SEEC-RN EMITIU COMUNICADO ORIENTANDO DIRETORES À SUSPENSÃO DAS AULAS EM ALGUMAS CIDADES COM ÁREAS CONSIDERADAS DE RISCOS

Secretaria Estadual de Educação orienta para suspensão das aulas

04 jul 2022

A Secretaria Estadual de Educação emitiu comunicado orientando para suspensão das aulas.

Veja a nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC-RN) orienta aos diretores das Diretorias Regionais de Educação e Cultura (DIREC), principalmente de Natal, Parnamirim, Ceará-Mirim que suspendam as atividades nas escolas, nesta segunda-feira, 04 de julho, em especial naquelas localidades consideradas de risco, nos diversos municípios atingidos pelas fortes chuvas no dia de hoje (3), em toda região litorânea.

Aconselha, também, que sejam feitas vistorias nas escolas que sofreram algum alagamento, antes da retomada das atividades com estudantes e profissionais das equipes docente e pedagógica, como medida de segurança.

A SEEC coloca-se à disposição para colaborar em qualquer emergência, solicitando a compreensão nesse momento de calamidade para o povo potiguar.

Em caso de emergência, a gestão escolar deve ligar para a Defesa Civil (190 ou 156) ou para o Corpo de Bombeiros (193).

Continuar lendo SEEC-RN EMITIU COMUNICADO ORIENTANDO DIRETORES À SUSPENSÃO DAS AULAS EM ALGUMAS CIDADES COM ÁREAS CONSIDERADAS DE RISCOS

DEVIDO O REGISTRO DE ALUNOS CONTAMINADOS PELO CORONAVÍRUS ESCOLAS DE SÃO PAULO VOLTAM A EXIGIR O USO DE MÁSCARAS

Alta de casos de Covid faz escolas de SP suspenderem aulas e exigirem máscara

Capital paulista registrou 5,6% de aumento de infectados nos últimos três dias, segundo a Secretaria Municipal de Saúde

Paulo Favero,

do Estadão Conteúdo

Atividades escolares durante a pandemia de Covid-19 na cidade de Jundiaí (SP)Atividades escolares durante a pandemia de Covid-19 na cidade de Jundiaí (SP)Pedro Amora/Prefeitura de Jundiaí

As infecções de Covid-19 vinham em queda no Brasil, mas o índice de testes positivos em farmácias e laboratórios dá sinais de uma nova alta da circulação do vírus no país. Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e outros especialistas, há risco de novas ondas, mas a chance de agravamento é menor, por causa das elevadas taxas de vacinação. Em São Paulo, escolas já registram outra vez grupos de alunos contaminados e voltam a exigir máscaras diante do novo cenário.

Entre os motivos, estão o menor uso de máscaras, que deixou de ser obrigatório na maioria dos locais, e o retorno dos eventos sociais, como festas de aniversário e confraternizações. A capital paulista, diz a Secretaria Municipal de Saúde, registrou 5,6% de aumento de infectados nos últimos três dias –considerando um cenário de baixa testagem. Esta subida também reflete efeitos das aglomerações e deslocamentos nos feriados de Semana Santa e Tiradentes, quando houve um Carnaval fora de época na cidade.

No Gracinha, que fica no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, o diretor Wagner Borja explicou que as atividades chegaram a ser suspensas no ensino médio e a concentração de casos nesta faixa etária parece estar relacionada às festas realizadas aos fins de semana. “Tivemos um aumento de casos em meados de abril, chegamos a suspender as atividades presenciais por três dias, antes do feriado da Páscoa. Retomamos a obrigatoriedade do uso de máscaras em sala. Após essas medidas, houve um retorno para o patamar anterior”, explicou.

Já o Colégio Equipe, em Higienópolis, na região central, também precisou suspender alguns grupos por causa de casos de Covid. “Temos observado aumento no número de casos”, diz a diretora Luciana Fevorini. “O uso de máscara continua sendo obrigatório. Ainda mantivemos o distanciamento e bolhas controladas de estudantes”, acrescenta.

Na Grande São Paulo, o Colégio Stocco, de Santo André, diz oferecer suporte para que docentes e alunos impossibilitados de ir por causa da Covid possam ter acesso remoto aos conteúdos e às produções realizadas em sala de aula. Recentemente apenas um aluno se contaminou e precisou fazer aula online em sua casa. “A máscara não é mais obrigatória, mas boa parte da comunidade escolar prefere continuar utilizando-a. Outras ações de higiene tornaram-se habituais e continuam sendo fortalecidas, tais como o uso de álcool em gel e lavagem permanente das mãos”, afirma a direção. “As enfermeiras do colégio estão sempre atentas a qualquer sintoma que possa inspirar cuidados e as famílias são imediatamente contatadas, a fim de que possam tomar providências e realizar o exame para descartar Covid e comunicar ao colégio.”

O Colégio Agostiniano Mendel, no Tatuapé, na zona leste, não verificou crescimento de casos entre os alunos, mas mesmo assim atualizou seus protocolos com base nas orientações da equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein. A escola chegou a ter uma semana com nenhum caso positivo e, no momento, tem três.

Em abril, o Mendel promoveu campanha de vacinação contra gripe em parceria com uma clínica que ofereceu descontos para os alunos. Outra estratégia do colégio tem sido escalonar os horários de entrada, intervalo e saída, para evitar aglomerações.

Já o Santa Cruz, tradicional escola em Alto de Pinheiros, na zona oeste, informou que não houve alteração dos protocolos nas últimas semanas, pois o número de casos se mantém em níveis baixos. “Quanto aos cuidados em relação às síndromes respiratórias graves, a escola vacinou educadores e seus dependentes contra a gripe e recomendou que famílias e alunos sejam vacinados também.”

Continuar lendo DEVIDO O REGISTRO DE ALUNOS CONTAMINADOS PELO CORONAVÍRUS ESCOLAS DE SÃO PAULO VOLTAM A EXIGIR O USO DE MÁSCARAS

EDUCAÇÃO: APESAR DO INDICATIVO DE GREVE, AULAS NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO RN INICIAM NESTA SEGUNDA-FEIRA 14

Aulas da rede estadual começam nesta segunda-feira; greve é ​​incerta no RN

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Arquivo/SEEC/ASSECOM

As aulas da Rede Estadual de Ensino começam nesta segunda-feira (14) em todo o Rio Grande do Norte. Apesar do indicativo de greve por parte da categoria de professores, a paralisação ainda é incerta. Ao todo, 220 mil alunos devem voltar às salas de aulas.

No início da manhã desta escola, as escolas oficiais são enviadas a segunda de alunos e professores. A data marca o início do período letivo de 2022, que até então estava previsto para começar em 7 de fevereiro, mas foi adiado devido à grande quantidade de professores adoecidos pela covid-19 ou síndromes gripais.

“Estamos mantendo para hoje o início das aulas presenciais em todas as nossas escolas. À medida que se preparam, os professores estão chegando, para que as escolas estejam comprometidas com os anos de pandemia que estão comprometidos. Estou aqui clamando para que todos pagos às escolas para o secretário estadual de Educação, Getúlio Marques, em entrevista à emissora estadual de Educação, Getúlio Marques, em entrevista à TV Tropical.

Os professores cobram a atualização do percentual total de 33,24% do Piso Salarial e ameaçam greve a solicitação não seja atendida. Para segunda-feira, está marcada uma audiência, 10h, entre representantes do Governo do Estado e Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinte-RN), para seguir com as.

“Nós do Governo estamos negociando com o Sinte-RN. Respeitamos todas as diretrizes do sindicato e, ao mesmo tempo, estamos preocupados com os alunos em sala e as escolas preparadas. Continuamos com o nosso papel e conclamamos para que nosso foco principal seja com os alunos. Temos uma reunião com o Sinte-RN e creio que conseguiremos um pouco mais nas proximidades de todos os dias atuais, uma proposta adequada para todos os lados”, acrescentou o secretário.

Continuar lendo EDUCAÇÃO: APESAR DO INDICATIVO DE GREVE, AULAS NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO RN INICIAM NESTA SEGUNDA-FEIRA 14

AULAS PRESENCIAIS EM UNIVERSIDADE DOS EUA FORAM SUSPENSAS APÓS AMEAÇA DE ATAQUE

Universidade dos EUA tem aulas à distância após ameaça de ataque

Ex-professor de filosofia de UCLA enviou vídeo e texto para colegas com conteúdo “perturbador”, segundo autoridades

Aulas presenciais foram suspensas por ameaça de ataque aramado à universidade nos EUA

ROBYN BECK/AFP – 1º.2.2022

A universidade ameircana de UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles) teve que adotar aulas em formato remoto nesta terça-feira (1º) depois que um ex-professor de filosofia divulgou um vídeo no qual parecia ameaçar o campus com um ataque a tiros.

A instituição informou a seus 44.500 alunos que as aulas teriam que ser realizadas virtualmente depois que Matthew Harris postou um discurso de 800 páginas e um vídeo na internet.  O ex-professor foi detido em Boulder, Califórnia, disse à imprensa a chefe de polícia, Maris Herold.

“Depois de revisar trechos do manifesto, identificamos milhares de referências violentas, afirmando coisas como assassinatos, morte, tiros, bombas, massacres no campus em Boulder”, acrescentou.

“O nível de violência que vimos no manifesto era obviamente alarmante. Ainda não cruzamos as informações entre estados e, por isso, temos parceiros na esfera federal revisando isto em detalhes. Mas posso dizer-lhes que era muito violento, muito perturbador”, emendou.

De acordo com a publicação estudantil Daily Bruin, a polícia da universidade começou a investigar Harris depois que ele enviou mensagens a várias pessoas do departamento de filosofia.

Estas mensagens incluíam um link para o vídeo intitulado “Filosofia UCLA (tiroteio)”, além das 800 páginas onde estavam as ameaças. Harris estava de licença administrativa desde o ano passado após ter sido acusado de enviar um vídeo com conteúdo pornográfico a uma estudante, noticiou o Daily Bruin.

Os ataques a tiros, particularmente em escolas, shopping centers e locais de culto, são um problema recorrente nos Estados Unidos, que vários governos não conseguiram conter.

Apesar de a opinião pública apoiar, em sua maioria, um controle mais estrito para a posse e o porte de armas de fogo, as tentativas de limitar o acesso às armas de fogo são, frequentemente, aplacados pelo poderoso lobby pró-armas, argumentando que se trata de um direito constitucional.

A violência com armas de fogo matou mais de 44 mil pessoas nos Estados Unidos em 2021, incluindo suicídios, segundo a entidade sem fins lucrativos Arquivo da Violência Armada.

Continuar lendo AULAS PRESENCIAIS EM UNIVERSIDADE DOS EUA FORAM SUSPENSAS APÓS AMEAÇA DE ATAQUE

SAIBA QUAIS OS 19 ESTADOS QUE IRÃO RETOMAR AS AULAS PRESENCIAIS

Pelo menos 19 estados e o Distrito Federal irão retomar aulas presenciais

Goiás já retomou aulas obrigatórias de modo presencial, com exceção apenas para estudantes com comorbidades

Carolina Figueiredo

Giulia Alecrim

Douglas PortoLudmila Candal

da CNN

em São Paulo

 

Pelo menos 19 estados e o Distrito Federal irão voltar às aulas presencialmente e de forma obrigatória, em meio ao avanço da variante Ômicron do coronavírus, segundo levantamento da Agência CNN realizado nesta quinta-feira (27): Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Bahia, Piauí, Maranhão, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Norte, Tocantins, Minas Gerais e Acre.

Segundo as secretárias de Educação, haverá exceções apenas para alunos com comorbidades para a Covid-19, com exceção do Mato GrossoGoiás já iniciou o retorno às escolas, seguindo o modelo, desde 19 de janeiro. Segundo o estado, os estudantes que estiverem com laudo médico atualizado ou apresentarem quadro febril devem continuar as atividades on-line.

Especialistas consultados pela CNN avaliam que o fechamento de escolas deve ser considerado como último recurso no contexto das restrições pela pandemia. “O momento é complicado, com aumento de casos. Mas adiar a abertura de escolas ou deixar de abrir escolas, diz a Unicef, pode ser mais um problema grave para nossas crianças e adolescentes”, diz Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

A especialista CNN em Educação, Cláudia Costin, disse que, do ponto de vista pedagógico, quanto antes as crianças voltarem às escolas, melhor será para o aprendizado. Além disso, é necessário que seja feito um sistema de resgate das aprendizagens perdidas durante a pandemia.

“Essas perdas não são só de aprendizagem, há também um problema sério de saúde mental de crianças, com problemas de ansiedade e de depressão. Há uma retomada crescente do trabalho infantil e isso não pode ser desconsiderado. Quanto antes voltarmos às aulas, do ponto de vista pedagógico, o melhor será pra essas crianças”, disse.

A Paraíba, por sua vez, irá retornar de forma híbrida a partir do dia 7 de fevereiro. Inicialmente, 50% das aulas serão online e 50% presenciais, respeitando a capacidade máxima de 50% de ocupação das salas. A carga horária será distribuída progressivamente conforme a situação da pandemia. Os pais e responsáveis ainda podem optar por manter os alunos estudando apenas de forma remota.

Roraima ainda não decidiu sobre o retorno presencial, híbrido ou remoto no próximo dia 7 de fevereiro. “Os próximos dias serão decisivos para a definição do modelo de retorno das aulas na rede estadual de ensino, que poderá ser 100% presencial, 100% remoto ou híbrido (que mescla atividades presenciais e on-line).”

Pará terá a volta das aulas em 3 de março, mas também ainda não houve a decisão sobre a modalidade em que será realizada. “Será levado em consideração o cenário epidemiológico para decidir se o retorno ocorrerá de maneira presencial ou remota”, declara.

Amazonas, Amapá, e Rondônia não responderam ainda aos questionamentos da CNN.

Estados com retorno presencial obrigatório

Sudeste

Rio de Janeiro irá iniciar as aulas no dia 7 de fevereiro, informando, que até o momento, a decisão é de manter a forma presencial. “Caso haja alguma orientação do não retorno às atividades pedagógicas presenciais, a secretaria está preparada para o ensino remoto”, justifica.

Espírito Santo tem previsão de retorno para o dia 3 de fevereiro. A Secretaria de Educação afirma que acompanha junto da Secretaria de Saúde os dados da proliferação do coronavírus e irá seguir as recomendações previstas pelas autoridades, “inclusive a adoção de medidas restritivas caso sejam necessárias.”

São Paulo terá o início das aulas em 2 de fevereiro. O ensino presencial é obrigatório no estado desde novembro de 2021. Os alunos que sejam do grupo de risco e ainda não completaram o esquema vacinal podem seguir em aulas remotas.

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais informou que as diretrizes atualmente vigentes, para o ano letivo de 2022, que começa no dia 7 de fevereiro, são de ensino presencial não facultativo aos estudantes de todas as escolas da rede estadual de ensino, ou seja, com as aulas 100% presenciais, conforme as orientações do Protocolo Sanitário de Retorno às Atividades Escolares Presenciais, da secretaria estadual de Saúde.

Sul

Rio Grande do Sul terá o retorno das aulas no dia 21 de fevereiro. Dentre as orientações, está a obrigatoriedade do uso de máscara, ambientes ventilados, higienização constante das mãos e, inclusive, o incentivo à vacinação.

Santa Catarina tem a volta no dia 7 de fevereiro, com o fim da exigência de distanciamento mínimo entre os alunos nas salas de aula. No estado, a imunização para os profissionais da educação é obrigatória, “e a impossibilidade de se submeter à vacinação deve ser comprovada por laudo médico. A exceção são as gestantes, que podem continuar trabalhando de forma remota.”

Paraná também irá voltar no próximo dia 7, da mesma maneira que foi concluído o ano letivo de 2021. Os estudantes que apresentarem comorbidades devem permanecer em ensino remoto até 30 dias após a conclusão do ciclo vacinal.

Centro-Oeste

No Distrito Federal o retorno será no dia 14 de fevereiro, com a aplicação das medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades.

Mato Grosso irá voltar no dia 7 de fevereiro. Entretanto, no estado, todos devem comparecer às aulas, sem exceção para alunos com comorbidades.

Só existe a recomendação para os estudantes e profissionais que apresentem sintomas gripais e febre ou que testarem positivo para a Covid-19 não estejam presentes pelo período atestado por um médico.

No Mato Grosso do Sul a volta será no dia 3 de março, realizada apenas presencialmente com base nos protocolos do estado.

Nordeste

Alagoas terá seu regresso no dia 7 de fevereiro. Será emitida pela Secretaria da Educação uma portaria que irá determinar a apresentação da carteira de vacinação para todos os alunos.

Entretanto, não haverá impedimento para quem não estiver imunizado. Seus nomes serão enviados ao Ministério Público de Alagoas (MP-AL), conselho tutelar e secretarias municipais para o convencimento das famílias.

O estado ainda irá contemplar os alunos do ensino médico e do Educação de Jovens e Adultos (EJA) com o programa Cartão Escola 10. Após completar o ciclo vacinal, os estudantes irão receber R$ 500.

Na Bahia, o retorno também será no dia 7, acompanhada da decisão de solicitar a comprovação da imunização para os matriculados que tenham até 18 anos, mesmo que não exista impedimento para quem não estiver vacinado.

“Os estudantes, pais e responsáveis serão orientados sobre a necessidade da imunização para acesso às escolas como medida de prevenção à Covid-19”, justifica a Secretaria da Educação.

No Ceará a volta será em 31 de janeiro. As escolas terão autonomia para realizarem mudanças em seus ambientes. O estado também está adquirindo máscaras do tipo N95 e PFF2 para os profissionais, que são mais efetivas contra o coronavírus.

No Maranhão o retorno será feito no dia 7 para escolas de tempo integral e no dia 14 para escolas de tempo parcial. Caso a família avalie não haver condição do aluno comparecer, o caso deve ser alinhado com a escola.

Em Pernambuco o regresso será no próximo dia 3, também sendo adotada a medida de conversa entre responsáveis e a unidade educacional em casos específicos, incluindo a possível adoção do ensino remoto.

No Piauí, os pais e responsáveis de crianças entre 5 e 11 anos terão autonomia para decidirem se irão enviar os alunos para o retorno no próximo dia 7. Para acesso às escolas, profissionais e estudantes devem comprovar a vacinação contra a Covid-19, com exceção para quem ainda não foi contemplado no calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde.

“Os casos de falta ou omissão de professores e alunos serão informados pela gestão escolar para as respectivas superintendências de Educação Básica, de Educação Técnica e Profissional e Educação de Jovens e Adultos, Superintendência de Gestão de Ensino Superior, onde haverá a apreciação de cada caso”, explica.

Sergipe irá voltar no dia 21 de fevereiro e não irá oferecer a possibilidade de ensino remoto. “As escolas receberam verba para reforçar medidas sanitárias seguindo protocolos validados pelo comitê-técnico científico”, afirma.

No Rio Grande do Norte o regresso será no próximo dia 7. Mesmo com a previsão de retorno presencial, haverá “avaliação dos indicadores em cada regional apontará a necessidade de ajustes na organização do trabalho pedagógico.”

Norte

Tocantins alterou o retorno das aulas do dia 1º de fevereiro para o dia 14 do mesmo mês. “Mesmo com a mudança, continuam garantidos os 200 dias letivos e preservado o período de férias no mês de julho, como já é uma tradição no Estado, assim como os feriados”, justifica a Secretaria da Educação.

No Acre, o início do ano letivo está previsto para abril, sendo 100% presencial. Até o momento não houve nenhuma orientação contrária emitida pelos órgãos da saúde local.

Continuar lendo SAIBA QUAIS OS 19 ESTADOS QUE IRÃO RETOMAR AS AULAS PRESENCIAIS

CONSELHO APROVA CALENDÁRIO UNIVERSITÁRIO DE 2022 COM RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS NA UFRN

Por g1 RN

 

Reitoria UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero Oliveira/UFRNReitoria UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero Oliveira/UFRN

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovou na manhã desta terça-feira (11) o calendário universitário de 2022, com retomada das aulas presenciais.

O cronograma prevê que o próximo período letivo de 2022.1 deve começar dia 28 de março e seguir até 30 de julho de 2022.

Porém as medidas ainda dependem da aprovação de outro conselho da universidade, o Conselho de Administração (Consad), que deverá se reunir na próxima quinta-feira (13).

Procurada pelo g1 RN, a instituição explicou que a aprovação da retomada das aulas presenciais não significa que o semestre vai começar com 100% dos estudantes presencialmente na instituição. Cada unidade de ensino e curso deverão estabelecer regras para uma retomada gradual.

Calendário

Ainda conforme a resolução aprovada nesta quinta-feira (11), o período de 2022.2 deverá acontecer de 22 de agosto a 23 de dezembro de 2022.

O documento prevê ainda que o 2023.1 será realizado de 27 de fevereiro a 1° de julho de 2023. O período de 2023.2 será de 7 de agosto a 9 de dezembro de 2023.

O Consepe decidiu ainda que, para o ano letivo de 2022, o cancelamento de cursos de graduação não será realizado por abandono de curso, decurso de prazo máximo ou insuficiência de desempenho, levando em consideração o atual cenário da pandemia da covid-19.

Protocolos

Para a retomada presencial das atividades acadêmicas, a pró-reitora de Graduação (Prograd) e relatora da proposta, Maria das Vitória de Sá, ressalta a importância de seguir os protocolos de biossegurança, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

A gestora lembra também que os colegiados superiores da UFRN aprovaram, recentemente, resoluções sobre o atestado de esquema vacinal contra a covid-19, para acesso às dependências físicas da instituição de ensino.

Continuar lendo CONSELHO APROVA CALENDÁRIO UNIVERSITÁRIO DE 2022 COM RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS NA UFRN

MESMO QUE OS ALUNOS ESTEJAM ÁVIDOS PELA INTERAÇÃO SOCIAL NO RETORNO AS AULAS AINDA HÁ INCERTEZAS QUE PODEM CAUSAR ANSIEDADE

Educação e pandemia: os impactos do isolamento na volta às aulas presenciais

Especialistas alertam para a necessidade de acolhimento e espaços de diálogo nas famílias e escolas

Aline Naomi

colaboração para a CNN

Retorno às aulas presenciais: ainda que os alunos estejam ávidos pela interação social, ela gera muitas incertezas que podem causar ansiedadeRetorno às aulas presenciais: ainda que os alunos estejam ávidos pela interação social, ela gera muitas incertezas que podem causar ansiedade

Há pouco mais de um mês, as escolas da rede estadual e privada do estado de São Paulo passaram a receber 100% de seus estudantes, sem revezamento de alunos e sem o distanciamento de um metro entre as carteiras.

Apesar de as atividades escolares buscarem o retorno à normalidade, os estudantes que chegam às escolas agora são diferentes daqueles que foram para casa no início da pandemia.

A maior parte das redes estaduais de ensino retomaram atividades presenciais. Além de São Paulo, outros estados autorizaram o retorno de 100% dos alunos às salas de aula, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Piauí, Amazonas e Mato Grosso.

Algumas unidades de ensino e até municípios inteiros têm, porém, suspendido atividades após a detecção de casos de Covid-19 entre estudantes.

Mas outro problema de saúde também preocupa. De acordo com levantamento da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), estima-se que, no mundo todo, um a cada sete indivíduos com idade entre 10 e 19 anos viva com algum transtorno mental diagnosticado.

No Brasil, uma pesquisa realizada pelo Instituto de Tecnologia Ipec a pedido da Pfizer mostrou que os jovens foram os mais afetados por problemas mentais durante a pandemia.

Silmara Meireles, psicóloga e integrante da Associação pela Saúde Emocional de Crianças (Asec Brasil/Movimento Saber Lidar), observa que muitas crianças e adolescentes sentiram emocionalmente as restrições de contato a ponto de terem a saúde mental comprometida.

“As crianças e os jovens sofreram muito com o impacto da pandemia por conta do isolamento social, pelo fato de não estarem na escola”, analisa.

A psicóloga também cita o crescimento do número de estudantes com transtornos de ansiedade e de depressão.

Um estudo realizado no final de 2020 por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) constatou que estudantes do 9º do Ensino Fundamental e do Ensino Médio em escolas públicas estaduais e municipais das periferias de São Paulo e Guarulhos foram diagnosticados com depressão (10,5%) e ansiedade (47,5%).

São diversos os fatores que podem gerar essas condições nas crianças e adolescentes, como as aulas remotas, a falta de interação com pessoas da mesma faixa etária, a convivência com adultos estressados em casa — ou em home office ou se colocando em risco para trabalhar.

“Temos vários cenários que causaram impacto nesse período de isolamento, e esses impactos emocionais têm efeitos que vão aparecer agora [presencialmente] no ambiente escolar”, afirma Silmara Meireles.

Habilidades interpessoais comprometidas

A privação de relacionamentos interpessoais afetou não somente a saúde mental dos jovens, mas também as competências a eles relacionadas, como respeito, empatia e confiança. É o que pontua Celso Lopes, psiquiatra e fundador do Programa Semente, de soluções em educação socioemocional.

“Elas [as competências] foram impactadas por uma razão muito simples: os adolescentes foram privados do relacionamento interpessoal. Isso significa que eles estão um pouco infantilizados. Ou seja, o que seria cobrado por ter 15 [anos] ele não consegue realizar porque não teve dois anos de aprendizado”, comenta.

Outros atributos de socialização que podem ter sido prejudicados são saber se aproximar para se apresentar para alguém desconhecido, ser assertivo, se posicionar, perceber emoções positivas e se entusiasmar.

Ainda assim, Lopes ressalta que esse aprendizado pode ser recuperado, assim como os conteúdos curriculares, desde que haja um direcionamento para isso.

Ainda que os alunos estejam ávidos pela interação social, ela gera muitas incertezas que podem causar ansiedade.

“Se você está menos desenvolvido para enfrentar os ambientes sociais, quando esse enfrentamento acontece, porque tem que acontecer, isso gera uma incerteza. E como percebemos essa incerteza? Por meio dos sentimentos da família do medo, como preocupação, ansiedade”, contextualiza Lopes.

O retorno presencial na prática

Fábio de Lima, professor de filosofia da Escola Estadual Professor Joaquim Luiz de Brito, na zona norte de São Paulo, relata que os alunos voltaram às aulas presenciais com saudades da interação com colegas e professores. Mesmo assim, a piora da saúde mental foi trazida pelos estudantes.

“Os alunos falaram que estavam até indo para a escola justamente para tentar resolver essa situação e ter contato com as pessoas, porque eles estavam se sentindo muito deprimidos e sentindo também uma ansiedade”, relata o professor.

Uma aluna de 16 anos do 1º ano do Ensino Médio chegou a compartilhar que estava sofrendo ataques de pânico por conta da pandemia, mas que a família não a entendia e não havia procurado ajuda profissional.

O professor começou a trabalhar a meditação em 2012 com os alunos da 3ª série do Ensino Médio ao abordar filósofos que costumavam praticá-la. Com o passar dos anos, a atividade foi expandida para as outras séries até se tornar um projeto semanal.

A ideia inicial era promover foco e atenção para os exames vestibulares, mas a escola percebeu que a prática também ajudava em outros aspectos, como o combate à violência. “Com a meditação, a pessoa se torna mais pacífica, ela pensa mais naquilo que fala, se torna menos impulsiva”, diz o professor.

Em decorrência da pandemia, o projeto foi interrompido. Com o retorno às aulas presenciais, além de trabalhar a concentração e a memória dos estudantes, os momentos meditativos também servem como espaço para discussão da saúde mental.

“Minha primeira questão com eles [os alunos] na sala de aula foi a adaptação. A partir do momento em que estamos nos adaptando, vemos o que precisa ser trabalhado, e a saúde mental dos alunos veio abalada”, pontua Lima.

As questões de saúde mental não aparecem somente entre crianças maiores e adolescentes. A professora Maristela Iuliano Meira dá aula a crianças de cinco a seis anos na Escola Municipal Infantil Saci Pererê, em Taboão da Serra (Grande São Paulo), e conta que os alunos voltaram ansiosos e agitados.

“Com o confinamento, os pais perderam a paciência com seus filhos. Gritaram muito, deram celulares para mantê-los quietos e não ‘atrapalharem’ os seus trabalhos em casa, ficaram desempregados e acabaram ‘descontando’ as suas frustrações nos pequenos”, afirma.

Prestes a iniciar o Ensino Fundamental, as crianças têm demonstrado dificuldade para se relacionarem entre pares. “Como conviveram muito tempo com pessoas adultas, elas têm medo e receio de se aproximarem de outras crianças”, conta Maristela.

Quando um professor nota algo de diferente no comportamento da criança, a orientação é conversar com os responsáveis para entender se a dificuldade de socialização é normal ou se é um comportamento atípico.

Além disso, para apoiar as famílias nessa retomada, a escola fez um trabalho de orientação aos responsáveis com recomendações para o retorno e conscientização da importância da aprendizagem na primeira infância.

A forma de lidar com sentimentos e emoções

Lopes explica que é muito importante entender que ter sentimentos não é o mesmo que ter uma doença, mas nosso modo de perceber e processar as emoções pode ficar doente.

“Os sentimentos fazem parte dos nossos instrumentos de percepção do que está acontecendo ao nosso redor. Se tem incerteza, vamos ter um padrão ansioso. Se houve perdas, vamos ter o padrão da tristeza. Se houve injustiça, vamos ter padrões da raiva”, exemplifica o psiquiatra.

Nesses casos, o que acontece é o sentimento ser lido como uma doença da qual é preciso fugir. “Precisamos dar nome e perceber que ela [a ansiedade] passa, que boa parte do que me aflige não está acontecendo, mas é o que eu imagino e, a partir disso, as coisas tendem a voltar a uma normalidade”, afirma Lopes.

Ainda assim, algumas pessoas terão mais dificuldade para processar os sentimentos, mesmo em um ambiente mais cooperativo.

“O estressor dessa dificuldade acaba acordando genes que predispõem doenças como a depressão e a ansiedade, e pode-se abrir um quadro que exige um tratamento profissional.”

Necessidade de acolhimento e diálogo

Silmara Meireles reforça a importância de não se naturalizar o impacto emocional da pandemia em crianças e adolescentes. Isso significa que um comportamento destoante pode não ser só uma fase.

“Às vezes, as crianças ficam mais agressivas e só entendemos isso como um comportamento de desobediência, quando também pode mostrar o desencadeamento de um transtorno”, diz a psicóloga.

Para ela, é importante que tanto mães, pais e responsáveis quanto as escolas abram espaços de diálogo com os estudantes para acolhê-los e apoiá-los neste retorno, muito esperado por eles, mas com muitas restrições, inseguranças e perdas.

“Todos que estão dentro desse ambiente escolar precisarão ser mais cuidadosos uns com os outros, mais generosos nas relações e mais pacientes”, ressalta.

Enquetes realizadas com jovens e adolescentes nas redes sociais pelo U-Report Brasil, programa de interação também do Unicef, constatou que 72% sentiram a necessidade de pedir ajuda em relação a sua saúde mental durante a pandemia, mas 41% não recorreram a ninguém.

Ações para apoiar as escolas em São Paulo

Chefe de gabinete da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, Henrique Pimentel afirma que a saúde mental de alunos, professores e servidores é uma preocupação da pasta desde o retorno às atividades presenciais e importante para a retomada.

A secretaria desenvolveu o programa Conviva SP, que, entre outras ações, oferece suporte emocional para estudantes, professores e servidores. Também lançou o programa Psicólogos na Educação, que coloca profissionais da psicologia à disposição das instituições de ensino da rede estadual.

“A escola organiza qual é o melhor modelo de atendimento, se é um atendimento individualizado, se é uma roda de conversa sobre algo que aconteceu que está afetando a rotina daquela turma, e o psicólogo faz uma videochamada com aquela turma através de uma plataforma própria”, diz Pimentel.

Continuar lendo MESMO QUE OS ALUNOS ESTEJAM ÁVIDOS PELA INTERAÇÃO SOCIAL NO RETORNO AS AULAS AINDA HÁ INCERTEZAS QUE PODEM CAUSAR ANSIEDADE

AULAS DE HIDROGINÁSTICA PARA IDOSOS SÃO RETOMADAS PELA PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE

Prefeitura de São Gonçalo retoma aulas de hidroginástica para idosos

22 nov 2021

Prefeitura de São Gonçalo retoma aulas de hidroginástica para idosos - Prefeitura de São Gonçalo do Amarante

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, por meio da Secretaria Municipal do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Semipd) retomou as aulas de hidroginástica para idosos. Buscando promover socialização e melhorias nos aspectos físicos e mentais dos participantes, as atividades acontecem todas as terças e quintas-feiras, das 7h às 8h, no ServClub.

Seguindo os cuidados ainda impostos pela pandemia, os idosos utilizam máscara durante toda as aulas, mantém o distanciamento seguro, além disso, quando há necessidade, as turmas são divididas para não gerar aglomeração.

As inscrições para participar da hidroginástica podem ser feitas na sede da Semipd (Centro) ou no ServClub (Santo Antônio) , nos mesmos dias das aulas. São necessários documentos como identidade, comprovante de residência, CPF e cartão de vacina. Os idosos só podem participar das atividades comprovando imunização completa contra a covid-19. As vagas são limitadas.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo AULAS DE HIDROGINÁSTICA PARA IDOSOS SÃO RETOMADAS PELA PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE

IFRN ANUNCIOU QUE VAI RETOMAR GRADUALMENTE AS AULAS PRESENCIAIS NO DIA 08 DE NOVEMBRO

Por g1 RN

 

IFRN - Instituto Federal do Rio Grande do Norte — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV CabugiIFRN – Instituto Federal do Rio Grande do Norte — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) anunciou que vai retomar gradualmente as aulas presenciais no dia 8 de novembro deste ano. A data consta em uma resolução publicada na quarta-feira (6).

O retorno presencial ocorrerá em fases, segundo o documento. O retorno representa o início do semestre letivo 2021.2. As aulas acontecem de maneira remota desde maio de 2020, no início da pandemia da Covid.

Segundo o IFRN, a volta será realizada por meio do ensino misto provisório. Ou seja, haverá o ensino remoto emergencial aliado à progressiva ampliação do ensino presencial.

O documento é pautado em orientações dos órgãos de saúde do Ministério da Educação (MEC) e do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 do IFRN.

Gradual

O ensino misto provisório conta com quatro fases e terá como prioridade a realização de aulas práticas, que podem ser realizadas, incialmente, sob a forma de rodízio, iniciando pelas turmas dos últimos anos ou períodos. O colegiado de cada curso definirá o que será considerado “aula prática”.

Os estudantes dos cursos no eixo da saúde são considerados prioritários, assim como estudantes com necessidades educacionais específicas (NEE) e com maiores dificuldades para participar do ensino remoto emergencial. Todos eles terão prioridade no acesso às instalações físicas de seu Campus, para que possam participar das aulas de forma remota, respeitando as condições de biossegurança.

O IFRN também informou que o estudante ou seu responsável (no caso dos menores de 18 anos de idade) poderá solicitar à Diretoria Acadêmica de seu respectivo curso a permanência no ensino remoto emergencial, mediante justificativa, enquanto durar o ensino misto provisório.

Antes dos alunos, voltarão, também gradualmente, os servidores técnico-administrativos e docentes do IFRN, com o objetivo de preparar os ambientes e o planejamento.

Retorno em fases

A segunda fase está prevista para o dia 29 de novembro, com a implementação de turmas cujo espaço físico da sala de aula comporte a presença de todos os estudantes, respeitando as condições de biossegurança.

Já a terceira fase ocorre no dia 20 de dezembro, com a volta gradual das turmas que não comportem a presença de todos os estudantes em sala, conforme às condições de biossegurança.

Conforme as condições sanitárias, a partir do semestre letivo 2022.1, retornarão todas as atividades presenciais do IFRN, tendo fim o ensino misto provisório e a organização curricular por módulos.

A Resolução explica que, caso haja retrocesso nos indicadores das condições de biossegurança que inviabilizem a permanência em uma determinada fase, “haverá retorno a uma das fases/subfases anteriores”. Ainda segundo o documento, havendo agravamento das condições de biossegurança que inviabilizem qualquer nível de presencialidade, haverá retorno total do ensino remoto emergencial.

Os campi do IFRN estão avaliando individualmente quais turmas retornam em cada uma das fases. A divulgação será realizada através dos canais oficiais de comunicação de cada Campus, antes do início do semestre letivo 2021.2.

Continuar lendo IFRN ANUNCIOU QUE VAI RETOMAR GRADUALMENTE AS AULAS PRESENCIAIS NO DIA 08 DE NOVEMBRO

PROFESSORA QUE GOVERNA O RN ESQUECE QUE ESCOLAS NÃO RETOMARAM AS AULAS POR FALTA DE CONDIÇÕES

Governadora visita escola e “esquece” de falar sobre 30 colégios que não retomaram as aulas por “falta de condição

Por 

Em Governo Do EstadoSlideshow

06 out 2021

A governadora Fátima Bezerra visitou escolas no primeiro dia do retorno presencial. Buscando construir uma “pauta positiva” ela defendeu o retorno presencial, mas esqueceu de falar que há 30 colégios da rede estadual que não terão aula porque estão em manutenção.

Na Escola Estadual Edgard Barbosa, no bairro Lagoa Nova, acompanhada da vice-diretora Cristiane Fonseca e da coordenadora Isa Nunes, e da representação do Grêmio Estudantil, Fátima Bezerra visitou as instalações da unidade que trabalha com o novo ensino médio, possui 18 turmas no período da manhã e seis turmas à tarde, atendendo mais de 800 alunos.

Na ocasião, a governadora adiantou que o Governo vai lançar uma campanha de estímulo aos estudantes para o retorno às aulas presenciais.  A diretora Cristiane e a coordenadora Isa Nunes, bem como demais professores, destacaram a relevância dessa iniciativa assinalando a importância do retorno dos estudantes à atividade presencial, considerando que a pandemia agravou o quadro de vulnerabilidade social e levou estudantes a buscarem atividades que pudessem contribuir com a renda de suas famílias.

Fonte: Política em Foco

Compartilhar
Continuar lendo PROFESSORA QUE GOVERNA O RN ESQUECE QUE ESCOLAS NÃO RETOMARAM AS AULAS POR FALTA DE CONDIÇÕES

GOVERNO DO RN LIBEROU OCUPAÇÃO DE 100% DAS SALAS DE AULAS COM FORMATO PRESENCIAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO ESTADO

Governo do RN libera aulas presenciais com 100% dos alunos nas salas

Redação / Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Sandro Menezes / Governo do RN

A partir desta segunda-feira (04), o governo do Rio Grande do Norte liberou uma ocupação de 100% das salas de aulas, no formato presencial, nas escolas públicas e privadas do estado.

“Considere que a pandemia está relativamente controlada. Então, neste retorno e durante esse período, as escolas se prepararam, foram investidos mais de R $ 12 milhões nas questões de segurança sanitária”, afirmou o secretário de Educação, Getúlio Marques.

O retorno não é obrigatório. Caso a família ainda não se sinta segura devido à pandemia, o estudante poderá seguir no sistema de ensino remoto.

“Para aqueles pais que, por acaso, o filho tenha algum problema de comorbidade e que não queira ir à escola, deve ser informado à escola, que por sua vez informará à secretaria. Pedimos aos alunos e aos pais que vão até as escolas, que retorna para o aconchego dos seus professores. Vamos dar esse passo pela educação do RN “, acrescentou o gestor.

O programa de retomada da Educação foi iniciado em julho, após 16 meses sem aulas presenciais, com a liberação de 30% da capacidade da sala de aula. A retomada foi escalonada. Primeiro, voltaram os estudantes do 1º ao 5º do ensino fundamental e da 3ª série do ensino médio. Depois, faça 6º e 7º ano do fundamental. E, por fim, do 8º e 9º também fazem fundamental.

No último mês, em 20 de setembro, o número subiu para 60% para alunos de todas as etapas de ensino. Nesta segunda-feira (04), a liberação chega 100% para todas as etapas. Contudo, nem todas as escolas podem retomar as atividades, devido a problemas ocorridos. O secretário minimizou a quantidade de unidades com pendências.

“Recomendamos, inclusive, que aquelas escolas que, por ventura, tenham algum problema que façam toda a conexão com os seus gestores de diretoria regional, para que possa encontrar junto com a secretaria, solução para os alunos voltarem. No geral, estamos com as escolas funcionando “, finalizou.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo GOVERNO DO RN LIBEROU OCUPAÇÃO DE 100% DAS SALAS DE AULAS COM FORMATO PRESENCIAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO ESTADO

ESCOLAS PÚBLICAS DO RN RETOMARAM AS AULAS PRESENCIAIS

Aulas presenciais são retomadas nas escolas públicas do Rio Grande do Norte

Redação / Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Ascom / Seec

Nesta segunda-feira (26), estudantes da rede estadual de educação iniciaram o retorno às aulas presenciais nas unidades de ensino em todo o Rio Grande do Norte. De maneira híbrida, facultativa e gradual, como primeiras turmas surgidas como atividades às 7h da manhã. Após um ano e quatro meses sem ensino presencial, os estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental, compreendido pelo 1º ao 5º ano, e da 3ª série do ensino médio, foram os primeiros a retomarem os estudos de maneira presencial, seguindo o protocolo sanitária de prevenção à covid-19. 

Para este momento, a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (Seec) prepara como unidades de ensino para que o distanciamento em sala de aula, o uso de álcool em gel, disponibilização de máscaras e todas as medidas sanitárias cumpridas, dando a segurança necessária para os estudantes, trabalhadores e trabalhadoras da comunidade escolar. Para isso, segundo o governo, foram investidos R $ 12 milhões de reais, sendo R $ 8 milhões de recursos estaduais e 4 milhões de reais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. 

O titular da Seec, professor Getúlio Marques, visitou, pela manhã, uma Escola Estadual Professor Luís Antônio, localizada no bairro de Candelária, em Natal. O secretário acompanhou como primeiras atividades. “É um momento de otimismo. Estamos retornando às escolas após um período de muito aprendizado. Agora, como aulas serão em formato híbrido, onde cada escola irá formatar como atividades para quem está em sala de aula ou em casa. O desafio não é maior que a determinação dos nossos professores ”, explica o secretário. 

O retorno gradual será dividido em etapas. A primeira foi concluída desde a semana passada, com a realização do acolhimento dos professores, que retornaram às atividades presenciais para planejamento e avaliação. Os profissionais comorbidade continuam em atividades remotas. Hoje, retornam 30% dos estudantes por sala, sempre obedecendo o espaçamento mínimo de 1,5 metro entre as carteiras, mantendo o fluxo seguinte para o retorno dos estudantes, a cada 14 dias: 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio; 6º e 7º ano do ensino fundamental e 2º ano do Ensino Médio; 8º e 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª série do Ensino Médio. Gradualmente, sempre após 14 dias, retornar 50% dos estudantes em todas as turmas; depois de 75% e concluindo com o retorno total, de 100%.

Uma modalidade de ensino adotada neste momento é a híbrida, onde um grupo de alunos terá as atividades presenciais e o outro seguirá com os estudos em casa. Para este momento, uma secretaria informou que a rede estadual conta com ferramentas consolidadas durante o período não presencial: o “Escola Digital”, no SIGEduc, a programação de aulas na TV, exibidos em canal aberto, aulas radiofônicas, que já estão presentes nos municípios de Caicó, Macau e Pau dos Ferros, entrega de material impresso e as outras ferramentas digitais de compartilhamento de informações, como o Classroom, da Google, videoaulas cedidas pelo Colégio Porto, a plataforma Clickideia, com diversas atividades online.

Em articulação com os municípios, através da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-RN), foi garantido o transporte escolar para os estudantes, que também conta com protocolo sanitário. Veículos com menos estudantes, limpeza minuciosa e adequados são alguns dos cuidados que fazem o trajeto de casa para a escola mais seguro. 

Outro aspecto que faz parte do retorno como atividades presenciais é a alimentação escolar. Com a orientação técnica da Subcoordenadoria de Assistência ao Educando (SUASE), como escolas organizadas os cardápios e os locais para a realização da merenda conforme as orientações do Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). De acordo com o governo, na última semana, mais de R $ 1 milhão, em recurso extra, foi disponibilizado às escolas. O Estado ainda informou que casos pontuais de falta de itens para compra estão sendo solucionados com a aquisição de itens da agricultura familiar ou com fornecedores locais.

Continuar lendo ESCOLAS PÚBLICAS DO RN RETOMARAM AS AULAS PRESENCIAIS

BRASIL NÃO PODE CONTINUAR COM AS ESCOLAS FECHADAS E RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS É UMA NECESSIDADE URGENTE, AFIRMA MINISTRO DA EDUCAÇÃO

Em pronunciamento, ministro da Educação ‘conclama’ retorno de aulas presenciais

Declaração foi dada durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão nesta terça-feira (20)

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

Atualizado 20 de julho de 2021 às 22:37

Em pronunciamento, ministro da Educação 'conclama' retorno de aulas presenciais

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o Brasil não pode continuar com as escolas fechadas e que o retorno das aulas presenciais é uma “necessidade urgente”. A declaração foi dada durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão nesta terça-feira (20).

“O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nesta e nas futuras gerações. Não devemos privar nossos filhos do aprendizado necessário para a formação acadêmica e profissional deles”, disse o ministro.

Em pronunciamento, Milton Ribeiro destacou as consequências geradas pela pandemia de Covid-19 na educação, e as classificou como “devastadoras”.

“Estudos da Unesco, da Unicef e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico apontam que o fechamento de escolas traz consequências devastadoras, como a perda de aprendizagem, do progresso do conhecimento, da qualificação para o trabalho e o aumento do abandono escolar. Sem falarmos das implicações emocionais”.

De acordo com o ministro, se o MEC pudesse determinar o retorno das aulas presenciais, ele já teria feito; mas destacou que a decisão de fechamento das escolas ficou com os estados e municípios.

“Quero deixar claro que, no Brasil, a decisão de fechamento e reabertura das escolas foi delegada a estados e municípios. Não tendo o governo federal o poder de decisão sobre o tema. O MEC não pode determinar o retorno presencial das aulas. Caso contrário eu já teria determinado. Mas não retorno a qualquer preço, que isso fique bem claro. Fornecemos protocolos de biossegurança sanitários a todas as escolas. Tanto da educação básica quanto do ensino superior”, afirmou Ribeiro.

vacinação de toda a comunidade escolar não será uma condicionante para a reabertura das escolas, de acordo com pronunciamento realizado pelo ministro nesta terça-feira.

“A vacinação é importante e eu, pessoalmente, solicitei ao ministro da Saúde a priorização de todos os profissionais da educação, os quais já estão sendo vacinados. Entretanto, a vacinação de toda a comunidade escolar não pode ser condição para a reabertura das escolas”, disse.

“Caros pais, estudantes e profissionais da educação não podemos mais adiar este momento. O retorno às aulas presenciais é uma necessidade urgente”, acrescentou o ministro.

Continuar lendo BRASIL NÃO PODE CONTINUAR COM AS ESCOLAS FECHADAS E RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS É UMA NECESSIDADE URGENTE, AFIRMA MINISTRO DA EDUCAÇÃO

INDICATIVO DE GREVE É MANTIDO PELOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

Professores da rede municipal de Natal mantêm indicativo de greve e defendem continuidade das aulas em formato exclusivamente remoto

Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

Em assembleia virtual realizada nesta quarta-feira (14), educadores de Natal debateram o movimento grevista na Rede Municipal de Ensino. A discussão foi coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/ RN) e professores deliberaram por manter o indicativo de greve na capital e transferir a deflagração para 28 de julho, com paralisação de todas as atividades nos dias 16, 21 e 26 de julho.

A nova data prevista para início da greve considera o calendário letivo do município que prevê o retorno do ensino fundamental para o final do mês. Desse modo, a categoria voltará a se reunir em assembleia na quarta-feira (28).

Os trabalhadores discutiram ainda temas como como a carga suplementar; a deficiência de estrutura de algumas escolas, com falta de abastecimento de água e insegurança sanitária; a imunização contra a covid-19; e o descumprimento da Lei do Piso em Natal.

A categoria mais uma vez defendeu a continuidade das aulas em formato exclusivamente remoto, considerando a necessidade de completar o ciclo de imunização contra a covid, após as duas doses das vacinas, para que ocorra o retorno presencial.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo INDICATIVO DE GREVE É MANTIDO PELOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

EDUCAÇÃO: JUSTIÇA POTIGUAR CONFIRMOU A RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLICA DE ENSINO NO ESTADO PARA O DIA 19 DE JULHO

Justiça do RN confirma retomada das aulas presenciais a partir do dia 19 de julho

Prazo entre as fases de abertura foi alterado para 14 dias, antecipando o que havia sido previsto no plano apresentado pelo Estado

Redação 12/07/2021 | 09:26

Justiça confirma retomada das aulas presenciais no Estado a partir do dia 19 de julho

Decisão da 2ª vara da Fazenda Pública de Natal foi publicada neste domingo 11. Foto: Ney Douglas Após um pedido de cumprimento de sentença feito pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Justiça potiguar confirmou a retomada das aulas presenciais na rede pública de ensino do Estado para o próximo dia 19 de julho. A decisão da 2ª vara da Fazenda Pública de Natal foi publicada neste domingo 11. A Justiça, também acatando pedido formulado pelo MPRN, alterou o prazo entre as fases de abertura proposto no Plano de Retomada apresentado pelo Governo do Estado, que caiu para 14 dias. Esse retorno às aulas será de forma híbrida, gradual e segura. O pedido de cumprimento de sentença foi proposto pelo MPRN em desfavor do Estado devido ao não cumprimento do acordo homologado pela 2ª vara da Fazenda Pública de Natal. Pela decisão publicada neste domingo, os professores retornam às atividades presenciais na próxima segunda-feira (19), tendo a semana de acolhimento. Sobre a antecipação do tempo estabelecido para avanço das fases previstas no plano, a Justiça acatou o pedido do MPRN “tendo em vista o estado avançado de vacinação, em termos etários – atualmente em 39 anos ou com tendência a diminuir a idade da população geral – e da própria recomendação expedida pela Secretaria de Estado da Saúde Pública, em Nota Informativa nº 16/2021, de 2 de julho”. A Justiça já determinou a intimação do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Procuradoria Geral do Estado, da governadora do Estado e do secretário estadual da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer para cumprimento da decisão. Contexto histórico O MPRN vem acompanhando a questão da educação durante a pandemia desde o seu início. O Governo do Estado, desde março de 2020, vem expedindo decretos estabelecendo obrigações e restrições, para os setores público e privado, com o objetivo de enfrentar a situação de emergência da saúde pública. Assim, em 17 de março do ano passado, foi expedido o Decreto Estadual 29.524, estabelecendo em seu art. 2º a suspensão das atividades escolares presenciais nas unidades da rede pública e privada de ensino, no âmbito do ensino infantil, fundamental, médio, superior, técnico e profissionalizante. Seis meses depois, com a melhora da situação epidemiológica do Estado, por meio do Decreto 29.989, de 18 de setembro de 2020, foi autorizada a retomada das atividades escolares presenciais da rede privada de ensino. Naquela oportunidade, no art. 1º do Decreto, restou determinada a suspensão das aulas presenciais na rede pública de ensino do Rio Grande do Norte, no ano de 2020, diante da criação do Comitê de Educação para Gestão das Ações de combate da Covid-19 no âmbito do Sistema Estadual de Ensino do Rio Grande do Norte, através do Decreto Estadual nº 29.973, de 9 de setembro de 2020, com o objetivo de construir diretrizes para orientar as redes de ensino na elaboração de protocolos e normas para o enfrentamento da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, com desdobramentos e tomadas de decisões para a Educação. Ou seja, o Estado decidiu não reabrir as atividades escolares presenciais na rede pública de ensino no ano inteiro de 2020 com o fito de construir e implementar os protocolos sanitários para a reabertura gradual e segura das escolas da rede pública no ano de 2021. Em 1º de janeiro de 2021, sem qualquer impedimento normativo para a retomada das aulas de forma presencial na rede pública, seja do estado ou dos municípios, as escolas públicas em todo o estado permaneceram fechadas, sem a oferta de atividade presencial, com a previsão de retomada de alguns municípios no período de março a abril de 2021, tempo suficiente para concluir a implementação dos protocolos necessários nas unidades escolares. Ocorre que, diante do aumento de casos de infecção pelo coronavírus, foi editado o Decreto 30.388, de 5 de março de 2021, suspendendo as aulas presenciais nas unidades das redes pública estadual e privada de ensino, excepcionando as escolas e instituições de ensino fundamental das séries iniciais e do ensino fundamental I (sem fazer distinção da rede pública e privada). Com o agravamento da situação epidemiológica no estado, o decreto seguinte, de nº 30.419, de 17 de março de 2021, suspendeu todas as atividades presenciais da rede pública e privada de ensino, em seu art. 7º, com vigência até 2 de abril de 2021, mantendo em funcionamento todos os serviços considerados essenciais Diante desse decreto não ter considerado o serviço de educação como de natureza essencial, o Ministério Público Estadual expediu, em 31 de março passado, a Recomendação Conjunta n. 01/2021 ao Estado do Rio Grande do Norte, representado pela governadora de Estado, para que adotasse as medidas legais pertinentes para incluir as atividades/serviços educacionais presenciais, em todas as etapas da educação básica, das redes de ensino pública e privada, no rol das atividades/serviços essenciais nos decretos estaduais a serem expedidos acerca das medidas para o enfrentamento do novo coronavírus no âmbito do Estado e que confira às atividades educacionais presenciais o mesmo tratamento normativo em relação aos demais serviços essenciais quando da aplicação de medidas sanitárias restritivas. Mesmo após a exposição de argumentos jurídicos e científicos ao Governo do Estado acerca da necessidade de se corrigir tamanha distorção, desproporcionalidade e ilegalidade em não considerar a educação como serviço essencial e impor às atividades educacionais medidas restritivas de funcionamento enquanto não se impõe medidas tão severas a outros serviços de natureza essencial. Ainda assim, não houve retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino público. Leia a decisão judicial na íntegra, cllicando aqui. NOTÍCIAS RELACIONADAS Aulas presenciais na rede pública serão retomadas dia 19, diz Governo do RN.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo EDUCAÇÃO: JUSTIÇA POTIGUAR CONFIRMOU A RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLICA DE ENSINO NO ESTADO PARA O DIA 19 DE JULHO

SEGUNDO AUTORIDADES EDUCACIONAIS NO URUGUAI, ALUNOS DO ENSINO PRIMÁRIO VOLTARÃO AS AULAS PRESENCIAIS AINDA EM JUNHO

Governo uruguaio anuncia volta de aulas presenciais

Educação fundamental será retomada no país na próxima segunda-feira, em meio ao pior momento do pais na pandemia

INTERNACIONAL

 por AFP

Escolas uruguaias retomarão aulas presenciais em junho

WIKIMEDIA COMMONS

Os alunos do ensino primário no Uruguai voltarão a ter aulas presenciais em junho, anunciaram as autoridades educacionais em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (2), argumentando que o número de infecções por covid-19 nas salas de aula é muito baixo.

Na segunda-feira, 7 de junho, os alunos do primeiro, segundo e terceiro anos do ensino primário retornarão às aulas nos departamentos de Montevidéu, Canelones e Salto, que aguardavam desde que no mês passado a volta desses níveis foi autorizada no resto do país.

Já na outra segunda-feira, dia 14, será a vez do quarto, quinto e sexto anos do primário em todo o país, exceto Montevidéu e Canelones, cujos alunos dessas séries voltarão às aulas na segunda-feira seguinte, dia 21.

A educação inicial já havia voltado a ser presencial em maio.

Aumento da pandemia

A decisão ocorre em meio ao pior momento da pandemia no Uruguai, que continua como o país do mundo com o maior número relativo de mortes por coronavírus nos últimos 14 dias, segundo contagem da AFP.

O ministro da Educação, Pablo da Silveira, afirmou que o “avanço formidável” da campanha de vacinação e o baixo número de infecções nos centros educacionais foram fundamentais para a decidir esse retorno.

“Não foi registrada nenhuma quantidade significativa de infecções nos centros que estão sendo estudados (…) Como esses números são tranquilizadores, podemos dar esses passos”, disse.

Quanto ao ensino secundário, Silveira indicou que a retomada ocorrerá após as férias de inverno, programadas para 28 de junho a 10 de julho.

Para isso, acrescentou, a vacinação contra a covid-19 de adolescentes entre 12 e 18 anos, anunciada nesta terça pelo presidente Luis Lacalle Pou, vai ajudar.

O Uruguai, com 3,5 milhões de habitantes, registrou 298.006 casos e 4.342 mortes pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

O governo de Lacalle Pou aposta fortemente em uma intensa campanha de vacinação para neutralizar o impacto do vírus.

Cerca de 53% da população já recebeu pelo menos uma dose dos imunizantes da Sinovac, Pfizer ou AstraZeneca e 29% estão totalmente vacinados.

Fonte: R7

 

Continuar lendo SEGUNDO AUTORIDADES EDUCACIONAIS NO URUGUAI, ALUNOS DO ENSINO PRIMÁRIO VOLTARÃO AS AULAS PRESENCIAIS AINDA EM JUNHO

DEFENSORIA PÚBLICA E MPRN ENTRAM NA JUSTIÇA PEDINDO QUE O GOVERNO AUTORIZE VOLTA ÀS AULAS PRESENCIAS NO ESTADO

Defensoria Pública e MPRN pedem na Justiça que Estado autorize retomada imediata de aulas presenciais na rede estadual de ensino

27 maio 2021

MPRN e Defensoria pedem retomada imediata de aulas presenciais na rede estadual de ensino

A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Norte (DPE/RN) e o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e a entraram com pedido junto à Justiça potiguar para que o Governo do Estado autorize a retomada imediata das aulas presenciais em toda a rede estadual de ensino. Essas aulas devem ser de forma híbrida, gradual e facultativa nos Municípios em que não vigorem decretos restritivos de funcionamento das atividades escolares presenciais, tendo em vista que, no Decreto nº 30.596/2021, a restrição alcançou apenas os Municípios da Região Oeste.

A Defensoria Pública e o Ministério Público pedem a intimação pessoal da governadora do Estado e do secretário de Educação para, no prazo de 48 horas, instituam por ato normativo específico o Plano de Retomada Gradual das Atividades Presenciais da Rede Estadual do Rio Grande do Norte. A partir da data da publicação desse ato normativo, o Governo do Estado deve dar início às fases e estágios estabelecidos no Plano de Retomada, operacionalizando a sua implementação e observância do cumprimento dos Protocolos Gerais de Biossegurança para a Retomada Gradual das Atividades Escolares no Sistema Estadual de Ensino do RN.

O documento foi protocolado junto à 2ª vara da Fazenda Pública nesta terça-feira (25). No dia 21 de maio passado, a Defensoria Pública e o MPRN buscaram, mais uma vez, a resolução consensual da demanda em audiência extrajudicial com a Secretaria da Educação e com a Procuradoria do Estado. Nessa reunião, o secretário de Educação afirmou que ainda não existia calendário de retomada das aulas presenciais na rede estadual de ensino por não ter sido possível iniciar no dia 24 de maio deste ano a vacinação dos professores da educação básica.

No documento, a DPE/RN e o MPRN destacam que o plano de vacinação dos trabalhadores da Secretaria de Educação, inserto no Plano de Retomada Gradual das Atividades Presenciais da Rede Estadual de Ensino do Rio Grande do Norte, não é condicionante para o início das atividades presenciais, de forma híbrida e gradual, na rede estadual de ensino e não integra as obrigações pactuadas no termo de acordo firmado judicialmente, bem como que existe decisão judicial em ação civil pública que determina a observância da ordem dos grupos prioritários na forma prevista no Plano Nacional de Imunização.

A Defensoria e o MPRN também ressaltaram que “o fato do Estado do Rio Grande do Norte possuir competência concorrente para o estabelecimento de medidas restritivas para prevenção, controle e enfrentamento da Covid-19 não lhe autoriza, sem respaldo técnico, científico e epidemiológico, manter suspensas as aulas presenciais apenas para rede estadual de ensino, não se afigurando legítima e consentânea com os princípios constitucionais o tratamento diferenciado entre as redes de ensino”.

Como não houve consenso na reunião ocorrida no dia 21 de maio passado, a Defensoria Pública e o MPRN decidiram pedir o cumprimento dessa obrigação prevista no termo de acordo extrajudicial homologado judicialmente como forma de se resguardar o direito fundamental à educação dos mais de 220 mil alunos matriculados na rede estadual de ensino do Estado do Rio Grande do Norte.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo DEFENSORIA PÚBLICA E MPRN ENTRAM NA JUSTIÇA PEDINDO QUE O GOVERNO AUTORIZE VOLTA ÀS AULAS PRESENCIAS NO ESTADO

DECISÃO DA JUSTIÇA DO RN QUE DETERMINAVA O RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS NO ESTADO FOI ANULADA PELO STF

Por G1 RN

 

Aulas seguem suspensas no RN — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV CabugiAulas seguem suspensas no RN — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes anulou na tarde desta quinta-feira (29) a decisão da Justiça do Rio Grande do Norte que determinava o retorno imediato das aulas presenciais no estado.

A decisão em questão era do juiz Artur Cortez Bonifácio, da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Natal, e foi publicada no sábado passado (24), atendendo parcialmente um pedido liminar de urgência feito pelo Ministério Público do Estado. Cumprindo a decisão da Justiça do RN, a governadora Fátima Bezerra (PT) publicou nesta quinta um decreto autorizando as aulas presenciais em todas as escolas das redes pública e privada na educação básica no RN.

O pedido de anulação foi protocolado no STF pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte/RN). O sindicato já havia informado à Justiça que os profissionais só retornariam ao trabalho presencial após a vacinação em massa da categoria e ameaçou inclusive entrar em greve.

Após a decisão, os profissionais afirmaram de forma unânime que “não dá para voltar a trabalhar presencialmente neste momento, embora desejem, sobretudo porque o trabalho virtual aumentou em duas ou três vezes a carga horária”, afirmou o sindicato.

As aulas presenciais nas escolas públicas do Rio Grande do Norte estão suspensas desde março de 2020 por causa da pandemia.

Em entrevista ao Bom Dia RN na terça-feira (27), o secretário de Educação do RN, Getúlio Marques, afirmou que a decisão da Justiça do RN foi de encontro ao que está sendo feito no estado. Ele disse que o estado tem um acordo firmado para entregar até 12 de maio um plano de retomada para volta às aulas.

“Nosso problema não é a escola, são as condições fora da escola. Vamos defender que a pandemia tem que estar um pouco mais reduzida para que a gente possa fazer esse retorno nas escolas públicas”, afirmou.

Continuar lendo DECISÃO DA JUSTIÇA DO RN QUE DETERMINAVA O RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS NO ESTADO FOI ANULADA PELO STF

POR DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA, GOVERNO DO RN TEM 48 HORAS PARA PERMITIR O RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS NO ESTADO

Justiça determina que Governo do RN permita retorno das aulas presenciais em escolas em 48h

26 abr 2021

Justiça determina que Governo do RN permita retorno das aulas presenciais em escolas em 48h - Tribuna de Noticias

O juiz Artur Cortez Bonifácio deferiu parcialmente pedido do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e determinou que o Governo do Estado permita, em 48h, o retorno das aulas presenciais em todas as instituições de ensino, públicas e privadas, estaduais e municipais, em qualquer das etapas da Educação Básica, de forma híbrida, gradual e facultativa.

“A abertura e funcionamento das escolas da rede privada ficam condicionados ao cumprimento do que está determinado nos Protocolos Sanitários vigentes, de modo que as medidas de biossegurança devem ser rigorosamente cumpridas, e a abertura e o funcionamento das escolas das redes públicas estadual e municipais ficam submetidos aos respectivos Planos de Retomada de Atividades Escolares Presenciais que contemplem os protocolos sanitários e pedagógicos”, versa a decisão.

No deferimento, o juiz ressalta a urgência da volta às aulas. “Intime-se, com urgência, o Estado do Rio Grande do Norte, por intermédio de sua Governadora [Fátima Bezerra], para que cumpra imediatamente o decido nesta ação”, escreveu o magistrado.
O documento enfatiza, ainda, a importância da manutenção das medidas sanitárias das redes públicas estadual e municipais, “de acordo com o previsto no item 2 do Documento Potiguar: Diretrizes para Retomada das Atividades Escolares nos Sistemas Estadual e Municipais de Ensino do RN, e, ainda, devidamente implementados e cumpridos, respeitando-se todas as exigências sanitárias vigentes, condições estas que estão a ser devidamente examinadas nos autos da ação de número 0800487-05.2021.8.20.5001, estando em curso prazo para que o Estado apresente o referido Plano naquela ação, no caso das escolas públicas”, reforça.
Fonte: Política em Foco
Continuar lendo POR DETERMINAÇÃO DA JUSTIÇA, GOVERNO DO RN TEM 48 HORAS PARA PERMITIR O RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS NO ESTADO

O COLÉGIO DE PROFESSORES DO CHILE PEDIU A SUSPENSÃO DAS AULAS EM TODO PAÍS DEVIDO O AUMENTO DE CASOS DA COVID-19

Professores pedem suspensão de aulas por contágios no Chile

Sindicato da categoria chamou a atenção para aumento de infecções por covid-19 no país e teme pelos profissionais

INTERNACIONAL

 Da EFE

As aulas foram retomadas no início desta semana em todo o Chile

ALBERTO VALDES / EFE – 1.3.2021

O Colégio de Professores do Chile pediu nesta sexta-feira (5) a suspensão das aulas em todo o país devido a um aumento significativo do número de casos de covid-19, uma semana após o início do ano letivo e em um momento em que 46 escolas relataram contágios.

Por meio de seu presidente, Carlos Diaz, o sindicato dos professores chilenos fez um “apelo urgente” ao governo para suspender o plano de retorno às aulas enquanto as condições de saúde não permitirem, considerando que o país detectou nas últimas 24 horas mais de 5.300 novos contágios, o número mais alto em um só dia desde o período mais difícil da pandemia.

“Dadas as condições que temos hoje, não é possível continuar com as aulas in loco em todo o país”, disse.

Autoridades educacionais e comunidades escolares, acrescentou Diaz, estariam “colocando suas vidas em risco porque têm que se deslocar e permanecer em cada um dos estabelecimentos educacionais”.

Como em 2020, o sindicato propôs continuar com aulas online enquanto a pandemia não é controlada.

Embora o retorno às salas de aula em todo o país tenha sido iniciado “voluntariamente, de forma gradual, flexível e segura”, nas palavras do presidente chileno, Sebastián Piñera, as quarentenas preventivas em dezenas de escolas não demoraram a ocorrer, menos de três dias após o início do ano letivo.

Resposta do governo

No entanto, o Ministério da Saúde descartou que os contágios registrados nos estabelecimentos de ensino tivessem ocorrido dentro deles.

“É impossível culpar as escolas”, disse o ministro da pasta, Enrique Paris.

“Como é possível que tenham dito isso quando as escolas mal foram abertas, e no primeiro dia de aula apareceu um caso positivo? Todos nós sabemos que o período de incubação é de 14 dias, isso está enganando a opinião pública”, acrescentou Paris em entrevista coletiva.

Depois de receber críticas pelas modificações introduzidas no plano “Passo a Passo” do governo, que até agora permite a abertura de escolas, academias e cassinos na fase 2, o ministro alegou que os locais com mais liberdades funcionam “com muitas exigências”.

Paris reconheceu que a possibilidade de contágio existe e que “está sendo feito um monitoramento muito rigoroso”.

“As escolas são muito mais seguras do que as próprias residências para crianças que têm pouco apoio social, que não têm boa alimentação e que não têm conexão com a internet”, declarou.

O Chile já registrou 845.450 casos de covid-19 e quase 21 mil mortes relacionadas à doença desde o início da pandemia.

Fonte: R7

Continuar lendo O COLÉGIO DE PROFESSORES DO CHILE PEDIU A SUSPENSÃO DAS AULAS EM TODO PAÍS DEVIDO O AUMENTO DE CASOS DA COVID-19

COM DIVERGÊNCIAS ENTRE DECRETOS ESTADO E MUNICÍPIO SOBRE AULAS PRESENCIAIS , O MINISTÉRIO PÚBLICA RECOMENDA QUE PREFEITURA SIGA O DECRETO ESTADUAL

Por Anna Alyne Cunha e Igor Jácome, Inter TV Cabugi e G1 RN

 

Com divergência entre decretos do estado e do município, escola de Natal manteve aulas presenciais nesta segunda-feira (1º). — Foto: Anna Alyne CunhaCom divergência entre decretos do estado e do município, escola de Natal manteve aulas presenciais nesta segunda-feira (1º). — Foto: Anna Alyne Cunha

As divergências sobre a permissão ou não para funcionamento das aulas presenciais nas escolas de Natal dividiram opiniões de pais e instituições. Um decreto publicado pelo governo do estado determinou suspensão das aulas no ensino fundamental 2, no ensino médio e no ensino superior a partir desta segunda (1º). Porém o decreto municipal publicado no mesmo dia autorizou a continuidade das aulas na capital.

Segundo o governo, as medidas visam reduzir o nível de contágio e a pressão por leitos no estado. A rede pública opera com mais de 90% de ocupação das UTIs para pacientes com Covid-19, enquanto a rede privada já está em 100%. De acordo com o decreto, as medidas valem até pelo menos 10 de março. Já a prefeitura considerou que as instituições podem funcionar desde que mantenham os protocolos de segurança já adotados.

Diante da situação, o sindicado das escolas privadas recomendou que as instituições seguissem o decreto estadual, mas considerou que a decisão cabe a cada instituição. Algumas das escolas decidiram manter as aulas. Diante da situação, o secretário de Educação do Rio Grande do Norte, Getúlio Marques, afirmou que abriu diálogo com as instituições, mas aquelas que não obedecerem o decreto poderão ser multada em valores que variam de R$ 20 a R$ 50 mil.

“Estamos dialogando, mas depois vamos notificar a multar. Educação é um direito de todos, mas não adianta ter educação se não tem vida. Estamos banalizando a situação. Temos que entender que estamos em uma situação de contingência, uma situação de guerra”, afirmou o secretário.

A engenheira de segurança Alessandra Araújo tem dois filhos matriculados em uma escola particular da capital. Na última sexta-feira ela recebeu o comunicado da instituição de que as aulas presenciais foram suspensas pelos próximos 10 dias.

Consciente da situação atual da pandemia no estado, ela diz que já esperava a decisão. Depois desse período de suspensão, a escola vai deixar a cargo dos pais a escolha se os alunos voltam ao ensino presencial ou não.

“Com o que a gente tem visto no estado, a preocupação com o número de leitos que já não existem mais, a gente acatou com tranquilidade. Não só as crianças estão expostas, mas todos os profissionais, os professores e os demais. Com isso a gente tenta cumprir da melhor maneira para tentar diminuir essa contaminação. Se depois os protocolos estiverem sendo cumpridos e tivermos uma folga na situação, eu acho válido que os meninos voltem”, afirmou.

Município autoriza aulas

Apesar do decreto estadual, o município autorizou a abertura e funcionamento das escolas privadas da capital, desde que se mantenham a segurança sanitária de alunos e funcionários e ofereçam também a opção de ensino remoto. Foi o caso de uma escola no bairro da Lagoa Nova, que decidiu permanecer aberta. Para a instituição, manter as aulas presenciais é uma escolha dos pais, de mandarem ou não os filhos.

“Nós esperamos tanto o município quanto o estado se manifestarem e o município se manifestou dizendo que as escolas poderiam funcionar, o que a gente acha que é coerente já que o índice de transmissibilidade é quase insignificante nas escolas e nós vamos seguir o decreto do município”, afirmou Ana Flávia Azevedo – diretora pedagógica do CEI. “O que a gente entende é que o ensino híbrido dá essa possibilidade aos pais, na hora que eu mantenho a escola aberta em todos os níveis de ensino”, afirmou.

Sindicato

O presidente do sindicato das escolas afirmou que diante do impasse, o sindicato decidiu seguir a recomendação do estado e emitiu um comunicado às instituições, mas deixou claro que a decisão final é de cada escola. “O sindicato não é de Natal, representa as escolas do Rio Grande do Norte e estamos olhando o contexto como um todo. Aquela escola que deva achar que está tudo bem, é responsabilidade dela”, afirmou Alexandre Marinho.

Já as faculdades procuradas disseram que ainda estudam de vão suspender ou não as aulas. Em Natal, a UNP afirmou que vai suspender as aulas práticas, que eram as únicas que estavam acontecendo em formato presencial.

MPs recomendam medidas mais duras

Neste sábado (27), os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho recomendaram, entre outras medidas, a suspensão das aulas na rede pública e privada de ensino em todo o Rio Grande do Norte por 14 dias, adotando-se o regime de ensino on-line, e condicionando o retorno presencial a uma nova avaliação da situação epidemiológica.

“As Prefeituras de todos os municípios potiguares devem se abster de praticar quaisquer atos, inclusive edição de normas, que possam flexibilizar medidas restritivas estabelecidas pelo Governo Estadual”, informaram as instituições em nota conjunta.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo COM DIVERGÊNCIAS ENTRE DECRETOS ESTADO E MUNICÍPIO SOBRE AULAS PRESENCIAIS , O MINISTÉRIO PÚBLICA RECOMENDA QUE PREFEITURA SIGA O DECRETO ESTADUAL

ARGENTINA RETOMA AS AULAS MESMO COM RESTRIÇÕES ATÉ O FIM DE FEVEREIRO

Argentina amplia restrições até fim de fevereiro, mas retoma as aulas

Ensino presencial está liberado, mas cada jurisdição avaliará hipotética suspensão “de acordo com a situação epidemiológica”

INTERNACIONAL

Da EFE

Província de Buenos Aires programa início do ano letivo para 1º de março

JUAN IGNACIO RONCORONI/EFE

governo da Argentina prorrogou nesta sexta-feira (29), até 28 de fevereiro, as medidas de distanciamento social, preventivo e obrigatório inicialmente em vigor até o final de janeiro, mas anunciou o retorno das aulas presenciais, inativas desde o início da pandemia de covid-19.

Fevereiro é o mês em que a cidade de Buenos Aires e alguns outros distritos começam com o ano letivo após as férias de verão, e o governo do presidente Alberto Fernández ordenou que “possam ser retomadas” as aulas em sala – assim como as atividades extracurriculares – e que cada jurisdição avalie uma hipotética suspensão “de acordo com a situação epidemiológica”.

Fontes oficiais informaram em comunicado que o decreto presidencial será publicado durante o fim de semana e que a reativação das aulas “será implementada de acordo com os parâmetros do Conselho Federal de Educação”.

Além disso, elas indicaram que, se for “necessário” reduzir a circulação de pessoas para mitigar a propagação do coronavírus, “devem ser implementadas políticas de saúde que priorizem o funcionamento” das escolas e de suas aulas.

Estudantes e professores estão isentos das novas proibições do uso de transporte público.

Covid-19: O que dizem os médicos sobre risco de contágio nas escolas

A província de Buenos Aires, a mais populosa do país, está programada para iniciar o ano letivo em 1º de março, de modo que este decreto presidencial ainda não se aplica a ela.

“Os dois parâmetros de risco sanitário [razão e incidência] que as províncias devem continuar levando em conta para a restrição da circulação noturna permanecem em vigor”, disse o governo em relação ao toque de recolher sugerido no início do verão, em vista do aumento de casos detectados há um mês.

Poucos dias atrás, a tendência é a oposta e, se há algumas semanas o número de 13 mil infecções diárias chegou a ser ultrapassado, hoje o número de casos é inferior a 10 mil.

Nesta sexta-feira (29), o Ministério da Saúde relatou 9.838 novos contágios pelo coronavírus Sars-CoV-2, elevando o total de casos desde o início da pandemia para 1.915.362. Já o total de mortes é de 47.775, com 174 mortes confirmadas nas últimas 24 horas.

Fonte: R7
Continuar lendo ARGENTINA RETOMA AS AULAS MESMO COM RESTRIÇÕES ATÉ O FIM DE FEVEREIRO

ESCOLAS PÚBLICA DO RN SE PPREPARAM PARA EM FEVEREIRO RETOMAR AS AULAS PRESENCIAIS

Por Leonardo Erys, Julianne Barreto e Geraldo Jerônimo, G1 RN e Inter TV Cabugi

 

Matrículas para a rede estadual em 2021 serão em março
Matrículas para a rede estadual em 2021 serão em março

A rede pública de educação está se preparando para o retorno das aulas presenciais no mês de fevereiro no Rio Grande do Norte. A escolas estaduais voltam no dia 1º de fevereiro, enquanto as municipais têm previsão para um dia depois, no dia 2.

As aulas foram suspensas em 17 de março por conta da pandemia do coronavírus, que naquele momento tinha seus primeiros casos registrados no estado.

Com o retorno próximo depois de 10 meses, algumas medidas estão sendo tomadas para dar mais segurança a alunos e profissionais.

Na rede estadual, o secretário de educação, Getúlio Marques, garantiu que as escolas estarão prontas na data prevista. “É uma garantia nossa essas escolas estarem preparadas, sim, no dia 1º de fevereiro”, disse.

Escolas públicas do RN vão voltar a receber aulas presenciais em fevereiro após mais de 10 meses — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Segundo ele, materiais como equipamentos proteção individual (EPIs) começaram a ser adquiridos desde de dezembro. O que resta nesses próximos dias será fazer a adaptação das escolas.

“Uma parte dessas questões que são obrigatórias, tipo máscaras, equipamentos, EPIs, estão sendo comprados desde o final de dezembro”, explicou.

“Nesses últimos dias nós vamos fazer as adaptações das escolas, colocar totens, a parte que a gente precisa de sinalização. Então, esse estudo está sendo preparado para que, no retorno, alunos e professores tenham segurança”.

O titular explicou que secretaria realiza um monitoramento diário para entender as necessidades das escolas. Com 146 escolas da rede estadual, Natal representa a maior demanda desse trabalho.

“No interior e em Natal têm algumas escolas em que a estrutura não é tão boa quanto em outras que nós já conseguimos fazer reformas e adaptações. Mas, mesmo com essas dificuldades, nós vamos tentar e vamos chegar no dia 1º com todas essas questões, principalmente as de biossegurança, efetivamente complementadas dentro dessas escolas”, disse.

Escolas vão ter protocolo para aulas presenciais no RN — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Além dos EPIs e da disponibilização de álcool em gel em pontos estratégicos, as escolas também contarão com protocolo para receber alunos e professores, como sinalização de distanciamento e uma estratégia para que o número de estudantes seja reduzido em cada sala.

“Nesse primeiro momento estamos trabalhando para que o retorno seja com um terço dos alunos”, explicou Getúlio Marques.

O calendário escolar aponta que as aulas retomadas a partir de fevereiro serão ainda para cumprir o ano letivo de 2020, que foi interrompido pela pandemia em março de 2020.

Secretário de educação do RN fala sobre retorno das aulas presenciais

A secretaria explicou ainda que os alunos que já possuem matrículas vigentes com a rede estadual terão elas renovadas automaticamente. Para o ano letivo de 2021, as matrículas abrem em 18 de março.

Município

As aulas da rede municipal estão previstas para retornar no dia 2 de fevereiro, segundo publicação no Diário Oficial do Município do dia 24 de dezembro do ano passado.

Ao todo, o Município possui 146 unidades de ensino, sendo 72 escolas e 74 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs).

Entre as medidas tomadas para a volta às aulas está a implantação de lavatórios e totens de álcool em gel, além da aquisição de kits de higiene pessoal para profissionais e estudantes, e EPIs.

Sala de aula da Escola Municipal Ivonete Maciel, na Cidade da Esperança: salas terão número de alunos reduzido — Foto: Secom/PMN

“Os totens de higiene individual, que são os lavatórios móveis, nós adquirimos 451 adultos e 184 infantis. E totens de álcool em gel foram 451 adultos e 100 infantis”, explicou Merise Maciel, que é diretora do Departamento de Administração Geral da Secretaria Municipal de Educação (SME).

A diretora explicou ainda que foram comprados kits de higiene pessoal. “Pretendemos atender todas as pessoas da rede, tanto alunos, como funcionários e professores. Foi um total de 56.484 kits”, explicou.

Os kits tem dois sabonetes líquidos, uma toalha de rosto, três máscaras de tecido, uma squeeze, gel higienizador e face shield.

“Estamos também adquirindo mais 90 mil máscaras de tecido infantil e 160 mil máscara em tamanho adulto. Além de tudo isso, adquirimos 29 mil pares de luva para atender professores, gestores e pessoal de cozinha”, disse.

O Município tem 58.490 alunos matriculados e conta com 4.277 profissionais da educação.

Álcool em gel estarão nas escolas para uso de crianças e professores — Foto: Reprodução/RPC

O retorno para os estudantes, no entanto, não é obrigatório nesse primeiro momento. “O estudante que optar pelo não retorno às aulas presenciais deve desenvolver todas as atividades pedagógicas não presenciais propostas pela unidade de ensino, para fins de cômputo de frequência e avaliação”, diz a portaria no DOM.

Preocupação

A volta às aulas neste momento despertam um medo em alguns profissionais, como é o caso de Kênnia Seridó, que é gestora de uma escola estadual.

“Eu acho muito complicada a situação do retorno das aulas agora em fevereiro devido à situação da pandemia. A gente está num momento muito complicado. Os índices estão aumentando muito e a gente está como se estivesse com a mesma gravidade do ano passado”, falou.

Ela cita ainda o medo pelos colegas que são dos grupos de risco. “A gente fica muito aflito, muito ansioso e preocupado. Tem muito funcionário com comorbidade, muito professor com problema para voltar”, falou.

“Fica aquela sensação de insegurança. Por mais que as escolas estejam se preparando para voltar, nós ainda não nos sentimos seguros para retornarmos às aulas presenciais”.

Com 22.960 casos, o mês de dezembro foi o com mais casos confirmados da doença desde o início da pandemia.

Número de casos de Covid-19 por mês no RN — Foto: G1

Número de casos de Covid-19 por mês no RN — Foto: G1

O professor Ricardo Valentim, que compõe o comitê científico do governo e é coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais), da UFRN, explicou que o número de solicitações para internações atingiu uma estabilidade nas últimas análises.

Apesar disso, ele acredita que há uma necessidade de incluir os professores na fase inicial de vacinação, como foi pedido, em ofício, pela governadora Fátima Bezerra (PT) ao presidente da República Jair Bolsonaro.

“Essa é uma pauta importante, que não é fundamental para iniciar as aulas, mas é uma pauta importante porque os professores trabalham nas escolas públicas do estado e município com uma grande quantidade de alunos e promovem uma dinâmica social em que se tem um fluxo muito grande de estudantes e profissionais andando em transporte público”, disse.

Fonte: G1 RN

200 vídeos
Continuar lendo ESCOLAS PÚBLICA DO RN SE PPREPARAM PARA EM FEVEREIRO RETOMAR AS AULAS PRESENCIAIS

SUSPENSÃO DE AULAS NA REDE PÚBLICA DO RN É MANTIDA APÓS JUSTIÇA NEGAR LIMINAR

Justiça nega liminar e mantém suspensão de aulas na rede pública do RN

 EDUCAÇÃOJUDICIÁRIOSAÚDE

A 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal negou pedido feito por um advogado de Natal em uma ação popular para que a Justiça suspendesse os efeitos do decreto estadual que determinou a suspensão das aulas presenciais na rede pública de ensino estadual. O autor argumentou que o dispositivo se encontra contaminado por de vício de legalidade por desvio de finalidade. Segundo a decisão, a interferência do Judiciário, neste caso, se revelaria incabível e precipitada.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo SUSPENSÃO DE AULAS NA REDE PÚBLICA DO RN É MANTIDA APÓS JUSTIÇA NEGAR LIMINAR

EDUCAÇÃO: A PARTIR DO DIA 5 DE OUTUBRO AULAS PRESENCIAIS EM FACULDADES DE NATAL SERÃO LIBERADAS PELA PREFEITURA

Por G1 RN

 

UFRN em Natal (Arquivo) — Foto: UFRN/DivulgaçãoUFRN em Natal (Arquivo)

A Prefeitura de Natal liberou retorno a aulas presenciais nas instituições de ensino superior, com sistema híbrido (também online), a partir do dia 5 de outubro. Um decreto sobre o assunto foi publicado nesta sexta-feira (25) no Diário Oficial do Município. As atividades presenciais estavam suspensas desde março, por causa da pandemia do novo coronavírus.

As aulas em formato híbrido já estão liberadas nas escolas privadas da capital desde o dia 10 de setembro, sendo uma opção dos responsáveis, mandar ou não as crianças para aulas presenciais.

A partir do dia 5, universidades e faculdades também poderão retomar as aulas presenciais, mas, segundo a prefeitura, terão que atender s regras estabelecidas em protocolos de prevenção à Covid-19.

“As instituições de ensino superior deverão priorizar medidas para distribuir as aulas presenciais entre os dias da semana, intercalando os componentes curriculares ou turmas com o fim de evitar maior concentração de alunos no ambiente universitário”, diz o decreto.

Segundo o texto, a fiscalização quanto ao cumprimento dos protocolos de segurança caberá às secretarias municipais.

No mesmo diário oficial, o município publicou um protocolo específico para retorno das atividades nas instituições, prevendo orientações que devem ser feitas a estudantes, funcionários e professores, além de ações para identificação de casos suspeitos ou confirmados da Covid-19, com afastamento de pessoas com teste positivo ou que tiveram contato com um paciente. O distanciamento mínimo deve ser de pelo menos 1 metro.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo EDUCAÇÃO: A PARTIR DO DIA 5 DE OUTUBRO AULAS PRESENCIAIS EM FACULDADES DE NATAL SERÃO LIBERADAS PELA PREFEITURA

O LEGADO DE FÁTIMA BEZERRA: AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLIA ESTÃO OFICIALMENTE SUSPENSA EM 2020 PELO GOVERNO DO RN

Eis o show e o legado da “professora” Fátima Bezerra para a educaçãodo RN.

Governo do RN oficializa suspensão das aulas presenciais na rede pública em 2020

 EDUCAÇÃOSAÚDE

Com o encerramento do prazo estipulado em agosto pelo Decreto Estadual nº 29.928, o Governo do Estado publica neste sábado (19) a nova diretriz que suspende as aulas presenciais na rede pública estadual em 2020 e autoriza o retorno das atividades na rede privada de ensino e nas Instituições de Ensino Superior (IES) a partir do dia 5 de outubro no Rio Grande do Norte.

O documento, assinado pela governadora Fátima Bezerra e pelos secretários de Estado Cipriano Maia (Saúde Pública), Getúlio Marques (Educação) e Raimundo Alves (Gabinete Civil), regulamenta a decisão anunciada no dia 8 de setembro.

De acordo com o decreto, a suspensão das aulas presenciais na rede estadual “não poderá impor prejuízos ao calendário acadêmico dos estudantes, especialmente daqueles que estão cursando o último ano do ensino fundamental e do ensino médio, incluindo a educação de jovens e adultos”. A determinação do Governo é de que a carga horária deverá ser cumprida por meio de estratégias alternativas de ensino.

O decreto ainda aponta uma ressalva. A Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), em conjunto com o Gabinete Civil, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e os conselhos estaduais de Educação e de Saúde, pode estabelecer atividades presenciais em situações excepcionais.

As eventuais atividades podem ser implementadas de maneira regional e individualizada, levando em consideração os dados epidemiológicos de cada região e as adequações estruturais das escolas.

REDE PRIVADA

Com relação à rede privada de ensino e as Instituições de Ensino Superior (IES), além da autorização do retorno no próximo dia 5, o decreto pontua que devem ser mantidas as atividades não presenciais para alunos, professores e funcionários que se encontrem no grupo de risco, que vivam com integrantes do grupo de risco e para aqueles cujos responsáveis optarem pela modalidade não presencial.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo O LEGADO DE FÁTIMA BEZERRA: AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLIA ESTÃO OFICIALMENTE SUSPENSA EM 2020 PELO GOVERNO DO RN

ESCOLAS PARTICULARES DE NATAL TÊM RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS AUTORIZADO PELO PREFEITO

Prefeitura autoriza retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de Natal

10 set 2020

Prefeitura autoriza retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de Natal

A Prefeitura do Natal publica nesta quinta-feira (10) o decreto municipal que estabelece o retorno das aulas nas escolas privadas da cidade. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (09) pelo prefeito Álvaro Dias que levou em consideração o parecer favorável do Comitê Científico do Município e a queda dos índices de transmissibilidade da doença. O gestor também considerou o protocolo criado pelas escolas particulares que propõem um ensino híbrido, com aulas presenciais e à distância, possibilidade de escolha dos pais de enviarem ou não seus filhos, medidas de higiene e distanciamento social.“O Comitê Científico Municipal aprovou por unanimidade a proposta do retorno às aulas nas instituições privadas, que já estavam se preparando para este momento. Vamos liberar a retomada das aulas mediante uma série de condicionantes que devem ser rigorosamente cumpridas pelas escolas. Vamos colocar equipes para fiscalizar e, caso seja observado o descumprimento de alguma das medidas, não hesitaremos em suspender novamente as aulas. Também levaremos em consideração o número de casos e o índice de transmissibilidade da doença”, disse Álvaro Dias, durante reunião com representantes de escolas, de professores e pais de alunos.

O prefeito destacou ainda que as escolas devem oferecer aos pais a possibilidade de escolha do retorno dos filhos e aulas virtuais para aqueles que não optarem pelas aulas presenciais. A fiscalização caberá à Secretaria de Educação, Semdes, Procon, Semurb e Semsur, que poderão inclusive interditar a escola que descumprir as regras estabelecidas.Entre as medidas que fazem parte do protocolo das escolas para o retorno às aulas presenciais estão: medição de temperatura dos alunos na entrada da escola, disponibilização de tapetes sanitizantes, sinalização de corredores, distanciamento de 1,5m das carteiras em sala de aula, divisão da turma em dois ou mais grupos e termo de responsabilidade dos pais. O protocolo completo também será publicado na edição de amanhã do Diário Oficial do Município.

“As escolas adotaram protocolos rígidos e estão empenhadas em cumprir e manter a segurança de nosso alunos, professores e demais funcionários. Defendemos uma volta gradual, com um ensino híbrido, aulas presenciais e à distância. Cada família escolhe se manda seu filho ou não para a sala de aula. E aquelas que optarem por não mandar, terão à disposição as aulas virtuais”, disse Ana Flávia Azevedo, uma das representantes das escolas.

Também participaram da reunião o secretário de Governo, Fernando Fernandes, o procurador geral do Município, Fernando Benevides, e os vereadores Kleber Fernandes e Nina Souza.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo ESCOLAS PARTICULARES DE NATAL TÊM RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS AUTORIZADO PELO PREFEITO

AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLICA DO RN SÓ SERÃO RETOMADAS EM 2021, ANUNCIA GOVERNADORA

Por G1 RN

 

Governadora do RN anuncia que aulas presenciais da rede pública só serão retomadas em 2021
Governadora do RN anuncia que aulas presenciais da rede pública só serão retomadas em 2021

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), afirmou que as aulas presenciais na rede pública do estado só serão retomadas em 2021. A declaração foi dada durante um fórum virtual da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), que aconteceu na manhã desta terça-feira (8).

Ainda segundo a governadora, um novo decreto estadual será editado e publicado nos próximos dias. A decisão é referente à rede pública. Segundo o governo, as escolas privadas seguem com a perspectiva de voltar no dia 5 de outubro.

“Quero aqui nesse momento, na condição de governadora, informar que as atividades presenciais no âmbito na educação do Rio Grande do Norte só serão retomadas no ano de 2021”, afirmou Fátima, no encontro. De acordo com ela, a decisão foi tomada após consulta a entidades e inclusive levando em consideração enquetes e pesquisas locais e nacionais.

“Em 2020, as escolas darão continuidade às atividades não presenciais aplicando um plano de recuperação das aprendizagens com os estudantes concluintes, intensificando aulões, cursinhos, aulas online preparatórias para os exames do IFRN e Enem, por meio televisivo, plataformas digitais, materiais impressos, entre outras”, disse.

As aulas estão suspensas no Rio Grande do Norte desde o dia 18 de março, por causa da pandemia do novo coronavírus. O último decreto sobre o assunto prevê manutenção da suspensão até o próximo dia 18.

Na manhã desta terça (8), pais, alunos, professores, e donos de escolas particulares participaram de um ato em Natal, pedindo a retomada das aulas presenciais.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLICA DO RN SÓ SERÃO RETOMADAS EM 2021, ANUNCIA GOVERNADORA

PARA EVITAR CONTÁGIOS, PREFEITO DE NOVA YORK ANUNCIOU PROJETO DE AULAS AO AR LIVRE PARA ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS

Nova York cria projeto de ensino ao ar livre para evitar contágios

Os diretores das escolas públicas e privadas podem solicitar a participação neste programa para aprender em parques ou ruas adjacentes

INTERNACIONAL

Da EFE

 

Prefeito Bill de Blasio anunciou projeto de aulas ao ar livre para escolas públicas e privadas

A cidade de Nova York apresentou nesta segunda-feira (24) um programa que vai permitir que algumas escolas dêem aulas ao ar livre no retorno às aulas, a maioria prevista para o dia 10 de setembro, após o intervalo devido à crise da covid-19.

O programa permitirá que as escolas dêem aulas em seus playgrounds, em ruas adjacentes e em parques próximos.

Segundo o prefeito Bill de Blasio, que fez o anúncio com o ministro da Educação, Richard Carranza, este plano está aberto a todas as escolas públicas, charter e privadas, bem como a alunos com deficiência do plano conhecido como “Pontes de Aprendizagem”

O programa priorizará escolas nos bairros mais atingidos pela pandemia, sem espaço ao ar livre em seus edifícios e inclui centros em todos os condados.

Os diretores das escolas podem solicitar a participação neste programa a partir de hoje para aprender em parques ou ruas adjacentes.

“Cidade segura”

O prefeito lembrou que a cidade só abrirá escolas se o índice de transmissão do vírus (número de exames positivos sobre o total) ficar abaixo de 3%, padrão mais rígido que os 5% estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e o estado de Nova York.

A Big Apple tem uma taxa inferior a 1% há algum tempo, apesar do aumento de casos em outras áreas do país.

“Nova York é a cidade grande mais segura da América”, disse De Blasio, em uma tentativa de tranquilizar pais e professores preocupados.

Ele ressaltou que, como parte do programa, as escolas que desejarem utilizar seus próprios pátios também deverão solicitar a notificação à Secretaria de Educação.

As propostas enviadas antes de sexta-feira, 28 de agosto, receberão respostas antes de 4 de setembro. Solicitações adicionais também podem ser enviadas continuamente.

“Minha mensagem para os pais e nossas comunidades escolares não poderia ser mais clara: estamos tomando todas as precauções possíveis para que nossos filhos voltem em segurança”, insistiu De Blasio durante sua entrevista coletiva diária.

“O aprendizado ao ar livre dará a todas as nossas crianças a educação de qualidade que elas merecem em um ambiente seguro e socialmente distante”, disse ele

“Nova York é a cidade grande mais segura da América”, disse De Blasio

Pixabay

Pais e professores preocupados

O anúncio vem depois de sexta-feira passada o prefeito e o chefe da Educação darem mais detalhes sobre o plano de um retorno seguro, que chamaram de “Promessas de retorno às aulas”, que enfrenta preocupação dos pais e rejeição do principal sindicato dos professores.

Como parte desse plano, os prédios serão desinfetados todas as noites, haverá desinfetante para as mãos em todas as salas de aula e equipamentos de proteção individual disponíveis em todos os momentos, o uso de máscaras o tempo todo e será necessário o distanciamento social.

Também foi prometido que as salas de aula que não têm ventilação adequada não serão utilizadas e que as áreas de alto contato serão limpas várias vezes ao dia, entre outras medidas.

De Blasio detalhou o plano em fases sob a ameaça de uma possível greve de professores se suas exigências não forem atendidas, que incluem que todos que entrarem em um prédio escolar em 10 de setembro sejam testados para covid-19 ou anticorpos.

O Departamento de Educação trabalhará para atender às solicitações das escolas o máximo possível, a menos que o acordo não seja viável ou seguro, disse Carranza.

Ele explicou que todas as solicitações serão analisadas por um comitê interagências formado pelos departamentos de Parques e Recreação, Transporte, Limpeza, Bombeiros e Polícia.

“Como professor e líder escolar, sempre soube como é importante passar o tempo fora de casa para as crianças e, à medida que nos aproximamos da reabertura, estou animado para levar o Aprendizado ao Ar Livre para as escolas da cidade. , mesmo aqueles que não têm pátio “, indicou Carranza.

Os Estados Unidos, o país mais afetado pela pandemia, registram mais de 5,7 milhões de casos confirmados e 176.000 mortes por coronavírus.

Apesar de Nova York não ser mais o estado com maior número de infecções, ainda é o mais atingido em termos de mortes nos Estados Unidos, com mais de 32.000.

Fonte: R7

Continuar lendo PARA EVITAR CONTÁGIOS, PREFEITO DE NOVA YORK ANUNCIOU PROJETO DE AULAS AO AR LIVRE PARA ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar