IGREJA CATÓLICA EM NATAL CELEBRA CORPUS CHRISTI COM PROCISSÃO MOTORIZADA EM FRENTA DE HOSPITAIS E UNIDADES DE SAÚDE DA CAPITAL

Procissão motorizada celebrou Corpus Christi em Natal — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV CabugiProcissão motorizada celebrou Corpus Christi em Natal — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi

Uma “procissão motorizada” celebrou na tarde desta quinta-feira (3) o dia de Corpus Christi, da Igreja Católica, pelas ruas de Natal e também na frente dos principais hospitais e unidades de saúde do município.

O trajeto era previsto pela Arquidiocese de Natal, que definiu que a procissão motorizada sairia da Catedral de Natal logo após a celebração da missa às 15h no local. Houve outro missa realizada às 8h.

Além da Catedral, outras igrejas também realizaram essa celebração pelas ruas da cidade, com o Santíssimo Sacramento sendo levado em um carro, pelos bairros da capital potiguar.

“Tradicionalmente, nesse dia, também acontece a procissão com o Santíssimo Sacramento. Neste ano, devido às restrições da pandemia, em várias paróquias haverá apenas a celebração da missa; outras realizarão a procissão motorizada, levando o Santíssimo Sacramento por algumas ruas, em um carro”, informou.

Outras paróquias também apostaram na solidariedade. Na paróquia de Santo Antônio de Pádua, no conjunto Parque dos Coqueiros, na Zona Norte de Natal, o fieis produziram o tapete de Corpus Christi com alimentos doados, que serão entregues a famílias carentes da comunidade

Fonte: G1 RN
Continuar lendo IGREJA CATÓLICA EM NATAL CELEBRA CORPUS CHRISTI COM PROCISSÃO MOTORIZADA EM FRENTA DE HOSPITAIS E UNIDADES DE SAÚDE DA CAPITAL

IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA GUIA EM ACARÍ RECEBE DO PAPA FRANCISCO O TÍTULO DE BASÍLICA MENOR

Papa Francisco concede o Título de Basílica Menor à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia, em Acari

26 mar 2021

Papa Francisco concede o Título de Basílica Menor à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia, em Acari | Política em Foco

Com um Decreto emanado pela Santa Sé, o Papa Francisco torna a Igreja Matriz de Acari uma Basílica Menor, em razão da sua história, da fé secular do povo católico seridoense, além da beleza arquitetônica e da exemplaridade da liturgia que se celebra no seu interior. Celebra também o centenário do nascimento do Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, filho de Acari, que foi batizado naquela Igreja e por cuja pessoa, falecido em 2012, a Diocese de Caicó nutre uma especial gratidão principalmente pelo cultivo das vocações sacerdotais do clero seridoense.
A Paróquia Nossa Senhora da Guia, na cidade do Acari, é a primeira que foi desmembrada da antiga Freguesia da Senhora Santa Ana do Seridó, cujo território paroquial abrangia o que hoje corresponde ao território da Diocese de Caicó. Sua Igreja é a mais imponente de todas as igrejas paroquiais da Diocese de Caicó, com a ressalva de que a Catedral de Sant’Ana de Caicó possui a primazia absoluta seja teológica que em importância eclesial sobre todos os demais Templos do Seridó.

A Matriz de Acari, que agora passa a ser Basílica Menor pontifícia, foi construída por um filho seu, o Padre Thomaz Pereira de Araújo, inaugurada em 1867 e nela foi batizado o Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales (Arcebispo Emérito do Rio de Janeiro), cujo centenário de nascimento foi solenemente celebrado aos 08 de novembro de 2020.

Sendo a segunda paróquia mais antiga da Diocese de Caicó, por haver sido erigida em 1835, e uma das mais antigas do estado do Rio Grande do Norte, ela guarda uma inefável expressão da piedade popular de nossa gente, que é, na sua maioria, humilde e pacata. A devoção à Nossa Senhora da Guia remonta, porém, ao ano de 1738, de modo que as cidades ao seu redor têm na cidade de Acari um referencial de piedade mariana e de decoro nas celebrações litúrgicas.

A então Matriz de Acari sempre foi tido como um lugar sagrado e fonte secular de vida cristã do povo fiel, tanto pela antiguidade de sua devoção, como pela mística que inspira a sua arquitetura imponente, que relembra a grandeza de Deus que se faz próximo a cada pessoa que nela se encontra, em oração, certo de ter o auxílio de Jesus Cristo, nosso Senhor, o filho bendito da Virgem que nos Guia.

Foi considerando a sua importância para a fé do povo do Rio Grande do Norte que Sua Santidade o Papa Francisco quis que a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Guia de Acari tivesse a merecida dignidade de Basílica Menor.

Essa Igreja, que é o povo de Deus que caminha peregrino neste mundo, cuja imagem é misteriosamente representada no Templo material, será a partir de agora um sinal de sua comunhão com o Sucessor de Pedro, o Papa Francisco.

O fato de nela haver sido batizado o Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, filho de Acari, reforça a consciência da comunhão eclesial deste lugar com o Bispo da Igreja de Roma, o Papa, que nos preside na caridade, em cuja pessoa Dom Eugenio serviu por muitos anos. Em uma transmissão televisiva, ele afirmou nitidamente: “Honra-me profundamente ter nascido em Acari, uma cidade que está sob as bênçãos de Nossa Senhora da Guia”.
O Pároco, Padre Fabiano Maurício Dantas, e o Pároco emérito, Monsenhor Raimundo Sérvulo da Silva, capelão do Santo Padre, reconhecidos a Deus por tamanha efeméride, sabem hoje que contam com a benevolência do coração de nosso Pastor Supremo, o Papa Francisco, que tem constantemente voltado o olhar para o povo mais simples.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA GUIA EM ACARÍ RECEBE DO PAPA FRANCISCO O TÍTULO DE BASÍLICA MENOR

SERÁ QUE A IGREJA CATÓLICA ESTÁ SENDO MANIPULADA NA CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2021?

Campanha da Fraternidade de 2021: Estão querendo manipular a Igreja Católica

Imagem em destaque

Os católicos sabem da importância aqui no Brasil da Campanha da Fraternidade, que ocorre todos os anos no período da Quaresma, como meio de conversão e evangelização popular.

Nesse contexto, a CNBB – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil publicou o texto-base da Campanha da Fraternidade de 2021, que incluiu a ideologia de gênero e agenda LGBT.

Isso é um completo absurdo.

É a comprovação evidente do sucesso de um velho plano comunista idealizado por Kruschev no final dos anos 50.

Simples assim!

Não relativizemos isso. Não procuremos justificativas para tolerar o intolerável. Não confundamos o pensamento secular dogmático da Igreja Católica, construído por pessoas como Agostinho e Tomás de Aquino, com os ativismos baratos de militantes de esquerda cuja única função é implodir a Igreja por dentro, enfraquecendo-a.

Que me perdoem pelo que afirmo: os bispos da CNBB responsáveis por uma campanha dessa não são homens santos, movidos pela “imitação de Cristo”, como ensinado lá na Idade Média pelo padre Tomás de Kempis. São meros “agentes da transformação”, com a missão de implementar o plano de desinformação comunista clássica no seio da Igreja.

Mais atual do que nunca se apresenta o artigo constante do meu livro, “escritos conservadores”, chamado “a infiltração marxista na Igreja Católica” (pp. 72-75), onde analisei o fenômeno.

Cada vez mais me convenço de que esse meu livro é, em certo ponto, profético.

Foto de Guillermo Federico Piacesi Ramos

Guillermo Federico Piacaense Ramos

Fonte: Jornal da cidade Online

Continuar lendo SERÁ QUE A IGREJA CATÓLICA ESTÁ SENDO MANIPULADA NA CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2021?

ARTIGOS: CAVALEIROS TEMPLÁRIOS, O DESTINO DA HUMANIDADE NAS MÃOS DAS SOCIEDADES SECRETAS

Na  série O DESTINO DA HUMANIDADE NAS MÃOS DAS SOCIEDADES SECRETAS, aqui na coluna ARTIGOS, já apresentamos Os Essênios, uma das seitas judaicas, a Irmandade Rosacruz e a Maçonaria. Na nossa 5ª publicação dessa série vou apresentar para você uma a mais controversa de todas elas, pelo fato de ter sido criada pela Igreja para proteger Jerusalém após a conquista da cidade como um exército religioso, mas foi desvirtuada e se tornou mais poderosa do que quem a criou: Os Cavaleiros Templários.

Resultado de imagem para Cavaleiros Templários

Cavaleiros Templários

Quem eram os templários?

Os Cavaleiros Templários surgiram como uma espécie de exército religioso, com o objetivo de proteger Jerusalém após a conquista da cidade, no século XII, durante o período das ‘Cruzadas[1].

Este exército chegou a reunir cerca de 20 mil cavaleiros e ganhou o nome de Cavaleiros Templários por ocuparem uma ala do palácio real da cidade, cujo relato bíblico afirma ter sido construído pelo Rei Salomão. Eles também ficaram conhecidos como Cavaleiros Pobres de Cristo e do Templo de Salomão. Sua identificação era a túnica branca com uma cruz e foram fundamentais na defesa dos Estados cristãos constituídos, à força, no Oriente Médio.

Esta Ordem foi fundada em 1099 por um homem conhecido por Godofredo de Bulhão. Ele foi um dos líderes da Primeira Cruzada. Atendendo a convocação do papa Urbano II para libertar a Terra Santa dos muçulmanos ele partiu em 1096 de Lorena, na França, a frente de um exército de 40.000 homens. Chegou a Jerusalém no início de 1099 e promoveu um verdadeiro massacre contra muçulmanos e judeus lá residentes. Este massacre é descrito no livro The Monks of War de Desmond Seward da senguinte forma:

Jerusalém foi devastada em julho de 1099. A raivosa ferocidade de sua pilhagem mostrou quão pouco a Igreja (católica) fora bem-sucedida em cristianizar instintos atávicos. Toda a população da Cidade Santa foi passada a fio de espada, tanto judeus quanto muculmanos. Setenta mil homens, mulheres e crianças pereceram num holocausto que durou três dias. Em alguns lugares os homens andavam com sangue acima dos seus tornozelos, e homens montados eram respingados por ele enquanto galopavam através das ruas. Chorando, esses conquistadores devotos iam descalços orar no Santo Sepulcro antes de correr ansioso de volta à matança.

Aqui vale pontuar sobre o pensamento da Igreja de não ser pecado matar em nome de Deus para defender os seus interesses, quando se trata de expulsar invasores da Terra Santa. Não conheço passagem nenhuma no Novo Testamento que valide algo parecido com isso. Jesus Cristo nunca pregou a violência em nenhuma hipótese. De onde o clero tirou isso?  Nem mesmo o Deus do antigo testamento que era tão vingativo autorizou esse tipo de atrocidade. Pelo contrário, ele tornou pecado matar em um dos dez mandamentos. E quando se mata inclusive mulheres e crianças indiscriminadamente esse ato definitivamente não tem o aval de Deus e muito menos de Jesus Cristo.

Com o tempo o poder econômico e político dos Cavaleiros Templários se tornou imenso e ultrapassou em muito a sua finalidade inicial de exército protetor.  Acumularam fortuna incalculável devido as doações de terras, castelos e outros bens e passaram a transportar tesouros da Europa para a Terra Santa, até se tornarem, inclusive, banqueiros.  Habilidade que desenvolveram muito a frente de seu tempo, criando um sistema onde a pessoa podia depositar dinheiro em alguma das numerosas casas da ordem e através de um recibo codificado resgatar esse dinheiro em outra casa da ordem. Desta forma os viajantes, peregrinos e mercadores podiam viajar sem correr o risco de ter o dinheiro roubado, o que era muito comum naquela época. Este expediente revolucionou a transferência de fundos de uma região para outra.

Então os nobres e reis importantes começaram a se sentir ameaçados com esse vertiginoso crescimento do poder econômico e político do grupo. Foi quando o rei da França, Felipe IV, juntamente com outros soberanos que deviam dinheiro à ordem, de uso da sua autoridade, passaram a perseguir e acusá-los de blasfêmia, heresia, corrupção, aliança com o Islã e homossexualismo.

Vale abrir um breve parêntese aqui para observar sobre esse tema tão debatido na atualidade que é o “homossexualismo na igreja”. Note-se que já na Idade Média o homossexualismo era combatido pelo clero. Entretanto visando sempre a interesses escusos da igreja e ao seu bel prazer. Comentamos que os Cavaleiros Templários foram criados pelo próprio Clero, para proteger os interesses da Igreja. Foram importantes e muito úteis enquanto se submetiam plenamente a esses interesses. Porém na medida que foram ganhando poder e dinheiro esse mesmo Clero que os criou tratou de perseguir, denegrir e destruir a imagem dos Cavaleiros Templários, inclusive difamando-os pela prática do homossexualismo, claro, através de fake News.

Segundo o historiador Carlos Roberto Figueiredo Nogueira, da USP, “todas as acusações eram provavelmente falsas”, mas, em 1312, o ‘papa Clemente V’ determinou a dissolvicão da ordem. Apesar de sua extinção, essa, talvez seja a ordem ou sociedade secreta que mais gerou mitos e lendas até os dias atuais. Paira até hoje a lenda, e muitos europeus acreditam, que os cavaleiros remanescentes possuíam poderes sobrenaturais e tesouros escondidos pelo mundo. Uma outra lenda conta que o dinheiro da ordem teria financiado o descobrimento da América e do Brasil. Finalmente, até grupos esotéricos, tais como a Maçonaria afirmam ser herdeiros de seus segredos.

[1] Eram expedições organizadas pelas potências cristãs europeias para tomar a região do domínio muçulmano. Em 1139 os Cavaleiros franceses, liderados por Hugues de Payens, criaram o grupo, com inspiração em São Bernardo, que era um místico e ativista religioso fomentador de ações militares contra os “infiéis” na Terra Santa.

Wagner Braga

 

Continuar lendo ARTIGOS: CAVALEIROS TEMPLÁRIOS, O DESTINO DA HUMANIDADE NAS MÃOS DAS SOCIEDADES SECRETAS

ORGANIZAÇÃO RELIGIOSA NA MIRA DA JUSTIÇA AMERICANA RECEBEU MILHARES DE DÓLARES EMPRESTADO PELO GOVERNO TRUMP

Governo Trump emprestou milhares de dólares à igreja Luz del Mundo enquanto seu líder aguardava julgamento por abusos

A organização religiosa, na mira da Justiça americana por acusações de abuso sexual e pornografia infantil, recebeu entre 350.000 e um milhão de dólares em ajuda devido à pandemia

ELÍAS CAMHAJI

Mulheres da congregação participam da celebração da santa ceia.Mulheres da congregação participam da celebração da santa ceia.HECTOR GUERRERO

O Governo do presidente Donald Trump concedeu em junho um subsídio entre 350.000 e um milhão de dólares (entre 1,9 milhão e 5,3 milhões de reais) à igreja La Luz del Mundo (LLDM), segundo dados do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos compilados pela CNN e pela Propublica. A organização religiosa fundada no México atravessa momentos críticos para sua imagem desde que seu líder, Naasón Joaquín García, fora detido há mais de um ano na Califórnia, acusado de 36 crimes, incluindo estupro, tráfico de pessoas e posse de pornografia infantil. Dois meses depois que a igreja recebeu a ajuda econômica, um tribunal de Los Angeles estabeleceu uma fiança de 90 milhões de dólares (477 milhões de reais) para Joaquín García, e em 18 de agosto concluiu que a Procuradoria havia apresentado evidências suficientes para levá-lo a julgamento.

O dinheiro, um empréstimo perdoável, é parte do programa de ajuda que Trump distribuiu para estimular o consumo e amenizar o impacto econômico da pandemia entre as pequenas e médias empresas. Chamado de Paycheck Protection Program, ele inclui estímulos de mais de 669 bilhões de dólares (3,5 bilhões de reais) e tem sido apontado como uma medida clientelista, porque os cheques foram impressos com o nome do presidente, no momento em que os EUA se aproximam das eleições presidenciais de novembro.

De acordo com as informações divulgadas, o beneficiário do dinheiro foi a LDM Central USA Evangelical Ministries, uma subsidiária da igreja nos EUA com sede em Houston, Texas. A filial foi constituída em 2009 por Agustín Ahumada, que é pastor da LLDM; por Louis Cruz, que é diácono, e pela advogada María Elena Martínez como representante legal, diz a ata constitutiva.

A lógica de incluir organizações religiosas no programa de subsídios se baseia nos problemas econômicos que as igrejas atravessam devido à quarentena. Para este empréstimo específico, o objetivo é preservar 48 postos de trabalho dentro da igreja, com dinheiro emprestado pelo banco JP Morgan Chase. Embora a LLDM afirme estar presente em cerca de 60 países e ter 5 milhões de fiéis no mundo, foi qualificada como uma das milhares de pequenas e médias empresas e organizações religiosas beneficiadas.

Até junho de 2019, quando Joaquín García foi detido, a LDM Central USA Evangelical Ministries tinha planejado construir um enorme complexo no Flowery Branch, uma cidadezinha de 8.000 habitantes na Geórgia. Ao estilo do documentário Wild Country, o projeto Light at Flowery Branch foi concebido pela própria igreja como “a cidade da Luz del Mundo” e seria construído em uma propriedade de mais de um milhão de metros quadrados, com moradias, hotéis, igrejas, centros comerciais, escolas e hospitais.

“As condições ambientais e sociais são propícias para que as famílias que desejem viver nesta área vivam em harmonia com a natureza e paz espiritual”, diz uma publicação de 2017 da Berea Internacional, a agência de mídia da igreja, que inclui fotos de Joaquín García visitando o local em 2017. O projeto foi planejado como o primeiro assentamento de grandes proporções da igreja fora de Hermosa Provincia, uma colônia em Guadalajara, no oeste do México, onde a organização tem sua sede principal.

Segundo a imprensa americana, o projeto provocou rejeição e protestos por parte dos habitantes locais e, embora a LDM Central USA Evangelical Ministries tenha comprado o terreno, não chegou a ser concretizado. A oposição contra a possível chegada desse megaempreendimento imobiliário foi tanta que a Prefeitura de Flowery Branch publicou uma página de “perguntas e respostas” sobre o assunto, onde explica quem são os donos, quais são as autorizações necessárias antes da construção e como o Governo local agiria se houvesse conflitos em torno do projeto. O site onde a igreja detalhava suas intenções na Geórgia foi removido.

Fontes que pertenceram à cúpula e abandonaram a igreja afirmam que La Luz del Mundo “não paga salários nem impostos” à hierarquia inferior da organização, e que o fluxo de dízimos não parou, apesar da prisão de Joaquín García. O “apóstolo de Jesus Cristo”, como é conhecido por seus seguidores, é criticado por seu estilo de vida oneroso e por ter um patrimônio avaliado em dezenas de milhões de dólares, segundo a acusação contra ele na Califórnia e investigações jornalísticas.

Os advogados do líder religioso tentaram derrubar essa imagem, argumentando que Joaquín García não tinha os 50 milhões de dólares (265 milhões de reais) que lhe impuseram inicialmente como fiança em 2019, e que os 90 milhões de dólares pedidos agora são uma exigência “absolutamente desproporcional”. O EL PAÍS procurou Silem García, porta-voz da LLDM, para incluir seus comentários, mas García preferiu não fazer declarações. O porta-voz disse que, de qualquer forma, prestaria os esclarecimentos pertinentes depois da publicação deste texto.

O processo contra o líder religioso se estendeu por vários meses devido à pandemia. Depois que ele ganhou uma apelação devido a uma falha no processo legal, a Procuradoria da Califórnia voltou a apresentar as acusações em abril. As audiências contra Joaquín García, neto do fundador da igreja e seu líder desde 2014, foram marcadas por depoimentos extremamente explícitos de cinco denunciantes, descrevendo orgias, encontros sexuais com menores de idade e meninas forçadas a fazer danças eróticas para o apóstolo como se fosse uma ordem divina. No telefone de Joaquín García foram encontradas imagens relacionadas com esses atos.

A defesa e a igreja afirmaram em um comunicado que as acusações são “falsas” e “tendenciosas”, e que confiam na honradez” de Joaquín García. Enquanto o apóstolo aguarda seu destino em uma prisão do condado de Los Angeles, três deputados pediram em agosto à Procuradoria Geral do México que esclareça a situação legal do líder religioso neste país, onde não foi anunciada nenhuma investigação criminal contra ele.

Continuar lendo ORGANIZAÇÃO RELIGIOSA NA MIRA DA JUSTIÇA AMERICANA RECEBEU MILHARES DE DÓLARES EMPRESTADO PELO GOVERNO TRUMP

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar