PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 03 DE JUNHO DE 2020 NO G1

Por G1

 

O número diário de mortes pela Covid-19 no Brasil bateu recorde. O podcast O Assunto aborda a ameaça do novo coronavírus aos indígenas, um dos grupos mais vulneráveis no país. A busca por uma vacina está a todo vapor, mas o processo é longo. Estratégias podem ajudar a reduzir os impactos da pandemia na saúde mental. O Brazil at Silicon Valley discute como a tecnologia e a inovação vão influenciar o futuro da saúde. Em Brasília, a PF deve ouvir investigados no inquérito das fake news. E mais: trabalhadores informais nascidos em abril podem sacar a segunda parcela do auxílio emergencial.

Recorde de mortes

Brasil registra novo recorde diário de mortes por Covid-19: 1262 óbitos

Brasil registra novo recorde diário de mortes por Covid-19: 1262 óbitos

O Brasil registrou ontem mais uma triste marca durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, foram 1.262 mortes em 24 horasmaior número contabilizado em um dia. O balanço do ministério aponta ainda que o total de infectados passou de 555 mil. Questionado por uma apoiadora que pediu palavra de conforto às famílias das vítimas, o presidente Jair Bolsonaro respondeu que lamenta “todos os mortos, mas é o destino de todo mundo”.

O Assunto: indígenas ameaçados

14 de maio - Indígenas participam do velório do cacique Messias Kokama, 53, que morreu vítima de coronavírus (COVID-19), no Parque das Tribos, em Manaus — Foto: Bruno Kelly / Reuters14 de maio – Indígenas participam do velório do cacique Messias Kokama, 53, que morreu vítima de coronavírus (COVID-19), no Parque das Tribos, em Manaus

O novo coronavírus se espalhou por quase 80 etnias, infectou mais de 1.800 índios e fez cerca de 180 mortos. A situação é especialmente grave na região amazônica, onde está a técnica de enfermagem Vanda Ortega Witoto, que vive na comunidade Parque das Tribos. Vanda conversa com Renata Lo Prete e explica como a realidade da pandemia é muito diferente do que mostram os números oficiais. Episódio tem também a participação de Ailton Krenak, escritor e líder indígena fundador da Aliança dos Povos da Floresta, que explica como seu povo está se protegendo e reagindo. Ouça:

A busca pela vacina

Técnica de laboratório exibe uma dose de uma candidata a vacina contra a Covid-19 pronta para ser testada em macacos no Centro Nacional de Pesquisa de Primatas da Tailândia, na Universidade Chulalongkorn — Foto: Mladen Antonov / AFP PhotoTécnica de laboratório exibe uma dose de uma candidata a vacina contra a Covid-19 pronta para ser testada em macacos no Centro Nacional de Pesquisa de Primatas da Tailândia, na Universidade Chulalongkorn Antonov .

Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostra que estão em desenvolvimento mais de 100 candidatas a vacina contra o vírus Sars-CoV-2, causador da Covid-19, sendo que dez delas estão na fase clínica, ou seja, sendo testadas em humanos. Embora os estudos avancem, muitos especialistas acreditam que a vacina não estará disponível em 2020. Projeções otimistas falam num prazo de 12 a 18 meses, o que já seria recorde.

Saúde mental durante a pandemia

Moradores se exercitam em suas varandas durante o isolamento para evitar a propagação da doença por coronavírus (COVID-19) em Hamburgo, na Alemanha, em 26 de março — Foto: Fabian Bimmer / ReutersMoradores se exercitam em suas varandas durante o isolamento para evitar a propagação da doença por coronavírus (COVID-19) em Hamburgo, na Alemanha, em 26 de março

É esperado que as populações sintam medo, estresse, ansiedade e solidão durante a pandemia de coronavírus, mas isso não significa que todos adoecerão mentalmente. Isso porque é possível – e necessário – cuidar da mente enquanto vivemos este momento de tensão. Mas atenção: é preciso cuidar agora para não adoecer depois. Como fazer isso? Os profissionais ouvidos pelo G1 indicam que existem estratégias para proteger a saúde mental.

Barreiras comerciais

As barreiras comerciais praticadas contra os produtos brasileiros no comércio internacional já chegam a 70, segundo um novo levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O mapeamento da entidade começou a ser realizado em maio de 2018 e é atualizado de forma periódica em parceria com associações e federações industriais. Nessa última atualização, a CNI encontrou 17 novas barreiras, sendo 10 impostas pelo governo da China. As demais foram criadas por Argentina, México, Índia, Arábia Saudita e União Europeia.

Intervenção no RJ

Governador Wilson Witzel decreta intervenção em hospitais de campanha do RJGovernador Wilson Witzel decreta intervenção em hospitais de campanha do RJ

O governador Wilson Witzel assinou um decreto afastando a Organização Social Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas) da construção e gestão dos sete hospitais de campanha do estado. O motivo para a decisão foi o atraso para a conclusão das obras dessas unidades.

De acordo com o decreto, as unidades exclusivas para o enfrentamento da Covid-19 serão controladas pela Fundação Estadual de Saúde, que deverá assumir a conclusão das obras dos hospitais e a gestão de todas as unidades temporárias.

Violência no Ceará

Em pouco mais de dois meses desde o início da quarentena no Ceará, pelo menos, 69 crianças e adolescentes foram assassinados. O dado compreende de 20 de março de 2020 até o último dia 27 de maio. Comparado a igual período de 2019, houve aumento de 165% no número de vítimas menores de idade.

Protestos nos EUA

Protestos contra o racismo continuam nos EUA mesmo com toque de recolher

Protestos contra o racismo continuam nos EUA mesmo com toque de recolher

Os Estados Unidos entraram ontem no oitavo dia de manifestações contra o racismo após a morte do ex-segurança George Floyd em uma ação policial em Minneapolis. Os protestos ocorrem na maioria das vezes de maneira pacífica.

  • As duas maiores cidades dos EUA, Nova York e Los Angeles, além da capital Washington, mantêm novamente toque de recolher .
  • Cerca de 40 pessoas já haviam sido detidas em Nova York.
  • Em Atlanta, apesar de os manifestantes marcharem pacificamente, a polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo quando começou o horário do toque de recolher, às 21 horas.
  • Em Milwaukee, Wisconsin, a polícia anunciou em redes sociais que lançou gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes após ser atacada com pedras e vidros.
  • Outras grandes cidades, como Portland (Oregon), não vão adotar a medida após autoridades considerarem que a violência diminuiu na noite anterior.

Trump x governadores

O presidente dos EUA, Donald Trump, posa com uma Bíblia nas mãos em frente a Igreja Episcopal St. John, em Washington, na segunda-feira (1) — Foto: Reuters/Tom BrennerO presidente dos EUA, Donald Trump, posa com uma Bíblia nas mãos em frente a Igreja Episcopal St. John, em Washington, na segunda-feira (1) 

Trump pode mandar tropas para conter protestos contra a vontade dos governadores? Presidente invoca a Lei de Insurreição, aplicada em raras ocasiões nos EUA, mas ação unilateral tem limitações. Leia no blog da Sandra Cohen.

Depoimentos do inquérito das fake news

Roberto Jefferson e deputados são alvo de operação da PF de inquérito do STF sobre fake News

Roberto Jefferson e deputados são alvo de operação da PF de inquérito do STF sobre fake News

Polícia Federal ouvirá alvos do inquérito que apura ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e disseminação de fake news. As medidas foram definidas pelo ministro relator do caso no STF, Alexandre de Moraes. Na quarta, ele autorizou 29 mandados de busca e apreensão contra ativistas, blogueiros e empresários suspeitos. Moraes determinou os depoimentos de seis deputados federais e dois estaduais, todos do PSL. Os agentes também estiveram nas casas da ativista Sara Winter e do blogueiro Allan dos Santos para a notificação dos depoimentos.

Ajuda de R$ 600

 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens

A Caixa Econômica Federal (CEF) libera nesta quarta as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do auxílio emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em abril.

Produção industrial

Saem hoje os dados de abril da produção industrial. Em março, houve grande queda de 9,1%, pior resultado para meses de março da série histórica da pesquisa, iniciada em 2002. É também a queda mensal mais acentuada desde maio de 2018 (-11%), quando o setor foi afetado pelas paralisações provocadas pela greve dos caminhoneiros.

Vida na Pandemia… na Maré

Moradores da Maré têm podcast, jornal e rádio para se informar sobre a pandemia

Moradores da Maré têm podcast, jornal e rádio para se informar sobre a pandemia.

Podcast, jornal e rádio de poste: moradores da Maré usam meios comunitários para se informar durante pandemia. Uma das iniciativas é a distribuição do conteúdo de um podcast como um ‘audião’ de WhatsApp, já que a cobertura de internet na comunidade não é boa. Veja como veículos informam sobre a Covid-19 e combatem fake news na Maré.

Sexo, horóscopo e vida adulta

A cantora americana Kehlani — Foto: Divulgação / Warner / Arturo TorresA cantora americana Kehlani 

Kehlani lança álbum com hip hop falando de sexo, horóscopo e vida adulta. Cantora fala ao G1 sobre disco recém-lançado, ‘It Was Good Until It Wasn’t’.

“Ser mãe me deixou bem mais paciente, me entendo melhor para transformar o que eu penso em música”, diz.

Lives de hoje

Tiago Iorc na gravação do álbum 'Acústico MTV' — Foto: Marcos Hermes / DivulgaçãoTiago Iorc na gravação do álbum ‘Acústico MTV’ 

Tiago Iorc, bate-papo de Carlinhos Brown e Elza Soares, Sepultura, Filipe Catto, Lobão e Teresa Cristina e mais shows para ver em casa.

Mega-Sena

 Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até às 19h — Foto: Marcelo Brandt / G1Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até às 19h 

O concurso 2.267 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 45 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet – saiba como fazer.

Curtas e Rápidas:

Fonte: G1
Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 03 DE JUNHO DE 2020 NO G1

PACIENTES RECUPERADOS DE COVID-19 SÃO CONVOCADOS PELO HEMOVIDA PARA DOAÇÃO DE PLASMA

Hemovida convoca pacientes recuperados de Covid-19 para doação de plasma

03 jun 2020

Hemovida convoca pacientes recuperados de Covid-19 para doação de plasma

Pesquisas envolvendo o uso do plasma sanguíneo de pacientes curados de Covid-19 indicam um caminho alternativo no combate ao novo coronavírus. Embora os testes em curso ainda não sejam conclusivos, o Hemovida em Natal começou uma campanha de recrutamento de pacientes que estão curados há pelo menos 30 dias para fazerem a doação no banco de sangue.

O objetivo é coletar o chamado plasma convalescente (de pessoas que já se recuperaram da Covid-19) e injetar em enfermos com coronavírus ativo. A intenção, com isso, é de que os anticorpos presentes no material doado ajudem o doente a se recuperar mais rápido.

Atualmente, existe um paciente em estado grave, do tipo sanguíneo A+, aguardando para receber o plasma de doadores curados.

O Hemovida está localizado na avenida Nilo Peçanha, 199, no bairro de Petrópolis, Natal/RN. Outras informações: 84 98818-7997 (Ângela Celi).

Critérios

É importante observar alguns critérios para admissibilidade da doação:

Doador recuperado da Covid há pelo menos 30 dias;

Apresentação de exame médico que certifique a presença de anticorpos;

Peso corporal superior a 50 kg;

Mulheres que já tiveram filhos ou abortos estão impedidas de fazer a doação, segundo informações dos bancos de sangue.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo PACIENTES RECUPERADOS DE COVID-19 SÃO CONVOCADOS PELO HEMOVIDA PARA DOAÇÃO DE PLASMA

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 02 DE JUNHO DE 2020 NO G1

Por G1

 

O Brasil passou da marca de 30 mil mortos pelo novo coronavírus. Celso de Mello arquivou o pedido para que fossem apreendidos celulares do presidente Jair Bolsonaro e do filho, Carlos. Na sétima noite de protestos contra o racismo nos Estados Unidos, houve novamente confronto. A explosão das manifestações após a morte do ex-segurança George Floyd é tema do podcast O Assunto. Em Brasília, a Polícia Federal começa a ouvir os investigados no inquérito das fake news. Pesquisa mostra que 90% dos eleitores brasileiros apoiam a regulamentação das plataformas de redes sociais para combater as “fake news”. Trabalhadores informais nascidos em março podem sacar a segunda parcela do auxílio emergencial. . E também: outros caminhos para o luto e feminicídios.

Celulares de Bolsonaro e filho

Celso de Mello — Foto: Carlos Moura / SCO / STFCelso de Mello

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou o pedido para que fossem apreendidos celulares do presidente Jair Bolsonaro e do filho, Carlos Bolsonaro. O procurador-geral da República, Augusto Aras, já havia se manifestado contra a apreensão dos aparelhos.

30 mil mortos

Evolução das mortes por Covid-19 no Brasil — Foto: Guilherme Luiz Pinheiro / G1Evolução das mortes por Covid-19 no Brasil

Desde que a primeira morte foi registrada, em 17 de março, o Brasil levou dois meses para somar 15.662 mortes, em 16 de maio. Depois disso o salto que faz dobrar o número de vítimas ocorreu em aproximadamente uma quinzena.

Com esta contagem, o Brasil se junta a outros três países que ultrapassaram a triste marca dos 30 mil mortos. Está ao lado da Itália – que já foi o epicentro da doença na Europa –, do Reino Unido com uma das taxas de morte mais aceleradas do mundo e dos Estados Unidos que contam mais de 100 mil baixas.

Flexibilização agora?

1º de junho: cliente checa mercadoria em loja que ficou aberta para entregar encomendas feitas online em São Paulo. — Foto: André Penner / AP1º de junho: cliente checa mercadoria em loja que ficou aberta para entregar encomendas feitas online em São Paulo.

Os anúncios de flexibilização das medidas de isolamento contra a Covid-19, feitos em vários estados, estão ocorrendo na época em que há maior circulação de vírus respiratórios no país, segundo séries históricas do InfoGripe, sistema de monitoramento da Fiocruz. Entenda.

Outros caminhos para o luto

Coronavírus faz com que famílias busquem novos rituais de despedida dos seus mortos

Coronavírus faz com que famílias busquem novos rituais de despedida dos seus mortos

A pandemia de coronavírus está levando a mudança de ritos funerários e a forma como os brasileiros vivenciam o luto. Funerais virtuais e memoriais online viraram caminhos durante as restrições do isolamento social.

Fúria nos EUA

Manifestações antirracistas continuam nos EUA e Trump ameaça usar tropas militares

Manifestações antirracistas continuam nos EUA e Trump ameaça usar tropas militares

Os Estados Unidos voltaram a registrar confrontos ontem, sétimo dia de protestos contra o racismo. As maiores cidades do país decretaram toque de recolher para tentar conter o tumulto após noites de violência.

As manifestações desta segunda ocorrem uma semana após a morte de George Floyd, um ex-segurança negro morto em Minneapolis após um policial ajoelhar sobre seu pescoço durante abordagem.

Em pronunciamento na Casa Branca, o presidente Donald Trump reforçou o pedido para que governadores e prefeitos contivessem a violência. Caso contrário, disse ele, as Forças Armadas podem ser convocadas.

O Assunto

impunidade de crimes raciais e a desigualdade acentuada pela pandemia da Covid-19 se misturaram no caldeirão social norte-americano. O país líder em casos e mortes pelo novo coronavírus agora se vê em meio a manifestações contra o racismo e a desigualdade. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com Silvio Almeida, professor de Direito da USP, da FGV e do Mackenzie, atualmente professor convidado na Universidade de Duke, na Carolina do Norte. Participa também o correspondente da Globo em NY Guga Chacra, que traça um raio-x dos protestos e como eles podem ter consequências na campanha presidencial. Ouça:

E mais: Tragédia anunciada nos EUA. Autoridades de saúde e governos estaduais advertem que protestos que agitam o país agravará a pandemia do novo coronavírus. Entenda no Blog da Sandra Cohen.

Coro antirracista

Em sentido horário: Ariana Grande, Tinashe, Halsey com Yungblud e Kehlani em protestos de rua nos EUA após a morte de George Floyd — Foto: Reprodução / TwitterEm sentido horário: Ariana Grande, Tinashe, Halsey com Yungblud e Kehlani em protestos de rua nos EUA após a morte de George Floyd

Fora do palco, dentro do protesto: cantoras pop engrossaram o coro antirracista nos EUA. Do teen pop ao ativismo, Ariana Grande, Tinashe, Halsey, Kehlani, Camila Cabello, Lauren Jauregui e outras vão às ruas com cartazes de papelão contra racismo e enfrentam tiro e bomba.

Feminicídio

Casos de feminicídio crescem 41,4% em SP durante pandemia de Covid-19 — Foto: Acervo ALEAMCasos de feminicídio crescem 41,4% em SP durante pandemia de Covid-19

Os casos de feminicídio aumentaram 41,4% no estado de São Paulo nos meses de março e abril de 2020 , comparados com o mesmo período do ano passado, de acordo com o estudo “Violência Doméstica durante a pandemia de Covid-19“, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

A pesquisa foi feita em 12 estados e a média nacional de aumento de casos de feminicídio foi de 22,2%, praticamente metade do aumento em São Paulo. Feminicídio é o tipo de crime de violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Pesquisa: fake news

Uma pesquisa feita pelo Ibope a pedido da ONG Avaaz mostra que 90% dos eleitores brasileiros apoiam a regulamentação das plataformas de redes sociais para combater as “fake news”. O levantamento foi feito por telefone, entre os dias 28 e 30 de maio. Foram entrevistadas cerca de mil pessoas com mais de 16 anos de idade, em todos os estados e no Distrito Federal. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Nesta terça, o Senado deve votar o projeto de lei que prevê ações das redes sociais para combater a disseminação de conteúdo falso, as chamadas “fake news”.

Inquérito das fake news

Inquérito das fake news: veja quem são os investigados e como funcionaria estrutura

Inquérito das fake news: veja quem são os investigados e como funcionaria estrutura

A Polícia Federal (PF) começa a ouvir alvos do inquérito que apura ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e disseminação de fake news. As medidas foram definidas pelo ministro relator do caso no STF, Alexandre de Moraes. Na quarta (27), Moraes autorizou 29 mandados de busca e apreensão contra ativistas, blogueiros e empresários suspeitos. Moraes determinou os depoimentos de seis deputados federais e dois estaduais, todos do PSL. Os agentes também estiveram nas casas da ativista Sara Winter e do blogueiro Allan dos Santos para a notificação dos depoimentos.

Ajuda de R$ 600

 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens

A Caixa Econômica Federal (CEF) libera as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,7 milhões de beneficiários nascidos em março.

Riscos em lives

Relatos de contaminação pelo coronavírus em reuniões de grupos musicais – que, em alguns casos, levaram à morte de integrantes – acenderam um alerta. Afinal, cantores e instrumentistas são vetores mais perigosos de coronavírus do que outras pessoas? Corais de SP têm integrantes doentes; membros da equipe de dupla foram infectados após live. Especialistas dizem que proximidade entre músicos é mais perigosa que atividade em si.

Curtas e Rápidas:

  • Estressado e trabalhando mais no home office? Veja motivos e como tentar reverter
  • Prefeitura oferece até R$ 12 mil em São Gonçalo, mas não consegue contratar médicos
  • Preço de venda dos imóveis residenciais sobe 0,23% em maio, mostra FipeZap
Fonte: G1
Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 02 DE JUNHO DE 2020 NO G1

SAÚDE PÚBLICA: GOVERNO RUSSO PRETENDE COMEÇAR A MINISTRAR O ANTIVIRAL AVIFAVIR A PARTIR DE 11 DE JUNHO

Antiviral é anunciado pelo governo russo

Reuters

01 de Junho de 2020 às 08:04

Profissional de saúde segura bandeja com amostras para testesOs hospitais russos podem começar a dar o medicamento antiviral, registrado sob o nome Avifavir, a pacientes a partir de 11 de junho.

A Rússia vai começar a ministrar seu primeiro medicamento aprovado para o tratamento da Covid-19 na próxima semana (8), Uma medida que espera facilitar as tensões no sistema de saúde e acelerar o retorno à vida economica.

Os hospitais russos podem começar a dar a pacientes o medicamento antiviral, registrado sob o nome Avifavir,a partir de 11 de junho, diz o chefe da RDIF [Fundo Direto de Investimento] na Rússia. Ele falou que a empresa por trás do medicamento fabricaria o suficiente para tratar cerca de 60.000 pessoas por mês.

Atualmente, não existe vacina para a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e os testes em humanos de vários medicamentos antivirais que já existentes ainda não demonstraram eficácia.

Um novo remédio antiviral da Gilead chamado Remdesivir mostrou alguma promessa em pequenos testes contra a Covid-19 e está sendo oferecido a pacientes por alguns países sob regras de uso compassivo ou emergencial.

O Avifavir, conhecido genericamente como Favipiravir, foi desenvolvido pela primeira vez no final dos anos 90 por uma empresa japonesa comprada mais tarde pela Fujifilm ao entrar na área da saúde.

O chefe do RDIF, Kirill Dmitriev, disse que os cientistas russos modificaram o medicamento para aprimorá-lo e afirmou que Moscou estará pronta para compartilhar os detalhes dessas modificações em duas semanas.

O Japão está testando a mesma droga, conhecida como Avigan. Ele ganhou prestígio do primeiro-ministro Shinzo Abe e US $ 128 milhões em financiamento do governo, mas ainda não foi aprovada para uso.

O avifavir apareceu no sábado (30) na lista do governo russo de medicamentos aprovados.

Processo acelerado

Dmitriev disse que os ensaios clínicos do medicamento foram realizados com 330 pessoas e mostraram que o vírus foi tratado com sucesso na maioria dos casos, em quatro dias.

Os testes devem ser concluídos em cerca de uma semana, disse ele, mas o Ministério da Saúde aprovou o uso do medicamento em um processo acelerado especial e a fabricação começou em março.

Os ensaios clínicos para testar medicamentos de eficácia geralmente levam muitos meses, mesmo quando acelerados, e envolvem um grande número de pacientes designados aleatoriamente que recebem o remédio que está sendo testado – ou um controle ou placebo.

O sucesso em ensaios de pequena escala e em estágio inicial não é garantia de sucesso em estudos posteriores e mais abrangentes.

Um estudo publicado em maio, por exemplo, vinculou a droga hidroxicloroquina antimalárica, que o presidente dos EUA, Donald Trump, diz que está tomando e incentivando seu uso, a um risco aumentado de morte em pacientes com a Covid-19 hospitalizados.

Dmitriev disse que a Rússia conseguiu reduzir os prazos dos testes porque o medicamento genérico japonês, no qual o Avifavir se baseia, foi registrado pela primeira vez em 2014 e passou por testes significativos antes que os especialistas russos o modificassem.

“Acreditamos que isso é um divisor de águas. Isso reduzirá a tensão no sistema de saúde, teremos menos pessoas entrando em uma condição crítica”, disse Dmitriev. “Acreditamos que a droga é a chave para retomar a atividade econômica completa na Rússia”.

Com 414.878 casos, a Rússia tem o terceiro maior número de infecções no mundo depois do Brasil e dos Estados Unidos, mas tem um número oficial de mortes relativamente baixo de 4.855 – algo que tem sido o foco do debate.

O RDIF, que detém uma participação de 50% no fabricante do medicamento ChemRar, financiou os testes e outros trabalhos com seus parceiros, no valor de cerca de 300 milhões de rublos (R$ 23 milhões), disse Dmitriev, que explicou que os custos para a Rússia eram muito mais baixos por causa do trabalho de desenvolvimento anterior realizado no Japão.

Fonte: CNN

Continuar lendo SAÚDE PÚBLICA: GOVERNO RUSSO PRETENDE COMEÇAR A MINISTRAR O ANTIVIRAL AVIFAVIR A PARTIR DE 11 DE JUNHO

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 01 DE JUNHO DE 2020 NO G1

Por G1

 

Protestos antirracistas se espalham por mais de 20 estados dos EUA. A escalada de tensão aumentou no final de semana e mais de 40 cidades estão sob toque de recolher por causa das manifestações após a morte de George Floyd, um cidadão negro, por um policial branco. O Brasil ultrapassa a marca de meio milhão de casos de coronavírus, e já são quase 30 mil mortes no país. No estado de SP, começa hoje o relaxamento das regras de isolamento social. O podcast O Assunto conta a história da refugiada síria que fugiu da guerra e morreu de Covid no Brasil. E os criminosos mais procurados do país que tiveram o auxílio de R$ 600 liberado, enquanto muitos trabalhadores não têm o que comer.

Fúria nos EUA

Protesto contra racismo em Washington — Foto: AP Photo/Alex BrandonProtesto contra racismo em Washington

Manifestações antirracistas chegaram a pelo menos 75 cidades de 20 estados dos EUA no final de semana, e a agressividade entre policiais e manifestantes também aumentou. Até a madrugada de hoje, 5 pessoas morreram desde o início dos protestos, após o assassinato do ex-segurança George Floyd, um homem negro morto por um policial branco, há uma semana.

No fim da noite de domingo, o clima ficou tenso nas proximidades da Casa Branca, em Washington. A capital americana é uma das 40 cidades que decretaram toque de recolher para conter a onda de fúria no país. O enredo dos protestos tem sido sempre o mesmo: começam pacificamente e, ao anoitecer, há cenas de violência, com viaturas da polícia incendiadas, quebra-quebra, brigas e saques.

Em Minneapolis, onde Floyd foi morto e os atos começaram, um caminhão avançou sobre os manifestantes. Ninguém ficou ferido.

‘Vidas negras importam’

Protesto contra operações violentas em favelas é feita em frente à sede do governo do RJProtesto contra operações violentas em favelas é feita em frente à sede do governo do RJ

Aqui no Brasil, houve protesto em frente à sede do governo do Rio de Janeiro. O ato, chamado de “Vidas Negras Importam”, foi contra operações violentas em favelas. Manifestantes lembraram o menino joão pedro, de 14 anos, morto em casa na comunidade de São Gonçalo, região metropolitana do Rio, há 2 semanas.

A manifestação foi encerrada pacificamente, mas a polícia lançou bombas de efeito moral e fez disparos de balas de borracha pra dispersar pessoas que ainda chegavam ao local. Houve correria, alguns manifestantes reagiram com pedras e um homem foi detido.

Pró e anti-Bolsonaro

Manifestação a favor da democracia termina em confronto com a polícia em São PauloManifestação a favor da democracia termina em confronto com a polícia em São Paulo

Um ato a favor da democracia na Avenida Paulista, em São Paulo, começou pacífico e terminou em confronto com a polícia após encontrar com grupo de manifestantes pró-Bolsonaro.

A manifestação pró-democracia foi organizada por integrantes de torcidas de futebol e aconteceu no mesmo horário e local de outro ato, de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

A PM apura se a presença uma bandeira usada por neonazistas no ato pró-governo foi o estopim da confusão. Um vídeo nas redes sociais mostra uma apoiadora de Bolsonaro com um taco de beisebol na mão sendo levada por um policial para longe dos manifestantes do outro grupo.

Em brasília, apoiadores de Bolsonaro fizeram uma nova manifestação na esplanada dos Ministérios. O presidente participou, como tem feito sempre aos domingos, e houve aglomeração. O protesto tinha faixas pedindo fechamento do STF, do Congresso e intervenção militar, medidas inconstitucionais.

Avanço da pandemia

Brasil ultrapassa a marca de meio milhão de casos confirmados de Covid-19Brasil ultrapassa a marca de meio milhão de casos confirmados de Covid-19

O Brasil ultrapassou a marca de meio milhão de casos confirmados de coronavírus, menos 100 dias após a confirmação do primeiro paciente. Segundo o Ministério da Saúde, são 514.849 infecções pela Covid-19 no país. As mortes chegaram a 29.314, e o Brasil passou a França no número de vítimas e se tornou o 4º país do mundo com mais óbitos.

Reabertura em SP

Mais 2,5 mil novos casos foram confirmados ontem no estado de SP, que começa hoje a flexibilizar as regras de isolamento social. A retomada econômica vai depender da situação de cada cidade em relação à taxa de ocupação dos hospitais e a redução do número de casos. Na capital paulista, a quarentena foi prorrogada até 15 de junho, e a abertura de atividades só será liberada após apresentação à Prefeitura de propostas dos setores econômicos.

O Assunto

O podcast O Assunto chegou hoje ao episódio #200, que conta a história de Khadouj Makhzoumde, uma refugiada síria de 55 anos que foi trazida pelo filho para o Brasil e morreu de Covid-19. Um relato emocionante de um filho que salvou a mãe da guerra, mas foi vencido na batalha contra a pandemia. Ouça:

Exclusivo Fantástico

Exclusivo: 11 dos 22 criminosos mais procurados do Brasil têm auxílio emergencial liberado

Exclusivo: 11 dos 22 criminosos mais procurados do Brasil têm auxílio emergencial liberado

O Fantástico teve acesso a um levantamento exclusivo que revela que mais de 27 mil foragidos, em todo o Brasil, tiveram o auxilio emergencial de R$ 600 aprovado durante a pandemia. Entre eles, estão 11 dos 22 criminosos mais procurados do país.

Do outro lado dessa história, está quem – comprovadamente – tem direito ao benefício, e mesmo assim, teve o cadastro recusado. “Sem esse dinheiro, eu não consigo fazer nada. Até pra comprar as coisas pros meus filhos está difícil”, conta Karine Souza Oliveira, de Minas Gerais.

O Tribunal de Contas da União deu um prazo de 48 horas para o governo se manifestar sobre problemas na concessão do auxílio emergencial. O TCU quer explicações sobre dificuldades de acesso às bases de informações da Receita, para definir quem tem direito ao benefício.

Inquérito das fake news

Canais do YouTube de investigados no inquérito das fake news por ataques ao STF foram financiados com verbas publicitárias de empresas estatais, segundo levantamento do jornal ‘O Globo’. Os dados, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, revelam que, “ao todo, mais de 28 mil anúncios da Petrobras e da Eletrobras foram veiculados nesses canais entre janeiro de 2017 e julho de 2019, antes e durante o governo Bolsonaro”.

Morre Nicolau dos Santos Neto

ex-juiz Nicolau dos Santos Neto morreu ontem, aos 91 anos, em São Paulo. Estava internado com pneumonia e suspeita de Covid-19. Ele ficou conhecido em 1998 no caso do superfaturamento na construção da sede do Fórum Trabalhista de São Paulo, na Barra Funda. Ele foi condenado em 2006 a 26 anos e 6 meses de prisão, de onde saiu no ano passado ao receber indulto por ter problemas de saúde.

Curtas e Rápidas:

Fonte: G1
Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 01 DE JUNHO DE 2020 NO G1

EM ALGUNS PAÍSES CÃES SÃO TREINADOS PARA FAREJAR E IDENTIFICAR INFECTADOS POR COVID-19

A missão destes cães é farejar o coronavírus

Países estão treinando cachorros para detectar imediatamente os infectados pela covid-19

MIGUEL ÁNGEL CRIADO

30 MAY 2020 – 12:25 BRT

Um dos labradores que estão sendo treinados no Reino Unido para detectar o coronavírus.Um dos labradores que estão sendo treinados no Reino Unido para detectar o coronavírus.MEDICAL DETECTION DOGS

Há um ano, uma revista médica publicou um estudo curioso com cães que sentiam o cheiro dos pés de crianças. Cerca de 200 crianças gambianas, 30 delas com malária, dormiram uma noite usando meias de nylon fornecidas por cientistas britânicos. Meses depois, dois cães cheiraram cada meia. Os resultados mostraram que os animais detectaram as crianças que estavam doentes, mesmo assintomáticas. Agora, com a pandemia de coronavírus, uma dúvida começou a circular na comunidade científica: será que cachorros também seriam capazes de farejar os contaminados pela covid-19? Cientistas de vários países estão realizando pesquisas em busca da resposta. E acreditam que sim.

Um deles é Steve Lindsay, entomologista da Universidade de Durham (Reino Unido). Dedicado à pesquisa na área de saúde pública, Lindsay foi um dos autores do estudo com crianças da Gâmbia. Naquela ocasião, conseguiram que dois cães da organização britânica Medical Detection Dogs (MDD), treinados para isso, detectassem a presença do Plasmodium falciparum, o agente patogênico que provoca a malária. E os cachorros fizeram isso muito bem. Na média, os dois cães detectaram 73,3% das 30 crianças com malária (o que indica uma alta sensibilidade) e 91% das 145 que não estavam doentes (indicador de especificidade). Mas a malária é causada por um protozoário, enquanto a covid-19 é provocada por um vírus. É como comparar um mamífero com uma planta.

“O causador da covid-19 é um organismo muito diferente do da malária, mas há evidências de que vírus diferentes produzem odores diferentes”, diz Lindsay. “Pode ser que o odor seja provocado pelo agente infeccioso em si, por seus metabólitos ou pelo dano causado no corpo”, acrescenta. “Não sabemos se a covid-19 tem [cheiro], mas vamos descobrir”, conclui.

Lindsay faz parte de um projeto financiado pelas autoridades britânicas para treinar seis cães da organização MDD na detecção do coronavírus. Já estão sendo coletadas amostras de vários hospitais de Londres. Os animais vão aprender a diferenciar o vírus em compostos orgânicos voláteis liberados por resíduos biológicos, como a urina, ou presos em máscaras. “Quando tivermos amostras suficientes, esperamos que os primeiros resultados cheguem em um período de oito a dez semanas”, diz Lindsay.

Diferentes resíduos humanos, fezes, urina, suor e o próprio ar exalado, liberam compostos orgânicos voláteis que fazem parte do chamado volatiloma. O sistema olfativo canino é tão sensível que é capaz de detectar concentrações de uma substância tão baixas como uma parte por trilhão. O acúmulo de estudos com pacientes com câncerParkinson ou doenças contagiosas indica que os cachorros também podem diferenciar entre o estado saudável ou patológico desse volatiloma, incluindo o provocado por vírus.

“Não sabemos o odor específico que detectam, mas sabemos que podem diferenciar entre determinadas infecções virais”, diz por e-mail Craig Anglet, codiretor do Programa de Ciências para o Desempenho Canino da Universidade de Auburn (EUA). Anglet foi o principal autor de um dos primeiros experimentos (ele acredita que seja o primeiro) de detecção de vírus com cães.

A pesquisa de Anglet, publicada em 2016, consistiu em treinar dois labradores retriever expondo-os a diferentes culturas celulares. Alguns estavam infectados com o vírus do herpes bovino (o objeto do estudo) e outros com o da influenza bovina, para medir sua capacidade de discriminação, enquanto uma terceira parte estava saudável. Depois de dois meses de treinamento, os dois cães alcançaram uma especificidade próxima de 100% ao localizar amostras com o vírus do herpes —um em 85% dos casos e o outro, em 96%. Mas agora não se trata de culturas celulares, mas de detectar humanos infectados, inclusive os assintomáticos.

“Um cão pode fazer uma varredura em 1.000 pessoas se aprende a detectar o cheiro do suor ou da respiração humana, por exemplo”, afirma a coordenadora do grupo de pesquisa DogRisk da Universidade de Helsinque (Finlândia), Anna Hielm-Björkman. Em um trabalho ainda não publicado, Hielm-Björkman comprovou que seus cães podem detectar determinados tipos de câncer. “Nem no câncer nem na covid-19 temos pistas do rastro que os cães identificam. Acreditamos que, nos dois casos, seria um coquetel de moléculas em metabólitos presentes na urina. No câncer, poderiam ser metabólitos resultantes do crescimento anormal dos tecidos e, na covid-19, poderiam vir da tempestade de citocinas”, explica.

Quer seja o odor do vírus ou do dano que ele provoca, pesquisadores finlandeses e britânicos, bombeiros franceses e veterinários dos EUA já estão realizando experimentos. Se funcionarem, logo poderá haver cães cheirando humanos nas fronteiras, nos aeroportos, na entrada de eventos de massa ou na porta de casas de repouso.

Fonte: El País

Continuar lendo EM ALGUNS PAÍSES CÃES SÃO TREINADOS PARA FAREJAR E IDENTIFICAR INFECTADOS POR COVID-19

DUAS FARMACÊUTICAS TOMAM ATITUDES. A MODERNA DÁ INÍCIO A TESTES COM VACINA E A SANOFI SUSPENDE USO DE CLOROQUINA

Moderna anuncia início de vacinas testes e Sanofi interrompe uso de cloroquina

Da CNN, em São Paulo

29 de Maio de 2020 às 19:36

Vacina, Covid-19Imagem ilustrativa de vacina contra a Covid-19

Duas farmacêuticas iniciaram nesta sexta-feira (29) uma etapa importante na luta contra o coronavírus. A Moderna divulgou que começou a administrar uma vacina experimental contra a Covid-19 em pacientes que participam de um estudo. Já a Sanofi interrompeu temporariamente o recrutamento de novos pacientes de Covid-19 para dois testes clínicos de hidroxicloroquina e, não fornecerá mais o remédio para tratar a doença até as dúvidas a respeito de sua confiabilidade serem esclarecidas.

A Moderna iniciará a aplicação das vacinas experimentais em participantes de um estudo intermediário e afirmou que poderá inscrever até 600 pacientes neste teste.

A empresa estendeu um acordo para garantir grandes volumes de lipídios usados para produzir sua vacina experimental contra Covid-19, enquanto a empresa de biotecnologia norte-americana procura aumentar a capacidade e produzir doses suficientes para atender à demanda global esperada.

A Moderna planeja fornecer milhões de doses por mês em 2020 e dezenas de milhões por mês em 2021, se a vacina for bem-sucedida.

Ainda não existem tratamentos ou vacinas aprovados para a Covid-19, e os especialistas preveem que uma vacina segura e eficaz pode levar de 12 a 18 meses desde o início do desenvolvimento.

Em outro estudo para o tratamento da doença, a farmacêutica Sanofi afirmou que não utilizará por enquanto a hidroxicloroquina e nem fornecerá mais o remédio para tratar pacientes.

A empresa vinha realizando dois testes clínicos aleatórios e controlados de hidroxicloroquina contra Covid-19. Esperava-se que o primeiro testasse 210 pacientes dos EUA, França, Bélgica e Holanda no estágio inicial da doença que não estavam hospitalizados, e o segundo se concentraria em cerca de 300 pacientes hospitalizados com Covid-19 moderada ou grave na Europa.

A decisão veio depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) parar seu grande teste de hidroxicloroquina, o que levou vários governos europeus a proibirem o uso do remédio, que é recomendado para tratar malária, artrite reumatoide e lúpus, mas que não tem comprovação de eficácia contra a Covid-19.

A Sanofi e a rival Novartis prometeram doar dezenas de milhões de doses do medicamento para Covid-19. No mês passado, a empresa francesa disse que já dobrou sua capacidade de produção em oito instalações e que se prepara para aumentá-la ainda mais.

Fonte: CNN

Continuar lendo DUAS FARMACÊUTICAS TOMAM ATITUDES. A MODERNA DÁ INÍCIO A TESTES COM VACINA E A SANOFI SUSPENDE USO DE CLOROQUINA

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 29 DE MAIO DE 2020

Por G1

O IBGE divulga o PIB no 1º trimestre, com o desempenho da economia brasileira diante da pandemia do novo coronavírus. O podcast O Assunto discute o isolamento social e a reabertura econômica: afinal, qual é o momento para afrouxar as medidas de restrição? E afinal, a crise nos deixou mais solidários ou individualistas? Uma live do G1 discute as lições que ficarão na vida em sociedade. E veja também: a Caixa conclui hoje o pagamento da 1ª parcela da ajuda de R$ 600 para novos aprovados. E a Receita paga o 1º lote do Imposto de Renda.

PIB

As medidas de isolamento social e os impactos da pandemia de coronavírus na atividade econômica vão afetar a economia do Brasil? A resposta sai hoje, com a divulgação do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) no 1º trimestre de 2020. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Em 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB cresceu 1,1%. Foi o desempenho mais fraco em três anos.

Já o Banco Central divulga pela manhã o resultado de abril e a parcial do ano das contas do setor público,que englobam o governo federal, estados, municípios e empresas estatais. Em março, foi registrado um déficit primário de R$ 23,655 bilhões.

Pandemia

Mortes por coronavírus no Brasil em 28 de maio — Foto: Reprodução / Ministério da Saúde

Mortes por coronavírus no Brasil em 28 de maio — Foto: Reprodução / Ministério da Saúde

Pelo 3º dia consecutivo, o Brasil registrou mais de mil mortes por coronavírus. O total chega a 26.754. Foram 1.156 registros nas últimas 24 horas. Em apenas um dia o país também registrou 26,4 mil novos casos de Covid-19, o maior aumento diário desde o início da pandemia.

O assunto

Qual é a hora de afrouxar o isolamento? A curva de casos de Covid-19 no Brasil segue em ascensão, mas várias capitais e estados começaram a relaxar as medidas de isolamento social. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o jornalista Raphael Faraco, da afiliada da TV Globo em Santa Catarina, que recorda o que aconteceu por lá, onde a reabertura do comércio fez o número de casos triplicar em 3 semanas. Participa também o reitor da Universidade Federal de Pelotas, Pedro Hallal. Doutor em epidemiologia, ele responde, entre outras perguntas: quais os critérios para começar a afrouxar a quarentena? Existe no Brasil alguma região onde convém fazer isso agora? Ouça:

Live do G1

Agora é Assim? A nova comunidade — Foto: G1Agora é Assim? A nova comunidade

Toda sexta-feira, o G1 vai promover um debate sobre as expectativas e as perspectivas de como será nossa realidade pós-pandemia do coronavírus. Quais novos hábitos, novas estruturas de organização, novas relações com a comunidade e com o mundo digital, entre outros, vão perdurar num futuro que todos torcemos para que chegue em breve? O que ficará de aprendizado dessa intensa experiência vivida por todos em 2020? O que nos fará questionar: agora é assim?

Nesta sexta-feira, às 19h, a live com transmissão simultânea no G1, Facebook e Twitter vai tratar de como será a nossa relação em comunidade, como o individualismo e o coletivismo vão se impor ou conviver nesse novo tempo. A repórter Paula Paiva Paulo conversa com o escritor e palestrante Clóvis de Barros Filho e a arquiteta e líder comunitária do Jardim Colombo, em São Paulo, Ester Carro.

Mande sua pergunta sobre a vida na pandemia.

Ajuda de R$ 600

 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens

A Caixa Econômica Federal (CEF) credita nesta sexta-feira os últimos lotes do Auxílio Emergencial tanto da primeira parcela, para novos aprovados, quanto da segunda, para beneficiários do Bolsa Família. Ao todo, o benefício será pago a 2,5 milhões de trabalhadores, segundo o banco. Veja quem recebe hoje:

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Imposto de Renda

 — Foto: Arte G1

A Receita Federal paga hoje as restituições do primeiro lote do Imposto de Renda 2020. Neste lote, serão pagos R$ 2 bilhões a 901.077 contribuintes. As consultas podem ser feitas por meio da página da Receita na internet ou pelo telefone 146, ou ainda por um aplicativo para tablets e smartphones.

PIS-Pasep

 — Foto: Reprodução / TV Globo

Termina nesta sexta-feira o pagamento do abono salarial PIS-Pasep do calendário 2019-2020, ano-base 2018, para os trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público. O PIS é pago na Caixa Econômica Federal, e o Pasep, por meio do Banco do Brasil.

Distúrbios nos EUA

Manifestante protesta do lado de fora da prefeitura contra a morte de George Floyd, em Minneapolis, no Estados Unidos, na quinta-feira (28) — Foto: Carlos Barria / ReutersManifestante protesta do lado de fora da prefeitura contra a morte de George Floyd, em Minneapolis, no Estados Unidos, na quinta-feira (28)

Minneapolis enfrentou mais uma noite de distúrbios, a terceira seguida. Grupos invadiram uma delegacia. Os manifestantes também incendiaram carros, imóveis e ainda há registros de saques e vandalismo. Os protestos se tornaram violentos em resposta a morte de um homem negro, George Floyd, na segunda-feira (25), sob custódia da polícia.

O governador de Minnesota, Tim Walz, chamou a ajuda da Guarda Nacional para conter os saques e tumultos em Minneapolis.

As manifestações também chegaram a Nova York: 30 pessoas foram presas ontem.

G1 ouviu

Lady Gaga — Foto: Divulgação / UniversalLady Gaga

Lady Gaga volta às origens em “Chromatica”, com letras diretas e eurodance escapista. No sexto álbum da carreira, americana retorna ao pop eletrônico mais frenético do final dos anos 2000. Ela convida Ariana Grande e Blackpink em álbum sem sutilezas. Leia o “faixa a faixa” comentado e veja ainda as 15 fases da cantora em figurinhas.

Webcrentes

Veja vídeos que brincam com temas religiosos no TikTok

Veja vídeos que brincam com temas religiosos no TikTok

Webcrentes do TikTok: quem são os jovens cristãos que fazem sucesso com pregações divertidas? Tendência no app ganhou força na quarentena. Seminarista virou meme com reinterpretação da ressurreição de Jesus, mas rede também tem padre“gótica cristã” e “otaku gospel”Veja vídeos.

Lives de hoje

Felipe Araújo, Daniela Mercury e Filipe Ret fazem lives nesta sexta (29) — Foto: Divulgação / Divulgação / CeliaSantosFelipe Araújo, Daniela Mercury e Filipe Ret fazem lives nesta sexta (29) 

Se apresentam nesta sexta Felipe Araújo, Daniela Mercury, Filipe Ret, Rosa de Saron, Karina Buhr e festival com Xamã, Delacruz e outros rappers. Veja a lista completa com horários.

Volta às aulas: 10 medidas em 7 países

Alunos do ensino médio voltam à sala de aula em Wuhan, na província de Hubei, na China — Foto: AFP PhotoAlunos do ensino médio voltam à sala de aula em Wuhan, na província de Hubei, na China .

Após decretarem o afrouxamento do isolamento social para conter a transmissão do novo coronavírus, países que estão voltando às aulas adotam medidas de prevenção para evitar uma nova onda de contaminação. O G1 analisou a experiência de China, Coreia do Sul, Dinamarca, Finlândia, França, Portugal e Israel para saber quais cuidados estão sendo tomados. No Brasil, as aulas estão suspensas em todos os estados e as escolas seguem fechadas.

Achatando a curva

Estudantes com máscaras passam por higienização das mãos e checagem de temperatura na chegada para a aplicação de um exame estadual durante a pandemia do coronavírus em Kochi, no estado de Kerala, suld a Índia — Foto: R S Iyer / AP PhotoEstudantes com máscaras passam por higienização das mãos e checagem de temperatura na chegada para a aplicação de um exame estadual durante a pandemia do coronavírus em Kochi, no estado de Kerala, suld a Índia —

Um estado da Índia tem chamado atenção mundial por seu sucesso no combate à pandemia do novo coronavírus. Kerala, no sul do país, conseguiu “achatar sua curva” de infecções apesar de fatores que favoreceriam o alastramento, como suas conexões com a comunidade internacional, poucos recursos e grande densidade populacional. Veja abaixo cinco pontos que ajudam o estado indiano.

Curtas e Rápidas:

  • Carioca organiza festa beneficente online para doar cestas básicas para brasileiros em Nova York
  • Procon-SP registra alto número de reclamações relacionadas a viagens; veja cuidados com ‘promoções incríveis’
  • SUV pode ser cupê? Tendência ganha força no mundo com lançamentos de grandes marcas
Fonte: G1
Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 29 DE MAIO DE 2020

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 28 DE MAIO DE 2020 NO G1

Por G1

 

Uma operação da PF contra grupos que espalham fake news e atacam instituições democráticas sacudiu o país. Bolsonaristas estão na mira da polícia: ouça em ‘O Assunto’. Saiu o pacote de R$ 60 bi do governo federal para ajudar os estados e municípios durante a pandemia. Enquanto o prefeito Bruno Covas detalha a flexibilização na cidade de São Paulo, outros 62 municípios do estado vão seguirão em quarentena. Veja quem recebe mais uma parcela de R$ 600 do Auxílio Emergencial. As faltas às sessões online na Câmara dos Deputados. E as lives de hoje, que já não estão tão em alta como no início do isolamento social.

Ajuda aos estados e municípios

Bolsonaro sanciona projeto de ajuda de R$ 60 bilhões a estados e municípios

Bolsonaro sanciona projeto de ajuda de R$ 60 bilhões a estados e municípios

O presidente sancionou com vetos o projeto que prevê ajuda financeira de R$ 60 bilhões a estados e municípios. Jair Bolsonaro acolheu os vetos sugeridos pela equipe econômica do governo. Ele vetou um trecho que abria exceções em relação ao congelamento dos salários de servidores – com isso, não haverá reajustes para servidores até o final do ano que vem – e outro que permitia a estados e municípios suspender o pagamento das dívidas com bancos e organismos internacionais.

Operação da PF

Operação contra fake news tem como alvo empresários aliados ao presidente Bolsonaro

Operação contra fake news tem como alvo empresários aliados ao presidente Bolsonaro

A Polícia Federal (PF) cumpriu 29 mandados de busca e apreensão como parte do inquérito que apura grupos de disseminação de fake news e ataques a instituições nas redes sociais. Entre os alvos estão aliados do presidente Jair Bolsonaro, como o ex-deputado federal Roberto Jefferson; os empresários Luciano Hang, dono da Havan, e Edgard Corona, dono das redes de academia SmartFit e BioRitmo; o humorisa Reynaldo Bianchi Júnior; e os blogueiros Allan dos Santos, Winston Lima e Sara Winter.

Horas após a operação ter sido deflagrada, o atual PGR, Augusto Aras, pediu ao STF a suspensão do inquérito das fake news.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário de suspeitos, e o Planalto já teme que a medida repercuta em ações para cassação do mandato de Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro defende reagir energicamente contra STF

Eduardo Bolsonaro defende reagir energicamente contra STF

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, cogitou a necessidade de adoção de “medida enérgica” pelo pai. Ele falou ainda em “momento de ruptura” e disse que a questão não é de “se”, mas, sim, de “quando” isto vai ocorrer.

Bolsonaro critica operação contra fake news em rede social

Bolsonaro critica operação contra fake news em rede social

Bolsonaro comentou nas redes sociais que “algo de muito grave está acontecendo com nossa democracia”.

Fake news e bolsonaristas na mira da PF

Empresários, ativistas e blogueiros que apoiam o presidente Jair Bolsonaro. Eles foram alvo de uma operação da PF, por ordem do STF, no inquérito que investiga a disseminação de fake news. Justamente uma das investigações que mais preocupam o presidente. Quem explica a investigação, os alvos, os indícios e o que acontece agora é a repórter da Globo em Brasília Camila Bomfim. Participa também Pablo Ortellado, filósofo e professor da USP que investiga a disseminação de notícias políticas, falsas ou não, na internet.

Covas detalha flexibilização em São Paulo

Plano do governo de São Paulo para flexibilização da quarentena — Foto: Governo de SP / DivulgaçãoPlano do governo de São Paulo para flexibilização da quarentena

Plano do governo de São Paulo para flexibilização da quarentena no estado — Foto: Governo de SP / DivulgaçãoPlano do governo de São Paulo para flexibilização da quarentena no estado — Foto: Governo de SP / Divulgação

O governo de São Paulo anunciou a prorrogação da quarentena no estado por 15 dias, com flexibilizações e aberturas econômicas progressivas, que serão feitas em cinco fases levando em conta as características de cada município. Na capital paulista, o prefeito Bruno Covas explica hoje os detalhes das flexibilizações.

62 cidades de SP seguirão em quarentena

Governo anuncia plano de retomada da economia

Governo anuncia plano de retomada da economia

Dos 645 municípios paulistas, ao menos 62 deles não poderão reabrir parte do comércio a partir de 1º de junho porque ainda estão na fase vermelha do plano estadual de combate ao coronavírus. As cidades que continuarão em quarentena após essa data estão nas regiões da Grande São Paulo (com exceção da capital), Baixada Santista e Registro, essas duas últimas no litoral.

Ajuda de R$ 600

 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens Caixa Econômica Federal (CEF) credita nesta quinta-feira novos lotes do Auxílio Emergencial.

Ao todo, o benefício será pago a 2,5 milhões de trabalhadores. Veja quem recebe nesta quarta:

  • Primeira parcela: 600 mil trabalhadores do novo lote de aprovados do benefício, nascidos em novembro
  • Segunda parcela: 1,9 milhão de trabalhadores beneficiários do Bolsa Família, cujo NIS termina em 9

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

  • Veja calendário da 2ª parcela
  • Saiba tudo sobre o Auxílio Emergencial
  • Blog do Altieres Rohr: Auxílio emergencial – o que fazer quando se recebe um código não solicitado? Como conferir se o CPF foi usado em uma fraude?
  • Imigrantes enfrentam dificuldades para acessar o Auxílio Emergencial em SP
  • Sem trabalho na pandemia? Veja dicas de como conseguir uma renda extra

Rússia não convence

Médica descansa em hospital de Moscou — Foto: Maxim Shemetov / ReutersMédica descansa em hospital de Moscou

Com 370 mil casos registrados do novo coronavírus, atrás apenas dos EUA e do Brasil, o baixo número de mortes na Rússia — cerca de 4 mil, que equivalem à taxa ínfima de 27 para cada milhão de pessoas — leva a crer que o governo esteja maquiando os dados e que a situação é bem mais grave do que as estatísticas oficiais revelam. Nos EUA, a taxa de letalidade é de 305 por milhão; no Brasil, 116. Leia no blog da Sandra Cohen.

Deputados ‘faltam’ a sessões online

Plenário da Câmara vazio durante sessão — Foto: Maryanna Oliveira / Câmara dos DeputadosPlenário da Câmara vazio durante sessão

Em dois meses de sessão online durante a pandemia, apenas 13 deputados participam de todas as votações nominais da Câmara. Levantamento mostra que foram realizadas 64 votações nominais durante a quarentena. Parlamentares culpam falhas na conexão de internet e criticam sistema de votação virtual. Câmara afirma que o sistema ‘nunca apresentou qualquer falha de funcionamento contundente’. Especialista afirma que, com ‘plenário no bolso’, há poucos motivos para não votar.

Desemprego em abril

Saem hoje dados de abril do desemprego. A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,2% no 1º trimestre, atingindo 12,9 milhões de pessoas.

Lives

Fonte: YouTube e assessoria dos artistas — Foto: G1

O fenômeno das lives continua, mas em patamar menor do que há um mês. As principais transmissões do último final de semana tiveram menos audiência que as anteriores dos mesmos artistas. As buscas por lives também caíram.

Emicida, Supla e João Bosco e Vinícius fazem lives nesta quinta-feira (28) — Foto: DivulgaçãoEmicida, Supla e João Bosco e Vinícius fazem lives nesta quinta-feira (28) 

Hoje tem Emicida, Supla, João Bosco & Vinícius, Thaíde e festival americano Noisey Night In com Phoebe Bridgers, Finneas, Claud, Alex Lahey, Beach Bunny e Faye Webster. Veja lista e como assistir.

  • Setor da música está preocupado e sem saber o que vai acontecer, diz Paula Lima sobre pandemia
  • De Travis Scott a Pabllo Vittar: Veja quem já fez shows em games e o que está marcado
  • ‘Pesadão’ na faxina e ‘Love by grace’ para cortar cabelo: o que o Brasil ouve em casa na quarentena

Curtas e Rápidas:

Foto mostra homem como se estivesse voando em uma comunidade — Foto: Reprodução / Favelagrafia Foto mostra homem como se estivesse voando em uma comunidade

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 28 DE MAIO DE 2020 NO G1

ESTUDO CLÍNICO REVELA QUE CLOROQUINA NÃO FOI EFICAZ NA ESPANHA

Um em cinco hospitalizados na Espanha por covid-19 morreu, e cloroquina foi usada em 85% dos casos

Maior estudo clínico sobre a Covid-19 no país mostra que o paciente médio é um homem de 69 anos

Madri – 27 MAY 2020 – 21:12 BRT

Uma paciente é preparada para radiografia no hospital Gregorio Marañón, em Madri.Uma paciente é preparada para radiografia no hospital Gregorio Marañón, em Madri.

Cada vez que um paciente de covid-19 é internado médicos ―geralmente clínicos gerais― precisam preencher uma ficha com mais de 300 variáveis. Esses 45 minutos de burocracia por doente acabaram sendo cruciais para estudar e entender a doença. A Sociedade Espanhola de Clínica Médica (SEMI, na sigla em espanhol) publicou nesta quarta-feira um estudo preliminar, realizado com 12.200 pacientes em 150 hospitais espanhóis desde o começo da pandemia. Se somado o tempo necessário para preencher as fichas de todos esses doentes, daria um ano inteiro, usando as 24 horas do dia, sete dias por semana. A maior análise clínica já feita no país revela, entre outras coisas, que um em cada cinco hospitalizados com o coronavírus SARS-CoV-2 morreu, e um de cada três sofreu insuficiência respiratória aguda.

O estudo ainda é preliminar (foram incluídos até agora 6.424 pacientes de 109 hospitais) e falta uma revisão por parte de especialistas, mas suas conclusões devem reiterar muito do que já se sabia sobre a doença e oferecer detalhes úteis para compreendê-la. Como observa Pedro Gullón, membro da Sociedade Espanhola de Epidemiologia, é preciso levar em conta que se trata de pacientes hospitalizados, de modo que não se podem tirar conclusões sobre índices de letalidade, já que só estão sendo observados os casos mais graves. “Em todo caso, é uma boa notícia esta integração de dados de pacientes clínicos”, salienta.

Um dos aspectos que o estudo corrobora é a diferença da gravidade da doença em função da idade: entre 50 e 59 anos, morriam quatro em cada 100 hospitalizados. Entre maiores de 80, o índice subia para 42,5%, e acima de 90 passava da metade. “Em um país com tanta população idosa com comorbidades [coexistência de duas ou mais doenças em um mesmo indivíduo], isto é algo muito importante”, observa Ricardo Gómez Huelgas, presidente da SEMI e um dos signatários do estudo.

A mediana de idade dos pacientes que aparecem no estudo é de 69,1 anos. Destes, 56,9% eram homens. As comorbidades mais frequentemente detectadas são: hipertensão (50,2%), dislipidemia (um aumento da concentração plasmática de colesterol e lipídios no sangue, 39,7%) e diabetes mellitus (18,7%). Os sintomas informados à chegada do hospital são, predominantemente, febre (86,2%) e tosse (76,5%).

A maioria dos pacientes recebeu tratamento experimental contra o SARS-CoV-2. Os fármacos antivirais mais utilizados foram a hidroxicloroquina (85,7%) e o lopinavir/ritonavir (62,4%). A cloroquina foi uma das grandes esperanças contra o coronavírus, sendo aplicada nos estágios iniciais da hospitalização e incluída em um experimento maciço que a Organização Mundial da Saúde (OMS) determinou que fosse suspenso nesta semana depois da publicação de um estudo na revista The Lancet que advertia para uma associação entre a hidroxicloroquina e uma maior mortalidade.

Esse estudo analisou mais de 96.000 pacientes de 671 hospitais do mundo onde a cloroquina e sua derivada, a hidroxicloroquina, foram usadas como possível tratamento contra o coronavírus. Nenhum desses compostos mostrou benefício para os doentes hospitalizados pela covid-19, mas aumentou o risco de arritmias e morte.

Gómez Huelgas pede cautela na interpretação desse estudo. “Mostram uma associação, em nenhum caso uma relação de causa-efeito. Há no estudo uma altíssima percentagem de pacientes com ventilação mecânica, por isso pode ser que haja um viés para doentes mais graves e isso possa explicar a mortalidade. Em dados ainda muito preliminares que ainda não publicamos, não encontramos essa associação entre a hidroxicloroquina e uma maior mortalidade”, afirma.

O estudo, prossegue o presidente da SEMI, é um primeiro passo do qual partem mais de 60 pesquisas. “Estamos tentando gerar conhecimento com a experiência clínica de ter tratado muitos pacientes. Geraremos critérios evolutivos, estamos desenvolvendo uma calculadora prognóstica para poder predizer com maior segurança quais pacientes têm mais riscos de evoluir desfavoravelmente e quais a priori podem melhorar”, conclui.

Fonte: El País

Continuar lendo ESTUDO CLÍNICO REVELA QUE CLOROQUINA NÃO FOI EFICAZ NA ESPANHA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar