Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: COMO CONVIVER COM A CRENÇA NA CIÊNCIA E NA ESPIRITUALIDADE AO MESMO TEMPO

Antigamente Crença e Ciência não andavam juntas e eram antagônicas, mas atualmente já se sabe que é possível a convivência das duas ao mesmo tempo. O que talvez ainda falte seja popularizar isso e esclarecer os limites de um e de outro para não haver conflito, apesar de ser algo muito pessoal. O artigo a seguir tenta desvendar esses novos paradigmas, Leia, reflita e faça o seu juízo de valor!

É possível crer na ciência e na espiritualidade ao mesmo tempo?

Um homem branco que faz um gesto de dúvida, colocando a mão no queixo. À sua direita, uma ilustração que representa as religiões abraâmicas, à sua direita uma ilustração que representa a ciência.
Andrea Piacquadio / Pexels / Canva / Eu Sem Fronteiras

Se você veio em busca de uma resposta simples para a pergunta do título deste artigo, é “sim”. Sim, é possível crer na ciência e na espiritualidade ao mesmo tempo.

Por muito tempo, e ainda hoje, muita gente acreditou que ciência e espiritualidade eram opostas e rivais, como clubes de futebol que têm torcedores que se odeiam. Mas a verdade é que, apesar de haver pontos de discordância, você pode muito bem crer em uma e crer em outra.

Antes de mais nada, o que é ciência?

Uma mulher morena com um suéter amarelo olhando através de uma lupa.

kroshka__nastya / Freepik

Para deixarmos as coisas bem explicadinhas antes de seguirmos em frente, vale esclarecer esse conceito. O que chamamos de ciência neste artigo é o seguinte: todo conhecimento que explica fenômenos e que foi comprovado por métodos científicos.

Métodos científicos se baseiam em experimentos e observação. Sabemos que determinado remédio combate determinada dor porque diversas substâncias foram testadas para aliviar essa dor e descobriu-se que essa medicação funciona. Essa conclusão foi submetida a mais outra dezena de testes para ser comprovada.

Portanto, ciência é a explicação lógica por trás de uma situação. Ah, e importante: não existe “a” ciência, algo como um instituto que define o que é certo ou errado. O conhecimento científico está sempre se desconstruindo e se modernizando.

E o que é espiritualidade?

Espiritualidade é a busca por explicações que transcendem os nossos sentidos e a nossa capacidade de testar e observar, ou seja, os métodos científicos.

Há pessoas que creem que a meditação harmonize as energias do nosso corpo. Isso é impossível de ser medido, certo? Como medir as tais energias? Assim como há pessoas que acreditam que, ao morrermos, iremos ao céu ou ao inferno; mas como comprovar a existência desses lugares? Impossível.

Uma estátua budista em bronze. Ela cerra as mãos em um gesto de oração.

Dean Moriarty / Pixabay

Assim sendo, espiritualidade é tudo aquilo que tenta explicar ou dar sentido a tudo o que não podemos comprovar ou para o qual não encontramos sentido lógico. A ciência, por exemplo, provavelmente jamais poderá deduzir o sentido da vida. Não há como fazer isso. A espiritualidade, por sua vez, pode fazer isso.

É importante dizer que espiritualidade não é sinônimo de religião. Religiões são conjuntos de crenças estabelecidas que seguem cultos, rituais, regras etc. A espiritualidade é ampla: você pode crer no Deus cristão, no poder da meditação budista e participar de eventos em um terreiro de candomblé. Espiritualidade é individual.

Alguns exemplos simples

Usando alguns exemplos simples e até um pouquinho bobos, vamos mostrar a você que ciência e religião não se excluem. Vamos lá:

Parece absurdo uma pessoa estar esperando a vacina contra o coronavírus, mas, mesmo assim, todos os dias dobrar seus joelhos e pedir a Deus que proteja sua família e sua vida? Não, certo? Pois a ciência está aí, na vacina, e a espiritualidade está aí, em Deus.

Mais um exemplo: é absurdo estar passando por um quadro de transtorno de ansiedade, tomar medicamentos para controlar esse problema, mas praticar meditação todos os dias, com o objetivo de harmonizar energias espirituais? A medicação (ciência) atrapalha a meditação (espiritualidade, neste caso) ou vice-versa?

Uma pessoa com os dedos entrelaçados em um gesto de oração. Ela debruça suas mãos sobre uma provável bíblia.

reenablack / Pixabay

E um último caso ilustrativo: é absurdo uma pessoa combatendo um vício em drogas buscar ajuda psiquiátrica e psicológica, mas, ao mesmo tempo, procurar o conselho e a ajuda espiritual de um imã na mesquita de sua cidade? Não há nada de errado nisso, não é?

Como você pôde ver a partir dos exemplos, a espiritualidade e a religião não atrapalham a crença na ciência e em procedimentos médicos e científicos.

Quando os problemas começam…

Os problemas podem começar quando há conflitos entre a espiritualidade e a ciência, o que pode acontecer. Sim, é possível manter uma harmonia entre os dois e, com sabedoria, isso pode ser feito, mas há pontos inflexíveis que podem gerar situações problemáticas.

Há pessoas, por exemplo, que abrem mão de fazer tratamentos médicos, como quimioterapia, na esperança de que Deus ou qualquer que seja sua crença vá curá-la desse problema de saúde.

Outro exemplo, este ligado a uma religião: aqueles que se consideram testemunhas de Jeová são proibidos por sua crença de fazer transfusão de sangue. Então, caso sofram um acidente ou passem por um quadro em que precisem de doação de sangue, arcarão com as consequências de abrir mão desse tratamento.

Seria leviano e arrogante dizer o que você deve fazer da sua vida, e não estamos aqui para isso, mas recomendamos que você coloque a sua saúde e a saúde dos seus acima das suas crenças quando for possível. Ainda que você tenha certeza a respeito do que crê, nada podemos saber a respeito da espiritualidade, apenas supor.

Uma mulher de blusa branca e calças leggings preta fazendo yoga.

Irina L / Pixabay

Então o recomendado é sempre se precaver e fazer o possível para se cuidar, seja cuidando do seu corpo ou da sua mente, seja fazendo tratamentos psicológicos e psiquiátricos, se forem necessários.

E a pseudociência?

Muitos confundem espiritualidade com pseudociência e, a partir desse preconceito, classificam qualquer crença como anticiência, mas não é bem assim.

A espiritualidade, quando verdadeira, é humilde. O que isso quer dizer? Que cremos naquilo que cremos, mas sabemos, lá no fundo, que não dá para ter certeza de que é verdade. Mesmo assim, cremos. Uma das definições de fé é esta: “crença na existência de alguma coisa”. Veja: crença, não certeza.

A pseudociência, por sua vez, não tem a humildade da espiritualidade. Ela deturpa métodos e conhecimentos científicos para se passar por verdadeira, na maioria das vezes com o intuito de enganar pessoas e, frequentemente, de ganhar dinheiro por causa disso.

Mãos de uma mulher manipulando um baralho de cartas. Sobre uma mesa, uma vela preta acesa e um leque de ferro, além de um globo cinza e também uma caixa acinzentada.

Anastasia Shuraeva / Pexels

Um exemplo de pseudociência. Crer que temos energias espirituais em nosso corpo não é errado. A ciência nunca comprovou a existência ou inexistência delas, e nunca vai fazê-lo, porque isso é tema para a espiritualidade.

Mas quando aparece uma pessoa dizendo que pode manipular as tais energias para que você seja mais feliz, isso é pseudociência. Por quê? Porque manipulação, medicação, entre outros, são conceitos científicos. Se uma prática mistura espiritualidade (energias) e ciência (cura), é uma pseudociência.

Duas dicas simples para diferenciar espiritualidade de pseudociência:

a. A crença promete alguma coisa como certeza (exemplo: uma cura)? Se sim, desconfie, porque nem mesmo as religiões prometem;

b. A crença cobra algum dinheiro de você para oferecer algo que é espiritual e que não pode ser mensurado/avaliado? Desconfie.

Já se foi o tempo em que espiritualidade e ciência eram antagonistas. Na época em que vivemos, sabemos que os dois podem conviver harmonicamente, desde que não nos impeçam de ter cuidados conosco, com a nossa saúde e com a nossa mente, por exemplo. Fora isso, exerça sua espiritualidade como quiser e como se sentir bem!

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: COMO CONVIVER COM A CRENÇA NA CIÊNCIA E NA ESPIRITUALIDADE AO MESMO TEMPO

AUTOCONHECIMENTO: ENTENDA A IMPORTÂNCIA DOS SONHOS PARA A NOSSA EVOLUÇÃO ESPIRITUAL

O texto que trago hoje para a nossa REFLEXÃO, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO é sobre sonhos e o deslocamento do espírito. O texto aborda sobre a importância dos sonhos e de sua interpretação para o nosso DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL. Aborda o tema sobre uma visão espírita e também da conscienciologia. Então convido você a ler esse esclarecedor artigo que pode tirar muitas dúvidas sua!

Sonhos e o deslocamento do espírito.

Mulher dormindo e sentindo que está flutuando
KristiLinton / Getty Images Pro / Canva

Há milhões de anos, os sonhos são considerados para muitos um mistério, isso porque, por meio deles, surgiram respostas que mudaram o rumo da História e da humanidade cientificamente, como o grande e famoso físico Albert Einstein, que dizia que, quando ele estava em dúvida de algo ou quando não conseguia resolver alguma questão matemática, sonhava que a resolvia, logo, quando acordava, ele já sabia onde estava errando, fazendo com que o que foi visto em sonho o auxiliasse. Também em um desses sonhos literalmente geniais, Einstein conta que sonhou com vacas pulando em sincronia com um grande choque de uma cerca elétrica. Em vez de enxergar isso como cenas aleatórias que nossa mente reproduz, ele desenvolveu, a partir daí, o Princípio da Relatividade.

Sonhar é necessário para nossa consciência. Mesmo quando não lembramos de forma clara, algo nos foi relevado, ainda que seja uma sensação de satisfazer um prazer reprimido. Os sonhos são essenciais para o desenvolvimento e o autoconhecimento, fazem parte dessa construção pessoal e social e não devem ser ignorados. Mesmo durante pesadelos há um significado escondido que aparentemente e de fato é perturbador, porém se reconhecermos a origem e o que causa esse sentimento ou essa lembrança, será possível lidarmos de forma saudável para que o medo de ter pesadelos não o impeça de continuar sonhando.

Quando acordamos, às vezes entusiasmados, decepcionados, alegres e com medo, logo nos vem a cabeça o que esses sonhos querem dizer. Então entramos na questão da interpretação dos sonhos, que, para a psicanálise, é essencial, existindo métodos responsáveis e promissores para isso, mas o que quero destacar é como tudo, absolutamente tudo importa em um sonho, mesmo quando insistimos dizendo que foi “viajado”.

Acredito que muitos já assistiram ao filme ou leram o livro “Alice no País das Maravilhas”. Talvez não tenham percebido como uma fala, uma atitude ou um símbolo pode ter diversas interpretações e profundidade cirúrgicas no nosso cotidiano. Além disso, sobre estar conectados à vida e ao propósito de cada um. Digo isso porque, para Alice, tudo era sonho, ou será que não? Alice, após entrar em um buraco, percebe que está em um mundo aparentemente sem sentido, perdida, então inicia uma jornada, em que ela logo encontra com o famoso gato e pede ajuda. O gato responde com o que a vida nos pergunta todos os dias: “Para onde que ir?”. Alice diz estar perdida, então o gato sábio, calmo e sereno conclui: “Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”.

Cena do filme "Alice no país das maravilhas" em que a Alice fala com o gato
Reprodução / Adoro Cinema / Walt Disney Pictures

O que tudo isso quer dizer é que muitas vezes na vida nos vemos assim, e nos sonhos não é diferente. Eles muitas vezes estão lá para justamente fazer com que nós possamos nos esforçar para encontrar a interpretação — não a correta, mas sim a necessária — para que possamos evoluir, lembrando que, como Alice, podemos achar que nada faz sentido, mas pode trazer bem sutil ou brutalmente mensagens que façam.

Outra obra importantíssima para a história, inclusive inspirada em “Alice no País das Maravilhas”, é o famoso “Matrix”, no qual o personagem Neo (do latim “Novo”) tem que escolher entre uma vida ilusória ou uma vida consciente, ele então escolhe a vida nova e quebra os padrões impostos muitas vezes por ele mesmo, libertando-se. A relação entre essas duas referências é que a representação do sonho, a imaginação e a fantasia estão presentes, e quem escolhe o caminho é quem se dispõe a percorrê-lo, sabendo estar atento a grandes e pequenos detalhes que a vida desperta, seja acordado ou “dormindo”.

É possível estarmos conscientes enquanto dormimos? Para responder a essa questão, trago uma reflexão do revolucionário Allan Kardec, em “A Gênese”. Ele diz: “Embora, durante a vida, o Espírito seja fixado ao corpo pelo perispírito, não é tão escravo que não possa alongar sua corrente e se transportar ao longe, seja sobre a terra, seja sobre qualquer outro ponto do espaço”.

É possível nos deslocarmos do nosso corpo físico sem perdermos a conexão entre matéria e espírito. Sendo assim, o espírito se prolonga e se expande, sendo ele o perispírito, e esse processo acontece durante o sono, todas as noites fazendo isso; alguns se lembram, outros não se lembram — e esse processo não depende de estarmos sonhando. São dois mecanismos diferentes que se complementam: os sonhos lúcidos são aqueles dos quais nos lembramos com mais clareza e detalhes, mas durante o sono não temos controle sobre nossas atitudes. Já nos desdobramentos conscientes, temos o controle. É como estar acordado em outra realidade vibracional, mesmo que ainda desdobrado em um local conhecido, por isso não devemos confundir sonhos lúcidos e desdobramentos. Como explicado anteriormente, algumas mensagens que vemos em sonhos podem vir até mesmo de nós mesmos, desdobrados em uma consciência mais elevada, mostrando alguns caminhos que nós, enquanto encarnados, ainda precisamos percorrer — em uma linguagem direta, mesmo que como mensagem subliminar, como animais, natureza, desenhos etc.

Como Alice e Neo, é preciso saber o que queremos de verdade, buscar respostas sólidas, para que, durante o sono, o que não conseguimos enxergar acordados, possamos perceber e ressignificar.

Escrito por Vitor Vieira
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ENTENDA A IMPORTÂNCIA DOS SONHOS PARA A NOSSA EVOLUÇÃO ESPIRITUAL

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SEGREDO DA FELICIDADE ESTÁ NA RESPONSABILIDADE QUE ENCARAMOS A VIDA

É normal todos querem saber o Segredo da Felicidade. Afinal todos sonham com isso. Querem ser felizes, mas não fazem ideia do que realmente seja a felicidade. É preciso, muitas vezes, procurarmos essa tão almejada felicidade nas coisas belas do mundo, mas também é comum as pessoas se desiludirem. Então convido você a ler o texto completo a seguir e descobrir qual o segredo da felicidade, pois é algo bem diferente do que a maioria das pessoas acha.

Você vai descobrir agora os 4 maiores segredos da felicidade plena - Instituto i9c

O segredo da felicidade

Há muito tempo, em uma terra muito distante, havia um jovem rapaz, filho de um rico mercador, que buscava obstinadamente o segredo da felicidade.

Já havia viajado por muitos reinos, falado com muitos sábios, sem, no entanto, desvendar tal questão.

Um dia, após longa viagem pelo deserto, chegou a um belo castelo no alto de uma montanha.

Lá vivia um sábio, que o rapaz ansiava conhecer.

Ao entrar em uma sala, viu uma atividade intensa. Mercadores entravam e saíam, pessoas conversavam pelos cantos, uma pequena orquestra tocava melodias suaves.

De longe ele avistou o sábio, que conversava calmamente com todos os que o buscavam.

O jovem precisou esperar duas horas até chegar sua vez de ser atendido.

O sábio ouviu-o com atenção, mas lhe disse com serenidade que naquele momento não poderia explicar-lhe qual era o segredo da felicidade.

Sugeriu que o rapaz desse um passeio pelo palácio e voltasse dali a duas horas.

“Entretanto, quero pedir-lhe um favor.” – completou o sábio, entregando-lhe uma colher de chá, na qual pingou duas gotas de óleo.

“Enquanto estiver caminhando, carregue essa colher sem deixar o óleo derramar.”

O rapaz pôs-se a subir e a descer as escadarias do palácio, mantendo sempre os olhos fixos na colher.

Ao fim de duas horas, retornou à presença do sábio.

“E então?” – perguntou o sábio – “você viu as tapeçarias da pérsia que estão na sala de jantar?

Viu o jardim que levou dez anos para ser cultivado?

Reparou nos belos pergaminhos de minha biblioteca?”

O rapaz, envergonhado, confessou não ter visto nada.

Sua única preocupação havia sido não derramar as gotas de óleo que o sábio lhe havia confiado.

“Pois então volte e tente perceber as belezas que adornam minha casa.” – disse-lhe o sábio.

Já mais tranqüilo, o rapaz pegou a colher com as duas gotas de óleo e voltou a percorrer o palácio, dessa vez reparando em todas as obras de arte.

Viu os jardins, as montanhas ao redor, a delicadeza das flores, atentando a todos os detalhes possíveis.

De volta à presença do sábio, relatou pormenorizadamente tudo o que vira.

“E onde estão as duas gotas de óleo que lhe confiei?” – perguntou o sábio.

Olhando para a colher, o rapaz percebeu que as havia derramado.

“Pois este, meu rapaz, é o único conselho que tenho para lhe dar: – disse o sábio – o segredo da felicidade está em saber admirar as maravilhas do mundo, sem nunca esquecer das duas gotas de óleo na colher.”

Pense nisso!

Vivemos em um mundo repleto de atrativos e de propostas sedutoras.

Há milhares de maneiras de gastarmos nosso tempo, nossa saúde, nossa vida, enfim, com coisas belas e agradáveis, mas que, na verdade, podem nos afastar de nossos reais objetivos.

Cada um de nós carrega na consciência as missões que nos foram confiadas por Deus e as diretrizes para que as cumpramos satisfatoriamente.

É imprescindível alcançarmos o equilíbrio para que possamos viver no mundo, sem nos deixarmos seduzir por ele.

É urgente que tenhamos discernimento para que possamos admirar e aprender através das coisas do mundo, sem que negligenciemos, ou até mesmo abandonemos, nossos verdadeiros e inadiáveis deveres.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro como Atirar vacas no precipício, de Alzira Castilho, pp. 58/60.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SEGREDO DA FELICIDADE ESTÁ NA RESPONSABILIDADE QUE ENCARAMOS A VIDA

REFLEXÃO: TRAIR O AMOR É MESMO QUE TRAIR A SUA PRÓPRIA ESSÊNCIA

O texto a seguir que trazemos para REFLEXÃO nesta terça-feira, “Não traia o amor”, nos adverte que precisamos obedecer a Lei de Causa e Efeito, pois não existe castigo, mas apenas a forma como o Universo nos ama e nos proporciona experiências, para o seu aprendizado. Como viemos aqui para aprender a amar, ao trairmos o amor estamos traindo a nossa própria essência. Então convido você a ler esse texto super esclarecedor, refletir e fazer o seu juízo de valor.

Não traia o amor

 em 

 

Talvez você acredite que aqueles que estão neste planeta para ajudar na sua elevação devam ser pessoas muito especiais, pessoas totalmente puras, amorosas, sábias.

Será que são perfeitas? Reflitamos juntos.

Quando um mergulhador quer ir ao fundo do mar, em geral usa um cinto de chumbo, para que aquele peso o ajude a não ser levado de volta à superfície pelo ar que carrega no peito, certo? Então, todos nós, para estarmos neste planeta, precisamos de certa quantidade de peso, um lastro de escuridão, para conseguirmos adentrar a densidade que aqui imperava e aqui permanecer.

Não há quem aqui esteja e que não possua suas dificuldades, negatividades, medos e emoções densas. Eu ressalto isso porque é importante que você compreenda que não estamos aqui à espera dos salvadores deste planeta. Nós, com todas as nossas imperfeições, somos os salvadores. Eu e você.

Para fazer isso, não precisamos ser perfeitos, mas precisamos nos envolver em dar o nosso melhor. Precisamos ser capazes de ser fiéis ao amor, à vida, à liberdade que nos foi dada a todos por essa inteligência criativa que manifestou tudo o que existe.

Se você trai o amor , está traindo sua própria essência, e isso colocará em andamento uma série de eventos que retornarão a você pela lei de causa e efeito. Isso não é nenhum tipo de castigo. É a forma como o Universo o ama e lhe proporciona experiências, para o seu aprendizado.

Ouça, este planeta está num processo de elevação de sua vibração. Estamos num momento histórico deste Universo. Assim, preste muita atenção nas suas escolhas agora. Não faça escolhas que beneficiem apenas seu ego em detrimento de valores maiores. Não se submeta a nada que vá contra os valores da luz.

Apenas aqueles que servirem à luz serão conduzidos em segurança. Não acredite em mim. Experiente por si mesmo. Faça uma escolha luminosa e observe como isso lhe traz força, paz, confiança. Algo em nós se expande quando nos tornamos guerreiros da luz, pelo simples fato de nos negarmos a trair o amor, o respeito, a liberdade. Não se submeta por medo a nada que seu coração não aprove. Seja forte. Chegou a hora.” (Patricia Gebrim)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: TRAIR O AMOR É MESMO QUE TRAIR A SUA PRÓPRIA ESSÊNCIA

ARTIGOS: AO ASSIMILAR AS NOVAS CRENÇAS O QUE EU POSSO GANHAR COM ISSO? POR WAGNER BRAGA

Como alcançar as 3 bases da liberdade e ter uma vida plena?

Partindo do princípio de que em qualquer atividade da vida estamos sempre galgando uma promoção, seja no esporte, no trabalho ou até mesmo na sociedade como um todo, o mesmo acontece no campo espiritual. Por exemplo, na vida militar existem as patentes, onde o indivíduo começa como soldado, vai a Cabo, depois a sargento e assim por diante até chegar a General. As pessoas passam por toda essa experiência porque, para elas, cada degrau superado significa uma vida melhor, melhor qualidade de vida e consequentemente mais bem estar.  No plano da espiritualidade o ápice é a liberdade e nós começamos como profanos, ascendemos ao plano místico até alcançar a pleni-consciência.

Descartar as crenças limitantes abraçando crenças e paradigmas mais evoluídos significa se desprender das amarras que nos prende a vida terrena em busca da liberdade plena. Aquela liberdade que um dia Jesus Cristo falou: “Conhecereis a Verdade e ela vos libertará. Portanto, jamais seremos livres nesse plano tridimensional, pois nele, estamos submetidos a ilusão, a mentira, a trapaça, as inúmeras máscaras e ao engano. Para conquistarmos a liberdade plena precisamos passar desse plano para a quarta e a quinta dimensão onde a transparência e a verdade imperam e só através dos novos paradigmas alcançaremos essa plenitude.

Continuar lendo ARTIGOS: AO ASSIMILAR AS NOVAS CRENÇAS O QUE EU POSSO GANHAR COM ISSO? POR WAGNER BRAGA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A VIRTUDE DA PACIÊNCIA É A PONTE PARA A SABEDORIA

A nossa REFLEXÃO deste domingo, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL, é sobre a virtude da Paciência. Algo que precisa ser exercitado ao longo da vida, como uma lapidação. Virtudes não são propriedade de um determinado espírito, pois compõem a sua própria essência, mas muitas vezes estão adormecidas no âmago do ser. Por isso a necessidade de se lapidar. Por isso te convido a ler esse texto de grande sabedoria!

A virtude da paciência - Diário Itaporã

Ser paciente

É comum ouvir-se dizer que alguém perdeu a paciência.

Sendo a paciência uma virtude, parece estranha a ideia de que possa ser perdida.

Virtudes são conquistas do espírito, que as incorpora em seu modo de ser.

Não se trata de algo exterior, que o homem encontra e vê desaparecer sucessivas vezes.

Quem desenvolve uma virtude passa a ser melhor em determinado aspecto de sua vida imortal.

É possível perder-se apenas o que se possui, mas não o que se é.

Se uma característica nobre foi assimilada por alguém, ela não pode ser perdida.

A criatura genuinamente honesta jamais extravia a própria honestidade.

A pessoa bondosa não é privada repentinamente de sua bondade.

Assim, quando alguém afirma que perdeu a paciência é porque nunca chegou a ser verdadeiramente paciente.

Isso não significa que as virtudes surjam de um momento para o outro.

Elas devem ser paulatinamente elaboradas no íntimo do ser.

No longo processo de aquisição da nobreza interior, trava-se uma autêntica batalha entre os vícios e as virtudes.

É comum que certas quedas ocorram, pois se trata de um processo de transição.

Mas a verdade é que, enquanto a criatura titubeia entre atos nobres e mesquinhos, ela ainda está lutando contra si mesma.

Virtudes não são propriedade de um determinado espírito, pois compõem a sua própria essência.

Tanto é assim que habitualmente se fala que alguém é bondoso, e não que possui bondade.

Enquanto estamos com dificuldade para tolerar certas pessoas ou situações, ainda não somos pacientes.

No máximo, estamos lutando para incorporar essa virtude.

Afinal, é fácil conviver pacificamente com quem pensa igual a nós, ou suportar pequenos inconvenientes.

O teste para nossa fibra moral é suportar com serenidade grandes contrariedades ou provocações.

A verdadeira paciência é sempre exteriorização da alma que já realizou muito amor em si mesma.

Plena de amor, ela distribui os tesouros de seu afeto aos que a rodeiam, mediante a exemplificação.

A alma paciente já consegue considerar todas as criaturas como irmãs, em quaisquer circunstâncias.

Se necessário, ela esclarece a ignorância, mas sempre de modo fraterno.

Paciência é a tolerância esclarecida que revela a iluminação do ser que a manifesta.

Trata-se de uma conquista sublime, somente alcançada a custo de disciplina e esforço.

Para ser paciente é preciso domar os próprios impulsos inferiores.

Quem pretende ser tolerante deve cessar de ver problemas nos elementos externos, sejam pessoas ou circunstâncias.

Precisa compreender que todo o mal que atinge a criatura em evolução vem dela própria, de seu interior carente de renovação.

Quem percebe as suas sequelas morais, sem disfarces ou desculpas, naturalmente tende a olhar o próximo com tolerância.

Mas não basta apenas perceber os próprios problemas.

É necessário corrigi-los, com a adoção de novos padrões de comportamento.

A disciplina antecede a espontaneidade.

Transformar vícios em virtudes pressupõe disciplina e determinação.

Assim, para ser paciente é preciso esforço em tolerar as dificuldades e os defeitos alheios.

Mas também é indispensável trabalho concentrado para vencer os próprios vícios.

Pense nisso.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base na questão 254 do livro ‘O Consolador’, do Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A VIRTUDE DA PACIÊNCIA É A PONTE PARA A SABEDORIA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A HONESTIDADE NÃO TEM PREÇO PARA AS PESSOAS ESPIRITUALMENTE DESENVOLVIDA

Um texto curto, mas brilhante e que diz tudo sobre DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL. A honestidade não tem preço para as pessoas espiritualmente evoluídas ou que já entenderam que esse é o único caminho para a liberdade e consequentemente a felicidade. Portanto eu te convido a ler essa obra prima que vai, tenho certeza, te ensinar coisas maravilhosas e depois reflita para fazer o seu juízo de valor!

Ser honesto não lhe trará muitos amigos, mas… – John Lennon | Portal Desistir Nunca

A honestidade não tem preço

A história é comovente. Fala de uma honestidade a toda prova, contada por Vladimir Petrov, jovem prisioneiro de um campo de concentração no Nordeste da Sibéria.

Vladimir tinha um companheiro de prisão chamado Andrey.

Ambos sabiam que daquele lugar poucos saíam com vida, pois o alimento que se dava aos prisioneiros políticos não tinha por objetivo mantê-los vivos por muito tempo.

A taxa de mortalidade era extremamente alta, graças ao regime de fome e aos trabalhos forçados. E como é natural, os prisioneiros, em sua maioria, roubavam tudo quanto lhes caía nas mãos.

Vladimir tinha, numa pequena caixa, alguns biscoitos, um pouco de manteiga e açúcar – coisas que sua mãe lhe havia mandado clandestinamente, de quase três mil quilômetros de distância.

Guardava aqueles alimentos para quando a fome se tornasse insuportável. E como a caixa não tinha chave, ele a levava sempre consigo.

Certo dia, Vladimir foi despachado para um trabalho temporário em outro campo. E porque não sabia o que fazer com a caixa, Andrey lhe disse: “Deixe-a comigo, que eu a guardo. Pode estar certo de que ficará a salvo comigo.”

No dia seguinte à sua partida, uma tempestade de neve, que durou três dias, tornou intransitáveis todos os caminhos, impossibilitando o transporte de provisões.

Vladimir sabia que no campo de concentração em que ficara Andrey, as coisas deviam andar muito mal.

Só dez dias depois os caminhos foram reabertos e Vladimir retornou ao campo.

Chegou à noite, quando todos já haviam voltado do trabalho, mas não viu Andrey entre os demais.

Dirigiu-se ao capataz e lhe perguntou:

“Onde está Andrey?”

“Enterrado numa cova enorme junto com outros tantos prisioneiros.” – respondeu ele. “Mas antes de morrer pediu-me que guardasse isto para você.”

Vladimir sentiu um forte aperto no coração.

“Nem minha manteiga, nem os biscoitos puderam salvá-lo.” – pensou.

Abriu a caixa e, dentro dela, ao lado dos alimentos intactos, encontrou um bilhete dizendo:

“Prezado Vladimir. Escrevo enquanto ainda posso mexer a mão. Não sei se viverei até você voltar, porque estou horrivelmente debilitado. Se eu morrer, avise a minha mulher e meus filhos. Você sabe o endereço.

Deixo as suas coisas com o capataz. Espero que as receba intactas.

Andrey.”

* * *

Ser honesto é dever que cabe a toda criatura que tem por meta a felicidade.

E a fidelidade é uma das virtudes que liberta o ser e o eleva na direção da luz.

Uma amizade sólida e duradoura só se constrói com fidelidade e honestidade recíprocas.

Somente as pessoas honestas e fiéis possuem a grandeza d’alma dos que já se contam entre os espíritos verdadeiramente livres.

Texto da Redação do Momento Espírita, com base em artigo da Revista Seleções do Readers Digest de janeiro de 1950.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A HONESTIDADE NÃO TEM PREÇO PARA AS PESSOAS ESPIRITUALMENTE DESENVOLVIDA

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: DEVEMOS NOS GUIAR PELA INTELIGÊNCIA DO CORAÇÃO E A PERCEPÇÃO SENSORIAL DA INTUIÇÃO

Assim como no meu livro “Quando Fala o Coração” o texto a seguir, de autoria de Johanna Bassols, criadora do Método de Reprogramação da Alma e fundadora da Academia dos Curadores da Luz, também aborda o assunto pelo mesmo ângulo e/ou olhar.NO MEU NOVO FAÇO UM ESTUDO SOBRE A IMPORTÂNCIA DE PENSAR, FALAR, AGIR E SENTIR COM O CORAÇÃO PARA SE ALCANÇAR A VIDA PLENA, JUNTAMENTE COM O DESENVOLVIMENTO DO PODER SENSORIAL DA INTUIÇÃO QUE TODOS TEMOS. A CIÊNCIA JÁ DESCOBRIU QUE 65% DAS CÉLULAS DO CORAÇÃO SÃO CÉLULAS NEURAIS E QUE, AO CONTRÁRIO DO QUE SE PENSA O CORAÇÃO É QUEM ENVIA INFORMAÇÕES 24 HORAS POR DIA PARA O CÉREBRO. NO TEXTO A SEGUIR VOCÊ VAI APRENDER COMO COMEÇAR A “PENSAR” COM O CORAÇÃO. LEIA O TEXTO A SEGUIR, REFLITA E TIRE SUAS CONCLUSÕES!

Como começar a “Pensar” com o coração

coração como começar a pensar com o coração

Durante muito tempo, mas em particular no moderno mundo ocidental, pensamos no coração como simplesmente um mecanismo de bombeamento responsável por levar sangue para os nossos órgãos.

A importância física do coração não deve ser subestimada pois ele suporta a vida enviando o sangue da vida para os membros em forma de árvore pelo nosso sistema vascular – mas essa é uma visão excessivamente simplista do que o coração é capaz de fazer.

pesquisa mais recente de Gregg Braden descreve a antiga técnica de usar o coração como um órgão inteligente.

inteligência do coração foi ignorada durante muito tempo. O que aprendemos sobre a sabedoria do coração, no entanto, e durante os últimos anos através do Instituto HeartMath e de pesquisas de psicólogos, neuro-biólogos e ensinamentos de sabedoria recuperados do nosso passado antigo – deve inspirar todos a olharem para o coração de uma forma completamente nova.

Para aqueles que não estão acostumados a usar a sua inteligência inata – que é a sua intuição – sintonizar o coração em busca de respostas para as questões mais profundas e difíceis que possam surgir pode parecer ridículo. Porquê perguntar ao coração se deve permanecer num relacionamento que é desafiador, ou mesmo se deve fazer um procedimento médico?

Pode parecer ignorante ou até aleatório fazer perguntas como estas ao coração, mas ele tem uma sabedoria que o intelecto não pode igualar. Aqui está o porquê:

O coração não envia informações através dum filtro egóico

O coração conhece o seu passado, o seu presente e o seu futuro. A sua inteligência não se importa com as suas construções egóicas. O coração simplesmente fala dum lugar completamente neutro.

Pode pensar nisso como um amigo próximo que tem o seu melhor interesse em conta e que não se importa em fazer com que pareça bom aos seus olhos.

Hridaya

Existe um termo antigo que não tem uma tradução directa em inglês que descreve essa inteligência do coração. Hridaya é a energia contida no chacra do coração. Este não é apenas o coração físico, mas o coração espiritual. Contém a inteligência de Deus ou a mente transcendental.

A palavra vem da língua sânscrito, e o significado mais próximo do inglês seria algo assim:

Hrid = centro

Ayam = isso

Assim, o coração espiritual leva-o sempre ao seu centro. Ele não se desviará do seu Eu Superior, assumindo sempre uma visão de 360º (e mais além) sobre qualquer situação que enfrente.

O yogi Bhagavan escreveu uma vez sobre isto para explicar este coração espiritual mais detalhadamente:

“ASSIM COMO EXISTE UM CENTRO CÓSMICO DO QUAL O UNIVERSO INTEIRO SURGE, E TEM O SEU SER E FUNÇÕES, COM O PODER OU A ENERGIA DIRECCIONADA QUE DAÍ EMANA, TAMBÉM EXISTE UM CENTRO DENTRO DA ESTRUTURA DO CORPO FÍSICO EM QUE TEMOS O NOSSO SER. ESTE CENTRO, NO CORPO HUMANO, NÃO É DIFERENTE DO CENTRO CÓSMICO. É ESSE CENTRO EM NÓS QUE É CHAMADO DE HRIDAYA, A CASA DA CONSCIÊNCIA PURA, PERCEPCIONADA COMO EXISTÊNCIA, CONHECIMENTO E BENÇÃO. ISSO É REALMENTE AQUILO A QUE CHAMAMOS A PRESENÇA DE DEUS EM NÓS ”.

Por outro lado, a mente-cérebro pensa nas nossas experiências passadas, nas nossas crenças erróneas passadas atribuídas a essas experiências, e faz todo tipo de reviravoltas por meio de uma paisagem conceptual que criamos para nos dar uma resposta “correcta” às questões profundas da vida.

Um zen-budista também pode descrever o que acontece quando pensamos com a cabeça (cérebro) em vez do coração.

Colocamos um nevoeiro – um tipo de cobertura perceptual em cima de uma situação e depois adicionamos um investimento emocional. Nós chamamos a isso de “realidade”, mas isso não poderia estar mais longe da verdade.

No entanto, achamos que temos que obter um siddhi (uma grande realização ou milagre) para obtermos a sabedoria ou inteligência supernormal. Então, continuamos confiando nas falsas percepções da mente-cérebro.

A Neuro-Biologia do Coração

Para além disso, se fôssemos olhar para a simples neuro-biologia do coração existem muito mais fibras desde o coração até ao cérebro do que do cérebro para o coração. Isso significa – como Gregg Braden recentemente apontou numa palestra da Gaia TV – que há muito mais comunicação a ser enviada para o cérebro do que a ser recebida dele.

Como o Instituto HeartMath explica, o coração também começa a bater no feto antes do cérebro ser formado, um processo ao qual os cientistas chamam de autorrítmico.

Nós, seres humanos, também formamos um cérebro emocional muito antes do racional, e o coração tem o seu próprio sistema nervoso complexo e independente, conhecido como “o cérebro do coração”.

O coração também pode criar um nível de coerência no corpo apenas por intermédio do seu ritmo, que regula todos os seus sistemas e corrige até mesmo as células doentes.

E, finalmente, o campo eletromagnético do coração é cerca de 60 vezes maior em amplitude do que o do cérebro, permeando todas as células do corpo. O componente magnético é aproximadamente 5000 vezes mais forte que o campo magnético do cérebro e pode ser detectado a vários metros de distância do corpo com magnetómetros sensíveis.

Como pensar com a sabedoria do coração

Veja o que Braden sugere para nos ajudar a aprender a usar a sabedoria massiva do coração:

  1. Concentre-se no coração (e no chacra do coração). Isso envia um sinal para o coração de que procura a sua inteligência.
  2. Baixe a sua respiração. Isso envia outro sinal para o seu corpo de que procura uma inteligência superior, e não aquela do ego normalmente stressado e assustado. A respiração profunda acalma o sistema nervoso e acalma o cérebro.
  3. Estimule um sentimento de Gratidão, Compaixão ou de Amor. Estes são os sentimentos que desencadeiam uma ativação da energia do coração.
  4. Faça uma pergunta ao seu coração. A questão deve ser breve e objetiva.
  5. Todos experimentarão a inteligência do coração de forma um pouco diferente. Pode sentir borboletas no seu intestino, uma sensação quente em crescendo ao redor do seu corpo ou formigueiro nas pontas dos dedos. Pode não sentir sensações corporais, mas tem uma resposta clara e curta que vem através da sua mente. Saiba que provavelmente não precisará de uma história longa para “justificar” a sua sabedoria. O coração fala direta e claramente. Se não tentar este processo novamente, deixe o seu corpo saber que você busca a inteligência do coração e não a do ego.
  6. A prática leva à perfeição. Quanto mais vezes fizer isso mais fácil será almejar a Consciência pura – o Hridaya.

Por Johanna Bassols, criadora do Método de Reprogramação da Alma e fundadora da Academia dos Curadores da Luz.

Fonte: https://themindunleashed.com/2018/02/how-to-start-thinking-with-the-heart.html

Fonte: Preparem-se para a mudança

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: DEVEMOS NOS GUIAR PELA INTELIGÊNCIA DO CORAÇÃO E A PERCEPÇÃO SENSORIAL DA INTUIÇÃO

AUTOCONHECIMENTO: A ESSÊNCIA DA VIDA É A ESPIRITUALIDADE

Há quem acredite que o EGO é invenção da psicanálise e que essa história de EU SUPERIOR é história de trancoso, coisa pra pegar o besta. Ignoram completamente a espiritualidade como essência da existência humana e reduzem tudo a materialidade contida nos cinco sentidos fisiológicos. Sem ter como chamar isso de outra coisa a não ser ignorância, convido você a ler o artigo completo a seguir sobre “egocentrismo” e refletir sobre essa essência!

Egocentrismo

Lupa dando destaque na palavra "me" em vermelho.
olivier26 / 123rf

Observando a etimologia da palavra, egocentrismo significa “eu no centro” do grego egó + kentrós.

Importante entender o que está por trás dessa necessidade de estar no centro das atenções, em ter o comportamento voltado apenas para si, para os seus próprios interesses desconsiderando o outro, sendo indiferente, incapaz de sentir a dor do outro.

Essa escolha pode ser inconsciente e pode estar atrapalhando sua vida, minando suas energias, interrompendo o fluxo da abundância, bloqueando sua intuição e inspiração, portanto é imprescindível perceber os sinais da possibilidade de desequilíbrio.

Geralmente todo excesso esconde uma falta, então quando o centro precisa ser sempre você, se apenas os seus interesses importam, observe que há um excesso que precisa ser analisado.

Mulher branca tirando selfies.

bowie15 / 123rf

Perceba suas atitudes e faça uma retrospectiva, vá para a infância, adolescência, volte alguns anos, analise como foi a sua relação com os seus pais, se tem irmãos, como foi para você a chegada deles, como era a relação com os amiguinhos na escola, como foi a vida financeira da sua família e como é a sua relação com o dinheiro hoje (contextos de muita privação podem instalar crenças de supercontrole pela falsa sensação de segurança que ele traz), seu histórico diz muito sobre os mecanismos que você cria para a sua sobrevivência (o cérebro é programado para ter reações diante de determinados contextos que representam risco).

A dica aqui é tentar agir diferente, perceber dentre suas ações as opções menos impactantes (as mais fáceis e rápidas de alterar, neste primeiro momento) e “atacá-las” no sentido de estar alerta para mudar seu comportamento e, assim, ir se reprogramando, moldando suas reações, transformando suas atitudes, mudando sua visão e escolhendo evoluir.

Todos nós somos luz, nossa essência é equilíbrio, podemos e precisamos buscar esse aperfeiçoamento, crescimento e melhorias, por nós, para nós.

Escrito por Malu Brandão Moura
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A ESSÊNCIA DA VIDA É A ESPIRITUALIDADE

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FREQUÊNCIA DE CURA ARCO-ÍRIS PARA DESBLOQUEAR A ENTRADA DE BOAS ENERGIAS NO NOSSO CORPO

Neste domingo, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL você vai conhecer uma técnica avançada de cura espiritual chamada frequência de cura arco-íris, que a Carla Marçal desenvolveu para neutralizar ou eliminar a camada negativa criada ao redor das células do nosso corpo, causando-nos problemas físicos e psicológicos devido aos nossos pensamentos e às nossas emoções. Convido você a ler o artigo completo a seguir e expandir um pouco mais a sua consciência!

Conheça a frequência de cura arco-íris

Arco-íris em céu azul.
paylessimages / 123RF

A frequência de cura arco-íris foi canalizada por Rodrigo de Aldebaran e é uma das técnicas mais avançadas de cura, tanto para os humanos como para todos os seres vivos do planeta Terra.

Essa é uma técnica avançada e, com ela, é possível romper a camada negativa criada ao redor das células do nosso corpo, uma camada que bloqueia a entrada de boas energias, pois a camada negativa nos prejudica, causando-nos problemas físicos e psicológicos devido aos nossos pensamentos e às nossas emoções. ⠀

O objetivo dessa técnica é neutralizar ou eliminar essa camada negativa, dissolvendo, assim, sentimentos de ódio, raiva, mágoas, frustrações, depressão, doenças celulares, obesidade, traumas, entre outros. Depois de dissolver essa camada, a frequência arco-íris blindará as células com frequência de cura.

No momento em que a frequência de cura arco-íris choca com o genoma humano, ela mexe com os padrões que você convive e está acostumado, pois atingem os padrões holográficos somatizado no corpo, desenvolvendo, assim, a verdadeira transformação.⠀

Mulher sentada em uma pedra à beira de um lago. Ela olha para montanhas.

Andre Furtado / Pexels

Indico essa técnica para dores em geral, para o equilíbrio dos chakras, a insônia, a depressão, a limpeza energética, a limpeza celular bem como a cura emocional, mental e espiritual. ⠀

Esse é um processo quântico/energético, em que o envio das frequências é feito pelas mãos e em conexão mental com o cliente.

Serve para humanos, animais e locais acerca de:

❈ Dores em geral;

❈ Desequilíbrios nos chacras;

❈ Limpeza energética de pessoas, animais e ambientes;

❈ Transmutação e limpeza celular;

❈ Cura emocional, mental e espiritual;

❈ Insônia;

❈ Depressão, entre outros.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FREQUÊNCIA DE CURA ARCO-ÍRIS PARA DESBLOQUEAR A ENTRADA DE BOAS ENERGIAS NO NOSSO CORPO

AUTOCONHECIMENTO: TRABALHE A SUA INTUIÇÃO E VIBRE ALTO, POR WAGNER BRAGA

O que desperta o medo no homem é a falta de consciência! No vídeo de hoje, falo sobre intuição e frequência vibracional, assunto extremamente importante no período que estamos vivendo, pois precisamos desenvolver nossa intuição para crescer espiritualmente e passar por esses tempos difíceis enxergando as coisas com mais positividade.

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: TRABALHE A SUA INTUIÇÃO E VIBRE ALTO, POR WAGNER BRAGA

ARTIGO: A ESPIRITUALIDADE É O ÚNICO CAMINHO PARA SOBREVIVER ÀS AMEAÇAS QUE NOS CERCAM

Tenho visto tanta gente adoecendo e morrendo de graça que fico pensando! O mundo está realmente muito perigoso, agressivo, ácido e difícil de sobreviver, com tantas bactérias e vírus espalhadas aos milhões e até bilhões ou será que o ser humano está a cada dia mais frágil apesar de todo o avanço da ciência e da tecnologia? Quando olhamos para o passado e vemos o quão era difícil a sobrevivência do homem num mundo tão hostil e cercado de grandes feras por todos os lados e mais adiante a ameaça saiu do mundo macro, das feras, para o mundo microscópico, os grandes surtos pandêmicos como a peste negra, a peste bubônica, a gripe espanhola e tantas outras  de  facilmente percebemos que as ameaças a que o homem foi submetido ao longo de sua trajetória terrestre nunca ultrapassaram a sua capacidade de dominá-las ou bani-las da face da terra, ou seja, os meios para combater e exterminar essas ameaças sempre estiveram ao alcance do intelecto e dos recursos materiais. Mas sempre foi muito difícil e custoso para a humanidade alcançar essas vitórias sobre essas ameaças. Isso ocorre justamente por causa do desequilíbrio evolutivo mente-corpo-espírito. A humanidade sempre deu ênfase ao desenvolvimento  intelectual e material e ignoraram o desenvolvimento espiritual. Neste plano, infelizmente, ainda estamos na idade da pedra. O desenvolvimento espiritual não requer 5% do esforço e consumo de energia que o desenvolvimento intelectual e material necessitam, pois envolve apenas o esforço pessoal, o conhecimento, a leitura, a meditação, os exercícios mentais, exercícios físicos e uma alimentação saudável. A autocura é algo palpável, real e iminente. Ela está no nosso DNA. Só falta assumirmos o comando e aprendermos a vibrar em altas frequências e nada, absolutamente nada, que vibre em baixa frequência jamais nos atingirá.

 

Continuar lendo ARTIGO: A ESPIRITUALIDADE É O ÚNICO CAMINHO PARA SOBREVIVER ÀS AMEAÇAS QUE NOS CERCAM

AUTOCONHECIMENTO: O MATERIALISMO ESPIRITUAL E AS ARMADILHAS DO EGO, POR WAGNER BRAGA

Precisamos estar preparados para não cair nas armadilhas do ego! No vídeo de hoje, eu abordo um assunto que a maioria das pessoas não dão a devida importância: as armadilhas do materialismo espiritual. Esse tal materialismo pode ser dividido em 3 categorias: materialismo físico, materialismo psicológico e o materialismo espiritual. Essas manifestações do materialismo estão diretamente relacionadas ao ego e atrapalham a nossa jornada da busca pela espiritualidade e só o AUTOCONHECIMENTO é capaz de nos fazer enxergar essas armadilhas. Assista ao vídeo, reflita e faça o seu juízo de valor.

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O MATERIALISMO ESPIRITUAL E AS ARMADILHAS DO EGO, POR WAGNER BRAGA

REFLEXÃO: SAIBA ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS NESSA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO, aqui no Blog do Saber, com Camila Zen. Muitas vezes procuramos explicação pra tudo.. tentando entender como tudo funciona, como é o certo a fazer… mas se olharmos pra dentro de nós, e nos conectarmos com o ritmo da vida, podemos perceber que as respostas já estão aqui dentro, e muitas vezes não são claras como fórmulas matemáticas… mas sim, algo que, se você se permitir, você sente muito claro dentro do seu coração. Eu espero que essa história possa te ajudar a se conectar com o ritmo da vida e de todo o universo, que é a mesma energia que vibra dentro de você. Amor e luz, namastê.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: SAIBA ONDE ESTÃO AS RESPOSTAS NESSA CURTA HISTÓRIA, POR CAMILA ZEN

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O MOMENTO É DE DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA PARA MUITOS HUMANOS

Uma curta mensagem para você refletir é o destaque deste domingo, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL. O curto texto fala sobre o momento de cura e mudanças na Consciência que estamos vivendo neste exato momento em busca da desafiadora e tão sonhada liberdade. Convido você a ler, refletir e fazer o seu juízo de valor! 

O momento de cura e mudanças na Consciência

Mensagem de 31 de Maio de 2021

Estamos em uma janela de tempo que detém um espaço muito poderoso para mudanças reais, tanto interna quanto externamente. Com Mercúrio agora retrógrado, temos a oportunidade de mudar a forma como pensamos, como nos percebemos e, como resultado, como vivemos. Para alguns, este será um momento de maravilhosas percepções e liberdade. Para outros, surgirão percepções dolorosas e desafiadoras. Seja qual for a experiência, este é um momento de cura e mudança de consciência, onde podemos examinar o passado com a mente e o coração abertos.

Durante este Mercúrio retrógrado, você é encorajado a questionar suas maneiras usuais de pensar, perceber e se comunicar. Como tal, você pode esperar ter uma visão mais clara de seu propósito, do significado de sua vida, de suas experiências e de seu passado. Use este tempo para explorar diferentes maneiras de pensar e de ser que lhe permitam obter uma compreensão mais profunda de si mesmo e da nova vida que está sendo incentivado a criar. Preste atenção ao que está caindo e o que está sendo trazido à sua consciência. Esteja ciente de que o eclipse da semana passada ainda está operando em sua consciência e qualquer desconforto, confusão e resistência que você estiver sentindo estará revelando o que ainda precisa ser mudado ou transformado dentro de você.

Muito Amor,

Kate Spreckley © 2020 — Fonte: https://www.spiritpathways.co.za/
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O MOMENTO É DE DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA PARA MUITOS HUMANOS

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: CUIDANDO DA ALMA, EPISÓDIO #5 – O FALSO DESPERTAR ESPIRITUAL E A ALIENAÇÃO, POR ROSSANDRO KLINJEY

No quinto episódio da série CUIDANDO DA ALMA do psicólogo Rossandro Klinjey, a qual estamos reproduzindo aqui na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL , Ele afirma que, quando a prática espiritual é usada para compensar nossos desafios pessoais com a baixa autoestima, isolamento social, sentimento de não pertencimentos, mágoa e outras questões emocionais, nós corrompemos a função de nossa espiritualidade. Usar as nossas práticas espirituais para encobrir nossos problemas é uma estratégia comum, mas, ao fazermos isso, fugimos de nossa intrasferível tarefa de trabalhar as questões desafiadores de nossa personalidade, de nossos traumas. Quer ver mais? Então assista ao vídeo completo a seguir!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: CUIDANDO DA ALMA, EPISÓDIO #5 – O FALSO DESPERTAR ESPIRITUAL E A ALIENAÇÃO, POR ROSSANDRO KLINJEY

REFLEXÃO: SORTE OU AZAR – O REI E O SÁBIO CONSELHEIRO, POR CAMILA ZEN

Sexta-feira é dia de Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO do Blog do Saber com mais uma das suas ricas e sábias histórias para a nossa reflexão. O conto de hoje é sorte ou azar – O Rei e o sábio conselheiro, que nos trás mais uma lição de vida para o nosso aprendizado. Então lhe convido a assistir o vídeo completo a seguir e expandir um pouco mais a consciência!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: SORTE OU AZAR – O REI E O SÁBIO CONSELHEIRO, POR CAMILA ZEN

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: CONHEÇA A REAL HISTÓRIA DOS DOIS MAIORES AVATARES DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE

A nossa coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL deste domingo trás um artigo sensacional, que se debruça num estudo científico e minucioso sobre a autenticidade da divindade de dois avatares da história da humanidade, que se tornano artram referência para bilhões de seres humanos. O estudo vai fundo em todas as fontes existentes da literatura, desde a época de vivencia desses avatares aqui na terra até os dias de hoje. O estudo chega a comparar um avatar como o outro. E esses dois avatares são Jesus Cristo e o Buda. Vale a pena mergulhar  nesse estudo maravilhoso e conhecer toda a realidade a respeito de cada, bem como aprender uma forma diferente de interpretação das palavras ditas por esses avatares, sob o olhar da física quântica.

 

Era Dourada com a segunda vinda do “Avatar”

Postado por 

Era Dourada com a segunda vinda do “Avatar”

Print Friendly, PDF & Email

A palavra “Avatar” é na verdade um termo hindu, referindo-se à aparição (reencarnação) de uma divindade, que se mostra em corpo físico humano e que busca unificar e conduzir a humanidade.

Alguns dos “Avatares” mais citados são Krishna na Índia (3 mil anos a.C.); Lao Tse na China (1.300 a.C.); ao mesmo tempo, Moisés no Egito e Oriente Médio (1.291 a.C.), Buda na região do Nepal/Himalaia (600 anos a.C.); pouco depois, Confúcio no Nordeste da China (550 anos a.C.); logo em seguida, Sócrates na Grécia (469 a.C.); o próprio Jesus de Nazaré – O Cristo, na Palestina, como o “Propulsor” mais mencionado da agora “Nova Era”; Maomé (570 d.C.). Também Zoroastro ou Zaratrusta em sua época marcou sua presença orientando seus seguidores.

 

     
De cima para baixo e da esquerda para a direita Krishna, Lao Tse, Moisés, Buda, Confúcio, Sócrates, Jesus Cristo e Zoroastro foram alguns entre outros “Avatares”, que em suas épocas se mostraram como seres iluminados passando conhecimentos aos seres humanos, para que fossem gradativamente construindo sua história e nela dando seus saltos quânticos – Imagens da Internet.

Na história da humanidade sempre surgiu de tempos em tempos um enviado messiânico, para mudar o mundo. Chamaram-lhes de Messias, Mahdi, o Buda Maitreya e Kalki Avatar, entre outros e, o último deles “pelas profecias” unirá todos os povos, depois de ganhar a última batalha contra o mal da ignorância, para que na Terra seja construída a “Idade de Ouro”, com a humanidade vivendo uma ocasião de prosperidade, justiça e paz.

Segundo os cômputos maias, em 2013 começou “o sexto mundo”. E nestas ocasiões de renovação virá como sempre, um enviado especial para auxiliar a humanidade conduzindo-a fazer, o que deve ser feito.

Ele depois de muita peleja, se imporá e trará abundância para a humanidade e também iluminação mostrando Verdadeiro Sentido do Amor, quando criará as bases para uma sociedade mais fraterna – a ideal da “Era de Ouro”. Esta ocasião será marcada por valores já esquecidos, que serão também revividos como a Boa Nova de Cristo e que budismo os associa aos de Buda Maitreya.

Como já foi mencionado, no hinduísmo o “Avatar” é uma encarnação de um Deva (Deus), trazido do Céu e mostrando-se em corpo humano na Terra. Esta sua “descida” à realidade física é geralmente traduzida do Inglês com o sentido mais de “encarnação”, mas deve ser entendida com mais precisão como presença de uma divindade que fisicamente se manifesta. “E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus – Lucas: 1,31.

Este novo “Avatar” marcará a “Era de Paz. Ele indisporá contra o atual sentimento de antagonismos e de disputas, que não devem mais existir neste “Novo e Dourado Ciclo”, com os seres humanos possuindo comportamentos mais fraternos, conduzindo-se por maior senso de cooperação.

Os hindus e maias não foram os únicos mencionarem o final de um ciclo. Outras crenças também esperam por ele e início de outro conduzido por aquele, que “montado em seu cavalo branco” construirá o mundo ideal. – O “Reino dos Céus” na Terra – Imagem da Internet

Este guerreiro do bem que conduzirá a humanidade para a “Era Dourada”, se mostrará liderando a construção de “novo ciclo de vivência e de experiência” na Terra. Ele “montado em seu cavalo branco”, vindo de realidades mais vibráteis/sutis onde as amarras do tempo não as alcançam, se mostrará à humanidade como destruidor das trevas e restaurador da concórdia, aniquilando a ignorância depois de grandes transformações geofísicas na Terra.

“Porque o Filho do Homem no seu dia será como o relâmpago, que brilha e ilumina o céu de um lado ao outro. Mas primeiro ele terá que padecer muitas coisas e ser rejeitado por esta geração.” – Lucas 17:23-25

Forças de eventos regidos por outras leis além as do mundo físico, com elas o que é chamado de “arrebatamento”, acontecerá com aqueles ainda em corpos físicos (vivos) juntos àqueles já sem eles (mortos). Eles em seus campos de energia passarão por “triagem vibracional”, que com ela “medidos em seus corações e em suas mentes e venceram o mundo”, passarão a ter em definitivo seus corpos físicos transmutados/“glorificados”.

Preparando-se para esta ocasião, os que estão ainda em corpos físicos (vivos), devem tê-los já suficientemente sutilizados, para que tenham mais facilmente condições de revivê-los/ressuscita-los em corpos de luz, já totalmente transmutados. E os que já fizeram sua passagem (mortos) devem já estar na frequência dos ascensionados, para a partir dela possam também alcançar planos de realidades ainda mais vibráteis, de mais luz.

Pelas tradições cristãs o Segundo Advento se dará através de um incidente repentino e inconfundível como um relâmpago, com “ele vindo novamente em glória para julgar os vivos e os mortos, e seu reino não terá fim” – Mateus 24:27

A segunda vinda de Cristo se dará através de um incidente repentino e inconfundível como um relâmpago – Imagem da Internet.

Neste novo ciclo civilizatorio que já se esboça, começam a surgir informações que de fato esclarecem oriundas de mundos paralelos, como as da aproximação das ondas moduladoras, que com elas vai paralelamente  aproximando o previsto Segundo Advento ou Parúsia (do grego Παρουσία), com presença na realidade física de forças cósmico-divinas.

Portanto, os pesquisadores e possuidores de informações oriundas das realidades paralelas (dimensionais) sabem, que as referências sobre este evento são mais que menção místico-religiosa. Para eles (com outra interpretação), quase certo será um acontecimento real através de “portais”/vórtices energéticos, que comunicam mundos mais sutis/vibráteis ou “celestiais com o mundo humano e denso da terceira dimensão.


O acontecimento da madrugada do dia 17 para 18 de março de 2019, no Recanto de Havalon, Corguinho/MS, pode ser considerado (pelos pesquisadores de Dakila) início da Era Dourada, quando no meio de grande massa de nuvens sincronizada com o “1º Anel”, viam-se silhuetas, luminosidades e raios finos em direção aos presentes. Um “fenômeno” que foi aparentemente natural, mas não se mostrou dentro de leis físicas para a terceira dimensão, irradiando aos participantes “banho de luz” de intensa energia, principalmente àqueles mais compatibilizados à mutação genética ou, aos mais jovens como “geração dourada” que possuindo objetivo definido neste ciclo, proporcionam-lhes prolongamento eterno de suas vidas através de tecnologias como esta irradiação (salto quântico), que lhes foi enviada – Foto de Dakila Pesquisas.

Algumas correntes esotéricas acreditam que o Segundo Advento se configurará por valores mais profundos da alma com seu sentido mais “espiritual”, metaforicamente sobre ele mencionando-se, como o Sol pode romper a escuridão das nuvens, o significado profundo da ”Palavra” pode também brilhar na mente e no coração das pessoas.

Mas, para os pesquisadores e possuidores de informações dos mundos paralelos, a ocasião associada a esta “segunda vinda” já está gradativamente aproximando, mas com outra percepção e explicação, através de “fenômenos” cósmico-divinos que já estão se mostrando.

Entretanto, independente de interpretações diferentes ambos fazem distinção entre o Jesus de Nazaré – o homem possuidor de habilidades mentais paranormais e o Jesus de Nazaré – O Cristo, com sua Verdadeira e Especial Natureza Multidimensional, inerente a sua Natureza de Ser Sutilizado/Divino.


Jesus de Nazaré – O Cristo, possuidor de natureza divino-humana e multidimensional – Imagem da Internet

As fontes de informação que existem sobre o Jesus de Nazaré histórico como Mensageiro de Deus, superam em muito o que se tem para o “Avatar” Buda. O primeiro com inúmeras fontes pode-se ter dele um retrato mais confiável, como as informações do historiador judeu Flávio Josefo, Tacito, o sátiro grego Luciano de Samósata, o filósofo sírio Mara Bar-Serapion, o historicista samaritano Talo e o autor grego de Caria Flegão, entre outros.

Para a doutrina budista a verdade que nela se insere com seu sentido eterno, não depende da historicidade de Gautama – o Buda. Se ela é verdadeira ou fictícia, isto para os budistas faz pouco para desacredita-la. Portanto, é diferente a historicidade de Jesus de Nazaré – O Cristo, que é intrínseca ao cristianismo, à fé cristã. Sem Jesus de Nazaré não há o cristianismo.

E, a fé cristã tem seus pontos centrais assentados na crença da ressurreição/transmutação e no porquê dela. São estes dois pontos centrais impulsionadores àqueles, que se conduzem suas vidas com estes propósitos.

Não há registro histórico confiável para Buda ou para qualquer outro personagem que se tenha ressuscitado, ou aparecendo densificado depois de sua morte. Somente para Jesus de Nazaré esta singular experiência ficou bem estabelecida desde o início do cristianismo, registrada como fato histórico mencionado também pelos seus apóstolos e pelos seus discípulos, que com ele mais de perto conviveram.

Os escritos do Novo Testamento aparecem cerca de 50 ou 51 depois de sua morte, com os primeiros deixando apenas uma pequena lacuna de 17 a 21 anos a partir do momento de sua crucificação. E o último livro Apocalipse está dentro de um período entre 60 e 65 anos

Gautama – o Buda não insistiu que era um ser divino. Preocupou-se em relação à vida e nela com o sentimento de sofrimento dos seres viventes, ensinando os humanos como elimina-lo. Mencionou que era preciso viver uma vida de moderação e autocontrole e assim, alcançar um estado mental de felicidade e emocional de bem-aventurança (nirvana), sem mais a necessidade de renascer em repetidas vidas de sofrimento.

Jesus de Nazaré- O Cristo já se identificou em sua divindade como o “Filho Primogênito do Pai”, com tarefa de salvar os seres humanos, que deveriam tê-lo como exemplo e como único meio de salvação, amando a Deus e seus semelhantes, já arrependidos dos males feitos.


Jesus de Nazaré – O Cristo diferentemente de Gautama – o Buda, se identificava em sua divindade inserido em uma Trindade Divina e, nela como o “Filho Primogênito do Pai” possuía a tarefa de salvar a humanidade – Imagem da Internet

Jesus de Nazaré um monoteísta reivindicou sua especial condição associada a único Deus, mas fazendo parte de uma Trindade Divina, que com ela convenceu muitos por meio de seus “milagres”. Também enfatizou sua autoridade divina através de seus ensinamentos, visivelmente voltados à ressurreição.

O historiador judeu Flávio Josefo afirmou que Jesus era conhecido pelas maravilhas (“milagres”) que realizava e, tanto pelos seus seguidores, quanto pelos que se opunham a ele e pelas demais pessoas das aldeias circunvizinhas. Isso leva a supor por razões históricas e especialmente devida à extrema precocidade dos relatos, que Jesus de Nazaré era realmente “fonte de milagres”.

“Milagres” que os pesquisadores e possuidores de informações das realidades paralelas (dimensionais) sabem, que Jesus de Nazaré com sua Consciência e Sabedoria Divinas tinha pleno domínio mental do “circuito energético-vibracional” também chamado de “Santíssima Trindade” e ainda conhecido como “Pai/Filho/Espírito Santo”.

Utilizando-se deste circuito energético, ele realizou tarefas voltadas à humanidade através de seu pensamento/desejo/vontade, conduzidos respectivamente pela sua consciência divina/bioplasma/energia crística (kundalini) e respectivamente ainda manipulados aos níveis das frequências da quinta/quarta/terceira dimensões.

Aqueles que já não mais se sujeitam a serem empurrados por crenças com conceitos dogmáticos, se conduzem agora impulsionados com novos conhecimentos, já sabedores que “ter fé”, é ter foco, é se voltar mentalmente para um objetivo, desejando-o profundamente e realiza-lo.  É saber verdadeiramente caminhar com suas próprias pernas.

Para isto eles já sabem, que devem se direcionar mentalmente à frequência da quinta dimensão com a força de seu pensamento, para que possam com ela movidos por desejo profundo na frequência da quarta dimensão ou, já no mundo do bioplasma começarem a plasmar nesta frequência de realidade o que é chamado de “milagre”, para depois já na realidade física (terceira dimensão) possam mostra-lo finalizado, mostra-lo finalmente já materializado pela sua vontade.

Eles entendem a verdade contida em Jesus de Nazaré – O Cristo, ao dizer àquele que o curava, não foi ele que o tinha curado, mas: “tua fé te curou”. De fato, ele apenas potencializava o campo de energia deste doente, para que seus vórtices de energia (chakras) entrassem em funcionamento de maneira harmônica e pudessem energeticamente acelerar, para este enfermo agora ele próprio se potencializando, realizasse seu “milagre”, portanto sua própria cura.

Também, quando ele dizia ao enfermo depois de curado, “vá e não peques mais”, ele mais em sentido energético-vibracional e não em sentido moral de julgamento queria dize-lo, não desalinhe mais seus vórtices (chakras), não saia mais de sua frequência de equilíbrio (Linha B de suas Três Linhas da Vida), para que que não mais adoeça.


Jesus de Nazaré – O Cristo, em seus milagres apenas potencializava o campo de energia do enfermo, para que ele mesmo realizasse seu “milagre” – Imagem da Internet

Como os “relatos milagrosos” referentes a Buda são tardios, muito provavelmente não são históricos mesmo desde os primeiros textos budistas. O Pāli Canon (coleção mais antiga de escrituras sobre a tradição budista) aparece mais de 450 anos depois de sua morte, e este intervalo de tempo permite enfeites imaginados no núcleo histórico da obra.

Diferentemente como dizia o Buda, Jesus de Nazaré deixava transparecer que o problema intrínseco ao ser humano, era mais significativo do que apenas a supressão de desejos e de posses. Para ele o ser humano é intrinsicamente prisioneiro da realidade física.

Prisão pela sua própria estrutura físico-corpórea constituída de átomos com energias/forças opostas nele interiorizadas, impulsionando-o ao antagonismo, “estimulando-o à rejeição instintiva dos caminhos de Deus” ou, da energia que soma, unifica através do Sentimento do Amor. Por isso sua imensa paciência, compreensão e compaixão com o ser humano.

Todos os “Mensageiros Divinos” que vieram à Terra, transmitiram ensinamentos semelhantes com o propósito de melhorar a vida de todos, aconselhando relações humanas mais justas, menos conflitantes.

Mas, entre eles se mostrou (ainda mais se mostrará) o mais iluminado, dotado de sabedoria em sua conduta, conhecedor das leis do universo físico, da multidimensionalidade e como condutor especial dos seres humanos revelou-lhes outras e diferentes verdades com seu sentido de verdade eterna.


Entre os Mensageiros de Deus mostrou-se aquele entre os demais o mais iluminado, o mais divino – Imagem da Internet

Os seres humanos geram em suas mentes e corações energias densas, que não são capazes de dissolvê-las sozinhos, produzindo impasses irremediáveis, que vão contra o plano divino para a Terra, conduzido por Leis Universais.

Assim, tal como os pais zelosos que cuidam de seus filhos, para que cresçam e se conduzam para compromissos formais e não formais na vida, vizinhos e amigos dos seres humanos (dimensionais) em realidades paralelas, por já terem alcançados a síntese entre o real e o ideal e entre o hoje e o amanhã, os acompanham e às vezes esperam “eóns”, para que evoluam e possam por eles mesmos se liberarem e assim se identificarem cosmicamente – se perceberem como seres universais e multidimensionais.

“Se eu não fizesse o meu trabalho, estes mundos seriam destruídos. Se originaria um grande caos e todos os seres se extinguiriam. ” Bhagavad Gita, III, 24

Os seres humanos criam problemas suficientes para si mesmos, que não conseguem deles se livrar e, nem seus vizinhos e amigos em mundos paralelos pretendem fazer isto por eles. De maneira mais constante apenas lhes passam sutis e intuitivas orientações, para com elas possam com mais equilíbrio emocional, seguirem evoluindo no mundo físico.

Passam-lhes orientações para que possam ir abrindo brechas no sectarismo e na competição, que estão neles inseridos pela própria natureza de sua condição humana, que os estimula procedimentos com sentimentos de dualidade, de competividade e que deles não conseguem (emocionalmente) se libertar, às vezes se escudando em utopias como sonhos irrealizáveis.

Conhecimentos e poderes que são passados aos seres humanos, mas que os afastam de sua Fonte Original Propulsora, vão moldando para eles poderosa sombra, que vai contribuindo para seus inevitáveis ciclos civilizatórios de reciclagem.

O budismo ao analisar o aparecimento da “Nova Raça” e o hinduísmo ao avaliar o surgimento da “Nova Era”, são duas percepções que se afunilam direcionadas em um mesmo sentido, que se mostra hoje mais definido como um “novo tempo” sem tanto mais de estagnação mental. Aqueles que se acham nele inseridos, mostram-se mentalmente com mais dinamismo, são mais criativos e mais propícios à realização da “Era Dourada”.

As crianças deste “novo tempo” em frequência mental sintonizada à “Energia Dourada”, vieram com a tarefa de ajudar a remover a miséria no mundo em todos os sentidos, agindo com sabedoria, informação, inteligência, companheirismo, honestidade e também, com o sentido de prolongamento eterno de suas vidas.

Estas sementes douradas que agora germinam e crescem em terra fértil”, já têm gravada em seu subconsciente a tarefa, de construir uma nova civilização marcada por sentimentos e procedimentos de nobreza, que mudarão conceitos e valores, desfazendo paradigmas. E nesta ocasião (março de 2019) já são três gerações com genética modificada: os jovens que hoje tem entre 18/20 anos; crianças que estão entre 8/9 anos; os que estão nascendo agora.


As crianças que agora nascem já têm registrado em seu subconsciente, que formarão uma nova civilização, como novos conceitos e valores – Imagem da Internet

Não só o budismo menciona a “Nova Raça” e o hinduísmo a “Nova Era” para os tempos atuais, também a Teosofia cita neste recomeço para a humanidade junto com a vinda do “Avatar”, os surgimentos da “Sexta e Sétima Raças” que florescerão respectivamente no Norte e no Sul do Continente americano.

A “Sexta Raça” caracterizará pelo seu desenvolvimento espiritual, pela aquisição do sexto sentido, clarividência e por suas tendências unitárias. Ela emergirá onde atualmente se acha a América do Norte.

A Sétima Raça caracterizará pela sua completa sutileza mental/”espiritual”, pela aquisição do sétimo sentido/clarividência e pela sua profunda e intuitiva percepção do Pleno Sentido de Unidade. Ela florescerá onde se acha atualmente a América do Sul, centrada principalmente no Brasil.

O hinduísmo acredita na proximidade de Deus  com os humanos. Ou, Deus manifestando si mesmo em forma humana e mesmo em outras formas, para direcionar e proteger a humanidade.

Para esta crença do hinduismo o termo advaita significa a não-dualidade, portanto este termo é simbolicamente usado para indicar a íntima unidade entre o Absoluto (“Ser”) e os seres viventes e, que estes não existem  fora do “Dele”. Portanto, o “Ser” e os seres viventes  não são dois, mas  também não são um. Estão intimamente relacionados, mas sendo eles próprios.

Assim, é mais facil para o hinduismo entender como uma relação advaita o sentimento cristão, quando Jesus de Nazaré disse: “O Pai e Eu somos um” (João 10,30). Nesta sua menção está subtendida a relação advaita entre ele, e o “Pai”, que também se estende aos demais quando menciona: “Como Tu, Pai, estás em mim e Eu estou em Ti, possam também eles estar em nós  – João 17,20.

Para os cristãos Jesus de Nazaré em sua forma humana é possuidor de Consciencia Cristica Divina e, em seu desejo profundo (“fé”)  buscam nele Deus em forma humano- divina. Portanto, para os cristãos existe esta experiência mental (e emocional), compreendendo Jesus de Nazaré ao mesmo tempo humano e divino ou, como Deus que se tornou parte do mundo unindo-se à matéria através de seu corpo fisico.

Hoje o progresso da ciência e da tecnologia trazem novas informações e conhecimentos, consequentemente trazendo também  expansão da consciencia. Neste nivel evolutivo seres humanos especiais, mentalmente criativos e “posicionados em cena”, chamados para ela por eles mesmos, conduzem-se com clareza de sentimentos no intuito de “construirem um novo céu e uma nova terra” -. Apocalipse 21,1-5.

O homem vivo é a glória de Deus” quando participa, soma e age ajudando a construir a coletividade sem amarras da ignorancia – por conhecer, por saber. Aquele realmente vivo mostra-se em harmonia e fraternidade, agindo com a verdadeira percepção do Sentido de Unidade. “O Filho do Homem não perguntará sobre a fidelidade ao ritual religioso, mas sobre como as pessoas ajudam os necessitados”- Mateus 25:31-46.


O Segundo Avento será solene e glorioso. Ele virá para colher o que plantou na glória de seu Pai com os santos anjos”, “com todos os seus santos” , “com grande poder e majestade” “em uma chama de fogo”, “no trono da sua majestade” – Imagem da Internet

“Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerras. Olhai, não vos turbeis; porque importa que estas coisas aconteçam, mas não é ainda o fim. Porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá pestilências, e fomes, e terremotos em diversos lugares. E todas estas coisas são o princípio das dores” – Mateus 24:6.

O “velho tempo” já está em seu final, para dar inicio ao “novo tempo” , que nele se mostrarão “os que se escolheram” para a tarefa de dar vida a “Era Dourada”, de construi-la com firmeza e  persistencia, tendo foco no que pensa, para realiza-la como ideal cósmico-divino.

A mentalização é importantemente eficiente quando se pensa de maneira positiva, para que materialize o que se almeja. Aquilo que alguem colhe na vida, é o reflexo  persistente do que ele pensa e age ou, da energia que gera/mentaliza em seu campo e que agindo como um imã,  atrai resultados ao seu favor ou contra.

Aquele que consegue materializar o que pensa, sabe direcionar sua vida, controlando  situações que o levam a viver de maneira mais plena sem perda de energia ou, sem sentimentos de sofrimento pelos objetivos alcançados.

Entretanto, a mentalização quando não corretamente gerada e direcionada magnetiza e fortalece o eu individual – o “ego”, formando quadros mentais, que magneticamente atraem mais realizações de desejos materiais e, se conduzidos de maneira egocêntrica, não permitem a assimilação de sentimentos mais amplos e verdadeiros de realização.

A meditação em seu real processo (mental) de interiorização, não é se deixar conduzir pelo relaxamento físico prazeroso, muitas vezes confuso e até mesmo ocioso. É se deixar conduzir de fato pela oração – ou, pela ação mental vibrátil/celerada de um cocriador momentaneamente em sintonia direta com a Fonte Consciente Universal e Criadora.


Conduzir-se de fato pela oração, é se conduzir pela ação mental vibrátil/celerada de um cocriador – Imagem da Internet

Tanto a mentalização quanto a meditação possuem maneira de se chegar a elas. No primeiro caso o corpo e a mente estão não só despertos, mas também estão acelerados e, no segundo caso apenas o corpo está relaxado, mas não a mente. Nestes dois momentos devem estar sempre presentes os sentimentos e vibrações de alegria, satisfação e realização, entre outros sentimentos positivos.

A vida do ser humano e suas necessidades físicas não se manifestam apenas no plano físico, estão paralelamente em sintonia vibracional (mental-emocional) com outros planos de realidade através de seus outros corpos, para que sua caminhada vá acontecendo de maneira mais completa, mais inteira.

A verdadeira caminhada é aquela que seu condutor a realiza sem medo, movendo-se pelo autoconhecimento, que com ele percebe suas verdadeiras possibilidades, pesa defeitos e qualidades em uma aceitação de si mesmo, livrando-se do que nele não é autentico, do que não é de sua essência.

Aquele que já possui consciência de sua condição de um cocriador, já começa (mentalmente) a projetar seus desejos e a cria-los a partir de si mesmo. Está mais dinamicamente inserido em sua caminhada, buscando-se cada vez mais evoluir. Ele já está realmente caminhando com suas próprias pernas.

Ele já percebe com sua mente e coração, que viver mais próximo à plena harmonia, é na vida se aceitar amorosamente e seus semelhantes. É preservar a autoestima para poder seguir sua caminhada, corrigindo rotas se necessário e se fortalecendo pelo sentimento do Amor, que é receptivo ao perdão.

Ele já tem noção que o Amor sem cobranças é a conexão com a Verdadeira Vida. É o elo constituído de energia divina, unindo um ao outro e unindo todos à Energia Suprema/Deus.


Ao se buscar, se perceber como cocriador através da mentalização tanto o corpo e a mente estão acelerados, enquanto através da meditação o corpo está relaxado, mas não a mente – Imagem da Internet.

“Deus não joga dados, Ele é a Lei e o Legislador do Universo. A religião cósmica é o móvel mais poderoso e mais generoso da pesquisa científica, ela no futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia. O homem erudito é um descobridor de fatos que já existem, mas o homem sábio é um criador de valores que não existem e que ele faz existir. A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Tudo aquilo que o homem ignora, não existe para ele, por isso o universo de cada um se resume ao tamanho de seu saber” – Albert Einstein

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro, então deixo de pensar e mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela. Conhecimento auxilia por fora, mas só o amor socorre por dentro. Triste época, é mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito. Os problemas significativos que enfrentamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando os criámos. A distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão teimosamente persistente. Se os fatos não se encaixam na teoria, modifique os fatos” – Albert Einstein


Albert Einstein (Ulm/Alemanha, 14 de março de 1879 — Princeton/EUA, 18 de abril de 1955) – Físico idealizador da Teoria da Relatividade –  Imagem da Internet

Os pesquisadores de Dakila preparam-se para esse “novo tempo”, inserindo-se pelo coração e mente em um novo ciclo – “Era Dourada”, associado à vinda do “Avatar” por eles já percebido como o momento do “Acordo”, que a partir dele puderam acontecer suas interações com 49 dirigentes das realidades paralelas, recebendo e assimilando de alguns deles informações, conhecimentos e tecnologias.

A partir deste momento estes pesquisadores começaram a vivenciar “novo tempo”, assimilando informações da Boa Nova de Cristo e com elas procedendo.


“A Pedra da entrega” sobre ela foi colocado o “Livro da Aliança” na presença de Divindades. Este local foi definido depois de longa e inicial busca pelos “ultras” e com a sinalização final dos “elementais”. Nesta pedra aconteceu a realização do “Acordo”, no dia 30 de março de 2013, entre 03h00min e 04h30min e, nele através do “Livro da Aliança” foram inseridas verdades originadas da Pura Essência Divina como novos direcionamentos adaptados à realidade humana, que nortearão os seres humanos nos próximos 5.125 anos, trazendo-lhes ainda reflexos para um longo período de 26.800 anos. Mais informações no texto: Entrega do Livro da Aliança, neste Site – Foto de Antônio Carlos Tanure

Os pesquisadores de Dakila terão à sua disposição uma nova tecnologia (quântica), para análise não só de sua saúde, mas também para demais averiguações. Por enquanto continuam utilizando a máquina que fotografa a sua aura externa. Estas analises são importantes, porque “medem” seu padrão evolutivo através de suas Três Linhas ABC da Vida.

A Linha A relacionada à intensidade da energia representa tudo o que não se quer, mas nela mentalmente se posicionando no sentido de se reciclar frente ao não desejado. Neste caso a quantidade de energia armazenada como potência (intensidade) do pensamento que se emite, é que determina o resultado de um fato ou, do que foi programado como “tecnologia mental”. Nesta Linha que se encontra a capacidade em manipular as habilidades mentais e paranormais, o que não é comum.

A Linha B, Linha do Meio ou da Neutralidade está relacionada à velocidade do pensamento ou, ao tempo que se gasta para realizar o que se deseja. Representa a capacidade mental que se possui para manipular as energias de pensamentos negativo e positivo, respectivamente nas Linhas A e C. Esta Linha traz a vibração, que em sua frequência realiza-se os desejos, como tarefas, projetos, etc.

A Linha C relacionada como a mente atua na matéria, representa o positivo, portanto o que satisfatoriamente se deseja no mundo físico.

As Linhas A e C identificam pelo filtro da Linha B os senhores/as de seus próprios destinos.

E, a intensidade da energia, velocidade do pensamento e como a mente atua na matéria no instante do que foi pensado e desejado – Linhas ABC, que determinam o sucesso (ou não) do que foi mentalizado.


Os pesquisadores de Dakila na passagem da “Nave GNA”, precisam agora só pressionar por cinco segundos suas têmporas com os dedos indicador e médio, para potencializarem sua energia/força mental, que com ela através de seus pensamentos a direcionam para o que desejam – Imagem de Dakila Pesquisas

Como já foi mencionado, a intensidade da energia (Linha A) e mais a velocidade do pensamento (Linha B) geram a frequência de cocriadores (semideuses), que muitos em Dakila já a possuem. Mas, o ideal são as Três Linhas vibrando ao mesmo tempo, portanto junto com a Linha C que incorpora os sentimentos positivos de alegria e de felicidade, entre outros.

Com estas três linhas vibracionalmente destacadas, fica ainda mais fácil, se estabilizar emocionalmente na frequência de kundalini em espiral (sublimada), que é a frequência sexual ativa gerada através dos sentimentos de cumplicidade/carinho/amor entre polaridades opostas. Casais em harmonia (marido/mulher), mas também sem necessariamente envolver sexo, como pai/filha, mãe/filho, irmão/irmã, amigo/amiga, etc.

A partir do momento que alguém estiver em sintonia mental com as Três Linhas da Vida destacadamente estabilizadas, ele já emana uma intensa onda que produz e modula fluorescência corpórea.

E, se ele for pesquisador de Dakila já executando de fato suas tarefas e se necessitar de informações especiais, terá sincronicidade com os mundos paralelos para obtê-las em qualquer lugar, às vezes de maneira até mesmo física e não só de forma mental-intuitiva.

O pesquisador de Dakila está agora em um novo ciclo energético-evolutivo, está sendo ajustado pelos mundos paralelos, para que já tendo uniformizadas suas atividades cerebrais, possa auto modular e manipular seu próprio campo energético, inclusive, para que se favoreça em suas habilidades mentais de efeitos físicos (fenômenos).

Ele está também agora, direcionando seus estudos principalmente aos corpos celestes Sol e Lua não só pelo enfoque astronômico, mas também se conduzindo por informações dos mundos paralelos, que procuram comprova-las no Centro Tecnológico Zigurats (CTZ), muitas delas associadas à mudança de ciclo que por ele está passando a humanidade e a Terra.


Observatório do Centro Tecnológico Zigurats (CTZ), em Zigurats – Imagem da Internet

Os pesquisadores de Dakila com conhecimentos da ciência paralela sabem, que a Lua influencia os homens e o Sol as mulheres, daí a Era Dourada representada por elas.

A energia da Lua e a do Sol são dois extremos, portanto a “luz” dela é diferente da “luz” dele, mas não como a ciência astronômica diz, que ela ilumina refletindo a “luz” dele. Estrelas, Sol, Lua, e “planetas” não são o que normalmente se sabe deles.

O “2º Anel” através da Lua é a entrada e saída desta dimensão e o Sol (Vórtice) é entrada e saída não só dela (3ª dimensão), mas de outras infinitas dimensões.

Outros corpos celestes comandam “2º, 3º e 4º Anéis”, mas através da Lua que acontece o teletransporte ou, que se adquire “o passaporte” para “1º e 2º Anéis”. Por isso, por ela (sua energia/frequência) passam aqueles que já perderam seus corpos físicos (faleceram), para que aconteçam sua “purificação” e sua destinação. Também pela sua energia que se dá a entrada das projeções mentais, astrais e físicas”.

   
A real energia/luz do Sol e da Lua e de outros corpos celestes é do conhecimento da “ciência paralela”, mas não sendo ainda da ciência oficial, estimula sentimentos de encantamento e de magia, como os na presença de Stonehenge/Amesbury, Inglaterra – Imagens da Internet

A ciência oficial apenas aceita como verdade, o que os cientistas com seu raciocínio logico também a aceitam, induzidos e conduzidos pelos seus sentidos normais, próprios à realidade física com suas leis que as vivenciam em condição humana.

Portanto, eles não aceitam como verdade cientifica a ciência de outras e paralelas realidades com suas leis, que não são mais alcançáveis pelo seu raciocínio logico voltado à realidade física, que nela experienciam limitados pelo auxilio apenas de cinco sentidos, entre outros milhares que possuem.

O que está fora de sua análise cientifica vista/medida/conduzida pelo seu raciocínio, é desqualificado como imaginação, fantasia, ficção cientifica e outras desqualificações, apesar de ultimamente a mecânica quântica vem lançando indagações sem respostas, sobre o que até então era verdadeiramente sólido para a ciência tradicional.

De um outro tempo e de um outro ciclo civilizatório existem inúmeros sítios arqueológicos em ruinas espalhados por toda a Terra. Registros da presença de seres inteligentes de outras realidades, de outros mundos possuindo uma ciência mais avançada que a humana mesmo a de hoje, o que fazia os nativos destes locais naquela ocasião, sem possuírem a correta compreensão de suas presenças, os terem como deuses e o uso de suas tecnologias como manifestações divinas.

 

Inúmeros sítios arqueológicos em ruinas por toda a Terra registram em outros tempos e em outros ciclos civilizatórios, presenças de seres não humanos possuidores de uma ciência tecnologicamente mais avançada, que com ela foram considerados deuses – Nove primeiras imagens da Internet e as duas últimas de Antônio Carlos Tanure

Uma “ciência paralela” com novo patamar de investigação da realidade multidimensional, além da ciência convencional (chamada também de paraciência), dela têm conhecimento os pesquisadores de Dakila através de informações recebidas de realidades paralelas, que lhes fornece vasto conteúdo investigativo, podendo até ajudar a desvendar, o que é ainda obscuro para ciência oficial.

Muitas Informações da paraciência que eram do conhecimento de antigas civilizações a muito desaparecidas, agora começam a ser resgatadas. Algumas delas através de Dakila Pesquisas serão passadas no formato de quatro documentários: 1) A Terra Convexa (já transmitido), o Sol, a Lua e os Astros; 2) Origem da Humanidade, por que as raças, as cores de pele, etc.; 3). Jesus Cristo; 4) Deus.

Os efeitos das ondas moduladoras já estão se intensificando, que com eles vão se somando as presenças e atuações da Lua e do Sol, ajudando a provocar mudanças já esperadas para a Terra e para a humanidade. Mudanças que sempre estiveram também presentes através de “narrações profetizadas”, em conteúdos quase sempre místico-esotéricos.

Em consequência destas mudanças se encaixam em parte as dos efeitos climáticos, que estão também cada vez mais se intensificando, mas ainda não de forma globalizada. Entretanto, nos locais onde acontecem os estragos, eles são intensos.

Aqueles que estão cientes desta ocasião devem ter cautela, precisam precaver em todos os sentidos. Devem através da alimentação saudável armazenar minerais em seu corpo, para se resguardem de radiações vindas do espaço, que poderão lesar as membranas de suas células.

Devem cuidar de seus corpos físicos também com exercidos, mas cuidar ainda de seus “outros corpos” mental, emocional e “espiritual”, pensando e agindo em sintonia às Leis Universais.

Devem remover mentalmente pensamentos e atitudes incorretos/desarmônicos por serem “poluentes” à sua alma e dispersores de sua energia.

E, em Dakila a ocasião é especial para os grupos Luz, Alquimia Sublimação e Propagação vivenciarem e constatarem o valor de compreender, se conduzir pelo entendimento, respeitar e agradecer. Sentimentos que mentalmente reforçam o proceder sem interferências motivadas por diferenças, preconceitos e disputas.

Com este pensar e agir é o momento de todos arregaçarem as mangas e mostrarem mais participativos consigo mesmos e com os de fora. Todos se mostrarem mais verdadeiramente inteiros.

Especialmente devem voltar mais atenção à “Perola do Universo” –  à Cidade Zigurats, que precisa ter suas estradas melhor preparadas, possuir suficientemente agua e energia elétrica, para que tenham mínimas condições de viver os que nela já residem e receber melhor aqueles que a visitam.


Zigurats precisa que tenha suficientemente agua e energia elétrica, dando condições mínimas àqueles que lá já fixaram residência e receber melhor aqueles que a visitam – Imagem da Internet

A tecnologia do magnetóide entre outras já passadas pelos mundos paralelos aos pesquisadores de Dakila, deve ser utilizada com responsabilidade ao objetivo almejado. A sua frequência fica em seu plasma sanguíneo, ajudando-os no desenvolvimento de suas habilidades extra-sensoriais, portanto com possibilidade de irem potencializando as mais de quatro mil habilidades mentais que possuem.

Esta tecnologia ingerida por eles e assim inserida em seu campo energético, transforma-se em “ferramenta”, que neles fisicamente interiorizada os potencializa. Portanto, é muito importante que estejam em estado mental de neutralidade, gerando equilíbrio emocional ou, conduzindo-se por sentimentos de tranquilidade e de harmonia, não geradores de conflitos.

Salientando-se, precisam ainda ficar mais zelosos com seus corpos, ingerindo o menos possível toxinas, para que possuindo mais carga elétrica, se tornem literalmente mais iluminados.

Este deve ser o foco, para que entrem na tecnologia mental da Boa Nova de Cristo, que com ela a matéria vai se transformando em energia, como Jesus de Nazaré – O Cristo deu o exemplo, ao alcançar a vida eterna através da ressurreição – ou, o reviver de seu corpo.


Jesus de Nazaré – O Cristo deu o exemplo como alcançar a vida eterna, ao reviver seu corpo – Imagem da Internet

A energia do magnetóide estimula o pesquisador de Dakila à fusão com o Plano A, que serve para lhe trazer através do entendimento a abundância e a prosperidade. “Dinheiro traz dinheiro, inteligência traz facilidade” e sabedoria traz iluminação“Daí, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” – Mateus 22:21.

Aquele que está em sintonia à frequência mental do Plano A, “tem tudo”, porque com ela traz uma gama de outras frequências, principalmente à Energia Feminina que é a frequência da “Era Dourada”.

Com este Plano a solução está ao alcance de cada um através do entendimento mais correto, mais universal, diferente daquele por interesse pessoal. Com este discernimento voltado ao Plano A ele já sabe, que “a solução está em suas mãos”, podendo alcançar a condição (frequência) de contribuinte ou, outra mais além de investidor e outra indo ainda mais distante de multiplicador.

Inicia-se para os pesquisadores de Dakila um novo ciclo com novas maneiras de interagir com as realidades paralelas, independente se nestas interações as conversações se deem às vezes de forma direta-verbal ou de forma mais constante mental-intuitiva.

E, paralelamente com este ciclo que para eles inicia, vivenciarão a experiência mental da “comunhão dos santos” ou, aquela quando só um olhar no olhar do outro, os dois sabem o que tem de ser ou, o que um precisa do outro, para o que ainda vai ser.

É a ocasião da sincronicidade da atividade cerebral, da conexão direta entre aqueles que já atingiram certa frequência mental para assim agirem e poderem fazer a leitura (mental) do campo um do outro. Principalmente é o momento, daqueles que já podem melhor se mostrar como fagulhas/faíscas divinas da Criação – como “pedacinhos” da Frequência Criadora.

A Energia Suprema é Todos e Tudo. Está nos seres vivente e inanimados, no contexto geral está como A Manifestação, regendo Leis Universais.

Em corpo físico Jesus de Nazaré – O Cristo, foi a partícula de vibração mais intensa enviada à Terra para conviver entre os seres humanos e lhes passar sua tecnologia mental, ensinando-a como a Boa Nova.

Jesus de Nazaré – O Cristo, veio à Terra para passar sua tecnologia mental aos seres humanos. Ensinando-os a sua Boa Nova, que com ela podem reviver (ressuscitar) seus corpos físicos, já transmutados literalmente iluminados – Imagem da Internet

O momento é ir em frente sem medo. Se ele existe é pela falta de conhecimento ou do não seu entendimento. E se ainda existe medo, o objetivo que se almejou ainda não foi entendido. Coragem, quando começa uma coisa, é fácil termina-la, o difícil é começa-la. Portanto, nada é difícil depois que ela já começou a ser feita. Quando não se alcança com as mãos, vai-se com os pés, o importante é termina-la, realiza-la, com cada um em sua frequência. Cada um com sua habilidade mental removendo aborrecimentos/empecilhos em busca do sucesso” – Sinalização das realidades paralelas.

Fontes de consulta:
mankindgreatshift.blogspot.com/p/o-segundo-avatar.html
Segunda vinda de Cristo – Wikipédia, a enciclopédia livre.
https://www.jmnoticia.com.br/…/o-surgimento-do-anticristo-sera-visto-pela-igreja-ante…
https://verdademundial.com.br › História
www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article…
https://www.personare.com.br/existe-diferenca-entre-meditar-e-mentalizar-2-m3187
https://institutomindfulness.com.br/as-diferencas-entre-meditar-e-mentalizar/
www.citador.pt/frases/citacoes/a/albert-einstein
Apostila de Dakila Pesquisas de março de 2019

Fonte: Portal Pégasus

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: CONHEÇA A REAL HISTÓRIA DOS DOIS MAIORES AVATARES DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: CUIDANDO DA ALMA – EPISÓDIO #03 – COMO O EGO FOGE DO DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL, POR ROSSANDRO KLINJEY

Continuando a apresentar a série de vídeos do renomado psicólogo Rossandro Klinjey CUIDANDO DA ALMA, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL, vamos assistir ao episódio #03, onde o psicólogo explica como o ego foge do desenvolvimento espiritual, de uma forma didática e de fácil entendimento, utilizando uma linguagem metafórica que torna a palestra atraente e agradável. Então, assista, aprecie, reflita e faça o seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: CUIDANDO DA ALMA – EPISÓDIO #03 – COMO O EGO FOGE DO DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL, POR ROSSANDRO KLINJEY

ARTIGOS: QUAL O SEU CONCEITO DE EVOLUÇÃO?, POR WAGNER BRAGA

Vantagens da Reencarnação para a Evolução do Espírito - Tv Mundo Maior

NÃO HÁ DE SE FALAR EM EVOLUÇÃO SEM ANTES SE FALAR EM REENCARNAÇÃO

Semana passada, mais precisamente na sexta-feira, participei de uma live em que fui convidado, pela competente psicóloga e especialista em Constelação Familiar, Selma Rodrigues. A uma certa altura da live ela me perguntou: Wagner, qual o meu conceito de evolução?

Uma pergunta que me deixou numa encruzilhada, pois fui obrigado a me posicionar sobre as minhas crenças espirituais, que fatalmente nos leva a abordar um tema que muitas pessoas não estão preparadas para ouvir, refletir e debater sobre, já que envolve algo que é divisor de águas entre religiões: a Reencarnação.

Eu respondi dizendo que não há de se falar em evolução sem antes falar em “Reencarnação”, já que algo ou alguém só está sujeito(a) a evoluir se este algo ou alguém for único. Não há como imaginar que alguém empreste a sua evolução para outra pessoa. Por isso, parto do princípio que somos todos “Consciência”, que sempre existiu e continuará existindo. Cada ser humano é uma consciência única e permanente que está numa caminhada evolutiva e ao passar por esta 3ª dimensão em que vivemos toma emprestado invólucros que lhe dão forma tridimensional. Depois de muito estudar, pesquisar, buscar respostas, cheguei a conclusão, através da lógica, que é humanamente impossível, numa única passagem existencial, sair do zero ao 100% do desenvolvimento mental e espiritual.

Portanto, ao despertar a consciência, o ser humano passa a perceber que a vida é um aprendizado diário, que esse aprendizado acumulado o conduzirá ao conhecimento e consequentemente à sabedoria. E que essa trajetória é muito longa, principalmente porque o deixar ir é muito difícil por conta da força do ego que nos prende a matéria com uma força descomunal. Mas a partir dessa percepção dá-se um salto quântico espetacular e irreversível rumo a verdade absoluta e a famosa  liberdade dita por Jesus Cristo: “Conhecereis a verdade e ela vos libertará”, (Lucas, 8:32).

Wagner Braga

Continuar lendo ARTIGOS: QUAL O SEU CONCEITO DE EVOLUÇÃO?, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: DESAPEGO, PERDÃO, CONFIANÇA E AMOR, VALORES IMPRESCINDÍVEIS PARA A NOSSA EVOLUÇÃO ESPIRITUAL

Sem dúvida alguma o caminho para o AUTOCONHECIMENTO passa necessariamente pelo desapego e pelo perdão. Perdoar é um ato de confiança e de amor. Ai chegamos no que realmente viemos fazer aqui. Viemos aprender a amar. Quando conseguimos reunir as virtudes: desapego, perdão, confiança e amor, estamos prontos para mudar de nível consciencial e dar um salto quântico da nossa caminhada evolutiva. Esse é o tema que o texto a seguir aborda com muita maestria. Então leia! 

O poder do perdão para uma vida mais feliz

Uma pessoa segurando a mão de outra
Pixabay / Pexels

“Quem nunca errou, que atire a primeira pedra”. Essa passagem bíblica, que se tornou bastante popular, certamente já foi utilizada por você em algum momento da sua vida. É o que dizemos quando uma pessoa que errou está sendo julgada como se fosse a única a se equivocar.

Isso porque é difícil aceitar que todos nós erramos e falhamos, em alguma medida. Independentemente de quais sejam as nossas intenções, podemos magoar alguém, fazer uma previsão incorreta, expressar os nossos sentimentos sem pensar duas vezes. Atitudes assim podem acontecer com qualquer pessoa.

No entanto, nem sempre somos capazes de reconhecer a nossa humanidade. É por isso que existe o perdão. Com esse ato, demonstramos que todas as pessoas erram e que elas não devem ser punidas eternamente por causa disso. Perdoar alguém não é sinônimo de esquecer o mal que alguém nos fez, é libertar essa pessoa (e nós mesmos) do peso da culpa.

Ou seja, perdoar é um ato de confiança e de amor. Confiança porque mostramos à outra pessoa que acreditamos que ela não tornará a fazer o que fez; e de amor, porque lhe damos a oportunidade de viver em paz. Inclusive o perdão pode ser concedido de uma pessoa para ela mesma, permitindo que ela siga em frente depois de se equivocar.

Por que o perdão é importante?

Algumas pessoas se orgulham de nunca perdoar as outras. Elas imaginam que assim irão construir apenas laços muito verdadeiros e duradouros com quem está acima de qualquer possibilidade de erro. Uma atitude inadequada, uma palavra mal interpretada, e isso já é suficiente para romper relações. Restarão apenas os melhores.

No entanto, será que esse é o melhor jeito de viver? Para responder a essa questão, pense na sua infância. Provavelmente, naquela época, você fez muita coisa errada, desde rabiscar uma parede até dizer que odiava alguém da sua família. É evidente que você só fez tudo isso porque ainda estava aprendendo como a vida funciona, mas os seus familiares te perdoaram, não é?

Quando nos tornamos adultos, imaginamos que já aprendemos tudo sobre a vida e que errar não é mais possível. Porém nós estamos sempre nos transformando, e precisamos da oportunidade de consertar as nossas atitudes que provocaram algum mal-estar. Imagine como teria sido a sua vida se a sua família não tivesse te perdoado pelos erros que você cometeu quando era criança!

Então, em primeiro lugar, o perdão é importante porque nos mostra que todos estão em constante evolução e que cometer falhas faz parte desse processo. É justamente a partir dele que nos tornaremos versões melhores de quem somos, tanto ao nos perdoarmos quanto ao perdoarmos os outros.

Mulher com os braços para cima e sorrindo se sentindo livre

Daniel Reche / Pexels

Pensando em outra situação, lembre-se de algo muito doloroso que outra pessoa já te fez e de um erro que você cometeu e que parecia não ter conserto. Quais são os seus sentimentos sobre isso? Há alguma emoção positiva sobre esse fato, ou apenas rancor, raiva e tristeza? É mais provável que as suas sensações sejam mais parecidas com a segunda hipótese.

Entretanto toda essa negatividade é produtiva para você? Ela te ensina algo sobre a vida, te ajuda a ser uma pessoa melhor? Não! O perdão é importante, nesse caso, porque ele nos ajuda a enxergar uma situação a partir de outra perspectiva. Nós não iremos esquecer o que aconteceu, mas olharemos para isso de um jeito diferente, sem sentimentos negativos.

Logo o perdão é uma ferramenta fundamental para a nossa evolução. É a partir dele que compreendemos que todos erram, que oferecemos novas chances e que nos tornamos capazes de avaliar situações que nos trouxeram alguma dificuldade. É uma verdadeira libertação, para quem perdoa e para quem é perdoado.

Razões para perdoar

Se você ainda não se convenceu de que o perdão é transformador e pode melhorar a sua vida, separamos algumas razões para fazer isso. É importante que você saiba que não tem a obrigação de perdoar a todos, porém é necessário considerar essa hipótese em todos os casos.

1) Estimular a sinceridade

Quando uma pessoa comete um erro e sente que não seria perdoada por causa dele, é provável que ela omita o que fez ou minta sobre isso. Tal comportamento pode tornar uma relação fragilizada, ainda que a aparência dê a entender que está tudo bem. Qualquer relacionamento precisa de transparência!

2) Construir diálogos importantes

Em vez de represarmos dentro de nós as questões que nos incomodam sobre outras pessoas ou sobre nós mesmos, temos a oportunidade de construir diálogos importantes. Por meio de conversas objetivas e verdadeiras, é possível entender os motivos por trás de determinada ação, o que favorece a concessão do perdão e o desenvolvimento de interações futuras.

3) Facilitar o convívio com outras pessoas

As pessoas não são perfeitas, e saber disso é essencial para a boa convivência. Todos nós vamos errar em algum momento e precisaremos do perdão de outra pessoa para manter o nosso bem-estar e o bem-estar dela. Havendo uma mudança de atitude depois desse tipo de desculpa, o convívio com outras pessoas se tornará bem mais leve.

Pessoas reunidas comendo pizza

Ron Lach / Pexels

4) Focar o presente e o futuro

O passado pode nos auxiliar a compreender o presente e o futuro, mas não deve guiar os nossos sentimentos e pensamentos o tempo todo. Com o perdão, reconhecemos que um determinado erro (de outras pessoas ou de nós mesmos) pode ficar no passado, sem trazer outras consequências mais graves ao longo do tempo. Do contrário, essa falha vai se transformar em rancor e insegurança, durando meses, e até anos, sem necessidade.

5) Exercitar a empatia

empatia é o que nos permite compreender as atitudes que outra pessoa tomou em determinado momento. Talvez nós acreditemos que faríamos algo diferente do que ela fez, porém iremos reconhecer que naquele momento ela fez o que achou certo. Ainda que os resultados não tenham sido os melhores, é possível perdoá-la por isso.

Como praticar o perdão

Depois de entender as mudanças positivas que o perdão pode trazer para a sua vida, amplie suas habilidades descobrindo como praticar o perdão. Seja alguém melhor!

1) Reconheça o problema

Em primeiro lugar, o processo de conceder o perdão – seja para alguém, seja para você mesmo – deve partir do reconhecimento do problema. Qual foi a atitude que causou um problema? Qual é a magnitude desse desconforto? É possível resolvê-lo? Faça uma análise criteriosa seguindo essas perguntas.

2) Enxergue além do erro

Para perdoar alguém, é preciso reconhecer que as pessoas não podem ser resumidas a uma atitude. Elas são formadas a partir de erros e de acertos, e estão em constante transformação. Então não reduza um ser humano a um equívoco que ele cometeu, porque a complexidade dele não pode ser resumida a isso.

Homem e mulher de mãos dadas

Free-Photos / Pixabay

3) Trabalhe a sua confiança

Confiar em uma pessoa que errou conosco pode ser um desafio. Confiar no nosso potencial depois de nos prejudicar ou de prejudicar alguém, também. No entanto, precisamos trabalhar a nossa capacidade de confiar nos outros e em nós mesmos apesar das falhas que podem acontecer. Afinal, precisamos acreditar em nós para ampliar nossos potenciais.

4) Certifique-se de ouvir o outro

O exercício de ouvir a outra pessoa é fundamental para o processo de perdoar alguém. Somente com esse gesto será possível compreender o que levou esse indivíduo a agir de um jeito, e não de outro. Dessa maneira, reconheceremos que a forma de agir em uma situação tem uma explicação, com a qual podemos nos relacionar empaticamente.

5) Supere essa questão

Deixar o passado no passado é o que pode nos trazer uma sensação de liberdade indescritível. Nós não podemos nos apegar aos erros que já cometemos, ou que cometeram conosco, principalmente quando eles são indiferentes para o presente e para o futuro. Então supere de uma vez essa questão que está te perturbando, por meio do perdão!

Avaliando o conteúdo que foi apresentado, é possível compreender que o perdão é uma maneira de viver a vida com mais leveza, com amor e com empatia. Não precisamos perdoar todo mundo, mas precisamos nos abrir para isso. Inclusive devemos nos perdoar por aquilo que não tem qualquer influência na totalidade de quem somos. Abrace a possibilidade de falhar, perdoe, transforme e siga em frente!

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DESAPEGO, PERDÃO, CONFIANÇA E AMOR, VALORES IMPRESCINDÍVEIS PARA A NOSSA EVOLUÇÃO ESPIRITUAL

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE AS DIFICULDADES DA VIDA

Sexta-feira é dia de REFLEXÃO com Camila Zen, aqui na coluna REFLEXÃO. Hoje estamos publicando um vídeo onde ela conta “Uma Curta História sobre as dificuldades da vida”. Um conto que nos ajuda a refletir… afinal, por que passamos por tantas dificuldades na vida? Convido você a assistir ao vídeo e depois fazer o seu juízo de valor. Espero que esse vídeo possa te ajudar ou ajudar alguém que você ama! 🧡 Amor e luz, namastê 🙏🏼

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE AS DIFICULDADES DA VIDA

AUTOCONHECIMENTO: É NECESSÁRIO ENCARAR A DOR E O SOFRIMENTO COM CONSCIÊNCIA PARA ALCANÇAR A VIDA PLENA

Sábado é dia de tirarmos um tempinho para fazermos reflexões sobre o que estamos vivendo. Uma maneira de nos conectarmos com o nosso eu intrínseco e avançarmos do desenvolvimento da nossa espiritualidade. O texto a seguir fala de sofrimento e dor e nos ensina a desfazer a confusão de que uma vida feliz é uma vida de prazeres e nos mostra a real importância do sofrimento e da dor no nosso aprendizado.

A espiritualidade começa com introspecção

Mulher branca e loira sentada na grama.
Mykola Komarovskyy / 123rf

Será que uma vida de muitos prazeres e sem dor é uma vida feliz?

Convido você a fazer essa reflexão, porque muitas vezes vivemos uma vida sem sentido, fazemos um trabalho de que não gostamos, temos relacionamentos que já não funcionam, temos um modo de vida que já não nos satisfaz. Queremos evitar a dor de ficarmos sozinhos, evitar a dor de sair da nossa zona de conforto, a dor de não poder comprar as coisas que queremos. Essa fuga para não sentir dor nos coloca numa vida que não é a nossa, na qual a gente acaba por não se sentir bem, parece que está sempre faltando algo. Isso nos leva muitas vezes à busca de prazeres relacionados a hábitos nocivos, vícios, a uma vida amargurada, cheia de doenças. Eu diria um cansaço da vida.

Eu penso que aceitar o prazer é uma coisa, agora viver condicionado pelo prazer é um grande engano. Então pare e pense se na sua vida você está em busca do prazer apenas…

E outro fato importante, o prazer sem ser compreendido deteriora a mente. Um exemplo disso são inúmeros artistas, cantores, atores, pessoas que chegaram no topo da fama e dinheiro e não eram felizes.

Ou do outro lado, pessoas que sofreram muito e mesmo depois de sofrerem não aprenderam com a lição, isso porque o sofrimento não conduz à sabedoria e sim a compreensão dele.

Procure entender que o sofrimento faz parte e busque o caminho que faça sentido pra sua vida, mesmo que você tenha que mudar de percurso, começar tudo de novo, e mesmo que essa mudança provoque sofrimento por um tempo. Mesmo na dor, procure compreender por que a situação te fere, o que você de fato precisa aprender com essa dor. Essa atitude vai aos poucos elevar seu nível de consciência e surgirão recursos próprios e mais sólidos para enfrentar a vida, inclusive a consciência de que não podemos colocar nosso bem-estar somente em coisas que nos dão prazer, que não devemos colocar nosso bem-estar no outro ou em bens materiais.

Mulher branca meditando numa plantação.

Mor Shani / Unsplash

Só assim a vida começa a ser sentida, apreciada, valorizada.

Essa atitude vai tirar certas ilusões e fantasias sobre o viver.

Vamos aprender a desapegar tanto do prazer quanto da dor. Porém essa nova visão sobre a vida nos dá uma liberdade incrível, pois você não mais vai ser afetado pelas circunstâncias.

Muitas pessoas se apegam à dor, ao sofrimento… Parece loucura, mas é real, porque nesse papel de vítima elas têm ganhos secundários. Elas têm, por exemplo, a atenção dos outros, a piedade dos outros.

Então aqui chegamos a algumas conclusões.

A dor é necessária, crescer dói, deixar nosso lado infantil e passar para a fase adulta dói. Muita gente chega aos 30, 40, 50 anos sem querer enfrentar essa dor, sem mudar hábitos, sem amadurecer. Sem assumir certas responsabilidades.

Porém não podemos nos apegar à dor, há um ponto em que temos que sair dessa condição e buscar melhoras. Por outro lado, viver atrás do prazer pode ser um caminho muito perturbador.

Quantas pessoas se apegam tanto à aparência jovem e não aceitam a velhice, pois querem sempre sentir o prazer da juventude no corpo? Isso é destruidor.

Vamos buscar o equilíbrio entre esses polos? E quando estiver em qualquer um dos lados busque a consciência do que se passa no seu interior, os sentimentos atrelados, as sensações físicas, o propósito de estar ali. Adquira esse ponto de observação, no qual não há tanto peso assim entre o que é bom ou ruim, certo ou errado, pois quando o olhar está acima das aparências podemos ver que tudo faz parte, que tudo pode ser aceito e acolhido com amor e na medida certa.

Fonte: Eu Sem Fronteira

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: É NECESSÁRIO ENCARAR A DOR E O SOFRIMENTO COM CONSCIÊNCIA PARA ALCANÇAR A VIDA PLENA

AUTOCONHECIMENTO: APESAR DO MEDO CONHEÇA O INIMIGO E ENFRENTE-O

Antes de se apavorar e ter medo do inimigo, é preciso conhecê-lo e entender como ele funciona. No vídeo de hoje, falo um pouco sobre o medo em tempos de coronavírus. Esse sentimento que é algo natural, e que faz parte do nosso instinto de sobrevivência, mas nos tempos que estamos, só nos atrapalha. Ele nos impede de conhecer o nosso inimigo, quando, na verdade, é disso que precisamos para conseguir enfrenta-lo. Portanto, apesar do medo, não deixe que o inimigo perceba e encare-o! Assista ao vídeo completo e saiba como fazer isso.

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: APESAR DO MEDO CONHEÇA O INIMIGO E ENFRENTE-O

REFLEXÃO: SER FELIZ É A NOSSA MISSÃO

Sexta-feira também é dia de REFLEXÃO aqui no Blog do Saber. A nossa missão é ser feliz! Isso me lembra a minha querida e saudosa mãe, Dona Lourdinha, que sempre repetia: “Eu nasci pra ser feliz!” E ela foi muito feliz, pois a felicidade para ela era servir ao próximo e ajudou a tanta gente…O texto a seguir é de uma imensa sabedoria que vale a pena a sua leitura. Portanto leia, reflita e faça o seu juízo de valor!

'Deus insiste em nos abençoar, em nos mostrar o caminho: aquele mais difícil, mais complicado, mais bonito. E a gente insiste em seguir, por que tem uma missão… Ser feliz!' - Momento de Reflexão

Seja feliz!

Quantas vezes nós pensamos em desistir,
deixar de lado, o ideal e os sonhos.
Quantas vezes batemos em retirada, com o coração amargurado pela injustiça.
Quantas vezes sentimos o peso da responsabilidade, sem ter com quem dividir.
Quantas vezes sentimos solidão, mesmo cercados de pessoas.
Quantas vezes falamos, sem sermos notados.
Quantas vezes lutamos por uma causa perdida.
Quantas vezes voltamos para casa com a sensação de derrota.
Quantas vezes aquela lágrima, teima em cair, justamente na hora que precisamos parecer fortes.
Quantas vezes pedimos a Deus um pouco de força, um pouco de luz.
E a resposta vem, seja lá como for, um sorriso, um olhar cúmplice, um cartãozinho, um bilhete, um gesto de amor.
E a gente insiste,
Insiste em prosseguir, em acreditar, em transformar, em dividir, em estar, em ser.
E Deus insiste em nos abençoar,
Em nos mostrar o caminho:
Aquele mais difícil,
mais complicado, mais bonito.
E a gente insiste em seguir,
por que tem uma missão…
Ser feliz!

Fonte: Mensagens com Amor

Continuar lendo REFLEXÃO: SER FELIZ É A NOSSA MISSÃO

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O CAMINHO PARA A UNIÃO COM BRAHMA É O AMOR

Na sabedoria do Buda o verdadeiro caminho para chegar a união com Brahma, ao contrário do que muita gente pensa é muito simples, singelo e algo que viemos a esse mundo para aprender: o Amor! Convido você a ler o texto fantástico a seguir e aprender um pouco mais sobre o amor!

Brahma - Mitologias Textos

A UNIÃO COM BRAHMA – por Martin Claret

(A Sabedoria do Buda)

Tendo dois brâmanes perguntado ao Buda qual o verdadeiro caminho para chegar à união com Brahma, respondeu o Bem-Aventurado:

– Qualquer dentre os brâmanes versados no estudo dos Vedas já viu Brahma face a face?

– Não, responderam os dois brâmanes.

– Mas algum mestre versado no estudo dos Vedas, ou qualquer dos autores dos Vedas, já viu Brahma face a face?

– Não, responderam os dois brâmanes.

– Então, retrucou o Buda, acaso deveriam dizer os brâmanes: “Indicamos o caminho para chegar a uma união com aquilo que não conhecemos, que nunca vimos?” Se tal é a substância da tradição dos brâmanes, bem vã é a sua missão. É exatamente como uma fila de cegos agarrados uns aos outros: o primeiro não vê, o do meio não vê, os últimos não podem ver.

– Imaginai agora, disse ainda o Buda, que um homem chega à margem deste rio e quer atravessá-lo. Julgais que se ele rogasse à outra margem que se aproximasse dele, ela, com efeito, viria por virtude de suas orações? É isso, no entanto, o que fazem os brâmanes. Negligenciam na prática das qualidades que realmente fazem um brâmane, e dizem: “Indra, nós te imploramos; Varuna, nós te imploramos, Brahma, nós te imploramos!” Mas não é possível que só por força dessas invocações possam eles jamais chegar à união com Brahma.

Mas, se um homem penetra sucessivamente os quatro quartéis do mundo com pensamentos de amor; se ele enche o mundo de pensamentos de um amor crescente, incessante e sem medida; se, como a trombeta que se faz ouvir facilmente em todas as direções, não deixa esquecido ente algum, no mundo, que tenha forma e vida, e a todos envolve em sentimentos de amor, de piedade, de simpatia e de serenidade crescente, incessante e sem medida, então, na verdade, esse homem conhecerá o caminho que leva à união com Brahma.

(Extraído do livro “Buda – Aquele que Despertou”; Editora Martin Claret).

Fonte: IPPB
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O CAMINHO PARA A UNIÃO COM BRAHMA É O AMOR

AUTOCONHECIMENTO: AO INDIVIDUALISMO E A MÁGOA TE IMPEDEM DE ASCENDER ESPIRITUALMENTE

Duas coisas impedem a nossa ascensão como seres evolutivos: a mágoa e a individualidade. Essas duas coisas nos impede de alçarmos voos mais altos como a elevação dessa terceira dimensão para a quinta dimensão. Precisamos aprender a perdoar e entender que estamos todos conectados. Aprender que somos todos um e que quando não perdoamos o outro estamos deixando de perdoar a nós mesmos. Aprender que o individualismo e o egoísmo são comportamentos da densa matéria da 3ª dimensão e enquanto não nos libertarmos disso e aprendermos a compartilhar jamais alcançaremos a tão sonhada 5ª dimensão. Por isso convido você  a ler o precioso texto a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor.

O SISTEMA QUE TE IMPEDE DE TER SUCESSO - O QUE SÃO CRENÇAS LIMITANTES? - Viver em Fluxo

O que te impede a sua ascensão

Mensagem canalizada em Abril de 2021 – Os Arcturianos

“Saudações. Somos o Conselho Arcturiano. Estamos felizes em nos conectar com todos vocês.

Nós temos um belo relacionamento com todos os outros seres ao longo desta galáxia e continuamos buscando criar parcerias com seres ao longo do universo. Há alguns que ainda não encontramos fora da Via Láctea e adoramos expandir nossa consciência para nos conectar com quem quiser, porque entendemos que quando encontramos alguém, estamos encontrando outro aspecto de nós mesmos.

Esta é uma bela e poderosa prática para todos vocês usarem em sua vida diária. Quando você consegue ver todos os demais como representantes de um aspecto seu e então baixa sua resistência àquela pessoa, caso tenha resistido a ela, você pode fazer avanços tremendos em sua evolução espiritual e pode trazer as maiores mudanças em seu mundo como jamais viu.

Realmente o maior problema que vocês têm aqui na Terra neste momento é que vocês guardam mágoas, que se sentem separados dos outros e que abrigam ódio em seus corações. Deixar tudo isso ir não apenas vai uni-los como coletivo humano, mas também irá ajudá-los a se elevarem e vocês querem se elevar. Vocês desejam existir num estado de alta frequência, um estado que nos referimos comumente como ‘quinta dimensão’. Mas vocês não podem chegar lá vendo a si mesmos como separados dos outros.

Criar divisão os coloca numa mentalidade de 3D e os mantém presos num paradigma de 3D. Vocês foram, na maior parte, nascidos num paradigma de terceira dimensão e é isso que precisam transcender, precisam ascender para fora disto. Não vejam isso como fazer vista grossa para o mau comportamento dos outros. Vejam como o único caminho para se tornarem mais de quem realmente são, que é o seu Eu superior, seu Eu de quinta dimensão.

Nós dissemos isso antes e vamos dizer novamente – parem de esperar por algo externo a vocês acontecer para os catapultar e apenas os outros escolhidos, para a 5ª dimensão. Vocês vão fazer isso como um coletivo e para que possam realmente experienciar a si mesmos como Fonte de Energia, precisam que os outros estejam presentes, porque eles são parte da Fonte de Energia e portanto, parte de vocês.

Alguns podem perguntar como você pode perdoar alguns dos atos hediondos que seus semelhantes tomaram parte. Não estamos dizendo que vocês neguem seus sentimentos sobre esses atos hediondos, mas estamos pedindo que imaginem que em alguma outra vida, uma na qual vocês foram muito, muito diferentes do que são hoje, eram vocês que estavam cometendo tais atos.

Se você pode perdoar alguém, pode perdoar a si mesmo e somente então pode se tornar mais inteiro e completo. A chave para o perdão é não somente perceber que ao perdoar o outro, você está se perdoando. A chave para o perdão é também permitir-se sentir o que aquela pessoa e aquela ação sempre pretendeu fazer você sentir.

Uma vez que você limpa sua raiva, tristeza, ódio e medo, então está num lugar onde pode perdoar e está deixando ir alguns dos pesos que o tem mantido para baixo, que estão te segurando, impedindo você de ascender. E conforme você ascende, você leva outros consigo. Você dá o exemplo; você cria o modelo. E se torna o professor e guia que foi destinado a ser nesta vida.

Sentimos muito que não seja mais fácil que isso, mas foi a sua escolha criar esta versão da realidade. Então por favor lembre-se disso da próxima vez que estiver sacudindo os punhos para ela, e saiba que o sentimento de abraçar tudo e se elevar acima disto é incomparável em toda a galáxia.

Somos o Conselho Arcturiano e apreciamos nos conectar com vocês.”

Daniel Scranton — Fonte: https://danielscranton.com/
Roseli Giusti Zahm e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: AO INDIVIDUALISMO E A MÁGOA TE IMPEDEM DE ASCENDER ESPIRITUALMENTE

AUTOCONHECIMENTO: O PROCESSO DE AUTOCONHECER COMO FERRAMENTA PARA ALCANÇAR A FELICIDADE

Hoje você vai ler um dos melhores textos que já sobre o AUTOCONHECIMENTO. O que é, como funciona esse processo, os benefícios, as terapias,  como se autoconhecer, enfim, tudo sobre AUTOCONHECIMENTO para você entender definitivamente que existem muitos caminhos, mas apenas um que te leva a expansão da consciência e a vida plena: o Autoconhecimento!

Como funciona o processo de autoconhecimento?

Mulher de frente ao espelho em um campo com lavandas em mãos
cottonbro / pexels

Todas as pessoas querem ser felizes. Elas podem obter esse tipo de realização por meio do trabalho, das relações interpessoais, de viagens, de estudos e da construção de uma família. Porém esse caminho pode ser bastante nebuloso e repleto de desafios.

Uma dessas dificuldades é a pressão social. Sempre queremos atender a expectativas que são impostas a nós e, por causa disso, abrimos mão das nossas essências e daquilo que realmente nos faria feliz. Esse cenário pode ser tão acentuado que, em alguns casos, até nos esquecemos de quem somos e aceitamos a realidade que nos é imposta como se fosse a melhor possível. Mas será que existe uma maneira de resolver esse problema?

Com o autoconhecimento, a felicidade que você tanto busca pode se mostrar de forma natural e verdadeira. Para entender mais sobre como esse processo funciona e quais são os meios de praticá-lo, leia atentamente cada tópico do conteúdo que preparamos!

Primeiramente, o que é autoconhecimento?

Autoconhecimento é, como a palavra sugere, o conhecimento de si. De forma mais aprofundada, é compreender qual é a sua essência, quais são os seus desejos, os seus defeitos e as suas qualidades. Por meio dessa investigação, uma pessoa pode se tornar alguém melhor a cada dia, tanto para si mesma quanto para o mundo.

Diferentemente do que se imagina, o processo de se descobrir nunca tem fim. Afinal, todos os anos nós mudamos nossos pensamentos e sentimentos de algum jeito. Às vezes, revemos até os nossos hábitos e estilos de vida. Então o conhecimento sobre nós mesmos que acumulamos antes disso pode se tornar ultrapassado.

Um perfil de rosto humano feito de papel branco amassado com um pedaço de quebra-cabeça recortado

lightwise / 123RF

Logo o autoconhecimento deve ser cultivado e analisado ao longo de toda uma vida. Dessa maneira, estaremos sempre em sintonia com quem somos, buscando uma vida equilibrada e que nos traga felicidade e plenitude. Quanto mais você se conhecer, maior será o seu sucesso na hora de concretizar seus maiores sonhos, tanto na vida pessoal quanto na vida profissional.

Os benefícios de se autoconhecer

Muitas pessoas ainda não têm ciência de todos os benefícios que o fato se conhecer pode proporcionar a alguém. Por causa disso, elas podem postergar o início desse processo. Se isso já aconteceu com você, ou ainda está acontecendo, surpreenda-se com o que o autoconhecimento pode estimular!

1) Organização de planos de vida

Quando não sabemos o que queremos para a vida, é muito difícil organizar projetos e planos a longo prazo. No entanto, com o autoconhecimento, seremos capazes de reconhecer quais caminhos seguir para obter um sentimento de realização. A partir disso, conseguimos nos preparar melhor e focar aquilo que mais desejamos.

2) Desenvolvimento da autoestima

autoestima de uma pessoa não precisa estar sempre alta. Isso porque todos nós passaremos por momentos difíceis, nos quais nos acharemos menos atraentes, menos capazes ou menos divertidos. Apesar disso, o autoconhecimento nos auxilia a levantar a autoestima, visto que nos ajuda a enxergar quem realmente somos, analisando nossos defeitos e nossas qualidades.

3) Manutenção da saúde mental e física

A saúde física e a mental são igualmente importantes, mas muitas vezes nós as negligenciamos. Isso pode acontecer quando não nos colocamos como prioridade nas nossas vidas e acreditamos que tudo pode ser resolvido depois. Com o autoconhecimento, porém, compreendemos a importância de nos cuidarmos, de realizar exames com frequência e de manter a nossa mente em harmonia com o nosso corpo.

4) Melhoria dos relacionamentos

Time de pessoas com as mãos unidas

Bob Dmyt / Pixabay

Relacionar-se com outra pessoa é um desafio quando não nos conhecemos muito bem. Podemos criar expectativas demais, ou aceitamos atitudes que nos fazem mal apenas para não ficarmos sozinhos. A partir do momento em que o autoconhecimento está se desenvolvendo, entretanto, esse cenário tende a mudar. Saberemos quais são as nossas necessidades e nossos limites, compreendendo o que podemos dar e o que precisamos receber.

5) Controle emocional

O controle emocional é essencial para controlar os sentimentos ruins e evitar que conflitos sejam criados. Mas uma pessoa que não se conhece enfrenta muita dificuldade ao tentar fazer isso. Se você for capaz de entender as suas emoções e se acalmar quando for preciso, o processo de autoconhecimento estará dando muito certo!

Como se autoconhecer?

O processo de autoconhecimento não tem regras. Cada pessoa irá encontrar uma maneira de entrar em contato consigo mesma, e essa é a melhor parte dessa jornada. Você não precisa se apegar ao que outros indivíduos fazem, porque não é isso que realmente importa.

É importante que você lembre que o seu processo de autoconhecimento deve acontecer de acordo com os seus desejos, com o que te deixar mais confortável. Então basta escolher entre um universo de possibilidades. Algumas delas são: ioga, meditação, terapia, escrita de um diário, e muito mais!

Mulher escrevendo diário

picjumbo_com / Pixabay

Para te ajudar nessa jornada, preparamos um passo a passo para o seu processo de autoconhecimento. Nossas dicas são uma inspiração, e não uma obrigação. Respeite o seu tempo e faça somente aquilo que estiver te trazendo um retorno positivo!

O processo do autoconhecimento passo a passo

Agora que você já conhece tantos benefícios de realizar um processo de autoconhecimento, veja como é possível se abrir para esse desenvolvimento. Confira as nossas sugestões e crie as suas maneiras de mergulhar na sua interioridade!

Faça perguntas

Quando nós paramos para pensar sobre alguma coisa, temos a oportunidade de obter conclusões melhores sobre ela. E, para isso, basta fazer perguntas! Questione as suas decisões, a sua felicidade com o seu trabalho, com os seus relacionamentos. Pense sobre como você está se sentindo em determinados momentos do dia e analise-se!

Aprenda com novas experiências

As novas experiências, que nos tiram da nossa zona de conforto, podem parecer assustadoras em um primeiro momento. No entanto, elas nos dão mais repertório para lidar com imprevistos e podem nos ajudar a descobrir como lidamos com diversas situações. Lembre-se disso da próxima vez que tiver a chance de se desafiar!

Comece a gostar de passar um tempo consigo mesmo

Você é uma pessoa que está sempre rodeada de amigos, familiares e amores? Que legal! Isso é muito bom para os seus relacionamentos, para os momentos felizes e para os momentos difíceis. Mas também é importante reservar um tempo só para você. Assim, você vai descobrir do que você realmente gosta, sem precisar se adequar aos desejos de outras pessoas.

Mulher aproveitando a solitude em frente à uma paisagem de campo

Bruno Cervera / Pexels

Invista em livros de autoconhecimento

Os livros de autoconhecimento podem abrir a sua mente para muitas questões que até então você desconhecia. Caso você nunca tenha lido um conteúdo desse tipo, separamos cinco títulos que serão um bom começo:

Faça terapia

Fazer terapia é fundamental para todas as pessoas, não só para aquelas que estão passando por um momento difícil ou que viveram algum tipo de trauma. Então, ainda que você se considere uma pessoa mentalmente saudável, procure auxílio profissional para investigar seus pensamentos, seus sentimentos e sua maneira de lidar com seus problemas!

Registre seus avanços

Em um diário, ou por meio de fotos, você pode registrar o que você está sentindo ao longo dos dias. Como as suas opiniões e os seus projetos mudaram desde quando você começou a ser você? Com essas anotações, você vai perceber que aos poucos está se tornando uma nova pessoa, sempre disposta a aprender.

Reconheça suas qualidades

Quando não passamos muito tempo conosco, temos dificuldade de descobrir no que somos bons e quais são as nossas verdadeiras qualidades. Então dedique-se a um hobby, faça um curso com o qual sempre sonhou e analise como o seu desempenho em algo pode ficar ainda melhor.

Mulher com guarda-chuva amarelo em frente à uma parede amarela

Pexels / Pixabay

Assuma seus defeitos

Reconhecer os nossos defeitos é uma das partes mais difíceis do processo de autoconhecimento, entretanto é essencial. Nós só poderemos ser pessoas melhores se soubermos quais são os nossos pontos fracos – e não precisamos nos envergonhar por tê-los. Aceite as suas imperfeições e melhore o que for possível!

Melhore seus hábitos

Faz parte do autoconhecimento cuidar bem do seu corpo físico. Além disso, o que acontece com ele se reflete na sua saúde mental e no seu bem-estar. Então observe quais são os seus hábitos e perceba se eles estão criando alguma desarmonia na sua saúde. A partir disso, faça as mudanças que precisar, sem medo!

Por mais que buscar atendimento médico não seja uma atividade prazerosa e divertida, é algo necessário. Como foi dito anteriormente, é preciso reconhecer o que está acontecendo com o seu corpo, para que você saiba como ter uma vida mais saudável e como se sentir melhor com quem você é.

Levando em consideração todas as informações que apresentamos, compreende-se que o processo de autoconhecimento é fundamental na vida de uma pessoa. Entre as inúmeras formas de realizar esse processo, você pode recorrer a livros, a terapia, a questionamentos e até a um diário. O mais importante é descobrir o que realmente te faz feliz!

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O PROCESSO DE AUTOCONHECER COMO FERRAMENTA PARA ALCANÇAR A FELICIDADE

AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ QUE VEIO DAS ESTRELAS PARA HABITAR O MUNDO DAS ILUSÕES

Segunda-feira é dia de recomeço, renovação e reaprendizado. Por isso estamos publicando aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO um texto do mentor e visionário Wagner Borges, cujo título é: “Você que veio das estrelas”. Ele aborda a missão dos seres estelares de dimensões mais elevadas e evoluídas que retornam a 3ª dimensão para nos amparar, como verdadeiros anjos da guarda, nos orientando e nos guiando nessa jornada celestial. Então lhe convido a ler o texto completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

VOCÊ QUE VEIO DAS ESTRELAS

Você, que veio das estrelas e deu o grande mergulho no mundo de matéria.
Você, que veio das estrelas e, com o sacrifício de sua própria origem cósmica, se abrigou num invólucro de carne.
Você, que veio das estrelas e abandonou a realidade universal para habitar o mundo de ilusões.
Você, que veio das estrelas, e que agora sente-se estranhamente só, esqueça-se de tudo e entregue-se aos apelos de sua voz interna. Ouça o que ela tem para lhe dizer, que nada mais é tão importante, nem mesmo os compromissos com que o mundo tenta distrair sua visão cósmica.
Descobrirá que, na verdade, não está só, que são muitos os seus irmãos das estrelas que para cá também vieram para estender a mão e amparar com ombros fortes os passos da humanidade desta difícil época de transição.
Será fácil reconhecê-los, palavras não serão necessárias, e nem mesmo será preciso saber seus verdadeiros nomes.
Saberá encontrá-los pela afinidade de suas energias, pelo chamado de seus corações e pela profunda identificação com seus sentimentos.
Você, que veio das estrelas, sente agora no canto mais íntimo de sua alma, que chegou o momento de encontrar, na Terra, a sua família universal, que chegou o momento do reconhecimento, que chegou o momento da reunião de todas as forças para a realização da missão única de que todos se incumbiram, antes de aqui chegarem.
Abra seu coração, acorde sua consciência adormecida, apalpe seu ser interior, deixe que ele fale, acima de tudo, acima do mundo, acima de todos os conceitos que não lhe permitem existir em toda a sua potencialidade cósmica.
Você, que veio das estrelas, que é todo luz e é todo força, libere-se, que chegou o tempo de abrir as portas para uma nova era.
Você, que veio das estrelas, eterno viajante do espaço, compartilhando agora com tantos outros irmãos uma experiência tridimensional e difícil, não se deixe mais perder em momentos inúteis que lhe trazem apenas solidão, não se deixe mais seduzir pelas falsas luzes do asfalto, assuma sua personalidade cósmica, estenda seus braços e, num único abraço, envolva sua grande família, sua imensa família universal e todos juntos, com plena consciência da unidade de sua origem, cada qual com a sua parcela de colaboração, cumprirão com alegria e coragem o maravilhoso trabalho de conscientização da humanidade para este novo milênio!”
Texto de Wagner Borges. Carioca, autor de vários livros, conferencista e fundador do IPPB – Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas.
Fonte: Dalla Blog
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ QUE VEIO DAS ESTRELAS PARA HABITAR O MUNDO DAS ILUSÕES

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: PRECE DO ÍNDIO AMERICANO, POR FALÇÃO AMARELO – CHEFE SIOUX

A nossa coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL deste domingo trás uma oração, uma prece indígena, que revela toda a sabedoria espiritual do índio americano, que consegue enxergar lições e aprendizado em todas as coisas, em cada folha e em cada pedra. Convido você a ler esse texto maravilhoso, recheado de sabedoria!

Prece Navajo do Belo CaminhoAtualmente as pessoas começam a ter más notícias, a partir do momento que acordam ligando o r… | Tribo indigena, Índio americano, Navajo

PRECE DO ÍNDIO AMERICANO

“OH! GRANDE ESPÍRITO, cuja voz eu escuto nos ventos, e cuja respiração dá vida a todo o mundo – escute-me.
Eu estou perante você, um dos seus filhos. Eu sou pequeno e fraco. Eu preciso de sua Força e Sabedoria. Deixe-me caminhar em sua beleza e faça meus olhos observarem para sempre o pôr do sol vermelho e púrpura.
Faça minhas mãos respeitarem as coisas que você fez, meus ouvidos aguçados para escutar sua voz.
Faça-me sábio, para que eu possa conhecer as coisas que Você ensinou ao meu povo, as lições que Você escondeu em cada folha e em cada rocha.
Eu busco a força não para ser superior a meus irmãos, mas para ser capaz de lutar com meu maior inimigo: “Eu mesmo”. Prepare-me para ir até Você, com as mãos limpas e olhos corretos, então, quando a vida desvanecer-se assim como o pôr-do-sol, meu espírito irá até Você sem nenhuma mancha.
Deixe sua voz sussurrar em nossos ouvidos através do vento oeste no final do dia. Deixe-nos ser confortados com amor por nossos irmãos e irmãs sem nenhuma guerra.
Deixe-nos preservar boa saúde mentalmente e fisicamente para solucionar nossos problemas e realizar algo para as futuras gerações. Deixe-nos ser sinceros com nós mesmos e nossa juventude e fazer do mundo um lugar melhor para viver.”
Prece do índio americano.
Falcão Amarelo – Chefe Sioux
Fonte: Pensador
Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: PRECE DO ÍNDIO AMERICANO, POR FALÇÃO AMARELO – CHEFE SIOUX

REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE A CORRIDA DA VIDA, POR CAMILA ZEN

A história de hoje, aqui na coluna REFLEXÃO, contada pela incrível Camila Zen é sobre a corrida da vida e foi inspirada numa antiga palavra africana “Ubuntu”, que apresenta significados humanísticos como solidariedade, a cooperação, o respeito, o acolhimento, a generosidade, entre muitas outras ações que realizamos em sintonia com a nossa alma (com o nosso ser interno), buscando o nosso bem-estar e o de todos à nossa volta. Então lhe convido a assistir ao vídeo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE A CORRIDA DA VIDA, POR CAMILA ZEN

AUTOCONHECIMENTO: O NOSSO COMPORTAMENTO TEM ORIGEM NA NOSSA ESSÊNCIA

Hoje trago até você um artigo impressionantemente esclarecedor, que você não pode deixar de tomar conhecimento em hipótese alguma, pois aborda o porquê do nosso COMPORTAMENTO enquanto seres humanos experienciando essa terceira dimensão. Um comportamento regido pela nossa essência, intrínseca a nossa alma, cujo caminho já foi traçado no ato da concepção. Portanto convido você a ler esse texto extraordinário e entender como e porque somos como somos e porque isso ocorre!

Comportamento – Um ensaio sobre a essência do ser

Foto de perfil de um homem com os olhos fechados e encostado em uma árvore.
mavoimage / 123RF

Academicamente falando, muito já se disse do processo de formação e informação por que passa todo indivíduo, assunto esse explorado até à exaustão, ainda que tão pouco compreendido quando escapa do ambiente acadêmico para ser levado à vida das pessoas. Isso porque a abordagem fica na diferença entre esses termos sem se atinar para o fato de que ambos não vão além de causa, e o que mais importa quando se fala em relacionamento é a consequência. Explicando melhor: durante o período de formação ou desenvolvimento, estamos apenas construindo a estrutura que depois será usada para sustentar nossas relações com as pessoas, ou seja, como acontecerá a sua aplicação prática.

Então nossa abordagem aqui pretende ir além do período de formação e informação por que passamos, mas colocando foco no “depois” que disso resulta, traduzido como qualidade das relações que iremos estabelecer. E de que forma podemos medir essa qualidade? Pelo benefício levado às pessoas envolvidas em termos de bem-estar físico e emocional resultante dos elos que se estabelecem entre elas, a partir de sua aproximação.

Ainda no campo das causas, existe um vetor humano que independe e antecede a fase de formação e informação, a que muitos atribuem um caráter de “essência” própria. A essência do indivíduo já nasceria com ele, sendo constituída pelas características que permanecerão inalteradas por toda a vida. E claramente é a de mais difícil compreensão dentre todos os atributos humanos, pois nem a própria pessoa conseguirá entender quando ou como surgiu: apenas se dá conta de que é componente intrínseco de sua visão de mundo, sempre esteve presente e lhe serviu de norte para pensar e agir do modo com que o faz. Tanto que muitas vezes essa conscientização da própria essência vai acontecer muito tempo depois, quando o indivíduo já atingiu sua maturidade plena ou até na velhice. E é nesse dia que se “olha pelo retrovisor” aquele padrão que sempre se fez perceber em cada reação e nos momentos mais importantes da existência.

Muita gente irá confundir essa essência a que me referi com o que se tem como caráter da pessoa. Isso é um equívoco, pois o caráter é forjado pelo conhecimento que vai se acumulando nos primeiros anos de vida, enquanto a essência já estava lá antes disso, daí porque os próprios estudiosos da alma humana encontram dificuldade para alcançar sua compreensão. Só para ilustrar, na definição de Eric Berne, ao elaborar sua teoria da “Análise Transacional” – com base no comportamento humano –, o pesquisador descobriu que havia emoções que já nasciam conosco, e que ele chamou de “emoções primárias ou autênticas”. Estas seriam em número de cinco: a Alegria, a Tristeza, o Medo, o Afeto e a Raiva. São reações inatas que todo recém-nascido já traz desde que seu sistema nervoso é formado ainda no útero materno, sendo muito fácil de se constatarem. Pode-se afirmar, então, que a Essência seria o sexto elemento emocional acrescido ao conjunto, com a diferença de que nem o próprio indivíduo se dará conta disso até muito tempo depois. Ele apenas perceberá que determinadas coisas lhe provocam um profundo mal-estar ou, ao contrário, uma maravilhosa sensação de plenitude, sem sequer entender a razão para os perceber dessa forma.

Mas a pergunta que nos deve interessar é: isso é bom ou é ruim? Quando se fala em alegria ou afeto fica claro que se trata de coisas boas. E quando lidamos com tristeza, medo ou raiva, é senso comum que se trate de coisas ruins. Então por que não acontece da mesma forma em relação à nossa essência? Essa resposta, pelo menos, não é tão difícil quanto lhe conhecer a origem: as cinco emoções classificadas por Berne acontecem no próprio indivíduo, independentemente de outrem, enquanto a essência dele… ah! Isso ele só irá descobrir depois de senti-la em contato direto com a essência alheia. Isso nos leva à conclusão de que nossa essência é a única dentre as características emocionais inatas que depende dos relacionamentos para se revelar a nós. É fácil saber que as outras cinco podem ter origem em qualquer coisa – seres vivos ou não –, mas a essência só acontece em relação a outro ser vivo que também a possua, sendo decisiva para aproximá-los ou distanciá-los de forma claramente perceptível e indelével. E por que indelével? Ora, se ela não muda, bastará identificar quem a traga totalmente contrária à sua para se saber que não conseguirão se entender em momento algum, pois não se trata daquele tipo de erro que todos cometemos em diferentes momentos, e que costumamos entender como “erros de percurso”. A incompatibilidade entre essências estaria intrinsecamente associada à visão de mundo que trazemos, e, quando se mostram inconciliáveis, podem tanto se traduzir por “conflitos de personalidade” quanto por “falhas de caráter” (estas últimas, obviamente, quando esbarram em questões éticas).

Peças vermelhas de xadrez sobre superfície lisa. Uma peça preta está afastada deste conjunto.

Markus Spiske / Pexels

Vamos analisar um modelo até bastante comum no seio familiar, como é a dificuldade de relacionamento entre pai e filho por exemplo, devido ao desencontro de suas essências: um pai que pensa e se comporta de forma incisiva e autoritária por força de sua formação, e um filho que reage muito mal a esse tipo de postura, cobrando explicações para sua forma inflexível de agir. Claro está que eles dificilmente chegarão a um entendimento, a menos que um dos dois busque harmonia com a própria essência: ou o pai decida atenuar seu autoritarismo para se aproximar do filho, ou este dispense as cobranças de um tratamento menos rígido por alguma razão que considere importante, como a idade ou a saúde de seu pai, por exemplo. Note-se que nenhum dos dois precisou abrir mão de sua essência, mas apenas “fazer uma concessão” em prol de algo que se mostrou importante naquele momento ou naquela situação específica para o objetivo proposto, que era o de diminuir a distância entre ambos. Esse exemplo mostra um caso bem frequente de conflito de personalidades, mas não necessariamente com base em questões de caráter.

Mas voltando atrás um pouquinho – lá onde acaba a causa (formação e informação) e tem início a consequência (conformação ou transformação). Já se pode entender que a essência não depende de que se tenha consciência dela para que se manifeste nos indivíduos. Quando contrariada, ela simplesmente “reage” dentro da pessoa, acionando o alarme de que há um conflito em andamento esperando por um posicionamento dos envolvidos, como no exemplo utilizado entre pai e filho. Tal posicionamento é que irá decidir o tipo de comunicação entre eles. A partir daí se saberá se poderá haver uma harmonização, ainda que não de essência, mas como uma espécie de “pacificação consciente”. Esta chega como um “escudo” colocado a serviço da saúde mental dos envolvidos quando a relação entre eles estiver sendo colocada em xeque. Essa “proteção” por efeito de escolha poderá se estender a todo o tempo de convívio por conta dessa tomada de consciência pelas partes, “positivando” um relacionamento que poderia ser conflituoso se não se empenhassem num “ajustamento de conduta”. Em outras palavras, por ter sido resultado de uma decisão consciente, a relação não produzirá nenhuma daquelas emoções primárias negativas do estudo de Berne sobre as quais falamos no início: medo, tristeza ou raiva, já que consentida.

Punho fechado.

Pixabay / Pexels

Mas há casos em que as partes acabam não colhendo resultados positivos, mesmo com o esforço de “pacificação”, e aqui se percebe de novo a relevância da decisão consciente por parte dos envolvidos. Se tudo se resumiu a um desejo superficial, não partido do cerne de sua inteligência emocional, em lugar da desejada transformação de postura, o que ocorrerá será apenas uma conformação, que ocorre quando o indivíduo aceita o acordo de fora pra dentro, mas de dentro pra fora sua essência continua gritando que não o aceitou. A pessoa, nesse caso, vai sentir raiva de si mesma por ter cedido, pode mergulhar em tristeza por ter se deixado convencer sem pensar nas consequências internas, ou até sentir medo de não conseguir levar o acordo adiante, e a situação acabar pior do que antes. Isso demonstra a importância da conscientização no que toca ao resultado esperado: ela tanto pode produzir harmonização com a própria essência pela escolha sensata, quanto gerar um robusto conflito interno e não resultar em nenhuma mudança de postura, como se propunha.

Ainda no que diz respeito à essência – que muitos confundem com “índole” –, pouco se sabe sobre sua real natureza, a menos que tentemos entendê-la sob a ótica da espiritualidade. Mas existe uma diferença sutil – porém consistente – entre as duas coisas: a índole teoricamente poderia ser moldada, e a essência não, por ser parte integrante do ser. Partindo dessa premissa, a índole poderia receber influências tanto internas quanto externas, mas no que toca à essência, apenas a “descobrimos” tal qual é, sem exercer nenhum tipo de comando sobre ela. Poder-se-ia dizer, então, que o indivíduo possuidor de uma essência harmônica e positiva não traria tendência para desenvolver uma “índole ruim”? Teoricamente isso se mostraria verdadeiro, porque a primeira – que é o próprio ser – não o permitiria. Mas a essência “não consolidada” desde a concepção, esta sim, se colocaria suscetível à “moldagem” negativa da índole, a exemplo de um livro em branco em que o tipo de vida escolhido possa escrever nele os próximos capítulos de sua trajetória.

É claro que, nesse aspecto, estamos tratando de crenças, e não de ciência. E nesse campo insólito e desconhecido, nada se pode afirmar. O que se toma como real a partir de narrativas de vida é que a essência – ou natureza do ser – vai sendo descoberta aos pouquinhos pelo próprio indivíduo, e de alguma forma consegue ser “captada” pelos demais à sua volta, dependendo do grau de sensibilidade de cada um. A confirmação dessa essência seria obtida pelo indivíduo em forma de um sentimento sutil e subjetivo, mas extremamente poderoso, que cria rejeição inequívoca a tudo que se mostre contrário a ela, como também faz eclodir uma empatia instantânea com aqueles que a trazem nos mesmos moldes. Daí porque se diz que ambas as essências simplesmente “se descobrem” como decorrência de sua sintonia, e elas próprias se identificam umas com as outras, independentemente das escolhas de seus detentores.

Isso explicaria por que determinada pessoa, no primeiro momento em que trava contato com outra, sente-se identificada com ela, mesmo antes de obter qualquer informação sobre quem seja; ou, ao contrário, percebe-se nutrindo uma rejeição interna ao se aproximar dela, mesmo não havendo uma razão concreta para tal sentimento. Muitos irão buscar explicações para tais reações nas crenças que trazem: algum resíduo espiritual de outras vidas, intuição, sexto sentido, premonição etc. Quatrocentos anos atrás, entretanto, Giordano Bruno já afirmava que o fato de se crer ou não em algo não faz com que a verdade mude. Então o que menos importa é como você interpreta o fenômeno, mas sim a forma como lida com ele em seu benefício e daqueles com quem se relaciona, e isso é o que deve ser levado em conta na hora de avaliar seu potencial para modificar toda a trajetória de ambos.

Luiz Roberto Bodstein

 

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O NOSSO COMPORTAMENTO TEM ORIGEM NA NOSSA ESSÊNCIA

AUTOCONHECIMENTO: UM PASSO A PASSO DE COMO RECONHECER O DIVINO QUE EXISTE DENTRO DE VOCÊ

A nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta segunda-feira trás uma reflexão muito importante e transformadora, pois vai a fundo no tema do ‘Divino que existe dentro de nós’. A mensagem do Mestre Yeshua nos diz que Cada um de nós mantém a vibração sagrada do Criador dentro do nosso ser. Ele nos pede para imaginarmos e nos conectarmos com esse conhecimento a cada dia, mesmo que apenas por alguns momentos, através da meditação, para, aos poucos, reconhecermos o Divino que existe dentro de nós. É preciso que você leia o texto completo a seguir para entender como isso é possível e como você pode conseguir!

Reconheça o Divino que existe dentro de você

Mensagem canalizada em 3 de Abril de 2021 – Mestre Yeshua

Saudações Seres Divinos sobre a Terra, eu sou o Mestre Yeshua, eu os saúdo com amor e paz. Eu trago para a sua energia a vibração da harmonia do Criador. Que isso entusiasme todos os aspectos do seu ser, trazendo tudo o que você é e está criando com harmonia e equilíbrio.

Venho debater com você a divindade interior e me pergunto o que é que você precisa saber sobre a divindade interior?

Cada um de vocês mantém a vibração sagrada do Criador dentro do seu ser. Imagine e se conecte com esse conhecimento a cada dia, mesmo que apenas por alguns momentos, me pergunto que consciência e conhecimento despertariam em seu ser.

Isso é, até certo ponto, o que o Lorde Buda experimentou, assim como eu, Mestre Yeshua como uma criança na Terra. Contemplamos e reconhecemos que existe uma essência do Divino em nosso ser. Algo que todos nós conhecemos e reconhecemos, mas devemos reconhecer plenamente em cada aspecto do ser, em cada célula, em cada forma de pensamento, criando tal transformação mágica em seu ser. É como se um novo aspecto de você surgisse.

Saint Germain era reconhecido por sua magia. Ele reconheceu o Divino, a divindade dentro do seu ser e usou isso completamente em cada pensamento, em cada ação. Portanto, ele estava em unidade, na verdade, em completa harmonia e no fluxo Divino com o Criador, portanto, tudo e qualquer coisa era possível.

Mestre Lanto também reconheceu isso Ele reconheceu a Luz dentro do seu ser, em cada pensamento, emoção, atenção e todo o seu ser. Ele mergulhou fundo na divindade dentro do seu ser, nadando e desfrutando da energia da vertente do Criador interno. Tanto que quando as pessoas olhavam para Mestre Lanto era como se ele estivesse brilhando, brilhando com a Luz através da sua pele. Ele estava tão em sintonia com a divindade em seu ser que tudo era possível. Ele também reconheceu a Luz brilhando dentro dos outros; e assim eles brilhariam de volta.

Todos os Mestres Ascensionados passaram por esse processo de Ascensão. Sim, você reconhece dentro da sua mente, você sabe dentro da sua mente que o Divino está dentro de você, e o Criador está dentro de você. No entanto, há uma necessidade de reconhecer isso totalmente em cada aspecto do seu ser quanto mais você dá a sua atenção, mais você acredita e confia na divindade dentro do seu ser, se torne essa divindade.

Você já é essa divindade. Cada célula do seu ser, cada molécula de energia irradia esse conhecimento e verdade. É algo que todo Mestre Ascensionado percorreu, é uma jornada que eu, Mestre Yeshua, os convido a experimentar e reconhecer agora neste tempo.

É sua hora de brilhar, o que quero dizer é que é a sua hora de reconhecer a divindade dentro do seu ser. Quando você reconhecer a divindade dentro do seu ser, com todo o seu ser, você se reconhece como um todo e completo agora.

Isto é um processo de cura tremendo e dramático. Se você estiver inteiro e completo, você pensará, sentirá, agirá, reagirá e criará a partir de um espaço de ser total e completo, que transforma completamente o seu ser e a sua realidade.

Se isso for reconhecido, então algo mais surge e é uma experiência em vez de um pensamento. Essa experiência quer que você reconheça que a divindade dentro de você também é inteira e completa, portanto, quando você reconhecer o Divino, você não está reconhecendo um aspecto do Divino, você está reconhecendo a fonte inteira e completa do Divino.

Você está reconhecendo tudo do Criador, cada rótulo, tudo que é sem rótulo. Você se lembra do Divino dentro do seu ser que cria a partir deste espaço. Assim você percebe que tudo fora de você também está dentro do seu ser.

Esta é uma transição especialmente importante; novamente, o que eu estou falando não é novo para você. Você entende que cria tudo em sua realidade. Você entende que o Criador está dentro de você, entende que tudo que está do lado de fora também está dentro de você, mas para realmente aproveitar esse ensinamento você deve sentir e reconhecer em seus pensamentos e emoções. Dentro do seu corpo, seus corpos de energia, suas ações, reações, suas criações, significam que você tem uma conexão recém-descoberta com tudo que está fora e dentro de você.

Ao reconhecer que uma árvore ou arco-íris é um produto da divindade dentro de você, a pessoa com quem você conversa é um reflexo da divindade dentro do seu ser, assim, você se torna tão conectado a tudo que a solidão, a separação, a ansiedade e o medo se dissolvem.

O medo sempre estará lá até certo ponto, pois é uma proteção, mas também se dissolverá, ao fazer isso, você transforma sua realidade, se tornando um Mestre Ascensionado. Você transforma tudo, não apenas para você e sua realidade, você impacta e influencia a vibração de todos, as experiências de todos, a criação de todos os seres e todo o Universo do Criador.

Você se torna tudo e, ao fazer isso, penetra cada vez mais profundamente nesse conhecimento e reconhecimento de tudo. Uma nova transformação surge de dentro do seu ser, permitindo que você se torne sem forma e rótulos. Você é o tudo e ainda assim o nada do Criador.

É incrivelmente desafiador descrever o nada do Criador quando você vive em um mundo onde tudo tem forma e rótulos. No entanto, quanto mais você se conecta com esse nada, que é uma jornada como descrevi, você encontrará a liberdade, verdade e compreensão para tudo o que está acontecendo em sua realidade e no mundo agora.

Você vai confiar em si mesmo e aprender a confiar nos outros. Assim, iniciamos em uma jornada de cocriação. Nós, Mestres Ascensionados, estamos agora alcançando uma jornada de cocriação, estamos co-criando com vocês agora, é nossa missão e nosso propósito.

Como você reconhece a divindade interior? Como você começa essa jornada conforme descrevi?

Na verdade, é um processo único para você. Posso compartilhar como eu o consegui; no entanto, você é único, talvez queira encontrar seu próprio caminho. Quando comecei essa jornada eu meditava e muitas veze imaginava as minhas costas encostada em uma árvore ou encontrava uma árvore adequada e me sentava com as costas apoiada nela. Eu reconhecia o aterramento da Terra ou minhas energias aterradas à Terra percebendo minha conexão com o Divino. A árvore oferecia estabilidade, quietude, um alicerce, um aterramento e uma conexão com o Criador. Nesse espaço eu dizia para mim:

“Eu procuro a divindade interior.”

Eu repetia isso para mim em minha mente indefinidamente. Em seguida, dava um tempo para me concentrar em minha respiração e abrir espaço para uma resposta se formar. Eu praticava com frequência e novas respostas apareciam, me permitindo sentir uma conexão com a divindade interior através de um sentimento de felicidade ou êxtase irrompendo meu ser. Às vezes meu corpo tremia, outras vezes eu estava em um espaço no nada, era diferente a cada vez.

Eu os convido a começar esse processo, há muito para descobrir e nós, os Mestres Ascensionado, estamos presentes para apoiá-los. É hora de um novo despertar, um novo amanhecer dentro do seu ser.

Eu, Mestre Yeshua, estou presente para amá-lo e apoiá-lo.

Gratidão,

Eu sou Mestre Yeshua

Natalie Glasson — Fonte: https://goldenageofgaia.com/ | https://omna.org/
Renata Pecora Fortunato e Marco Iorio Júnior — Tradutor e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: UM PASSO A PASSO DE COMO RECONHECER O DIVINO QUE EXISTE DENTRO DE VOCÊ

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: ENERGIA KUNDALINI, SAIBA COMO DESPERTÁ-LA

Nesta quinta-feira, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL você vai conhecer a energia Kundalini, que todas as pessoas guardam na base da coluna, região conhecida como cóccix, mas que permanece adormecida em nossos corpos, até que uma alma de nível superior a desperte. Então é necessário desenvolver a própria alma, conectando-se com a própria essência e se abrindo para a espiritualidade. Convido você a ler o artigo completo a seguir e entender como isso pode ocorrer!

Kundalini — O que é e como despertar sua energia

Silhueta de uma pessoa meditando em posição de lotus com a representação dos seus 7 chakras
Nikki Zalewski / 123RF

Conforme acumulamos mais conhecimentos sobre a nossa espiritualidade, compreendemos que todos os corpos apresentam centros de energia. De acordo com o hinduísmo, por exemplo, esses centros de energia são chamados de chakras, mas há outras maneiras de interpretá-los.

O fato é que todos os corpos carregam energia e, quanto mais equilibrada ela estiver, melhor uma pessoa se sentirá. Do contrário, ela pode vibrar energias negativas em excesso, o que acarreta problemas na saúde física e na saúde emocional. Sendo assim, é muito importante atentar-se para essa parte de quem somos.

Além disso, também devemos considerar que existem outros planos espirituais que não conseguimos enxergar. Se direcionarmos as nossas energias da maneira correta, poderemos acessá-los e, com isso, experienciar um despertar da própria consciência.

Um dos meios de alcançar esse plano espiritual mais profundo e revelador é a partir da Kundalini. A seguir, você vai entender como esse conceito se relaciona com a energia presente nos nossos corpos e com a capacidade de acessar um conhecimento superior. Confira!

O que é Kundalini?

Kundalini é uma energia que todas as pessoas guardam na base da coluna, região conhecida como cóccix. No entanto, essa energia permanece adormecida em nossos corpos, até que uma alma de nível superior a desperte. Por esse motivo, a palavra “Kundalini” significa, em sânscrito, “enrolada como uma cobra”.

Uma vez que a Kundalini for ativada, ela terá o poder de atravessar os seis chakras que estão acima do centro de energia onde ela reside (o sacro). Isso significa que ela percorrerá os chakras Svadhisthana, Manipura, Anahata, Vishuddha, Ajna e Sahasrara.

Nessa trajetória, a energia Kundalini equilibra os centros energéticos de um corpo, além de se conectar com o poder primordial divino, chamado de Param Chaitanya. Dessa forma, será possível descobrir a existência de Deus no próprio inconsciente, obtendo disciplina e maturidade além da iluminação espiritual.

Como despertar a Kundalini?

Depois de conhecer os benefícios de despertar a Kundalini, como o equilíbrio dos chakras e a iluminação espiritual, é compreensível que uma pessoa queira realizar essa técnica sozinha. Mas será que isso é possível?

Como foi dito anteriormente, somente uma alma evoluída é capaz de despertar a Kundalini. Então o primeiro ponto necessário para que isso ocorra é desenvolver a própria alma, conectando-se com a própria essência e se abrindo para a espiritualidade.

Um pessoa sentada no chão de uma praça meditando em frente ao Sol.

Prasanth Inturi / Pexels

Para que isso ocorra da melhor forma possível, e para que a energia Kundalini seja ativada, basta realizar a prática chamada de Kundalini Yoga. Também conhecida como Yoga de Consciência, ela é considerada uma ciência milenar para a expansão da consciência, o que estimula a subida da energia Kundalini para os chakras que estão acima dela.

Ou seja, se você quer ativar essa energia poderosa e diferente que já está dentro de você, procure um profissional que ofereça a Kundalini Yoga e desperte a sua capacidade de se conectar com o universo, favorecendo a evolução da sua alma!

Os benefícios da Energia da Kundalini

Caso você ainda esteja em dúvida se deve mesmo se dedicar a despertar a sua energia Kundalini, conheça alguns dos benefícios que ela oferece para a sua mente e para o seu corpo!

1) Restauração da harmonia do corpo

Ao ativar a energia Kundalini, é possível promover a harmonia entre os sistemas nervoso e glandular. Dessa forma, os chakras serão alinhados com mais facilidade, trazendo uma sensação de bem-estar.

2) Fortalecimento da musculatura

O fortalecimento da musculatura é outro benefício proporcionado pela liberação da Kundalini. Isso porque, além dos exercícios sugeridos pela prática, é recomendada uma transformação dos hábitos alimentares, favorecendo a saúde física.

3) Aumento da vitalidade física e psíquica

O aumento da vitalidade física e psíquica é uma consequência do fluxo de energia Kundalini pelo corpo. Com ela, uma pessoa tem mais consciência sobre o próprio corpo e sobre a própria mente, tendo a capacidade de se conectar com a própria essência.

4) Relaxamento do corpo e da mente

O relaxamento do corpo e da mente é possível por meio da energia Kundalini porque ela nos leva a um estado de meditação profundo. Assim conseguimos nos desligar das preocupações e dos problemas, dando espaço somente para a iluminação.

5) Sensação de êxtase

A sensação de êxtase proveniente do despertar da energia Kundalini é um dos melhores benefícios desse processo. O indivíduo que o realiza entra em um estado de expansão da própria consciência e consegue perceber a sutileza de cada parte do universo.

A partir de tudo o que foi apresentado sobre a Kundalini, compreendemos que essa forma de energia que existe em todos nós, quando ativada, pode nos transformar. Aproveite o seu dia para buscar um local que realize a Kundalini Yoga e se sinta melhor com os benefícios incríveis dessa prática!

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: ENERGIA KUNDALINI, SAIBA COMO DESPERTÁ-LA

DICA DE LIVRO: O CÓDIGO DE DEUS, DE GREGG BRADEN

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira vai para “O Código de Deus, o segredo do nosso passado, a promessa do nosso futuro”, de Gregg Braden, autor do best-seller “O Efeito Isaias”, que já indiquei aqui na coluna. Uma mensagem codificada foi descoberta nas moléculas da vida, no interior do DNA em cada célula do nosso corpo. Graças a um achado notável que liga o alfabeto bíblico ao nosso código genético, a “linguagem da vida” agora pode ser lida como as letras antigas de uma mensagem eterna. Neste trabalho fascinante, Gregg Braden compartilha a descoberta que mudou sua vida e que o levou a se dedicar durante doze anos a um estudo profundo sobre as mais sagradas e respeitadas tradições da humanidade. A extensa pesquisa global do autor e suas descobertas controversas possibilitarão ao leitor decifrar a mensagem codificada nas nossas células desde o dia da nossa origem e aprender como a mensagem no nosso DNA pode se tornar uma base para a resolução de conflitos. Um livro que você precisa ler para entender o sentido da vida!

Fonte: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O CÓDIGO DE DEUS, DE GREGG BRADEN

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SAGRADO FEMININO AINDA PODE SER RESGATADO

Hoje temos, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL um texto especialíssimo que aborda um tema muito em evidência “O Sagrado Feminino”. O Sagrado Feminino é um movimento muito antigo que busca resgatar o lado Sagrado que existe dentro de cada mulher. Lendo o texto a seguir você saber o que é o Sagrado Feminino, como ele foi perdido ao longo da história da humanidade e como ele pode ser resgatado. 

O QUE É O SAGRADO FEMININO? RESGATE O SEU PODER INTERIOR


Por WeMystic Brasil
TimeTempo de leitura: 5 min

 

mulher contemporânea viu a sua essência ser apagada pelas diversas imposições da nossa sociedade e do mundo moderno: a mulher que tem que ser boa mãe, boa esposa, uma excelente profissional, boa dona de casa, com aparência física em dia, boa amiga, enfim, as pressões para que as mulheres sejam boas em tudo apagou o que elas têm de mais precioso: a sua porção sagrada. Existe um poema muito bonito de autor desconhecido que diz, veja um trecho:

“Houve um tempo, em que todas as mulheres eram sagradas.

Em que eram vistas como Deusas, como senhoras de seu próprio destino.

Houve um tempo, em que o corpo era sagrado, em que o sexo era uma prece.

Em que homens e mulheres respeitavam-se e reverenciavam-se.”

A mulher foi, com o passar dos tempos, sendo diminuída em importância pela sociedade patriarcal, considerada menos inteligente, menos apta, como mera complementação do homem e deixou a sua essência ser apagada. A sua divindade ainda existe, dentro de cada uma delas, o seu poder e a sua energia feminina estão presos dentro da Mulher Interior, e o objetivo do Sagrado Feminino é despertá-los.

 

OS CAMINHOS DO SAGRADO FEMININO

Falar do Sagrado Feminino é trocar conhecimento sobre a sabedoria interna da energia feminina, é abrir os caminhos da intuição nata de cada mulher, despertar a sua essência, o poder da sua feminilidade, o poder de uma força geradora de vida e da sexualidade sagrada.

Essa consciência do poder e valor da mulher é muito antiga, é ancestral, e ao conhecê-la podemos nos reconectar às nossas ancestrais e reconectar à nossa natureza, com todos os seus ciclos. Na busca pelo Sagrado Feminino, as mulheres envolvem-se em uma consciência amorosa para retomar os seus valores no âmbito pessoal, social, cultural, psicológico e religioso, para encontrar dentro de si a plenitude, a sua verdade e sua essência. Ao se conectar consigo mesmo, a mulher passa a se valorizar e honrar o dom sagrado de ser mulher, de ser mãe, esposa, avó ou filha. É uma caminhada de autovalorização e de autoconhecimento que toda mulher deveria fazer para conhecer a força feminina que reside dentro de cada uma delas.

OS MÉTODOS DO SAGRADO FEMININO

Existem, nas reuniões de mulheres que evocam o Sagrado Feminino, diversos métodos específicos de ordem mental, espiritual, física e psíquica para que as mulheres consigam despertar de forma verdadeira a sua essência e encontrar a sua sacralidade. É uma busca lenta e longa pela sua feminilidade para alcançar esta consciência. As metas a nível pessoal e corporal são voltadas ao reequilíbrio do ciclo, purificando e reconectando a mulher ao poder intrauterino que só elas possuem, onde reside a a transformação da sua energia vital em poder mental e consciente. O reequilíbrio busca integrar o poder da alma com a consciência exterior. As práticas buscar realinhar, harmonizar e rejuvenescer a nossa saúde física, sexual, emocional e mental através da reconexão com a Terra, com o Cosmos, com outras mulheres e consiga mesma. As metas específicas podem ser listadas da seguinte maneira:

  • A RECONEXÃO DA MULHER À TERRA

    É o conhecimento da sua origem, dos outros planos dimensionais a que ela faz parte para que ela possa ser a sua própria porta voz, que consiga encontrar os seus propósitos, entender a sua relação com a Terra e com os outros seres e se renovar como mulher.

  • HARMONIZAR E ATIVAR A SUA VIBRAÇÃO

    Todo ser humano possui uma vibração própria, mas todos os dias as mulheres vêm a sua vibração sendo apagada e podada, e por isso muitas vezes a ignoram ou mesmo a anulam. A prática ajuda a desbloquear a energia criadora, geradora e ancoradora, abre a consciência da mulher e a reconecta com aquilo que é importante para ela e para sua missão. Expande sua consciência para seus propósitos e missões para inaugurar um ciclo de evolução.

  • INTEGRAR A ‘FEMINILIDADE SAGRADA’

    Por fim, encontrar e reconhecer a porção sagrada que existe dentro de cada uma. Ancorar a sua nova consciência interior e saber utilizá-la para a evolução, para distribuir luz e despertar a luz dentro de cada mulher que possui a sua consciência apagada ou anulada.

Este despertar do Sagrado Feminino tem sido redescoberto e está se multiplicado em trabalhos desenvolvidos por mulheres empenhadas em divulgar essa sabedoria ancestral com outras. Isso é feito através de círculos de mulheres, terapias individuais, retiros e workshops (formações específicas) onde o trabalho das Deusas femininas são despertados dentro da estrutura psíquica de cada mulher, para a maior compreensão da sua alma, do seu corpo e da sua missão. Procure um grupo de estudo do Sagrado Feminino mais próximo de você e desperte o que há de sagrado na sua mulher interior.

WeMystic Brasil

Fonte: We Mystic

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: O SAGRADO FEMININO AINDA PODE SER RESGATADO

DICA DE LIVRO: O EFEITO ISAIAS DE GREGG BRADEN

Quarta-feira é dia de DICA DE LIVRO e a de hoje é O Efeito Isaias de Gregg Braden. Esta obra trata dos Manuscritos de Isaías, provavelmente o mais importante dos Manuscritos do Mar Morto, descobertos em 1946. Nela o autor combina pesquisas no campo da física quântica com as palavras do profeta Isaías e dos antigos essênios, demonstrando que as profecias que se referem a uma catástrofe global e a sofrimentos podem representar apenas possibilidades futuras, e não previsão de um fim iminente, e afirma que temos o poder de alterar essas possibilidades. Então não perca tempo! Adquira logo este livro maravilhoso e comece a leitura!

Fonte: Acervo próprio

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O EFEITO ISAIAS DE GREGG BRADEN

AUTOCONHECIMENTO: COMO O EGO USA O CAMINHO ESPIRITUAL PARA SUAS PRÓPRIAS PRIORIDADES

WeMystic BrasilWeMystic
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: COMO O EGO USA O CAMINHO ESPIRITUAL PARA SUAS PRÓPRIAS PRIORIDADES

AUTOCONHECIMENTO: O QUESTIONAMENTO MAIS IMPORTANTE DA VIDA DO SER HUMANO NÃO PODE PASSAR ILESO!

Uma mensagem curta, mas direta, eficaz e convincente é o nosso destaque deste sábado, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. O texto a seguir nos remete a uma REFLEXÃO muito importante: Qual o nosso propósito nesta encarnação, independentemente de acreditarmos em reencarnação ou não! Quer acreditemos ou não nos ciclos cármicos, isso pouco importa. O que importa é que estamos abrindo novos caminhos sem saber para onde, exatamente, estamos nos movendo! Então, para onde estamos indo? Leia o texto a seguir, reflita e faça seu juízo de valor!

 

Há escolhas a fazer e direções a escolher

Mensagem de 17 de Fevereiro de 2021

Muitos podem se perguntar em um momento ou outro por que eles encarnaram aqui neste momento específico. Qual é o propósito? O que estamos aqui para fazer? Mais do que nunca, essas questões estão surgindo, pois não estamos mais presos aos ciclos cármicos do passado. Isso pode ser um pouco perturbador, pois significa que estamos abrindo novos caminhos e nos movendo em direções nas quais não nos movíamos antes. Aprofundar nossa conexão com nossa alma nos capacita a reexaminar a vida que estamos vivendo e a nova vida que está emergindo lentamente.

Há escolhas a fazer e direções a escolher. Ter clareza com sua alma sobre o que é mais importante e mais relevante é a chave para tomar essas decisões. Lembre-se de que você está aqui para agir e concluir certas tarefas que são únicas e essenciais para o crescimento e a cura de você mesmo e do coletivo. Não deixe que a incerteza o impeça de fazer uma escolha. Aprenda a viver a vida por meio de seu eu intuitivo e tenha em mente que você sempre pode escolher novamente.

Muito Amor,

Kate Spreckley © 2020 — Fonte: https://www.spiritpathways.co.za/
Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O QUESTIONAMENTO MAIS IMPORTANTE DA VIDA DO SER HUMANO NÃO PODE PASSAR ILESO!

AUTOCONHEIMENTO: SAIBA TUDO SOBRE “A CURA PELA FÉ” NUMA ENTREVISTA COM O DR. JEFF LEVIN

A postagem desta quinta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO é uma oportunidade única de você conhecer qual a relação entre as práticas religiosas ou espirituais e a saúde. Numa entrevista com uma das maiores autoridades em estudos definidos como epidemiologia da religião, cujo objetivo principal é saber como atores espirituais previnem a incidência de enfermidades em determinadas regiões e a mortalidade, e promovem a saúde e o bem-estar – estabelecendo o relacionamento existente entre ciência, medicina e espiritualidade. Ele esclarece para você todas essas dúvidas existentes na sua cabeça.

Nenhuma descrição de foto disponível.

A CURA PELA FÉ

Hoje em dia, Jeff Levin é considerado um dos principais nomes nos estudos científicos a respeito da relação entre as práticas religiosas ou espirituais e a saúde.

Por Gilberto Schoereder

Várias pesquisas vêm sendo realizadas nos últimos anos envolvendo o que alguns chamam de “o poder da oração”. Uma das grandes autoridades mundiais nesse campo é o dr. Jeff Levin, um epidemiologista social formado em religião, sociologia, saúde pública, medicina preventiva e gerontologia na Universidade Duke, na Universidade da Carolina do Norte, na Divisão Médica da Universidade do Texas e na Universidade de Michigan.

Ele é pesquisador do National Institute for Healthcare Research e seus estudos podem ser definidos como epidemiologia da religião – o estudo científico de como fatores espirituais previnem a incidência de enfermidades em determinadas regiões e a mortalidade, e promovem a saúde e o bem-estar – estabelecendo o relacionamento existente entre ciência, medicina e espiritualidade.

Seu trabalho estabelece pontes entre diferentes campos de atividade, como epidemiologia, gerontologia, sociologia, psicologia e medicina alternativa e complementar.

As perguntas básicas que seus estudos apresentam são: Como a fé religiosa atua como um recurso na prevenção de doenças e na promoção do bem-estar?; Um relacionamento de amor com Deus é uma característica das pessoas saudáveis?; A religiosidade é um fator de proteção contra doenças ao longo do processo de envelhecimento?; Existem efeitos terapêuticos ou preventivos de energias sutis ou estados alterados de consciência?

O resultado de suas pesquisas foi publicado no livro Deus, Fé e Saúde (Editora Cultrix). Entrevistamos o dr. Levin por e-mail para que ele nos falasse mais sobre seu trabalho e as mais recentes descobertas nessa área, assim como sua relação com teorias e posturas mais conservadoras da medicina, que ainda resistem em aceitar as evidências científicas coletadas nos últimos vinte anos.

A relação entre a oração ou as preces e a saúde se tornou um dos assuntos mais comentados da atualidade. Essa relação positiva entre ambas está definitivamente comprovada ou ainda estamos no campo das evidências? Em que ponto se encontram as pesquisas científicas?

O campo da pesquisa em espiritualidade e saúde compreende, na verdade, três áreas de estudo diferentes. Uma delas, aquela em que minha pesquisa se focou nos últimos vinte anos, envolve investigações epidemiológicas de como a fé ou o envolvimento religioso influencia a saúde física e mental. Já foram feitos mais de mil estudos com esse enfoque e, hoje, a ideia de que aspectos da vida religiosa podem ser benéficos para a saúde ou o bem-estar de algumas pessoas é aceita de forma geral e não controversa.

As duas outras áreas de pesquisa em espiritualidade e saúde envolvem: 1) estudos experimentais de laboratório, como em psicofisiologia, explorando os correspondentes espirituais de estados alterados de consciência; 2) testes clínicos investigando os efeitos da oração à distância. Em contraste com a pesquisa epidemiológica, esses estudos encontram muito mais resistência. Pessoalmente, acredito que existem boas evidências para ambas, mas os temas e conceitos levantados por esses estudos desafiam a estreiteza da visão de mundo de muitos cientistas das correntes estabelecidas.

Tem se falado na influência de fatores espirituais ou religiosos no processo de cura. Foi realizada alguma tentativa no sentido de determinar se se trata, de fato, de fatores espirituais, ou pode se tratar da ação da mente, como ocorre em tantos dos chamados “fenômenos parapsicológicos”? Em outras palavras, a crença de uma ou mais pessoas daria início a um processo ou uma ação mental. O que o senhor pensa a esse respeito?

Eu não estou certo de que usando os métodos naturalistas da ciência empírica poderemos algum dia desemaranhar esses dois conceitos. Aqui, nos Estados Unidos, médicos religiosamente muito conservadores opuseram muita resistência a essa pesquisa. Eles vêem os resultados de estudos de oração e cura, e quer atribuir qualquer cura subseqüente à intervenção “sobrenatural” de Deus. Outros reconhecem a possibilidade de que o ato de rezar envolva criar uma intenção mental positiva que pode ter, por si mesma, um efeito curativo. Mas isso é interpretado pelo primeiro grupo como blasfemo e até mesmo, acredite ou não, satânico – porque parece implicar efeitos que são inerentemente parapsicológicos, e a parapsicologia é considerada maligna.

Considero essa reação perturbadora por duas razões. Em primeiro lugar, fez muitos médicos cristãos conservadores rejeitar efetivamente os resultados de estudos de oração e cura, porque os estudos implicavam que as orações de qualquer um podem ser efetivas, independentemente de religião, talvez devido a algum tipo de mecanismo paranormal. Isso ameaça as reivindicações de exclusividade que alguns fazem para sua própria religião e para os resultados de orações dessa religião.

Em segundo lugar, se os resultados forem devidos “apenas” à parapsicologia – em vez de a Deus, por assim dizer -, por que isso seria um problema? Em última instância, todos esses efeitos vêm de Deus. Eu acredito que o Criador dotou os seres humanos com todo tipo de aptidão, algo que os grandes místicos conhecem há milhares de anos e que cientistas ocidentais só agora procuram entender. Mais de cem anos de pesquisa parapsicológica confirmaram isso, para satisfação minha e de muitos outros.

Durante suas pesquisas, o senhor teve conhecimento da ação dos chamados “médiuns de cura”? De alguma forma, esses casos podem estar relacionados?

Já ouvimos falar que a cura não provém exatamente dos médiuns, mas da crença das pessoas que os consultam.

Pessoalmente, nunca pesquisei sobre médiuns, mas tenho uma posição a respeito. Acredito que, quando se trata de orações, cura pelas mãos ou por energia, ou qualquer outra forma sutil de terapia bioenergética ou relativa à consciência, todos os elementos da interação curativa podem ser importantes; em outras palavras, as habilidades, características e intenções de quem cura, o método da cura e as crenças do paciente. Tudo isso pode entrar em jogo até certo ponto, mas pode variar de acordo com a situação.

Quanto a uma condição sine qua non para o sucesso da cura, já ouvi muitos curandeiros dizendo que descobriram, por experiência própria, que é indispensável haver uma intenção amorosa por parte do curandeiro ou rezador; independentemente de outros elementos (método, técnica, expectativas de paciente, etc.). É fundamental haver uma intenção sincera e abnegada de amor fraterno, que deseje o melhor benefício para a pessoa, de acordo com a vontade de Deus.

Já ouvimos falar de experiências de “prece a distância”, com resultados positivos. Inclusive, as pessoas que realizavam as preces não sabiam a quem elas se dirigiam. O que o senhor pode nos dizer sobre esse assunto?

Como muitos leitores já devem saber, houve vários estudos recentes que investigaram os efeitos da oração a distância. Alguns desses estudos foram, de fato, bem controlados, com método duplo-cego e amostragem criteriosa; foram testes clínicos de certa forma similares aos testes farmacológicos que avaliam os efeitos de novas drogas. Para horror de muitos médicos acadêmicos convencionais, alguns desses estudos mostraram resultados, com índices de recuperação que foram melhores entre os pacientes que foram alvo de orações sem o saberem do que entre os pacientes dos grupos de controle.

Acredite ou não, já houve quase duzentas investigações desse tipo. E não só em pessoas, mas outros organismos, como animais e plantas. A pesquisa foi compilada de forma muito abrangente em um livro soberbo chamado Spiritual Healing (Cura Espiritual), escrito por meu amigo Dr. Dan Benor, um médico norte-americano. Ele descobriu que cerca de um quarto dos estudos foi realizado com uma metodologia de pesquisa impecável, e que, desse um quarto, aproximadamente três quartos constataram resultados positivos. Em outras palavras, isso é evidência e que orações a distância tiveram um efeito mensurável e benéfico.

Em seu livro Deus, Fé e Saúde, o senhor estabelece uma relação entre o modo como o compromisso religioso influencia o comportamento, e o modo como o comportamento influencia a saúde. No entanto, o comportamento de uma pessoa não está necessariamente ligado ou necessariamente dependente de um compromisso religioso. Foi feita alguma pesquisa no sentido de determinar o comportamento de pessoas não-religiosas, para ver se aquelas que têm comportamento saudável têm uma saúde melhor, como as religiosas ou espiritualizadas? O senhor diz em seu livro que as pesquisas mostram que o comportamento não-saudável não relacionado à postura religiosa ou espiritual?

É claro que as pessoas podem ser perfeitamente saudáveis sendo ou não sendo religiosas ou espiritualizadas. O que tentei fazer no meu livro foi examinar os “mecanismos” subjacentes às relações entre espiritualidade e saúde observadas em pesquisas. Essas associações existem, eu concluí, exatamente porque a religiosidade pode motivar comportamentos saudáveis, pode gerar relações sociais de apoio e solidariedade, pode produzir sentimentos ou emoções poderosos, etc. E já se sabe que cada um desses fatores – hábitos saudáveis, relacionamentos, sentimentos – é importante para a saúde.

Existem diferenças visíveis entre “estar associado a uma religião” e ter o que se poderia chamar de uma “atitude espiritual independente”? Faz diferença se a pessoa reza numa igreja ou em qualquer outro tipo de templo, ou se ela reza em casa, e segundo suas próprias regras? O que conta, afinal, é o comportamento, é o modo de pensar, é uma sintonia especial, ou outro fator?

Eu não acredito que faça qualquer diferença. Um dos primeiros fatos básicos que descobri quando comecei minha pesquisa, vinte anos atrás, é que um efeito saudável da religiosidade ou da espiritualidade parecia ser uma constante universal na natureza. Isto é, quando se toma como referência ou pessoas sem um caminho espiritual ou a população como um todo, efeitos epidemiologicamente protetores ou preventivos foram observados em católicos, protestantes, judeus, budistas, hindus, muçulmanos, zoroastristas, etc. Além disso, uma quantidade considerável de estudos mostrou um benefício às pessoas que, mesmo não sendo formalmente religiosas, estão envolvidas com meditação ou outras buscas espirituais.

O Institute of Noetic Sciences, uma esplêndida organização na Califórnia, publicou um relatório excelente chamado The Physcal and Psychological Effects of Meditation (Os Efeitos Físicos e Psicológicos da Meditação) documentando esses estudos.

O senhor entende que essa aproximação da ciência com a religião é uma tendência para o futuro? O filósofo Ken Wilber já vem se manifestando há anos a respeito da necessidade de se desenvolver aproximando as visões científica e espiritual. O que o senhor pensa a esse respeito?

Nos últimos trinta anos, os acadêmicos dos Estados Unidos têm demonstrado um considerável interesse em explorar a interface entre religião e ciência. Porém, muito desse discurso aconteceu dentro do contexto rígido das filosofias e visões de mundo adotadas pelos acadêmicos e pelas religiões predominantes. Um “novo paradigma” que unifique as abordagens científica e espiritual seria certamente um desdobramento bem-vindo. Mas precisamos nos perguntar: Qual paradigma? Qual abordagem científica? Perspectiva espiritual de quem?

Ken Wilber fala para muitas pessoas que têm interesse intelectual na consciência e em caminhos espirituais alternativos, mas eu não diria que o mundo acadêmico ortodoxo esteja pronto para isso. Para boa parte da comunidade acadêmica, o diálogo entre ciência e religião é um diálogo entre uma visão muito materialista e mecanicista de ciência e uma versão cartesiana de espiritualidade, baseada num paradigma muito antigo.

Já existe alguma tentativa de se desenvolver uma teoria a respeito dessa ação da prece na melhora da saúde das pessoas, ou ainda é muito cedo para isso? O senhor entende que uma tória desse gênero deverá estar ligada a teorias desenvolvidas pela parapsicologia, envolvendo a atuação da mente sobre a matéria?

Uma das críticas que os céticos organizados fazem incessantemente à literatura científica sobre oração e cura é que esses estudos não podem ser verdadeiros porque não existe uma teoria que explique as descobertas. Assim, de acordo com essa crítica, os resultados são impossíveis.

A crítica é errônea por dois motivos distintos. Primeiro, a pesquisa clínica estabelece uma distinção entre eficácia e mecanismo de ação. A eficácia de uma terapia pode ser demonstrada muito tempo antes de se compreender o mecanismo subjacente de ação. É o caso da aspirina, que sabíamos que funcionava antes de entendermos por quê. Ignorar ou condenar os resultados de pesquisas metodologicamente sólidas porque eles não se enquadram nas atuais teorias seria a morte da ciência. Qualquer grande novo avanço, por definição, será gerado pela necessidade de se formular uma nova perspectiva teórica que responda a dados inesperados. É assim que as coisas têm funcionado ao longo da história da ciência.

Mas a segunda razão que invalida as objeções dos céticos é muito mais básica: existem, de fato, teorias e perspectivas para nos ajudar a entender como e por quê a oração pode curar. Sobre esse tópico já foi escrito mais do que eu poderia abordar aqui, mas basta dizer que há muitos anos têm surgido livros acadêmicos e artigos científicos com esse enfoque.

Propuseram-se muitos mecanismos de ação possíveis, aproveitando trabalhos estimulantes nas áreas da física, do estudo da consciência, da psicofisiologia e da parapsicologia. Todo tipo de força, energia ou campos foi cogitado, inclusive conceitos como os de mente estendida, campos mórficos, mente não-local, psi, energias sutis, etc. O pesquisador alemão, Dr. David Aldridge, escreveu muito sobre esse tópico, assim como meu amigo Dr. Larry Dossey, o médico norte-americano, em muitos de seus livros, como Palavras que Curam (Healing Words, Editora Cultrix).

Acredito que a parapsicologia guarda uma riqueza de demonstrações empíricas e de proposições teóricas no que tange à oração a distância e seus efeitos de cura. Mas, infelizmente, muitos cientistas e médicos acadêmicos ortodoxos desdenham e não acreditam nesse trabalho, ao mesmo tempo em que o conhecem tão pouco. Essa postura vem principalmente da ignorância e de uma necessidade corporativista de proteger o próprio território. É pena, mas isso também parece ser uma constante na história da ciência e da medicina.

Para Saber Mais:

Deus, Fé e Saúde – Jeff Levin –
Editora Cultrix
Fone : (11) 6166-9000
Site de Jeff Levin: / www.religionandhealth.com/index.htm

(Extraído da revista Sexto Sentido 52, páginas 26-31)

Fonte: IPPB
Continuar lendo AUTOCONHEIMENTO: SAIBA TUDO SOBRE “A CURA PELA FÉ” NUMA ENTREVISTA COM O DR. JEFF LEVIN

REFLEXÃO: O CARÁTER DOS NOSSOS FILHOS É O ESPELHO DO NOSSO EXEMPLO

O texto de hoje, aqui na coluna REFLEXÃO trata da importância do exemplo na EDUCAÇÃO dos filhos. Sem a consciência de sermos verdadeiros em todas as situações do cotidiano, muitos de nós apresentamos uma realidade distorcida aos nossos filhos e por isso há tantos desvios de caráter e personalidade. Então, convido você a ler esse texto esclarecedor, refletir e fazer o seu juízo de valor.

QUEM É VOCÊ QUANDO NINGUÉM ESTA OLHANDO? - Luciano Subirá - ORVALHO.COM - LUCIANO SUBIRÁ

O Que Você é Fala Mais Alto

Era uma tarde de domingo ensolarada na cidade de Oklahoma. Bobby Lewis aproveitou para levar seus dois filhos para jogar mini-golf. Acompanhado pelos meninos dirigiu-se à bilheteria e perguntou:

– Quanto custa a entrada?

O bilheteiro respondeu prontamente:

– São três dólares para o senhor e para qualquer criança maior de seis anos. A entrada é grátis se eles tiverem seis anos ou menos. Quantos anos eles têm?

Bobby informou que o menor tinha três anos e o maior, sete.

O rapaz da bilheteria falou com ares de esperteza:

– O senhor acabou de ganhar na loteria, ou algo assim? Se tivesse me dito que o mais velho tinha seis anos eu não saberia reconhecer a diferença. Poderia ter economizado três dólares.

O pai, sem se perturbar, disse:

– Sim, você talvez não notasse a diferença, mas as crianças saberiam que não é essa a verdade.

……………………………………..

Sem a consciência que Bobby tinha da importância de sermos verdadeiros em todas as situações do cotidiano, muitos de nós apresentamos uma realidade distorcida aos nossos filhos.

Tantas vezes, para economizar pequena soma em moedas, desperdiçamos o tesouro do ensinamento nobre e justo.

Desconsiderando a grandeza da integridade e da dignidade humanas, permitimos que esses valores morais sejam arremessados fora, por muito pouco.

Nesses dias de tanta corrupção e desconsideração para com o ser humano, vale a pena refletir sobre os exemplos que temos dado aos nossos filhos.

Às vezes, não só mentimos ou falamos meias verdades, como também pedimos a eles que confirmem diante de terceiros as nossas inverdades.

Agindo assim, estaremos contribuindo para a construção de uma sociedade moralmente enferma desde hoje.

Ademais, o fato de mentirmos nos tira a autoridade moral para exigir que os filhos nos digam a verdade, e isso nos incomoda.

Pensamos que pequenas mentiras não farão diferença na formação do caráter dos pequenos, mas isso é mera ilusão, pois cada gesto, cada palavra, cada atitude que tomamos, estão sendo cuidadosamente observadas e imitadas pelas crianças que nos rodeiam.

Daí a importância da autoridade moral, tão esquecida e ao mesmo tempo tão necessária na construção de uma sociedade mais justa e digna.

E autoridade moral não quer dizer autoritarismo. Enquanto o autoritarismo dita ordens e exige que se cumpra, a autoridade moral arrasta pelo próprio exemplo, sem perturbação.

A verdadeira autoridade pertence a quem já conquistou-se a si mesmo, domando as más inclinações e vivendo segundo as regras de bem proceder.

Dessa forma, o exemplo ainda continua sendo o melhor e mais eficaz método de educação.

Sejamos, assim, cartas vivas de lições nobres para serem lidas e copiadas pelos que convivem conosco.

……………………………………..

Diz o poeta americano Ralph Waldo Emerson: “quem você é fala tão alto que não consigo ouvir o que você está dizendo.”

Em tempos de desafios e lutas, quando a ética e a moral são mais importantes que nunca, assegure-se de ter deixado um bom exemplo para aqueles com quem você trabalha ou convive.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro Histórias para aquecer o Coração.

Continuar lendo REFLEXÃO: O CARÁTER DOS NOSSOS FILHOS É O ESPELHO DO NOSSO EXEMPLO

AUTOCONHECIMENTO: DESENVOLVA A SUA POTÊNCIA PARA TER UMA VIDA DE LEVEZA E QUALIDADE

Escolhi o texto a seguir com o título de “a sua potência é a sua praia”, pois é um chamado para o despertar da consciência e nos fazer entender que somos energia numa forma densa, mas que se investirmos na nossa potência que está adormecida dentro de nós temos total condição de ao abandonarmos esse corpo denso passarmos para um estagio energético menos denso e ter uma vida de leveza e qualidade. Então, convido você a ler breve texto a seguir e expandir sua consciência!

A sua potência é a sua praia

Mulher feliz em um balanço
choreograph / 123rf

Uma das maiores alegrias na vida é ter a oportunidade de se fazer o que se ama fazer, pois isso evita que a sexta-feira seja a única coisa boa que se espera da vida. Fazer o que se ama é prazeroso desde quando se acorda em uma manhã de segunda-feira, até o final de semana, afinal a vida é prazerosa quando estamos utilizando nossa potência, estado de realizar-se como ser.

Existe todo um processo até se alcançar uma vida em que se diga: “Isso era tudo o que eu buscava”. Neste sentido, precisamos de planejamento e de foco. Não menos importante, se elenca o estado espiritual, isto é, nossa envergadura de espiritualidade, sempre apontada em direção da liberdade, imparcialidade e equilíbrio.

Para se ter uma vida de leveza e qualidade, além de se fazer aquilo que se ama fazer, é preciso ter o silêncio da mente, a paz interior, a leveza da alma, o bem-estar consigo mesmo, isto é, a aceitação da vida que acontece no aqui e agora. Portanto precisamos desenvolver nossa espiritualidade, nossa empatia, nosso não julgamento e nossa ação transformadora para com o nosso próximo.

O fato é que somos uma energia no universo, uma energia em potência, logo não somos perpétuos. Contudo nossa alma é imortal, vive para sempre, e, enquanto estivermos neste casco de corpo humano, precisamos utilizar nossa energia, nossa potência, colocar em ação nossos projetos, fazendo com que nossos momentos sejam produtivos e sempre fazendo com que nossas tomadas de decisão sejam eficazes dentro do nosso cronograma, isto é, que atendam ao espaço dos ciclos dentro de um projeto de vida.

No final de tudo, que atenda ao propósito de vida, a fim de integrar nossa existência, atender nossas expectativas e servir aos nossos sonhos. Para isso, passamos por um longo processo de experiências, então é contabilizado ao olharmos para trás, veremos as perdas pelo caminho, sonhos abandonados, projetos esquecidos, tudo por conta da força, da potência utilizada no sonho majoritário. Por fim, seja incrível em seu turno enquanto vida.

Nilo Deyson Monteiro Pessanha
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DESENVOLVA A SUA POTÊNCIA PARA TER UMA VIDA DE LEVEZA E QUALIDADE

DICA DE LIVRO: O LIVRO DE OURO DE SAINT GERMAIN, DE SAINT GERMAIN

A nossa DICA DE LIVRO dessa quarta-feira é um presente de Natal para você entrar no ano novo uma pessoa totalmente diferente e muito mais sábia e quiçá com a solução dos seus maiores problemas na mão: O livro de Ouro de Saint Germain. Aqui está o segredo dos segredos e o mistério dos mistérios, agora corregido e revisado, este livro foi há muito tempo ocultado da maioria, e servindo como fonte de riquezas para uma minoria. Pois, nele contém, a base do conhecimento da manifestação e precipitação de tudo que se pense ou se imagine. Este livro foi que serviu de base para o livro: o segredo e tantos outros do tema. Foi com o conhecimento dos sagrados ensinamentos contido nesse livro que muitos adquiriram poder e riquezas abundantemente. Escrito em 1932, este livro traz a chave, pelo qual aquele quem o possuir, abrirá todas as portas do poder e prosperidade infinita. Sendo, a forma arquetípica perfeita, contida dentro do todo e o absoluto que constitui a redenção universal. Então não perca tempo. Peça já o seu e expanda sua consciência!

Fonte: Acervo próprio

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O LIVRO DE OURO DE SAINT GERMAIN, DE SAINT GERMAIN

EDITORIAL: UMA LINDA MENSAGEM DE NATAL

Caro(a) leitor(a),

Hoje é Natal!

Uma data que, independentemente do credo ou da religião tem um simbolismo crucial para o desenvolvimento e evolução da raça humana, porque a mensagem do Natal, na figura de Jesus Cristo é única e exclusivamente o “AMOR”. Amar é o objetivo maior de qualquer ser humano, seja teísta ou ateu. A nossa experiência aqui é aprender a amar, através, muitas vezes,  de caminhos tortuosos, com sofrimento e dor. Nessa caminhada evolutiva vamos, aos poucos, nos polindo, nos lapidando até alcançarmos o nível de consciência cósmica que o criador delineou para todos nós. Portanto o texto a seguir é para todos aqueles que estão nessa longa caminhada da expansão da consciência!

É chegado o Natal!

Publicado em 24.12.2020

Reprodução | The Bible

A igreja instituiu o Natal como uma festa cristã para comemorar o nascimento de Jesus Cristo, desde o século IV. É uma celebração que acontece uma vez por ano em quase todas as nações do planeta, no dia 25 de dezembro.

O Natal é uma festa marcada pela troca de presentes entre as pessoas; pela refeição especial da ceia; pelas músicas natalinas e cantatas de natal nas igrejas, além das luzes que decoram as árvores de Natal e os jardins das residências.

Há um esforço para que o brilho do Natal apareça e não passe despercebido sem ser celebrado, mesmo porque é uma festa em que as pessoas se reúnem para estar em família, e muitos são encorajados a pedir e a liberar perdão e promover a reconciliação entre parentes e amigos.  O Natal tem esse poder restaurador e possui um significado profundo por agregar uma mensagem que oferece verdade e esperança a qualquer ser humano em desespero, inclusive:

“O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz; e aos que estavam detidos na região e sombra da morte, a luz raiou”. (Mateus 4:16) 

Se Herodes tivesse conseguido matar Jesus, quando ordenou que todos os bebês do sexo masculino e com até dois anos de idade fossem mortos, ele teria conseguido impedir a realidade do Natal na vida das pessoas, e elas ficariam privadas de receber o poder transformador e a alegria verdadeira.

Portanto, a grande força do Natal não está no brilho das luzes, mas naquele que é a Luz do mundo que, ao invés de ser morto quando bebezinho, brilhou dentro do coração das pessoas do seu tempo, e continua a brilhar até os dias de hoje.

A turbulenta realidade pela qual o mundo atravessa, por efeito da pandemia do coronavírus, levou muitos governantes a penalizar o Natal como uma festa que pode vitimizar pessoas pelo simples ato de se reunirem em família. Mas, graças a Deus, o verdadeiro Natal já aconteceu!

Ele, Jesus Cristo, nasceu, morreu e ressuscitou; proclamou sua mensagem, e ainda continua nascendo em muitos corações.

Quando Jesus nasce dentro de nós, as velhas práticas morrem – ressuscitando novos homens e novas mulheres, afim de brilhar através da vida deles.

Este é o espírito do Natal que deve se movimentar em nosso interior, em que jamais alguém conseguirá deter seu espírito celebrativo, pois é um movimento orquestrado por Aquele que é “Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, e Príncipe da Paz”. (Isaias 9:6)

Feliz Natal, em família!

Ajude a evangelizar o mundo!

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo EDITORIAL: UMA LINDA MENSAGEM DE NATAL

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: SAIBA O QUE É ESPIRITUALIDADE E A DIFERENÇA PARA RELIGIOSIDADE

O texto de hoje, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL é justamente sobre espiritualidade. Você vai saber o que é espiritualidade, o que é religiosidade e quais as diferenças. O fato é que a maioria das pessoas confundem uma com a outra e muitas vezes não sabem mesmo o que significa cada uma. Então, não perca essa oportunidade de esclarecer suas dúvidas e expandir sua consciência!

ESPIRITUALIDADE – O que é; qual a importância; e como desenvolvê-la. – Camila Schmidt

O que é espiritualidade?

Mensagem de 15 de Novembro de 2020

Talvez você já tenha ouvido falar de espiritualidade, mas não tem certeza do que é. Bem, é diferente da religião, e você pode praticá-la mesmo que não seja religioso. Descubra sobre diferentes tipos de espiritualidade e as razões pelas quais algumas pessoas decidem viver vidas espirituais.

Isto pode ajudar se:

Você está se perguntando o que significa espiritual
Você está curioso sobre os diferentes tipos de espiritualidade
Você quer saber como você pode ser espiritual, mas não religioso.
Garota lendo livro em uma biblioteca

O que é espiritualidade?

Espiritualidade é algo muito falado, mas muitas vezes mal compreendido. Muitas pessoas pensam que espiritualidade e religião são a mesma coisa, e por isso trazem suas crenças e preconceitos sobre religião para as discussões sobre espiritualidade. Embora todas as religiões enfatizem o espiritualismo como sendo parte da fé, você pode ser ‘espiritual’ sem ser religioso ou membro de uma religião organizada.

Qual é a diferença entre religião e espiritualidade?

Há algumas formas bastante claras de diferença entre religião e espiritualidade.

Religião: Este é um conjunto específico de crenças e práticas organizadas, geralmente compartilhadas por uma comunidade ou grupo.

Espiritualidade: Esta é mais uma prática individual, e tem a ver com ter um senso de paz e propósito. Também está relacionado ao processo de desenvolvimento de crenças em torno do sentido da vida e da conexão com os outros, sem nenhum valor espiritual definido.

Organizado vs. forma livre

Uma maneira de entender a relação entre espiritualidade e religião é imaginar um jogo de futebol. As regras, árbitros, outros jogadores e as marcas de campo ajudam a guiá-lo enquanto joga o jogo de uma forma semelhante à que a religião pode guiá-lo a encontrar sua espiritualidade.

Chutar a bola em um parque, sem ter que jogar no campo ou com todas as regras e regulamentos, também pode lhe dar realização e diversão e ainda expressar a essência do jogo, semelhante à espiritualidade na vida.

Você pode fazer um ou ambos

Você pode identificar como sendo qualquer combinação de religioso e espiritual, mas ser religioso não o torna automaticamente espiritual, ou vice versa.

Por que as pessoas praticam a espiritualidade?

A vida pode ser cheia de altos e baixos, de bons e maus momentos. Muitas pessoas veem a espiritualidade como uma ótima maneira de buscar conforto e paz em suas vidas. Muitas vezes ela pode ser praticada ao lado de coisas como a Yoga, que finalmente se concentra no alívio do estresse e na liberação da emoção.

Espiritualidade é uma forma de ganhar perspectiva

A espiritualidade reconhece que seu papel na vida tem um valor maior do que o que você faz todos os dias. Ela pode aliviá-lo da dependência de coisas materiais e ajudá-lo a compreender o propósito maior de sua vida. A espiritualidade também pode ser usada como uma forma de lidar com as mudanças ou incertezas.

Fonte: https://eraoflight.com/
Rafaella Dourado e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: SAIBA O QUE É ESPIRITUALIDADE E A DIFERENÇA PARA RELIGIOSIDADE

DICA DE LIVRO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA, UMA JORNADA SAGRADA PELOS CAMINHOS DE SINTRA, DE SOL DE OLIVEIRA

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é O Despertar da Consciência, Uma jornada Sagrada pelos caminhos de Sintra, da autora Sol de Oliveira. No início dos anos 1990, a autora faz uma viagem à França, Espanha e Portugal levada pela Ordem iniciática à qual pertence. Nessa viagem, entra em contato pela primeira vez, conscientemente, com as energias cátara e templária e com a vila portuguesa de Sintra, por cuja energia peculiar se sente profundamente atraída. Os anos passam e ela continua conectada, energeticamente, àquele lugar, ao qual voltou por diversas vezes.Introduzida, paulatinamente, por Mestres espirituais, como a Abadessa Francisca da Luz e Lírio Branco, aos segredos de suas outras encarnações vividas naquele lugar, compreende sua missão e acede, não sem alguma relutância inicial, ao que eles lhe pedem: divulgar suas mensagens. Assim nasceu este livro, cujo objetivo é nos alertar para a Energia Crística que está próxima da Terra e precisa de seres despertos que ajudem a ancorar o Princípio Feminino da Energia Cósmica no planeta, para que o Amor, enfim, prevaleça entre nós, humanidade terrestre. Expandindo as consciências com suas mensagens, os mestres ensinam-nos como proceder a uma transformação interior reverenciando a sacralidade do feminino, o que nos conduzirá, em segurança, pela estrada luminosa que nos levará de volta à Casa do Pai e a um encontro com Deus em nossos corações. Porque só o Amor é real.

Fonte: Acervo particular

 

Continuar lendo DICA DE LIVRO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA, UMA JORNADA SAGRADA PELOS CAMINHOS DE SINTRA, DE SOL DE OLIVEIRA

REFLEXÃO: AS QUATRO ESTAÇÕES, UM CONTO SOBRE JULGAR OS OUTROS E A NÓS MESMOS

A nossa coluna REFLEXÃO desta terça-feira trás um conto muito importante que deixa uma lição de vida extraordinária, contada por Camila Zen. Quantas vezes encontramos pessoas em momentos difíceis, talvez até mesmo de não muito bom humor, desestabilizados,… quantas vezes nos encontramos em momentos assim, pra baixo, parecendo que nada dá certo, sem energia pra fazer o que tem que ser feito… Essa história nos ajuda a entender que esses momentos fazem parte da vida, da sua vida e da vida de outras pessoas, e nos faz lembrar de não julgarmos ninguém por apenas um capítulo que conhecemos, e nem a nós mesmos, pelos momentos difíceis e que não nos encontramos muito bem.

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: AS QUATRO ESTAÇÕES, UM CONTO SOBRE JULGAR OS OUTROS E A NÓS MESMOS

AUTOCONHECIMENTO: FAÇA COMO A MAY, LIBERTE-SE DAS CRENÇAS LIMITANTES!

Nesta segunda-feira a nossa coluna AUTOCONHECIMENTO trás um depoimento muito tocante e revelador. O case da youtuber May Andrade, que nos revela o pode que existe dentro de cada um de nós, que ela chama carinhosamente de “Divina Centelha”. Ao ler esse depoimento você vai entender que isso também pode acontecer com você. Somos todos iguais, temos o mesmo poder. Temos o Livre Arbítrio e é tudo que precisamos para entendermos que somos deuses em evolução e que podemos tudo. Então, convido você a ler o texto completo a seguir e transformar a sua vida, assim com a May transformou a dela!

May Andrade

“O Medo travava a minha Vida”

Quando comecei meu canal no YouTube, ele era um diário de expansão da minha consciência. Naquela época eu havia começado a estudar física quântica, lei da atração, metafísica e eu estava fazendo a Ressonância Harmônica.

Esse era o último recurso que eu tinha para fazer minha vida dar certo de verdade. Eu queria ter mais abundância e harmonia em todas as áreas da minha vida e realmente vencer na vida.

Eu tinha muitos medos e através dos estudos de autoconhecimento pude identificar que a maioria deles vinha das crenças religiosas que eu tinha. Uma delas era o medo do inferno e o medo de Deus.

Eu achava que sabia quem Deus era e achava que pensava que ele era amor incondicional, mas o amor incondicional não nos enche de regras e um pai/mãe verdadeiramente amoroso não puniria filhos à um castigo tão cruel e sádico como o inferno eterno.

Aos poucos fui vencendo meus medos, um dia de cada vez. Às vezes o medo batia tão forte que eu parava de estudar por uma semana, até que os problemas da vida me faziam ter forças pra continuar procurando um caminho diferente daquele que não estava me dando resultados da vida abundante que eu queria.

Comecei a perceber padrões diferentes dos meus na vida das pessoas prósperas e de sucesso, e a notar que as pessoas muito presas em crenças religiosas tinham uma vida de limitações em várias áreas, e também uma vida de muito julgamento aos demais.

Comecei a perceber que eu me sentia muito mal quando julgava as pessoas, e que isso não me deixava feliz. Comecei a perceber o alívio que inundava o meu coração quando eu considerava a ideia de não existir esse tal de inferno e de ver Deus como O TODO, a Fonte Criadora, como é descrito na física quântica e na filosofia Hermética (O Caibalion).

Eu passava madrugadas chorando e falando com Deus, pensava que estava ficando louca. Eu pedia pra ele me ajudar a entender, que eu só estava sendo sincera e buscando a verdade. Eu pedia pra ele não ficar com raiva de mim por eu estar só perguntando, pois eu imaginava que, sendo mãe como sou, eu jamais me zangaria e castigará meu filho porque ele só estava pedindo informações.

Um dia me deparei com um áudio do volume I do Livro Conversando com Deus, na voz do Lucas no YouTube. Comecei a ouvir, e tive momentos intensos de choro enquanto as fichas caíam e eu descobria que Deus é na verdade O TODO, a Fonte Criadora, e que existe uma Centelha Divina em cada elemento de Sua sagrada criação.

A minha imagem de Deus mudou. De um Deus tirano, sádico e mal que castiga seus filhos com a danação e a tortura eterna, para uma Fonte Eterna de Energia que é puro amor, graça, abundância e compaixão!

Muitas outras coisas aconteceram, muitos livros foram atraídos até mim, e um ia complementando o outro e a minha consciência ia se expandindo. Quanto mais eu aprendia, mais eu expandia, fichas iam caindo e tudo começa a fazer sentido, como se as peças de um complexo quebra cabeças fossem finalmente se encaixando.

Quanto mais eu aprendia, quanto mais conhecimento ia entrando em meu subconsciente, menos medos eu tinha. Até que o véu se rasgou de tal forma que eu me sentia destemida, corajosa e sem medos, ao ponto de rir de tudo que um dia eu tive medo. Tudo ficou tão óbvio e esclarecido.

Durante essa jornada de autoconhecimento e expansão de consciência, minha vida foi melhorando muito, em todas as áreas. No meu casamento, meu marido dizia que eu estava melhor do que nunca, e começou a dar atenção a tudo que eu estava estudando e por ver minhas mudanças ele começou a estudar também.

Mudei no meu relacionamento com as pessoas, mudei comigo mesma, antes eu tinha uma auto estima muito baixa, me achava feia e por isso não me arrumava, me sentia fraca e dependente da ajuda das pessoas, hoje me sinto linda, amo tanto esse avatar que minha Centelha escolheu para viver essa experiência temporariamente humana. Me amo e me aceito profundamente.

Minha vida financeira também deu um salto quântico, em apenas 4 meses de canal fizemos o primeiro curso e começamos nossa empresa online com resultados que impressionaram os mais experientes do marketing digital. Hoje eu moro num lindo apartamento que exala Prosperidade, hoje eu tenho abundância financeira e total confiança de que a Fonte Criadora que provê tudo para mim é inesgotável. Contas à pagar são bençãos à pagar e eu me sinto tão agradecida.

É difícil mensurar tanta mudança em minha vida num curto espaço de tempo. Em apenas 10 meses o nosso canal chegou a 100 mil inscritos, o que seria 10 mil inscritos por mês, isso é um fenômeno.

Sei que cada um de nós tem sua própria história e sua própria trajetória. Acredito que a vida nos dá as experiências necessárias para a nossa evolução e expansão de consciência. Então, talvez o seu caminho não será exatamente como foi o meu, mas tem alguns conselhos que eu posso te dar que vão realmente funcionar para você seja qual for a sua história e trajetória.

Primeiramente invista em autoconhecimento, conhece-te a ti mesmo, faça auto análise. Pare de olhar para os outros e para o que está de errado no mundo, fazer isso só vai te causar mais sofrimento e tirar todo seu poder. O verdadeiro poder está em olhar para dentro e mudar nosso mundo interior, é só assim que a gente muda o nosso mundo exterior.

Quando eu falo em investir em autoconhecimento eu falo em você ler livros, fazer cursos na área, separar um tempo para mergulhar nos estudos. Essa fase de casulo é necessária e muito intensa no começo. Depois você poderá sair do casulo, mas não se apresse, a lagarta só sai de lá quando ela vira borboleta. Mas nunca deixe de buscar por coisas que te ajudem no autoatendimento, seremos eternos estudantes, eternos aprendizes. Sempre há mais para aprender e para evoluir.

Faça da meditação e da gratidão um hábito. Essas duas práticas me ajudaram muito a acelerar todo o processo. Quanto mais você medita, mais você cala a voz do ego. O ego é o que tem medo e as crenças limitantes. é ele quem faz você se auto sabotar.

A gratidão tem um enorme poder de atração de bençãos e energias positivas. Se você soubesse como seu campo vibracional fica elevado e poderoso quando prática a gratidão sincera, você daria mais valor a esse simples hábito. A gratidão é mesmo mágica. Eu usei e ainda uso muito o caderno da gratidão, logo após a meditação todos os dias. Escrever as bençãos foi um divisor de águas em minha vida e foi fator determinante para atrair as oportunidades que me ajudaram a subir na vida.

Bom, minhas queridas e lindas Centelhas Divinas, você está com a chave da porta das bênçãos em suas mãos, essa porta só você pode abrir, ela se abre de dentro para fora. Seja determinado e se desapegue de todas as crenças que possam estar limitando você. Esteja disposto a assumir a responsabilidade por melhorar a sua própria vida, porque essa missão é só sua e de mais ninguém. Salva-te!

– May Andrade

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: FAÇA COMO A MAY, LIBERTE-SE DAS CRENÇAS LIMITANTES!

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FAMÍLIAS DE VÍTIMA E DE ASSASSINO SE TORNAM AMIGAS

Uma história emocionante é o destaque da nossa coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL deste domingo. Um exemplo raro de como através da não violência se alcança estágios bem mais elevados de espiritualidade e que este é o caminho para um mundo mais pacífico e melhor. Não é fácil, mas é possível e é o único caminho. Por favor, leia o artigo completo a seguir, reflita e tire suas conclusões.

A surpreendente amizade entre as famílias de um assassino e de sua vítima

Após a morte do filho, Azim Khamisa iniciou uma campanha educativa contra a violência armada – e se juntou a um aliado improvável, Ples Felix, o avô do assassino

INTERNACIONAL

por BBC NEWS BRASIL

 

Azim Khamisa e Ples Felix são hoje grandes amigos

Azim Khamisa ficou devastado quando perdeu o filho de forma trágica, morto em uma tentativa de assalto por um jovem de apenas 14 anos, membro de uma gangue nos EUA.

Após a perda do filho, ele iniciou uma campanha educativa contra a violência armada, junto a um aliado improvável: Ples Felix, o avô do assassino.

Mais de 20 anos depois, os dois são hoje melhores amigos.

Em entrevista ao programa de rádio Outlook, do serviço mundial da BBC, Azim e Ples contam como a tragédia deu origem a essa amizade.

Aos 20 anos, Tarik Khamisa era aluno da Universidade Estadual de San Diego, na Califórnia, e trabalhava como entregador de pizza às sextas e sábados.

“Ele era uma grande alma, eu diria um espírito antigo em um corpo jovem. Abençoado com um grande senso de humor, era uma alegria estar perto dele. Ele tinha a habilidade de descontrair qualquer situação com uma piada”, recorda o pai.

Na noite de 21 de janeiro de 1995, ele saiu para entregar uma pizza em um bairro de classe média da cidade. Mas não podia imaginar que havia sido atraído para um endereço falso por uma gangue juvenil.

“Deram o endereço certo, mas o número do apartamento errado. Ele bateu em várias portas tentando descobrir quem tinha pedido a pizza, mas claro que ninguém tinha pedido”, conta Azim.

Quando voltou para o carro, Tarik foi abordado por um grupo de quatro jovens: três de 14 anos e um de 18. Era uma tentativa de assalto, mas ele se recusou a entregar as pizzas.

O mais velho, apontado como o líder da gangue, entregou então uma arma a um dos menores, no que seria parte de um ritual de iniciação, e pediu que atirasse.

“Quando meu filho estava tentando dar ré com o carro, o jovem de 14 anos puxou o gatilho. Foi uma única bala, que entrou pela janela do motorista e acertou meu filho.”

“Tariq morreu alguns minutos depois, afogado em seu próprio sangue por causa de uma mísera pizza, aos 20 anos”, diz o pai.

Infância conturbada

O menor de idade que matou Tariq foi identificado como Tony Hicks. Ele morava com o avô, Ples Felix, a quem considera até hoje como pai.

“(Tony) foi criado como filho de uma menina de 14 anos, minha filha. E sempre foi o tipo de criança que era levada de um lado para o outro, ora estava na casa da minha mãe, ora na casa da avó, e sempre tinha um monte de gente lá. Os primos da minha filha eram todos envolvidos com gangues”, conta Ples.

Quando o primo favorito de Tony foi brutalmente assassinado por uma gangue rival, a família decidiu que o menino, com sete anos na época, deveria sair de Los Angeles e ir morar com o avô em San Diego.

“Ele era um garoto traumatizado, precisando de toda ajuda e apoio que nunca havia tido. E eu realmente não estava em condições de dar toda a ajuda que ele precisava, mas com certeza eu tentei”, diz.

Más companhias

Apesar da dificuldade de se adaptar a San Diego, Tony se esforçava para ser um bom aluno na escola e corresponder às expectativas do avô. Mas, à medida que foi crescendo, as amizades começaram a ter uma influência cada vez mais forte sobre ele.

Até que, no dia do crime, Tony fugiu de casa.

“Tony era um caso clássico de juventude transviada por andar com pessoas que ele pensava que eram seus amigos.”

“(Os colegas) o levaram até um rapaz de 18 anos que ofereceu álcool e drogas a eles. E depois de consumirem álcool e drogas, esse rapaz convidou Tony e outros dois meninos de 14 anos para participarem de um assalto a um entregador de pizza”, revela.

Ples estava assistindo ao telejornal quando viu a notícia do assassinato.

“Um sentimento muito ruim tomou conta de mim naquele momento, porque era a primeira vez que Tony não estava na cama àquela hora da noite. E eu sabia que ele estava pelas ruas em algum lugar.”

Até então, Ples não tinha feito nenhuma conexão entre Tony e a morte de Tariq. Só ficou sabendo do envolvimento do neto quando recebeu um telefonema da polícia avisando que ele tinha sido preso como principal suspeito do crime.

Azim Khamisa também recebeu a notícia da morte do filho pelo telefone.

“Perdi a força em ambas as pernas, desabei no chão, todo encolhido, bati a cabeça na geladeira. Não tenho palavras para descrever o quão insuportavelmente dolorosa essa experiência foi para mim.”

“Foi literalmente como uma bomba nuclear que detonou dentro do meu coração”, descreve Azim.

De quem é a culpa?

Em um discurso emocionado, Tony confessou no tribunal ter matado Tariq. E pediu perdão à família Khamisa. Após se declarar culpado, foi condenado a 25 anos de prisão.

“Essa audiência aconteceu dois anos e meio depois (do crime). Obviamente é fácil ver que meu filho foi vítima de um jovem de 14 anos. Mas eu também vi que o jovem de 14 anos foi vítima da sociedade”, afirma Azim.

“Quer dizer, quem é o inimigo aqui? É o jovem 14 anos ou é a sociedade que força muitos jovens, especialmente jovens com um histórico como o de Tony, que foram negligenciados, a escolher uma vida de gangues, drogas, álcool e armas?”

Com isso em mente, nove meses após a morte do filho, Azim fundou a Tariq Khamisa Foundation, uma organização educacional com a missão de “impedir que crianças matem crianças, quebrando o ciclo da violência juvenil”.

“Decidi honrar a memória do meu filho. Minha família e eu lidamos com essa tragédia muito negativa em nossas vidas de uma forma positiva”, diz ele.

“A Tariq Khamisa Foundation ensina essencialmente os princípios da não violência, responsabilidade, empatia, compaixão e perdão. E o mais importante, a construção da paz”, explica Azim.

O início da amizade

Mas como nasceu a amizade entre Ples e Azim?

“Meu foco na meditação e oração sempre foi conseguir uma chance de me encontrar com a família de Tariq. E soube pelo advogado de Tony que Azim gostaria de se encontrar comigo”, relembra Ples.

“Eu queria manifestar meu apoio, expressar minhas condolências, e foi realmente algo especial.”

Durante o encontro, Azim contou sobre a fundação que tinha criado. E convidou Ples para participar de uma reunião em sua casa, junto com sua família, para discutir a iniciativa.

A recepção foi mais calorosa do que ele podia imaginar dadas as circunstâncias. E foi só o começo.

Ples se tornou membro do conselho da Tariq Khamisa Foundation. E hoje os dois dão palestras para jovens sobre formas de acabar com a violência armada.

“Quando vamos às escolas, somos apresentados como ‘o neto deste homem matou o filho deste homem, e eles estão aqui no espírito de compaixão, perdão e fraternidade’. E isso é algo que as crianças normalmente não vivenciam, porque o que elas basicamente veem em nossa cultura é que a violência gera mais violência”, diz Azim.

Cara a cara com o assassino do filho

Já o encontro de Azim com Tony só viria a acontecer alguns anos depois

“Eu só conheci o Tony cinco anos depois da morte de Tarik, pois não sabia como reagiria. Mas sabia que, para completar minha jornada de perdão, em algum momento teria que ficar cara a cara com ele”, conta Azim.

Os dois conversaram por uma hora e meia.

“Olhei nos olhos dele tentando encontrar um assassino, mas não consegui (encontrar). Não esperava isso.”

A Justiça americana concedeu liberdade condicional a Tony em novembro de 2018, quase 24 anos após o crime. Ele foi solto em abril de 2019.

Parceria além do trabalho

O fato é que a amizade de Azim e Ples vai muito além do trabalho.

“Ples e eu somos solteiros e saímos para jantar com frequência, ambos gostamos de comida apimentada. Por isso, sempre pedimos tabasco para acompanhar nossos pratos”, diz Azim.

Ples complementa: “Azim me ajudou a perceber o equilíbrio dos sabores, o valor de um vinho para complementar uma refeição. Agora tenho um apreço notável por vinho.”

Segundo Azim, a cumplicidade entre os dois é evidente. “Quando estamos juntos numa palestra, em que somos apresentados como ‘o neto deste homem matou o filho deste aqui’, mesmo se não dissermos uma palavra, é possível sentir o amor, o respeito e a confiança que temos um no outro.”

Fonte: R7

 

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: FAMÍLIAS DE VÍTIMA E DE ASSASSINO SE TORNAM AMIGAS

REFLEXÃO: NASCEMOS CRIANÇAS E PARTIMOS DESSA PARA OUTRA COMO CRIANÇAS

Não é a toa que nascemos crianças e na velhice, muitas vezes, voltamos a ser crianças, já que Jesus foi muito claro ao proclamar – referindo-se às crianças – que destas é o Reino dos Céus, e mais, que quem não receber o Reino de Deus como uma criança, jamais entrará nele. Todos temos a nossa porção criança, seja lá em que idade for e devemos cultivá-la, pois como diz a célebre Cecília Meireles:  A infância traz encerradas em si todas as condições superiores do destino humano. Então, convido você a ler o artigo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

A importância da imaginação infantil

A imaginação maravilhosa da infância

A sempre lúcida e inspirada Cecília Meirelles, traz-nos alguns de seus pensamentos sobre a infância:

É porque nós, desgraçadamente, já andamos esquecidos; mas, quando fomos pequenos, tivemos também essa maravilhosa imaginação com que qualquer criança deslumbra o mais requintado poeta.

Nosso mundo foi feito de coisas prodigiosas: os milagres das fadas, os encantos dos bruxos, toda a mágica das histórias mais assombrosas…

Tudo foi sempre muito verossímil, porque tínhamos em nós uma força misteriosa geradora das mais extraordinárias possibilidades.

Talvez porque convivíamos mais diretamente com a natureza, e a natureza é por si mesma assombrosa.

Depois de ver uma borboleta voar, uma flor desenrolar-se do botão, uma semente transformar-se em planta, um passarinho sair do ovo e mais tarde a cantar;

Uma estrela revelar-se, depois de feita a noite, um campo encher-se de pirilampos, as nuvens crescerem, unirem-se, viajarem, desfazerem-se…

Depois de tudo isso, com que é que se vai admirar uma criança?

E éramos tão senhores da vida, com todos os seus cenários e as suas aparências…

Acreditávamos tanto na eternidade profunda das coisas, malgrado as suas superficiais e parciais extinções.

Que a morte era pra nós qualquer coisa enganosa, que os adultos não tinham ainda encarado bem, que ainda não conheciam de perto e só por isso, com certeza, não sabiam ainda vencer…

A infância traz encerradas em si todas as condições superiores do destino humano.

Ela mesma não sabe disso, porque a sabedoria tem qualquer coisa de inconsciente. Mas vivem dentro dela todas as capacidades da vida, por mais difíceis, inacreditáveis, longínquas e indefiníveis que sejam.

* * *

E cá estamos nós, mais uma vez, admirados com a grandiosidade desse período de nossas vidas chamado infância.

Seria apenas um período? Parece uma descrição pequena demais para abraçá-la honrosamente.

Deus nos deu a infância como um grande tesouro, uma lição de pureza poderosa, que não vem de fora, de professores, de sábios, de livros, mas vem de nosso íntimo divino.

Jesus foi muito claro ao proclamar – referindo-se às crianças – que destas é o Reino dos Céus, e mais, que quem não receber o Reino de Deus como uma criança, jamais entrará nele.

O Mestre Nazareno não olvidou que ali, naqueles corpos infantis, existiam Espíritos velhos, mas usou dessa lição para deixar visíveis as características da alma infantil – fundamentais para o crescimento moral humano.

Destacava a humildade, a pureza, na forma de ausência de preconceitos; a ânsia de saber, a perseverança, a docilidade, e tantas outras…

* * *

Que sua porção criança possa sempre sorrir ao ver o nascer do sol.

E que quando caia a noite, e venha o medo do escuro, saiba observar as estrelas e sua perfeição incompreensível e bela – e isso lhe traga novamente o sorriso.

Que sua porção criança permita enxergar o lado bom das pessoas, e jamais cair nas teias da amargura ou do pessimismo destruidor.

Que sua porção criança lhe recorde do quão bom e importante é viver.

Redação do Momento Espírita, com citações do livro Crônicas de educação, v. 1, de Cecília Meirelles, ed. Nova Fronteira

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: NASCEMOS CRIANÇAS E PARTIMOS DESSA PARA OUTRA COMO CRIANÇAS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho