado, mas muitas vezes mal compreendido. Muitas pessoas pensam que espiritualidade e religião são a mesma coisa, e por isso trazem suas crenças e preconceitos sobre religião para as discussões sobre espiritualidade. Embora todas as religiões enfatizem o espiritualismo como sendo parte da fé, você pode ser ‘espiritual’ sem ser religioso ou membro de uma religião organizada.

Qual é a diferença entre religião e espiritualidade?

Há algumas formas bastante claras de diferença entre religião e espiritualidade.

Religião: Este é um conjunto específico de crenças e práticas organizadas, geralmente compartilhadas por uma comunidade ou grupo.

Espiritualidade: Esta é mais uma prática individual, e tem a ver com ter um senso de paz e propósito. Também está relacionado ao processo de desenvolvimento de crenças em torno do sentido da vida e da conexão com os outros, sem nenhum valor espiritual definido.

Organizado vs. forma livre

Uma maneira de entender a relação entre espiritualidade e religião é imaginar um jogo de futebol. As regras, árbitros, outros jogadores e as marcas de campo ajudam a guiá-lo enquanto joga o jogo de uma forma semelhante à que a religião pode guiá-lo a encontrar sua espiritualidade.

Chutar a bola em um parque, sem ter que jogar no campo ou com todas as regras e regulamentos, também pode lhe dar realização e diversão e ainda expressar a essência do jogo, semelhante à espiritualidade na vida.

Você pode fazer um ou ambos

Você pode identificar como sendo qualquer combinação de religioso e espiritual, mas ser religioso não o torna automaticamente espiritual, ou vice versa.

Por que as pessoas praticam a espiritualidade?

A vida pode ser cheia de altos e baixos, de bons e maus momentos. Muitas pessoas veem a espiritualidade como uma ótima maneira de buscar conforto e paz em suas vidas. Muitas vezes ela pode ser praticada ao lado de coisas como a Yoga, que finalmente se concentra no alívio do estresse e na liberação da emoção.

Espiritualidade é uma forma de ganhar perspectiva

A espiritualidade reconhece que seu papel na vida tem um valor maior do que o que você faz todos os dias. Ela pode aliviá-lo da dependência de coisas materiais e ajudá-lo a compreender o propósito maior de sua vida. A espiritualidade também pode ser usada como uma forma de lidar com as mudanças ou incertezas.

Fonte: https://eraoflight.com/
Rafaella Dourado e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: SAIBA O QUE É ESPIRITUALIDADE E A DIFERENÇA PARA RELIGIOSIDADE

DICA DE LIVRO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA, UMA JORNADA SAGRADA PELOS CAMINHOS DE SINTRA, DE SOL DE OLIVEIRA

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é O Despertar da Consciência, Uma jornada Sagrada pelos caminhos de Sintra, da autora Sol de Oliveira. No início dos anos 1990, a autora faz uma viagem à França, Espanha e Portugal levada pela Ordem iniciática à qual pertence. Nessa viagem, entra em contato pela primeira vez, conscientemente, com as energias cátara e templária e com a vila portuguesa de Sintra, por cuja energia peculiar se sente profundamente atraída. Os anos passam e ela continua conectada, energeticamente, àquele lugar, ao qual voltou por diversas vezes.Introduzida, paulatinamente, por Mestres espirituais, como a Abadessa Francisca da Luz e Lírio Branco, aos segredos de suas outras encarnações vividas naquele lugar, compreende sua missão e acede, não sem alguma relutância inicial, ao que eles lhe pedem: divulgar suas mensagens. Assim nasceu este livro, cujo objetivo é nos alertar para a Energia Crística que está próxima da Terra e precisa de seres despertos que ajudem a ancorar o Princípio Feminino da Energia Cósmica no planeta, para que o Amor, enfim, prevaleça entre nós, humanidade terrestre. Expandindo as consciências com suas mensagens, os mestres ensinam-nos como proceder a uma transformação interior reverenciando a sacralidade do feminino, o que nos conduzirá, em segurança, pela estrada luminosa que nos levará de volta à Casa do Pai e a um encontro com Deus em nossos corações. Porque só o Amor é real.

Fonte: Acervo particular

 

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA, UMA JORNADA SAGRADA PELOS CAMINHOS DE SINTRA, DE SOL DE OLIVEIRA

REFLEXÃO: AS QUATRO ESTAÇÕES, UM CONTO SOBRE JULGAR OS OUTROS E A NÓS MESMOS

A nossa coluna REFLEXÃO desta terça-feira trás um conto muito importante que deixa uma lição de vida extraordinária, contada por Camila Zen. Quantas vezes encontramos pessoas em momentos difíceis, talvez até mesmo de não muito bom humor, desestabilizados,… quantas vezes nos encontramos em momentos assim, pra baixo, parecendo que nada dá certo, sem energia pra fazer o que tem que ser feito… Essa história nos ajuda a entender que esses momentos fazem parte da vida, da sua vida e da vida de outras pessoas, e nos faz lembrar de não julgarmos ninguém por apenas um capítulo que conhecemos, e nem a nós mesmos, pelos momentos difíceis e que não nos encontramos muito bem.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: AS QUATRO ESTAÇÕES, UM CONTO SOBRE JULGAR OS OUTROS E A NÓS MESMOS

AUTOCONHECIMENTO: FAÇA COMO A MAY, LIBERTE-SE DAS CRENÇAS LIMITANTES!

Nesta segunda-feira a nossa coluna AUTOCONHECIMENTO trás um depoimento muito tocante e revelador. O case da youtuber May Andrade, que nos revela o pode que existe dentro de cada um de nós, que ela chama carinhosamente de “Divina Centelha”. Ao ler esse depoimento você vai entender que isso também pode acontecer com você. Somos todos iguais, temos o mesmo poder. Temos o Livre Arbítrio e é tudo que precisamos para entendermos que somos deuses em evolução e que podemos tudo. Então, convido você a ler o texto completo a seguir e transformar a sua vida, assim com a May transformou a dela!

May Andrade

“O Medo travava a minha Vida”

Quando comecei meu canal no YouTube, ele era um diário de expansão da minha consciência. Naquela época eu havia começado a estudar física quântica, lei da atração, metafísica e eu estava fazendo a Ressonância Harmônica.

Esse era o último recurso que eu tinha para fazer minha vida dar certo de verdade. Eu queria ter mais abundância e harmonia em todas as áreas da minha vida e realmente vencer na vida.

Eu tinha muitos medos e através dos estudos de autoconhecimento pude identificar que a maioria deles vinha das crenças religiosas que eu tinha. Uma delas era o medo do inferno e o medo de Deus.

Eu achava que sabia quem Deus era e achava que pensava que ele era amor incondicional, mas o amor incondicional não nos enche de regras e um pai/mãe verdadeiramente amoroso não puniria filhos à um castigo tão cruel e sádico como o inferno eterno.

Aos poucos fui vencendo meus medos, um dia de cada vez. Às vezes o medo batia tão forte que eu parava de estudar por uma semana, até que os problemas da vida me faziam ter forças pra continuar procurando um caminho diferente daquele que não estava me dando resultados da vida abundante que eu queria.

Comecei a perceber padrões diferentes dos meus na vida das pessoas prósperas e de sucesso, e a notar que as pessoas muito presas em crenças religiosas tinham uma vida de limitações em várias áreas, e também uma vida de muito julgamento aos demais.

Comecei a perceber que eu me sentia muito mal quando julgava as pessoas, e que isso não me deixava feliz. Comecei a perceber o alívio que inundava o meu coração quando eu considerava a ideia de não existir esse tal de inferno e de ver Deus como O TODO, a Fonte Criadora, como é descrito na física quântica e na filosofia Hermética (O Caibalion).

Eu passava madrugadas chorando e falando com Deus, pensava que estava ficando louca. Eu pedia pra ele me ajudar a entender, que eu só estava sendo sincera e buscando a verdade. Eu pedia pra ele não ficar com raiva de mim por eu estar só perguntando, pois eu imaginava que, sendo mãe como sou, eu jamais me zangaria e castigará meu filho porque ele só estava pedindo informações.

Um dia me deparei com um áudio do volume I do Livro Conversando com Deus, na voz do Lucas no YouTube. Comecei a ouvir, e tive momentos intensos de choro enquanto as fichas caíam e eu descobria que Deus é na verdade O TODO, a Fonte Criadora, e que existe uma Centelha Divina em cada elemento de Sua sagrada criação.

A minha imagem de Deus mudou. De um Deus tirano, sádico e mal que castiga seus filhos com a danação e a tortura eterna, para uma Fonte Eterna de Energia que é puro amor, graça, abundância e compaixão!

Muitas outras coisas aconteceram, muitos livros foram atraídos até mim, e um ia complementando o outro e a minha consciência ia se expandindo. Quanto mais eu aprendia, mais eu expandia, fichas iam caindo e tudo começa a fazer sentido, como se as peças de um complexo quebra cabeças fossem finalmente se encaixando.

Quanto mais eu aprendia, quanto mais conhecimento ia entrando em meu subconsciente, menos medos eu tinha. Até que o véu se rasgou de tal forma que eu me sentia destemida, corajosa e sem medos, ao ponto de rir de tudo que um dia eu tive medo. Tudo ficou tão óbvio e esclarecido.

Durante essa jornada de autoconhecimento e expansão de consciência, minha vida foi melhorando muito, em todas as áreas. No meu casamento, meu marido dizia que eu estava melhor do que nunca, e começou a dar atenção a tudo que eu estava estudando e por ver minhas mudanças ele começou a estudar também.

Mudei no meu relacionamento com as pessoas, mudei comigo mesma, antes eu tinha uma auto estima muito baixa, me achava feia e por isso não me arrumava, me sentia fraca e dependente da ajuda das pessoas, hoje me sinto linda, amo tanto esse avatar que minha Centelha escolheu para viver essa experiência temporariamente humana. Me amo e me aceito profundamente.

Minha vida financeira também deu um salto quântico, em apenas 4 meses de canal fizemos o primeiro curso e começamos nossa empresa online com resultados que impressionaram os mais experientes do marketing digital. Hoje eu moro num lindo apartamento que exala Prosperidade, hoje eu tenho abundância financeira e total confiança de que a Fonte Criadora que provê tudo para mim é inesgotável. Contas à pagar são bençãos à pagar e eu me sinto tão agradecida.

É difícil mensurar tanta mudança em minha vida num curto espaço de tempo. Em apenas 10 meses o nosso canal chegou a 100 mil inscritos, o que seria 10 mil inscritos por mês, isso é um fenômeno.

Sei que cada um de nós tem sua própria história e sua própria trajetória. Acredito que a vida nos dá as experiências necessárias para a nossa evolução e expansão de consciência. Então, talvez o seu caminho não será exatamente como foi o meu, mas tem alguns conselhos que eu posso te dar que vão realmente funcionar para você seja qual for a sua história e trajetória.

Primeiramente invista em autoconhecimento, conhece-te a ti mesmo, faça auto análise. Pare de olhar para os outros e para o que está de errado no mundo, fazer isso só vai te causar mais sofrimento e tirar todo seu poder. O verdadeiro poder está em olhar para dentro e mudar nosso mundo interior, é só assim que a gente muda o nosso mundo exterior.

Quando eu falo em investir em autoconhecimento eu falo em você ler livros, fazer cursos na área, separar um tempo para mergulhar nos estudos. Essa fase de casulo é necessária e muito intensa no começo. Depois você poderá sair do casulo, mas não se apresse, a lagarta só sai de lá quando ela vira borboleta. Mas nunca deixe de buscar por coisas que te ajudem no autoatendimento, seremos eternos estudantes, eternos aprendizes. Sempre há mais para aprender e para evoluir.

Faça da meditação e da gratidão um hábito. Essas duas práticas me ajudaram muito a acelerar todo o processo. Quanto mais você medita, mais você cala a voz do ego. O ego é o que tem medo e as crenças limitantes. é ele quem faz você se auto sabotar.

A gratidão tem um enorme poder de atração de bençãos e energias positivas. Se você soubesse como seu campo vibracional fica elevado e poderoso quando prática a gratidão sincera, você daria mais valor a esse simples hábito. A gratidão é mesmo mágica. Eu usei e ainda uso muito o caderno da gratidão, logo após a meditação todos os dias. Escrever as bençãos foi um divisor de águas em minha vida e foi fator determinante para atrair as oportunidades que me ajudaram a subir na vida.

Bom, minhas queridas e lindas Centelhas Divinas, você está com a chave da porta das bênçãos em suas mãos, essa porta só você pode abrir, ela se abre de dentro para fora. Seja determinado e se desapegue de todas as crenças que possam estar limitando você. Esteja disposto a assumir a responsabilidade por melhorar a sua própria vida, porque essa missão é só sua e de mais ninguém. Salva-te!

– May Andrade

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: FAÇA COMO A MAY, LIBERTE-SE DAS CRENÇAS LIMITANTES!

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FAMÍLIAS DE VÍTIMA E DE ASSASSINO SE TORNAM AMIGAS

Uma história emocionante é o destaque da nossa coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL deste domingo. Um exemplo raro de como através da não violência se alcança estágios bem mais elevados de espiritualidade e que este é o caminho para um mundo mais pacífico e melhor. Não é fácil, mas é possível e é o único caminho. Por favor, leia o artigo completo a seguir, reflita e tire suas conclusões.

A surpreendente amizade entre as famílias de um assassino e de sua vítima

Após a morte do filho, Azim Khamisa iniciou uma campanha educativa contra a violência armada – e se juntou a um aliado improvável, Ples Felix, o avô do assassino

INTERNACIONAL

por BBC NEWS BRASIL

 

Azim Khamisa e Ples Felix são hoje grandes amigos

Azim Khamisa ficou devastado quando perdeu o filho de forma trágica, morto em uma tentativa de assalto por um jovem de apenas 14 anos, membro de uma gangue nos EUA.

Após a perda do filho, ele iniciou uma campanha educativa contra a violência armada, junto a um aliado improvável: Ples Felix, o avô do assassino.

Mais de 20 anos depois, os dois são hoje melhores amigos.

Em entrevista ao programa de rádio Outlook, do serviço mundial da BBC, Azim e Ples contam como a tragédia deu origem a essa amizade.

Aos 20 anos, Tarik Khamisa era aluno da Universidade Estadual de San Diego, na Califórnia, e trabalhava como entregador de pizza às sextas e sábados.

“Ele era uma grande alma, eu diria um espírito antigo em um corpo jovem. Abençoado com um grande senso de humor, era uma alegria estar perto dele. Ele tinha a habilidade de descontrair qualquer situação com uma piada”, recorda o pai.

Na noite de 21 de janeiro de 1995, ele saiu para entregar uma pizza em um bairro de classe média da cidade. Mas não podia imaginar que havia sido atraído para um endereço falso por uma gangue juvenil.

“Deram o endereço certo, mas o número do apartamento errado. Ele bateu em várias portas tentando descobrir quem tinha pedido a pizza, mas claro que ninguém tinha pedido”, conta Azim.

Quando voltou para o carro, Tarik foi abordado por um grupo de quatro jovens: três de 14 anos e um de 18. Era uma tentativa de assalto, mas ele se recusou a entregar as pizzas.

O mais velho, apontado como o líder da gangue, entregou então uma arma a um dos menores, no que seria parte de um ritual de iniciação, e pediu que atirasse.

“Quando meu filho estava tentando dar ré com o carro, o jovem de 14 anos puxou o gatilho. Foi uma única bala, que entrou pela janela do motorista e acertou meu filho.”

“Tariq morreu alguns minutos depois, afogado em seu próprio sangue por causa de uma mísera pizza, aos 20 anos”, diz o pai.

Infância conturbada

O menor de idade que matou Tariq foi identificado como Tony Hicks. Ele morava com o avô, Ples Felix, a quem considera até hoje como pai.

“(Tony) foi criado como filho de uma menina de 14 anos, minha filha. E sempre foi o tipo de criança que era levada de um lado para o outro, ora estava na casa da minha mãe, ora na casa da avó, e sempre tinha um monte de gente lá. Os primos da minha filha eram todos envolvidos com gangues”, conta Ples.

Quando o primo favorito de Tony foi brutalmente assassinado por uma gangue rival, a família decidiu que o menino, com sete anos na época, deveria sair de Los Angeles e ir morar com o avô em San Diego.

“Ele era um garoto traumatizado, precisando de toda ajuda e apoio que nunca havia tido. E eu realmente não estava em condições de dar toda a ajuda que ele precisava, mas com certeza eu tentei”, diz.

Más companhias

Apesar da dificuldade de se adaptar a San Diego, Tony se esforçava para ser um bom aluno na escola e corresponder às expectativas do avô. Mas, à medida que foi crescendo, as amizades começaram a ter uma influência cada vez mais forte sobre ele.

Até que, no dia do crime, Tony fugiu de casa.

“Tony era um caso clássico de juventude transviada por andar com pessoas que ele pensava que eram seus amigos.”

“(Os colegas) o levaram até um rapaz de 18 anos que ofereceu álcool e drogas a eles. E depois de consumirem álcool e drogas, esse rapaz convidou Tony e outros dois meninos de 14 anos para participarem de um assalto a um entregador de pizza”, revela.

Ples estava assistindo ao telejornal quando viu a notícia do assassinato.

“Um sentimento muito ruim tomou conta de mim naquele momento, porque era a primeira vez que Tony não estava na cama àquela hora da noite. E eu sabia que ele estava pelas ruas em algum lugar.”

Até então, Ples não tinha feito nenhuma conexão entre Tony e a morte de Tariq. Só ficou sabendo do envolvimento do neto quando recebeu um telefonema da polícia avisando que ele tinha sido preso como principal suspeito do crime.

Azim Khamisa também recebeu a notícia da morte do filho pelo telefone.

“Perdi a força em ambas as pernas, desabei no chão, todo encolhido, bati a cabeça na geladeira. Não tenho palavras para descrever o quão insuportavelmente dolorosa essa experiência foi para mim.”

“Foi literalmente como uma bomba nuclear que detonou dentro do meu coração”, descreve Azim.

De quem é a culpa?

Em um discurso emocionado, Tony confessou no tribunal ter matado Tariq. E pediu perdão à família Khamisa. Após se declarar culpado, foi condenado a 25 anos de prisão.

“Essa audiência aconteceu dois anos e meio depois (do crime). Obviamente é fácil ver que meu filho foi vítima de um jovem de 14 anos. Mas eu também vi que o jovem de 14 anos foi vítima da sociedade”, afirma Azim.

“Quer dizer, quem é o inimigo aqui? É o jovem 14 anos ou é a sociedade que força muitos jovens, especialmente jovens com um histórico como o de Tony, que foram negligenciados, a escolher uma vida de gangues, drogas, álcool e armas?”

Com isso em mente, nove meses após a morte do filho, Azim fundou a Tariq Khamisa Foundation, uma organização educacional com a missão de “impedir que crianças matem crianças, quebrando o ciclo da violência juvenil”.

“Decidi honrar a memória do meu filho. Minha família e eu lidamos com essa tragédia muito negativa em nossas vidas de uma forma positiva”, diz ele.

“A Tariq Khamisa Foundation ensina essencialmente os princípios da não violência, responsabilidade, empatia, compaixão e perdão. E o mais importante, a construção da paz”, explica Azim.

O início da amizade

Mas como nasceu a amizade entre Ples e Azim?

“Meu foco na meditação e oração sempre foi conseguir uma chance de me encontrar com a família de Tariq. E soube pelo advogado de Tony que Azim gostaria de se encontrar comigo”, relembra Ples.

“Eu queria manifestar meu apoio, expressar minhas condolências, e foi realmente algo especial.”

Durante o encontro, Azim contou sobre a fundação que tinha criado. E convidou Ples para participar de uma reunião em sua casa, junto com sua família, para discutir a iniciativa.

A recepção foi mais calorosa do que ele podia imaginar dadas as circunstâncias. E foi só o começo.

Ples se tornou membro do conselho da Tariq Khamisa Foundation. E hoje os dois dão palestras para jovens sobre formas de acabar com a violência armada.

“Quando vamos às escolas, somos apresentados como ‘o neto deste homem matou o filho deste homem, e eles estão aqui no espírito de compaixão, perdão e fraternidade’. E isso é algo que as crianças normalmente não vivenciam, porque o que elas basicamente veem em nossa cultura é que a violência gera mais violência”, diz Azim.

Cara a cara com o assassino do filho

Já o encontro de Azim com Tony só viria a acontecer alguns anos depois

“Eu só conheci o Tony cinco anos depois da morte de Tarik, pois não sabia como reagiria. Mas sabia que, para completar minha jornada de perdão, em algum momento teria que ficar cara a cara com ele”, conta Azim.

Os dois conversaram por uma hora e meia.

“Olhei nos olhos dele tentando encontrar um assassino, mas não consegui (encontrar). Não esperava isso.”

A Justiça americana concedeu liberdade condicional a Tony em novembro de 2018, quase 24 anos após o crime. Ele foi solto em abril de 2019.

Parceria além do trabalho

O fato é que a amizade de Azim e Ples vai muito além do trabalho.

“Ples e eu somos solteiros e saímos para jantar com frequência, ambos gostamos de comida apimentada. Por isso, sempre pedimos tabasco para acompanhar nossos pratos”, diz Azim.

Ples complementa: “Azim me ajudou a perceber o equilíbrio dos sabores, o valor de um vinho para complementar uma refeição. Agora tenho um apreço notável por vinho.”

Segundo Azim, a cumplicidade entre os dois é evidente. “Quando estamos juntos numa palestra, em que somos apresentados como ‘o neto deste homem matou o filho deste aqui’, mesmo se não dissermos uma palavra, é possível sentir o amor, o respeito e a confiança que temos um no outro.”

Fonte: R7

 

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FAMÍLIAS DE VÍTIMA E DE ASSASSINO SE TORNAM AMIGAS

REFLEXÃO: NASCEMOS CRIANÇAS E PARTIMOS DESSA PARA OUTRA COMO CRIANÇAS

Não é a toa que nascemos crianças e na velhice, muitas vezes, voltamos a ser crianças, já que Jesus foi muito claro ao proclamar – referindo-se às crianças – que destas é o Reino dos Céus, e mais, que quem não receber o Reino de Deus como uma criança, jamais entrará nele. Todos temos a nossa porção criança, seja lá em que idade for e devemos cultivá-la, pois como diz a célebre Cecília Meireles:  A infância traz encerradas em si todas as condições superiores do destino humano. Então, convido você a ler o artigo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

A importância da imaginação infantil

A imaginação maravilhosa da infância

A sempre lúcida e inspirada Cecília Meirelles, traz-nos alguns de seus pensamentos sobre a infância:

É porque nós, desgraçadamente, já andamos esquecidos; mas, quando fomos pequenos, tivemos também essa maravilhosa imaginação com que qualquer criança deslumbra o mais requintado poeta.

Nosso mundo foi feito de coisas prodigiosas: os milagres das fadas, os encantos dos bruxos, toda a mágica das histórias mais assombrosas…

Tudo foi sempre muito verossímil, porque tínhamos em nós uma força misteriosa geradora das mais extraordinárias possibilidades.

Talvez porque convivíamos mais diretamente com a natureza, e a natureza é por si mesma assombrosa.

Depois de ver uma borboleta voar, uma flor desenrolar-se do botão, uma semente transformar-se em planta, um passarinho sair do ovo e mais tarde a cantar;

Uma estrela revelar-se, depois de feita a noite, um campo encher-se de pirilampos, as nuvens crescerem, unirem-se, viajarem, desfazerem-se…

Depois de tudo isso, com que é que se vai admirar uma criança?

E éramos tão senhores da vida, com todos os seus cenários e as suas aparências…

Acreditávamos tanto na eternidade profunda das coisas, malgrado as suas superficiais e parciais extinções.

Que a morte era pra nós qualquer coisa enganosa, que os adultos não tinham ainda encarado bem, que ainda não conheciam de perto e só por isso, com certeza, não sabiam ainda vencer…

A infância traz encerradas em si todas as condições superiores do destino humano.

Ela mesma não sabe disso, porque a sabedoria tem qualquer coisa de inconsciente. Mas vivem dentro dela todas as capacidades da vida, por mais difíceis, inacreditáveis, longínquas e indefiníveis que sejam.

* * *

E cá estamos nós, mais uma vez, admirados com a grandiosidade desse período de nossas vidas chamado infância.

Seria apenas um período? Parece uma descrição pequena demais para abraçá-la honrosamente.

Deus nos deu a infância como um grande tesouro, uma lição de pureza poderosa, que não vem de fora, de professores, de sábios, de livros, mas vem de nosso íntimo divino.

Jesus foi muito claro ao proclamar – referindo-se às crianças – que destas é o Reino dos Céus, e mais, que quem não receber o Reino de Deus como uma criança, jamais entrará nele.

O Mestre Nazareno não olvidou que ali, naqueles corpos infantis, existiam Espíritos velhos, mas usou dessa lição para deixar visíveis as características da alma infantil – fundamentais para o crescimento moral humano.

Destacava a humildade, a pureza, na forma de ausência de preconceitos; a ânsia de saber, a perseverança, a docilidade, e tantas outras…

* * *

Que sua porção criança possa sempre sorrir ao ver o nascer do sol.

E que quando caia a noite, e venha o medo do escuro, saiba observar as estrelas e sua perfeição incompreensível e bela – e isso lhe traga novamente o sorriso.

Que sua porção criança permita enxergar o lado bom das pessoas, e jamais cair nas teias da amargura ou do pessimismo destruidor.

Que sua porção criança lhe recorde do quão bom e importante é viver.

Redação do Momento Espírita, com citações do livro Crônicas de educação, v. 1, de Cecília Meirelles, ed. Nova Fronteira

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: NASCEMOS CRIANÇAS E PARTIMOS DESSA PARA OUTRA COMO CRIANÇAS

FILOSOFIA: A RELIGIOSIDADE IMPOSTA MOLDOU NOSSOS PADRÕES, TRANSFORMANDO-NOS EM ZUMBIS ITINERANTES

Na nossa coluna FILOSOFIA desta sexta-feira temos um REFLEXÃO muito importante a fazer sobre RELIGIOSIDADE X ESPIRITUALIDADE, que o escritor Vander Luiz Rocha faz com muita maestria, quando questiona por que, e para que existo? Poucos fazem, preferem cumprir deveres religiosos ou deixar esse assunto de lado. Então essa é uma excelente oportunidade de você refletir sobre isso. Então lhe convido a ler o texto completo a seguir para entender que é fundamenta deixar a mente livre e aberta ao conhecimento, além d nosso tempo!

Além do nosso tempo

Vander Luiz Rocha

Escrito por Vander Luiz Rocha

Pessoa sentada em um banco de madeira, em frente ao mar, em um dia nublado.

A religiosidade é imposta em nosso subconsciente desde que nascemos e é alicerçada pelos costumes da sociedade. Tal prática moldou em nós padrões para explicar a nossa existência terrena, transformando-nos em zumbis itinerantes num planeta desconhecido.

Somada a essa religiosidade, com o passar dos dias, no afoitamento do cumprimento das obrigações, bombardeados pela publicidade que nos impele ao consumismo, impulsionados pelo dever a cumprir, exigido pelos compromissos financeiros, necessitados de nos mantermos atuais… Nos debilitamos.

Nesse processo nos é oferecido um deus à imagem e semelhança humana, tal como os reis medievais, e tão vaidoso que precisa ser louvado. Crer nesse deus mito é bom, já que ele tudo pode, cria e mata, faz e acontece, etc., limitando a grandeza espiritual a vistosos espetáculos.

Tenha fé nele, que tudo dará certo, e os devotos o procuram nos templos, como os negociadores na busca de comércio.

Iludidos pela teoria do menor esforço, contam com o destaque pessoal perante a sociedade, permanecendo distantes do trabalho que edifica por não se dedicarem ao serviço interior.

Assim moldados a pensar e a agir, não refletimos com a necessária cautela e ponderação sobre nós e deixamos de viver, permanecendo escravos de conceitos, gaiolas que nos impedem de voar. É fundamental ter a mente livre.

Pensar sobre si, perguntar: por que, e para que existo? Poucos fazem, preferem cumprir deveres religiosos ou deixar esse assunto de lado.

Qualquer que seja o ensinamento para o bem, há de ser entendido tal como é, assimilado como expresso, levando-os ao uso habitual, nunca interpretados. Entendamos que os interpretadores imprimem a eles características de suas concepções individuais, impregnando-os com suas inclinações e estados psíquicos, trazem-nos segundo seu entender, assim ensinam

Ninguém, depois do sepulcro, gozará de um descanso a que não tenha feito jus, tampouco o nada vem após o fenecimento corpóreo, o corpo morre, nós continuamos.

Havemos de viver no exercício do aprendizado espiritual e não só para o material, que há de ser entendido como tonificante necessário para o viver corpóreo. Há de haver equilíbrio entre ambos.

Na parte IV do seu livro “República”, Platão concebe o homem como corpo e alma. Enquanto o corpo modifica-se e envelhece, a alma é imutável, eterna e divina.

Construímos o nosso mundo exterior à semelhança do nosso mundo interior. Ter na evolução interior o tempero do espírito fará com que tenhamos a satisfação do viver, pois haverá sabor no que fazemos, tocamos ou pensamos.

O ser humano que perdeu ou não adquiriu a consciência da espiritualidade não conseguirá evoluir. Poderá crescer materialmente, mas não alcançará a plenitude do sabor da vida, porquanto se ilude pela compra de alegrias.

Ainda sobre Platão, ele afirma que “não podemos ser felizes quando somos dominados pela concupiscência e pela cólera, isso porque as paixões sempre nos conduzem por caminhos perigosos e contraditórios e fazem com que os desejos e os impulsos violentos de nosso corpo tirem nosso bom senso”.

O risco de nos corrompermos é contínuo, a etiqueta social nos remete a um conjunto de regras não escritas que determinam o comportamento humano em sociedade, quem não se comportar dentro dessa norma é censurado, marginalizado.

Por querer estar moderno, há quem acompanha a moda, por mais corrupta que ela seja. Também, hoje em dia, a consciência própria é quase sempre desvirtuada pelo martelar contínuo de proclames, que criam e descriam necessidades. Sem dúvida, somos conduzidos pela mídia a nos comportarmos desse jeito, a nos vestirmos como desejam e a nos alimentarmos do que ofertam. Quem se deixar levar por esse vendaval será rebocado pelos interesses econômicos, materializando-se sempre mais.

Não é dito aqui que nos tornemos retrógrados, absolutamente. Se a roupa mostrada na televisão nos agrada, por que não vesti-la? O que não podemos é perder a nossa individualidade, não corromper a consciência, e, principalmente, não se dedicar ao volátil.

O equilíbrio interior, em espírito, é o que nos leva a ser melhor, a ser feliz. Só evoluímos se formos capazes de dominar nossos sentimentos pela razão.

Conduzamo-nos em espírito pelo saber, sejamos melhores em nós para sermos melhores com os demais caminheiros, busquemos merecer a espiritualidade superior.

O comedimento, o equilíbrio, a seleção racional, e, principalmente, saber sobre si como ser universal parece-me ser um bom começo.

Serenidade, equilíbrio.

Fonte: eusemfronteiras.com.br

Continuar lendo FILOSOFIA: A RELIGIOSIDADE IMPOSTA MOLDOU NOSSOS PADRÕES, TRANSFORMANDO-NOS EM ZUMBIS ITINERANTES

FILOSOFIA: : QUAL É A PONTE ENTRE A CIÊNCIA E A ESPIRITUALIDADE?

A nossa coluna FILOSOFIA desta quinta-feira trás um texto que reflete sobre a fronteira entre ciência e espiritualidade. Existe uma linha tênue entre as duas coisas ou elas jamais se encontrarão? Algumas obras tratam do assunto com realismo e coragem e vale a pena se aprofundar nesse assunto, já que o nosso propósito maior é a expansão da consciência e isso só ocorre se experimentarmos o conhecimento. Boa leitura!

A ciência à luz da ética

            “Nós começamos a descobrir o nosso mundo desde o momento em que nascemos. Continuamos experimentando e aprendendo até o momento de fechar os olhos, o momento da morte física. As descobertas são tarefa para toda uma vida  

Els Rijneker*

SOPHIA • JUL/AGO 2020

Espiritismo - Luz e Ciência - Posts | Facebook

Muitos livros foram escritos sobre ciência, e outros tanto sobre espiritualidade. Qual é a ponte entre ciência e espiritualidade? Deveria realmente haver uma ligação? De onde surge a inspiração para as descobertas científicas? Albert Einstein é um bom exemplo de alguém que construiu essa ponte. Dizem que A Doutrina Secreta de H. P. Blavatsky estava sempre ao seu alcance, sobre sua escrivaninha.

Existem poucos títulos referentes ao elo entre ciência e espiritualidade: O Universo em um Átomo – A Convergência da Ciência em Espiritualidade, do Dalai Lama; A Ciência do Yoga, de I. K. Taimni (Ed. Teosófica); A Ciência e o Sagrado, de R. Ravindra; Um Guia para o Modo de Vida do Bodhisattva; The Universe is a Single Atom (O Universo é um Simples Átomo); A  Flash of Lightning in the Dark of Night (Um Relâmpago na Noite Escura).

Todos os teósofos conhecem o Mantra da Unidade, de Annie Besant, que começa assim: “Ó vida oculta, que vibras em cada átomo, ó luz oculta, que brilhas em cada criatura, ó amor oculto, que tudo abrange na unidade.” O lema da Sociedade Teosófica é Satyan nasti  paro dharma (Não há religião superior à verdade). Com ênfase na liberdade de pensamento, os membros da Sociedade Teosófica são estudantes da vida, buscando a verdade juntos, buscando a arte de viver corretamente. Essa busca tem por objetivo descobrir o desconhecido através do estudo de religião, filosofia e ciência comparadas e investigar as leis inexplicadas da natureza e os poderes latentes no ser humano.

Nós começamos a descobrir o nosso mundo desde o momento em que nascemos. Continuamos experimentando e aprendendo até o momento de fechar os olhos, o momento da morte física. As descobertas são tarefa para toda uma vida. O que assimilamos, compreendemos e lembramos depende das nossas  habilidades e do nosso contexto educacional e cultural. Em suma, experienciamos o mundo através de nossos sentidos e depois acrescentamos nossos pensamentos e emoções. Nossas observações mal podem ser chamadas de imparciais, verdadeiras e puras.

Na pesquisa e na ciência existem muitas armadilhas. Atualmente é preciso discernimento, ética, integridade pessoal e espiritualidade. A Escada de Ouro, de H. P. Blavatsky,  menciona “uma vida limpa, uma mente aberta, um coração puro, um intelecto ardente, uma clara percepção espiritual”. Evidentemente isso também é trabalho para toda uma vida.

Em um simpósio realizado em março de 2014, Marco Pasi, professor de História e Filosofia Hermética, falou sobre “o desafio da alma acadêmica”: “Um dos problemas metodológicos mais frequentemente debatidos em nosso campo diz respeito àqueles que não desejam adotar uma postura neutra ou ‘agnóstica’ no estudo do esoterismo, e sim deixar seus julgamentos serem coloridos por suas próprias crenças espirituais.”

A abordagem científica – a curiosidade e a vontade de investigar e de fazer pesquisa em geral – começa a partir de observações do mundo. Hipóteses são formuladas e testadas sob condições controladas, com instrumentos de alta precisão. Como resultado é apresentada uma nova teoria. Os cientistas são agora capazes de observar a menor das partículas do mundo material. A essa altura, no entanto, surge a questão: qual é a força por trás do mundo material? Que energia é essa? O que é a vida?

Para captar isso são necessários níveis de compreensão mais “etéreos”, quase espirituais. Conseguimos ver além do mundo material? Conseguimos realmente ver e entender as coisas como elas são? Conseguimos alcançar a visão pura, sob qualquer condição? O ser humano pode ser inteligente e brilhante intelectualmente, pode ter estudado muito e reproduzido uma imensa quantidade de fórmulas, fatos e números (a chamada “doutrina do olho” ou “doutrina da cabeça”). Mas possuímos a visão interior? Somos inteligentes nesse sentido (a “doutrina do coração”)? Qual é o nosso objetivo na vida:

Qual é o nosso objetivo na vida: status, orgulho, lucro para poucos, ou o compartilhar com toda a humanidade? Existem questões até mesmo mais difíceis, já que temos uma visão tão limitada: o que  preservar, o que manter, o que liberar – porque a mudança neste mundo físico é inevitável. A correta atitude e integridade devem, necessariamente, desempenhar um papel importante na pesquisa científica. Deveríamos perguntar a nós mesmos se uma descoberta será útil e benéfica para todo o planeta ou para apenas uma parte do mundo. Se  será boa somente para a humanidade ou para todos os reinos (animais e plantas). Será correto, por exemplo, tirar a vida dos animais?

Klaus Klostermaier, professor emérito da Universidade de Manitoba, em Winnipeg, Canadá, escreveu: “Aldous Huxley, um gigante do século XX no reino das ciências humanas, cuja filosofia perene é não apenas uma inigualável antologia das religiões do mundo, mas também o esboço para a religião universal,  sugere que o jñana do Vedanta (puro conhecimento) é a chave para destrancar o portal que leva ao significado da existência.”

Os empreendimentos científicos – e com eles uma grande parte dos nossos esforços públicos na área de educação – são em grande parte dedicados a evitar as grandes questões humanas, em vez de abordá-las. A redução da racionalidade à manipulação matemática de dados não apenas restringe o escopo da ciência e a faz ignorar questões de significado, mas também convence os cientistas e as pessoas em geral de que questões desse tipo, questões relativas ao eu, são “anticientíficas”, e  portanto não vale a pena pesquisá-las. A pesquisa com relação a esse tipo de questão aparentemente “não compensa”. A ciência moderna deixa de lado, por exemplo, questões que incluem toda a gama da ética, da estética e da  espiritualidade.

Haverá uma ponte entre ciência e espiritualidade? É mais do que provável que haja. Deve haver uma, e ela pode sempre ser  melhorada.

Como devemos agir para melhorar essa condição? Esta é uma questão de ética. O primeiro passo deve ser dado individualmente. Somos todos livres para tomar essa decisão por nós mesmos, e temos que trilhar nosso próprio caminho para alcançar o grande “conhece-te a ti mesmo”, gnothi seauton, a frase gravada no frontispício do templo de Apolo em Delfos.

Movimentos espirituais visam essa meta de discernir, compreender e agir eticamente. Embora no mundo científico essa não seja uma prática comum, seria uma ideia apropriada considerar e discutir questões éticas com maior frequência, admitindo que as soluções não  são facilmente encontradas. Estudo, meditação e serviço são os três pilares da vida teosófica, ligados à arte de viver corretamente. Os cientistas devem combinar em suas pesquisas o raciocínio e a reflexão, num estudo meditativo cujo resultado levaria a um sincero serviço à humanidade.

“Os empreendimentos científicos são em grande parte dedicados a evitar as grandes questões humanas, em vez de abordá-las. A redução da racionalidade à manipulação de dados restringe o escopo da ciência.”

Fonte:  Revista Sophia, ANO 18 • Nº 86

Continuar lendo FILOSOFIA: : QUAL É A PONTE ENTRE A CIÊNCIA E A ESPIRITUALIDADE?

AUTOCONHECIMENTO: A SAÚDE FÍSICA É O RESULTADO DE TODOS OS NOSSOS “OUTROS CORPOS” ENERGÉTICOS, EMOCIONAL, MENTAL E ESPIRITUAL

A AUTOCURA é possível, mas é preciso haver o alinhamento do físico, mental, espiritual e emocional. O equilíbrio corpo-mente-espírito. Sem isso é impossível alcançar a Saúde Integral. O texto a seguir explica como e porque isso acontece e como você pode conseguir esse alinhamento. Leia o artigo completo e dê um salto quântico!

Saúde e espiritualidade, reflexão para a autocura

Gabriella Hausen

Escrito por Gabriella Hausen

Mulher sorrindo segurando buquê de rosas perto do rosto

Segundo a mentora Joanna de Ângelis, a medicina ayurvédica na Índia, a medicina chinesa e outros saberes e mentores, a saúde física é o resultado da saúde de todos os nossos “outros corpos” (energético, mental, espiritual emocional, ) e vice-versa.

No livro “Momentos de Saúde”, Joanna de Ângelis comenta: “A criatura humana torna-se o que pensa, o que sustenta mentalmente e desenvolve até a fixação”. Portanto, aquilo que pensamos chega até o nosso físico, querendo ou não.

Já é muito falado dentro de alguns estudos, como na metafísica da saúde, sobre a importância do nosso equilíbrio de uma forma integral. Junto a isso, muitos mentores e espíritos em psicografia, cada vez mais, nos atentam para essa realidade. Pois o momento em que estamos, de transição, é um instante de grande força e desejo de despertarmos de vez, e não só isso, mas também de olharmos para a nossa autocapacidade de cura.

Ainda no livro “Momentos de Saúde”, a mentora Joanna comenta: “Graças à inferioridade humana, permanecem os fatores de perturbação e desordem na área da saúde, desenvolvendo as enfermidades dilaceradoras”. Em conjunto, explica: “À medida que a criatura se autodescobre e se autopenetra com os equipamentos do amor, constata que a saúde é uma conquista interior, que se reflete no corpo como resultado da harmonia íntima”.

Mesmo depois de diversos auxílios e até provas, ainda é um tanto difícil para nós, seres humanos, percebermos que só depende de nós a conquista de nossa harmonia interna.

Por mais complicado que seja perceber, isso não depende do esposo, do filho, da mãe, do governante, da presidenta, mas sim dos nossos pensamentos, sentimentos, ações e hábitos.

O nosso ego e a nossa mente mais instintiva, em vez de olharem para a nossa parcela de responsabilidade e corresponsabilidade, muitas vezes preferem apontar o dedo e criticar, antes mesmo de fazerem uma boa avaliação interior. Esse mecanismo, chamado de “projeção”, dentro da psicologia analítica, seria uma defesa inconsciente para acharmos que temos razão, em vez de mudarmos. Ademais, o nosso corpo, não raramente, prefere continuar junto ao conforto em vez da mudança plena. Mudança essa que, inclusive, nos aproximaria e aproxima da nossa essência e dos nossos amigos e mentores espirituais.

Sobre algumas das formas com as quais podemos nos curar, existem diversas, estão aí as terapias holísticas, casas de umbanda, kardecistas, budistas, e assim por diante. Todavia, gostaria de compartilhar a visão de Joanna com isso, já que este texto foi inspiração minha a um grupo de estudos que usa como referência psicografias de “Divaldo Franco”. Ademais, Joanna de Ângelis continua: “O amor é a chave para o enigma da enfermidade-saúde”. Amor esse que não se encontra nos apegos e no amor Eros, aquele sexual, mas sim em um amor mais qualificado.

Segundo Joanna, a caridade é, além de uma terapia para a paz interna, também “o modelo de aplicação correta para o amor”. Amor que nos conecta ao nosso Eu Divino, aquele que carrega e nos entrega a verdadeira cura.

Algo que aprendi e sigo aprendendo é sobre essa minha responsabilidade de ser “plena”, de buscar a minha própria harmonia e felicidade, junto de meus entes e amigos amados, claro, mas sem depositar nos mesmos os fracassos existenciais, que só respondem às minhas ações e vibrações. Para encerrar, gostaria de convidar você, que lê agora, para começar a fazer o mesmo. Para buscar auxílio, se necessário e se conectar com energias mais elevadas, para buscar o seu caminho de cura. Acredito que os livros de Joanna possam ajudá-lo, se assim for a sua Vontade e o seu caminho.

Um grande abraço!

Fonte: eusemfronteiras.com.br

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A SAÚDE FÍSICA É O RESULTADO DE TODOS OS NOSSOS “OUTROS CORPOS” ENERGÉTICOS, EMOCIONAL, MENTAL E ESPIRITUAL

DICA DE LIVRO: LAÇOS ETERNOS DE ZIBIA GASPARETTO

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é sobre uma história de amor, ciúme e redenção, que narra a saga entre duas vidas, revelando-nos as belezas da reencarnação e mostrando que o amor é a força motriz , que se funde no Todo, criando laços indestrutíveis pela eternidade. Uma obra prima da grande escritora Zibia Gasparetto, “Laços Eternos”

Fonte: Acervo Pessoal

Continuar lendo DICA DE LIVRO: LAÇOS ETERNOS DE ZIBIA GASPARETTO

AUTOCONHECIMENTO: O HOMEM, TÃO INTELECTUALMENTE DESENVOLVIDO E TÃO POBRE EM ESPÍRITO

Aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira você vai ter uma oportunidade incrível de saber um pouco mais sobre o maior enigma da ciência: o homem. O texto a seguir retirado do livro “O Caminho Secreto” – escrito em 1950 pelo inspirado escritor inglês Paul Brunton, publicado pela Editora Pensamento. Um livro que vale a pena ser lido em todo o seu conteúdo e aqui você tem uma pequena, porém rica amostra de pura sabedoria!

O MAIOR ENIGMA DA CIÊNCIA: O HOMEM

– Por Paul Brunton –
Vivemos num globo que turbilhona vertiginosamente no espaço e cuja posição está marcada em algum lugar do grande céu entre Vênus e Marte. Há neste fato alguma coisa que provoca o riso, mas que também dá o que pensar. Embora a distância que nos separa desses dois astros seja tão imensa que confunde a imaginação, o homem a calculou com uma exatidão surpreendente e, no entanto, esse homem é incapaz de medir o alcance da sua própria mente! Ele é um mistério para si próprio, um enigma que permanece insolúvel até a hora em que o frio abraço da morte chegue, gelando seus ombros…
Não há nisso uma ironia? Pensar que a alma do homem é menos acessível às pesquisas do que a terra onde mora! Não é surpreendentemente estranho que o homem esteja tão absorvido em estudar a face do mundo que só em época relativamente recente haja pensado em conhecer o mundo que está nele?
Por que ele se preocupa tanto com a marcha do universo que, além do mais, não cabe a ele dirigir, enquanto ele deve dirigir-se a si mesmo?
O sistema solar gira muito bem sem sua ajuda…Vive! Morre! O universo não se alarma, nem se altera… escreveu Zangwill, o inteligente e sábio pensador.
O homem, porém, não aprecia muito essa verdade mordaz, porque sabe mais coisas sobre o funcionamento do seu automóvel do que do seu próprio ser. No entanto, os antigos ensinaram e sábios do nosso tempo confirmaram que no imo da consciência existe um veio do mais puro quilate, veio de ouro resplandecente!
Não será então mais sábio se fizermos dessa busca nosso primeiro cuidado?
Comparados com outros resultados já obtidos, a Ciência tem pouca noção no que diz respeito ao homem. Descobriu como temperar metais, lançar bombas de meia tonelada sobre cidades vizinhas e mil outras coisas de menor relevância. A descoberta da Física conheceu, durante os três últimos séculos, uma aceleração estupenda, enquanto o conhecimento sobre o homem permanece ainda na retaguarda. Sabemos construir pontes gigantescas que atravessam rios volumosos, porém não sabemos dar um passo para resolver esse simples problema: “QUEM SOU EU?”
Nossas locomotivas percorrem terras do mundo inteiro, mas nossa mente não sabe transpor o mistério do homem. Astrônomos chegam a captar com a objetiva de seu telescópio as mais distantes estrelas, mas se nós lhes perguntássemos se conseguiram dominar suas paixões, em resposta baixarão a cabeça, confusos.
Somos cheios de curiosidades em saber tudo a respeito do nosso planeta, mas ficamos indiferentes quando se fala do nosso eu profundo.
Temos acumulado informações extremamente minuciosas sobre cada coisa que vemos, conhecemos, e sobre o funcionamento, a qualidade e a propriedade de todos os corpos e fenômenos terrestres. Mas não conhecemos a nós mesmos!
Até aqueles que se aprofundaram em todas as ciências existentes, ignoram os rudimentos da ciência do “Eu”. Os cientistas que descobriram o porquê e do como da vida dos micróbios não conhecem o porquê nem o como da sua própria existência! Sabemos o valor de cada coisa, mas ignoramos nosso próprio e inestimável valor!
Enchemos enciclopédias de milhares de páginas com milhões de informações sobre todas as coisas, mas quem pode redigir um compêndio sequer que trate do mistério do seu próprio ser? E por que razão o que mais nos interessa é a nossa própria pessoa? Porque a “pessoa” é a única realidade da qual estamos certos. Todos os fatos da vida que nos rodeiam, todos os pensamentos íntimos do nosso ser só existem para nós quando o nosso “Eu” os percebe. O “Eu” é a última essência… a primeira noção que temos de nós e será a derradeira que conheceremos ao chegarmos a ser sábios.
A verdadeira sapiência, a luz do intelecto, nos vem de dentro da esfera do “Eu”. Não podemos conhecer o mundo e saber acerca das coisas senão através de certos instrumentos e dos nossos sentidos. Todavia, quem os interpreta e os utiliza é o nosso “Eu”. Somos, portanto, obrigados a reconhecer que o estudo do “Eu” é o mais importante ao qual um pensador deve dedicar-se.
Um sofista, aproximando-se um dia de um sábio da Grécia antiga, queria confundi-lo com perguntas embaraçosas; mas de Mileto mostrou-se à altura das provas e respondeu a todas as perguntas sem vacilar, com a maior exatidão.
Eis as perguntas:
1. Qual é a coisa antiga?
– Resposta: Deus – porque sempre existiu.
2. Qual é a coisa mais bela?
– Resposta: O universo – porque é a obra de Deus.
3. Qual das coisas é a maior?
– Resposta: O Espaço – porque contém tudo o que foi criado.
4. Qual das coisas é a mais constante?
– Resposta: A Esperança – porque perdura no homem mesmo depois de ter ele perdido tudo.
5. Qual e a melhor das coisas?
– Resposta: A Virtude – porque sem ela nada pode ser bom.
6. Qual é a mais rápida das coisas?
– Resposta: O Pensamento – porque em menos de segundo percorre o Universo.
7. Qual é a mais forte de todas as coisas?
– Resposta: A necessidade – porque faz o homem enfrentar todos os perigos da vida.
8. Qual das coisas é mais fácil de fácil de fazer?
– Resposta: Dar conselhos.
Porém, quando chegou à nona pergunta, o sábio deu a resposta paradoxal, cujo sentido profundo – tenho certeza – jamais foi compreendido pelo interlocutor imbuído do saber intelectual, bem como para a maioria das pessoas terá apenas um sentido superficial. A pergunta é esta:
– Qual das coisas é a mais difícil de realizar?
 E o sábio milésio lhe respondeu: “Conhecer-se a si mesmo”.
Esta foi a mensagem de sabedoria dirigida aos homens ignorantes pelos antigos sábios; esta é também a mensagem da nossa época.
 – Texto extraído do livro “O Caminho Secreto” – escrito em 1950 pelo inspirado escritor inglês Paul Brunton – Editora Pensamento.
 Nota de Wagner Borges: Paul Brunton é autor de vários ótimos livros dentro da temática espiritual: “A Índia Secreta”, “O Caminho Secreto”, “Um Eremita no Himalaia”, “A Busca do Eu Superior”, e outros – todos editados no Brasil pela Editora Pensamento. Para mais detalhes sobre o trabalho desse grande escritor inglês – de alma oriental -, e pesquisador dos temas conscienciais, é só acessar o site www.paulbrunton.hpg.ig.com.br – Inclusive, nesse site há uma seleção de diversos textos dele disponibilizados para leitura gratuita.
 Em tempo: no site do IPPB – www.ippb.org.br, na coluna da Editora Pensamento – há um maravilhoso relato dele sobre uma experiência fora do corpo vivenciada dentro da Grande Pirâmide do Egito. O título do mesmo é “Uma Noite Dentro da Grande Pirâmide” – e pode ser acessado no seguinte endereço específico: http://www.ippb.org.br/textos/especiais/editora-pensamento/uma-noite-dentro-da-grande-piramide
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O HOMEM, TÃO INTELECTUALMENTE DESENVOLVIDO E TÃO POBRE EM ESPÍRITO

FÍSICA QUÂNTICA: CONVIDO VOCÊ A CONHECER A MAIOR SUMIDADE MUNDIAL EM FÍSICA QUÂNTICA, AMIT GOSWAMI

Na coluna FÍSICA QUÂNTICA deste domingo tenho a honra de trazer para vocês as impressões de Monica Marchese Damini sobre o extraordinário phd em física nuclear Amit Goswami, a maior referência mundial em Física Quântica e o Ativista Quântico número 1. Num bate papo descontraído ela extraiu informações valiosíssimas, inclusive o conceito de Ativista Quântico, que você não pode deixar de conhecer!

Conheci Amit Goswami!

Feriado de Páscoa de 2019, e lá estava eu, cara a cara com Amit Goswami, renomado phd em física nuclear, referência em mecânica quântica que participou do filme “Quem Somos Nós”, que eu assisti algumas vezes, autor de vários livros que eu tanto estudei nas mais diversas abordagens e técnicas de vários outros autores e terapeutas, em uma imersão incrível sobre espiritualidade e física quântica.

Amit é um homem simples, doce, com amor no olhar, que fala de perto, com doçura, alegria, entusiasmo e, ao mesmo tempo, tranquilidade.

Amit Goswami sorrindo em frente ao jardim de uma universidade, vestindo camisa e chapéu vinhos, além de um terno preto.

Que incrível foi estar ali, pertinho de uma figura tão importante desse mundo quântico, onde a ciência explica Deus e a criação da realidade falando de amor e meditação.

Puxa! Aquele homem encantador era o autor do primeiro livro de mecânica quântica que eu li, “O Universo Autoconsciente”, um livro que foi de leitura um tanto difícil para mim na época, tinha sido escrito por aquele homem amoroso, que estava lá, falando de amor e energias. Amei conhecê-lo.

Muitos temas foram abordados: Deus, morte, sentido da vida, inteligência, dualidade entre materialismo e espiritualidade e suas semelhanças na incapacidade de dar sentido satisfatório à vida.

Condicionamentos e crenças que não preenchem o vazio existencial de uma alma ignorada. Vazio que não se preenche nem parcelando em 12 vezes no cartão de crédito tudo aquilo que compramos sem parar.

Segundo Amit, somos nós quem escolhemos a nossa visão de mundo; aquilo que ressoa, ou não, conosco como forma de entender o mundo. Seres humanos funcionam pela razão, não pela lógica.

Precisamos aprender a responder a cada estímulo da forma apropriada com a expansão da consciência e não de forma automática seguindo todos os condicionamentos que a sociedade onde fomos criados nos impõe.

Quando estivermos infelizes, precisamos nos perguntar o que está acontecendo e não apenas nos enganar comprando, gastando e bebendo para preencher um vazio que não será preenchido com nada disso.

Enquanto estava falando em compras e outras adicções, incluindo o uso do celular, ele fez um comentário que tirou risos nervosos da plateia, de que mulheres adoram comprar sapatos quando estão aborrecidas porque a pressão nos pés deixa os órgãos sexuais excitados e a mulher se sente mais sexy, mais atraente e, assim, se sente bem a seu respeito!

A psicanálise tem uma versão um pouco diferente, mas uma identificação imediata aconteceu por lá.

Mulher escolhe entre um salto rosa claro e um vermelho na prateleira de uma loja de sapatos.

A conversa enveredou para o tema da manipulação, e, como na maioria das vezes, estamos inseridos num mundo determinista, onde acabamos não tendo escolhas, somos levados. Nesse ponto ele levantou o celular como veículo moderno para alienação, pelo excesso de informação e consideração que damos a opinião de pessoas famosas, populares e como somos guiados e manipulados por essas opiniões que, na verdade, podem não são ser importantes para nossa alma. Acabamos encontrando significado para nossa vida baseados nas opiniões dos outros. Triste, pois ficamos frustrados por não ser o que, na verdade, nunca seríamos mesmo.

Ele começou então a explicar que o Ativista Quântico é aquele que pratica o Ativismo Quântico e a questão principal dele é: qual o sentido da minha vida?

Putz, que pergunta mais comum a quem está no processo do Despertar… E qual é a resposta?

Ele discorreu sobre vivermos sob dois Sistemas de Crenças: Materialista x Espiritualista, e, em ambos, está tudo sempre determinado, obviamente que não por nós, que não temos nenhuma opção de escolha…

Na visão materialista, o mundo já é determinado pela ciência, Einstein, Darwin, e a elite comanda e faz cumprir. O que sentimos não tem importância nenhuma e, dessa forma, vivendo sob esse paradigma só nos resta, por nosso livre arbítrio, escolher nosso manipulador preferido, seja o Bem ou seja o Mal.

Homem caminha para a ponta de uma pedra, como se estivesse prestes a pular no abismo.

Na visão espiritualista/religiosa, está tudo igualmente determinado, porém aqui é Deus quem determina tudo, e todos esperam receber agrados Dele e aguardam o pós-morte para serem finalmente felizes.

Já pela visão Quântica de mundo, o grande mal é suprimir a liberdade de escolha de outra pessoa.

Aqui a regra é ouvir o nosso coração e agir conforme nossa própria intuição e insights.

No mundo do ativista quântico, o significado de nossa própria vida não vem dos condicionamentos; nele, nós mesmos o buscamos e ele é individual.

Isso significa fazer escolhas próprias e encontrar a nossa forma correta de viver. Isso é a felicidade.

Nesse mundo lindo, Felicidade vem da etapa seguinte ao Prazer, que é desejo do ego, sempre baseado nos condicionamentos sociais do que precisamos ser e ter.

Mulher sentada na praia observando o horizonte, com um copo de café na mão.

O ativista quântico tem escolhas e, apesar de viver no ego, que está pleno de condicionamentos e determinismos e nos faz reagir conforme o que nos foi ensinado, temos a liberdade de dizer não. Não sucumbimos aos desejos do ego.

Sabemos dizer não a ele.

Isso foi sensacional para mim! O caminho do meio é uma busca pessoal; e ouvir dele que vivemos, sim, no ego, que ele é útil e necessário para a existência, porém não somos obrigados a obedecê-lo, vai de encontro à filosofia do Yoga, que eu amo. Não precisamos matar o ego, mas sim conviver harmoniosamente com ele, sem lutas, brigas ou confusões, cientes de que ele é funcionário do Eu Superior; e, aliás, pode ser um funcionário maravilhoso porque é muito bem aparelhado. O ego precisa se expandir, porque é com ele que criamos, ele não é nosso inimigo.

O ego tem o poder de dizer não a cada emoção negativa, ao excesso de prazer, ao excesso de informação. Temos opção de são sermos servos do ego. Oba!

O condicionamento do ser humano no paradigma materialista substituiu o SER pelo TER, e favorece a cultura do centramento em MIM, que virou objeto para TER ao invés de SER, enquanto na visão quântica focamos no SER.

Homem medita de olhos fechados em meio a um gramado.

Precisamos expandir a consciência e, para isso, precisamos dizer não a certas tendências de dominação.

A única forma saudável de influenciar alguém deve ser pelo exemplo e jamais pela força ou poder, como tem sido feito há muito tempo.

Ele sugeriu algumas afirmações diárias para uma nova proposta de vida para quem sentir o chamado de sair do paradigma materialista e tornar-se um ativista quântico:

Da mesma forma, disse Gandhi: “Seja você a mudança que quer no mundo.“

Ghandi sorrindo, vestindo seus trajes característicos e um óculos redondo.

Essa é a proposta do Ativismo Quântico.

A resposta para a pergunta lá de cima de “qual o sentido da minha vida”, tem como resposta: aprender a sermos nós mesmos, livres dos condicionamentos, livres da escravidão de ceder aos desejos do ego e, assim, manifestar o Estado de Fluxo, onde a intenção tem poder e o inconsciente não condicionado cria a realidade, por isso a necessidade da expansão da consciência.

Seguindo o Fluxo da Vida, as coisas acontecem por si.

A cocriação acontece entre o ego e a Consciência Una.

O texto seria muito longo para contar tudo que foi vivido por lá.

Eu sei que existem cursos online que são ferramentas incríveis porque facilitam o acesso à informação, mas estar lá, naquela egrégora de afins, com ele, ali, no corpo físico, presencialmente, trabalhando energias, foi simplesmente sensacional! Uma experiência maravilhosa que, com certeza, pretendo repetir.

Eu já tinha minhas convicções, mas sai de lá ainda mais determinada a abrir mão dessa realidade que cobra culpa, dor e julgamento, e escolher a coragem de sair dos condicionamentos, fazendo valer minha consciência, que cria tudo de melhor para mim e para o Todo.

Pesquisei para trazer a dica de eventos presenciais de apenas um dia com ele que a Quantum Academy está promovendo.

Não, não é publicidade e não estou ganhando nada com isso, é apenas uma dica para quem sentir vontade de conhecer pessoalmente esse homem simples, de chapéu, que come na mesa com a gente, limpa a louça e passeia pelos jardins, mas é referência mundial nos estudos em conciliar ciência e consciência.

Nossa proposta aqui no site é partilhar conhecimentos e coisas boas.

Tour Amit GoswamiNamastê.

Monica Marchese Damini

 

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo FÍSICA QUÂNTICA: CONVIDO VOCÊ A CONHECER A MAIOR SUMIDADE MUNDIAL EM FÍSICA QUÂNTICA, AMIT GOSWAMI

ENTREVISTA: O EXPERIENTE E EXTRAORDINÁRIO ROBERTO SHYNIASHIKI NOS ENSINA O QUE REALMENTE É SER FELIZ

Na nossa coluna ENTREVISTA deste sábado temos a honrosa presença do incrível Roberto Shyniashiki, que vai responder perguntas ao Alex Alprim sobre espiritualidade, felicidade, amor, relacionamento, performance, qualidade de vida e outros assuntos pertinentes ao desenvolvimento pessoal e espiritual. Você não pode perder essa experiência indescritível com essa fera da psiquiatria.

 

ROBERTO SHINYASHIKI: FELICIDADE

Conferencista, consultor organizacional, Roberto Shinyashiki é um nome de referência quando se fala em qualidade de vida e motivação. Em entrevista exclusiva, ele revela histórias inéditas de sua vida e transmite lições de liderança e de como construir bases sólidas para um novo mundo.

Alex Alprim

Roberto Shinyashiki, autor de dez livros, que venderam um total de 5,5 milhões de exemplares somente no Brasil, é uma referência para todos os que estudam e buscam aplicar os conceitos da espiritualidade ao mundo empresarial. Seu trabalho recebeu forte influência de estudos realizados pelo Oriente, mas também faz uso de antigas tradições espirituais do Ocidente, numa pluralidade que permite comunicar a seus leitores a mais profunda verdade: o importante é ser feliz.

Médico psiquiatra, Shinyashiki é pós-graduado em Administração de Empresas (MBA – USP) e professor da Cadeira de Liderança do Eurofórum (Espanha). Em palestras, conferências e fóruns, ele sempre alerta sua platéia para as mudanças que as empresas e a sociedade estão vivendo e os riscos que corremos com cada escolha que fazemos.

Em seu trabalho, Roberto também ressalta o papel das empresas no processo de transformação do homem e como as competências de cada um podem ser usadas para construir campeões, pessoas preocupadas não só com suas contas e ganhos, mas com a criação de uma sociedade solidária, justa e ética.

Shinyashiki tem uma participação ampla em vários projetos ligados ao chamado Terceiro Setor. Sua dedicação às causas sociais rendeu-lhe o prêmio Hadge Capers, da Associação Internacional de Análise Transacional, como melhor projeto de solidariedade mundial.

Numa entrevista exclusiva concedida à Sexto Sentido, o médico e palestrante revela, pela primeira vez, como decidiu pregar a felicidade após a morte de seu mestre Osho.

Atualmente vemos no universo empresarial uma busca por resultados e metas, que lembra de maneira triste a mentalidade da década de 1980. Como você vê isso?

Eu tenho dito às empresas que o grande desafio no mundo do trabalho é ser competitivo e, ao mesmo tempo, humanista, conseguir integrar sucesso com felicidade. Esse é o grande objetivo. Muitas empresas quebram no Brasil porque só valorizam o ser humano, a ambição, o bem-estar, ou o outro lado, tão perigoso quanto: a ambição sem medidas.

Quando você tem uma empresa que só valoriza a competitividade, você terá pessoas que vão acabar sofrendo de estafa e ficando desmotivadas; elas não conseguem continuar trabalhando simplesmente pelo dinheiro, pelo resultado, e essa empresa vai ficar no vazio.

O Guia das 100 Melhores Empresas para se Trabalhar (Editora Abril – Revista Exame) já está ficando mais valorizado do que As 500 Maiores Empresas, porque as pessoas querem trabalhar numa empresa em que se sintam importantes, criando uma contribuição para o mundo, transformando á humanidade, fazendo a diferença. Há uma pesquisa da psicóloga Sofia Esteves, com trainees – que são profissionais ainda na vida acadêmica -, e é interessante que a maior parte desses trainees dizem querer obter sucesso sem destruir suas vidas como seus pais destruíram as deles. Essa moçada de hoje, entre 20 e 24 anos, já tem uma noção de qualidade de vida.

Pensamento cria realidade. Algumas pessoas acreditam que o trabalho traz a infelicidade no amor, e isso acontece porque o pensamento cria matéria. Eu acredito que a espiritualidade pode trazer riqueza material; então, você pode ter a riqueza material junto com a espiritualidade e a riqueza espiritual. Uma não proíbe a outra, e eu vejo que quando as pessoas têm essa consciência, essa consciência, aliada à força, cria a realidade dessas pessoas.

Existe um pessoal que tem o pensamento muito pobre: “Para eu ter dinheiro, eu tenho que abrir mão de tudo, abrir mão de ser um ser humano, ter uma amizade legal com os filhos, ter um casamento e uma família legal”. No sentido da totalidade da vida, eu vejo essas pessoas como as mais pobres que existem, porque pagam um preço muito caro pelo dinheiro. Eu gosto de dinheiro, mas gosto do dinheiro que me dá coisas, não do dinheiro que me tira coisas. O dinheiro que destrói uma família, um casamento, os valores, a espiritualidade, é um dinheiro caro.

Seria isso a noção oriental de prosperidade – o complemento de tudo -, tanto sob o ponto de vista sentimental, mental, espiritual e físico, quanto como conseqüência do bem-estar nas outras áreas da vida?

É. O nome do livro O Sucesso é ser Feliz nasceu quando eu estava dando uma entrevista. Lembro que a jornalista me perguntou quando eu me sentia uma pessoa de sucesso: quando era aplaudido em pé por uma platéia de mil pessoas, ou quando os meus livros estavam entre os dez mais vendidos. Nessa época, eu tinha três livros entre os dez mais vendidos.

Parei para pensar e vi que me sinto uma pessoa de sucesso quando chego em casa e meus filhos me beijam; aí, eu me sinto uma pessoa bem-sucedida. Então respondi: “O sucesso é ser feliz”. Eu acredito que as pessoas precisam entender essa multidimensão do sucesso. Sucesso é ter uma esposa que te ama, filhos que curtem quando você volta para casa, e não aqueles filhos que pensam “meu pai vai voltar, vai brigar, minha mãe vai brigar”. Essa multidimensão do sucesso é legal porque cria felicidade.

Como a espiritualidade pode estar presente nas empresas?

Vou contar uma história que nunca revelei à imprensa. Eu estava em Puna, índia, quando Osho morreu. Isso foi, se eu não me engano, em 19 de janeiro de 1990. Eu era um discípulo apaixonado pelo mestre. Ele foi cremado num ritual bem rústico. No dia seguinte, quando voltei ao local, ainda havia um pouco das brasas da fogueira, e eu fiquei lá um tempo sentado, curtindo a sensação de o mestre ter partido. Quando voltei para o asharam, senti fortemente a presença do meu mestre. Nós conversamos e ele me disse: “Roberto, agora você tem que falar nas empresas para os empresários sobre a felicidade”.

Era interessante porque eu falava dos seres humanos nas organizações, mas não de felicidade. Então fui fazer o que o mestre mandou. É interessante observar o sucesso da minha carreira: ele surgiu quando eu comecei a falar de felicidade nas organizações, porque as empresas estavam precisando. Tenho falado da felicidade durante esses anos e vejo muito desespero. Talvez, o sucesso que eu faço não só no Brasil, mas no mundo, seja porque eu falo de competitividade, de competência, mas vejo que o que eu falo melhor e o que as pessoas escutam mais é quando falo de felicidade, de sentido de vida, de missão. Ou seja, as pessoas, apesar de cansadas, estão iniciando uma longa caminhada para criar empresas como sendo um lugar para poderem se realizar.

Alguns estudiosos afirmam que o individualismo acabou. Aquela coisa do self-made-man chegou ao seu final. O que existiria hoje, na verdade, seria um individualismo positivo, um respeito intenso pelo indivíduo humano. O individualismo, que num momento era uma coisa negativa, hoje se transformou em algo positivo. Como você vê isso?

Se analisarmos as idéias dos pensadores modernos, vamos observar que eles vão tender sempre para uma polaridade. Num certo sentido, a polaridade deles sempre está certa. Esses dias, uma publicitária alemã, que está fazendo sucesso, escreveu um livro sobre a empresa dela chamado Aqui não se tem prazer.

Ela afirma que espírito de equipe é uma bela desculpa para um ficar fazendo corpo mole e deixar o outro trabalhar. Quando ela diz isso, está certa. Agora, se não houver o espírito de equipe e cada um fizer o que der na telha, nada dará certo. Se ficar todo mundo esperando para se tomar uma decisão por consenso, nunca haverá uma decisão. É por isso que a economia japonesa não está andando – porque tudo precisa ser por consenso, e decisão por consenso, quando tomo mundo decide, demora três anos. Resultado: a decisão se torna inútil.

Por exemplo, se você vai fazer uma viagem espiritual, ela é única e exclusivamente individual. Por mais que eu ame meus filhos – e certamente são seres que eu amo ao infinito -, não consigo lhes transmitir um mínimo de sabedoria. Às vezes, eu os vejo fazendo coisas que vão lhes causar sofrimento, mas tenho que abençoar.

E isso não é apologia ao individualismo, essas coisas são individuais mesmo. Agora, se a humanidade não cooperar, seremos extintos mais rápido do que imaginamos. Você precisa estar entre o ying e o yang, qualquer que seja o ying e o yang, É como se o individualismo e o cooperativismo fossem forças dinâmicas se estruturando, e precisam estar no Tao.

Você tem que confiar em Deus para educar seus filhos? Precisa. Então, entregue-os a Deus, mas precisa dar limites; portanto, são as duas coisas ao mesmo tempo. Não é dizer “sim” para tudo. Nem sim para a individualidade, nem sim para o coletivismo; é o Tao – o equilíbrio.

Se alguém me disser que quer entender de empresas, eu vou sugerir que leia o Tao. Se alguém quer ser um empresário de sucesso, eu direi para ler o Tao. Se alguém disser que quer ser um professor, eu direi para ler o Tao.

Existe uma valorização cada vez maior do trabalho voluntário e isso está virando, em algumas empresas, o fator decisório entre contratar ou não um empregado. Isso acaba criando uma ditadura do voluntariado, ou seja, as pessoas podem acabar fazendo trabalho voluntário simplesmente porque, num mercado cada vez mais competitivo, isso passaria a ser uma vantagem. Não seria uma perda do senso de altruísmo? Eu não estaria ajudando ninguém, senão a mim mesmo.

É verdade. Eu tenho uma participação muito grande no movimento do Terceiro Setor no Brasil e vejo que muitas empresas fazem trabalho voluntário porque as pessoas falam que, se a empresa fizer o trabalho voluntário, a sociedade vai ver o produto com bons olhos e quando ela tiver que decidir entre seu produto e o concorrente, vai pegar o seu.

Eu vejo que continuamos, de alguma maneira, não estimulando o amor ao próximo, mas estimulando o egoísmo, que é esse senso do retorno. Quando a empresa investe em projetos sociais puramente movidos pelo marketing, o que acontece? Ela doa dinheiro a um orfanato e, da mesma maneira que corta a verba de publicidade impressa, também corta a verba para o orfanato.

Eu sou muito crítico quando a empresa faz um trabalho de responsabilidade social via departamento de marketing, que é o que muitas das grandes companhias fazem. Não é a empresa que cuida diretamente do assunto. E o dinheiro gasto sai como verba de marketing. Então, quando o marketing decide que é melhor investir numa campanha de televisão do que na entidade X, eles cortam o auxílio financeiro, e isso é desumano.

O outro lado é que pode ser por um caminho errado que as pessoas se conscientizam e acabam amando o próximo, comovendo-se com aquele velhinho, com aquela pessoa com câncer, com aquela criança com Aids, com aquela pessoa cega, porque o outro lado dessa história é que o mundo não tem saída se não for através da solidariedade.

Se nem todos assumirem a gestão do mundo de uma maneira cooperativa, então será preciso que todos participem, ainda que de uma maneira “torta”. Já vimos empresas que entraram para fazer marketing, comoveram-se com a situação e começaram a atuar de uma maneira mais humana. Seria como escrever certo por linhas tortas: o sujeito vai para uma Apae, para colocar no currículo que tem um projeto social, e, de repente, constatamos que ele se apaixonou pela idéia. É como aquele sujeito que sai com uma menina para ter simplesmente alguns momentos de prazer e se apaixona.

O senhor disse que as pessoas ficam focadas nos problemas e nas dificuldades que nascem desses problemas, como se estivessem sintonizadas numa faixa negativa de acontecimentos. Como quebrar esse ciclo?

Esse é o lance importante. De dez conversas que temos hoje, as pessoas sempre vêm falar de problemas. Elas são apegadas aos problemas. Temos que mudar o foco e concentrar as energias na solução.

Respondendo objetivamente: a primeira coisa que precisamos analisar é o tipo de problema que temos em mãos. Se for um problema que se repete, ele deteriora nossa vida e significa que não conseguimos quebrar o círculo vicioso. O único jeito de resolver isso é entender que a pessoa é a causadora do problema e, em seguida, assumir a responsabilidade de estar nesse problema que se repete, e mudar a postura diante da vida.

Se a pessoa me diz que está com uma dificuldade e não consegue resolve-a, existem quatro passos. Primeiro: reconhecer que o problema é um problema – porque há muitas pessoas que têm um problema e acham que não têm. Segundo: pedir a alguém que o conheça para ajudá-lo; ou seja, se a empresa está com dificuldade financeira, deve chamar alguém que entenda disso. Terceiro passo: a pessoa elabora um plano de ação. Quarto: ação.

No Brasil, geralmente negamos o problema, pedimos ajuda de pessoas que não são especialistas, não temos um plano de ação. E, quando fazemos tudo isso, não colocamos a coisa em prática.

Resolver problemas nos deixa fortes, e isso é fundamental. É bom ter problemas, dificuldades. Eles são oportunidades. Há uma frase no meu livro novo que diz “Felicidade não é ausência de problemas; ausência de problemas chama-se tédio. Felicidade são grandes problemas bem administrados”.

O que torna o ser humano um verdadeiro líder consciente?

Eu era responsável pela Cadeira de Liderança numa escola da Espanha chamada Euro Fórum. Lá eu teria três dias de aula para responder a essa pergunta, mas vamos resumi-la.

Todo mundo quer liderar, mas líder é a pessoa que cria no outro o desejo de ser influenciado por ela. Por exemplo, o pai quer influenciar o filho, mas a pergunta é: o filho quer ser influenciado pelo pai? Não, porque o pai não é líder. O chefe quer influenciar os subalternos, mas estes não querem ser influenciados por ele é porque ele não é líder. Ele pode ser o chefe, o patrão, o dono e só por isso manda, mas não é um líder. Ser líder diz respeito à influência sobre a vontade do outro de querer ser influenciado.

Existem vários caminhos para ser líder. Se o profissional é um especialista na sua área, se sabe muito sobre um determinado tema, você o escuta porque ele sabe muito. Você quer a influência dele porque é muito competente.

Você cria no outro o desejo de ser influenciado por você, pelo seu modelo de vida, pela pessoa que você é. E também você quer escutar o outro quando sente que o outro o ama. Se sente que seu pai quer lhe dizer algo porque ele o ama, então você vai escutar seu pai. Mas se você sente que seu pai quer falar porque está interessado em controlá-lo, você não atende.

Para mim, houve um exemplo muito bonito do diplomata Sérgio Vieira de Mello. Ele ficou quatro horas debaixo dos escombros, os bombeiros conseguiam chegar até onde ele estava, mas não tirar os blocos de parede de cima dele. Nas duas primeiras horas, ele orientava os bombeiros para cuidarem desta e daquela pessoa, daquela que tinha diabetes, entre outras. Ele estava morrendo e se preocupava com os outros, que tinham debilidades físicas. Nas duas primeiras horas, ele cuidou da equipe.

Depois, ele pediu que dissessem aos seus filhos que ele gostava muito deles, deixou mensagens para a família. Isso é uma coisa para pensarmos seriamente. Durante aquelas quatro horas, Sérgio não falou de ações, de tirar de uma empresa e colocar em outra. Nessa hora, o líder cuida da equipe, é a história do amor. “Por que eu quero escutar o Sérgio Vieira de Mello? Porque eu sinto que ele se importa comigo, que ele me ama, então eu quero que ele me influencie”. Na hora da morte, as pessoas se importam com a família, com os filhos, com as pessoas que elas sentem que têm algum sentido na vida delas.

OS LIVROS:

O PODER DA SOLUÇÃO: é a mais nova obra de Roberto Shinyashiki. Com 200 páginas, o livro mostra a importância de cultivar os sonhos e aponta caminhos para enfrentar os problemas, aprendendo e crescendo com eles. O livro é acompanhado de um DVD em que o autor dá orientações sobre como lidar melhor com relacionamentos pessoais e profissionais.

VOCÊ: A ALMA DO NEGÓCIO: nesta obra, Roberto Shinyashiki apresenta diversas formas e caminhos que ajudam o leitor a construir uma carreira de sucesso e, conseqüentemente, a ter uma vida plena.

OS DONOS DO FUTURO: o livro aborda, com muita seriedade, as atitudes necessárias para que as pessoas tornem-se vencedoras na vida profissional e pessoal, trabalhando em equipe; sabendo relacionar-se e construindo vinculas pessoais.

O SUCESSO É SER FELIZ: aqui você vai encontrar relatos sobre a importância de ter qualidade de vida para ser feliz. O que é a felicidade? Por que as pessoas desperdiçam suas vidas?

A REVOLUÇÃO DOS CAMPEÕES: segundo Roberto Shinyashiki, A Revolução dos Campeões é um estudo sobre a competência. A arte de oferecer algo sempre melhor por um custo melhor e de uma maneira ética.

SEM MEDO DE VENCER: neste livro, Roberto Shinyashiki analisa as razões pelas quais muitas pessoas não conseguem atingir suas metas profissionais, afetivas e espirituais.

PAIS E FILHOS, COMPANHEIROS DE VIAGEM: ter um filho significa receber uma missão e uma grande oportunidade.

MISTÉRIOS DO CORAÇAO: escrito na forma de uma carta á sua amada, um homem relata suas frustrações e conquistas, seus medos e desejos, sua procura de amor.

AMAR PODE DAR CERTO: em parceria com Eliana Duprê, Roberto Shinyashiki retrata as dores e as delicias de um relacionamento amoroso.

A CARÍCIA ESSENCIAL: com uma linguagem simples, Shinyashiki faz uma análise dos caminhos que as pessoas podem trilhar para demonstrar o amor.

(Extraído da revista Sexto Sentido 46, páginas 24-29)

Fonte: IPPB
Continuar lendo ENTREVISTA: O EXPERIENTE E EXTRAORDINÁRIO ROBERTO SHYNIASHIKI NOS ENSINA O QUE REALMENTE É SER FELIZ

FILOSOFIA: POR QUE ME TORNEI ATEU?

Nesta edição da coluna FILOSOFIA você vai saber porque Leandro Karnal se tornou ateu. Um depoimento muito interessante, com a experiência de vida religiosa e conhecimento do filósofo sobre religião e espiritualidade que levaram-no a se tornar ateu. Vale a pena assistir, refletir e fazer seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo FILOSOFIA: POR QUE ME TORNEI ATEU?

ENTREVISTA: AMIT GOSWAMI ESCLARECE AS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE FÍSICA QUÂNTICA

Na nossa coluna ENTREVISTA desta sexta-feira você tem uma oportunidade única de tirar todas as suas dúvidas sobre FÍSICA QUÂNTICA, CIÊNCIAS, ESPIRITUALIDADE, CONSCIÊNCIA, EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA e muitas outras interrogações que povoam as mentes das pessoas leigas. Então convido você a ler a ENTREVISTA completa a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor.

Amit Goswami: “Não há razão para sermos solitários e tão isolados do mundo”

Ter , 30/07/2019 às 09:00 | Atualizado em: 30/07/2019 às 12:19

Márcio Walter Machado | Foto: Uendel Galter | Ag. A TARDE

O físico indiano Amit Goswami é referência nos estudos sobre consciência e ativismo quântico - Foto: Uendel Galter / Ag. A TARDEO físico indiano Amit Goswami é referência nos estudos sobre consciência e ativismo quântico

PhD em física quântica pela Universidade de Calcutá, na Índia, e professor emérito da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, Amit Goswami, 83, é referência nos estudos que unem ciência e espiritualidade a partir do ativismo quântico. Sua teoria baseia-se na ideia de transformação pessoal e das sociedades por meio da apropriação de soluções trazidas por uma nova compreensão da vida, fundamentada na primazia da consciência. Segundo Goswami, essa é “uma porta para que mudemos a nós mesmos e ao mundo. E ele pode ser mais civilizado, mais bonito, sem nenhum desses problemas que pensamos ser eternos e que podem destruir a humanidade”, defende. Com uma biografia repleta de artigos científicos publicados em revistas de economia, psicologia e medicina, o indiano, que também escreveu best-sellers como O Universo AutoconscienteA Física da Alma e Consciência Quântica (todos publicados pela editora Aleph), conversou com exclusividade com a Muito em seu primeiro tour por quatro cidades brasileiras – Salvador, Brasília, São Paulo e Curitiba. Na oportunidade, ele falou sobre os princípios de sua teoria, explicando conceitos fundamentais para o entendimento do que  chama de “nova ciência”. Goswami garante ter respostas para perguntas antigas da humanidade.

O que é física quântica exatamente? 

A física quântica tem a ver com mudanças fundamentais na forma como vivemos, como pensamos e como construímos nossa vida, bastando apenas fazermos uma análise profunda de nós mesmos através do exercício da criatividade.

No ocidente, ciência e espiritualidade têm estado em campos opostos por séculos. Como reconciliá-las? 

Ciência e religião não se dão bem porque são ambas sistemas nos quais há muitos preconceitos limitadores que se chamam dogmas. O materialismo científico é tão dogmático quanto a religião. Um diz: “A matéria é todo o deus de que precisamos”. O outro diz: ”Ou o meu Deus ou nenhum”. Essas coisas são preconceitos. Por isso, eu pergunto: por que aceitar esses dogmas? A física quântica se inicia com a ideia de que há uma unicidade potencial. A espiritualidade se inicia com a mesma ideia.

Como as suas teorias são aceitas no Brasil?

Os brasileiros, em geral, são muito expressivos em suas emoções. Por isso, são muito receptivos a mudanças, à criatividade, à expansão da consciência, que vocês adquirem por hábito muito rapidamente.

As pessoas vêm a seus workshops em busca de verdades espirituais ou da promessa de uma vida bem-sucedida com a expansão da consciência?

As pessoas vêm aqui por todos os tipos de demanda. Alguns vêm por entender que pode haver um modo melhor de fazer negócios se a gente conseguir mudar a forma de ver o mundo. O modo como vemos o mundo – se ele é amigável ou uma arena de combate – é tudo.  No caso dos negócios, embora o mundo possa ser bastante competitivo, transformar a maneira como enxergamos pode trazer tanto prosperidade quanto satisfação.

O lugar onde me insiro é tão importante quanto eu mesmo. Quando nos conectamos, entendemos que podemos resolver todos os problemas

Amit Goswami

Então, tudo depende da nossa perspectiva?

Tudo depende de como você enxerga o mundo, especialmente em relação a outros seres humanos. Essa é a parte que o intelectualismo não compreende. Quando você pensa que tudo é matéria, então você se torna muito limitado. Isso faz com que, em nosso relacionamento com o mundo, nos tornemos tão centrados em nós mesmos que o exterior praticamente desaparece, até você se transformar na única coisa existente. Essa é uma forma muito perigosa de sentir, porque, assim, não existirão pessoas em quem realmente confiar, nenhum relacionamento real, nenhum amor, nenhum amigo. Mas é isso o que a ciência materialista nos dá. No entanto, as pessoas têm todo o direito de recusar ter relacionamentos. Se quiserem viver como psicopatas, elas têm essa escolha – escolhas são a base da democracia, por isso temos de honrar esse direito. Mas, ao mesmo tempo, tentamos persuadi-las de que não há razão para sermos solitários e tão isolados do mundo. Por que não começar a relacionar-se com os outros? Você pode ter relacionamentos. Tudo o que você precisa fazer é ensinar isso a seu cérebro e aumentar essa habilidade.

O senhor disse ter sido materialista desde os 14 anos. Tornar-se espiritualista implica que o senhor acredita em Deus, uma vez que escreveu um livro intitulado Deus não está morto – evidências científicas da existência de Deus? 

Eu fui materialista por muito tempo. Mas um dia eu me libertei da tristeza e da falta de alegria oriundas do materialismo, e isso aconteceu por um simples pensamento que me chegou como um evento da sincronia: “Por que viver dessa forma?”.  E a resposta veio de modo claro e inequívoco: eu não tenho de viver uma vida sem alegria, sem satisfação. Eu posso ser feliz e estudar física ao mesmo tempo. Essa convicção me tornou o homem que você está vendo agora.

O senhor uma vez afirmou: “Se você deseja algo que não esteja em consonância com o movimento da consciência, você terá um obstáculo”. O que é essa consciência?

A consciência é a habilidade de conexão ‘não localizada’ que nós temos, essa interconectividade. O que não é algo que a matéria pode encontrar. Uma vez que você reconheça isso, poderá entender que há algo do qual a matéria mesma emana, algo de que essa própria matéria é criada. A matéria se torna o hardware para expor, expressar e explorar a consciência. Portanto, nós somos essa consciência, que não tem uma definição particular. Quem somos? Somos fundamentalmente consciência. E essa consciência ‘não localizada’ é a base do ser que conecta todas as coisas.

O princípio da ‘não localidade’ é um dos conceitos básicos de seu pensamento. Como o senhor o explica?

‘Não localidade’ significa comunicação sem sinalização. Em outras palavras, significa minha habilidade de me comunicar com você como se fôssemos apenas um. Eu não preciso de sinais para me comunicar comigo mesmo. A física quântica diz que você pode fazer isso com todas as pessoas através da meditação intencional e dos sentimentos emanados do coração, pois somos potencialmente ‘não localizados’ em relação uns aos outros, mas precisamos ativar essa ‘não localidade’ em nós mesmos.  No entanto, eu não posso alcançar isso se mantiver o pensamento racional porque o pensamento lógico exclui a ‘não localidade’.

Um dia eu me libertei da tristeza e falta de alegria oriundas do materialismo, e isso aconteceu por um simples pensamento: “Por que viver dessa forma?

Amit Goswami

Como, num mundo cada vez mais materialista, podemos nos abster do pensamento lógico e entender a conexão universal entre as almas?

Esse entendimento nos é dado através da física quântica, na qual temos como base o conceito de ‘não localidade’, que é experimentável e verificável. Dessa forma, não nos resta dúvida sobre ele.

E como podemos alcançar esse entendimento?

É justamente por isso que temos de aprender as coisas. E é por isso que eu tenho dado palestras em todo  canto a fim de ensinar as pessoas. Já progredimos bastante até aqui, não apenas com os workshops, mas agora há cursos de mestrado e PhD nos quais podemos instruir as pessoas em como construir relacionamentos e fazer do mundo um lugar melhor.

Durante o workshop,  o senhor pediu às pessoas que fechassem os olhos e expandissem o pensamento, primeiro envolvendo as pessoas dentro do auditório e, depois, envolvendo todo o planeta. Como esse tipo de atividade pode nos conectar às pessoas e à consciência universal?

Podemos nos transformar de tal modo, tendo em mente a consciência de comunidade, que, talvez, consigamos modificar as coisas de maneira que a minha transformação chegue mesmo a alcançar outra pessoa que sequer fez parte do exercício, e, assim, o cérebro dessa outra pessoa automaticamente sofrerá mudanças.

E o que é a alma? 

A alma é um aspecto verificável de nós mesmos. Quando exploramos esses arquétipos aos quais eu frequentemente me refiro, como verdade, amor, beleza, justiça, quando nós os exploramos, o fazemos com o pensamento e as emoções, os quais não são pensamentos e emoções comuns, que não elevam, que não expandem nossa consciência. Pensar nesses arquétipos e senti-los expande nossa consciência. Se pegar, por exemplo, o arquétipo da justiça e for justo com outra pessoa, então você sentirá que incluiu o outro em sua consciência – a inclusão é expansão.

Um dos exercícios no workshop foi justamente a busca interior pelo arquétipo de cada um, o qual teria sido escolhido numa vida passada. Algumas pessoas disseram ter conseguido acessar esse arquétipo. Como podemos ter certeza de que as respostas encontradas vieram de uma vida anterior e não simplesmente do pensamento presente?

Não podemos ter certeza absoluta. Mas há alguns indícios, como o fato de podermos lembrar de algo com surpresa, de termos lembranças descontínuas. Outro bom indício é quando repentinamente nos tornamos muito seguros de que este (arquétipo) é o certo, sem que haja nenhuma dúvida. Esses são sinais que nos conectam à consciência suprema. Se a minha consciência se expandir, essa expansão virá como surpresa, pois é um movimento descontínuo. E eu terei certeza disso, porque vem do fundamento do ser.

Como as almas continuariam a viver após a morte do corpo? 

Certas memórias que nós acumulamos, especialmente as advindas de algum novo aprendizado, como quando aprendo a cantar ou a resolver cálculos matemáticos, existem no princípio da ‘não localidade’, o qual torna possível que, além de mim, outras pessoas de diferentes épocas e lugares também as usem. Por isso, dizemos que existe uma lei da consciência pela qual cada pessoa estaria ligada a uma série de outras pessoas através do tempo e espaço e que elas estariam ligadas como pérolas num colar.

A física quântica pode nos responder questões fundamentais da humanidade, como “de onde venho?”, “o que é o amor?”, “o que acontece depois da morte?” e, principalmente, “quem sou”?

(Risos) Sim, a física quântica começa com esta última pergunta. E uma vez que esta questão é respondida, todas as outras poderão ser também. Esta última questão é a chave, ela diz que eu sou o mundo inteiro. Eu posso não saber disso agora, no entanto, posso explorar e descobrir que uma questão responde a tudo. A física quântica me deu respostas para coisas sobre as quais eu jamais pensei quando preso ao pensamento científico. Esta é a beleza da nova ciência: ela abriu uma porta para que mudemos a nós mesmos e ao mundo. E ele pode ser mais civilizado, mais bonito, sem nenhum desses problemas que pensamos ser eternos e que podem destruir a humanidade. Eles são pequenos obstáculos que há no movimento da consciência através da qual nós podemos nos transformar, transformar o mundo e ver que tudo pode ser maravilhoso.

Como a física quântica pode transformar o cenário caótico em que o mundo está mergulhando em termos político-econômicos, de relações humanas e do aparente colapso de instituições tradicionais, como a família? 

Porque a física quântica é baseada nesses princípios fundamentais que nos permitem ver o mundo como uma família, eu não faço as coisas de forma egoísta, mas para o bem de todos. Essa atitude de consciência comunitária é de extrema importância porque passamos a perceber o todo. O lugar onde me insiro é tão importante quanto eu mesmo. Quando nós nos conectamos, entendemos que uma porta foi aberta e que podemos resolver todos os problemas.

Esse seria o caminho para a felicidade plena?

Não existe apenas um caminho. Mas a primeira coisa que devemos ter em mente é a criatividade. Por isso, todo o indivíduo tem de encontrar seu próprio caminho, usando de alguma individualidade, mas sem excluir os outros. Nós podemos ser cooperativos, nos movendo em nosso próprio caminho criativo, com o total entendimento de que amamos e que o amor nos dá toda força positiva e aumenta nossas chances de obter sucesso e de manifestar o que somos.

Fonte: A Tarde UOL

Continuar lendo ENTREVISTA: AMIT GOSWAMI ESCLARECE AS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE FÍSICA QUÂNTICA

DICA DE LIVRO: JESUS NAZARENO DE HUBERTO ROHDEN

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é, talvez, a obra mais lida do incrível filósofo e teólogo Huberto Rhoden, Jesus de Nazaré. Poucos personagens históricos exerceram sobre a humanidade uma influencia comparável a de Jesus de Nazaré. Sua ação nas áreas religiosa, filosófica, politica e social produziu as mais profundas alterações na cul­tura da maioria dos povos. Jesus Nazareno como os Evangelhos o descrevem e como minha alma do autor o contempla (1936), parcialmente reescrito e sem a linguagem teológica das edições anteriores, relata, com profunda emoção e visão his­tórica, a vida e a obra de Jesus, desde o seu nascimen­to ate a sua paixão, morte e ressurreição. Rohden, como outros biógrafos inspirados, pro­clama Jesus como supremo modelo de vivencia hu­mana e espiritual. A leitura e o estudo desta obra são uma lição espiritual de Vida. Não deixe de ler esta extraordinária obra!

Fonte: Acervo pessoal

Continuar lendo DICA DE LIVRO: JESUS NAZARENO DE HUBERTO ROHDEN

AUTOCONHECIMENTO: A NÃO VIOLÊNCIA E A VERDADE SÃO TÃO ANTIGAS QUANTOAS MONTANHAS

Hoje temos um texto fantástico de um dos maiores influenciadores, líderes, mentores e pensadores, Mahatma Gandh, marcou a história da humanidade com seu discurso da Não Violência, tal qual Martin Luter King Jr , que mudaram o mundo definitivamente. Então lhe convido a ler o texto completo a seguir e entender o pensamento de profunda sabedoria!

PENSAMENTOS DO MAHATMA GANDHI – por Mahatma Gandhi

“Nada tenho de novo para ensinar ao mundo. A verdade e a não-violência são tão antigas quanto as montanhas. Tudo o que tenho feito é tentar praticar as duas na escala mais vasta que me é possível. Assim fazendo, errei algumas vezes e aprendi com os meus erros. Toda a minha filosofia, se é que se pode dar este nome pretensioso, está contida no que tenho dito.”

“O amor é a força mais abstrata, e também a mais potente que há no mundo.”

“O amor e a verdade estão tão unidos entre si, que é praticamente impossível separá-los. São como as duas faces da mesma moeda.”

“O amor é o meio, a verdade é o fim. Se usarmos o meio, cedo ou tarde chegaremos ao fim, à Verdade, a Deus.”

“O caminho da paz é o caminho da verdade. Ser honesto é ainda mais importante do que ser pacífico. Na verdade, a mentira é a mãe da violência. Um homem sincero não pode permanecer violento por muito tempo. Ele vai perceber, no curso de sua busca, que não tem necessidade de ser violento. Vai também descobrir que, enquanto houver nele o menor vestígio de violência, não conseguirá encontrar a verdade que está procurando.”

“A não-violência não é somente um estado negativo que consiste em não fazer o mal, mas também um estado positivo que consiste em amar, em fazer o bem a todos, inclusive a quem nos faz mal.”

“Podemos constatar (o amor) entre pai e filhos, entre irmãos, entre amigos. Mas temos de aprender a usar esta forma entre tudo que vive; no uso dela está o conhecimento de Deus. Onde existe amor, existe vida. O ódio leva à destruição.”

“Tudo o que vive é teu próximo!”

“A não-violência nunca deve ser usada como um escudo para a covardia. É uma arma para bravos.”

“Não vejo bravura nem sacrifício em destruir vida ou propriedade alheia.”

“A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor, mas, todas as coisas grandes e boas não são difíceis de se realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo; no entanto, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim quisermos.”

“O teste maior da não-violência está no fato de não ficar qualquer rancor depois de um conflito não-violento, com inimigos transformando-se em amigos.”

“A lei do amor pode ser melhor compreendida através das crianças.”

“Se quisermos alcançar a verdadeira paz nesse mundo e se quisermos desfechar uma verdadeira guerra contra a guerra, temos de começar pelas crianças; se crescerem com sua inocência natural, não teremos que lutar; não teremos que tomar resoluções ociosas e infrutíferas, mas seguiremos do amor para o amor, da paz para a paz, até que finalmente todos os cantos do mundo estarão dominados pela paz e amor, pelo que o mundo inteiro está ansiando, consciente ou inconscientemente.”

“O mundo está cansado de ódio.”

“Se a corrida armamentista alucinada continuar, é inevitável que resulte em massacre como jamais ocorreu na história. Se restar um vitorioso, a própria vitória será uma morte em vida para a nação que emergir vencedora.”

“A não-violência é a maior força a serviço da humanidade.”

“Nesta era de maravilhas, ninguém dirá que uma coisa ou idéia não presta porque é nova. Dizer que é impossível porque é difícil não está de acordo com o espírito de nosso tempo. Coisas que jamais foram sonhadas estão sendo vistas diariamente, o impossível está a todo instante se tornando possível. Ficamos constantemente impressionados com descobertas espantosas no campo da violência. Mas afirmo que descobertas ainda mais espetaculares e aparentemente impossíveis serão feitas no campo da não-violência.”

– Nota de Wagner Borges: Mohandas Karamchand Gandhi (1869-1948), mais conhecido como Mahatma Gandhi, foi o grande líder hindu na luta pela independência da Índia do colonialismo inglês. Com sua filosofia de não-violência, tornou-se conhecido e admirado internacionalmente. Trata-se simplesmente de uma das grandes almas reencarnadas na terra do Ganges, com a missão de espalhar os ideais da paz entre os homens. Sem dúvida alguma, Gandhi foi um avatar* enviado para ensinar aos homens da Terra as artes de Shanti**.

– Notas do sânscrito:
* Avatar: emissário celeste; enviado espiritual; ser de luz que reencarna na Terra para benefício da humanidade.
** Shanti: paz espiritual; paz perene.

Fonte: IPPB
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A NÃO VIOLÊNCIA E A VERDADE SÃO TÃO ANTIGAS QUANTOAS MONTANHAS

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: UBUNTU, SOU QUEM SOU PORQUE SOMOS TODOS NÓS

Estamos aqui para aprender, crescer, evoluir e alcançar a nossa melhor versão. Por isso, o DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL é tão importante. E ser evoluído espiritualmente não requer QI alto ou ser letrado. Isso requer apenas sensibilidade intuitiva e vontade de alcançar a sabedoria. Existe pessoas de origem humilde que são altamente evoluídos espiritualmente. O exemplo do vídeo a seguir do Thiago Rodrigo mostra exatamente o que acabo de afirmar. Ubuntu Todos Os Dias, Ame Todos Os Dias! “Ubuntu” é uma palavra que representa uma filosofia e uma ética antiga africana que significa: “Sou quem sou, porque somos todos nós”. ASSISTA!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: UBUNTU, SOU QUEM SOU PORQUE SOMOS TODOS NÓS

DICA DE LIVRO: PISTIS SOPHIA – OS MISTÉRIOS DE JESUS, COMENTADO POR HELENA BLAVATSKY

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é Pistis Sophia – Os Mistérios de Jesus. Este livro contém parte dos ensinamentos secretos de Jesus que foram ministrados aos discípulos após a ressurreição do Mestre. Originalmente escrito em grego e tido como perdido, esse documento foi encontrado numa tradução para o copto, a língua do Alto Egito nos primeiros séculos da nossa era. A tradição oral confirma a importância de Pistis Sophia como o mais esotérico de todos os ensinamentos de Jesus que foram preservados. Esta edição, revisada e com comentários adicionais de Helena Blavatsky, contém novas sugestões de interpretações na Introdução e mais de 400 notas explicativas ao longo do texto, facilitando assim seu entendimento. Por isso você que é curioso e buscador esse é o livro pra você ler e abrir a sua cabeça, quebrar paradigmas e expandir a consciência.

  Foto: Arquivo pessoal

Continuar lendo DICA DE LIVRO: PISTIS SOPHIA – OS MISTÉRIOS DE JESUS, COMENTADO POR HELENA BLAVATSKY

REFLEXÃO: VOCÊ É ÚNICO E PODE USAR OS SEUS DEFEITOS AO SEU FAVOR COMO SE FOSSEM VIRTUDES

A história ou fábula dos dois potes tem uma bela lição para nos ensinar na coluna REFLEXÃO desta terça-feira. Uma história linda que nos ensina a olhar os nosso “defeitos” por outro ângulo e nos faz enxergar porque cada um de nós é tão especial e único.E quem nos conta essa fábula é a Camila Zen, com seu jeito todo meigo e gentil de se expressar. Então lhe convido a assistir o vídeo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: VOCÊ É ÚNICO E PODE USAR OS SEUS DEFEITOS AO SEU FAVOR COMO SE FOSSEM VIRTUDES

REFLEXÃO: UM CONTO TAILANDÊS PARA AMENIZAR SUAS DIFICULDADES E LHE DAR ESPERANÇA

Neste sábado, na nossa coluna REFLEXÃO você vai conhecer a história de Buda e o mendigo – uma história tailandesa que nos ajudou a ver os nossos problemas por outro ângulo. Eu espero que essa história chegue até você e que ela possa colocar um sorriso no seu rosto e no rosto das pessoas que você ama. Amor e luz, namastê.🙏🏼✨.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UM CONTO TAILANDÊS PARA AMENIZAR SUAS DIFICULDADES E LHE DAR ESPERANÇA

DICA DE LIVRO: O FIM DO MATERIALISMO DE CHARLES T. TART

Na nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira o psicólogo transpessoal Charles Tart apresenta cerca de cinquenta anos de pesquisas científicas, realizadas nas principais universidades dos Estados Unidos, comprovando que o ser humano é dotado de impulsos e aptidões espirituais. Suas experiências indicam a existência de forças invisíveis como a telepatia, a clarividência, a precognição, a psicocinese, a cura paranormal e outros fenômenos que nos ligam inextricavelmente ao mundo espiritual. O livro faz uma esmerada defesa da união entre a ciência e a espiritualidade à luz dessas novas evidências e explica por que uma concepção verdadeiramente racional deve ser adotada em relação à realidade do mundo espiritual. Um livro que não pode faltar na biblioteca de quem é buscador e não se contenta com dogmas e crenças limitantes!

Foto: Meus Arquivos

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O FIM DO MATERIALISMO DE CHARLES T. TART

AUTOCONHECIMENTO: O DESAFIO DE DESENVOLVER A ESPIRITUALIDADE EM MEIO A TANTA MATERIALIDADE

O maior desafio da humanidade hoje é desenvolver a espiritualidade em meio a um mundo densamente material. Este é destaque, aqui, na coluna AUTOCONHECIMENTO desta segunda-feira, onde o texto a seguir tenta nos ensinar como desenvolver a espiritualidade vivendo nesse mundo tão materialista. Então lhe convido a ler, refletir e fazer o seu juízo de valor! 

Como desenvolver espiritualidade vivendo nesse mundo materialista

Mulher branca meditando
Microgen / 123rf

Jesus Cristo disse: “Não dá pra ter a mente dividida”

Uma vez ouvi uma que falava que quando você descobrisse seu propósito de vida, nunca mais ia querer trabalhar numa empresa, loja, fábrica, escritório, que não iria mais trabalhar “oito” horas por dia. Fiquei a pensar, pois não estava feliz com o meu trabalho, isso é fato, mas como assim não existirem mais profissões da atualidade? Como assim só trabalhar com a evolução espiritual? Todos seriam professores de “yoga”, “gurus”, “benzedeiras” e afins?

Foi uma trajetória mediana até chegar a uma compreensão disso. Para isso vamos refletir um pouco sobre a sociedade atual:

A grande maioria da sociedade está muito ligada à matéria. Dando muita importância ao ter as coisas, achando que quanto mais ter, mais será feliz e realizada. Vemos muito nas redes sociais pessoas postando que têm coisas, que fazem coisas, viagens, por exemplo, sempre sorridentes disfarçando um possível vazio.

Muitos alcançam seus sonhos profissionais, materiais e afetivos e mesmo assim se encontram em estado infeliz e depressivo. A sociedade atual impôs que alguém feliz é alguém com essas realizações citadas acima, e que é isso que as faz serem aceitas.

Mulher branca com olhos fechados e mão no queixo com expressão calma
Brooke Cagle / Unsplash

De fato, todos nós queremos ter do bom e do melhor e merecemos isso, mas de qualquer forma isso não respondeu sobre o que eu estava procurando sobre como desenvolver a espiritualidade neste sistema social, em que a grande maioria tem que trabalhar horas por dia para enricar uma minoria. E isso para mim também está errado, só que também não podemos ficar sem dinheiro e sem trabalhar! Pois tudo envolve dinheiro, até mesmo quem trabalha com espiritualidade, por exemplo, um professor de yoga precisará que alunos o paguem, e esses alunos trabalham de quê? De onde vem o dinheiro? Ou seja, tudo envolve dinheiro!

Então me veio a questão do dinheiro e a quebra da crença limitante de que ele é mal, que é do diabo, ora… não existe diabo! Dinheiro é ótimo! Ele é moeda de troca! Não devemos viver para acumular dinheiro, e sim fazê-lo girar! Não é à toa que a conta bancária é conta corrente! Hahaha!

Dinheiro não foi feito para ficar parado.

Depois disso, comecei a entender por que trabalhar em empresas, escritórios, lojas etc. tem importância. Ora, cada indivíduo tem seus dons e talentos. É importante que na sociedade tenha desde doutores a garis (superimportante, graças a eles, nossas cidades são limpas), todas as profissões têm sua importância e valor.

Trabalhar numa loja de vendedora, por exemplo, é tão importante quanto uma grande descoberta de um cientista! Vejamos, precisamos de uma cama, calçados, roupas, fogão… e se não tivesse ninguém para vender ou fabricar essas coisas? Como seria a evolução da humanidade?

Reconheço que talvez você queira ser uma atriz, por exemplo, mas primeiramente terá que estudar e treinar para isso, então talvez para ganhar dinheiro para suas necessidades você tenha que trabalhar em vendas, por exemplo. Porém vendas apenas será um degrau para a realização dos seus sonhos. E você tem que ser grata por isso!

É interessante que vivamos os trajetos da vida de maneira agradecida, pois as realizações dos sonhos nada mais são do que a junção das experiências vividas! Isso significa ter ação!

Nós nascemos para agir, fazer as coisas acontecerem, fazer escolhas, nascemos para trilhar nossa vida e vivermos experiências que nos possibilitem evoluir e sempre buscarmos nossa melhor versão, usando os recursos que já nascem com a gente: dons, talentos e capacidades individuais.

Se somos Deus, e Deus é o criador de tudo, é Tudo, logo somos Tudo!

Então trabalhar em qualquer profissão que venha a beneficiar o Todo, que não prejudique ninguém, é bom, digno e motivo de agradecimento!

Então a resposta para como desenvolver espiritualidade vivendo numa sociedade materialista é ter o equilíbrio em Todo o nosso Ser.

Pedras empilhadas numa praia com luz do sol iluminando
Tina Nord / Pexels

Pois não dá para viver só pelo espírito, meditando, orando, louvando, rezando… se estamos encarnados nesta dimensão da matéria, temos que encontrar equilíbrio entre a matéria/físico, mente/pensamento e espírito/alma. Só assim conseguiremos ser realmente felizes e realizados! Pois quando nos dividimos, e damos ênfase a apenas um ou esquecemos de cuidar de um dos nossos lados, tudo em nós sofrerá.

O espírito guia, mas temos que estar mentalmente convictos disso, e agir fisicamente, só assim conseguiremos plenitude e realizações.

Desenvolver a espiritualidade é ter a Consciência da Totalidade.

Mariana HS
Escrito por Mariana HS

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O DESAFIO DE DESENVOLVER A ESPIRITUALIDADE EM MEIO A TANTA MATERIALIDADE

AUTOCONHECIMENTO: ESPÉCIE DE MÚSICA ELETRÔNICA PODE TE ELEVAR PARA ESTADOS ALTERADOS DE CONSCIÊNCIA

Nesta segunda-feira o destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO é um artigo sobre o estilo musical “trance”, tipo de música eletrônica que, na concepção de Alline Neto, autora do artigo, facilita a conexão com estados alterados de consciência, tais como: meditação, mindfulness e hipnose. Portanto, lhe convido a ler o artigo completo a seguir refletir e tirar as suas conclusões!

Trance e os estados alterados de Consciência

Foto em preto e branco de mulher com os olhos fechados e expressão relaxada
golubovy / 123RF

Quando eu li o artigo da Mariana Verzaro, neurocientista, fiquei impressionada. Até então eu não conseguia explicar o motivo da música Trance mexer tanto comigo. Desde muito nova gostava de música eletrônica, mais foi o trance, que é uma vertente da música eletrônica, que trouxe experiências fantásticas e a maioria delas em momentos aleatórios como, por exemplo, durante o trabalho em plena terça-feira, com fones de ouvido e passando uma pilha de roupas ou até mesmo um dia em que eu estava limpando o jardim da casa em que eu trabalhava na época, momentos nada sugestivos, digamos assim, para entrar em estados de consciência diferentes do normal, ouvindo música.

Autora num festival de trance ao livre.

Foto cedida pela autora Alline Neto

Bem, no artigo da neurocientista, ela cita algo que veio conectar a minha experiência com a música. “O trance é um dos estilos musicais que revive o conceito original da música na qual os ritmos são usados para alterar estados de consciência e trazer a espiritualidade e dissociação.”

Inúmeras vezes, ao ouvir uma música trance, eu chorei de emoção, eu me “perdi na música” ou dancei me levando pelas ondas progressivas do ritmo.

Todas essas sensações não são meras coincidências, o trance pode trazer um transe hipnótico no ouvinte, por isso a origem do seu nome.

Quantas vezes eu tentei explicar — para amigas ou pessoas próximas, mas nunca consegui de fato — o quanto a música me eleva para estados ampliados de consciência, em que sinto a energia vibrar em todo o meu corpo, principalmente no topo da cabeça.

A explicação é, o trance é mais voltado para a percepção sensorial do que racional. O objetivo é despertar emoções e estados mentais sem o uso das palavras ou sem compreensão das mesmas.

Eu também amo a música trance com vocal, porque ao contrário do que as pessoas podem pensar, muitas letras falam de amor, e nos conectam com algo maior. Já ouvi músicas que mais parecem uma prece, ou a voz de Deus nas entrelinhas da melodia.

O que mais me chamou a atenção neste artigo e o que me levou a escrever esse texto, é que, primeiro eu AMO trance, e no fim das contas somos conectados com aquilo que ressoa do nosso coração e não da nossa mente, e o trance me conectou com o caminho da Terapia Transpessoal.

O que tem haver uma coisa com a outra?

O objeto de estudo da Terapia é justamente esse estado alterado de Consciência, pois nele, que na terapia chamamos de Transpessoal, vamos conseguir efeitos poderosos de cura, não só a nível pessoal, como também a expansão da consciência, entre outros benefícios.

Estados alterados de consciência se consegue de diversas formas, como exemplo, meditação, técnicas respiratórias (respiração holoscópica), uso de certas plantas, drogas, religião, músicas, e etc.

Existe uma associação muito grande ao uso de drogas e às raves espalhadas pelo mundo, talvez um dos motivos da música eletrônica ser “mal vista” por muitos. Fato é que esse estilo musical, no caso o Trance — ou diria o Puro trance e não suas vertentes — é uma música estudada para estimular as ondas theta do cérebro, ondas que no sono nos levam para os sonhos, para outras dimensões de realidade, ondas que podem ajudar a aliviar o estresse, sendo assim, um alívio para uma mente barulhenta.

"Trance é música com alma" em Inglês.
Foto cedida pela autora Alline Neto

Muitos podem pensar, como assim você vai relaxar ouvindo trance? A resposta é sim, há uma dissociação do corpo e mente, você “viaja” na música, por isso tantas vezes falo, o trance me eleva, eleva meu estado de espírito, me conecta com a fonte numa vibração alta, que muitas vezes me faz chorar, e não é um choro de tristeza e nem de alegria, mas de gratidão por me sentir parte de um todo, e grata por entrar nesse estado de graça.

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ESPÉCIE DE MÚSICA ELETRÔNICA PODE TE ELEVAR PARA ESTADOS ALTERADOS DE CONSCIÊNCIA

REFLEXÃO: AS CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA DA ESPIRITUALIDADE NA EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA

Durante muito tempo nas eras moderna e contemporânea a ciência caminhou batendo de frente com a espiritualidade, desde que o biólogo Charles Darwin formulou a sua teoria da evolução há 146 anos. De lá até aqui os materialistas tentaram de todas as formas provar a inexistência de Deus. De tanto tentar os ateus passaram a estudar e a conhecer a bíblia com mais profundidade do que os próprios teístas. Mas não conseguiu provar nada. De algum tempo para cá uma corrente da ciência passou também a estudar as filosofias e religiões orientais milenares que não estão presas a dogmas e crenças limitantes. Desde então e com o advento da Física Quântica a ciência passou a se aproximar e se alinhar com a espiritualidade. O texto a seguir exalta e analisa essa contribuição mutua entre a ciência e a espiritualidade.

Física Quântica e Espiritualidade — Equilibrio Entre a Fé e a Ciência.

Contribuições da ciência à espiritualidade

“Técnicas de meditação para a saúde mental estão no ápice.
Estudos científicos que demonstram as ligações entre os diferentes
estados de consciência e seus efeitos sobre a atividade cerebral e
sobre o corpo em geral estão se tornando cada vez mais comuns”.

Nilda Venegas Bernal*

A atual abordagem da ciência às verdades expressas pelas grandes tradições espirituais é uma expressão do crucial movimento para o despertar coletivo da consciência humana. Até muito recentemente, o pensamento geral sobre isso era dominado por uma racionalidade centrada no corpo físico, que representava a ciência convencional. Como os instrumentos e as técnicas desenvolvidos para pesquisa científica foram além dos limites conhecidos, produziu-se uma rejeição do que estava previamente estabelecido – o paradigma dominante; e abriu-se um novo estágio com possibilidades que transcendem o físico ou o tangível.
O mundo e seus campos sutis podem ser experimentados e investigados para serem entendidos.
O pesquisador pode reconhecer seu envolvimento e participação no processo de investigação e observação. Isso nos faz lembrar as explicações de Krishnamurti a respeito do observador e do observado.
Podemos citar pontos determinantes nos campos da física quântica, da relatividade, da biologia, da psicologia, etc., que harmonizam os princípios descritos nas grandes tradições espirituais do Oriente, como o Budismo, o Hinduísmo, o Taoísmo e assim por diante, e descobrir que eles estão essencialmente expressos na Teosofia. Líderes nesses campos
descobrem com alegria a grande ressonância das novas postulações da ciência com as verdades eternas.

O Mahachohan, em sua carta de 1881, disse: “A doutrina que promulgamos ser a única verdadeira deve, apoiada por evidências como nos estamos preparando para dar, tornar-se por fim triunfante como toda outra verdade. Contudo é absolutamente necessário inculcá-la gradualmente, reforçando suas teorias, fatos incontestáveis para aqueles que sabem, com inferências diretas deduzidas e corroboradas pela evidência fornecida pela moderna ciência exata.”
Essas palavras falam de nosso presente, no qual cada um de nós, do próprio local onde estamos, podemos participar da oportunidade de colaborar com a expressão e a realização dessas verdades transcendentais, num momento em que
ciência e espiritualidade começam a falar uma linguagem semelhante. Atualmente, técnicas de meditação para a saúde mental, mais conhecidas como ciências contemplativas, estão no ápice. Nesse campo está sendo concluída uma
abordagem científica contemporânea às práticas e aos valores espirituais, isto é, uma tendência para a integração do conhecimento do ser humano e a respeito do ser humano, que pode permitir uma visão mais completa. Estudos científicos que demonstram as ligações entre os diferentes estados de consciência e seus efeitos sobre a atividade cerebral e sobre o corpo em geral estão se tornando cada vez mais comuns.
A crescente colaboração e integração dos ensinamentos do Budismo, das neurociências e das ciências da mente mudou o aparecimento de novas técnicas e modelos padronizados para cultivar saúde mental e bem-estar. A neurobiologia
interpessoal é baseada na integração do conhecimento precedente de várias disciplinas.
A integração poderia ser considerada como um mecanismo comum subjacente a várias maneiras de chegar ao bem-estar. O modo como prestamos atenção ao momento presente pode melhorar diretamente o funcionamento do corpo, da mente, da saúde mental e das relações interpessoais. Essa forma de atenção desenvolve os circuitos cerebrais de tal maneira que nos permite estabelecer um relacionamento responsivo e harmonioso com a nossa própria mente.
Jon Kabat-Zinn, professor emérito da Escola de Medicina da Universidade de Massachusetts, acredita que “uma definição de plena atenção (mindfulness) é prestar atenção de um modo particular: com propósito, no momento presente, sem julgamento”. No campo da psicologia, que, como disse Jung, é a essência da alma, atualmente as práticas de plena atenção podem ser estudadas e investigadas. A psicologia profunda tem feito isso há algum tempo, para atender ao nosso eu interno. Em Psychology and Alchemy, Jung afirma:
“Sua visão só se tornará clara quando você examinar seu próprio coração. Quem olha para fora sonha; quem olha para dentro desperta.”
Somos lembrados da citação feita
pelo Mestre K. H., que diz: “Os sofrimentos morais e espirituais do mundo são mais importantes e precisam de auxílio e cura mais do que qualquer ciência precisa de nossa ajuda em qualquer campo de descoberta.”
O indivíduo que apresenta algum tipo de problema ou sofrimento, seja físico ou mental, como todos nós em nossa vida, pela natureza comum da existência, consegue ter contato durante a terapia com uma maneira transformadora e autêntica de focar os problemas. É possível mostrar como “o senso de atenção ao que é” só pode ser descoberto através da nossa própria experiência.
Esse tratamento deliberado, sem esforço, livremente, sem julgamento e não reativo, permite a aceitação daquilo que é doloroso.
Nesse processo que permite ao participante ver como e o que cada um sente e pensa, ele está desapegado dos pensamentos que são a base de seu sofrimento.
Até o ponto em que a função cognitiva que controla os processos psicológicos habituais pode ser observada, e assim progressivamente enfraquecida, estamos penetrando um estado de metacognição no qual os indivíduos alcançam liberdade interior e são capazes de aumentar sua capacidade para compreender que não são simplesmente pensamentos ou emoções. Existe uma observação que nos permite estar livres no momento do aqui e agora – e esse é o único momento. Os apegos e impedimentos que são a causa profunda do sofrimento são superados. A prática natural dessa forma de atenção resulta num estado de bem-estar psicológico, paz, serenidade e felicidade, que pode se refletir na vida das pessoas na forma de maior doação, equanimidade, senso de beleza e compaixão.
O modo como centramos nossa atenção contribui para moldar a mente. Quando desenvolvemos um modo concreto de atender as exigências do aqui e agora, vemos a verdadeira natureza da mente; estamos diante de uma forma especial
de atenção, a plena atenção.
No Oriente, coração e mente são definidos pela mesma palavra. A plena atenção inclui uma combinação afetiva e compassiva de estar presente com um generoso e amigável interesse. A senda do sofrimento, cuja natureza e transcendência Buda nos mostrou, está manifestada na prática da medicina de corpo e mente.
Estar saudável é aceitar, compreender, integrar e transcender. A qualidade do amor e sua gentileza implícita permitem a transformação do ser humano.
Em psicologia analítica, a totalidade da pessoa é considerada uma meta rumo à qual o desenvolvimento
psicológico no processo terapêutico nos move. O terapeuta ou analista consegue acompanhar o indivíduo nesses estágios relacionados à estrutura do eu, quando os conteúdos psicológicos são abertos para integrar os aspectos previamente desconhecidos, amplificando-os como uma parte individual da totalidade.
A abertura da porta do inconsciente permite uma integração progressiva que leva o indivíduo à transcendência da dualidade da mente. O processo de individuação que Jung expressa continua tomando forma e o indivíduo reconhece
sua unidade interna, ou totalidade; essa unidade conecta e une o indivíduo a outros seres humanos, e ele percebe que nunca esteve separado, mas sempre profundamente unido e conectado a eles.
Jung afirma, em Psychology and Alchemy, que “não fosse um fato da experiência que os valores supremos residem na alma, a psicologia não me interessaria em absoluto, pois a alma seria então nada mais que uma fumaça miserável”. Em The Structure and Dynamics of the Psyche, ele nos inspira: “A vida sempre tem de ser tratada como algo novo.” Krishnamurti disse que “para descobrir algo novo, deve-se começar consigo mesmo, partir numa viagem completamente desnudo, principalmente de conhecimento”.
E assim perguntamos a nós mesmos: qual é a qualidade da menteque nos permite sempre viver o que é novo? Podemos nomeá-la?

* Nilda Venegas Bernal é psiquiatra, palestrante e teósofa.

Fonte: Revista Sophia edição 84

Continuar lendo REFLEXÃO: AS CONTRIBUIÇÕES DA CIÊNCIA DA ESPIRITUALIDADE NA EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A NOVA ESPIRUTIALIDADE NOS DIZ QUE EXISTE CIÊNCIA NAQUILO QUE ANTES PARECIA SÓ UM MISTÉRIO

Um artigo espetacular sobre “a nova espiritualidade” é o destaque da nossa coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL desta quarta-feira. Uma REFLEXÃO maravilhosa sobre a aproximação da ciência à espiritualidade, que só foi possível devido a essa “nova espiritualidade” desenvolvida, que nos diz que existe ciência naquilo que antes parecia só um mistério. Então convido você a ler esse texto fantástico, refletir e fazer o seu juízo de valor!

A nova espiritualidade

Mulher de olhos fechados meditando
Young woman with closed eyes experiencing harmony with nature

Primeiro, o que é a espiritualidade? Na minha concepção, é toda a nossa parte mais íntima, aquele nosso lado mais emocional e inconsciente. Acredito na conexão com o todo, com outros “mundos”, mas a espiritualidade também é essa conexão conosco, então, falo a partir desse ponto de vista.

Outro dia eu estava assistindo a um programa sobre física quântica. Amo o tema, mas confesso que ainda tenho muito o que entender. Mas o que me deixou muito interessada foi como a ciência e a espiritualidade estão se aproximando dia a dia e como essas barreiras entre as duas coisas estão se dissipando.

Antes existia a religião. Sim, a religião ainda existe, mas hoje podemos ver pessoas que são espíritas indo a uma missa sem problemas. Ou, em um mesmo altar, ver GaneshaJesus Cristo e mais uma infinidade de deidades. Aliás, assistam ao excelente “A história de Deus com Morgan Freeman” na Netflix, para entender mais desse tema.

Mãos abertas uma do lado da outra vistas de frente

Foto de Luis Quintero no Pexels

Aí tinha a ciência. E tudo o que a religião dizia ou fazia era necessariamente anticientífico. O que a ciência dizia era tudo o que poderia ser comprovado, certo, sem margem para erros. E o que a religião dizia era “acredite no mistério”.

Jesus Cristo falou “Meu Pai tem muitas moradas”, e a física quântica já pode provar a existência de “mundos paralelos”. A NASA, no início de maio de 2020, anunciou que encontrou um portal para um suposto mundo paralelo, localizado na Antártida. Nesse suposto mundo paralelo, o tempo corre ao contrário. E não, não é fake news de um novo filme de Benjamin Button, é a realidade mesmo.

Ou seja, cada vez mais vemos os véus que separam as duas coisas caindo por terra. Hoje sabemos que a ciência só pode dizer algo com certeza depois de inúmeras pesquisas e, mesmo assim, no final de todas elas, você encontra um “ainda necessitamos de mais estudos sobre alguns ou todos os aspectos”. A ciência já cometeu erros. O famoso caso de se comer ovo é bom ou não para a saúde é um deles. Cada linha de pesquisa falava uma coisa, e assim muitas pessoas não consumiram ovos com medo do colesterol, enquanto outras pessoas mantêm a saúde impecável com eles.

Ou seja, ainda sabemos muito pouco. Mas a nova espiritualidade é isso mesmo, nova. Ela nos traz novas perspectivas. Ela nos diz que existe ciência naquilo que antes parecia só um mistério. Estamos, pela primeira vez na história, conseguindo provar a existência do espiritual. Provando que o emocional causa doenças físicas e que orar por uma pessoa doente pode salvar a vida dela.

A nova espiritualidade é mais aberta, real e pode ser experimentada por todos. Entre na internet e entenda mais sobre isso. Leia as dezenas de livros maravilhosos, conecte-se e sinta sua vibração e sua vida mudarem. Entenda o poder da aplicação do reiki, da acupuntura, da homeopatia, que antes apenas “não tinham comprovação” porque não existiam meios de comprovar. Não é tomar um partido ou dizer “esta é a certa e esta é a errada”. A nova espiritualidade é tudo junto e misturado, e graças a Deus por isso. A Deus e ao pessoal da ciência.

Andrea Pavlo
Escrito por Andrea Pavlo
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A NOVA ESPIRUTIALIDADE NOS DIZ QUE EXISTE CIÊNCIA NAQUILO QUE ANTES PARECIA SÓ UM MISTÉRIO

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: EXISTE UM ABISMO ENORME ENTRE ESPIRITUALIDADE E RELIGIOSIDADE

Na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL desta quinta-feira temos um tema importantíssimo para REFLEXÃO. A maioria das pessoas costuma confundir RELIGIOSIDADE com ESPIRITUALIDADE, que são coisas bem diferentes e não podem ser confundidas para que possamos evoluir na nossa jornada espiritual. Então lhe convido a ler o artigo completo a seguir que ressalta as diferenças entre espiritualidade e religiosidade e assim você parar de patinar e dar um salto quântico no seu DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL.   

Diferença entre espiritualidade e religiosidade

Pessoa com a mão aberta em direção ao céu
Jeremy Perkins/Unsplash

Apesar de muitas e muitas pessoas colocarem religião e espiritualidade em par de igualdade, elas se enganam. A religiosidade tem como base uma religião. E religião consiste num conjunto de crenças e filosofias, tendo um superior como guia dos demais. Esse superior é uma pessoa dotada de certa autoridade para determinar as condutas corretas para cada um; ou seja, para determinar aquilo que se deve ou não fazer, quais são as crenças ideais, quais os rituais e em quê se deve crer. A religião nos apresenta dogmas, doutrinas e padrões para seguir. Somente seguindo as regras dessa específica religião haveria a possibilidade de desenvolvimento, crescimento, expansão na vida ou, ainda, alcance da salvação.

Podemos considerar a religiosidade como uma característica de um indivíduo: uma vez que ele tenha adotado dogmas, crenças e fundamentos de determinada religião, passa a segui-los de maneira quase “automática”.

Quando dizemos que “fulano” é religioso, isso quer dizer que ele é espiritualizado? Nem sempre. Existem sim pessoas religiosas e espiritualizadas ao mesmo tempo. Inclusive, algumas podem até encontrar sua espiritualidade por meio do caminho da religião escolhido. No entanto, uma pessoa pode cumprir todos os rituais religiosos, ir todos os dias à igreja, à missa, ao centro espírita… e ser altamente julgadora, critica, desonesta, maldosa, e por aí vai…

Pessoa sentada em um banco com as mãos voltadas para cima

Jeremy Yap/Unsplash

Uma pessoa que seja muito religiosa, sem de fato ter desenvolvido a sua espiritualidade, pode se tornar até mesmo fanática, considerando-se acima dos outros e tornando-se intolerante com as diferenças. Algumas pessoas de religiões diferentes se odeiam, não se falam, se agridem e até se matam. Não é isso que vemos por aí nas notícias mundiais? Essas pessoas são como os fariseus na época de Jesus. Cristo os chamava de “hipócritas”, e dizia a eles que faziam belas orações e gritavam para que todos os ouvissem, mas o coração fedia mais do que um sepulcro caiado.

Nem sempre pessoas religiosas fazem reflexões profundas acerca dos ensinamentos de sua religião; nem sempre há uma ação prática benevolente; nem sempre há um verdadeiro conectar com o Divino; e nem sempre há uma transformação pessoal ou para com a vida dos outros.

A espiritualidade é algo diferente, que realmente produz transformações na vida do indivíduo, tornando-o um ser humano melhor. Ela vem de dentro de nós. É algo que flui do nosso ser e que nos traz uma conexão com a nossa essência, com o Universo e com o Criador de todas as coisas. A espiritualidade nos traz paz, harmonia e equilíbrio! Ela nos traz serenidade, nos ensina a respeitar aos outros e a tolerar as diferenças.

Pessoa com a mão esticada em direção ao sol e ao mar
Marc Olivier/Unsplash

A espiritualidade nos leva a enxergar o outro como igual a nós no que se refere aos aspectos humanos, ainda que tenha opções e escolhas diversas, mostrando que isso é perfeitamente normal, e que somente assim estaremos em conformidade com o Criador do Universo, pois ELE deu a cada um o livre-arbítrio.

Então, acredito eu, quanto mais espiritualizados estivermos, mais tolerantes, compassivos, menos julgadores e disputadores uns com os outros seremos. Não precisamos converter ninguém! Quando somos verdadeiramente espiritualizados, não precisamos trazer ninguém para o nosso lado, pois não vemos mais o outro como inadequado, errado, pecaminoso, incorreto! Só porque alguém escolheu uma religião ou opção de vida diferente da minha eu não tenho o direito de ofendê-lo, desrespeitá-lo ou de tentar convertê-lo.

A espiritualidade nos ensina que não existe uma crença correta ou uma incorreta. O fato de alguém não concordar com as minhas crenças não significa que esse alguém é indigno e, portanto, merecedor do fogo do inferno. Assim, eu passo a enxergar os outros como seres iguais a mim, com liberdade de escolhas.

Nós precisamos acordar! Muitas religiões são fruto de interesses próprios e manipulação. No passado foram cometidas inúmeras atrocidades em nome de Deus. Hoje ainda se vê isso acontecendo.

Eu acho que a frase “Quem não está do nosso lado está contra nós” só funciona para seres involuídos e que estão vivendo lá na época da Pré-História. São cérebros ainda reptilianos, que pensam que, para sobreviver, precisam aniquilar os diferentes, e isso não condiz com o desejo de Cristo, com a vontade de Deus, do Universo e do Criador de todas as coisas.

Vamos respeitar as diferenças, meu povo!

Herica Rodrigues
Escrito por Herica Rodrigues
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: EXISTE UM ABISMO ENORME ENTRE ESPIRITUALIDADE E RELIGIOSIDADE

AUTOCONHECIMENTO: SE O MEDO É CONTAGIOSO O AMOR TAMBÉM O É COM A VANTAGEM DE ESTAR NA LUZ E NÃO NAS SOMBRAS

Vamos começar a semana com uma REFLEXÃO maravilhosa na nossa coluna AUTOCONHECIMENTO. Mais uma vez vamos refletir sobre o MEDO. Esse sentimento que faz parte das nossas vidas e nos aprisiona nas nossas crenças limitantes impedindo o nosso crescimento espiritual e emocional. Mas se ele é contagiante o AMOR também o é, com a vantagem de que o amor liberta e está atrelado a luz e não às trevas. Portanto, convido você a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

O medo é contagioso e o amor também, o que você escolhe? – Trabalhadores da Luz

O medo é contagioso e o amor também, o que você escolhe?

Mensagem canalizadas em 19 de Junho de 2020 – Arcanjo Haniel

O caminho da guerra, erguer-se e continuar andando com determinação, esse é o caminho de um guerreiro que luta pelo fim de todas as guerras.

Amado humano,

Retornar ao reino da luz e do amor de Deus é o único objetivo ao qual você deve e pode se dedicar totalmente agora.

Até agora, esse caminho costumava ser pavimentado com grandes obstáculos e obstáculos quase intransponíveis. Agora a energia mudou. Uma força nova, leve e luminosa está assumindo os reinados na Terra. Dessa forma, todos os impulsos humanos para a manifestação da luz estão ganhando força.

Hoje, seu desejo interior, seu desejo mais íntimo de paz e felicidade, de harmonia, unidade e liberdade, podem se manifestar.

Tudo o que você precisa é de sua fé imperturbável, sua força de vontade e a coragem de perseverar em situações aparentemente sem esperança.

Hoje, as próprias forças que programaram a transitoriedade nessa matrix mantêm muito efetivamente a ilusão de desamparo. Para fazer os humanos acreditarem que a escolha do Bem não tem efeito e que tudo o que eles podem fazer é se entregar ao destino, uma extensa maquinaria de manipulação foi acionada. Os seres humanos acreditam erroneamente que estão enfrentando essa realidade sem possibilidades de criação luminosa e que estão indefesamente à mercê do curso do tempo.

Você faz toda a diferença!

Esse erro precisa ser corrigido em sua consciência – o que significa seus pensamentos, sentimentos e percepção.

Você faz toda a diferença, porque assim que desperta, a realidade – como você a percebeu até agora – termina.

Crie um objetivo de sempre ter uma conexão interna intacta com o divino. Nunca deixe passar uma oportunidade para neutralizar ou remover qualquer interferência possível.

Estar em contato com sua sabedoria interior, sua verdadeira natureza e seus irmãos e irmãs da luz, é seu cordão umbilical vital que conecta você a tudo e lhe fornece tudo o que você precisa.

Hoje, muitas influências estão em jogo, tentando fazer você esquecer essa conexão interna ou enfraquecê-la na medida em que você não consegue mais perceber nenhum sinal do seu próprio guia interno. Você precisa colocar toda a sua energia na prevenção disso e dedicar-se totalmente a manter intacta a sua conexão com o seu Eu.

Você pode fazer isso através da prática espiritual regular, trabalhando na expansão de sua consciência e limpando seu corpo energético. Além disso, nenhuma ilusão dessa matrix pode continar parecendo verdadeira para você, desde que permaneça conectado à verdade divina.

Essa é a única âncora nesse período que, na parte superior da terra, ainda está cheia de influências negativas sobre o indivíduo. Para encontrar o caminho de volta para si mesmo, você precisa de âncoras espirituais e vislumbres de esperança das quais só pode se conscientizar através da introspecção.

Convertendo o medo em amor

Permita-se esse tempo para introspecção. Coloque-se na posição de uma perspectiva maior da imagem completa. Não seja infectado por eventos e circunstâncias cotidianos que estão causando medo e agitação em todo o mundo. Existe apenas uma doença verdadeiramente contagiosa que infectou toda a humanidade e precisa de cura antes que você possa voltar à luz: o medo.

Essa auto liberação dos humanos está agora predeterminada. Certos medos perdem seu poder e se tornam ineficazes em cada vez mais pessoas. Manipulações em larga escala são reconhecidas como tal por mais e mais pessoas e não são mais levadas a sério. Quanto menos medo e mais amor um ser humano experimenta, mais energia é removida do sistema que se baseia unicamente no medo.

Portanto, não seja infectado por medos, mas absorvido pelo amor de Deus. Assim, seus próprios processos de cura e transformação estão se completando. Depois de se redimir, você resgata tudo junto consigo.

Conscientize-se disso! Os contratempos não devem ser vistos como um obstáculo, mas como uma tarefa de observar corajosamente uma ou outra sombra ou erro. Você está cercado por sua família da luz. Vários planos estão aqui para servi-lo, para que você possa alcançar seu objetivo na Terra e encerrar seu ciclo de encarnações.

Seu renascimento em um planeta tão denso só está previsto se você deixar para trás negócios inacabados – ou se missões mais altas o levarem aqui mais uma vez. Faça um esforço para dar tudo de você! Não preste atenção a nenhum obstáculo e deixe ir o que o liga a este mundo!

Pois a ponte sem retorno só pode ser atravessada sem cavalos e carruagens – apenas pelo cavaleiro. A luz da Criação é onipresente e o amor do Criador é ilimitado.

Eu sou o ARCANJO HANIEL

Jahn J Kassl
Fonte: https://eraoflight.com/ — Camilla Paciello e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SE O MEDO É CONTAGIOSO O AMOR TAMBÉM O É COM A VANTAGEM DE ESTAR NA LUZ E NÃO NAS SOMBRAS

DICA DE LIVRO: 50 ANJOS PARA A ALMA DE ANSELM GRUN

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é um livro extraordinário que li há muitos anos e retorna  a minha cabeceira, pois merece ser lido mais de uma vez. Neste livro são apresentados cinquenta anjos que introduzem os leitores no tesouro da alma. É impossível viver de uma só vez as múltiplas possibilidades da alma, mas sempre podemos voltar nossa atenção para um aspecto. Os cinquenta anjos ajudarão a desdobrar as muitas facetas de nossa alma. O próprio Deus precisa nos enviar, no anjo, sua graça, seu espírito, para que a alma em nós se fortaleça e não vivamos desalmados, mas moldemos nossa vida e este mundo a partir de nosso interior. Você vai se apaixonar por essa leitura!

Foto: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: 50 ANJOS PARA A ALMA DE ANSELM GRUN

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A PRÁTICA DA ESPIRITUALIDADE PODE AJUDAR NA ARTE DE VIVER JUNTOS EM TEMPOS DIFÍCEIS

Sim meu caro e minha cara leitora, a espiritualidade pode ajudar na arte de viver juntos em tempos difíceis e o artigo a seguir vai lhe esclarecer como praticar a espiritualidade e como essa prática pode salvar casamentos e relacionamentos em tempos de pandemia e confinamento. Por isso, lhe convido a ler com atenção o texto completo a seguir e encontrar esse norte pra sua vida!

A espiritualidade pode ajudar na arte de viver juntos em tempos difíceis?

Casal em sala de casa com homem tocando violão e mulher cantando

A espiritualidade pode ajudar na arte de viver juntos em tempos difíceis?

Nem sempre os casais conseguem fazer do dia a dia um belo quadro expressando o mais verdadeiro amor ou uma poesia de belas e harmoniosas rimas entonadas pelo mais profundo amor.

Parece que há dias que a tinta derrama e borra o quadro, que a tinta colorida está preta e branca e sem brilho. E palavras duras quebram a rima dos versos de amor da poesia.

E em tempos de pandemia, parece que a arte de viver juntos é testada? Teste do financeiro, da saúde física e mental, da empatia dentro de casa, dos nervos à flor da pele, o medo da morte do relacionamento, sem falar das mortes causadas pela Covid-19.

Muitos casais, ou pelo menos um dos parceiros, têm visto nesse atual momento um alento na busca pela espiritualidade. A busca por um sentido de conexão com algo maior que si próprio, a reconexão com o espírito, ouvir a voz interior, se aproximar um pouco do Amor Incondicional. Para alguns, a espiritualidade está relacionada à vivência religiosa; para outros, é algo independente.

Nós, como espíritos vivenciando essa experiência humana aqui na Terra, nesse momento de transição, ao nos conectar com essa Luz Maior, podemos atravessar essa tempestade com mais facilidade e menos sofrimento. Para isso, o casal precisa se conectar com esse Amor Maior e refleti-lo em suas palavras e ações. Amar não é ficar parado, como um príncipe mimado, esperando que suas necessidades sejam atendidas, sem haver retribuição pelo amor recebido. Amar é agir amorosamente. Assim os casais podem encontrar juntos, e conectados com a espiritualidade, soluções criativas à medida que os obstáculos aparecem:

Ver o outro também como um espírito vivendo sua experiência terrena.

Respeitar os limites da outra pessoa.

Dividir uma dor num momento difícil.

Havendo necessidade, refazer o planejamento financeiro.

Demonstrar sua lealdade.

Se alegrar com o sucesso do seu par.

Alimentar o bom humor na relação.

Dividir as tarefas da casa de forma justa — e as responsabilidades com filhos, caso os tenha.

Casal deitado junto em sofá sorrindo

Foto de Cottonbro no Pexels

Escutar o(a) companheiro(a).

Se unir em oração.

Incentivar o crescimento do par.

Apoiar o(a) parceiro(a) em momentos de dor ou dificuldades profissionais.

Assumir sua parte dos problemas da relação e não apenas atribuí-los ao outro.

Fazer planos juntos para colocar em ação quando essa fase passar.

Acontece que muitas vezes os casais se envolvem tanto com as questões materiais que esquecem de praticar a espiritualidade no dia a dia, como os exemplos que citei anteriormente e muitos outros que precisam ser praticados.

Quando o casal consegue falar a língua da espiritualidade, a língua do amor, abre-se dessa maneira para a felicidade da alma, felicidade que chega e, ao ser cultivada, permanece e cresce.

Fátima Cardoso

Escrito por Fátima Cardoso

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A PRÁTICA DA ESPIRITUALIDADE PODE AJUDAR NA ARTE DE VIVER JUNTOS EM TEMPOS DIFÍCEIS

REFLEXÃO: O QUE PODEMOS TIRAR DE LIÇÃO EM CADA RELIGIÃO

Nesta terça-feira na nossa coluna REFLEXÃO vamos analisar o que podemos aprender com diferentes religiões, já que o que há em comum entre todas elas é a FÉ. A crença em algo, algum deus ou deuses. Invariavelmente todas elas pregam o amor entre os indivíduos, mas além disso, cada uma possui suas peculiaridades e têm algo a nos ensinar. Portanto lhe convido a conhecer a essência de cada uma delas, refletir fazer o seu aprendizado!

O que podemos aprender com diferentes religiões

A maioria das pessoas tem alguma fé. Não necessariamente seguem uma religião, mas acreditam em alguma coisa: destino, astrologia, forças cósmicas, entre outras. É a fé que traz algum tipo de conforto e segurança para uma pessoa, principalmente quando ela se sente desamparada. A crença, por outro lado, manifesta-se essencialmente por meio de uma religião. É possível acreditar na existência de um ou de vários deuses, e levar a vida seguindo aquilo que os livros sagrados, por exemplo, determinam como certo.

Entretanto, a crença e a fé não devem ser limitantes da realidade. Muitas pessoas passam a acreditar em algo e rejeitam a existência de quaisquer outras formas de pensamento ou de existência. É preciso compreender que existem inúmeras maneiras de ver e sentir o mundo, e que é necessário conviver em paz com todas elas.

Para que você possa aplicar esse conceito de harmonia, paz e compreensão na prática, vamos aprender o que cada religião pode nos ensinar. Não consideraremos a base da religião em si, mas os conceitos que podemos seguir, independentemente de qual seja a nossa crença. Faça este exercício! Sempre há o que aprender.

Imagem de três cruzes, referindo-se à ressureição de Jesus Cristo.

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

1) Cristianismo

O cristianismo é a religião com mais adeptos em todo o mundo. Isso se dá pelo fato de a Igreja Católica ter catequizado povos que estavam sendo explorados, aumentando a região de influência da religião. Embora pareça contraditório, impor o cristianismo para outras pessoas, anulando a religião delas, não faz parte do que prega essa religião.

O cristianismo traz uma mensagem sobre praticar o bem para as outras pessoas, amando-as como ama a si mesmo. Seguindo esse conceito, de espalhar amor para quem está a seu redor, teríamos uma sociedade mais igualitária, justa e respeitosa.

2) Islamismo

O islamismo é outra religião de muitos adeptos em todo o mundo. Quem a segue é considerado muçulmano, e deve viver toda a vida tendo como foco os princípios pregados por Alá, a figura sagrada desse povo. Ainda que existam diferenças no tratamento de homens e mulheres de acordo com o islamismo, a religião é mais do que isso.

“Maktub” é a expressão que significa “estava escrito”, e é o que diz para as pessoas muçulmanas que o destino delas já foi traçado. Assim, tanto o que acontece de bom ou de ruim pode trazer algum ensinamento no futuro. Tudo estava destinado a acontecer, e não podemos fugir desse destino. É uma boa forma de pensar quando estamos enfrentando um momento de muita dificuldade.

3) Hinduísmo

O hinduísmo funciona como um conjunto de cultos que teve origem na Índia. Diferentemente de qualquer outra religião, o hinduísmo abrange a diversidade de divindades e de pensamentos, sendo que os seguidores podem escolher com qual se identificam mais.

A crença em uma força cósmica formadora do Universo é uma característica do hinduísmo, mas a maior lição que podemos aprender com a religião é a de que existem múltiplas formas de pensar e todas elas são válidas. Crendo em uma ou em várias divindades, você ainda estará conectado(a) com algo maior, com o Universo.

Imagem de Buda em posição de meditação. Ao fundo temos um lago, uma árvore com copa bem frondosa e um lindo por do sol.
Imagem de Karin Henseler por Pixabay

4) Budismo

Confundido com uma filosofia, o budismo é uma religião que segue os princípios de Siddhartha Gautama, chamado de Buda. Monges budistas são conhecidos no mundo todo, por levarem a religião a um outro patamar: o da devoção completa. As pessoas que atingem esse estado de espírito passaram, inicialmente, por um processo que qualquer um pode reproduzir.

O budismo ensina a necessidade de se desapegar das coisas que são transitórias. Objetos, por exemplo, não são essenciais na vida de uma pessoa, muito menos fazer compras de bens não necessários todos os meses. O luxo, a ostentação e as riquezas não favorecem a evolução espiritual de uma pessoa, nem a conexão dela com o que existe de mais puro no mundo. O desapego é o segredo do budismo. Valorize o que realmente importa.

5) Judaísmo

O judaísmo é a primeira religião monoteísta da história. Antes dela, todos os povos acreditavam na existência de inúmeros deuses, que governavam elementos da natureza e emoções. A mudança que o judaísmo trouxe não anula a possibilidade de crer em múltiplas divindades.

O que podemos aprender com o judaísmo é o que a religião considera como maior pecado: a idolatria. Quando idolatramos uma pessoa ou um conceito, nos fechamos para outras possibilidades e nos recusamos a enxergar o ser idolatrado como alguém que pode ter cometido erros. É preciso estar com a mente sempre aberta.

6) Espiritismo

O espiritismo é a religião que mais cresce no mundo, e conquista adeptos a todo momento. Para fazer parte dela, não há qualquer ritual específico. Basta começar a frequentar os cultos e acreditar no que a religião prega.

Existe uma característica fundamental do espiritismo que pode ser aprendida e seguida por qualquer pessoa. A caridade é vista como uma atitude fundamental para a evolução da alma de uma pessoa. Mesmo que você não acredite na existência da alma, você ainda pode praticar caridade e espalhar o bem para outras pessoas.

Imagem de um ritual de Candomblé. Várias fitas coloridas e ao fundo mães e pais de santos.
Imagem de José Eugênio Costa jecosta por Pixabay

7) Candomblé

O candomblé é uma religião que foi criada por pessoas negras escravizadas, que trouxeram as crenças africanas para o Brasil, enquanto tentavam sobreviver. Por mais que a origem da religião tenha vindo de pessoas que viviam em péssimas condições, o candomblé pode surpreender.

É uma característica da religião a prática de festas e oferendas, com dança, música e batuques tipicamente africanos. É assim que quem crê nessa religião homenageia o deus e os orixás nos quais acreditam. Isso significa que a festa, a dança e a música podem transmitir sentimentos e emoções puras, sendo uma forma essencial de comunicação com o divino.

8) Umbanda

Diferentemente do candomblé, a umbanda é uma religião que une as crenças africanas às crenças europeias, que foram trazidas ao Brasil com os colonizadores. A união das duas formas de ver o mundo criou uma religião nova e que tem muito a ensinar.

Para a umbanda, as entidades que conduzem as pessoas não podem ser consideradas totalmente boas ou totalmente ruins. Cada uma delas age de acordo com uma intenção, que pode ser prejudicial ou benéfica. É importante pensar assim também sobre as pessoas, que não devem ser julgadas como boas ou ruins a partir de simples atitudes ou formas de pensar.

9) Wicca

Wicca é uma religião diferente de qualquer outra. Nesse caso, não há crença em uma divindade, sendo uma religião pagã. A fé se manifesta na Wicca por meio da conexão entre espiritualidade e natureza, sendo uma religião que prega o contato com a essência da vida na Terra.

O que podemos aprender com a Wicca é a possibilidade de explorar o que a natureza nos fornece de forma respeitosa e consciente. É preciso compreender cada elemento que vemos como parte de um todo, buscando aprender que tipos de energia a Lua, o Sol e o mar, por exemplo, podem nos transmitir.

Imagem em preto e branco de uma bíblia antiga aberta.
Imagem de Free-Photos por Pixabay

O amor deve prevalecer

Ainda que a liberdade de praticar qualquer religião seja garantida pela Constituição Federal do Brasil, o racismo e a intolerância religiosa continuam atacando as religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé.

De janeiro a novembro de 2018, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos recebeu 213 denúncias de ataques a religiões de matriz africana. Infelizmente, esse número cresce a cada ano. Em 2017, por exemplo, foram feitas 145 denúncias.

O ataque aos praticantes de candomblé e de umbanda representa a recusa da população em aceitar a presença da população negra no Brasil. Ainda acreditam que as pessoas negras existem para servir as pessoas brancas, e que devem pensar e agir como tais.

Por mais que o Brasil se declare como um Estado laico, os temas relacionados à religião, quando votados no Congresso, são definidos por uma maioria de pessoas cristãs. Isso não significa que as pessoas que praticam umbanda e candomblé são minoria ou que não se interessam por política. Pessoas negras que seguem essas duas religiões são sistematicamente excluídas da sociedade.

Os ataques aos terreiros (onde são praticados os rituais religiosos) e aos fiéis vão contra os princípios de quaisquer religiões, que pregam, acima de tudo, o amor. Rejeitar a existência de crenças diferentes para cada pessoa não condiz com os ideais de igualdade, respeito e harmonia que as religiões definem.

Impor a própria crença, negando a fé de outra pessoa, não irá converter alguém, muito menos convencer outra pessoa de que a religião dela não é válida. Todas as religiões têm direito de existir e de serem praticadas, sem o risco de seus fiéis serem atacados.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo REFLEXÃO: O QUE PODEMOS TIRAR DE LIÇÃO EM CADA RELIGIÃO

AUTOCONHECIMENTO: SOMOS TODOS ESPÍRITOS COCRIADORES NESSA IMENSA TEIA DE CONEXÕES

Os espíritos cocriadores expressam-se nos mundos densos e permeiam as camadas do tecido vivo do universo, expressando vida. As formas corpóreas, também são engendradas por esses seres cocriadores. Imaginem seres cocriadores que respiram o hausto universal e exalam as formas de expressão nas diversas etapas evolutivas. É assim que podemos sentir que somos cocriadores na natureza, cocriando pensamentos, sentimentos e expressões nessa imensa teia de conexões. Portanto lhe convido a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Espíritos Cocriadores

Postado em Textos em Destaque

espiritos cocriadores

Nos diversos reinos da natureza, as formas que se expressam e evoluem são filhas da ação dos espíritos cocriadores. Respiram o hausto cósmico do Criador e exalam miríades de formas diferentes que se expressam nos diversos reinos da natureza.
Esses espíritos cocriadores engendram novas formas a todo instante nos planos invisíveis, que, posteriormente, serão manifestadas nos reinos visíveis da natureza.
Os espíritos cocriadores são devas** da criação, que fazem a manutenção das formas, expressam-se nos mundos densos, fazem a manutenção do brilho estrelar e permeiam as camadas do tecido vivo do universo, expressando vida.
As formas corpóreas, por onde os espíritos evoluem de forma cíclica, também são engendradas por esses seres cocriadores.
Pensem no poder que dá vida ao envoltório carnal e que abriga a consciência em sua peregrinação evolutiva. Meditem no poder que gera um veículo de tal expressão. O poder que faz o coração pulsar e leva a seiva vital pelos condutos interiores… O poder que é capaz de condensar as forças solares, até retê-las de tal forma que elas resfriam e se tornam planetas, que, posteriormente, serão moradas e desenvolverão casulos energéticos densos (que abrigarão miríades e miríades de espíritos em suas diversas etapas evolutivas).
Pensem no poder do fogo solar, que se condensa e forma a Terra e em seus envoltórios, por onde cada consciência estagia ciclicamente. Imaginem seres cocriadores que respiram o hausto universal e exalam as formas de expressão necessárias às miríades de seres nas diversas etapas evolutivas.
Esses cocriadores engendram formas geométricas de difícil expressão e entendimento para os cérebros humanos. Como forma de ligação e de sintonia adequada, peço a vocês que visualizem mentalmente uma grande joia suspensa no ar, como um grande diamante em forma circular, ou como um globo de cristal flutuando à sua frente.
A imagem do cristal ou da joia representa a condensação da luz.
No centro dessa joia circular suspensa à sua frente, surge um olho horizontal aberto, o olho da alma. Visualize esse olho de frente, sem medo, sem máscaras e sem barreiras.
Essa figura é o mais próximo que o cérebro humano pode conceber para a ação dos espíritos cocriadores: uma joia com o olho aberto. Meditem nisso.
Concentrem-se nessa joia com o olho aberto dentro do peito (como se fosse um olho interno da consciência que consegue perceber tudo aquilo que a mente não entende). E, assim, talvez, cada um de vocês possa sentir um pouquinho da divindade dentro de si mesmos. Cada um poderá sentir que também é cocriador na natureza, cocriando pensamentos, sentimentos e expressões nos lugares onde, circunstancialmente, a vida os colocar.
O olho aberto representa a percepção cósmica além dos sentidos, além da clarividência e além das percepções extrassensoriais. É o olho que tudo vê e, estando aberto, traz a percepção de outros níveis.
A joia é a condensação da luz, é a figura do despertar da consciência, que também se tornará, um dia, cocriadora de planetas e estrelas… Esse é o augusto futuro de cada um de vocês: tornar-se macro-criadores estelares.
Por enquanto, ainda limitados pelas diversas etapas evolutivas, sejam cocriadores dos universos internos de vocês mesmos, com pensamentos estelares, sentimentos cósmicos e energias maravilhosas.
Sejam, por enquanto, cocriadores humanos, uns com os outros, cocriando as manifestações virtuosas que se propagam e ajudam a muitos outros, esclarecendo eternamente, pois os pensamentos e os amores se propagam como seres vivos na criação.
Quanto mais virtuosos os pensamentos e os sentimentos, maior a qualidade, maior o seu brilho, maior a sua eternidade. E eles se propagam e transformam outras consciências, despertam outras criaturas e “abrem outros olhos” à divina percepção.

– Os Iniciados*** –
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges.)

– Notas:
* Esses escritos são a transcrição literal de uma comunicação psicofônica, ocorrida durante uma prática no IPPB com a turma de 50 alunos do curso Om Sattva.
** Devas – do sânscrito – divindades; seres de luz; seres celestiais.
*** Os Iniciados – grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.
Fonte: IPPB.ORG
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SOMOS TODOS ESPÍRITOS COCRIADORES NESSA IMENSA TEIA DE CONEXÕES

AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA OS VÁRIOS TIPOS DE MEDITAÇÃO E ESCOLHA A QUE MELHOR LHE CONVIER

O nosso destaque desta segunda-feira na coluna AUTOCONHECIMENTO é MEDITAÇÃO. Nesta edição vamos focar nos diversos tipos de meditação, prática de suma importância na caminhada evolutiva do autoconhecimento. Muitas pessoas começam essa prática, mas desistem por causa da fadiga muscular ou formigamento provocados pela posição, geralmente incômoda. Por isso, o texto a seguir trás novas técnicas de meditação, em posições mais confortáveis para lhe dar mais prazer na execução dessa prática. 

Os vários tipos de meditação

tipos de meditação

Muitas pessoas têm encontrado na meditação um equilíbrio, uma harmonia e as respostas para seus problemas. Pessoas ansiosas e estressantes encontram através da meditação mais calma e tranquilidade.

Na procura pela felicidade, o ser humano está sempre buscando fora algo que está dentro de si mesmo. E os desejos de felicidade, na maioria das vezes, estão relacionados com bens materiais externos que nos deixam felizes por um tempo e depois passam.

Por isso é tão importante conhecer a mente e ter um pouco de controle sobre os desejos que adquirimos. O caminho para lucidez pode ser a saída, e encontrar essa lucidez é possível com a meditação. Existem várias formas de meditar e você pode escolher aquela que melhor se adapta.

Meditação Vipassana

É uma meditação que nos mostra as coisas como elas são. A técnica é proveniente da Índia. Nesta meditação você focará na respiração e se concentrará na mente. Com a meditação Vipassana você pode realmente ver as coisas como são de fato, seja um sofrimento ou desentendimento.

Entre os benefícios estão: o controle sobre a situação atual, redução do estresse, diminuição da insônia, melhora na concentração e sensação de bem-estar. Existem muitos cursos que ajudam a praticar meditação Vipassana da forma correta.

Meditação com mantra

Algumas pessoas têm dificuldade para ficar em silêncio, e meditar com mantra pode ser uma boa solução além de conseguir atingir um estado de concentração profundo. Para meditar com mantra você precisa conhecer algum mantra, seja por CD ou livro. Primeiro foque na sua respiração, esqueça os pensamento, entoe o mantra e repita-o quantas vezes achar necessário.

Uma dica: independente do mantra que tiver, procure começar com o OM e depois medite, isso vai ajudar ainda mais na concentração. Com esta meditação é possível reduzir o estresse e os níveis de ansiedade, sentir um profundo relaxamento e uma descoberta de amor próprio.

Meditação deitada

Assim como existem vários tipos de meditação: com mantra, vela, guiada, onde você pode meditar sentada ou em pé, há também a meditação deitada. Para fazê-la é interessante ter um bom conhecimento da mesma, caso contrário é normal a pessoa cochilar. Os benefícios são desde relaxamento, bem-estar e uma sensação de alívio, sem aquela dor nas costas, muito comum quando começamos a meditar.

Meditação com vela

Você pode escolher velas com cores, perfume e acender antes da meditação, mas velas que nunca tenham sido acendidas antes. A meditação com vela é ótima para depois entoar mantra, fazer oração e sentir uma boa energia. Mas atenção: procure acender a vela em um lugar seguro para você não ficar preocupado durante a prática.

Meditação guiada

Para quem nunca meditou, esse pode ser um bom caminho. Na internet você encontra diversas meditações guiadas. Elas são boas pois ajudam a pessoa a se focar no momento. Existem muitos tipos de meditação guiada, desde a limpeza, sentimento, preocupação, devoção… seja qual for, a meditação guiada proporciona maior segurança, relaxamento, alegria e otimismo.

A meditação guiada pode durar três, 15, 30 minutos ou até horas. Tudo depende do seu estado de meditação. As meditações guiadas te ajudam a conhecer e experimentar um novo ambiente.

Fonte:

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: CONHEÇA OS VÁRIOS TIPOS DE MEDITAÇÃO E ESCOLHA A QUE MELHOR LHE CONVIER

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: INDUZINDO A EVOLUÇÃO ESPIRITUAL

 

Induzindo a Evolução Espiritual

Desenho de pessoa metiditando, com luzes diferentes em uma linha reta no centro do corpo.

Induzir a evolução espiritual sugere que o ser humano adentre um mundo paralelo de não tempo e não espaço, mas ainda assim infinito, nos “bastidores” da existência, de onde e para onde flui e reflui a energia sutil que permeia e influencia toda a ação humana, e que por ela é igualmente influenciada.

Por si só, a vida é indutora de evolução, já que ela é o processo de que se vale o Universo para promovê-la. No entanto, a efetividade desse processo depende do nível de consciência do ser. Como um foguete, que consome a maior parte de seu combustível no estágio inicial de arrancada para o espaço, assim também o processo evolutivo é lento e penoso nas etapas inferiores, tornando-se leve e confortável, em fases mais avançadas.

Desenho de pessoa com luzes saindo de seu peito e de sua cabeça.

123rf/NejroN

A indução programada e consciente do processo evolutivo, no entanto, somente possível em suas etapas menos primárias, implica em atitudes e posturas diante da vida, de si próprio e da humanidade, que possam se tornar verdadeiros aceleradores da realização evolutiva.

Responder positivamente ao que a vida nos reserva

É assim com a resposta que damos às experiências da vida, sejam elas agradáveis ou não. Desde os eventos mais simples, como queimar, por distração, um bolo no forno, até os que impõem grandes sofrimentos, como a perda de um ente querido, a natureza da reação manifestada determinará a medida do benefício do evento ao processo evolutivo. O termo “resiliência” define a capacidade de tirar proveito de um evento negativo, em benefício do aprimoramento psíquico e espiritual de quem o vivenciou.

Vigiar os Sentidos – “Mindfulness”

O processo evolutivo é induzido também pelo hábito de focar a atenção nos pensamentos, nas sensações e nos sentimentos, sem qualquer censura, avaliação ou julgamento. Observar ou conscientizar-se do que ocorre em nossa mente e em nossos sentidos, como um ente externo não envolvido nem comprometido com o que se passa nestes planos psíquicos de nosso ser, remete-nos ao portal do espírito (“olha só o que minha mente está pensando!”, “olha o que minha emoção está sentindo!”). Essa postura separa a mente e as emoções da entidade que as observa, seu verdadeiro Eu.

A observação que se faz da mente, das sensações e dos sentimentos não se confunde com esses entes observados da personalidade humana, pois deles não se faz uso enquanto apenas se observa. Portanto, a origem da capacidade observativa tem que estar num patamar acima dos níveis sensoriais e mentais (psíquicos). Quanto mais independente dos sentidos e da mente for a observação, mais profunda será a exploração dos níveis sutis do espírito.

Desenvolver a intuição

A intuição é a sintonia da mente humana com a Mente Universal, que se projeta no homem através da mente abstrata, partícula divina individualizada no ser humano. Somente a mente desobstruída dos pensamentos e das emoções de baixa frequência vibratória (ódio, ciúme, raiva, mágoa, medo, vingança, lassidão, luxúria…) tem acesso à sintonia com os veículos superiores do espírito, como a mente abstrata.

Desobstruir os canais de acesso ao espírito

Quando a purificação dos veículos inferiores (físico, mental e emocional) consegue desobstruir os canais de acesso da consciência ao nível do espírito, mesmo que por tempo limitado, o fluxo dos Atributos desse nível (Amor, Vontade e Sabedoria) inundam o “andar de baixo”, (mente concreta e emoções) trazendo à nossa consciência: o Amor Universal, pela sublimação; o Conhecimento/Sabedoria, pela intuição; e o Poder, pela Vontade Consciente.

Mulher com uma mão no pescoço e olhos fechados, com tinta em pó voando como se saísse de seu corpo.
123rf/NejroN

A articulação com as várias circunstâncias da vida, nos papéis de ente social, profissional e familiar, feita em sintonia com os veículos superiores através da sublimação, da intuição e da vontade consciente, é uma grandiosa indutora do desenvolvimento da consciência do indivíduo e da coletividade.

As filosofias espiritualistas não dogmáticas e as práticas terapêuticas sutis podem ser, também, de grande utilidade na indução do processo de evolução.

Roberto Guelfi

Escrito por Roberto Guelfi

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: INDUZINDO A EVOLUÇÃO ESPIRITUAL

DICA DE LIVRO: MENTE IMORTAL DE ERVIN LASZLO E ANTHONY PEAKE

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é o livro MENTE IMORTAL, Evidências Científicas Comprovam a Continuidade da Consciência Além do Cérebro. Com base em um novo paradigma científico, sintonizado com uma espiritualidade pautada pela experiência e processos cognitivos voltados ao campo sutil da realidade cósmica, Ervin Laszlo e Anthony Peake exploram como a consciência está sempre presente no cosmos, podendo existir sem conexão com um organismo vivo. Eles examinam o corpo de evidências científicas, em pleno desenvolvimento, que dá apoio à continuidade da consciência, incluindo experiências de quase morte, comunicação após a morte, reencarnação e informações neurossensoriais recebidas em estados alterados da mente. Explicam também como a continuidade da consciência além da morte do corpo físico significa, em essência, que não somos mortais. Com a prova de que a consciência é algo básico para o cosmos e imortal em seu domínio mais profundo e não manifesto, Laszlo e Peake revelam que o propósito dela é se manifestar nos seres vivos para que evoluam continuamente.

Foto: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: MENTE IMORTAL DE ERVIN LASZLO E ANTHONY PEAKE

AUTOCONHECIMENTO 1: UMA GRANDE OPORTUNIDADE PARA VOCÊ DESCOBRIR QUAL A SUA MISSÃO!

Caro(a) leitor(a),

Aqui no Blog do Saber disponibilizamos informações que não são divulgadas pelos principais meios de comunicação e, portanto, podem parecer controversas ou, as vezes, incognoscíveis para alguns. As opiniões, visões, declarações e / ou informações que divulgamos não são necessariamente promovidas, avalizadas, adaptadas ou em concordância com o Blog do Saber ou com os que leem o seu conteúdo. Contudo os artigos são, esperançosamente, provocadores e têm o objetivo de formar uma massa crítica. Por favor use o seu discernimento! Use o seu pensamento crítico, a sua própria intuição e a sua própria conexão com a Fonte, com o Espírito e as Leis Naturais para o ajudar a determinar o que é verdade e o que não é. Ao partilhar informações e semear o debate de ideias, é o nosso objetivo elevar a Consciência e o conhecimento das verdades mais elevadas, para libertar-nos da escravidão da matriz de controle neste reino material. Portanto convido-o a ler o artigo completo a seguir e conheça o passo a passo para essa libertação!

7 Passos para encontrar a sua missão na Nova Era de Ouro de Gaia

Quando te perguntam: Qual é a sua missão de vida? Você tem uma resposta imediata? A sua resposta é rápida e com convicção, ou você fica sem saber o que dizer? Você sabe exatamente o que está fazendo aqui neste planetinha azul? E sabe quem você é de verdade?

Para ajudar você a responder essas perguntas, eu trouxe sete passos que se colocados em prática, farão com que a sua MISSÃO DE VIDA “salte na sua frente” como num “outdoor”, e que não reste mais dúvidas de que é isso que você precisa fazer, para realizar a sua missão e encontrar o seu caminho. Todos nós temos uma missão, isso é um fato.

Uma nova sociedade galáctica está emergindo das profundezas da consciência de Gaia. E todos precisamos nos adaptar a esse novo mundo se quisermos permanecer nele, e desfrutar de todas as maravilhas que nos aguardam. Porém, neste novo mundo não haverá mais espaço para pessoas com “vidas vazias”, ego centristas e materialistas. Quem estiver na vibração da disputa, da competição pela sobrevivência e da guerra, será “convidado a se retirar”. E será levado para um plano dimensional mais baixo, ou seja para outro planeta em dimensão inferior, para continuar um longa jornada de sofrimento e provações. Pois Gaia está as portas da 5 dimensão, deixando para trás a era das provações para se tornar um planeta regenerador, para ser uma sociedade galática. Um local onde somente os espíritos que buscam a luz e o amor poderão existir. E isto meus caros é agora, não há mais tempo para procrastinar. Então, você precisa encontrar um propósito na sua vida agora e entender quem você é verdadeiramente, e porque que você está aqui.

A grande maioria das pessoas não faz a mínima ideia, de que quando chegamos a terra, já trazemos na bagagem um plano de vida específico e definido. Que nos ajudará a evoluir e a corrigir as nossas falhas humanas. Nós escolhemos nascer aqui, só não lembramos disso. Por conta do véu da consciência a que nós fomos submetidos assim que adquirimos o corpo físico. Esquecemos todas as nossas vidas anteriores e acreditamos que estamos aqui jogados ao vento do Destino. Não há um destino pronto, mas sim um projeto de vida, com um propósito específico e uma missão. Uma espécie de mapa, de para onde devemos ir. E quando seguimos esse mapa as coisas entram nos eixos e a vida começa a fazer sentido. Sempre temos a escolha. Essa informação está gravada no nosso subconsciente, e não nos damos conta disso. Até termos desperdiçado grande parte da nossa vida fazendo coisas de que não gostamos, apenas para sobreviver. Seguimos a vida fazendo de tudo um pouco, experimentando aqui e ali. Para até quem sabe um dia encontrarmos algo de que gostamos de verdade. E a vida começará a ser um pouco menos vazia.

Mas se eu disser que você pode encurtar o caminho. Que você não precisa passar a vida toda procurando. Que é um simples ato de acessar uma parte da sua mente e fazer o “Download” desta informação. Quanto tempo isso te economizaria? Quanto dinheiro? Quantos problemas poderiam ser evitados? Você poderia focar o seu tempo no que realmente importa. Não seria bom?

É lógico que para viver plenamente a sua missão, você deve resolver algumas coisas na sua vida primeiro. É por isso que escrevo este material, no intuito de ajudar a acelerar este processo, algo profundo que trará mudanças reais.

Então vamos lá. Aqui estão as coisas que nunca te disseram e que você precisa resolver
urgentemente, 7 passos para viver uma vida de verdade, com plenitude, sentido e propósito. Depois disso você será outra pessoa definitivamente:

Passo 1 

PERDOAR

Não importa o quanto te fizeram mal, ou o que te fizeram, nem quem foi o autor. Para estar em paz e ser livre para ser feliz, e viver a vida de verdade. Você terá que perdoar tudo e todos. Inclusive a si mesmo. Quem tem mágoas ou rancores está com a vida travada. Comece perdoando seus pais. E siga com familiares, relacionamentos amorosos. Tudo que ficou para trás precisa ser curado com perdão verdadeiro. Pergunte para sua consciência se há algo mais a ser perdoado, vidas passadas, vidas paralelas. É hora de deixar ir a energia da mágoa.

Passo 2

NÃO JULGAMENTO

Se tem uma coisa que esgota a sua energia e prejudica a sua vida é julgar os outros espontaneamente. Pare de imediato, não fale, nem sequer pense. O menor dos comentários pode colocar você numa espiral negativa e baixar a sua frequência imediatamente. Deixe os outros serem aquilo que escolheram ser, e seja você diferente. Ensine pelo exemplo. Jamais faça comentários ou foque nas falhas do outro. Quanto mais energia colocamos em algo mais isso se perpetua. Foque no lado bom sempre, mesmo que uma coisa esteja muito errada aparentemente, ela te ensinará uma grande lição. Pense nas outras pessoas como atores de um filme, na verdade somos todos atores já desempenhamos vários papéis em todas as nossas existências. Aja sempre com compaixão. Tudo serve para experimentarmos os dois lados da moeda e nunca julgarmos. É tudo parte de um plano maior, mas a decisão é sempre nossa.

Passo 3

CURAR AS EMOÇÕES

Se no seu inconsciente existem sentimentos de medo, raiva, ansiedade, traumas de infância ou crenças limitantes, você nunca será 100% feliz. Nunca se sentirá em paz, sua vida será uma “montanha russa” de altos e baixos emocionais. Quando acontecer algo bom, você se sentirá bem. Mas quando a situação apertar um pouco você cairá com ela. Nunca será livre ou sentirá a verdadeira paz. Procure um bom terapeuta para resolver essas questões, sua vida mudará drasticamente. Todos precisamos de ajuda para vencer certas coisas que não podemos sozinhos. É preciso admitir que ninguém é onipotente e aceitar ser ajudado. Até mesmo os maiores mestres que já passaram por este mundo precisaram de ajuda em algum momento. A Hipnose Clínica pode resolver a maioria desses problemas em apenas uma sessão.

Passo 4

BEM ESTAR

Pode parecer estranho ou até egoísta ler isso. Mas a base da sua missão de vida é aprender a cultivar de forma consciente um estado de bem-estar. É escolher ao que dar importância, é decidir não sofrer mais por qualquer coisa. Isso é ser mestre de si mesmo. É estar no controle da sua vida. Pois a emoção que estamos sentindo é o ponto de atração que estamos irradiando. E por conta da lei do retorno é o que receberemos de volta.

Passo 5

BUSCAR SONHOS

Quer ser feliz de verdade? Então pare o que está fazendo e escreva num papel todos seus sonhos e objetivos e crie um plano para começar a ir atrás da realização deles imediatamente. O passo mais importante é sempre o primeiro. Não importa o quão grande eles sejam. Se existe dentro de você um desejo verdadeiro, também existe em você as ferramentas para realiza-lo. Volte a sonhar, você merece mais do que sobreviver. É chegada a hora de viver tudo que escolhemos ser neste mundo.

Passo 6

EVOLUÇÃO CONTINUA

Existe uma lei universal que diz que nada permanece 
imutável. Tudo está em movimento, tudo está continuamente evoluindo. E conosco não é 
diferente. Precisamos continuar em movimento, seguir crescendo em todos os sentidos. Devemos seguir o fluxo da energia constante com o ato de APRENDER e ENSINAR esse é o segredo para se manter ativo, jovem, lucido e se sentir conectado com o propósito de vida. Quem não tem mais nada a aprender, certamente poucos invernos lhe restarão de vida.

Passo 7

AJUDAR PESSOAS

Não existe alguém neste mundo que esteja verdadeiramente realizado sem que esteja fazendo algo de bom pelo planeta ou pelas pessoas. É o que mais nos aproxima de Deus. Ninguém consegue ser grande sozinho. Quem trabalha apenas para seu próprio interesse terá uma vida incompleta. Um sentimento de vazio o consumirá todas as noites. Certamente adoecerá com frequência e carregará um semblante envelhecido. Aproveite todas as oportunidades de ajudar que certamente aparecerão, e verá com seus olhos como os seus problemas se tornarão minúsculos ou até se extinguirão. Isso é viver com propósito.

Tudo o que foi descrito acima tem um único e grandioso propósito de reconecta-lo a seu espírito, a sua alma, a seu Eu Superior. Se você simplesmente declarar a intenção de reconectar-se com o seu EU e aceitar a luz tudo se mostrará para você. A sua missão esta intimamente ligada a sua intuição. Você pode conectar-se telepaticamente com os planos superiores sem precisar de nenhum guia. Acabou a era dos gurus. Nós seremos os mestres agora. Os mestres de nossa própria vida. O cristo encarnado em corpos físicos. Nós somos os escolhidos, somos o NEO do filme “Matrix”. Você é mais especial do que imagina aceite esta verdade.

Estamos na melhor época da história, e um mundo novo está se configurando diante de nós. O planeta está ascendendo para uma dimensão e um estado de consciência mais elevada. E nós precisamos entrar em um novo paradigma mental de unidade com o todo para desfrutar deste novo mundo, um mundo mais justo, sem as manipulações que fomos vítimas durante eras. A Quarentena já está sendo desmantelada, e a Matrix está ruindo. É a nossa chance de ter tudo que sempre sonhamos. Há uma energia consciente proveniente do Sol Central da galáxia que está limpando tudo que não serve mais. Elevando tudo e curando tudo. Então, é só aceitar esta luz inteligente que toca nossos corações e nos conecta com nossas almas. Resolvendo tudo e nos guiando para essa nova consciência crística.

Vitória da Luz!

Dante

Fonte: https://surfacom.blogspot.com/2019/09/7-steps-to-find-your-life-mission-in-gaia.html

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO 1: UMA GRANDE OPORTUNIDADE PARA VOCÊ DESCOBRIR QUAL A SUA MISSÃO!

AUTOCONHECIMENTO: DESENVOLVER A ESPIRITUALIDADE ATRAVÉS DA HUMILDADE EM MOMENTOS DE CRISE

Caro(a) leitor(a),

Nunca publiquei esse tema nesse horário, mas em tempos de coronavírus temos a chance de viver num mundo diferente e de mudar hábitos, comportamento, a maneira de se relacionar e crescer espiritualmente. Nesse bate papo altamente esclarecedor e de grande aprendizado o psicólogo Leo Fraiman dá uma aula incrível de AUTOCONHECIMENTO no programa PÂNICO. Assista ao vídeo e ganhe muita sabedoria! Show!

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DESENVOLVER A ESPIRITUALIDADE ATRAVÉS DA HUMILDADE EM MOMENTOS DE CRISE

FÍSICA QUÂNTICA: O DESPERTAR DA ESPIRITUALIDADE ATRAVÉS DA ORAÇÃO QUÂNTICA

A nossa REFLEXÃO deste sábado é sobre a espiritualidade. Éla nunca nos abandona porque é algo que inerente ao ser humano. Está dentro de todos nós. É como se fosse o nosso anjo da guarda. A diferença é que em quem já está desperto ela se exacerba, cresce e multiplica o seu poder. Em quem ainda não despertou ela está latente esperando ser invocada. É como o gênio da lâmpada que está lá dentro da lâmpada apenas aguardando ser invocado para cumprir as ordens do seu amo e senhor. Portanto, se você ainda não despertou, desperte e acione a sua espiritualidade, o seu gênio da lâmpada através da vibração e do exercício da Gratidão!

A espiritualidade nunca nos abandona!

23/11/2019

|Vera Calvet

Às vezes a gente reclama tanto, se envolve tanto com os problemas cotidianos que nem nota o quanto estivemos protegidos durante todo o processo!

A espiritualidade nunca nos abandona e é muito importante lembrar disso e ser grato!

Não que a espiritualidade dependa de nossa gratidão para continuar a nos proteger e guiar. Mas nossa gratidão nos eleva a vibração e abre nossos corações para receber toda a luz que pode atingir nossa vida, nosso corpo e nossa alma! E só assim, conscientes, é que podemos perceber o quanto fomos guiados e protegidos, como a teia do universo se entrelaça e nos conduz e que jamais estivemos sozinhos!
Repita comigo! Sou grata(o), sou grata(o), Sou grata(o)!!!!
Não é bom?

O sentimento de gratidão é a maior força curativa!

Com todo o meu amor, sou grata por você estar lendo isto e sentindo, um pouquinho que seja, dessa energia positiva que desejo que sinta nesse momento!
Que sua vida seja plena!

Então agora faça essa oração quântica e a repita todos os dias de sua vida. Transforme isso num mantra inseparável e quando menos esperar não poderá mais viver sem ela. Dê esse salto quântico e amplie o seu poder!

🌀 Oração Quântica 🌀 linda e poderosa!! 💦💦💦💦💦

💦*Gratidão* à vida que me inspira, me renova e me dá chances de evoluir diariamente.
*💦Gratidão* ao lugar onde estou aqui e agora, pois esse lugar precisa de mim e eu dele.
*💦Gratidão* a todos os órgãos do meu corpo que funcionam em plena harmonia e perfeição.
*💦Gratidão* a casa onde moro, que me serve de refúgio e descanso.
*💦Gratidão* às oportunidades de trabalho, conquistas, sucesso e evolução que se abrem diante de mim diariamente.
*💦Gratidão* a cada dívida paga, porque dessa forma honro meu nome, honro meus compromissos e meu dinheiro se multiplica.
*💦Gratidão* a tudo aquilo que eu compro, adquiro pois é fruto do meu trabalho.
*💦Gratidão* a todas as pessoas que cruzam meu caminho.
*💦Gratidão* às pessoas que me fizeram mal, porque assim desenvolvi força e coragem para seguir sempre adiante.
*💦Gratidão* às pessoas que me fizeram bem, porque assim me senti muito amado e abençoado.
*💦Gratidão* a todas as oportunidades de sucesso financeiro e pessoal que recebo, identifico e aceito.
*💦Gratidão* a mim mesmo que encontro a gratidão em todas as pessoas, coisas e fatos.
*💦Gratidão* ao Universo inteiro, que conspira a favor de cada pensamento meu, por isso escolho com cuidado tudo aquilo que penso, falo ou desejo.
*💦Gratidão* ao Deus maravilhoso que existe dentro de mim, sou parte de sua divindade e por isso espalho luz, amor e paz onde quer que eu esteja.

*💦💦💦💦🌻Gratidão

Continuar lendo FÍSICA QUÂNTICA: O DESPERTAR DA ESPIRITUALIDADE ATRAVÉS DA ORAÇÃO QUÂNTICA

REFLEXÃO: SE APROFUNDANDO NA ESPIRITUALIDADE COM MAITÊ PROENÇA

Na nossa coluna REFLEXÃO desta terça-feira estou publicando um texto escrito pela famosa atriz Maitê Proença que conta um pouco da sua biografia e revela o seu lado espiritual e a sua experiência com o etéreo, o sutil. São experiências que ela afirma ter vivido da maneira mais sóbria possível e dá forma que foi escrito não dá pra duvidar que seja verdade. Portanto, caro(a) leitor(a), convido você a ler o texto a seguir completo, refletir sobre o assunto e tirar suas conclusões sobre o que realmente é a ESPIRITUALIDADE!

Resultado de imagem para espiritualidade

MAITÊ PROENÇA – ESPIRITUALIDADE – por Maitê Proença

(Publicado na Revista Época, número 286 – 10 de novembro de 2003 – Ed. Globo)

Eu acredito em Deus. Acredito pra caramba!
Meus pais eram ateus convictos, do tipo que acha ingênuo quem crê no que a lógica não explica. Mesmo assim aos 5 anos, por praticidade, me enfiaram numa escola de freiras onde vivi meus primeiros conflitos, digamos, existenciais.
Falava-se em pecado o tempo todo e eu passei a andar obcecada pelo chão tentando não matar formigas, já que matar era pecado e eu não podia imaginar nada tão mortífero quanto meu próprio pé, ou tão matável quando aquelas criaturas em quem até então eu só havia pensado para esmagá-las se me picassem. Além disso o mundo ia fazer primeira comunhão e lá em casa ninguém falava no assunto. Quando perguntei a minha mão se Deus existia, ela disse: “É igual papai-noel, existe pra quem acredita nele”.
Ela sabia que eu já não acreditava. Por fim, não deu certo a experiência com as freiras, me trocaram de escola e por uns bons anos fiquei livre daquelas questões.

Aí minha mãe morreu, meu pai pirou e eu fui parar num pensionato pra filhos de missionários americanos e luteranos. Ali, rezava-se pra acordar, pra dormir, pra comer e pra louvar ao final de cada dia com cânticos espirituais.
As coisas eram certas ou muito erradas e não havia meio-termo.
O bom senso não servia pra nada e o que valia era a palavra de Deus segundo a interpretação que aquela gente fazia da Bíblia. Bom, eu vinha de uma casa onde as pessoas filosofavam a vida e onde o pensamento era a maior diversão, então demorou um pouco pra eu conseguir aceitar o maniqueísmo que ditava as regras de minha nova moradia. Mas o mar não estava pra peixe, e aquela gente religiosa tinha o coração puro e bom. Eles tinham amor pra dar e eu uma cratera de carências pra preencher. Nessa união justa, Deus entrou na minha vida pela primeira vez. Entrou, claro, pela vala do amor e me encheu de conforto.
A cabeça viciada na lógica pensava: “Se eu nunca tivesse visto a cor azul não saberia imaginá-la, então se Deus não existisse, a imaginação do homem não o teria concebido.”
Assim, li a Bíblia toda, o velho e o novo, e de resto sintonizei no amor divino e deixei rolar. A primeira vez que me aconteceu uma experiência transcendental eu tinha 14 anos. Estava deitada no chão, à toa, e sem mais nem menos meu espírito se descolou do meu corpo. Não, eu não tinha fumado nada e também não estava em estado elevado de consciência, rezando ou coisa assim. Estava ali de bobeira mesmo, quando uma sensação de sublime leveza me arrebatou pra fora do corpo deitado, que meu outro ser, suspenso, passou a observar. Eu ia subindo acompanhada por seres cuja forma eu não via, mas sentia, e o chão, o campo, o quarteirão, minha cidade foram se mostrando cada vez mais distantes e sem cor. Tudo parecia preto e branco. Então o mundo com meu corpo ali era cinza e sem graça, mas dentro do meu ser etéreo e cada vez mais distante havia uma festa de soberana harmonia. Eu era dona de uma paz magnífica!
Não sei dizer por quanto tempo meu espírito ficou em êxtase, pode ter durado 30 minutos ou uma hora, mas guardo até hoje a sensação e acho que por causa dela não tenho medo da morte.
Naquela época fiquei uns três anos envolvida com coisas de Deus, e aí, não sei bem por que, larguei mão por um tempo. Mas não totalmente. Sempre viajei muito e em cada cultura buscava os locais e templos sagrados. Na maioria, independentemente da corrente religiosa, senti a presença de Deus.
Às vezes, quando era muito forte, passava horas tentando sintonizar a forma de louvor local, para então me abastecer de luz. Aliás, Ele não liga, sabe, se a gente quer chamá-lo de Buda, Iemanjá, Maomé ou Jesus. Ele não liga nem se a gente deixar de chamá-lo por um tempo. Ele é dono do infinito e não tem pressa. Mas então retomando, há 15 anos voltei a ter uma prática religiosa diária e pessoal, hoje devotada à face feminina de Deus, sendo Nossa Senhora o ponto alto de meu altar. De lá pra cá os fenômenos foram muitos. Não vou descrevê-los porque você vai achar que eu estou doidinha. Mas o fato é que na minha vida essas coisas acontecem. Se não ocorrer o mesmo com você, amigo, não quer dizer que eu tenha um botão a menos, apenas que me abri para uma experiência a mais.
E tem mais uma coisa, que é o seguinte: “Eu acredito que o Senna, nosso ídolo, viu mesmo Deus naquela curva em Mônaco (2). Ele estava num estado especial de concentração e aconteceu. Não tinha por que se expor ao ridículo, dando a cara a bater para um bando de céticos, se não houvesse de fato visto o que viu. Você não viu, mas ele viu, oras.”
Copérnico afirmou que a Terra era redonda e girava em torno do Sol.
Foi chamado de maluco, hoje sabemos que não era. O Dhomini diz que ganhou o Big Brother porque estava com seu ponto firmado na oração de otimismo que recebeu de seu mestre. Tereza D´Ávilla em êxtase levitava contra a própria vontade, tamanha a força de seu louvor, e na Índia, onde não se questiona o sagrado, essas coisas são corriqueiras. Elas acontecem. Acontecem na pausa.
Acontecem na hora do silêncio, entre uma respiração e outra. Acontecem simplesmente. Talvez estejam pra acontecer pra você. Sshhhhh…- Maitê Proença (1) –

-Notas:

1. Maitê Proença é uma das atrizes mais conhecidas do Brasil. Fez parte do elenco de várias novelas famosas. Atualmente está no elenco de “Malhação”.
2. Aírton Sena declarou numa entrevista para a revista Plaiboy (em 1990) que havia experimentado uma experiência fora do corpo no Japão, dentro do carro, momentos antes do início de uma prova. Nessa experiência rápida, ele narrou que viu Jesus. Daí em diante ele assumiu a condição ostensiva de cristão convicto.
Fonte: IPPB.org
Continuar lendo REFLEXÃO: SE APROFUNDANDO NA ESPIRITUALIDADE COM MAITÊ PROENÇA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar