NAVIOS DE GUERRA CONSTRUÍDOS PELA CHINA TÊM SEMELHANÇA COM OS USADOS PELOS EUA

China construiu navios de guerra semelhantes aos usados pelos EUA

Imagens de satélite divulgadas pelo Instituto Naval americano mostram veículos utilizados para testar armas em deserto chinês

INTERNACIONAL 

por AFP

Aparentemente, a China construiu modelos em escala real de navios de guerra dos EUA, incluindo um porta-aviões, que seriam alvos potenciais para praticar ataques contra algumas das armas americanas mais potentes posicionadas no Pacífico – mostram imagens de satélite recebidas pela AFP.

Centrados em enormes porta-aviões, os comandos navais de batalha estão entre as armas mais poderosas do arsenal americano. Um deles se encontra estacionado no Pacífico, onde observa áreas-chave como Taiwan e o Mar do Sul da China.

A China vem desenvolvendo mísseis antinavio há anos, incluindo alguns capazes de destruir porta-aviões.

Em imagens de satélite capturadas no mês passado e enviadas à AFP neste domingo (7), enormes modelos de navios americanos podem ser vistos no deserto de Taklamakan, na região chinesa de Xinjiang. Pelo menos um deles tem o formato de porta-aviões e outro de destróier. Um dos alvos estava montado em trilhos usados para transportá-lo.

Entre as estruturas em escala natural, havia algumas planas, assim como outras mais sofisticadas, parecidas com instrumentos de navegação, de acordo com o Instituto Naval dos Estados Unidos (Usni, na sigla em inglês).

“A análise das imagens de satélite históricas mostra que o modelo do porta-aviões foi construído, inicialmente, entre março e abril de 2019”, afirma o relatório do instituto.

“Passou por várias reconstruções e foi quase completamente desmontado em dezembro de 2019. Mas o local voltou a ser usado no fim de setembro deste ano, e a estrutura estava praticamente concluída no início de outubro”, completou.

O Usni diz que, segundo a empresa de Inteligência AllSource Analysis, a área já foi usada para testes de mísseis balísticos no passado. Ao ser questionado sobre as imagens, o porta-voz do Ministério chinês das Relações Exteriores, Wang Wenbin, disse na segunda-feira não estar “a par da situação”.

Pequim está avançando em um grande projeto de modernização de seu arsenal, de acordo com um relatório do Pentágono divulgado na semana passada, com muitas de suas armas projetadas para ajudar a neutralizar os principais navios americanos em caso de um conflito regional.

O Exército chinês mobilizou alguns de seus mísseis em exercícios, o que, segundo depoimento dado há meses no Congresso pelo almirante da Marinha americana Philip Davidson, é “uma mensagem inequívoca para o público regional e global”.

Os Estados Unidos fazem regularmente operações no Mar do Sul da China e ao redor de Taiwan, o que irrita Pequim.

A China reivindica a soberania de quase toda essa área marítima e considera Taiwan uma parte de seu território a ser retomada um dia, se necessário à força.

Fonte: R7
Continuar lendo NAVIOS DE GUERRA CONSTRUÍDOS PELA CHINA TÊM SEMELHANÇA COM OS USADOS PELOS EUA

NAVIOS DE GUERRA DA CHINA E RÚSSIA PROTAGONIZARAM CENA DE PROVOCAÇÃO AO JAPÃO E AOS EUA

China e Rússia provocam Japão e EUA com manobra militar inédita

Dez embarcações dos dois países atravessaram sem aviso o estreito que separa duas das principais ilhas japonesas

INTERNACIONAL

 Do R7

Navios de China e Rússia atravessaram um importante estreito no arquipélago japonês

REPRODUÇÃO VIA REUTERS TV

Dez navios de guerra das marinhas da China e da Rússia protagonizaram uma cena inédita de provocação ao Japão e aos EUA, seus adversários tanto localmente quanto no cenário global, nesta segunda-feira (18), ao atravessarem sem aviso o estreito que separa duas das principais ilhas japonesas.

O episódio, denunciado nesta terça, aconteceu depois de uma série de exercícios navais que os dois países realizam em conjunto no mar do Japão, em águas internacionais, todos os anos. Após o fim da atividade, que envolveu dezenas de embarcações, cinco destróieres chineses e cinco russos se desgarraram da esquadra.

Os dez navios atravessaram o estreito de Tsugaru para chegar ao oceano Pacífico. Com pouco menos de 20 quilômetros, o estreito separa as ilhas de Honshu — a maior e mais populosa do Japão, onde fica a capital, Tóquio — e Hokkaido, ao norte.Yoshihiko Isozaki, membro do novo governo do Japão, criticou a ação em uma entrevista à rede pública NHK e disse que Tóquio “observa de perto as atividades” de chineses e russos na região.

O novo primeiro-ministro do país, Fumio Kishida, vem reiterando uma dura posição japonesa contra a China e reforçando a aliança com os EUA. No último mês, o presidente americano Joe Biden fortaleceu o grupo Quad — aliança formada por EUA, Japão, Índia e Austrália —, em uma tentativa de frear o crescimento chinês na região.

Continuar lendo NAVIOS DE GUERRA DA CHINA E RÚSSIA PROTAGONIZARAM CENA DE PROVOCAÇÃO AO JAPÃO E AOS EUA

DOIS NAVIOS DE GUERRA RUSSO E UM AMERICANO CHEGARAM PERTO DE UM INCIDENTE NO MAR DO JAPÃO

Navios da Rússia e dos EUA se envolvem em incidente na Ásia

Segundo russos, americanos teriam tentado invadir as águas do país; Pentágono nega a informação de Moscou

INTERNACIONAL

 por AFP

Navios americanos são comuns na parte asiática do Pacífico

REPRODUÇÃO/DAILY MAIL

Dois navios de guerra russo e americano chegaram perto de um incidente no mar do Japão nesta sexta-feira (15), quando a Rússia acusou a Marinha dos Estados Unidos de se aproximar demais de suas águas territoriais, o que a Casa Branca negou.

Por volta das 17 horas (5 horas no horário de Brasília), o destróier americano USS Chafee, que operava no mar do Japão por vários dias, “aproximou-se das águas territoriais da Federação Russa e tentou cruzar a fronteira”, afirmou em comunicado o Ministério da Defesa russo.

“A embarcação Admiral Tribouts, que estava na área, alertou o navio estrangeiro sobre esses atos inaceitáveis”, acrescentou.

“O USS Chafee, convencido pela determinação da tripulação russa a evitar uma violação das fronteiras nacionais, deu meia-volta às 17h50, quando estava a menos de 60 metros” do Admiral Tribouts, continuou o Ministério da Defesa russo.

 

A Marinha russa também alertou o navio americano de que estava em uma área “fechada à navegação devido ao fogo de artilharia como parte das manobras do mar Conjunto Russo-Chinês de 2021”, acrescentou o comunicado.

O USS Chafee “estava conduzindo operações de rotina nas águas internacionais do mar do Japão”, garantiu em um comunicado, chamando a interação entre os dois navios de “segura e profissional”.

Casa Branca admitiu que a Rússia notificou os marinheiros americanos sobre as manobras na área, mas enfatizou que elas foram programadas “para o final do dia”.

O USS Chafee “respeitou as leis e costumes internacionais”, completou, enfatizando que os Estados Unidos “continuarão a voar, navegar e operar onde a lei internacional permitir”.

A área é dominada pela China, que desaprova as patrulhas regulares dos Estados Unidos e seus aliados nas águas internacionais da região para fazer valer seus direitos à liberdade de navegação.

Continuar lendo DOIS NAVIOS DE GUERRA RUSSO E UM AMERICANO CHEGARAM PERTO DE UM INCIDENTE NO MAR DO JAPÃO

OPINIÃO: “QUEREMOS DESTRUIR A FAMÍLIA SIM”, AFIRMA ATIVISTA LGBT

Destruir a família: efeito de uma guerra cultural

Reprodução internetReprodução internet

“Queremos destruir a família, sim”. A fala do ativista LGBT Vitor Zaparoli (que usa o nome social de Amanda Palha), é um retrato fiel do que estamos presenciando: uma tentativa, por todos os lados, de abater o conceito de família.

No discurso, realizado em 2019, o ativista diz com todas as letras que isso é uma estratégia política e que somente assim todos os movimentos feministas e LGBT serão considerados uma ameaça real.

“Seria um ‘retrocesso violento’ dizer que o movimento defende a família”, revela Zaparoli.

Esse episódio revela, na carne, que estamos vivendo uma guerra diferente. A batalha não busca conquistar territórios, mas o horizonte de consciência das pessoas.

As armas não são bombas, mas narrativas com ‘verniz’ de verdade, que tem como objetivo ‘anestesiar’ a sociedade para que se desviem das realidades mais naturais, como por exemplo, dos aspectos biológicos das pessoas. Os filtros ideológicos, neste sentido, atualmente são os nossos olhos e os nossos ouvidos.

A guerra, portanto, é cultural! E qual é a base da cultura ocidental? A família! Ela é a célula que oxigena todo o tecido social e que amplia a vitalidade dos valores perenes, sustentando nossa sociedade de maneira harmônica e responsável. Então, destruir a família é o mesmo que romper com todos os atores dos processos civilizacionais do ocidente (filosofia, direito, religião, dentre outros) e criar uma nova base social fundada na mentalidade revolucionária e em estruturas secundárias, como empresas e associações. Portanto, o bombardeio contra a família tradicional tende a intensificar-se cada dia mais.

Ao caricaturar o conceito tradicional de família, vai se asfixiando as referências milenares das relações e nos papéis desenvolvidos no lar. Isso se manifesta na perversão da educação, no divórcio, na desordem na relação entre pais e filhos, na inversão dos valores morais, na distorção de respeito e autoridade, de responsabilidades com o próximo, na valorização de antivirtudes, em casamentos alternativos, no poliamor, dentre outros aspectos. Querem transformar as características mais naturais do coração da mulher e do homem e retirar suas identidades – e esse ponto é muito importante.

Rompendo com os conceitos de família – que gera equilíbrio social – vai se descaracterizando a identidade humana. O Papa Bento XVI –, alertou-nos que “não se destrói a célula mãe da sociedade sem que se atinja de modo irreversível o ser humano”. E esse processo, tragicamente, não é um desencadeamento natural ou simples obra do “espírito dos tempos”, ou seja, não acontece de maneira natural. Ao contrário, trata-se de um trabalho organizado e muito bem estruturado para implantação de um projeto de poder cultural. Uma das mães do movimento feminista, Shulamith Firestone, disse que é preciso fazer uma “revolução sexual” na qual “as diferenças genitais entre os seres humanos não mais importariam culturalmente”. Nesta marcha, a Ideologia de Gênero vem de maneira acelerada embotando a realidade e desconstruindo a natureza humana.

Onde tudo é família (como um homem e seu cachorro de estimação ou duas mulheres e seu gatinho), nada é família. O resultado é um caos moral, uma inversão de valores, uma construção estereotipada do bom (moral), do belo (emocional) e da verdade (intelectual). Por isso não é de se estranhar leis querendo aprovar o incesto e a pedofilia. Sim, isto já foi legitimado parcialmente em países como o México. É evidente, então, que existe uma tentativa de destruir o coração da sociedade: pai, mãe, filhos, homem, mulher e criança.

Fonte: Jornal da Cidade Online 

Continuar lendo OPINIÃO: “QUEREMOS DESTRUIR A FAMÍLIA SIM”, AFIRMA ATIVISTA LGBT

ANÁLISE POLÍTICA: BOLSONARO FEZ JOGADA DE XADREZ 4D OU PUXOU REVÓLVER SEM MUNIÇÃO? POR RODRIGO CONSTANTINO

Uma análise minuciosa e isenta do perfil de Bolsonaro pelo jornalista liberal conservador Rodrigo Constantino é o destaque deste sábado, aqui na coluna ANÁLISE POLÍTICA do Blog do Saber. Depois de uma semana do 7 de setembro onde está o resultado da estratégia de recuo de Bolsonaro? Ou não houve estratégia? Assista o vídeo completo a seguir e entenda o que houve!

 

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: BOLSONARO FEZ JOGADA DE XADREZ 4D OU PUXOU REVÓLVER SEM MUNIÇÃO? POR RODRIGO CONSTANTINO

OPINIÃO: NOSSO PAPEL COMO BRASILEIROS COMUNS NA GUERRA POLÍTICA QUE ACONTECE ATUALMENTE NO BRASIL

A guerra política que acontece no País e o nosso papel, como brasileiros comuns

Foto Reprodução/InternetFoto Reprodução/Internet

Contextualização: ontem, dia 9, escrevi um texto na parte da manhã que envolvia minhas considerações a respeito do que o povo havia feito no dia 7 de setembro, e qual a extensão do ato. Resolvi suspender a sua publicação em virtude da “Carta à Nação” divulgada pelo Presidente da República durante a tarde, para (i) não ofuscar a importância daquele fato, que deveria ser noticiado em primeiro lugar, (ii) me inteirar do ocorrido e formar minha convicção, e (iii) acrescentar os adendos que eu tivesse àquele primeiro texto, que considerava (e ainda considero) importante para organização do pensamento a respeito dos tempos em que vivemos atualmente.

Então, resolvi acrescentar uma segunda parte ao texto escrito ontem, dia 8, com minha análise sobre o movimento do Presidente Bolsonaro na divulgação da tal “Carta à Nação” como consequência dos atos do dia 7.

O texto a seguir foi separado em duas partes. A primeira é a que já estava escrita ontem mesmo, dia 9, produzida antes da tal “Carta à Nação”, divulgada ontem à tarde, e a segunda é, obviamente, de depois.

Sem maiores delongas, passo, portanto, ao texto que produzi.

Parte I: Estamos em uma GUERRA POLÍTICA sem precedentes. Uma guerra pela retirada de poder da casta política que sempre dominou tudo desde a proclamação da República, no final de 1889.

Com efeito, durante toda a República o povo nunca participou ativamente de nada. Mesmo em 1964, período que todos adoram citar, ele, o povo, só foi até um certo momento; depois foi tirado de cena, como sempre foi feito.

Esses tempos atuais representam a primeira vez que o povo assume protagonismo de alguma ação política.

Não há democracia sem povo, e a vontade popular deve ser respeitada. Isso é incontestável, e não admite refutação mesmo entre aqueles que pregam a “relativização da verdade”, na atitude orwelliana dos tempos atuais.

O povo despertou e enxergou que pode ser protagonista dos rumos do país, e não mais apenas sendo mantido com a obrigação de votar nas eleições, para alimentar o sistema com os cargos que têm que ser preenchidos na máquina pública.

Por outro lado, o povo também já enxergou que aliado a esse protagonismo está o poder popular (que, aliás, é um dos postulados da Constituição da República, na expressão “todo o poder emana do povo”, constante do parágrafo único do artigo 1º da Carta).

E aqui, nesse particular, entra em cena a questão do exercício do poder. Olavo de Carvalho ensina que ter poder é se fazer obedecer; seja pelo convencimento ou seja pela força bruta. E diante do poder popular, a vontade da maioria tem que ser imposta. Não se pode ter medo de usar o verbo “impor”, que no léxico significa tornar obrigatória, forçar-se a cumprir.

Assim é em uma democracia. Se a vontade da maioria não é obedecida, ela tem que ser imposta. Não há mal algum nisso, repito. Não se trata de ser “antidemocrático”, trata-se justamente do inverso disso. Não se pode chamar de democracia a ideia de alguém impor a vontade popular da maioria frente à minoria. Viver em uma democracia é saber se resignar ante a vontade da maioria, caso seja minoria.

O povo saiu às ruas no dia 7 de setembro, na maior manifestação popular de toda a história do país, com, basicamente, três objetivos:

(i) estabelecer um marco temporal, fixando na história a data em que tudo começou, no despertar coletivo da população brasileira quanto à sua luta pela liberdade;

(ii) fazer um retrato para o mundo sobre o que vem acontecendo aqui, demonstrando à comunidade internacional o tamanho do movimento popular e a união de propósitos entre os brasileiros;

(iii) e demonstrar apoio ao Presidente da República, na sua luta em favor do povo contra o sistema oligárquico que escraviza o país, deixando claro que apoia e apoiará qualquer medida que ele venha tomar no sentido de impor a vontade popular da maioria sobre a minoria.

Esse é o panorama político em que nos encontramos. E aqui vou ao ponto principal desse meu texto. Não esperem resultados imediatos sobre o que o povo vem fazendo, daqueles de 24 ou até mesmo 48 horas, do tipo ultimato. Temos que ter maturidade para saber conservar o que já conquistamos nesses últimos anos e avançar mais, com consistência.

Entendo o sentimento de impaciência e até frustração de alguns, que têm feito contato comigo, dizendo-se agoniados ante a demora do Presidente em “fazer o que tem que fazer”. Na verdade, esse texto é mesmo endereçado a eles.

É realmente difícil, e entendo essas pessoas. Mas que saibam o seguinte: isso tudo que a minoria oligárquica que controla tudo faz para impedir a maioria do povo de tomar a frente nos destinos do país e garantir que o Presidente da República governe como deve governar é porque o Brasil é um país muito rico, mas muito rico mesmo, que mesmo com todas essas confusões e roubalheiras de sempre, funcionava relativamente bem, de acordo com a “teoria da graxa” que alguns juristas esquerdistas criaram para justificar as coisas erradas.

O sistema está em uma luta fratricida para se manter no poder e expelir o povo – representado por Jair Bolsonaro – do seu meio, tendo-o como um intruso, um invasor, uma persona non grata frente a essa casta oligárquica que controla tudo desde, repito, a proclamação da República.

Esse método de governar o país e de se tocar a máquina pública durou até o final de 2018, pois foi interrompido por Jair Bolsonaro quando foi eleito Presidente da República.

E agora, em um português claro, não querem largar o osso e não permitem que se pare a engrenagem que os alimenta.

A pergunta que alguns fazem é: como agir, frente a isso tudo?

Respondo por mim, que sou apenas um homem comum. De minha parte estarei com o Presidente da República aonde ele estiver, pois reconheço na figura dele a nossa única chance, como brasileiros, de conseguir algum avanço no que almejamos para o país. E estarei também com todos os brasileiros que lutam pela melhoria das coisas e pela demolição desse sistema que nos escraviza a todos, mantendo-nos reféns de um sistema falido, maquiado sob a alcunha de “democracia”, mas que na verdade se traduz em uma demofobia.

Não desanimo e nem me deixo levar pela emoção. Sei que todos nós nascemos nessa época para sairmos em defesa das coisas que amamos – e dentre elas está, em primeiro lugar, a liberdade. Tudo tem um propósito. A única diferença entre mim, você que lê isso aqui, os milhões que foram às ruas no dia 7, e Jair Bolsonaro, é que ele é Presidente da República e nós não.

De resto, ele é igual a nós todos, e deixá-lo de apoiar nas batalhas da GUERRA POLÍTICA significa o risco de nós perdermos o que já conquistamos, e retroceder àquele sistema que jamais podemos permitir que volte.

Devemos, por outro lado, continuar com a mesma demonstração de poder popular, com os mesmos discursos que temos usado, e sem retroceder um centímetro na nossa militância, até que enfim seja tomada alguma medida por parte do Presidente da República que garanta o cumprimento da vontade popular da maioria do povo.

É isso que penso sobre a situação do país e do nosso papel nisso tudo.

9 de setembro de 2021, 10 horas da manhã.

Parte: II

Divulgada a tal “Carta à Nação” por parte do Presidente da República, agora é hora de se avaliar a consequência política dela, e o que pode repercutir na militância de direita e na base de apoio de Bolsonaro.

Ressalvo que tudo o que escrevo aqui é com base em minha própria análise opinativa, de cidadão comum, que não integra governo nem partido político, e que portanto não possui qualquer informação chamada “de bastidores”.

Li a íntegra do documento, com muita atenção, sem me deixar contaminar pela emoção, e refleti bastante. Para mim, Bolsonaro sentou na mesa de negociação “com a moeda boa na mão”.

Ao chamar Michel Temer para servir de interlocutor para pacificação das instituições, especialmente do Supremo Tribunal Federal, na verdade não apenas golpeou a esquerda como desarmou completamente a narrativa de que ele seria antidemocrático ou golpista, e que estava prestes a decretar um regime de exceção, fora do Estado Democrático.

Transferiu a responsabilidade de tudo que envolva a crise institucional que, verdade seja dita, não foi gerada por ele, para o Supremo Tribunal Federal, e principalmente, restabeleceu a confiança imediata dos investidores no Mercado brasileiro, além de pretender avançar pautas no Legislativo que aparentemente não avançariam mais, em virtude da falada crise institucional.

Certamente, se não tivesse sido feito nada, o Governo de Jair Bolsonaro apenas se arrastaria tentando se equilibrar no gelo fino até o final do mandato, sem qualquer avanço no Congresso. E se tivesse sido tomada alguma medida de ruptura constitucional de verdade, daquelas que muita gente esperava, o país ingressaria em um caos econômico, social e político que no final apenas o povo é que sofreria, abrindo caminho para a esquerda radical e raivosa.

Por fim, tem um aspecto engraçado nisso tudo, que mostra como Bolsonaro é de fato uma pessoa de visão: ao “tirar Temer da cartola”, e deixar claro que foi ele quem rascunhou a tal “Carta à Nação”, fazendo questão de dizer que foi, sim, o ex-presidente quem escreveu, ele fez reviver nos ânimos da esquerda a questão do impeachment de Dilma, articulado muito por Temer nos bastidores, que chegou até mesmo a redigir uma carta à presidente naquela ocasião, carta essa que enfureceu os petistas que ainda defendiam a Mulher Sapiens.

A esquerda jamais superou o que Temer fez. Jamais o perdoou, e jamais o perdoará. E, por outro lado, foi Temer quem, agora, resolveu dar a viabilidade à pacificação institucional que Bolsonaro fez sem adentar em qualquer ato de ruptura.

No final, não teve golpe algum do Presidente da República, não teve tanque nas ruas, não teve fechamento de STF, não teve qualquer golpe antidemocrático como já haviam “vendido” para o mundo. Teve uma atitude de um verdadeiro estadista, que apenas com o capital político obtido no amplo apoio popular nas manifestações da véspera pode, com a maquiagem de acenar com a bandeira branca e estender a mão para quem o ataca, na verdade enquadrar todos e colocá-los de volta em seu círculo, transferindo para eles, inteiramente, a responsabilidade por eventuais disruptura na estabilidade do país.

Não tenho dúvidas que Bolsonaro não só garantiu a permanência do seu governo, com o desmantelamento de mais um golpe que se avizinhava para apeá-lo do cargo, como também a neutralização quase completa da esquerda, que nesse exato momento deve estar se perguntado o que aconteceu de errado dessa vez, no seu plano para provocar o caos e desestabilizar o país.

Agora é ter serenidade e paciência para ver os resultados da ação do Presidente da República, que certamente já aparecerão em um curto período de tempo.

10 de setembro de 2021, 11 horas da manhã.

Pensei, refleti, busquei informações, e achei a jogada MUITO BOA. Típica mesmo do nosso “soldado 01”, que vai abrindo caminho e tentando, além de se equilibrar no Poder, ganhar território para a direita, no futuro.

Bolsonaro teve o que se chama de “moeda boa na mão”, para negociar, depois do 7 de setembro.

Amanhã escrevo um texto sobre isso, e vai pro Jornal da Cidade, com minha visão ampla de tudo.

Mas por ora digo o seguinte: NÃO JOGUE FORA ESSE GRANDE AVANÇO QUE CONQUISTAMOS NA DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA, achando que Bolsonaro se acovardou. Tenha maturidade emocional para entender que ele na verdade AVANÇOU.

Leia a íntegra da nota, sem emoção e pausadamente. E pare de servir de massa de manobra para a Esquerda, ou de ser usado para narrativas.

Foto de Guillermo Federico Piacesi Ramos
Continuar lendo OPINIÃO: NOSSO PAPEL COMO BRASILEIROS COMUNS NA GUERRA POLÍTICA QUE ACONTECE ATUALMENTE NO BRASIL

SEGUNDO PROFESSOR, A ONU TERIA CONDIÇÕES DE ADIAR OU ELIMINAR POR COMPLETO O RISCO DE UMA GUERRA MUNDIAL PROVOCADA PELA CRISE NO AFEGANISTÃO

Há risco de a crise no Afeganistão evoluir para uma guerra mundial?

Segundo professor da Unicamp, ONU teria condições de adiar este perigo por muito tempo e possivelmente eliminá-lo por completo

INTERNACIONAL

Sofia Pilagallo, do R7*

:

Vitória do Talibã poderia fortalecer outros grupos extremistas e provocar conflitos regionais

AKHTER GULFAM / EFE – EPA – 25.8.2021

Com a crise política que se instalou no Afeganistão desde quando o Talibã invadiu a capital Cabul e assumiu o controle do país, no dia 15 de agosto, um pensamento possível é que o mundo estaria caminhando rumo a um novo conflito a nível global — que, se consumado, seria o terceiro da história da humanidade e o primeiro deste século.

Para o professor de Direito da Unicamp (Universidade Estadual Paulista), Luís Vedovato, que estuda o Afeganistão pelo viés dos direitos humanos, o risco de um conflito nessas proporções acontecer é consideravelmente baixo.

Não por acaso, a entidade foi criada em 1945, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, o maior e mais destrutivo conflito da história, que matou um total estimado de 70 a 85 milhões de pessoas.

“Há de se levar em conta ainda a questão econômica, que é internacionalmente conectada devido a estrutura da ONU. Conflitos são sempre prejudiciais à economia, ainda mais um conflito de proporções mundiais”, afirma o professor da Unicamp.

Um segundo fator a ser levado em consideração, de acordo com Vedovato, é a possibilidade, ainda que remota, de haver o uso de bombas nucleares em uma eventual nova guerra mundial. Esse tipo de armamento tem como característica uma grande liberaçao de energia e, por isso, tem um imenso poder de destruição.

O mundo ainda se lembra, com imenso pesar, dos dias 9 e 16 de agosto de 1945, quando os Estados Unidos lançaram bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki e provocaram, instantaneamente, a morte de 70 mil pessoas.

“O Irã, por exemplo, enriquece urânio a 20% de pureza, o que não é o suficiente para a produção de bombas nucleares e, por hora, é usado apenas e tão somente para a produção de energia. Sabe-se, no entanto, que produzir bombas nucleares não seria um grande desafio naquela região, ainda mais tendo em vista que todos os países ali são muito bem armados”, diz.

Conflitos regionais

Apesar de Vedovato não acreditar que uma terceira guerra mundial seja uma possibilidade concreta, ele defende que, eventualmente, poderiam surgir conflitos regionais entre alguns países do Oriente Médio, que, assim como o Afeganistão, também abrigam grupos que fazem uma interpretação extrema da religião islâmica.

Um exemplo disso é o Iêmen, país onde o terrorismo gera preocupação desde muito tempo e há forte presença da organização fundamentalista Al-Qaeda, responsável pelo ataque às torres do World Trade Center, em Nova York, em 11 de setembro de 2001.

Para o professor, a recente vitória do Talibã sobre o governo do Afeganistão poderia fortalecer esses grupos, que cogitariam tomar o poder de seus respectivos países e provocar, assim, alguns conflitos na região do Oriente Médio. Dificilmente, no entanto, ele acredita que tais conflitos se espalhariam pelo mundo e evoluiriam para uma situação de proporções maiores.

“Ainda não há qualquer perspectiva de uma terceira guerra mundial, mas acho que o mundo deve ficar bastante atento aos próximos desdobramentos da crise no Afeganistão, sobretudo porque estamos em um momento de mudança de poder”, afirma.

“Os Estados Unidos estão agora saindo do centro das decisões políticas mundiais para compartilhar esse centro com outros países, tais como China e Rússia, que já sinalizaram apoio ao novo governo talibã”, completa.

Continuar lendo SEGUNDO PROFESSOR, A ONU TERIA CONDIÇÕES DE ADIAR OU ELIMINAR POR COMPLETO O RISCO DE UMA GUERRA MUNDIAL PROVOCADA PELA CRISE NO AFEGANISTÃO

EX-DITADOR DO SUDÃO OMAR AL-BASHIR SERÁ ENTREGUE A JUSTIÇA

Sudão entregará ex-ditador Omar al-Bashir à Justiça internacional

Ex-governante do país será julgado em Haia por crimes de guerra e contra a humanidade cometidos no conflito de Darfur

INTERNACIONAL

 por AFP

Omar al-Bashir governou o Sudão por mais de três décadas até ser deposto em 2019

ASHRAF SHAZLY / AFP – ARQUIVO

O governo sudanês entregará ao Tribunal Penal Internacional (TPI) vários ex-dirigentes do país, entre eles o presidente deposto Omar al-Bashir, procurados por crimes de guerra contra a humanidade e por crimes de guerra no conflito na região de Darfur, informou a Chancelaria do Sudão nesta quarta-feira (11).

“O Conselho de Ministros decidiu entregar as pessoas procuradas ao Tribunal Penal Internacional”, declarou a ministra sudanesa das Relações Exteriores, Mariam al-Mahdi, citada pela agência oficial de notícias Suna, em reunião com o novo procurador desta corte com sede em Haia, Karim Khan, que se encontra em Cartum.

Desde 2003, o conflito em Darfur, no oeste do país, opôs o regime de maioria árabe de Al-Bashir aos rebeldes de minorias étnicas que se consideravam marginalizadas. Causou cerca de 300 mil mortes e cerca de 2,5 milhões de deslocados, a maioria durante os primeiros anos de combates, de acordo com as Nações Unidas.

O compromisso do Sudão em buscar justiça (…) vem como uma resposta às demandas do povo”, declarou o primeiro-ministro, Abdullah Hamdok, em um comunicado após se reunir com Khan.

Al-Bashir, de 77 anos, foi deposto em abril de 2019, após três décadas no poder, vítima de um movimento popular sem precedentes.

Em fevereiro de 2020, o governo de transição lançado após sua queda se comprometeu, verbalmente, a favorecer o comparecimento de Omar al-Bashir perante o TPI. O tribunal emitiu mandados de prisão contra ele e contra outros funcionários de seu governo por “crimes contra a humanidade” e por “genocídio” em Darfur.

Os outros dois ex-líderes do regime que serão entregues ao TPI são Ahmed Haroun, ex-governador do estado de Kardofan do Sul, e Abdel Rahim Mohamed Hussein, ex-ministro da Defesa, ambos processados pelos mesmos motivos. Eles foram presos após a queda de Al-Bashir e estão detidos no Sudão.

Justiça para as vítimas

Um acordo de paz histórico assinado em outubro de 2020 entre o governo de transição e vários grupos rebeldes insistiu na necessidade de “cooperação total e ilimitada” com o TPI.

Nessa linha, na semana passada o gabinete do governo sudanês votou a favor da ratificação do Estatuto de Roma do TPI. E, nesta quarta-feira, a ministra sudanesa destacou a importância da cooperação com o tribunal de Haia “para obter justiça para as vítimas da guerra em Darfur”.

Na terça-feira (10), o procurador-geral do Sudão, Mubarak Mahmud, declarou – depois de se encontrar com Khan – que seu gabinete estava pronto para “cooperar com o TPI em todos os casos, especialmente aqueles envolvendo as vítimas de Darfur, para que a justiça seja feita”.

No Twitter, o enviado especial da ONU para o Sudão, Volker Perthes, disse que “o TPI pode ajudar a estabelecer um tribunal especial para Darfur”.

A organização de direitos humanos Anistia Internacional fez um apelo para que os “crimes terríveis” de Bashir não fiquem impunes, referindo-se ao genocídio em Darfur.

Condenado por corrupção em 2019, Al-Bashir está detido na prisão de Kober, em Cartum.

Ele também está sendo julgado pela Justiça sudanesa por seu papel no golpe que o levou ao poder em 1989. Desde julho de 2020, seu julgamento foi adiado várias vezes, devido a recursos interpostos por seus advogados.

Em julho, o TPI anunciou que um líder das milícias Janjaweed do Sudão e um ex-aliado de Bashir serão os primeiros a enfrentar julgamento por crimes de guerra e por crimes contra a humanidade no conflito de Darfur.

Ali Muhammad Ali Abd-Al-Rahman, também conhecido pelo nome de guerra Ali Kushayb, enfrentará 31 acusações perante o TPI, incluindo assassinato, estupro e tortura, informou o tribunal. Este homem de 70 anos, que se entregou no ano passado depois de mais de uma década foragido, nega as acusações.

Fonte: R7

Continuar lendo EX-DITADOR DO SUDÃO OMAR AL-BASHIR SERÁ ENTREGUE A JUSTIÇA

GUERRA NA SÍRIA NÃO IMPEDE DE CRIANÇAS DISPUTAREM AS ‘OLIMPÍADAS DE TENDAS’

Crianças disputam as ‘Olimpíadas de Tendas’ em uma Síria em guerra

Mais de cem pequenos atletas de 8 a 14 anos competem por medalhas nos campos de deslocados no noroeste do país

INTERNACIONAL

 Da AFP

Jogos de crianças nos campos de refugiados da Síria

OMAR HAJ KADOUR / AFP – 08.08.2021

Lançamento de dardo, obstáculos e corridas de velocidade perto das tendas: a milhares de quilômetros de Tóquio, cem crianças competem por medalhas de ouro na Síria, onde campos para deslocados no noroeste organizaram seus próprios Jogos Olímpicos.

Para evitar o calor infernal nos horários de pico, 120 crianças que vivem em uma dúzia de acampamentos perto da cidade de Idleb se reuniram pouco antes do pôr do sol de sábado para as “Olimpíadas de Tendas”, organizadas por uma ONG síria.

Eles têm entre 8 e 14 anos e, vestindo as cores de seu campo, competiram em diversas modalidades: lançamento de disco, salto em altura, artes marciais, ginástica, badminton, corridas e até mesmo uma corrida de cavalo fictícia, em que as crianças montam um cavalo de papelão.

Na terra ocre perto das tendas do campo de Yaman, os contornos de um campo de futebol foram desenhados com giz branco, perto de uma pista de corrida oval cheia de obstáculos.

“Nós nos divertimos muito”, disse Walid Mohamed al-Hassan, de 12 anos. “Consegui o segundo lugar no salto em distância”, continua, sem perder o sorriso, nos braços de seus três companheiros.

Sob o olhar da plateia, dois meninos com uniformes de caratê e faixas laranjas se entreolham e pulam gritando, com um pé na frente do outro e lançando socos no ar.

Ao final das provas, os vencedores são anunciados. Em meio a aplausos e gritos do público, eles recebem suas medalhas no pódio, enquanto confetes são jogados no ar.

Heróis livres

A ideia do evento é “fazer com que as crianças descubram diferentes modalidades esportivas”, explica à AFP um dos organizadores, Ibrahim Sarmini, vestindo uma camisa polo lilás com o logo de sua ONG, a Organização Violeta.

Mas “o objetivo principal era focar nos moradores do campo, nas crianças e nos adultos, que vivem uma vida muito difícil”, acrescenta.

O conflito, que dividiu o país, custou quase meio milhão de vidas e já deslocou milhões desde 2011.

A província de Idleb, o último grande reduto jihadista e rebelde no noroeste do país, tem cerca de três milhões de habitantes, quase metade dos quais vive em acampamentos informais, muitas vezes em condições de extrema pobreza.

Para atender às suas necessidades, eles dependem de ajuda humanitária e apoio de ONGs.

Em Tóquio, onde ocorreu no domingo a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de 2020, foi possível ver os sírios em duas equipes: a delegação oficial de seu país, mas também na equipe olímpica de refugiados, que existe há duas edições.

“É triste ver jovens sírios participando com esse status de refugiado”, disse Sarmini. “Mas é ótimo para nós que existam verdadeiros heróis livres representando o povo do noroeste da Síria nos Jogos Olímpicos.”

Nenhum sírio da equipe de refugiados ganhou uma medalha. Já a delegação síria levou o bronze no levantamento de peso (+109kg) com Man Asaad.

Continuar lendo GUERRA NA SÍRIA NÃO IMPEDE DE CRIANÇAS DISPUTAREM AS ‘OLIMPÍADAS DE TENDAS’

PRESIDENTE DOS EUA ALERTOU QUE ATAQUE CIBERNÉTICO PODE RESULTAR EM UMA “GUERRA REAL COM TIROS”

Biden alerta que ciberataques podem levar a ‘guerra real’

Presidente dos EUA se disse preocupado com ataques cibernéticos à infraestrutura do país e lançou advertência

INTERNACIONAL

 por Reuters

Biden alertou para risco de "guerra real" como resultado de ataques cibernéticos

EVELYN HOCKSTEIN / REUTERS – 27.7.2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, alertou nesta terça-feira (27) que se os EUA se envolverem em uma “guerra real com tiros” contra uma “grande potência” poderá ser resultado de um ataque cibernético significativo ao país, ressaltando o que Washington vê como as ameaças crescentes representadas por Rússia e China.

A segurança cibernética subiu ao topo da pauta do governo Biden após uma série de ataques a entidades de alta importância, como a empresa de administração de redes SolarWinds, a Colonial Pipeline company, o frigorífico JBS e a fabricante de softwares Kaseya atingirem os Estados Unidos muito além das empresas hackeadas. Alguns dos ataques afetaram o fornecimento de alimentos e combustíveis a partes do país.

“Eu acredito que é mais do que provável que se acabarmos nos envolvendo em uma guerra – uma guerra real com tiros com uma grande potência — será graças a uma violação cibernética de grandes consequências”, disse Biden em um discurso de meia hora ao visitar o gabinete do diretor Nacional de Inteligência (ODNI, na sigla em inglês).

Durante uma cúpula no dia 16 de junho em Genebra entre Biden e o presidente russo, Vladimir Putin, o norte-americano compartilhou uma lista de instalações de infraestrutura que os Estados Unidos consideram fora dos limites para demais Estados-nações.

Desde então, membros do alto escalão da equipe de segurança nacional do governo Biden têm estado em contato constante com membros do alto escalão do Kremlin por conta de ataques virtuais aos Estados Unidos, segundo a Casa Branca.

Biden também destacou as ameaças representadas pela China, se referindo ao presidente chinês, Xi Jinping, como “seriamente comprometido à meta de se tornar a força militar mais poderosa do mundo, assim como a maior e mais proeminente economia do planeta até meados da década de 2040”.

Durante seu discurso para cerca de 120 funcionários do ODNI e autoridades e lideranças, Biden também agradeceu aos integrantes das agências de inteligência dos EUA, enfatizou sua confiança no trabalho que fazem e disse que não irá exercer qualquer tipo de pressão política sobre eles. O ODNI supervisiona 17 organizações de inteligência.

“Eu nunca irei politizar o trabalho que vocês fazem. Vocês têm a minha palavra”, disse. “É importante demais para o nosso país”.

Os comentários de Biden indicam uma ruptura clara com as declarações de seu antecessor Donald Trump, que tinha uma relação contenciosa com as agências de inteligência do país em questões como as indicações de que a Rússia teria interferido para ajudar Trump a conquistar a eleição de 2016 e o papel delas nas revelações de que Trump teria pressionado o governo da Ucrânia a investigar Biden.

Trump teve quatro diretores permanentes ou interinos de inteligência nacional durante seus quatro anos de governo.

Continuar lendo PRESIDENTE DOS EUA ALERTOU QUE ATAQUE CIBERNÉTICO PODE RESULTAR EM UMA “GUERRA REAL COM TIROS”

MINISTRO DA DEFESA DA ARGENTINA DECLAROU EM EVENTO DE HOMENAGEM AOS VETERANOS DA GUERRA DAS MALVINAS QUE O PAÍS CONTINUA REIVINDICANDO A SOBERANIA SOBRE AS ILHAS

Argentina diz que Reino Unido usa Malvinas como ‘enclave militar’

Ministro da Defesa do país afirma que britânicos só seguem com a posse do arquipélago para estabelecer presença no Atlântico Sul

INTERNACIONAL |

Do R7

Fernández voltou a declarar que quer a devolução das Malvinas

ALBERTO VALDES / EFE – ARQUIVO
O ministro da Defesa da Argentina, Agustín Rossi, declarou segunda-feira, em evento em homenagem aos veteranos da guerra das Malvinas de 1982, que o país continua reivindicando a soberania sobre as ilhas através dos canais diplomáticos, mas denunciou o uso do arquipélago como um “enclave militar” pelo Reino Unido.

O ato, realizado ao lado da sede ministerial em Buenos Aires, foi dedicado ao reconhecimento dos soldados que lutaram na guerra na qual morreram 255 britânicos, três ilhéus e 649 argentinos, exatamente 39 anos depois do fim das batalhas.

Rossi disse que desde 2 de abril, quando foi lembrado um novo aniversário do início da guerra, o país iniciou a vigília dos 40 anos, que serão completados em 2022.No meio do discurso, Rossi afirmou que “para a Grã-Bretanha a guerra não acabou” e acrescentou: “As ações da Grã-Bretanha em termos de política de defesa não são inócuas”.

Segundo o oficial argentino, os britânicos continuam com a execução de exercícios militares, que ele considerou “ofensivos. “Merecem nosso repúdio, crítica e condenação permanente”, considerou.

“O Reino Unido transformou as Malvinas em um enclave militar, em uma ilha onde há tantos ilhéus quanto soldados britânicos. Através de uma análise geopolítica e geoestratégica das ilhas, o interesse britânico está colocado na importância deste enclave militar no Atlântico Sul-Sul, sua visão para a Antártida e sua visão para o Estreito de Magalhães”, completou.

Reclamação diplomática e bloqueio inglês

O ministro denunciou os bloqueios do Reino Unido contra as tentativas do governo argentino de atualizar ou reequipar as Forças Armadas e prometeu continuar a luta pelo controle do arquipélago.

“Continuaremos reivindicando as Malvinas através dos canais diplomáticos. Nenhum país do mundo gosta de ser acusado de ser imperialista ou de exercer uma situação de colonialismo explícito como a Grã-Bretanha está exercendo hoje com a Argentina”, disse Rossi. “Qualquer componente de origem britânica interrompe qualquer tipo de operação”, acrescentou.

Na última sexta-feira, o presidente argentino, Alberto Fernández, defendeu reivindicação de soberania de seu país sobre as Ilhas Malvinas. Segundo ele, o território continua “usurpado” pelo Reino Unido.

“A Argentina fez muitos esforços para encontrar um ponto de diálogo e acordos com os usurpadores, mas não correu bem”, lamentou o chefe de governo em um evento que marcou o Dia da Afirmação dos Direitos Argentinos sobre as Ilhas Malvinas.

Em sua opinião, o Reino Unido se estabeleceu nas Malvinas por razões econômicas e militares, para ter um melhor controle do Atlântico Sul.

Fonte: R7
Continuar lendo MINISTRO DA DEFESA DA ARGENTINA DECLAROU EM EVENTO DE HOMENAGEM AOS VETERANOS DA GUERRA DAS MALVINAS QUE O PAÍS CONTINUA REIVINDICANDO A SOBERANIA SOBRE AS ILHAS

AUTORIDADES COMERCIAIS AMERICANAS E CHINESAS TIVERAM A PRIMEIRA CONVERSA TELEFÔNICA DESDE QUE BIDEN SE TORNOU PRESIDENTE DOS EUA

China e EUA têm primeira aproximação após guerra comercial

Autoridades comerciais conversaram por telefone pela 1ª vez; relações entre dois países se deterioraram durante governo Trump

EUA e China aceitam voltar a negociar

REUTERS/JASON LEE/ILLUSTRATION/FILE PHOTO

Autoridades comerciais chinesas e americanas tiveram a primeira conversa telefônica desde que Joe Biden se tornou presidente dos Estados Unidos, anunciou nesta quinta-feira (27) o ministério do Comércio da China.

As relações entre Pequim e Washington se deterioraram durante a presidência de Donald Trump, marcada por um conflito comercial entre as duas grandes potências mundiais.

O vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, conversou com Katherine Tai, Representante do Comércio dos Estados Unidos (USTR), em uma “troca construtiva” e em uma “atitude de igualdade e respeito mútuo”, de acordo com um comunicado divulgado pelo ministério.

“A embaixadora Tai falou sobre os princípios que orientam a administração Biden-Harris, com foco nas políticas comerciais (…) ao mesmo tempo que mencionou as questões que preocupam”, afirma, em um comunicado curto, o escritório da representante americana do Comércio.

Washington confirmou uma “reunião virtual” e uma conversa “sincera e pragmática”.

Este foi o primeiro contato entre Tai, designada para o posto em março, e Liu He, principal conselheiro econômico do presidente Xi Jinping e negociador chefe na guerra comercial.

Os dois países assinaram um acordo em janeiro de 2020, com o objetivo de encerrar dois anos de guerra comercial, que continha dispositivos sobre a proteção da propriedade intelectual e as condições de transferência de tecnologia, grandes exigências dos Estados Unidos.

O acordo prevê ainda que as duas partes devem ter encontros de etapa a cada seis meses.

Mas o novo governo Biden anunciou em abril que faria um balanço das promessas cumpridas pela China no âmbito do acordo.

A “capacidade” da China de cumprir seus compromissos com os Estados Unidos é uma “prioridade”, disse Katherine Tai.

Compromissos

Com o acordo comercial, a China se comprometeu a aumentar em pelo menos 200 bilhões de dólares em 2020 e 2021 as compras de produtos e serviços americanos para tentar reduzir o desequilíbrio da balança comercial, muito favorável ao gigante asiático.

Mas no fim do primeiro trimestre de 2021, Pequim havia cumprido apenas entre 61% e 75% das compras previstas, de acordo com um estudo de Chad Brown, pesquisador do Peterson Institute for International Economics (PIIE), que utilizou dados do comércio internacional publicados pelos dois países.

O acordo comercial denominado “fase 1” manteve as tarifas dos Estados Unidos de 25% sobre uma gama de produtos chineses e componentes industriais que representavam 250 bilhões de dólares, assim como as medidas de retaliação chinesas de mais de 100 bilhões de dólares sobre as importações procedentes dos Estados Unidos.

O governo dos Estados Unidos afirmou em março que não está disposto a retirar as tarifas, mas se declarou disposto a negociar com a China.

As tarifas foram adotadas para “remediar uma situação comercial desequilibrada e injusta”, declarou Katherine Tai, antes de acrescentar que a suspensão das taxas poderia ter consequências negativas na economia americana.

Fonte: R7
Continuar lendo AUTORIDADES COMERCIAIS AMERICANAS E CHINESAS TIVERAM A PRIMEIRA CONVERSA TELEFÔNICA DESDE QUE BIDEN SE TORNOU PRESIDENTE DOS EUA

GRUPOS DE PALESTINOS ESTÃO CUIDANDO DE ANIMAIS FERIDOS DURANTE A GUERRA

Palestinos aproveitam trégua em Gaza para tratar animais feridos

Cães e gatos encontrados pelas ruas recebem medicamentos, alimentos e abrigo após 11 dias de conflito entre Hamas e Israel

INTERNACIONAL

 por Reuters – Internacional

Animais na Faixa de Gaza recebem cuidados após 11 dias de conflito entre Hamas e Israel

IBRAHEEM ABU MUSTAFA/REUTERS – 25/05/2021

Grupos palestinos de defesa de animais estão cuidando de cães e gatos de rua feridos durante o conflito de 11 dias entre militantes do Hamas e Israel, durante o qual Gaza foi atingida por centenas de ataques aéreos israelenses.

Ao menos 253 pessoas foram mortas em Gaza, e mais de 1.900 ficaram feridas, disseram autoridades de saúde palestinas.

Os militares israelenses estimaram em 13 os mortos em seu país, e centenas foram tratados de ferimentos depois que salvas de foguetes do Hamas causaram pânico e fizeram pessoas de locais distantes como Tel Aviv correrem para abrigos.

Saeed El-Aer, proprietário da Sociedade Sulala de Tratamento e Cuidado de Animais, está vasculhando as ruas de Gaza em busca de cães e gatos abandonados e lhes fornecendo medicamentos, alimentos e abrigo.

“Ainda estamos recebendo chamadas sobre gatos e cães feridos na guerra, e ainda estamos tentando encontrá-los para ajudá-los”, disse ele.

Assim que foi acertado um cessar-fogo na sexta-feira, após as piores hostilidades entre o Hamas e Israel em anos, Aer correu para seu abrigo de animais, construído em um pedaço de terra que o município lhe deu em Zeitoun, no subúrbio leste da Cidade de Gaza.

“Encontrei todos os cães do lado de fora. Estavam tristes, com medo e aterrorizados”, disse ele à Reuters, acrescentando que os bombardeios israelenses destruíram parte da cerca exterior.

“Fiquei surpreso de ver um jumento morto e outro cavalo ferido, que depois morreu. Encontrei cães feridos por estilhaços, e ainda estou tratando-os.”

Fonte: R7

Continuar lendo GRUPOS DE PALESTINOS ESTÃO CUIDANDO DE ANIMAIS FERIDOS DURANTE A GUERRA

DIANTE DO AUMENTO DE CONFLITOS ENTRE SEPARATISTAS E O GOVERNO DA UCRÂNIA, PRESENÇA DE NAVIOS DE GUERRA É REFORÇADA NA REGIÃO

Tensão: Rússia reforça presença de navios de guerra no Mar Negro

Moscou reforça a presença naval na região diante do aumento dos conflitos entre separatistas e o governo da Ucrânia

INTERNACIONAL

 Do R7

Navio de guerra russo navega pelo estreito de Bósforo em IstambulNavio de guerra russo navega pelo estreito de Bósforo em Istambul YORUK ISIK/REUTERS – 17.04.21

Dois navios de guerra russos transitaram pelo estreito de Bósforo a caminho do Mar Negro neste sábado (17) e 15 navios menores também seguiram para a mesma localidade, com Moscou reforçando sua presença naval em meio a um momento de tensões com o Ocidente e com a Ucrânia.

O reforço naval coincide com um grande aumento das tropas russas na região próxima à Ucrânia, algo que Moscou classifica como exercício defensivo temporário, e segue uma escalada nos combates no leste da Ucrânia entre separatistas apoiados pela Rússia e as forças do governo ucraniano.

As relações entre Rússia e Washington, que cancelou o envio de dois de seus próprios navios de guerra ao Mar Negro na semana passada após protestos contundentes dos russos, estão em um nível preocupante no pós-Guerra Fria.

Moscou expulsou dez diplomatas americanos na sexta-feira em retaliação à expulsão do mesmo número de diplomatas russos nos Estados Unidos por suposta atividade maléfica.

A Rússia também restringiu temporariamente o movimento de navios de guerra estrangeiros “e outros navios estatais” perto da Crimeia, que o país anexou da Ucrânia em 2014, uma medida já condenada por Kiev e Washington.

Dois navios russos de desembarque anfíbio da classe Ropucha, da Frota do Norte da Rússia, capazes de transportar tanques e desembarcar blindados e tropas durante ataques costeiros, transitaram pelo Bósforo neste sábado, informou um repórter da Reuters em Istambul.

Mais reforços navais russos na forma de outros dois navios de desembarque, desta vez da Frota do Báltico, devem transitar em breve no Bósforo.

A agência de notícias RIA também informou neste sábado que 15 navios menores da frota russa do Cáspio concluíram sua transferência para o Mar Negro como parte de um exercício militar.

Em mais um sinal de aumento das tensões na região, um navio transportando caminhões e equipamentos de logística para as forças da OTAN na Romênia transitou pelo Bósforo na noite de sexta-feira, informou o mesmo repórter da Reuters.

Em São Petersburgo, o serviço de segurança secreta russo FSB deteve brevemente um diplomata ucraniano, disse o Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia neste sábado.

A agência de notícias Interfax citou o FSB dizendo que Oleksandr Sosoniuk foi levado sob custódia quando tentava obter informações confidenciais de bancos de dados da polícia russa durante um encontro com um cidadão russo.

Fonte: R7
Continuar lendo DIANTE DO AUMENTO DE CONFLITOS ENTRE SEPARATISTAS E O GOVERNO DA UCRÂNIA, PRESENÇA DE NAVIOS DE GUERRA É REFORÇADA NA REGIÃO

DOCUMENTÁRIO MOSTRA A HISTÓRIA DE TRÊS ENFERMEIRAS ARGENTINAS QUE PARTICIPARAM DA GUERRA DAS MALVINAS

A história oculta das enfermeiras argentinas na Guerra das Malvinas

Documentário conta a participação de três mulheres da Força Aérea no conflito contra o Reino Unido em 1982

INTERNACIONAL

 Da EFE

Guerra das Malvinas

EFE/ EN EL CAMINO PRODUCCIONES

A história da Guerra das Malvinas é geralmente ilustrada na Argentina com jovens soldados homens que viveram horrores em um território frio e foram derrotados pelo Reino Unido, mas, 39 anos depois, um documentário mostra um lado pouco conhecido: o de três enfermeiras que participaram da guerra.

“Estavam condenadas ao esquecimento, provavelmente porque eram mulheres, mas também porque eram enfermeiras, porque testemunharam o pior da guerra (…). O que elas tinham que contar era algo que não se queria contar”, disse à Agência Efe o diretor do documentário “Nosotras también estuvimos” (“Nós também estivemos”, em tradução livre), o argentino Federico Strifezzo.

Ele aponta o fato de que a ditadura argentina (1976-1983) tentou silenciar a realidade da guerra de 1982 pela disputa das ilhas Malvinas (ou Falklands, como são chamadas pelo Reino Unido), de modo que o silêncio forçado de um total de 14 enfermeiras que participaram encobriu as feridas dos combatentes, dos jovens soldados desnutridos, dos corpos congelados e dos maus tratos.

“Nosotras tambien estuvimos” se concentra em três dessas enfermeiras, da Força Aérea Argentina, que permaneceram na cidade de Comodoro Rivadavia, no sul da Argentina, e que esperaram lá pela chegada dos feridos nos combates nas ilhas.

No filme, Alicia Reynoso, Stella Morales e Ana Masitto retornam juntas pela primeira vez aos lugares onde ficavam seus acampamentos e que hoje são campos ou cavernas vazios.

Elas falam, choram e largam um fardo muito pesado, à sombra dos veteranos comumente reconhecidos pela sociedade.

“Elas ficaram em silêncio por 30 e poucos anos. Uma delas, Ana, disse que passou mais de dez anos sem dizer a seu marido (…) que esteve na Guerra das Malvinas. Alicia não permitiu que seus filhos ligassem a TV no dia 2 de abril. Era uma história que estava realmente enterrada em seus corações”, contou Strifezzo.

Diretor as encontrou a partir de foto

O diretor soube da história delas por meio de uma foto das três durante a guerra, algo que despertou sua curiosidade. Então ele viu capas de revistas da época em que foram entrevistadas durante a guerra, e uma das publicações era intitulada: “No meio da guerra, com coragem e perfume de mulher”.

No filme, elas lembram suas declarações otimistas sobre a guerra e os avisos de seus superiores.

Segundo Strifezzo, uma das reportagens da época afirmava que algumas das mulheres eram voluntárias, “uma das grandes mentiras” da ditadura, já que na realidade as 14 mulheres eram profissionais da Força Aérea.

O documentário estreou no Festival de Cinema de Trieste. Na última quarta-feira, dois dias antes do 39º aniversário do início da Guerra das Malvinas, foi exibido em Comodoro Rivadavia.

Reconhecimento oficial parcial

Hoje, essas três enfermeiras e suas colegas foram reconhecidas pelo Congresso Nacional, mas “continuam sendo negadas como veteranas, porque não foram para as ilhas”, segundo Strifezzo, que ressaltou que mesmo assim elas “cumpriram um papel que tinha muito valor”, paralelo aos que estavam no campo de batalha, onde morreram 649 argentinos, 255 britânicos e três moradoras das ilhas.

Numa época em que havia pouquíssimas mulheres nas forças armadas, as histórias de vida de Alicia, Stella e Ana trazem “outra visão da guerra”.

“Acho que o documentário fala da guerra de um ponto de vista mais próximo, mais humano, mais emocional. Talvez possa ser uma contribuição ao que existe hoje em relação à Guerra das Malvinas”, explicou.

Fonte: R7
Continuar lendo DOCUMENTÁRIO MOSTRA A HISTÓRIA DE TRÊS ENFERMEIRAS ARGENTINAS QUE PARTICIPARAM DA GUERRA DAS MALVINAS

NA SÍRIA, MENINO DE 10 ANOS TRABALHA 10 HORAS/DIA PARA GANHAR R$ 73/MÊS E SUSTENTAR A FAMÍLIA

Continuar lendo NA SÍRIA, MENINO DE 10 ANOS TRABALHA 10 HORAS/DIA PARA GANHAR R$ 73/MÊS E SUSTENTAR A FAMÍLIA

NA GUERRA DE DECRETOS PREFEITO DE NATAL CHAMA ATENÇÃO DA GOVERNADORA DO ESTADO PARA ABRIR HOSPITAL DE CAMPANHA

GUERRA DE DECRETOS: Decreto da Prefeitura do Natal diz para o Governo abrir Hospital de Campanha

No decreto do prefeito Álvaro Dias, chama atenção o teor do Art. 20 que recomenda ao Governo do Estado a instalação imediata de um hospital de campanha, veja abaixo:

 SAÚDE

Bancada Federal destina recursos para construção do Hospital Municipal de Natal | Blog do BG

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo NA GUERRA DE DECRETOS PREFEITO DE NATAL CHAMA ATENÇÃO DA GOVERNADORA DO ESTADO PARA ABRIR HOSPITAL DE CAMPANHA

GOVERNOS DO AFEGANISTÃO E TALIBÃ SE REUNIRAM PARA RETOMAR AS NEGOCIAÇÕES E POR UM FIM EM DUAS DÉCADAS DE GUERRA

Afeganistão e Talibã retomam negociações após 1 mês de impasse

Parada de 35 dias nos diálogos realizados no Catar resultou em uma nova onda de violência no país

INTERNACIONAL Do R7

Enquanto autoridades se reúnem, violência prossegue no Afeganistão

JAWED KARGAR / EFE – EPA – 21.2.2021

O governo do Afeganistão e o Talibã realizaram se reuniram pela primeira vez em mais de um mês nesta segunda-feira (22), em Doha, no Catar, após um atraso de 35 dias que causou uma preocupação generalizada sobre o futuro das conversações que visam pôr fim a duas décadas de guerra.

“Os negociadores principais e vários membros das equipes para as conversações de paz intra-afegãs se encontraram esta noite em uma atmosfera positiva”, informaram em um comunicado conjunto os escritórios de imprensa do governo afegão e as equipes de insurgentes.

Ambos os lados deram ênfase à continuação das reuniões e relataram a nomeação de grupos de trabalho para a agenda para continuar os encontros em busca de um acordo.

Atraso preocupante

Foi o primeiro encontro entre Cabul e os insurgentes em Doha após um atraso de mais de um mês que ocorreu sem motivo divulgado e criou preocupações entre os afegãos sobre o destino dessas conversações. As partes terão agora que trabalhar na redação final da agenda para as conversações de paz.

Espera-se que a discussão de um cessar-fogo seja um dos principais tópicos a serem incluídos na agenda, em meio à crescente violência em curso no país, que está tomando a forma de ataques direcionados em áreas urbanas, principalmente na capital nacional.

As conversações entre facções afegãs, que começaram em 12 de setembro, são precedidas pelo acordo histórico que os Estados Unidos e o Talibã assinaram há quase um ano no Catar, no qual Washington se comprometeu a retirar suas tropas em 14 meses.

Já o Talibã concordou em reduzir drasticamente a violência e participar das conversações para pôr fim à guerra. Na primeira rodada, as partes só chegaram a um entendimento sobre as regras e procedimentos para as tratativas.

Fonte: R7
Continuar lendo GOVERNOS DO AFEGANISTÃO E TALIBÃ SE REUNIRAM PARA RETOMAR AS NEGOCIAÇÕES E POR UM FIM EM DUAS DÉCADAS DE GUERRA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: UMA RESUMO ANIMADODO LIVRO A ARTE DA GUERRA DE SUN TZU

Nesta quarta-feira você vai ver, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL, um resumo animado, feito por Albano do Seja Uma Pesoa Melhor, de um livro que tem mais de dois mil anos, cujas ideias sobrevivem até hoje graças a profunda sabedoria contida em suas breves páginas. Na vida tudo é conhecimento e estratégia. Portanto, quem conhece a si mesmo e conhece o inimigo alcançará a vitória e quem, além disso, conhece o tempo e o terreno a alcançará de modo absoluto!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: UMA RESUMO ANIMADODO LIVRO A ARTE DA GUERRA DE SUN TZU

POLÍTICA: RODRIGO MAIA ESTÁ SE DESPEDINDO DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA EM GRANDE ESTILO

Os bastidores da guerra entre o governo Bolsonaro e a turma do Baleia pela presidência da Câmara

Imagem em destaque

Rodrigo Maia está se despedindo da presidência da Câmara dos Deputados, pelo que parece, em grande estilo, esbanjando dinheiro público.

Desde a posse do presidente Bolsonaro, o ‘Botafogo’, como é conhecido no esquema de propina da Odebrecht, tem engavetado mais projetos do que nunca e deixado caducar medidas importantes para o crescimento do país.

Mas, caro leitor, se você pensa que Maia largou o osso do poder, está muito enganado! Ele uniu a esquerda para eleger seu sucessor na presidência, Baleia Rossi, deputado federal por São Paulo e presidente nacional do MDB.

Isso mesmo, PT e MDB unidos – a narrativa do golpe que teria derrubado Dilma Rousseff foi esquecida.

Na próxima edição da revista A Verdade, que vai ao ar às 15h desta segunda-feira, 18, revelaremos os bastidores da guerra pela presidência da Câmara.

A turma do Baleia vem com tudo para tentar paralisar o país até 2022.

Mas o governo Bolsonaro sabe disso, e já preparou seu arpão!

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: RODRIGO MAIA ESTÁ SE DESPEDINDO DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA EM GRANDE ESTILO

UMA CAMPANHA DE RECRUTAMENTO NOS EUA ESTÁ NO CENTRO DE UMA BATALHA LEGAL ENTRE ORGANIZAÇÕES DE ESCOTISMO

Por que os escoteiros e as escoteiras estão em ‘guerra’ nos EUA

Uma campanha de recrutamento está no centro de uma batalha legal entre as duas principais organizações de escotismo do país

INTERNACIONAL |

 por BBC NEWS BRASIL

Desde que a Boy Scouts começou a recrutar meninas, várias tropas de escoteiros formadas só por meninas foram criadasDesde que a Boy Scouts começou a recrutar meninas, várias tropas de escoteiros formadas só por meninas foram criadas

Uma campanha de recrutamento está no centro de uma batalha legal entre as duas principais organizações de escotismo dos Estados Unidos.

Em 2018, a Boy Scouts of America, que é originalmente exclusiva para meninos, tirou a palavra boy (menino, em inglês) do nome de seu programa de recrutamento para crianças mais velhas, com idades entre 11 e 17 anos, e passou a aceitar meninas entre seus integrantes.

A organização disse na época que também estava mudando o nome do programa para Scouts BSA para se adequar à mudança e se tornar mais “inclusiva” — o nome da organização foi mantido como Boy Scouts of America, assim como o programa para crianças mais novas continuou a ser chamado de Cub Scouts (cub significa “filhote” em inglês).

Mas a organização Girl Scouts, que é voltada para meninas, protestou, alegando que a mudança seria prejudicial para sua marca e entrou com uma ação na Justiça em novembro de 2018, por violação de marca registrada.

A Girl Scouts diz que muitos pais inscreveram suas filhas por engano no Scouts BSA pensando que era o programa para meninas, disseram os advogados da organização.

Em resposta, os escoteiros acusaram as escoteiras de iniciar uma “guerra”. No mês passado, advogados da Boy Scouts pediram a um juiz que rejeitasse o processo. A organização nega que a mudança tenha causado confusão.

Em um comunicado divulgado no sábado (25/12), a Boy Scouts disse que isso é “não apenas impreciso, mas também ignora as decisões de mais de 120 mil meninas e mulheres jovens que se juntaram ao Scouts BSA ou ao Cub Scouts”.

Disputa por membros

Em outubro de 2017, a diretoria do Boy Scouts of America votou unanimemente para abrir o clube centenário a todas as crianças, independentemente do gênero.

“À medida que entramos em uma nova era para nossa organização, é importante que todos os jovens possam se ver no escotismo de todas as maneiras possíveis”, disse Michael Surbaugh, chefe-executivo da Boy Scouts of América. Ele acrescentou que queria tornar a organização mais “inclusiva”.

O movimento desencadeou uma forte reação online, inclusive do filho do presidente Donald Trump. “Estranho, eu pensei que era para isso que as Girls Scouts serviam???”, tuitou Donald Trump Jr.

Desde que a Boy Scouts começou a recrutar meninas, várias tropas de escoteiros formadas só por meninas foram criadas nos Estados Unidos.

A presidente da Girl Scouts, Kathy Hopinkah Hannah, acusou o grupo de iniciar uma “campanha secreta” para recrutar meninas para uma organização que tinha um declínio “bem documentado” de membros.

“Solicito formalmente que sua organização permaneça focada em servir os 90% dos meninos americanos que não participam atualmente dos escoteiros… e não considere expandir para recrutar meninas”, escreveu a Hannah ao presidente da Boy Scouts, Randall Stephenson.

A Boy Scouts afirma ter cerca de 2,3 milhões de membros nos Estados Unidos, um terço a menos do que tinha em 2000, em comparação com cerca de 1,7 milhão de membros da Girl Scouts.

Fonte: R7

Continuar lendo UMA CAMPANHA DE RECRUTAMENTO NOS EUA ESTÁ NO CENTRO DE UMA BATALHA LEGAL ENTRE ORGANIZAÇÕES DE ESCOTISMO

CRÔNICAS: GUERRA E PAZ, UMA TRÉGUA NO NATAL

Nesta quinta-feira estamos estreando a coluna CRÔNICAS, aqui no Blog do Saber e o texto inaugural é de uma grande amiga chamada Ana Madalena, que adora escrever as coisas do cotidiano, do dia a dia com um olhar de otimismo, atentando sempre para o lado bom das experiências vividas por ela, pelos amigos, pelas pessoas em geral. Sempre tirando as boas lições de cada uma dessas experiências, pois é o que importa e que levamos nessa jornada. Então convido você a ler  o lindo conto adaptado por ela sobre “Um Natal de guerra e paz”, que vai deixar você simplesmente apaixonado(a) com a história, o exemplo e as lições enriquecedoras!

TBT Guerra e Paz: Uma Trégua no Natal [Musical de Natal 2019] - YouTube

Um Natal de guerra e paz

Por Ana Madalena
” A guerra é sempre uma derrota da humanidade”.
João Paulo II

A lenda

Era um povoado muito pobre, no meio do nada. O humilde sapateiro morava numa casinha que ficava numa esquina, de onde era possível ver outro pequeno povoado. Por ali passavam muitos viajantes que se perdiam durante a noite, quando o céu não tinha estrelas e tudo era escuridão.
Ele era um homem bondoso; o dinheiro ganho com dificuldade, era usado em alimento e velas. Sim, velas. Toda noite ele acendia uma vela na sua janela, criando um ponto de luz para os que por ali passassem. Era como se ele fosse um farol.
A guerra tão alardeada começou. A cidade ficou totalmente deserta e todos os rapazes que moravam nos arredores foram convocados. Dificilmente alguém passava por ali, mas mesmo assim, o sapateiro continuou acendendo velas, por muitos anos. As poucas pessoas do povoado, percebendo sua insistência, traduziram esse gesto como um ato de bondade e esperança. Na véspera do Natal todos decidiram acender uma vela nas suas casas. À meia noite os sinos da igreja começaram a tocar e veio a boa nova: a guerra tinha cessado. Todos acreditaram ser o milagre das velas! Desde então é tradição em quase todos os povos acender velas no Natal.

A História

A primeira Grande Guerra tinha começado há menos de seis meses. Nas trincheiras, os dias eram longos, frios e os ataques não paravam. Estava chegando o Natal e o Papa consciente dessa situação, propôs uma trégua  para os países envolvidos: “que as armas silenciem, enquanto os anjos cantem”. A resposta foi negativa; o Natal deveria ser cancelado para não atrapalhar o êxito da guerra.
A noite de Natal chegou. Às 20.30h o capitão do exército britânico deu três tiros para cima e ergueu uma bandeira com os dizeres “Merry Christmas”. Os alemães ergueram outra, onde estava escrito “Thank you”. Uma ventania muito forte começou e os ingleses puderam ouvir um alemão chamando-os com sotaque forte.
Os capitães de ambos os lados se levantaram para se encontrar no meio do caminho, um em direção ao outro. Apertaram as mãos e ouviram um caloroso aplauso de todos os soldados. Trocaram cigarros, bebidas e até montaram uma barbearia improvisada para cortes de cabelo. Por fim, puderam recolher seus mortos do campo de batalha, para velá-los em paz. A notícia da trégua se espalhou por toda Europa tornando-se um símbolo da esperança. De certa forma a guerra acabou no Natal de 1914, mesmo que por algumas horas…

A mensagem

Cada pessoa está vivendo uma guerra particular. Em comum, lutamos para eliminar o vírus que assola o mundo. Infelizmente existe a pandemia do egoísmo; pessoas que não se preocupam com o coletivo, que vivem na superfície da existência  O amor está ficando rarefeito. Ainda bem que existem muitos sapateiros e soldados que estão dispostos a mudar tudo isso. A vida pede por nós!
Autor: Ana Madalena
Continuar lendo CRÔNICAS: GUERRA E PAZ, UMA TRÉGUA NO NATAL

PARA ENCERRAR GUERRA CIVIL NA LÍBIA A ONU ANUNCIA CESSAR-FOGO

 

ONU anuncia cessar-fogo para encerrar a guerra civil na Líbia

Reunidos em Genebra, representantes do Governo Nacional e do Parlamento, que se enfrentam há 6 anos, assinaram um acordo que pode levar à paz

INTERNACIONAL

Da EFE, com R7

Representantes do Parlamento e do Governo fecharam cessar-fogo na Suíça

Violaine Martin / ONU via EFE – EPA – 23.10.2020

Representantes do Governo do Acordo Nacional (GNA, na sigla em inglês) e do Parlamento líbio, lados que se enfrentam há seis anos em uma guerra civil, assinaram nesta sexta-feira (23) um cessar-fogo permanente para todo o território da Líbia que prevê, entre outras coisas, a saída de todos os combatentes estrangeiros em até três meses.

O acordo, fechado com a mediação da Missão de Apoio das Nações Unidas para a Líbia (UNSMIL), foi assinado após quatro rodadas de negociações na sede europeia da ONU em Genebra , na Suíça, pela Comissão Militar Conjunta 5+5, formada por dez representantes dos dois exércitos do conflito.

Abandonar o front e voltar aos quartéis

A diretora da UNSMIL, Stephanie Williams, explicou em uma coletiva de imprensa que o acordo tem efeito imediato e exige que “todas as unidades militares e grupos armados devem abandonar os fronts de batalha e retornar aos seus quartéis”.

Além disso, também deve acontecer “a saída do território líbio de todos os mercenários e tropas estrangeiras que operem em terra, mar e ar”, acrescentou Williams, que ressaltou que o cessar-fogo não inclui grupos incluídos na lista de organizações terroristas da ONU.

Além disso, até que um governo unificado e formado por representantes dos dois lados do conflito assuma o controle do país, o treinamento de tropas será suspenso. Também sairão do país as equipes estrangeiras de formação militar.

O acordo inclui a criação de centros de operações conjuntos da polícia e do exército para garantir a segurança do território, assim como a possível reintegração, com algumas condições, de membros de grupos armados às “instituições estatais”.

Depois da assinatura do acord, o coronel Ali Abushahma, chefe da delegação do Governo do Acordo Nacional (GNA), mostrou esperança de que o cessar-fogo “ponha fim ao conflito armado e ao derramamento de sangue na Líbia.

Abushahma, representante do governo com sede em Trípoli que é reconhecido pela ONU, pediu aos responsáveis das tropas líbias “que façam todo o possível para comprir o acordo com responsabilidade e reconstituir o aparato militar para voltar a ser uma mão forte contra quem tente minar a segurança e a estabilidade da Líbia”.

Da parte do governo rival, o Parlamento de Tobruk, o chefe da delegação, Amhimmid Mohammed Alamami, destacou que a comissão 5+5 “teve sucesso ao conseguir o que todos os líbios esperavam: mostrar que pertencemos a uma só nação e conseguir a paz e a segurança”.

Pedido ao Conselho de Segurança

As duas partes pediram que após a assinatura do novo acordo o Conselho de Segurnça da ONU adote uma resolução para garantir que ele seja cumprido não apenas pelos atores do conflito dentro da Líbia, mas também pelos do exterior.

O Parlamento de Tobruk participou do conflito apoiado por Rússia, França, Emirados Árabes, Egito, Arábia Saudita e outros. Já o GNA tinha apoio de países como os EUA, Reino Unido e Turquia.

Williams destacou que o acordo é uma resposta ao pedido feito este ano por um cessar-fogo em todos os conflitos globais, feito em março pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, diante da crise sanitária causada pela pandemia do novo coronavírus.

A Comissão Militar Conjunta 5+5 já havia fechado um acordo, na última quarta-feira, pela reabertura das rotas terrestes e aéreas no país. Com isso, foram retomados os voos entre Trípoli e Benghazi, as duas principais cidades do país, controladas pelo GNA e pelo Parlamento, respectivamente.

A representante da ONU também explicou que as equipes de negociação avisaram que a produção de petróleo do país, que esteve bloqueada durante meses pelos ataques das forças do Parlamento, poderá ser retomada em breve e de maneira integral.

“Ainda temos muito trabalho pela frente”, concluiu a responsável pela UNSMIL, que disse que nas próximas rodadas serão negociados mais detalhes para facilitar a desmobilização das tropas, a reintegração de seus membros à sociedade e a luta antiterrorista no território líbio.

A mediadora lembrou que além das negociações militares em Genebra, continuam as conversas em outras duas comissões, uma política e outra econômica, reunidas nos últimos meses em Berlim, e mostrou esperança de que nelas sejam conseguidos outros importantes avanços que ajudem no processo de paz.

Década de conflitos

A guerra civil líbia colocou em lados opostos o Governo e o Parlamento que, com sede em Tobruk, controla boa parte do território nacional graças às milícias comandadas pelo marechal Jalifa Hafter, homem-forte de Muammar Kadafi nas décadas de 1970 e 80 que se tornou o principal opositor ao ditador após fugir se exilar nos EUA em 1989.

Desde a queda de Kadafi em 2011, quando a OTAN ajudou na vitória dos diversos grupos e milícias rebeldes que disputavam o poder contra as forças leais ao ditador, a Líbia é um país mergulhado no caos e na guerra civil.

O primeiro conflito, coincidentemente, acabou em 23 de outubro daquele ano, exatamente 9 anos atrás. Depois disso, se seguiram mais de dois anos de negociação e tensão até que discordâncias sobre o resultado da eleição de 2014 culminaram na guerra atual, que já matou quase 9 mil pessoas em 6 anos.

Essa segunda fase do conflito é marcada pela participação de diversos países em apoio aos dois lados, seja com suporte financeiro e logístico ou com ajuda militar direta, que aconteceu em mais de uma ocasião.

Continuar lendo PARA ENCERRAR GUERRA CIVIL NA LÍBIA A ONU ANUNCIA CESSAR-FOGO

SEGURANÇA: SIMULAÇÃO DE GUERRA SEM PRECEDENTES É FEITA PELO EXÉRCITO BRASILEIRO NA AMAZÔNIA

Exército fez simulação de guerra sem precedentes na Amazônia

 ESPECIALJORNALISMO

Brasil testa lança foguetes em uma manobra no Amazona envolvendo mais de 3.500 militares Foto: Reprodução de vídeo / Agência O Globo
Brasil testa lança foguetes em uma manobra no Amazona envolvendo mais de 3.500 militares Foto: Reprodução de vídeo / Agência O Globo 

O Exército brasileiro gastou R$ 6 milhões somente em combustível, horas de voo e transporte para simular uma guerra entre dois países na Amazônia, numa operação militar inédita, que ainda não havia sido feita no país. Os militares decidiram criar um campo de guerra em que um suposto país “Vermelho” invadiu um país “Azul”, sendo necessário expulsar os invasores.

A simulação ocorreu num momento de animosidade com a vizinha Venezuela, praticamente ao mesmo tempo em que o governo brasileiro decidiu retirar as credenciais dadas aos diplomatas do regime de Nicolás Maduro que atuam no Brasil. A operação envolveu 3,6 mil militares e se concentrou nas cidades de Manacapuru, Moura e Novo Airão, no Amazonas, num raio de 100 a 300 quilômetros de Manaus.

A “guerra” na região amazônica ocorreu entre 8 e 22 de setembro. No dia 18 daquele mês, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, fez uma visita a Roraima, região de fronteira com a Venezuela. O chefe da diplomacia de Donald Trump esteve em Boa Vista — a 840 quilômetros de Manacapuru — e foi ciceroneado pelo chanceler Ernesto Araújo. A visita foi duramente criticada, por ter ocorrido durante a campanha eleitoral em que Trump busca a reeleição, por ter se passado na região de fronteira e por ter emitido um sinal belicoso da relação de EUA e Brasil com a Venezuela.

Lançamento de mísseis

O valor gasto com a chamada Operação Amazônia, que incluiu o lançamento de mísseis com alcance de 80 quilômetros, foi obtido pelo GLOBO por meio da Lei de Acesso à Informação. A lei também foi usada para obter a informação sobre o ineditismo da operação. Antes, o Ministério da Defesa se recusou a fornecer essas informações.

“Dentro da situação criada e com os meios adjudicados, foi a primeira vez que ocorreu este tipo de operação”, informou o Exército à reportagem. Os R$ 6 milhões gastos saíram do Comando de Operações Terrestres (Coter). A Força não informou os outros gastos com a operação, além de combustível, horas de voo e transporte de civis.

“Foram empregados diversos meios militares, tais como viaturas, aeronaves (aviões e helicópteros), balsas, embarcações regionais, ferry-boats, peças de artilharia, o sistema de lançamento de foguetes Astros da artilharia do Exército, canhões, metralhadoras, ‘obuseiro’ Oto Melara e morteiros 60, 81 e 120 mm, além de veículos e caminhões especiais”, afirmou o Exército.

Simulações de conflito e treinamento de militares já haviam sido feitos outras vezes, mas em escala menor, sem o uso de todos esses equipamentos e numa articulação entre Exército, Marinha e Aeronáutica. A reportagem pediu ao Ministério da Defesa e ao Exército, também via Lei de Acesso, informações sobre o tamanho das ações passadas. A Defesa não respondeu, e disse que caberia ao Exército responder. A Força informou que a Operação Amazônia, da forma como foi feita, é inédita.

O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, e o comandante do Exército, Edson Leal Pujol, foram à região do “conflito” no dia 14 de setembro. Eles acompanharam, por exemplo, o disparo de mísseis.

O sistema Astros, com lançadores múltiplos de foguetes, é considerado um projeto estratégico para o Exército. A exemplo de outros projetos, terá mais previsão de recursos no Orçamento de 2021. A proposta de Orçamento enviada ao Congresso prevê R$ 141,9 milhões para esses mísseis em 2021. Neste ano, a previsão é de R$ 120,7 milhões.

Segundo informação do Comando Militar da Amazônia, 20 foguetes foram disparados pela artilharia do Exército no dia 15, na altura do quilômetro 61 da rodovia AM-010. O objetivo foi “neutralizar uma base do Exército oponente”. O Exército diz que trabalha na elaboração de lançadores de foguetes com alcance de 300 quilômetros.

Três dias após a incursão de Azevedo e Pujol na simulação de guerra na Amazônia, Pompeo, o secretário de Trump, visitou Boa Vista ao lado de Araújo. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chamou a visita de de “afronta” à “altivez de nossas políticas externa e de defesa”. O chanceler brasileiro reagiu e disse que Brasil e Estados Unidos “estão na vanguarda da solidariedade ao povo venezuelano”.

A guerra entre “azuis” e “vermelhos” foi causada pela invasão dos “vermelhos” em território “azul”, conforme a simulação feita pelo Exército. Os militares envolvidos atuaram na “libertação” de territórios como as cidades amazonenses de Manacapuru, Moura e Novo Airão. Segundo o Ministério da Defesa, houve ações também em Rondônia.

Não houve ações em Roraima, segundo a pasta. Mesmo assim, a operação contou com a participação de militares que atuam diretamente em regiões de fronteira, como os que estão na brigada de São Gabriel da Cachoeira (cidade do Amazonas na fronteira com Venezuela e Colômbia) e os da brigada de Boa Vista, capital de Roraima, estado que é a principal porta de entrada de refugiados venezuelanos no Brasil.

Participaram da operação as brigadas do Comando Militar da Amazônia, mais o grupo de artilharia de Rondonópolis (MT), o grupo de mísseis e foguetes de Formosa (GO), o comando de operações especiais de Goiânia, a brigada de artilharia antiaérea de Guarujá (SP) e a brigada de infantaria paraquedista do Rio.

Mudança de estratégia

Em agosto, O GLOBO mostrou a mudança da estratégia do governo de Jair Bolsonaro para a atuação das Forças Armadas, com a previsão inédita de uma “rivalidade entre Estados” na esfera regional e uma associação entre essa “rivalidade” e a necessidade de ampliação do orçamento para a Defesa, que chegaria a 2% do PIB nacional. A estratégia aparece em atualizações de documentos oficiais das Forças, as chamadas Política e Estratégia Nacional de Defesa, encaminhadas ao Congresso. Nos documentos, o governo Bolsonaro prevê pela primeira vez a ocorrência de “tensões e conflitos” em áreas vizinhas ao Brasil.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo SEGURANÇA: SIMULAÇÃO DE GUERRA SEM PRECEDENTES É FEITA PELO EXÉRCITO BRASILEIRO NA AMAZÔNIA

CHINA PEDE QUE OS EUA PAREM COM ATAQUES E ACUSAÇÕES DE GUERRA FRIA SEM JUSTIFICATIVAS

China pede para EUA descartem mentalidade da ‘Guerra Fria’

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, está visitando países na Oceania e Ásia como contraposição à influência chinesa na região

INTERNACIONAL

por 

Reuters

China acusa EUA de fabricar mentiras em visita

REUTERS/Hyungwon Kang – 17/9/2018

A China disse nesta quarta-feira (7) que os Estados Unidos deveriam encerrar seus ataques e suas acusações sem justificativa contra Pequim, acusando o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, de criar um confronto político por má fé e de difamar o país.

Na terça-feira, Pompeo visitou o Japão e pediu mais colaboração de Japão, Índia e Austrália como contraposição à influência regional crescente da China.

“Pompeo fabricou mentiras contra a China repetidamente e criou um confronto político por má fé”, disse a embaixada chinesa no Japão em um comunicado.

“Mais uma vez, fazemos um apelo aos EUA para abandonarem sua mentalidade da Guerra Fria e seu preconceito ideológico, para pararem com ataques e acusações sem justificativa contra a China e para tratarem as relações com a China de uma maneira construtiva”, disse a embaixada.

A visita de Pompeo ao leste asiático, sua primeira em mais de um ano, coincide com o agravamento das tensões dos EUA com a China.

As duas maiores economias do mundo estão em choque em diversas áreas, desde a forma como Pequim tratou do coronavírus até a nova lei de segurança que impôs a Hong Kong e às ambições chinesas no Mar do Sul da China.

O clamor de Pompeo para que os países do grupo Quad –EUA, Japão, Índia e Austrália– formem uma frente unida contra a influência crescente da China é um tema delicado para os parceiros dos Estados Unidos, que dependem da China no comércio.

Fonte: R7

Continuar lendo CHINA PEDE QUE OS EUA PAREM COM ATAQUES E ACUSAÇÕES DE GUERRA FRIA SEM JUSTIFICATIVAS

TENSÃO ENTRE AS DUAS POTÊNCIAS COLOCA O MUNDO EM ALERTA

O mundo está entrando em uma nova Guerra Fria?

As tensões entre os EUA e a China ficaram evidentes pelos discursos de Trump e Xi Jinping na Assembleia Geral da ONU em Nova York

INTERNACIONAL

por 

BBC NEWS BRASIL

 

Tensão entre as duas potências coloca o mundo em alerta

A Organização das Nações Unidas (ONU) está comemorando seu 75º aniversário justo em um momento em que a ordem global pós-2ª Guerra Mundial que possibilitou sua criação está instável.

Como observou o ex-secretário-geral da ONU Ban Ki Moon, o multilateralismo está em sério perigo.

A política externa do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez os Estados Unidos desprezarem desde as convenções multilaterais do Acordo de Paris até o acordo nuclear com o Irã.

Enquanto isso, a China se posiciona visivelmente como o novo apoiador das Nações Unidas. Mas a crescente influência chinesa tem um preço.

Se Pequim está dedicando mais dinheiro para financiar agências da ONU como a Organização Mundial de Saúde (OMS), vai querer mais voz como resultado.

As ansiedade sobre o que a rivalidade Estados Unidos-China significa para a estabilidade global foram abundantes na Assembleia Geral da ONU nesta semana.

O presidente francês Emmanuel Macron não disfarçou a urgência em seu tom de voz ao dizer que o mundo de hoje não pode ficar refém da rivalidade entre a chineses e americanos.

Essa rivalidade, que tem feito os dois países se confrontarem em tudo — do comércio à tecnologia — está se tornando cada vez mais acirrada.

E o presidente Trump elevou ainda mais o tom de crítica de sua retórica, usando sua plataforma no cenário mundial para criticar o que chamou de “vírus da China”.

Com menos de 40 dias para a eleição nos Estados Unidos, a crítica a Pequim é parte fundamental da campanha eleitoral de Trump.

Há um esforço de sua campanha para se desviar das críticas sobre a forma como o presidente lidou com a pandemia criticando a China por “exportar o vírus”.

Um mundo bipolar no qual os Estados Unidos e a China disputam a supremacia levaria a um conflito militar?

‘Estamos avançando em uma direção perigosa’

É evidente que o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, está preocupado com o que vem pela frente, ao alertar para a possibilidade de outra “Guerra Fria”. “Estamos avançando em uma direção muito perigosa”, disse.

“Nosso mundo não pode permitir um futuro em que as duas maiores economias dividam o globo — cada uma com suas próprias regras comerciais e financeiras e capacidades de internet e inteligência artificial”, declarou.

“Uma divisão tecnológica e econômica corre o risco de se transformar inevitavelmente em uma divisão geoestratégica e militar. Devemos evitar isso a todo custo.”

Essa discussão aberta sobre as consequências de uma “grande divisão” mostra como o mundo está mudando rapidamente e como os diplomatas estão lutando para acompanhá-lo.

O presidente da China, Xi Jinping, declarou no debate geral virtual que “a China não tem intenção de travar uma Guerra Fria com nenhum país”. Essa declaração foi reveladora.

A presidência de Donald Trump intensificou as tensões com a China, a tal ponto que as especulações sobre aonde tudo isso leva são abundantes.

Um experiente diplomata disse à BBC na terça-feira que o debate na ONU sempre foi visto como um “caos criativo”.

Quando os líderes mundiais se reuniam de boa vontade e se encontravam em reuniões privadas, a verdadeira diplomacia era feita.

Agora é apenas o caos, disse este veterano com tristeza, perguntando retoricamente quem está no comando e qual líder mundial defende algo além de seu interesse próprio.

Injustiças e solidariedade

A pandemia evidenciou as injustiças do mundo, observou o secretário-geral da ONU.

As pessoas estão sofrendo e nosso planeta está queimando, disse ele, implorando aos líderes mundiais que vejam a covid-19 como um alerta e um ensaio geral para os desafios que virão no futuro.

Mesmo assim, uma hora depois de Guterres dizer que solidariedade é do interesse de todos para o futuro, Trump declarou que todos os líderes mundiais deveriam seguir seu exemplo e colocar seus países em primeiro lugar.

Se ele for reeleito, seu unilateralismo se tornará mais pronunciado, e as Nações Unidas provavelmente serão ainda mais marginalizadas por Washington.

O compromisso americano com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) também se enfraqueceria?

Se Joe Biden for eleito presidente, a tensão entre Washington e Pequim poderia ser diminuída, mas a rivalidade fundamental permaneceria.

O mundo está se realinhando, e a questão agora é como a velha ordem multilateral vai se adaptar e quem vai liderá-la.

Continuar lendo TENSÃO ENTRE AS DUAS POTÊNCIAS COLOCA O MUNDO EM ALERTA

PRESIDENTE DA CHINA AFIRMOU, NÃO QUERER CONFLITO COM QUALQUER OUTRA NAÇÃO

China diz que não ter intenção de travar ‘guerra fria ou quente’

Presidente Xi Jinping afirmou em discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas não querer conflito com qualquer outra nação

INTERNACIONAL

Do R7, com Reuters

 

Xi Jinping adotou tom conciliador em discurso

Carlos Garcia Rawlins/Reuters – 8.9.2020

O presidente da China, Xi Jinping, disse nesta terça-feira à Assembleia-Geral das Nações Unidas que Pequim “não tem intenção de travar uma guerra fria ou quente com qualquer outra nação”, à medida que as tensões entre a China e os Estados Unidos aumentam.

“Continuaremos a reduzir as diferenças e resolver disputas com outros por meio do diálogo e da negociação. Não buscaremos desenvolver apenas a nós mesmos ou nos envolver em um jogo de soma zero”, disse Xi em discurso gravado para o encontro anual virtual de líderes mundiais durante a pandemia de coronavírus.

A fala de Xi Jinping ocorreu logo após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugerir, na mesma assembleia, que a China tem responsabilidade pela disseminação do coronavírus, o qual chamou de  “vírus chinês”.

Segundo ele, o país asiático proibiu viagens domésticas, mas continuou permitindo voos para o exterior.

Fonte: R7

Continuar lendo PRESIDENTE DA CHINA AFIRMOU, NÃO QUERER CONFLITO COM QUALQUER OUTRA NAÇÃO

AUTOCONHECIMENTO: SAIBA PORQUE SEM PAZ INTERNA HÁ GUERRA EXTERNA

Na coluna AUTOCONHECIMENTO deste sábado temos um interessantíssimo artigo sobre “a paz interior”. Algo que atenta 9 em cada 10 pessoas e diz respeito única e exclusivamente ao nível evolutivo consciencial de cada um. Isso nada mais é do que o quanto você se conhece e o quanto você conhece as leis universais. As leis que regem todo o universo e são imutáveis. A Maioria da humanidade não conhece ou não tem interesse em conhecer essas leis. Então costumam ignorá-las e ficam patinado, às vezes, uma vida inteira. Autoconhecimento não é para qualquer um e requer muita coragem, disciplina e perseverança. Para alcançar a paz interna é necessário mergulhar no autoconhecimento para expandir a consciência. É um caminho sem volta!

Sem paz interna, há guerra externa

Mulher sentada em sofá com mãos atrás da cabeça e olhos fechados relaxando
123RF | Aleksandr Davydov

Se você não tem paz em sua vida, a quem atribuiu o fato de terem “tirado/roubado a sua paz”? Aos outros, a seus pais, à sua sogra, ao cunhado, aos filhos, ao vizinho, ao chefe ou ao parceiro amoroso? Ou a si mesmo?

A paz precisa ser sentida interiormente, estar em paz consigo mesmo. Mas muito raramente se encontra uma pessoa que seja amistosa consigo mesma ou tenha lampejos de paz por alguns instantes. Parece até que somos inimigos de nós mesmos, vivemos uma guerra interna, e por consequência também travamos inúmeras batalhas externas. Uma vez que o mundo é lugar que faz eco, se atirarmos raiva, a raiva voltará; mas se dermos amor o amor voltará.

Mulher em mesa restaurante com braço apoiado na janela vista do lado de fora pelo vidro
Juan Pablo Serrano Arenas / Pexels

E esse é um fenômeno natural, a lei do carma: tudo o que você semeia interna e externamente você colhe, quer tenha consciência de quais sementes tem jogado no solo ou não. Tudo o que você dá você recebe. Odeie, e será odiado, trave batalhas internas e externas e encontrará outras pessoas na mesma frequência das batalhas, guerreando declaradamente ou não.

Quando seus pais, colegas de trabalho, um desconhecido no trânsito ou qualquer outra pessoa fala ou faz algo fora do padrão que você considera certo, que lhe desagrada, você costuma falar que essa pessoa “tirou a sua paz”? Mas como ela “tirou”, puxou com a mão e a arrancou de dentro de si? Ou as atitudes dessa tal pessoa é que fizeram com que você “perdesse” sua paz? Na verdade só revelaram que sua paz era uma cobertura tão superficial e que ao se sentir contrariado você se sentiu sem paz. Você recebeu a contrariedade como um convite para a guerra? E, o pior, aceitou o convite?

Quais os temas que para você são convites irrecusáveis para a guerra, que fazem você abrir mão da paz interna – mesmo que não pense igual à outra pessoa?

  • Religião
  • Sexo
  • Dinheiro
  • Relacionamento afetivo
  • Traição
  • Doenças
  • Status
  • Disputas por estar sempre certo e para dar a palavra final etc.

Observe também há quanto tempo você vive em guerra com algumas pessoas. Contudo, mesmo que você tenha aberto mão da sua paz, isso devido a determinados temas e a determinadas pessoas, o mais importante é querer interromper a guerra, é se reconectar com a paz interior, que está à sua disposição para que você usufrua dela.

Para se tornar uma pessoa pacífica, cultive uma mente aberta, não restritiva ou preconceituosa, disposta ao diálogo e ao entendimento mútuo. Lembrando-se de relaxar profundamente e tranquilizar-se sempre que possível a cada dia. E também se lembre de criar paz em volta de tudo o que você estiver fazendo. Afinal, ficar pensando ou falando em paz, sem colocá-la em prática, é viver mentindo bondade para os outros e para si mesmo.

Assuma a responsabilidade pela sua paz, crie-a e cuide dela, para que ela seja profunda e presente na sua vida. A cinesiologia quântica pode te ajudar a erguer a bandeira da paz.

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: SAIBA PORQUE SEM PAZ INTERNA HÁ GUERRA EXTERNA

POLÍTICA: AINDA SEM NOME PARA ASSUMIR O MEC, BOLSONARO SINALIZA QUE CONTINUARÁ GUERRA IDEOLÓGICA

Bolsonaro sinaliza que dará continuidade a ‘guerra ideológica’ no MEC

Publicado 18 minutos

em 08.07.2020

Por 

 

O presidente Jair Bolsonaro tem dado sinais que dará continuidade a chamada ‘guerra ideológica’ no Ministério da Educação.

Ainda sem nome definido para assumir a pasta desde que Decotelli pediu demissão, Bolsonaro tem dito constantemente que o MEC  é um “bastante complexo” .

Publicamente e também nos bastidores, o que se ouve do presidente é que “a política do Paulo Freire não deu certo”.

Ontem, por exemplo, Bolsonaro frisou toda a dificuldade de escolher o nome ‘ideal’ para o cargo.

Ele destacou que existe um “certo aparelhamento” no ministério e, consequentemente, muita gente declina do convite “quando vê o tamanho do problema”.

Opinião

Eu, Raul, que também atuo na área da educação, conheço de perto os gigantes problemas que o Brasil vem enfrentando.

Sou professor e sei que o aparelhamento marxista não se alastrou apenas na rede pública de ensino, mas também nas instituições privadas.

É preciso combater com força todo tipo de ‘palco político’ no MEC, com intuito de perpetuação de poder.

O MEC é o maior porto de aparelhamento do Governo.

O novo ministro precisa ser extremamente rígido com as verbas e com as mentes dos estudantes que vêm sendo contaminadas por mais de 40 anos.

É preciso colocar um fim na base, na raiz do problema. É preciso acabar com a esquerda e sua manutenção orgânica nas escolas, onde centenas de milhares de jovens são aliciados a todo momento a seguirem como repetidores da pauta esquerdista.

Ou acaba agora ou o país irá a falência com mais e mais “profissionais” formados nessas universidades completamente aparelhadas.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo POLÍTICA: AINDA SEM NOME PARA ASSUMIR O MEC, BOLSONARO SINALIZA QUE CONTINUARÁ GUERRA IDEOLÓGICA

MOMENTO ESPETACULAR: IMAGENS DO BOMBARDEIO QUE MATOU O GENERAL IRANIANO

Na coluna MOMENTO ESPETACULAR desta quinta-feira você vai observar a precisão cirúrgica do drone norte americano que proporcionou o Ataque dos EUA ao comboio que levava o General Soleimani e que executou o maior terrorista vivo do mundo. Assista ao vídeo completo e veja o nível de eficiência da Inteligência artificial na guerra. Em breve não teremos mais soldados no front, apenas máquinas!

Fonte:

Continuar lendo MOMENTO ESPETACULAR: IMAGENS DO BOMBARDEIO QUE MATOU O GENERAL IRANIANO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

08/01/2020 19h20  Atualizado há uma hora


Em resposta a ataque, Trump impõe novas sanções e diz que o Irã parece estar recuando. Mais dois foguetes atingem área de embaixadas em Bagdá. Um avião ucraniano cai em Teerã logo após decolar e deixa 176 mortos. O casal Harry e Meghan decide buscar a independência financeira da família real britânica. A Justiça do RJ manda retirar do ar o especial de Natal do Porta dos Fundos, e o suspeito de atacar a produtora entra na lista da Interpol. O que foi notícia hoje:

Resposta de Trump

O presidente americano, Donald Trump, discursa nesta quarta-feira (8) — Foto: ReutersO presidente americano, Donald Trump, discursa nesta quarta-feira (8) — Foto: Reuters

O presidente dos EUA, Donald Trump, respondeu com novas sanções econômicas aos ataques de ontem realizados pelo Irã contra bases americanas no Iraque. Em discurso na Casa Branca, Trump não mencionou possíveis represálias militares e disse que não permitirá armas nucleares iranianas.

“O Irã parece estar recuando, o que é muito bom para todas as partes e algo muito bom para o mundo. Vidas americanas ou iraquianas não foram perdidas” – Trump sobre o ataque do Irã

Mais foguetes

Mais 2 foguetes caíram na Zona Verde de Bagdá, no Iraque. A área abriga embaixadas estrangeiras, incluindo a dos EUA. Não há relato de vítimas.

Ataque com mísseis

Imagens de satélite mostram a destruição deixada pelo bombardeio do Irã contra a base de Ain Al-Asad, no Iraque. Ninguém ficou ferido. Assista ao vídeo abaixo.

Imagens de satélite mostram base dos EUA no Iraque após ataque de misseis do IrãImagens de satélite mostram base dos EUA no Iraque após ataque de misseis do Irã

Queda de avião

Corpos de vítimas de queda de avião ucraniano no Irã são coletados pela equipe de resgate nesta quarta-feira (8) — Foto: AP Photo/Ebrahim Noroozi

Corpos de vítimas de queda de avião ucraniano no Irã são coletados pela equipe de resgate nesta quarta-feira (8) — Foto: AP Photo/Ebrahim Noroozi

Um avião ucraniano caiu logo após decolar do aeroporto internacional de Teerã, capital do Irã. As 176 pessoas a bordo morreram – 82 eram iranianos e 63, canadenses. O Irã se negou a entregar as caixas-pretas à Boeing e aos EUA.

Ghosn acusa o Japão

Carlos Ghosn durante coletiva no Líbano — Foto: Mohamed Azakir/ReutersCarlos Ghosn durante coletiva no Líbano — Foto: Mohamed Azakir/Reuters

O ex-presidente da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, falou a jornalistas pela primeira vez desde que fugiu do Japão. Em entrevista no Líbano, o brasileiro reafirmou sua inocência, acusou o sistema judicial japonês de persegui-lo e disse que teve direitos violados.

“Essa (fuga) foi a decisão mais difícil da minha vida, mas eu estava enfrentando um sistema em que a taxa de condenação é de 99,4%, e acredito que esse número é muito maior para estrangeiros”, disse Ghosn

Queimadas no Brasil

Os focos de queimadas na Amazônia aumentaram 30% em 2019 na comparação com o ano anterior, segundo o Inpe. Outros biomas brasileiros também registraram alta significativa: Pantanal (493%), Pampa (91%), Cerrado (62%), Mata Atlântica (61%) e Caatinga (32%).

Devastação na Austrália

Resgatistas socorre um coala de uma floresta queimada perto de Cape Borda em Kangaroo Island, sudoeste de Adelaide, na Austrália — Foto: David Mariuz/AAP Image via ReutersResgatistas socorre um coala de uma floresta queimada perto de Cape Borda em Kangaroo Island, sudoeste de Adelaide, na Austrália — Foto: David Mariuz/AAP Image via Reuters

O estado de Nova Gales do Sul, na Austrália, responsabilizou desde novembro 183 pessoas por começarem incêndios florestais. Desses, 40 são crianças e adolescentes. O estado concentra mais da metade das terras destruídas.

Harry e Meghan

 — Foto: Courtney Africa/Pool/AFP— Foto: Courtney Africa/Pool/AFP

O príncipe Harry e sua esposa Meghan anunciaram que deixarão a condição de “membros seniores” da família real e trabalharão para se tornar “financeiramente independentes”.

Porta dos Fundos

A Justiça do RJ determinou que a produtora Porta dos Fundos e a Netflix retirem do ar o “Especial de Natal: A Primeira Tentação de Cristo”. A decisão é liminar e atende a pedido de entidade cristã.

Megaleilão em SP

O Consórcio Infraestrutura Brasil, formado pelo Fundo Pátria e pelo Fundo Soberano de Cingapura, venceram a maior licitação de rodovias já realizada no Brasil. O grupo ofereceu R$ 1,1 bilhão para o lote do corredor rodoviário Piracicaba-Panorama (Pipa), em São Paulo.

Temporal no RJ e em SP

Carro arrastado pela enxurrada em Petrópolis — Foto: ReproduçãoCarro arrastado pela enxurrada em Petrópolis — Foto: Reprodução

temporal que atingiu Petrópolis, no RJ, fez rios transbordarem e alagou ruas. A força da água arrastou carros e formou cascatas. Na cidade de São Paulo, as chuvas provocaram alagamentos e afetaram a circulação de trens da CPTM.

Carnaval 2020

Viviane Araújo participa do Desfile das Campeãs pela Mancha Verde — Foto: Celso Tavares/G1Viviane Araújo participa do Desfile das Campeãs pela Mancha Verde — Foto: Celso Tavares/G1

A atual campeã do carnaval paulistano Mancha Verde vai apostar na presença da rainha Viviane Araújo pelo 16º ano consecutivo. “Me sinto verdadeiramente amada”, disse a musa. A escola vai buscar bicampeonato com enredo que homenageia Jesus Cristo.

Megablocos no Rio

Imagem aérea mostra a multidão que tomou conta da orla de Copacabana durante o bloco A Favorita — Foto: Fernando Maia/RioturImagem aérea mostra a multidão que tomou conta da orla de Copacabana durante o bloco A Favorita — Foto: Fernando Maia/Riotur

Também teve isso…

As trigêmeas Maria Gabriela, Maria Eduarda e Maria Fernanda passaram juntas no vestibular do curso de medicina, em Adamantina — Foto: Daniel TorresAs trigêmeas Maria Gabriela, Maria Eduarda e Maria Fernanda passaram juntas no vestibular do curso de medicina, em Adamantina — Foto: Daniel Torres

Fonte: G1

Lula manda recado para Bolsonaro: “Pare de ser puxa-saco dos EUA. Isso não ajuda ninguém”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu gravar vídeo para criticar a postura do presidente Jair Bolsonaro com relação ao apoio dado a Donald Trump. “Pare de ser puxa-saco dos Estados Unidos. Isso não ajuda ninguém”, disse o líder petista.

Instituto Lula

@inst_lula

✉ De: Lula
📩 Para: Bolsonaro

Vídeo incorporado

Neymar faz golaço, e PSG atropela Saint-Etienne com três de Icardi

Foto: Reprodução/Instagram

O PSG goleou o Saint-Etienne por 6 a 1 hoje, no Parc des Princes, e avançou para a semifinal da Copa da Liga Francesa. Neymar esteve em campo e fez um golaço de cobertura, enquanto Moulin (contra), Icardi (três vezes) e Mbappé completaram a soma no placar. Cabaye descontou.

A contagem dos gols teve início logo aos dois minutos, quando Icardi recebeu de Meunier e chutou cruzado, à meia altura, para marcar. E a vantagem que o PSG já tinha no placar também passou a ser vista em campo, numericamente, após a expulsão de Fofana aos 31.

O caminho para a goleada ficou muito mais tranquilo para o PSG depois que o Saint-Etienne passou a atuar com 10 jogadores. Por isso, aos 39, Neymar foi acionado por Di Maria e, com categoria e frieza, encobriu o goleiro Moulin.

Gênio Neymar Jr@genioneymarjr10

Golaço de Neymar, contra o Saint-Etienne.

Vídeo incorporado

UOL

Comments

Príncipe Harry e Meghan Markle anunciam que estão se afastando da família real

Foto: Reprodução/Twitter

O príncipe Harry e Meghan Markle anunciaram, nesta quarta-feira, que estão se afastando da família real britânica. Segundo o pronunciamento oficial, feito pelo Instagram, o casal decidiu se tornar “financeiramente independente”, “após muitos meses de reflexão”.

“Queremos nos afastar como membros da Família Real e trabalhar para nos tornarmos financeiramente independentes, enquanto continuaremos a apoiar a Rainha”, afirmaram os duques de Sussex. No post, também explicaram que pretendem “fazer uma transição este ano, começando a desempenhar um novo papel progressivo dentro desta instituição”.

(mais…)

Comments

Bolsonaro cancela ida a Davos em definitivo; governo enviará representante

Foto: Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cancelou hoje a ida ao Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, marcado para 21 a 24 de janeiro, informou a Presidência da República.

“As razões do cancelamento por parte do presidente são aquelas que estamos esboçando há tempos”, disse o porta-voz da presidência da República, Otávio Rêgo Barros. “O presidente e uma equipe de assessores analisam uma série de aspectos —aspectos econômicos, aspectos de segurança, políticos. E o somatório desses aspectos, quando levados à apreciação do presidente, ele viu que não era o caso de não participar desse fórum.”

Na segunda (6), Bolsonaro disse que a viagem dele estava em xeque por questões de segurança após a escalada da tensão entre os Estados Unidos e o Irã. Ontem, por outro lado, disse que estava de pé. Agora, decidiu abortar a ida de vez.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

– Donald Trump e o Irã:

– Nossa Constituição, art. 4°: Defesa da paz e repúdio ao terrorismo.

Vídeo incorporado

UOL

Comments

Dólar tem 1ª queda do ano com alívio em tensões geopolíticas

Foto: Ilustração/Getty

O dólar teve nesta quarta-feira a primeira queda de 2020 ante o real, seguindo direção do exterior após discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acalmar os ânimos sobre uma nova escalada em tensões geopolíticas com o Irã.

No mercado à vista, o dólar fechou em queda de 0,31%, a 4,0519 reais na venda. Na B3, em que os negócios com dólar futuro vão até as 18h15, o dólar tinha queda de 0,38% por volta de 17h35, a 4,0580 reais.

Mais cedo, a moeda chegou a subir, alcançando uma máxima de 4,0793 reais na venda por volta de 13h30, logo após o presidente dos EUA iniciar discurso.

A queda do dólar nesta quarta foi a primeira do ano –a moeda havia subido nas quatro sessões anteriores, com valorização acumulada de 1,29%.

Exame

Comments

Brasileiro morre após ingerir etanol em plataforma da Petrobras

Foto: Reprodução/Petrobras

Um brasileiro morreu durante a travessia da China para o Brasil da plataforma P-70 da Petrobras. Segundo funcionários da estatal, um trabalhador de uma empresa terceirizada, a holandesa Boskalis, morreu a bordo por intoxicação – outros cinco também passaram mal, mas foram socorridos.

(mais…)

Comments

PORTA DOS FUNDOS: Justiça do Rio ordena retirada do ar de especial de Natal; Governo polonês pede que Netflix exclua filme

Foto: Reprodução

Por determinação do desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível, a produtora Porta dos Fundos e a Netflix terão de retirar do ar o “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”, divulgado na plataforma de streaming desde o final de dezembro. A decisão vem de encontro a um pedido feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. Em primeira instância, o pedido havia sido negado.

(mais…)

 

LOCAIS

É ÁGUA, PAPAI! Inmet emite novo alerta de chuvas intensas em 128 municípios do RN

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de chuvas intensas, com perigo potencial, em 128 municípios do Rio Grande do Norte. O alerta é válido das 10h30 desta quarta-feira (8) até as 9h30 da quinta-feira (9).

Segundo o Inmet, as chuvas terão entre 20 e 30 mm por hora ou até até 50 mm por dia. Além disso, os ventos serão intensos, atingindo de 40 a 60 quilômetros por hora.

O Instituto aponta que há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos ou descargas elétricas.

Algumas instruções são dadas pelo Imnet. Em caso de rajadas de vento, o ideal é não se abrigar debaixo de árvores, pois há leve risco de queda e descargas elétricas, e não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Além disso, é recomendados evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

O grau de severidade dado é “perigo potencial”, o segundo numa escala de quatro (em que o quarto é de “grande perigo). O alerta é direcionado a municípios dos estados do Piauí, Ceará, Pernambuco e Bahia, além do Rio Grande do Norte.

Comments

Início de 2020 apresenta melhores condições de reservas hídricas no RN

Foto: Divulgação

O primeiro Relatório Volumétrico dos Principais Reservatórios Potiguares, divulgado pelo Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), nesta quarta-feira (8), demonstra que a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do estado, com capacidade para 2,37 bilhões de metros cúbicos, está em melhor condição de armazenamento que a apresentada no mesmo período de 2019. O manancial atualmente acumula 547.370.574 m³, o que corresponde a 23,07% da sua capacidade total. No mesmo período do ano anterior, a ARG acumulava 492.928.200 m³, correspondentes a 20,54% da sua capacidade total.

A barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior reservatório do estado, com capacidade para 599.712.000 m³, atualmente acumula 113.407.749 m³, o que corresponde a 18,91%. No mesmo período do ano passado o reservatório estava com 134.543.171 m³, 22,43% da sua capacidade total.

Já o açude Umari, com capacidade para 292.813.650 m³, atualmente, acumula 83.167.935 m³, o que corresponde a 28,4% do seu volume máximo. No inicio de janeiro de 2019, o manancial estava com 102.677.002 m³, percentualmente, 35% da sua capacidade.

O acumulado das reservas superficiais totais atualmente é de 970.394.715 m³, dos 4.376.444.842 de metros cúbicos que as Bacias estaduais conseguem armazenar, em termos percentuais, 22,17%. Em um comparativo com o mesmo período de 2019 o acumulado total superficial estadual era de 955.143.767 m³, em termos percentuais, este número correspondia a 21,65%.

A Bacia Hidrográfica Apodi/Mossoró atualmente está acumulando 247.023.710 m³, 22,11%, da sua capacidade que é de 1.117.376.237 m³. No início de janeiro de 2019, o volume acumulado era de 302.863.495 m³, 27% da capacidade total da Bacia.

Já a Bacia Hidrográfica Piranhas/Açu está acumulando 671.930.044 m³, 22,92%, da sua capacidade total que é de 2.931.455.590 m³. No mesmo período de 2019, a Bacia acumulava 613.262.633 m³, 20,67% do seu volume total.

A Bacia Hidrográfica Ceará-Mirim também está em melhor condição que no ano anterior, com um acumulado de 31.382.646 m³, 23,08% da sua capacidade, que é de 136.000.000 m³. Em 2019 ela estava com 21.533.314 m³, correspondentes a 15,83% do seu volume total.

A Bacia Potengi atualmente acumula 20.058.315 m³, 17,75% do seu volume total que é de 112.975.265 m³. No mesmo período de 2019, o acumulado era de 17.484.324 m³, correspondentes a 15,48%, do volume total da Bacia.

Dos 47 reservatórios com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos monitorados pelo Igarn, atualmente, 9 estão com volumes inferiores a 10% de sua capacidade, o que em termos percentuais corresponde a 19,14%. Já os secos são 7, percentualmente, 14,89%. No mesmo período de 2019 também eram 9 os mananciais com menos de 10% da sua capacidade. Já os secos eram 8, percentualmente, 17,02% do total dos reservatórios monitorados.

Comments

Governo do RN divulga datas dos pagamentos da folha salarial de janeiro

Foto: Ilustração/Getty

O Governo do Estado definiu as datas de pagamento da folha salarial de janeiro. A quitação do primeiro salário de 2020 repetirá as datas utilizadas em dezembro passado, mantendo a programação de quitar os salários do funcionalismo público dentro de mês trabalhado.

Assim, na próxima quarta-feira (15) serão pagos os salários dos servidores que recebem até R$ 4 mil, dos integrantes da área de Segurança Pública e 30% para os servidores do Governo que ganham acima de R$ 4 mil. A folha será quitada no dia 31, com o pagamento dos 70% restantes para quem ganha acima de R$ 4 mil, dos servidores de órgãos com arrecadação própria e dos servidores ativos da Educação.

(mais…)

Comments

Prefeitura de Bodó (RN) anuncia processo seletivo com remuneração de até R$ 10 mil

Foto: Divulgação

A Prefeitura Municipal de Bodó (RN) anuncia nono Processo Seletivo destinado à contratação de três profissionais que tenham Ensino Médio/ Técnico; Ensino Superior.

Há vagas disponíveis para os seguintes cargos: Coordenador de Programa (1); Médico (1); Técnico de Análises Clínicas (1).

O salário base ofertado varia de R$ 1256.30 a R$ 10.000,00 e a carga horária a ser cumprida é de 40 horas semanais.

Interessados poderão se inscrever durante os dias 07 e 08 de janeiro de 2020, das 07h às 13h (horário local), presencialmente, na sede da Prefeitura Municipal de Bodó.

Como método de seleção, será realizada Análise de Currículo; e Entrevista Técnica, ambas de caráter eliminatório e classificatório.

Este Processo Seletivo terá validade de seis meses, podendo ser prorrogado por igual período.

Veja EDITAL

Comments

FOTOS: Polícias Civil e Militar apreendem veículos roubados em Mãe Luiza

Fotos: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV), em conjunto com a equipe Tática do do 1º Batalhão da Polícia Militar, realizaram, nesta quarta-feira (08), uma operação que resultou na apreensão de quatro veículos no bairro Mãe Luiza, Zona Leste de Natal.

De acordo com investigações policiais, veículos roubados estariam sendo levados para o bairro de Mãe Luiza. Durante as diligências, a polícia recuperou quatro carros, sendo dois já entregues aos respectivos proprietários. Os outros dois já haviam sido clonados e ainda serão identificados pela equipe da DEPROV. Os criminosos participantes das ações estão sendo procurados pela Polícia Civil.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Comments

Chuvas devem seguir até domingo, indica previsão da Emparn

Foto: Ilustrativa

A análise do comportamento climático para esta semana indica a possibilidade de chuvas mais intensas a partir desta quinta-feira (09), devido a intensificação dos ventos em altos níveis da atmosfera sobre parte central da América do Sul associado com a formação de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) sobre o Nordeste Brasileiro. O chefe da unidade de meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), Gilmar Bristot alerta que, “essas chuvas deverão atingir mais as Regiões Oeste e Central do RN e as temperaturas, tanto as máximas como as mínimas deverão se manter próximo das normais, variando na capital entre 24º C e 32º C. Para o interior nas regiões serranas, as mínimas poderão chegar a 22ºC e as máximas ultrapassar os 35 ºC”.

Boletim

O Boletim Pluviométrico divulgado pela empresa, referente ao período das 07h da manhã de ontem (07) até às 07h desta quarta-feira (08), registrou a ocorrência de chuvas em todas as regiões do RN, dando sequência ao início do período pré-chuvoso.

Os dados são de 43 pluviômetros instalados em diversos municípios do estado. O município de São Bento do Norte, localizado na mesorregião Central foi o que registrou maior volume, com 85,0 milímetros (mm), seguidos por Lajes, 60,0mm e Macau, com 56,8mm. Na mesorregião Oeste choveu em Carnaubais, 42,0mm; Ipanguaçu, 25,7mm e Parau, 22,3mm.

Na mesorregião Agreste os destaques são Santa Cruz 76,0mm e São Bento do Trairi, 45,0mm. Na mesorregião Leste choveu mais forte em Extremoz, 37,9mm e Parnamirim, 28,8mm. Na capital potiguar, o acumulado das chuvas foi de 28,6mm.

O RN já registrou na primeira semana de janeiro chuvas acima de 100 mm, como no município de Luis Gomes, com 114mm. A previsão climática, no período de janeiro a março de 2020, indica a tendência das chuvas ocorrerem dentro da média histórica na região semiárida potiguar, incluindo aí as regiões Oeste, Seridó, Central e Agreste do RN, variando entre 234,8 e 390,7 mm.

Fonte: Blog do BG

 

Governo do RN inicia pagamento da folha de janeiro no dia 15

No dia 15, serão pagos os salários dos servidores que recebem até R$ 4 mil, dos integrantes da área de Segurança Pública, e 30% para os servidores do Governo que ganham acima de R$ 4 mil

08/01/2020 às 19:34

José Aldenir / Agora RN

Governadoria, no Centro Administrativo do Estado

O Governo do Rio Grande do Norte definiu as datas de pagamento da folha salarial de janeiro. A quitação do primeiro salário de 2020 repetirá as datas utilizadas em dezembro passado, mantendo a programação de quitar os salários do funcionalismo público dentro de mês trabalhado.

Assim, na próxima quarta-feira, dia 15, serão pagos os salários dos servidores que recebem até R$ 4 mil, dos integrantes da área de Segurança Pública, e 30% para os servidores do Governo que ganham acima de R$ 4 mil.

A folha de janeiro será quitada no dia 31, com o pagamento dos 70% restantes para quem ganha acima de R$ 4 mil, dos servidores de órgãos com arrecadação própria e dos servidores ativos da Educação.

O restante do calendário de pagamento para 2020, com exceção do 13º salário, deve ser definido no próximo dia 15, data em que haverá uma reunião entre a equipe econômica da gestão estadual e o Fórum Estadual dos Servidores do Rio Grande do Norte.

O Governo aguarda a resposta da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), vinculada ao Ministério da Economia, para quitar a folha salarial de novembro de 2018.

A STN está avaliando a operação financeira de antecipação dos royalties de petróleo, feita no início de dezembro de 2019, que vai garantir os recursos para o pagamento de parte dos salários em atraso. O Tesouro precisa autorizar a operação para obtenção de aval da União, que libera a contratação de empréstimo e, consequentemente, o repasse para a conta dos servidores.

Com relação aos demais salários em atraso, o Governo segue trabalhando na reorganização das contas públicas e a obtenção de receitas extras ao longo de 2020 para quitar os pagamentos. A gestão estadual fez, durante 2019, o pagamento de todas as folhas salariais dentro do mês, incluindo o 13º, além de ter quitado o pagamento do 13º de 2017.

Fonte: Agora RN

Com escavadeiras e segurança reforçada, empresa começa a demolir Hotel Reis Magos, em Natal

Demolição começou na tarde desta quarta-feira, 8, e deve durar até sete dias

08/01/2020 às 19:30

Tiago Rebolo / Agora RN
Escavadeira está sendo usada para a derrubada do hotel

Com o uso de duas escavadeiras hidráulicas e reforço de guardas municipais para garantir a segurança no local, foi iniciada na tarde desta quarta-feira, 8, a demolição do Hotel Reis Magos, na Praia do Meio, em Natal. A autorização para a derrubada do prédio foi dada nesta manhã, pela Justiça. Todo o trabalho deve durar até sete dias.

Com o alvará para a demolição, a empresa Hoteis Pernambuco S/A, proprietária do imóvel, deu início ao processo de derrubada. O prefeito Álvaro Dias acompanhou o início dos trabalhos da empresa contratada para a demolição. Para ele, o prédio abandonado estava prejudicando a cidade.

“Na minha opinião, que é corroborada por estudos técnicos, os escombros do Hotel Reis Magos eram entrave para o desenvolvimento. Agora, ele vai vir baixo, para alegria e felicidade da população. Com isso, vamos poder permitir o avanço. A participação da Prefeitura neste processo se explica por ter expedido o alvará de demolição, após a decisão da Justiça e das informações dos órgãos técnicos [Iphan e os conselhos Municipal e Estadual de Cultura]”, explicou.

“Este monstrengo não coaduna com a cidade do Natal. Deve vir ao chão para permitir o desenvolvimento e o progresso. Não perdemos patrimônio histórico. Isso aqui [o hotel] é um atentado à vida humana”, detalhou.

Ainda pela manhã, a Prefeitura do Natal iniciou a articulação para demolir o Hotel Reis Magos, após o Governo do Estado não se posicionar sobre o tombamento do prédio.

O desembargador Vivaldo Pinheiro, do TJRN, havia determinado, em dezembro de 2019, prazo de 15 dias para que o Governo do RN finalizasse o processo administrativo em que é discutido o tombamento do prédio.

Na liminar, informava que caso o Estado não se pronunciasse no prazo determinado, a Prefeitura do Natal estaria autorizada a expedir o alvará para que o Grupo Hotéis Pernambuco, proprietário da estrutura, fizesse a demolição.

Segundo a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer, devido à complexidade do debate em torno do tombamento do Hotel Internacional Reis Magos, com a consequente manutenção ou não da estrutura predial, seria impossível uma deliberação no prazo concedido pela decisão judicial.

O advogado da empresa Hoteis Pernambuco S/A, João Vicente Gouveia, afirma que o processo de demolição vai durar sete dias. “O grupo Duarte [empresa contratada para demolir a estrutura] vai realizar a demolição do prédio, a retirada dos entulhos e a destinação final dos resíduos. O prazo será de sete dias, mas a retirada de todo o material vai durar 90 dias”, diz.

Segundo ele, a derrubada da estrutura era aguardada por toda a população da capital. “É um sentimento de alívio, de dever cumprido, pois estamos fazendo um bem para a cidade. A população queria a demolição, e também quer que aqui seja erguido um novo empreendimento, que vai gerar empregos e novos negócios. O novo empreendimento vai gerar, sobretudo, a modernização desta área da cidade [zona Leste] que precisa ser revitalizada”, detalha.

Sobre a utilização do espaço, a empresa pernambucana diz que vai esperar a votação do Plano Diretor de Natal para deflagrar um novo empreendimento para a área do antigo hotel. “Temos interesse no espaço, mas ainda não temos um projeto, pois o plano diretor ainda está sendo discutido. Não há ainda os parâmetros construtivos desta área. Não sabemos até que gabarito podermos construir, se será comercial, residencial ou misto”, detalha.

O hotel

O Hotel Internacional Reis Magos foi construído em 1965. O projeto foi elaborado por uma equipe de arquitetos pernambucanos, composta por Waldecy Pinto, Antônio Didier e Renato Torres. A estrutura turística funcionou como hotel de luxo em Natal entre os anos de 1965 e 1995, quando foi desativado.

O complexo contava com 63 apartamentos, uma suíte presidencial, recepção, salões nobres, elevadores, parque aquático, sauna, playground, restaurante, estacionamento com aproximadamente 50 vagas, salão de beleza, áreas de lazer, lojas de artesanato e serviço médico.

Fonte: Agora RN
Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar