DEVIDO PANDEMIA QUEDA NA DOAÇÃO TEM ESVAZIADO BANCO DE PELE NO BRASIL

Queda de doações na pandemia pode esvaziar bancos de pele brasileiros

Segundo dados do Ministério da Saúde, trata-se da maior baixa no armazenamento em seis anos

Guilherme Gama

da CNN*

em São Paulo

Durante a pandemia houve uma redução das doações, dizem médicosDurante a pandemia houve uma redução das doações, dizem médicosBreno Esaki/Agência Saúde DF

A pele humana é utilizada como curativo biológico em casos de graves queimaduras e até de lesões decorrentes de doenças congênitas. Para que seja transplantada em pacientes, no Brasil, há cinco bancos de pele que são responsáveis pela captação, preparo e armazenamento do tecido.

Entretanto, desde o início da pandemia de Covid-19, a queda nas doações tem esvaziado os estoques nacionais. Segundo dados do Ministério da Saúde, levantados a pedido da CNN, o ano de 2021 sofreu uma redução de cerca de 30% no total de pele armazenada para transplante, em comparação com 2019. Trata-se do armazenamento mais baixo desde 2015.

O Banco de Tecidos da Divisão de Cirurgia Plástica e Queimaduras do Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo, o principal responsável pela demanda de pele do estado, enfrenta uma baixa histórica.

Atualmente esse banco possui em média 3.400 cm² de pele, quantidade capaz de atender no máximo três pacientes com queimaduras graves. A nível de comparação, em 2018, o estoque era quase dez vezes maior, de 30 mil cm². O cenário apenas não é pior do que o de janeiro deste ano, quando o banco chegou a zero.

“O estoque zerado no momento deve-se a um aumento de demanda de pele associada à redução de captação nos primeiros meses de 2022”, afirma.

O Banco de Pele da Irmandade Santa Casa de Misericórdia, de Porto Alegre, também está com o estoque zerado. Há pele em processamento, mas, segundo o diretor Eduardo Chem, assim que liberada, imediatamente já é destinada para pacientes necessitados.

“Durante a pandemia, tivemos uma redução muito grande das doações, que estão retomando lentamente neste ano”, afirma. Nos últimos anos, as exigências para doação aumentaram: são feitos mais testes sorológicos e os doadores não podem ter contraído Covid-19 ou tomado a vacina contra o vírus recentemente — o que limitou as doações.

Em 2020, no início da circulação do coronavírus, o desconhecimento acerca da doença e a carência da testagem para a Covid-19 restringiam as doações — todas as captações chegaram a ser suspensas pela incerteza quanto à transmissão do vírus ao receptor a partir de um transplante de pele.

Com a disponibilidade de teste de diagnóstico molecular (RT- PCR) para os doadores de órgãos em morte encefálica, foi possível retomar a captação e, posteriormente, também aos doadores falecidos por parada cardiorrespiratória.

Já neste ano, mesmo com a possibilidade de garantir a segurança microbiológica dos tecidos, a captação continua em queda.

Segundo o médico e diretor do banco de pele de São Paulo, André Paggiaro, a melhora das condições sanitárias não caminha no mesmo ritmo da reposição do banco. “Mesmo com a retomada, nos deparamos com um problema bastante preocupante: a sensível queda na oferta de doadores de pele. Atualmente, trabalhamos no limite, com uma margem de reserva bastante exígua”, afirma.

O ministério informa que trabalha para a ampliação dos estoques, visando prevenir a falta do tecido em situações de grandes emergências e que, apesar da redução dos estoques, a oferta do tecido ainda não foi impactada. A oferta apresentou uma queda de 30%, em média, entre 2019 e 2021, o que sutilmente pode ter compensado a queda da captação e reduzido a baixa nos estoques.

No entanto, André Paggiaro alerta: “Em caso de um aumento do número de pacientes queimados no país ou de uma tragédia, como da boate Kiss, não conseguiríamos atender essa demanda”.

Em geral, todo o cenário de doação de órgãos foi afetado pelo cenário epidemiológico, ainda que, para Paggiaro, a queda constante das doações de pele tenha sido mais intensa devido aos estigmas quanto ao procedimento.

A doação de pele acontece quando um paciente morre e, ao ser ofertada a possibilidade, a família autoriza a retirada do tecido. Para ser um potencial doador, é importante que a vítima não tenha sido acometida por câncer com potencial metastático, não apresente infecção generalizada ou doenças infecciosas transmitidas através do sangue, como malária, por exemplo.

Em geral, são pessoas que morreram por morte encefálica e por parada cardiorrespiratória. Os especialistas destacam que são captadas peles de áreas que passam despercebidas no velório do doador, como das partes traseiras da coxa e das costas, de modo a não mudar a aparência. Os médicos destacam que é importante que as pessoas manifestem o desejo de doar entre amigos e familiares.

Continuar lendo DEVIDO PANDEMIA QUEDA NA DOAÇÃO TEM ESVAZIADO BANCO DE PELE NO BRASIL

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

Por Norton Rafael e Leonardo Erys, Inter TV Cabugi e g1 RN

 

Pessoa anda com máscara de proteção contra a Covid-19 na mão. — Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOPessoa anda com máscara de proteção contra a Covid-19 na mão. — Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Rio Grande do Norte registrou um aumento de 529% no número de casos conhecidos de Covid e de 140% nas mortes pela doença em junho no comparativo com o mês anterior.

O levantamento foi feito pelo g1 e pela Inter TV Cabugi baseado nos dados dos boletins epidemiológicos da doença, que são publicados diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap).

Em relação aos casos, o estado teve, em junho, 19.905 novas notificações. Em maio, no mês anterior, foram 3.162 novos casos – 16 mil a menos.

O registro é o maior no estado desde o mês de fevereiro, quando o estado viveu um novo pico de contaminação em função da chegada variante Ômicron. Naquele mês, foram mais de 50 mil casos conhecidos.

Desde então, o Rio Grande do Norte registrava uma queda nos casos (veja gráfico abaixo).

Casos de Covid em 2022 no RN
Estado registrou aumento em junho
Casos conhecidosJaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho010k20k30k40k50k60k
Fonte: Sesap

A média de casos por dia em junho foi de 663,5 – em maio havia sido de 102 notificações diárias.

Mortes

número de mortes também subiu. Em maio, o estado havia registrado 27 óbitos pela doença e em junho chegou a 65 – tendo média de mais de duas mortes por dia.

A quantidade é a maior desde o mês de março, quando a Sesap registrou 71 mortes nos boletins (veja gráfico abaixo) .

Mortes por Covid em 2022 no RN
Número de óbitos voltou a crescer no estado
Número de mortesMortes por mêsJaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho0100200300400
Fonte: Sesap

Nesta sexta-feira (1º) a Sesap informou que 885 novos casos da doença e um óbito na últimas 24 horas, em Baía Formosa.

Ocupação

Com o aumento de casos, a ocupação dos leitos críticos destinados à doença também cresceu. Nesta sexta-feira (1º), às 14h20, o estado tinha 76% das UTIs Covid da rede pública ocupadas.

É importante destacar que o RN tem atualmente, ao todo, 55 leitos críticos para a doença. Nos principais picos de internação da pandemia, em 2020 e 2021, quando a ocupação chegou a estar com 100% e ainda havia fila de espera, o estado tinha mais de 400 leitos de UTI em operação.

Diante da piora no nível da pandemia, o governo do RN e a prefeitura de Natal recomendaram em junho a volta do uso de máscaras em locais fechados.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

PESQUISADORES DA UNICAMP DESCOBRIRAM COMO O VÍRUS DA COVID-19 MANIPULA AS CÉLULAS DO CORPO HUMANO PARA SE REPLICAR

Estudo brasileiro identifica como o vírus da Covid-19 usa células para se replicar

À CNN Rádio, a primeira autora da pesquisa, Érika Pereira Zambalde, disse que a ideia é que o resultado eventualmente auxilie na busca por novos tratamentos

Amanda Garcia

Adene Sanchez/Getty Images

Um grupo de pesquisadores da Unicamp e da USP descobriu como o vírus da Covid-19 manipula as células do corpo humano para se replicar – e, dessa forma, causar uma infecção.

Em entrevista à CNN Rádio, a primeira autora da pesquisa, Érika Pereira Zambalde, disse que a importância do estudo é “conseguir entender melhor a função do vírus e como ele causa a infeção no organismo.”

“Isso auxilia a busca por novos tratamentos para combater a pandemia que atrapalha nossa vida nos últimos anos”, completou.

Basicamente, o vírus interage com uma proteína do organismo humano, que atua na replicação do DNA das células e, por tanto, na divisão celular. “O vírus usa essa qualidade a favor dele, e replica as células contaminadas.”

Ela destaca, porém, que a pesquisa é “super recente”: “A partir dela, surgem novas perguntas, a intenção é aprimorar e entender a relação do vírus com a proteína, testar outros tipos de drogas e diminuir a infecção.”

Os próximos passos do estudo, que foi publicado na revista científica Frontiers in Cellular and Infection Microbiology, envolvem continuar com o estudo em cultura de células e, no futuro, testar em animais.

Fonte: CNN

Continuar lendo PESQUISADORES DA UNICAMP DESCOBRIRAM COMO O VÍRUS DA COVID-19 MANIPULA AS CÉLULAS DO CORPO HUMANO PARA SE REPLICAR

UTILIDADE PÚBLICA: DEVIDO AS CHUVAS DRIVE DE VACINAÇÃO DO VIA DIRETA É SUSPENSO

Vacinação no Drive do Via Direta é suspensa devido chuva

Expectativa é que a imunização no drive seja retomada na quinta

Redação
29/06/2022 | 09:56

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal divulgou nesta quarta (29) que devido às fortes chuvas, a vacinação contra Covid, gripe e sarampo pelo Drive no shopping Via Direta será suspensa.

As salas de vacinação do shopping funcionarão normalmente e a expectativa é que o drive volte a funcionar quinta feira (30)

A população pode procurar também as Unidades básicas e o Ginásio Nélio Dias para obter a imunização.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: DEVIDO AS CHUVAS DRIVE DE VACINAÇÃO DO VIA DIRETA É SUSPENSO

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN registra 1 óbito por Covid-19 nas últimas 24h; novos casos são 1027

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta terça-feira (28). São 523.673 casos totalizados. Nas últimas 24 horas foram registrados 1027 novos casos e um (01) óbito (Serra de São Bento).

Óbitos confirmados para Covid-19: 8.253. Em investigação são 1.336. Recuperados são 505.508. Casos suspeitos somam 2.313 e descartados são 988.270. Estimativa de casos em acompanhamento: 9.912.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

PACIENTES QUE FAZEM TRATAMENTO PSICOLÓGICO NO HOSPITAL JOÃO MACHADO ESTÃO HÁ SETE MESES SEM MEDICAÇÃO

Pacientes que necessitam de medicação para doenças psicológicas estão sem receber remédios

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Reprodução/TV Tropical

Pacientes que fazem tratamento psicológico no hospital Dr. João Machado estão há pelo menos sete meses sem receber a medicação.

É o caso da técnica de enfermagem Maurícélia Maria da Silva, que há cinco anos foi diagnosticada com bipolaridade e transtorno esquizoafetivo. “Quando chega (a medicação), a quantidade é muito pequena e a demanda é grande e aí o remédio acaba rápido. A nossa receita vence, e a gente tem que ir de novo atrás do médico para pegar uma nova receita, quando a gente retorna, continua sem remédio”, lamentou Mauricélia. Segundo a mulher, de 54 anos, só em três meses de tratamento seria necessário desembolsar aproximadamente 7 mil reais.

A técnica de enfermagem disse ainda que é comum ver pessoas de outras cidades do Rio Grande do Norte retornarem sem os remédios.

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou uma nota informando que o medicamento é enviado pelo Ministério da Saúde e que o pedido de contratação para o envio de novos lotes está em fase final, mas não deu um prazo para que os medicamentos voltem a ser distribuidos.

Continuar lendo PACIENTES QUE FAZEM TRATAMENTO PSICOLÓGICO NO HOSPITAL JOÃO MACHADO ESTÃO HÁ SETE MESES SEM MEDICAÇÃO

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN registra 3 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h; novos casos são 88

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (27). São 522.291 casos totalizados. Nas últimas 24 horas foram registrados 88 novos casos e três (03) óbitos (Natal, Nísia Floresta e São Paulo do Potengi).

Óbitos confirmados para Covid-19: 8.251. Em investigação são 1.334. Recuperados são 504.461. Casos suspeitos somam 1.916 e descartados são 986.410. Estimativa de casos em acompanhamento: 9.579.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN registra 4 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h; Novos casos são 203

RN registra 235.453 casos confirmados e 5.701 mortes por Covid-19 | Rio Grande do Norte | G1

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus neste domingo (26).

São 522.137 casos totalizados. Até o sábado (25) eram contabilizados 521.698, ou seja, 439 novos casos registrados, sendo 203 destes confirmados nas últimas 24 horas. Quatro (04) óbitos registrado nas últimas 24h (Natal, Mossoró, Ceará-Mirim e Macau).

A Sesap registou um óbito após a confirmação de exames laboratoriais de dias ou semanas anteriores. Óbitos em investigação são 1.335.

Recuperados são 504.320 Casos suspeitos somam 2.318 e descartados são 986.126. Estimativa de casos em acompanhamento: 9.571.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

GRUPO REVIVER REALIZA MAMOGRAFIA DE (27) DE JUNHO A (01) DE JULHO NO CENTRO CLÍNICO DA PMRN

Grupo Reviver realiza mamografias no Alecrim

27 jun 2022

Grupo Reviver realiza mamografias no Alecrim

 

A unidade móvel Savana Galvão do Grupo Reviver estará de 27 de junho a primeiro de julho, no Centro Clínico da PMRN, na avenida Alexandrino de Alencar, 399, Alecrim. O atendimento acontece das 7h30 às 16h30, com a distribuição diária de 80 fichas sempre no início do expediente. Para fazer a mamografia, as mulheres devem apresentar carteira de identidade, cartão SUS e comprovante de residência de Natal.

O resultado dos exames são entregues no local de realização em até 30 dias.

A partir dos 40, as mulheres devem realizar mamografia uma vez ao ano. Ou antes, se houver casos de câncer de mama na família, e com requisição médica.

O Grupo Reviver, além de manter um calendário permanente de mamografias, também dispõe de diversos serviços em sua sede, em Natal, situada à Avenida Miguel Castro, 612, Lagoa Nova. São 20 tipos diferentes de ultrassonografias, consultas em mastologia e ginecologia, preventivos e biópsias de mama.

Os atendimentos podem ser agendados pelos telefones 3346.6668 ou 98606.8990.

Para mais informações, acesse www.gruporeviver.com, Instagram @gruporevivernatal ou Facebook Grupo Reviver.

Calendário julho

4 a 7/07
Zona Leste
UBS Passo da Pátria
Travessa Ocidental de Baixo 27

8 e 9/07
São Bento do Trairi

11 a 15/07
Zona Oeste
UBS Cidade Nova
Rua Laranjal, 479, Cidade Nova

18 a 22/07
Zona Leste
UBS São João
Avenida Romualdo Galvão, 891, Tirol

25 a 29/07
Zona Oeste
UBS Jardim Progresso
Rua Antônia Santana, s/n, Jardim Progresso

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo GRUPO REVIVER REALIZA MAMOGRAFIA DE (27) DE JUNHO A (01) DE JULHO NO CENTRO CLÍNICO DA PMRN

SÁBADO (25) SERÁ O ARRAIÁ DA IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19, INFLUENZA E SARAMPO NO RN

Por g1 RN

 

Sesap mobiliza municípios para o Dia D da vacinação — Foto: Divulgação/São Gonçalo do AmaranteSesap mobiliza municípios para o Dia D da vacinação — Foto: Divulgação/São Gonçalo do Amarante

O Rio Grande do Norte terá neste sábado (25) mais um Dia D de vacinação contra a Covid-19, Influenza e sarampo. A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) mobilizou os municípios para que mantenham os pontos de vacinação abertos das 8h às 17h, no chamado “Arraiá da Imunização”.

A Sesap informou que, a partir deste dia, a vacina contra a Influenza será aberta para toda a população, a partir dos 6 meses de idade.

O governo está distribuindo 120 mil doses da vacina contra a Influenza e 100 mil doses dos imunizantes contra a Covid-19 para que a população complete o esquema vacinal. A segunda dose de reforço (D4) está disponível atualmente para idosos, profissionais de saúde, imunossuprimidos e população geral acima dos 40 anos de idade.

“Estaremos chamando a população através da ampliação dos horários no Dia D e outras estratégias fundamentais como a vacinação nas escolas através do projeto Minha Escola Nota 10. Os óbitos que temos no estado são, em sua maioria, de pessoas que não reforçaram sua vacinação. Por isso é preciso que a população esteja protegida”, conta a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima.

A plataforma RN+Vacina aponta que 93% da população do estado já tomou pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19. A primeira dose do reforço atingiu metade da população, enquanto o segundo reforço está em 8%. Para a Influenza, 68% do público-alvo está imunizado, segundo a Sesap.

Continuar lendo SÁBADO (25) SERÁ O ARRAIÁ DA IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19, INFLUENZA E SARAMPO NO RN

ANVISA DETERMINA O RECOLHIMENTO IMEDIATO DE DIVERSOS LOTES DO MEDICAMENTO LOSARTANA

Por g1

 

Prédio da Anvisa em Brasília — Foto: Adriano Machado/ReutersPrédio da Anvisa em Brasília — Foto: Adriano Machado/Reuters

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta quinta-feira (23), o recolhimento e interdição de diversos lotes de vários fabricantes do medicamento losartana, usado para tratar pressão alta.

A agência recomendou que os pacientes que usam o remédio, mesmo que ele esteja entre os lotes afetados, devem continuar o tratamento, pois a medida é preventiva.

Em caso de dúvida ou se precisar de orientação, o paciente deve conversar seu médico.

“A hipertensão e insuficiência cardíaca exigem acompanhamento constante e qualquer alteração no tratamento deve ser feita somente pelo médico que acompanha o paciente. Deixar de tomar o medicamento pode trazer riscos para a saúde do paciente”, reforçou a Anvisa.

Veja as orientações completas:

  1. A minha losartana está entre os lotes recolhidos. O que eu devo fazer?
  2. Como faço para trocar a minha losartana?
  3. Por que a Anvisa está recolhendo ou interditando os lotes?

1) O que eu devo fazer se a minha losartana estiver entre os lotes afetados?

Nesse caso, a Anvisa orienta que você continue o tratamento e converse com o seu médico se precisar de orientações.

É importante que você não pare o tratamento. Só troque de remédio quando já tiver uma nova caixa em mãos, pois parar o remédio pode trazer problemas imediatos à saúde – como derrame, ataques cardíacos e piora da insuficiência cardíaca, inclusive com risco de morte.

2) Como faço para trocar a minha losartana?

Depois de falar com o seu médico, se for trocar o medicamento, você deve entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do laboratório que fabrica a sua losartana para se informar sobre a troca.

O contato das empresas aparece na embalagem e na bula do remédio. É dever da empresa fazer a substituição ou a troca do remédio – os lotes que foram mantidos no mercado são considerados seguros e podem ser consumidos.

3) Por que a Anvisa está recolhendo ou interditando os lotes?

A agência detectou a impureza “azido” – uma substância que pode causar mutações – em uma concentração acima do limite de segurança aceitável nos remédios. A medida é preventiva.

A presença do azido no insumo farmacêutico da losartana foi identificado no mundo em setembro de 2021. O contaminante pode aparecer durante a produção do insumo farmacêutico ativo, que é utilizado pela indústria farmacêutica para fabricar o medicamento final.

Continuar lendo ANVISA DETERMINA O RECOLHIMENTO IMEDIATO DE DIVERSOS LOTES DO MEDICAMENTO LOSARTANA

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN registra 3 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h; novos casos são 985

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta quarta-feira (22). São 518.091 casos totalizados, destes 985 confirmados nas últimas 24 horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.238. Três óbitos registrados nas últimas 24h, em Caraúbas, Mossoró e Natal. Óbitos em investigação são 1.326.

Recuperados são 501.501. Casos suspeitos somam 1.786 e descartados são 979.997. Estimativa de casos em acompanhamento: 8.352.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

NATAL ANUNCIOU QUE COMEÇA SEGUNDA-FEIRA A APLICAÇÃO DA QUARTA DESE DA VACINA CONTRA COVID-19 NAS PESSOAS ACIMA DE 40 ANOS

Por g1 RN

 

Vacina contra a Covid em Mossoró, RN — Foto: Wilson MorenoVacina contra a Covid em Mossoró, RN — Foto: Wilson Moreno

Mossoró começou a aplicar neste sábado (18) a quarta dose da vacina contra a Covid – chamada também de segunda dose de reforço – em pessoas a partir de 40 anos de idade.

Podem se vacinar aqueles que tomaram a terceira dose (a primeira de reforço) há pelo menos quatro meses.

Neste fim de semana, há três pontos de vacinação: a Unidade Básica de Saúde (UBS) Maria Soares (8h às 16h), localizada ao lado da Unidade de Pronto Atendimento do Alto de São Manoel, o Partage Shopping Mossoró (10h às 18h no sábado e 11h às 18h no domingo) e a Festa de São João Batista (18h às 22h).

Nos três locais também ocorre a vacinação contra sarampo e gripe (influenza).

“Reforçamos a importância destas pessoas que tomaram a terceira dose há quatro meses que a partir deste sábado se dirijam a um ponto de vacinação e receba a segunda dose de reforço, a que chamamos de quarta dose. Pedimos também que as pessoas mantenham atualizada a vacinação”, disse o coordenador de Imunizações da Secretaria Municipal de Saúde, Etevaldo Lima.

Quem pode tomar as vacinas?

Em todos esses pontos serão aplicadas a primeira, segunda, terceira e quarta doses contra Covid. A vacina contra a Covid-19 é ofertada a pessoas a partir de 5 anos de idade.

Os grupos prioritários para a vacinação da gripe são pessoas acima de 60 anos, trabalhadores da saúde; gestantes; puérperas; povos indígenas; professores; pessoas com comorbidades; com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo; rodoviário; passageiros urbanos e de longo curso.

E ainda: trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; Forças Armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade; adolescentes e jovens em medidas socioeducativas; além de crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade.

Já os grupos prioritários para a vacinação contra o sarampo são trabalhadores da saúde e crianças na faixa etária de 6 meses a 5 anos de idade.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo NATAL ANUNCIOU QUE COMEÇA SEGUNDA-FEIRA A APLICAÇÃO DA QUARTA DESE DA VACINA CONTRA COVID-19 NAS PESSOAS ACIMA DE 40 ANOS

UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA QUAIS OS PONTOS DE VACINAÇÃO NESTE FINAL DE SEMANA EM NATAL CONTRA GRIPE, SARAMPO E COVID-19

Por g1 RN

 

Saiba onde se vacinar contra covid, gripe e sarampo nesta sexta (17) e sábado (18) em Natal — Foto: André Santos/Prefeitura de UberabaSaiba onde se vacinar contra covid, gripe e sarampo nesta sexta (17) e sábado (18) em Natal — Foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba

Nesta sexta-feira (17), ponto facultatvo na capital potiguar, a Secretaria Municipal de Saúde manteve a vacinação contra covid, gripe e sarampo nos pontos extras.

Apenas as unidades básicas de saúde não abrem para imunização nesta sexta. Nas UBS a vacinação será retomada na segunda-feira (20).

Já no domingo (19) a vacinação acontece em pontos itinerantes como Parque das Dunas, Cidade da Criança, Arena das Dunas e Feirinha da Árvore de Mirassol.

Locais de vacinação na sexta, sábado e domingo

SEXTA-FEIRA (17):

  • Via Direta – 09h às 21h
  • Nélio Dias – 09h às 16h
  • Shopping Midway Mall – 10h às 17h
  • Partage Norte Shopping – 14h às 20h
  • Feirinha da Árvore de Mirassol – 16h às 21h

SÁBADO (18):

  • Via Direta – 09h às 21h
  • Nélio Dias – 09h às 16h
  • Shopping Midway Mall – 10h às 17h
  • Partage Norte Shopping – 14h às 20h
  • Feirinha da Árvore de Mirassol – 16h às 21h

DOMINGO (19) – PONTOS ITINERANTES:

  • Parque das Dunas – 08h às 12h
  • Cidade da Criança – 14h às 19h30
  • Arena das Dunas – 16h às 20h
  • Feirinha da Árvore de Mirassol – 16h às 21h
Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA QUAIS OS PONTOS DE VACINAÇÃO NESTE FINAL DE SEMANA EM NATAL CONTRA GRIPE, SARAMPO E COVID-19

SEGUNDO PESQUISADOR, INCIDÊNCIA DE CASOS DE COVID-19 NO RN ACONTECE EM PESSOAS COM DOSES DA VACINA ATRASADAS

‘Aumento de casos de Covid é principalmente na população com doses atrasadas’, diz pesquisador

Foto: Divulgacão 

O aumento de casos de Covid registrado nos últimos dias ocorre, principalmente, na população que mais tem alguma dose da vacina em atraso. A afirmação é do professor Ricardo Valentim, do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais/UFRN).

Segundo o pesquisador, a maior incidência de caso atualmente é na faixa de idade entre 18 e 50 anos – a que mais possui doses atrasadas. “A grande recomendação é tomar a vacina. Hoje esse aumento de casos é principalmente na população de 18 a 50 anos, a população que está com suas doses atrasadas”, diz.

Ricardo Valentim reforça que aproximadamente 700 mil pessoas estão com alguma dose do imunizante em atraso em todo o estado. De acordo com o pesquisador, o RN deveria ter alcançado a marca de 70% de sua população com a 3ª dose da vacina (dose de reforço), o que não ocorreu.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo SEGUNDO PESQUISADOR, INCIDÊNCIA DE CASOS DE COVID-19 NO RN ACONTECE EM PESSOAS COM DOSES DA VACINA ATRASADAS

SAIBA QUAIS AS UNIDADES DE SAÚDE DE NATAL QUE ABRIRÃO NESTE SÁBADO (11) PARA ATENDER MULHERES DO PROJETO MULHER 365

Unidades de Saúde de Natal abrem neste sábado para atender mulheres no Projeto Mulher 365; confira locais

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Divulgação/SMS Natal

O Projeto Mulher 365 tem objetivo de alertar as mulheres sobre a prevenção contra o câncer do colo do útero. Desta forma, a Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, vai abrir neste sábado (11) das 8h às 12h, seis unidades de saúde realizando atendimento exclusivo para mulheres com a disponibilização do exame citopatológico. Além deste exame, haverá consulta médica, testagem de ISTs, vacinação e todos os atendimentos que a unidade possui voltados para a saúde da mulher.

“O projeto Mulher 365 teve início em 2018, porém estava suspenso por causa da pandemia, agora uma vez por mês faremos essa ação. A data será sempre no sábado e a demanda é aberta, ou seja, basta levar o cartão do SUS e RG que o atendimento será realizado”, afirma George Antunes, Secretário de Saúde de Natal.

Unidades que participarão do Mulher 365

UBS Bela Vista

USF Rosângela Lima

UM de Mãe Luiza

USF Felipe Camarão III

USF Cidade Nova

USF Monte Líbano

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo SAIBA QUAIS AS UNIDADES DE SAÚDE DE NATAL QUE ABRIRÃO NESTE SÁBADO (11) PARA ATENDER MULHERES DO PROJETO MULHER 365

SAÚDE: PREFEITURA DE NATAL PUBLICOU NO DOM UM DECRETO RECOMENDANDO USO DE MÁSCARA EM LOCAIS FECHADOS

Por g1 RN

 

Uso de máscaras foi recomendado pela Prefeitura do Natal nesta sexta-feira (10) — Foto: Augusto César/G1Uso de máscaras foi recomendado pela Prefeitura do Natal nesta sexta-feira (10) — Foto: Augusto César/G1

A Prefeitura de Natal passou a recomendar o uso de máscaras em ambientes fechados e transportes coletivos. O direcionamento consta em decreto publicado no Diário Oficial do Município (DOM) desta sexta-feira (10).

De acordo com o Decreto 12.533, o executivo tomou a decisão considerando o aumento dos casos de covid e outras doenças respiratórias. O secretário de saúde de Natal, George Antunes, falou que o percentual de casos positivos dos testes para covid saltou para a casa dos 30%.

“A situação pode se agravar, mesmo os quadros hoje sendo leves. Mas como o volume é grande, nós teremos alguns casos mais complicados. Já vimos situações, como em São Paulo, onde hospitais já estão voltando a ter alas exclusivas para a Covid. Aqui, no momento, nós não temos essa necessidade. E se tiver, temos um fator mais agravante aí: nós não temos a condição financeira hoje de ampliar leitos de internação clínica em Natal“, disse.

O decreto também estipula recomendações como o retorno de protocolos sanitários de prevenção não farmacológicas, como higienização das mãos e distanciamento social, bem como o incentivo para que a população conclua o esquema vacinal, incluindo as doses de reforço disponíveis.

Apesar do documento deixar margem para interpretação que a medida vale para todos os locais, a assessoria de comunicação da SMS reforçou que a recomendação vale apenas para ambientes fechados.

Na última terça-feira (7), o Governo do Estado já tinha publicado recomendação no mesmo sentido. Assim como o texto do executivo estadual, o decreto municipal não torna a medida obrigatória.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo SAÚDE: PREFEITURA DE NATAL PUBLICOU NO DOM UM DECRETO RECOMENDANDO USO DE MÁSCARA EM LOCAIS FECHADOS

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL PROMOVERÁ DOMINGO (12) DIA D DE VACINAÇÃO CONTRA SARAMPO

Natal promove dia D de vacinação contra o sarampo

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Neste domingo (12), das 9h às 17h, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal vai promover o Dia D contra o sarampo para crianças de seis meses a menores de cinco anos. Os pontos de vacinação serão o Via Direta e o Nélio Dias. A ação terá programação voltada para o público infantil incluindo artistas circenses e surpresas.

De acordo com as últimas campanhas de vacinação, apenas 65% das crianças estão vacinadas, quando o ideal é que 95% das crianças desta faixa etária estejam imunizadas contra o vírus que está circulando no país.

“O sarampo é um vírus altamente contagioso, e temos quatro casos na capital que estão em investigação para saber se temos ou não pessoas contaminadas, por isso, peço aos pais que levem suas crianças para se vacinarem”, explica o secretário de Saúde de Natal, George Antunes

Para receber o imunizante é necessário que os pais levem o cartão de vacina da criança.

Continuar lendo SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NATAL PROMOVERÁ DOMINGO (12) DIA D DE VACINAÇÃO CONTRA SARAMPO

SEGUNDO MINISTRO DA SAÚDE, CARTILHA EDITADA PELA PASTA MENTE SOBRE O ESTATUTO LEGAL DO ABORTE SERÁ DISCUTIDA COM A SOCIEDADE

 

Ministro Marcelo Queiroga — Foto: REUTERS/Ueslei MarcelinoMinistro Marcelo Queiroga — Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ao blog nesta quinta (9) que a cartilha editada pela pasta – que mente sobre o estatuto legal do aborto no Brasil – será posta em discussão com a sociedade.

A cartilha, disponível no site do Ministério da Saúde, afirma que “todo aborto é crime”, o que não é verdade: o Código Penal brasileiro estabelece que extingue-se a punibilidade em caso de aborto de gravidez resultante de estupro e se não houver outro meio de salvar a vida da gestante. Além disso, em 2012 o STF decidiu que a punição é extinta também nos casos de interrupção de gravidez de feto anencéfalo.

“Não existe aborto ‘legal’ como é costumeiramente citado, inclusive em textos técnicos. O que existe é o aborto com excludente de ilicitude. Todo aborto é um crime, mas quando comprovadas as situações de excludente de ilicitude após investigação policial, ele deixa de ser punido, como a interrupção da gravidez por risco materno”, diz a cartilha.

Ao blogMarcelo Queiroga – que se diz radicalmente contrário ao aborto – afirmou que os casos em que o aborto é permitido, previstos em lei, devem ser respeitados e são atendidos pelo SUS.

No entanto, em vez de revogar a cartilha, Queiroga propõe debater a questão com a sociedade. O ministro afirmou ao blog que o tema do aborto deverá ser discutido em audiência pública, ainda sem data prevista, em que “todas as correntes de pensamento serão convidadas”.

Fonte: G1

Continuar lendo SEGUNDO MINISTRO DA SAÚDE, CARTILHA EDITADA PELA PASTA MENTE SOBRE O ESTATUTO LEGAL DO ABORTE SERÁ DISCUTIDA COM A SOCIEDADE

VEJA A LISTA DAS UBS DE NATAL QUE CONTAM COM TESTES RÁPIDOS PARA COVID-19

Por g1 RN

 

Saiba onde fazer teste de Covid na rede pública de Natal — Foto: Foto: Divulgação/g1Saiba onde fazer teste de Covid na rede pública de Natal — Foto: Foto: Divulgação/g1

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal divulgou uma lista de unidades básicas de saúde que contam com testes rápidos para covid-19 nas quatro zonas administrativas da capital potiguar.

De acordo com a SMS, não é necesário ter uma requisição médica para realizar os testes.

A secretaria rassaltou que os locais não são centros de testagens, mas unidades referenciadas para atendimento a síndromes respiratórias. Confira a listagem abaixo:

Locais para realizar teste rápido

Locais para realizar teste rápido de Covid em Natal — Foto: Reprodução

Locais para realizar teste rápido de Covid em Natal — Foto: Reprodução

Locais para realização de teste RT-PCR

Continuar lendo VEJA A LISTA DAS UBS DE NATAL QUE CONTAM COM TESTES RÁPIDOS PARA COVID-19

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN registra 1 óbito por Covid-19 nas últimas 24 horas; novos casos são 262

RN registra 1.970 novos casos de Covid nas últimas 24 horas; veja boletim | Rio Grande do Norte | G1

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta terça-feira (7). Houve registro de um (1) óbito por Covid-19 nas últimas 24h, em Marcelino Vieira. Novos casos são 262.

São 507.944 casos totalizados.  Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.213. Óbitos em investigação são 1.362.

Recuperados são 498.053. Casos suspeitos somam 763 e descartados são 962.402.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

SAÚDE: SAIBA QUAL O PERFIL DE MULHERES QUE SERÃO AFETADAS CASO ABORTO SOFRA RESTRIÇÕES NOS EUA

Por BBC

 

Protestantes a favor do direito ao aborto durante movimento nos EUA. — Foto: GETTY IMAGES/via BBCProtestantes a favor do direito ao aborto durante movimento nos EUA. — Foto: GETTY IMAGES/via BBC

Rebecca passa correndo pelos manifestantes até uma mãe de três filhos, sentada sozinha no banco do estacionamento de uma clínica de aborto. A mulher está com medo de voltar para a clínica. “E se alguém da minha igreja me vir?”, diz ela aos prantos.

Com um braço, Rebecca oferece um abraço, e com o outro ela segura seu guarda-chuva para proteger a mulher dos manifestantes antiaborto reunidos do lado de fora.

Rebecca Rehm Tuggle foi criada como católica, agora ela trabalha do lado de fora de uma pequena clínica no estado de Louisiana, no sul dos Estados Unidos. Ela ajuda os clientes a evitar manifestantes e a encontrar com segurança o caminho para dentro.

O Hope Medical Group é a única clínica na cidade de Shreveporte uma das apenas três no Estado, Louisiana, para uma população estimada de cerca de 920 mil mulheres em idade fértil (entre 15 e 44 anos).

Oito em cada dez pacientes desta clínica vivem abaixo do nível de pobreza nacional, e cerca de 60% se identificam como afro-americanas.

“Falei com uma mulher que veio fazer um aborto ontem, ela disse mal dar conta das coisas como estão hoje na vida dela. Não estou falando apenas de dinheiro, estou falando de tempo. Ela é mãe, tem dois empregos e mal consegue passar tempo com a criança que tem em casa”, diz Rebecca.

Depois que vazou um documento indicando que a Suprema Corte dos EUA poderá derrubar o direito legal nacional ao aborto, muitas pessoas como Rebecca temem o impacto de uma possível proibição. Há uma preocupação particular com mulheres de minorias étnicas que são desproporcionalmente representadas nas estatísticas de aborto.

Os negros representam 13% da população dos EUA, mas as mulheres negras constituem mais de um terço dos abortos relatados no país, e as mulheres hispânicas cerca de um quinto.

As mulheres mais pobres são mais propensas a procurar um aborto, revelam os dados, e as mulheres de minorias étnicas são mais afetadas pela desigualdade de renda. Além disso, a diferença de riqueza entre grupos brancos e não brancos está aumentando nas últimas décadas entre a população dos EUA.

Na linha da pobreza

O vazamento recente revelou que os juízes da Suprema Corte dos EUA podem ser a favor de anular a decisão conhecida como Roe versus Wade, que em 1973 estabeleceu o direito da mulher ao aborto nos EUA. O aborto não se tornaria imediatamente ilegal em todo o país – em vez disso, caberia a cada Estado decidir qual acesso ao procedimento médico as mulheres teriam em seu território.

O Instituto Guttmacher, um grupo de pesquisa pró-escolha, prevê que, se a decisão no caso Roe versus Wade for derrubada, o aborto pode ser proibido ou restringido em 26 estados – afetando mais da metade da população em idade fértil.

E as mulheres mais pobres, assim como as afro-americanas,   sofreriam o impacto, pois estes grupos são mais propensos a buscar um aborto, de acordo com registros oficiais.

Kathaleen Pittman, que trabalha como administradora da clínica de Louisiana, diz que a pobreza é a principal razão citada pelas mulheres ao interromper a gravidez. A maioria das clientes atendidas pela clínica paga pelo procedimento com fundos de organizações sem fins lucrativos.

“Tivemos pacientes contando com três fundos de aborto diferentes, tentando juntar o dinheiro”, diz ela.'Se eu sentar e pensar muito sobre o que pode trazer o amanhã, não serve em nada para a paciente', diz Kathaleen Pittman — Foto: VALERIA PERASSO/via BBC‘Se eu sentar e pensar muito sobre o que pode trazer o amanhã, não serve em nada para a paciente’, diz Kathaleen Pittman — Foto: VALERIA PERASSO/via BBC

A maioria já tem um ou mais filhos em casa, diz Kathaleen – em linha com estatísticas nacionais, que mostram que seis em cada 10 mulheres que abortam já são mães, segundo dados de 2019 do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) .

“Só ver as mulheres na clínica é muito revelador. Todos os dias ouvimos de mulheres que têm que cancelar sua consulta porque o transporte falhou, a creche falhou… Qualquer dia perdido no trabalho para muitas dessas famílias é um problema real.”

Se o aborto se tornar ilegal na Louisiana, Kathaleen teme o pior: “Vamos ver mais pobreza, mais mortes”. As desigualdades de saúde para pacientes de baixa renda e grupos étnicos minoritários já são prevalentes.

De acordo com o CDC, em 2020, a taxa de mortalidade materna para mulheres negras não hispânicas foi quase três vezes maior do que a taxa para mulheres brancas não hispânicas.

Resumo: o que está acontecendo com o aborto nos EUA?

  • Um documento que vazou sugere que a Suprema Corte dos EUA pode decidir a anulação do direito nacional ao aborto. A decisão final está prevista para ocorrer a partir de junho ou julho.
  • Atualmente, os procedimentos de aborto estão disponíveis até cerca de 24 semanas de gravidez.
  • A Suprema Corte está considerando a possibilidade de permitir que os Estados proíbam o procedimento, restringindo-os para estágios muito iniciais da gravidez.
  • Nos últimos dez anos, menos mulheres fizeram abortos nos EUA, de acordo com estatísticas do CDC – os procedimentos relatados caíram quase 18% entre 2010 e 2019.

Batalha judicial

Se Roe versus Wade for derrubado, pelo menos 13 Estados em todo o país já têm leis que proibiriam ou restringiriam o aborto após o anúncio da decisão da Suprema Corte dos EUA.

Na Louisiana, a proibição viria imediatamente. A exceção seria para emergências médicas graves ou com risco de vida.

A Louisiana Right to Life (LARTL) é uma das maiores e mais antigas organizações antiaborto do Estado. Seu trabalho envolve a promoção das regulamentações restritivas que o Estado tem aprovado nos últimos anos. Mas a LARTL também se envolve no aconselhamento e ativismo, incluindo sessões de oração fora das clínicas.

“Acreditamos que não importa como a vida seja concebida, mesmo nos casos raros e horríveis de estupro e incesto, vale a pena proteger a vida”, diz Sarah Zargorski, diretora de comunicações da LARTL.

Sua organização acredita que os problemas que as mulheres negras e pobres enfrentam devem ser abordados reformulando a conversa sobre saúde materna.

“Tanto tempo foi gasto na chamada saúde reprodutiva, mas agora temos a oportunidade de nos concentrar na saúde materna real”.

A LARTL recentemente declarou que se opõe a qualquer legislação que criminalize a mãe.

“A mãe também é vítima de Roe, as mulheres foram enganadas por décadas sobre as ramificações do aborto”, diz ela.”Em última análise, o aborto é sempre perigoso, pois acaba com a vida do nascituro – devemos nos concentrar especificamente nas mulheres pertencentes a minorias, ajudando-as a fazer uma escolha de afirmação de vida, seja assumindo a maternidade ou entregando para adoção”.

A administradora da clínica, Kathaleen, tem uma visão diferente: “Se Roe versus Wade for derrubado, veremos mais dessas mulheres morrendo, não apenas por complicações da gravidez, mas por abortos sem auxilio profissional, porque não teriam acesso a uma interrupção segura”.

‘É sobre autonomia corporal’

Mais da metade da população negra nos EUA vive no Sul, onde em muitos estados os legisladores já criaram leis ou emendas para restringir o aborto de diferentes maneiras — por exemplo, impondo ultrassonografias obrigatórias, aconselhamento estatal ou períodos de espera antes do procedimento poder ser realizado.

Para Marcela Howell, presidente e CEO da In Our Own Voice — parceria nacional de organizações de mulheres negras com uma agenda de justiça reprodutiva — a anulação destacaria uma preocupação mais ampla:

“Não se trata apenas de aborto, para mulheres negras é sobre autonomia corporal”.

Ela diz que, embora Roe versus Wade tenha estabelecido o direito ao aborto, não removeu as barreiras financeiras e logísticas para mulheres negras abortarem, nem impediu que as regulamentações estaduais dificultassem o acesso aos procedimentos.

Tina Marshall, que fundou a Black Abortion Defense League, em Charlotte, na Carolina do Norte, conta que vê estes obstáculos diariamente.

“Na comunidade negra ninguém fala em aborto, mas todo mundo conhece alguém que já fez. Falo do meu aborto para normalizar”, diz ela.

Tina começou a fazer seu trabalho porque sentiu que pacientes negras podem querer o apoio de outra mulher negra, em vez de outros acompanhantes que são em sua maioria brancos.

Tia Tina, como ela é conhecida fora do Charlotte’s Preferred Women’s Health Center, interage com os grupos antiaborto no local.

“Fiquei absolutamente horrorizada quando comecei, com tantos homens brancos parados lá fora, tentando humilhar essas mulheres, enquanto atravessavam o estacionamento.”

“Ninguém protege as mulheres negras, exceto outras mulheres negras”, afirma.

Cherilyn Holloway tem uma visão diferente sobre o aborto. Ela é chefe da Pro-Black Pro-Life, uma organização que ela diz tentar abrir um diálogo sobre injustiça racial e aborto, que ela fundou após ter dois abortos.

“Eu tinha 15 anos na primeira vez e recebi um ultimato do meu pai que me fez sentir que não tinha escolha”, revela.

Cherilyn reconhece que as mulheres negras de baixa renda são desproporcionalmente afetadas pelas desigualdades, mas diz que recorrer ao aborto não é a resposta.

“Não temos um problema de gravidez. Temos um problema econômico”, avalia.

“Quando penso no argumento em torno do acesso ao aborto, por que apenas temos acesso a essa única coisa? Há todas essas outras disparidades, e esta é a única que estamos relatando.”

Independentemente de o aborto ser legal ou ilegal, ela o vê como “uma solução band-aid para um problema muito maior”.

“Aqui está a questão que sempre coloco. A solução para a taxa de mortalidade materna negra é mais abortos? É assim que estamos resolvendo este problema? Então, estamos preocupados que, se acabarmos com o aborto, mais mulheres negras grávidas vão morrer ao dar à luz. Mas não estamos solucionando o problema original.”

Menos clínicas, maiores distâncias

Caitlin Myers, professora de economia do Middlebury College, vem analisando quais os efeitos da derrubada do Roe versus Wade podem ter sobre as mulheres mais pobres.

Ela diz que as proibições estaduais provavelmente fechariam clínicas de aborto para 41% das mulheres americanas em idade reprodutiva e aumentariam a distância média de carro até um provedor de aborto — de 55 km para 450 km.

Sua pesquisa também mostra que muitas mulheres não poderão arcar com o custo destas viagens.

“Estamos prevendo que cerca de um quarto das mulheres que desejam abortar não conseguirão chegar a uma clínica de aborto nos estados em que o aborto ainda é legal — cerca de 100 mil mulheres no primeiro ano”.

Laurie Bertram Roberts é diretora executiva do Yellowhammer Fund, que oferece apoio financeiro para mulheres que buscam abortos no Alabama e no Mississippi.

Estes dois estados apresentam a maior porcentagem de mulheres negras que abortam nos EUA, de acordo com a Kaiser Family Foundation.

Sua própria experiência de ter tido um aborto negado em um hospital católico é uma das razões pelas quais ela abraçou esta carreira.

“Você sabe como é ser uma pessoa negra que deu à luz sete filhos?”, questiona.

Nos EUA, muita gente depende de seguros privados para financiar seus cuidados com a saúde, uma vez que o acesso aos serviços de saúde é muito caro e, na maioria das vezes, não há uma prestação universal de serviços de saúde financiada pelo governo.

Afro-americanos e hispânicos são menos propensos a ter seguro de saúde privado, devido à sua renda mais baixa e taxas mais altas de desemprego.

Quase um quarto (23,8%) das mulheres hispânicas e 12,5% das mulheres negras de 15 a 49 anos não têm seguro de saúde, em comparação com apenas 8,4% entre as brancas.

E a maioria das mulheres que recebem assistência federal por meio do Medicaid — o programa que oferece alguma cobertura de saúde para pessoas de renda muito baixa —, na maioria dos casos, é impedida de usar esses fundos para serviços de aborto, que podem custar algumas centenas de dólares.

“É muito avassalador pensar sobre qual será o impacto”, diz Laurie, comentando sobre o vazamento da decisão da Suprema Corte.

“No Alabama, tínhamos cinco clínicas, mas duas recentemente fecharam. Para substituir isso, para redirecionar todas essas mulheres, é muito esforço.”

“Você tem dois estados com altas taxas de mortalidade materna de mulheres negras, altas taxas de mortalidade infantil de crianças negras… não há outro desfecho a não ser que algumas mulheres negras vão morrer.”

No estado de Washington, Mercedes Sánchez trabalha com a sensibilização comunitária de populações etnicamente diversas na Cedar River Clinics.

Localizada em um estado onde o aborto provavelmente permanecerá legal, Mercedes já está preocupada que sua clínica possa não ser capaz de acomodar um fluxo cada vez maior de mulheres vindas de fora do estado para realizar o procedimento.

“Já vemos muitas mulheres que vêm de outro estado. Vamos ver este problema se agravar.”

Enquanto isso, na clínica Hope, em Louisiana, Kathaleen já está tendo dificuldades para atender à demanda.

“Em um dia qualquer, temos 300 mulheres esperando uma consulta com a gente.”

“Eu mesma tive que enviar mulheres para lugares tão distantes quanto o Colorado”, diz ela — é uma jornada de 1.600 km.

“É assustador, mas o consenso em nossa clínica é que vamos fazer o que pudermos por estas pacientes enquanto pudermos.”

Continuar lendo SAÚDE: SAIBA QUAL O PERFIL DE MULHERES QUE SERÃO AFETADAS CASO ABORTO SOFRA RESTRIÇÕES NOS EUA

NINISTÉRIO DA SAÚDE RECOMENDOU ATRAVÉS DE NOTA 4ª DOSE DE VACINA CONTRA COVID-19 PARA PESSOAS COM 50 ANOS OU MAIS

Saúde recomenda 4ª dose contra Covid-19 para pessoas com 50 anos ou mais

Os imunizantes de Pfizer, AstraZeneca e Janssen poderão ser usados independentemente das três primeiras doses aplicadas

Da CNN

 

O Ministério da Saúde recomendou, em nota técnica divulgada neste sábado (4), que pessoas com 50 anos ou mais e trabalhadores da saúde de todas as idades recebam a quarta dose da vacina contra a Covid-19. A informação havia antecipada nesta sexta-feira (3) pelo ministro Marcelo Queiroga.

Segundo a pasta, os imunizantes de Pfizer, Janssen e AstraZeneca podem ser usados independentemente das três doses anteriores.

“O Ministério da Saúde reforça a importância de estados e municípios seguirem as orientações da pasta para o andamento da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. A Pasta segue a distribuição equânime e proporcional de vacinas Covid-19 para todo país, conforme a necessidade de cada unidade federativa”, diz o comunicado.

Até o momento, 77% da população já recebeu pelo menos duas doses. Cerca de 85 milhões de brasileiros já tomaram a primeira dose de reforço.

Continuar lendo NINISTÉRIO DA SAÚDE RECOMENDOU ATRAVÉS DE NOTA 4ª DOSE DE VACINA CONTRA COVID-19 PARA PESSOAS COM 50 ANOS OU MAIS

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN não registra óbito por Covid-19 nas últimas 24 horas; novos casos são 125

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta sexta-feira (3). Não houve registro de óbito por Covid-19 nas últimas 24h. Novos casos são 125.

São 507.273 casos totalizados.  Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.211. Óbitos em investigação são 1.356

Recuperados são 497.688. Casos suspeitos somam 712 e descartados são 960.734

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

UTILIDADE PÚBLICA: NATAL AMPLIA NESTA SEXTA-FEIRA (03) A FAIXA ETÁRIA PARA VACINAÇÃO CONTRA GRIPE

Natal amplia idade para vacinação contra a gripe; confira quem pode se vacinar

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Natal amplia nesta sexta-feira (3) a faixa etária para vacinação contra a gripe. Hoje, está apta a se vacina a população com idade igual ou superior a 55 anos. Já a partir de sábado (4), a população com 50 anos ou mais. Durante os próximos dias, a ampliação segue acontecendo de forma decrescente por idade, até atingir o público com 5 anos ou mais, em 15 de junho.

Para ser imunizado contra a influenza, o público deve  procurar um dos pontos de vacinação montado nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e receber o imunizante, sendo necessária a apresentação do cartão de vacina e documento com foto.

“Escalonamos as faixas etárias com intuito de evitar aglomerações nos pontos de vacinação, mas estamos garantindo que até o final da primeira quinzena de junho todo o público seja contemplado. É muito importante todos se vacinarem”, complementa George Antunes, secretário de saúde de Natal.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal reforça a importância da imunização para os públicos contemplados, conforme calendário abaixo.

Confira o calendário de vacinação:
03.06 – 55 anos +
04.06 – 50 anos +
06.06 – 45 anos +
07.06 – 40 anos +
08.06 – 35 anos +
09.06 – 30 anos +
10.06 – 25 anos +
11.06 – 20 anos +
13.06 – 15 anos +
14.06 – 10 anos +
15.06 – 05 anos +

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: NATAL AMPLIA NESTA SEXTA-FEIRA (03) A FAIXA ETÁRIA PARA VACINAÇÃO CONTRA GRIPE

NOS CINCO PRIMEIROS MESES DESTE ANO RN REGISTRA DEZ VEZES MAIS CASOS DE DENGUE DO QUE NO MESMO PERÍODO DE 2021

Por g1 RN

 

RN registra 10 vezes mais casos de dengue nos 5 primeiros meses de 2022 do que no mesmo período de 2021 — Foto: Getty ImagesRN registra 10 vezes mais casos de dengue nos 5 primeiros meses de 2022 do que no mesmo período de 2021 — Foto: Getty Images

Nos cinco primeiros meses deste ano o Rio Grande do Norte registrou 10 vezes mais casos de dengue do que no mesmo período de 2021. De acordo com o último boletim epidemiológico de arboviroses, de janeiro a 21 de maio de 2022 foram confirmados 3.195 casos de dengue no estado. Em 2021, neste mesmo período, foram 311.

Os dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) revelam ainda que foram notificados 20.258 casos de dengue até 21 de maio. Destes, 2.392 foram descartados e outros 17.866 seguem em investigação.

Nove mortes estão em investigação e um óbito causado pela dengue foi confirmado no RN.

“Desde o decreto da epidemia de arbovirose esse aumento vem sendo contínuo. A vigilância também precisa ser contínua e precisa ser de todos para que nós consigamos controlar esse cenário epidemiológico aqui no estado. É importante deixar claro que essas notificações se dão a partir de exame laboratorial, mas também a partir de critérios clínicos epidemiológicos. Ou seja, se naquele município já existem casos de arboviroses e as pessoas estão desenvolvendo os sintomas que se refere a uma dessas doenças o diagnóstico pode ser feito sem necessariamente a realização de um exame”, explicou Kelly Lima, coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap.

Chikungunya e zika

Até o dia 21 de maio, o estado registrou 5.592 casos prováveis de chikungunya e 1.705 casos prováveis de infecção pelo zika vírus.

A comparação com o mesmo período de 2021 mostra que a incidência de Zika teve aumento de 1.622,22% e a chikungunya teve crescimento de 189,89%.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo NOS CINCO PRIMEIROS MESES DESTE ANO RN REGISTRA DEZ VEZES MAIS CASOS DE DENGUE DO QUE NO MESMO PERÍODO DE 2021

SESAP RECOMENDA QUE MUNICÍPIOS APLIQUEM DOSE DE REFORÇA DA VACINA CONTRA COVID-19 EM ADOLESCENTES

Municípios do RN devem aplicar dose de reforço da vacina contra a Covid em adolescentes após recomendação da Sesap

Os municípios devem usar o estoque de Coronavac e Pfizer para iniciar a aplicação imediatamente

Redação
30/05/2022 | 14:52

Foto: Wilson Moreno/Secom PMM

A partir desta segunda-feira (30), os municípios do Rio Grande do Norte devem iniciar a aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos. A medida segue orientação do Ministério da Saúde. O acordo para pôr a medida em prática foi feita na manhã desta segunda-feira. Durante a discussão feita na Câmara Técnica das Vacinas, coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), ficou decidido que os municípios devem usar o estoque de Coronavac e Pfizer para iniciar a aplicação imediatamente.

“Estamos fazendo um levantamento junto aos municípios para solicitar ao Ministério da Saúde mais doses e assim organizar a quantidade de doses necessárias para a terceira dose de todos os adolescentes”, disse Laiane Graziela coordenadora de Imunização da Sesap.

A dose de reforço deve ser administrada quatro meses após a segunda dose. Segundo a orientação do Ministério da Saúde, o imunizante preferencial a ser usado deve ser o da Pfizer, independente do imunizante aplicado no esquema primário, ficando a Coronavac como opção no caso de não haver disponibilidade da vacina Pfizer.

O RN tem hoje 281.152 adolescentes entre 12 a 17 anos com a primeira dose, correspondendo a 88% da população dessa faixa, e 228.780 com a segunda dose (71%).

Continuar lendo SESAP RECOMENDA QUE MUNICÍPIOS APLIQUEM DOSE DE REFORÇA DA VACINA CONTRA COVID-19 EM ADOLESCENTES

MINISTÉRIO DA SAÚDE ACOMPANHA INVESTIGAÇÃO DE DOIS CASOS SUSPEITOS DE VARÍOLA DOS MACACOS NO PAÍS

Ministério da Saúde investiga dois casos suspeitos de varíola dos macacos no país

Casos são analisados nos estados de Santa Catarina e Ceará. De acordo com o ministério, não há confirmação da doença no Brasil até o momento

Lucas Rocha

Carolina Figueiredo

da CNN

em São Paulo

O Ministério da Saúde informou, nesta segunda-feira (30), que acompanha a investigação de dois casos suspeitos de varíola dos macacos no país, nos estados de Santa Catarina e Ceará.

De acordo com o ministério, não há casos confirmados da doença no Brasil até o momento.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Ceará, que realiza o monitoramento, o caso suspeito é de um morador de Fortaleza. Foram adotadas medidas como isolamento domiciliar, busca de contatos e coleta de material para exames, que está em andamento. Segundo a secretaria, não foi identificado deslocamento para áreas em que foram confirmados casos ou contato com pessoas com a doença.

Segundo o levantamento, cerca de 120 casos suspeitos em 23 países também foram relatados à OMS, sendo que nenhuma morte foi reportada. Os dados consideram as estimativas da OMS até o dia 26 de maio.

A entidade alerta que a situação evolui rapidamente e mais casos devem ser identificados à medida que a vigilância se expande em países não endêmicos, bem como em países conhecidos como endêmicos que não relataram casos recentemente.

Cenário epidemiológico

A OMS afirma que as investigações epidemiológicas estão em andamento e que a maioria dos casos notificados até agora não tem vínculos de viagem estabelecidos para uma área endêmica. Além disso, os casos foram identificados por meio de unidades de saúde de atenção primária ou serviços de saúde sexual.

A identificação de casos confirmados e suspeitos da doença sem ligações diretas de viagem a uma área endêmica é considera atípica pela OMS.

A epidemiologia preliminar das infecções iniciais notificadas à OMS pelos países mostra que os casos foram notificados principalmente entre homens que fazem sexo com homens (classificação técnica que inclui gays, bissexuais e pessoas que não se identificam com alguma dessas orientações).

De acordo com a OMS, um caso de varíola em um país não endêmico é considerado um surto. O aparecimento súbito da varíola dos macacos simultaneamente em vários países não endêmicos sugere que pode ter havido transmissão não detectada por algum tempo, bem como eventos amplificadores recentes.

Sobre a varíola dos macacos

A doença é causada por um vírus que pertence ao gênero ortopoxvírus da família Poxviridae. Existem dois grupos de vírus da varíola dos macacos: o da África Ocidental e o da Bacia do Congo (África Central).

O vírus da varíola dos macacos é transmitido de uma pessoa para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama. O período de incubação é geralmente de 6 a 13 dias, mas pode variar de 5 a 21 dias.

Várias espécies animais foram identificadas como suscetíveis ao vírus da varíola dos macacos, incluindo esquilos, ratos, arganazes, primatas não humanos e outras espécies. De acordo com a OMS, são necessários mais estudos para identificar os reservatórios exatos e como a circulação do vírus é mantida na natureza. A ingestão de carne e outros produtos de origem animal mal cozidas de animais infectados é um possível fator de risco.

A varíola geralmente é autolimitada, mas pode ser grave em alguns indivíduos, como crianças, mulheres grávidas ou pessoas com imunossupressão devido a outras condições de saúde.

As infecções humanas com o tipo de vírus da África Ocidental parecem causar doenças menos graves em comparação com o grupo viral da Bacia do Congo, com uma taxa de mortalidade de 3,6% em comparação com 10,6% para o da Bacia do Congo.

diagnóstico diferencial clínico inclui outras doenças exantemáticas, como catapora, sarampo, infecções bacterianas da pele, sarna, sífilis e alergias associadas a medicamentos. A alteração do tamanho dos linfonodos (linfadenopatia) pode ser uma característica clínica para distinguir a doença.

Os países endêmicos da varíola dos macacos são: Benin, Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Gabão, Gana (identificado apenas em animais), Costa do Marfim, Libéria, Nigéria, República do Congo, Serra Leoa e Sudão do Sul.

Continuar lendo MINISTÉRIO DA SAÚDE ACOMPANHA INVESTIGAÇÃO DE DOIS CASOS SUSPEITOS DE VARÍOLA DOS MACACOS NO PAÍS

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN não registra óbitos nem novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Saiba tudo sobre o novo coronavírus e a Covid-19 | Agência Brasil

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus neste domingo (29).

Não houve registro de óbitos ou notificações de novos casos de Covid-19 nas últimas 24h.

São 505.448 casos totalizados. Nenhum novo caso foi registrado nas últimas 24 horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.202. Óbitos em investigação são 1.381.

Recuperados são 496.481. Casos suspeitos somam 507 e descartados são 955.104.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

QUASE 400 MORTES POR DENGUE SÃO REGISTRADAS ESTE ANO NO BRASIL, SEGUNDO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Por g1

 

Mosquito 'Aedes aegypti', vetor do vírus da dengue — Foto: PexelsMosquito ‘Aedes aegypti’, vetor do vírus da dengue — Foto: Pexels

O Brasil registrou, desde janeiro até o último sábado (21), 382 mortes por dengue, informou o Ministério da Saúde em boletim divulgado nesta semana.

O número é maior do que o total visto em todo o ano passado, quando 246 óbitos foram registrados. Outras 349 mortes ainda estão sendo investigadas.

Segundo o ministério, na comparação do mesmo período (até a semana epidemiológica 20), o número de mortes visto em 2022 é mais que o dobro (138,7% maior) do registrado no ano passado. Por outro lado, houve redução de 35% em comparação a 2019.

A semana epidemiológica é uma convenção usada internacionalmente que vai de domingo ao sábado de uma determinada semana. Neste sábado (28), o Brasil está concluindo a semana epidemiológica 21.

O país vive um surto de dengue: no início do mês, chegou ao mesmo número de casos visto em todo o ano passado. Até o dia 21, haviam sido registradas 9.318 formas graves da doença desde o início do ano.

Estados mais afetados

Os estados com maior quantidade de mortes até a última semana foram São Paulo (134 óbitos), Santa Catarina (43 óbitos), Goiás (41 óbitos), Rio Grande do Sul (35 óbitos) e Paraná (31 óbitos).

Bahia registrou 21 óbitos, Minas Gerais, 15, Mato Grosso do Sul, 12, e o Piauí, 10. Acre, Amapá, Paraíba, Pernambuco e Alagoas não registraram mortes pela doença. Os outros estados têm menos de 10 registros cada.

Das 349 mortes que estão sendo investigadas, 138 estão em Goiás, 42 em Minas Gerais, 42 em São Paulo, 31 no Paraná e 25 no Distrito Federal.

Até o último sábado, Goiás também era o estado com maior número de casos graves (2.972), seguido de São Paulo (1.359) e Paraná (1.265).

Em relação à população, o estado com o maior número de casos é, de novo, Goiás, com mais de 2 mil casos a cada 100 mil habitantes. Em seguida vêm o Distrito Federal, com cerca de 1,5 mil casos para cada 100 mil habitantes, e o Tocantins, com 1,3 mil casos a cada 100 mil habitantes.

Continuar lendo QUASE 400 MORTES POR DENGUE SÃO REGISTRADAS ESTE ANO NO BRASIL, SEGUNDO MINISTÉRIO DA SAÚDE

DEPOIS DE QUASE TRÊS MESES DE ESTABILIDADE NO BRASIL TAXA DE TRANSMISSÃO DO CORONAVÍRUS VOLTOU A CRESCER NO PAÍS

Taxa de positividade para Covid-19 aumenta 18 pontos percentuais em 30 dias, diz Abramed

Último boletim InfoGripe da Fiocruz mostra que aproximadamente 48% dos registros de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) foram decorrentes do coronavírus

Nathalie Hanna Alpaca

da CNN*

no Rio de Janeiro

Breno Esaki/Agência Saúde DF

Depois de quase três meses de estabilidade, a taxa de transmissão do novo coronavírus voltou a indicar um novo crescimento da doença no país. Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), instituição que representa os laboratórios de diagnóstico, mostra que a taxa de positividade aumentou de 10,2% para 28,8% em apenas 30 dias.

De acordo com o Boletim InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado na quinta-feira (26), aproximadamente 48% dos registros de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) foram decorrentes da doença. Além disso, 84% das mortes por SRAG também estão relacionadas ao coronavírus.

Apesar dos números serem referentes a um período de sete dias, o coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, ressalta que essa tendência já vem se repetindo há algum tempo. “Essa propensão vem sendo observada desde a semana epidemiológica de 24 a 30 de abril”, explica, acrescentando que “a estimativa é de 6 mil casos de SRAG na semana epidemiológica de 15 a 21 de maio”.

“Na população adulta, a média móvel de casos semanais teve um aumento de cerca de 82% na comparação com o observado no começo de abril. Nas crianças, o vírus sincicial respiratório (VSR) continua sendo predominante. Nas demais, a Covid-19 é a principal causa entre os casos com identificação laboratorial”, ressalta.

O coordenador do boletim observa que há diversos fatores que auxiliaram no crescimento dos casos, entre eles o relaxamento com o uso de máscara, a falta de adesão à dose de reforço pela população adulta e o período desde o último pico da Covid-19, que ocorreu entre dezembro e janeiro.

“O relaxamento quase que total em relação aos cuidados, como uso de máscara, já tinha levado a esse aumento de SRAG por outros vírus respiratórios em crianças nos meses de fevereiro e março, por conta do retorno às aulas presenciais. Ao mesmo tempo, vimos que as pessoas pensavam que não era necessário ter nenhum cuidado, então tudo isso influencia”, diz.

“Adultos sem dose de reforço e o último pico do coronavírus, que ocorreu já faz 4 meses, fazem com que a imunidade já não esteja tão boa. A dose de reforço foi implementada porque os dados mostraram o quanto ela era importante, especialmente frente à variante Ômicron. É como a vacina anual da gripe, que não chamamos de reforço, mas é basicamente a mesma lógica”, diz o pesquisador.

“Não é dizer que deveríamos ter mantido todas as medidas durante todo esse tempo, mas ao menos usar máscara no transporte público, em lugares fechados ou com muita gente, especialmente no ambiente escolar”, completa.

O presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Alberto Chebabo, afirma que o aumento nos casos de SRAG no período de inverno é normal, mas destaca que necessidade de vigilância para possível aumento no número de casos em comparação aos dois últimos anos.

“O aumento de casos já era esperado e a expectativa é que os casos aumentem mais nos próximos meses por conta do inverno. É natural que tenha após quatro meses da onda anterior. Associado a isso, estamos entrando no período de sazonalidade nas SRAG, que tem um aumento todos os anos, antes mesmo da Covid. A única questão que temos que observar é se o número de casos será superior ao período pré-pandemia, o que pode ser um alarde”, aponta o presidente da SBI.

Vacinação no Brasil

O Ministério da Saúde informou à CNN que mais de 83% da população se vacinou com a primeira dose e 76,7% com a segunda dose ou dose única.

De acordo com a pasta, o governo federal já distribuiu mais de 487,7 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 e cerca de 48 milhões de pessoas estão aptas a receber a dose de reforço. O ministério também recomenda aos estados e municípios que façam a busca ativa da população para completar o esquema vacinal contra a Covid-19.

Chebabo também chama atenção para a cobertura vacinal da dose de reforço, que está baixa para o público brasileiro. Segundo ele, é esperado que tenha um aumento no número de casos de Covid-19, mas se as pessoas não se imunizarem, é possível que os casos se tornem graves.

“O que se sabe é que a subvariante que está crescendo é a BA.2. A vacinação da dose de reforço não está suficiente, o ideal é que chegue a 70% a 80% para que as pessoas não percam a proteção e que não aumentem os casos graves por falta de vacinação”, completa.

Fonte: CNN

Continuar lendo DEPOIS DE QUASE TRÊS MESES DE ESTABILIDADE NO BRASIL TAXA DE TRANSMISSÃO DO CORONAVÍRUS VOLTOU A CRESCER NO PAÍS

PROJETOS DE SAÚDE PÚBLICA DE NATAL FORAM SELECIONADOS PARA 17ª MOSTRA BRASIL AQUI TEM SUS

Projetos de saúde pública de Natal são selecionados para 17ª Mostra Brasil aqui tem SUS”

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Projetos tiraram nota máxima | Foto: SMS/Natal

Dois projetos de saúde pública executados em Natal foram selecionados para a “17ª Mostra Brasil, aqui tem SUS”, na programação do 36º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), que acontece entre os dias 12 e 15 de julho em Campo Grande-MS. O encontro reunirá gestores, trabalhadores e profissionais do SUS de todo o país.

Um dos projetos é de atenção primária, de cunho educacional, relacionado ao diagnóstico de infecções sexualmente transmissíveis (IST’s); e outro trabalho da atenção especializada em saúde mental, iniciado pelo Centro de Convivência e Cultura (Cecco) durante a pandemia do novo coronavírus. Ambos atingiram nota máxima de 100,0 na seletiva de experiências exitosas do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Norte (Cosems-RN).

“A Ludicidade do Audiovisual como Facilitador no Aconselhamento pré-teste rápido para IST” é um vídeo educativo utilizado na Unidade de Saúde da Família (USF) do Parque dos Coqueiros, momentos antes da realização da testagem rápida para HIV, Sífilis, Hepatites B e C, pelo enfermeiro Túlio César de Araújo. A didática consiste no usuário assistir o vídeo enquanto o profissional preenche a ficha, para que entenda melhor o possível diagnóstico das doenças.

“É um vídeo de aconselhamento, que não substitui a consulta médica ou diagnóstico profissional, mas ajuda bastante para que o paciente consiga entender mais informações sobre como funcionam os testes, as doenças, e também serve para tranquilizá-los”, comenta o autor do projeto, Túlio César de Araújo. O link para visualizar o vídeo pode ser conferido em: https://youtu.be/NESYgT9eQXU .

A Rádio Bilola foi outro projeto selecionado para representar o município no evento nacional. Intitulado de “Novas Tecnologias na Atenção Psicossocial: Estratégias do Centro de Convivência e Cultura de Natal”, esse trabalho apresenta uma estratégia baseada em dar continuidade aos encontros do Cecco durante a pandemia, de forma virtual, através de um grupo de Whatsapp com os pacientes atendidos pelo local.

“Essa estratégia pôde manter a rotina de atividade com nossos convivas durante o isolamento social. Começamos de forma pequena, com 16 pessoas, mas logo depois percebemos que as atividades poderiam ser executadas através de vídeos com exercícios de dança, leitura de poesias e oficinas com dicas de tecnologia. Montamos uma agenda virtual com atividades diárias em horários estabelecidos. A gente mandava o vídeo com os exercícios e recebia os vídeos deles executando em casa”, observa Patrizia Mendonça, Coordenadora do Cecco Natal.

A próxima etapa, após a apresentação, será a avaliação e premiação da banca do evento. A mostra contará com a apresentação presencial de 343 experiências exitosas de Secretarias Municipais de Saúde, com o objetivo de mostrar o SUS que dá certo e proporcionar um espaço de troca de experiência entre os profissionais.

Continuar lendo PROJETOS DE SAÚDE PÚBLICA DE NATAL FORAM SELECIONADOS PARA 17ª MOSTRA BRASIL AQUI TEM SUS

SAÚDE: DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN não registra óbitos por Covid-19 nas últimas 24h; Novos casos são 84

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta quinta-feira (26). São 505.133 casos totalizados. Novos casos nas últimas 24h são 84.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.199. Óbitos em investigação são 1.422.

Recuperados são 496.234. Casos suspeitos somam 601 e descartados são 954.408. Estimativa de casos em acompanhamento: 700.

Continuar lendo SAÚDE: DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

GOVERNO DO RN LANÇA PROJETO PARA AMPLIAR COBERTURA VACINAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DO ESTADO

Governo do RN lança projeto para levar vacinação às escolas e ampliar imunização no estado

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Com o objetivo de incentivar a vacinação e ampliar a cobertura vacinal de crianças e adolescentes no Rio Grande do Norte, o governo do estado lançou nesta terça-feira (24) o projeto Minha Escola Nota 10. A ação pretende levar, entre maio e julho, atividades de conscientização sobre a importância das imunizações e promover a vacinação no âmbito escolar.

O projeto é uma  parceria entre as secretarias estaduais de saúde pública (Sesap) e educação (SEEC). O secretário de saúde do RN, Cipriano Maia, destacou a importância do projeto.

“Precisamos avançar nessa vacinação dos menores de idade e essa ação é primordial na nossa estratégia. As escolas estão em todas as comunidades do estado, próximas as famílias, por isso são o foco desse trabalho”.

Entre as vacinas do calendário infantil em idade escolar estão os reforços da DTP (difteria, tétano e coqueluche) e poliomielite, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), influenza, febre amarela, HPV, hepatite e Covid-19.

A cada ano as coberturas vacinais vem caindo em todo o Brasil, o que acaba aumentando o risco de surtos e da introdução de doenças até então erradicadas, como o sarampo.

De acordo com o Programa Estadual de Imunizações da Sesap, entre os principais problemas para a baixa cobertura vacinal estão a falsa sensação de segurança, dificuldades no acesso aos serviços de saúde (horário, fichas, filas), fake news e medo de reação adversa.

“As escolas tem essa condição de melhorar o acesso das crianças a esse benefício de proteção, onde os pais estão sobrecarregados e não tem condições de levar os filhos até a vacinação, que é acima de tudo uma proteção coletiva”, comentou a promotora de Justiça Rosane Pessoa Moreno.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo GOVERNO DO RN LANÇA PROJETO PARA AMPLIAR COBERTURA VACINAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DO ESTADO

DIANTE DO AUMENTO DE CASOS DA VARÍOLA DE MACACO ANVISA EMITE NOTA REFORÇANDO OS CUIDADOS COM AS MEDIDAS DE HIGIENE

Para adiar chegada da varíola dos macacos no Brasil, Anvisa pede uso de máscara

Foto: Marcelo Camargo

Diante do aumento no número de casos da varíola de macaco, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu nota reforçando a necessidade de adoção de medidas “não farmacológicas”, como distanciamento físico, uso de máscaras de proteção e higienização frequente das mãos, em aeroportos e aeronaves, para retardar a entrada do vírus no Brasil.

A varíola de macaco é uma doença pouco conhecida porque a incidência é maior na África. Até o momento, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) há 131 casos confirmados de varíola dos macacos, registrados fora do continente africano e 106 outros casos suspeitos, desde que o primeiro foi relatado em 7 de maio.

“A Anvisa mantém-se alerta e vigilante quanto ao cenário epidemiológico nacional e internacional, acompanhando os dados disponíveis e a evolução da doença, a fim de que possa ajustar as medidas sanitárias oportunamente, caso seja necessário à proteção da saúde da população”, diz a nota divulgada ontem (23).

Ainda, de acordo com a agência, essas recomendações protegem não só contra a varíola e a covid-19, mas também contra muitas doenças infectocontagiosas.

“Tais medidas não farmacológicas, como o distanciamento físico sempre que possível, o uso de máscaras de proteção e a higienização frequente das mãos, têm o condão de proteger o indivíduo e a coletividade não apenas contra a covid-19, mas também contra outras doenças”, reitera a Anvisa.

Diante do quadro, o Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos macacos no Brasil. A medida, anunciada pela pasta na noite desta segunda-feira (23), tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença.

“Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da doença no país”, informou o Ministério da Saúde, em nota. A pasta afirma que encaminhou aos estados um comunicado de risco sobre a patologia, com orientações aos profissionais de saúde e informações disponíveis até o momento sobre a doença.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DIANTE DO AUMENTO DE CASOS DA VARÍOLA DE MACACO ANVISA EMITE NOTA REFORÇANDO OS CUIDADOS COM AS MEDIDAS DE HIGIENE

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN registra dois óbitos por Covid-19 nas últimas 24h; Novos casos são 10

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (23). São 504.587 casos totalizados. Novos casos nas últimas 24h são 10.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.199. Dois óbitos registrados nas últimas 24h. (Angicos e Mossoró) Óbitos em investigação são 1.420.

Recuperados são 495.858. Casos suspeitos somam 245 e descartados são 953.080. Estimativa de casos em acompanhamento: 530.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN não registra óbitos por Covid-19; Novos casos são 78

 

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus neste sábado (21). São 504.552 casos totalizados. Novos casos nas últimas 24h são 78.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.197. Nenhum óbito registrado nas últimas 24h. Óbitos em investigação são 1.419.

Recuperados são 495.722. Casos suspeitos somam 394 e descartados são 952.597. Estimativa de casos em acompanhamento: 583.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

SAÚDE: POLIOMIELITE VOLTA A SER UM RISCO NO BRASIL EM MEIO À BAIXA COBERTURA VACINAL

Erradicada há 30 anos, poliomielite volta a assombrar o Brasil em meio à baixa cobertura vacinal

Em campanha oficial desde 1980, a taxa vacinal cai desde 2015 e chegou a 67,8% no ano passado. Os fatores vão de notícias falsas à ausência de campanhas de imunização. Especialistas são unânimes em afirmar que a doença pode voltar. A polio atingiu cerca de 26 mil crianças entre 1968 e 1980.

SEXTA, 20/05/2022, 06:38Bem-estar & Saúde

A cobertura vacinal contra a polio cai desde 2015 e ano passado atingiu a marca de 67,8% em 2021. Foto: Reprodução/ Portal Rolândia Flickr (Crédito: )A cobertura vacinal contra a polio cai desde 2015 e ano passado atingiu a marca de 67,8% em 2021. Foto: Reprodução/ Portal Rolândia Flickr

POR DEBORAH FORTUNA (deborah.fortuna@cbn.com.br)

Erradicada há 30 anos, a poliomielite volta a ser um risco no Brasil, após queda na taxa de vacinação. Sobreviventes da doença são unânimes: vacina salva e evita as sequelas que o vírus traz. Queda da imunização tem vários fatores e ocorre desde 2015. Especialista diz que faltam campanhas para incentivo em massa.

O que parecia ser um passado enterrado, voltou a assombrar. Em meio à baixa taxa de vacinação contra a poliomielite no país, especialistas são unânimes: a doença pode voltar. A poliomielite atingiu cerca de 26mil crianças entre 1968 e 1980. E as que sobreviveram garantem que tomar a vacina faria toda a diferença. A queda na imunização é um marco lamentável para a história do país hoje.

Sandra Ramalhoso tinha apenas três meses quando começou a ter febre. O ano era 1963. Depois do diagnóstico da poliomielite, foram várias as tentativas de salvar a criança: ela chegou a usar um pulmão de aço — um equipamento cilíndrico que permite respirar em casos de paralisia dos músculos.

‘Minha mãe conta que eu parecia um trapo um pano, não tinha forças, não sustentava minha cabeça, não mexia os braços nem pernas.’

A paralisia atingiu as pernas de Sandra, e ela também tem dificuldades em mover os braços. Depois de sobreviver, foram anos para tratar a doença: cirurgias, fisioterapias, exercícios. Na adolescência, usou duas órteses, e apenas depois das muletas é que aprendeu a subir e descer escadas.

‘Eu, como mulher, como vocês imaginam que eu usava absorventes? Frequentava escolas? São coisas que as mães, os pais não pensam no risco que seus filhos estão correndo? Risco dessa doença voltar, de trazer novos casos. Eu fico pensando: como você não evita uma doença sabendo que ela evitável?’, lamenta.

Apesar de já ter vacina disponível anos antes, foi apenas nos anos de 1980 que o Ministério da Saúde lançou a primeira campanha oficial contra a doença. A taxa, no entanto, vem caindo desde 2015 e chegou a 67,8% no ano passado.
.
Antes da vacina, em 1953, Zilda Reis conta que viu a filha cair e não levantar mais. Era poliomielite. O diagnóstico veio depois de dez mil cruzeiros gastos em consultas. Na época, quando o médico disse que a filha não iria mais andar, Zilda nem sequer conhecia o vírus.

‘Com dois anos de doença, ela começou a mexer os dedinhos do pé. No dia que ela mexeu, eu agradeci tanto. Era um sinal que estava voltando aos pouquinhos. Eu sei que para mim, era um sofrimento. O sofrimento é eterno’, lembra.

Um sofrimento eterno inclusive para Josete Lacerda, que contraiu a doença em 1967, quando já dava os primeiros passos. As sequelas permanecem até hoje, e desde 2015, Josete tem a chamada síndrome pós-polio, uma síndrome que após um período de estabilização, pode provocar nova perda das funções musculares.

‘comecei a apresentar essa fraqueza, a busca por esse diagnóstico que foi uma luta muito grande. O conhecimento ainda é muito pouco. Porque realmente nós fomos esquecidos’. E ela também tem um recado: ‘Só quem teve pólio, só quem sofre as consequências da pólio sabe o que é esse vírus por falta de uma gota. Se eu tivesse tomado uma gotinha, eu não estaria hoje numa cadeira de rodas’.

Os fatores para a queda da vacinação são variados: movimentos antivacina, circulação de notícias falsas, mas principalmente ausências de campanha de vacinação em massa.
O pesquisador Fernando Verani, da Escola Nacional de Saúde Pública da FioCruz, avalia que faltam incentivos. O problema, segundo ele, é que os casos podem chegar por outros se o Brasil não estiver com mais de 95% de cobertura vacinal – como ocorreu com o sarampo, erradicado em 2016, mas que voltou dois anos depois. Mas o pesquisador garante: ainda dá tempo de evitar o pior – se as campanhas aumentarem.

‘O fato de não haver poliomielite não quer dizer que não podemos ter se pararmos de vacinar. Sim, podemos. Ainda há tempo de se reverter se começarmos ontem. O Brasil tem uma estrutura do SUS fabulosa, jamais podemos esquecer disso, é preciso mobilizar. Falta uma política que foque em estratégias mais concretas do que foram feitas no brasil e deram resultado’.

A luta, agora, é para evitar que o Brasil caminhe os mesmos passos de Israel ou Malawi, onde a doença estava erradicada, mas voltou a registrar casos neste ano por causa da baixa vacinação. A campanha aqui, no entanto, ainda enfrenta desafios: por meses o Programa Nacional de Imunizações ficou sem um chefe titular, desde que a coordenadora se demitiu em julho do ano passado. Uma nova coordenadora só foi nomeada em abril. Além disso, a pasta diminuiu entre 2020 e 2021 o gasto com publicidade para vacinação contra a poliomielite. E o alerta continua.

Fonte: CBN

Continuar lendo SAÚDE: POLIOMIELITE VOLTA A SER UM RISCO NO BRASIL EM MEIO À BAIXA COBERTURA VACINAL

PREFEITURA DE NATAL DECRETOU SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA DEVIDO AUMENTOS NOS CASOS DE DENGUE, ZICA E CHIKUNGUNYA

Arboviroses: Natal decreta estado de calamidade devido aumento de casos das doenças

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Unsplash

A Prefeitura do Natal decretou situação de emergência na cidade devido o aumento  dos casos notificados de dengue, chikungunya e zika na cidade. O decreto, publicado na noite desta terça-feira (17), em uma edição extra do Diário Oficial do Município, tem validade de 90 dias, com o período podendo ser prorrogado.

De acordo com o documento, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e os demais órgãos da Administração Pública Municipal, no âmbito de suas atribuições, deverão adotar todas as medidas que se fizerem necessárias ao restabelecimento da situação de normalidade.

Segundo o Departamento de Vigilância em Saúde da SMS Natal, o número de casos notificados para as doenças apresentaram um aumento exponencial por semanas consecutivas. Além disso, áreas com grande concentração de casos suspeitos surgiram, principalmente nas regiões Sul, Norte e Oeste da cidade.

No período que compreende os meses entre janeiro e abril de 2022, Natal teve um aumento de 1.566% nos casos de dengue, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Foram 2.966 casos registrados neste ano no período, contra 192 em 2021.

A capital potiguar também apresentou crescimento das outras arboviroses nos primeiros quatro meses do ano. Em 2022, foram 176 casos de chikungunya contra 39 do ano passado, já a zika foi confirmada em 13 pacientes, enquanto no ano anterior foram 9 casos.

Continuar lendo PREFEITURA DE NATAL DECRETOU SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA DEVIDO AUMENTOS NOS CASOS DE DENGUE, ZICA E CHIKUNGUNYA

DEVIDO O AVANÇO DA EPIDEMIA DE DENGUE NO RN MPRN PEDIU QUE GOVERNO REGULARIZE NO PRAZO DE 30 DIAS A FROTA DE CARROS FUMACÊ DO ESTADO

Com aumento de casos de dengue, MP pede que Estado regularize carros fumacê

17/05/2022 16h17

Foto: Ilustrativa

Com o recente avanço da epidemia de dengue no Rio Grande do Norte, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) pediu que o Governo do Estado regularize, no prazo de 30 dias, o funcionamento da frota de carros de UBV Pesada, conhecidos como carros “fumacê”. A ação está sendo recomendada pela 62ª Promotoria de Justiça de Natal à Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Um levantamento recente, confirmado pela Sesap, mostrou que, dos 15 carros fumacê que existem no estado, apenas quatro estão em funcionamento. Durante a tramitação de inquérito civil, o MPRN constatou que os veículos estão aguardando reparos em um momento de agravamento do cenário epidemiológico das arboviroses (dengue, zika e chikungunya) em todo o RN. A situação, conforme ressaltou o MPRN, tem impactado os serviços públicos de saúde, com a geração de filas de atendimento nas unidades de saúde e hospitalares, tendo em vista o progressivo índice de adoecimento da população.

A coordenadora de vigilância em saúde da Sesap, Kelly Lima, explicpu a demora em conseguir as peças para o reparo dos veículos. “Já vínhamos com o trâmite do processo licitatório, desde o ano passado. Justamente por existir apenas uma empresa para todo o país, que fornecem essas peças específicas para pulverização do inseticida, só conseguimos concluir no início da semana passada esse processo”, afirma a coordenadora.

Para emitir a recomendação, o MPRN levou em consideração o aumento de casos de arboviroses. De acordo com o boletim epidemiológico da semana 14 (término em 9 de abril), foram notificados no Estado 4.784 casos de dengue; 1.719 casos de chikungunya e 368 casos de zika. O boletim também revelou que a maioria dos municípios potiguares se encontra em situação de alerta ou em situação de risco, com risco iminente de surto das arboviroses em todo o RN.

O mesmo boletim ainda apontou que Natal, Macaíba, Guamaré, Pedro Avelino, Brejinho, Santo Antônio, Várzea, Montanhas, Serrinha, Lagoa D’Anta, Passa e Fica, Jardim do Seridó, Parelhas ainda fazem uso de operações de UBV para controle de Aedes aegypti, sendo esta uma medida importante para a prevenção e contenção das arboviroses.

Apenas em Natal, entre os meses de março e abril de 2022, houve um aumento vertiginoso na notificação de casos prováveis das três arboviroses: em março foram notificados 630 casos; em abril, 2.318 casos prováveis.

Prazo

Para atender à recomendação, o Estado terá que concluir um processo de licitação que está em curso para a aquisição de peças visando ao conserto de veículos da frota de carros UBV pesada ou adotar quaisquer outras medidas pertinentes que coloquem toda a frota em circulação.

No mesmo prazo de 30 dias, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) deverá informar ao MPRN as providências tomadas para cumprir a recomendação, encaminhando a devida documentação comprobatória. Caso contrário, deve apresentar as razões que impedem o atendimento à recomendação, sob pena de serem adotadas as medidas judiciais cabíveis.

Segundo Kelly Lima, a expectativa da Sesap é que, até quarta-feira da próxima semana (25), as peças para conserto das máquinas de pulverização estejam em transporte. Ainda de acordo com a coordenadora de vigilância, pelo menos nove carros estarão rodando em todo o estado até o fim dessa semana e 15 até o fim do mês.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DEVIDO O AVANÇO DA EPIDEMIA DE DENGUE NO RN MPRN PEDIU QUE GOVERNO REGULARIZE NO PRAZO DE 30 DIAS A FROTA DE CARROS FUMACÊ DO ESTADO

SEGUNDO SOCIEDADE DE CARDIOLOGIA, MAIS DE 38 MILHÕES DE PESSOAS NO BRASIL QUE SOFREM DE HIPERTENSÃO ARTERIAL DESCONHECEM O DIAGNÓSTICO DA DOENÇA

Um terço das pessoas desconhece diagnóstico de hipertensão, diz entidade

Cardiologista Roberto Kalil, presidente do Incor e apresentador do CNN Sinais Vitais, abordou os principais riscos da pressão alta em entrevista à CNN

Lucas RochaElis Franco

da CNN

em São Paulo

A hipertensão arterial, também chamada de “pressão alta“, atinge mais de 38 milhões de pessoas no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. No entanto, um terço dos brasileiros que vivem com a doença desconhecem o diagnóstico, de acordo com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

A condição é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de outros problemas de saúde, como doenças cardiovasculares e renais. Nesta terça-feira (17), Dia Mundial da Hipertensão, o médico cardiologista Roberto Kalil, presidente do Incor e apresentador do CNN Sinais Vitais, abordou os principais riscos da pressão alta em entrevista à CNN.

“A hipertensão arterial é um mal silencioso – 30% da população do mundo têm hipertensão, muitos não sabem. Acima de 60 anos de idade, 50% da população brasileira se torna hipertensa”, diz Kalil.

Dentre as principais causas da pressão arterial alta estão a obesidade, histórico familiar, o hábito de fumar, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, estresse, consumo exagerado de sal, níveis altos de colesterol e falta de atividade física.

“Pouca gente controla a hipertensão: 50% se tratam com exercício, medicação e acompanhamento médico, mas só 20% tem o controle ideal da pressão. A hipertensão arterial agride o coração, o cérebro, os rins e é um mal silencioso, que acomete tanto o homem quanto a mulher”, alerta o cardiologista.

Como identificar os sinais da hipertensão

Indivíduos considerados hipertensos apresentam pressão igual ou maior que 14 por 9. Dentre os sintomas mais comuns estão tontura, falta de ar, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão.

No entanto, a hipertensão geralmente é silenciosa o que indica a necessidade de realizar a aferição periodicamente. Pessoas acima de 20 anos devem realizar o procedimento ao menos uma vez ao ano. No caso de histórico na família, deve-se medir no mínimo duas vezes nesse período. A aferição permite o diagnóstico oportuno da doença em consultas médicas de rotina.

“Às vezes, pode se manifestar com dor na nuca, falta de ar, sensação estranha na cabeça, mas pode ser silencioso, como a grande maioria dos casos”, diz Kalil.

Conheça cinco estratégias para reduzir os riscos da hipertensão

Continuar lendo SEGUNDO SOCIEDADE DE CARDIOLOGIA, MAIS DE 38 MILHÕES DE PESSOAS NO BRASIL QUE SOFREM DE HIPERTENSÃO ARTERIAL DESCONHECEM O DIAGNÓSTICO DA DOENÇA

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

Por g1 RN

 

Leitos vazios — Foto: DivulgaçãoLeitos vazios — Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte alcançou neste sábado (14) a marca de 30 dias sem nenhuma nova morte confirmada por Covid-19, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

Ao todo, desde o primeiro caso em março de 2020, o estado contabilizou 8.196 vidas perdidas para a doença. Ainda há 1.406 óbitos suspeitos.

A Sesap atribui a redução das mortes ao avanço da vacinação da população. No grupo acima dos 60 anos, por exemplo, a cobertura vacinal do estado atingiu toda a população estimada com as duas doses e está em 90% para a dose de reforço.

“Com o avanço da vacinação conseguimos uma melhora gradativa, tanto na transmissão como nos casos de internação, sendo a maioria dos internados ainda sem seu esquema vacinal completo. Reforçamos a importância da vacina em todos os públicos para continuarmos num cenário confortável e esperançoso”, afirma o secretário Cipriano Maia.

Atualmente, o estado tem 2.959.606 pessoas vacinadas com a primeira dose, o que representa 93% da população. Com a segunda dose, são 2.669.722, totalizando 84%. Com a terceira dose. 1.535.563, ou 48% da população.

Ao todo, 7,2 milhões de doses foram aplicadas em todos os municípios potiguares.

Ao longo da pandemia, a rede pública de saúde chegou a abrir 840 leitos de UTI e clínicos nos momentos mais críticos.

Neste sábado (14), a plataforma RegulaRN apontou 67 leitos de UTI reservados para pacientes acometidos pela Covid-19, sendo onze ocupados. Ainda estavam disponíveis 88 leitos clínicos, com apenas cinco pacientes internados.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

MPRN RECOMENDOU À SESAP O CONSERTO DA FROTA DE CARROS FUMACÊ QUE ESTÃO QUEBRADOS POR FALTA DE PEÇAS

MPRN cobra da Sesap conserto de veículos para combate à dengue

Foto: Ilustrativa/Reprodução

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MP-RN) recomendou na última sexta-feira (13) à Secretaria de Saúde Pública do RN (Sesap) o conserto da frota de carros fumacê. A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado desse sábado (14). Dos 15 carros fumacê da Sesap, 11 estão quebrados por falta de peça.

A recomendação é assinada pela Promotora de Justiça Substituta, Raquel Batista de Ataíde Fagundes. No texto, a promotora cita o último boletim epidemiológico da semana 14 — concluído no dia 9 de abril — apontando que no RN foram notificados 4784 casos de dengue, 1719 casos de Chikungunya e 368 casos de Zika.

Natal registrou 3,2 mil casos de dengue notificados entre janeiro deste ano e as duas primeiras semanas de maio, de acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da capital. Os números representam uma epidemia de dengue, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

No documento, o MP diz que 13 municípios potiguares ainda fazem uso do carro Ultra Baixo Volume (UBV) — nome oficial do fumacê —, para controle do mosquito Aedes aegypti, “sendo esta uma medida importante para a prevenção e contenção das arboviroses”. As cidades são Natal, Macaíba, Guamaré, Pedro Avelino, Brejinho, Santo Antônio, Várzea, Montanhas, Serrinha, Lagoa D’Anta, Passa e Fica, Jardim do Seridó e Parelhas.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo MPRN RECOMENDOU À SESAP O CONSERTO DA FROTA DE CARROS FUMACÊ QUE ESTÃO QUEBRADOS POR FALTA DE PEÇAS

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN não registra mortes por Covid-19 há 30 dias

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Agência Brasil

O Rio Grande do Norte não registra mortes por Covid-19 há 30 dias, de acordo com o boletim epidemi divulgado neste sábado (14) pela Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap). Segundo a faixa etária, o se dá por conta do avanço da massa principalmente todas as faixas etárias No grupo dos 60 anos, por exemplo, a proteção vacinal atingiu toda a população estimada com duas doses e está em 90% para uma dose de reforço acima.

Neste sábado, a plataforma RegulaRN aponta que 67 leitos de UTI reservados para pacientes acometidos pela Covid-19, onze estão ocupados. Já dos 88 leitos clínicos disoníveis, cinco estão com pacientes internos.

Ao longo da pandemia, o Rio Grande do Norte chegou a abrir 84 leitos de UTI e clínicos nos momentos mais críticos.

“Com o avanço planejador dos processos planejados uma concepção completa e gradativa na transmissão como nos processos ainda sem sua força”, sendo a maioria em todos os processos planejados e completos esperaso num número”, sendo a maioria em todos os processos planejados e completos para prosseguirmos. afirma o secretário do Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Atualmente o RN conta com 2.959.606 pessoas vacinadas com a primeira dose, o que representa 93% da população. Com a segunda dose são 2.669.722, totalizando 84%. Com a terceira dose são 1.535.563, 48% da população. Ao todo, 7.23.122 doses foram aplicadas em todos os municípios

Desde o início da pandemia, o Rio Grande do Norte registrou 504.270 casos confirmados e 8.196 óbitos.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN completa 27 dias seguidos sem óbitos por Covid; novos casos são 84

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta quarta-feira (11). São 503.957 casos totalizados. Foram registrados 84 novos casos nas últimas 24h.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.196. Nenhum óbito registrado nas últimas 24h, pelo 27º dia seguido. Óbitos em investigação são 1.405.

Recuperados são 495.230. Casos suspeitos somam 324 e descartados são 950.361. Estimativa de casos em acompanhamento: 531.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

SEGUNDO INFECTOLOGISTA, DISPARADA DA DENGUE NO BRASIL EM 2022 TAMBÉM É UM FENÔMENO SOCIOECONÔMICO

Avanço da dengue pode estar relacionado a aumento da pobreza, diz infectologista

À CNN Rádio, Alexandre Naime explica que uma piora no quadro de famílias sem saneamento básico também é responsável pelo aumento de 135% de casos da doença no Brasil

Ricardo GouveiaBel Campos

da CNN

São Paulo

Cristine Rochol/PMPA

A disparada da dengue no Brasil em 2022 também é um fenômeno socioeconômico, na avaliação do vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Alexandre Naime.

Ministério da Saúde aponta um aumento de 135% no número de infecções entre janeiro e abril de 2022, na comparação com o mesmo período de 2021.

“Dois estudos publicados esse ano já analisaram cidades distintas do Brasil onde há uma relação direta entre queda de renda e aumento no número de casos de dengue,” explicou Naime à CNN Rádio.

“São pessoas que vão morar em locais menos propícios a ter saneamento básico de qualidade, próximos de rios, passaram a ter menos condição de fazer uma limpeza correta da casa e vão ter que acumular lixo ou material de reciclagem por terem perdido o emprego.”

descoberta de uma nova cepa da dengue no Brasil é um possível agravante do cenário.

“Além de mais transmissível, essa variante do vírus provoca formas mais graves da doença, com fenômenos hemorrágicos e de queda de pressão arterial”, explica Naime.

A identificação desta cepa no Brasil foi comunicada pela Fundação Oswaldo Cruz no último dia 5.

O genótipo cosmopolita sorotipo 2 do vírus, que era uma linhagem já presente na Ásia, Pacífico, Oriente Médio e África, agora contaminou um morador de Aparecida de Goiânia.

Além da dengue, casos de outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, como Zika e Chikungunya, já registram aumento superior a 50% este ano.

Continuar lendo SEGUNDO INFECTOLOGISTA, DISPARADA DA DENGUE NO BRASIL EM 2022 TAMBÉM É UM FENÔMENO SOCIOECONÔMICO

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN completa 26 dias seguidos sem óbitos por Covid; novos casos são 21

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta terça-feira (10). São 503.862 casos totalizados. Foram registrados 21 novos casos nas últimas 24h.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.196. Nenhum óbito registrado nas últimas 24h, pelo 26º dia seguido. Óbitos em investigação são 1.401.

Recuperados são 495.092. Casos suspeitos somam 310 e descartados são 949.882. Estimativa de casos em acompanhamento: 574.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

SAÚDE: SIBA QUAIS OS 30 SINTOMAS MAIS PERSISTENTES DA COVID-19

Trinta sequelas e sintomas persistentes da Covid-19; confira a lista

Um dos estudos sobre o tema, publicado na e Clinical Medicine, revela que já foram identificados 203 sintomas associados à Covid de longa duração

Bárbara Cruz

da CNN

Entre as sequelas mais comuns da Covid-19, médicos apontam fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitivaEntre as sequelas mais comuns da Covid-19, médicos apontam fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitivaGetty Images

A infecção pela Covid-19 até pode ser assintomática, mas isso não a impede de deixar marcas. De acordo com as informações mais recentes, são aqueles pacientes que tiveram a doença em níveis mais graves que possuem maior probabilidade de ficar com prevalência de sintomas e sequelas após serem contagiados com o SARS-CoV-2.

Pessoas com casos mais leves da doença têm relatado dificuldades nas semanas ou meses seguintes à infecção.

“Ainda não tivemos tempo suficiente para perceber como vai ser esta evolução”, diz à CNN Portugal Andreia Leite, professora na Escola Nacional de Saúde Pública, que trabalha em um estudo que irá avaliar a persistência da ‘covid longa’ em Portugal.

“Tem ocorrido grande dificuldade em definir a covid longa”, admite, bem como as sequelas que ficam em uma “condição pós-covid”.

“A condição pós-covid é um diagnóstico de exclusão”, assinala ainda a investigadora. “Se alguém teve covid e começa com determinado sintoma é preciso perceber se é, de fato, esta a justificação, até porque existe um conjunto de outras causas para estes vários sintomas, o que torna a abordagem mais difícil”, resume.

“Este processo não pode ser deixado para as agências, prestadores de cuidados de saúde ou investigadores, mas requer vasta discussão, incluindo, nomeadamente, as pessoas afetadas.”

Sequelas e sintomas

Segundo uma revisão de estudos sobre a ‘long covid’, que estima que as sequelas da doença a longo prazo terão um impacto substancial na saúde pública, existem mais de 50 sintomas distintos relatados pós-infecção por covid-19, sendo os mais prevalentes a fadiga e dificuldades respiratórias, seguidas por perturbações do olfacto e paladar, cefaleias, dor no peito, névoa mental e perda de memória, bem como perturbações do sono.

Confira uma lista de 30 dos sintomas relatados e, se for o seu caso, marque uma consulta.

  • Fadiga
  • Dor de cabeça
  • Dificuldades respiratórias
  • Dor de garganta
  • Lesões pulmonares
  • Dor no peito
  • Tosse persistente
  • Dor muscular e articular
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Insônias
  • Dificuldade de concentração
  • Névoa mental
  • Perda de memória
  • Perda de olfacto
  • Perda de paladar
  • Irritações cutâneas
  • Perda de apetite
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Refluxo gastroesofágico
  • Diarreia
  • Incontinência urinária e fecal
  • Alterações no ciclo menstrual
  • Queda de cabelo
  • Arrepios
  • Suor abundante
  • Arritmias e palpitações cardíacas
  • Inflamação do miocárdio
  • Edema dos membros

A “condição pós-covid”

Bernardo Gomes, médico de Saúde Pública, lembra a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), que considera “condição pós-covid” os sintomas que surgem três meses após infecção, que duram pelo menos dois meses e não podem ser explicados por um diagnóstico alternativo.

Para o especialista, é importante, em termos de sequelas, dissociar aquelas que são efetivamente decorrentes da Covid-19 e outras que possam surgir de circunstâncias de doença mental ou até decorrentes de alterações de estilos de vida determinados pelas medidas pandêmicas.

Segundo os estudos mais recentes, sintomas pós-covid são mais comuns em adultos do que em crianças e mais habituais em doentes não vacinados do que em pessoas que tomaram a vacina.

“E há outra circunstância: pessoas que podem não ter nada na fase pós-aguda e aparecem com quadros, passado algum tempo, que se encaixam na possibilidade de long covid”, acrescenta Bernardo Gomes.

Entre as sequelas mais comuns da Covid-19, o médico aponta fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitiva. “No entanto, temos outros quadros de afecção do sistema nervoso.

Na prática, as suas consequências traduzem-se em alterações inesperadas do ritmo cardíaco, arritmias, disfunções do sistema digestivo que persistem”. O médico lembra ainda que há doenças cujo número de casos parece ter aumentado no pós-covid, nomeadamente a diabetes, fenômeno que se considera agora estar ligado a uma resposta autoimune exacerbada ao SARS-CoV-2, mas que ainda terá de ser devidamente aprofundado.

“Não jogamos contra um único inimigo, jogamos contra o vírus e as suas questões agudas mas também contra uma reação imunitária exagerada que chegou a causar mortes. E ainda um terceiro inimigo, que deriva do segundo, percebemos que existem reações desreguladas ao vírus que podem ter um eco futuro e não se percebem num primeiro momento”, frisa o especialista de Saúde Pública.

“Infelizmente, vamos tendo cada vez mais casos destes, a expectativa é de que venha muita gente a ser afetada, ainda vai ter um impacto social importante”.

O mesmo diz a investigadora Andreia Leite: “É esperado que haja algum impacto do ponto de vista social e econômico, para além do impacto nos serviços de saúde”, refere, acrescentando que ainda não existe uma “imagem clara” da frequência da Covid-19 a longo prazo e suas sequelas, mas que serão certamente precisos muitos recursos para a “marcha diagnóstica” necessária nestes casos, que incluem a realização de exames complementares ou referenciação dos doentes para diferentes especialidades.

A professora da Escola Nacional de Saúde Pública lembra ainda que estas sequelas e sintomas do pós-covid são geralmente mais frequentes em doentes hospitalizados ou que tiveram doença grave e, em alguns casos, resolvem-se espontaneamente, mas em outros acabam por persistir “por um período longo e com impacto no dia a dia, na qualidade de vida, na diminuição das horas de trabalho ou obrigando a ter funções revistas”.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, entre 10% a 20% das pessoas que tiveram Covid-19 sofrem de sintomas após recuperarem da fase aguda da infecção, uma condição “imprevisível e debilitante” que afeta também a saúde mental.

E um estudo publicado na eClinicalMedicine revela mesmo que já foram identificados 203 sintomas associados à covid de longa duração e que envolvem 10 órgãos diferentes do corpo humano. O estudo foi realizado com dados de 56 países e envolveu mais de três mil pessoas, tendo concluído que 56 dos 203 sintomas identificados persistiram por sete meses.

Continuar lendo SAÚDE: SIBA QUAIS OS 30 SINTOMAS MAIS PERSISTENTES DA COVID-19

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

RN completa 24 dias seguidos sem óbitos por Covid; novos casos são 03

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus neste domingo (8). São 503.776 casos totalizados. Foram registrados 03 novos casos nas últimas 24h.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 8.196. Nenhum óbito registrado nas últimas 24h, pelo 24º dia seguido. Óbitos em investigação são 1.392.

Recuperados são 494.999. Casos suspeitos somam 408 e descartados são 949.461. Estimativa de casos em acompanhamento: 581.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar