SOBRE UMA POSSÍVEL CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, MANDETTA DIZ “ESTÁ PRONTO”

Estou pronto’, diz Mandetta à CNN sobre possível candidatura à Presidência

De acordo com o ex-ministro, o primeiro ato de Pazuello como chefe da pasta já tirou credibilidade dele

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

Atualizado 08 de maio de 2021 às 00:14

Estou pronto', diz Mandetta sobre possível candidatura à Presidência

Em entrevista exclusiva à CNN, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) afirmou que “está pronto” para uma possível candidatura à Presidência da República nas eleições de 2022.

“O meu nome está aqui, eu não sou candidato de mim. Eu quero um projeto para a gente defender ideias. Se perguntar para mim, você está pronto? Eu estou pronto. Se perguntar para mim, você vai, você tem coragem para ir para uma das campanhas mais sórdidas, baixas, invasivas, pelos comentários do presidente e do filho do presidente, eu estou pronto”

Luiz Henrique Mandetta

“Eu pertenço a um partido político que tem ideais a apresentar, tenho mais de 35 anos, sou nascido aqui no Brasil, estou em dia com minhas obrigações eleitorais, ou seja, reúno as obrigações básicas [para se candidatar à presidência]”, prosseguiu o ex-ministro da Saúde.

Na avaliação de Mandetta, tanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entram na corrida eleitoral já desgastados. Para o médico, ambos têm “passados que serão lembrados por todos os brasileiros”.

O ex-ministro entende que tanto Lula como Bolsonaro estão no “teto” e, por isso, não há uma tendência para expansão de base eleitoral.

Especificamente sobre o atual chefe do Executivo, Mandetta acredita que Bolsonaro não será reeleito.

“O Collor foi o primeiro a não se reeleger. Ele [Bolsonaro] vai ser o segundo, porque, primeiro, ele precisa terminar o mandato para pensar em reeleição. Agora, espero que ele não continue, porque ele não está à altura do cargo”, afirmou.

Sobre uma terceira via para as eleições presidenciais, o ex-ministro afirmou que ela só confirmará se houver anseio da população.

Pazuello

O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta disse ter a impressão de que o general Eduardo Pazuello está “com medo de ser inquirido” na Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia de Covid-19.

Para o médico ortopedista, o militar — que também foi ministro da Saúde — tem medo de saber o que será revelado a cerca das decisões tomadas por ele. Mandetta ressaltou também que o primeiro ato de Pazuello como chefe da pasta já tirou a credibilidade dele, que foi a tentativa de mudar a forma de divulgação dos números da Covid-19 no Brasil.

“Ele [Pazuello] se submeteu a um papel de retirar as funções do Ministério da Saúde. O primeiro ato dele foi de não divulgar números. Teve que vir ordem do STF para divulgar os números. Ele perdeu a credibilidade na saída”, afirmou.

Além de esconder dados, Mandetta avalia que Pazuello também promoveu o uso da hidroxicloroquina – remédio sem eficácia comprovada contra Covid-19 –, não adquiriu as vacinas que lhe foram ofertadas, desistiu de todo plano de testagem brasileiro e deixou de analisar as novas cepas que surgiam.

“Fez um trabalho de baixa qualidade e sempre com muita subserviência”, declarou.

Fonte: CNN

Continuar lendo SOBRE UMA POSSÍVEL CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, MANDETTA DIZ “ESTÁ PRONTO”

SAÚDE: SAIBA TUDO SOBRE O MAL DO SÉCULO, O ESTRESSE!

A nossa coluna SAÚDE desta quinta-feira trás um assunto importantíssimo que é considerado por muitos especialistas como o “mal do século”, já que a partir dele contraímos quase todos os tipos de doenças: o Estresse. Nesta publicação você vai ver e aprender praticamente tudo sobre estresse, tirar suas dúvidas e saber como evitar e/ou amenizar. Então convido você a ler o artigo completo e aprender a se defender das armadilhas do estresse!

Conheça as 7 melhores formas de evitar o estresse no trabalho

Estresse: sintomas físicos e emocionais

Visão Geral

O que é Estresse?

estresse (ou stress, em inglês) é um sintoma que muda nosso estado de forma indescritível. Ele pode ser caracterizado por sensações de irritação, medo, desconforto, preocupação, frustração, indignação, nervoso, e ser motivado por diversas razões distintas. Além disso, muitas vezes, a causa para o estresse é desconhecida.

Quando o estresse interfere na sua vida, tornando difícil passar dias tranquilos por um longo período, ele pode ser mais perigoso tanto para mente quanto para o corpo. Isso acontece porque o estresse também leva a incômodos físicos.

Tipos de estresse

Segundo a Associação Americana de Psicologia, há três tipos de estresse: estresse agudo, estresse agudo episódico ou estresse crônico. Além disso, existe o Transtorno do Estresse Pós-traumático.

Estresse agudo

O estresse agudo é uma reação do corpo a um momento ou fato estressante. Os sintomas da reação aguda ao estresse passam em grande parte pelos sintomas ansiosos como:

  • ativação psíquica
  • instabilidade de humor
  • apreensão
  • insegurança

A Associação Americana de Psicologia ainda descreve sintomas físicos de quem passou por estresse agudo:

Estresse agudo episódico

A Associação Americana de Psicologia ainda define o estresse agudo episódico, que é quando esses estímulos que causam as reações agudas ao estresse se repetem com frequência.

Neste caso, os sinais são os sintomas do estresse agudo, mas prolongados. Como:

Estresse crônico

Quando uma pessoa se mantém continuamente estressada, e isso faz parte da rotina, o estresse pode estar se tornando crônico. Neste caso, as reações do corpo ao estresse e os sintomas não vão embora, afetando diversas áreas da vida. O estresse crônico é um fator de risco para ansiedade e depressão.

De acordo com o psiquiatra Mário Louzã, o estresse crônico é prejudicial ao corpo principalmente porque alguns hormônios, particularmente o cortisol, começam a entrar em ação. “Se o cortisol fica muito elevado durante dias, semanas, começa a gerar problema para o organismo, que não foi feito pra ter esse hormônio em sobrecarga”, explica ele.

Alguém que tem estresse crônico apresenta sintomas físicos e emocionais, como:

  • fadiga
  • desgaste
  • mal estar
  • cansaço
  • esgotamento
  • aumento da vigilância
  • dificuldade em relaxar e descansar
  • desânimo
  • tristeza
  • sensação de fracasso
  • dificuldade de sentir prazer
  • alteração do sono.

Transtorno do estresse pós-traumático

Quando o episódio que desencadeou o estresse agudo representou ameaça à sua vida ou à vida de terceiros, é possível que a pessoa desenvolva o transtorno do estresse pós-traumático (TEPT). Ele pode ser definido como um distúrbio da ansiedade caracterizado por um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Esse quadro ocorre devido à pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que representaram. Quando ele se recorda do fato, revive o episódio como se estivesse ocorrendo naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento vivido na primeira vez. Essa recordação, conhecida como revivescência, desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais.

Sintomas

Sintomas de Estresse

O estresse é um sentimento normal. Ele pode, inclusive, ajudar uma pessoa em seu dia a dia, melhorando seu desempenho no trabalho, por exemplo. No entanto, quando o estresse é muito grande, você pode senti-lo em seu corpo por meio de algumas reações específicas. Pode reparar, quando você está muito estressado, você pode notar:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Um ritmo cardíaco acelerado
  • Batimento fora do ritmo
  • Respiração acelerada
  • Sudorese
  • Tremores

Sintomas físicos do estresse

Além de mexer com a sua cabeça, o estresse também se manifesta no seu corpo, a longo e a curto prazo. Os sintomas físicos do estresse são:

  • Manchas roxas no corpo
  • Fezes soltas
  • Necessidade frequente de urinar
  • Boca seca
  • Problemas para engolir
  • Dificuldade para dormir
  • Queda de cabelo em excesso
  • Cansaço demasiado
  • Alergias de pele
  • Gastrite e úlceras
  • Tensão muscular
  • Imunidade baixa
  • Dores de cabeça
  • Mudanças de apetite
  • Acne incomum
  • Refluxo

Procure um médico se esses e outros sintomas surgirem e estiverem lhe causando preocupação. Além do mais, estes não são sinais exclusivos de estresse, mas também de problemas de saúde mais graves.

Se os sintomas do estresse te afetam fisicamente e causam preocupações, procure um médico - Foto: Shutterstock

Se os sintomas do estresse te afetam fisicamente e causam preocupações, procure um médico – Foto: Shutterstock

Visão Geral

Causas

Uma pessoa pode sentir estresse em alguns momentos importantes de sua vida, motivada, possivelmente, por ansiedade, apreensão e preocupação, como por exemplo:

  • Começar em um emprego novo ou escola nova
  • Mudar-se para uma casa nova
  • Casar-se
  • Ter um filho
  • Terminar um relacionamento
  • Uma doença, seja com você ou com um amigo ou ente querido, é uma causa comum de estresse.

Sentimentos de estresse e ansiedade são comuns em pessoas que se sentem deprimidas e tristes também.

Alguns medicamentos podem provocar ou piorar os sintomas de estresse. Estes podem incluir:

  • Alguns medicamentos inalados usados para tratar asma
  • Medicamentos para tireoide
  • Algumas pílulas dietéticas
  • Alguns remédios para resfriado
  • Produtos com cafeína, cocaína, álcool e tabaco também podem provocar ou piorar os sintomas de estresse e ansiedade.

Quando essas sensações ocorrem com frequência, a pessoa pode ter um distúrbio de ansiedade. Outros problemas em que o estresse pode estar presente:

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Especialistas que podem diagnosticar estresse são:

Estresse no trânsito: conheça exercícios que ajudam a relaxar no carro

  • Um ritmo cardíaco acelerado
  • Batimento fora do ritmo
  • Respiração acelerada
  • Sudorese
  • Tremores
  • Tontura.

Procure um médico se esses e outros sintomas surgirem e estiverem lhe causando preocupação. Além do mais, estes não são sinais exclusivos de estresse, mas sim de problemas de saúde mais graves.

Na consulta médica

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas surgiram?
  • Se você pudesse descrever seus sintomas, como o faria?
  • Como é sua rotina no dia a dia?
  • Você se considera uma pessoa com altos índices de estresse?
  • Você tem enfrentado dificuldades em sua vida pessoal, no trabalho ou nos estudos?
  • O estresse tem prejudicado sua vida de qualquer forma?.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Estresse

Quando o estresse está alto e atrapalhando seu dia a dia, é importante consultar profissionais da saúde para que esse sintoma seja atenuado. Só um médico ou psicólogo pode dizer se o tratamento para o estresse deve ser feito com medicamentos ou se há alternativas naturais e caseiras.

Antes de chegar a este profissional, você pode tentar algumas opções naturais para aliviar o estresse:

Comer chocolate amargo, peixes e outros alimentos com triptofano

O triptofano é um aminoácido que ajuda a reduzir marcadores bioquímicos do estresse, em particular o hormônio cortisol, que apresenta muitos efeitos adversos no corpo humano.

Os alimentos fontes de triptofano são: peixes, peru, ovo, nozes, castanhas, leguminosas (feijão azuki, lentilha, soja), semente de abóbora, levedo de cerveja, linhaça, aveia, arroz integral, chocolate amargo e queijo tofu.

Faça algum tipo de massagem

Para aliviar o estresse, outra alternativa é relaxar com uma massagem terapêutica.

Segundo a fisioterapeuta Vanessa Pereira, qualquer pessoa pode fazer, independente da idade. “Além de livrar os músculos das tensões, a massagem ajuda também a amenizar alguns desequilíbrios como a dor, fadiga e má postura”, explica. Os únicos cuidados devem ser tomados com quem está em período pós-operatório, com febre, inflamação e outras doenças graves.

A Associação Americana de Psicologia (AAP) recomenda algumas formas de reduzir o estresse:

Identifique o que causa estresse

Monitore seu estado mental ao longo do dia. Quando você se sentir estressado, escreva o motivo. Ao longo dos dias, será possível perceber um padrão e evitar estas situações.

Construa bons relacionamentos

Lidar com pessoas pode ser uma fonte de estresse, mas passar momentos com quem você ama e se sente bem pode aliviar esse sintoma.

Ande!

Quando o estresse toma conta de você, é possível que você sinta vontade de reagir às situações de maneira impulsiva, colocando muito a perder. Por isso, o que a AAP recomenda é andar antes que isso aconteça.

Descanse bem

Seu sono está realmente acabando com todo o cansaço do seu dia? Segundo com a pesquisa da associação, quase metade dos adultos estressados ficam acordados à noite. Para facilitar uma boa noite de descanso, não tome bebidas com cafeína e remova as distrações do seu quarto, como televisão e computador. Também é recomendado ter uma hora certa para dormir.

Busque ajuda

Se nenhuma destas alternativas ajudar, não demore em procurar um psicólogo ou psiquiatra. Eles poderão ajudar a identificar situações que contribuem para seu estresse crônico e traçar um plano para combatê-lo.

Prevenção

Prevenção

Todo estresse só é negativo quando se torna excessivo. O problema é que na maior parte das situações do dia-a-dia as pessoas são tomadas por tantas preocupações que o estresse em excesso tem se tornado um problema comum dos tempos de hoje.

Mas sabia que esse tipo de nervosismo pode ser prevenido com algumas mudanças simples no seu cotidiano? Pequenos hábitos, como respiração e mudanças no dia-a-dia ajudam a controlar e evitar o problema. Confira essas e outras dicas a seguir:

Alimentar-se de forma balanceada

Alimentação muitas vezes parece ser remédio para todos os problemas, e talvez seja mesmo. No caso do estresse, ter pratos equilibrados ajuda o organismo de muitas formas. Ter um consumo adequado de gorduras, carboidratos, proteínas, vitaminas e minerais é essencial para o bem-estar do organismo.

Se o nosso organismo recebe diariamente esses nutrientes, por meio da alimentação, naturalmente ele irá funcionar melhor, aumentando a energia e vitalidade que precisamos para enfrentar os problemas do cotidiano.

No entanto, se existe carência ou excesso de algum elemento, o nosso corpo precisa fazer um esforço para compensar isso, o que gera mais desgaste. Por outro lado, também há a perda de nutriente durante o quadro de estresse crônico, que é agravado pelo consumo de itens como cafeína, açúcar e sal.

Praticar atividades físicas

Exercícios têm diversas características que se relacionam com o relaxamento de quem os pratica. Em primeiro lugar há a liberação de hormônios que otimizam o funcionamento do corpo.

A adrenalina age na redução do estresse, o cortisol atua como anti-inflamatório, o glucagon aumenta a quantidade de glicose no fígado, o GH (hormônio do crescimento) transmite bem-estar e a endorfina produz a sensação de prazer e melhora a qualidade do sono.

Além disso, existe um mecanismo que os especialistas chamam de senso de propósito. Quando fazemos algo com a convicção de que isso está contribuindo para a nossa saúde, damos para a nossa mente comandos do tipo “isso é bom para mim”, “estou seguindo na direção certa” e “estou cumprindo um propósito”, que vai alimentando a nossa sensação interna de que merecemos algo bom, somos boas pessoas.

Desta forma, a prática de uma atividade física ajuda a mudar um pouco o foco, saindo daquele problema que ficou incomodando o dia todo e estava causando estresse.

Mudar a postura

Ter uma postura melhor é benéfico também para a mente. E a palavra “postura” aqui não significa apenas a forma como recebemos as informações, e sim com a maneira que posicionamos nosso corpo no dia a dia.

Para provar esse ponto, os especialistas costumam sugerir um exercício: primeiro posicione a cabeça para frente e encolha os ombros, curve as costas para frente, como se estivesse deprimido, e tente pensar em algo alegre. Difícil, não é mesmo?

Em seguida, espalhe-se na cadeira como em um dia de verão na praia, e depois tente pensar em uma conta para pagar. Igualmente complicado! A forma com que usamos o nosso corpo tem um reflexo direto no nosso estado interno e na nossa capacidade de lidar com os problemas.

Procure rir mais

Estudos de 1989 foram os primeiros a demonstrar alguma relação entre o riso e a redução do estresse, ao perceber que voluntários que assistiam vídeos humorísticos tinham uma queda maior nos hormônios cortisol e adrenalina, do que os que assistiam a qualquer vídeo.

Depois disso, vários outros estudos confirmaram esse achado, que o riso reduz os níveis de hormônios e substâncias ligados ao estresse.

Sorris mais combate o estresse - Foto: Shutterstock

Sorrir mais combate o estresse – Foto: Shutterstock

Rir libera endorfinas, que são hormônios que promovem a sensação de bem-estar; também ativa a sua resposta ao estresse, aumentando a sua frequência cardíaca e pressão arterial e criando uma sensação de relaxamento.

Por fim, ele também estimula a circulação e ajuda a relaxar os músculos, o que reduz os sintomas físicos do estresse.

Além do mais, a risada tem o dom de mudar a perspectiva de quem está rindo sobre as situações.

Como grande parte do estresse é devido a pensamentos, julgamentos e pressões internas por resultados que vamos criando no decorrer do dia, rir pode ser uma boa alternativa para conseguir ver a situação sobre um ponto de vista diferente.

Fazer sexo

Sexo vai além do prazer: os mecanismos hormonais da prática sexual beneficiam o corpo a lidar com estresse. O contato íntimo produz alterações químicas cerebrais, melhorando o humor devido à liberação de testosterona, estrogênio, prolactina, hormônio luteinizante e prostaglandina na corrente sanguínea.

Dormir melhor

O estresse prolongado, antes de tudo, funciona como uma agressão ao nosso organismo. E dormir bem é uma das melhores formas do corpo se recuperar desse tipo de ataque.

Quando você está descansado, tem uma maior clareza de pensamento e uma habilidade maior para reagir aos estímulos agressores.

Pessoas que ficam longos períodos com privação de sono tendem estar mais desatentas e com os reflexos lentos. Tanto que pessoas que dormem pouco tendem a ser mais irritadas e diversos estudos relacionam transtorno de humor com pessoas que trabalham com turnos trocados.

Respirar direito

A respiração está diretamente relacionada com nossas emoções e tem a capacidade de regulá-las de duas formas: primeiro por um mecanismo fisiológico, já que o estado de ansiedade nos faz inalar o ar com mais rapidez e de forma mais rasa, e mudar isso conscientemente ajuda a acalmar, pois o corpo volta ao equilíbrio.

Outro ponto está no fato do indivíduo, ao tornar sua respiração consciente, traz sua atenção ao momento presente. Com isso o estado de ansiedade tende a ser minimizado.

Auto incentivar-se

Dentro da psicologia existe um termo chamado “Positive talk” (em livre tradução, algo como fala positiva).

O conceito vem do fato de que todas as pessoas conversam consigo mesmas, mas enquanto algumas sabem fazer isso como uma forma de alento e carinho, outras não sabem se auto incentivar: a maior parte das pessoas cultiva pensamentos de injustiça, sofrimento e pesar, além de fazer julgamentos sobre si mesmo que certamente não faria para os outros.

O problema é que ter esse tipo de pensamento gera um círculo vicioso, que faz com que a pessoa se vitimize mais e, com isso, fiquem mais propensas a situações de estresse prolongado.

Deixar o celular de lado

Hoje em dia o celular parece parte de nós, mas saiba que ele ajuda (e muito!) a aumentar o estresse das pessoas. Um estudo publicado no BMC Public Health em 2011 acompanhou 4156 jovens de 20 a 24 anos de idade por um ano, relacionando seu uso de celular com problemas de saúde mental, como depressão, estresse e falta de sono.

Foi percebido que aqueles que usam muito seus telefones tinham incidências mais altas de estresse, principalmente naqueles que percebiam esse uso como algo estressante. Diversos fatores podem ajudar nisso.

Muitas pessoas acabam continuando conectadas ao trabalho, por exemplo, por meio de seus celulares, não permitindo que elas tenham tempo de descanso.

Outra questão é o imediatismo desses aparelhos: o uso excessivo do celular, das redes sociais e aplicativos pode colaborar com o estresse, na medida em que se torna mais uma obrigação, porque aparece para a outra pessoa a que horas que você abriu o aplicativo ou conversou pela última vez.

Claro que não há problemas em se usar o celular, desde que seu uso seja equilibrado.

Referências

Fisioterapeuta Camila Montandon, especialista em Terapias Integrativas

Psiquiatra Leonard Verea, especialista em Medicina Psicossomática e em Medicina do Trabalho

Cirurgião-geral Marcelo Katayama, instrutor de treinamento com foco em desenvolvimento pessoal e diretor no Núcleo Ser.

Associação Americana de Psicologia

Psiquiatra Roney Vargas Barata, da Aliança Instituto de Oncologia.

Psiquiatra Mário Louzã

Redação
Escrito por Redação
Redação Minha Vida
Fonte: Minha Vida
Continuar lendo SAÚDE: SAIBA TUDO SOBRE O MAL DO SÉCULO, O ESTRESSE!

AGLOMERAÇÃO REGISTRADA NO FIM DE SEMANA PODE REVERTER TENDÊNCIA DE QUEDA DE NÚMERO DE INFECTADOS PELA COVID-19

Por Igor Jácome, G1 RN

 

Vice-governador do RN, Antenor Roberto — Foto: ReproduçãoVice-governador do RN, Antenor Roberto

“A permanecer essa conduta, nós vamos ter o mesmo destino das capitais vizinhas, que estados vizinhos tiveram, que é o chamado efeito sanfona. A governadora já disse que se voltarmos a índices de periculosidade da incapacidade dos leitos suportarem a pressão, ela não titubeará em voltar a proclamar novo endurecimento de regras”, afirmou o vice-governador do Rio Grande do Norte, Antenor Roberto, sobre a possibilidade de crescimento no número de infectados por Covid-19 ao longo dos próximos 15 dias no estado.

Durante o fim de semana, aglomerações foram registradas em várias áreas de orla marítima de Natal e do interior do estado. Na praia de Ponta Negra, a Polícia Militar dispersou uma multidão que realizava uma festa no calçadão, no final da tarde deste domingo (19). Nesta segunda (20), o governo subiu o tom e também cobrou fiscalização por parte das prefeituras. Além da capital, foram registradas aglomerações na praia de Cotovelo, em Parnamirim, na região metropolitana, e Tibau, no Oeste potiguar.

“Depois de todo esse esforço feito, esse comportamento em sociedade nos impressiona por falta de empatia. Quantos profissionais de saúde, da segurança pública já se sacrificaram. É uma atitude de muito pouco compromisso com o próximo. Essa conduta social de não respeitar as regras merece toda nossa repulsa e indignação. E as prefeituras que anteciparam decretos para reabertura dos comércios, as prefeituras que foram à Justiça dizer que era delas a competência sobra a orla marítima, sobre transporte coletivo, e horário de funcionamento comércio, onde estão essas prefeituras?”, questionou o vice-governador.

De acordo com Antenor Roberto, os municípios que não podem usar o argumento de baixo efetivo de guardas municipais e servidores para justificar a ausência de fiscalização porque “há meses” o estado propõe ações conjuntas através do programa Pacto Pela Vida, com apoio das forças de segurança às secretarias municipais.

As aglomerações foram o tema central, nesta segunda (20), na entrevista coletiva realizada diariamente pelo governo sobre o combate ao coronavírus. De acordo com Alessandra Lucchesi, subcoordenadora de Vigilância, da Secretaria Estadual de Saúde, o estado vive um momento com tendência de queda da incidência da doença, mas o efeito pode ser revertido com as aglomerações.

“Com esse número de pessoas desprotegidas, expostas, o risco de contágio aumenta. Não necessariamente o contágio vai acontecer, mas o risco de transmissão é muito maior. Se as aglomerações começam a ter uma frequência maior, infelizmente, a tendência é que daqui a uns 15 dias a gente venha perceber novamente um aumento de casos. O efeito dessas aglomerações tendem a se apresentar de maneira mais expressiva no cenário nos próximos 15 dias”, reforçou ela durante a entrevista.

O secretário de Segurança do Estado, Francisco Araújo, afirmou que a Polícia Militar dispersou a aglomeração na praia de Ponta Negra, após a festa ter sido flagradas pelas câmeras de monitoramento da região. Apesar disso, ninguém foi detido ou multado por descumprir as medidas de distanciamento e uso de máscaras. De acordo com ele, a fiscalização cabe à prefeituras e as forças de segurança do estado estão à disposição das secretarias municipais.

Responsável pelo programa Pacto Pela Vida, o secretário de Relações Institucionais, Fernando Mineiro, também cobrou ação das prefeituras e entidades empresariais. “Nós precisamos manter os protocolos para que não haja retrocesso no processo de reabertura das atividades econômicas. E é preocupante a gente assistir várias pessoas com aglomerações. Ontem [domingo, 19] ficou claro que a política de distanciamento social precisa voltar a funcionar e por isso o governo vem fazer um alerta tanto para as prefeituras como aos setores empresariais para manter os protocolos em dia”, declarou.

“Não é porque está havendo um processo de retomada da economia que nós podemos dizer que a pandemia está controlada. Não está controlada. É preciso ter todos os cuidados, mais do que nunca, para que não haja retrocesso”, acrescentou Mineiro.

Retomada econômica

Para a próxima quarta-feira (22) é prevista a reabertura de shoppings, centros comerciais e galerias de lojas desde que sem ar-condicionado, dentro da segunda fração da segunda etapa da reabertura gradual da economia. Também poderão abrir estabelecimentos com tamanho superior a 600 m² com “porta para a rua”.

O processo de reabertura começou no dia 1º de julho e foi interrompido na segunda semana do mês porque as metas de disponibilidade de leitos estabelecida pelo governo não tinham sido cumpridas. O plano foi retomado no dia 15 com a reabertura dos estabelecimentos previstos na segunda fração da primeira etapa e na primeira fração da segunda etapa de reabertura.

Um dos critérios analisados pelo governo é a ocupação dos leitos de UTI voltados para pacientes de Covid-19. A taxa estava acima de 86% na manhã desta segunda (20), quando o “nível de segurança” para o poder Executivo é de 80%.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo AGLOMERAÇÃO REGISTRADA NO FIM DE SEMANA PODE REVERTER TENDÊNCIA DE QUEDA DE NÚMERO DE INFECTADOS PELA COVID-19

FALA DA MINISTRA DAMARES EM REUNIÃO MINISTERIAL, VIRA ALVO DE DENÚNCIA POR PARTE DA PGR

STF envia notícia-crime à PGR sobre fala de Damares em reunião ministerial

Da CNN

17 de julho de 2020 às 22:09

O Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhou nesta sexta-feira (17) à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma notícia-crime para apurar a fala da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, durante a reunião ministerial que aconteceu no dia 22 de abril no Palácio do Planalto.

Na ocasião, Damares disse que pediria a prisão de governadores e prefeitos que tomassem medidas drásticas no combate à pandemia do novo coronavírus.

O envio de notícia-crime é uma etapa processual de praxe, e não precisa de uma análise prévia do relator — nesse caso, a ministra Carmen Lúcia.

Agora, a PGR vai avaliar se há elementos suficientes para abertura de inquérito.

A ministra ainda não se pronunciou.

Fonte: CNN

Continuar lendo FALA DA MINISTRA DAMARES EM REUNIÃO MINISTERIAL, VIRA ALVO DE DENÚNCIA POR PARTE DA PGR

SEM REVELAR TEOR DA CONVERSA COM GILMAR MENDES, BOLSONARO DÁ POR ENCERRADO ASSUNTO DAS CRÍTICAS ÀS FORÇAS ARMADAS

Bolsonaro diz que falou com Gilmar sobre críticas e que assunto está ‘encerrado’

Bernardo Barbosa, da CNN em São Paulo

 Atualizado 16 de julho de 2020 às 21:46

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (16) ter conversado com o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), sobre as críticas feitas pelo magistrado à atuação do Ministério da Saúde durante a pandemia de Covid-19 e à declaração de que o Exército estaria se associando a um “genocídio”. Segundo Bolsonaro, de sua parte, o assunto está encerrado.

“Qualquer crítica construtiva é bem-vinda. Essa questão do ministro Gilmar Mendes, teve uma nota do ministro da Defesa no tocante a isso, e da minha parte eu dou por encerrado isso aí. Eu deixo lá com o ministro Fernando Azevedo e o ministro Gilmar Mendes”, disse o presidente durante sua live semanal nas redes sociais.

Bolsonaro afirmou que conversou com Gilmar Mendes por telefone depois das críticas do ministro do STF, mas não relatou o que foi tratado na conversa.

“Eu conversei com Gilmar Mendes por telefone sobre o episódio, desculpe aqui não revelar o teor da conversa, mas conversei com ele. Ato contínuo, houve um contato entre o ministro Gilmar Mendes e o ministro Pazuello, conversaram também. E o que nos queremos é solução”, declarou o presidente.

Na mesma live, Bolsonaro defendeu a permanência de Pazuello no governo. O ministro interino, no entanto, já apresentou ao presidente três cenários para sua saída do Ministério da Saúde, revelaram hoje (16) o âncora Kenzô Machida e a analista Thais Arbex.

Ontem (15), Pazuello telefonou para Mendes, segundo apuração dos analistas da CNN Renata Agostini e Igor Gadelha. Segundo interlocutores de Pazuello, na conversa, o general elencou algumas ações da pasta no combate ao coronavírus e se colocou à disposição para passar mais detalhes, caso o ministro do STF tivesse interesse. A pessoas próximas, Mendes disse ter sido uma conversa “cordial”. A operação de aproximação contou com orientação de integrantes do Palácio do Planalto, interessados em baixar a temperatura.

O ministro do STF fez as críticas no sábado (11). O Ministério da Saúde está sem titular há quase dois meses, desde a saída de Nelson Teich. Desde então, está sendo comandado interinamente por Eduardo Pazuello, um general da ativa do Exército.

“Isto é ruim, é péssimo para a imagem das Forças Armadas. É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a esse genocídio. Não é razoável para o Brasil. É preciso por fim a isso”, afirmou Mendes.

Antes dos contatos de Bolsonaro e Pazuello com Gilmar Mendes, militares reagiram publicamente às declarações do ministro do Supremo.

Na segunda-feira (13), o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e os comandantes das três Forças Armadas, Edson Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antonio Carlos Moretti (Aeronáutica), divulgaram uma nota de repúdio às declarações de Mendes, noticiou o âncora da CNN Caio Junqueira. “Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e sobretudo leviana”, disseram.

No dia seguinte, o Ministério da Defesa entrou com uma representação na PGR (Procuradoria-Geral da República) alegando que o ministro do STF violou a Lei de Segurança Nacional, além de supostamente ter cometido crimes previstos nos Códigos Penal e Penal Militar, apurou o âncora da CNN Daniel Adjuto.

Em entrevista exclusiva à analista da CNN Basília Rodrigues, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), um general da reserva, cobrou publicamente uma retratação de Mendes.

Em paralelo, as Forças Armadas pressionam o Palácio do Planalto e Pazuello para que decidam se ele será efetivado no cargo na pasta ou se retorna para o serviço ativo do Exército, mostrou apuração do âncora Caio Junqueira e da analista da CNN Thais Arbex.

Nos bastidores, antes de o Ministério da Defesa ir à PGR, aliados de Bolsonaro tentaram minimizar desconfortos entre o governo e Gilmar Mendes, apurou a âncora da CNN Daniela Lima. O objetivo era tentar distanciar o presidente da reação dos militares.

Gilmar não voltou atrás nas críticas. Na terça-feira (14), afirmou em live do site Jota que suas declarações tinham como objetivo defender o papel institucional das Forças Armadas, para que não se envolvessem em política.

Ontem (15), aliados do ministro do STF apostavam que a PGR iria arquivar a representação contra o magistrado, e que ministros do Supremo não autorizariam a abertura de um inquérito contra o ministro — o que levaria o embate a morrer “por inação”, apurou o analista da CNN Igor Gadelha.

Fonte: CNN

Continuar lendo SEM REVELAR TEOR DA CONVERSA COM GILMAR MENDES, BOLSONARO DÁ POR ENCERRADO ASSUNTO DAS CRÍTICAS ÀS FORÇAS ARMADAS

SAÚDE: GOVERNO DE CUBA RECOMENDA HIDROXICLOROQUINA PARA TRATAMENTO DO COVID-19

Cuba recomenda cloroquina. Boulos, que espalhou fake news sobre “vacina cubana”, e agora?

(veja o vídeo)

Augusto Nunes no programa Pingos nos IS acaba de revelar que o Governo ditador comunista de Cuba “…usa hidroxicloroquina para acabar com o vírus da China”.

Há meses o Governo de Cuba recomenda o uso da hidroxicloroquina para tratamento da COVID-19.

A posologia do medicamento está descrita nos dois documentos oficiais do governo para enfrentamento da doença em Cuba. Apenas recentemente virou notícia em um site autorizado pela ditadura comunista de Cuba.

Na página do Ministério de Saúde Pública de Cuba está disponível o protocolo oficial.

O Boulos foi aquele, que no início da pandemia disse que Cuba tinha desenvolvido uma vacina (notícia falsa). Ele como todo esquerdista é avesso ao uso da Hidroxicloroquina.

E agora, Boulos? Explique-nos. Vai negar o remédio de CUBA?

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo SAÚDE: GOVERNO DE CUBA RECOMENDA HIDROXICLOROQUINA PARA TRATAMENTO DO COVID-19

FLÁVIO BOLSONARO DEPÕE SOBRE SUPOSTO ESQUEMA DE RACHADINHA EM SEU ANTIGO GABINETE

Flávio Bolsonaro depõe em investigação sobre suposta ‘rachadinha’ em gabinete

Por Fernando Molica, CNN  

 Atualizado 07 de julho de 2020 às 20:36

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) depôs nesta terça-feira (7), a promotores do Ministério Público do Rio que investigam um suposto esquema de “rachadinhas” em seu antigo gabinete, na Assembleia Legislativa do Rio.

No fim de junho, a 3ª Câmara Criminal do Rio determinou que o caso de Flávio saísse da primeira instância e fosse para o Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio. O MP do Rio recorreu da decisão ao Supremo Tribunal Federal e insistiu em ouvir o senador.

Em nota, a defesa de Flávio Bolsonaro disse que pediu o depoimento do senador ao Ministério Público do Rio.

“O depoimento atende a pedido feito pela defesa, que quer restabelecer a verdade. O conteúdo da audiência, no entanto, está em segredo de Justiça e será preservado”, diz a nota.

Ainda segundo a defesa, a mulher do senador, Fernanda Bolsonaro, não prestará depoimento. Ela havia sido intimada a depor.

“A defesa do senador reafirma que Flávio Bolsonaro não praticou qualquer irregularidade e que confia na Justiça”, afirmam os advogados.

Fonte: CNN

Continuar lendo FLÁVIO BOLSONARO DEPÕE SOBRE SUPOSTO ESQUEMA DE RACHADINHA EM SEU ANTIGO GABINETE

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar