AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA – PARTE 6, POR WAGNER BRAGA

No último vídeo da série ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA? Vamos falar sobre como ela age no desempenho profissional, o que fazer para não cair nessa velha armadilha, ser mais proativo no trabalho, o que pode nos causar mais reconhecimento e crescimento pessoal e como alcançar a sua melhor performance. Então, assista ao vídeo completo e se gostar divulgue para os seus amigos e os ajude a serem profissionais de alta performance!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA – PARTE 6, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA, PARTE 5, POR WAGNER BRAGA

Continuando a série de vídeos sobre ZONA DE CONFORTO, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, no vídeo desta sexta-feira, complemento mais um pouco sobre alimentação e zona de conforto. Como podemos mudar determinados hábitos alimentares e melhorar nossa qualidade de vida. Assista ao vídeo e aprenda como melhorar um pouco mais a sua AUTOPERFORMANCE e ser uma pessoal melhor e mais saudável a cada dia!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA, PARTE 5, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA – PARTE 4 POR WAGNER BRAGA

Você está na zona de conforto com relação a sua alimentação?

No vídeo de hoje, continuo falando sobre zona de conforto, porém foquei em oferecer dicas e exemplos sobre hábitos alimentares que podem te ajudar a sair da zona de conforto com relação a sua alimentação e, consequentemente, ter uma vida mais saudável.

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA – PARTE 4 POR WAGNER BRAGA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: FAÇA, MESMO SEM VONTADE, POR PRDRO CALABREZ

O renomado psicólogo e palestrante Pedro Calabrez é o destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira, onde aborda um tema muito importante para toda a humanidade. Ele nos fala sobre as armadilha e cascas de banana que nós mesmos colocamos na nossa caminhada, cuja principal delas é a Zona de Conforto, que ele denomina dessa forma, mas no FAÇA, MESMO SEM VONTADE. Portanto, convido você a assistir ao vídeo completo a seguir  e entender como essas armadilha nos tiram do nosso foco!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: FAÇA, MESMO SEM VONTADE, POR PRDRO CALABREZ

AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA? PARTE 3, POR WAGNER BRAGA

  Continuando a nossa série ZONA DE CONFORTO, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, no vídeo desta sexta-feira, continuo falando sobre zona de conforto, porém focando mais em como sair dela. O que você tem feito para sair da zona de conforto e se tornar uma pessoa fisicamente ativa? No vídeo de hoje, foquei em dicas poderosas para você sair da inércia e se tornar uma pessoa fisicamente ativa.

Então, lhe convido a assistir ao vídeo completo a seguir e conhecer essas dicas poderosas para não cair nessa armadilha!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA? PARTE 3, POR WAGNER BRAGA

AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA? PARTE 2

Continuando a nossa série ZONA DE CONFORTO, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO, No vídeo de hoje, continuO falando sobre zona de conforto, porém focando mais em como sair dela, já que ela é uma das grandes responsáveis por tantos problemas de saúde que as pessoas tem. Precisamos quebrar paradigmas para sair da nossa zona de conforto e, assim, conseguir mudar nossa realidade. Então assista ao vídeo completo a seguir e conheça dicas poderosas para não cair nessa armadilha!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO, COMO SAIR DELA? PARTE 2

AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO – COMODISMO X EGO – PARTE 1

Hoje estamos iniciando uma série de vídeos com o tema ZONA DE CONFORTO, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO. O Consultor, Escritor e Palestrante Wagner Braga vai explorar bastante essa que talvez seja a maior responsável pelo atraso no desenvolvimento pessoal e espiritual da maioria dos seres humanos. Desde os primórdios, o homem sempre ficou dentro da sua zona de conforto. No vídeo de hoje, falo um pouco sobre zona de conforto, algo que tem relação direta com o ego. Um aprofundamento na relação entre zona de conforto e saúde, um dos aspectos mais importantes e que vai ficando para depois devido a correria do dia a dia. O que você tem feito para sair da sua zona de conforto?

🔸 Livro: Coração, Intuição e Gratidão – https://blogdosaber.com.br/produto/co…

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ZONA DE CONFORTO – COMODISMO X EGO – PARTE 1

REFLEXÃO: O SÁBIO E A VACA, UMA HISTÓRIA SOBRE A ZONA DE CONFORTO

Nesta quinta-feira temos Uma história sobre um sábio e uma vaca, como destaque aqui na coluna REFLEXÃO, que nos convida a refletir sobre como a nossa Zona de Conforto geralmente não nos deixa usar todo o nosso potencial e evoluir o quanto poderíamos. Eu espero que essa história possa te ajudar ou ajudar alguém que você ama, a ter a coragem de sair da zona de conforto e usar todo o potencial que nasceu dentro de você, e que talvez você nem saiba que existe aí dentro. Experimente! Você pode se surpreender. Amor e luz, namastê!

Fonte:

Continuar lendo REFLEXÃO: O SÁBIO E A VACA, UMA HISTÓRIA SOBRE A ZONA DE CONFORTO

AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ É VERDADEIRAMENTE UM VENCEDOR, SAIBA O PORQUÊ DISSO!

O texto a seguir é de grande esclarecimento para qualquer indivíduo buscador que tenha vontade e curiosidade de expandir a consciência. Um texto que é uma verdadeira injeção de ânimo para você sair da zona de conforto e, desde já começar a galgar esse despertar em busca da sua melhor versão. Ao exaltar que você é um vencedor, o autor não está apenas dando um incentivo ou tentando elevar a sua autoestima, mas falando única e exclusivamente a verdade, pois você é um vencedor, só que ainda não descobriu isso. Então leia o texto completo a seguir e saiba o porquê!  

VOCÊ É UM VENCEDOR - YouTube

VOCÊ É UM VENCEDOR!

Amados!
Faz parte da consciência humana, apegar-se mais às situações de dor e sofrimento do que às de alegria. Parece que os piores momentos sempre têm um peso maior que os momentos de paz e tranquilidade. Mesmo que os primeiros sejam breves, parecem durar muito mais. Já os últimos, embora ocupem a maior parte dos nossos dias, sempre parecem ser breves e acabam caindo no esquecimento.
O que é que faz sentir essa distorção de tempo? Com certeza, é a não aceitação! Parece simples mas não é. Aquilo que aceitamos, encontra uma zona de conforto dentro de nós, e fica tão leve que até esquecemos que existe. Já aquilo que não aceitamos, cria um desconforto tão grande, que os dias parecem uma eternidade.
Na vida não existe acaso! Uma vez que encarnamos sob o véu do esquecimento, seria impossível cumprir o projeto encarnatório feito por cada um ainda no Plano Astral. Mas é da Lei Divina, que todo Espírito encarnado nesta condição, tem o Universo à seu favor. É ele que traz a cada dia, situações que te movem na direção que precisa ir, pois é lá que estão as lições ainda faltantes.
Obviamente, lições ou provas, nem sempre são agradáveis. E sair da zona de conforto, cria uma certa resistência. É essa resistência a causa da maioria das dores e sofrimentos que você passou ou ainda passa. Na situação de desconforto, as horas são intermináveis. Parecem criar na consciência, um espaço muito maior do que alguns meses em situação oposta.
A consciência é o que move você nesta caminhada atual. A consciência é a caixa armazenadora de todas as tuas ações enquanto encarnado. E ela te dá aquilo que você armazena lá. Então, até essa sensação de uma vida dura, muitas vezes é superdimensionada, pois você acredita que os momentos de dificuldade são mais impactantes do que os momentos de alegria e satisfação plena. Por isso, se diz: somos o que pensamos.
Se você se considera um derrotado, um excluído ou uma vítima da situação, com certeza você vai viver essa realidade por infinitos dias. Você é co criador da tua própria realidade, lembre disso. A energia da baixa auto estima, vai atrair situações para que se comprove aquela situação imaginada. Ninguém tem mais poder sobre você do que você mesmo! Porque não acreditas nisso?
Tente entender como a tua vida está neste momento. Veja onde colocas a tua energia; se estás colocando na abundância ou na escassez. Analise a situação atual, ou faça uma retrospectiva, vendo os caminhos os quais percorrestes. Estás satisfeito com os resultados? Se não, ainda é tempo de mudar. Ninguém segue uma estrada se percebe que errou o caminho.
Mas eu posso afirmar que você não errou o caminho. Se o desconforto te acompanha nestes dias atuais, é porque você ainda não se desfez da carga inútil que carregas. Coisas do passado sem serventia, dores, mágoas ou ressentimentos que já deviam ter sido deixados lá atrás, ainda fazes questão de trazer na bagagem, mesmo que seja apenas para dizer: MAS EU SOFRI! Coitadinho de mim! Será que ninguém vê a minha situação? Como pode as pessoas não se importarem comigo? E outras tantas lamentações.
A diferença entre uma pessoa feliz e uma infeliz, na maioria das vezes, é apenas uma questão de compreender a vida, ou seja, uma questão de consciência. Ter essa consciência da tua responsabilidade em escolher os caminhos, mas acima de tudo, de co criar a tua própria realidade. Ninguém pode fazer isso por você. Embora todos possam interagir como coletivo, o processo evolutivo é individual e pessoal, pois é um contínuo aprendizado.
Você pode não se dar conta, mas eu te digo aqui com todas as letras: VOCÊ É UM VENCEDOR! A prova disso, é que você está aqui! Está lendo este texto. E se chegou até aqui, não está lá no final da fila. Como pode ser um fracassado? Será que as dificuldades da vida não te empurraram para frente? Será que as dores não te ensinaram nada? Será que os calos das mãos não significam o trabalho árduo que você exerceu por todo esse tempo? Será que a dureza da vida não serviu para amolecer o seu coração?
Eu volto a afirmar: VOCÊ É UM VENCEDOR! Suba na montanha e veja a estrada lá na planície! É a tua estrada. Veja o quanto já andaste! Veja as curvas e as retas que ainda faltam! Com certeza, os pântanos e os trechos de pedregulhos já ficaram para trás. Veja quantos ainda não passaram pelas dificuldades maiores; ainda não chegaram ao ponto que estás. Alguns ainda nem despontaram lá no início da parte visível da estrada. Veja que daqui em diante, a estrada começa a ficar mais encantadora, pois a aspereza do caminho trilhado, te deu sabedoria para enfrentar o restante que ainda falta.
Sinta orgulho de ti! Mesmo os tropeços nesta caminhada, sempre te empurraram para frente. As quedas te ensinaram a levantar e adquirir coragem para prosseguir. O sofrimento em alguns momentos, te fizeram forte! As perdas te ensinaram o desapego. As feridas dos pés, te mostraram que tudo pode regenerar-se. As cicatrizes te mostrarão para sempre que tu venceste cada batalha.
Olhe para você agora! Veja se tu és digno de pena ou de orgulho! Queres que te responda? Com certeza, você sentiu um orgulho como nunca antes. Aquele vitimista que se condoía pelas dificuldades da vida, sumiu e em seu lugar, surgiu um outro você, forte, destemido e orgulhoso pelas conquistas  e pelas vitórias. Agora você está vendo um outro ser, um eu diferente. Está vendo quanto já andou pela estrada da vida. Alegre-se pelos resultados conquistados, pois VOCÊ É UM VENCEDOR!
Eu sou Vital Frosi e minha missão é o esclarecimento.
Namastê!
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ É VERDADEIRAMENTE UM VENCEDOR, SAIBA O PORQUÊ DISSO!

AUTOCONHECIMENTO: A AUTOSSABOTAGEM RESULTA DA ZONA DE CONFORTO QUE É FILHA DO EGO

Nesta terça-feira temos um texto maravilhoso para REFLEXÃO na nossa coluna AUTOCONHECIMENTO sobre AUTOSSABOTAGEM. Algo que praticamente quase todo ser humano com mais ou menos frequência pratica no cotidiano. Ela é filha da famigerada Zona de Conforto que por sua vez é a primogênita do EGO. As pessoas precisam começar a entender que o AUTOCONHECIMENTO é o único, eu disse, o único caminho para se livrar do julgo do nosso EGO e do ciclo vicioso que nos aprisiona e nos impede de sermos livres e realmente felizes. Então lhe convido a a ler esse espetacular texto, refletir e fazer o seu juízo de valor! 

Até quando você vai se autossabotar?

Mulher sentada em um gramado de uma montanha e olhando para o horizonte
Milan Popovic/ Unsplash

“Quando desconhecemos ou simplesmente ignoramos o fato de que as ações diárias em nossa vida impactam nas cenas dos próximos capítulos de nossa própria história, a história tende a se repetir até que o ciclo vicioso seja interrompido. Pensamentos, sentimentos, emoções e ações contribuem para nossos próximos passos.”

Juliana acorda todos os dias às 6h da manhã, prepara seu café, se arruma e sai para trabalhar. Ao longo do trajeto, ela gosta de ver filmes e séries de terror. Ao chegar ao trabalho, pega um café e vai fumar com mais dois colegas. Os três começam o dia reclamando do trabalho, que é chato, da vida, que está monótona, dos namorados, que já não são como antes, e falam mal dos outros colegas de trabalho e do chefe. Para Ju, nada está bom. Para ela, a culpa é sempre de seus pais. Sempre atende o telefone maldizendo coisas aleatórias para a pessoa do outro lado. O dia acaba passando de forma arrastada, carregado de mais cafés, cigarros e reclamações. Ao chegar em casa, frita uns hambúrgueres e come bebendo cerveja em frente à TV. Está passando a sua novela favorita. Sem se dar conta, ela repetiu esse padrão ao longo da semana, dos meses, dos anos. Parece que a vida de Juliana nunca engrena como ela queria, e por isso ela acaba se frustrando a cada dia mais, achando que nada tem jeito, a não ser “nascer de novo”.

Para Henrique, as coisas parecem caminhar de outra maneira. Ele acorda tarde e vai à academia. Seu objetivo é deixar seu abdome trincado, braços e pernas bem torneados para surpreender as gatas, na balada. Henrique trabalha em uma startup e fica todo feliz quando sua equipe ganha os desafios da semana. Para comemorar, ele e sua equipe vão sempre para o bar beber todas, afinal “comemoração é assim mesmo”, ele diz. Ao chegar em casa, ele encontra seu irmão mais velho meditando na sala e começa a dar risada. Toda vez que ele vê o seu irmão praticando ou falando sobre autoconhecimento, ele acha tudo aquilo uma grande baboseira e não perde tempo para criar piadas a respeito. Afinal, bom mesmo é o que ele acredita fazer. Nada melhor do que trabalhar em um lugar cool, ser malhado e seguir as tendências da semana. Henri curte tudo o que é hype. Ao chegar em seu quarto, ele sente um vazio enorme. Não sabe o que é aquilo e logo em seguida para dispersar “essa viagem”, já liga seu computador para jogar e conversar com seus amigos sobre a fase da vez.

Com a Lorena, o negócio é diferentão! Ela trabalha 16 horas por dia, vai viajar sempre que pode para os lugares mais incríveis que existem no globo terrestre e gosta mesmo é de tirar fotos. Selfies. Para onde Loren vai, tem selfie. Superextrovertida, não tem quem não goste da vibe dela. Loren mora numa quitinete sozinha no centro da cidade e sempre que dá vai visitar seus pais e sua irmã caçula. Ela sempre hospeda sua irmãzinha em casa e gosta de pagar tudo para ela. Até as viagens, inclusive. De tanto que ela se importa com a irmã e faz coisas por ela, Lorena acredita que ela é uma segunda mãe de sua irmã. Por ter um status que ela acha ser legal, já aproveitou alguns momentos para dizer aos pais como eles precisam cuidar da irmã. Lorena faz yoga num estúdio perto de sua casa, mas a sua pressa para chegar às aulas é tão grande que ela quase sempre esquece de agradecer seu vizinho por segurar a porta do elevador ou de dar bom-dia ao porteiro.

Autoconhecimento x autossabotagem

Silhueta de uma mulher olhando para a janela com o pôr do sol

Kristijan Arsov/Unsplash

Quando desconhecemos ou simplesmente ignoramos o fato de que as ações diárias em nossa vida impactam nas cenas dos próximos capítulos de nossa própria história, a história tende a se repetir até que o ciclo vicioso seja interrompido. Pensamentos, sentimentos, emoções e ações contribuem para nossos próximos passos.

Quando permitimos desenvolver o autoconhecimento, o mundo muda, pois a nossa forma de ver o mundo e de viver num mundo XYZ está intimamente ligada às próprias percepções.

Sabe, um dia eu fiz parte do grupo de pessoas que achava estranho ver tudo aquilo o que não era condizente com a minha “realidade” na época, até eu dar abertura e vivenciar a oportunidade de me transformar. Permitir uma brecha de luz adentrar em meu SER fez mais sentido do que qualquer velho e habitual paradigma do passado.

Quando praticamos no dia a dia o autoconhecimento, deixamos muitos véus da ilusão caírem. Aos poucos, eles vão caindo até que percebamos a realidade como ela é e não mais como achávamos que era. Paramos de nos identificar e julgar certos padrões de pensamentos, sentimentos e atitudes cotidianas, dando lugar ao novo. A uma nova chance de viver de forma mais consciente.

Mulher em uma cafeteria olhando para fora da janela com uma mesa em sua frente
freestocks/Unsplash

Quando não buscamos o autodesenvolvimento, a probabilidade de dar lugar a pequenas fagulhas de autossabotagem é maior. Hábitos como os que citei nas três historinhas lá no início… quando não estamos na sintonia do desenvolvimento humano, achamos tudo aquilo bem normal, e muitas vezes cremos que na verdade “o inferno são os outros”, “a vida é injusta”, “todo mundo é tóxico, menos eu, lírio virgem do vale não semeado” (risos).

Brincadeiras à parte, buscar pelo próprio autoconhecimento é tão importante quanto respirar! Podemos desenvolvê-lo por meio das terapias integrativas e sistêmicas. Curar a criança interior ferida e acolhê-la com amorosidade fará diferença em nossa vida, a curto, médio e longo prazo.

Se você se identificou com alguma coisa aqui, eu te convido a buscar pelo seu próprio desenvolvimento pessoal, mental, emocional e espiritual pelo autoconhecimento.

Se você acha que faz sentido encaminhar este artigo para outras pessoas, com o objetivo de ajudá-l@s, ficarei feliz por poder espalhar sementinhas do despertar por aí.

A 3D (terceira dimensão) precisa de muito amor, aceitação, acolhimento e boas vibrações.

Com amor, Giselli.

Fonte: Eu Sem Fronteiras

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: A AUTOSSABOTAGEM RESULTA DA ZONA DE CONFORTO QUE É FILHA DO EGO

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O QUE FAZER QUANDO VOCÊ É MUITO PREGUIÇOSO PARA COMEÇAR UM HÁBITO

Nesta terça-feira na nossa coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL temos mais um resumo animado de Albano do Seja Uma Pessoa Melhor sobre “O que fazer quando você é muito preguiçoso par começar um hábito”. A preguiça e/ou a Zona de Conforto é algo que acomete a maioria da humanidade e vídeos como esse são uma injeção de coragem e ânimo para que as pessoas consigam crescer e evoluir. Assista ao vídeo e Seja uma Pessoa Melhor!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: O QUE FAZER QUANDO VOCÊ É MUITO PREGUIÇOSO PARA COMEÇAR UM HÁBITO

REFLEXÃO: DRIBLANDO A DOR E A ZONA DE CONFORTO

Driblando a dor é o tema da nossa coluna REFLEXÃO desta segunda-feira. Um texto que analisa a relação do homem com a dor e a zona de conforto e mostra que existe uma linha tênue dividindo a s duas coisas e que precisamos ter sensibilidade para perceber. Leia o texto com a tenção reflita e tire suas conclusões!

Resultado de imagem para a influência da dor nas nossas vidas

Driblando a dor

Mais de uma vez me recordo. Na infância, quando eu reclamava de alguma dor e como se costuma dizer fazia corpo mole para não cumprir alguma tarefa, escutava a história outra vez.

Certa vez, a dor veio visitar a Terra. Vestiu-se de forma adequada e chegou a uma casa pobre. Havia crianças, uma mulher cansada de tantos afazeres e um homem marcado pelas horas de trabalho exaustivo.

A dor gostou do lugar e se aninhou no dedão do pé direito daquele pai de família. Naquele dia, quase noite, ele se recolheu e nem deu muita atenção para a tal da dor porque o cansaço era maior do que ela.

Mal despertou a madrugada o homem acordou, pulou da cama e começou a se preparar para sair.

Não desejando despertar as crianças e a esposa, ele se ergueu no escuro e logo bateu o dedão num brinquedo esquecido no chão.

Ai, disse ele baixinho. Ui, que dor!

Acariciou o dedo dolorido com a mão calosa e enfiou o pé no calçado. A dor lhe deu uma espetada. Afinal, ela não estava gostando nada de ficar ali, apertada.

O homem, responsável, saiu mancando. O dedo latejava. Ele sentiu a dor diminuir um pouco quando tirou o pé do calçado, no trajeto que fez de ônibus.

Contudo, logo mais chegou ao destino. Calçou o sapato e andou.

Assim foi o dia inteiro. A dor reclamando, o homem sentindo mas dizendo: Eu preciso continuar. Não posso perder este emprego. Meus filhos dependem de mim.

E tudo acontecia. Ora o dedão topava na quina de um móvel, ora o sapato apertava mais, ora…

A noite surpreendeu o homem na labuta, suando, trabalhando. A dor já não aguentava mais.

E, quando ao ir para casa, o dedão topou numa pedra do caminho, foi o fim. A dor ficou muito zangada e disse: Vou embora. Este homem não sabe me tratar bem.

E lá se foi. Perto dali, ela encontrou uma casa muito bonita, confortável e entrou.

Um homem estava largado no sofá da sala, assistindo televisão. A dor gostou de tudo que viu e se instalou no dedão do pé.

Ai, gritou ele. Que coisa esquisita. Que dor terrível!

Já providenciou uma almofada para acomodar o pé. Ao recolher-se para dormir, enfaixou o local e no dia seguinte, fez repouso.

E no outro, e no outro.

A dor adorou aquele tratamento vip e tomou uma resolução: Não saio mais daqui!

* * *

Quando a história terminava, eu já sabia que teria que dar conta das minhas responsabilidades.

Era a forma de minha mãe me ensinar que eu devia ser forte; que pequenas dores deviam ser suportadas e de forma alguma serem motivo para não se cumprir as obrigações.

Essa atitude serviu para me tornar alguém com maior capacidade de suportar reveses e dificuldades.

Quando tudo parecia conspirar contra mim e eu tinha vontade de desistir, lembrava da história da dor. E retomava a luta.

* * *

A dor física é sempre sinal de que algo não está bem no organismo. O bom senso nos diz que se deve procurar auxílio médico para a adequada verificação do que seja, antes que o mal avance.

No entanto, pequenos incômodos levam algumas pessoas, por vezes, a logo optarem por ausências na atividade profissional e descumprimento de suas obrigações.

São desculpas, fugas com vistas a se furtar ao dever.

Pensemos nisso e não nos permitamos entregar por pequenas coisas.

Afinal, quem aprende a bem administrar pequenas questões físicas angaria fortaleza moral para eventuais dificuldades orgânicas graves que possa vir a ter e, mesmo, fortalecimento para as dores morais que tenha que enfrentar.

Pensemos nisso.

Fonte: Momento de Reflexão

Continuar lendo REFLEXÃO: DRIBLANDO A DOR E A ZONA DE CONFORTO

AUTOCONHECIMENTO: TUDO QUE TE AGRADA TE ENGANA, EIS A ZONA DE CONFORTO

O destaque desta terça-feira na nossa coluna AUTOCONHECIMENTO temos mais uma espetacular palestra do genial Leandro Karnal sobre ZONA DE CONFORTO, a principal característica do nosso EGO que atrasa a nossa caminhada evolutiva e está camuflada sob o manto do “Tudo que te agrada te engana”. Entenda essa expressão assistindo ao vídeo completo a seguir!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: TUDO QUE TE AGRADA TE ENGANA, EIS A ZONA DE CONFORTO

AUTOCONHECIMENTO: NO 9º VÍDEO DA SÉRIE O EGO, A PREGUIÇA E A ZONA DE CONFORTO REGEM A NOSSA VIDA

Na coluna AUTOCONHECIMENTO desta quinta-feira temos 0 9ª vídeo da série AUTOCONHECIMENTO, onde o destaque é, o Ego a Preguiça e a Zona de Conforto. Por causa da força do ego e do apego ao material não enxergamos 90% das coisas que existem na natureza. Assista ao vídeo e saiba como podemos fazer essa passagem evolutiva!

Fonte:

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: NO 9º VÍDEO DA SÉRIE O EGO, A PREGUIÇA E A ZONA DE CONFORTO REGEM A NOSSA VIDA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar