SAIBA QUAL A IMPORTÂNCIA DE FAZER PAUSAS E EXERCÍCIOS APÓS MUITAS HORAS DE TRABALHO SENTADO

Exercícios de até 3 min ajudam quem trabalha muito tempo sentado, revela estudo

No quadro Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes explicou a importância de fazer pausas para se movimentar durante o trabalho

Da CNN*

Em São Paulo

Dicas de alongamento após algumas horas na frente do PC! - TecMundo
Exercícios de até 3 min ajudam quem trabalha muito tempo sentado, diz estudo | Correspondente Médico

Na edição desta quinta-feira (16) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre a importância de fazer pausas e exercícios regulares após muitas horas sentado.

Pesquisa publicada na revista científica da Sociedade Americana de Fisiologia mostra que fazer pausas a cada meia hora e se movimentar por até três minutos faz bem para o nosso corpo. O estudo foi feito com pessoas de meia idade, com empregos sedentários e histórico de obesidade.

Os pesquisadores concluíram que subir escadas, fazer agachamentos ou andar, pelo menos, 15 passos durante esses intervalos melhorou o controle de açúcar no sangue. O estudo foi conduzido por cientistas de um instituto em Estocolmo, na Suécia.

“O corpo em movimento libera substâncias que estimulam o sistema nervoso. Falamos que existe um neurotrofismo envolvido com o processo ativo de se movimentar, ou seja, através da atividade muscular se liberam substâncias como a irisina, por exemplo, que impactam no funcionamento do cérebro e neurônios”, explicou Gomes.

“Até mesmo para se ter uma performance intelectual melhor no trabalho, ou até de rendimento, é importante que associe a concentração à psicomotricidade, o movimentar-se”, completou.

Sobre os exercícios de 3 minutos que podem ser feitos, o médico explicou que 15 passos são o suficiente para “lubrificar” as articulações dos membros inferiores e superiores. “Isso aumenta a frequência cardíaca, distrai do que se está fazendo e impulsiona o pulmão de forma diferente.”

“Subir escadas também é perfeito, além de agachamentos, esticando o braço e fazendo os movimentos de descer e subir umas 10 a 15 vezes, isso é o suficiente para impactar o corpo, como no metabolismo, através do controle e redução do açúcar no sangue”, explicou Fernando Gomes.

(*Com informações de Nicole Lacerda, da CNN, em São Paulo)

Continuar lendo SAIBA QUAL A IMPORTÂNCIA DE FAZER PAUSAS E EXERCÍCIOS APÓS MUITAS HORAS DE TRABALHO SENTADO

OPINIÃO: A IMPORTÂNCIA DO VOTO DE 2022 ESTÁ SENDO DECIDIDO EM 2021 POR LOBBYS NADA REPUBLICANOS COM ESTRATÉGIAS DEFINIDAS NOS PORÕES DO PODER NA CALADA DA NOITE

Sua liberdade e nosso futuro em risco (ouça o podcast)

Foto: José Cruz/Agência BrasilFoto: José Cruz/Agência Brasil

Entenda por que o seu voto nunca foi tão importante quanto o será em 2022 e é claro, ele está sendo decidido agora, em 2021, por um conjunto de lobbys e artimanhas nada “Republicanos” e absolutamente escancarados, mesmo que muito da estratégia seja definida nos “porões do poder” e na calada da noite.

E se você pensa que isso tem a ver com IDEOLOGIA, acorde: estamos falando de poder e controle… de controlar e manipular você.

Um aviso:

Este é um texto longo e se você desejar acessar a versão Podcast (áudio) ela está disponível no final da página.

Antes de entrar no tema deste artigo, algo para refletir:

Para os que pensam que o Presidente Bolsonaro é ingênuo ou despreparado, sugiro conhecer melhor a ACADEMIA MILITAR DAS AGULHAS NEGRAS (AMAN), fundada em 17 de Dezembro de 1792 (há 228 anos)… e, como diz o ditado: “a melhor maneira de perder uma luta é subestimar a força do adversário”.

Estamos presenciando um fenômeno de popularidade de um presidente, como jamais vimos na nossa história recente, por mais que a mídia queira te “convencer do contrário”: os olhos e a percepção da realidade não deixam dúvidas e isso tem a ver com um estágio de maturidade da nossa sociedade que também é inédito.

Dito isso, vamos ao tema…

Que Urnas Eletrônicas inauditáveis são potencialmente fraudáveis, acho que não resta mais a menor sombra de dúvidas, mas é preciso entender qual é, de fato, a importância do Voto, do seu voto nesses tempos sombrios em que estamos vivendo: e não apenas no Brasil, mas também no mundo, embora para nós é vital o que rola por aqui pois decide nossas liberdades, nossa soberania e enfim: nossas vidas.

Se por um lado, tivemos escancaradas uma infinidade de crimes contra a Pátria e contra o Povo, perpetradas por governos ditos PROGRESSISTAS, que promoveram um revezamento pernicioso, na verdade criminoso, por mais de duas décadas no poder e principalmente, nos últimos 13 anos em que o PT no poder, esteve no comando de uma Organização criminosa que a Operação LAVA JATO revelou com fartas e robustas provas, mesmo que o sistema judiciário Nacional tenha se articulado para colocar em liberdade a maioria desses criminosos, por uma série de manobras que também culminaram com a soltura e o “resgate político” do líder dessa Orcrim.

ENTENDA MELHOR QUAIS OS RISCOS QUE CORREMOS

Quando em 1889 o Golpe de Estado que derrubou a Monarquia instituiu a chamada REPÚBLICA, dava-se início a um processo de tomada do poder (poder econômico e político, quero dizer) por um conjunto de Oligarquias, que desde então “bancaria” a política nacional aparelhando praticamente todos os poderes sob a regência das seis constituições que foram promulgadas e que sempre de alguma forma foram manipuladas e utilizadas (mesmo que nunca como agora) no sentido de garantir o poder econômico e o controle político, dos grupos Oligárquicos que comandaram o Brasil até aqui.

Até aqui nenhuma novidade, não é?

Só que isso mudou…na verdade está mudando de forma acelerada…

Nas últimas décadas e de forma crescente, o que vimos e acompanhamos (me refiro aos mais atentos, claro) foi uma nova configuração geopolítica sendo formada e eu me refiro aos desdobramentos que chamamos de Globalização. Estamos falando da “Globalização Econômica e logo, da globalização política já que o esquema é o mesmo só que agora envolve o “poder globalista” que forma uma espécie de clube de Bilionários, as Oligarquias Globais: mesmo que nessa transição ainda tenhamos presentes Oligarquias Locais que, aos poucos, vão sendo reconfiguradas.

Quando falo em Oligarquias, não me refiro às Organizações criminosas, como o PCC, por exemplo, presentes no País e que também detêm poder, dinheiro e atuam no aparelhamento de várias instituições, mas como diz o ditado “cada macaco no seu galho”: o “parasitismo” que orbita o universo do poder tem várias ramificações e configurações para coexistir em “harmonia” uns com os outros.

Apenas explicando um pouco melhor o termo “Globalismo” dentro da chamada Globalização:

Globalização é um processo que tem início quando no século XV as “grandes navegações” espalharam o “Capitalismo” Burguês pelo mundo, principalmente intensificado a partir da revolução Industrial e de uma Burguesia Industrial que viria a seguir, a partir do século XVIII.

Assim, a Globalização pode ser entendida em quatro fazes distintas de evolução onde a última delas está relacionado à queda do Muro de Berlim e a Derrocada da União Soviética na década de 60 com grandes mobilizações sociais, mas sobretudo a partir de 1989 quando o modelo geopolítico global passa por profundas transformações.

Podemos dizer que os desdobramentos resultantes da Segunda Revolução Industrial a partir de 1850 até início do século XX; da terceira revolução industrial em meados do século XX (1950) culminam com a Quarta Revolução Industrial que estamos chamando agora de Revolução 4.0 e representa a Revolução Digital que promove a integração/consolidação e transformação das anteriores numa espécie de fusão e dessa forma, determinam uma nova ERA que eu chamo de ERA DIGITAL e que afeta profundamente a humanidade em todos os sentidos, impondo novos Paradigmas e determinando um MUNDO NOVO.

Sim, de um mundo Geopoliticamente Novo (inclusive pelo crescimento e expansão da CHINA POPULAR como uma grande potência Capitalista, mesmo que preservando seu regime Socialista, que sujeita as pessoas aos rigores do PCC e seu conhecido controle social). Assim, temos uma nova sociedade Global DIGITAL, que afeta o equilíbrio e as forças de “controle global” determinando uma nova “guerra de interesses” que substituiu de forma ainda mais avassaladora o que conhecemos como guerra fria e que envolvia os EUA e a Ex-União Soviética.

O Mundo virou um gigantesco “tabuleiro de xadrez” disputado pelo Metacapital!

Ou seja, à partir da década de 90 entramos nesse mundo no qual a GLOBALIZAÇÃO DIGITAL muda profundamente as relações dentro do CAPITALISMO MUNDIAL, e assim surge o que podemos chamar de GLOBALISMO e que agora desemboca em algo que estamos chamando de METACAPITALISMO e com ele, uma profunda remodelação via uma “agenda global Capitalista” promovida principalmente pelo “clube dos Bilionários” e diria, com a inclusão dos novos bilionários que passam a conviver com as dinastias Bilionárias presentes nos Oligopólios, Monopólios e Cartéis Globais anteriores, mas que se alinha aos sistemas de governos socialistas e de esquerda, como explicarei melhor.

Essas organizações, cada vez menos LOCAIS, são submetidas a um processo de “consolidação” a partir de um intenso movimento de fusões e aquisição de empresas (M&A) em setores básicos (onde rola o dinheiro grosso). E o que vemos é que muitos desses oligopólios se constituíram em praticamente monopólios ou Cartéis Globais que fazem parte de pequenos grupos com imensas e crescentes fatias de mercado.

O dinheiro compra tudo e todos…e está a cada dia mais nas mãos de Metaeconomias como a da CHINA, por exemplo, cujo PIB cresceu cerca de 90 vezes desde a década de 70 (ou mais de 9.000%) principalmente pela expansão de seu posicionamento comercial global.

Com isso, a CHINA tem ido às compras ao redor do mundo, ampliando sua penetração econômica em boa parte das economias ao redor do Globo: notadamente em setores ligados à infraestrutura, comunicações, agronegócios (o que inclui terras produtivas) e reservas minerais.

Não apenas a China tem desenvolvido essa prática, mas ela principalmente… e questões envolvendo 5G, por exemplo, estão longe de ser uma questão de tecnologia: trata-se principalmente de soberania e controle social.

A “DESNACIONALIZAÇÃO” GRADATIVA DAS ECONOMIAS

Poderíamos citar dentre vários, os Oligopólios do setor financeiro Brasileiro onde os 5 maiores bancos detêm mais de 80% dos ativos e 83% dos depósitos e onde já temos a presença de capital internacional, o que deverá se intensificar também via Fintechs, que são os Bancos Digitais, vale acompanhar esse movimento nos próximos anos: já temos um ótimo exemplo por aqui com o NUBANK que acaba de receber um aporte de Us$500 milhões do “Megacapitalista” Warren Buffett e de outros Us$250 milhões da Americana Sands Capital.

Também nessa esteira temos as BIG TECHs, um segmento novo que detêm o maior patrimônio existente na economia mundial atual ou seja, os DADOS das pessoas presentes nas plataformas sociais (cuja penetração estimada pela Hootsuite é de 4.66 Bilhões de pessoas em Janeiro deste ano) que estão concentrados nas mãos de poucas Organizações e estas, cada vez mais alinhadas com grupos de interesses Metacapitalistas ao redor do planeta: algo ainda mais perigoso para nossa liberdade e representando um potencial de manipulação sem precedentes na história da humanidade: o que chamo de DIGITALIZAÇÃO SOCIAL.

Mas o que representa, de fato o METACAPITAL constituído pelos BILIONÁRIOS GLOBAIS (que incluem não apenas pessoas, mas também Governos)?

E porque isso nos põe em risco, principalmente a partir de processos Eleitorais?

Muito simples:

O Movimento Metacapitalista (dos “Bilionários Globais”) adota como estratégia aliar-se aos Interesses Socialistas/Movimentos de Esquerda, ao redor do mundo, por dois motivos principais:

Porque Governos de Esquerda/Socialistas são “compráveis” e, consequentemente “aparelháveis” e dessa forma jogam em favor dos seus interesses (e exemplos não faltam: já que citei o setor Financeiro, basta olhar nas últimas décadas as “taxas de juros reais” (juros descontada a inflação) praticados no Brasil, entre as maiores do mundo historicamente);

E é claro, os Metacapitalistas não tem o interesse em que haja livre concorrência ou que se permitam a entrada de novos concorrentes no seu seleto grupo (e nos setores que dominam) e controlando o Estado, controlam a concorrência e também aumentando o tamanho do Estado facilita o seu enriquecimento, já que o Estado passa a deter um orçamento que o transforma num “comprador gigantesco” de produtos e serviços (basta ver o que ocorreu com o setor de Empreiteiras cuja sangria o atual governo estancou… até agora e cujo impacto se faz sentir significativamente no Orçamento/Caixa do Governo).

E todos esses interesses Globalistas, vem se articulando em Blocos, basta ver os desvios estratosféricos promovidos pelo PT para os integrantes do chamado “Foro de São Paulo”, Organização Socialista manobrada pela Esquerda (algo que poderemos ver no relatório do BNDES durante os governos petistas: onde obras “fabricadas e superfaturadas” envolvendo “nossas empreiteiras” nesses países, geraram propinas estratosféricas rateadas entre os países participantes da Organização) e que, segundo o José Dirceu, representou parte da estratégia que “colocou” no poder governos de Esquerda em praticamente todos os seus integrantes, além de financiar o PT no Brasil, e enriquecer corruptos, é claro: não existe nenhum motivo nobre por detrás disso.

Seus interesses estão sempre posicionados contra a população, que acaba pagando a conta por todo esse APARELHAMENTO e desvios dos recursos que serviriam para suprir as necessidades básicas como: Saúde, educação, segurança pública, saneamento básico e infraestrutura dentre outras.

Importante lembrar que o Estado, via de regra, não é um gerador de recursos e sim os transfere ou deveria transferir para o benefício da população pagadora de impostos, que no Brasil representa uma carga tributária da ordem de 31,64% do PIB em 2020 ( e que vem caindo nos últimos dois anos do atual governo), mas gira historicamente numa média de 35% do PIB.

Para o Metacapital, o importante é manter o domínio e o poder, cada vez mais global, dos meios de produção e dos recursos do planeta: falamos de dinheiro, poder e controle: basta olhar como alguns desses Metacapitalistas como JP Lemann e George Soros (que financia organizações extremistas como “Black Lives Matter” e “Antifas”) investem em Ongs e instituições de ensino/educação visando cooptar também as mentes dos jovens, visando fragmentar e enfraquecer a sociedade: e sabemos que esse é um dos princípios básicos para se estabelecer domínio e controle sobre gerações, de forma a se perpetuar no poder “idiotizando as pessoas”.

E COMO ISSO PODE ESTAR PRESENTE NUM PROCESSO ELEITORAL?

Existem três caminhos principais pelos quais o poder OLIGARQUICO GLOBAL (METACAPITAL) e LOCAL promovem o APARELHAMENTO que lhes permite manter as INSTITUIÇÕES sob controle:

Financiando CAMPANHAS (direta e indiretamente) dos Candidatos que representarão seus interesses, uma vez eleitos;

“Comprando” os Candidatos eleitos que não tenham sido aqueles nos quais investiram inicialmente e que porventura tenham sido eleitos;

Investindo em algum tipo de fraude, caso os sistemas sejam suscetíveis a um processo de manipulação: o que torna o processo de aparelhamento mais rápido e barato;

Mas o que eu quero dizer, afinal?

Que um PROCESSO ELEITORAL LIMPO, SEGURO E AUDITÁVEL com a impressão do comprovante impresso do voto digital e um escrutínio público para apuração dos votos são minimamente o necessário para minimizar a ação devastadora do METACAPILISMO GLOBAL (ou OLIGARQUIAS LOCAIS E TAMBEM GLOBAIS, como queiramos chamar), que tem um poder descomunal de fraudar, manipular, cooptar e controlar as INSTITUIÇÕES DE ESTADO, algo que estamos vendo ocorrer em todo o Planeta: o Brasil não é um caso isolado…

Somos apenas a “bola da vez”, assim como a anterior foi a dos EUA.

A SOCIEDADE BRASILEIRA e as pessoas de Bem deste País, estão se Mobilizando para defender a nossa Nação das ameaças que são REAIS e não “TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO” como o Establishment tenta acintosamente propagar COOPTANDO E COMPRANDO A “MÍDIA MEINSTREM” para “impor como normal”, o retorno da Organização Criminosa, já alinhada com seus propósitos e interesses.

Mas NUNCA em tempo algum a maior parcela da POPULAÇÃO BRASILEIRA esteve tão COESA, ALINHADA e ENGAJADA para lutar por nossa liberdade e soberania…

Fonte:Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: A IMPORTÂNCIA DO VOTO DE 2022 ESTÁ SENDO DECIDIDO EM 2021 POR LOBBYS NADA REPUBLICANOS COM ESTRATÉGIAS DEFINIDAS NOS PORÕES DO PODER NA CALADA DA NOITE

CEARENSE MARIA DA PENHA FAZ UM BALANÇO POSITIVO SOBRE LEGISLAÇÃO DA LEI QUE LEVA SEU NOME

Por Paulo Martins, G1 CE

 

Lei Maria da Penha completa 15 anos — Foto: Reprodução/TV Verdes MaresLei Maria da Penha completa 15 anos — Foto: Reprodução/TV Verdes Mares

Quinze anos após a criação da lei que leva o seu nome, a cearense Maria da Penha Maia Fernandes faz um balanço positivo sobre o avanço na legislação que permitiu dar maior proteção às mulheres vítimas da violência doméstica.

“O movimento de mulheres é mais expressivo e as famílias, de uma maneira geral, se sentem mais seguras com os avanços que a lei trouxe. Então eu acho que o trabalho que foi realizado durante esses 15 anos está atendendo aos seus objetivos, de conscientizar as pessoas sobre a lei e sobre a importância de a mulher ser respeitada”, diz.

Maria da Penha Maia Fernandes nasceu em Fortaleza e formou-se na Faculdade de Farmácia e Bioquímica da Universidade Federal do Ceará (UFC), em 1966. No ano de 1983, ela foi vítima de dupla tentativa de feminicídio pelo marido, pai de suas duas filhas, e ficou paraplégica após receber um tiro na coluna. Após acionar o poder judiciário cearense, Maria da Penha conseguiu assegurar a sua luta por justiça em 7 de agosto de 2006, quando foi sancionada a lei contra as violações aos direitos humanos das mulheres.

No Ceará, desde 2012, foram 27 mil autos de prisão em flagrante em ocorrências baseadas no contexto da Lei Maria da Penha. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, no mesmo período, 154.314 atendimentos foram realizados nas dez Delegacias de Defesa da Mulher (DDM) ou nas delegacias municipais, metropolitanas e regionais, unidades da Polícia Civil do estado. Além disso, e estado tem dez delegacias de Defesa da Mulher (DDM), responsáveis por investigar crimes praticados no ambiente doméstico e familiar, além de feminicídios.

Pontos a avançar

Apesar desses números, Maria da Penha considera que ainda há pontos a avançar. Entres eles, está a falta de capacitação de professores do ensino fundamental para conscientizar as crianças desde cedo sobre a violência contra a mulher.

“É uma recomendação da Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Ministério da Educação deveria investir nessa capacitação dos docentes a fim de instruir os estudantes no início da vida escolar sobre temas como o machismo e o racismo, por exemplo. Fazendo isso, as crianças poderão perceber quando estiverem sendo vítimas de violência dentro de suas próprias casas”, pondera.

Outro apontamento feito pela cearense é a respeito da precariedade da assistência às mulheres que vivem em pequenos municípios do interior dos estados brasileiros. Para ela, falta atitude dos gestores locais para criar centros de referência e apoio à mulher vítima de violência.

“Lamento muito a situação das mulheres dos pequenos municípios que não têm conhecimento de como saber como sair de uma situação de violência porque no seu município inexiste política pública que facilite o seu conhecimento. É preciso que o prefeito crie um centro de referência da mulher antes que ela seja apenas mais uma vítima de feminicídio”, afirma.

Apoio dos governos

Maria da Penha reconhece que os movimentos de mulheres fazem a parte deles, mas que é fundamental a parceria com os governos federal, estadual e municipal para a formulação de políticas públicas cada vez mais voltadas para a defesa e proteção da mulher, fazendo com que a lei não fique só na teoria.

“A lei está na boca do povo, a lei que leva o meu nome. É importante que as mulheres saibam e que não seja só de faz de conta. O que me envaidece é saber que ela está sendo útil a todas as mulheres do meu país. Foi um avanço, mas não pode ficar só no papel. A violência psicológica está no código penal, mas não podemos descansar. É preciso o compromisso dos gestores públicos para fortalecer a lei e conscientizar sobre sua importância na sociedade”.

Como denunciar casos de violência doméstica

Além de denunciar em distritos policiais e delegacias especializadas, a mulher em situação de violência doméstica pode recorrer a uma rede assistencial de entidades dos poderes municipal, estadual e federal. A denúncia também pode ser feita de forma anônima.

Disque 180

O Disque 180 é o telefone exclusivo de atendimento à mulher do governo federal. O número presta apoio e escuta mulheres em situação de qualquer tipo de violação ou violência de gênero. Por meio do canal, os casos são encaminhados a órgãos competentes.

Delegacia de Defesa da Mulher

O serviço de denúncia em Fortaleza é direcionado para a unidade especializada de Defesa da Mulher, que fica no complexo da Casa da Mulher Brasileira, no Bairro Couto Fernandes. A delegacia também funciona de forma ininterrupta. Além da unidade na capital, há Delegacias de Defesa da Mulher nas cidades de Pacatuba, Caucaia, Maracanaú, Crato, Iguatu, Juazeiro do Norte, Icó, Sobral e Quixadá.

Endereço: Rua Tabuleiro do Norte, s/n, Bairro Couto Fernandes
Telefone: (85) 3108-2950

Casa da Mulher Brasileira

O equipamento gerenciado pela Secretaria da Proteção Social (SPS), do Governo do Estado, atua no atendimento às mulheres que foram vítimas de violência em Fortaleza.

No mesmo espaço, funciona a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), o Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, uma unidade do Ministério Público e uma da Defensoria Pública, além de um centro de referência municipal.

Na Casa da Mulher, também são ofertados cursos de capacitação profissional dentro da Promoção da Autonomia Econômica, bem como alternativas de abrigamento temporário e espaço infantil para as crianças que estejam acompanhando as mães em atendimento.

Horário de atendimento: 24 horas por dia
Endereço: Rua Teles de Sousa, s/n, Bairro Couto Fernandes
Telefone: (85) 3108-2968

Centro de Referência Municipal Francisca Clotilde

Em Fortaleza, é disponibilizado o Centro de Referência e Atendimento à Mulher em Situação de Violência Francisca Clotilde. O espaço, que faz parte do complexo da Casa da Mulher Brasileira, promove acompanhamento e encaminha as vítimas aos serviços da rede de atendimento, acolhendo mulheres que sofreram violência psicológica, sexual, física, moral, patrimonial, abuso, exploração, assédio moral e tráfico de mulheres.

Horário de atendimento: Segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.
Endereço: Rua Teles de Sousa, s/n, Bairro Couto Fernandes
Telefone: (85) 3108-2968

Fonte: G1

200 vídeos
Continuar lendo CEARENSE MARIA DA PENHA FAZ UM BALANÇO POSITIVO SOBRE LEGISLAÇÃO DA LEI QUE LEVA SEU NOME

LÍDER DO PSL NA CÂMARA DOS DEPUTADOS, VITOR HUGO DESTACOU A NECESSIDADE E IMPORTÂNCIA DE A CPI INVESTIGAR REPRESENTANTES DE ESTADOS E MUNICÍPIOS

 

Deputados debatem os rumos da CPI da Pandemia

À CNN, deputados federais Vitor Hugo (PSL-GO) e Alessandro Molon (PSB-RJ) abordaram a condução das autoridades diante da pandemia de Covid-19

Da CNN

05 de junho de 2021 às 20:17

Deputados debatem os rumos da CPI da Pandemia

Os deputados federais Vitor Hugo (PSL-GO) e Alessandro Molon (PSB-RJ) debateram, em entrevista à CNN neste sábado (5), os rumos da CPI da Pandemia – que investiga a ação das autoridades diante da pandemia de Covid-19 no Brasil – e a condução das investigações até o momento. A CPI da Pandemia já ouviu ex-ministros, o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, representantes de laboratórios e profissionais da saúde.

Líder do PSL na Câmara dos Deputados, Vitor Hugo destacou a necessidade e a importância de a CPI investigar representantes de estados e municípios.

“Ainda não vimos a CPI se voltar contra os desvios que já foram identificados, que o nosso presidente transferiu para os estados e municípios. Cade o governador do Amazonas sendo convocado? Isso é uma prova de ineficiência. Sabemos que a CPI tem se tornado palanque eleitoreiro, defendendo narrativas que não vão servir para dar nenhum pedido de impeachment. É uma CPI fadada ao insucesso e um ambiente tóxico”, disse.

O deputado Alessandro Molon defendeu que a CPI “cumpra um papel de importância” e que deve encontrar responsáveis pelas mortes causadas pela pandemia de Covid-19 no país.

“A CPI já conseguiu produzir evidências muito claras da responsabilidade do governo Bolsonaro por essas mais de 470 mil mortes, pelo desastre que tem sido essa pandemia no Brasil, e quem contribuiu para que ele agisse de forma tão desastrosa. Não tenho dúvida que ele terminará responsabilizado, eu sinceramente acredito que isso o aguarda, mas é preciso entender toda a cadeia de envolvidos nessa tragédia de milhares de mortes, isso passa por esse gabinete paralelo que está sendo desvendado”, afirmou Molon.

O deputado do PSB concordou, porém, que governadores também devem ser investigados pelas autoridades.

“Todos aqueles que praticaram crimes com o dinheiro público devem responder por eles e ser presos, sejam governadores, de onde forem. A Polícia Federal tem agido para apurar esse crimes, os culpados devem ser presos e responder pelos seus crimes. Nós não vimos nenhuma ação da PF até o momento para investigar a ação dele [presidente] e de seus ministros, mas são submetidos a ele, por isso a necessidade da CPI”, disse Molon.

O deputado federal Vitor Hugo rebateu, afirmando “não haver a necessidade de investigação por parte da Polícia Federal ao atual governo”.

“A PF não faz investigação porque não há o que investigar, a PF é subordinada ao estado, não ao presidente. Se isso não acontece com o nosso governo é porque somos muito diferentes dos outros governos que o senhor apoia”, afirmou Vitor Hugo.

 

Fonte: CNN

Continuar lendo LÍDER DO PSL NA CÂMARA DOS DEPUTADOS, VITOR HUGO DESTACOU A NECESSIDADE E IMPORTÂNCIA DE A CPI INVESTIGAR REPRESENTANTES DE ESTADOS E MUNICÍPIOS

MICROBIOLOGISTA REFORÇA A INPORTÂNCIA DAS RESTRIÇÕES JÁ QUE É QUASE IMPERCEPTÍVEL UMA REINFECÇÃO

É possível que a pessoa se reinfecte e nem perceba”, diz microbiologista

A microbiologista Natalia Pasternak reforçou a importância das restrições, visto que ainda há poucos dados sobre reinfecções de Covid-19

*Produzido por Renata Souza, da CNN, em São Paulo

04 de abril de 2021 às 18:43

A microbiologista Natalia Pasternak explicou as reinfecções de Covid

Em entrevista à CNN, a microbiologista Natalia Pasternak afirmou que ainda não há dados robustos sobre as reinfecções de Covid-19, o que aumenta a necessidade de seguir as medidas preventivas. 

“É possível que a pessoa se reinfecte e nem perceba. Ela pode ter um nível de proteção que a impeça de ficar doente por uma segunda vez, mas será que isso impede a transmissão? Ainda não sabemos”, explicou a microbiologista.

“Como não temos essa resposta de uma maneira muito esclarecedora, aconselhamos que mesmo quem já teve o vírus comporte-se como quem não teve.”

Com o aumento nas taxas de mortalidade e ocupação no número de leitos de UTI por conta do vírus, Pasternak reforça a preocupação com a parcela da população que não respeita as restrições.

“É muito preocupante ainda haver um grande número de pessoas que não se deu conta da responsabilidade como cidadão, de colaborar com essas medidas preventivas”, afirmou. “Não existe uma boa prevenção da doença sem uma mudança de comportamento por parte da população.”

Fonte: CNN

Continuar lendo MICROBIOLOGISTA REFORÇA A INPORTÂNCIA DAS RESTRIÇÕES JÁ QUE É QUASE IMPERCEPTÍVEL UMA REINFECÇÃO

SAÚDE: A IMPORTÂNCIA DE UMA ROTINA DE SONO ESPECIALMENTE PRA AS CRIANÇAS

Saiba como ajudar seus filhos a dormirem o suficiente na pandemia

A implementação de boas práticas de higiene do sono em família é fundamental para evitar problemas a longo prazo

Neha Chaudhary, da CNN

Atualizado 03 de março de 2021 às 14:51

Criança dormindoManter uma rotina de sono é importante para todos, em especial para crianças Foto: iStock

Nota do editor: Neha Chaudhary é uma psiquiatra de crianças, adolescentes e adultos no Hospital Geral de Massachusetts e na Escola de Medicina de Harvard, e co-fundadora do Brainstorm, um laboratório da Universidade de Stanford para inovações em saúde mental.

Dormir o suficiente era difícil mesmo antes da pandemia. Com as rotinas interrompidas, tempo extra em frente a telas de computadorea e celulares, e a grande quantidade de estresse que a maioria das pessoas enfrenta agora, as rotinas de sono parecem ter piorado de forma silenciosamente rápida. E pelo que estou vendo na minha prática de psiquiatria infantil, as crianças estão sofrendo ainda mais.

Considere o trabalho que nossos cérebros fazem o dia todo – pensar, sentir, tomar decisões e se preocupar com a família, amigos e até mesmo com nossa própria segurança. O sono é o único momento em que o cérebro descansa.

Para obter o suficiente desse descanso, a Academia Americana de Medicina do Sono recomenda de 10 a 13 horas de sono noturno para crianças de 3 a 5 anos de idade; 9 a 12 horas para crianças de 6 a 12 anos; e 8 a 10 horas para adolescentes. No entanto, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, apenas quatro em cada dez alunos do ensino fundamental e três em cada dez alunos do ensino médio estão dormindo o suficiente.

A falta de sono adequado não vem sem um custo alto. Estudos mostram que o sono insuficiente pode causar problemas a curto e longo prazo, incluindo não apenas cognição prejudicada, irritabilidade e falta de paciência, mas também diabetes e doenças cardíacas.

Grande parte da saúde emocional também está ligada ao sono e a ausência dele cria uma espiral descendente: problemas de humor ou ansiedade podem piorar o sono, e a falta de sono piora o humor e  a ansiedade. Nossa melhor aposta é quebrar o ciclo o mais rápido possível.

Eu sei que é mais fácil falar do que fazer, especialmente com dever de casa, hormônios e pressões da faculdade pairando sobre crianças e adolescentes – sem mencionar suas vidas sociais, ou a falta dela agora. Implementar boas práticas de higiene do sono em família é fundamental para pais e filhos.

Inicie uma rotina na hora de dormir

Aprendizagem à distância, trabalho em casa, falta de creche e dificuldades financeiras são algumas das razões pelas quais nossas rotinas estão diferentes hoje em dia. Uma boa rotina na hora de dormir é uma das partes mais importantes da higiene do sono.

Quanto mais consistente for a rotina da hora de dormir, mais os relógios biológicos de seus filhos permanecerão em dia e mais seus cérebros começarão a associar a rotina ao sono. Ter um relógio interno consistente também ajuda a regular o humor, o que, por sua vez, melhora ainda mais o sono.

Isso significa tentar manter as rotinas de sono e vigília durante o fim de semana o mais próximo possível dos dias da semana. É uma medida difícil, especialmente, para adolescentes, cujos relógios biológicos são programados naturalmente para descansar mais tarde, de forma que nem sempre corresponde ao dia na escola. Porém, quanto mais consistente for a rotina nos fins de semana, mais fácil será adormecer e acordar durante a semana, quando normalmente é o mais complicado.

Desacelere pelo menos uma hora antes de dormir

Faça atividades relaxantes, pelo menos uma hora antes de dormir, que fiquem longe de telas. Tentem ler juntos, montar um quebra-cabeça ou até mesmo contar histórias para crianças mais novas. As mais velhas podem tentar fazer um diário ou criar um ritual na hora de dormir, como escrever coisas pelas quais são gratas desde o dia. Essas atividades normalmente impedem nossas mentes de correr em direções diferentes durante o dia.

Mantenha as telas fora da hora de dormir

A luz azul que as telas emitem pode dizer ao seu cérebro que é hora de acordar – o oposto do que queremos antes de dormir. As crianças não devem apenas parar de usar seus telefones ou telas mais ou menos uma hora antes de dormir, mas também é melhor mantê-los fora do quarto para diminuir a tentação de usá-los, em razão da luz emitida que impede que o ambiente fique totalmente escuro. Isso significa laptops, tablets, sistemas de jogos e, sim, telefones celulares.

Na minha experiência, embora guardar os telefones possa ser uma decepção no início, muitas crianças mais velhas acham que se sentem liberadas, mais atentas e dormem muito melhor quando seus telefones são deixados em baldes na mesa de jantar e eles não os pegam até depois do café da manhã.

Crie um ambiente favorável ao sono

Além de eliminar dispositivos, a configuração correta do ambiente pode desempenhar um grande papel na qualidade do sono que você obtém. Você quer que seja aconchegante, convidativo e seguro. Tente manter os bichinhos de pelúcia favoritos do seu filho, brinquedos ou um símbolo de algo reconfortante perto de sua cama. A sala deve estar o mais escura possível (cortinas blackout funcionam) e a temperatura deve estar pendendo para o frio.

Tente não comer ou beber uma hora antes de dormir

Seu corpo trabalha muito para digerir os alimentos, extrair todos os seus nutrientes e transformá-los em energia. Você quer evitar que esse processo aconteça tarde da noite, porque não apenas certos alimentos, como açúcares, podem lhe dar uma explosão de energia logo antes de dormir — mas, se você não esperou o suficiente para dormir, isto pode ser uma receita para refluxo e desconforto estomacal.

Para os membros mais velhos da família, evite cafeína o máximo que puder, e não apenas antes de dormir. A cafeína a qualquer hora do dia, mesmo no final da manhã, pode afetar seu sono. Se você deseja um sono mais profundo e de melhor qualidade, corte o chá, o café ou os refrigerantes com cafeína do dia.

Tente meditação para dormir enquanto está na cama

Se seu filho está acordado na cama, peça-lhe que tente meditar. Pode reduzir o estresse e aumentar a liberação de substâncias químicas que fazem você se sentir relaxado e sonolento. A varredura corporal, por exemplo, é fácil de fazer.

Com os olhos fechados e o corpo imóvel, comece pela ponta da testa e, descendo, relaxe todos os músculos do rosto. Continue movendo-se para baixo de maneira a prestar atenção para as diferentes partes do corpo, relaxando os músculos enquanto “examina” essa área em sua mente. Muitas crianças com quem trabalhei me dizem que mal chegam aos braços antes de adormecer.

Fique na cama só para dormir

Também é útil para as crianças ficarem fora da cama para as demais atividades, incluindo dever de casa ou até mesmo ouvir música enquanto mandam mensagens para os amigos. Você quer que seu cérebro associe a cama ao sono e essa separação física pode ajudar.

Se meditação, contagem ou outras atividades não funcionarem e seu filho não conseguir dormir depois de 20 a 30 minutos, ele deve sair da cama e tentar uma atividade relaxante até sentir sono o suficiente para tentar dormir novamente. Isso ajuda o cérebro a continuar conectando a cama com estar sonolento, não acordado.

Seja modelo de boa higiene do sono

Como acontece com a maioria das coisas relacionadas aos pais, praticar o que você prega não apenas reforça a mensagem, mas mostra a seus filhos o que fazer. Ao implementar as mesmas técnicas que você espera deles, torna-se uma atividade familiar. Escolha alguns rituais noturnos em família, como um tempo de leitura sem tela após o jantar ou fazer uma meditação guiada e acompanhá-la juntos.

Fique atento a sinais de que seu filho está sofrendo com outros problemas

Se seu filho recentemente não está dormindo e possui dificuldades em outras áreas também – como falta de apetite, problemas de motivação, timidez ou humor irritável –, pode ser hora de procurar um pediatra, terapeuta ou psiquiatra para ver se há algo mais está acontecendo, como depressão ou ansiedade.

O cérebro é um dos nossos ativos mais preciosos e, como acontece com qualquer bem precioso, há maneiras de cuidar dele e nutri-lo para que possa fazer o seu trabalho da melhor maneira. Portanto, tudo começa – e termina – com o sono.

Continuar lendo SAÚDE: A IMPORTÂNCIA DE UMA ROTINA DE SONO ESPECIALMENTE PRA AS CRIANÇAS

A PANDEMIA E A CORRIDA PELA VACINA CONTA O CORONAVIRUS AJUDARAM A CONSOLIDAR A IMPORTÂNCIA DO BRICS

Países do Brics se destacam na corrida pelas vacinas contra covid

Bloco se torna fundamental ao desenvolver 10 imunizantes e por contar com o maior laboratório do mundo, mas Brasil perde espaço

INTERNACIONAL

 Fábio Fleury, do R7

Funcionária ajeita bandeiras dos países do Brics para conferência na China , em 2017

WU HONG / POOL VIA EFE – EPA – ARQUIVO

A pandemia do novo coronavírus e a corrida internacional por vacinas contra a covid-19 ajudaram a consolidar a importância de pelo menos três dos cinco países-membro do Brics  — a aliança política criada em 2009 e formada hoje por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, considerados os principais países emergentes do mundo.

Até o momento, as nações do bloco contribuíram com o desenvolvimento de dez das 20 principais vacinas contra a covid-19 no mundo (seis desenvolvidas na China, duas na Índia e duas na Rússia). A Índia é sede do Instituto Serum, a maior fabricante de vacinas do mundo, e a China tem uma das indústrias de biotecnologia mais avançadas do planeta.

O Brasil, no entanto, corre o risco de perder espaço para os outros países. Isso porque não aderiu, anos atrás, às políticas do bloco que poderiam ter ajudado a instalar plantas para a fabricação de insumos farmacêuticos no país. Ainda assim, conta com duas instituições mundialmente reconhecidas, o Instituto Butantan, em São Paulo, e a Fundação Oswaldo Cruz, no Rio.

“Esse foi um erro estratégico lá atrás, o país poderia produzir insumos há bastante tempo e não usou esse mecanismo. Isso tornou o mundo muito dependente da China e da Índia nesse setor. E agora a gente pode ver a importância de se ter essa estrutura no bloco”, afirma Márcio Coimbra, professor de Relações Institucionais e Governamentais do Mackenzie-DF.

A importância do Brics

Segundo Coimbra, a oferta de vacinas pelos países do Brics pode ajudar a equilibrar o mercado mundial, já que os EUA, a União Europeia, o Japão e outros países considerados desenvolvidos, que correspondem a 13% da população mundial, compraram 50% das doses de imunizantes disponíveis no mundo, de empresas que ficam nesses mercados.

A união dos países dentro do bloco pode ser ainda mais complicada do que simplesmente equacionar o fornecimento das vacinas, segundo Evandro Menezes de Carvalho, professor de Direito Internacional e coordenador do Núcleo Brasil-China da FGV-RJ. Na visão dele, divergências regionais e políticas dificultam que todos fechem uma pauta em comum.

“Numa situação de pandemia, nenhum país deveria se dar ao luxo de politizar a questão da vacina porque se trata de salvar vidas, mas não dá para ignorar que os países viram que seria inevitável um uso político e fizeram. A Rússia, por exemplo, que se antecipou na autorização para lançar a Sputnik-V. O Brasil não desenvolveu a sua vacina e fez uma politização às avessas, de rejeição e não participou do desenvolvimento”, explica Carvalho.

Uma questão que não foi solucionada a tempo, segundo o professor do Mackenzie-DF, foi a criação de um centro integrado de vacinas, que teria a participação de todos os países do bloco, mas que nunca saiu do papel. A decisão foi tomada após a cúpula do Brics em Joanesburgo, na África do Sul, em 2018, e a Índia deveria ser a sede desse instituto.

“Esse centro seria muito bem vindo hoje. E certamente ajudaria a concentrar os esforços de todos os países, diminuiria a competição. Acredito que no futuro ele deve ser feito. Na cúpula de 2020, Putin pediu aos outros países para acelerar essa criação. É uma pauta positiva e que pode unir mais o bloco”, explica.

Diplomacia na pandemia

undefined

As relações diplomáticas estremecidas entre Brasil e China, assim como entre China e Índia, também dificultam esse processo. “A gente ainda não sabe qual vai ser a capacidade do bloco de deixar essas questões políticas de lado, evitar que isso tudo interfira em algo mais amplo, que é a saúde global”, afirma.

Isso pode ser visto, por exemplo, no momento em que a China fornece suas vacinas para países alinhados, como Paquistão e Tailândia, e a Índia fez o mesmo com os vizinhos Nepal, Sri Lanka e Bangladesh.

“A diplomacia é feita disso também, relações de confiança com países. Isso interfere nos cálculos da China, sem dúvida, entre atender um país que é hostil e um país que é amigo, não é difícil imaginar para quem vai ser dada a preferência e sobretudo porque a oferta é menor do que a demanda. Isso leva necessariamente a um processo de escolha”, ressalta Menezes.

Fonte: R7
Continuar lendo A PANDEMIA E A CORRIDA PELA VACINA CONTA O CORONAVIRUS AJUDARAM A CONSOLIDAR A IMPORTÂNCIA DO BRICS

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A IMPORTÂNCIA DO KUNG-FU E TAI-CHI CHUAN

Nesta quinta-feira, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL trago um PODCAST do professor Laércio sobre a importância das artes marciais do Kung-fu e do Tai-Chi Chuan para o nosso crescimento evolutivo espiritual. Ao praticar essas artes ou, pelo menos, uma delas, você vai começar a despertar o espírito do guerreiro da luz e encontrar as suas respostas e compreender o significado da sua existência. É um facilitador para se alcançar a sua melhor versão. Então, não perca essa oportunidade!

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A IMPORTÂNCIA DO KUNG-FU E TAI-CHI CHUAN

LÍDERES DO G20 EM EVENTO PARALELO DEBATERAM SOBRE A ECONOMIA CIRCULAR DO CARBONO

Líderes do G20 nivelam importância da sustentabilidade à da pandemia

Em evento fechado neste domingo, sete líderes gravaram depoimentos sobre experiências e ambições em relação ao setor da economia circular do carbono

INTERNACIONAL

por Agência Estado

Evento aconteceu virtualmente neste ano

Líderes das 20 maiores economias do mundo (G20) debatem nesta manhã de domingo durante evento paralelo de alto nível do grupo sobre a chamada economia circular do carbono (CCE, na sigla em inglês).

O evento é fechado, mas sete deles gravaram depoimentos sobre suas experiências e ambições em relação ao setor.

presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, não estava entre eles. Durante a exibição do vídeo, alguns dos chefes de Estado e de governo colocaram a importância da sustentabilidade para o G20 no mesmo patamar das preocupações com a pandemia de coronavírus. O presidente americano, Donald Trump, disse que a estrutura do Acordo de Paris não serve aos Estados Unidos, mas que o país é o que mais investe no setor.

O primeiro a falar foi o rei Salman bin Abdulaziz Al Saud, da Arábia Saudita, que neste ano é a presidente do G20. Para ele, o grupo conseguirá, unido, mitigar os efeitos negativos sobre o meio ambiente. “Salvaguardar o planeta é algo de extrema importância. Temos que ser pioneiros em sustentabilidade e colocar metas ambiciosas de ambiente”, afirmou. O país se comprometeu a produzir 50% de sua energia a partir das fontes eólica e solar até 2030.

Na sequência, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, que será o próximo país a liderar o G20, prometeu ampliar as ambições do grupo durante a presidência de 2021. “O impacto da pandemia não deve afetar nossa determinação de atingir nossos objetivos”, alertou, salientando que os dois assuntos são “a maior pressão do nosso tempo”. “Estou convencido que o G20 pode guiar o mundo para a direção correta”, disse, acrescentando não haver “escapatória”, a não ser a redução das emissões de carbono.

Já o primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, o último país a estar à frente da presidência rotatória do G20, disse que o grupo tem de trabalhar junto, como um time. Ele aproveitou para enfatizar o anúncio feito no mês passado pelo governo de reduzir a meta de emissão líquida para zero até 2050.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, ressaltou que é preciso apoiar o crescimento, mas também a sustentabilidade. “Sempre temos que ter um olhar para o futuro e para o mundo que vamos deixar para nossas crianças”, disse. Ele relatou que o país baniu a exportação de lixo plástico e citou medidas adotadas pela Austrália que foram premiadas pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

O presidente chinês, Xi Jinping, por sua vez, disse que é preciso fortalecer a resposta do G20 às mudanças climáticas. Ele também descreveu iniciativas nesse sentido promovidas recentemente pelo seu país. “Podemos proteger o ecossistema com respeito à natureza. A Terra é uma casa compartilhada. Precisamos proteger o planeta azul.”

Já o premiê indiano, Narendra Modi, ressaltou que todos estão focados em salvar seus cidadãos e economias por causa da pandemia. “Igualmente importante é manter nosso foco nas mudanças climáticas. Temos que viver em harmonia com o meio ambiente”, declarou. Ele disse estar contente em dividir a informação de que seu país não só já atingiu a meta acordada em Paris, como a superou.

O último a gravar um depoimento foi Trump. Ele disse que os Estados Unidos trabalham para ter a água e o ar mais limpos do planeta, e que o país está investindo “bilhões” nesse sentido. O presidente afirmou também que é preciso neste momento proteger os trabalhadores americanos e os empregos do país, além de promover a sustentabilidade.

Para o americano, as críticas feitas aos Estados Unidos sobre meio ambiente são “muito injustas”, e são motivadas apenas pela decisão do país, em seu governo, de não ser mais um signatário do Acordo de Paris. Para ele, o pacto não atende às necessidades dos EUA. “Os Estados Unidos e o G20 têm uma oportunidade importante de manter esse trabalho”, disse sobre o clima e a acessibilidade energética.

Fonte: R7
Continuar lendo LÍDERES DO G20 EM EVENTO PARALELO DEBATERAM SOBRE A ECONOMIA CIRCULAR DO CARBONO

GRUPOS DE ATLETAS DE NATAL LANÇAM CAMPANHA DE DOAÇÃO DE SANGUE “ATLETAS PELA VIDA”

Por Redação do ge — Natal

 

Campanha "Atletas pela Vida" reforça importância da doação de sangue — Foto: DivulgaçãoCampanha “Atletas pela Vida” reforça importância da doação de sangue

A campanha “Atletas pela Vida” foi lançada nesta sexta-feira, em Natal. A iniciativa tem o objetivo de criar uma corrente do bem entre os atletas amadores potiguares por meio do incentivo à doação de sangue ao Hemonorte. Corredores, ciclistas e triatletas foram convocados a abraçar a causa.

O jornalista Breno Perruci, um dos idealizadores da campanha, reforça que as assessorias esportivas de todo o estado podem ter um papel importante neste cenário.

– Além de reunir números consideráveis de alunos, o objetivo primordial das assessorias esportivas é promover saúde e qualidade de vida. Então nesse propósito, por que não promover a vida em si com uma abrangência mais ampla e um alcance social maior? Não tenho dúvida que muitas assessorias de Natal e do interior vão aderir e atrelar suas marcas, seus nomes, a esta causa tão nobre – falou.

Atualmente, apenas 30% do estoque de sangue está disponível para atender as cirurgias do Rio Grande do Norte.

Nesta sexta-feira, atletas da CB Sports estiveram no Hemonorte para doar sangue e esperam que a ação seja repetida por outras assessorias.

– Com um gesto de humanidade tão simples podemos salvar vidas e o momento é extremamente propício. Nós, atletas, podemos e devemos, sim, nos mover nessa direção – destaca Cid Barbosa, líder da CB Sports.

O que é preciso para doar?

O Hemonorte tem tomado todas as medidas de segurança e proteção por causa do novo coronavírus. O uso de máscara é obrigatório e o álcool em gel é disponibilizado em todas as etapas do processo.

Para evitar aglomerações, as doações devem ser agendadas pelo telefone (84) 3232-6733 ou pelo site www.hemonorte.rn.gov.br.

Para doar sangue é preciso que a pessoa tenha de 16 a 69 anos, esteja em boas condições de saúde e pese mais de 50 quilos. Para os atletas, a orientação é ir em dia de descanso, sem treino. Lembrar ainda de levar algum documento de identificação como o RG ou a Carteira Nacional de Habilitação.

O Hemonorte fica na Avenida Alexandrino de Alencar, 1800, Tirol (próximo ao Parque das Dunas) e funciona de segunda a sábado, das 7h às 18h.

Fonte: Ge
Continuar lendo GRUPOS DE ATLETAS DE NATAL LANÇAM CAMPANHA DE DOAÇÃO DE SANGUE “ATLETAS PELA VIDA”

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar