Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL NA ÁREA DE INOVAÇÃO TEM DUAS PARTICIPANTES DA ECT DA UFRN

Estudantes da UFRN participam de competição internacional na área de inovação

Redação/Portal da Tropical

 – Atualizado em: 

Educação na UFRN | Foto: Cícero Oliveira

Duas estudantes da Escola de Ciência e Tecnologia (ECT), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) estão participando do programa Red Bull Basemant, uma espécie de competição internacional que reúne representantes de países de todo o mundo, com o objetivo eleger as melhores ideias inovadoras para aplicar no ambiente universitário. Ana Augusta de Carvalho Rangel e Luíza Bastos Moreno representam o Brasil e a UFRN com um projeto na área de inovação tecnológica.

“A gente resolveu aplicar nossos conhecimentos em um projeto voltado à UFRN e aos seus estudantes” diz Ana Augusta, explicando a ideia que consiste na criação de uma plataforma com informações sobre os projetos da UFRN nas áreas de pesquisa e extensão e outros da própria comunidade estudantil que, colocados de forma acessível para todos os estudantes, possibilita uma  maior integração e interação entre eles.

Segundo ela, muitos dos seus colegas estudantes têm ideias que não põem em prática porque, sozinhos, não dominam todas as habilidades necessárias. Hipoteticamente explica: “Se um aluno de Administração precisar resolver um problema usando, por exemplo, ferramentas tecnológicas as quais não domina; por meio da plataforma, que pretendemos disponibilizar, ele poderá buscar a ajuda de um estudante de Engenharia da Computação, de maneira que possa tocar sua ideia.”

A plataforma Konect propõe centralizar a criatividade e habilidades do universitário, transformando-as em resultado para o ecossistema. Além disso, todos os resultados dos projetos dispostos serão constantemente atualizados promovendo a transparência na comunidade universitária sobre produções que forem desenvolvidas a partir dos projetos como artigos, patentes etc.

As autoras acreditam que a plataforma Konect, além de incentivar  o protagonismo na sociedade, também vai  incentivar a execução de ideias inovadoras.

A seleção dos projetos que concorrem no Red Bull Basemant acontece até esta quinta-feira (29).  E qualquer pessoa pode votar no projeto das alunas da ECT, bastando para isso acessar o link com o vídeo de apresentação do projeto na competição: https://basement.redbull.com/pt-br/projects/3342

Continuar lendo COMPETIÇÃO INTERNACIONAL NA ÁREA DE INOVAÇÃO TEM DUAS PARTICIPANTES DA ECT DA UFRN

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ATÉ MESMO AS PREVISÕES MAIS OTIMISTA NA EUROPA SÃO SUPERADAS COM AS VENDAS DE CARROS ELÉTRICOS

O meio ambiente agradece mais uma vez a CIÊNCIA, a TECNOLOGIA e ao COMPORTAMENTO humano. O destaque deste sábado, aqui na coluna ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE é por conta da indústria automobilista que está de parabéns com a produção de carros elétricos que está cada vez maior e derruba todas as previsões para o ano de 2021. Leia o artigo a segui r e saiba o porquê!  

As vendas de carros elétricos na Europa quebraram até mesmo as previsões mais otimistas

Andrew Robert

Em 2021, um em cada sete carros vendidos na UE será elétrico, e as vendas, produção e inovação em geral estão crescendo nas grandes economias da Europa devido às rígidas regulamentações de emissões de CO2 do Parlamento Europeu.

As vendas de carros elétricos devem  ter triplicado este ano em comparação a 2019, e devem subir para até 15% da participação de mercado total em 2022, antes de atingir o teto.

Os regulamentos, que foram escalonados ao longo da última década, continuarão cambaleando até 2030, quando uma série de acordos internacionais e metas estabelecidas para ajudar a prevenir o pior da crise climática virão.

O grupo de reflexão sobre políticas verdes, Transporte e Meio Ambiente, resume os dados de um relatório publicado por eles que rastreia o cumprimento da meta de CO2 e as vendas de carros elétricos no setor automotivo da UE, declarando: “As vendas de carros elétricos estão crescendo graças aos padrões de emissões da UE. No próximo ano, um em cada sete carros vendidos na Europa será um plug-in. Os fabricantes da UE estão de volta à corrida de EV ”.

Os padrões de emissões da UE que entrarão em vigor no próximo ano são mais rigorosos, sugerindo um impulso para veículos movidos a combustíveis fósseis mais limpos e maior produção de veículos elétricos.

“Em 2021, o valor máximo da média da frota para carros novos na UE é de 95 gramas de dióxido de carbono por quilômetro”, escreve Electrive , um site da indústria de transporte elétrico da UE.

Eles fazem referência a um relatório da mídia baseado em vazamentos de que os parlamentares da UE querem aumentar as já rígidas restrições de 37,5% até 2030 para 50%, o que atraiu a ira de grupos da indústria automotiva alemã que dizem que as restrições já são muito ambiciosas. As restrições anteriores foram aprovadas com mais de 500 votos “sim” a menos de 100 votos “não”, então os políticos de mente verde podem achar que restrições mais intensas são possíveis.

Já existem alguns fabricantes de automóveis cujas frotas atendem aos padrões atuais e não precisariam ser muito alteradas para cumprir o aumento de 2021. Trata-se do Grupo PSA, que inclui Vauxhall, Peugeot, Citroen e Opel, bem como Tesla, Volvo e BMW.

A Renault, a Nissan, a associação Toyota-Mazda e a Ford precisam apenas reduzir os níveis de emissão total da frota em dois gramas para atender aos padrões atuais.

Fonte: goodnewsnetwork.org

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ATÉ MESMO AS PREVISÕES MAIS OTIMISTA NA EUROPA SÃO SUPERADAS COM AS VENDAS DE CARROS ELÉTRICOS

TECNOLOGIA: UMA BATERIA REVOLUCIONÁRIA VAI TORNAR OS CARROS ELÉTRICOS MAIS COMPETITIVOS

A invenção que faltava para tornar os carros elétricos competitivos com os a combustão interna finalmente chegou ao mercado e é o destaque da nossa coluna TECNOLOGIA desta terça-feira. Uma startup, com o apoio da Volkswagen está construindo uma bateria que vai carregar o carro em 15 minutos. Este é apenas uma das melhorias tecnológicas dessa inovação tecnológica. Então leia o artigo a seguir completo e conheça as outras novidades!

Esta startup apoiada pela Volkswagen está construindo uma bateria revolucionária para carros elétricos

Volkswagen

Quando um empresário percebeu que todas as reclamações comuns com veículos elétricos se originavam da bateria e não do carro em si, ele criou um sistema de bateria totalmente novo para eles – e ganhou o apoio da gigante automotiva Volkswagen no processo.

Longos tempos de carregamento, alcance limitado, custos mais elevados, peso e espaço limitado na cabine: todos esses são argumentos de venda negativos que têm a ver com a natureza dos veículos elétricos (EVs) alimentados por bateria, parcialmente porque a tecnologia neles tem sido até agora limitado a bancos de baterias de íon-lítio de tamanho cada vez maior.

Jagdeep Singh abriu uma empresa chamada QuantumScape que usa tecnologia de estado sólido para suas baterias.

Graças à avaliação imediata de investidores como Bill Gates, o QuantumScape agora vale US $ 3,3 bilhões, e os principais patrocinadores da Volkswagen já se comprometeram a usar a tecnologia de Singh em sua próxima geração de VEs em 2024.

Além de apresentar os problemas de custo, tamanho e tempo de carregamento, as baterias de íon de lítio requerem materiais conhecidos como minerais de terras raras – que tendem a ser caros e ambientalmente destrutivos para a mineração.

Substituindo o eletrólito de ânodo de grafite-silício líquido no centro de uma bateria de íon-lítio por um material cerâmico sólido, as baterias do QuantumScape fornecem densidade de energia significativamente aumentada e custo mais baixo, além de remover um risco de incêndio significativo na forma de ânodo líquido.

Mais importante, porém, uma bateria de estado sólido pode ir de 0% de carga a 80% em apenas 15 minutos – velocidade da luz em comparação com seus concorrentes.

Isso não apenas tornará os VEs viáveis ​​para coisas como viagens de férias, mas também como transporte para uma classe inteiramente nova de consumidores: proprietários de apartamentos. Os motoristas de EV com garagens puderam carregar durante a noite, tornando a questão do alcance um não-problema.

Volkswagen

No entanto, esperar 12 horas em postos públicos de recarga está fora de questão para aqueles que querem ajudar a acelerar a transição dos combustíveis fósseis, mas não têm uma garagem ou acesso externo confiável à eletricidade para carregar seus carros.

O que você precisa fazer é tornar os carros elétricos competitivos com os motores de combustão em todas as métricas ”, disse Singh em um artigo da Fast Company .

“Essas métricas incluem não apenas o custo, mas também o alcance, o tempo de carga, a segurança e a vida útil do carro. E é exatamente por isso que estamos fazendo o que fazemos com as baterias de estado sólido.

“Acreditamos que isso também permite que as montadoras façam carros elétricos muito mais próximos dos concorrentes com motores de combustão do que as baterias tradicionais.

“Então, pensamos que esse tipo de inovação é exatamente o que é necessário para que as pessoas comecem a substituir seus carros a combustão por veículos elétricos na próxima vez que forem ao mercado comprar um carro.”

Fonte: Good News Network

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA BATERIA REVOLUCIONÁRIA VAI TORNAR OS CARROS ELÉTRICOS MAIS COMPETITIVOS

BOAS NOTÍCIAS: TECIDO CAPAZ DE ELIMINAR COVID EM 2 MINUTOS JÁ ESTÁ NO MERCADO

texto

Chega ao mercado tecido capaz de eliminar Covid em 2 minutos

É do Brasil!!!! Pelo menos cinco empresas já estão usando o tecido capaz de eliminar Covid-19 em 2 minutos. A tecnologia, desenvolvida por pesquisadores da UFSCar, em São Carlos, no interior de São Paulo, foi mostrada no mês passado aqui no SóNoticiaBoa.

O tecido tem nanopartículas de prata e sílica – mil vezes menores do que um grão de areia – e já está sendo utilizado para a fabricação de roupas e, em especial, jalecos para profissionais da saúde.

A tecnologia foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em parceria com a empresa de tecnologia Nanox, com apoio da Fapesp, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

“Esse composto matou 99,9% do coronavírus e a vantagem deste produto é que ele tem durabilidade de dois anos, aguenta pressão e aguenta temperatura”, explicou o pesquisador e professor do Instituto de Química da UFSCar, Elson Longo.

O diretor de tecnologia da Nanox, Gustavo Simões, disse que o composto provoca uma reação química que produz um tipo de água oxigenada, capaz de eliminar o vírus.

“Com algumas tecnologias você pode reduzir o tempo de contaminação e a contaminação cruzada, que muitas vezes a gente se contamina por tocar numa superfície e levar a mão aos olhos ou a boca”, disse.

Testes

Para testar a eficácia, a tecnologia também foi analisada pelos pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), que separaram amostras do tecido com e sem nanopartículas de prata e sílica em tubos que continham grandes quantidades do vírus.

Ao fim do estudo, os pesquisadores concluíram que nas amostras em que os tecidos com nanopartículas foram colocados 99,9% das cópias do novo coronavírus presentes nas células foram inativadas após dois a cinco minutos de contato.

O material ainda passou por testes para avaliar o seu potencial alérgico, fotoirritante e fotossensível.

“É um método totalmente novo na literatura, eficaz para a eliminação de bactérias, fungos e vírus. De certa forma, é uma tecnologia simples, que age por meio da oxidação”, explicou Longo.

Lavagem

Os pesquisadores ainda devem estudar a duração do efeito antiviral do tecido, já que no caso da ação antibacteriana e fungicida a propriedade dura em torno de 30 lavagens.

“Como o material apresenta essa propriedade bactericida mesmo após 30 lavagens, provavelmente mantém a atividade antiviral por esse mesmo tempo”, disse o diretor da Nanox, Gustavo Simões.

Longo também informou que as pesquisas devem continuar em parceria com institutos na França e Espanha para testar o combate de superbactérias.

Vendas

O tecido criado pelos pesquisadores está sendo usado por pelo menos cinco empresas do interior de São Paulo e é uma proteção barata contra o vírus.

O custo de produção do tecido especial para um normal é apenas 5% maior.

As empresas que estão trabalhando com a tecnologia são Ebraz, em Itu; Saltorelli Têxtil, em Americana; Textil PBS, em Nova Odessa; Delfim, em Sorocaba; e Marco Pólo Têxtil, em Guarulhos.

Com informações do G1

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: TECIDO CAPAZ DE ELIMINAR COVID EM 2 MINUTOS JÁ ESTÁ NO MERCADO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho