Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

SEGUNDO ESTUDO, A CHINA EMITIU MAIS GASES QUE PROVACAM O ESFEITO ESTUFA QUE TODOS OS PAÍSES DESENVOLVIDOS JUNTOS

China polui mais que todos países desenvolvidos juntos, diz pesquisa

Emissões do país mais que triplicaram nas últimas três décadas, constituindo 27% de tudo que foi registrado em escala global

China polui mais que todos países desenvolvidos juntos, diz pesquisa

STR/AFP – 4.5.2021

A China foi o país que mais emitiu gases que provocam o efeito estufa no ano de 2019, em valor que é maior do que todos os países desenvolvidos juntos, mostrou um estudo publicado pelo Rhodium Group nesta quinta-feira (6).

Segundo o grupo independente, as emissões do país mais que triplicaram nas últimas três décadas, constituindo 27% de tudo que foi registrado em escala global. Os Estados Unidos aparecem na segunda posição, com 11%, seguidos pela Índia (6,6%). Os 27 países da União Europeia somam juntos 6,4% das emissões dos gases tóxicos.

Os principais seis gases poluentes emitidos, entre eles, o dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, aumentaram para 14,09 bilhões de toneladas em 2019. O número supera a soma dos dados de todos os 37 países que fazem parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em cerca de 30 milhões de toneladas.

No entanto, ao analisar a história, as nações da OCDE ainda são as maiores responsáveis pela emissão dos gases tóxicos, tendo emitido cerca de quatro vezes mais poluentes do que a China desde 1750.

“A história da China como principal fonte de emissão é relativamente curta em relação aos países desenvolvidos, muitos dos quais tiveram mais de um século de vantagem. O atual aquecimento global é resultado das emissões do passado recente e do mais longínquo”, destacam os especialistas no documento.

Os resultados do relatório ainda vem na esteira da cúpula sobre o clima convocada por Joe Biden em abril. Naquele momento, o presidente da China, Xi Jinping, confirmou que o país atingirá o pico de emissões até 2030 e, a partir de então, começará a cair até atingir a neutralidade em 2060.

Xi informou que a China irá controlar a produção energética através de carvão, extremamente poluente, que será limitada nos próximos cinco anos, com reduções sucessivas.

Fonte: R7
Continuar lendo SEGUNDO ESTUDO, A CHINA EMITIU MAIS GASES QUE PROVACAM O ESFEITO ESTUFA QUE TODOS OS PAÍSES DESENVOLVIDOS JUNTOS

BOAS NOTÍCIAS: NÚMEROS DE PESQUISA SOBRE CRENÇA DOS BRASILEIROS NA VACINA CONFIRMAM QUEDA DO NEGACIONISMO

BOAS NOTÍCIAS: NÚMEROS DE PESQUISA SOBRE CRENÇA DOS BRASILEIROS NA VACINA CONFIRMAM QUEDA DO NEGACIONISMO
Campanha da gripe encerra em dez dias; 232 mil pessoas ainda não compareceram. Foto: Daniel Castellano / SMCS

Começa a se firmar a convicção dos brasileiros sobre a importância de se vacinar depois de um terceira onda fortíssima, que chegou a triplicar o número de mortes/dia no Brasil. Uma nova pesquisa de opinião detectou que 84% da população quer se vacinar. Veja os dados da pesquisa e sua evolução com relação as anteriores.

84% dos brasileiros agora querem se vacinar: negacionismo em queda?

A ficha do brasileiro está caindo e pelo jeito, o negacionismo vai entrando em descrédito depois de tantas mortes. Nova pesquisa Datafolha revela que aumentou o número de pessoas que querem ser vacinadas no Brasil e, por outro lado, várias daquelas que se recusavam a receber a vacina agora admitem a possibilidade.

Subiu para 84% o percentual da nossa população que quer ser vacinada. Em janeiro eram 79%, aumento de 5 pontos percentuais em dois meses.

Já o percentual de pessoas que recusavam a vacina e diziam que não iriam se imunizar de jeito algum também caiu. Eram 17% em janeiro, agora são 9%, redução de 8 pontos percentuais. Os que não sabiam responder eram 4%, agora são 2%.

E as mulheres são as mais conscientes nesse momento crítico da saúde pública: 86% delas querem se vacinar, contra 82% dos homens.

Motivo

A mudança na cabeça do brasileiro acontece à medida que a covid-19 se alastra de forma desenfreada e descontrolada pelo Brasil – atual campeão mundial de mortes por dia – e mata amigos, ídolos e familiares.

Só neste sábado, 20, morreram 2.438 pessoas, segundo o Ministério da Saúde. Em um ano a doença já acabou com mais de 292 mil vidas apenas no nosso país.

Renda e escolaridade

A pesquisa Datafolha, feita entre os dias 15 e 16 março de 2021 em todas as regiões do país, com 2.023 brasileiros – com margem de erro de dois pontos percentuais – foi divulgada neste domingo, 21, pelo jornal Folha de São Paulo.

O levantamento mostra que os brasileiros que ganham mais e têm mais estudo são mais conscientes, ou seja, a intenção de se vacinar é maior de acordo com os níveis de renda e escolaridade.

Entre os brasileiros que estudaram até o ensino fundamental, o percentual que pretende se vacinar é de 81%. Percentual que sobe para 86% dos que concluíram o ensino superior.

Entre os brasileiros que ganham até 2 salários mínimos, o percentual é de 84%, enquanto entre os que recebem mais de 10 salários, 88% querem se vacinar.

Bolsonaro

A pesquisa mostra que muita gente ainda se deixa levar pelas ideias negacionistas do presidente da república.

Entre os que avaliam como bom ou ótimo (76%) o governo Bolsonaro, o desejo de se vacinar é menor.

Já entre os que avaliam como ruim ou péssimo o governo, o percentual dos que pretendem se vacinar é maior: 89%, ante 84% na média da população.

Vacinação obrigatória

O levantamento também questionou os entrevistados se a vacinação contra o coronavírus deveria ser obrigatória ou não no Brasil – o presidente Bolsonaro defende que não seja obrigatória.

E os números mostram que a mentalidade da população está mudando: Em janeiro 55% achavam que a vacinação deveria ser obrigatória. Agora são 70%.

Também em janeiro, 44% diziam que a vacinação não deveria ser obrigatória. Agora esse percentual caiu para 30%.

Vacinados

Até este sábado, 5,54% da população brasileira – 11.721.357 de pessoas – havia recebido a primeira dose da vacina contra a Covid-19, segundo o consórcio de veículos de imprensa.

A segunda dose foi aplicada em 1,96% (4.140.109 milhões).

Até o momento, o país conta apenas com 2 vacinas: a de Oxford e a CoronaVac.

Com informações do G1

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: NÚMEROS DE PESQUISA SOBRE CRENÇA DOS BRASILEIROS NA VACINA CONFIRMAM QUEDA DO NEGACIONISMO

CIÊNCIAS: UM NOVO ESTUDO DEMONSTROU QUE NÍVEIS MAIS ELEVADOS DE VITAMINA D REDUZEM O RISCO DE INFECÇÃO NA POPULAÇÃO NEGRA

Uma nova pesquisa que relaciona a suscetibilidade de contrair a covid-19 aos níveis de vitamina D no organismo é o destaque da coluna CIÊNCIAS desta segunda-feira. O referido estudo mostra que níveis mais elevados de ‘vitamina do sol’ reduzem o risco de infecção na população negra, que normalmente possui níveis mais baixos desta vitamina porque ter mais melanina em sua pele reduzindo assim sua capacidade de sintetizar vitamina D do sol. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes desta pesquisa!

Suplementos de vitamina D protegem pessoas negras contra COVID-19, de acordo com uma nova pesquisa

Um novo estudo revelou que níveis mais elevados de ‘vitamina do sol’ reduzem o risco de infecção na população negra.

Quase metade dos americanos são deficientes em vitamina D, de acordo com David O. Meltzer, MD, PhD, chefe de medicina hospitalar da University of Chicago Medicine. Porém, mais de três quartos das pessoas com pele mais escura têm baixos níveis desse nutriente crucial.

Ele se inspirou a examinar os dados sobre os casos da Covid-19, depois de ver um artigo há mais de um ano relatando que as pessoas que tomavam suplementos de vitamina D tinham taxas muito mais baixas de infecções respiratórias virais.

O estudo analisou mais de 3.000 pacientes na cidade que tiveram sua vitamina D medida dentro de duas semanas de um teste de Covid-19.

Níveis de pelo menos 30 ng / ml (nanogramas por mililitro) são geralmente considerados “suficientes”, mas os participantes negros com esse nível de vitamina D tinham risco duas vezes e meia maior de pegar Covid do que aqueles que tinham 40 ng / ml ou mais.

Eles tinham 7,2 por cento de chance de teste positivo para o vírus – 2,64 vezes maior do que a população em geral.

A vitamina D pode ser obtida comendo gema de ovo, salmão ou carne ou tomando suplementos, mas também é produzida naturalmente pelo corpo quando a pele é exposta à luz solar.

Pessoas com pele mais escura são mais frequentemente deficientes porque ter mais melanina em sua pele reduz sua capacidade de sintetizar vitamina D do sol.

As descobertas publicadas no JAMA Open Network são baseadas em um estudo anterior que sugere que menos de 20 ng / ml de vitamina D aumenta o risco de Covid.

Outro estudo recente mostrou que mais de oito em dez pacientes com coronavírus eram deficientes em vitamina D.

“Isso apóia os argumentos para a elaboração de ensaios clínicos que podem testar se a vitamina D pode ou não ser uma intervenção viável para reduzir o risco da doença, especialmente em pessoas de cor”, disse o Dr. Meltzer, o principal autor do estudo.

Os suplementos são relativamente seguros de tomar – e, atualmente, a ingestão alimentar recomendada para adultos de vitamina D é de 600 a 800 UI por dia (15 a 20 microgramas). O NHS na Grã-Bretanha recomenda tomar 10 microgramas de vitamina D todos os dias no inverno – o equivalente a um filé de salmão – para manter os ossos e músculos saudáveis.

Mas eles atualizaram seus conselhos, já que os bloqueios estão levando os britânicos para dentro de casa.

“A National Academy of Medicine disse que tomar até 4.000 UI por dia é seguro para a grande maioria das pessoas”, acrescenta Meltzer.

Um dos desafios do estudo atual é que é difícil determinar exatamente como a vitamina D pode estar apoiando a função imunológica.

O Dr. Meltzer disse: “Este é um estudo observacional. Podemos ver que há uma associação entre os níveis de vitamina D e a probabilidade de um diagnóstico de Covid-19.

“Mas não sabemos exatamente por que isso acontece, ou se esses resultados se devem diretamente à vitamina D ou a outros fatores biológicos relacionados.”

Motivados pelas novas evidências, os pesquisadores agora estão conduzindo dois estudos para saber se tomar um suplemento diário pode ajudar a prevenir Covid-19 ou diminuir a gravidade de seus sintomas – e o secretário de Saúde britânico, Matt Hancock, reverteu suas crenças anteriores e perguntou à Saúde Pública da Inglaterra para “revisar novamente as evidências existentes sobre a ligação entre a Covid-19 e a vitamina D.”

Continuar lendo CIÊNCIAS: UM NOVO ESTUDO DEMONSTROU QUE NÍVEIS MAIS ELEVADOS DE VITAMINA D REDUZEM O RISCO DE INFECÇÃO NA POPULAÇÃO NEGRA

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: UMA PESQUISA QUE PODE LHE DAR UM NORTE NO RELACIONAMENTO COM SEU CHEFE

Uma pesquisa feita com trabalhadores de escritório americanos é o destaque, aqui na coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL e revelou que eles preferem receber mais feedback de seus gerentes do que dinheiro. A Onepoll, realizadora da pesquisa em nome da Motisovity deu um mergulho no relacionamento desses trabalhadores com seus chefes e o resultado foi surpreendente. Então, leia o artigo completo a seguir e descubra como se relacionar melhor com seus superiores hierárquicos!

Chefes admiráveis ​​levam a funcionários mais produtivos, afirma pesquisa

Os trabalhadores de escritório americanos preferem receber mais feedback de seus gerentes do que mais dinheiro, revelou uma nova pesquisa.

A pesquisa com 2.000 americanos examinou o papel vital que os relacionamentos entre gerente e trabalhador desempenham no local de trabalho.

Mais de um terço dos entrevistados são trabalhadores de escritório (muitos dos quais agora estão trabalhando em casa devido à pandemia). Eles listaram mais feedback sobre seu papel como a coisa número um (53%) que eles querem ver mais de seu chefe, superando a remuneração extra (48%) e comunicação mais honesta (48%).

A pesquisa, conduzida pela OnePoll em nome da Motivosity, deu um mergulho em nosso relacionamento com nossos chefes.

Os resultados revelaram que, dos entrevistados que já trabalharam (78%), sete em cada dez admiram um de seus gerentes como modelo.

No que diz respeito às principais qualidades que os entrevistados apreciam em um chefe, a atitude positiva encabeça a lista com 46%.

Habilidades de comunicação (46%) e habilidades organizacionais (43%) também chegaram entre as três primeiras.

Logan Mallory, vice-presidente de marketing da Motivosity disse: “Os gerentes são a chave para as grandes culturas da empresa. Eles afetam a forma como as pessoas se sentem ao ir trabalhar todos os dias. Essencialmente, 46% de sua equipe está pedindo líderes que tragam uma atitude positiva para o trabalho e se comuniquem de forma consistente. Isso requer uma abordagem intencional e as ferramentas certas, mas não requer orçamentos enormes ou anos de treinamento. ”

Uma influência positiva, como um chefe admirável, pode ter uma influência de longo prazo, pois 71% dos entrevistados disseram que seus modelos influenciam seu comportamento diariamente.

A pessoa média tem quatro modelos em sua vida, e variam de membros da família como mães (59%), pais (61%) e avós (44%) a pessoas que os entrevistados nunca conheceram.

Além das relações pessoais, 45% dos entrevistados disseram admirar uma figura histórica e dois em cada cinco (42%) admiram um escritor.

Quarenta por cento têm um político como motivador, enquanto mais de um terço (35%) admira um ativista e 38% consideram um diretor ou ator digno de elogio.

“Os membros da equipe se esforçam ao máximo quando trabalham para alguém que respeitam e confiam”, disse Logan Mallory, da Motivosity. “Os melhores gerentes agem mais como treinadores: defina as prioridades certas, faça check-in com 1 a 1 consistente e adote uma abordagem consultiva em vez de ser diretivo. Se os gerentes fizerem isso e garantirem que o trabalho diário de sua equipe seja notado e apreciado, fará toda a diferença. ”

PRINCIPAIS COISAS QUE OS TRABALHADORES QUEREM MAIS DE SEUS CHEFES

  1. Mais feedback sobre sua função 53%
  2. Mais dinheiro 48%
  3. Comunicação mais honesta 48%
  4. Título superior 47%
  5. Mais apreciação 41%
  6. Mais reconhecimento 41%
  7. Reuniões individuais mais frequentes 40%
  8. Mais responsabilidades 38%
  9. Mais transparência na direção da empresa 38%
  10. Mais disposição para ouvir meus comentários / preocupações 21%

PRINCIPAIS COISAS QUE OS TRABALHADORES QUEREM MENOS DE SEUS CHEFES

  1. Menos reuniões inúteis 55%
  2. Menos emergências de última hora 47%
  3. Menos microgestão 40%
  4. Menos solicitações para que eu trabalhe até tarde / horas extras 32%

Fonte: Good News Network

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: UMA PESQUISA QUE PODE LHE DAR UM NORTE NO RELACIONAMENTO COM SEU CHEFE

DICA DE LIVRO: VOCÊ É O PLACEBO DO DR. JOE DISPENZA

Nesta quarta-feira a nossa DICA DE LIVRO é “Você é o placebo” do Dr. Joe Dispenza. Neste curioso e intrigante livro o autor mostra que é possível curar apenas pelo pensamento, sem drogas ou cirurgia. Algo que acredito e divulgo no meu livro “Coração, Intuição e Gratidão, um atalho para a vida plena. A verdade é que isso acontece mais do que você imagina. Em Você é o placebo, Dr. Joe Dispenza compartilha diversos casos documentados de pessoas que reverteram doença cardíaca, depressão, artrite incapacitante e até mesmo os tremores da doença de Parkinson por acreditar em um placebo. Também relata casos de pessoas que ficaram doentes e até mesmo morreram vítimas de feitiço e praga vodu ou após o diagnóstico errado de uma doença fatal.

Dr. Joe lança uma pergunta: “É possível ensinar os princípios do placebo e, sem depender de qualquer substância externa, produzir as mesmas alterações internas na saúde de uma pessoa e, em última instância, em sua vida?”. A seguir, compartilha evidências científicas (incluindo varreduras cerebrais em imagem colorida) de curas espantosas ocorridas em seus workshops, nos quais os participantes aprendem a utilizar seu modelo de transformação pessoal, baseado na aplicação prática do chamado efeito placebo. O livro termina com uma meditação para a mudança das crenças e percepções que nos detêm – o primeiro passo para a cura.

Você é o placebo combina as mais recentes pesquisas em neurociência, biologia, psicologia, hipnose, condicionamento comportamental e física quântica para desmistificar o funcionamento do efeito placebo e mostrar como o aparentemente impossível pode se tornar possível.

Fonte: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: VOCÊ É O PLACEBO DO DR. JOE DISPENZA

CIÊNCIAS: UTILIZANDO CÉLULAS-TRONCO DO PRÓPRIO PACIENTE CIENTISTAS REPARAM COM SUCESSO A MEDULA ESPINHAL FERIDA

Uma descoberta incrível, feita por pesquisadores da Universidade de Yale e do Japão é o destaque deste sábado, aqui na coluna CIÊNCIAS. Pacientes que sofreram lesões não penetrantes na medula espinhal, através de injeção intravenosa de células-tronco derivadas da medula óssea é capaz  de restaurar a função após uma lesão no cérebro e na medula espinhal. Foram observadas melhorias substanciais em funções-chave – como a capacidade de andar ou usar as mãos em mais da metade dos pacientes estudados, semanas após a injeção de células-tronco, relatam os pesquisadores. Então, você não pode deixar de ler esse artigo sensacional, pois estamos nos aproximando muito da cura permanente da paraplegia.

Cientistas de Yale reparam com sucesso a medula espinhal ferida usando células-tronco dos próprios pacientes

A injeção intravenosa de células-tronco derivadas da medula óssea em pacientes com lesões na medula espinhal levou a uma melhora significativa nas funções motoras, relataram pesquisadores da Universidade de Yale e do Japão.

Para mais da metade dos pacientes estudados, melhorias substanciais em funções-chave – como a capacidade de andar ou usar as mãos – foram observadas semanas após a injeção de células-tronco, relatam os pesquisadores. Nenhum efeito colateral substancial foi relatado.

Os pacientes sofreram lesões não penetrantes na medula espinhal, em muitos casos de quedas ou traumas leves, várias semanas antes da implantação das células-tronco. Seus sintomas envolviam perda da função motora e coordenação, perda sensorial, bem como disfunção intestinal e da bexiga.

As células-tronco foram preparadas a partir da própria medula óssea dos pacientes, por meio de um protocolo de cultura que durou algumas semanas em um centro especializado de processamento de células. As células foram injetadas por via intravenosa nesta série, com cada paciente servindo como seu próprio controle. Os resultados não foram cegos e não houve controles com placebo.

Os cientistas de Yale  Jeffery D. Kocsis e  Stephen G. Waxman foram os principais autores do estudo – que foi realizado com pesquisadores da Sapporo Medical University, no Japão – com os resultados publicados no mês passado no Journal of Clinical Neurology and Neurosurgery.

MAIS: A meta de abundantes transplantes de órgãos se aproxima da realidade à medida que os cientistas criam pequenos fígados funcionais a partir de células da pele

Kocsis e Waxman enfatizam que estudos adicionais serão necessários para confirmar os resultados deste estudo preliminar não cego. Eles também enfatizam que isso pode levar anos. Apesar dos desafios, eles permanecem otimistas.

 Resultados semelhantes com células-tronco em pacientes com acidente vascular cerebral aumentam nossa confiança de que esta abordagem pode ser clinicamente útil”, observou Kocsis. “Este estudo clínico é o culminar de um extenso trabalho de laboratório pré-clínico usando MSCs entre colegas de Yale e Sapporo ao longo de muitos anos.”

 A ideia de que podemos ser capazes de restaurar a função após uma lesão no cérebro e na medula espinhal usando as células-tronco do próprio paciente nos intrigou por anos”, disse Waxman. “Agora temos uma dica, em humanos, de que pode ser possível.”

Fonte: YaleNews

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: UTILIZANDO CÉLULAS-TRONCO DO PRÓPRIO PACIENTE CIENTISTAS REPARAM COM SUCESSO A MEDULA ESPINHAL FERIDA

BOAS NOTÍCIAS: EM MEIO A PANDEMIA SAI O RANKING DAS 100 EMPRESAS COM MELHOR REPUTAÇÃO NO BRASIL

Em meio a, talvez, maior crise pandêmica e econômica de todos os tempos em toda a humanidade e de tantas notícias tristes e negativas, uma pesquisa avaliou as 100 empresas com melhor reputação no Brasil. Esse é o destaque da nossa coluna BOAS NOTÍCIAS desta sexta-feira, que tenho prazer de trazer ao seu conhecimento. Então conheça a seguir o ranking das 100 empresas com melhor reputação no Brasil durante a pandemia.

Ranking: 100 empresas com melhor reputação no Brasil na pandemia

Muitas empresas ajudaram o povo brasileiro durante esta pandemia com doações, produção e dinheiro. E resultado dessa responsabilidade social fica marcado na cabeça das pessoas.

As 100 empresas melhor avaliadas pelos brasileiros estão no ranking da 7ª edição da pesquisa de campo Monitor Empresarial de Reputação Corporativa (Merco), divulgada pela revista Exame.

O levantamento, feito entre julho e dezembro de 2020, com 2.366 entrevistados, traz nas primeiras posições a Natura, a Ambev, o Magazine Luiza, o Grupo Boticário e o Bradesco. (veja lista baixo)

O ranking este ano teve movimentações fortes tanto de crescimento como de queda de posições, com destaque para o iFood que subiu 63 posições e chegou ao 35º lugar, seguido por Cacau Show, de 99ª para 37ª e BRF, que subiu 54 posições e foi de 82ª para 28ª colocada.

Lylian Brandão, diretora geral da Merco Brasil, disse essas empresas tiveram o compromisso de manter os negócios em ordem durante a pandemia da Covid-19 sem deixar de lado a responsabilidade corporativa e social.

“Essas ações tiveram ainda mais relevância no ano passado. Além disso, um destaque do ranking é o protagonismo das empresas brasileiras no TOP 5”.

A Merco destacou também os 100 líderes com melhor reputação no país e teve um recorde de 12 mulheres na lista.

Veja o ranking das 100 mais:

20202019EMPRESASETOR
11NATURACOSMÉTICOS E PERFUMARIA
22AMBEVBEBIDAS
310MAGAZINE LUIZAVAREJO
44GRUPO BOTICÁRIOCOSMÉTICOS E PERFUMARIA
58BRADESCOSERVIÇOS FINANCEIROS
65GOOGLEINDÚSTRIA DIGITAL
73ITAÚ UNIBANCOSERVIÇOS FINANCEIROS
86NESTLÉALIMENTOS
911COCA COLABEBIDAS
109TOYOTAINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
1114HOSPITAL-SÍRIO LIBANÊSSERVIÇOS DE SAÚDE
1221RENNERVAREJO DE MODA
1328PORTO SEGUROSEGUROS
1438MERCADO LIVREINDÚSTRIA DIGITAL
1515UNILEVERBENS DE CONSUMO
1617AVONCOSMÉTICOS E PERFUMARIA
1745LOJAS AMERICANASVAREJO
1812NETFLIXENTRETENIMENTO
1920GERDAUMINERAÇÃO, SIDERURGIA E METALURGIA
2019MICROSOFTTECNOLOGIA
2113VOLKSWAGENINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
2218HOSPITAL ALBERT EINSTEINSERVIÇOS DE SAÚDE
2327P&GBENS DE CONSUMO
2440AMAZONINDÚSTRIA DIGITAL
2523SANTANDERSERVIÇOS FINANCEIROS
2633GPAVAREJO
277APPLEELETROELETRÔNICOS
2882BRFALIMENTOS
2924JOHNSON & JOHNSONBENS DE CONSUMO
3055ALPARGATASROUPAS, CALÇADOS E ACESSÓRIOS
3122HONDAINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
3235MCDONALD´SRESTAURANTES
3346VIVOTELECOMUNICAÇÕES
3425SAMSUNGELETROELETRÔNICOS
3598IFOODINDÚSTRIA DIGITAL
3641BAYERINDÚSTRIA FARMACÊUTICA
3799CACAU SHOWALIMENTOS
3842NUBANKSERVIÇOS FINANCEIROS
3943BANCO DO BRASILSERVIÇOS FINANCEIROS
4047CIELOMEIOS DE PAGAMENTO
4144CARREFOURVAREJO
4288SUZANOMADEIRA, PAPEL E CELULOSE
4329EMBRAERAVIAÇÃO
4464PEPSICOALIMENTOS
4536LATAMTRANSPORTE E LOGÍSTICA
4649ADIDASROUPAS, CALÇADOS E ACESSÓRIOS
4753PETROBRASENERGIA
4831TRAMONTINABENS DE CONSUMO
4932HEINEKENBEBIDAS
5030FIATINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
5116DANONEALIMENTOS
5226MERCEDES BENZINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
5359CASAS BAHIAVAREJO
5456IBMTECNOLOGIA
5537IPIRANGAENERGIA
5695AZULTRANSPORTE E LOGÍSTICA
57VISAMEIOS DE PAGAMENTO
58783MQUÍMICA E PETROQUÍMICA
5975JBSALIMENTOS
6066CAIXA ECONÔMICA FEDERALSERVIÇOS FINANCEIROS
6151RAIA DROGASILFARMÁCIA
6265BUNGEAGRONEGÓCIO
6339FACEBOOKINDÚSTRIA DIGITAL
6460CLAROTELECOMUNICAÇÕES
6573AREZZOROUPAS, CALÇADOS E ACESSÓRIOS
66ULTRAFARMAFARMÁCIA
67XP INVESTIMENTOSFUNDOS DE INVESTIMENTO
68DROGARIA SÃO PAULOFARMÁCIA
6948FORDINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
7068LENOVOELETROELETRÔNICOS
71TOTVSTECNOLOGIA
7252VOLVOINDÚSTRIA AUTOMOTIVA
7381TIGREINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
7479FLEURYSERVIÇOS DE SAÚDE
7550GOLTRANSPORTE E LOGÍSTICA
7663GRUPO GLOBOCOMUNICAÇÕES
7771AURORA ALIMENTOSALIMENTOS
7870SIEMENSELETROELETRÔNICOS
7972AMILSERVIÇOS DE SAÚDE
8094ELETROBRASDISTRIBUIDORA DE ENERGIA
8180BRASKEMQUÍMICA E PETROQUÍMICA
8297WEGBENS DE CAPITAL
8374KLABINMADEIRA, PAPEL E CELULOSE
84100USIMINASMINERAÇÃO, SIDERURGIA E METALURGIA
8567GECONGLOMERADO
8662GRUPO BIGVAREJO
8784BASFQUÍMICA E PETROQUÍMICA
8877TIMTELECOMUNICAÇÕES
89COSANENERGIA
9087VALEMINERAÇÃO, SIDERURGIA E METALURGIA
9191MONDELEZALIMENTOS
9286OITELECOMUNICAÇÕES
9369GRUPO ABRILCOMUNICAÇÕES
9485CARGILLAGRONEGÓCIO
9589ULTRAPARCONGLOMERADO
963G CAPITALFUNDOS DE INVESTIMENTO
97ALIMENTOS COAMOALIMENTOS
9896ENELDISTRIBUIDORA DE ENERGIA
9992NOVONORCONGLOMERADO
10034VOTORANTIMCONGLOMERADO

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa – com informações da Exame

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: EM MEIO A PANDEMIA SAI O RANKING DAS 100 EMPRESAS COM MELHOR REPUTAÇÃO NO BRASIL

CIÊNCIA: PESQUISA REVELA QUE OS BRASILEIROS SÃO O POVO QUE MAIS SE SENTE SOLITÁRIO NO MUNDO

Brasileiro é o povo que se sente mais solitário no mundo, revela pesquisa

No quadro Correspondente Médico, Fernando Gomes explicou o sentimento da solidão e onde ele é acionado no cérebro

Fernanda Lanza, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 05 de março de 2021 às 11:07

Um levantamento apontou que os brasileiros são o povo que mais se sente solitário em todo o mundo. A pesquisa ouviu mais de 23 mil pessoas em 28 países. Em segundo lugar, vieram os turcos e depois indianos e sauditas. Na parte de baixo do ranking, está a Holanda, que é o país que menos sofre com a solidão.

Na edição desta sexta-feira (5) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou o sentimento da solidão e por que o Brasil apareceu no topo do ranking.

“O ser humano é uma espécie gregária, que gosta de ficar perto de pessoas, trocar experiência, gosta do toque, do calor e da emoção. Mas quando temos a pitada da cultura brasileira, a gente sabe que isso ressalta”, afirmou o médico. “Quando vivemos uma situação diferente como agora, que impõe restrições, é natural que a gente acabe sentindo na pele a falta de algo que nos faz muito bem”, completou.

“Tem alguns núcleos cerebrais chamados núcleos da Rafe, que são responsáveis pela manutenção da vida e são acionados quando temos a sensação de querer estar junto, querer estar perto, esse bem-estar, até nos casos de relacionamento amoroso ele é ativado. Existe uma explicação de fundo neurobiológico para isso [o sentimento de solidão]”, explicou Gomes.

Fonte: CNN

Continuar lendo CIÊNCIA: PESQUISA REVELA QUE OS BRASILEIROS SÃO O POVO QUE MAIS SE SENTE SOLITÁRIO NO MUNDO

BOAS NOTÍCIAS: CIENTISTAS DE ISRAEL TESTAM REMÉDIO PARA CÂNCER EM 30 PACIENTES COM COVID-19 E 29 SE RECUPERAM EM 5 DIAS

Uma grande esperança de um remédio para a cura da Covid-19 vem lá de Israel e é o destaque , aqui na coluna BOAS NOTÍCIAS. 29 de 30 pacientes com Covid-19, em situação de moderado a grave, foram tratados com o remédio EXO-CD24, que a princípio foi desenvolvido para tratamento de câncer de ovário, tiveram recuperação em até 5 dias. Apenas um levou mais de 5 dias para se recuperar. Então, é importante você ler o artigo completo a seguir e conhecer esse poderoso remédio!

Remédio experimental de Israel contra Covid recupera pacientes em 5 dias

Esperança! Pesquisadores de Israel anunciaram nesta sexta, 5, que desenvolveram um remédio experimental contra o câncer que está conseguindo recuperar pacientes internados com Covid-19.

Os cientistas afirmaram que 29 dos 30 pacientes – com casos moderados a graves de coronavírus – tratados com EXO-CD24 tiveram recuperação completa em apenas cinco dias, informou a agência Reuters.

É importante dizer que as pesquisas ainda estão no começo e foram feitas com poucas pessoas, mas são animadoras.

O professor Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção do Câncer de Ichilov, passou anos desenvolvendo a droga para câncer de ovário antes de testá-la em pacientes com Covid-19.

O EXO-CD24 é tomado uma vez a cada cinco dias e é relativamente barato, de acordo com o professor Arber, que não revelou o preço.

A pesquisa

Os cientistas administraram uma dose do medicamento em 30 pacientes com infecções graves ou moderadas por covid-19.

Não ficou claro a idade dos pacientes, mas os dados mostram que os mais jovens têm muito menos probabilidade de se recuperarem mais rapidamente – 29 mostraram melhora significativa de três a cinco dias.

Os sintomas do 30.º paciente também melhoraram, mas depois do período de cinco dias, de acordo com relatos publicados pela imprensa israelense.

Dados mostram que, em média, um paciente com coronavírus passa até três semanas internado.

Aumentar a pesquisa

O tamanho da amostra de testes é muito baixo para tirar qualquer conclusão sobre a eficácia do medicamento. Os dados também não foram publicados em um jornal especializado. Mas os cientistas estão animados.

Os pesquisadores israelenses querem fazer um estudo mais amplo da droga, com centenas de pacientes e comparar os resultados com um placebo.

Com informações da Reuters e Estadão

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: CIENTISTAS DE ISRAEL TESTAM REMÉDIO PARA CÂNCER EM 30 PACIENTES COM COVID-19 E 29 SE RECUPERAM EM 5 DIAS

CIÊNCIAS: GEL CONTRACEPTIVO PROTEGE DE INFECÇÕES E AUMENTA A LIBIDO

Unir o útil ao agradável é o que pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte estão pretendendo ao desenvolver um novo contraceptivo em formato de gel batizado de TNG que contém não só espermicidas, evitando gravidez, como também antivirais e agentes que aumentam a libido. Você precisa ler o artigo completo a seguir e saber os detalhes dessa nova descoberta.

Cientistas criam gel contraceptivo que protege de infecções

Eficaz na prevenção de gravidez e infecções sexualmente transmissíveis, produto promete ainda melhora da libido

Escrito por Redação

Redação Minha Vida

Em 27/1/2021

Existem diversos métodos de prevenção de gravidez disponíveis no mercado: DIUpílula anticoncepcionalpílula do dia seguinte e diafragma são algumas das opções. A forma mais segura de se fazer sexo, no entanto, segue sendo com a camisinha, que além de ser um contraceptivo de alta eficiência também previne contra infecções sexualmente transmissíveis.

A evolução da ciência, porém, pode trazer novidades para o mercado tão eficazes quanto a camisinha. Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte estão desenvolvendo um novo contraceptivo em formato de gel batizado de TNG que contém não só espermicidas, evitando gravidez, como também antivirais e agentes que aumentam a libido.

A ideia dos responsáveis pelo gel contraceptivo foi desenvolver um produto que tivesse eficácia maior que a fornecida pelos géis contraceptivos disponíveis no mercado, considerados de baixa eficácia e sem proteção contra possíveis ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis).

O novo gel contraceptivo tem ainda, segundo pesquisadores, potencial de melhorar a experiência sexual. Para isso, foram adicionados na fórmula do novo produto agentes farmacológicos que aumentam o prazer sexual, fornecem maior segurança e higiene, além de aumentarem a libido.

In vitro, o componente gossipol do gel contraceptivo se mostrou um espermicida bastante eficaz. Quando a concentração de acetato de gossipol era de 10 mg/ml, a capacidade espermicida atingiu 100% após 30s, sendo considerada uma taxa mais alta do que a dos atuais géis contraceptivos existentes.

Para os pesquisadores, a nova fórmula que utiliza substâncias aprovadas pela FDA (agência federal de saúde dos EUA) tem potencial para levar o TNG a ser comercializado em breve no mercado.

Fonte:

Redação

Minha Vida

Continuar lendo CIÊNCIAS: GEL CONTRACEPTIVO PROTEGE DE INFECÇÕES E AUMENTA A LIBIDO

VARIEDADES: PESQUISA APONTA QUE 79% DO BRASILEIROS SÃO CONTRA A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

79% dos brasileiros são contra a legalização do aborto no país, aponta pesquisa

Imagem em destaqueSegundo estudo feito pelo Instituto Paraná Pesquisas e divulgado, nesta segunda-feira (25), 79% dos brasileiros são contra a legalização do aborto no Brasil.

O levantamento foi realizado, de 16 a 19 de janeiro deste ano, e foram entrevistadas 2.060 pessoas.

Um detalhe especial vai para os homens: apenas 13,7% deles são favoráveis ao procedimento, enquanto que 19,2% das mulheres se dizem a favor do aborto legal.

A pesquisa apontou que, entre os cidadãos que têm o nível superior, a rejeição à legalização é de 73,1%. O percentual vai aumentando, conforme a escolaridade diminui. Sendo assim, no ensino fundamental, 82,7% se dizem contrários, enquanto que, no ensino médio, 79,3% se disseram contra.

O Paraná Pesquisas é o mesmo instituto que, em novembro de 2020, afirmou que o candidato do MDB, Sebastião Melo, venceria a disputa à prefeitura de Porto Alegre, em cima de Manuela Dávila (PC do B), na contramão de outros institutos e acertou o resultado.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo VARIEDADES: PESQUISA APONTA QUE 79% DO BRASILEIROS SÃO CONTRA A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

UMA PEQUENA MAIORIA DOS NORTE-AMERICANOS DEFENDE CONDENAÇÃO DE TRUMP PELO SENADO

Maioria apertada nos EUA quer que Senado condene Trump, diz pesquisa

Pesquisa de opinião revela que 51% acreditam que ex-presidente é culpado por incitar a invasão mortal ao Capitólio, em 6 de janeiro

INTERNACIONAL  

por Reuters

Donald Trump fala à imprensa na saída da Casa Branca, em seu último dia como presidente dos EUA

AL DRAGO/EFE/EPA – 20.01.2021

Uma pequena maioria dos norte-americanos defende que o ex-presidente Donald Trump seja condenado pelo Senado e impedido de ocupar cargos públicos, de acordo com uma pesquisa Reuters/Ipsos, que mostrou uma forte divisão partidária sobre o assunto.

A pesquisa de opinião pública nacional, conduzida na quarta e quinta-feira, revelou que 51% dos norte-americanos acreditam que Trump deveria ser considerado culpado por incitar a invasão mortal ao Capitólio dos Estados Unidos em 6 de janeiro. Seu julgamento no Senado está previsto para começar na semana de 8 de fevereiro, segundo declaração do líder da Maioria no Senado, o democrata Chuck Schumer.

Outros 37% disseram que Trump não deveria ser condenado e os 12% restantes não tinham uma posição firme.

Quando questionados sobre o futuro político do ex-presidente republicano, 55% afirmaram que Trump não deveria ter permissão para exercer cargo eletivo novamente, enquanto 34% disseram que ele deveria ter permissão para fazê-lo e 11% não tinham uma posição definida.

Se o Senado votar para condenar Trump, será necessário realizar uma segunda votação sobre impedi-lo de ocupar cargos novamente.

As respostas foram quase inteiramente divididas pelas linhas partidárias. Enquanto 9 em cada 10 democratas dizem que Trump deveria ser condenado e impedido de ocupar cargo novamente, menos de 2 em cada 10 republicanos concordaram, mostrou a pesquisa.

Segundo o levantamento, 55% dos norte-americanos aprovam o presidente Joe Biden, que assumiu o cargo na quarta-feira. Em comparação, 43% aprovavam Trump durante sua primeira semana de mandato em 2017, e o nível de aprovação de Trump nunca subiu acima de 50% nas pesquisas semanais realizadas ao longo de seu mandato de quatro anos.

A Câmara dos Deputados dos EUA, que aprovou impeachment de Trump pela segunda vez no início deste mês, deve enviar ao Senado o artigo de impeachment na segunda-feira, acusando-o de “incitamento de insurreição”. Trump, o único presidente dos EUA a sofrer impeachment duas vezes, também será o primeiro ex-presidente a enfrentar um julgamento de impeachment no Senado após deixar o cargo.

De acordo com a pesquisa, os republicanos estão divididos sobre se seus representantes no Congresso deveriam trabalhar com Biden em objetivos comuns.

Fonte: R7
Continuar lendo UMA PEQUENA MAIORIA DOS NORTE-AMERICANOS DEFENDE CONDENAÇÃO DE TRUMP PELO SENADO

TEM INÍCIO NO RN A PESQUISA SOROLÓGICA PARA IDENTIFICAR COMPORTAMENTO DA COVID-19 NO ESTADO

Por Julianne Barreto e Leonardo Erys, Inter TV Cabugi e G1 RN

 

Testes de sorologia da pesquisa tiveram início no RN — Foto: Julianne Barreto/Inter TV CabugiTestes de sorologia da pesquisa tiveram início no RN — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

Os 160 pesquisadores iniciaram nesta sexta-feira (8) o trabalho de campo do Inquérito Sorológico no Rio Grande do Norte, uma pesquisa que tem o objetivo de mapear o comportamento da Covid-19 em todas as regiões do estado.

A meta é que 24 mil pessoas façam o teste da Covid-19 e sejam entrevistadas durante três semanas, em três ciclos. O 1° ciclo de entrevistas exames para a pesquisa vai da sexta-feira (8) até o domingo (10). O segundo ciclo acontece entre os dias 15 e 17, e o terceiro vai de 22 a 24 de janeiro.

A abordagem é feita porta a porta, à domicílio. Em Natal, nesta sexta-feira (8), os testes foram feitos em bairros e localidades da Zona Norte, como Cidade Praia, Potengi e Pajuçara.

Maria de Lourdes Bezerra, 69 anos, foi uma das que participaram da pesquisa. “Eu tinha visto na televisão que ia passar e atendi. Eu queria mesmo ver. É bom ter a certeza se está ou não. Eu acho que já tive, mas eu queria saber se tive ou não”, falou.

Ela conta que o filho também apresentou alguns sintomas e que acredita que ele se contaminou no trabalho e levou o vírus pra casa.

“Eu senti dor no corpo todo, muita dor de cabeça, o corpo febril, mas fui no hospital e não estava. Também tive tosse, dor no corpo, perda de olfato e paladar. Isso foi em junho. Não fiz o teste, porque eu achava tão difícil. Eu fui no hospital e tiraram radiografia do meu pulmão, não tinha sequela e me passaram um medicamento em casa”, disse.

“Passou, mas eu pensei que ia morrer. Escapei fedendo, como se diz”.

O resultado dela, no entanto, deu negativo tanto para a presença do vírus atualmente como para uma resposta imune. Ou seja, também não houve confirmação de se ela já pegou o vírus em algum outro momento.

Testes de sorologia da pesquisa tiveram início no RN — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

No sábado (9), a pesquisa vai passar pelos bairros Nordeste, Guarapes e Barro Vermelho. A intenção é testar 3 mil pessoas por cidade.

Em algumas casas, há um certo receio, segundo os pesquisadores. Cidade Praia foi uma das localidades em que as pessoas mais recusaram o teste.

“Elas negavam, não queriam fazer, não acreditavam. Umas pensavam que era algo a ver com a vacina. Muito de fake news que antes mesmo de começar nós vimos nas redes sociais que já estavam saindo, de que a gente iria nas casas e que as pessoas tomassem cuidado, que era assalto. Teve muito disso e as pessoas acabam acreditando”, disse Jacqueline Aires, supervisora de campo da pesquisa.

Questionário

As pessoas que aceitarem participar das entrevistas respondem um a questionário, que tem questões socioeconômicas sobre número de pessoas e cômodos na casa, frequência de fornecimento de água, grau de escolaridade, renda total no mês, e renda de aposentadorias e de bolsa família.

É questionado ainda a idade, raça, peso, altura, profissão, além de tópicos relacionados ao contágio, como: se teve contato com caso suspeito ou confirmado de Covid-19, se já foi testado ou confirmado com a doença, se apresentou sintomas, se faltou trabalho ou escola durante esse período, se foi internado e se tem doenças crônicas.

Tópicos sobre o isolamento também estão entre as perguntas: se foi a supermercado nos últimos 14 dias ou outros locais, como está sendo o isolamento (frequência de saídas de casa por semana), se adotou total ou parcialmente o isolamento, além de qual o meio de transporte utilizado.

Pesquisa

A pesquisa será feita em parceria com o Instituto Amostragem do Piauí e tem o apoio do Comitê Científico, formado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS).

Ao todo, a previsão é de que cerca de 2.300 domicílios participarão da pesquisa em cada etapa. Oito municípios com sede de regionais de saúde serão analisados: Pau dos Ferros, Mossoró, Assu, Natal, João Câmara, São José do Mipibu, Santa Cruz e Caicó.

“O intuito é de compreender melhor como se dá o processo de adoecimento e o acometimento, a incidência e a prevalência da doença no Rio Grande do Norte”, explicou a secretária adjunta da Sesap, Maura Sobreira

Cada município terá 30 setores censitários do IBGE sorteados para a realização do inquérito. Em cada setor serão realizadas 100 entrevistas em domicílios previamente determinados pela UFRN.

“É uma pesquisa que a gente teve praticamente um investimento de R$ 2 milhões pra que a gente possa melhor compreender o comportamento da doença no território e, consequentemente, melhor direcionar as ações no sentido de enfrentamento da pandemia”, falou a secretária adjunta.

O exame

O exame será realizado com amostra de sangue obtida através de punção digital e o estudo de validação apresentado pelo fabricante identificou uma sensibilidade de 86,4% e especificidade de 99,6% de segurança no resultado.

Segurança para os participantes

A Sesap informou que quem for participar do estudo será informado sobre os objetivos da pesquisa, riscos e vantagens. O material e todas as informações só serão coletados após assinatura do termo de consentimento do participante.

As medidas de segurança biológica cabíveis serão tomadas, de forma a garantir a saúde dos trabalhadores de campo atuando na coleta dos dados e do material. O estudo envolve risco mínimo para a saúde dos participantes, pois consiste apenas na aplicação de um questionário e o exame sorológico. Se houver qualquer desconforto, o participante poderá deixar de participar a qualquer momento.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo TEM INÍCIO NO RN A PESQUISA SOROLÓGICA PARA IDENTIFICAR COMPORTAMENTO DA COVID-19 NO ESTADO

CIÊNCIAS: ESTUDO MOSTRA QUE A RELAÇÃO USO CONTÍNUO DO CELULAR E DEPRECIAÇÃO DA SAÚDE MENTAL NÃO PROCEDE

Um novo estudo acerca do uso do celular e suas influências na vida e na saúde das pessoas é o destaque da edição desta sexta-feira, aqui na coluna CIÊNCIAS. Desta vez, o estudo avaliou se passar muito tempo no telefone afeta a saúde mental. E a conclusão foi uma boa notícia. Não faz mal passar muito tempo no telefone. Mas os detalhes dessa pesquisa e os parâmetros utilizados você vai saber ao ler a matéria!

Novo estudo mostra que passar muito tempo no telefone não faz mal à saúde mental

O uso geral de smartphones é um indicador pobre de ansiedade, depressão ou estresse, dizem os pesquisadores, que aconselham cautela quando se trata de desintoxicação digital.

O estudo publicado na Technology, Mind and Behavior foi liderado por Heather Shaw e Kristoffer Geyer, da Lancaster University, com colegas das universidades de Bath e Lincoln.  

Eles mediram o tempo gasto em smartphones por 199 usuários de iPhone e 46 usuários de Android durante uma semana. Os participantes também foram questionados sobre sua saúde mental e física, preenchendo escalas clínicas que medem os sintomas de ansiedade e depressão. Eles também completaram uma escala que mede o quão problemático eles percebem o uso de smartphones.

Surpreendentemente, o tempo gasto no smartphone não foi relacionado a problemas de saúde mental.

A autora principal, Heather Shaw, do Departamento de Psicologia da Universidade de Lancaster, disse: “As capturas diárias de smartphones ou o tempo de tela de uma pessoa não previam ansiedade, depressão ou sintomas de estresse. Além disso, aqueles que excederam os ‘pontos de corte’ clínicos para ansiedade geral e transtorno depressivo maior não usaram o telefone mais do que aqueles que pontuaram abaixo desse limite. ”

Em vez disso, o estudo descobriu que a saúde mental estava associada a preocupações e preocupações sentidas pelos participantes sobre o uso de seu próprio smartphone.

Isso foi medido por meio de suas pontuações em uma escala de uso problemática, em que foram solicitados a avaliar afirmações como ” Usando meu smartphone por mais tempo do que eu esperava” e  “Tendo tentado várias vezes diminuir o tempo de uso do meu smartphone, mas falhando o tempo todo” .

Heather Shaw disse: “É importante considerar o uso real do dispositivo separadamente das preocupações e preocupações das pessoas com a tecnologia. Isso ocorre porque o primeiro não mostra relações dignas de nota com a saúde mental, enquanto o segundo sim. ”

Estudos anteriores se concentraram no impacto potencialmente prejudicial do ‘tempo de tela’, mas o estudo mostra que as atitudes ou preocupações das pessoas podem conduzir a essas descobertas.

O Dr. David Ellis, da Escola de Administração da Universidade de Bath, explicou em um comunicado : “As tecnologias móveis se tornaram ainda mais essenciais para o trabalho e a vida cotidiana durante a pandemia COVID-19. Nossos resultados se somam a um crescente corpo de pesquisas que sugere que a redução do tempo geral de tela não deixará as pessoas mais felizes.

“Em vez de promover os benefícios da desintoxicação digital, nossa pesquisa sugere que as pessoas se beneficiariam com medidas para lidar com as preocupações e medos que cresceram em torno do tempo gasto usando telefones.”

Fonte: Universidade de Lancaster

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: ESTUDO MOSTRA QUE A RELAÇÃO USO CONTÍNUO DO CELULAR E DEPRECIAÇÃO DA SAÚDE MENTAL NÃO PROCEDE

CIÊNCIAS: PLATÃO TINHA RAZÃO, A TERRA É FEITA DE CUBOS!

É impressionante, mas a cada dia, quanto mais a ciência avança nas suas descobertas, mais se aproxima dos modelos, pensamento, ideias e teorias dos estudiosos da antiguidade. Há 2500 anos atrás Platão acreditava que o universo era feito de cinco tipos de matéria: terra, ar, fogo, água e cosmos. Ele descreveu a geometria de cada um e a forma platônica da terra era o cubo. Em pesquisa recente cientistas chegaram a conclusão de que Platão estava certo: a forma média das rochas na Terra é um cubo. Eu te convido a ler o artigo completo a seguir e saber como os pesquisadores chegara a essa conclusão!

Geofísicos confirmam a teoria de Platão – a terra é feita de cubos

Platão, o filósofo grego que viveu no século 5 aC, acreditava que o universo era feito de cinco tipos de matéria: terra, ar, fogo, água e cosmos. Cada um foi descrito com uma geometria particular, uma forma platônica. Para a terra, essa forma era o cubo.

A ciência avançou continuamente para além das conjecturas de Platão, olhando para o átomo como o bloco de construção do universo. No entanto, Platão parece ter descoberto algo, descobriram os pesquisadores.

Em um novo artigo no  Proceedings of the National Academy of Sciences , uma equipe da Universidade da Pensilvânia, da Universidade de Tecnologia e Economia de Budapeste e da Universidade de Debrecen usa matemática, geologia e física para demonstrar que a forma média das rochas na Terra é um cubo.

“Platão é amplamente reconhecido como a primeira pessoa a desenvolver o conceito de um átomo, a ideia de que a matéria é composta de algum componente indivisível na menor escala”, diz Douglas Jerolmack, geofísico do Departamento da Terra da Escola de Artes e Ciências de Penn e Ciências Ambientais e do Departamento de Engenharia Mecânica e Mecânica Aplicada da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas. “Mas esse entendimento era apenas conceitual; nada sobre nossa compreensão moderna dos átomos deriva do que Platão nos disse.

“O interessante aqui é que o que encontramos com a rocha, ou terra, é que há mais do que uma linhagem conceitual que remonta a Platão. Acontece que a concepção de Platão sobre o elemento terra ser composto de cubos é, literalmente, o modelo estatístico médio para a terra real. E isso é simplesmente alucinante. ”

A descoberta do grupo começou com modelos geométricos desenvolvidos pelo matemático Gábor Domokos, da Universidade de Tecnologia e Economia de Budapeste, cujo trabalho previa que rochas naturais se fragmentariam em formas cúbicas.

“Este artigo é o resultado de três anos de pensamento e trabalho sério, mas ele se resume a uma ideia central”, diz Domokos. “Se você pegar uma forma poliédrica tridimensional, cortá-la aleatoriamente em dois fragmentos e, em seguida, cortar esses fragmentos repetidamente, obterá um vasto número de diferentes formas poliédricas. Mas, em um sentido comum, a forma resultante dos fragmentos é um cubo. ”

Domokos puxou dois físicos teóricos húngaros para o circuito: Ferenc Kun, um especialista em fragmentação, e János Török, um especialista em modelos estatísticos e computacionais. Depois de discutir o potencial da descoberta, Jerolmack diz, os pesquisadores húngaros levaram sua descoberta a Jerolmack para trabalharem juntos nas questões geofísicas; em outras palavras, “Como a natureza permite que isso aconteça?”

“Quando levamos isso para Doug, ele disse: ‘Isso é um erro ou isso é grande’”, lembra Domokos. “Trabalhamos ao contrário para entender a física que resulta nessas formas.”

Fundamentalmente, a pergunta que eles responderam é quais formas são criadas quando as rochas se quebram em pedaços. Notavelmente, eles descobriram que a conjectura matemática central une os processos geológicos não apenas na Terra, mas também em todo o sistema solar.

“Fragmentação é esse processo onipresente que está moendo materiais planetários”, diz Jerolmack. “O sistema solar está repleto de gelo e rochas que estão continuamente se despedaçando. Este trabalho nos dá uma assinatura desse processo que nunca vimos antes. ”

Parte desse entendimento é que os componentes que se desprendem de um objeto anteriormente sólido devem se encaixar sem nenhuma lacuna, como um prato que caiu à beira de quebrar. Acontece que as únicas das chamadas formas platônicas – poliedros com lados de igual comprimento – que se encaixam sem lacunas são os cubos.

“Uma coisa que especulamos em nosso grupo é que, possivelmente Platão olhou para um afloramento de rocha e depois de processar ou analisar a imagem subconscientemente em sua mente, ele conjecturou que a forma média é algo como um cubo”, diz Jerolmack.

“Platão era muito sensível à geometria”, acrescenta Domokos. De acordo com a tradição, a frase “Que ninguém ignorante em geometria entre” estava gravada na porta da Academia de Platão. “Suas intuições, amparadas por um pensamento amplo sobre a ciência, podem tê-lo levado a essa ideia sobre os cubos”, diz Domokos.

Para testar se seus modelos matemáticos eram verdadeiros na natureza, a equipe mediu uma ampla variedade de rochas, centenas delas coletadas e milhares mais em conjuntos de dados coletados anteriormente. Não importa se as rochas foram naturalmente desgastadas por um grande afloramento ou dinamitadas por humanos, a equipe encontrou um bom ajuste para a média cúbica.

No entanto, existem formações rochosas especiais que parecem quebrar a “regra” cúbica. A Calçada do Gigante na Irlanda do Norte, com suas altas colunas verticais, é um exemplo, formada pelo processo incomum de resfriamento do basalto. Essas formações, embora raras, ainda são englobadas pela concepção matemática de fragmentação da equipe; eles são apenas explicados por processos fora do comum no trabalho.

Um mundo confuso e fascinante

Pedregulhos na Nova Zelândia, Christoph Theisinger 

“O mundo é um lugar bagunçado”, diz Jerolmack. “Nove em cada 10 vezes, se uma rocha é separada, comprimida ou cortada – e geralmente essas forças acontecem juntas – você acaba com fragmentos que são, em média, formas cúbicas. Somente se você tiver uma condição de estresse muito especial é que terá outra coisa. A terra simplesmente não faz isso com frequência. ”

Os pesquisadores também exploraram a fragmentação em duas dimensões, ou em superfícies finas que funcionam como formas bidimensionais, com uma profundidade significativamente menor do que a largura e o comprimento. Lá, os padrões de fratura são diferentes, embora o conceito central de divisão de polígonos e obtenção de formas médias previsíveis ainda se mantenha.

“Acontece que, em duas dimensões, você tem a mesma probabilidade de obter um retângulo ou um hexágono na natureza”, diz Jerolmack. “Eles não são hexágonos verdadeiros, mas são o equivalente estatístico em um sentido geométrico. Você pode pensar nisso como tinta rachando; uma força está agindo para separar a tinta igualmente de lados diferentes, criando uma forma hexagonal quando ela se quebra. ”

Na natureza, exemplos desses padrões de fratura bidimensionais podem ser encontrados em mantos de gelo, lama secante ou mesmo na crosta terrestre, cuja profundidade é muito ultrapassada por sua extensão lateral, permitindo que funcione como um dispositivo bidimensional de fato material. Já se sabia que a crosta terrestre se fraturou dessa forma, mas as observações do grupo sustentam a ideia de que o padrão de fragmentação resulta de placas tectônicas.

Identificar esses padrões na rocha pode ajudar na previsão de fenômenos, como riscos de queda de rochas ou a probabilidade e localização de fluxos de fluidos, como óleo ou água, nas rochas.

Para os pesquisadores, encontrar o que parece ser uma regra fundamental da natureza emergindo de percepções milenares tem sido uma experiência intensa, mas satisfatória.

“Há muitos grãos de areia, seixos e asteróides por aí, e todos eles evoluem lascando de maneira universal”, diz Domokos, que também é co-inventor do Gömböc, a primeira forma convexa conhecida com o mínimo número – apenas dois – de pontos de equilíbrio estático. O lascar por colisões elimina gradualmente os pontos de equilíbrio, mas as formas não chegam a se tornar um Gömböc; o último aparece como um ponto final inatingível desse processo natural.

O resultado atual mostra que o ponto de partida pode ser uma forma geométrica icônica semelhante: o cubo com seus 26 pontos de equilíbrio. “O fato de que a geometria pura fornece esses colchetes para um processo natural onipresente me dá felicidade”, diz ele.

“Quando você pega uma pedra na natureza, não é um cubo perfeito, mas cada um é uma espécie de sombra estatística de um cubo”, acrescenta Jerolmack. “Lembra a alegoria da caverna de Platão. Ele postulou uma forma idealizada que era essencial para a compreensão do universo, mas tudo o que vemos são sombras distorcidas dessa forma perfeita. ”

Fonte: Universidade da Pensilvânia

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: PLATÃO TINHA RAZÃO, A TERRA É FEITA DE CUBOS!

SAÚDE INTEGRAL: PESQUISA MOSTRA QUE DIETA VERDE COM RESTRIÇÃO CALÓRICA SEMELHANTE DA DIETA MEDITERRÂNEA REDUZ OS RISCOS DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES

O destaque, aqui na coluna SAÚDE desta quarta-feira é uma pesquisa publicadas na revista Heart feita com 3 grupos de indivíduos e 3 tipos de dietas diferentes. A dieta saudável, a dieta mediterrânea tradicional e a dieta mediterrânea ‘verde’. A pesquisa concluiu que a dieta mediterrânea ‘verde’ pode ser ainda melhor para a saúde cardiovascular e metabólica do que a versão tradicional. Então lhe convido a ler o artigo completo a seguir para conhecer que dieta é essa e quais os benefícios adicionais que pode proporcionar!

Emagrecimento e saúde: benefícios da nova dieta mediterrânea ‘verde’ revelada em estudo

Uma nova dieta mediterrânea “verde”, contendo ainda mais matéria vegetal e muito pouca carne vermelha ou aves, pode ser ainda melhor para a saúde cardiovascular e metabólica do que a versão tradicional sugere novas pesquisas publicadas na revista Heart .

A dieta mediterrânea, rica em alimentos vegetais, está associada a um menor risco de doenças cardíacas, derrame e diabetes e atualmente forma a espinha dorsal das diretrizes dietéticas para evitar doenças coronárias.

Acredita-se que seu impacto esteja relacionado à maior ingestão alimentar de polifenóis, gorduras e fibras “saudáveis” e menor ingestão de proteína animal.

Pesquisadores em Israel, Alemanha e EUA queriam descobrir se uma versão mais ecológica dessa dieta, mais rica em fontes de alimentos vegetais verdes e ainda mais baixa em ingestão de carne vermelha, poderia ser ainda melhor para a saúde.

De acordo com uma declaração do BMJ, eles distribuíram aleatoriamente 294 pessoas sedentárias e moderadamente obesas (IMC de 31) com uma idade média de 51 em três grupos dietéticos.

O primeiro grupo recebeu orientações sobre como aumentar a atividade física e orientações básicas para conseguir uma alimentação saudável.

O segundo recebeu a mesma orientação de atividade física, mais conselhos sobre como seguir uma dieta mediterrânea tradicional com restrição calórica (1.500–1800 calorias por dia para homens e 1.200–1400 calorias por dia para mulheres).

Era pobre em carboidratos simples, rico em vegetais, com aves e peixes substituindo a carne vermelha. Incluía 28 gramas de nozes por dia.

O terceiro grupo recebeu orientação de atividade física, além de aconselhamento sobre seguir uma versão verde com restrição calórica semelhante da dieta mediterrânea.

Isso incluiu 28 gramas por dia de nozes, evitar carne vermelha / processada e maiores quantidades de matéria vegetal. Também incluía 3-4 xícaras por dia de chá verde e 100 gramas de cubos congelados de Wolffia globosa (cepa cultivada de Mankai) – uma forma rica em proteínas da planta aquática lentilha-d’água, tomada como um shake de proteína vegetal verde como um substituto parcial para proteína animal.

Após seis meses, foi avaliado o efeito de cada uma das dietas na perda de peso e nos fatores de risco cardiovascular e metabólico.

Aqueles em ambos os tipos de dieta mediterrânea perderam mais peso: aqueles na dieta mediterrânea verde (verde Med) perderam 6,2 kg; aqueles na dieta mediterrânea perderam 5,4 kg; e os que faziam dieta saudável perderam 1,5 kg.

A circunferência da cintura – um indicador de uma protuberância do diafragma potencialmente prejudicial – encolheu em média 8,6 cm entre aqueles na dieta verde Med, em comparação com 6,8 cm para aqueles na dieta mediterrânea e 4,3 cm para aqueles na dieta saudável.

O grupo da dieta verde Med alcançou quedas maiores no colesterol ‘ruim’ de baixa densidade de 6,1 mg / dl, uma redução de quase 4%. Os valores equivalentes foram 2,3 mg / dl (quase 1%) para aqueles no grupo de dieta mediterrânea e 0,2 mg / dl para aqueles no grupo de dieta saudável.

Da mesma forma, outros fatores de risco cardiovascular e metabólico melhoraram mais entre aqueles na dieta verde Med, incluindo quedas na pressão arterial diastólica, resistência à insulina e um importante marcador de inflamação, a proteína C reativa, que tem um papel importante no endurecimento da artéria. A proporção de colesterol “bom” para “ruim” também aumentou.

Essas mudanças resultaram em uma queda substancial de quase duas vezes na Pontuação de Risco de Framingham em 10 anos – um cálculo usado para prever a probabilidade de doenças cardíacas graves na próxima década – entre aqueles que seguem a dieta verde Med.

Os pesquisadores alertam que sua amostra incluiu apenas 35 mulheres, nem foram capazes de identificar os fatores específicos na dieta verde mediterrânea responsáveis ​​pelos efeitos observados.

Mas eles escrevem em sua pesquisa revisada por pares : “A educação e o incentivo para seguir um padrão dietético verde Med em conjunto com a atividade física tem o potencial de ser um grande contribuidor para a saúde pública, pois pode melhorar o equilíbrio dos fatores de risco cardiovasculares, eventualmente prevenindo cardiovascular Morbidade e mortalidade.”

E eles concluem: “Nossas descobertas sugerem que a restrição adicional da ingestão de carne com um aumento paralelo de alimentos vegetais ricos em proteínas pode beneficiar ainda mais o estado cardiometabólico e reduzir o risco cardiovascular, além dos efeitos benéficos conhecidos da dieta mediterrânea tradicional. ”

Fonte: Good News Network

Continuar lendo SAÚDE INTEGRAL: PESQUISA MOSTRA QUE DIETA VERDE COM RESTRIÇÃO CALÓRICA SEMELHANTE DA DIETA MEDITERRÂNEA REDUZ OS RISCOS DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES

CIÊNCIAS: O SONHO DE PODER ENXERGAR MAIS PRÓXIMO DO QUE NUNCA

Uma excelente novidade da ciências para aqueles que perderam a visão é o destaque, aqui na coluna CIÊNCIAS deste domingo. Pesquisadores da Harvard Medical School restauraram com sucesso a perda de visão e reverteram os danos induzidos pelo glaucoma em ratos. Em breve esses testes chegarão aos humanos. Portanto, aproveite e leia o artigo completo a seguir e saiba dos detalhes desta fantástica descoberta!

Ratos cegos com glaucoma enxergam novamente por meio de uma técnica simples que promove a expressão gênica juvenil

 

 

Alguns dos itens abaixo foram reimpressos com permissão da World at Large , um meio de comunicação com foco em espaço, saúde, conservação, meio ambiente e política externa e viagens .

Pesquisadores da Harvard Medical School restauraram com sucesso a perda de visão e reverteram os danos induzidos pelo glaucoma em ratos.

Nos camundongos, as células ganglionares da retina, uma célula principal que permite a visão, foram restauradas a um estado jovem em casos de glaucoma, bem como quando o nervo óptico, outro componente-chave da visão, foi danificado. Ambos foram alcançados por meio da expressão de certos fatores de transcrição – proteínas que ativam e desativam genes.

“O estudo lança luz sobre os mecanismos do envelhecimento e identifica novos alvos terapêuticos potenciais para doenças neuronais relacionadas à idade, como o glaucoma”, diz um comunicado de pesquisadores da Harvard Medical School.

O novo estudo, publicado na Nature , foi conduzido pelo Dr. David Sinclair, um dos maiores especialistas do mundo em pesquisas relacionadas ao envelhecimento em ratos.

Junto com a pesquisa genética, Sinclair também examinou como compostos prontos para suplementos como o resveratrol e a metformina afetam o envelhecimento, e seu livro, Lifespan: Why We Age and Why Don’t Have to, é um best-seller do New York Times.

Reparando um CD arranhado

A ciência por trás do novo artigo de Sinclair  envolve o curioso processo de metilação. Governados pela epigenética – isto é, mudanças na expressão genética da célula ao longo do tempo – os pesquisadores descobriram que a metilação em tecidos de mamíferos impede as células de replicar proteínas adequadamente enquanto codificam simultaneamente um tipo de história genética.

Pode-se imaginar isso como arranhões no fundo de um CD. Se os arranhões puderem ser removidos, o registro da função adequada ainda estará lá e poderá ser lido pelo laser em um CD player.

Em seu livro, Sinclair detalha a teoria moderna do envelhecimento, segundo a qual mudanças na epigenética e danos às células e tecidos impedem o corpo de ler genes que codificam proteínas de maneira adequada, resultando em genes defeituosos e menos funcionais, ou seja, genes mais antigos sendo transcritos ou as proteínas não estão sendo substituídas.

Aqui, os autores descobriram que quando os neurônios do rato estavam se recuperando de danos relacionados ao glaucoma, os grupos metil que se acumularam com o tempo foram embora, como os arranhões sendo removidos de um disco.

Isso resultou em um processo chamado desmetilação. A desmetilação foi associada à expressão genética mais jovem, ou seja, os genes do camundongo lembraram como ser jovem novamente, somente após a desmetilação ter ocorrido.

“Esses dados indicam que os tecidos dos mamíferos retêm um registro das informações epigenéticas da juventude – codificadas em parte pela metilação do DNA – que podem ser acessadas para melhorar a função do tecido e promover a regeneração in vivo”, escrevem os autores em seu resumo.

Resta saber se os registros da expressão genética juvenil estão contidos em outros tecidos de mamíferos, o fígado para um exemplo aleatório, por metilação, e se eles podem ou não ser acessados ​​por meio de desmetilação.

Se for verdade que simplesmente alterar alguns fatores de transcrição é suficiente para limpar a poeira do livro de regras sobre como construir proteínas jovens, Sinclair está para fazer um grande avanço.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: O SONHO DE PODER ENXERGAR MAIS PRÓXIMO DO QUE NUNCA

SAÚDE: BEBER MUITA ÁGUA NÃO SÓ HIDRATA COMO RESOLVE 80% DOS PROBLEMAS DE SAÚDE

Uma pesquisa sobre hidratação comprova que beber muita água contribui com uma saúde perfeita, já que concluiu ser a receita para a felicidade e descobriu que aqueles que mantêm a ingestão de H20 tendem a ser mais otimistas, enérgicos e bem-sucedidos. Então lhe convido a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes da pesquisa!

A hidratação pode ser a receita para a felicidade, afirma pesquisa com 2.000 americanos

 

 

Estar devidamente hidratado tem um efeito transcendente em nossas vidas? De acordo com uma nova pesquisa, a hidratação pode ser a receita da felicidade.

A nova pesquisa com 2.000 americanos dividiu os entrevistados por quantos copos de água bebem por dia e descobriu que aqueles que mantêm a ingestão de H20 tendem a ser mais otimistas, enérgicos e bem-sucedidos.

Aqueles que bebem seis ou mais copos de água por dia são os mais propensos a concordar totalmente que estão “muito felizes” (41%).

Compare isso com aqueles que relataram beber menos de um copo por dia: apenas 12% concordam totalmente com a mesma afirmação.

A pesquisa, conduzida pela OnePoll em nome dos eletrodomésticos Bosch , explorou o papel que a hidratação desempenha em nossas vidas e descobriu que a chave para beber mais água e potencialmente se sentir mais feliz pode muito bem ser gelo.

Quarenta por cento das pessoas que bebem seis ou mais copos de água por dia concordam fortemente que são uma pessoa otimista, em comparação com apenas 10% das pessoas que bebem menos de um copo de água por dia.

As bebidas também podem ser a chave para acordar sentindo-se revigorado. O estudo constatou que quem bebe seis ou mais copos acorda sentindo-se exausto menos vezes por semana (2,59) em comparação com quem bebe menos de um copo de água por dia (3,14).

Os entrevistados que bebem seis ou mais copos também são os mais propensos a se descreverem como bem-sucedidos e os menos propensos a se atrasar para o trabalho.

Então, como o acesso ao gelo influencia esse fenômeno? Bem, a água da torneira à temperatura ambiente pode não ser a escolha de bebida mais refrescante para a pessoa média e os resultados confirmaram que isso é verdade, sugerindo que não ter bebidas em nossa temperatura preferida afeta o quanto bebemos e, portanto, nossa energia geral, felicidade e otimismo.

De acordo com a pesquisa, bem mais da metade de todos os entrevistados (56%) disseram que não bebem água a menos que esteja fria. Além disso, 47% dos que bebem menos de um copo de água por dia disseram que isso é verdade para eles.

A falta de gelo também afeta diretamente a quantidade de água que consumimos, com 53% dizendo que não ter gelo disponível significa que eles simplesmente bebem menos água.

E parece que os americanos aprenderam sobre essa obsessão interna pelo gelo no ano passado.

O estudo mostrou que 53% dos entrevistados perceberam a necessidade de uma melhor produção de gelo em casa durante a pandemia de COVID-19, com 64% dos americanos ficando sem gelo várias vezes por ano.

A pesquisa também investigou as pequenas coisas que consideramos “satisfatórias” para ver como o gelo e as bebidas geladas eram valorizadas pelos americanos.

Enquanto a primeira escolha das coisas que são “satisfatórias” foi considerada “um travesseiro que não é nem muito macio nem muito firme” (46%), uma bebida resfriada à temperatura perfeita ficou em segundo lugar (45%).

Essa necessidade de gelo também aumenta. Oitenta e três por cento dos americanos individuais passam por pelo menos um copo de gelo em um dia normal, com 58% usando de um a cinco copos e 25% usando seis a dez ou mais, totalizando uma média de 116 copos por mês.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo SAÚDE: BEBER MUITA ÁGUA NÃO SÓ HIDRATA COMO RESOLVE 80% DOS PROBLEMAS DE SAÚDE

CIÊNCIAS 1: MUITAS DÚVIDAS E MÁ INFORMAÇÃO ESTÃO TOMANDO CONTA DA OPINIÃO PÚBLICA SOBRE AS VACINAS

A guerra para desenvolvimento de vacinas contra a covid numa velocidade considerada absurda para desenvolvimento de vacinas pode causar um grave problema na população mundial, já que está se levantando muitas suspeitas em torno da idoneidade dessas vacinas e talvez muita gente de deixe de se vacinar por medo ou por falta de informação. Então, sugiro que leia o artigo completo a seguir para entender o que realmente está acontecendo!

Desinformação pode levar pessoas a rejeitar vacinas contra covid-19

Pesquisa com britânicos e americanos mostra que um número menor de pessoas do que seria preciso para atingir a imunidade de rebanho tomaria uma vacina contra a doença

Do repertório contra a covid-19, a opção vacina é a mais promissora – mas as pessoas precisam estar dispostas a tomá-la. Crédito: Bicanski/Pixnio

Teorias conspiratórias e desinformação alimentam a desconfiança e poderiam deixar a inoculação com vacinas contra covid-19 abaixo dos níveis necessários para proteger comunidades da doença nos Estados Unidos e no Reino Unido, revelou pesquisa divulgada nessa quinta-feira (12).

O estudo, com 8 mil voluntários nos dois países, mostrou que menor número de pessoas “certamente” receberia uma vacina contra a covid-19 do que os 55% da população que cientistas estimam ser preciso para proporcionar a chamada “imunidade de rebanho”.

“Vacinas só funcionam se as pessoas as tomam. A desinformação atua sobre os receios e incertezas existentes a respeito de novas vacinas [contra covid], além das novas plataformas que estão sendo usadas para desenvolvê-las”, disse Heidi Larson, professora da Escola de Higiene e de Medicina Tropical de Londres, que coliderou a pesquisa.

“Isso ameaça minar os níveis de aceitação de vacinas contra covid-19”, acrescentou ela, que também é diretora da iniciativa internacional Vaccine Confidence Project.

O estudo chega no momento em que um dos maiores esforços de criação de vacinas mostrou resultados promissores nesta semana.

Na segunda-feira, a Pfizer informou que sua vacina experimental contra a covid-19 tem eficácia de mais de 90%. Ela se baseia em dados provisórios de testes de estágio avançado. Os dados foram vistos como um passo crucial na luta para conter uma pandemia que já matou mais de 1 milhão de pessoas.

Fonte: Revista Planeta

Continuar lendo CIÊNCIAS 1: MUITAS DÚVIDAS E MÁ INFORMAÇÃO ESTÃO TOMANDO CONTA DA OPINIÃO PÚBLICA SOBRE AS VACINAS

POLÊMICA: IBOPE ADMITIU QUE PESQUISA DE INTENÇÃO DE VOTO DO SEGUNDO TURNO EM PORTO ALEGRE NÃO FOI BOA

CEO do Ibope pede desculpa

Raul Holderf Nascimento

Publicado 

em

Por Raul Holderf Nascimento

A CEO do Ibope Inteligência, Márcia Cavallari, admitiu que a pesquisa de intenção de voto do instituto em relação ao segundo turno em Porto Alegre, divulgada um dia antes do pleito, “não foi boa”.

Ao ser entrevistada pelo programa Timeline, da Rádio Gaúcha, Márcia pediu desculpas aos porto-alegrenses pelo fato.

De acordo com ela, a empresa segue analisando as causas que podem explicar a diferença tão expressiva entre o apontamento da pesquisa da véspera e o resultado das urnas.

“A gente não teve um bom desempenho na última pesquisa. Inclusive, pedimos desculpas aos porto-alegrenses.”

Na véspera do segundo turno para a prefeitura de Porto Alegre, o Ibope dava 51% dos votos válidos para Manuela D’Ávila (PCdoB) e 49% a Sebastião Melo (MDB).

No entanto, na votação, Melo ficou nove pontos à frente da candidata comunista (54% a 45%), diferença bem superior ao que estipulava a margem de erro de três pontos.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo POLÊMICA: IBOPE ADMITIU QUE PESQUISA DE INTENÇÃO DE VOTO DO SEGUNDO TURNO EM PORTO ALEGRE NÃO FOI BOA

EM TODO ESTADO DO RN VAI SER LEVANTADO O PERFIL DA COVID-19 ATRAVÉS DE PESQUISA

Pesquisa vai levantar perfil da Covid-19 em todo o RN

 SAÚDE

Objetivo é orientar novas ações de combate à pandemia; sete mil famílias serão visitadas nas oito regiões do Estado. FOTOS: ELISA ELSIE

Uma nova medida para o enfrentamento e controle da Covid-19 foi anunciada nesta sexta-feira (27) pelo Governo do Estado: a pesquisa Inquérito Sorológico de Base Populacional – Prevalência de infecção por Covid-19 no RN. Serão aplicados 24 mil questionários e testes às famílias em 7 mil domicílios, nas 8 regiões do estado – Pau dos Ferros, Mossoró, Assu, Natal, João Câmara, São José do Mipibu, Santa Cruz e Caicó.

O trabalho inicia na primeira semana de dezembro e será feito em três etapas, com intervalo de uma semana entre elas. A pesquisa tem o apoio do Comitê Científico de assessoramento ao Governo do Estado para a pandemia composto por especialistas e pesquisadores da UFRN, UERN, IFRN e do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. O questionário terá perguntas referentes a sintomas, estado de saúde, idade, comorbidades, entre outras questões importantes. Em cada município serão vinte entrevistadores e pesquisadores que farão a aplicação do questionário. Ao todo serão 160 pesquisadores em campo.

A presença das equipes nas cidades e a visitação às residências será acompanhada por policiais militares, garantindo a segurança de todos.

“Essa é mais uma medida de grande importância. Teremos equipes de profissionais qualificados que irão às casas das pessoas fazer a pesquisa e subsidiar um estudo para mostrar quais as novas ações que deveremos tomar para enfrentar a pandemia e salvar vidas. Por meio da Secretaria estadual de Saúde, o Governo já investiu R$ 236,8 milhões no combate à pandemia com recursos federais e próprios do RN. Em toda a história do SUS foram implantados 380 leitos UTI em nosso estado. Nós, com muito trabalho, dedicação e compromisso, implantamos 611 leitos durante a pandemia que ficarão para o atendimento geral à população. O Governo contratou mais de 3 mil profissionais da saúde, entre concursados e temporários, para uma melhor assistência à saúde”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

Ela destacou o acerto das medidas no combate à Covid. “As ações que tomamos refletem a seriedade, o compromisso e a transparência da gestão. Decidimos pela suspensão e retorno às atividades nos momentos certos, sempre ouvindo e respeitando a ciência. O controle da pandemia em nosso estado é resultado das medidas que tomamos”, registrou.

A governadora, entretanto, alertou para a necessidade da população continuar respeitando as normas de protetivas – usar máscara, lavar as mãos com frequência e evitar aglomerações. “A pandemia não acabou e ainda não temos uma política nacional de imunização. Portanto, não vamos dar trégua ao vírus. Devemos manter todos os cuidados, protegendo a nós mesmos e os outros”, concluiu.

Professor da UFRN e integrante do Comitê de Especialistas que assessora o Governo do Estado na pandemia, Ângelo Roncali confirmou que a identificação e registro de casos é subestimada e que a pesquisa “vai produzir estimativas de prevalência e condição das pessoas utilizando metodologia aprovada pela Organização Mundial da Saúde”. O recorte amostral é o mesmo utilizado pelo IBGE, cobrindo os municípios por inteiro, explicou Roncali para acrescentar que o estudo foi aprovado pelo comitê de ética da UFRN.

TESTAGEM

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Luchesi informou que a pesquisa também vai identificar a transmissão familiar da Covid-19. Além de responder aos questionários, as famílias serão testadas com exame de sangue que terão o resultado liberado em 20 minutos.

A presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde dos Municípios (Cosems), Maria Elisa Garcia, disse que a iniciativa é de grande importância para os municípios, uma vez que dará um panorama geral da pandemia e do seu comportamento.

Continuar lendo EM TODO ESTADO DO RN VAI SER LEVANTADO O PERFIL DA COVID-19 ATRAVÉS DE PESQUISA

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: PESQUISA APONTA QUE COMER TARDE AFETA O METABOLISMO E ATRAPALHA O EMAGRECIMENTO

O artigo a seguir tem como destaque uma pesquisa publicada no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism que focou no horário de alimentação a noite e chegou a conclusão que as pessoas que comem tarde da noite, próximo a hora de dormir afeta o metabolismo, prejudica a saúde e a longo prazo leva à obesidade. Leia o artigo completo a seguir e entenda como isso acontece!

Comer tarde da noite atrapalha o emagrecimento, diz estudo

Pesquisa indica que comer tarde, já perto do horário de dormir, altera o metabolismo e pode ser prejudicial à saúde

Escrito por Redação

Redação Minha Vida

Em 10/11/2020

Quando o assunto é dieta, o horário da alimentação sempre gera dúvidas. Afinal, comer tarde afeta o emagrecimento? De acordo com um estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, sim, o horário da refeição pode influenciar na dieta tanto quanto o que está sendo consumido.

A pesquisa reuniu 20 voluntários saudáveis que foram divididos em dois grupos: um grupo fazia o jantar de rotina, às 18h, enquanto o outro realizava o jantar tardio, às 22h. Todos tinham o mesmo período fixo de sono, das 23h às 7h.

Para compreender quais são os efeitos que o horário da refeição pode exercer no corpo, os pesquisadores verificavam a glicose plasmática noturna e na manhã seguinte. Além de observar os níveis de insulina, triglicerídeos, ácidos graxos livres (FFAs), cortisol, oxidação de ácidos graxos na dieta e polissonografia durante a noite.

Comer tarde: resultados do estudo

Aqueles que foram comer tarde, às 22h, apresentaram glicose mais alta, um atraso de pico de triglicerídeo, menor FFA e oxidação de ácidos graxos. Esses efeitos, caso ocorram de forma crônica, podem levar à obesidade segundo a pesquisa.

Além disso, apesar de não afetar as fases e ciclos do sono, comer tarde causou aumento no cortisol, cuja produção elevada pode levar a problemas como:

  • Hipertensão
  • Hiperglicemia
  • Obesidade
  • Pele frágil
  • Listras roxas no abdômen
  • Perda de massa muscular e fraqueza
  • Osteoporose
  • Períodos menstruais irregulares
  • Excesso de pelos (em mulheres)
  • Atraso no desenvolvimento e baixa estatura (em crianças).

Com base nos dados colhidos entre os grupos, o estudo concluiu que a ingestão de calorias no final do dia, próximo ao horário de dormir, tem associação à obesidade e à síndrome metabólica. Por isso, a recomendação é evitar comer tarde, priorizando refeições sempre nos mesmos horários, criando uma rotina alimentar saudável e regular.

Síndrome metabólica: o que é e quais são os sintomas

A síndrome metabólica é um conjunto de doenças – como obesidade e pressão alta – que, quando associadas, aumentam o risco de problemas cardiovasculares. A causa é a resistência à insulina, que acontece geralmente com o ganho de peso ou com diabetes tipo 2.

O ganho de peso nesse processo promove aumento da pressão arterial e alterações de triglicérides e colesterol. Os sintomas mais comuns são:

  • Problemas de colesterol (que aumentam o risco de infarto e derrame)
  • Hipertensão
  • Diabetes
  • Acantose nigricans, escurecimento da pele em regiões como cotovelos, axilas e pescoço
  • Acrocórdons, crescimento da pele do pescoço, levando ao aparecimento de lesões que lembram pequenas verrugas escurecidas.

Evitar comer tarde, adotar uma dieta saudável, rica em fibras, frutas, carnes magras e vegetais, e realizar atividades físicas regularmente é essencial para prevenção da síndrome.

Fonte: 

Redação

Minha Vida

Continuar lendo ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: PESQUISA APONTA QUE COMER TARDE AFETA O METABOLISMO E ATRAPALHA O EMAGRECIMENTO

CIÊNCIAS: VACINA CONTRA CÂNCER 100% EFICAZ É A NOTÍCIA DO ANO

A notícia do ano é o destaque da nossa coluna CIÊNCIAS desta sexta-feira. Qual é a notícia do ano? Uma vacina criada na Universidade de Harvard, contra o câncer agressivo é 100% eficaz em testes realizados em camundongos. E o melhor ainda é que ela é colocada perto do local do tumor e evita a quimioterapia no corpo todo. É o suprassumo das vacinas! Então, não deixe de ler a reportagem completa a seguir para se inteirar dessa notícia espetacular! 

Vacina contra câncer criada em Harvard é eficaz em 100% dos testes

A notícia do ano! Pesquisadores do Harvard’s Wyss Institute, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, desenvolveram e estão testando uma vacina personalizada e revolucionária contra o câncer agressivo.

Chamada de vacina “implantável”, do tamanho de uma aspirina, ela é colocada perto do local do tumor e evita a quimioterapia no corpo todo. E uma vez aplicada, ela faz uma reprogramação do sistema imunológico para atacar as células cancerosas, não só naquele local, mas no corpo inteiro.

A nova vacina é baseada em biomaterial e combina quimioterapia e imunoterapia para tratar tumores resistentes. Ela foi testada em ratos e “100% deles sobreviveram”, informou nesta quarta, 11, o site da Universidade de Harvard. A pesquisa foi publicada na Nature Communications. (vídeo legendado abaixo)

“100% dos camundongos que receberam a vacina em gel sobreviveram sem metástase, enquanto todos os camundongos não tratados morreram”, afirma a reportagem da universidade.

“A capacidade desta vacina de induzir respostas imunes potentes sem exigir a identificação de antígenos específicos do paciente é uma grande vantagem, assim como a capacidade da administração de quimioterapia local de contornar os graves efeitos colaterais da quimioterapia sistêmica, o único tratamento atualmente disponível para o doença ”, disse Robert P. Pinkas, um dos autores e líder da plataforma de Immuno-Materials no Wyss Institute.

“Esta vacina não apenas ativa as células dendríticas com TAAs específicos do tumor in situ, mas também remodela o microambiente do tumor para permitir ao sistema imunológico um maior acesso ao tumor e cria uma memória imunológica que evita novas recorrências.”

“O câncer de mama triplo-negativo não estimula respostas fortes do sistema imunológico e as imunoterapias existentes não conseguiram tratá-lo. No nosso sistema, a imunoterapia atrai várias células imunológicas para o tumor, enquanto a quimioterapia produz um grande número de fragmentos de células cancerosas mortas que as células imunológicas podem pegar e usar para gerar uma resposta específica do tumor eficaz “, explicou o co-primeiro autor Hua Wang, ex-pós-doutorado em Harvard e atual professor assistente no Departamento de Ciência e Engenharia de Materiais da Universidade de Illinois, Urbana-Champaign.

Vacina personalizada

Desenvolvida pela primeira vez em 2009, a vacina injetável contra o câncer tem se mostrado uma grande promessa no tratamento de vários tipos de câncer em camundongos e tem sido explorada em ensaios clínicos para o tratamento de melanoma no Dana Farber Cancer Institute.

“O implante de drogas quimioterápicas dentro da estrutura da vacina cria uma explosão de morte de células cancerosas que libera TAAs diretamente do tumor para as células dendríticas, evitando o longo e caro processo de desenvolvimento de antígenos”, disse o co-primeiro autor Alex Najibi, um estudante de graduação da SEAS no laboratório de David Mooney.

Na formulação original da vacina, moléculas encontradas em células cancerosas – chamadas antígenos associados a tumores (TAAs) – foram incorporadas junto com adjuvantes dentro do arcabouço do tamanho de uma aspirina para que as células dendríticas que chegam pudessem reconhecê-las como “estranhas” e montar uma resposta imune direcionada contra o tumor.

Esses TAAs podem ser isolados de tumores colhidos ou identificados por sequenciamento do genoma de células cancerosas e, posteriormente, fabricados, mas ambos os processos para criar vacinas contra o câncer personalizadas podem ser longos, tediosos e caros.

Os testes

Wang, Najibi e seus colegas decidiram aplicar essa nova tática de vacina contra o câncer ao TNBC, uma doença na qual os tumores suprimem agressivamente a atividade imunológica em sua área local, limitando a eficácia da imunoterapia.

A equipe carregou primeiro seu arcabouço de hidrogel de alginato com uma molécula de proteína chamada Fator Estimulante de Colônia de Granulócitos-Macrófagos (GM-CSF).

O GM-CSF estimula o desenvolvimento e a concentração de células dendríticas, que captam antígenos de tumores e outros invasores e os apresentam às células T nos gânglios linfáticos e baço para iniciar uma resposta imune.

Eles também adicionaram a droga quimioterápica doxorrubicina (Dox) ligada a um peptídeo chamado iRGD. iRGD é conhecido por penetrar em tumores e ajuda a direcionar o Dox para tumores após a liberação.

Quando camundongos com tumores TNBC foram injetados com a nova vacina, aqueles que receberam um arcabouço carregado com GM-CSF e o conjugado Dox-iRGD mostraram uma penetração significativamente melhor da droga nos tumores, aumento da morte de células cancerosas e menos tumores metastáticos nos pulmões do que aqueles que receberam géis contendo Dox conjugado a uma molécula de peptídeo embaralhada, Dox não modificada ou não foram tratados.

A análise mostrou que eles haviam acumulado um grande número de células dendríticas, indicando que os componentes da imunoterapia e da quimioterapia da vacina estavam ativos.

Terceiro componente

Encorajada pelos resultados, a equipe experimentou adicionar um terceiro componente à vacina chamado CpG, uma sequência de DNA bacteriano sintético que é conhecido por aumentar as respostas imunológicas.

Os camundongos que receberam vacinas com esta adição exibiram um crescimento tumoral significativamente mais lento e tempos de sobrevivência mais longos do que os camundongos que receberam vacinas sem ela.

Para avaliar a força e a especificidade da resposta imune gerada por esta vacina de três partes, os pesquisadores extraíram e analisaram células de nódulos linfáticos e baços dos animais. Surpreendentemente, 14% das células T retiradas dos gânglios linfáticos reagiram contra as células tumorais, indicando que foram “treinadas” pelas células dendríticas para direcionar o câncer, em comparação com apenas 5,3% dos camundongos que receberam a vacina de duas partes e 2,4% das células T de camundongos não tratados.

Além disso, dar uma dose de “reforço” da vacina 12 dias após a injeção aumentou ainda mais o tempo de sobrevivência.

Ação localizada

Embora esses resultados tenham revelado o efeito da vacina na ativação do sistema imunológico, a equipe também queria entender como ela afetava o microambiente local do tumor.

A análise das vacinas e de seus tumores próximos revelou que as células em tumores tratados com géis contendo GM-CSF, Dox-iRGD e CpG tinham uma quantidade aumentada da proteína calreticulina em suas superfícies, o que é um indicador de morte celular.

Os camundongos que receberam a vacina de três partes também exibiram um maior número de macrófagos pró-inflamatórios: leucócitos que estão associados a uma melhor atividade anticâncer e maior sobrevida.

Os pesquisadores também descobriram que o tratamento causou um aumento na expressão da proteína da superfície celular PD-L1 nas células tumorais, que é usada pelo câncer para evitar a detecção imunológica.

Eles tinham um palpite de que a co-administração de um tratamento com um inibidor de checkpoint anti-PD-1 que bloqueia essa evasão imunológica com a vacina aumentaria sua eficácia.

Eles implantaram a vacina de três partes em camundongos e, em seguida, injetaram o anti-PD-1 separadamente.

Os camundongos tratados com a combinação de vacina em gel e anti-PD-1 mostraram tamanho e número de tumor significativamente reduzidos e sobreviveram por uma média de 40 dias em comparação com 27 dias para camundongos não tratados e 28 dias para camundongos que receberam anti-PD-1 sozinho .

Esta sinergia sugeriu que a vacina pode ser melhor usada em combinação com terapias com inibidores de checkpoint.

Para imitar como a vacina contra o câncer pode ser administrada a pacientes humanos, a equipe testou sua capacidade de prevenir a recorrência do câncer após a remoção de um tumor primário.

Eles excisaram cirurgicamente os tumores TNBC de camundongos, depois injetaram sua vacina de hidrogel de três partes ou uma vacina líquida contendo todos os componentes em uma suspensão perto do local original do tumor.

Ambos os grupos tratados tiveram recorrência tumoral significativamente menor, mas a vacina em gel produziu crescimento tumoral significativamente mais lento e melhorou a sobrevida.

Próximos passos

A equipe continua a explorar a combinação de quimioterapia com vacinas contra o câncer e espera melhorar sua eficácia antitumoral para outros modelos de tumor de difícil tratamento.

E espera fazer estudos futuros para compreender mais e otimizar o sistema para que ele avance pra testes pré-clínicos e, eventualmente, pacientes humanos.

Este trabalho foi apoiado pelo National Institutes of Health, a Wyss Technology Development Fellowship e a National Science Foundation.

Veja como funciona:

Com informações da Nature e Harvard

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo CIÊNCIAS: VACINA CONTRA CÂNCER 100% EFICAZ É A NOTÍCIA DO ANO

OS CANDIDATOS MAIS BEM COLOCADOS NO RIO RESPONDEM A QUESTÕES SOBRE CORRUPÇÃO

Por Edimilson Ávila e Mariana Gross, RJ1

 

O RJ1 ouve nesta semana as propostas dos candidatos à Prefeitura do Rio mais bem colocados, segundo a última pesquisa Ibope, para combater a corrupção. O tema foi sugerido pelos eleitores durante uma pesquisa feita no último mês de setembro.

A honestidade dos candidatos foi um requisito citado por 67% dos eleitores ouvidos no estudo de satisfação.

Alguns itens são importantes para combater a corrupção, como: assessoria jurídica nas secretarias, para avaliar contratos; a Controladoria Geral do Município, para analisar os gastos da gestão; e a Procuradoria Geral do Município, observando irregularidades em leis.

Os candidatos também falaram sobre transparência na divulgação das contas públicas.

Eduardo Paes (DEM)

Veja propostas de Eduardo Paes (DEM) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Eduardo Paes (DEM) para o combate à corrupção no Rio

“Nós vamos criar uma secretaria de integridade pública, para poder fazer o monitoramento e acompanhamento e controle de todas as ações governamentais e dos agentes públicos. Vamos ter teste de integridade para identificar agentes públicos que estejam cometendo irregularidades, ilícitos e desvios. Principalmente, fazer permanentemente, pelo menos naqueles agentes públicos que têm poder de decisão, terá a verificação de sinais exteriores de riqueza. Essa é uma forma que a gente tem para acompanhar e prevenir que esse tipo de atitude aconteça.

Muito objetivamente, é fundamental digitalizar todos os dados, é fundamental que todos os dados estejam disponíveis no Portal da Transparência para aqueles que tenham o desejo de investigar, de acompanhar, o papel da imprensa é importante, dos órgãos de controle, mas tem também um outro papel importante que é fazer com que esses dados sejam palatáveis, facilmente identificáveis pela população em geral, mesmo que as pessoas não entendam profundamente de finanças públicas. Então, nós vamos fazer muita transparência, muito acesso por meios digitais às contas, procedimentos e atos de toda a administração pública municipal.”

Marcelo Crivella (Republicanos)

Veja propostas de Marcelo Crivella (Republicanos) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Marcelo Crivella (Republicanos) para o combate à corrupção no Rio

“O governante tem que ser radical contra a corrupção e dar o exemplo. Aqui no Rio de Janeiro, a gente criou o integridade carioca, um departamento para apurar isso. Foi graças a ele que vencemos a Linha Amarela, que demorou três anos. Nós demos idoneidade na Lamsa, OES, na Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia e está em processo a Odebrecht. Nós somos, digamos assim, 100% contra a corrupção. É isso que temos que continuar fazendo. Tem R$ 6 bilhões que detectamos de superfaturamento. E trazendo de volta para prefeitura vai dar pra asfaltar a cidade inteira e acabar com problema de saneamento.

Eu gostaria até de conversar com o controlador-geral da União para saber aqui no Rio de Janeiro o que não está transparente. Na minha opinião, tudo que o cidadão quiser saber está lá. Pode ser que haja alguma coisa que a gente não colocou porque não há espaço para isso e há outras coisas mais interessantes e importantes das pessoas saberem, políticas da saúde, da educação, da assistência social, mas tudo que o carioca quiser saber, ele vai saber. Do salário do prefeito, da agenda do prefeito, dos secretários, das despesas da prefeitura, em qualquer setor, tudo isso pode ser obtido na prefeitura. É o que faz a Defensoria, o Ministério Público e a própria Justiça. No Rio de Janeiro, a transparência é total, eu posso garantir. Eu espero que a Controladoria Geral da União tenha também transparência para mostrar para gente os critérios que eles usam.”

Martha Rocha (PDT)

Veja propostas de Martha Rocha (PDT) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Martha Rocha (PDT) para o combate à corrupção no Rio

“Como presidente da Comissão Covid-19, que apurou os desvios de dinheiro público em tempos de pandemia, eu tive a oportunidade de participar da elaboração de duas importantes leis. A primeira que trata das novas formas de contratação das organizações sociais. A outra que garante a transparência dos contratos públicos. Na nossa gestão na Prefeitura do Rio, vamos ter uma ação proativa, garantindo amplamente a participação da Controladoria, bem como outros órgãos de controle do Ministério Público e do Tribunal de Contas do município. Temos que ter uma ação preventiva de modo a acabar de vez com as ações de corrupção na gestão pública.

A lei que garante a transparência das atividades dos poderes públicos existe desde 2011. Entretanto, quando você visita o site da prefeitura do Rio, é como se você a todo tempo tivesse vencendo um teste de resistência e fosse levado para pegadinhas e labirintos. A nossa gestão é de um governo aberto, portanto, vamos criar o gabinete digital da cidade do Rio de Janeiro, através de um aplicativo em que a população vai poder acompanhar em tempo real as decisões e a aplicação dos recursos públicos da prefeitura do Rio. E com isso, nós vamos garantir total transparência das ações da prefeitura.”

Luiz Lima (PSL)

Veja propostas de Luiz Lima (PSL) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Luiz Lima (PSL) para o combate à corrupção no Rio

“A corrupção é endêmica no nosso país e parece que no município do Rio de Janeiro ela é ainda mais grave. Para isso, a gente vai trazer pessoas boas, competentes e honestas para administrar as secretarias, as autarquias, subprefeituras e empresas municipais. O Ministério Público estará presente, o Tribunal de Contas fará parte também desse processo. É preciso respeito com o recurso pago pelos impostos do simples cidadão. O Rio de Janeiro precisa ser transparente, a prefeitura deve ser transparente e o prefeito deve estar sempre presente com o objetivo principal: combater a corrupção.

É muito difícil para o cidadão pesquisar no portal da Prefeitura, buscar informações, informações transparentes, seja o órgão que for. As siglas, as informações, são muito complexas. O cidadão não precisa ser um técnico para receber essas informações. A Controladoria-Geral da União está correta: é muito difícil você buscar informações nos órgãos da prefeitura do Rio de Janeiro. O cidadão precisa ser respeitado, afinal de contas, é ele que paga a conta. Ele é um cliente e ele precisa ter respostas. Ele precisa ter as suas solicitações atendidas a tempo e com eficiência. No meu governo, a transparência será prioridade.”

Benedita da Silva (PT)

Veja propostas de Benedita da Silva (PT) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Benedita da Silva (PT) para o combate à corrupção no Rio

“Para combater a corrupção, eu vou fiscalizar e também a sonegação, porque sonegando nós retomamos o dinheiro da saúde, da educação e tiramos da assistência social. Nos 100 primeiros dias, eu quero colocar uma auditoria para que os contratos que tiverem vantagens indevidas sejam cancelados. Vou também criar um canal público para que as pessoas possam fazer denúncias e todas elas serão denúncias investigáveis. A controladoria será fortalecida para que as licitações possam buscar melhores preços.

Nós teremos um orçamento aonde a população, o cidadão, vai decidir sobre os gastos, o que é importante para ser feito no seu bairro. O debate será aberto. O Portal de Transparência deverá funcionar para que as pessoas tenham informações precisas, porque o sistema que hoje está aí, não funciona. O nosso atendimento vai garantir que as respostas venham com prazos para que, no telefone ou no aplicativo, essa população saiba, porque ninguém pode colocar viaduto, derrubar o viaduto, sem que a população saiba do que realmente o governante vai estar fazendo.”

Bandeira de Mello (Rede)

Veja as propostas de Eduardo Bandeira de Mello (Rede) para combater a corrupção no Rio
Veja as propostas de Eduardo Bandeira de Mello (Rede) para combater a corrupção no Rio

“A melhor forma de combater a corrupção é a urna, votando em candidatos honestos e competentes, afinal, a solução não vai vir exatamente de quem criou o problema. Nós vamos colocar o Rio de Janeiro como a capital mais transparente do Brasil, segundo o Portal de Transparência, até o final do nosso governo. E para isso nós vamos ter uma administração eficiente, informatizada e sem entraves burocráticos. Eu ainda faço questão de ter a fiscalização rigorosa e permanente da Controladoria do Município, do Tribunal de Contas e da Câmara de Vereadores. E também um processo estrutural de avaliação de políticas públicas pelo Instituto Pereira Passos. Com transparência total de todos os atos de governo não haverá espaço para desvios éticos.”

Renata Souza (PSOL)

Veja as propostas de Renata Souza (PSOL) para o combate à corrupção no Rio
Veja as propostas de Renata Souza (PSOL) para o combate à corrupção no Rio

“Nós vamos investir no planejamento, transparência e participação popular. Isso faz com que a corrupção não seja algo sistêmico como a gente viu nos últimos governos da Prefeitura do Rio de Janeiro. Então, nós vamos criar um gabinete virtual, onde todos os dados, as informações técnicas, administrativa e o orçamento estejam disponíveis. A ideia é que os leilões e os editais da prefeitura tenham transmissões ao vivo. E vamos fortalecer a comunicação entre os conselhos de políticas públicas e os conselhos de moradores, porque a gente quer salvar o Rio e apostar na democracia, no acesso e transparência de toda ação. Vamos trazer o povo para o centro das decisões da Prefeitura do Rio de Janeiro.”

Fred Luz (Novo)

Veja propostas de Fred Luz (Partido Novo) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Fred Luz (Partido Novo) para o combate à corrupção no Rio

“Não há dúvida que tem muita corrupção na cidade do Rio de Janeiro. E a principal razão é a falta de transparência. Nós vamos dar transparência total a todos os atos e decisões da prefeitura desde o primeiro momento. A sociedade civil já tem instrumentos de controle e de propagação da transparência. A falta de transparência é o principal pilar da corrupção. Nós vamos chamar e estamos chamando a sociedade civil, via Conselho Regional de Contabilidade, para nos apoiarem para medir isso também. Lá no Flamengo, onde eu fui diretor-geral, desde o primeiro ano nós ganhamos todos os prêmios de transparência.”

Paulo Messina (MDB)

Veja propostas de Paulo Messina (MDB) para o combate à corrupção no Rio
Veja propostas de Paulo Messina (MDB) para o combate à corrupção no Rio

“Primeira coisa não vai ter partido político nomeando para secretarias. Os secretários no nosso governo serão só técnicos. Segundo, acabar com os contratos emergenciais e com concorrências. A gente vai ter licitações só com pregão eletrônico. Vamos refazer inclusive os atuais. Terceiro, nós vamos dar liberdade total para a CGM, para a Controladoria Geral do Município, empoderamento da Controladoria. Quarto, livre acesso à informação. A Lei de Acesso à Informação hoje só dá resultado com 30 dias. Vai ser imediato para Ministério Público, para imprensa, para a Câmara, para todos os órgãos de controle. Por último, processo eletrônico. Vou pegar todos os processos físicos escondidos em gabinete e transformar em processo eletrônico, na internet, em tempo real, para você, para todo mundo consultar. No nosso governo, a corrupção no Rio de Janeiro vai acabar.”

Vídeos: Candidatos falam sobre propostas para a Saúde:

10 vídeos

Veja propostas de Benedita da Silva (PT) para a Saúde no Rio

Veja propostas de Renata Souza (PSOL) para a Saúde no RioVeja propostas de Martha Rocha (PDT) para a Saúde no Rio

Continuar lendo OS CANDIDATOS MAIS BEM COLOCADOS NO RIO RESPONDEM A QUESTÕES SOBRE CORRUPÇÃO

POPULAÇÃO DE MACAIBA AVALIA A GOVERNADORA FÁTIMA BEZERRA COMO REGULAR

Governo Fátima Bezerra é avaliado como regular por 38,2% da população de Macaíba

08 nov 2020

Pesquisa Agora Sei/Política em Foco aponta que o Governo Fátima Bezerra é considerado regular por 38,2% da população de Macaíba.

Outros 18% consideram a gestão ruim.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte com o número 9314/2020. As 500 entrevistas foram feitas no dia primeiro de novembro e a margem de erro é de 4,3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra.

Confira os números completos:

Fonte: Política em Foco

Continuar lendo POPULAÇÃO DE MACAIBA AVALIA A GOVERNADORA FÁTIMA BEZERRA COMO REGULAR

BOAS NOTÍCIAS: UM TIPO DE ERVA DANINHA CONSEGUIU INTERROMPER O CRESCIMENTO DAS CÉLULAS DE CÂNCER DE MAMA

Cientistas estudam a planta há mais de uma década e agora o resultado da pesquisa foi publicado na revista científica New Phytologist. Uma pesquisa inovadora que vem do Reino Unido, cujos cientistas estudam uma planta há mais de uma década, concluiu que  e a tal erva daninha conseguiu interromper o crescimento das células do câncer de mama. planta é pequena e nativa da Europa e Ásia. É uma planta herbácea da família das Brassicaceae, a mesma da mostarda. Então te convido a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa incrível descoberta!

Erva daninha impede que câncer de mama se espalhe: estudo

Um tipo de erva daninha conseguiu interromper o crescimento das células do câncer de mama.

Cientistas estudam a planta há mais de uma década e agora o resultado da pesquisa foi publicado na revista científica New Phytologist.

A pesquisa inovadora vem do Reino Unido e a planta é a Arabidopsis thaliana, que tem flor, é pequena e nativa da Europa e Ásia.

É uma planta herbácea da família das Brassicaceae, a mesma da mostarda.

Bloqueio do câncer

As folhas foram tratadas com o hormônio vegetal jasmonato, uma substância descoberta no jasmim que aumenta as respostas das plantas ao estresse.

Em seguida, eles incubaram as folhas tratadas com células de câncer de mama.

Os pesquisadores descobriram que não apenas as células cancerosas pararam de crescer, mas as células normais permaneceram inalteradas.

Isso é significativo porque o uso da planta no tratamento do câncer de mama pode potencialmente levar a um tempo de recuperação mais rápido e menos efeitos secundários para pacientes submetidas a tratamento químico.

Novos tratamentos

A professora Alessandra Devoto, do Departamento de Ciências Biológicas da Royal Holloway University, vem conduzindo essa pesquisa desde 2006.

O trabalho também tem colaboração da Dra. Amanda Harvey, da Brunel University London, e do Prof Nicholas Smirnoff da Universidade de Exeter.

Eles também descobriram mecanismos moleculares associados às mudanças nas células do câncer de mama.

Isso vai permitir o desenvolvimento de novos tratamentos.

“Estou realmente entusiasmada por ter descoberto o incrível impacto que esta planta despretensiosa tem nas células do câncer de mama. A descoberta prova que mesmo as plantas que não tem características medicinais podem funcionar para o tratamento do câncer”, disse a professora Alessandra Devoto.

A doutora Harvey e o Professor Smirnoff acrescentaram:

“Isso também servirá para outras doenças e para o progresso desta pesquisa, obtendo mais financiamento para beneficiar a sociedade de forma mais ampla”, concluíram.

Com informações do GNN

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: UM TIPO DE ERVA DANINHA CONSEGUIU INTERROMPER O CRESCIMENTO DAS CÉLULAS DE CÂNCER DE MAMA

CIÊNCIA: DORMIR 29 MINUTOS A MAIS CADA NOITE PODE SER A CHAVE PARA MELHORAR A ATENÇÃO PLENA

Uma pesquisa que “finalmente” aponta o número perfeito de minutos extras de sono por noite para melhorar a atenção plena no dia seguinte é o destaque, aqui da coluna CIÊNCIAS desta quarta-feira. Por isso lhe convido a ler o texto completo a seguir e entender como esse estudo chegou a essa inusitada conclusão!

Estudo revela o número perfeito de minutos extras de sono por noite para melhorar a atenção plena

 

A plena atenção é alcançada trazendo intencionalmente a consciência e a atenção de um indivíduo para as experiências que ocorrem no momento presente, sem formar uma opinião.

Ao contrário de estudos anteriores, uma nova pesquisa publicada no  Sleep Health  analisou como as múltiplas dimensões do sono noturno impactam a atenção diária, ao invés de focar apenas na qualidade ou duração do sono.

O estudo, liderado pela University of South Florida, descobriu que um sono melhor melhora a atenção plena no dia seguinte, o que, por sua vez, reduz a sonolência durante o dia.

A pesquisa se concentrou em enfermeiras, o maior grupo de profissionais de saúde cuja necessidade de sono ideal e atenção plena é particularmente alta.

Problemas de sono são comuns nesta população devido a longos turnos, falta de controle situacional e proximidade de condições de saúde potencialmente fatais. Sua ótima saúde do sono e atenção plena são particularmente importantes, pois atuam na linha de frente da pandemia COVID-19.

“Pode-se estar acordado e alerta, mas não necessariamente atento. Da mesma forma, uma pessoa pode estar cansada ou com pouca excitação, mas ainda assim pode estar consciente ”, disse o autor principal Soomi Lee, professor assistente de estudos de envelhecimento da USF . “A atenção plena está além de apenas estar acordado. Indica o controle da atenção e autorregulação que facilita a sensibilidade e o ajuste adaptativo às pistas ambientais e internas, que são essenciais ao fornecer cuidados cuidadosos aos pacientes e ao lidar eficazmente com situações estressantes ”.

Lee e seus colegas da USF e do Moffitt Cancer Center acompanharam 61 enfermeiras por duas semanas e examinaram várias características da saúde do sono. Eles descobriram que a atenção cuidadosa das enfermeiras era maior do que o normal após noites com maior suficiência de sono, melhor qualidade do sono, menor eficiência, e maior duração do sono (meia hora extra a mais).

A atenção consciente diária contribuiu para menos sonolência no mesmo dia. Aqueles com maior atenção plena também tiveram 66% menos probabilidade de apresentar sintomas de insônia durante o período de estudo de duas semanas.

Os pesquisadores chegaram a essas conclusões usando uma variedade de ferramentas para medir o quanto os participantes estavam conscientes a cada momento diário e como seus estados mentais eram afetados pelo sono.

Os participantes foram solicitados a responder a perguntas diárias sobre a consciência plena e a sonolência três vezes por dia durante duas semanas usando o aplicativo para smartphone RealLife Exp.

A atenção plena diária foi medida pela Escala de Conscientização de Atenção Consciente, que fazia perguntas como: “Eu estava fazendo algo automaticamente, sem estar ciente do que estava fazendo” e “Estava achando difícil manter o foco no que estava acontecendo”. Os participantes também usaram um dispositivo Actiwatch Spectrum pelas mesmas duas semanas que mediu a atividade do movimento do pulso para quantificar os padrões de sono e vigília.

Os resultados deste estudo fornecem informações sobre o desenvolvimento de uma estratégia de intervenção de saúde comportamental para uma gama mais ampla de pessoas, especialmente profissionais de saúde que precisam de um sono melhor e de atenção plena. Dada a associação entre atenção consciente e melhor atendimento ao paciente, melhorar o sono nessa população também pode trazer benefícios importantes para os resultados de saúde do paciente.

Fonte: goodnewsnetwork.org

Continuar lendo CIÊNCIA: DORMIR 29 MINUTOS A MAIS CADA NOITE PODE SER A CHAVE PARA MELHORAR A ATENÇÃO PLENA

PESQUISA MOSTRA EFICÁCIA DE MEDICAMENTO NO TRATAMENTO DE CÂNCER DE MAMA

 

Saiba o que existe de mais avançado no tratamento do câncer de mama

Conquistas mais recentes trazem medicamentos que agem diretamente na célula doente ou estimulam o sistema imune a atacar o câncer

Existem diferente tumores de câncer de mama, portanto há avanços  em tratamentos que comtemplam um tipo específico. O oncologista  NOAN PONDE do A.C CAMARGO CÂNCER CENTER, disse que durante um congresso Europeu houve grande avanço na eficácia do medicamento chamado Abemaciclib para tumores luminais na fase inicial quando não há metástase. Esse medicamento faz parte dos chamados inibidores de ciclina, impede a divisão e multiplicação das células cancerosas.

SAÚDE

Brenda Marques, do R7

 

Cada avanço no tratamento serve para um tipo específico de câncer de mama

Freepik

O câncer de mama não é uma doença única, existem diferentes tumores e, portanto, há tratamentos e avanços que contemplam um tipo específico dentre eles. As conquistas mais recentes são no âmbito da terapia-alvo, que age diretamente nas células cancerígenas sem afetar as que estão saudáveis e da imunoterapia, que estimula o próprio sistema imunológico a atacar o câncer.

Noam Ponde, oncologista clínico do A.C. Camargo Cancer Center, afirma que no mês passado, durante o Congresso Europeu, houve um grande avanço, com a apresentação de uma pesquisa que mostrou a eficácia de um medicamento chamado abemaciclib para tratar pacientes com tumores luminais -que têm receptores de estrógeno e progesterona – na fase inicial, quando não há metástase.

Esse tipo de tumor corresponde a mais de 70% dos cânceres de mama, de acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer).

“Antes, eles eram usados só para pacientes com câncer metastático [quando o tumor já se espalhou para outras partes do corpo]. O estudo mostrou que quando esse remédio é usado por dois anos junto com a terapia endócrina aumenta a chance de cura para mulheres com alto risco de reaparecimento da doença”, explica.

O especialista explica que esse medicamento faz parte dos chamados inibidores de ciclina, um tipo de terapia-alvo que impede a divisão e multiplicação das células cancerosas.

Ainda em 2019, foram obtidas conquistas para tratar mulheres com câncer metastático do tipo HER2. Assim chamado em referência à proteína que ele expressa, esse tumor representa 20% dos cânceres de mama.

“Tivemos a aprovação de três drogas nos Estados Unidos: neratinib, tucatinib e trastuzumab-deruxtecan. Os três são terapia-alvo, mas de catecorias distintas”, detalha Ponde.

O oncologista esclarece que o último medicamento citado pertence à classe dos anticorpos monoclonais, que agem em um receptor específico da célula cancerígena, “É como um míssil teleguiado e joga dentro da célula a quimioterapia, então você consegue uma eficácia maior e toxicidade menor”, compara.

“Estudos mostraram que pacientes que já haviam feito outros tratamentos e receberam essas drogas apresentaram uma diminuição do tumor e, além disso, a doença ficou sob controle por um tempo mais longo do que o esperado”, destaca.

Também ano passado, o Brasil aprovou a primeira imunoterapia destinada para pacientes com câncer de mama no país, feita com um medicamento injetável chamado atezolizumabe.

O mecanismo de ação da imunoterapia consiste em “destravar” o sistema imune, que é bloqueado por alguns tipos de câncer. Essa liberação permite que as células de defesa do organismo reconheça e destrua o câncer, conforme descreve Ponde.

“O problema é que, com o fortalecimento do sistema imunológico, outras partes do corpo acabam sendo atacadas, como pulmão, pâncreas e glândula tireoide, então tem risco de hipotireoidismo”, explica.

Além disso, a abrangência da imunoterapia para o câncer de mama é muito limitada: seu uso está aprovado por órgãos reguladores só para pacientes que possuem câncer de mama triplo-negativo (que não possuem receptores hormanais nem a proteína HER2), metastático e a expressão de uma molécula chamada PDL-1, que impede o combate às células cancerosas.

“Existem dados promissores [sobre a eficácia para outros tipos de cânceres de mama], mas precisa de aprovação do FDA [Food and Drug Administration, a agência reguladora americana], que significa muita coisa no contexto de novos tratamentos”, frisa o oncologista.

‘Brasil está atrasado’

Questionado sobre o panorama brasileiro para o tratamento dos tumores de mama, o especialista enfatiza o atraso – na aprovação, comercialização, incorporação de novos medicamentos no SUS (Sistema Único de Saúde) e obrigatoriedade de cobertura por convênios.

“Uma caixa de abemaciclib custa R$ 18 mil por mês e os planos de saúde não são obrigados a pagar. Imagine a angústia de você receber o diagnóstico, ter o tratamento disponível, mas não poder pagar. Só consegue se processar o convênio, o que é absurdo”, ressalta

“Nesse momento está havendo uma consulta pública sobre a inclusão dos inibidores de ciclina no rol da ANS (Agência Nacional de Saúde), o que tornaria a cobertura obrigatória”, informa.

A inclusão no SUS está ainda mais distante e, por enquanto, não passa de uma utopia. “Nesse momento nem se pensa nisso. Esse ano o SUS integrou uma droga chamada pertuzumabe que as pessoas já tomam há 9 anos para tratar o tumor do tipo HER2”, exemplifica.

Continuar lendo PESQUISA MOSTRA EFICÁCIA DE MEDICAMENTO NO TRATAMENTO DE CÂNCER DE MAMA

PESQUISA IBOPE EM NATAL APONTA OS PERCENTUAIS DE INTENÇÕES DE VOTOS PARA PREFEITO DA CAPITAL

Pesquisa Ibope em Natal: Álvaro Dias, 44%; Kelps, 7%; Delegado Leocádio, 7%

26 out 2020

Álvaro cresce, Kelps sofre queda de 12% para 7%, Leocádio sobe, Hermano cai e Jean cresce em pesquisa do IBOPE - Thalita Moema Informação e aqui!

Pesquisa Ibope divulgada pela Inter TV Cabugi nesta segunda-feira (26) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura de Natal nas Eleições 2020:

Fernando Freitas (PCdoB), Afrânio Miranda (Podemos) e Nevinha Valentim (PSOL) tiveram menos de 1%. A candidata Jaidy Oliver (DC) não foi citada. Fernando Pinto (NOVO), que figurava na primeira pesquisa, desistiu da candidatura no dia 16 de outubro.

A pesquisa foi encomendada pela Inter TV Cabugi.

Evolução

  • Álvaro Dias foi de 33% para 44%;
  • Kelps foi de 12% para 7%;
  • Delegado Leocádio foi de 3% para 7%;
  • Hermano Morais foi de 6% para 5%;
  • Senador Jean foi de 2% para 5%;
  • Coronel Azevedo se manteve com 2%;
  • Coronel Helio Oliveira foi de 1% para 2%;
  • Carlos Alberto foi de 4% para 1%;
  • Rosália Fernandes se manteve com 1%;
  • Fernando Freitas foi de 2% para 0%;
  • Afrânio Miranda se manteve com 0%;
  • Nevinha Valentim se manteve com 0%;
  • Jaidy Oliver De Sousa teve 1% na pesquisa de 6 de outubro e não foi citada nesta;
  • Brancos e nulos foram de 20% para 17%;
  • Indecisos foram de 11% para 9%.

Rejeição

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes:

  • Delegado Leocádio (PSL): 30%
  • Kelps (Solidariedade): 18%
  • Senador Jean (PT): 18%
  • Hermano Morais (PSB): 17%
  • Coronel Azevedo (PSC): 14%
  • Álvaro Dias (PSDB): 13%
  • Rosália Fernandes (PSTU): 12%
  • Coronel Helio Oliveira (PRTB): 12%
  • Carlos Alberto (Beto) (PV): 11%
  • Nevinha Valentim (PSOL): 11%
  • Afrânio Miranda (Podemos): 10%
  • Fernando Freitas (PCdoB): 9%
  • Jaidy Oliver (DC): 9%
  • Poderiam votar em todos: 1%
  • Não sabem ou preferem não opinar: 24%

Os entrevistados podiam apontar mais de uma resposta, por isso a soma dos fatores apontados é de mais de 100%.

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 4 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Quem foi ouvido: 602 eleitores da cidade de Natal
  • Quando a pesquisa foi feita: 24 a 26 de outubro
  • Número de identificação na Justiça Eleitoral: RN‐02686/2020
  • O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
Fonte: Política em Foco
Continuar lendo PESQUISA IBOPE EM NATAL APONTA OS PERCENTUAIS DE INTENÇÕES DE VOTOS PARA PREFEITO DA CAPITAL

COMPORTAMENTO: UMA PESQUISA REVELOU QUE AS PESSOAS ESTÃO ADQUIRINDO NOVOS HÁBITOS SAUDÁVEIS DEVIDO A PANDEMIA

Apesar de todas as mortes, de todos os transtornos e prejuízos causados pela pandemia do coronavírus algo de bom aconteceu como consequência para muita gente. Uma pesquisa aponta que as pessoas estão adquirindo novos hábitos saudáveis devido a pandemia. São novas rotinas com pelo menos cinco novos rituais por estarem em casa este ano. Então, lhe convido a ler o artigo completo a seguir e conhecer quais são esses novos hábitos que estão mudando a vida das pessoas!

Pesquisa mostra que as pessoas estão adquirindo novos hábitos saudáveis ​​como resultado de estar em casa durante uma pandemia

 

 

Os britânicos vêm criando novas rotinas saudáveis ​​nos últimos meses, com muitos adotando pelo menos cinco novos rituais por estarem em casa este ano.

Uma pesquisa com 2.000 adultos revelou que mais de um terço adquiriu e adotou bons hábitos durante o bloqueio.

E sete em cada dez disseram que seus novos rituais os fizeram sentir-se felizes e seguros, com 65% acreditando que a forma como se sentem no dia-a-dia melhorou.

64% afirmam que estão se exercitando mais e dois terços dessas pessoas afirmam que seu bem-estar melhorou. 65 por cento também disseram que uma dieta balanceada ajudou.

A pesquisa, encomendada pela empresa de probióticos japonesa Yakult, também revelou que quase oito em cada dez pretendem continuar com as mudanças que fizeram recentemente.

O estudo da OnePoll também descobriu que, durante o bloqueio, o gosto pelo ar livre aumentou, com 29% adotando mais tempo passado com a natureza.

Assar e cozinhar do zero também cresceu em popularidade, com um em cada quatro introduzindo esse ritual em suas vidas.

Também descobriu-se que 31 por cento desenvolveram uma tendência para organizar suas casas.

E, 18 por cento dos entrevistados estão acalmando suas mentes meditando ou explorando a atenção plena durante este período perturbador.

Estar muito mais em casa e precisar se sentir mais organizado e no controle foram os principais motivos pelos quais os britânicos afirmam ter adquirido novos hábitos e rituais – além de simplesmente ter mais tempo disponível.

Você tem alguma dica ou truque de bem-estar que gostaria que outros leitores da GNN soubessem?   Gostaríamos muito de ouvir sobre quaisquer novas rotinas e hábitos saudáveis ​​que você possa ter adquirido durante a pandemia.

Fonte: Good news network

Continuar lendo COMPORTAMENTO: UMA PESQUISA REVELOU QUE AS PESSOAS ESTÃO ADQUIRINDO NOVOS HÁBITOS SAUDÁVEIS DEVIDO A PANDEMIA

SEGUNDO IBGE, POR CAUSA DA PANDEMIA 65 MIL PESSOAS NO RN ESTÃO AFASTADAS DO TRABALHO

Por G1 RN

 

Carteira de trabalho — Foto: Mauro Pimentel/AFP/ArquivoCarteira de trabalho — Foto: Mauro Pimentel/AFP/Arquivo

O número de pessoas afastadas do trabalho para ficarem em distanciamento social diminuiu no Rio Grande do Norte. Ao todo, 65 mil trabalhadores permaneceram fora do cargos no mês de setembro no estado.

O dado está na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número tem caído desde maio, quando começou a pesquisa. No mês anterior, agosto, esse número era de 84 mil. Em julho, eram 140 mil trabalhadores. Em maio, na maior marca, 272 mil pessoas estavam nessa condição.

Segundo o IBGE, esses trabalhadores são apenas os que estão afastados oficialmente dos cargos do trabalho, seja com remuneração ou não. Os funcionários em home office não integram esse grupo.

Apesar da diminuição, esse número de trabalhadores afastados em função da pandemia representa 5,5% das pessoas ocupadas no RN. Essa é a segunda maior proporção entre os estados do Nordeste e uma das cinco maiores do Brasil.

Na região Nordeste, são 773 mil trabalhadores afastados – 4,2% da população ocupada. No Brasil, 3,6% da população ocupada estavam nessa condição em setembro, ou seja, 3 milhões de pessoas.

238 mil desocupados

O Rio Grande do Norte também registrou no mês de setembro 238 mil pessoas desocupadas – termo dado àquelas que buscam emprego, mas não encontram. A taxa de desocupação é de 16,8%, número estável em comparação ao mês de agosto. A taxa é considerada “alta” pelo IBGE.

Também permaneceram estáveis no mês de setembro no RN a informalidade, a média de rendimento proveniente de auxílios emergenciais governamentais e o percentual dos domicílios que receberam auxílios emergenciais governamentais.

População testada contra Covid-19

Segundo o IBGE, 10,7% da população do RN fez teste para Covid-19, o que representa 377 mil pessoas. O estado está ao lado da Paraíba e da Bahia com a terceira maior testagem do Nordeste. Apenas Piauí (17%) e Sergipe (12%) testaram mais, proporcionalmente, a própria população.

Desse total de testados, 36% têm rendimento médio real entre meio salário mínimo a menos de um salário mínimo. Já as pessoas com rendimento médio de quatro ou mais salários mínimos representam 9,4% – a menor parte dos testados.

PNAD

Elaborada para acompanhar o período de pandemia, a PNAD Covid-19 apresenta dados sobre saúde, trabalho e outros tópicos relacionados ao período. Mensalmente, o IBGE divulga os resultados da pesquisa para Brasil, grandes regiões e unidades da federação.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo SEGUNDO IBGE, POR CAUSA DA PANDEMIA 65 MIL PESSOAS NO RN ESTÃO AFASTADAS DO TRABALHO

CIÊNCIAS: EXERCÍCIOS INTERVALADOS DE ALTA INTENSIDADE MELHORA CONDICIONAMENTO FÍSICO DE IDOSOS ACIMA DE 70 ANOS

Um novo estudo sobre condicionamento físico e melhoria geral da SAÚDE é o destaque de hoje na  coluna CIÊNCIAS. Um grupo de pesquisadores da  Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, após 5 anos de estudos com grupos de idosos concluiu que o treinamento intervalado de alta intensidade é o melhor exercício para idosos com mais de 70 anos. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa pesquisa!

O melhor exercício para idosos é o treinamento intervalado de alta intensidade, afirma o estudo

 

 

Uma rotina de treinamento intervalado de alta intensidade duas vezes por semana mostra um efeito marcante no condicionamento físico e no bem-estar geral em pessoas com mais de 70 anos, de acordo com um novo estudo.

Sessões regulares de cardio centradas em rajadas curtas de exercícios intensos, interrompidos por breves períodos de descanso, podem nos ajudar a permanecer mais saudáveis ​​por mais tempo, de acordo com pesquisadores da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia.

Quando o estudo de 5 anos começou em 2012, os pesquisadores o chamaram de Geração 100 e dividiram aleatoriamente os participantes saudáveis ​​em três grupos de treinamento diferentes.

Um grupo foi designado para treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) usando o método 4X4 duas vezes por semana – fazendo 4 minutos de exercício aeróbico de 85-95% da frequência cardíaca máxima e 4 minutos de 60% da frequência cardíaca máxima por 4 rodadas. O grupo dois foi instruído a treinar em intensidade moderada e constante por 50 minutos. Os participantes podiam escolher se queriam treinar por conta própria ou participar de um treinamento em grupo com instrutores.

O terceiro grupo, o grupo de controle, foi aconselhado a se exercitar de acordo com as recomendações das autoridades de saúde norueguesas. Este grupo não recebeu treinamento organizado sob os auspícios da Geração 100, mas foi convocado para exames regulares de saúde e avaliações físicas.

“Em primeiro lugar, devo dizer que o exercício em geral parece ser bom para a saúde dos idosos. E os resultados do nosso estudo mostram que, além disso, treinar regularmente em alta intensidade tem um efeito positivo extra ”, diz Dorthe Stensvold , professor do Grupo de Pesquisa de Exercícios Cardíacos da universidade.

“A qualidade de vida física e mental foi melhor no grupo de alta intensidade após cinco anos do que nos outros dois grupos. O treinamento intervalado de alta intensidade também teve o maior efeito positivo no condicionamento físico ”, de acordo com Stensvold.

Mas esse tipo de exercício prolonga a vida mais do que exercícios moderados?

Parece que sim. “No grupo de treinamento intervalado, 3% dos participantes morreram após cinco anos. O percentual foi de 6% no grupo moderado. A diferença não é estatisticamente significativa, mas a tendência é tão clara que acreditamos que os resultados dão um bom motivo para recomendar o treinamento de alta intensidade para os idosos ”, explica Stensvold.

O estudo também descobriu que a idade tem o menor efeito no nível de condicionamento físico para pessoas que se exercitam regularmente em alta intensidade. Esse grupo teve uma queda no condicionamento físico de 5% em dez anos. Em comparação, os níveis de condicionamento físico caíram em 9% dos indivíduos que se exercitavam regularmente, mas não em alta intensidade. Aqueles que eram fisicamente inativos perderam até 16% de seu condicionamento físico em dez anos.

Parece que é hora de praticar essas estocadas.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: EXERCÍCIOS INTERVALADOS DE ALTA INTENSIDADE MELHORA CONDICIONAMENTO FÍSICO DE IDOSOS ACIMA DE 70 ANOS

ANÁLISE POLÍTICA: COMUNISTAS NA DISPUTA MUNICIPAL EM PLENO SÉCULO 21?

Pesquisas apontam Manuela D’ávila e Guilherme Boulos com chances concretas de eleição para prefeito nas capitais gaúcha e paulista. Algo que chega a ser assustador, segundo o analista político Rodrigo Constantino. Este o destaque, aqui na coluna ANÁLISE POLÍTICA desta quinta-feira. É no mínimo muito estranho, em pleno século 21 essas vozes fantasmagóricas do século passado ainda reverberarem na nossa realidade. Então, peço a você que reflita sobre isso e tire suas conclusões!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: COMUNISTAS NA DISPUTA MUNICIPAL EM PLENO SÉCULO 21?

ÁLVARO DIAS LIDERA NA PRIMEIRA PESQUISA ELEITORAL PARA PREFEITO DE NATAL

Pesquisa Ibope/InterTV Cabugi: Álvaro Dias tem 34%; Kelps Lima 12%; Hermano, 6%

07 out 2020

Pesquisa Ibope/InterTV Cabugi: Álvaro Dias tem 34%; Kelps Lima 12%; Hermano, 6%

Na primeira pesquisa eleitoral feita pelo Ibope para a eleição municipal em Natal, o prefeito e candidato à reeleição, Álvaro Dias (PSDB), apareceu com 33% das intenções de voto. Em segundo lugar ficou o candidato pelo Solidariedade, o deputado estadual Kelps Lima, com 12%.

A pesquisa foi contratada pela InterTV Cabugi. Foram ouvidos 602 eleitores em Natal durante os dias 4 a 6 de outubro. O nível de confiabilidade é de 95%. A pesquisa está registrada no TRE sob o número RN‐02583/2020.

A margem de erro é de 4 pontos. Isso significa que o percentual de cada um dos candidatos pode variar até 4 pontos para cima ou para baixo.

Confira todos os percentuais:
– Álvaro Dias (PSDB): 33%
– Kelps (Solidariedade): 12%
– Hermano Morais (PSB): 6%
– Carlos Alberto (Beto) (PV): 4%
– Delegado Sergio Leocádio (PSL): 3%
– Coronel Azevedo (PSC): 2%
– Fernando Freitas (PCdoB): 2%
– Senador Jean (PT): 2%
– Jaidy Oliveira De Sousa (DC): 1%
– Rosália Fernandes (PSTU): 1%
– Coronel Helio Oliveira (PRTB): 1%
– Fernando Pinto (Novo): 1%
– Afrânio Miranda (Podemos): 0%
– Nevinha Valentim (PSOL): 0%
– Branco/ Nulo: 20%
– Não sabe/ Não respondeu: 11%

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo ÁLVARO DIAS LIDERA NA PRIMEIRA PESQUISA ELEITORAL PARA PREFEITO DE NATAL

SAÚDE MENTAL: PESQUISA A PONTA QUE 80% DAS PESSOAS SE SENTEM MAIS FELIZ AO DANÇAR

Uma pesquisa com 2.000 adultos no Reino descobriu que três quartos dos britânicos se sentem ‘felizes’ depois de dançar pela casa e quase 50% destes sente que sua saúde mental é melhor como resultado da atividade. Este é o destaque da nossa coluna SAÚDE desta quarta-feira. Então não deixe de ler os detalhes desta pesquisa.

Sentir-se mais feliz e menos estressado é uma grande vantagem de dançar, digamos 80% das pessoas

 

 

Dizem que rir é o melhor remédio, mas oito em cada dez pessoas acham que dançar também é ótimo para torná-las mais felizes e menos estressadas.

Uma pesquisa com 2.000 adultos britânicos descobriu que três quartos se sentem ‘felizes’ depois de dançar pela casa.

E quase metade chegou a dizer que sente que sua saúde mental é melhor como resultado da atividade.

A pesquisa, encomendada pela Zumba , revelou que 67 por cento desejavam poder dançar com mais frequência, embora 41 por cento admitissem que eram “muito ruins” ou “terríveis” nisso. Não que isso importe tanto.

O psicólogo Dr. Peter Lovatt disse: “Os efeitos positivos da dança têm sido mostrados na literatura científica para ajudar nosso estresse e ansiedade de muitas maneiras, especialmente em tempos difíceis como estes.

“A dança ajuda a mente a se desviar dos padrões de pensamento estabelecidos – e é por isso que a dança reduz o estresse.

O Dr. Lovatt explica um pouco de como a ciência funciona: “Quando movemos nosso corpo, ele libera diferentes substâncias neuroquímicas. Os receptores opióides tornam-se mais ativos e isso significa que nosso limiar de dor aumenta. Sentimos menos dor quando dançamos.

A pesquisa OnePoll mostrou que mais de um quarto (28 por cento) disse que a dança lhes proporcionou ótimas memórias e 23 por cento disseram que ajuda a conectá-los com amigos.

Quase quatro em cada 10 (37 por cento) até disseram que se mexer com a música os ajuda a esquecer todos os seus problemas, com 42 por cento acreditando que a dança lhes permite ‘se perder’.

O Dr. Lovatt, falando em nome de Zumba, acrescentou: “Fazer algo mais físico pode ser uma ótima maneira de reduzir o estresse e a ansiedade – principalmente em tempos incertos como este.

ASSISTIR: Este menino nigeriano acaba de ganhar uma bolsa de estudos depois de o vídeo do Dancing In The Rain se tornar viral

“No entanto, poucos … esforços físicos podem ser tão divertidos quanto dançar – há tantos benefícios em fazer algo de que você gosta, sem necessariamente pensar no impacto positivo que isso terá em seu corpo.”

CONFIRA: 89% das pessoas acham que a felicidade pode ser controlada – e são muito mais felizes com ela

Parece que realmente é hora de tirar a poeira daqueles sapatos de dança e colocar esses hormônios felizes em ação.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo SAÚDE MENTAL: PESQUISA A PONTA QUE 80% DAS PESSOAS SE SENTEM MAIS FELIZ AO DANÇAR

COMPORTAMENTO: AMERICANOS ENTREVISTADOS VEEM A NATUREZA COM OUTROS OLHOS DEPOIS DA COVID-19

Uma pesquisa feita entre 2.000 americanos perguntou como eles estão mantendo seu humor à luz das medidas de distanciamento social. O resultado foi impressionante. Quase seis em cada dez americanos têm uma nova apreciação da natureza durante a quarentena. Essa e outras impressões surpreendentes estão no conteúdo do artigo a seguir. Então, leia, reflita e tire suas conclusões!

Americanos dizem que COVID-19 lhes deu uma nova apreciação da natureza

 

 

Quase seis em cada dez americanos têm uma nova apreciação da natureza durante a quarentena, de acordo com uma nova pesquisa.

pesquisa perguntou a 2.000 americanos como eles estão mantendo seu humor à luz das medidas de distanciamento social.

58% dos entrevistados compartilharam que não apreciavam a natureza tanto quanto deveriam antes da pandemia COVID-19.

Conduzida pela OnePoll em nome da  Recreational Boating & Fishing Foundation  e sua campanha Get on Board, a pesquisa mostrou que três quartos dos entrevistados estão começando a sentir um impulso em seu humor graças a passar mais tempo ao ar livre – com 66% compartilhando que estão fazendo mais atividades ao ar livre perto de casa.

Seis em cada dez compartilharam que conseguiram finalmente reservar um tempo para explorar suas comunidades locais, com parques, trilhas e lagos locais no topo da lista de áreas recém-descobertas.

Um tempo para se relacionar

Robert Pearce

Pouco mais da metade dos entrevistados também foi pescar durante o período de quarentena, e 27% o fizeram especificamente para melhorar sua saúde mental. O fato de essa atividade poder ser realizada respeitando as diretrizes de distanciamento social também é uma vantagem para muitos. Um quarto dos que saem com uma vara também disse que uma vantagem da atividade é o vínculo que podem compartilhar com seus entes queridos.

Com uma infinidade de opções para atividades ao ar livre, quase quatro em cada dez entrevistados se tornaram mais fisicamente ativos durante o tempo em quarentena. Na verdade, 32% dos entrevistados estão participando de mais atividades ao ar livre do que nunca.

Uma das alegrias dessa recém-descoberta apreciação da natureza? Isso traz muitas pessoas de volta às memórias felizes da infância de estar ao ar livre com a família.

Parece que poucos querem parar com suas atividades baseadas na natureza tão cedo: 69% dos entrevistados estão planejando incorporar mais atividades ao ar livre em seu estilo de vida, mesmo depois que a pandemia de COVID-19 diminuir.

“Todos nós podemos usar um pouco de impulso de humor hoje em dia”, disse Stephanie Vatalaro, vice-presidente sênior de marketing e comunicações da RBFF. “O ar livre tem muitas atividades para escolher, então há algo para todos.”

PRINCIPAIS ATIVIDADES EXTERIORES QUE TRAZEM OS AMERICANOS DE VOLTA À INFÂNCIA

  1. Pesca – 37%
  2. Camping – 34%
  3. Ir à praia – 31%
  4. Indo para um lago – 31%
  5. Ciclismo ao ar livre – 28%
  6. Correndo – 24%
  7. Indo para um rio – 23%
  8. Passeios de barco – 23%
  9. Empinando uma pipa – 23%
  10. Caminhadas – 22%
  11. Jardinagem – 21%
  12. Observação de pássaros – 17%
  13. Escalada ao ar livre – 11%
  14. Caiaque – 10%

Fonte: Good News Network

Continuar lendo COMPORTAMENTO: AMERICANOS ENTREVISTADOS VEEM A NATUREZA COM OUTROS OLHOS DEPOIS DA COVID-19

PSICOLOGIA: O SURPREENDENTE IMPACTO SOBRE A PSIQUE DA COVID-19 SOBRE SOBREVIVENTES DO HOLOCAUSTO

Um estudo para verificar os efeitos psicológicos da pandemia em sobreviventes do Holocausto é o destaque desta sexta-feira, aqui na coluna PSICOLOGIA, cuja conclusão foi surpreendente. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e tomar conhecimento desse interessante resultado!

Covid-19 e sobreviventes do Holocausto: os impactos sobre a psique

Estudo descobriu que a pandemia pode ecoar adversidades passadas e desencadear reações psicológicas ampliadas em pessoas que passaram por essa experiência trágica

Judeus em Auschwitz, 1944: entre os sobreviventes do Holocausto agora confrontados com a pandemia de covid-19 em Israel, os que manifestaram mais preocupação com a doença foram os que enfrentaram doenças infecciosas durante aquele período. Crédito: Ernst Hofmann ou Bernhard Walte/German Federal Archives/Wikimedia

Pessoas que sobreviveram ao Holocausto (o genocídio de cerca de 6 milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial) exibiram uma ampla gama de reações emocionais e maneiras de lidar com a pandemia de covid-19, segundo um estudo da Universidade Bar-Ilan (Israel). Alguns estão lidando bem com a crise atual, enquanto outros enfrentam dificuldades consideráveis. A forma como lidam com a crise atual deriva em grande parte de como lidam com suas memórias traumáticas do genocídio promovido pelo regime nazista. A pesquisa foi publicada na revista “Journal of Psychiatric Research”.

Para muitos desses sobreviventes, as diretrizes da política de saúde da pandemia de covid-19 são uma reminiscência de várias condições adversas existentes durante o Holocausto. Elas incluem o isolamento prolongado e a separação de membros da família, mas, particularmente, o risco onipresente de contrair doenças infecciosas.

Estudos anteriores mostraram que os sobreviventes são mais sensíveis a vários eventos estressantes pós-Holocausto. Entre eles destacam-se aqueles que refletem um trauma primário passado. No novo estudo, os pesquisadores examinaram se a exposição a adversidades específicas do Holocausto estaria relacionada a reações psicológicas amplificadas à covid-19.

O estudo enfocou 127 sobreviventes do Holocausto e judeus de ascendência europeia que não passaram por essa experiência. Todos eles nasceram antes de 1945. Os entrevistados foram entrevistados durante o período da saída gradual do primeiro bloqueio (lockdown) de Israel, entre abril e junho de 2020.

O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT, ou PTSD na sigla em inglês) e a solidão foram mais prevalentes entre os sobreviventes que contraíram doenças infecciosas o Holocausto, como tuberculose e disenteria, ante adultos mais velhos que não experimentaram o evento trágico (38,5% x 0% para TEPT; 53,8% x 22,6% para solidão). Além disso, e surpreendentemente, as preocupações relacionadas à covid-19 foram mais frequentes entre os sobreviventes que contraíram doenças infecciosas durante o Holocausto (46,2%) ante outros sobreviventes (22,1%) ou aqueles que não foram expostos ao Holocausto (6,5%).

“Acreditávamos que a maioria dos sobreviventes do Holocausto manifestaria maior sofrimento psicológico durante a pandemia. Isso se explicaria porque muitos deles ainda lidam com sintomas de TEPT e outras deficiências. No entanto, o aumento da angústia foi evidente sobretudo em um subgrupo de sobreviventes cujas vidas foram ameaçadas por doenças infecciosas durante o Holocausto”, disse o prof. Amit Shrira, do Programa de Mestrado em Gerontologia e do Departamento Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Bar-Ilan.

Shrira conduziu o estudo em colaboração com Maya Frenkel-Yosef, da Nini Czopp Association, que fornece serviços sociais aos sobreviventes do Holocausto holandês-israelense e suas famílias, e com Ruth Maytles, aluna de doutorado da Universidade Bar-Ilan. Estudioso também da transmissão intergeracional do trauma, Shrira atualmente analisa com colegas os dados de um novo estudo focado em como os descendentes de sobreviventes do Holocausto estão lidando com a atual pandemia.

Fonte: Revista Planeta

Continuar lendo PSICOLOGIA: O SURPREENDENTE IMPACTO SOBRE A PSIQUE DA COVID-19 SOBRE SOBREVIVENTES DO HOLOCAUSTO

CIÊNCIAS: PESQUISA FINLANDESA CONCLUI QUE CAPACIDADE FUNCIONAL DE PESSOAS MAIS VELHAS É MELHOR DO QUE A DE PESSOAS DA MESMA IDADE 30 ANOS ATRÁS

Nesta quinta-feira você vai ver, aqui na coluna CIÊNCIAS, que um estudo realizado na Faculdade de Ciências do Esporte e Saúde da Universidade de Jyväskylä, na Filândia, descobriu que a capacidade funcional das pessoas mais velhas é melhor do que a de pessoas da mesma idade, três décadas atrás. Os resultados sugerem que nossa compreensão da velhice é antiquada. São notícias promissoras para todos nós. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa importante descoberta!

Pessoas mais velhas ficam mais jovens, com melhora física e mental ‘significativa’ em 30 anos, afirma o estudo

 

 

A pesquisa finlandesa descobriu que a capacidade funcional das pessoas mais velhas é melhor do que a de pessoas da mesma idade, três décadas atrás.

Katinka Bille, licença CC 

Esta descoberta foi observada em um estudo realizado na Faculdade de Ciências do Esporte e Saúde da Universidade de Jyväskylä.

O estudo comparou o desempenho físico e cognitivo dos finlandeses hoje em dia entre as idades de 75 e 80 anos com o das pessoas da mesma idade na década de 1990.

“As medições baseadas no desempenho descrevem como os idosos se comportam em sua vida diária e, ao mesmo tempo, as medições refletem a idade funcional de uma pessoa”, disse a principal investigadora do estudo, a professora Taina Rantanen, em um comunicado.

Entre homens e mulheres com idades entre 75 e 80 anos, força muscular, velocidade de caminhada, velocidade de reação, fluência verbal, raciocínio e memória de trabalho são hoje significativamente melhores do que em pessoas da mesma idade nascidas antes. Em testes de função pulmonar, no entanto, não foram observadas diferenças entre as coortes.

“A maior atividade física e o aumento do tamanho corporal explicaram a melhor velocidade de caminhada e força muscular entre a coorte nascida posteriormente”, diz a aluna de doutorado Kaisa Koivunen, “enquanto o fator subjacente mais importante por trás das diferenças da coorte no desempenho cognitivo foi a educação mais longa.”

O pesquisador de pós-doutorado Matti Munukka continua: “A coorte de jovens de 75 e 80 anos nascidos depois cresceu e viveu em um mundo diferente do que seus colegas nascidos há três décadas. Houve muitas mudanças favoráveis.

“Isso inclui melhor nutrição e higiene, melhorias nos cuidados de saúde e no sistema escolar, melhor acesso à educação e melhor vida profissional”.

Os resultados sugerem que o aumento da expectativa de vida é acompanhado por um aumento do número de anos vividos com boa capacidade funcional na vida adulta. A observação pode ser explicada por uma taxa de mudança mais lenta com o aumento da idade, um máximo de tempo de vida maior no desempenho físico ou uma combinação dos dois.

“Esta pesquisa é única porque existem poucos estudos no mundo que compararam medidas máximas baseadas no desempenho entre pessoas da mesma idade em diferentes tempos históricos”, diz Rantanen.

“Os resultados sugerem que nossa compreensão da velhice é antiquada. Do ponto de vista de um pesquisador que está envelhecendo, mais anos são adicionados à meia-idade, e nem tanto ao fim da vida. São notícias promissoras para todos nós.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: PESQUISA FINLANDESA CONCLUI QUE CAPACIDADE FUNCIONAL DE PESSOAS MAIS VELHAS É MELHOR DO QUE A DE PESSOAS DA MESMA IDADE 30 ANOS ATRÁS

CIÊNCIAS: NOVOS DADOS SOBRE DINOSSAURO BRASILEIRO NOS APROXIMA DOS NOSSOS ANCESTRAIS

Nesta quinta-feira, aqui na coluna CIÊNCIAS temos novas informações sobre o dinossauro brasileiro. Pesquisadores do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, divulgaram ontem (15) dados inéditos de uma pesquisa sobre o crescimento ósseo da espécie do dinossauro Vespersaurus paranaensis, que viveu no Paraná no período Cretáceo. Para que gosta de antropologia é uma ótima oportunidade para ler e conhecer a história dos nossos antepassados!

Pesquisadores apresentam dados inéditos sobre dinossauro brasileiro

O Vespersaurus paranaensis viveu no Paraná no período Cretáceo, há cerca de 90 milhões de anos

Pesquisadores recolhem fósseis no noroeste do Paraná: dinossauro tinha um crescimento mais parecido com o de jacarés e crocodilos. Crédito: © Cenpaleo/Museu Nacional

Pesquisadores do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, divulgaram ontem (15) dados inéditos de uma pesquisa sobre o crescimento ósseo da espécie do dinossauro Vespersaurus paranaensis. O estudo foi conduzido em parceria com o Centro Paleontológico da Universidade do Contestado, em Santa Catarina. Ele revela que esse animal poderia viver entre 13 e 14 anos e atingia a maturidade sexual entre 3 e 5 anos de idade.

Vespersaurus paranaensis foi uma espécie de dinossauro de pequeno porte, com 1,5 metro de comprimento. Ele viveu no período Cretáceo, entre 90 milhões e 70 milhões de anos atrás, no noroeste do Paraná. Nessa época, partes do Centro-Oeste, do Sudeste e do Sul do Brasil formavam o Deserto Caiuá. A espécie habitava o entorno de áreas úmidas, possivelmente um oásis. Nessa mesma região, também já foram encontrados fósseis de lagartos extintos e de duas espécies de pterossauros.

Graças ao grande número de fósseis preservados do Vespersaurus paranaensis, foi possível traçar um panorama mais completo e confiável sobre como esses animais se desenvolviam, qual eram suas taxas de crescimento e quanto tempo levavam para se tornar adultos. A técnica da ósteo-histologia, empregada no estudo, consiste na retirada de fragmentos do osso, por meio de cortes com serras elétricas. Por ser relativamente destrutiva, costuma ser usada apenas quando existe abundância de fósseis.

Fêmur do dinossauro. Crédito: Geovane Souza/Museu Nacional

Tecido incomum

A pesquisa constatou ainda a existência de um tipo de tecido ósseo incomum para os dinossauros, conhecido como paralelo-fibroso. Ele é caracterizado por um alto grau de organização das fibras de colágeno contida nos ossos e demanda mais tempo para se formar ao longo do crescimento do animal. Assim, as taxas de crescimento do Vespersaurus paranaensis eram provavelmente mais lentas do que o observado em outros dinossauros e mais similares às de jacarés e crocodilos.

A hipótese dos pesquisadores é de que a desaceleração do crescimento desses animais estaria relacionada com o seu tamanho corpóreo. Também é possível que seja uma adaptação ao ambiente árido onde viviam.

Reconstituição artística do dinossauro. Crédito: Geovane Souza

O trabalho integrou a pesquisa de mestrado de Geovane Alves de Souza, financiada com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Mobilizou mais seis cientistas: Arthur Brum, Juliana Sayão, Maria Elizabeth Zucolotto, Marina Soares, Luiz Weinschütz, além do paleontólogo e diretor de Museu Nacional Alexander Kellner.

Perguntas sem respostas

De acordo com nota divulgada pelo Museu Nacional, as descobertas revelam a importância do financiamento de bolsas de pós-graduação, lançando luz sobre como os dinossauros viveram em um mundo de constante mudança climática e quais os mecanismos e estratégias de sobrevivência existiam no passado do planeta. “Apesar de os dinossauros fascinarem tanto cientistas quanto o público leigo, muitas perguntas sobre seu crescimento, metabolismo e anatomia ainda permanecem sem respostas”, diz o texto.

Vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o Museu Nacional vem se reconstruindo desde o grave incêndio ocorrido em sua sede em 2018.  De acordo com a instituição, essa pesquisa inédita surge em momento oportuno e reforça a sua capacidade de produzir ciência de ponta e de qualidade. Os resultados do estudo também foram divulgados na “PeerJ”, revista científica internacional focada em ciências biológicas e ciências médicas.

Fonte: Revista Planeta

Continuar lendo CIÊNCIAS: NOVOS DADOS SOBRE DINOSSAURO BRASILEIRO NOS APROXIMA DOS NOSSOS ANCESTRAIS

COMPORTAMENTO: PESQUISA COM 2000 AMERICANOS REVELA QUE MAIORIA ADMITE TER SE TORNADO UMA PESSOA MELHOR ESTE ANO

Uma nova pesquisa com 2000 americanos analisou as mudanças positivas que virão neste momento desafiador – e as maneiras pelas quais os entrevistados estão redefinindo as prioridades do que valorizam. Dois terços deles acreditam que se tornaram pessoas melhores. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes e os números dessa pesquisa!

Dois terços dos americanos acreditam que se tornaram uma pessoa melhor este ano

Por Seven Shooter

Dois terços dos americanos disseram que a quarentena os tornou uma pessoa melhor, de acordo com uma nova pesquisa.

A pesquisa com 2.000 americanos com mais de 21 anos analisou as mudanças positivas que virão neste momento desafiador – e as maneiras pelas quais os entrevistados estão redefinindo as prioridades do que valorizam.

Os resultados revelaram que 55% dos entrevistados ficaram um pouco envergonhados com algumas das coisas que valorizavam antes da quarentena, e os muitos meses passados ​​em casa deram a 70% a chance de aprender mais sobre si mesmos.

Encomendada por Coravin e conduzida pela OnePoll, a pesquisa descobriu que a quarentena, compreensivelmente, mudou a visão dos americanos sobre a vida.

Alguns entrevistados ganharam tempo e flexibilidade para mergulhar em novos hobbies e descobrir novas paixões – a escassez de produtos de panificação no supermercado era uma prova disso. E, 35% disseram que querem continuar com esses hobbies quando a quarentena terminar.

Esta oportunidade de explorar interesses pessoais além do trabalho levou 27% dos entrevistados a indicar que esperam alcançar um melhor equilíbrio entre trabalho e vida após a quarentena.

Estar perto das pessoas de quem gostamos foi um tema importante para os entrevistados, pois 46% desejam passar mais tempo de qualidade com amigos e familiares e 38% planejam criar relacionamentos mais significativos com as pessoas ao seu redor.

PRINCIPAIS COISAS QUE AS PESSOAS JÁ NÃO ACEITAM:
Passar bons momentos pessoalmente com a família ou amigos 52,28%
Abraços 41,23%
Viajar para novos destinos 32,53%
Um passeio relaxante no parque 31,99%
Compras em uma loja 31,73%
Uma noite em um restaurante 31,39 %
Reuniões de família extensa 30,86%
Participando de eventos pessoalmente 28,92%
Parando para tomar um café a caminho do trabalho 25,90%
Conhecendo novas pessoas 25,70% Encontros
semanais de café com amigos 24,36
Happy hour pós-trabalho 23,69%
Conversando com colegas de trabalho durante o almoço 23,56%
Ter um fim de semana tranquilo em casa é fora do comum 22,96%
Uma tarde na praia 22,36%
Mandar meus filhos para a escola pela manhã 21,49%
Participar de eventos esportivos 21,22%
Vaguear por uma livraria 20,68%
Assistir aos eventos esportivos dos meus filhos 18,14%
Ir à academia 17,54%
Deixar meus filhos irem brincar 16,06%

COISAS QUE AS PESSOAS QUEREM FAZER APÓS O BLOQUEIO AUTO-REFLEXÃO:
Passe mais tempo de qualidade com amigos e família 45,60%
Trabalhe para criar relacionamentos mais significativos com seus entes queridos 37,70%
Continue novos hobbies que comecei durante a quarentena 34,80%
Participe de eventos presenciais após participar de seu virtual homólogos durante a quarentena 29,40%
Mover-se para estar mais perto de seus entes queridos 27,90%
Foco em alcançar um melhor equilíbrio trabalho / vida 26,60%
Mudar de carreira para ter um trabalho mais significativo 21,80%

Fonte: Good News Network

Continuar lendo COMPORTAMENTO: PESQUISA COM 2000 AMERICANOS REVELA QUE MAIORIA ADMITE TER SE TORNADO UMA PESSOA MELHOR ESTE ANO

CIÊNCIAS: UM NOVO ESTUDO FEZ VARREDURA E CONSTATOU DIFERENÇAS NA ARQUITETURA DO CORAÇÃO ENTRE HOMENS E MULHERES

UM estudo minucioso e preciso, utilizando um novo “kit de ferramentas” de análise de imagem específico do coração, chamado CMR radiomics, para obter informações mais detalhadas sobre o coração. A pesquisa mostrou as diferenças na forma e na textura dos corações dos homens e das mulheres, que podem explicar por que o risco de doenças cardíacas diferem. Então lhe convido a ler o artigo completo a seguir e tomar conhecimento dos detalhes do resultado dessa importantíssima pesquisa!

Forma do coração difere entre homem e mulher e muda com a idade

Diferenças na estrutura do coração podem explicar por que homens e mulheres têm riscos distintos de doenças cardíacas

Coração: pesquisa constatou diferenças na arquitetura desse órgão em homens e mulheres. Crédito: BHF

As diferenças na forma e na textura dos corações dos homens e das mulheres podem explicar por que o risco de doenças cardíacas difere, de acordo com uma pesquisa financiada pela British Heart Foundation (BHF), do Reino Unido. As descobertas estão sendo apresentadas no congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia.

Pesquisadores da Queen Mary University de Londres, em colaboração com a Universidade de Barcelona (Espanha) e a Universidade de Southampton (Reino Unido), usaram novas maneiras de observar a estrutura do coração de 667 pessoas saudáveis ​​– 309 homens e 358 mulheres – do estudo UK Biobank Imaging.

A equipe analisou exames de ressonância magnética cardíaca (CMR, na sigla em inglês), um tipo de exame do coração usado para diagnosticar e fornecer informações sobre várias doenças cardíacas. Eles desenvolveram um novo “kit de ferramentas” de análise de imagem específico do coração, chamado CMR radiomics, para obter informações mais detalhadas sobre o órgão. O “kit de ferramentas” foi aplicado a varreduras do ventrículo esquerdo – a parte do coração responsável por bombear o sangue pelo corpo.

Ao compararem várias medidas de textura e formato do coração, os pesquisadores descobriram que, nos homens, o músculo cardíaco era dominado por texturas mais grossas. Já os corações das mulheres tinham texturas de granulação mais fina.

Área de superfície maior

Os pesquisadores também encontraram diferenças significativas na forma geral dos corações masculino e feminino. Por exemplo, os homens tinham uma área de superfície maior do músculo cardíaco em comparação com as mulheres, mesmo depois de levar em conta o tamanho do corpo.

O formato e a textura do coração mudam com a idade. Os participantes foram categorizados em três diferentes grupos de idade: 45-54 anos, 55-64 anos e 65-74 anos de idade.

As diferenças na forma do coração entre homens e mulheres diminuíram com a idade. Já as diferenças de textura permaneceram em todas as faixas etárias e dominaram na idade avançada.

Os pesquisadores agora aplicarão essa técnica às varreduras CMR de pessoas com doenças cardíacas e circulatórias. Estarão inclusos aí indivíduos com diabetes, pressão alta, colesterol alto e doenças coronárias. Isso poderá revelar como os detalhes mais intrincados da estrutura do coração diferem entre saúde e doença cardiovascular.

A drª Zahra Raisi-Estabragh, bolsista de treinamento em pesquisa clínica da BHF na Queen Mary University de Londres e pesquisadora principal, disse: “As atuais ferramentas de análise de imagem disponíveis em hospitais não abrangem totalmente a complexidade da arquitetura do coração. Precisamos conseguir ver o coração com muito mais detalhes para realmente entender como ele muda entre homens e mulheres, com o envelhecimento, e durante o desenvolvimento de doenças cardíacas. Nossa tecnologia tem grande potencial para fazer exatamente isso.”

Diagnóstico mais rápido e preciso

Raisi-Estabragh acrescentou: “Este trabalho é parte de uma estratégia de pesquisa mais ampla para desenvolver o CMR radiomics como uma ferramenta para melhorar o atendimento ao paciente. Nosso objetivo final é usar nosso ‘kit de ferramentas’ de imagem para permitir um diagnóstico mais rápido e preciso de doenças cardíacas, melhorar nossas estimativas de risco futuro de doenças cardíacas e compreender melhor os processos subjacentes às doenças cardiovasculares”.

“As varreduras CMR nos fornecem uma riqueza de informações sobre o coração, o que significa que podemos entendê-lo mais profundamente do que nunca”, afirmou a drª Sonya Babu-Narayan, diretora médica associada da British Heart Foundation. “Mas os pesquisadores cavaram ainda mais fundo para encontrar um tesouro enterrado nesses dados de rotina, revelando diferenças mais sutis que variam mais entre os homens e mulheres e por idade do que normalmente vemos. Em seguida, precisamos descobrir se essa tecnologia pode ser útil para avaliar o risco cardiovascular em mulheres e homens.”

Steffen Petersen, professor de cardiologia da Queen Mary University de Londres que supervisionou o projeto, disse: “Este trabalho inovador demonstra o potencial do UK Biobank como um poderoso recurso de pesquisa e o imenso valor das colaborações interdisciplinares e internacionais para o avanço do conhecimento do coração.”

Fonte: Revista Planeta

Continuar lendo CIÊNCIAS: UM NOVO ESTUDO FEZ VARREDURA E CONSTATOU DIFERENÇAS NA ARQUITETURA DO CORAÇÃO ENTRE HOMENS E MULHERES

COMPORTAMENTO: DEPOIS DE 6 MESES DE PANDEMIA PESQUISA CONSTATA QUE AMERICANOS ESTÃO MAIS RESPONSÁVEIS FINANCEIRAMENTE

Na nossa coluna COMPORTAMENTO desta sexta-feira temos como destaque a primeira pesquisa feita nos Estados Unidos sobre a mudança de hábitos e de comportamento dos americanos depois de seis meses de pandemia de Covid-19. Entre outras coisas a pesquisa constatou que o americano médio está mais responsável financeiramente e dois em cada três participantes disseram que a pandemia os transformou em pessoas frugais. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa pesquisa!

Os americanos estão creditando a crise da COVID por ajudá-los a se tornarem mais responsáveis ​​financeiramente

Cultivar seus próprios vegetais, mudar para papel higiênico de uma folha e comer muitas sobras – essas são apenas algumas das maneiras pelas quais as pessoas estão ganhando centavos durante a pandemia de COVID-19, de acordo com esta nova pesquisa.

Curiosamente, mais da metade dos americanos entrevistados atribuem à pandemia COVID-19 o fato de finalmente ensiná-los a ser espertos com seu dinheiro.

Na verdade, uma pesquisa semelhante de dois anos atrás mostra que o número de adultos norte-americanos que se sentem muito espertos com seu dinheiro aumentou de apenas 42% em 2018 para 51% em 2020.

Outros dois em cada três participantes disseram que a pandemia os transformou em pessoas frugais.

As pesquisas de 2.000 americanos, ambas conduzidas pela OnePoll em nome do Slickdeals , investigaram como a pandemia mudou a mentalidade das pessoas sobre seu dinheiro e como elas definem ser “barato” versus ser “frugal”.

A última pesquisa foi feita para espelhar a realizada em 2018 como um meio de comparar o quanto os resultados mudaram ao longo de dois anos e uma pandemia global.

Derrubar o mínimo (15-20%), independentemente do serviço foi considerado pelas pessoas em 2020, ser “barato”; no entanto, poupar na ponta em 2018 foi votado como um ato de frugalidade. Talvez isso possa ser explicado por uma mudança na gratidão para com os trabalhadores da linha de frente?

Recusar-se a participar das rodadas no bar foi considerado barato pelos entrevistados, assim como calcular sua participação na conta do grupo até um centavo.

Outras ações baratas? Ainda usando eletrônicos muito desatualizados, re-presenteando e diluindo recipientes de sabão com água.

Por outro lado, comprar roupas em uma loja de segunda mão era considerado “frugal”, assim como comprar produtos alimentícios fora de marca, comprar eletrônicos sem nome e sempre buscar ofertas ou cupons ao ir às compras.

 

 

Os participantes também consideraram monitorar o uso de eletricidade e aquecimento em casa para manter as contas de serviços públicos baixas, para um comportamento frugal.

De acordo com a pesquisa, o americano médio se torna uma pessoa frugal aos 31 anos, com um em cada quatro afirmando que se tornou mais econômico quando era ainda mais jovem. Dois em cada três americanos também disseram que consideram ser considerados frugais um elogio.

“A pandemia de coronavírus afetou a situação financeira de muitas pessoas e trouxe um novo enfoque à importância de priorizar os gastos”, disse Josh Meyers, CEO da Slickdeals. “Vemos uma mudança em direção a gastos mais inteligentes, com 65% dos entrevistados indicando que a pandemia os transformou em uma pessoa frugal, e 67% relatando que ser chamado de frugal é na verdade um elogio.”

A pesquisa também descobriu que ser financeiramente consciente pode ser importante na cena do namoro.

Dois terços dos entrevistados disseram que realmente acham que usar um cupom no primeiro encontro é totalmente aceitável. Na verdade, 45% disseram que ficariam felizes em usar um cupom no primeiro encontro.

Três em cada quatro dizem que quanto mais envelhecem, mais desejável é para uma perspectiva romântica com uma mentalidade financeira inteligente.

BARATO OU FRUGAL?

BARATO
– Derrubando o valor mínimo aceitável (15-20%), independentemente do serviço
– Recusando-se a participar das rodadas no bar
– Calculando sua parte de uma conta de grupo até o centavo
– Mantendo eletrônicos desatualizados ou gastos, contanto que eles ainda mal funciona
– Reutilizar saquinhos de chá ou filtros de café
– Comer alimentos alguns dias após a data de validade
– Aumentar a longevidade do sabão diluindo garrafas de sabão com água
– Re-presentear

FRUGAL
– Acompanhamento regular do consumo de eletricidade (desligar luzes / aparelhos quando não estiverem em uso)
– Acompanhamento regular do termostato doméstico (mantendo o calor o mais baixo possível)
– Assistir a filmes em casa em vez de no cinema
– Fazer compras em segundo lugar- lojas de roupas de mão
– Compra de produtos alimentícios fora de marca
– Compra de produtos eletrônicos sem nome (como fones de ouvido da pedra fundamental)
– Pare de beber enquanto está em bares ou restaurantes / só bebe álcool em casa
– Buscando ofertas ou cupons para todas as compras

Fonte: Good News Network

Continuar lendo COMPORTAMENTO: DEPOIS DE 6 MESES DE PANDEMIA PESQUISA CONSTATA QUE AMERICANOS ESTÃO MAIS RESPONSÁVEIS FINANCEIRAMENTE

COMPORTAMENTO: TUBARÕES CINZENTOS DE RECIFE FORMAM RELACIONAMENTOS DURADOUROS QUE FICAM NA FRONTEIRA ENTRE AMIZADES E PARCEIROS DE NEGÓCIOS

Segundo Yannis Papastamatiou, cientista que participou de um estudo recente com tubarões cinzentos de recife: “Não pensamos nos tubarões como animais sociais, mas eles têm grupos sociais”. A descoberta de que tais tubarões formam relacionamentos duradouros uns com os outros que ficam na fronteira entre amizades e parceiros de negócios torna os tubarões cinzentos de recife um peixe fascinante. Então lhe convido a ler o artigo completo a seguir e conhecer o comportamento social dessa espécie que está em plena evolução! 

Predadores têm um lado suave: tubarões de recife cinza encontrados para formar um estudo de longa duração de ‘amizades’

Uma equipe de cientistas da Flórida descobriu recentemente que os tubarões cinzentos de recife formam relacionamentos duradouros uns com os outros que ficam na fronteira entre amizades e parceiros de negócios.

“Não pensamos nos tubarões como animais sociais, mas eles têm grupos sociais”, diz Yannis Papastamatiou, que participou do estudo.

Com uma média de seis pés, ou dois metros de comprimento, os tubarões de olhos grandes dos oceanos Pacífico e Índico podem ser predadores noturnos agressivos, mas aparentemente eles têm um lado macio.

Os cientistas descobriram que os grupos sociais dos tubarões eram notavelmente estáveis, com os mesmos indivíduos permanecendo em seus cliques de cerca de 20 animais por anos – embora raramente mudassem de associação, apesar da presença de quase 8.000 tubarões que frequentavam os recifes ao redor do atol.

Ao redor do Atol de Palmyra, uma ilha remota a 1.600 quilômetros do Havaí, pesquisadores da Florida International University em Miami, marcaram 41 tubarões cinzentos de recife com transmissores acústicos que emitem um som único captado por um perímetro de dispositivos receptores estacionados ao redor da ilha.

Por quatro anos, sempre que um tubarão marcado chegasse a 300 metros dos receptores, sua identidade seria registrada em um banco de dados.

Seus resultados foram publicados esta semana no Proceedings da Royal Society B .

A notável descoberta deixa muitas perguntas sem resposta, por exemplo, como os tubarões se identificam e qual é o propósito de seus grupos sociais.

The Mafia Of The Sharks

Crédito: David Clode

 

 

Eles não são prova de que os tubarões tenham qualquer vínculo emocional entre si, então Papastamatiou, falando com o New Scientist , não surpreendentemente relutou em se referir aos tubarões como amigos.

Ele e seus colegas optaram por chamá-los de “associados”, o que talvez seja um pouco mais mafioso, mas considerando como os tubarões cinzentos de recife costumam usar sua agressividade para intimidar tubarões maiores, talvez seja o melhor.

Uma hipótese quanto ao propósito dessas “associações” é que elas são unidades de caça livremente organizadas. Uma vez que os tubarões caçam à noite fora do alcance dos receptores, não havia nenhuma evidência de que a cooperação deliberada estava ocorrendo no oceano escuro, além da visão dos dispositivos da equipe de pesquisa.

No entanto, pode ser uma espécie de estratégia de caça furtiva, em que se o tubarão a atacar primeiro perder, seus “associados” terão a oportunidade de fazer o acompanhamento. Isso pode equilibrar a taxa de sucesso de todos os membros de um grupo durante um período de tempo longo o suficiente, aumentando sua taxa de sobrevivência geral.

Esta descoberta torna os tubarões cinzentos de recife um peixe fascinante. Eles exibem uma coleção de comportamentos altamente incomuns no mundo dos tubarões, incluindo exibições de ameaças e, agora, como os cientistas acabam de descobrir, uma congregação social.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo COMPORTAMENTO: TUBARÕES CINZENTOS DE RECIFE FORMAM RELACIONAMENTOS DURADOUROS QUE FICAM NA FRONTEIRA ENTRE AMIZADES E PARCEIROS DE NEGÓCIOS

REFLEXÃO: A LONGEVIDADE E A NOVA FAIXA DE IDADE EM PERMANENTE MUTAÇÃO

Nesta segunda-feira trago algo diferente para a coluna REFLEXÃO. Com a crescente longevidade, por uma série de fatores combinados, a atual geração de maduros, faixa que vai dos 60 aos 80 anos, está ocupando espaços e diferentes estilos de vida que se renovam continuamente. Vale a pena você ler este texto esclarecedor sobre o comportamento dessa nova geração que muda constantemente. É como sair do olho do furação e analisar de fora situações que você possa estar vivenciando!

A atual geração dos maduros é mesmo um fenômeno – confira!

Longevidade / a nova geração dos maduros – Para hoje, reproduzo texto muito bom, que vi em grupo de rede social, com elogiável compreensão do que vem acontecendo atualmente com as pessoas da faixa etária que varia entre 60 e 80 anos. Sem dúvida, no embalo do fenômeno chamado de longevidade, há novos movimentos, ocupação de espaços e diferentes estilos de viver desse público que se renova continuamente, ainda tratado, genericamente, como da terceira idade.

O texto, com o título NOVA FAIXA DE IDADE, publicado no site PENSADOR, é atribuído a Sandra Pujol, sobre a qual não encontrei referências mais esclarecedoras. O importante é que a mensagem é bem legal, tenta descrever uma nova realidade de crescente faixa da população que está experimentando – e desfrutando – o considerável aumento da expectativa de vida, em todo o planeta, década após década, ano após ano, por uma série de fatores combinados, conforme tenho focalizado com alguma frequência aqui no blog.

Confira a seguir:

“NOVA FAIXA DE IDADE!

Texto de Sandra Pujol:*
Se observamos com cuidado, podemos detectar a aparição de uma nova faixa social que não existia antes: pessoas que hoje têm entre sessenta e oitenta anos.
A esse grupo pertence uma geração que expulsou da terminologia a palavra envelhecer, porque simplesmente não tem em seus planos atuais a possibilidade de fazê-lo.
É uma verdadeira novidade demográfica, semelhante ao surgimento  da adolescência; na época, que também era uma nova faixa social, que surgiu em meados do século XX para dar identidade a uma massa de crianças desabrochando, em corpos adultos, que não sabiam, até então, para onde ir ou como se vestir.
Este novo grupo humano, que hoje tem cerca de sessenta, setenta ou 80 anos, levou uma vida razoavelmente satisfatória.
São homens e mulheres independentes que trabalharam durante muito tempo e conseguiram mudar o significado sombrio que tanta literatura latino-americana deu por décadas ao conceito de trabalho.
Longe dos tristes escritórios, muitos deles procuraram e encontraram, há muito tempo, a atividade que mais gostavam e na qual ganham a vida.
Supostamente é por isso que eles se sentem plenos; alguns nem sonham em se aposentar.
Aqueles que já se aposentaram desfrutam plenamente de seus dias, sem medo do ócio ou solidão, crescem internamente. Eles desfrutam do tempo livre,  porque depois de anos de trabalho, criação dos filhos, carências, esforços e eventos fortuitos, vale bem a pena contemplar o mar, a serra e o céu.
Mas algumas coisas já sabemos que, por exemplo, não são pessoas paradas no tempo; pessoas de cinquenta, sessenta ou setenta, homens e mulheres, operam o computador como se tivessem feito isso durante toda a vida.
 Eles escrevem e veem os filhos que estão longe e até esquecem o antigo telefone para entrar em contato com seus amigos para os quais escrevem e-mails ou mandam whatsapps.
Hoje, pessoas de 60, 70 ou 80 anos, como é seu costume, estão lançando uma idade que AINDA NÃO TEM NOME. Antes, os que tinham essa idade, eram velhos e hoje não são mais… hoje estão fisica e intelectualmente plenos, lembram-se da sua juventude , mas sem nostalgia, porque a juventude também é cheia de quedas e nostalgias e eles bem sabem disso.
Hoje, as pessoas de 60, 70 e 80 anos celebram o Sol todas as manhãs e sorriem para si mesmas com muita frequência … Elas fazem planos para suas próprias vidas, não com as vidas dos demais.
Talvez, por algum motivo secreto que apenas os do século XXI conheçam e saberão, a juventude é carregada internamente.
A diferença entre uma criança e um adulto é, simplesmente, o preço de seus brinquedos.
Continuar lendo REFLEXÃO: A LONGEVIDADE E A NOVA FAIXA DE IDADE EM PERMANENTE MUTAÇÃO

CIÊNCIAS: PRODUZIR MAIS COM MENOS É O QUE CIENTISTAS ESTÃO CONSEGUINDO FAZER COM NOVO PROCESSO DE FOTOSSÍNTESE

conservar água e aumentar a produção de alimentos é o que uma equipe de pesquisadores está conseguindo ajustar no sistema de fotossíntese das plantas, que vai fazer as plantações produzirem mais com menos água. Uma solução que se antecipa a um futuro que prevê escassez de água está trabalhando para ajudar as plantas a se tornarem mais vigorosas em um mundo onde a frequência e a gravidade das secas podem exigir que sejam mais resistentes. Então convido você a ler o artigo completo a seguir e entender como os cientistas estão desenvolvendo essa pesquisa!

Cientistas cortam fotossíntese para fazer as plantações produzirem mais, mas com menos água

Uma equipe de pesquisadores está conseguindo ajustar o sistema de fotossíntese nas plantas para ajudá-las a conservar água e aumentar a produção de alimentos – e estão simplesmente adicionando proteínas e enzimas naturais ao processo.

Uma colaboração liderada pela Universidade de Illinois chamada RIPE, Realizing Aumented Photosynthetic Efficiency , está trabalhando para ajudar as plantas a se tornarem mais vigorosas em um mundo onde a frequência e a gravidade das secas podem exigir que sejam mais resistentes – especialmente para humanos que precisam evitar a fome.

Todas as crianças na escola aprendem sobre fotossíntese – o processo pelo qual as plantas usam luz para converter dióxido de carbono em energia – e o RIPE está analisando cada etapa da linha de montagem movida a energia solar natural para ver se vários sistemas podem ser melhorados ou não.

Descobertas anteriores, junto com seu estudo recente, sugerem que hackear alguns processos fotossintéticos importantes pode melhorar a produtividade das plantas em mais de 50%.

“Como uma linha de fábrica, as plantas são tão rápidas quanto suas máquinas mais lentas”, disse Patricia Lopez-Calcagno, pesquisadora de pós-doutorado na escola parceira University of Essex, que liderou este projeto mais recente para RIPE . “Identificamos algumas etapas que são mais lentas e o que estamos fazendo é permitir que essas plantas construam mais máquinas para acelerar essas etapas mais lentas na fotossíntese.”

Dentro da linha de montagem da fábrica

Abordando o primeiro dos objetivos do RIPEs, aumentando o rendimento, os pesquisadores visaram à plastocianina, uma proteína que funciona em uma programação que transporta elétrons para partes do processo de fotossíntese. O RIPE descobriu que a plastocianina tem afinidade por outra proteína e, como um ônibus de trânsito que interrompe seu cronograma ao esperar muito tempo em uma parada, retarda o processo de transferência de elétrons.

A adição do citocromo c6, proteína encontrada nas algas que tem função semelhante, mas é mais eficiente, permitiu que as plantas aumentassem seu rendimento em 27%. Além disso, como o citocromo c6 requer ferro para funcionar, enquanto a plastocianina requer cobre, quaisquer desequilíbrios no conteúdo mineral do solo podem ser contornados pelas plantas que optam por confiar em uma proteína de transporte mais do que na outra.

Cientistas RIPE – Youtube 

O próximo lugar que precisou de trabalho foi o Ciclo Calvin-Benson da planta, em que o dióxido de carbono é fixado em açúcares que alimentam a planta. O aumento da quantidade de uma enzima chave no processo, trazendo a maquinaria celular de cianobactérias, outra espécie de planta, melhorou a proporção de biomassa produzida por unidade de água gasta, tornando-as mais eficientes com a água que recebiam.

Isso é vital, porque a pesquisa sugere que a mudança climática pode estar aumentando a frequência e a severidade das secas em regiões ricas em safras, como o Sahel ou a Califórnia.

“Este estudo oferece a oportunidade empolgante de potencialmente combinar três métodos confirmados e independentes para alcançar aumentos de 20 por cento na produtividade da colheita”, disse o Diretor do RIPE Stephen Long, Presidente da Universidade de Ciências de Culturas e Biologia Vegetal da Universidade de Illinois.

“Nossa modelagem sugere que o empilhamento dessa descoberta com duas descobertas anteriores do projeto RIPE pode resultar em ganhos de rendimento aditivo, totalizando tanto quanto 50 a 60 por cento em safras de alimentos”.

Com a ajuda de cientistas de todo o mundo, incluindo China e Austrália, RIPE está testando para ver se essas três mudanças nas configurações de fábrica das plantas podem funcionar juntas para produzir rendimentos mais elevados – começando com o tabaco porque é fácil de cultivar, projetar e testar e, eventualmente, mudando-se para estábulos amplamente usados ​​como milho, mandioca e soja.

ASSISTA o vídeo de RIPE…

Continuar lendo CIÊNCIAS: PRODUZIR MAIS COM MENOS É O QUE CIENTISTAS ESTÃO CONSEGUINDO FAZER COM NOVO PROCESSO DE FOTOSSÍNTESE

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: A NATUREZA AGRADECE MAIS UMA VEZ AOS CIENTISTAS QUE TROUXERAM DE VOLTA AS GRANDES BORBOLETAS AZUIS

Na nossa coluna ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE deste sábado temos um artigo sobre um grande feito da CIÊNCIA. Cientistas de Minchinhampton e Rodborough Commons em Gloucestershire trazem de volta espécie de grandes borboletas extinta desde 1979 e registraram o grande sucesso, com 750 borboletas emergindo após 1.100 larvas terem sido liberadas na área. Para saber dos detalhes desta maravilhosa notícia leia o artigo completo a seguir.

Grandes borboletas azuis foram extintas na Inglaterra, mas agora essas belezas estão de volta após 150 anos

Após uma ausência de 150 anos, 750 das grandes borboletas azuis apropriadamente chamadas emergiram com sucesso de seus casulos para repovoar partes de seu habitat histórico no sudoeste da Inglaterra.

A maioria dos dólares de preservação não passa de elefantes, pandas e tigres, mas os biólogos ingleses – notoriamente orgulhosos e ligados à vida natural em sua ilha – precisaram de apenas cinco anos para começar a repovoar parte do país com a maior das nove borboletas azuis da Inglaterra espécie: uma criatura inconfundível graças à fileira de manchas pretas em suas asas anteriores.

Foto grande de borboleta azul por PJC & Co 

Phengaris arion, que é chamado de ‘grande azul’, foi extinto na Grã-Bretanha em 1979, mas os esforços de fundos privados e associações ecológicas criaram o maior e mais bem-sucedido programa de conservação de insetos do mundo, e de 1984 a 2008, viu o grande retorno azul para 30 locais de reprodução anteriormente ocupados e novos.

O projeto mais recente em Minchinhampton e Rodborough Commons em Gloucestershire é onde os conservacionistas registraram o grande sucesso, com 750 borboletas emergindo após 1.100 larvas terem sido liberadas na área.

Além disso, eles confirmaram que essas borboletas botam ovos na natureza.

“Criar as condições certas para que esta borboleta globalmente ameaçada não apenas sobreviva, mas também prospere tem sido o ponto culminante de muitos anos de trabalho”, disse Richard Evans, guarda florestal do Commons.

“As borboletas são criaturas muito sensíveis e, com os requisitos específicos do grande azul, são verdadeiros barômetros do que está acontecendo com nosso meio ambiente e com as mudanças climáticas.”

Amiguinhos do Large Blue

A recuperação do grande azul é um exemplo clássico da ‘teia da vida’ de como os animais e as plantas dependem uns dos outros para sobreviver. Não é o suficiente para proteger as borboletas, e os cientistas – como aqueles que trabalham no Butterfly Conservation Trust – tiveram que organizar a proteção para o tomilho selvagem e as formigas vermelhas, duas espécies que são partes integrantes do grande mundo do azul.

O tomilho selvagem e a manjerona são a principal fonte de alimento da grande lagarta azul, e as formigas vermelhas trabalham simbioticamente para proteger as lagartas do perigo.

Foto grande de borboleta azul por PJC & Co

 

 

David Simcox, ecologista pesquisador e co-autor do plano de manejo Commons, observou essa importância em uma declaração : “No verão, quando as formigas estão forrageando, a natureza executa um truque muito legal – as formigas são enganadas pensando que a larva parasita do grande azul é um deles e carrega-o para o ninho. ”

“É nesse ponto que a lagarta passa de herbívora a carnívora, alimentando-se de formigas durante o outono e a primavera até que esteja pronta para entrar em fase de pupa e emergir no verão seguinte”, acrescentou.

Em 2014, o Butterfly Conservation Trust concluiu uma restauração massiva de grande habitat azul nas Colinas Polden em Somerset, incluindo o plantio de mais de 100.000 plantas de tomilho selvagem em sete locais diferentes, bem como a melhoria de 10 hectares (30 acres) de habitat de arbustos para as formigas vermelhas.

O projeto resultou em três recolonizações, bem como um criadouro inteiramente novo, e em 2019 havia 10 grandes criadouros azuis ao todo, um salto de seis em 2017, de acordo com um artigo na revista  Butterfly .

Como polinizador, a recuperação do grande azul pinta um sinal encorajador para a força da biodiversidade na Inglaterra e para o mundo. Viva isso.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: A NATUREZA AGRADECE MAIS UMA VEZ AOS CIENTISTAS QUE TROUXERAM DE VOLTA AS GRANDES BORBOLETAS AZUIS

CIÊNCIAS: UM SALTO QUÂNTICO DA CIÊNCIA NO DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS DO FIGADO

Nesta edição da coluna CIÊNCIAS temos uma descoberta da ciência que é um verdadeiro salto quântico. Cientistas da UC San Diego criaram uma nova ferramenta de diagnóstico baseada no microbioma intestinal natural que pode identificar fibrose e cirrose hepática de maneira rápida e barata em 90% das vezes. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessas grande descoberta!

Cientistas dão um salto gigantesco no diagnóstico de doenças do fígado usando o microbioma intestinal natural

A doença hepática crônica representa um grande problema de saúde pública global, afetando cerca de 844 milhões de pessoas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, e está entre as principais causas de mortalidade nos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. Ao mesmo tempo, é difícil de gerenciar e diagnosticar. Agora, o microbioma dentro do intestino de uma pessoa pode ser a resposta inesperada.

Uma equipe colaborativa do Salk Institute e cientistas da UC San Diego criaram uma nova ferramenta de diagnóstico baseada em microbioma que pode identificar fibrose e cirrose hepática de maneira rápida e barata em 90% das vezes.

O método não invasivo depende de um algoritmo para analisar as amostras de fezes do paciente – que contém traços do que vive no intestino – e pode levar a melhores cuidados com o paciente e resultados de tratamento para doenças do fígado.

“O microbioma é um sensor vivo dinâmico de pequenas mudanças na saúde e na doença do corpo e, como tal, fornece uma leitura precisa da saúde corporal”, diz Salk Professor Ronald Evans, coautor do estudo publicado na Cell Metabolism . “Por ser um diagnóstico rápido e de baixo custo, pode ser algo que se torne amplamente utilizado, principalmente nas diversas áreas que carecem de clínicas e médicos especializados. Dito de forma simples, pode ser uma verdadeira virada de jogo, com implicações mundiais. ”

A doença hepática gordurosa não alcoólica (NAFLD) é a principal causa de doença hepática crônica em todo o mundo e pode progredir para fibrose e cirrose hepática e potencialmente câncer, pois o fígado começa a apresentar cicatrizes e morte celular. Mas faltam ferramentas de diagnóstico para fibrose hepática e cirrose. As biópsias são invasivas e podem não detectar regiões afetadas do fígado, e as ressonâncias magnéticas são caras e muitas vezes não estão disponíveis em áreas rurais. Para enfrentar esses desafios, a equipe de pesquisa explorou o microbioma como uma forma de atender à necessidade urgente de um novo teste para identificar pacientes em risco.

“Procuramos desenvolver um teste universal e não invasivo para fibrose hepática e cirrose com base em uma ‘assinatura do microbioma’ da doença”, diz Michael Downes, cientista sênior da Salk e coautor do estudo.

Em colaboração com cientistas do Departamento de Medicina da UC San Diego, a equipe otimizou um método computacional chamado aprendizado de máquina para descobrir uma assinatura de doença complexa com base em 19 espécies bacterianas presentes nas amostras de fezes de um grupo de pacientes. A assinatura é composta por diferentes quantidades de bactérias, criando uma impressão digital universal para a identificação de fibrose e cirrose hepática. O estudo incluiu 163 amostras clínicas de familiares saudáveis ​​e doentes para identificar variáveis ​​indicativas de doença hepática.

Usando dados do perfil genético do microbioma e de metabólitos das amostras de fezes, os pesquisadores descobriram uma assinatura do microbioma associada a um diagnóstico de cirrose com 94 por cento de precisão. A assinatura do microbioma também pode determinar o estágio da fibrose hepática, o que permite aos médicos classificar os pacientes com base no estágio da doença e melhorar as estratégias de tratamento.

“Esses resultados demonstram que é possível usar o aprendizado de máquina para identificar uma assinatura universal que pode ser usada para o diagnóstico preciso de uma doença, como a cirrose hepática”, diz Tae Gyu Oh, primeira autora do artigo e pesquisadora de pós-doutorado no Evans lab. “Os padrões que encontramos refletem a complexidade do microbioma e como a saúde intestinal provavelmente afeta as doenças”.

Os pesquisadores então aplicaram sua assinatura de microbioma a duas populações independentes de pacientes da China e Itália. A assinatura da equipe pode identificar com precisão a cirrose em mais de 90 por cento dos pacientes, o que valida o poder e a precisão do algoritmo em diferentes genéticas e dietas.

“É notável que uma assinatura do microbioma intestinal derivada de pacientes residentes no sul da Califórnia para cirrose foi capaz de prever a cirrose em duas coortes independentes residentes na China e na Itália. Ele fala sobre as novas descobertas que ainda não foram realizadas no papel do microbioma intestinal para diagnosticar e estratificar doenças do fígado ”, diz Rohit Loomba, co-autor e diretor do NAFLD Research Center da UC San Diego School of Medicine. “Acho que o poder de usar o microbioma como ferramenta de diagnóstico está apenas começando a ser percebido.”

No futuro, os cientistas examinarão a ligação causal entre o microbioma e a doença hepática, testando se a restauração de partes do microbioma leva à regressão da doença ou se a remoção de certas bactérias a torna pior. A equipe também espera que essa abordagem possa ser usada para caracterizar doenças adicionais, como doença inflamatória do intestino, câncer de cólon, Alzheimer e outras doenças que provavelmente são afetadas por um microbioma desregulado.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: UM SALTO QUÂNTICO DA CIÊNCIA NO DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS DO FIGADO

CIÊNCIAS: VIBRAÇÃO E FREQUÊNCIA SÃO AS NOVAS ARMAS CONTRA DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS

A mais nova descoberta da ciência no tratamento de doenças neurodegenerativas, tais como: Alzeheimer e Parkinson você vai conhecer aqui na coluna CIÊNCIAS desta quarta-feira. Cientistas japoneses descobriram que a ressonância com um laser infravermelho, quando sintonizado em uma frequência específica, sobre placas prejudiciais que contêm agregados de proteínas amilóides, realmente faz com que as fibrilas amilóides se desintegre de dentro para fora. A partir dessa experiência ainda ouviremos falar muito da utilização de frequências vibracionais em tratamentos similares. Portanto não perca a oportunidade de conhecer como funciona essa nova técnica!

Novo estudo diz que laser infravermelho destrói placas prejudiciais no cérebro de Alzheimer

Uma característica notável de várias doenças neurodegenerativas conhecidas – como Alzheimer e Parkinson – é a formação de placas prejudiciais que contêm agregados de proteínas amilóides, também conhecidas como fibrilas. Infelizmente, mesmo após décadas de pesquisa, livrar-se dessas placas permaneceu um desafio hercúlea, de modo que os tratamentos para esses pacientes não foram muito eficazes.

Agora, os cientistas estão revelando os resultados de experimentos que mostram como a ressonância com um laser infravermelho, quando sintonizado em uma frequência específica, realmente faz com que as fibrilas amilóides se desintegre de dentro para fora.

Suas descobertas abrem portas para novas possibilidades terapêuticas para doenças cerebrais relacionadas à placa amilóide que até agora têm sido incuráveis.

Nos últimos anos, em vez de seguir a rota química usando drogas, alguns cientistas adotaram abordagens alternativas, como o ultrassom, para destruir as fibrilas amilóides e interromper a progressão da doença de Alzheimer.

Agora, uma equipe de pesquisa liderada pelo Dr. Takayasu Kawasaki (Centro de Pesquisa IR-FEL, Universidade de Ciências de Tóquio, Japão) e o Dr. Phuong H. Nguyen (Centro Nacional de Pesquisa Científica, França), incluindo outros pesquisadores do Centro de Radiação Síncrotron de Aichi e o Synchrotron Radiation Research Center, Universidade de Nagoya, Japão, usou novos métodos para mostrar como a irradiação por laser infravermelho pode destruir as fibrilas amilóides.

Em seu estudo, publicado no Journal of Physical Chemistry B , os cientistas apresentam os resultados de experimentos com laser e simulações de dinâmica molecular. Esse ataque duplo ao problema foi necessário devido às limitações inerentes a cada abordagem, como explica o Dr. Kawasaki:

“Embora experimentos com laser acoplados a vários métodos de microscopia possam fornecer informações sobre a morfologia e evolução estrutural das fibrilas amilóides após a irradiação com laser, esses experimentos têm resoluções espaciais e temporais limitadas, impedindo assim um entendimento completo dos mecanismos moleculares subjacentes. Por outro lado, embora essa informação possa ser obtida a partir de simulações moleculares, a intensidade do laser e o tempo de irradiação utilizados nas simulações são muito diferentes daqueles usados ​​em experimentos reais. Portanto, é importante determinar se o processo de dissociação de fibrilas induzida por laser, obtido através de experimentos e simulações, é semelhante. ”

Os cientistas usaram uma porção de uma proteína de levedura que é conhecida por formar fibrilas amilóides por conta própria. Em seus experimentos com laser, eles sintonizaram a frequência de um feixe de laser infravermelho com o da “banda amida I” da fibrila, criando ressonância. Imagens de microscopia eletrônica de varredura confirmaram que as fibrilas amilóides desmontadas após irradiação com laser na frequência de ressonância e uma combinação de técnicas de espectroscopia revelaram detalhes sobre a estrutura final após a dissociação das fibrilas.

Para as simulações, os pesquisadores empregaram uma técnica que alguns membros da equipe atual haviam desenvolvido anteriormente, denominada “simulações de dinâmica molecular sem equilíbrio (NEMD)”. Seus resultados corroboraram os do experimento e esclareceram adicionalmente todo o processo de dissociação de amilóide até detalhes muito específicos. Por meio das simulações, os cientistas observaram que o processo começa no núcleo da fibrila, onde a ressonância quebra as ligações intermoleculares do hidrogênio e, assim, separa as proteínas no agregado. A ruptura dessa estrutura se espalha para as extremidades da fibrila.

Juntos, o experimento e a simulação são um bom argumento para uma nova possibilidade de tratamento para distúrbios neurodegenerativos. O Dr. Kawasaki observa: “Tendo em vista a incapacidade dos medicamentos existentes para retardar ou reverter o comprometimento cognitivo da doença de Alzheimer, é muito desejável o desenvolvimento de abordagens não farmacêuticas. A capacidade de usar lasers infravermelhos para dissociar fibrilas amilóides abre uma abordagem promissora. ”

O objetivo de longo prazo da equipe é estabelecer uma estrutura que combine experimentos a laser com simulações de NEMD para estudar o processo de dissociação de fibrilas com mais detalhes, e novos trabalhos já estão em andamento.

Espera-se que todos esses esforços acendam um farol de esperança para aqueles que lidam com a doença de Alzheimer ou outras doenças neurodegenerativas.

Fonte: Universidade de Ciências de Tóquio ( Foto de arquivo: ThisisEngineering )

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: VIBRAÇÃO E FREQUÊNCIA SÃO AS NOVAS ARMAS CONTRA DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS

CIÊNCIAS: CIENTISTAS ATESTAM QUE FUTURAS ERUPÇÕES DO ‘OLD FAITHFUL’ NO PARQUE YELLOWSTONE SERÃO BEM MENORES

Um grande alívio para os cientistas e para toda a população da região no entorno do icônico Parque Yellowstone saber que futuras erupções, provavelmente, serão muito mais fracas do que em épocas passadas. Esse é o destaque da nossa coluna CIÊNCIAS desta segunda-feira que você pode conferir lendo o artigo completo a seguir.

Isso é um alívio: cientistas agora dizem que futuras erupções em Yellowstone provavelmente serão muito mais fracas do que em épocas passadas

Os visitantes do estimado Parque Nacional Americano, que apresenta o gêiser ‘Old Faithful’, podem nunca ver o tipo de erupção vulcânica no nível de extinção que foi retratada no filme de desastre de 2012.

Uma análise geológica recente realizada em torno das erupções passadas do super-vulcão demonstra uma desaceleração e um enfraquecimento da força vulcânica que atrai milhões de turistas ao Parque Nacional de Yellowstone todos os anos.

A análise foi descrita como “exaustiva”, pelo Dr. Trevor Nace, que possui um Ph.D. em geologia e clima pela Duke University, que viajou milhares de quilômetros realizando datação por isótopos e coletando dados magnéticos e amostras químicas nos estados que cercam esse hotspot de Yellowstone.

Os dados mostraram que os dois eventos de erupção mais significativos ocorreram entre 9 e 8,7 milhões de anos atrás – um curto período de tempo entre eles, falando geologicamente. A mais antiga é considerada uma das 5 maiores erupções vulcânicas da história da Terra e “esterilizou” grande parte de Idaho, Nevada, Wyoming, Colorado e Montana com vidro vulcânico quente antes de se espalhar para afetar mais de 23.000 quilômetros quadrados ) dos Estados Unidos.

300.000 anos depois, outra erupção – embora menor, atingiu o centro-oeste mais uma vez, após o que a caldeira gigante do continente norte-americano começou a cair, fervendo apenas duas vezes nos últimos 3 milhões de anos e aumentando em três vezes , o intervalo de tempo entre eventos regulares de erupção.

Thomas Knott, principal autor do artigo, descreveu-o como “um declínio muito significativo”, na capacidade do vulcão de produzir eventos vulcânicos.

Old Faithful, direitos autorais GNN

Aprendendo com o passado

Desde que os eventos de Yellowstone foram registrados pela primeira vez pela ciência, os vulcanologistas têm se interessado em estudá-lo, raciocinando que talvez valha a pena estar ciente com antecedência, caso o vulcão gigante comece a se agitar novamente.

Erupções passadas foram 100 vezes mais dramáticas do que a erupção de 1883 de Krakatoa, na Indonésia, que era tão alta que podia ser ouvida a 5 mil quilômetros de distância.

Vomitou tanta cinza na atmosfera que demorou anos para o céu voltar ao normal, e em toda parte da Terra foi tratada com pôr-do-sol vermelho e laranja com tanta luminescência que os bombeiros foram chamados a extinguir incêndios aparentemente violentos, mas inexistentes .

RELACIONADOS : EUA proíbem novas reivindicações de mineração em terras públicas perto de Yellowstone Park com apoio bipartidário

Yellowstone, direitos autorais GNN 

Com efeitos como esses de uma explosão 100 vezes menor do que se temia com uma explosão de Yellowstone, basta fazer com que alguém saiba que é improvável que tenhamos uma erupção tão poderosa quanto aquelas que os cientistas têm a oportunidade de estudar hoje .

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: CIENTISTAS ATESTAM QUE FUTURAS ERUPÇÕES DO ‘OLD FAITHFUL’ NO PARQUE YELLOWSTONE SERÃO BEM MENORES

CIÊNCIAS: PESQUISA REVELA QUE PESSOAS SÃO ESSENCIALMENTE BOAS, MAS CORRENTE DARWINIANA NÃO CONSEGUE ENTENDER

Você vai ver nesta terça-feira aqui na coluna CIÊNCIAS que Pesquisadores japoneses resolvem analisar como a norma social da reciprocidade é adotada na sociedade humana, para verificar se as teorias evolucionárias darwinianas têm razão quando dizem ver competição e vitória do mais forte em cada aspecto da vida. E impõem mais uma derrota à corrente mais estreita do darwinismo. Veja o porquê lendo o artigo completo a seguir!

As pessoas são boas – mas os cientistas não compreendem o porquê

13/07/2020

Redação do Diário da Saúde

As pessoas são boas - mas os cientistas não compreendem o porquê

Depois de mais de um século defendendo a competição e o ganho pessoal, os darwinistas continuam sem compreender a bondade. [Imagem: Pixabay]

Bondade versus competição

A aplicação direta – e um tanto indiscriminada – das teorias evolucionárias ao ser humano, sobretudo no aspecto comportamental, vez por outra gera conclusões que desafiam o mais simples bom senso.

Por isso, pesquisadores japoneses decidiram analisar como a norma social da reciprocidade é adotada na sociedade humana.

Como já se poderia prever, os resultados contestam as previsões teóricas feitas por uma corrente mais estreita do darwinismo, que pretende ver competição e vitória do mais forte em cada aspecto da vida.

As observações mostram que as pessoas podem se envolver em comportamento cooperativo, mesmo entre estranhos, sem expectativa direta de benefício pessoal. Para compatibilizar isso com suas teorias evolucionário-biológicas, os cientistas consideram que esse comportamento cooperativo só seria sustentado se houvesse um mecanismo para garantir que os benefícios sejam retornados aos indivíduos que cooperam – eles chamam esse mecanismo de reciprocidade indireta.

Sempre seguindo a teoria, a reciprocidade indireta dependeria de normas sociais que distinguem o bem do mal. Muitas pesquisas têm buscado normas que desencorajam a cooperação direcionada a pessoas consideradas más. Para manter sua teoria de pé, os cientistas têm proposto que “não cooperar com pessoas más é uma coisa boa”, o que eles chamam de deserção justificada, que seria necessária para “estabilizar o comportamento cooperativo”.

Isso ocorreria porque – sempre dentro da teoria biológico-evolucionista – se a deserção contra uma pessoa má não for justificada, aqueles que não cooperaram com uma pessoa que não coopera (uma pessoa má) serão avaliados como ruins, e a não cooperação substituiria a cooperação. É claro que os neo-darwinistas bem que gostariam de eliminar a cooperação da agenda, mas a realidade não lhes permite porque a observação ainda fala mais alto que as teorias.

Precisamos melhorar as teorias

A equipe decidiu testar tudo isso realizando várias experimentos para responder se a “deserção justificada” é mesmo justificada e analisar as normas que as pessoas adotam em suas vidas diárias.

Os resultados mostraram que, ao contrário de todas aquelas previsões teóricas acima, as pessoas têm uma atitude neutra em relação à deserção justificada, evitando julgá-la como boa ou ruim.

Na verdade, para desespero dos neo-darwinistas, as pessoas julgaram a “cooperação com uma pessoa má (cooperação injustificada)” como algo bom – algo que intriga os cientistas, mas que não soa nada estranho para quem conhece conceitos como altruísmo, magnanimidade, indulgência, bondade e tantos outros.

“Nossos resultados indicam a necessidade de reconsiderar a justificação da ‘deserção justificada’ na evolução da cooperação,” resumiu laconicamente o professor Hitoshi Yamamoto, da Universidade Rissho.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Justified defection is neither justified nor unjustified in indirect reciprocity
Autores: Hitoshi Yamamoto, Takahisa Suzuki, Ryohei Umetani
Publicação: PLoS ONE
DOI: 10.1371/journal.pone.0235137

Continuar lendo CIÊNCIAS: PESQUISA REVELA QUE PESSOAS SÃO ESSENCIALMENTE BOAS, MAS CORRENTE DARWINIANA NÃO CONSEGUE ENTENDER

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho