Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA DO G1

Por G1

 


O Brasil tem 487 mortos e mais de 11,2 mil casos confirmados de coronavírus. A Caixa deve anunciar as datas de pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 a informais. Em São Paulo, o governador João Doria deve decidir se prorroga ou não as restrições para evitar o avanço da doença. Trump diz que os EUA começam a distribuir 8 milhões de máscaras para hospitais em meio à “guerra” por equipamentos médicos e de proteção. No podcast O Assunto, a quarentena de Gilberto Gil e Preta. E veja como fazer compras de mercado sem precisar sair de casa.

Coronavírus no Brasil

O Brasil tem 487 mortes e 11.281 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, segundo balanços das secretarias estaduais de Saúde. Apenas dois estados não registraram mortes: Acre e Tocantins.

O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde de domingo (5), aponta 486 mortes e 11.130 casos.

Em São Paulo, o governador João Doria deve anunciar nesta segunda-feira (6) se prorroga ou não a quarentena imposta em todo estado. O decreto, previsto para vigorar até esta terça-feira (7), obrigou o comércio de serviços não essenciais a fechar desde 24 de março.

No Ceará, o governador Camilo Santana anunciou na noite deste domingo (6) que revogou a decisão que havia tomado horas mais cedo de relaxar a quarentena no estado.

Pesquisa Datafolha

Segundo pesquisa Datafolha, 76% dos brasileiros acreditam que o mais importante neste momento é deixar as pessoas em casa. Outros 18% querem acabar com o isolamento, e 6% não sabem.

O instituto entrevistou 1.511 pessoas por telefone entre os dias 1º e 3 de abril e também perguntou sobre a opinião das pessoas sobre fechar o comércio não essencial, suspender aulas e e proibir pessoas que não trabalham em serviço essencial de de sair de casa. A margem de erro da pesquisa é de três pontos.

Chance de tratamento

Um consórcio entre três hospitais paulistas – Hospital Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês e Hospital das Clínicas – recebeu a autorização de iniciar testes clínicos de um possível tratamento contra a Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus).

A técnica, aprovada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), baseia-se no plasma de um paciente curado.

O plasma é a parte líquida do sangue em que ficam os anticorpos produzidos pelo organismo para combater o vírus. Retirada de pacientes recuperados, a substância pode ser aplicada em alguém que tenha um quadro grave da Covid-19. ENTENDA

Pesquisadores analisam sangue de curados do coronavírus atrás de tratamento

Pesquisadores analisam sangue de curados do coronavírus atrás de tratamento

Auxílio emergencial

O calendário para o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 aos trabalhadores informais deve ser anunciado nesta segunda-feira (6) pela Caixa Econômica Federal.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse na sexta-feira (3) que será usado um aplicativo para celulares para identificar os trabalhadores informais que não estão em nenhum cadastro do governo, mas têm direito de receber o benefício.

O benefício é uma das medidas de alívio à crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus. Ele se destina a pessoas sem carteira assinada e renda fixa, afetadas pelas medidas de isolamento social adotadas para conter a velocidade da Covid-19 no Brasil.

‘Guerra’ por equipamentos

Trump durante coletiva — Foto: REUTERS/Joshua Roberts

Trump durante coletiva — Foto: REUTERS/Joshua Roberts

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste domingo (5) que 8 milhões de máscaras e 300 milhões de luvas começaram a ser distribuídas em todo o país.

“Todos esses materiais serão distribuídos diretamente para os hospitais”, disse Trump em entrevista coletiva. O governo dos EUA já foi acusado de desviar equipamentos, incluindo máscaras, que iriam para Alemanha, França e Brasil.

Segundo o presidente dos EUA, 1,6 milhão de norte-americanos já foram testados para o coronavírus. “Nós temos um grande sistema agora, estamos trabalhando com os estados”, disse.

Os EUA são o país com o maior número de infectados pela doença. São mais de 330 mil casos confirmados, com mais de 9,5 mil mortes.

O estado de Nova York segue como epicentro da doença. Um tigre de 4 anos testou positivo para a doença no zoológico do Bronx. Esse pode ser o primeiro caso de infecção pelo vírus em um animal nos Estados Unidos e também o primeiro em um tigre no mundo, de acordo com o “The New York Times”.

Nadia, uma tigresa malaia de 4 anos, no Zoológico do Bronx, em Nova York, em imagem se data; a instituição informou, em 5 de abril de 2020, que o animal testou positivo para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) — Foto: Reuters

Nadia, uma tigresa malaia de 4 anos, no Zoológico do Bronx, em Nova York, em imagem se data; a instituição informou, em 5 de abril de 2020, que o animal testou positivo para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) — Foto: Reuters

Esperança na Europa

O número de mortos pelo coronavírus na Itália no fim de semana foi de 525, o mais baixo em duas semanas, anunciou neste domingo a Defesa Civil. O balanço representa uma redução de 25% em relação às mortes anunciadas no sábado, quando 681 foram registradas.

“São boas notícias, mas não deveríamos baixar a guarda”, disse o chefe da Defesa Civil, Angelo Borrelli. “A curva começou sua queda”, comemorou o chefe do Instituto Superior de Saúde, Silvio Brusaferro. A redução do número de mortos “é um dado muito importante”, assinalou.

Na Espanha, o número de mortos diários por coronavírus caiu neste domingo (5) pelo terceiro dia consecutivo, com 674 mortes em 24 horas, o que eleva o balanço total para 12.418 pessoas. Foi o menor número de óbitos dos últimos dez dias no país, o segundo com mais mortes no mundo.

No Reino Unido, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de 55 anos, foi internado neste domingo (5) para realizar exames por seguir apresentado sintomas relativos ao coronavírus. Mesmo com a internação, Johnson segue no comando do governo e mantém contato com integrantes do seu gabinete.

E neste domingo, a rainha Elizabeth II fez um discurso no qual elogiou o espírito nacional dos britânicos e pediu que a população supere o tempo de “dor” e “enormes mudanças” que a pandemia do coronavírus trouxe.

No raro pronunciamento, o 5º no seu reinado, a soberana de 93 anos agradeceu aos britânicos que estão permanecendo em casa para evitar a propagação da doença e destacou o esforço dos profissionais do sistema público de saúde.

São quase 5 mil vítimas em decorrência da Covid-19 no Reino Unido.

Rainha Elizabeth II faz pronunciamento para tranquilizar população sobre o coronavírus

Rainha Elizabeth II faz pronunciamento para tranquilizar população sobre o coronavírus

O Assunto

A quarentena de Gilberto Gil e Preta Gil. O pai está na serra fluminense. A filha, na cidade do Rio de Janeiro, depois de encarar sozinha, em São Paulo, a infecção pelo novo coronavírus. Para ele, o isolamento social não é de todo estranho, além de oferecer oportunidades de reflexão e recomeço. Ela conta como Gil a ajuda, mesmo à distância. Na conversa com Renata Lo Prete, os dois também revelam seus planos para o “depois” e cantam juntos a música da quarentena. Ouça acima

Preciso ir ao mercado. E, agora?

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que as pessoas fiquem em casa para diminuir a disseminação do novo coronavírus. No Brasil, a população tem feito o isolamento social e saído de casa apenas para as atividades essenciais. Os idosos e as pessoas do grupo de risco, principalmente, devem evitar sair de casa. Mas como comprar comida e bebida sem sair de casa?

G1 fez um vídeo que mostra o passo a passo para fazer as compras do supermercado sem sair do sofá de casa por meio de um aplicativo na capital de São Paulo. Dependendo da cidade, além de aplicativos, ainda é possível pedir os produtos do mercado por sites, mensagem no WhatsApp e até ligação.

Quando essas opções não funcionam, a pessoa pode entregar a lista do mercado para vizinhos, amigos, familiares e até para entregadores de confiança.

Saudades do barulho?

Muita gente que nunca tinha feito home office foi obrigado a aderir à prática por causa da pandemia do coronavírus. Pensando em quem sente falta da movimentação e do barulho de seus colegas de trabalho, alguns serviços oferecem sons ambientes de lugares como cafeterias, livrarias e restaurantes.

A ideia é apoiada por um estudo sobre criatividade da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, que indica que um nível médio de ruído ajuda o cérebro a pensar de forma abstrata. Tem até sons de chuva e até cenários fictícios.

Curtas e rápidas

Após ter alta médica da UTI, prefeito de São Bernardo do Campo chora em vídeo de agradecim

Após ter alta médica da UTI, prefeito de São Bernardo do Campo chora em vídeo de agradecimento

Continuar lendo

PONTO DE VISTA: DÓRIA TRATA O CONDENADO LULA COMO CIDADÃO HONRADO E DÁ TIRO NO PÉ

Caro(a) leitor(a),

Como observador do cenário político nacional me sinto na obrigação de mantê-lo(a) bem informado sobre os atores da política atual para que possa formar sua OPINIÃO pessoal e votar certo nas próximas eleições, pois só assim conseguiremos separar o joi do trigo e tirar o Brasil desse lamaçal político, econômico e social em que se encontra. Em edições anteriores da coluna PONTO DE VISTA mostrei a real face do governador de São Paulo, João Dória, que tem um projeto de poder definido e caminha a passos firmes nessa trajetória, passando por cima da ética e do compromisso com o povo. Nesta edição de segunda-feira trago mais um exemplo do seu comportamento inescrupuloso com acenos para o criminoso condenado em dois processos em 2ª instância, que cumpre pena o ex-presidiário Lula da Silva. Assista ao comentário do gestor público Paulo Martins, colaborador da Jovem Pan.

Fonte:

Continuar lendo

ANÁLISE POLÍTICA: MAIORIA NÃO QUER QUE BOLSONARO RENUNCIE, POR J. NÊUMANNE PINTO

Quando se ventila a possibilidade de um presidente da república, eleito democraticamente pela maioria da população, renunciar é porque alguma coisa muito séria está errada ou acontecendo nesse governo. A fora toda essa confusão política gerada pela forte polarização, existe uma forte insatisfação no seio da sociedade pairando no ar. O que será hein? Confira no comentário de José Nêumanne Pinto deste domingo.

Fonte:

Continuar lendo

ECONOMIA: SERÁ QUE JÁ É TARDE DEMAIS PRA ESCAPAR DA ARMADILHA CHINESA?

Caro(a) leitor(a),

Faço aqui um pequeno comentário sobre o artigo a seguir que é um grande alerta para todos os países ocidentais e em especial ao Brasil, pois estamos subestimando e, o que é pior, ignorando o plano de poder do Partido Comunista chinês, só para não sair da nossa “zona de conforto“, que já não consegue mais esconder essa obsessão, pois é muito evidente para quem tem mais de 5 neurônios na cabeça. É muito clara essa intenção. Por isso lhe convido a ler com atenção o artigo a seguir, de autoria de Luciano Pires, Diretor de marketing da Dana e profissional de comunicação. Reflita e tire suas conclusões!

A armadilha chinesa: O mundo está alimentando um enorme dragão e ficará refém dele

Fotomontagem ilustrativa

Um determinado produto que o Brasil fabrica em um milhão de unidades, uma só fábrica chinesa produz quarenta milhões…

A qualidade já é equivalente. E a velocidade de reação é impressionante.

Os chineses colocam qualquer produto no mercado em questão de semanas…

Com preços que são uma fração dos praticados aqui.

Uma das fábricas está de mudança para o interior, pois os salários da região onde está instalada estão altos demais: 100 dólares.

Um operário brasileiro equivalente ganha 300 dólares no mínimo que acrescidos de impostos e benefícios representam quase 600 dólares.

Quando comparados com os 100 dólares dos chineses, que recebem praticamente zero benefícios…. estamos perante uma escravatura amarela e alimentando-a…

Horas extraordinárias? Na China…? Esqueça !!!

O pessoal por lá é tão agradecido por ter um emprego que trabalha horas extras sabendo que não vai receber nada por isso…

Atrás dessa “postura” está a grande armadilha chinesa.

Não se trata de uma estratégia comercial, mas sim de uma estratégia “de poder” para ganhar o mercado ocidental.

Os chineses estão tirando proveito da atitude dos ‘marqueteiros’ ocidentais, que preferem terceirizar a produção ficando apenas com o que ela “agrega de valor”: a marca.

Dificilmente você adquire atualmente nas grandes redes comerciais dos Estados Unidos da América um produto “made in USA”.

É tudo “made in China”, com rótulo estadunidense.

As Empresas ganham rios de dinheiro comprando dos chineses por centavos e vendendo por centenas de dólares…

Apenas lhes interessa o lucro imediato e a qualquer preço.

Mesmo ao custo do fechamento das suas fábricas e do brutal desemprego. É o que pode-se chamar de “estratégia preçonhenta”.

Enquanto os ocidentais terceirizam as táticas e ganham no curto prazo, a China assimila essas táticas, cria unidades produtivas de alta performance, para dominar no longo prazo.

Enquanto as grandes potências mercadológicas que ficam com as marcas, com os designes…suas grifes, os chineses estão ficando com a produção, assistindo estimulando e contribuindo para o desmantelamento dos já poucos parques industriais ocidentais.

Em breve, por exemplo, já não haverá mais fábricas de tênis ou de calçados pelo mundo ocidental. Só haverá na China.

Então, num futuro próximo veremos os produtos chineses aumentando os seus preços, produzindo um “choque da manufatura”, como aconteceu com o choque petrolífero nos anos setenta. Aí já será tarde demais.

Então o mundo perceberá que reerguer as suas fábricas terá um custo proibitivo e irá render-se ao poderio chinês.

Perceberá que alimentou um enorme dragão e acabou refém do mesmo.

Dragão este que aumentará gradativamente seus preços, já que será ele quem ditará as novas leis de mercado, pois será quem manda, terá o monopólio da produção .

Sendo ela e apenas ela quem possuirá as fábricas, inventários e empregos, é quem vai regular os mercados e não os “preçonhentos”.

Iremos, nós e os nossos filhos, netos… assistir a uma inversão das regras do jogo atual que terão nas economias ocidentais o impacto de uma bomba atômica… chinesa.

Nessa altura em que o mundo ocidental acordar será muito tarde.

Nesse dia, os executivos “preçonhentos” olharão tristemente para os esqueletos das suas antigas fábricas, para os técnicos aposentados jogando bocha no clube, e chorarão sobre as sucatas dos seus parques fabris desmontados.

E então lembrarão, com muitas saudades, do tempo em que ganharam dinheiro comprando “balatinho dos esclavos” chineses, vendendo caro suas “marcas-grifes” aos seus conterrâneos.

E então, entristecidos, abrirão suas “marmitas” e almoçarão as suas marcas que já deixaram de ser moda e, por isso, deixaram de ser poderosas pois foram todas copiadas….

REFLITAM E COMECEM A COMPRAR – JÁ – OS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO NACIONAL, FOMENTANDO O EMPREGO EM SEU PAÍS, PELA SOBREVIVÊNCIA DO SEU AMIGO, DO SEU VIZINHO E ATÉ MESMO DA SUA PRÓPRIA… E DE SEUS DESCENDENTES.

Luciano Pires. Diretor de marketing da Dana e profissional de comunicação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo

OPINIÃO: O AUTORITARISMO AVANÇA NA ESTEIRA DO CORONAVÍRUS

Caro(a) leitor(a),

As colunas OPINIÃO e PONTO DE VISTAS são os espaços neste blog que procuro expressar  o meu pensamento sobre a política no nosso país, através de artigos publicados na grande imprensa, os quais tomo como base para fazer as observações e formar a minha opinião. Quando se trata de ideologia política estou alinhado com a direita liberal apoiado pelo capitalismo e a iniciativa privada. Portanto, não é novidade para ninguém que lê as páginas deste blog o meu posicionamento, deixando sempre claro que não tenho nenhum político, partido ou ideólogo de estimação. Dito isto, acho muito importante analisar o conteúdo do artigo a seguir do economista e professor Ubiratan Jorge Iorio, sobre o ambiente gerado pela pandemia do coronavírus que propicia o levante do comunismo, do socialismo e do autoritarismo, não apenas aqui no Brasil, mas em todo o mundo. De antes de ontem pra hoje já publiquei pelo menos dois artigos desse movimento na Europa. E aqui não é diferente, até porque a esquerda tem o apoio massivo da grande imprensa com algumas exceções. Está muito claro que o coronavírus tornou esse ambiente muito mais fértil para a propagação do autoritarismo. Os exemplos estão todos citados no artigo a seguir e precisamos, mais do que nunca ter voz altiva e participação nesse processo para ajudarmos a dar governabilidade a Bolsonaro, apesar do seu temperamento não ajudar muito. Mas infelizmente não temos outra alternativa. É isso ou o estado de exceção, que nesse momento seria o caos! Leia o artigo completo a seguir e tire suas conclusões!

Coronavírus e “comunavírus”: “Quem trabalha, produz e não abre mão de ser livre tem que se manifestar”

Fotomontagem/JCO

A peste que veio do leste – mais especificamente, da China – está submetendo o planeta a uma experiência inusitada e bastante perigosa.

Alguns dizem que a coisa nasceu quando um idiota, sem qualquer noção de higiene, comeu uma inacreditável e repugnante sopa de morcego-comedor-de-cobra, iguaria que alguns tentam nos empurrar como fruto de “hábitos culturais”, mas que ninguém me convence de que não tenha sido imposta aos chineses pela necessidade de sobreviver à fome, comum a todos os povos que experimentam o comunismo.

Outros especulam que teria surgido em laboratório e, dentre esses, há quem sustente que seria uma arma biológica do PC chinês para conquistar o mundo.

Nunca me arrisco a dar palpites sobre coisas que desconheço e, nesse caso, esse hábito, herdado de meu pai, é ainda mais indicado, por tratar-se de um tema novo, complicado e cheio de dúvidas e mistérios. Ademais, se os entendidos ainda não o entenderam, é impossível que não entendidos possam entendê-los. Como não entendo bulhufas de vírus, porque moro na “praia” da economia, onde mergulham, tomam sol, caminham e surfam a oferta e a demanda, a poupança e o consumo, a produção e o investimento, só o que posso me atrever a afirmar, sem medo de erro ou exagero, é que o Covid-19 é um inimigo que tira vidas, impõe custos sociais tremendos e ameaça destroçar as atividades econômicas em todo o planeta.

Para termos uma esquálida – e, mesmo assim, enigmática – ideia da devastação que pode se abater sobre o mundo, do início deste ano até o final de março, a peste do leste já se estendeu a mais de 150 países e a cinco continentes, infectou mais de 450 mil pessoas e interrompeu perto de 24 mil vidas.

Não bastasse isso, ameaça destroçar a economia mundial com violência sem precedentes. Não faltam estimativas quanto ao montante dos estragos, como essas sobre a queda do GDP americano:

– Bank of America – 12%

– Goldman Sachs – 24%

– JP Morgan – 14% e

– Morgan Stanley – 30%.

Para o PIB do Brasil, de 35 instituições que apresentaram projeções, apenas 5 apostam em um número positivo (entre 0,3 e 0,7), três cravam zero e as demais 27 oscilam entre – 0,3% e – 3%. Ou seja, se é possível confiar em alguma coisa, é na incerteza, no risco e no pessimismo.

É costume exigir dos governos as soluções para as grandes crises, porque os indivíduos, paradoxalmente, embora não gostem de políticos, acreditam que os governos têm sempre boas intenções e que podem fazer mágicas na economia para conduzir todos ao Éden.

Esses truques consistem em inflar a demanda pela imposição de uma verdadeira olimpíada de estímulos, a saber, qual banco central é mais rápido em martelar artificialmente a taxa de juros para baixo, que governo arremessa mais longe os seus gastos, quem é melhor em despejar moeda sem lastro do alto, etc.

Isso já vem acontecendo desde o início de março. Nos Estados Unidos, o Fed reduziu a faixa das taxas de juros de entre 1% e 1,25% para entre zero e 0,25%, o maior corte desde 2008; injetou US$ 1,5 trilhão em liquidez no sistema bancário; comprou US$ 1,2 trilhão em títulos; baixou a taxa de redesconto de 1,5% para 0,25% e reduziu os requisitos de reserva para zero, ou seja, acabou com todo e qualquer resto de lastro. Do lado fiscal, o governo também tomou medidas muito fortes, como uma lei para aumentar os gastos em US$ 8,3 bilhões; a decretação de estado de emergência para liberar a distribuição de até US$ 50 bilhões em ajuda a estados, cidades e territórios; ajuda ao exterior; a proposta de um novo pacote de estímulo de cerca de US$ 1 trilhão.

O Banco Central Europeu (BCE), que desde 2019 já reduzira a taxa de juros abaixo de zero para prevenir uma recessão esperada, também anunciou medidas de estímulo, como aumentar em US$ 128 bilhões as compras de títulos em 2020 e afrouxar as exigências de capital dos bancos.

Medidas semelhantes vêm sendo adotadas na Austrália, na China, em Hong Kong, na Coreia do Sul, Reino Unido, França, Itália e Japão.

E até a equipe econômica do governo brasileiro, a mais liberal de nossa história, seguiu, embora certamente com alguma contrariedade, a toada: liberação de compulsório para bancos proverem liquidez às empresas (R$ 200 bilhões), empréstimos do BNDES e Caixa (R$ 150 bilhões); liberação de recursos ao Ministério da Saúde; postergação de impostos; antecipação de abonos salariais e benefícios para aposentados (R$ 150 bilhões). Em poucos dias, R$ 500 bilhões despejados na economia!

Além disso: auxílio a informais (R$ 50 bilhões) e empréstimos em folha de pagamento (R$ 50 bilhões); transferências mensais de R$ 600 para 38 milhões de pessoas; complementação de parcelas de salários que as pequenas empresas não puderem pagar; empréstimos na folha salarial. Como disse o ministro Paulo Guedes no final de março, “o pacote atual é de mais ou menos R$ 750 bilhões, e ele pode aumentar se for necessário”. E prosseguiu: “Vamos gastar de 4,8 a 5,0% do PIB esse ano”.

Nessa combinação de keynesianismo econômico com o autoritarismo provocado pelas providências de confinamento que vêm sendo adotadas pelos governos em escala mundial, duas perguntas são relevantes: (a) essas medidas estão corretas? e (b) supondo que sejam, serão suficientes?

O comunavírus

Admitindo – para evitar que o artigo fique quilométrico – que as respostas a ambas sejam positivas, vamos formular então a seguinte:

Quais os perigos desse aumento sem precedentes da coerção do Estado nas nossas vidas?

O momento exige a maior serenidade possível, porque, embora saibamos que o vírus chinês não gosta de brincadeiras, não podemos perder a cabeça e o controle da situação, sob a pena de transformarmos as vidas de todos em um suceder de atos servis, em uma lista de afazeres ditada diariamente pelo governo.

Qualquer cidadão que preze a liberdade não pode deixar de manifestar perplexidade diante da quantidade de ações de natureza autoritária e populista que espocam diariamente nas mídias de informação, por parte de prefeitos, governadores, políticos e membros do Judiciário, sempre com o apoio quase irrestrito da imprensa tradicional. É uma saraivada de comandos e ordens do Estado aos cidadãos que nunca se imaginava acontecer em nosso país e é notório que muitos estão procurando tirar proveito político da pandemia para minar o governo e afastar o presidente, seja por razões ideológicas ou simplesmente para afastá-lo da eleição de 2022 e apresentarem-se como candidatos. E o jogo dessa gente é sujo, muito sujo, mesmo levando-se em conta que a atividade política, desde os tempos mais remotos, não pode ser caracterizada propriamente como atos de santidade, porque visa ao poder que – se espremermos bem o limão -, é a dimensão política do axioma da ação humana.

Com efeito, temos assistido perplexos a um desfile de arbitrariedades e propostas de mais arbitrariedades repletas de boas intenções (tenho dúvidas) e, principalmente, de populismo barato e ideologia camuflada. Vou citar algumas, dentre inúmeras outras de teor semelhante:

– quarentena horizontal – fechamento de comércio – detenção de pessoas que se recusam a obedecer a governadores e prefeitos – ameaças de todos os tipos a quem discordar – invasão de estabelecimentos comerciais por policiais – confisco de mercadorias “para servir ao bem comum” – prefeitos bloqueando acessos a suas cidades e governadores a seus estados – controles e congelamentos de preços e aluguéis – propostas de imposição do IGF (imposto sobre grandes fortunas) – bloqueio de estradas – proposta de taxação de 10% do lucro de empresas com capital igual ou maior a R$ 1 bilhão – proposta de estatização de todos os hospitais privados do país – respaldo do STF a medidas desse tipo – imprensa tradicional incutindo pavor e pânico 24 horas por dia e apoiando as medidas autoritárias – permanentes bombardeios ao Executivo desferidos pela imprensa e pelos outros poderes, com objetivos pouco disfarçados de desestabilizá-lo – rebelião de alguns governadores e prefeitos.

No exterior, não tem sido diferente. Dois casos chegam a chamar a atenção por sua bizarrice: o primeiro no Panamá, onde o governo impôs um “rodízio de gênero”, em que os homens só podem sair de casa nas segundas, quartas e sextas, as mulheres somente nas terças, quintas e sábados e, nos domingos, nem homens e nem mulheres podem deixar suas casas. E o segundo na Colômbia, onde a agência de saúde do governo aconselhou a masturbação como forma de minorar os efeitos da quarentena…

As raposas autoritárias, como vemos, estão saindo rapidamente de seus esconderijos e avançando sobre nossas galinhas. O direito de propriedade, uma instituição fundamental da economia de mercado, está sendo ameaçado e desrespeitado; o direito à liberdade, seja a econômica, seja a de ir e vir e até mesmo a de se expressar, também está sendo agredido; E o direito mais importante de todos – que é o direito à vida – está visivelmente servindo de pretexto para a imposição de agendas autoritárias muito perigosas. Podemos dizer que a impressão é que estamos na porta de entrada do totalitarismo mais descarado.

Costuma-se defender essa onda autoritária argumentando que vai se limitar à emergência da situação e que, uma vez passada, tudo retornará ao que era antes.

Não podemos ter certeza de que vai ser assim! A história da civilização já é suficientemente longa para mostrar que o poder costuma tirar proveito de todas as crises, porque é durante elas que o seu avanço não encontra grandes obstáculos, e tem mostrado também que, uma vez aumentado, nunca retorna ao ponto inicial. Em outras palavras, o poder discricionário do Estado morre de amores pela continuidade e odeia a brevidade. Entretanto, quando se trata de desonerar e reduzir alíquotas de impostos, o que vem sendo obrigado a fazer pela pandemia, ele adora ter um romance efêmero com a brevidade…

Existe – e não podemos ser tolos a ponto de negar – o perigo de um estado de exceção aguçado por razões de saúde passar para um estado de exceção motivado por saques, protestos e levantes sociais. Isso impediria, ou na melhor hipótese, atrasaria a restauração completa das liberdades que os governos nos estão suprimindo. A pior das pandemias é a dos estados totalitários.

Nem vou mencionar os projetos criminosos da eternamente rupestre esquerda de implantação do socialismo, que está estimulando o facho totalitário dos malucos de sempre. Por isso, finalizo com uma advertência: quem trabalha, produz e não abre mão de ser livre tem que se manifestar desde já, para que fique bem claro que ninguém que tenha a cabeça no lugar admite qualquer tipo de totalitarismo no Brasil.

Ubiratan Jorge Iorio. Professor.

Publicado originalmente no blog do prof. Iorio

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo

EDITORIAL: BOLSONARO VÊ AMEAÇAS POR TODOS OS LADOS MENOS A DO CORONAVÍRUS

No EDITORIAL desta sexta-feira eu falo sobre o comportamento belicoso do presidente Jair Bolsonaro que só vê ameaça por todos os lados e numa crise onde a prioridade mundial é preservar vidas a única preocupação de Bolsonaro é preservar o seu mandato. A sua rixa com Mandetta é simplesmente para não deixar o ministro assumir o protagonismo neste momento. Assista ao vídeo completo e tire suas conclusões!

Fonte:

Continuar lendo

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA DO G1

Por G1

 


Tire dúvidas sobre a economia em tempos de pandemia. E os R$ 600 de ajuda do governo? Quando esse dinheiro chega? O Assunto discute sobre a lentidão do governo para socorrer trabalhadores. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, quer votar hoje, em dois turnos, a PEC do “Orçamento Paralelo”. Os EUA chegam a um número recorde: mil mortes em um dia. As novas orientações sobre o uso de máscaras caseiras. Está em casa? Tem opções de lives para suavizar seu isolamento. E se você está enchendo a cara justamente por estar em casa, cuidado!

Tire dúvidas sobre a economia

Governo anuncia medida que permite redução de jornada e salário

Governo anuncia medida que permite redução de jornada e salário

Para lidar com a pandemia de coronavírus, a orientação é a quarentena – o que mantém escolas, comércios e muitas outras atividades paralisadas. Com isso, a atividade econômica sofre um baque: as estimativas são de que o mundo sofra uma recessão. Para tentar minimizar efeitos da crise, o governo lançou uma série de medidas econômicas. Tire dúvidas sobre as principais mudanças na vida econômica dos brasileiros e entenda o que muda com as medidas já anunciadas.

R$ 600,00: quando?

Governo publica lei com socorro a informais em edição extra do Diário Oficial

Governo publica lei com socorro a informais em edição extra do Diário Oficial

O governo federal publicou ontem a lei que cria um auxílio de R$ 600 mensais, por três meses, a trabalhadores informais. O benefício é uma das medidas de alívio à crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus. O projeto foi aprovado pela Câmara há uma semana e pelo Senado na última segunda (30), quando seguiu para a sanção de Jair Bolsonaro.

A MP foi publicada junto à sanção da lei. Segundo Bolsonaro, a expectativa é de que o pagamento do auxílio de R$ 600 comece na próxima semana. Nem a lei, nem o governo informam uma data precisa.

Orçamento Paralelo

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conduz sessão virtual na quarta-feira (1º) — Foto: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conduz sessão virtual na quarta-feira (1º) — Foto: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que pretende votar hoje, em dois turnos, a PEC do “Orçamento Paralelo”, que separa do Orçamento Geral da União os gastos emergenciais para enfrentar a crise do coronavírus. A leitura do parecer foi feita na quarta-feira, mas a votação foi adiada a pedido dos parlamentares.

O Assunto

Entenda sobre a lentidão do governo para socorrer trabalhadores. Para explicar as novas medidas anunciadas nesta semana pelo governo, Renata Lo Prete conversa com o economista Manoel Pires, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, que analisa o tamanho da perda de renda para trabalhadores e fala quais medidas adicionais deveriam ser tomadas neste momento, e também com o jornalista da Globo em Brasília Valdo Cruz, que relata o porquê da demora em colocar propostas em prática. Ouça:

Confinamento até maio

Ciclistas que trabalham com entrega de alimentos passam pela Piazza Duomo em Milão, na Itália, que estava deserta na terça-feira (31) — Foto: Piero Cruciatti / AFP

Ciclistas que trabalham com entrega de alimentos passam pela Piazza Duomo em Milão, na Itália, que estava deserta na terça-feira (31) — Foto: Piero Cruciatti / AFP

O chefe da Defesa Civil Italiana, Angelo Borrelli, afirmou que o confinamento devido à pandemia de coronavírus vai durar pelo menos até 2 de maio. Ele não acredita que a situação de emergência passará antes de 1º de maio e que os italianos terão que ficar em casa “por muitas semanas” ainda.

Borrelli reiterou a necessidade de “isolamento rigoroso” e observou que “o coronavírus mudará a abordagem em relação aos contatos humanos e interpessoais”.

“Teremos que manter distância por algum tempo”, afirmou.

Mais de mil de mortes em um dia

Paciente é retirado de ambulância no Broward Health Medical Center, em Fort Lauderdale, na Flórida — Foto: Joe Raedle / Getty Images / AFP Photo

Paciente é retirado de ambulância no Broward Health Medical Center, em Fort Lauderdale, na Flórida — Foto: Joe Raedle / Getty Images / AFP Photo

Os Estados Unidos bateram o recorde mundial de mortos por Covid-19 em um dia, com 1.169 mortes. Número foi registrado entre as noites de quarta (1º) e quinta-feira (2), superando recorde da Itália, de 969 mortes em 27 de março. País registra o maior número de casos confirmados no mundo, com mais de 244 mil.

Máscaras caseiras

Ministro da Saúde volta a sugerir que pessoas usem máscaras caseiras

Ministro da Saúde volta a sugerir que pessoas usem máscaras caseiras

O Ministério da Saúde divulgou um manual para fazer máscara caseira. Governo informou que vai lançar uma campanha digital para incentivar a produção caseira de máscaras de pano. Entenda a razão.

1ª morte no Brasil

Primeiro caso do novo coronavírus no Brasil foi quase um mês antes do divulgado

Primeiro caso do novo coronavírus no Brasil foi quase um mês antes do divulgado

primeira morte causada por coronavírus no Brasil ocorreu em 23 de janeiro, mais de um mês antes daquele que foi confirmado como o primeiro caso. De acordo com o Ministério da Saúde, a descoberta é resultado de uma “investigação retrospectiva” dos pacientes internados com quadros de síndrome respiratória aguda grave. A paciente que agora é considerada a primeira a ter Covid-19 no país tratava-se de uma mulher de 75 anos, que era moradora de Minas Gerais.

Filipinas: ordem para atirar

Brasileiro se diz preocupado com ordem do presidente Rodrigo Duterte para atirar em quem desrespeitar regras de isolamento nas Filipinas — Foto: Arquivo pessoal

Brasileiro se diz preocupado com ordem do presidente Rodrigo Duterte para atirar em quem desrespeitar regras de isolamento nas Filipinas — Foto: Arquivo pessoal

A declaração do presidente da Filipinas, Rodrigo Duterte, de que autorizou as forças de segurança a atirar em quem perturbar as regras de confinamento impostas por causa da pandemia de Covid-19 provocou ainda mais preocupação em um turista do Rio de Janeiro que não conseguiu deixar o país.

“Se o presidente está dando aval para militar disparar contra alguém que está descumprindo uma ordem, eu prefiro não pagar pra ver. A gente fica com medo”, disse ao G1 o brasileiro que pediu para não ser identificado.

O país já registrou mais de 90 mortes e 2,3 mil casos de Covid-19, praticamente todos nas últimas três semanas.

Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio retirou material de leitos do CTI do Hospital Espanhol — Foto: Reprodução

Prefeitura do Rio retirou material de leitos do CTI do Hospital Espanhol — Foto: Reprodução

A Prefeitura do Rio adotou medida inédita na luta contra o coronavírus: retirou equipamentos médicos de um hospital privado desativado para usá-los na rede municipal. A Procuradoria citou pandemia ‘única na História’ para autorização de uso de bens.

Consulta confusa

 — Foto: Reprodução / TV Globo

— Foto: Reprodução / TV Globo

Um paciente de 63 anos disse que hospital em SP o orientou a tomar medicamento sem diagnóstico de coronavírus. Rede de saúde Prevent Senrior informou que ‘o uso da hidroxicloroquina associado à azitromicina faz parte de protocolo de pesquisa científica aprovado pelo Ministério da Saúde’ e nega falha no atendimento. Uso incorreto de medicamento pode causar insuficiência cardíaca, comportamento suicida e até cegueira.

Lives para suavizar o isolamento

Márcia Fellipe, Léo Sanana e Diplo — Foto: Divulgação

Márcia Fellipe, Léo Sanana e Diplo — Foto: Divulgação

G1 lista as principais transmissões programadas para esta sexta-feira. Forró de Márcia Fellipe, pagodão de Léo Santana e eletrônica de Diplo estão entre as opções de lives musicais. Mas há mais opções: tem o arrocha de Pablo com Tierry; o indie rock da americana Soccer Mommy no canal francês La Blogothèque; Júnior Bass Groovador mostra no Instagram o baixo que seduziu Jack Black. E mais…

Homenagem aos profissionais da saúde

Deco, Conrado, Julio e Tito com as cachorinhas Mia e Pipa — Foto: Divulgação

Deco, Conrado, Julio e Tito com as cachorinhas Mia e Pipa — Foto: Divulgação

Banda Hotelo faz homenagem a profissionais da saúde e fala sobre período de “isolamento juntos”. Quarteto, que mora junto em SP, lançou três músicas sobre o distanciamento social. Banda faz músicas “good vibes” na mesma linha de Melim e Anavitória. Veja clipes.

Happy hour virtual

A analista de atendimento ao consumidor Juliana Mariano teve a primeira experiência de 'happy hour virtual' nesta terça-feira — Foto: Arquivo pessoal / Juliana Mariano

A analista de atendimento ao consumidor Juliana Mariano teve a primeira experiência de ‘happy hour virtual’ nesta terça-feira — Foto: Arquivo pessoal / Juliana Mariano

Happy hour virtual virou alternativa em época de quarentena. Em isolamento social, brasileiros substituíram a ida ao bar para o happy hour por ligações de vídeo com amigos e colegas do trabalho. Entrevistados dizem que é importante ter momentos de descontração apesar da pandemia do novo coronavírus.

Home office

 — Foto: Divulgação

— Foto: Divulgação

Bebendo muito? Cuidado

Hábito de fim de semana tem sido mais comum durante quarentena — Foto: Arquivo pessoal

Hábito de fim de semana tem sido mais comum durante quarentena — Foto: Arquivo pessoal

Com quarentena, a venda e consumo de bebidas alcoólicas aumentou no Rio. Comercialização ultrapassou períodos de pico como o carnaval. Especialista alerta sobre cuidado com mudança de hábito.

Curtas e Rápidas:

Previsão do tempo

Veja a previsão do tempo para esta sexta-feira (3) no Brasil

Veja a previsão do tempo para esta sexta-feira (3) no Brasil

Fonte: G1

Continuar lendo

OPINIÃO: UMA CRÍTICA INCISIVA SOBRE O VAI E VEM DE BOLSONARO

Na nossa coluna OPINIÃO desta quinta-feira trago o comentário conciso, preciso e crítico de José Nêumanne Pinto sobre o comportamento do presidente Jair Bolsonaro na questão do pronunciamento da noite anterior e o tweeter de ontem, se contradizendo. O que admiro neste jornalista é a sua total e correta isenção política, apesar de ser um liberal de direita. Assista ao vídeo e tire suas conclusões! 

“Depois de contestar orientações da OMS da ONU, Jair Bolsonaro começou a terça-feira 31 de março gabando-se de sua teoria do isolamento vertical, que nunca foi testada em nenhum país, pois todos usam a quarentena total como forma de evitar que a velocidade do contágio da covid-19 provoque o colapso do sistema público de saúde, ter sido apoiada pelo presidente da instituição. Mas o esquerdista etíope Tedros Adhamon, colocado no alto posto pela China, o desmentiu. À noite, citou muitas frases do referido sujeito sem de desculpar pelo vexame internacional que protagonizou (a mentira flagrada foi assunto da entrevista coletiva de Adhamou). Em pronunciamento em cadeia de rádio e TV, prometeu unir-se a governadores e prefeitos para combater a pandemia. Mas na manhã de quarta-feira compartilhou imagem de um anônimo mostrando o Ceasa de Contagem, MG, vazio, e avisando que a culpa do desabastecimento era de quem confina a população. E foi desmentido até por sua ministra da Agricultura, Tereza Christina.Direto ao assunto.”

Fonte:

Continuar lendo

PRIMIERAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA DO G1

Por G1

 


O governo anunciou a medida provisória que permitirá a redução da jornada de trabalho com redução de salário. A votação do ‘orçamento de guerra’ na Câmara ficou para amanhã. Podcast narra o drama de quem trata pacientes do novo coronavírus; ouça em O Assunto. Quem deve usar máscara? O Ministério da Saúde mudou o roteiro e recomendou até a produção caseira. Cabelos: cortar ou não? Bom prato: saber cozinhar é bom para o bolso. Mais de 150 brasileiros estão retidos na Tailândia. Rio em silêncio: vídeo mostra a cidade em tempos de isolamento. Veja 13 erros comuns na declaração do Imposto de Renda e como evitá-los.

Redução de jornada e salário

Governo detalha proposta que autoriza empresas a reduzir salários e jornada de trabalho

Governo detalha proposta que autoriza empresas a reduzir salários e jornada de trabalho

O governo anunciou a medida provisória que permitirá a redução da jornada de trabalho com redução de salário. A MP faz parte das iniciativas para enfrentar a crise provocada pela pandemia de coronavírus. O custo previsto da medida é de R$ 51 bilhões. O programa deve atender a 24,5 milhões de trabalhadores. A redução poderá ser de 25%, 50% ou de 70% e vigorar por 90 dias. Entenda mais.

‘Orçamento de guerra’

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conduz sessão virtual na quarta-feira (1º) — Foto: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conduz sessão virtual na quarta-feira (1º) — Foto: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

A votação do ‘orçamento de guerra’ na Câmara ocorrerá amanhã. Rodrigo Maia tentou votar texto-base, mas parlamentares pediram mais tempo para analisar texto.

O Assunto

Covid-19: o drama de quem trata pacientes. Enfermeira há 18 anos, Mara conta que, agora, antes de ir para o plantão tem crises de choro. Ismael é médico e fala do choque que é ver colegas morrendo. Lariane é residente e relata que saiu da casa para não contaminar pais idosos. Renata Lo Prete conversa com os três que estão na linha de frente na luta contra o novo coronavírus. Ouça:

Testes com pacientes curado

Entrada do Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo — Foto: AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

Entrada do Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo — Foto: AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

O Hospital Albert Einstein espera autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para começar a fazer testes clínicos com plasma de pacientes que já se recuperaram do coronavírus em doentes em estado grave. A pesquisa ainda não teve início e o protocolo para os testes dependem de avaliação prévia da comissão.

Patricarca do Jazz

Ellis Marsallis, em imagem de abril de 2019 — Foto: Sophia Germer / Arquivo / AP Photo

Ellis Marsallis, em imagem de abril de 2019 — Foto: Sophia Germer / Arquivo / AP Photo

pianista Ellis Marsalis, considerado um dos pais do jazz no final do século 20, morreu aos 85 anos. A causa foram complicações associadas ao novo coronavírus, informou seu filho, o saxofonista Brandford, outro grande nome do jazz, sem revelar onde o pai morreu.

“Meu pai era um gigante como músico e como professor, mas ainda maior como pai”, disse Branford.

Máscaras para todos?

Mandetta defende a produção e o uso de máscaras caseiras

Mandetta defende a produção e o uso de máscaras caseiras

Quem deve usar máscara? O Ministério da Saúde ampliou a indicação e recomendou até a produção caseira. Essas proteções eram recomendadas somente para pessoas com sintomas e para profissionais da saúde. Agora, o Ministério faz ressalvas, mas diz que elas podem ser usada por toda a população. Tire suas dúvidas.

Cabelos: cortar ou não?

Cabeleireiros dão dicas de como cuidar dos cabelos na quarentena

Cabeleireiros dão dicas de como cuidar dos cabelos na quarentena

Salões fechados, isolamento por tempo indefinido. Enquanto as pessoas tentam se acostumar com a nova rotina de trabalho em casa, outra preocupação secundária começa a chamar atenção: e o cabelo, o que fazer? Raspar no caso dos homens? Ver vídeos no Youtube e tentar cortar por conta própria no caso das mulheres? Profissionais dão dicas de como cuidar dos cabelos durante o isolamento.

Saber cozinhar é bom para o bolso

Almoço preparado pelo advogado Leandro Araujo, que aprendeu a cozinhar durante a quarentena — Foto: Arquivo pessoal

Almoço preparado pelo advogado Leandro Araujo, que aprendeu a cozinhar durante a quarentena — Foto: Arquivo pessoal

Viver de delivery ou comida pronta pode não ser bom para a saúde, nem para o bolso. Por isso, alguns leigos na cozinha preferiram se virar para aprender a preparar suas próprias refeições no confinamento causado pelo novo coronavírus. Veja dicas para fugir do delivery.

“Quem sabe cozinhar come melhor todos os dias, e é bom ter isso como motivação”, diz advogado.

Motoristas de aplicativos e entregadores

Aplicativos de entrega e de transporte anunciam auxílios para trabalhadores durante pandemia do coronavírus. — Foto: Kid Júnior / G1

Aplicativos de entrega e de transporte anunciam auxílios para trabalhadores durante pandemia do coronavírus. — Foto: Kid Júnior / G1

Os aplicativos de transporte não têm relação de emprego formal com os trabalhadores dessas plataformas, que passam agora por uma situação complicada durante a pandemia de coronavírus. Eles precisam trabalhar ou não terão renda. Veja medidas adotadas por aplicativos para auxiliar motoristas e entregadores.

Brasileiros no exterior

Grupo de brasileiras foi para Tailândia para para participar de imersão em meditação. Elas não têm previsão de embarque para o Brasil — Foto: Luciana Machado Fiel / Arquivo Pessoal

Grupo de brasileiras foi para Tailândia para participar de imersão em meditação. Elas não têm previsão de embarque para o Brasil — Foto: Luciana Machado Fiel / Arquivo Pessoal

A Embaixada do Brasil em Bangcoc está tentando organizar um voo fretado para a repatriação de dezenas de brasileiros retidos em Tailândia, Laos e Camboja por conta da paralisação da aviação em meio à pandemia do novo coronavírus. A representação diplomática diz ter conhecimento de 159 cidadãos nesta situação apenas em território tailandês.

Indígenas em perigo

Aldeia Xakriabá em Minas Gerais — Foto: Célia Xakriabá / Arquivo pessoal

Aldeia Xakriabá em Minas Gerais — Foto: Célia Xakriabá / Arquivo pessoal

Uma política pública destinada às aldeias é urgente. “Antes do vírus, o que preocupa é a fome”, diz líder indígena de Minas Gerais sobre pandemia. “Somos um povo de costumes coletivos. Estamos fazendo todo esforço possível para que o primeiro caso não chegue. Se chegar, será um extermínio”, disse a doutora em antropologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e líder indígena, Célia Xakriabá.

Rio em silêncio

Rio em silêncio: quarenta deixa cidade vazia

Rio em silêncio: quarenta deixa cidade vazia

Vídeo mostra a cidade em tempos de isolamentoG1 percorreu, do nascer do sol ao anoitecer, bairros, centros comerciais e praias após os decretos para restringir a circulação da população e o contato social.

Tragédia nos EUA

Em Nova York. profissionais de saúde colocam uma vítima da Covid-19 em um carro — Foto: Stefan Jeremiah / Reuters

Em Nova York. profissionais de saúde colocam uma vítima da Covid-19 em um carro — Foto: Stefan Jeremiah / Reuters

número de mortos por Covid-19 nos Estados Unidos passou dos 5.000, segundo contagem realizada pela Universidade Johns Hopkins. Por volta das 23h35 (de Brasília) de ontem, a quantidade de vítimas fatais estava em 5.116, enquanto o total de casos confirmados chegou a 215.417 em todo país.

Tragédia no Equador

Equador é um dos países da região com mais casos confirmados e mortes por covid-19 — Foto: Vicente Gaibor del Pino / Reuters

Equador é um dos países da região com mais casos confirmados e mortes por covid-19 — Foto: Vicente Gaibor del Pino / Reuters

O governo do Equador informou que removeu 150 cadáveres que estavam em várias casas em Guayaquil, depois do caos ocorrido naquela cidade devido à pandemia do novo coronavírus que atrasou esse serviço. As autoridades, porém, não confirmaram quantas vítimas da Covid-19 estão entre os mortos.

Curtas e Rápidas – Coronavírus:

Mauricio de Sousa faz cartum em homenagem a Daniel Azulay — Foto: Divulgação / Mauricio de Sousa

Mauricio de Sousa faz cartum em homenagem a Daniel Azulay — Foto: Divulgação / Mauricio de Sousa

  • Daniel Azulay, vítima de coronavírus, é homenageado por cartunistas em exposição virtual
  • Empresas de RH oferecem serviços digitais gratuitos para agilizar recrutamento de hospitais no combate à Covid-19
  • Plataforma digital reúne campanhas de arrecadação de doações para moradores do Rio
  • Bombeiro diz que é ‘experiência fantástica’ tocar trompete para moradores em quarentena no Rio
  • Com quarentena, venda e consumo de bebidas alcoólicas aumentam no Rio

Imposto de Renda

 — Foto: Arte G1

— Foto: Arte G1

Veja 13 erros mais comuns e como evitá-los. Entre deslizes estão omissão de rendimentos, erro na digitação de valores e dados incompatíveis com os informados pelas fontes pagadoras.

Curtas e Rápidas:

Fonte: G1

Continuar lendo

OPINIÃO: SE OS ISENTÕES REALMENTE LEREM ESSE TEXTO VÃO QUERER MORRER!

Caro(a) leitor(a),

A verdade tem que ser dita e, as vezes, ela pode doer muito. Não em alguma parte do corpo, mas na alma. E essa é a pior dor de todas. Ocorre que, até para falar a verdade é preciso ter cancha, categoria, pois não é qualquer um que sabe traduzir em palavras sentimentos tão profundos. O texto a seguir, de autoria de Henri Schipper, que anda circulando nas redes sociais é tudo que eu gostaria de dizer para muitos “isentões” por ai que só sabem criticar, criticar e criticar sem mostrar ou sugerir soluções. É perfeito e deve chegar nesses “isentões” como um verdadeiro “nock down”. Leia o texto e tire suas conclusões!

Texto que dá lição em todos os “isentões” que atacam Bolsonaro, viraliza na rede

Fotomontagem ilustrativa

Eis o artigo cirúrgico, magistral, de autoria de Henri Schipper:

“Alemanha tem quase 30 mil casos de Coronavírus e pouco mais de 120 mortes, dando 0,42%. Porque?

Porque na Alemanha não se morre como no resto do mundo?

Será que os alemães têm um sistema imunológico diferente?

Porque são mais fortes?

Será que a teoria da 2ª Guerra estava certa?

Hitler estava certo?

NÃO !!!!!

A Alemanha tem um índice de infecção alto e um número de mortes baixa porque eles investiram em saúde. Simples assim!!!

Não trocaram hospitais por estádios.

Não trocaram médicos, por olimpíadas.

Não desviaram bilhões.

Não quebraram suas estatais.

Eles investiram em educação segurança e principalmente SAÚDE !!!!

Não estamos em quarentena pra não nos infectarmos nunca.

Estamos em quarentena pra dar tempo do sistema de saúde absorver a todos.

Não estamos aqui pra quebrar a famosa curva, “mas pra achatá-la”.

Porque, na verdade, mais da metade da população brasileira irá pegar, isso é inevitável.

A vacina vai demorar pelo menos um ano e não existe ficar em quarentena por um ano.

Você que está aí, que grita orgulhoso ser de esquerda, ou só anti-Bolsonaro, anti-fascista, que diz q sempre lutou por justiça;

Você que diz ser contra esse governo, mas também foi contra outros governos, Eu desafio você:

Me mostre um post com sua revolta contra governos de Lula ou Dilma, como você demonstra hoje.

Me mostre a sua indignação sobre fazer estádios e o povo morrendo de fome, me mostre…

Você mesmo que votou em Haddads e Ciros da vida. Que se calou com Mantega e Padilha como ministro.

Me mostre seu post de anos atrás revoltado como você está hoje.

Estamos em quarentena, tempo pra procurar não falta.

Sim, o presidente erra.

Sim ele fala merda, sempre soubemos disso.

Ele erra mais nas palavras do que nos atos.

Montou uma equipe incrível e não se pode comparar com nada, porque o mundo nunca viveu algo assim.

Então, nao compare.

Engolimos por 20 anos tudo, porque respeitamos as urnas, então respeitem também.

O que estamos vivendo hoje, é culpa de anos e anos de crimes cometidos.

De amigos como ministros, De favores. De países aliados que querem ver seu povo morrer.

Você aplaudiu, gritou é GOLPE !!!!.

Defendeu o indefensável, então faça-me um favor, enfie suas panelas embaixo da pia, continue calado como fez nos últimos 20 anos e enfie o rabo entre as pernas, porque o seu momento passou e foi terrrivel.

OU então…

Me mostre seu post (Democracia não é só quando você ganha, é quando você perde também.”

Continuar lendo

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho