EX-SENADOR HAITIANO ACUSADO PELA MORTE DO PRESIDENTE DO PAÍS FOI PRESO NA JAMAICA

Ex-senador é preso na Jamaica por assassinato do presidente do Haiti

O haitiano John Joel Joseph é um dos principais suspeitos da morte de Jovenel Moise, em julho de 2021

Jovenel Moise foi assassinado dentro da residência oficial

VALERIE BAERISWYL / AFP – 23.7.2021

O ex-senador haitiano John Joel Joseph, procurado pelas autoridades do Haiti na investigação do assassinato do presidente Jovenel Moise, em julho do ano passado, foi preso na Jamaica, informou neste sábado (15) uma fonte da polícia local.

Joseph foi detido na noite de sexta-feira (14) e está atualmente preso em instalações da polícia, disse o informante, sem dar mais detalhes sobre os procedimentos. Ele explicou apenas que as forças de segurança jamaicanas estavam atuando em coordenação com “parceiros internacionais” e que havia “investigações conjuntas”.

O presidente haitiano foi assassinado em julho, mas, apesar da prisão de vários suspeitos, ainda há muitas incertezas em torno do crime. Já no mesmo mês, as autoridades do país publicaram um cartaz de busca por John Joel Joseph, descrito como um indivíduo “perigoso e armado”.

No início deste mês, um ex-soldado colombiano foi acusado nos Estados Unidos de fazer parte do grupo de 20 homens que matou Jovenel Moise e feriu gravemente sua esposa em sua residência presidencial, em Porto Príncipe, em 7 de julho de 2021.

Mais de 40 pessoas, entre elas 15 colombianos e americanos de origem haitiana, já foram detidas em conexão com a investigação.

Fonte: R7

Continuar lendo EX-SENADOR HAITIANO ACUSADO PELA MORTE DO PRESIDENTE DO PAÍS FOI PRESO NA JAMAICA

CANDIDATURA DE EX-MINISTRA DA JUSTIÇA DA FRANÇA À PRESIDÊNCIA DO PAÍS É OFICIALMENTE ANUNCIADA

Ex-ministra da Justiça da França anuncia candidatura à Presidência

Buscando unificar esquerda contra Emmanuel Macron, Christiane Taubira quer se tornar primeira mulher e negra presidente

Christiane Taubira anunciou candidatura à Presidência da França

Christiane Taubira anunciou candidatura à Presidência da França | Foto:
Reprodução/Flickr

A ex-ministra da Justiça da França Christiane Taubira anunciou oficialmente neste sábado, 15, que é candidata à Presidência do país nas eleições de abril. Ela pretende unificar a esquerda francesa para enfrentar o atual mandatário do país, Emmanuel Macron.

A confirmação da candidatura foi feita em Lyon. Caso seja eleita, Christiane seria a primeira mulher e primeira pessoa negra a governar a França.

A agora candidata ao Palácio do Eliseu, de 69 anos, foi ministra da Justiça no governo do socialista François Hollande (2012-2017). Em 2002, ela concorreu na eleição presidencial e obteve pouco mais de 2% dos votos.

Em seu discurso ao lançar a candidatura, Christiane afirmou que deseja responder à “raiva” e às “injustiças sociais” que atingem o país. Ela defendeu um governo “que saiba dialogar, em vez de dar lição de moral”. “Faremos isso juntos. Nós somos capazes”, disse a esquerdista.

A esquerda francesa tenta encontrar um nome único para disputar as eleições presidenciais deste ano, mas está dividida.

Neste momento, a cerca de três meses do pleito, o campo considerado “progressista” já conta com seis postulantes ao cargo — nenhum deles ultrapassa 10% das intenções de voto nas pesquisas.

Entre os candidatos de esquerda, já se apresentaram a prefeita de Paris, a socialista Anne Hidalgo; o líder do partido extremista França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon; e o ambientalista Yannick Jadot.

Macron, que deve se candidatar à reeleição, também deve ter como principais adversárias duas candidatas de direita: Marine Le Pen e Valérie Pécresse.

Apesar de ainda ser apontado como favorito na eleição, Macron vem perdendo apoio e tem recebido uma série de críticas, à esquerda e à direita. Seu governo é marcado por uma série de medidas restritivas em meio à pandemia de covid-19, o que gerou dezenas de protestos e manifestações em várias regiões do país nos últimos meses.

Fonte: R7

Continuar lendo CANDIDATURA DE EX-MINISTRA DA JUSTIÇA DA FRANÇA À PRESIDÊNCIA DO PAÍS É OFICIALMENTE ANUNCIADA

VARIEDADES: FALTA DE REGRAS NA REALIDADE VIRTUAL PREOCUPA PAIS

Com realidade virtual sem regras, pais buscam controlar crianças

Rachel Metz

da CNN

Criado pela Google, o cardboard é uma caixa de papelão que, junto com um celular, cria experiências de realidade virtualCriado pela Google, o cardboard é uma caixa de papelão que, junto com um celular, cria experiências de realidade virtualGoogle/Divulgação

No verão passado, Allen Reach viu algo que o perturbou bastante: seu filho de 11 anos, Peyton, usou uma espada para cortar os braços e pernas de um personagem de um jogo de fantasia medieval em realidade virtual, chamado Blade & Sorcery, e depois arremessou de uma ponte o corpo digital desmembrado.

Claro, tudo aconteceu em uma RV. Mas para Roach — que viu esta sangrenta cena enquanto monitorava o jogo em realidade virtual do seu filho em uma tela de computador que espelhava o que Peyton fazia com o seu headset Oculus Quest 2 — pareceu desconfortavelmente real.

Roach sabia que quando Peyton olhava para baixo dentro da realidade virtual, estava vendo uma arma em suas mãos virtuais, não apenas um controle de videogame feito de plástico. Não importava que era um jogador sozinho, o que significava que os demais personagens não eram representados por outros jogadores humanos.

“Isso me incomodou de um jeito que não acontece vindo de telas planas, porque eles estão fazendo isso com suas próprias mãos de uma forma física”, disse.

Roach, que mora em Kansas City, estado do Missouri, EUA, e trabalha como gerente de comunidade da plataforma de aprendizagem baseada em RV, Edstutia, sentou-se com Peyton naquele instante e conversou sobre o que tinha acontecido. Ele também impediu seus três filhos mais velhos (Peyton agora com 12 anos e seus irmãos de 11 e 14 anos) de jogar aquele jogo.

Roach é um entre um crescente número de pais navegando por uma nova fronteira tecnológica que aprendem à medida que avançam. Mais crianças têm acesso a óculos de realidade virtual do que nunca — e com ele, acesso a um ainda nicho, mas em expansão, mundo virtual de jogos, encontros utilizando avatares e muitas outras atividades. E o número de crianças que faz uso desta tecnologia provavelmente aumentará após a temporada de férias mais recente.

O IDC (International Data Corporation em inglês), instituto de pesquisa do mercado de tecnologia, prevê 9.4 milhões de óculos de realidade aumentada sendo entregues em 2021, dos quais 3.6 milhões eram esperados para entrega durante as férias de final de ano, disse Jitesh Urbani, gerente de pesquisa.

O IDC acredita que o Quest 2 — um modelo de óculos de RV — compõe mais de três quartos do total.

Embora os dados demográficos não estejam disponíveis, Urbani suspeita que muitas crianças receberam os produtos como presentes de final de ano. (Meta, a empresa anteriormente conhecida como Facebook, que adquiriu a Oculus em 2014, não divulga os números de vendas do seu óculos de RV. Mas o aplicativo móvel Oculus, que complementa o dispositivo, disparou para o topo no ranking da loja de aplicativos da Apple durante o dia de Natal, indicando um aumento dos produtos sendo recebidos como presentes de final de ano.)

Enquanto os óculos de realidade virtual estão surgindo em mais residências, vários modelos, incluindo o Quest 2, não possuem controles parentais já estabelecidos como limite de tempo e configurações de maturidade por perfil da mesmo forma que você encontra em videogames tradicionais ou serviços como Netflix.

A Meta, que passou por um processo minucioso nos Estados Unidos durante os últimos meses por conta do impacto que suas redes sociais têm em crianças, enfrenta agora questionamentos de reguladores do Reino Unido sobre a segurança de seus óculos de RV em crianças.

A Meta fornece aos pais algumas recomendações sobre o uso adequado de seus dispositivos em seu website. (O “Centro de Segurança Oculus” instrui os pais a monitorar as crianças em atividades de RV e a “utilizar controles parentais em conteúdos onde tais controles estejam disponíveis”.)

Aplicativos podem conter suas próprias medidas de segurança como a habilidade de bloquear ou silenciar outros usuários — o popular aplicativo social Rec Room limita usuários menores de 13 anos a “contas júnior” que desabilita a função de conversa por voz — mas não há controles no próprio Quest 2 principalmente no quesito de limitar o uso por idade. (Pais podem colocar uma senha para bloquear o dispositivo; que simplesmente impede uso não autorizado).

Empresas que vendem óculos de realidade virtual costumam definir limites de idade para os aparelhos. O Quest 2, por exemplo, é indicado para idades a partir de 13 anos e requer uma conta do Facebook, rede social que também possui limite de idade a partir de 13 anos.

Mas os pais podem discordar ou nem mesmo perceber. O único indicativo de limite de idade na caixa do Quest 2, por exemplo, está em uma pequena escrita no canto traseiro de um pedaço de papel deslizante, tornando-o a parte mais descartável da embalagem.

A porta-voz da Meta, Kristina Milian, disse à CNN que a empresa está “constantemente buscando melhorar as proteções e controles” oferecidos aos usuários e que os dispositivos Quest “não foram projetados” para crianças menores de 13 anos.

Milian também contou que a “embalagem do óculos, avisos de saúde e segurança [e] vídeos explicativos de segurança” deixam “claro” a restrição da idade.

Mas alguns pais sentem que precisam criar suas próprias regras de uso e estratégias de segurança para uso dos óculos de realidade virtual.

Mulher usando lentes de realidade virtual / Getty Images

Elas vão desde assistir em tempo real cada movimento virtual das crianças por meio de um smartphone ou outra tela até limitar o que eles podem baixar — ou até mesmo permitir que eles usem a tecnologia somente na companhia de um adulto.

“Eu acho que deveria ser mais prático para os pais”, disse Amber Albrecht, mãe que vive na cidade de Bend, estado do Oregon, que deixou sua filha Rylee, de 10 anos, e seu filho Cooper, de 8, comprarem um par de óculos Quest 2 com o dinheiro do Natal em dezembro.

Às vezes eu sinto como se alguém estivesse me observando

Geralmente, os pais conseguem ver o que seus filhos estão assistindo ou jogando em uma tela como TV, tablet ou smartphone. Porém, é mais complicado com RV, já que a tela está no rosto do usuário, escondido de qualquer um ao seu redor.

Ambos Roach e Albrecht disseram à CNN Business que uma maneira que eles conseguem contornar isso é utilizar uma funcionalidade que permite que usuários fora da realidade virtual vejam o que está acontecendo por trás do óculos, conhecido como espelhamento.

Essa opção faz com que você veja, por meio de um smartphone ou outra tela, o que o usuário do óculos de realidade virtual está fazendo em tempo.

“Sempre que meus filhos entram na RV eu faço uso da função de espelhamento”, disse Roach, cuja família tem ambos um Quest 2 e um PlayStation VR, este último que oferece controles parentais como restrições por tempo de jogo por meio de um PlayStation 4. Disse que, em sua residência, é mais fácil monitorar as atividades em três dimensões do que em duas dimensões no PS4, que fica escondido em um quarto.

Para prevenir — ou pelo menos diminuir — experiências negativas em espaços virtuais, Roach e outros pais disseram que monitoram os aplicativos que suas crianças baixam e configuram regras sobre quais tipos de conteúdo não podem ser consumidos.

Roach conta que suas crianças não possuem permissão para baixar nenhum aplicativo, mas eles podem sugerir nomes que então serão pesquisados por ele (inclusive jogá-los) para assegurar que são adequados. Sua experiência com Blade & Sorcery o ajudou a formar uma política de não-violência realista para jogos de RV, mas ele está bem com brutalidade em desenhos.

Albrecth, que trabalha com relações públicas na indústria da tecnologia, não permite qualquer aplicativo de RV que inclua armas, violência ou zumbis, disse.

Desde quando ela configurou os óculos de realidade virtual Quest 2 de seus filhos usando a conta do Facebook dela, que se conecta ao aplicativo Oculus em seu telefone, ela consegue verificar se eles baixaram qualquer aplicativo gratuito. As crianças usam os dispositivos próximos a ela ou de seu esposo, contou, assim os adultos conseguem também escutar (por meio dos alto-falantes embutidos no Quest 2) o que está acontecendo.

Impacto ao longo do tempo não é conhecido

Enquanto espelhar a tela e limitar os tipos de conteúdo que as crianças acessam podem ajudar os adultos a rastrear o que seus filhos estão fazendo, não elimina a possibilidade que a criança pode ter em encontrar violência ou abuso em um ambiente virtual.

“Você não pode deixar de ver coisas já vistas”, disse Kavya Pearlman, fundadora e CEO da Iniciativa de Segurança XR, quais esforços incluem a criação de padrões de segurança infantil em RV ou realidade aumentada, RA.

Adicionalmente, pouco se sabe sobre como o uso de RV pode impactar as crianças ao longo do tempo.

Uma série de estudos foram conduzidos ao longo dos anos, mas continua não esclarecido se e como a realidade virtual pode causar danos nos olhos, cérebro ou desenvolvimento psicológico de uma criança.

Pearlman espera ver mais pesquisas este ano. Tal trabalho pode ser financiado pela própria Meta, ao anunciar em 2021 o investimento de 50 milhões de dólares em pesquisas direcionadas em parte ao “programa de alfabetização digital para jovens” para o chamado metaverso.

Além de monitorar o que as crianças estão fazendo ao utilizarem óculos de realidade virtual, Pearlman recomenda conversar elas sobre não falar com estranho na RV (que ela disse “que pode ser qualquer um” que você está interagindo).

A Iniciativa de Segurança XR lista uma série de recomendações para os pais com crianças que usam a RV online. Pearlman também aconselhou que as crianças não passem mais que 20 minutos utilizando o óculos de RV por vez, embora ela reconheça que é um limite de tempo arbitrário.

“Eu acho que o limite de tempo depende mesmo da quantidade de estimulante que a experiência dá à criança, algo que não podemos calcular no mesmo instante”, contou.

Mesmo que os pais não estabeleçam um limite de tempo, uma peculiaridade nos óculos de realidade virtual do tipo sem fio pode se tornar um benefício para aqueles que estão exaustos de rastrear as atividades virtual de seus filhos, já que eles possuem apenas algumas horas de autonomia e podem ficar sem carga mais rápido do que outros aparelhos que as crianças podem usar.

“Eu diria que este é outro controle parental: o tempo de bateria. Não dura muito”, disse Albrecht.

Continuar lendo VARIEDADES: FALTA DE REGRAS NA REALIDADE VIRTUAL PREOCUPA PAIS

INSTALAÇÕES ESTRATÉGICA DO CAZAQUISTÃO ESTÃO SENDO PROTEGIDAS POR TROPAS LIDERADAS PELA RÚSSIA, APÓS ONDA DE PROTESTOS NO PAÍS

Cazaquistão promete eliminar ‘terroristas’ após onda de protestos

Autoridades afirmam que tropas da aliança militar liderada pela Rússia estão protegendo instalações estratégicas do país

INTERNACIONAL 

por Reuters

EM 09/01/2022 – 19H11

Ao menos 164 pessoas morreram durante protestos

ABDUAZIZ MADYAROV/AFP – 05.01.2022

As autoridades do Cazaquistão disseram, neste domingo (9), que a situação no país já está se estabilizando, após o período de maior agitação política em 30 anos de independência, e que tropas da aliança militar liderada pela Rússia estão protegendo instalações estratégicas da nação.

Oficiais de segurança afirmaram ao presidente Kassym-Jomart Tokayev que seguem as operações de “limpeza” no país, uma ex-república soviética da Ásia Central que faz fronteira com a Rússia e a China e tem na produção de petróleo seu carro-chefe.

Milhares de pessoas foram detidas e prédios públicos foram incendiados durante protestos em massa contra o governo na semana passada. Tokayev emitiu ordens de atirar para matar e assim acabar com os distúrbios, causados por “bandidos” e “terroristas”, segundo ele.o prévi

O canal de TV estatal Khabar 24 disse que 164 pessoas foram mortas, informaram as agências de notícias Tass e Sputnik. Mas o Ministério da Saúde não confirmou as informações, alegando ser assunto de polícia. Já as forças policiais disseram à Reuters que o ministério deve ser consultado.

A convite de Tokayev, a CSTO (Organização do Tratado de Segurança Coletiva), liderada pela Rússia, enviou tropas para restaurar a ordem, uma intervenção que ocorre em meio a um momento de alta tensão nas relações entre Rússia e EUA, às vésperas das negociações entre esses dois países a respeito da crise na Ucrânia.

“Uma série de instalações estratégicas agora estão sob proteção do contingente de manutenção da paz dos Estados-membros da CSTO”, disse o gabinete presidencial, detalhando o briefing de segurança emitido por Tokayev

Fonte: R7

Continuar lendo INSTALAÇÕES ESTRATÉGICA DO CAZAQUISTÃO ESTÃO SENDO PROTEGIDAS POR TROPAS LIDERADAS PELA RÚSSIA, APÓS ONDA DE PROTESTOS NO PAÍS

AUTORIDADES PECUÁRIAS DA TAILÂNDIA IRÃO INVESTIGAR SOBRE PESTE SUÍNA NO PAÍS

Morte de porco doméstico motiva apuração sobre peste na Tailândia

Teste de laboratório revela que o animal de estimação morreu de peste suína africana, primeiro relato registrado no país

:

As autoridades pecuárias da Tailândia prometeram investigar a morte de um porco de estimação depois que um teste de laboratório em uma universidade revelou que ele morreu de peste suína africana, o primeiro relato desse tipo no país.

A Tailândia insiste há anos que seus rebanhos suínos não foram afetados pela peste suína africana, que nos últimos anos varreu a Europa e a Ásia e matou centenas de milhões de porcos, especialmente na China, mesmo com seus vizinhos do sudeste asiático relatando surtos.

Um porco de estimação em miniatura em Bangcoc foi encontrado morto da doença depois de ter sido trazido por seu proprietário para um teste de laboratório realizado no início de dezembro na Universidade de Kasetsart, informou Nattavut Ratanavanichrojn, reitor associado da Faculdade de Medicina Veterinária da universidade na província de Nakhon Pathom, a oeste de Bangcoc.

“A peste suína africana foi encontrada na Tailândia, porque nós a encontramos”, disse Nattavut à Reuters na noite de sexta-feira, acrescentando que a universidade havia enviado o resultado da autópsia do porco ao Departamento de Desenvolvimento Pecuário da Tailândia no mês passado.

Ele acrescentou que o proprietário tinha dois outros porcos em miniatura na mesma casa que também morreram mais tarde. A descoberta da universidade segue a crescente especulação de que um surto de peste suína africana já está dizimando os rebanhos suínos tailandeses, com os preços dos suínos subindo devido à oferta mais baixa neste ano.

Continuar lendo AUTORIDADES PECUÁRIAS DA TAILÂNDIA IRÃO INVESTIGAR SOBRE PESTE SUÍNA NO PAÍS

SEGUNDO MINISTRO DA CULTURA DA ÁFRICA DO SUL, A CHAVE DA CELA QUE FOI OCUPADA POR NELSON MANDELA SERÁ DEVOLVIDA AO PAÍS EM VEZ DE LEILOADA NOS EUA

África do Sul impede leilão da chave da cela de Mandela

Ministro da Cultura sul-africano solicitou a devolução do objeto, que seria leiloado no próximo dia 28 nos EUA

INTERNACIONAL

 Da Ansa

Mandela passou 27 anos detido por lutar contra o regime segregacionista do apartheid

ALBERT OLIVE / EFE

O ministro da Cultura da África do Sul, Nathi Mthethwa, informou que a chave da cela da prisão que foi ocupada pelo ex-presidente Nelson Mandela (1918-2013) será devolvida ao país em vez de ser leiloada nos Estados Unidos.

O leilão estava agendado para acontecer no dia 28 de janeiro, em Nova York. Segundo Mthethwa, o objeto “pertence ao povo da África do Sul”, e a casa de leilões Guernsey teria concordado em enviar a chave de volta.

“A chave simboliza a dolorosa história da África do Sul, ao mesmo tempo que representa o triunfo do espírito humano sobre o mal”, informou o ministro em um comunicado.

Mandela, que liderou a luta contra o apartheid, o regime segregacionista da minoria branca do país, passou 27 anos na cadeia. A chave que seria leiloada era de uma cela ocupada pelo ex-presidente na Ilha Robben, perto da Cidade do Cabo, onde ele passou 18 desses anos.

Mthethwa também informou que a Guernsey decidiu interromper a venda de outros itens que pertenciam a Mandela, como pinturas, uma bicicleta ergométrica e uma raquete de tênis.

Continuar lendo SEGUNDO MINISTRO DA CULTURA DA ÁFRICA DO SUL, A CHAVE DA CELA QUE FOI OCUPADA POR NELSON MANDELA SERÁ DEVOLVIDA AO PAÍS EM VEZ DE LEILOADA NOS EUA

EM CRUZEIRO, TURISTAS RECLAMAM DA FALTA DE INFORMAÇÃO SOBRE CASOS CONFIRMADOS DE COVID-19 E A CORRERIA EM BUSCA DE COMIDA

Por Natuza Nery

 

Anvisa recomenda ao governo suspender temporada de cruzeiros

Depois de quase dois anos, foram liberadas as primeiras viagens de cruzeiro no Brasil. Milhares de turistas embarcaram atrás de dias de descanso e lazer, mas acabaram presos dentro de cabines. Um deles é o empresário Maxwell Rodrigues, apresentador do programa Porto 360 Graus, da TV Tribuna, afiliada da Globo em Santos. Em entrevista a Natuza Nery, ele relata as falhas de comunicação a bordo do navio Costa Diadema: desde a falta de contato após a realização do teste de Covid até o “silêncio ensurdecedor” sobre as informações de casos confirmados entre tripulação e passageiros. Ele recorda também como, ao atracar na costa de Salvador, os turistas receberam a notícia de testes positivos de coronavírus no navio pela imprensa. “Depois do anúncio do lockdown, começou a correria em busca de comida”. Participa também deste episódio a pesquisadora em saúde Chrystina Barros, integrante do Grupo Técnico de Enfrentamento à Covid da UFRJ. É ela quem explica por que, mesmo no caso de as operadoras de turismo terem cumprido à risca os protocolos, não há como evitar novos casos dentro dos navios: “Não dá para conter, é uma realidade aumentada da sociedade”. E aponta que a ômicron e eventuais novas variantes tornam imprevisível o cenário para a volta dos cruzeiros – a partir da recomendação da Anvisa, a associação de empresas do setor interrompeu as atividades até dia 21 de janeiro.

Fonte: G1

Continuar lendo EM CRUZEIRO, TURISTAS RECLAMAM DA FALTA DE INFORMAÇÃO SOBRE CASOS CONFIRMADOS DE COVID-19 E A CORRERIA EM BUSCA DE COMIDA

LÍDER DA COREIA DO NORTE PROIBIU DEMONSTRAÇÃO DE FELICIDADE POR 11 DIAS NO PAÍS EM MEMÓRIA DA MORTE DO PAI

Kim Jong-un proibiu demonstrações de felicidade por 11 dias na Coreia

Líder também vetou consumo de bebidas alcoólicas no país no período de luto, em memória aos dez anos da morte do pai

INTERNACIONAL

 Do R7

Ditador da Coreia do Norte proíbe manifestações de felicidade no país

KCNA VIA REUTERS – 24.3.2021

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, proibiu qualquer manifestação de felicidade no país por 11 dias. Também vetou o consumo de bebidas alcoólicas e atividades de lazer no período de luto, em memória aos dez anos da morte do pai, Kim Jong-il.

De acordo com informações do jornal britânico The Guardian, o ditador norte-coreano aparece em um vídeo impondo as restrições à população. Segundo o tabloide Daily Mail, “nas imagens transmitidas pela KCTV, Kim Jong-un foi visto curvando-se diante de um grande retrato de seu pai, de pé em uma plataforma com vista para o que pareciam ser milhares de pessoas no terreno do palácio”. As bandeiras também estão a meio mastro.

A data exata da morte de Kim Jong-il é 17 de dezembro. Nesse dia, ainda segundo o The Guardian, as pessoas foram proibidas até mesmo de fazer compras.

Por 11 dias, a população da Coreia do Norte está proibida de demonstrar qualquer ato público de felicidade. Não é permitida a comemoração nem do próprio aniversário. Atividades de lazer e consumo de bebidas alcoólicas também foram vetados.

Fonte: R7

Continuar lendo LÍDER DA COREIA DO NORTE PROIBIU DEMONSTRAÇÃO DE FELICIDADE POR 11 DIAS NO PAÍS EM MEMÓRIA DA MORTE DO PAI

VARIEDADES: SAIBA A ORIGEM DO TRADICIONAL PASTEL COM CALDO DE CANA

Por Vivian Souza, g1
 
Pastel e caldo de cana — Foto: Marcelometal on VisualHunt

Pastel e caldo de cana — Foto: Marcelometal on VisualHunt

O pastel com caldo de cana é tradição nas feiras livres, principalmente nas paulistanas. A massa tem ligação com a presença de imigrantes japoneses em São Paulo nos anos 40; a bebida, por sua vez, era produzida desde o século 16 no país e consumida por pessoas negras escravizadas nos engenhos de cana-de-açúcar.

Com histórias longevas, os dois alimentos movimentam o agronegócio brasileiro até hoje com seus ingredientes. A cana-de-açúcar, por exemplo, é utilizada tanto para a garapa quanto para a cachaça (que, além de ser apreciada sozinha, dá a crocância em receitas como a do pastel).

Ela teve o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021 estimado em R$ 1,119 trilhão, 9,9% maior em comparação ao do ano passado.

Em termos nutricionais, no entanto, apesar de os sabores combinarem, uma comida acaba anulando os benefícios da outra. O pastel, por ser frito, estimula a produção de radicais livres, que geram substâncias tóxicas no organismo, enquanto a garapa tem função antioxidante (entenda mais abaixo).

Veja nesta reportagem:

  1. Onde o agronegócio entra nessa história
  2. Quais vantagens e desvantagens do consumo
  3. Como a combinação conquistou o brasileiVersão brasileira do pastel usa adaptação dos ingredientes chineses. — Foto: Arte / g1

Versão brasileira do pastel usa adaptação dos ingredientes chineses. — Foto: Arte / g1

Pastel como ‘disfarce’

Existem duas teorias sobre como o pastel chegou ao Brasil.

primeira é que ele teria vindo com os europeus, principalmente os portugueses, por causa das pastelarias.

Contudo, nesses lugares, os produtos feitos, em maioria, são doces — caso do próprio pastel de Belém — e, por isso, não têm tanta influência no que conhecemos como pastel de feira, afirma a professora de Gastronomia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) São Paulo Márcia Yukie Ikemoto.

Por outro lado, a fogazza, pastel italiano feito com massa de pizza, se aproxima mais do conceito brasileiro, porém, ainda assim, não envolve a fritura, já que o prato é assado.

A segunda teoria é que a iguaria se difundiu no Brasil com os japoneses, apesar de ter sido desenvolvida pelos chineses.

Nessa versão, o pastel foi uma adaptação dos pratos guioza e rolinho primavera no Brasil, usando ingredientes locais, daí a troca da farinha de arroz pela de trigo e do vinagre e do saquê pela cachaça.

“Lá para a década de 1940, a gente tem com os japoneses o problema da Segunda Guerra Mundial. Porque o Japão se aliou à Alemanha, ficando malvisto aqui. Aí os japoneses têm que começar a se ‘disfarçar’ de chineses”, narra a professora.

Esses imigrantes, então, que não foram para o campo, usaram o pastel, uma receita chinesa, como parte do seu ‘disfarce’ e também para conseguir uma rendaNo Brasil, a receita do pastel ganhou diversidade de recheios — Foto: Divulgação

No Brasil, a receita do pastel ganhou diversidade de recheios — Foto: Divulgação

Diferente das demais iguarias asiáticas, o pastel, por ter ingredientes mais comuns aos brasileiros, começou a fazer sucesso e foi crescendo:

“E vai do litoral de Santos, por onde esses imigrantes chegaram, e foi se espalhando para a cidade de São Paulo, depois a gente vê atingindo Rio de Janeiro e Belo Horizonte, lá para 1950. Na década de 60, começa a atingir o Sul do país”.

A princípio, o recheio do pastel era uma mistura de carne de porco com a bovina, mas, conforme foi se tornando popular, isso também se “abrasileirou”. As proteínas foram separadas e depois vieram outros sabores. Em Minas Gerais, o famoso queijo. Hoje em dia encontram-se até doces, como Romeu e Julieta.

‘Casamento’ por acaso

A cana, muito mais antiga no Brasil do que o pastel, começou a ser cultivada em engenhos ainda em 1516. Nessas plantações, as pessoas negras que foram escravizadas consumiam o caldo da cana, inclusive porque ele tem um potencial energético, explica Maurício Lopes, professor de Gastronomia da Universidade Anhembi Morumbi.

A bebida era oferecida pelos próprios senhores de engenho, durante a moagem da cana, que exigia muitas horas de trabalho, aponta a professora especialista em história social da escravidão Maria Helena Machado, da Universidade de São Paulo (USP).

Com o tempo, a garapa também foi se popularizando e, assim como os demais sucos, começou a ser comercializada nas feiras livres.

Caldo de cana começa no Brasil ainda nos engenhos — Foto: Second-Half Travels on VisualhuntCaldo de cana começa no Brasil ainda nos engenhos — Foto: Second-Half Travels on Visualhunt

Em paralelo, o pastel, que nasce em lanchonetes, também chega a esse comércio quando os imigrantes japoneses, principalmente os produtores do campo, recorrem às feiras para ter uma relação mais direta com os clientes, relata Márcia.

Daí para a combinação ser feita foi apenas uma questão de alguém comprar a bebida e o alimento, achar a combinação saborosa e recomendar para outras pessoas, diz Lopes.

Equação zerada

Quem nunca trocou o almoço pelo pastelzinho da feira com o caldo de cana? Apesar de ser saborosa, a substituição feita com frequência não é recomendada pela médica nutróloga Valéria Goulart.

“O pastel, do ponto de vista de saúde, não é nada interessante. Porque geralmente (os feirantes) usam aqueles óleos que ficam ali liberando substâncias até cancerígenas, que são esses óleos vegetais saturados que vão liberando gordura trans”, diz.

Além disso, essa gordura diminui o colesterol bom, eleva o ruim e estimula a produção de radicais livres, que são substâncias químicas tóxicas.

Com isso, o alimento acaba até anulando os benefícios do caldo de cana, que reduz os níveis de radicais livres, devido à sua característica antioxidante.

A garapa é considerada um combo de nutrientes, rica também em fósforo, magnésio, sódio, ferro, carboidratos e vitaminas. Um dos seus benefícios mais comuns é o efeito energético, gerado por causa do açúcar. Por isso o caldo é recomendado durante e após exercícios intensos.

Para quem sofre com o intestino preso, a garapa também pode ser uma aliada, pois ela ajuda a melhorar a função hepática do fígado, que produz a bilirrubina, que, por sua vez, ajuda misturar as gorduras, o que acaba tendo um efeito laxante e alivia dores intestinais.

As outras vantagens vão desde função calmante, ajudando a amenizar o estresse, à proteção do sistema neuronal, que previne doenças degenerativas, como o Mal de Parkinson.

Continuar lendo VARIEDADES: SAIBA A ORIGEM DO TRADICIONAL PASTEL COM CALDO DE CANA

OS MONUMENTOS BRASILEIROS REPRESENTAM A MEMÓRIA DA SOCIEDADE DO PAÍS

Qual é o papel dos monumentos para a memória da história no Brasil

Neste episódio do podcast Entre Vozes, Luciana Barreto revela como estátuas costumam refletir versões discutíveis de personagens e acabam ignorando outras

Da CNN Brasil*

Em São Paulo

Qual é o papel dos monumentos para a memória da história no Brasil | CNN Brasil

Os monumentos representam a memória da nossa sociedade. Através deles, conhecemos as histórias que foram deixadas por quem teve o poder de construir uma narrativa e consolidá-la ao longo do tempo. Mas, muitas vezes, esses tributos apresentam apenas uma versão da história, isso porque as pessoas, culturas e lugares possuem diferentes interpretações, a depender do ponto de vista de quem descreve os acontecimentos.

Neste episódio do Entre Vozes, Luciana Barreto revela detalhes de como nasceu “o mito dos Bandeirantes” e como os livros e monumentos históricos buscaram perpetuar a versão de que eles eram heróis desbravadores – algo que, hoje, é motivo de contestação. Para isso, convidamos a historiadora e feminista negra Angélica Ferrarez de Almeida, que há anos realiza pesquisas sobre temas como raça, memória e patrimônio. Ela nos ajuda a entender a importância de também se debater quais monumentos o Brasil deixou de erguer ao longo da história, e como isso contribui para a invisibilização de personagens importantes do país.

Além de Angélica, o episódio conta também com a participação de Cássia Caneco, educadora que coordenou um levantamento realizado em São Paulo, que tinha como objetivo verificar quantos monumentos existiam na cidade e a quem eles eram dedicados. Segundo ela, o resultado não surpreende: “Dos 367 monumentos que São Paulo tinha até setembro de 2020, só cinco homenageavam pessoas negras”.

Continuar lendo OS MONUMENTOS BRASILEIROS REPRESENTAM A MEMÓRIA DA SOCIEDADE DO PAÍS

INDIANO CONSTRÓI RÉPLICA DO TAJ MAHAL COMO PROVA DE AMOR À ESPOSA E COMO MENSAGEM DE PAZ AO SEU PAÍS

Indiano constrói cópia do Taj Mahal como prova de amor à esposa

Obra um terço menor que o monumento original é fruto de três anos de trabalho e custou o equivalente a R$ 1,1 milhão

INTERNACIONAL

 por AFP

Indiano constrói cópia do Taj Mahal como prova de amor à esposa - Notícias - R7 Internacional

Um indiano construiu uma réplica do Taj Mahal, símbolo universal do amor eterno, em Burhanpur, no centro do país, como prova de amor por sua esposa e também como uma mensagem de paz ao seu país.

“Queremos enviar uma mensagem de paz e harmonia religiosa”, disse à AFP Anand Prakash Chouksey.

“Há muito ódio ao nosso redor”, continuou. “O amor resolve todos os problemas da vida e o Taj Mahal é um símbolo”.

Essa obra-prima arquitetônica da arte indo-islâmica, principal atração turística do país, foi construída em Agra, no século XVII por iniciativa do imperador mogol Shah Jahan para eternizar a memória de Mumtaz, sua esposa favorita falecida.

A esposa de Anand Prakash Shuksey, por sua vez, está viva e opinou sobre a edificação do palácio, um terço menor que o Taj Mahal, localizado a 800 quilômetros dali.

“Minha esposa só pediu uma sala de meditação. É uma mulher piedosa”, explica. “Segundo ela, a cúpula possui uma atmosfera diferente e muita energia positiva”, acrescenta.

Sua reprodução foi fruto de três anos de trabalho, 16 anos a menos que o mausoléu que a inspirou.

Segundo o marido, essa fantasia sentimental custou mais de 15 milhões de rupias (cerca de R$ 1,1 milhão).

Poema de amor ao mármore

O Taj Mahal resplandece em Agra, às margens do rio Yamuna, como “uma lágrima pura e solitária (…) no rosto do tempo”.

Esses são versos do Nobel indiano da literatura Rabindranath Tagore (em tradução livre), dedicados ao monumento, um verdadeiro poema de amor ao mármore.

“Usamos mármore de Makrana para construir o edifício”, o mesmo material em o Taj Mahal foi projetado”, explicou Chouskey, que planeja erguer a bandeira indiana no topo da cúpula principal.

Ele não estará totalmente satisfeito até que faça os símbolos das religiões mais populares da Índia aparecerem nos minaretes erguidos nas quatro pontas de seu palácio de Burhanpur.

Mumtaz morreu nessa mesma cidade, dando à luz seu 14º filho em junho de 1632, depois de ter acompanhado Shah Jahan para reprimir uma revolta local.

“Naquela época, a estrutura do solo não permitia construir o Taj Mahal aqui, por isso foi construído em Agra”, onde Shah Jahan e Mumtaz descansam lado a lado, afirmou.

Fonte: R7
Continuar lendo INDIANO CONSTRÓI RÉPLICA DO TAJ MAHAL COMO PROVA DE AMOR À ESPOSA E COMO MENSAGEM DE PAZ AO SEU PAÍS

CERCA DE 52 COORDENADORES E CONSULTORES DA CAPES PEDEM RENÚNCIA COLETIVA DOS CARGOS

Por g1 — São Paulo

 

52 coordenadores e consultores da Capes pedem renúncia coletiva dos cargos
52 coordenadores e consultores da Capes pedem renúncia coletiva dos cargos

Um grupo de 6 coordenadores e 46 consultores da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) pediu renúncia coletiva de seus cargos nesta segunda-feira (29).

Órgão ligado ao Ministério da Educação, a Capes é responsável por avaliar os programas de pós-graduação de mestrado e doutorado no país, autorizando ou não o seu funcionamento.

Os pesquisadores que pediram para serem desligados são das áreas de Matemática, Probabilidade e Estatística e de Física e Astronomia.

Em uma carta aberta enviada à direção da Capes, os servidores atribuem a sua decisão à falta de apoio e respaldo ao trabalho deles.

O documento ainda lista outros motivos, como a falta de ação da Capes para a retomada da avaliação quadrienal, que está paralisada por uma decisão judicial liminar.

Ao g1, pesquisadores também apontaram mudança na prioridade da direção da entidade ao, segundo eles, se preocupar mais com a abertura de novos cursos à distância do que com a avaliação dos que estão hoje em funcionamento (veja mais abaixo).

A reportagem procurou a autarquia, mas até a última atualização desta reportagem não havia obtido retorno.

Num primeiro momento, três coordenadores de matemática e 28 consultores renunciaram a seus cargos. Em seguida, outros 3 coordenadores e 18 pesquisadores de física se juntaram ao grupo.

Entenda a importância das avaliações

Os coordenadores de área da Capes são responsáveis pela avaliação de cursos de mestrado e doutorado. As avaliações englobam tanto a proposta de novos cursos, chamada de Apresentação de Propostas de Cursos Novos (APCN), quanto a permanência daqueles que já integram o Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG).

avaliação quadrienal é a realizada periodicamente pelas coordenações de área para verificar se os cursos terão reconhecimento renovado para continuar funcionando até a próxima avaliação.

Avaliação quadrienal paralisada e fim de mandato

Em 22 de setembro, o Ministério Público Federal (MPF) conseguiu uma liminar concedida pela Justiça Federal que suspendia imediatamente a avaliação quadrienal dos programas de pós stricto sensu (mestrado e doutorado) em andamento.

O MPF argumenta que apurou ilícitos nos critérios adotados pela Capes no ranqueamento dos programas de pós no Brasil e nas normas usadas para a concessão de bolsas.

A Procuradoria pediu ainda que a Capes apresentasse, em 30 dias, a relação completa dos “critérios de avaliação”, “tipos de produção/estratos” e as “notas de corte” utilizados para avaliar os cursos.

De acordo com os pesquisadores ouvidos pelo g1, a entidade não entrou com recurso no tempo hábil e se manifestou apenas cerca de dois meses após a liminar passar a valer, mantendo o processo avaliatório paralisado nesse período.

Diante desse cenário, os demissionários afirmam que as avaliações que estavam sendo feitas pelos coordenadores e consultores não serão finalizadas antes do final do mandato quadrienal atual, previsto para acabar entre o final de abril e começo de maio de 2022.

Segundo o pesquisador Gregório Pacelli, que era coordenador de Matemática, esse foi o principal motivo que levou à renúncia coletiva. “Não temos solução, não temos avaliação. Então, ficar por mais seis meses seria um desgaste”, afirmou.

Mudança de prioridades

O também pesquisador Fernando Lázaro Freire Jr., que ocupava a coordenação da área de Física e Astronomia, afirmou ao g1 que a prioridade da autarquia é a criação de cursos EaD: “A atual direção da Capes não tem a avaliação como uma prioridade e, sim, a abertura de novos cursos, especialmente aqueles da modalidade de ensino à distância, para todas as áreas”.

A questão também foi apontada na carta assinada pelos demissionários. Além do curto prazo estabelecido para avaliar os parâmetros de cursos para as 49 áreas, “o EaD definitivamente não é a modalidade de ensino dos melhores programas de pós-graduação no mundo”.

Coordenadores e consultores demissionários

De acordo com Gregório Pacelli, os coordenadores não possuem vínculo com a Capes. Eles são eleitos entre si e não há compensação financeira pelos serviços prestados. Uma vez que a renúncia seja oficializada no Diário Oficial da União, os coordenadores permanecem nas instituições com as quais possuem vínculo.

Os consultores, por sua vez, precisam assinar termos de confidencialidade com a autarquia, mas também não possuem vínculo profissional, e foram eleitos pelo Conselho Técnico-Científico da Educação Superior para ocupar os cargos em questão.

São eles:

Coordenadores de matemática

  1. Gregório Pacelli Feitosa Bessa
  2. Roberto Imbuzeiro Moraes Felinto de Oliveira
  3. Sandra Augusta Santos

Consultores da área Matemática

  1. Alexandre Loureiro Madureira
  2. Alexandre Tavares Baraviera
  3. Antônio Carlos Gardel Leitão
  4. Carlos Hoppen
  5. César Javier Niche Mazzeo
  6. Daniel Marinho Pellegrino
  7. Diego Ribeiro Moreira
  8. Dimitar Kolev Dimitrov
  9. Edgard Pimentel
  10. Eduardo de Siqueira Esteves
  11. Elias Alfredo Gudiño Rojas
  12. Elias Salomão Helou
  13. Gabriela Del Vale Planas
  14. Glaydston de Carvalho Bento
  15. Gregório Manoel Silva Neto
  16. Hedibert Freitas Lopes
  17. Jaqueline Godoy Mesquita
  18. João Xavier da Cruz Neto
  19. Klaus Leite Pinto Vasconcellos
  20. Márcio Gomes Soares
  21. Marcos Oliveira Prates
  22. Maria Amélia Salazar Pinzón
  23. Maria Aparecida Soares Ruas
  24. Pablo Braz e Silva
  25. Paolo Piccione
  26. Paulo Alexandre de Souza
  27. Paulo José da Silva e Silva
  28. Plamen Emilov Koshlukov

Coordenadores de Física

  1. Fernando Lázaro Freire Jr.
  2. Alberto Saa
  3. Rubem Sommer

Consultores da área Física

  1. Alex Antonelli,
  2. Ângela Burlamaqui Klautau
  3. Antonio Gomes de Souza Filho
  4. Anderson Stevens Leonidas Gomes
  5. Antonio Zelaquett Khoury
  6. Francisco Anacleto Barros Fidelis de Moura
  7. George Emanuel Avraam Matsas
  8. Leandro Salazar de Paula
  9. Marco Cremona
  10. Marcos Gomes Eleutério da Luz
  11. Pedro Luis Grande
  12. Renata Zukanovich Funchal
  13. Roberto Cid Fernandes Junior
  14. Roberto Vieira Martins
  15. Rodrigo Gribel Lacerda
  16. Saulo Carneiro de Souza Silva
  17. Tobias Frederico
  18. Valtencir Zucolotto

Fonte: CNN

Continuar lendo CERCA DE 52 COORDENADORES E CONSULTORES DA CAPES PEDEM RENÚNCIA COLETIVA DOS CARGOS

PRESIDENTE DA ÁFRICA DO SUL CRITICOU A POSTURA DE NAÇÕES EUROPEIAS E CONTINENTE AMERICANO POR FECHAMENTO DAS FROTEIRAS PARA O PAÍS

África do Sul questiona fechamento de fronteiras por variante Ômicron

Para o presidente Cyril Ramaphosa, restrições aplicadas a países africanos estão em desacordo com compromissos firmados no G20

INTERNACIONAL

Do R7, com EFE

Cyril Ramaphosa, presidente da África do Sul

TOBIAS SCHWARZ/REUTERS – 27.9.2021

O presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, criticou neste domingo (28) a postura adotada por nações europeias e do continente americano que fecharam as fronteiras para países da África após a descoberta da Ômicron, nova variante do coronavírus.

“Estamos profundamente decepcionados com a decisão de vários países de proibir viagens de países do sul da África, incluindo o nosso, após a identificação da variante Ômicron”, disse Ramaphosa.

Além disso, o presidente destacou que o isolamento do continente africano está em desacordo com o compromisso firmado no G20. “Este é um afastamento claro e completamente injustificado do compromisso que muitos desses países assumiram na reunião dos países do G20, em Roma, no mês passado”, disse.

O ministro da Saúde da África do Sul, Joe Phaahla, criticou na sexta-feira (26) a resposta internacional à detecção da nova variante. Em entrevista coletiva concedida de maneira virtual, o integrante do governo admitiu que o medo e a preocupação são “esperados”, mas que “parte da reação é injustificada”.

“Eu me refiro aqui, especificamente, à reação dos países da Europa, o Reino Unido e outros”, afirmou Phaahla. “Sentimos que é o enfoque incorreto, na direção equivocada, que vai contra as normas aconselhadas pela OMS [Organização Mundial da Saúde]. Achamos que os líderes de alguns países estão encontrando bodes expiatórios para lidar com aquilo que é um problema mundial”, completou.

Continuar lendo PRESIDENTE DA ÁFRICA DO SUL CRITICOU A POSTURA DE NAÇÕES EUROPEIAS E CONTINENTE AMERICANO POR FECHAMENTO DAS FROTEIRAS PARA O PAÍS

FRANÇA DETECTOU SURTO DE GRIPE AVIÁRIA EM GRANJA NO NORTE DO PAÍS

França passa por primeiro surto de gripe aviária deste ano

O Ministério da Agricultura francês declarou que o país perdeu a classificação de “livre” da gripe aviária

INTERNACIONAL

 por AFP

Desde o final do verão, a França já havia declarado quatro casos de gripe aviária

REPRODUÇÃO/PEXELS

A França detectou um surto de gripe aviária em uma granja no norte do país, o primeiro foco a ser detectado desde a epidemia que ocorreu no inverno passado, anunciou o Ministério da Agricultura neste sábado (27).

Como consequência, a França perde sua classificação de “livre” da gripe aviária, declarou o ministério à AFP. Isso pode afetar a exportação de suas aves de criação.

“Enquanto os vírus da gripe aviária circulam ativamente na Europa por meio das aves migratórias, a França detectou em 26 de novembro um foco da cepa altamente patogênica em uma granja de galinhas poedeiras no município de Warhem”, disse o ministério em um comunicado.

A suspeita de infecção ocorreu devido a uma constatação de mortalidade anormal entre as aves.

Desde o final do verão, a França já havia declarado quatro casos de gripe aviária na fauna selvagem e três casos em andamento no território metropolitano.

Continuar lendo FRANÇA DETECTOU SURTO DE GRIPE AVIÁRIA EM GRANJA NO NORTE DO PAÍS

PRESIDENTE DA UCRÂNIA AFIRMOU QUE ESTÁ SENDO PREPARADO UM GOLPE DE ESTADO NO PAÍS

Presidente da Ucrânia denuncia possível tentativa de golpe no país

Segundo Volodimir Zelenski, grupos estariam planejando derrubar seu governo na próxima semana; Rússia nega envolvimento

Zelenski disse a jornalistas que há um plano para um golpe de Estado na Ucrânia

PRESIDÊNCIA DA UCRÂNIA / DIVULGAÇÃO VIA EFE – EPA – 26.11.2021

O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, afirmou nesta sexta-feira (26) que recebeu a informação de que está sendo preparada uma tentativa de golpe de Estado no país, programado para a próxima semana.

“Tenho informação de que, em 1º de dezembro, teremos um golpe de Estado. Acho que é uma informação interessante”, disse o chefe de governo, diante de um grupo de jornalistas nacionais e estrangeiros.

“Acredito que seja uma operação para envolvê-lo em uma guerra contra a Ucrânia. Seria um grande erro, porque não se pode lutar contra seu próprio povo e contra um presidente eleito pelos cidadãos”, afirmou o chefe de governo.

Zelenski afirmou que não acredita que um golpe de Estado tenha êxito e garantiu não ter planos de fugir do país.

Pouco antes, o presidente já havia garantido que a Ucrânia está preparada para um eventual aumento de hostilidades com a Rússia, em meio a movimentação militar na região fronteiriça do Donbass, e garantiu ter plena convicção no Exército do país que lidera.

“Controlamos plenamente nossas fronteiras e estamos preparados para uma possível escalada”, garantiu Zelenski.

A imprensa dos Estados Unidos veiculou no fim de semana que a Rússia estaria planejando um ataque contra a Ucrânia para o início do próximo ano, com cerca de 100 grupos táticos que reuniriam cerca de 100 mil homens.

Kremlin nega envolvimento

O governo da Rússia negou nesta sexta-feira qualquer envolvimento com supostos planos de um golpe de Estado na Ucrânia, que foram revelados mais cedo pelo presidente do país, Volodimir Zelenski.

“A Rússia nunca faz essas coisas”, garantiu o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em entrevista coletiva diária.

Continuar lendo PRESIDENTE DA UCRÂNIA AFIRMOU QUE ESTÁ SENDO PREPARADO UM GOLPE DE ESTADO NO PAÍS

OPOSIÇÃO NO CONGRESSO AO ATUAL GOVERNO DO PERU FORMALIZOU PEDIDO DE IMPEACHMENT AO PRESIDENTE DO PAÍS

Peru: Congresso formaliza pedido de impeachment contra presidente

Oposição conseguiu a assinatura de 28 parlamentares para iniciar destituição do recém-empossado Pedro Castillo

Pedro Castillo está no comando do Peru há menos de quatro meses

SEBASTIAN CASTANEDA/REUTERS – 8.6.2021

A bancada de oposição no Congresso ao atual governo do Peru formalizou nesta quinta-feira (25) um pedido de impeachment do presidente do país, o esquerdista Pedro Castillo, por “incapacidade moral permanente”.

A moção foi protocolada pela terceira vice-presidente do Congresso, a direitista Patricia Chirinos, com 28 assinaturas, duas a mais do que o mínimo exigido pela lei peruana para que pudesse ser discutida em primeira instância.

Para que o pedido avance no Congresso, são necessários 52 votos a favor, e para que haja o impeachment do presidente, são necessários os votos favoráveis de 87 dos 130 parlamentares.

Apoio da direita

O documento foi assinado por políticos dos partidos de direita Renovação Popular, Avança País e Força Popular, liderados por Keiko Fujimori, que em junho perdeu sua terceira eleição presidencial consecutiva — e daquela vez para o próprio Castillo.

Entre os argumentos para a “incapacidade moral” de Castillo está uma suposta utilização ilegal de recursos para a campanha eleitoral deste ano enquanto representava o partido marxista Peru Livre, do qual se afastou posteriormente.

Além disso, o texto destaca que ele nomeou como funcionários pessoas “vinculadas com terrorismo e acusadas de apologia ao terrorismo” e com o crime de tráfico de influências nas promoções de militares e chefes da Sunat (Superintendência Nacional Aduaneira e de Administração Tributária).

O pedido de impeachment alega um “enfraquecimento do sistema democrático” do país, “fortalecendo as relações com governos antidemocráticos como o da Venezuela e endossando a intervenção de personalidades estrangeiras nos assuntos internos”, incluindo o ex-presidente boliviano Evo Morales.

Os signatários acrescentam que durante o governo Castillo, que começou em 28 de julho, houve um “enfraquecimento da liberdade de expressão”, assim como “tratamento ruim à imprensa e recusa de prestar contas à sociedade”, e uma “permissibilidade à violência contra as mulheres”.

Posição do governo

Embora a apresentação do pedido de impeachment ainda não tenha sido respondida pelo governo, na semana passada a primeira-ministra Mirtha Vásquez declarou que a iniciativa poderia representar um ataque “contra a vontade do povo e, portanto, contra a democracia”. Ela enviou uma carta ao presidente do Congresso para expressar sua preocupação.

A vice-presidente peruana, Dina Boluarte, que também é ministra de Desenvolvimento e Inclusão Social, pediu ao Congresso para “refletir a fim de trabalhar por um país unido” e garantiu que o governo “não recebeu um minuto de descanso”.

Castillo, por sua vez, desafiou na terça-feira os congressistas da oposição que estão promovendo seu impeachment para que exijam nas ruas e praças a destituição dele, “e não a quatro paredes”.

Continuar lendo OPOSIÇÃO NO CONGRESSO AO ATUAL GOVERNO DO PERU FORMALIZOU PEDIDO DE IMPEACHMENT AO PRESIDENTE DO PAÍS

BIDEN PROÍBE AUTORIDADES DA NICARÁGUA DE ENTRAREM NOS EUA

Estados Unidos proíbem entrada de autoridades da Nicarágua no país

Decreto de Joe Biden é resposta ao pleito nicaraguense que elegeu Daniel Ortega à Presidência pela quarta vez consecutiva

Comunidade internacional acusa Daniel Ortega de manipulação das eleições

CESAR PEREZ/AFP – 8.11.2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, proibiu nesta terça-feira (16) que membros do governo da Nicarágua entrem nos Estados Unidos, em resposta a um processo eleitoral considerado pelos americanos fraudado em favor do presidente nicaraguense, Daniel Ortega.

A proibição de Biden se aplica a todas as “autoridades eleitas”, incluindo aparentemente Ortega e a esposa, a vice-presidente Rosario Murillo, além de membros das forças de segurança, juízes, prefeitos e outros vistos como ameaça à democracia no país centro-americano.

“Os atos abusivos e repressivos do governo Ortega e daqueles que o apoiam levam os Estados Unidos a agir”, disse Biden em um decreto.

O decreto do presidente Biden se dá apenas um dia depois que os Estados Unidos, o Reino Unido e o Canadá impuseram sanções às autoridades nicaraguenses em resposta à eleição do dia 7 de novembro, classificada por muitos países de farsa.

As ações foram tomadas após a reeleição de Ortega para um quarto mandato consecutivo, na sequência de uma campanha em que sete rivais políticos foram presos e houve grande repressão à imprensa.

Ortega, um ex-líder marxista de guerrilha, chama os críticos americanos de “imperialistas ianques” e os acusa de tentar prejudicar o processo eleitoral da Nicarágua. Cuba, Venezuela e Rússia ofereceram apoio a Ortega.

Sanções anteriores, como congelamentos de ativos e proibições de viagens a certas autoridades da Nicarágua, impostos por Biden e por Donald Trump, não conseguiram dissuadir Ortega, e muitos analistas estão céticos quanto ao impacto das novas medidas.

Continuar lendo BIDEN PROÍBE AUTORIDADES DA NICARÁGUA DE ENTRAREM NOS EUA

ORTEGA VOLTOU AOS HOLOFOTES DA IMPRENSA MUNDIAL APÓS POLÊMICAS ENVOLVENDO AS ELEIÇÕES DO PAÍS

Nicarágua: a polêmica trajetória do presidente Daniel Ortega

Guerrilheiro na revolução da década de 1970, o político venceu sua quarta eleição na semana passada, com sete opositores presos

INTERNACIONAL

 Lucas Ferreira, do R7

Daniel Ortega e Rosario Murillo foram reeleitos em 2021 com 75% dos votosDaniel Ortega e Rosario Murillo foram reeleitos em 2021 com 75% dos votos CESAR PEREZ/PRESIDÊNCIA NICARAGUENSE/AFP – 8.11.2021

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, voltou aos holofotes da imprensa mundial nas últimas semanas após uma série de polêmicas envolvendo as eleições do país, que resultaram, no último domingo (7), no quarto mandato consecutivo do governante à frente da nação.

Países como Cuba, Rússia e Venezuela parabenizaram a reeleição de Ortega, enquanto Estados Unidos, União Europeia e outras nações apontaram uma possível fraude no processo eleitoral, no qual sete candidatos opositores foram presos nos últimos meses da corrida presidencial.

O analista internacional Gabriel Pimenta, em conversa com o R7, explicou que os interesses dos países em relação à Nicarágua, sejam eles políticos, sociais ou econômicos, podem ditar de qual lado cada governo pode ficar, a favor ou contra Ortega.

“Esse tema envolve valores, mas sobretudo, envolve interesses. Alguns países que hoje apoiam o governo Ortega, que não viram problemas nesse processo eleitoral, eles não só têm um vínculo pessoal, identitário, particular, partidário com Ortega. Eles têm alguns interesses específicos naquilo que a Nicarágua pode fazer, especialmente no sistema norte-americano.”

Pimenta deu como exemplo a Rússia, que não tem um governo de esquerda, mas entende que a proximidade geográfica da Nicarágua, situada na América Central, pode exercer uma pressão migratória nos vizinhos norte-americanos.

“A Nicarágua, apesar dos problemas institucionais, ainda é um país estável para a vizinhança. […] Apesar de haver um certo êxodo das pessoas saindo da Nicarágua, ainda não é tão grande como poderia ser. E caso ele se intensifique, essas pessoas iriam para os Estados Unidos.”

Ascenção ao poder

Ortega chegou ao poder pela primeira vez em 1979, quando o presidente Anastasio Somoza Debayle, que liderou o país em duas oportunidades (1967-1972 e 1974-1979), foi retirado do cargo durante a Revolução Sandinista.

Antes disso, Ortega era um conhecido guerrilheiro, preso repetidas vezes por crimes que incluem um assalto à mão armada a uma filial de um banco norte-americano em solo nicaraguense. Ele foi solto em 1974 junto com outros prisioneiros em troca da liberdade de rivais políticos que haviam sido sequestrados por sandinistas.

Apenas em 1984, cinco anos após os sandinistas tomarem o poder e organizem uma junta governativa apenas com aliados do próprio grupo político, Ortega foi eleito presidente do país. Também na década de 1980, a Revolução Sandinista torna o governo uma frente ampla e aberta a outras vertentes da Nicarágua.

“O termo sandinismo é usado para todos os grupos que evocam a figura do Augusto Sandino, que foi um líder popular da Nicarágua na década de 1930”, explica Pimenta. “É um movimento político ligado à posse da terra pelos trabalhadores da terra, principalmente. Ao contrário de outros movimentos de esquerda que tem origem fabril, sindical urbana, o sandinismo está ligado a esses grupos rurais”.

A queda e o retorno de Ortega

Após a Revolução Sandinista e o processo da construção de uma Constituição na década de 1980, a Nicarágua voltou a realizar eleições com uma maior frequência, que culminaram na derrota de Ortega para Violeta Chamorro, em 1990. Segundo Pimenta, o processo de transição entre governos foi tranquilo e não recebeu críticas da comunidade internacional.

Foi apenas em 2007, 16 anos após deixar o poder, que Ortega voltou a vencer uma eleição presidencial. Para o especialista, tanto a derrota quanto a vitória do guerrilheiro podem ser vistas como uma resposta micro de um movimento amplo da política internacional.

“Existe uma grande mudança que pode explicar tanto a saída de Ortega no início da década de 1990 quanto o retorno dele em 2006, que é o fim da Guerra Fria […] com ideias de viés liberal e capitalista […] e “A Onda Rosa”, que foram as eleições de uma série de governos que iam de uma centro-esquerda, bastante moderada, para uma esquerda mais combativa.”

Segundo Pimenta, o fim da Guerra Fria foi propício para uma reorganização da economia, especialmente na abertura comercial e modernização de regras que envolvem o mercado. Entretanto, a falta de mudanças sociais para a população da Nicarágua fez com que um novo governo de esquerda assumisse o país.

O analista internacional destacou que as eleições de Luíz Inácio Lula da Silva, no Brasil, Michelle Bachelet, no Chile, Néstor Kirchner, na Argentina, e José Mujica, no Uruguai, são outros exemplos da guinada à esquerda na América Latina no início do século.

Enfraquecimento da democracia na Nicarágua

Nicaraguenses protestaram contra governo Ortega em vários países ao redor do mundo

Eleito de maneira justa em 2006, os escândalos nos pleitos que envolvem Ortega começaram em 2016, na corrida pela terceira eleição presidencial consecutiva. Pimenta classificou o atual cenário político da Nicarágua como uma democracia deteriorada.

“Não houve uma revolução ou um golpe. Todos os processos eleitorais foram mantidos no prazo previsto, mas aquilo que a gente pode chamar de qualidade das instituições eleitorais foi piorando substancialmente”, diz Pimenta.

Segundo o analista internacional, os órgãos fiscalizadores nicaraguenses foram comprometidos ao longo do tempo e a relação da Justiça com a disputa eleitoral se estreitou, em um processo chamado de politização de Justiça. Nas eleições deste ano, sete opositores foram presos ao longo da corrida presidencial.

“É interessante notar que essa deterioração passa por um fenômeno que podemos ver em outros lugares, que é a criminalização da competitividade eleitoral. Por exemplo, um governante está no poder, mas na próxima eleição ele tem chance de ser derrotado, então as instituições do judiciário encontram ou desenvolvem acusações criminais contra esse candidato que tem competitividade.”

Pimenta destaca que a judicialização da política é um fenômeno que tem se tornado comum em países não só da América Latina, mas também nas democracias instáveis da Europa.

Eleições de 2021

O pleito deste ano, que causou grande debate internacional, além de mortes e prisões de manifestantes na Nicarágua, não foi visto com bons olhos por Pimenta, que apontou uma série de incoerências com o processo democrático.

“Se tivéssemos que avaliar de 0 a 100, sendo 0 completamente não democrático e 100 completamente democrático, eu diria que estaria na faixa entre 30 e 40”, brinca Pimenta.

Assim como na Venezuela, país no qual se estima que mais de 250 pessoas foram presas por serem opositoras ao governo de Nicolás Maduro, Ortega e o sistema judiciário nicaraguense realizaram detenções de candidatos e manifestantes, erodindo o conceito de liberdade democrática no país..

“Não só houve o encarceramento e acusação criminal de alguns candidatos competitivos, como a relação entre governo Ortega e observadores internacionais foi completamente atribulada, o que significa que já havia o planejamento da alteração das eleições de alguma forma”.

Ortega foi reeleito, ao lado da esposa e vice-presidente Rosario Murillo, com mais de 75% dos votos. De acordo com Pimenta, não há informações confiáveis se as eleições transcorreram sem fraudes, já que os veículos nicaraguenses de notícias também estariam comprometidos pela briga política no país.

Continuar lendo ORTEGA VOLTOU AOS HOLOFOTES DA IMPRENSA MUNDIAL APÓS POLÊMICAS ENVOLVENDO AS ELEIÇÕES DO PAÍS

A CHINA É APONTADA COMO O PAÍS QUE MAIS EMITIU GÁS POLUENTE QUE CONTRIBUIU PARA O AQUECIMENTO GLOBAL

Entenda por que a China é um dos países mais poluidores do mundo

Cenário envolve aspectos como baixo custo de produção, mão de obra barata e menos restrições para a construção de indústrias

INTERNACIONAL

Sofia Pilagallo*, do R7

Uma usina de carvão nos arredores de Zhengzhou, na província de Henan

BBC BRASIL

Um ranking divulgado pelo World Resources Institute (WRI) aponta que, em 2020, a China foi o país do mundo que mais emitiu gases poluentes que contribuem para o aumento do aquecimento global.

O dado não vem como uma grande surpresa, segundo o professor e pesquisador do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Wilson Roseghini, uma vez que muitos produtos disponíveis no mercado vêm com a etiqueta “Made in China” (“Feito na China”).

“Os salários são menores na China e, por conta disso, o país tem mão de obra barata e custo mais baixo para você produzir e terceirizar uma série de serviços. Esse processo ocorreu  sobretudo nas décadas de 80 e 90, quando muitas empresas, principalmente dos Estados Unidos, se instalaram na China para produzir equipamentos e outros insumos para exportar para o restante do mundo. Outra questão é que lá há menos restrições para desapropriar certas áreas e desmatar florestas para construir indústrias”, afirma Roseghini.

O professor ressalta que o cenário atual é um pouco diferente. Hoje, a China é altamente pressionada a produzir de forma mais limpa, devido às mudanças climáticas. Existe também um movimento no sentido de distribuir as forças do mercado internacional. Durante seu mandato, o ex-presidente dos EUA Donald Trump, por exemplo, “repatriou” uma série de empresas norte-americanas, como Samsung e Apple, trazendo-as de volta para o país de origem.

Para Roseghini, a China conseguiria, sim, produzir de forma mais limpa e, ainda assim, manter a economia do país aquecida — mas este é um processo lento e gradual que não acontece do dia para noite. Vale lembrar que se a economia chinesa vai mal, a economia do restante do mundo também vai.

“Nós temos que imaginar, de forma simplificada, dois grandes pesos nessa balança: Estados Unidos e China. De um lado, o país que mais consome no mundo e do outro o que mais produz. Se os Estados Unidos diminuem o consumo, a China quebra. Se a China diminui a produção, os EUA quebram. E, claro, isso é sentido em todas as partes do globo”, diz.

Eis então o grande desafio que se apresenta para a China: manter a economia aquecida enquanto melhora as fontes de energia e tenta racionalizar a produção. O professor acredita que a segunda tarefa é um pouco menos complexa do que a primeira, uma vez que não é do interesse da China que os países parem de consumir produtos chineses. Já a primeira é mais simples de contornar e há algumas medidas que vêm sendo tomadas nesse sentido.

Atualmente, a matriz energética da China é baseada sobretudo no carvão mineral, que é altamente poluidor, além de outros combustíveis fósseis, como carvão vegetal, gás natural e petróleo. De uns anos para cá, no entanto, o país tem investido também em usinas hidrelétricas, uma vez que lá há rios de grande porte, além de energia eólica e na instalação de paineis solares.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Fábio Fleury

Continuar lendo A CHINA É APONTADA COMO O PAÍS QUE MAIS EMITIU GÁS POLUENTE QUE CONTRIBUIU PARA O AQUECIMENTO GLOBAL

OPOSIÇÃO VENEZUELANA DENUNCIA VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS DOS PRESOS DO PAÍS

Denúncias contra governo apontam superlotação de presídios, escassez de alimentos e surto de doenças, entre outras infrações

INTERNACIONAL

por Agência EFE

Famílias de presos também seriam desrespeitadas nas prisões venezuelanasFamílias de presos também seriam desrespeitadas nas prisões venezuelanasMIGUEL GUTIÉRREZ/EFE – 28.3.2018

A oposição venezuelana denunciou nesta terça-feira (9) a “sistemática” violação dos direitos humanos dos presos do país e anunciou que informará a alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, sobre a situação.

O ex-deputado da oposição Williams Dávila afirmou, segundo um comunicado de imprensa, que recentemente os reclusos que estão na sede do Cicpc (Corpo de Investigação Científica, Penal e Criminalística) em Carabobo e em posto de controle policial em Mérida protestaram e entraram em greve devido às “condições insalubres, superlotação e atrasos processuais”.

Dávila lembrou que em meados de junho o governo do presidente Nicolás Maduro anunciou uma comissão para realizar uma “revolução judicial” para resolver a superlotação nos centros de detenção preventiva no prazo de 60 dias, o que “não foi cumprido”.

“A revolução judicial não é mais do que uma tática para fugir da jurisdição do TPI (Tribunal Penal Internacional), cuja investigação já foi decidida pelo procurador do Tribunal, Karim Khan, durante a recente visita à Venezuela”, acrescentou.

A opositora Sandra Flores, que denunciou a superlotação nas prisões, afirmou que o Estado está violando a Convenção Americana dos Direitos Humanos em relação ao respeito à integridade e à vida dos prisioneiros, uma vez que estes são sujeitos a “tortura, tratamento cruel e desumano, e não têm acesso a alimentos, saúde e serviços públicos”.

O ex-deputado Gilber Caro pediu a Bachelet e ao TPI para incluir a situação nas prisões venezuelanas nas investigações.

“As prisões venezuelanas têm sido centros de tortura, tratamento cruel e desumano e onde os direitos humanos são repetidamente violados. Não existe uma política penitenciária séria”, reclamou.

Em 5 de novembro, a ONG OVP (Observatório Venezuelano de Prisões) informou que mais de 600 prisioneiros entraram em greve de fome no Cepra (Centro Penitenciário da Região Andina), no estado de Mérida, para protestar contra “a escassez de alimentos, maus-tratos às famílias dos detentos, surtos de doenças e falta de cuidados médicos”.

A organização detalhou que “a comida dada” aos reclusos “na prisão é insuficiente e, como em outras prisões, o menu diário é sopa de pão (água de farinha de milho) ou arroz sem qualquer acompanhamento”. A ONG também indicou que os presos denunciaram que dentro do Cepra há um “surto de doenças como a hepatite, dengue”, entre outras, “e não há assistência médica do Ministério do Serviço Penitenciário”.

Continuar lendo OPOSIÇÃO VENEZUELANA DENUNCIA VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS DOS PRESOS DO PAÍS

OPINIÃO: O BRASIL TEM DADO A HOMENS MEDÍOCRES A CHANCE DE REDENÇÃO

Alcolumbre é um dos grandes responsáveis pelas desgraças que acometem o país

Davi Alcolumbre - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilDavi Alcolumbre – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Brasil é um país singular. Não sei se sou o primeiro a falar isso, mas faço questão de reafirmar tal constatação nesse artigo. Temos tantas singularidades que nos particularizam como nação que faltam linhas ou mesmo palavras em nosso vernáculo para descrever tal estado de coisas.

Poderia citar muitas, mas uma em específico serve para o tema dessa coluna: o Brasil tem dado a homens medíocres a possibilidade da redenção. Tantas figuras desprezíveis já tiveram a chance de fazer a coisa certa e jogaram no lixo tal oportunidade.

Continuaram medíocres, com a diferença de adicionarem gratuitamente a antipatia nacional para si.

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) é o exemplo mais cristalino deste quadro. Por pura birra com o governo, ele resolveu por bem emperrar ad infinitum a sabatina de André Mendonça, escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar uma das onze vagas no Supremo Tribunal Federal.

Arrogando para si o poder de presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, o sr. Alcolumbre julga ser o dono absoluto da pauta, desprezando até mesmo a posição de senadores oposicionistas – um deles é Alessandro Vieira (CIDADANIA-SE), que não perdeu a chance de dar uma belíssima enquadrada em seu colega por não marcar a bendita sabatina.

Não é a primeira vez do senador Alcolumbre. Ele já atrasou o Brasil em outras ocasiões por deixar de fazer a coisa certa. Se há algum homem público neste país que poderia ter evitado as nossas desgraças atuais e fez de tudo para não as impedir, esse homem é Davi Alcolumbre.

A criação de uma CPI para investigar ilegalidades cometidas pelo Poder Judiciário – especialmente o STF – foi discutida pelos principais atores políticos em 2019. O grupo ‘’Muda Senado’’, suprassumo do lavajatismo, levou adiante a iniciativa, defendendo a necessidade de frear o ativismo judicial.

Eu mesmo defendi a CPI da Lava Toga em artigo que fiz para o Instituto Liberal – colocado depois na Gazeta do Povo por Rodrigo Constantino – por entendê-la como uma simples reafirmação de um dos princípios que norteiam qualquer democracia sólida: a transparência. Sem um Judiciário confiável e transparente, cai um pilar importante da nossa República.

Pois bem, o que fez o senador Alcolumbre, na época presidente do Senado? Teimou em não abrir a CPI – ela dependia do seu consentimento para ganhar vida. Chegou ao cúmulo do ridículo ao falar que a Lava Toga não faria bem ao país.

A mais alta instância do Poder Judiciário rasga a Constituição, promove uma insegurança jurídica absurda, interfere constantemente nos outros poderes e atua politicamente na perseguição aos conservadores, mas a tentativa de investigar e enquadrar os agentes que promovem o apequenamento do Brasil é que realmente faria mal? O sr. Alcolumbre deve viver em mundo paralelo.

A melhor solução possível para frear o ativismo togado sempre foi pensada e exaustivamente debatida por aqueles cientes do problema. Da CPI da Lava Toga ao impeachment de ministros do STF, avolumaram-se as sugestões, os caminhos a seguir para o enfrentamento da questão.

Para os mais legalistas – incluindo este humilde colunista – e defensores fiéis de saídas dentro da lei, o impeachment sempre foi o caminho ideal. A Constituição estabelece que o Senado é a instituição que pode impedir um ministro do STF com a aprovação do processo por maioria qualificada de no mínimo 54 senadores.

A abertura do processo depende do aval do presidente da casa, decidindo pelo prosseguimento ou pelo arquivamento do pedido.

Durante o governo Bolsonaro, ficou mais escancarado do que nunca que a atual composição do Supremo desrespeita a Constituição e provoca danos enormes ao país. Nada mais nada menos que 52 pedidos de impeachment foram apresentados desde a posse de Jair Bolsonaro, sendo a maioria esmagadora no período em que Davi Alcolumbre foi presidente do Senado.

Pois bem, o sr. Alcolumbre arquivou todos de uma tacada só após a tentativa vergonhosa de driblar a letra da lei e empreender uma reeleição inconstitucional na Casa Alta. O meio legal de menor desgaste foi simplesmente desprezado.

O sr. Alcolumbre sempre alegou o cumprimento irrestrito da lei para não levar adiante as soluções para o enfrentamento do maior – e mais atual – problema do Brasil. Cabe aqui alguns esclarecimentos importantes. Alcolumbre levou adiante o famigerado PL das Fake News do seu desafeto Alessandro Vieira.

Mesmo com todas as críticas por parte de setores importantes da sociedade civil e das óbvias ilegalidades da iniciativa, ele deu de ombros e bancou praticamente sozinho a votação da matéria. Em que lugar ficou o seu espírito legalista, o mesmo a servir de justificativa para não enfrentar o ativismo judicial do STF? A duplicidade moral do senador Alcolumbre é uma coisa impressionante.

Revejam a manifestação do senador Esperidião Amin (PP-SC) sobre o PL das Fake News e tirem suas próprias conclusões. Não há a menor possibilidade de defesa razoável da matéria sob qualquer ponto de vista, mas Davi Alcolumbre fez questão de colocá-lo em pauta, em um dos episódios que mais apequenaram e mancharam o Senado.

Agora o sr. Alcolumbre trava irresponsavelmente a sabatina de André Mendonça. Como confiar nas intenções de um senador outrora alvo de inquérito no STF e acusado de empreender uma ‘’rachadinha’’ milionária?

Esse senhor é responsável diretamente pelos nossos problemas mais urgentes por ter tido a oportunidade de findá-los e nada fazer.

Foto de Carlos Júnior

Carlos Júnior

Jornalista

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: O BRASIL TEM DADO A HOMENS MEDÍOCRES A CHANCE DE REDENÇÃO

APOIO INTERNACIONAL AO SUDÃO ESTÁ AMEAÇADO DEPOIS DO GOLPE MILITAR NO PAÍS

Golpe militar no Sudão coloca em risco apoio internacional

Entidades como a União Africana e o Banco Mundial suspenderam linhas de auxílio que o país conquistou após décadas de ditadura

INTERNACIONAL 

por AFP

População continua protestando contra o golpe da última segunda-feira

AFP – 27.10.2021

O empobrecido Sudão começou a reverter décadas de isolamento internacional neste ano para obter investimentos e ajuda de necessidade urgente, mas o recente golpe militar ameaça este progresso, segundo os analistas.

O primeiro sinal concreto veio nesta quarta-feira (27), dois dias após o golpe de Estado do chefe do Exército, general Abdel Fattah al Burhan, a União Africana (UA) suspendeu o Sudão “até a restauração efetiva da autoridade de transição dirigida por civis”.

Sob a ditadura de Omar al Bashir, o Sudão foi um pária para os países ocidentais. Os Estados Unidos adotaram severas sanções contra o regime por abrigar extremistas islâmicos, incluindo o líder da Al-Qaeda Osama bin Laden nos anos 1990.

O líder autoritário foi derrubado pelo seu próprio exército em abril de 2019 após grandes protestos nas ruas. Foi instaurado então um governo de transição de civis e militares, derrubado com o golpe de segunda-feira.

Esses dois anos colocaram o Sudão no caminho certo, afirma Alex de Waal, especialista sobre o país e diretor executivo da World Peace Foundation dos Estados Unidos.

Em dezembro, Washington o retirou de sua lista de países que patrocinam o terrorismo e neste ano abriu as portas para um perdão da dívida de 50 bilhões de dólares (cerca de R$ 280 bilhões) e a obtenção de novos fundos do FMI e do Banco Mundial.

Suspensão de ajuda

“Os interesses nacionais do Sudão foram atendidos com este lento caminho de reforma com assistência internacional que, finalmente, começava a chegar na quantidade necessária”, disse De Waal.

Mas com a prisão do primeiro-ministro Abdala Hamdok, um economista internacional, e de outros membros civis do governo e dos órgãos que administravam a transição, os militares geraram “sérios riscos para o Sudão”, diz um relatório do International Crisis Group.

Os Estados Unidos não demoraram a reagir. Horas depois do golpe, anunciaram a suspensão de um pacote de 700 milhões de dólares (cerca de R$ 3,9 bilhões) de ajuda econômica que visava apoiar a transição democrática do país.

Na terça-feira, a União Europeia também ameaçou suspender o apoio financeiro se os militares não restaurarem os líderes civis em seus cargos.

Foi acompanhada pelo Banco Mundial nesta quarta-feira, que suspendeu “os desembolsos de todas as suas operações no Sudão e parou de processar qualquer nova operação enquanto acompanhamos de perto e avaliamos a situação”, disse o presidente da instituição, David Malpass.

O Sudão é um dos países menos desenvolvidos do mundo. No final de 2018, o preço do pão triplicou e levou aos protestos que acabaram afastando o ditador.

Nos últimos anos, o país sofreu escassez de medicamentos e outros produtos essenciais, enquanto a inflação ficou acima de 300%.

Após a queda de Bashir, as monarquias do Golfo depositaram 500 milhões de dólares (cerca de R$ 2,8 bilhões) iniciais em seu banco central como parte de uma ajuda prometida de 3 bilhões (o equivalente a R$ 16,7 bilhões) para manterem sua influência no país.

No entanto, embora o general golpista Al Burhan possa obter mais apoio financeiro dos países árabes, não compensará o oferecido pelas instituições internacionais e pelos doadores ocidentais, afirma De Waal.

O golpe “deixa potencialmente o Sudão extremamente isolado, voltando a um período em que era evitado pelo resto do mundo”, explica.

Fonte: R7
Continuar lendo APOIO INTERNACIONAL AO SUDÃO ESTÁ AMEAÇADO DEPOIS DO GOLPE MILITAR NO PAÍS

ARGENTINA PRETENDE VACINAR TURISTAS QUE CHEGAM AO PAÍS

Argentina vai oferecer aos turistas vacinas contra a Covid-19

País fará aplicações em pontos específicos da fronteira, como na província de Formosa, na divisa com o Paraguai

55,4% da população argentina está totalmente vacinada

EFE/ARQUIVO

A ministra da Saúde da Argentina, Carla Vizzotti, anunciou nesta terça-feira (26) que seu país pretende “avançar com a oferta” de vacinas contra a Covid-19 aos turistas que chegam ao país, principalmente os menores de 18 anos, que poderão entrar no país sem a vacina, e as pessoas que entram através de uma exceção.

A Argentina também oferecerá vacinação em “pontos de fronteira”, disse Vizzotti, mencionando as províncias de Formosa, na fronteira com o Paraguai, e as províncias de Salta e Jujuy, na fronteira com a Bolívia.

As fronteiras da Argentina serão abertas aos turistas estrangeiros a partir de novembro, quando o esquema de vacinação completo e PCR negativo serão exigidos 72 horas antes do embarque e o teste de PCR será dispensado entre 5 e 7 dias após a chegada ao país, conforme informou o ministro do Turismo, Matías Lammens.

O país, que acumula 5.281.585 casos e 115.851 mortes desde o início da pandemia, está sofrendo uma queda constante nos casos que “nas últimas semanas se estabilizaram em um número muito baixo” e com uma circulação de 60% da variante Delta.

O ministro acrescentou que 72,6% da população recebeu uma dose da vacina contra a Covid-19 e 55,4%, a dosagem completa.

Carla Vizzotti também anunciou que a Argentina aplicará uma terceira dose da vacina contra Covid-19 em pessoas imunocomprometidas com mais de três anos de idade que receberam qualquer vacina e naqueles com mais de 50 anos que receberam a Sinopharm chinesa.

Entre a última semana de outubro e a primeira semana de novembro, está previsto “avançar” com “esta população muito pontual que precisa de uma terceira dose para oferecer a maior proteção possível” e que abrange cerca de 1,6 milhão de pessoas, explicou.

Para os maiores de 50 anos que tenham recebido a Sinopharm, será distribuída a vacina AstraZeneca para complementar a terceira dose “de forma a estimular aquela resposta imunitária” e torná-la “ainda maior”.

Aqueles com menos de 50 anos que receberam a Sinopharm farão parte dos reforços que são aplicados de forma escalonada quando apropriado.

Os reforços da vacina contra a Covid-19 estão planejados a partir de dezembro, disse a ministra, “começando com o pessoal de saúde e gradualmente à medida que avançamos com a campanha de vacinação”.

Continuar lendo ARGENTINA PRETENDE VACINAR TURISTAS QUE CHEGAM AO PAÍS

RN VOLTOU A TER MAIOR PREÇO MÉDIO NO LITRO DA GASOLINA ENTRE TODOS OS ESTADOS DO PAÍS

Por Igor Jácome, g1 RN

 

Posto de gasolina, combustível, Natal — Foto: Augusto César GomesPosto de gasolina, combustível, Natal — Foto: Augusto César Gomes

Rio Grande do Norte voltou a ter o maior preço médio do litro da gasolina entre todos os estados do país. Os dados são do último levantamento semanal feito pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).

Natal também é a capital com o preço médio mais alto, na comparação com todas as outras. Os dados foram levantados pela agência entre 17 e 23 de outubro.

preço médio do litro do combustível encontrado pela ANP no Rio Grande do Norte foi de R$ 6,948, na semana passada. Em Natal, o valor foi ainda maior: R$ 6,983.

Com os preços já próximos dos R$ 7, essa barreira deverá ser rompida nos próximos dias, porque a Petrobras anunciou um reajuste de 7% no preço do combustível a partir desta terça-feira (26), nas refinarias.

Com a alta, o preço médio de venda da gasolina nas refinarias passará de R$ 2,98 para R$ 3,19 por litro, um reajuste médio de R$ 0,21 por litro (alta de 7,04%). É o segundo reajuste no preço do combustível este mês. No último dia 9, a gasolina já havia subido 7,2%.

Diferença

Na capital do estado vizinho, Paraíba, o preço médio da gasolina ficou R$ 0,80 mais barata em relação a Natal, sendo comercializada a R$ 6,180.

Para se ter uma ideia da diferença, um motorista que encheu o tanque do seu carro com 40 litros na capital potiguar pagou R$ 32,12 a mais em relação a outro motorista que fez o mesmo em João Pessoa.

preço médio do litro de gasolina vendido no Rio Grande do Norte é quase R$ 1,44 mais caro em relação ao comercializado no Amapá – o estado com menor preço médio registrado pela ANP, que foi de R$ 5,511. Um motorista que encheu o tanque de 40 litros no RN pagou quase R$ 60 a mais.

O estado também teve o segundo menor desvio padrão (diferença entre os preços encontrados) nos estados (0,059), maior apenas que o de Roraima (0,025). Natal, que teve desvio padrão de 0,018, maior apenas que o de Manaus (0,011).

Preço médio da gasolina por estado de 17 a 23 de outubro

  • Rio Grande do Norte – R$ 6,948
  • Rio de Janeiro – R$ 6,914
  • Piauí – R$ 6,905
  • Acre – R$ 6,732
  • Goiás – 6,713
  • Rio Grande do Sul – 6,650
  • Minas Gerais – R$ 6,603
  • Ceará – R$ 6,599
  • Distrito Federal – R$ 6,586
  • Tocantins – R$ 6,556
  • Espírito Santo – R$ 6,410
  • Sergipe – R$ 6,404
  • Mato Grosso – R$ 6,403
  • Rondônia – R$ 6,397
  • Pará – R$ 6,341
  • Pernambuco – R$ 6,317
  • Alagoas – R$ 6,313
  • Amazonas – R$ 6,307
  • Bahia – R$ 6,264
  • Mato Grosso do Sul – R$ 6,231
  • Maranhão – R$ 6,218
  • Paraíba – R$ 6,197
  • Santa Catarina – R$ 6,141
  • Paraná – R$ 6,101
  • São Paulo – R$ 6,023
  • Roraima – R$ 5,973
  • Amapá – R$ 5,511

Diesel

O Rio Grande do Norte também foi o segundo estado do país com maior preço do litro de diesel (R$ 5,450), ficando abaixo apenas do Acre (R$ 5,865).

A partir desta terça (25), o litro do diesel vendido pela Petrobras à distribuidoras passará de R$ 3,06 para R$ 3,34 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,28 por litro (alta de 9,15%). A última alta do combustível havia sido em 28 de setembro, de 8,89%.

Continuar lendo RN VOLTOU A TER MAIOR PREÇO MÉDIO NO LITRO DA GASOLINA ENTRE TODOS OS ESTADOS DO PAÍS

SEGUNDO ANÚNCIO DO GOVERNO DOS EUA, MENORES DE 18 PODERÃO ENTRAR NO PAÍS SEM COMPROVAR VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

Menores de 18 anos não precisarão de vacina para entrar nos EUA

Governo americano divulgou novas regras para estrangeiros que pretendem viajar ao país a partir de 8 de novembro

INTERNACIONAL

Lucas Ferreira, do R7,

com informações da Reuters

Embaixadas e consulados dos EUA no Brasil pretendem retomar em breve emissão de vistosEmbaixadas e consulados dos EUA no Brasil pretendem retomar em breve emissão de vistos BRIAN SNYDER/REUTERS – 03.08.2020

O Governo dos Estados Unidos informou nesta segunda-feira (25) que estrangeiros menores de 18 anos poderão entrar no país a partir de 8 de novembro sem comprovar vacinação contra a Covid-19. Pessoas com determinados problemas médicos também poderão ingressar no país sem documentos que atestem a imunização anti-Covid.

Os turistas brasileiros que desejam visitar os Estados Unidos precisam do esquema vacinal completo, ou seja, tomar as duas doses da vacina ou receber a dose única de um dos imunizantes autorizados pela FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA) ou que constem na lista de uso emergencial da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Dessa forma, as vacinas aceitas para que turistas entrem nos Estados Unidos são a Pfizer/BioNTech, Janssen, Oxford/AstraZeneca, Sinopharm e Sinovac/CoronaVac, imunizante chinês reproduzido no Brasil pelo Instituto Butantan.

Decreto passa a valer no dia 8

decreto do governo de Joe Biden, que valerá a partir de 8 de novembro, suspende as restrições em vigor desde o início de 2020 que impediam a maioria dos cidadãos não estadunidenses de lugares como China, Índia, África do Sul, Brasil e grande parte da Europa de viajar aos EUA.

Os viajantes não turistas dos cerca de 50 países com taxa nacional de vacinação abaixo de 10% também serão elegíveis para isenção das regras. Entretanto, na maioria dos casos, precisarão estar vacinados se pretenderem permanecer no país por mais de 60 dias.

Com a reabertura das fronteiras dos Estados Undios, as embaixadas e consulados americanos no Brasil planejam retomar o processo de emissão de vistos também em novembro, mas ainda sem data definida.

Continuar lendo SEGUNDO ANÚNCIO DO GOVERNO DOS EUA, MENORES DE 18 PODERÃO ENTRAR NO PAÍS SEM COMPROVAR VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

OPINIÃO: PRECISAMOS SER A MUDANÇA QUE QUEREMOS NO NOSSO PAÍS

O Brasil nas nossas mãos: O futuro depende de nós

Foto: Agência BrasilFoto: Agência Brasil

Futuro já começou …precisamos ser a mudança que queremos para o nosso País. A realidade só muda pelo conhecimento e pela informação que provoca decisões e produz ações…o resto é mi mi mi, o que não falta na atualidade.

Tudo muda e certamente o mundo mudou nos últimos 30 anos: para pior e para melhor…,mas o que realmente mudou?

O fato é que a sociedade mudou muito pouco, quando falamos em política e comportamento político social, se pararmos para pensar… não me refiro à conjunção de fatores que elegeram um Candidato Conservador.

Como assim?

Calma, calma: vou explicar…

Atenção: Este é um Artigo Loooongo com mais de 3.200 palavras (desculpem rsss): caso queiram, podem acessar a versão Áudio/Podcast cujo link está no final da página, mas recomendo LER ou OUVIR e compartilhar pois certamente muitas “fichas vão cair” nesse momento crucial de nossa história face as eleições, processo que já começou.

Aos que preferem ler, vamos em frente…

Dias atrás revi uma entrevista “antiga” do Enéas Carneiro no “roda viva” de 1994 (que recomendo ver, mesmo por curiosidade), onde o então candidato à presidência, esse “personagem inesquecível” que nos deixou aos 68 anos em 2007, vítima de uma leucemia mieloide aguda, falava de suas ideias e plataforma como candidato, então pela segunda vez à Presidência (na primeira com seus 15 segundos de TV onde ficaram notabilizadas frases de efeito sempre finalizando com o tradicional bordão “meu nome é Eneeeeeas” e desta feita com cerca de 1 minuto e 17 segundo de TV onde se constituiria num dos maiores fenômenos eleitorais do Brasil, chegando em Terceiro Lugar na corrida Presidencial de 94 com cerca de 4.6 milhões de votos): um grande feito para um Conservador num ambiente já contaminado pela esquerda (também conhecida como a “Social Democracia Progressista de FHC”).

Nessa entrevista, que mais parecia a “santa inquisição”, o Enéas era submetido a um grupo de “jornalistas” nitidamente de extrema esquerda já simpatizantes de Lula, que seria fragorosamente derrotado por FHC (o candidato das Oligarquias, então) nas eleições de 94 por 34.3 milhões de votos, contra 17.1 milhões de votos de Lula, em turno único àquela época.

Era a segunda vez que um candidato considerado Conservador (ele próprio se dizia Conservador, mas acima de tudo um Nacionalista), mesmo com um conjunto de ideias meio malucas (como defender intervenção do Estado e Liberdade de mercado, algo certamente incompatível), se submetia ao “escrutínio” jornalístico de plantão algo que depois do Dr. Eneas, se é que ele de fato era um Conservador, jamais voltaria a acontecer até 2018 com Bolsonaro…

Um hiato de 24 anos (de Janeiro de 1995 até Janeiro de 2019) nos quais seriamos ASSALTADOS pelos governos PROGRESSISTAS (mesmo dando um desconto aos 2 últimos anos com o Temer, após o impedimento de Dilma)…principalmente nos últimos 14 com o PT.

Nessa entrevista do Eneas, vemos que o ambiente não mudou tanto assim (mesmo que a corrupção tenha sido atacada e combatida, todas as instituições continuam aparelhadas)…quem aparentemente mudou fomos nós… pois ficamos mais “espertos” e mais bem informados com a Internet; as redes sociais; o WhatsApp: e os novos canais independentes de mídia e jornalismo, nem sempre tendenciosos como os que tínhamos até então e que dominavam o pedaço, “fazendo nossas cabeças”, pois tinham na ocasião, a credibilidade que hoje não tem.

A mudança da População seria inevitável: CONHECIMENTO É PODER…

Ao rever o programa, se não soubéssemos a data, poderíamos dizer que a entrevista estaria sendo realizado hoje e veríamos algumas das posições defendidas por Enéas, como o potencial de riquezas do Brasil e os interesses escusos presentes no Establishment, sempre contrários aos interesses dos brasileiros e privilegiando a “elite” detentora do poder.

Não quero me ater às posições do Enéas, algumas das quais, discordo como a ideia de um “estado controlador”, o que se assemelha ao “socialismo”, embora ele se apresentasse com veemência como um ser liberal e a favor da “livre iniciativa”.

Mas sobretudo, na ocasião, a opinião expressa por Enéas sobre Lula chamava a atenção…algo que se materializou como uma profecia sinistra, anos depois. A história apenas confirmou o que Enéas já sabia e alertava aos brasileiros que naquela época não entendiam muito bem, infelizmente e assim, fomos enganados (já que até então Lula sempre fora visto apenas como um Ativista Sindical populista).

Dessa forma, quando finalmente Lula “sucedeu” FHC, tornando-se presidente pela primeira vez eleito em Outubro de 2002, continuaríamos a ser enganados por muito mais tempo, onde nada mudaria se não houvesse ocorrido o “acidente” da tal “terceira via”, me refiro a Bolsonaro, claro, produzido pela força e efeito “desconhecido até então”, da opinião pública que surgiu nas redes sociais e me refiro as Tias, Tios e Avós do Zap, principalmente, que refletiam um estado de consciência jamais visto e que fora produzido pelos escândalos de corrupção e pela ação da lava jato. Mais uma vez: CONHECIMENTO É PODER.

Eneas falava sobretudo do despreparo de Lula e de seu inegável desvio de caráter, algo que se revelou ainda pior quando este foi alçado ao poder… e essa história conhecemos bem. Mas Eneas se enganou: LULA ERA AINDA PIOR QUE ELE IMAGINAVA.

Nas eleições de 1994, depois da experiencia frustrada da Eleição de Collor (um candidato de orientação neoliberal) que herdara uma inflação de 1764% a. a. do fracassado governo Sarney (e hoje ficamos assustados e com razão pelo efeito da pandemia que nos trará uma inflação pouco acima de 8% a.a. e onde a Argentina chega a 50% a.a. sendo a sexta pior no mundo), e assim, chegávamos a um pleito onde tínhamos 9 candidatos à presidência dentre eles, além de FHC e Lula, o próprio Enéas, o Darcy Ribeiro, o Leonel Brizola, o Orestes Quércia e o Espiridião Amin, mas onde o FHC seria imbatível e teria como grande cabo eleitoral o “Plano Real” fruto de cabeças brilhantes, principalmente a do Economista Gustavo Franco, que debelaria definitivamente a Hiperinflação no País. FHC na ocasião era o Ministro da Fazenda do Governo Itamar Franco que herdara o Governo após o impedimento de Collor.

O sucesso do Plano Real que contava com o apoio de 70% da população (com o qual Eneas discordava, por razões obvias), contribuiria não apenas para eleger FHC em 1994, como para o reelege-lo em 1998, desta vez com a coligação que detinha mais de 70% dos Deputados e Senadores do Congresso, onde PFL, PMDB, PPB e PTB passavam a deter cargos no primeiro escalão do governo, dando início ao famigerado “teatro das tesouras” já que nas eleições seguintes teríamos a eleição de Lula que assumiria o governo (já razoavelmente aparelhado) em Janeiro de 2003, assim “convencendo” o Establishment de que faria o “jogo do poder das elites” e daí em diante, até o impedimento de Dilma (ao que tudo indica algo promovido pelo próprio Lula e pelo PSDB), teríamos 14 anos onde o Brasil foi destruído por governos “ditos” progressistas (PSDB e PT), o que representou então, os 22 anos de aparelhamento que saqueou o Brasil e os Brasileiros, quase inviabilizando o País como ocorreu com outros países “geridos” pela esquerda no mundo, mas principalmente na América Latina, tomada pelos participantes do “foro de São Paulo”, uma outra história hoje bem conhecida por muita gente.

MAS HOUVE UMA MUDANÇA IMPORTANTE DE 2016 PARA CÁ

Se a conclusão é a de que na política muito pouco mudou, como afirmei, na sociedade vivemos mudanças na forma de comunicação o que impactou a forma de como o “jogo político” passou a ser jogado à partir do impedimento de Dilma, basta ver de como as “redes” deram um susto no Establishment em 2018 e que à ocasião, já considerava como “favas contadas” a permanência dos “progressistas” no poder, mas como na poesia de “Drummond”: tinha uma “pedra no caminho”…uma pedra chamada Dilma… e não me refiro a sua duvidosa reeleição vencendo o Aécio, mas à estratégia malsucedida de substitui-la por alguém da “turma” das “Tesouras”, algo que não se materializou nas eleições de 2018 após a transição Temer.

Mesmo que a política e o modelo de subserviência no Brasil tenha sido mantido, principalmente com base no caráter corporativista que nos trouxe a constituição de 1988 (e suas incontáveis emendas mais que convenientes), a classe política foi de mal a pior, a julgar pelos 13 candidatos que concorreram à presidência em 2018, o que evidenciava o “vácuo” de bons políticos que vivemos nos últimos 20 anos: as pessoas envelhecem; outras morrem e nem sempre seus sucessores, de sangue ou não, tem o carisma e a expertise de seus mentores, muito menos em tempos de redes sociais.

Isso, sem dúvida, facilitou a vitória de uma terceira via em 2018 (interrompendo o “teatro das tesouras” à brasileira) no caso com a eleição do Bolsonaro, um improvável candidato da direita Conservadora num país dominado pela esquerda “progressista” (outro nome dado ao Socialismo), tanto na política, quanto de um aparelhado sistema judicial; da mídia; da cultura; da educação e dos principais setores da nossa sociedade que representam a economia.

Produziu-se assim, por um conjunto de fatores que já apresentei em outros artigos, a inflexão da curva que parece se materializar mesmo com tantas forças em contrário, algo que nem as fraudulentas pesquisas de “opinião” tem o poder de mudar, caso haja eleições limpas em 2022. Sendo um processo, os dados ainda estão rolando, mas reverter a inflexão por vias normais é algo pouco provável, mesmo pelo conjunto de forças de oposição.

Se por um lado tivemos e temos um processo de “doutrinação” nas duas últimas gerações, principalmente via Cultura e Educação, sabemos que a maior longevidade de uma população mais informada a cada dia, a mesma que produziu a “virada” nas urnas nos últimos anos, permanece engajada e possivelmente aumentou em número.

O tempo e a experiencia são os pais da razão e hoje a comunicação é absolutamente uma questão de curadoria onde há opções…ainda.

Uma população ativamente envolvida na política nacional é tudo que o Establishment gostaria de evitar, mas tem fracassado mesmo com todo aparato envolvido na censura e restrição nas liberdades de expressão. Pela primeira vez na nossa história a informação circula apesar dos canais uma vez que os vetores são a própria população.

Sociologicamente falando, a grande maioria da populações brasileira se apresenta como “conservadora nas pautas de “costumes” e “liberal nas pautas econômicas” e nada indica que isso vá mudar nos próximos anos: é um fenômeno Global mesmo que a oposição raivosa também seja global…globalista, para ser mais preciso.

Os eleitores jovens hoje entre 18 e 24 anos representam 19 milhões do eleitorado Brasileiro (onde apenas 1.3 milhão estão na faixa de 16 a 17) e, mesmo que seja um contingente importante, se encontra dividido. Assim, o contingente sênior dos cerca de 148 milhões de eleitores brasileiros é, como falei, majoritariamente composto por conservadores na pauta de costumes e liberal em termos de economia, defensores de um Estado menor, mais ágil e atento às suas reais funções de gestão em relação ao bem estar da população e ao desenvolvimento do potencial natural e agroindustrial que possuímos, o que nos coloca como uma potência econômica indiscutível, o que assusta e preocupa muita gente que concorre com o Brasil pelos mercados Globais: há sem dúvida um conflito de interesses que só vai se acirrar.

DITO ISSO, PARA ONDE VAMOS?

Tenho total convicção de que as eleições de 2022 serão as mais importantes da nossa história pois, não apenas podem impedir o retorno de criminosos que tomaram o país por quase 30 anos (e muitos ainda estão lá…, me refiro ao poder), mas também porque implicam na continuidade do processo de renovação das nossas “casas políticas” e também nos Estados: como enfatizei no último artigo, temos três jogos em andamento e não apenas o da eleição presidencial.

Assim, considero da maior importância o engajamento e conscientização de todos nós para a responsabilidade de cada um de nossos voto. Com base nisso, algo que vou repetir à exaustão até Outubro de 2022, o que está em jogo é o futuro do Brasil e dos Brasileiros, me refiro ao futuro imediato e não algo longínquo lá no horizonte.

Para começar, vou repetir o final do meu artigo publicado no JCO em 08/05/2021, sob o título SURGEM NO HORIZONTE OS SINAIS DE UM NOVO BRASIL.

Segue… e vale ler ou reler e propagar:

Se paramos para verificar como se apresentam os grupos de políticos que atuam nas casas políticas (também nos Estados e Assembleias), identificamos as seguintes configurações:

Os dinossauros honestos. Políticos honestos da velha guarda que são raríssimos;

Os dinossauros Bandidos, que entre os dinossauros são a maioria (muitos dos quais denunciados em processos da lava jato e que são os chamados “rabo preso” junto ao STF via foro privilegiado;

Os filhos dos dinossauros, que com honrosas exceções são frutas que não caem muito longe do pé, algo como filho de peixe, que são responsáveis em preservar as dinastias de poder que foram criadas ao longo da história da “Republica”…

A nova geração que tem algum poder pois são alavancados por algum tipo de interesse que tem poder. Muitas vezes interesses genuínos e outras vezes não.

A nova geração que representa o chamado “baixo clero” (mesmo que no baixo clero tenhamos integrantes de vários grupos) que, embora tenham boas pautas, não tem poder para implementá-las (Bolsonaro foi um destes). Esses, em sua maioria, são os representantes de boa parte da população: aqueles que tem a missão dificílima de enfrentar o establishment quase que sem nenhuma munição.

Guardadas as proporções, a estratificação é mais ou menos essa, o que nos mostra que boa parte da nova geração de políticos que tem poder é cooptada pelo sangue ou pela corrupção. E outra parte é formada por jovens políticos que representam as minorias sem grande poder de realização ou por outras vezes são também oportunistas buscando uma têta para mamar.

E visando manter o aparelhamento, temos no parlamento duas ferramentas que possibilitam perpetuar o “cabresto” de boa parte dos membros: me refiro a 1) o foro privilegiado que representa uma espécie de “salvo conduto” para garantir o poder da cooptação dos políticos e 2) a não prisão até o trânsito em julgado (a não possibilidade de prisão em segunda instância) que torna quase inimputáveis de pena os corruptores, que são representantes das oligarquias e facções criminosas que mandam no Parlamento (algo que se estende ao poder nos Estados e municípios).

Nem vou entrar aqui no sistema eleitoral que elege “gente sem voto” popular…me refiro ao “sistema proporcional”(QE e QP) que se aplica a Deputados e vereadores, mas que sugiro buscarem informações sobre esse famigerado sistema.

O PODER DO VOTO OU QUE O VOTO PRECISA TER

Por todas essas razões, estamos como falei, diante da mais importante eleição da nossa história. E não podemos de forma alguma renunciar ao VOTO CONSCIENTE e FISCALIZADO (se não auditado) para que a lisura do pleito possa cumprir o seu papel de representar o estágio de consciência e informação do eleitorado brasileiro… algo que de fato precisará ser consolidado nas próximas eleições (e quando digo próximas, me refiro aos próximos 20 anos, mas sobretudo às eleições de 2022).

Nessa hora e, desde já (lembrando que o Establishment já se encontra e franco processo eleitoral e a CPI, não deixa nenhuma dúvida quanto a isso), é preciso que cada eleitor cumpra o seu dever de casa para consolidar o processo de mudança que desejamos e precisamos.

E qual é o dever de casa de cada um dos eleitores brasileiros?

Segue uma lista breve, dos principais pontos que considero fundamentais:

Conheça os seus candidatos (algo como você nunca fez): faça pesquisas e se for o caso, crie até um breve dossiê da vida pregressa de cada um deles… não é difícil fazer: fontes não faltam. O importante é saber da idoneidade deles e do que já fizeram de bom pela sociedade, principalmente se já tiveram mandatos e pleiteiam reeleição.

Conheça e entenda as ligações dos seus candidatos com organizações diversas e com outras pessoas que representam interesses setoriais. Não se deixe enganar, muitos deles estarão mudando seus discursos e apagando “evidências” de ligações comprometedoras com gente ruim (para dizer o mínimo).

Veja a reputação e as ações dessas relações e veja as reais intenções dessas ligações. Quem os seus candidatos apoiam ou defendem?

Avalie a capacidade do candidato, me refiro mesmo ao perfil dos candidatos em relação à missão que você pretende atribuir a eles (não se esqueça que o que se atribui é um mandato, ou seja, uma missão de te representar): e não se esqueça que os políticos que você ajuda a eleger são uma espécie de espelho seu, das suas convicções e das aspirações para você mesmo e para a sociedade em geral.

Faça uma avaliação crítica do que pensa cada um dos candidatos que você poder vir a escolher, me refiro ao que eles defendem em termos de pautas que melhoram a vida da coletividade. Fuja de candidatos que se vestem de “chavões” retóricos que são pura demagogia e que não tem nenhuma sintonia com a realidade: lembremos que política é mesmo “a arte do possível” e que o que não está calcado na realidade é mesmo retórica para te enganar.

Se alguns dos teus candidatos estão em mandato, faça uma pesquisa de como votaram as pautas mais importantes dos últimos anos: comece por exemplo por como votou a PL 4754/2016 que visa manter/preservar o ativismo judicial que tanto mal tem feito ao país…,mas tem muitas outras votações importantes disponíveis que podem dizer quem é quem em relação ao que importa: me refiro a Parlamento; Estados e Municípios em geral.

Bem, é isso…

Aproveito para transcrever neste artigo, mensagem de vídeo que recebi e que circula nas redes, definindo os tipos de ladrão:

Segundo Francois-Marie Arouet, filósofo mais conhecido pelo seu pseudônimo VOLTAIRE, há dois tipos de ladrões:

O Ladrão Comum: que é aquele que rouba sua carteira, seu dinheiro, seu relógio, seu celular… e;

O Ladrão Político: que é aquele que rouba o seu futuro, o seu conhecimento, os seus sonhos, a sua educação, a sua saúde, o seu salário, as suas forças…o seu sorriso;

A grande diferença entre esses dois ladrões é que o Ladrão Comum te escolhe para roubar os teus bens…enquanto o Ladrão Político é você que o escolhe para te roubar.

E há ainda outra importante diferença, não menos importante: o Ladrão Comum é procurado pela Justiça e o Ladrão Político é, em geral, PROTEGIDO POR ELA.

Em que pese essa definição haver sido feita por Voltaire no século XVIII, de lá para cá, como afirmei no início deste artigo, nada mudou significativamente…pelo contrário, ficou ainda mais fácil, sutil e sofisticada a arte de te roubar por ambos os tipos de Ladrão.

Então que fique claro:

O processo de mudança do Estado e da sociedade não é uma corrida de 100 metros rasos e sim, uma imensa e sofrida maratona. E nesse imenso desafio, o VOTO representa o único bem que torna todos nós IGUAIS em termos de nos atribuir poder: numa sociedade democrática o VOTO é capaz de mudar a realidade e promover um futuro melhor.

Comece HOJE MESMO a construir o seu VOTO para 2022 (a oposição já começou): não é uma tarefa fácil e nem rápida, mas necessária para resgatar o Brasil que queremos para nós, nossos filhos e nossos netos.

NÃO ACEITE MAIS SER ROUBADO POR POLÍTICO LADRÃO!

Foto de JMC Sanchez
Continuar lendo OPINIÃO: PRECISAMOS SER A MUDANÇA QUE QUEREMOS NO NOSSO PAÍS

CIDADES BRASILEIRAS COM CARNAVAIS MAIS CONHECIDOS DO PAÍS JÁ COMEÇARAM A SE ORGANIZAR PARA FESTA DO PRÓXIMO ANO

Saiba quais cidades do Brasil já estão planejando o Carnaval de 2022

Na cidade de São Paulo, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) já sinalizou que há chances de a capital celebrar a festa

Paula Nobreda CNN

Em São Paulo

 

Algumas cidades brasileiras com carnavais entre os mais conhecidos do país começaram a se organizar para a festa do próximo ano.

Rio de Janeiro, Salvador e Ouro Preto (MG) estão decidindo se o Carnaval vai ser realizado com o uso de máscaras e com distanciamento social.

Na cidade de São Paulo, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) já sinalizou que há chances de a capital paulista celebrar a festa.

Em Pernambuco, Recife e Olinda ainda esperam o posicionamento das autoridades de saúde para saber se vão realizar a festa em 2022.

Fonte: CNN

Continuar lendo CIDADES BRASILEIRAS COM CARNAVAIS MAIS CONHECIDOS DO PAÍS JÁ COMEÇARAM A SE ORGANIZAR PARA FESTA DO PRÓXIMO ANO

MENSAGEM DE RENÚNCIA DE TODO GABINETE MINISTERIAL DO PERU FOI TRANSMITIDA PELA TELEVISÃO ESTATAL PARA TODO PAÍS

Presidente do Peru anuncia renúncia de todo gabinete

Ministros deixaram os cargos dois meses depois de assumir o poder; nova equipe pode ser divulgada nas próximas horas

INTERNACIONAL

 por AFP

Pedro Castillo se reunirá com nova equipe ministerial ainda nesta quarta-feira (6)

ERNESTO BENAVIDES / AFP – 15.6.2021

O presidente do Peru, Pedro Castillo, anunciou nesta quarta-feira (6) a renúncia do primeiro-ministro e de todo o gabinete ministerial, dois meses após ter assumido o cargo, em uma mensagem inesperada transmitida pela televisão estatal para todo o país.

“Informo ao país que no dia de hoje aceitamos a renúncia do presidente do Conselho de Ministros, Guido Bellido Ugarte, a quem agradeço pelos serviços prestados”, declarou Castillo durante o breve pronunciamento.

A renúncia do primeiro-ministro também afeta o restante do gabinete, de acordo com as normas locais. Bellido foi nomeado em 29 de julho para chefiar o primeiro gabinete do governo esquerdista de Castillo.

O presidente evitou dar detalhes sobre a renúncia e anunciou que o novo chefe de gabinete e seus membros se reunirão à noite, a partir das 20h (22h no horário de Brasília).

Mas, em sua carta de renúncia, publicada pela imprensa, Bellido indica que está se afastando do Executivo a pedido de Castillo.

“Tendo cumprido todas as funções correspondentes à instituição, apresento minha irrevogável renúncia ao cargo da Presidência do Conselho de Ministros conforme o senhor solicitou”, diz na carta Bellido, que voltará ao Congresso para exercer funções como parlamentar do partido Peru Livre.

Bellido é um membro linha-dura do governante Peru Livre, um pequeno partido marxista-leninista que, para surpresa geral, conquistou a presidência do Peru com Castillo, vencendo a candidata de direita Keiko Fujimori em votação apertada em 6 de junho, após uma campanha marcada pela polarização.

Durante o breve pronunciamento, Castillo reiterou sua invocação aos setores econômicos, políticos e sociais “à mais ampla unidade para alcançar objetivos comuns”, como a reativação econômica.

“É hora de colocar o Peru acima de todas as ideologias e posições partidárias isoladas”, enfatizou o presidente, um professor rural, que usava seu típico chapéu de palha.

Continuar lendo MENSAGEM DE RENÚNCIA DE TODO GABINETE MINISTERIAL DO PERU FOI TRANSMITIDA PELA TELEVISÃO ESTATAL PARA TODO PAÍS

DEPARTAMENTO DE ESTADO AMERICANO DIVULGOU QUE O PAÍS TEM 3.750 OGIVAS NUCLEARES

Após censura de Trump, EUA revelam ter 3.750 ogivas nucleares

Número foi divulgado em meio ao esforço de Joe Biden para retomar as negociações sobre o controle de armas com a Rússia

INTERNACIONAL

 por AFP

 Departamento de Estado americano divulgou que país tem 3.750 ogivas nuclearesDepartamento de Estado americano divulgou que país tem 3.750 ogivas nuclearesPIXABAY

O Departamento de Estado americano divulgou nesta terça-feira (5), pela primeira vez em quatro anos, o número de ogivas nucleares que o país armazena, depois que o ex-presidente Donald Trump censurou os dados.

Em 30 de setembro de 2020, o Exército dos Estados Unidos mantinha 3.750 ogivas nucleares ativas e inativas, 55 a menos que no ano anterior e 72 a menos que na mesma data de 2017. O número também é o mais baixo desde que o arsenal nuclear americano atingiu seu pico, no auge da Guerra Fria, em 1967, quando eram contabilizadas 31.255 ogivas.

O inventário foi divulgado em meio ao esforço do governo de Joe Biden para retomar as negociações sobre o controle de armas com a Rússia, depois que elas foram paralisadas por Trump. “Aumentar a transparência das reservas nucleares dos Estados é importante para os esforços de não proliferação e desarmamento”, assinalou o Departamento de Estado.

Trump também se retirou de outro acordo crucial, o Tratado Novo Começo, congelado no ano passado antes do seu vencimento, em 5 de fevereiro. O documento limita o número de ogivas nucleares mantidas por Washington e Moscou, e permitir que ele expirasse poderia ter provocado uma reversão da redução das ogivas por ambos os países.

Trump disse que queria um novo acordo, o qual incluísse a China, que possui apenas uma fração das ogivas de Estados Unidos e Rússia. Biden, que assumiu o cargo em 20 de janeiro, propôs de imediato uma extensão de cinco anos para o Novo Começo, com a qual o presidente russo, Vladimir Putin, concordou rapidamente.

Na semana passada, diplomatas russos e americanos tiveram conversas a portas fechadas em Genebra para começar a discussão de um tratado para suceder ao Novo Começo e o controle das armas convencionais.

Segundo um cálculo de janeiro de 2021 feito pelo Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo, que inclui ogivas aposentadas (não incluídas nas cifras do Departamento de Estado), os Estados Unidos possuíam 5.550 ogivas, em comparação com 6.255 da Rússia, 350 da China, 225 da Grã-Bretanha e 290 da França. Índia, Paquistão, Israel e Coreia do Norte juntos tinham cerca de 460 ogivas nucleares, de acordo com o instituto.

Continuar lendo DEPARTAMENTO DE ESTADO AMERICANO DIVULGOU QUE O PAÍS TEM 3.750 OGIVAS NUCLEARES

EX-PRESIDENTE DA ARGENTINA ESTÁ PROIBIDO DE DEIXAR O PAÍS POR DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA

Justiça argentina determina que Macri está proibido de deixar o país

Ex-presidente prestará depoimento por ser suspeito de espionagem no caso do submarino que desapareceu em 2017

INTERNACIONAL

 por AFP

Mauricio Macri, ex-presidente da Argentina, foi convocado para prestar depoimento e está proibido de deixar o país

EVA MARIE UZCATEGUI / AFP

O ex-presidente e líder da oposição na Argentina Mauricio Macri deve prestar depoimento a um juiz, sob suspeita de organizar um sistema de espionagem a parentes dos 44 tripulantes do submarino San Juan, que desapareceu em 2017.

Macri, de 62 anos, está nos Estados Unidos, mas ao retornar à Argentina será proibido de deixar o país, por ordem do juiz Martín Bava, que o convocou para um interrogatório em 7 de outubro.

“O então presidente [mandato de 2015 a 2019] tinha pleno conhecimento do acompanhamento feito pela Agência Federal de Inteligência sobre os parentes dos tripulantes”, disse o juiz Bava em resolução divulgada à imprensa.

A pena de prisão por violar a Lei de Inteligência Nacional é de três a 10 anos, mas neste caso alguns agravantes podem ser considerados.

O magistrado ordenou nesta sexta-feira (1º) o julgamento dos chefes dos serviços secretos, Gustavo Arribas e Silvia Majdalani, que se reportavam a Macri, acusados de “fazer inteligência ilegal” sobre os parentes, que tentavam descobrir o destino do submarino quando estava desaparecido havia um ano.

O juiz alega que houve “um interesse político nacional, que poderia afetar a gestão do governo” nas manifestações de rua e nas redes sociais que exigiam que Macri e a Marinha encontrassem os tripulantes do submarino.

Parentes foram monitorados e tiveram os telefones grampeados — também foram fotografados e filmados —, e inclusive sofreram intimidação para desistir de suas reivindicações, como denunciaram com provas no tribunal. Os 44 tripulantes morreram no acidente com o submarino, em novembro de 2017.

A embarcação era um TR-1700 de fabricação alemã, com 66 metros de comprimento, que permaneceu em operação desde 1985 até sofrer uma aparente explosão interna por falhas técnicas depois de sumir dos radares quando patrulhava as águas argentinas.

O San Juan foi localizado em novembro de 2018 a quase 900 metros de profundidade, depois de um ano de buscas com o apoio da Marinha de outros países.

Continuar lendo EX-PRESIDENTE DA ARGENTINA ESTÁ PROIBIDO DE DEIXAR O PAÍS POR DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA

OPINIÃO: NOSSO PAÍS É UM MANICÔMIO ONDE OS NORMAIS SÃO TRATADOS COMO LOUCOS

Alexandre Garcia e a luta contra os medíocres autoritários

Foto reproduçãoFoto reprodução

Há inúmeras maneiras de compreender os acontecimentos e o estado das coisas no Brasil. Alguns fatos são sintomáticos, eles falam por si. Como não poderia deixar de ser, nossa grande nação nos brinda diariamente com tais registros.

É o caso da demissão de Alexandre Garcia da CNN Brasil. Tal fato fala por si, mas os desdobramentos e as reações são ótimos indícios para que se compreenda o ponto em que chegamos. Nosso país é um manicômio no qual os normais são tratados como loucos justamente por não compartilharem da loucura que é a cláusula pétrea nacional.

Alexandre Garcia foi demitido da CNN por dar sua opinião em um quadro chamado… liberdade de opinião. A ironia é inevitável. Logo depois de falar sobre um determinado tema, o canal emitiu uma nota repetindo a verborragia enfadonha do mainstream sobre o assunto. Ou seja, a liberdade de expressão existe apenas para repetir o que é tido como verdade do Evangelho pelo beautiful people, caso contrário é fake news indigna de atenção.

Os imbecis que controlam – ou tentam controlar – o debate público não suportam o contraditório. Qualquer pessoa com mais de dois neurônios dá risada ao ver uma reportagem como a do Jornal Nacional que falava de uma organização criminosa cujo objetivo era falar mal de político.

O medo do confronto é constrangedor. Mas os iluminados da grande mídia tratam a opinião divergente como enganosa, e na pior das hipóteses, uma falsidade intencionalmente divulgada.

Por essas e outras que tais figuras nunca vão entender por qual motivo perderam credibilidade de forma tão rápida nos últimos anos.

Tanto é assim que os imbecis mais tarimbados comemoraram a demissão de Alexandre Garcia.

Eu poderia citar inúmeros exemplos, mas fico em apenas um pelo simbolismo: João Amoêdo. O cacique do Partido Novo, que iludiu tanta gente com o canto de sereia liberal, disse que o jornalista foi demitido por ‘’mentir e desinformar’’, e aproveitou para lembrar a eficiência do meio privado na questão – sem esquecer do corriqueiro fetiche pelo presidente Jair Bolsonaro.

Aqui a coisa fica interessante. Amoêdo sabe muito bem que Alexandre Garcia não foi demitido por ‘’mentir e desinformar’’, mas simplesmente por emitir uma opinião que contrasta com a hegemônica do mainstream. Quantos jornalistas conservadores não foram alvos da mesmíssima coisa ao defenderem suas posições?

Ora, a liberdade de expressão é pilar de qualquer regime que mereça o status de democrático, além de elemento indispensável do liberalismo. Se o indivíduo que é tido como símbolo de um partido liberal aplaude a mordaça e a perseguição contra quem quer que seja, essa atitude diz mais sobre ele do que sobre o jornalista.

Como a simples opinião de um jornalista – ou quem quer que seja – pode incomodar tanto os supostos donos da verdade? Qual a razão de perseguir o sr. Alexandre Garcia e promover um verdadeiro assassinato de reputação contra ele?

Bom, como eu disse anteriormente, o Brasil é um verdadeiro manicômio. Compreender o que se passou na província nos últimos cinquenta ou sessenta anos é vital para elucidar as questões colocadas no parágrafo anterior.

A coisa é mais ou menos assim: derrotada de todas as maneiras em 1964, a esquerda realizou nos anos seguintes um profundo debate a respeito do que deu errado.

Um povo recalcitrante ao comunismo botou para correr um presidente impopular que desrespeitava a Constituição e promovia a degradação do país ao tentar fazê-lo uma nova Cuba. Fazendo uma profunda análise estratégica da situação, os intelectuais esquerdistas – sim, naquela época eles ainda existiam – chegaram à conclusão de que as ideias da revolução não eram compartilhadas pelas massas, tornando impossível a chegada dos camaradas ao poder. Só tinha uma única estratégia disponível para tal façanha: a proposta por Antonio Gramsci, o teórico comunista italiano preso por Mussolini e autor dos Cadernos do Cárcere.

Gramsci analisou o insucesso da Revolução Russa em relação ao apoio popular e concluiu que o erro foi tomar o poder antes de ter a hegemonia. Poder é o controle do aparato estatal, enquanto hegemonia é o controle psicológico das massas. Ao ter a hegemonia, a esquerda teria o poder absoluto, pois controlaria a sociedade pela força e pelo consentimento. E para conquistar a bendita hegemonia seria necessário mudar a cultura, os valores e o que poderia ou não ser dito. Daí a importância dos intelectuais na tarefa, os novos guias do povo rumo ao paraíso socialista. Não por acaso o gramscismo enxerga mais valor em um jornalista teoricamente isento que muda aos poucos o teor do noticiário que um pregador revolucionário enragé.

Se hegemonia é controle psicológico total, não são permitidos pensamentos ou certas posições que ameaçam o novo senso comum. Isso explica o porquê da ausência da intelectualidade conservadora em todos os campos do debate público, uma vez que os ditames gramscianos foram aplicados ipsis litteris no Brasil. Explica também o ódio gerado nos imbecis quando um Alexandre Garcia defende uma posição tida por eles como heresia. E claro, revela o hospício que virou o nosso amado país.

Foto de Carlos Júnior

Carlos Júnior

Jornalista

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: NOSSO PAÍS É UM MANICÔMIO ONDE OS NORMAIS SÃO TRATADOS COMO LOUCOS

BH É A PRIMEIRA CAPITAL DO PAÍS A CONTAR COM UM INSTITUTO MÉDICO VETERINÁRIO LEGAL

Por Guilherme Pimenta, g1 Minas — Belo Horizonte

 

Parte da estrutura do Instituto Médico Veterinário Legal, em BH — Foto: Aldair Pinto/PBH/DivulgaçãoParte da estrutura do Instituto Médico Veterinário Legal, em BH — Foto: Aldair Pinto/PBH/Divulgação

Belo Horizonte é a primeira capital do país a contar com um Instituto Médico Veterinário Legal. O órgão faz parte do Hospital Público Veterinário e vai atender animais vítimas de maus-tratos. A inauguração ocorre nesta sexta-feira (1º).

De acordo com a Prefeitura da capital, a ideia é auxiliar os órgãos competentes a investigar casos de maus-tratos. No local, serão feitos exames de corpo de delito e a documentação, com fotos e filmagens, dos casos de violência animal. A autópsia é outro serviço disponível, que será feito em animais que chegarem sem vida à unidade.

O trabalho será realizado por médicos voluntários, com experiência em medicina veterinária legal. A estrutura conta com mesa de necropsia, refrigeradores e geladeiras.

O recurso, porém, não é de atendimento direto ao público. A denúncia contra maus-tratos e violência animal deverá ser feita diretamente à Polícia Civil, que vai atuar na investigação e solicitar apoio do Instituto, caso seja necessário.

Serviço

Hospital Público Veterinário de Belo Horizonte

Endereço: Rua Pedro Bizoto, 230 – Bairro Madre Gertrudes

Atendimento: 8h às 17h – somente presencial, com distribuição de 30 senhas por período

Continuar lendo BH É A PRIMEIRA CAPITAL DO PAÍS A CONTAR COM UM INSTITUTO MÉDICO VETERINÁRIO LEGAL

CHILENOS PROTESTAM CONTRA ENTRADA DE IMIGRANTES ILEGAIS NO PAÍS

Fora ilegais!’: milhares protestam contra imigrantes no Chile

Cerca de três mil pessoas foram às ruas no norte do país, após desocupação de praça onde venezuelanos dormiam em barracas

INTERNACIONAL

por AFP

Chilenos protestam contra a entrada de imigrantes ilegais no país

MARTIN BERNETTI / AFP

Cerca de três mil pessoas foram às ruas neste sábado (25) em protesto contra a imigração ilegal na cidade de Iquique, norte do Chile, um dia depois da violenta desocupação de uma praça onde várias pessoas, a maioria venezuelanos com crianças, dormiam em barracas.

Em um clima de aberto repúdio aos imigrantes venezuelanos, os manifestantes entoaram o hino da cidade e agitaram bandeiras chilenas, assim como a Whiphala, pavilhão colorido dos povos originários andinos.

A partir da Praça Prat, no centro histórico de Iquique, os manifestantes marcharam por dez quarteirões até a praia banhada pelo oceano Pacífico, onde os carabineiros tiveram que controlar escaramuças isoladas provocadas pelos chilenos que se aproximavam para agredir os venezuelanos em situação de rua.

Desde a manhã de sábado, os imigrantes tentavam se esconder em outras áreas deste balneário para evitar os manifestantes, constataram jornalistas da AFP.

Outros manifestantes radicais se dirigiram a um pequeno acampamento de venezuelanos – que não estavam no local – e queimaram em uma barricada seus poucos pertences: barracas, colchões, bolsas, cobertores, brinquedos.

“Eu sou nascido, criado e mal-criado em Iquique. Sempre vivi nesta região do norte e isto que estamos vivendo é terrível porque o problema é que na Venezuela abriram as prisões e parte dessa gente chegou ao Chile”, disse à AFP Veliz Rifo, um agricultor de 48 anos de La Tirana, povoado em uma espécie de oásis no deserto 72 km a leste de Iquique, fazendo menção a uma informação falsa.

“O pior é que este governo do Chile deixou isto crescer e os que chegaram não são refugiados políticos, nem imigrantes que contribuem com seu trabalho, aqui chegaram muitos delinquentes”, acrescentou, lamentando, assim como muitos manifestantes, o aumento dos assentamentos erguidos pelos imigrantes com caixas de papelão e folhas de zinco nos arredores desta cidade portuária a quase 2.000 km de Santiago.

Outros manifestantes pediam que os mais violentos respeitassem o ato pacífico, enquanto nos restaurantes do centro histórico, garçons venezuelanos e clientes chilenos viam de longe a cena, que denominaram como “triste”.

“Nem todos os venezuelanos roubam, nem todos os chilenos nos odeiam”, diziam em uma mesa do Café Francesco da Praça Prat.

O protesto ocorreu um dia depois do desalojamento da Praça Brasil, onde há um ano pernoitam os migrantes mais pobres e sem documentos que não conseguem chegar a Santiago e sobrevivem vendendo balas, pedindo esmolas ou limpando vidros dos carros nos sinais de trânsito da cidade.

Na operação policial, repudiada por autoridades locais e organizações humanitárias, Jeremy, um menino venezuelano de 4 anos, ficou 24 horas desaparecido. Ele era procurado na manhã deste sábado por carabineiros, que mostravam fotos da criança aos pedestres na praia. Finalmente, o menino foi encontrado.

“Menos mal que encontraram o menino, mas isto resume a má gestão de todo esse drama humanitário, o governo pensa que é só deportar alguns e desalojá-los de uma praça”, queixou-se Franklin Pérez, administrador de um prédio no centro de Iquique.

O governador da região de Tarapacá, José Miguel Carvajal, culpou o governo do presidente Sebastián Piñera pela crise migratória no norte do país, queixando-se que nem ele, nem o prefeito da cidade foram alertados do desalojamento de sexta-feira, que gerou o repúdio de uma parte da população.

“As cem famílias na Praça Brasil hoje (sábado) estão perambulando em diferentes espaços públicos; estão realocando-se com amigos, próximos, com quem vão se alojar novamente com barracas nas praias de Iquique, e outros estão se mobilizando para assentamentos em Alto Hospicio”, zona industrial nos arredores de Iquique.

A colônia venezuelana é a mais numerosa do Chile, com mais de 400.000 pessoas, embora estime-se um número muito maior devido ao aumento de entradas por corredores clandestinos desde 2020, quando o Chile fechou suas fronteiras por causa da pandemia.

Além disso, o governo chileno deu uma guinada em sua política de solidariedade com os venezuelanos, defendida pelo presidente Piñera em 2018, inclusive oferecendo vistos exclusivos para que os venezuelanos “tivessem oportunidades no Chile”.

Desde então, diminuiu drasticamente a aprovação de qualquer visto para quem viaja da Venezuela, depois veio o fechamento de fronteiras pela pandemia e muitos venezuelanos começaram a chegar após viverem por alguns anos em Colômbia, Equador e Peru.

As chegadas de pessoas ao Chile por passagens clandestinas somaram 23.673 até julho, quase 7.000 a mais do que em todo o ano passado, segundo o relatório do Serviço Jesuíta aos Migrantes (SJM) no mês de setembro.

Fonte: R7

Continuar lendo CHILENOS PROTESTAM CONTRA ENTRADA DE IMIGRANTES ILEGAIS NO PAÍS

GOVERNO AUSTRALIANO TEME QUE PROJETO AUMENTE INFLUÊNCIA CHINESA NO PAÍS

Austrália: crise dos submarinos revela tensão crescente com China

Governo australiano, que apoia Taiwan, teme que projeto da ‘Nova Rota da Seda’ aumente influência chinesa no país

INTERNACIONAL

 Eugenio Goussinsky, do R7

Fuzileiros americanos e australianos carregam embarcação em Bowen, AustráliaFuzileiros americanos e australianos carregam embarcação em Bowen, Austrália
AMERICA’A NAVY/26-07-21

A decisão anunciada pelo governo australiano na última terça-feira (14), de abandonar seu seu acordo, selado em 2016, com o Grupo Naval da França para construir uma frota de submarinos convencionais trouxe visibilidade, para o Ocidente, a uma tensão entre China e Austrália, que tem crescido nos últimos anos.

O governo australiano anunciou um novo pacto, com Estados Unidos e Reino Unido, para transferência de tecnologia para a construção de oito submarinos com propulsão nuclear, considerados mais potentes e modernos.

Segundo especialistas, os submarinos, mais precisos e silenciosos, têm condições de patrulhar áreas do Mar da China Meridional com menor risco de detecção.

A decisão enfureceu o governo francês, mas, em termos estratégicos. O presidente Emmanuel Macron, buscando não enfraquecer o poderio francês, convocou os embaixadores dos Estados Unidos e da Austrália, para esclarecimento, mesmo sendo os dois países aliados da França.

O governo francês, no entanto, não tem muito mais o que fazer, além desta tentativa de se impor diplomaticamente, justamente porque, neste imbróglio, tem seus interesses totalmente vinculados aos dos Estados Unidos e Otan, diante do que é visto como uma ameaça chinesa.

Uma ameaça que tem incomodado o governo australiano, justamente porque o país, na Oceania e aliado dos Estados Unidos, se situa em uma região na qual a China está ampliando sua influência, dentro do projeto “Nova rota da seda”, anunciado em 2013 pelo presidente chinês, Xi Jinping e incorporado à Constituição chinesa em 2017.

Porto de Darwin

O objetivo do projeto é fortalecer o vínculo com a Ásia, Europa, África e outras áreas, por meio de obras de infraestrutura, como a construção de portos, ferrovias, aeroportos e centros industriais.

O temor da Austrália é de uma crescente influência do poder econômico e, por conseguinte, do governo chinês dentro de seu território. Isso, aliás, já tem ocorrido.

Desde 2015, o porto de Darwin, localizado no Território do Norte e estratégico, por causa de sua proximidade com a Ásia. O porto está sob controle da estatal chinesa Landbridge, em forma de arrendamento por 99 anos.

Além disso, a Austrália se mantém aliada de Taiwan, apesar de não manterem relações formais, no objetivo da ilha de se firmar como país independente da China.

Para a Austrália, ter os submarinos com propulsão nuclear, produzidos pelos Estados Unidos e Reino Unido, daria mais segurança defensiva, em relação aos interesses chineses, dentro das disputas territoriais no mar da China Meridional.

Além de Taiwan, elas englobam disputas, entre países como Brunei, República Popular da China, Taiwan (República da China, fora da ONU desde 1971), Filipinas, Japão, Vietnã e Malásia.

Os territórios disputados são, entre outros, as Ilhas Spratly e Ilhas Paracel e regiões próximas do mar, como Golfo de Tonkin.

Tais disputas ameaçariam a Austrália, que ainda tem a China como maior parceiro econômico, do ponto de vista territorial e comercial.

A China admite ter interesses nestas regiões e afirma que, mais cedo ou mais tarde, irá recuperar o poder sobre Taiwan, considerada pelo governo chinês como parte indivisível da China.

“A China deve ser e será reunificada. Estamos prontos para fazer o nosso melhor para lutar pela perspectiva de uma reunificação pacífica, mas nunca deixaremos nenhum espaço para qualquer forma de atividades separatistas de ‘independência de Taiwan’ “, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, em abril último.

Pandemia e direitos humanos

As tensões entre China e Austrália aumentaram desde 2018. O governo australiano, do primeiro-ministro Scott Morrison, passou a questionar Pequim sobre as acusações de desrespeito aos direitos humanos contra opositores.

No ano passado, a pandemia também serviu para distanciar ambos os países. As relações entre

Canberra e Pequim congerlaram relações quando o governo de Morrison pediu investigação sobre as origens da covid-19, irritando o governo chinês e afetando os laços comerciais entre os países.

Desde então, a China tem dificultado as exportações para a Austrália, de produtos como carvão, trigo e vinho.

Pesquisa recente feita pelo Australia Institute, 42% dos entrevistados na Austrália acreditam que, em algum momento, a China irá atacar a Austrália, conforme informou artigo do The Guardian.

O jornal revelou que Allan Behm, chefe do programa de assuntos internacionais e de segurança do Australia Institute, garantiu que “não há dúvida de que as ações recentes da China e a retórica anti-China na Austrália geraram medo e insegurança na comunidade australiana”.

O acordo com os Estados Unidos e com o Reino Unido, neste sentido, também se encaixa aos objetivos do governo australiano de recuperar a popularidade, em meio a uma crise econômica potencializada pela pandemia.

No ano passado, o governo australiano elevou a proposta de déficit público no orçamento do ano fiscal seguinte, para 213,7 bilhões de dólares australianos (151,8 bilhões de dólares na ocasião), com o objetivo de expandir gastos, entre outros em programas sociais, para estimular a recuperação econômica do país.

Diante da crise, a compra de modernos submarinos também é uma forma de propaganda do governo australiano. Um discurso belicista é uma grande arma para a imagem de um governo, ao longo do tempo. Neste sentido, a insatisfação da França, acabou sendo, para a Austrália, o menor dos prejuízos.

Fonte: R7

Continuar lendo GOVERNO AUSTRALIANO TEME QUE PROJETO AUMENTE INFLUÊNCIA CHINESA NO PAÍS

NAVEGAÇÕES EM PRINCIPAIS HIDROVIAS DO PAÍS SÃO REDUZIDAS E ATÉ INTERROMPIDAS DEVIDO A SECA

Seca interrompe ou reduz navegação em principais hidrovias do país

Barcaças de soja estão paradas na Tietê-Paraná desde agosto; preocupação já é com safra de 2022

Raquel Landimda CNN

 

A pior crise hídrica dos últimos 91 anos interrompeu ou reduziu a navegação nos principais rios do país. As hidrovias Tietê-Paraná, Paraná-Paraguai e Madeira enfrentam dificuldades.

Para evitar o racionamento de energia, o governo federal diminui a vazão dos reservatórios das hidrelétricas. A medida baixou o calado dos rios e prejudicou o transporte de cargas.

Na hidrovia Tietê-Paraná, as barcaças de soja estão paradas desde o fim de agosto. Com o rio mais vazio, as embarcações correm o risco de encalhar numa região de pedras no canal da usina de Nova Avanhadava, em São Paulo.

Em tempos normais, a soja é embarcada em São Simão (GO) e segue pelo rio até Pederneiras (SP). De lá, vai de trem para o Porto de Santos. A opção agora para a maior parte da carga é ir desde o Centro-Oeste até o porto paulista de caminhão. A preocupação do agronegócio já é com a volta da hidrovia prevista para fevereiro de 2022.

Se não voltar a chover em breve e o nível de rio baixar ainda mais, isso pode inviabilizar a retomada. “Se a hidrovia não voltar a operar, vamos perder toda a movimentação de grãos na safra de 2022”, diz André Nassar, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

No Rio Paraguai, praticamente parou o transporte de minério de ferro de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, até os portos da Argentina e do Uruguai. Já no Rio Madeira, na região norte do país, as barcaças ainda saem de Porto Velho (RO) até Itacoatiara (AM), mas com um volume menor de soja.

Segundo a Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária (Fenavega), o custo do frete pela hidrovia é 70% menor do que o transporte por caminhão. Enquanto uma barcaça carrega 6 mil toneladas de soja, um caminhão leva 50 toneladas.

“Existe uma lei do uso múltiplo das águas: navegação, agricultura irrigada, uso de peixes e produção de energia. Nós sofremos um embate o tempo todo com o setor elétrico. E falta investimento nos rios brasileiros”, diz Raimundo Holanda, presidente da Fenavega.

Procurada pela CNN, a secretaria de Logística e Abastecimento de Transportes de São Paulo disse que a hidrovia Tietê-Paraná acabou parando porque o Ministério da Infraestrutura não liberou o dinheiro para a retirada das pedras no canal da usina de Nova Avanhadava.

Já o ministério da Infraestrutura afirmou que a paralisação das obras no local não ocorreu por falta de recursos, mas por causa do atraso na entrega da complementação da documentação pelo Departamento Hidroviário de São Paulo.

Fonte: CNN
Continuar lendo NAVEGAÇÕES EM PRINCIPAIS HIDROVIAS DO PAÍS SÃO REDUZIDAS E ATÉ INTERROMPIDAS DEVIDO A SECA

ECONOMIA: LEVANTAMENTO DA ANP APONTA QUE O RN TEM A GASOLINA MAIS CARA DO PAÍS

Por Igor Jácome, G1 RN

 

Posto de gasolina, combustível, Natal — Foto: Augusto César GomesPosto de gasolina, combustível, Natal — Foto: Augusto César Gomes

Rio Grande do Norte tem a gasolina mais cara do país, de acordo com o último levantamento de preços da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em média, o preço do litro do combustível custa R$ 6,625 no estado.

O levantamento da agência considera os preços encontrados em postos de todos os estados brasileiros entre os dias 5 e 11 de setembro. No RN, por exemplo, foram consultados 53 postos.

maior preço encontrado nas bombas do estado foi de R$ 6,699 e o menor, R$ 6,420.

Embora outras unidades da federação, como Rio Grande do Sul e Acre, tenham postos vendendo gasolina comum a mais de R$ 7, é possível encontrar estabelecimentos com preços bem mais baixos.

Nos postos gaúchos, por exemplo, a gasolina variou de R$ 5,958 a R$ 7,185 e a média levantada ficou em R$ 6,335.

Com preço médio de R$ 5,224, o Amapá foi o estado com o menor preço para o combustível na semana do levantamento, de acordo com a ANP.

Logo atrás do Rio Grande do Norte, Piauí (R$ 6,605), Rio de Janeiro (R$ 6,560), Acre (R$ 6,485) e Distrito Federal (R$ 6,411) figuraram entre os estados com combustível mais caro do país.

Nos estados vizinhos, Paraíba e Ceará, os preços médios ainda estão abaixo de R$ 6, segundo o levantamento da ANP.

Outros combustíveis

No caso do Etanol, o Rio Grande do Norte tem o terceiro maior preço médio do país: R$ 5,658. Fica atrás apenas do Rio Grande do Sul (R$ 6,036) e do Amapá (R$ 5,680).

Custando em média, R$ 4,578 o gás natural veicular vendido no estado é o segundo mais caro do país, com preço abaixo somente do praticado no Rio Grande do Sul, que é de R$ 4,846.

No caso do óleo diesel, o preço médio encontrado no estado ficou em R$ 4,875, não figurando nem entre os mais caros, nem mais baratos do país. Já o gás do cozinha, de 13 litros, custa em média R$ 100,59.

Preço médio da gasolina por estado

  • Rio Grande do Norte – R$ 6,625
  • Piauí – R$ 6,605
  • Rio de Janeiro – R$ 6,56
  • Acre – R$ 6,485
  • Distrito Federal – R$ 6,411
  • Goiás – R$ 6,363
  • Rio Grande do Sul – R$ 6,335
  • Minas Gerais – R$ 6,304
  • Tocantins – R$ 6,274
  • Espírito Santo- R$ 6,218
  • Rondônia – R$ 6,158
  • Mato Grosso – R$ 6,129
  • Alagoas – R$ 6,1
  • Sergipe – R$ 6,087
  • Pará – R$ 6,07
  • Bahia – R$ 6,062
  • Maranhão – R$ 6,028
  • Pernambuco – R$ 6,018
  • Amazonas – R$ 6,001
  • Ceará – R$ 5,987
  • Mato Grosso do Sul – R$ 5,971
  • Paraíba – R$ 5,929
  • Santa Catarina – R$ 5,833
  • Paraná – R$ 5,775
  • Roraima – R$ 5,739
  • São Paulo – R$ 5,715
  • Amapá – R$ 5,224

Fonte: G1 RN

Continuar lendo ECONOMIA: LEVANTAMENTO DA ANP APONTA QUE O RN TEM A GASOLINA MAIS CARA DO PAÍS

PRIMEIRO MINISTRO DO HAITI ENTROU EM ACORDO COM OPOSIÇÃO PARA FORMAR UM GOVERNO DE UNIDADE NO PAÍS

Premiê e oposição chegam a acordo para formar governo no Haiti

Ariel Henry se comprometeu a formar uma assembleia que redigirá a nova constituição nacional antes das próximas eleições

INTERNACIONAL

Da EFE

primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, entrou em acordo com os principais partidos de oposição para formar um governo de unidade no país, além de ter se comprometido a formar uma assembleia que redigirá a nova constituição nacional antes das próximas eleições.

O novo Executivo será empossado em um prazo de oito dias e ficará no poder até que aconteça o pleito “no máximo, até o fim de 2022”, conforme indica o texto do pacto alcançado neste sábado (11).

Henry ficará com a chefia do Executivo, que será “essencialmente não partidário” e será composto por personalidades escolhidas com base em “sua notoriedade”.

No período de transição, a atuação do governo será supervisionada por uma Autoridade de Controle e Segurança, integrada por dez senadores e por outros 23 pessoas designadas por universidades públicas, câmaras de comércio e outras instituições.

O acordo também prevê a criação de uma Assembleia Nacional Constituinte que seja formada por 33 membros, nomeados por diferentes organismos da sociedade civil, incluindo representantes de grupos feministas, de deficientes, entre outros.

A assembleia será formada já levando em conta o anteprojeto de Constituição apresentado nesta semana, que havia sido redigido por uma comissão de especialistas designada pelo presidente Jovenel Moise, que foi assassinado em 7 de julho deste ano.

Segundo o acordo oficializado hoje, os constituintes terão um prazo de três meses para preparar o projeto de carta magna, que será submetido a ratificação da população do Haiti.

Uma vez que seja promulgada a nova Constituição, serão realizadas novas eleições, no máximo, no fim de 2022, para que eleitos possam assumir os cargos no início do ano seguinte, segundo indica o texto do acordo.

O Haiti está sem presidente desde a morte de Moise, e também em um Parlamento desde o início de 2020, devido ao adiamento das eleições legislativas que deveriam ter acontecido no ano anterior.

Continuar lendo PRIMEIRO MINISTRO DO HAITI ENTROU EM ACORDO COM OPOSIÇÃO PARA FORMAR UM GOVERNO DE UNIDADE NO PAÍS

BOLSOSNARO GRAVA ÁUDIO PEDINDO AOS CAMINHONEIROS MANIFESTANTES QUE LIBEREM AS RODOVIAS PARA NÃO ATRAPALHAR A ECONOMIA DO PAÍS

Bolsonaro diz que bloqueios atrapalham economia e pede que caminhoneiros liberem rodovias

Presidente gravou um áudio para ser enviado aos caminhoneiros manifestantes

Renata Agostinida CNNAna Carolina Nunes

do CNN Brasil Business

em Brasília e em São Paulo

Bolsonaro diz que bloqueios atrapalham economia e pede que caminhoneiros liberem rodovias | CNN BrasilBolsonaro diz que bloqueios atrapalham economia e pede que caminhoneiros liberem vias | AGORA CNN

Diante da escala dos bloqueios feitos por caminhoneiros em rodovias pelo país – até o momento, em 16 estados – o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) gravou um áudio direcionado aos manifestantes afirmando que os bloqueios atrapalham a economia, pois provocam desabastecimentos, inflação e prejudicam a todos, “em especial os mais pobres.”

O presidente afirma que os caminhoneiros são aliados, e pede, então, para que liberem as estradas e deixem “seguir com a normalidade”. “A gente em Brasília aqui agora, não é fácil negociar e conversar com outras autoridades, mas a gente vai fazer a nossa parte e vamos buscar uma solução para isso, tá ok?”, diz Bolsonaro no áudio.

O presidente finaliza a mensagem enviando um abraço para todos os caminhoneiros.

A autenticidade da mensagem foi confirmada por duas fontes do governo à CNN e pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que gravou um vídeo diante da repercussão do áudio.

Segundo o ministro, o áudio “mostra a preocupação do presidente com a paralisação”. “Essa paralisação ia agravar efeitos da economia, inflação, impactar os mais pobres e mais vulneráveis. Nós já temos hoje um efeito nos preços dos produtos em função da pandemia”, reforçando a mensagem de Bolsonaro.

Tarcísio de Freitas segue dizendo que é uma preocupação de todos a melhoria da situação do país e com a resolução de problemas graves. “Mas a gente não pode tentar resolver um problema criando outro, principalmente os mais vulneráveis. Daí a preocupação do presidente da república.”

Na noite desta quarta-feira, a Polícia Rodoviária Federal contabilizava bloqueios parciais de estradas em 16 estados.

Mais cedo, ao falar com apoiadores, o presidente já havia feito um “apelo” aos caminheiros, pedindo que não houvesse paralisação nas rodovias do país.

“Não parem, caminhoneiros. Se tiver uma paralisação no Brasil, todos vão sofrer. Desde o abastecimento, inflação, vai ter problemas sociais graves. Se eu puder apelar aos caminhoneiros aqui é que não parem o Brasil. Eu sei do poder que eles têm e reconheço o trabalho que eles fazem, mas acredito que a paralisação não interessa para nenhum de nós”, disse Bolsonaro.

O presidente agradeceu ainda aos caminheiros e disse saber o que eles têm suportado diante do preço do combustível e dos pedágios, mas pediu “moderação”.

“Não é a gente matando a vaca que vai liberar o carrapato, então moderação para todo mundo. Sabemos onde está o erro. O outro lado também sabe onde está o erro, mas não quer dar o braço a torcer. Eu não tenho os poderes que vocês pensam que eu tenho”, disse Bolsonaro.

Os bloqueios nas estradas chegaram a ser discutidos por Bolsonaro durante a reunião ministerial na manhã desta quarta-feira. A avaliação no Palácio do Planalto é que o fato de não haver uma pauta setorial e se tratar de um movimento ser descentralizado dificulta a atuação do governo. Por isso, os recados enviados pelo presidente para tentar desarticular a ação dos caminhoneiros.

Continuar lendo BOLSOSNARO GRAVA ÁUDIO PEDINDO AOS CAMINHONEIROS MANIFESTANTES QUE LIBEREM AS RODOVIAS PARA NÃO ATRAPALHAR A ECONOMIA DO PAÍS

EX-PRESIDENTE DO AFEGANISTÃO SE DESCULPOU COM A POPULAÇÃO AFEGÃ POR TER FUGIDO DO PAÍS E NEGA TER ROUBADO MILHÕES DE DÓLARES

Ex-presidente afegão pede desculpa ao povo por ter fugido do país

Ashraf Ghani disse que sair do Afeganistão foi a decisão mais difícil de sua vida e negou ter roubado milhões de dólares

INTERNACIONAL

Lucas Ferreira, do R7

Ashraf Ghani deixou Cabul, capital do Afeganistão, no dia 15 de agosto

PALÁCIO PRESIDENCIAL AFEGÃO / VIA REUTERS – 14/08/2021

O ex-presidente do Afeganistão, Mohammad Ashraf Ghani, se desculpou nesta quarta-feira (8) com a população afegã por ter fugido do país no dia 15 de agosto. Segundo o político, esta foi a decisão mais difícil de sua vida, mas teria sido tomada para garantir a segurança dos 6 milhões de moradores da capital Cabul e evitar confrontos armados contra o Talibã.

Em comunicado publicado nas redes sociais, Ghani afirmou que nunca quis abandonar o povo afegão após mais de 20 anos tentando “construir a democracia” no país.

“Deixar Cabul foi a decisão mais difícil da minha vida, mas eu acredito que esta foi a única maneira de manter as armas caladas e salvar Cabul e seus 6 milhões de habitantes. Eu tenho dedicado mais de 20 anos da minha vida a ajudar os afegãos a construírem uma democracia, prosperidade e soberania estatal – nunca foi minha intenção abandonar o povo ou essa visão.”

Ghani também se defendeu da acusação de que teria levado consigo milhões de dólares pertencentes ao Afeganistão. O ex-presidente se colocou a disposição para passar por uma auditoria independente de suas finanças e posses.

“Estas afirmações são completamente e categoricamente falsas. Corrupção é uma praga que prejudicou o nosso país por décadas e combater a corrupção foi o foco central dos meus esforços como presidente. […] Eu recebo com felecidade uma auditoria oficial ou investigação financeira sob tutela das Nações Unidas ou qualquer outro órgão independente apropriado para provar a veracidade das minhas afirmações.”

O presidente deposto ainda encoraja que políticos do alto escalão afegão tomem a mesma atitude para mostrar ao povo do Afeganistão a honestidade do antigo regime.

Na última terça-feira (7), o Talibã anunciou o novo governo provisório do país. Mohammad Hasan Akhund, antigo conselheiro político do fundador do grupo, Mullah Omar, foi nomeado o líder do regime. Internacionalmente, a China celebrou o que chamou de ‘fim da anarquia’ no Afeganistão, enquanto os EUA consultarão aliados mundiais sobre a formação deste governo.

“É com profundo pesar que meu próprio capítulo terminou em tragédia semelhante a de meus antecessores – sem garantir estabilidade e prosperidade. […] Meu compromisso com o povo afegão nunca enfraqueceu e me guiará pelo resto da vida”, concluiu Ghani.

Fonte: R7

Continuar lendo EX-PRESIDENTE DO AFEGANISTÃO SE DESCULPOU COM A POPULAÇÃO AFEGÃ POR TER FUGIDO DO PAÍS E NEGA TER ROUBADO MILHÕES DE DÓLARES

EMBAIXADA DA CHINA SERÁ MANTIDA NO AFEGANISTÃO, SEGUNDO ANUNCIOU TALIBÃS

Talibãs anunciam que China manterá embaixada no Afeganistão

Segundo porta-voz, o governo chinês também irá ampliar a ajuda humanitária para o país, inclusive no combate à pandemia

Homens do Talibã patrulham as ruas de Cabul, capital do Afeganistão

AAMIR QURESHI / AFP – 2.9.2021

Um porta-voz do Talibã afirmou nesta quinta-feira (2) que a China prometeu manter aberta sua embaixada no Afeganistão e aumentar a ajuda ao país, devastado por décadas de conflito.

Abdul Salam Hanafi, membro do gabinete político do grupo islâmico em Doha, no Catar, “manteve conversas com Wu Jianghao, vice-ministro das Relações Exteriores da República Popular da China”, anunciou o porta-voz do grupo, Suhail Shaheen no Twitter.“O vice-ministro chinês garantiu que manterá sua embaixada em Cabul e que nossas relações melhorarão. (…) A China continuará e aumentará sua ajuda humanitária, em particular para o tratamento da covid-19”, acrescentou.Fonte: R7

Continuar lendo EMBAIXADA DA CHINA SERÁ MANTIDA NO AFEGANISTÃO, SEGUNDO ANUNCIOU TALIBÃS

OPINIÃO: O PAÍS JÁ VIVE UMA “RUPTURA INSTITUCIONAL” E ESTÁ SOB COMANDO DE UMA “DITADURA DE TOGA” PRATICADA PELO STF

Ana Paula Henkel diz que a ruptura já aconteceu e que vivemos uma “Ditadura da Toga” (veja o vídeo)

Reprodução InternetReprodução Internet

A comentarista política da Rádio Jovem Pan, Ana Paula Henkel fez uma análise em que apresenta uma série de fatores que demonstram que o país já vive uma “ruptura institucional” e está sob o comando de uma “ditadura de toga” praticada pelo Supremo Tribunal Federal.

Henkel cita a entrega de autos do Inquérito das Fake News, cujos conteúdos são negados aos advogados dos réus, mas que acabam de ser totalmente disponibilizados para a CPI da Pandemia, em curso no Senado Federal.

O objetivo seria iniciar uma verdadeira perseguição aos que são acusados de divulgar Fake News e que teriam, olha só, causado desinformação que levou ao aumento do número de mortos pela pandemia.

Ana Paula ainda faz críticas à bajulação desmedida da mídia a parlamentares corruptos que comandam a CPI, e à superexposição dos próprios membros do STF.

A indignação da comentarista da Pan só confirma aquilo que todo brasileiro com o mínimo de integridade e bom senso ja sabe. O Brasil da ruptura institucional é aquele em que o subjetivo se torna prova incontestável, enquanto os fatos mais graves, devidamente materializados, são levados em conta somente se for conveniente.

Veja o vídeo:

 

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: O PAÍS JÁ VIVE UMA “RUPTURA INSTITUCIONAL” E ESTÁ SOB COMANDO DE UMA “DITADURA DE TOGA” PRATICADA PELO STF

SECRETÁRIO DE DEFESA DOS EUA ORDENOU A VACINAÇÃO OBRIGATÓRIA IMEDIATA CONTRA COVID-19 PARA TODOS OS MILITARES DO PAÍS

Pentágono ordena vacinação obrigatória a todos os militares

Medida se estende a todo o efetivo, tanto na ativa quanto na reserva, que ainda não foi imunizado contra a covid-19

INTERNACIONAL

 por Agência EFE

Lloyd Austin, secretário de Defesa dos EUA, emitiu a ordem nesta quarta

MICHAEL REYNOLDS / EFE – EPA – 19.8.2021

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, ordenou nesta quarta-feira (25) a vacinação obrigatória e imediata contra a covid-19 para todos os militares do país.

Em comunicado enviado aos responsáveis de todos os departamentos militares, Austin pediu a imunização de todos os efetivos — tanto aqueles que estão na ativa como os da reserva — que ainda não se vacinaram.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, explicou em entrevista coletiva que serão administradas as vacinas que tiverem sido completamente aprovadas pela Food and Drug Administration (FDA).

Até agora, o único imunizante a ter recebido a aprovação completa da FDA é o da Pfizer. As outras duas vacinas que estão sendo administradas no país — Moderna e Janssen — só têm autorização para o uso emergencial.

Questionado sobre a possibilidade de haver militares receosos com a vacinação, Kirby enfatizou que esta é “uma ordem legal”.

“E antecipamos que nossas tropas vão seguir as ordens legais. Quando você ergue a mão direita e faz o juramento, é o que concorda em fazer”, declarou.

No entanto, o porta-voz acrescentou que os comandantes têm “muitos instrumentos disponíveis” para aumentar as taxas de vacinação e para conseguir fazer com que os soldados tomem “a decisão certa sem terem de recorrer a ações disciplinares”.

Continuar lendo SECRETÁRIO DE DEFESA DOS EUA ORDENOU A VACINAÇÃO OBRIGATÓRIA IMEDIATA CONTRA COVID-19 PARA TODOS OS MILITARES DO PAÍS

ESPANHA LIBERA ENTRADA DE BRASILEIROS IMUNIZADOS E SEM QUARENTENA NO PAÍS

Brasileiros estão liberados para entrar na Espanha sem quarentena

Turista precisa estar completamente imunizado a mais de 14 dias e apresentar um comprovante de vacinação em espanhol

INTERNACIONAL

 Pablo Marques, do R7

Brasileiros podem entrar na Espanha sem fazer quarentena

PIXABAY

O governo espanhol anunciou, nesta terça-feira (24), que os brasileiros estão liberados de fazer quarentena para entrar no país desde que estejam completamente imunizados a mais de 14 dias.

Segundo o comunicado divulgado pela embaixada espanhola, pessoas vacinadas com qualquer uma das vacinas disponíveis podem entrar no país, inclusive quem recebeu as doses do imunizante Coronavac.

O certificado de imunização deve ser traduzido para o espanhol, inglês, francês ou alemão. Para vacinas feitas no Brasil, é necessário obter o certificado digital do Ministério da Saúde do Brasil na versão em espanhol.

As pessoas que pegaram covid-19 e não se vacinaram poderão apresentar um certificado de recuperação, mas desde que já tenha passado pelo menos 11 dias desde o primeiro teste positivo. Esse certificado também deve ser traduzido para o espanhol, inglês, francês ou alemão e terá validade de 180 dias.

Não será exigido um teste negativo feito com uma certa antecedência do embarque, mas é possível que seja solicitado que o passageiro seja testado no momento do desembarque. Todos terão a temperatura corporal verificada e a entrada poderá ser negada por motivos de saúde pública.

A Espanha permite voo vindos do Brasil desde de 3 de agosto, mas a entrada era permitida apenas para familiares de cidadãos espanhóis e para quem tem visto de longa duração, incluindo estudantes.

No dia 22 de julho a Espanha já havia reaberto suas fronteiras, com restrições, para pessoas de 23 países, mas o Brasil ficou de fora da lista

Continuar lendo ESPANHA LIBERA ENTRADA DE BRASILEIROS IMUNIZADOS E SEM QUARENTENA NO PAÍS

TALIBÃ NO PODER É UM RISCO PARA O PATRIMÔNIO CULTURAL DO AFEGANISTÃO

Patrimônio cultural do Afeganistão corre risco com Talibã no poder

Funcionários do Museu Nacional de Cabul estariam escondendo peças do acervo para evitar que sejam destruídas

INTERNACIONAL

 Fábio Fleury, do R7

Um dos Budas de Bamiyan, destruídos pelo Talibã no início de 2001

FRANÇOISE FOLIOT VIA WIKIMEDIA COMMONS

Após a tomada de Cabul, capital do Afeganistão, pelo grupo islâmico Talibã no último dia 15, as preocupações da comunidade internacional se voltaram não só para os destinos das mulheres e crianças afegãs e dos cidadãos que colaboraram com forças estrangeiras ao longo dos quase 20 anos de ocupação, mas também para o inestimável patrimônio cultural do país.

Na última semana, Audrey Azoulay, diretora-geral da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), fez um apelo aos talibãs, “pela preservação da herança cultural do Afeganistão em sua diversidade, em respeito à lei internacional e protegendo o patrimônio cultural de danos e saques”.O pedido da diretora se justifica pelas atitudes do Talibã durante o período em que o grupo governou o país, de 1996 até 2001, quando foi derrotado pela intervenção dos EUA e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Em março de 2001, eles explodiram duas estátuas gigantes de buda no vale de Bamiyan, que fica a cerca de 180 quilômetros a oeste de Cabul.

 

Com 55 e 38 metros de altura, as duas estátuas escavadas na rocha e o sítio arqueológico ao redor foram considerados patrimônios da humanidade pela Unesco em 2003.  Os arqueólogos estimam que as imagens teriam sido construídas entre o fim do século 6 d.C. e o início do século 7 d.C.

Segundo relatos, o Talibã chegou a debater a destruição das estátuas por se tratarem de representações de divindades do budismo e cogitaram mantê-las intactas, pois não havia praticantes da religião entre a população afegã. No entanto, elas foram destruídas como uma espécie de vingança, segundo uma entrevista do líder talibã, o mulá Mohammed Omar, a um jornal paquistanês em 2004.

“Eu não queria destruir o buda de Bamiyan. Alguns estrangeiros me disseram que queriam fazer reparos na estátua, que tinha sido levemente afetada pelas chuvas. Isso me chocou. Eu pensei, essas pessoas não se importam com milhares de seres humanos, os afegãos que estão morrendo de fome, mas estão preocupados com a estátua. Achei isso deplorável e ordenei sua destruição. Se tivessem vindo para trabalho humanitário, nunca teria ordenado”, afirmou.

Proteção do patrimônio cultural

Criada em paralelo à ONU após a Segunda Guerra Mundial, a Unesco tem o papel de defender a educação, a saúde, os direitos humanos e o patrimônio cultural, segundo a historiadora Aline Vieira de Carvalho, professora de pós-graduação em História e pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam) da Unicamp.

“Quando a gente fala de patrimônio, fala de outras culturas, de diversidade religiosa, é pra isso que serve o patrimônio histórico. Ele nos dá a dimensão de que somos diferentes e essa convivência precisa ser preservada. Então quando você tem um grupo extremista no poder, com essa leitura muito estrita das leis religiosas, o temor é pelo apagamento dessa memória”, explica a historiadora.

No caso específico do Afeganistão, que fica na Ásia Central e pertenceu a um grande número de impérios ao longo da história, do grego, de Alexandre, o Grande, até o britânico, passando por Genghis Khan, entre outros, a herança cultural é algo precioso. Por isso, toda essa preocupação por parte de organizações internacionais e de especialistas. Para Aline, o Minarete de Jam também está em perigo e deveria estar protegido pela Unesco.

“O patrimônio do Afeganistão nos interessa porque é um território que tem uma história de milênios e que de certa forma foi um espaço de trânsitos culturais e de encontros culturais. No caso de Bamiyan há uma clara influência indiana. Por que há também a preocupação com o minarete e os restos arqueológicos de Jam? Porque eles já estão em perigo, estão numa área onde o conflito limpa a cultura e cria uma versão muito singular do passado”, alerta.

Segundo a pesquisadora da Unicamp, tentativas de resgate do patrimônio histórico podem ser observadas antes mesmo da criação da Unesco, quando obras de arte e livros foram salvos dos nazistas na Europa durante a Segunda Guerra. No caso de cidades históricas, como Herat, no Afeganistão, isso não é possível, mas em uma escala menor isso já está acontecendo no país.

“Temos informações que no Museu Nacional de Cabul, onde há mais de 800 mil peças de arte islâmica, todas manifestações de uma herança riquíssima, os funcionários estão retirando algumas obras para preservá-las. Essa estratégia já vinha sendo usada há muito tempo e está incluída na convenção de 1954, que foi criada para proteger o patrimônio cultural e histórico em áreas de conflito”, destaca.

No dia 15, funcionários do Museu Nacional publicaram uma nota no perfil da instituição no Facebook, falando sobre o caos na cidade em meio à invasão do Talibã. “Usando a oportunidade, criminosos saquearam propriedades públicas e privadas. Os funcionários e artefatos do museu ainda estão em segurança, mas essa situação caótica causa grande preocupação. Por isso, pedimos atenção para a segurança dos objetos desta instituição”, diz o texto.

Por tudo isso, o futuro do país, não apenas para seu povo, mas também sua herança cultural, está sob risco. Não apenas para a Unesco como para a comunidade científica.

“Acho que a grande questão do Afeganistão e a preocupação da Unesco é saber que o perigo dessa destruição, desse apagamento da memória, é absolutamente irreparável. Todos estamos muito preocupados também com a situação das pessoas, das crianças, mas também o direito ao território, à memória e ao pertencimento sendo perdidos. Tudo isso é desolador”, lamenta Aline

Continuar lendo TALIBÃ NO PODER É UM RISCO PARA O PATRIMÔNIO CULTURAL DO AFEGANISTÃO

O ESTADO DO RN ESTÁ NO 9º LUGAR NO RANKING DA GASOLINA MAIS CARA DO BRASIL

RN tem a 9ª gasolina mais cara do Brasil

24 ago 2021

RN tem a 9ª gasolina mais cara do Brasil; saiba quais são os estados com o litro mais barato

Batendo recordes inflacionários a cada semana, o preço da gasolina segue em indomável disparada no Brasil. Contudo, a depender do estado em que o consumidor mora, os valores praticados podem ter variações significativas.

O Rio de Janeiro tem o preço médio mais alto do País, com o litro vendido a R$ 6,48. Apenas três centavos abaixo, surge o Acre (R$ 6,45). O pódio é completado pelo Distrito Federal, onde a gasolina é comercializada por R$ 6,35, na média. Os dados constam na mais recente pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), realizada entre os dias 15 e 21 de agosto.

Entre os estados nordestinos, o Piauí é o recordista de inflação, com o preço médio de R$ 6,30; seguido do Rio Grande do Norte, cujos postos vendem o litro a R$ 6,10. No sentindo oposto, o estado com a gasolina mais barata é o Amapá. Na média, os amapaenses pagam R$ 5,14 pelo litro.

Na nova e indigesta realidade dos combustíveis, esta cotação pode ser considerada baixa, embora ainda soe estranho atribuir bons adjetivos à gasolina mesmo acima da casa dos R$ 5. O Ceará ocupa a 18º posição no raking nacional, portanto, está entre as 10 mais baratas do País, com o valor médio de R$ 5,93 por litro.

Ranking: preço médio da gasolina nos estados

  1. Rio de Janeiro: R$ 6,48
  2. Acre: R$ 6,45
  3. Distrito Federal: R$ 6,35
  4. Piauí: R$ 6,30
  5. Goiás: R$ 6,27
  6. Minas Gerais: R$ 6,18
  7. Tocantins: R$ 6,15
  8. Rio Grande do Sul: R$ 6,14
  9. Rio Grande do Norte: R$ 6,10
  10. Sergipe: R$ 6,09
  11. Rondônia: R$ 6,06
  12. Bahia: R$ 6,06
  13. Alagoas: R$ 6,04
  14. Espírito Santo: R$ 6,04
  15. Pará: R$ 6,03
  16. Mato Grosso do Sul: R$ 5,95
  17. Mato Grosso: R$ 5,94
  18. Ceará: R$ 5,93
  19. Pernambuco: R$ 5,90
  20. Maranhão: R$ 5,90
  21. Amazonas: R$ 5,79
  22. Paraíba: R$ 5,79
  23. Santa Catarina: R$ 5,74
  24. Paraná: R$ 5,73
  25. Roraima: R$ 5,63
  26. São Paulo: R$ 5,62
  27. Amapá: R$ 5,14
Fonte: Política em Foco
Continuar lendo O ESTADO DO RN ESTÁ NO 9º LUGAR NO RANKING DA GASOLINA MAIS CARA DO BRASIL

COLÔMBIA HOSPEDARÁ TEMPORIAMENTE AFEGÃOS QUE FOGEM DA TOMADA DE SEU PAÍS PELO TALIBÃ ENQUANTO AGUARDA APROVAÇÃO PARA ENTRAR NOS EUA

Colômbia receberá refugiados afegãos que se dirigem aos EUA

Cerca de 4 mil afegãos que colaboraram com norte-americanos ficarão no país até a emissão de visto norte-americano

INTERNACIONAL

 por Reuters

Presidente da Colômbia anunciou a abertura do país para afegãos que vão para os EUA

NATHALIA ANGARITA / REUTERS – ARQUIVO

A Colômbia hospedará temporariamente afegãos que fogem da tomada de seu país pelo Talibã enquanto aguardam a aprovação para entrar nos Estados Unidos, disse o presidente Iván Duque nesta sexta-feira (20).

Duque não especificou quantos afegãos transitariam pela Colômbia. Os meios de comunicação dos EUA e da Colômbia informaram que o número será de cerca de 4.000.

O presidente dos EUA, Joe Biden, está enfrentando críticas por sua forma de lidar com a caótica retirada norte-americana do Afeganistão. Os críticos acusam seu governo de avaliar mal a velocidade com que o Talibã assumiria o controle e de desvirtuar o planejamento de retirada de norte-americanos e aliados afegãos após a presença de 20 anos dos EUA no Afeganistão.

“A Colômbia também se junta ao grupo de países aliados que oferecerá apoio aos EUA para que os cidadãos do Afeganistão que ajudaram os EUA durante anos e que estão em processo de registro e transferência migratória para aquele país possam ficar na Colômbia temporariamente”, disse Duque em declarações conjuntas com o embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg.

Mais detalhes serão fornecidos nos próximos dias, segundo Duque.

Os Estados Unidos pagarão o custo da estada dos afegãos no país sul-americano, disse Goldberg, agradecendo à Colômbia por sua ajuda e também por sua generosidade em receber cerca de 2 milhões de imigrantes venezuelanos.

Entre terça (17) e quarta-feira (18), as forças armadas de diversos países deram início ao processo de retirada de seus cidadãos do Afeganistão, que desde o último domingo (15) está sob controle do Talibã. Na foto acima, indianos fazem fila para embarcar em um avião militar que partiu na terça-feira de Cabul, capital do país, rumo à Índia.

Fonte: R7

Continuar lendo COLÔMBIA HOSPEDARÁ TEMPORIAMENTE AFEGÃOS QUE FOGEM DA TOMADA DE SEU PAÍS PELO TALIBÃ ENQUANTO AGUARDA APROVAÇÃO PARA ENTRAR NOS EUA

CINCO BRASILEIROS ESTÃO NO AFEGANISTÃO, CONFIRMA ITAMARATY

Itamaraty confirma que cinco brasileiros estão no Afeganistão

Ministério das Relações Exteriores afirmou que situação de cidadãos é “prioridade” e disse que dois deles querem deixar o país

INTERNACIONAL

 Do R7

Estrangeiros e afegãos continuam deixando o país em voos que partem de Cabul

FORÇAS ARMADAS DA FRANÇA / DIVULGAÇÃO VIA AFP – 20.8.2021

O Itamaraty confirmou, nesta sexta-feira (20), que pelo menos 5 brasileiros continuam no Afeganistão após o país ter sido dominado pelo Talibã. Segundo a nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, dois deles manifestaram o desejo de sair do território afegão.

“A situação dos brasileiros no Afeganistão constitui, neste momento, prioridade para a assistência consular do Itamaraty”, diz o comunicado. Não há até o momento informações sobre as identidades dos brasileiros que estão no país asiático.

O ministério também confirmou que o governo brasileiro avalia conceder vistos humanitários a cidadãos afegãos que queiram deixar o país, nos mesmos moldes das autorizações já concecidas a refugiados de outros países, como o Haiti e a Síria.

“A situação dos brasileiros no Afeganistão constitui, neste momento, prioridade para a assistência consular do Itamaraty. Foram amplamente divulgados os dados de contato da Embaixada do Brasil em Islamabad, que tem a representação do Brasil junto ao Afeganistão e a jurisdição consular sobre o território afegão, e da Divisão de Assistência Consular, para identificar e apoiar brasileiros que precisem urgentemente de auxílio.

São os seguintes os telefones de plantão da Embaixada do Brasil no Paquistão (+92 300 8525941) e da Divisão de Assistência Consular do MRE (+55 61 98197-2284).

Até o momento, há informação sobre cinco brasileiros no Afeganistão, dois dos quais manifestaram intenção de deixar o país.

Os brasileiros que necessitem receberão o apoio mais amplo possível. Está sendo realizada coordenação diplomática com países que têm conduzido operações de resgate em território afegão.

No momento, o Governo brasileiro avalia a possibilidade de concessão de vistos humanitários para pessoas afetadas pela situação política no Afeganistão em termos semelhantes aos concedidos a haitianos e apátridas da República do Haiti e para as pessoas afetadas pelo conflito na Síria.”

Continuar lendo CINCO BRASILEIROS ESTÃO NO AFEGANISTÃO, CONFIRMA ITAMARATY

MULTIDÃO DE AFEGÃOS FOI ATÉ AO AEROPORTO DE CABUL NA TENTATIVA DE DEIXAR O PAÍS

EUA pedem a cidadãos para que se refugiem e evitem aeroporto

Multidão de pessoas tentou embarcar à força em aviões norte-americanos que estavam partindo de Cabul com estrangeiros

INTERNACIONAL

 por Agência EFE

Multidão de afegãos foi até o aeroporto de Cabul na tentativa de deixar o país

WAKIL KOHSAR / AFP

Os Estados Unidos pediram nesta segunda-feira a seus cidadãos no Afeganistão que “se refugiem” e evitem ir ao aeroporto de Cabul, palco de cenas dramáticas nas últimas horas, com centenas de pessoas tentando desesperadamente entrar em aviões – até mesmo se agarrando a eles – rumo a outros países.

“Pedimos aos cidadãos americanos que se refugiem e não vão ao aeroporto até novo aviso do Departamento de Estado”, disse o porta-voz da pasta, Ned Price, em entrevista coletiva um dia após a capital afegã cair sob domínio dos talibãs.

Ao menos dois atiradores foram mortos pelas forças de segurança americanas no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, de acordo com o Pentágono.

Price também disse que “todas as opções” para retirar afegãos que se beneficiam do programa especial de vistos e suas famílias continuam a ser exploradas. Além disso, ele reiterou que a segurança dos funcionários do governo dos EUA e cidadãos americanos é uma prioridade para o país.

Em relação aos diplomatas americanos, Price confirmou que os funcionários que estavam na embaixada em Cabul, incluindo o embaixador, foram levados ao aeroporto de Cabul, onde estão “seguros”.

O porta-voz afirmou que os EUA vão manter uma presença diplomática no Afeganistão “desde que seja seguro e responsável fazê-lo”, mas ressaltou que a embaixada está fechada.

“Não há presença dos EUA no terreno na embaixada”, explicou.

Sobre as imagens dramáticas no aeroporto de Cabul, onde pelo menos seis pessoas morreram, segundo várias testemunhas, e milhares de pessoas desesperadas tentavam fugir do país embarcando em voos de repatriação, Price as classificou como “caóticas”, “dolorosas” e “difíceis de observar”.

Ao comentar um comunicado do Conselho Superior de Reconciliação Nacional do Afeganistão, Price disse que o governo dos EUA só trabalhará com um governo afegão que seja “inclusivo e representativo”, o que, segundo ele, inclui a “participação plena e significativa das mulheres”.

Os EUA enviaram 6 mil soldados nos últimos dias, e outros 1 mil estão a caminho do Afeganistão para ajudar na retirada de civis americanos e seus aliados após a tomada de poder pelos talibãs.

Continuar lendo MULTIDÃO DE AFEGÃOS FOI ATÉ AO AEROPORTO DE CABUL NA TENTATIVA DE DEIXAR O PAÍS

POLÍTICA: PT AINDA SE MOSTRA INCAPAZ DE LIDAR COM OS ERROS COMETIDOS NOS 13 ANOS EM QUE GOVERNOU O PAÍS

Editorial O Globo diz que esquerda insiste no modelo econômico que fracassou, cita erros do PT e corrupção desmascarada

Foto: Reprodução

Faltando pouco mais de um ano para as eleições de 2022, o Partido dos Trabalhadores (PT) ainda se mostra incapaz de lidar com um dos maiores erros cometidos nos 13 anos em que governou o país. Não se trata apenas da corrupção desmascarada pela Operação Lava-Jato. Mas da principal causa dela: a crença irracional no modelo econômico nacional-desenvolvimentista, que resultou em repetidos fracassos ao longo da história brasileira. Outros partidos (sobretudo de esquerda) padecem do mesmo mal.

Uma nova evidência do custo desse erro é um estudo recente do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV). De autoria de Adriano Pires e Luana Furtado, ambos da consultoria Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), e do economista do Ibre/FGV Samuel Pessôa, ele apresenta números novos para dimensionar as consequências nefastas da mão pesada do Estado na economia.

O levantamento conclui que o custo de construção da Refinaria Abreu e Lima, no litoral sul de Pernambuco, uma decisão do governo Lula baseada em cálculos políticos, foi o maior na comparação com unidades de refino semelhantes inauguradas em 11 diferentes países — da Coreia do Sul à Índia, incluindo China e México.

Analisando o valor investido, chega-se à estarrecedora marca de US$ 160 mil gastos para cada barril diário de capacidade instalada, o quíntuplo da média das obras analisadas. A unidade que mais se aproxima da brasileira em termos de custo é a construída na província de Alberta, no Canadá, dedicada ao refino de óleo oriundo de areia betuminosa, atividade sabidamente mais cara. Mesmo assim, o preço final da usina canadense foi 23% inferior ao da brasileira.

A história da Abreu e Lima é de chorar de desgosto. O orçamento para a construção foi aprovado em 2005 com um valor estimado em US$ 2,3 bilhões. O projeto original previa uma parceria com a venezuelana PDVSA e a conclusão da obra em 2011. Em 2006, após uma revisão, o valor pulou para US$ 4 bilhões. Como diz o estudo do Ibre, “a mudança foi atribuída à variação cambial e a modificações no perfil do petróleo venezuelano” que seria refinado em parte da Abreu e Lima.

Três anos mais tarde, um novo salto no orçamento, desta vez maior, para US$ 13,4 bilhões. Não pararia aí. Em 2014, os números oficiais avaliavam a obra em US$ 18,5 bilhões. A refinaria acabou entrando em operação em 2014 com metade da capacidade anunciada no projeto inicial, já que a parceria com os venezuelanos nunca se concretizou. Não é coincidência que, entre os condenados pela Lava-Jato, constem vários nomes ligados a desvios durante a obra.

Como ao menos a refinaria entrou em operação, esse péssimo histórico ainda é melhor que o do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), outra iniciativa do governo Lula. A refinaria fluminense ainda tem futuro incerto após 15 anos de seu anúncio e investimento de US$ 12,5 bilhões, segundo o Tribunal de Contas da União.

Seria no mínimo salutar que os dirigentes do PT e outros defensores do nacional-desenvolvimentismo esclarecessem se aprenderam com o desperdício dos elefantes brancos, a corrupção decorrente do capitalismo de compadrio e a ilusão de políticas industriais que soam brilhantes quando saem da cabeça dos intelectuais, mas se mostram trágicas ao encontrar a realidade.

Opinião – O Globo

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo POLÍTICA: PT AINDA SE MOSTRA INCAPAZ DE LIDAR COM OS ERROS COMETIDOS NOS 13 ANOS EM QUE GOVERNOU O PAÍS

OPINIÃO: OSWALDO EUSTÁQUIO NÃO DEIXA PEDRA SOBRE PEDRA E DISPARA CONTRA AS ARBITRARIEDADES QUE ESTÃO ACONTECENDO NO PAÍS

Oswaldo Eustáquio escancara “golpe” contra Bolsonaro e revela onde a trama vai começar (veja o vídeo)

Oswaldo Eustáquio (Reprodução)Oswaldo Eustáquio (Reprodução)

Em entrevista imperdível à TV JCO, o jornalista Oswaldo Eustáquio não deixou pedra sobre pedra, disparando contra as arbitrariedades que estão acontecendo no país.

Direto da Costa Rica, sede da Corte Interamericana de Direitos Humanos, onde foi apresentar denúncia contra o ministro Alexandre de Moraes pela prisão do deputado federal Daniel Silveira, Eustáquio fez um verdadeiro raio-x do turbulento cenário político brasileiro:

“Eu sou uma prova viva de abuso de autoridade.

Fui brutalmente espancado, agredido e torturado na prisão. A PGR arquivou o inquérito nº 4828, que chamavam de atos antidemocráticos, e descobriram que nada pesava sobre mim.

Diante disso, fui declarado inocente, nem acusado fui, nem denunciado fui, mas meu sigilo telefônico continua sendo quebrado”, explicou.

Eustáquio criticou duramente a postura da Câmara em relação ao deputado Daniel Silveira:

“O presidente da Câmara se ajoelhou ao STF. Eu não estou aqui para criticar o Arthur Lira, mas eu quero dizer para vocês que o Arthur Lira tem vários processos no STF.

E, quando ele é investigado pelo STF, ele tem nas mãos a possibilidade de desafiar o STF, mas com vários processos, ele não faz.

A Constituição é muito clara: Daniel não pode estar preso sem anuência do Congresso Nacional, ou seja, se o Congresso Nacional falar ‘revoga a prisão do Daniel Silveira’, a prisão tem que ser revogada no ato que isso for julgado em plenário”, analisou.

Ainda durante a entrevista, Oswaldo apontou o desequilíbrio de poderes e deixou claro que quem tem mandado no Brasil é o STF e, para ele, existe uma clara provocação dos ministros desta instituição ao presidente Bolsonaro:

“Ele [STF] está provocando, cada vez mais, o presidente Bolsonaro. Pra quê? Para que Bolsonaro tome uma atitude.

E quando Bolsonaro tomar essa atitude, vão dizer: ‘É golpe’. A esquerda está planejando isso. Existe a trama de um golpe contra o presidente. O Senado é o lugar da CPI do golpe.

É no Senado que eles estão, agora, preparando um relatório para chamar o presidente de genocida, corrupto e encaminhar para a Câmara o pedido de impeachment”, alertou.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: OSWALDO EUSTÁQUIO NÃO DEIXA PEDRA SOBRE PEDRA E DISPARA CONTRA AS ARBITRARIEDADES QUE ESTÃO ACONTECENDO NO PAÍS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar