DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: MULTIDIMENSIONALIDADE, O QUE É ISSO?

A multidimensionalidade, para muitas pessoas é incompreensível  e inacreditável. Felizmente é algo muito mais real e iminente do que muita gente pensa. Para as pessoas de mente aberta e sensíveis é possível vivenciá-la. Entender sobre não é fácil, mas é possível. Por isso estamos publicando o texto a seguir, onde você pode esclarecer muitas dúvidas sobre o assunto.

O que significa ser um Ser Multidimensional? 4 pontos importantes sobre Multidimensionalidade

4 pontos importantes sobre Multidimensionalidade que você pode ainda não saber

A multidimensionalidade é um tema que já foi abordado em grandes filmes de Hollywood (como Interestelar e Dr. Estranho) e também é discutido na ciência assim como pelos despertos. A ideia de que não existe somente esta dimensão, a 3ª, está em processo de normalização, mas ao passo que se normaliza também nascem muitas perguntas, curiosidades e polêmicas ao redor do assunto.

Com o termo multidimensional em voga, o que seria ser um Ser Multidimensional? Você aplica a sua habilidade multidimensional no seu dia a dia? Como é a sua relação com o tempo?

Estas e outras perguntas e respostas estão presentes no artigo deste mês que separei nos seguintes curiosos pontos:

Ponto 1: Os bloqueios são vestimentas da 3ª Dimensão

Ponto 2: O seu hábito de tornar tudo linear é oriundo da 3ª Dimensão

Ponto 3: O tempo multidimensional é circular e você pode vivê-lo na 3ª Dimensão

Ponto 4: A multidimensionalidade pode parecer difícil de entender, mas é fácil de sentir

Fique por dentro e leia na integra a seguir.

Ponto 1: Os bloqueios são vestimentas da 3ª Dimensão

Costumo brincar que falar sobre multidimensionalidade é como tirar os nós de um cordão. A princípio parece impossível, os nós estão muito apertados e próximos, não conseguimos enxergar o começo e o fim. Mas ao passo que vai se trazendo atenção e consciência para este cordão, tudo vai se afrouxando e o que era rígido vai se tornando flexível.

E é assim mesmo. Uma vez que começamos a enxergar a vida através do prisma da multidimensionalidade, tudo toma outra forma pois abordamos de um ângulo diferente.

Aqui na 3ª Dimensão encontramos dificuldades e a mente linear procura por problemas para solucionar. Isso acontece pois fomos moldados assim, mas isso não quer dizer que essa é a nossa natureza.

Uma das dificuldades do ser humano são os bloqueios, estes que nos impedem de vivermos de maneira livre e plena. Os bloqueios, as crenças limitantes, são padrões da 3ª Dimensão. E você me pergunta: “Mas Vanessa, se somos Seres Multidimensionais e na nossa natureza não existe bloqueios… porque experienciamos isso aqui?”

Para responder esta pergunta compartilho aqui a ideia de que os bloqueios e os limites conquistam esta conotação limitadora/negativa durante o processo de encarnação onde recolhemos nossas experiências (todas, as positivas e negativas) do Akasha e mergulhamos na experiência humana na Terra. Antes disso, antes de encarnarmos, as experiências são só experiências e a conotação limitadora não existe.

Bloqueios são lineares e tridimensionais e estão intimamente ligados com processos psíquicos e o desenvolvimento da personalidade humana. Ao nos tornarmos mais de quem realmente somos, ou seja, Seres Multidimensionais, conseguimos abordar estes bloqueios de outra forma.

Simplificando: quando encarnamos entramos em uma “caixinha” da 3ª Dimensão onde determinadas experiências podem se tornar bloqueios, crenças limitantes, traumas que inclusive nos impede de viver multidimensionalmente. Isso se dá por conta da característica predominante da linearidade, racionalidade com base em “sobreviver” e da dualidade.

Fora da “caixinha” da 3ª Dimensão as experiências negativas não são bloqueios pois temos uma compreensão diferente, multidimensional. Na multidimensionalidade os bloqueios são informações e informações são energias livres.

“Para enxergarmos a multidimensionalidade, precisamos pensar de forma não linear.” (Vanessa Queiroz)

Esta frase acima é importante para entendermos que ao falar sobre multidimensionalidade, é necessário se desapegar dos termos e conotações da 3ª Dimensão, pois estes quando “traduzidos” em uma linguagem multidimensional, terão outro significado.

A realidade multidimensional é totalmente diferente da realidade que nos moldou. Um Ser Multidimensional é muito mais do que você já sonhou ser, mas que já é!

Ponto 2: O seu hábito de tornar tudo linear é oriundo da 3ª Dimensão

“Tudo tem um começo, meio e fim”, esta frase pode definir a 3ª Dimensão. Para funcionar a 3ª Dimensão tem limites que funcionam como leis. É a linearidade, que solicita processos, que quer saber mais sobre o antes e depois, sobre conquistar o que não se tem, sobre procurar em outro lugar o que já se É.

O termo Multidimensionalidade quer dizer “em várias dimensões”. Entender que ATIVAMENTE pertencemos a várias dimensões significa sermos Seres Multidimensionais.

Parece complexo de se entender e isso se dá porque “multidimensionalidade” soa como um alarme de perigo para a Mente 3D. Fomos ensinados que o diferente é assustador e que mudanças podem significar grandes catástrofes. Mas a multidimensionalidade não é o caos, muito pelo contrário… é a simplicidade, a coerência.

A Mente 3D tem a sua própria linguagem com foco em racionalizar e linearizar. Inclusive eu quando escrevo que artigo faço uma tradução para que seja compreensível tridimensionalmente esse assunto para você.

Um exemplo disso é a nossa necessidade 3D de numerar as Dimensões. Inclusive, colocamos em ordem de grandeza e superioridade… quer algo mais 3D do que isso? Na multidimensionalidade, tudo é o todo, e as dimensões vivenciadas (momentaneamente) separadas fazem parte do todo.

Assim o seu hábito de tornar tudo linear é por conta da 3ª Dimensão, e está tudo bem. O importante é termos consciência disso, pois ao sabermos como funciona esta dimensão conseguimos gerar questionamentos para transitar por ela de outras maneiras, podendo ser inclusive multidimensionalmente.

“Em uma visão NÃO LINEAR, estamos vivendo em todas as dimensões com as nossas roupagens específicas de cada uma delas. E você pode entender aqui roupagem, como sendo o corpo que reveste o fractal do espírito designado para aquela atividade.” (Vanessa Queiroz)

Para escrever este artigo e conseguir fazer a informação chegar até o seu “sentir”, eu precisei primeiro falar com a sua mente, ou com o “cabeção” como costumo brincar. Este é o motivo dos 2 primeiros pontos deste artigo ser exatamente sobre a 3ª Dimensão. Em inglês existe a expressão “food for thought” que significa “motivo de reflexão” e deixamos o cabeção nutrido. Ao falar sobre a 3ª Dimensão falamos a língua do pensamento linear e quando temos informações, podemos questioná-las. Questionar a linearidade nem sempre é tranquilo, por isso precisamos de uma introduçãozinha. É como Kryon diz:

“Vocês estão entrelaçados em uma realidade que está fora da sua percepção dimensional” (Kryon por Lee Carrol)

Ponto 3: O tempo multidimensional é circular e você pode vivê-lo na 3ª Dimensão

A noção de tempo composta de passado, presente e futuro só existe da 3ª Dimensão. Na multidimensionalidade temos somente o tempo do agora. Segundo Kryon o tempo é circular, e o círculo é uma estampa energética que vem do futuro quântico. Calma, calma, calma… já vamos simplificar e traduzir para a linguagem da 3D.

Segundo Kryon, só existe um tempo onde o passado, o presente e o futuro acontecem no mesmo momento fora de uma linha do tempo. Kryon usa a metáfora que somos um trem e o trilho é o tempo. Este trilho é circular, fazendo com que não exista começo nem fim.

Agora, como isso pode alterar a sua realidade hoje? Esta parte é muito interessante pois ela pode REALMENTE alterar sua realidade.

Ao entendermos que vivemos em várias realidades ao mesmo tempo, podemos dizer que existem várias versões nossas organizadas nestas dimensionalidades. Kryon diz que estamos recebendo um aumento vibracional que possibilita cada um de nós acessar, selecionar e integrar na 3D os potenciais de outras realidades dimensionais. De maneira bem simplificada, vamos dizer que você necessita desenvolver uma determinada habilidade para atingir um objetivo… bem, você pode acessar esta habilidade que está em outra dimensão e integrar nesta dimensão aqui. Mais do que isso, você pode recorrer a um atalho onde você aceita em seu “sentir” que esta habilidade já faz parte de seu Ser Multidimensional.

Isso parece esquisito principalmente porque temos o conceito de evolução muito enraizado em nós. A ideia de evoluir é para cima, como se só conseguíssemos evoluir através da ascensão e por consequência, SUBINDO nas dimensões.

Mas entenda, subir faz parte da linguagem 3D que nos permite entender que podemos subir, descer, ir para a frente, para traz, para esquerda ou direita. O termo ascensão está ligado a ideia da linearidade que depois da 3ª Dimensão, existe a 4ª Dimensão que é superior e melhor, e depois a 5ª Dimensão e assim por diante.

Já na ideia de Ser Multidimensional é que tudo está conectado a partir de um ponto central e dinâmico. Este ponto é você, em sua totalidade multidimensional, que é o todo também.

Para alcançar seu Ser Multidimensional você precisa ter consciência da existência dele assim como de ferramentas para integrar o Ser Multidimensional em sua vida diária. O Programa de Educação Evolucionária pode ser seu aliado proporcionando práticas, alinhamentos, ativações que vão te dar suporte para esta nova realidade. (Entre em contato comigo para saber mais)

Ponto 4: A multidimensionalidade pode parecer difícil de entender, mas é fácil de sentir

“Ser linear é realmente nosso estado padrão em 3ª Dimensão e é aquele que estamos habituados. Mas somos eternos em ambas as direções e no percurso linear – sempre fomos e sempre seremos” (Kryon por Lee Carrol)

Tente entender a multidimensionalidade como uma energia, não como um termo. Feche os olhos, concentre-se e permita-se sentir a multidimensionalidade.

Não existe palavras para descrever a grandiosidade e a simplicidade desta natureza que é infinita. É como o próprio termo “infinito” que é disruptivo em sua definição.

A dificuldade de entender é normal e faz parte do processo de aceitação da realidade multidimensional. Podemos ver que a mente grita, questiona e quando nos propomos a viver de outra maneira, sob outra perspectiva… a mente nos prende.

É por isso que o alinhamento da mente com o coração é a saída para muitos problemas atuais. A sabedoria do coração guarda a chave da multidimensionalidade. O portal da multidimensionalidade é o nosso DNA.

(Entenda mais sobre o seu DNA lendo este artigo: “DNA: sua origem é estelar!” )

Técnicas como a EMF Balancing Technique® e as Séries de Ativações Mestras são construídas com intenção de te tornar mais do que você realmente É, você só não se lembra ou não consegue integrar no aqui e agora.

A sua vivência na 3ª Dimensão pode ser totalmente diferente do que você vive agora e sim, esta é uma boa notícia.

Bênçãos de Amor Universal,

Vanessa Queiroz.

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: MULTIDIMENSIONALIDADE, O QUE É ISSO?

AUTOCONHECIMENTO: ENTENDER A NOSSA ANCESTRALIDADE PARA ENTENDER O NOSSO COMPORTAMENTO

Adoro textos que falam de ancestralidade porque invariavelmente vão tratar do tema inconsciente coletivo, que poucas pessoas sabem o que é e o que significa. E só entendendo isso é que temos condições de entender o nosso comportamento e o da nossa sociedade. O texto a seguir aborda muito bem esse assunto e esclarece alguns pontos importantes para a sua compreensão de como se forma a sua personalidade e a sua autoestima. Portanto convido você a ler o texto completo a seguir!

A ancestralidade e sua influência na formação da autoestima

Mulher negra deitada de olhos fechados.
Polina Kovaleva / Pexels

São Paulo, 2 de julho de 2021

Já passou pela sua mente sobre as origens das nossas crenças e forma de pensar? Quando se fala que não existe a verdade absoluta, significa que tudo o que sabemos, a nossa leitura de mundo, molda-se a partir de muitos fatores: O contexto histórico, social e econômico, esses recortes que trazem junto elementos importantes para a formação de quem somos: tradições, pensamentos coletivos, crenças, medos e inseguranças. Tenhamos consciência disso ou não.

Não estou aqui apontando vilões e mocinhos, porque ainda temos a nossa autorresponsabilidade e o nosso livre-arbítrio para decidir por nós mesmos o que queremos para as nossas vidas, mas não podemos desconsiderar o fato de que sofremos influências externas.

Somos a formação da nossa personalidade e nosso temperamento, que se juntam com as crenças e tradições hereditárias que às vezes nem nos damos conta.

Às vezes carregamos conosco uma bagagem que nem sabemos a origem ou o porquê. Já parou para pensar nisso?

Para entendermos a nossa vida no presente, temos que buscar no passado todo o caminho que fizemos para chegar até aqui.

Vamos sair do automático, da dormência, e refletir sobre quem estamos sendo e os passos que nos trouxeram até aqui para entendermos o lugar onde estamos. Não para se apegar ao passado, martirizar-se e se prender na angústia e no arrependimento, mas para olhar as nossas vidas por um ponto de vista mais objetivo e analítico. Sem julgamentos ou terceirização da responsabilidade. Saia do ciclo da eterna vítima e dessa narrativa da vítima e agressor.

Traga a história da sua vida para uma análise, apenas uma análise. O que você costumava e/ou costuma ouvir ao seu respeito (rótulos, adjetivos…)? O que te falam ou já te falaram sobre as pessoas e o mundo?

Quando somos crianças e adolescentes, nossa mente é como uma esponja, absorvendo sem filtro o que acontece ao nosso redor, seja no ambiente familiar, na roda de amigos, no ambiente de trabalho e estudos.

Mulher branca segurando flores rosas.

Marta Dzedyshko / Pexels

Por mais que a criança e o adolescente sejam considerados “maduros” ou, como as pessoas falam, “já feitos”, vamos considerar esses fatos: na fase da infância e da adolescência, existe o desenvolvimento físico e sexual (motor – sensorial), a formação da personalidade, dos temperamentos e o começo das experiências que vão trazer mais sabedoria e mais amadurecimento para lidar com várias questões do psicológico e emocional necessário para algumas situações. Nessas fases normalmente não adquirimos os recursos necessários nem a responsabilidade que é necessária para determinadas questões da vida, como a autonomia e a responsabilidade, seja com os outros ou consigo.

É algo muito complexo para explicar teoricamente, mas fica fácil entender quando compreendemos que é um mito a criança e o adolescente maduros. Essa ideia veio como uma brecha para a chamada “hiperssexualização” de menores e para tornar até aceitável e “passável” condutas sexuais inadequadas de uma pessoa mais velha com uma pessoa mais nova. Você descobre isso analisando, fazendo uma comparação com os grandes teóricos e contextualizando tudo isso ao ir mais a fundo no assunto.

O que estou querendo dizer é que crianças são CRIANÇAS, adolescentes são ADOLESCENTES e adultos são ADULTOS. Não tem como tratar essas faixas etárias da mesma forma por causa da diferença de fases do desenvolvimento.

Quando somos crianças, estamos criando nossas programações e apenas a partir dos 7 anos começamos a criar consciência e a nossa programação mental. Até esse momento, o ambiente externo é um forte influente para a formação das nossas crenças e da nossa personalidade, por isso que não é incomum ver os que são mais novos reproduzirem atitudes e falas dos que são mais velhos, que estão em seu convívio.

Estou falando isso para refletirmos sobre a nossa construção mental, sem julgamentos e sem criar essa esfera do vilão e da vítima, porque isso não vai nos beneficiar em nada. Vamos nos concentrar apenas no presente e no que podemos alterar. Mas precisamos fazer uma análise do nosso passado para compreender o momento atual.

Precisamos de um momento para desacelerar e refletir sobre nós mesmos, sobre nossas vidas. A vida é feita de escolhas, sejam elas boas ou ruins. Estamos a todo momento tomando uma decisão, consciente ou inconsciente e até mesmo quando estamos em “cima do muro”.

Falo isso porque, quando não toma uma decisão explicitamente, ou seja, está indeciso, em cima do muro, as nossas programações mentais e crenças inconscientes vão decidir. Ou pior, os outros vão decidir por você.

Escrito por Anne Moon
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ENTENDER A NOSSA ANCESTRALIDADE PARA ENTENDER O NOSSO COMPORTAMENTO

REFLEXÃO: VOCÊ É ESPECIAL – UM CONTO PARA CRIANÇAS, POR CAMILA ZEN

Nesta sexta-feira um conto diferente da Camila Zen. Um conto especial para as crianças, para ajudá-las a entender como são especiais e únicas no mundo inteiro! Uma história sobre amor próprio, auto confiança e autoestima. Espero que você possa compartilhar com seus filhos, netos ou irmãos menores e fazê-los refletir sobre essa história incrível!

Fonte:

Camila Zen
Continuar lendo REFLEXÃO: VOCÊ É ESPECIAL – UM CONTO PARA CRIANÇAS, POR CAMILA ZEN

CRÔNICAS: AUTOESTIMA, POR ANA MADALENA

O texto a seguir, aqui na coluna CRÕNICAS, desta quarta-feira retrata uma cena urbana do cotidiano de muita gente, atualmente, que mora só e divide sua solidão com livros, bichos, plantas e mensagens no celular. A solidão que faz parte da vida de boa parte dos jovens. Então, convido você a ler essa inspiradíssima crônica da talentosa Ana Madalena!

Bela jovem sentada perto do livro de leitura de janela de vidro | Foto Premium

Autoestima

Chovia. Ela não se dava conta porque estava concentrada, lendo um  livro. Usava um fone de ouvido, talvez escutando alguma música relaxante. Sua mesa, adaptada para home office, era uma bagunça. Muitas canetas coloridas espalhadas, uma luminária cheia de adesivos, vários livros empilhados e um jarro com uma plantinha seca. De repente ela desvia o olhar para a janela e percebe as gotas de chuva escorrendo pelo vidro. Levanta -se, abre a janela e coloca o jarrinho no parapeito. Lembra do gato. Onde está mesmo o pratinho da ração? Completa com leite. Segura o celular, como que esperando uma ligação. Nada. Nem uma mensagem. Senta novamente diante do livro, dá um longo suspiro, olha para a janela, sorri e resolve virar a página!!!
Ana Madalena
Continuar lendo CRÔNICAS: AUTOESTIMA, POR ANA MADALENA

COMPORTAMENTO: DISMORFIA DO INSTAGRAM, O USO DA FERRAMENTA DE EDIÇÃO DE IMAGEM AFETA A PERCEPÇÃO DE BELEZA E A AUTOESTIMA

As redes sociais vieram para ficar e fazer parte do cotidiano do ser humano em todas as partes do globo terrestre. É algo que se incorporou aos nossos hábitos e não temos como ignorar. Tem suas vantagens, pois tornou a vida mais dinâmica, globalizada e cada vez mais linkada com o que acontece no mundo. O perigo está em não impor limites ao uso dessa ferramenta super poderosa e acabar sendo literalmente engolido(a) por esse poder. O artigo a seguir fala sobre essa dependência do ser humano por uma das muitas ferramentas disponíveis, o Instagram. Saiba o que é “Dismorfia do Instagram” e como ela está afetando as pessoas na sua autoestima!

Dismorfia do Instagram: como os filtros afetam a autoestima?

Uso da ferramenta de edição de imagens afeta a percepção de beleza e leva muita gente a buscar pela perfeição no visual

Escrito por Clovis Filho

Redação Minha Vida

Em 3/11/2020

Os filtros de aplicativos como o Instagram são ferramentas divertidas e que, a princípio, surgiram como uma forma de descontrair as interações digitais. Assim, aquela foto simples de antes passou a ser uma selfie com orelhas de gatinho, com maquiagem pronta e até com olhos de outra cor.

No entanto, indo muito além da diversão, alguns filtros foram criados para eliminar qualquer tipo de “imperfeição” no visual dos usuários. E é justamente sobre os problemas causados por esse aspecto da exposição aos filtros que trata o estudo publicado pelo Journal of The American Society of Plastic Surgeons, em 2019.

Segundo a pesquisa, a busca por uma beleza próxima àquela fornecida pelos filtros de aplicativos pode estar provocando o transtorno disfórmico em jovens, ou seja, uma onda crescente de dismorfia corporal – que pode levar a quadros de transtornos alimentares, ansiedadedepressão e busca por procedimentos estéticos radicais e desnecessário.

Dismorfia do Instagram

Por conta da mania lançada nas redes sociais, o fenômeno vem sendo chamado também de “dismorfia do Instagram”. Como o próprio nome o descreve, os recursos usados no aplicativo “filtram” tudo aquilo que possa ser encarado como um defeito no visual (seja uma pinta, uma mancha, uma olheira ou qualquer outro detalhe). E é aí que se encontra o problema.

Motivados pelo efeito, muitos usuários buscam na vida real a aparência que os filtros proporcionam nas fotos, na tentativa de concretizar uma imagem que só existe no virtual. É a necessidade de incorporar a figura que a própria pessoa aprova e determina que possui a tal beleza almejada.

“Vivemos numa sociedade que prega a juventude eterna, ou seja, a ausência de qualquer tipo de sinal que possa revelar a verdadeira idade. A indústria de produtos de beleza e dermocosméticos cresce exponencialmente e os padrões exigem cada vez mais a perfeição”, explica a psicóloga Sirlene Ferreira.

Sinais de alerta

De acordo com a especialista, as pessoas mais influenciadas negativamente por essa exposição são aquelas que ainda não têm uma personalidade forte formada (como crianças e adolescentes), autoestima rebaixada, pouca autoconfiança, carência afetiva e muita insegurança.

É possível identificar esses quadros quando a pessoa passa a evitar contato social, se nega a atender chamadas de vídeo, não permite ser fotografada e expressa descontentamento constante com a própria imagem. Nesses casos, é comum que se demonstre ausência de amor próprio e nunca aceite elogios.

“Por isso, eu chamo a atenção para as pessoas que convivem com amigos ou familiares com essas características, pois essas pessoas precisam de ajuda profissional”, afirma Sirlene. De fato, caso não recebam algum tipo de orientação ou auxílio, esses indivíduos podem tomar atitudes extremas, que geram impactos físicos e mentais.

Muitos cirurgiões plásticos identificam esse quadro nos pacientes que os procuram e até mesmo se negam a realizar procedimentos desnecessários. É frequente que essas pessoas recebam encaminhamento médico para psicoterapia, como forma de encontrar e tratar a verdadeira origem do descontentamento com sua forma física.

“Não é possível criar regras para quem pode ou não ter acesso a essa ferramenta, o que podemos fazer é prestar mais atenção nas exigências que algumas pessoas fazem de si mesmas”, explica a psicóloga. Se uma espinha no rosto impede alguém de ter contato até mesmo com a própria família, pode ser um sinal muito revelador de que algo não está certo.

Redes sociais e padrões de beleza

De acordo com Sirlene, é preciso deixar claro que a ferramenta de filtros do Instagram não é responsável pelo descontrole de quem a utiliza. Isso porque a rede é um veículo poderoso para divulgar serviços, informações e até negócios – mesmo que sejam associados a imagens “falsas”, corrigidas por aplicativos que escondem imperfeições.

Mas, ao se depararem com tantos rostos e corpos “perfeitos”, indivíduos mais sugestionáveis começam a se comparar com aquela imagem inatingível e passam a se sentir inadequados. A questão, porém, é que dificilmente será possível evitar essa exposição aos filtros e padrões de beleza, uma vez que eles estão em todos os lugares.

Apesar da fama pelos filtros, o Instagram não é a única fonte que pode desencadear alterações negativas na percepção da própria beleza. Em qualquer rede social, quando se vê a foto de uma pessoa com pele lisa, nenhuma celulite, músculos definidos, barriga negativa e nenhum defeito perceptível, a tendência é o desejo a se igualar ou até mesmo ultrapassar aquela perfeição.

Assim, a beleza deixa de ser somente um fim para ser um meio para alcançar a felicidade. “Nossa mente trabalha rápido e entende que se quisermos ser felizes, precisamos alcançar aquele padrão de beleza”, afirma a psicóloga Lucia Moyses.

No entanto, quando o indivíduo olha no espelho, é comum que se perceba distante desse padrão que deseja. Mesmo uma pessoa considerada bonita por muitos sabe que tem imperfeições. Porém, incapaz de chegar à perfeição das imagens que vê, ela passa a se tornar obsessiva com seus defeitos e essa obsessão levar ao transtorno dismórfico.

Como evitar o problema?

Primeiramente, é necessário entender que os filtros não são a causa da questão. O problema está intrínseco no ser humano e a ferramenta pode ser um gatilho para tornar esse tema público entre familiares e amigos.

Elevar a autoestima, desenvolver o autoconhecimento e fortalecer a personalidade própria são passos essenciais para evitar o surgimento da dismorfia. É recomendado também valorizar outras qualidades importantes.

“Dessa forma, tornar-se perfeito fisicamente não será fundamental e, sim, ter resiliência, flexibilidade, inteligência, empatia, simpatia, saúde, alegria e outras qualidades que muito mais provavelmente levarão à felicidade e realização pessoal”, aconselha Lucia Moyses

No caso dos adolescentes, parte desse processo cabe aos pais, professores e psicólogos, uma vez que essa idade é muito crítica, com mudanças hormonais, forte sentimento de pertencimento e transição do estado infantil para o adulto, tornando difícil para os jovens descobrirem sozinhos os efeitos da imposição de padrões de beleza.

“Quando as pessoas tiverem ciência de que a perfeição estética não é tão importante assim e de que a beleza está nas diferenças e na imperfeição, não será preciso mais temer os filtros do Instagram”, conclui a psicóloga. Até lá, lembre-se que nem tudo o que vemos nas redes sociais é, de fato, real.

Redes sociais e bem-estar

Vício em redes sociais: descubra sinais que indicam dependência digital

Clovis Filho

Fonte: minhavida.com.brcia digital

Continuar lendo COMPORTAMENTO: DISMORFIA DO INSTAGRAM, O USO DA FERRAMENTA DE EDIÇÃO DE IMAGEM AFETA A PERCEPÇÃO DE BELEZA E A AUTOESTIMA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: LIBERTE-SE DE QUEM NÃO TE VALORIZA

Sempre estou de olho nos melhores conteúdos e vídeos sobre DESENVOLVIMENTO PESSOAL para passar para você e o vídeo desta coluna deste domingo é simplesmente maravilhoso e você não pode perder. Vou te dar um breve spoiler sobre o vídeo do Albano para você ficar babando:  término de um relacionamento, seja ele um casamento (como o do Gusttavo Lima) ou algo que apenas exista na sua cabeça, é uma das coisas mais desafiadoras e complexas que existe. Como lidar com esses sentimentos? Aqui vão 7 dicas para parar de sofrer por quem não te dá valor.

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: LIBERTE-SE DE QUEM NÃO TE VALORIZA

REFLEXÃO: O ESSENCIAL É ESTAR DE BEM CONSIGO MESMO

Uma REFLEXÃO sincera, profunda e maravilhosa é o destaque desta coluna nesta sexta-feira, que vem, mais uma vez do Blog Sabedoria Universal da colega Beth Michepud, cujo título é “Estar de bem consigo”. O texto se refere a estar feliz e satisfeito com quem se é, com autoestima, autoconfiança, autoamor e plenitude. Então lhe convido a ler, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Estar de bem consigo

 em 
de bem
“O grande filósofo francês, Voltaire, disse que o essencial é estar bem consigo mesmo, citação que se tornou célebre e é repetida por muitas pessoas que buscam sua plenitude pessoal.
Praticar o que diz essa frase é muito importante para viver de forma feliz e plena. Afinal, estar bem com os outros é muito bom, mas estar em harmonia consigo mesmo, corpo e mente, se amar e estar seguro disso é extraordinário!

Apesar de simples, a expressão “estar bem consigo mesmo” tem muito a nos dizer. Ela se refere a estar feliz e satisfeito com quem se é, com a vida que se tem, com a mente tranquila e sem sentimentos de insegurança em relação ao futuro e culpa em relação ao passado. Vale lembrar que essa satisfação nada tem a ver com comodismo, mas sim com a consciência em relação às suas qualidades, fator que é fundamental para que tenha motivação para ir além e conquistar o que deseja.

Um indivíduo que está bem consigo mesmo não condiciona a sua felicidade a outras pessoas. Por mais que esse contato seja positivo e importante, não é saudável ser dependente dos outros e de sua aprovação para se sentir bem. Além disso, quanto mais feliz se sentir consigo mesmo, melhores e mais saudáveis serão as relações que terá com as outras pessoas. Trata-se realmente um estado evolutivo de autodescoberta e de autovalorização extraordinário, que irá impactar positivamente em todas as áreas da sua vida.

Você é um ser de luz, único e extraordinário! Não tenha medo de mostrar para os outros quem é verdadeiramente. Desapegue-se da ideia de tomar decisões com o objetivo de agradar aos outros, pois, assim, estará correndo o risco de desagradar a si mesmo. Não se anule por medo de ser rejeitado, pois essa atitude fará com que esteja se rejeitando. Aqueles que realmente gostam de ti estarão ao seu lado independente de tentar agradá-los a todo o custo e são essas as amizades que realmente valem a pena. Ouse ser você mesmo!

Por fim, estar bem consigo mesmo é uma condição fundamental para evoluir, alcançar paz interior e exterior e também a prosperidade, o sucesso e a felicidade autêntica que merece ter sua vida. Trata-se de um sinônimo de autoestima, autoconfiança, autoamor e plenitude. Busque essa transformação e verá o quanto as coisas irão mudar para melhor. Faça isso por você e esteja sempre bem consigo mesmo.” (José Roberto Marques)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: O ESSENCIAL É ESTAR DE BEM CONSIGO MESMO

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: PARE DE SE COMPARAR COM OS OUTROS

O nosso destaque desta quinta-feira na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL é mais um resumo animado de Albano do Seja Uma Pessoa Melhor. Desta vez sobre “Compare a si mesmo com quem você foi ontem e não com quem outra pessoa é hoje”. Portanto, te convido a assistir o vídeo completo a seguir, refletir e tirar as suas conclusões!

Fonte:

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: PARE DE SE COMPARAR COM OS OUTROS

SAÚDE: VEJA AQUI OS DEZ HÁBITOS QUE TURBINAM A SUA IMUNIDADE

Toda quinta-feira é dia da coluna SAÚDE e em tempos de Covid-19 e pandemia nada melhor do que falarmos de imunidade. Algo que precisamos manter em alta para nos protegermos desse famigerado vírus, pois ainda é a maior arma que temos nessa guerra. Portanto convido você a ler o artigo completo a seguir sobre os dez hábitos que turbinam a sua imunidade e garantir a sobrevivência a essa pandemia!

Dez hábitos que turbinam a sua imunidade

Dormir bem, cuidar da higiene e outros cuidados fazem a diferença

Escrito por Carolina Serpejante

Redação Minha Vida

Em 3/10/2016

Estamos o tempo inteiro expostos a todos os tipos de doenças. Um simples descuido já pode ser suficiente para o sistema imunológico não dar conta de fechar todas as “portas” de nosso corpo, que são suscetíveis a alguma infecção ou vírus. Por isso, é muito importante ter consciência dos hábitos que podem blindar nossa imunidade contra qualquer complicação.

Pensando nisso, o Minha Vida foi atrás de especialistas que deram uma série de práticas para adotar no dia a dia e ter uma imunidade poderosa!

Hidrate-se:

Hidrate-se - Foto: Getty Images

Hidrate-se – Foto: Getty Images

É importante ingerir líquidos constantemente, mesmo antes de sentir sede. A ingestão de água melhora a resistência física e retira as impurezas do organismo, prevenindo doenças.

De acordo com o clínico geral Filippo Pedrinola, o ideal é ingerir diariamente por volta de 35ml de água por quilo de peso. Uma pessoa de 70kg, por exemplo, deveria ingerir 2450ml de água. “Mas é importante salientar que boa parte dessa água já está presente nos alimentos que comemos”, completa.

Ao fazer exercícios físicos, reidrate-se ainda mais, se possível com água de coco ou isotônicos, mas sem exagerar e nunca deixar a água de lado.

Tenha uma alimentação saudável:

Alimentação saudável - Foto: Getty Images

Alimentação saudável – Foto: Getty Images

manter uma dieta que inclui todos os grupos alimentares é fundamental para fortalecer a imunidade. “Proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e sais minerais não podem faltar na dieta diária de ninguém”, conta o infectologista Alexandre Naine.

De acordo com pesquisas, os micronutrientes essenciais para o fortalecimento da imunidade são as vitaminas A, B6, B12, C, D, E, ácido fólico, zinco, ferro, selênio e cobre. Eles restauram a proteção contra infecções, fortalecem as células do sistema imunológico e aumentam a produção de anticorpos.

Passe longe dos vícios:

Passe longe dos vícios - Foto: Getty Images

Passe longe dos vícios – Foto: Getty Images

Evitar vícios, como álcool e tabaco, aumenta – e muito – a imunidade. “Esses vícios são extremamente danosos, não só para o nosso sistema imunológico, como para vários outros sistemas de nosso corpo”, afirma Alexandre.

Já existem estudos que comprovam que algumas bebidas podem, inclusive, fazer bem à saúde, mas desde que ingeridas com moderação. O vinho é o principal exemplo. De acordo com Alexandre, todo excesso é prejudicial e a bebida alcoólica não foge dessa regra.

De bem com você:

Autoestima - Foto: Getty Images

Autoestima – Foto: Getty Images

De acordo com os especialistas, a saúde mental está muito relacionada à imunidade. A baixa autoestima faz com que seu sistema imunológico trabalhe menos, além de atrapalhar nosso corpo no combate aos radicais livres, facilitando o aparecimento de doenças.

Faça exercícios!

Pratique exercício físico - Foto: Getty Images

Pratique exercício físico – Foto: Getty Images

Você sabia que um estilo de vida sedentário está associado a 28% das mortes por doenças crônicas, perdendo apenas para o tabagismo? Por isso, mexa-se e passe longe de doenças.

A recomendação dos especialistas é a prática de uma atividade física rotineira e que dê prazer, sempre tomando cuidado com os excessos: “A atividade física intensa pode causar o efeito contrário, baixando a imunidade por fadiga muscular e até mental”, lembra o fisiologista Raul Santo. Se o tempo é curto, inclua o exercício físico na sua rotina, como utilizar escada em vez de elevador ou caminhar depois do almoço.

Fuja do estresse:

Fuja do estresse - Foto: Getty Images

Fuja do estresse – Foto: Getty Images

Viver com tensões relacionadas ao trabalho e outras obrigações do dia é um dos fatores decisivos para a baixa da imunidade. Assim como a baixa autoestima, o estresse impede o sistema imunológico de funcionar a todo vapor, abrindo portas para doenças.

Quando você está estressado, o ideal é praticar alguma atividade que goste e que te faça bem. “Se forem exercícios físicos, melhor, pois são duas vantagens em uma”, conta Alexandre.

Cuide da sua higiene:

Lave as mãos - Foto: Getty Images

Lave as mãos – Foto: Getty Images

Estamos expostos a vírus e bactérias 24 horas por dia, em todos os lugares que frequentamos. O infectologista Fábio Fernandes Morato Castro, supervisor do Serviço de Imunologia Clínica e Alergia do Hospital das Clínicas, afirma que hábitos – como lavar as mãos antes de manusear alimentos, de levá-las a boca e aos olhos e sempre depois de dirigir ou usar o transporte público – devem ser levados em conta. Ao chegar em casa, vale tomar um banho para mandar todas as impurezas embora.

Previna-se:

Prevenção - Foto: Getty Images

Prevenção – Foto: Getty Images

Usar preservativo protege contra uma série de DST’s – doenças sexualmente transmissíveis – que não podem ser prevenidas apenas com bons hábitos alimentares ou exercícios. O vírus HIV é um dos principais inimigos da imunidade e o jeito mais fácil de contraí-lo é não usando camisinha. Por isso, previna-se sempre!

Atualize sua carteirinha de vacinação:

Vacinação - Foto: Getty Images

Vacinação – Foto: Getty Images

Muitas pessoas deixam de lado esse hábito tão importante. Tomar todas as vacinas deixa você protegido de doenças graves como hepatite B, varicela, hepatite A, BCG, sarampo, rubéola e caxumba.

Durma bem:

Durma bem - Foto: Getty Images

Durma bem – Foto: Getty Images

De acordo com a médica do Instituto do Sono Lia Rita Bittencourt, pessoas que não tem um sono adequado, com cerca de 6 a 7 horas por noite, pode ter seu sistema imunológico afetado. “A privação do sono diminui a quantidade e a função das células responsáveis pela imunidade”, conta a especialista.

As consequências disso são maiores chances de contrair doenças infecciosas e a diminuição do efeito de vacinas. “Diabetes e câncer também podem aparecer com mais facilidade em indivíduos que dormem pouco”, completa.

Fonte:

Carolina Serpejante

Minha Vida

Continuar lendo SAÚDE: VEJA AQUI OS DEZ HÁBITOS QUE TURBINAM A SUA IMUNIDADE

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: LIBERTE-SE DA DEPENDÊNCIA EMOCIONAL

“A Dependência Emocional” é o destaque da nossa coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL desta sexta-feira, já que estamos vivendo um momento tão delicado em meio a uma pandemia mundial que afeta a todos e principalmente as pessoas que dependem de outras emocionalmente. Por isso lhe convido a ler o artigo completo a seguir que ensina em 7 passos a superar a dependência emocional.

7 passos para superar a dependência emocional

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A dependência emocional oculta uma necessidade de controle e segurança, manifestada por alguém que não confia em si mesmo. Entenda por que é nociva e quais são os recursos para superá-la.

22 AGO 2018 · Última alteração: 21 OUT 2019 · Leitura: 3 min.
7 passos para superar a dependência emocional

Quando o seu bem-estar, sua felicidade ou seu equilíbrio emocional depende de outras pessoas ou do que elas façam, é muito possível que você manifeste claros sinais de dependência emocional. Trata-se de uma condição problemática, que te impede de enfrentar as situações do dia a dia como deveria, seja por falta de autoconfiança ou por medo de ficar sozinha/o.

E você? Já se perguntou qual o seu nível de dependência emocional? Faça o teste para averiguar a resposta:

Você tem dependência emocional?

Responda com sinceridade para identificar o nível de dependência emocional que mantém no casal.

De acordo com os especialistas, a dependência emocional é alimentada pela baixa autoestima e pela insegurança. Como resposta direta, a pessoa busca externamente no outro, seja no relacionamento de casal, na família ou amigos,  a segurança que não tem em si mesma. Fica “viciada” no que essas relações são capazes de proporcionar e chegam a considerar que é impossível viver sem elas. Imagina o sofrimento emocional que isso representa?

Por isso, para conseguir romper com os elos da dependência emocional e superá-la é fundamental começar a entender de onde vem esse apego, que não tem limite. Isso significa reconhecer medos e limitações, mas também aproveitar o processo de reflexão para entender quais são as suas próprias potencialidades, porque todos as temos.

É possível que se descubram feridas emocionais e situações de instabilidade, mas isso permitirá, aos poucos, ir trilhando um caminho mais autossuficiente. O processo é lento e, na maioria dos casos, merece ser acompanhamento por um psicólogo especializado em desenvolvimento pessoal. Entretanto, você pode começar a mudança ser com pequenos ajustes nos seus comportamentos e posturas:

shutterstock-692559550.jpg

  1. Comece reconhecendo que está dependente: nunca seremos capazes de superar algo que tratamos de negar. O primeiro passo sempre é saber que você se sente dependente emocional e por que existe esse apego desmesurado. Trate de entender o que cada uma dessas relações oferece a você, de positivo e negativo.
  2. Não tenha medo da incerteza: a dependência emocional vem de uma necessidade de controle, porque isso seria sinônimo de segurança. Porém, quando ela se instala, a relação se converte em tóxica. Ter consciência de que o futuro não se controla, de que a única esfera real de influência que temos é sobre nós mesmos (não me sobre os outros), ajuda a encarar o que está por vir com mente mais aberta e com menos medo, já que o incerto não tem porque ser, necessariamente, negativo.
  3. Centre-se mais em você: não se trata de ser uma pessoa egoísta, mas de ter consciência de que o que realmente importa é a sua opinião, o que você pensa sobre você, não a opinião dos demais. E é importante que você trabalhe todos os pontos que ajudam a reforçar a sua identidade pessoal.
  4. Seja capaz de dizer não: faz parte do equilíbrio emocional saber dizer não. Você precisa entender que respeitar o outro não significa abrir mão daquilo que é fundamental para recuperar e manter a sua autonomia emocional. Seja assertiva/o e respeite sua individualidade.
  5. Não viva do passado: o passado ensina e, nesse sentido, é sempre uma referência. Mas isso não quer dizer que você deva estar presa/o a essas experiências, especialmente as negativas. Isso é colocar uma carga no presente totalmente desnecessária. O grande aprendizado consiste em justamente ser capaz de trasladar as lições do passado e aplicá-las ao presente, para fazer melhor, ser melhor e se sentir melhor.
  6. Questione as suas regras: está claro que todas as experiências vividas ajudam a conformar as “regras” e crenças quando se trata de relacionamento, por exemplo. O problema é que essas regras nem sempre são objetivas ou refletem a realidade. Daí a importância de revisá-las constantemente, em função de quem você é no “agora” e de quais são as suas necessidades.
  7. Assuma a responsabilidade das suas emoções: os sentimentos pertencem à pessoa, e é contraproducente querer colocar a culpa dessas manifestações em causas externas; seria assumir uma postura vitimista. Você precisa entender que tem o controle e, exatamente por isso, é responsável por como manifesta suas emoções.

Para superar a dependência emocional é fundamental que você aprenda a estar bem sozinha/o. Saiba que isso é possível! Não deixe de pedir ajuda profissional se precisar de suporte para alcançá-lo.

Fotos: MundoPsicologo.com

Fonte: 

psicólogos

Escrito por

MundoPsicologos.com

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: LIBERTE-SE DA DEPENDÊNCIA EMOCIONAL

PSICOLOGIA: SAIBA COMO VENCER A NEGATIVIDADE

Na nossa coluna PSICOLOGIA desta quarta-feira você vai saber “Como vencer a negatividade” ao ler o artigo completo a seguir. Vai conhecer as características das pessoas negativas, das pessoas positivas, das pessoas realistas e como barrar a negatividade recuperando o positivismo consciente. Então leia o texto completo a seguir e saiba como!

COMO VENCER A NEGATIVIDADE

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Igual que acontece com o positivismo, a negatividade pode ser contagiosa, fazendo você entrar num ciclo vicioso bastante nocivo para a sua saúde física e emocional. Descubra como se livrar.

19 MAR 2018 · Última alteração: 11 OUT 2019
Como vencer a negatividade

Muitos especialistas concordam que ter uma visão mais positiva da vida oferece uma série de benefícios à pessoa. Os dias são encarados com mais motivação, a pessoa lida melhor com os problemas, além do fato de essa postura ajudar a ser mais resiliente.

Quem convive com alguém positivo, acaba se beneficiando também; é inegável que essa forma de “ver o mundo” deixa marcas nos demais, afetando humor e bem-estar. Mas sabe de uma coisa? Está comprovado que a negatividade também é contagiosa.

Muitas vezes, nem se trata da nossa própria negatividade, mas de atitudes de pessoas que estão a nosso redor, que vamos repetindo sem sequer perceber. Se deixamos a negatividade avançar, os danos emocionais podem ser bastante palpáveis, prejudicando a forma como reagimos em todas as áreas da nossa vida.

As personalidades das pessoas costumam inclinarem-se a atitudes positivas, negativas ou realistas. E não necessariamente pertencem sempre ao mesmo grupo. Qualquer pessoa pode ter atitudes típicas desses diferentes tipos de personalidade, e é exatamente essa mistura que contribui para a individualidade.

No teste você poderá encontrar elementos que te ajudem a identificar qual tipo de personalidade é mais forte em você, bem como suas principais características. Clique no link a seguir para fazer o teste:

Características de uma pessoa positiva

  • São persistentes
  • São guiadas por objetivos
  • Estão mais focadas nas soluções que nos problemas
  • Sabem pedir ajuda quando é preciso
  • Acreditam em si mesmas
  • Vêm a melhor versão dos demais
  • Assumem a responsabilidade por seus atos
  • Analisam seus pontos fortes e suas debilidades
  • Vêm oportunidades

Características de uma pessoa negativa

  • Vêm o copo “meio vazio”
  • Costumam usar expressões como “não posso” ou “é difícil”
  • Acreditam ter má sorte
  • Comparam-se a outras pessoas constantemente
  • Costumam pensar que são vítimas
  • Têm medo do fracasso
  • Acham que a autoaceitação é difícil
  • Evitam se sentir fracassados aos olhos dos demais
  • Buscam culpar aos demais pelo acontece com eles
  • Não perdoam seus erros

Características de uma pessoa realista

  • Não se iludem facilmente
  • Determinam metas que sabem que podem alcançar
  • Estão mais focada nas soluções que nos problemas
  • Não acreditam na sorte
  • Fazem o que acham necessário em cada oportunidade
  • Trabalham com os elementos que têm, sem esperar mais
  • Tomam o tempo necessário para encontrar soluções
  • Sabem “passar página” quando uma situação não é favorável
  • Não se iludem com planos ou promessas

Como barrar a negatividade

Ter pensamentos negativos de forma esporádica é natural, e inclusive ajuda a manter os pés no chão. Por exemplo, quando você sente que a vida está dando um duro golpe, não atuar pelo extremo positivismo é o que permite refletir e aprender com a experiência.

Qualquer extremo pode ser prejudicial, por isso o caminho para barrar a negatividade passa por buscar o equilíbrio. É importante evitar que a amargura diante das dificuldades ou imprevistos seja a tônica da sua vida, porque pode prejudicar sua saúde e ainda dificultar o convívio social, já que ninguém gosta de estar envolvido por um mar de pessimismo.

shutterstock-483824071.jpg

Outra postura que deve ser evitada é a de autocomplacência. Quando a fase está ruim, nada parece dar certo, há muita exigência no trabalho ou em casa, colocar-se no papel de vítima não deixa de ser uma forma de aliviar a dor, principalmente ao começar a listar todas as vezes em que algo similar aconteceu.

Isso sem contar na capacidade que um discurso assim tem de despertar a empatia dos demais, ao menos num primeiro momento. Porém, cuidado: esse alívio momentâneo é uma armadilha. Uma pessoa muito negativa acaba perdendo a perspectiva, o que compromete seriamente suas decisões.

Recuperar o positivismo consciente, sendo capaz de ver as coisas boas da vida sem autoenganação, é a barreira mais potente que você conseguirá criar contra os extremos da negatividade.

Dicas para ser menos negativo

As mudanças de comportamento requerem esforço e paciência, porém tudo fica mais fácil quando se sabe o caminho a seguir. Se você sente o peso do excesso de negatividade e deseja mudar, fique atento a essas dicas:

  • Não tente controlar o que não está a seu alcance.
  • Evite participar de conversas negativas, para não ser mentalmente manipulado.
  • Diante de dificuldades, centre-se nos possíveis resultados, porque isso é o que justifica o percurso.
  • Enfrente o medo e evite que esse seja paralisante. Quanto mais medo tiver, mais negativo será.
  • Busque sempre ser a melhor versão de você mesmo, porque é a melhor forma de evoluir.
  • Confie em si mesmo, porque isso atrai coisas positivas. Quem está ao redor, respeitará essa atitude e confiará ainda mais em você.

É uma pessoa negativa? Procure a ajuda de um psicólogo especializado em motivaçãoe tenha mais qualidade de vida.

Fotos: MundoPsicologos.com

Fonte: 

psicólogos

Escrito por

MundoPsicologos.com

 

Continuar lendo PSICOLOGIA: SAIBA COMO VENCER A NEGATIVIDADE

REFLEXÃO: PERMITA-SE, VOCÊ MERECE É QUANDO SE TEM CONSCIÊNCIA DO LIMITE ENTRE O AMOR PRÓPRIO E O EGOÍSMO

Na coluna REFLEXÃO desta terça-feira trago mais um texto publicado por Beth Michepud  em seu site Sabedoria Universal cujo tema é “Permita-se, você merece!”. Trata-se dos cuidados com a sua autoestima  e o limite entre o amor próprio e o egoísmo. Leia o espetacular texto a seguir e tire suas conclusões!

Resultado de imagem para permita-se, você merece

Permita-se, você merece!

 em JANEIRO 20, 2020

Vamos começar com um pouco de reflexão. O que você acha que merece hoje?

Você pode ter pensado em um descanso. Ou talvez que o tempo passasse um pouco mais lento para, assim, apreciar tudo ao seu redor. Aproveitar o “aqui e agora”, sem estresse, sem ansiedade.

Você também pode ter pensado “mereço alguém que me ame”, ou que me reconheça um pouco mais. Você tende a trabalhar duro pelo outro e nem sempre se sente recompensado.

Todos, em nosso interior, sabemos o que merecemos. No entanto, reconhecer isso é algo custoso, pois pensamos se tratar de uma atitude egoísta.

Como dizer em voz alta coisas como “Eu preciso que me amem”, “Eu mereço ser respeitado”, “Eu mereço ser livre e ter o controle da minha vida”? Na verdade, basta dizer a si mesmo.

Não se engane, priorizar-se um pouco mais não é uma atitude egoísta. É uma necessidade vital, é crescimento interno para sermos felizes.

Te convido a refletir sobre atitudes limitantes.

Muitos de nós tendemos a desenvolver ao longo de nossas vidas, muitas atitudes limitantes. Eles são crenças arraigadas às vezes durante nossa infância, ou desenvolvidas com base em experiências específicas.

Elas são os pensamentos expressos em frases como “Não tenho utilidade para nada”, “Não sou capaz de fazer isso, vou falhar”, “Para que tentar se as coisas sempre dão errado?”

Uma infância difícil ou mesmo relações afetivas com base na manipulação emocional, muitas vezes nos limitam quase de forma decisiva. Tornamos-nos frágeis no interior, e vamos poupo a pouco diminuindo nossa autoestima.

Reestruture suas crenças. Você é mais do que suas experiências, você não é quem te causou dano ou quem levantou paredes para privá-lo de sua liberdade. Você merece o progresso, merece olhar dentro de si mesmo e reconhecer o seu valor, sua capacidade de ser “encaixar” na vida e, acima de tudo, de ser feliz.

O que merecemos e o que precisamos não estão tão unidos assim. Um exemplo: “Preciso de alguém que me ame.” É um desejo comum. No entanto, vamos começar mudando a palavra “PRECISO” por “MEREÇO”.

Você merece alguém que pode ler suas tristezas, que atenda às suas palavras, que possa decifrar seus medos e seja o eco da sua risada. Por que não? Mudando a palavra “preciso” por “mereço”, removemos esse vínculo tóxico de dependência que, por vezes, se desenvolvem em nossos relacionamentos.

“Se precisamos de algo para sermos felizes, tornamo-nos prisioneiros de nossas próprias emoções.”

Comece consigo mesmo. Seja a pessoa que gostaria de ter ao seu lado … aquela que merece te acompanhar nos passos de sua vida. No final, alguém vai se encaixar com você. Mas comece com essas dimensões importantes:

Liberte-se de seus medos;  tire vantagem de sua solidão, aprenda a ler seu interior, mostre mais empatia consigo mesmo e com os outros; cultive seu crescimento pessoal, desfrute de seu presente, de quem você é e como é; aprenda a ser feliz com a humildade, ego desativado, amadurecimento emocional.

“Quando você se der tudo o que merece, ao se tornar a melhor versão de si mesmo, chegará o que precisa.”

Priorizar-se não é egoísmo. Muitas vezes, no início, ficamos presos a esses pensamentos limitantes.

Há quem encontre sua felicidade fazendo de tudo para os outros: cuidando, servindo, abrindo mão de certas coisas pelos outros. Podemos ter sido educados assim. Mas há sempre um momento em que fazemos um balanço e algo falta. Aparece o vazio, a frustração, a dor emocional .

Como tudo na vida, existe a harmonia, a combinação do seu espaço e meu espaço, as suas necessidades e as nossas necessidades. A vida em família, com amigos ou em qualquer contexto social, deve ser construída por meio de um equilíbrio adequado onde todos ganham e ninguém perde.

No momento em que há perdas, deixamos de ter controle sobre nossas vidas, deixamos de ser protagonistas para nos tornarmos jogadores secundários.

Reflita por um momento sobre estes poucos pensamentos:

Eu mereço um dia de folga, só para mim. Isso vai me dar o que preciso: pensar livre de estresse e relativizar as coisas. Eu mereço ser feliz. Talvez seja hora de “deixar ir” certas pessoas, ou aspectos da minha vida. Isto irá permitir-me conseguir o que preciso: uma nova oportunidade.

Nós todos merecemos deixarmos de ser prisioneiros do sofrimento, de nossas próprias atitudes limitantes. Abra seus olhos para o seu interior, decifre suas necessidades, ouça sua voz. No momento em que você permite-se o que merece, chegará o que precisa. (Fonte: Site oamor.com.br  / Luiza Fletcher)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Continuar lendo REFLEXÃO: PERMITA-SE, VOCÊ MERECE É QUANDO SE TEM CONSCIÊNCIA DO LIMITE ENTRE O AMOR PRÓPRIO E O EGOÍSMO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar