Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: OS MEXILHÕES ABSORVEM OS MICROPLÁSTICOS E DEPOIS OS EXCRETA, SEM CAUSAR DANOS AO ORGANISMO

A ciência descobriu que os mexilhões funcionam comofiltro dos microplásticos que estão espalhados nos nossos oceanos. Filtro alimentador voraz, o mexilhão absorve os microplásticos e depois os excreta, sem causar danos ao organismo. Uma solução primorosa para acabar com a poluição nos nossos oceanos. Leia o artigo completo a seguir e saiba dos detalhes dessa fantástica descoberta!

Os mexilhões podem ajudar a filtrar os microplásticos de nossos oceanos sem prejudicar os moluscos

Em vez de gastar com uma planta de filtração de água, a alimentação constante do filtro de mexilhões está sendo testada como uma aplicação potencial em larga escala para limpeza de microplásticos em nossos oceanos.

Desmentindo sua humilde estatura evolutiva, o mexilhão pode fazer algo que a humanidade só conseguiria gastando milhões em equipamentos, que é limpar microplásticos menores que 5 mm do oceano.

Filtro alimentador voraz, o mexilhão absorve os microplásticos e depois os excreta, sem causar danos ao organismo.

Os microplásticos são poluentes diabólicos que podem vir do desgaste dos pneus, fraturar os detritos de plástico que flutuam há muito tempo ou serem arrancados de tecidos artificiais e acabar no oceano por meio de esgoto. Eles são tão pequenos que muitas vezes a finura necessária de uma rede para coletá-los garante que qualquer vida marinha, mesmo as minúsculas, também será coletada.

Um teste próximo ao Laboratório Marinho de Plymouth, na Inglaterra, está procurando ver quantos mexilhões seriam necessários para causar um impacto significativo na poluição microplástica.

Uma entrada de blog de um biólogo em nossa EPA sugere que um mexilhão adulto pode filtrar a ração através de 15 galões de água por dia, e que um leito de 6 milhas de mexilhões pode remover 25 toneladas de partículas por ano.

O ensaio Plymouth está replicando um experimento anterior que colocou cerca de 300 mexilhões em um tanque de fluxo que os alimentava com fitoplâncton e microplásticos. Eles coletaram cerca de 25% dos microplásticos que estavam na água – impressionantes 250.000 peças por hora. As partículas foram depositadas nos excrementos do bivalve que, segundo os pesquisadores, poderiam ser usados ​​como biocombustível porque está cheio de carbono.

Isso foi financiado pelo Waitrose Plan Plastic, um programa de subsídios para soluções de limpeza de plástico financiado pelas vendas de sacolas plásticas em supermercados Waitrose no Reino Unido.

Em Plymouth Sound, a equipe de monitoramento dos mexilhões os mantém em grupos em baldes sob os quais são suspensos recipientes para garantir que todos os resíduos sejam coletados e os microplásticos possam ser descartados de maneira adequada.

“Os testes até agora têm sido extremamente promissores e estamos muito animados com o impacto positivo que sistemas como esses podem ter nas áreas estuarinas, especialmente em locais onde os microplásticos podem se acumular, como marinas, portos ou perto de estações de tratamento de águas residuais”, disse o professor Pennie Lindeque, Chefe de Ciências – Ecologia Marinha e Biodiversidade, em um comunicado à imprensa .

Embora os nanoplásticos possam atravessar as membranas dos mexilhões e entrar em sua anatomia limitada, os microplásticos são grandes demais para prejudicá-los nos níveis em que se encontram atualmente nos oceanos.

“Esta foi uma experiência muito emocionante, porque sempre esperamos que os mexilhões tivessem a capacidade de filtrar os microplásticos, mas eles fazem isso muito bem e sem se machucar”, diz Lindeque.

ASSISTA o vídeo sobre esta história abaixo).

Fonte: Good News Network

 

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: OS MEXILHÕES ABSORVEM OS MICROPLÁSTICOS E DEPOIS OS EXCRETA, SEM CAUSAR DANOS AO ORGANISMO

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ÁGUAS RESIDUAIS PODEM SER LIMPAS E GERAR ELETRICIDADE AO MESMO TEMPO

Unindo o útil ao agradável pesquisadores desenvolveram um sistema que recupera ambos, filtrando águas residuais enquanto cria eletricidade. “O biogás é a principal fonte de energia que podemos recuperar das águas residuais; a outra é a bioeletricidade.” A natureza agradece quando essas águas residuais são devolvidas limpas.

Pesquisadores usam águas residuais para gerar eletricidade – durante a limpeza

Se as águas residuais estão cheias de “resíduos” é uma questão de perspectiva.

“Por que é um desperdício?” perguntou Zhen He, professor da Washington University em St. Louis. “São materiais orgânicos”, disse ele, e podem fornecer energia de várias maneiras.

Depois, há outro recurso valioso em águas residuais. Água.

Seu laboratório desenvolveu um sistema que recupera ambos, filtrando águas residuais enquanto cria eletricidade. Os resultados dos testes em escala de bancada foram publicados em maio e apresentados como um artigo de capa na revista Environmental Science: Water Research & Technology .

Os resíduos nas águas residuais estão cheios de materiais orgânicos que, para as bactérias, são alimentos.

“As bactérias os amam e podem convertê-los em coisas que podemos usar”, disse ele. “O biogás é a principal fonte de energia que podemos recuperar das águas residuais; a outra é a bioeletricidade. ”

Pesquisadores egípcios que trabalham com ele têm interesse em usar plataformas tecnológicas semelhantes para dessalinização de água.

Já existem maneiras de capitalizar as bactérias para produzir energia a partir de águas residuais, mas esses métodos costumam fazer isso às custas da água, que poderia ser filtrada e de outra forma usada – se não para beber – para fins de “água cinza”, como irrigação e descarga do banheiro.

Seu laboratório pegou os dois processos – filtração e produção de energia – e os combinou, integrando o sistema de filtração ao eletrodo anódico de um sistema eletroquímico microbiano.

O sistema é configurado como uma célula de combustível microbiana típica, uma bateria bacteriana que usa bactérias eletroquimicamente ativas como catalisador, enquanto uma célula de combustível tradicional usaria platina. Nesse tipo de sistema, as bactérias são fixadas ao eletrodo. Quando a água residual é bombeada para o ânodo, as bactérias “comem” os materiais orgânicos e liberam elétrons, criando eletricidade.

Filtrar essa mesma água, entretanto, requer um sistema diferente.

Seu laboratório combinou os sistemas, desenvolvendo um ânodo permeável que atua como um filtro.

O ânodo é uma membrana dinâmica, feita de tecido de carbono condutor. Juntas, as bactérias e a membrana filtram de 80% a 90% dos materiais orgânicos – o que deixa a água limpa o suficiente para ser liberada na natureza ou tratada posteriormente para uso em água não potável.

Ele usou uma cultura mista de bactérias, mas elas tinham que compartilhar uma característica – a bactéria tinha que ser capaz de sobreviver em um ambiente com oxigênio zero.

“Se houvesse oxigênio, as bactérias apenas despejariam elétrons no oxigênio, não no eletrodo”, disse ele. “Se você não consegue respirar com o eletrodo, você perecerá.”

Para encontrar as bactérias corretas, Ele geralmente segue a natureza.

“Não é 100% natural, mas selecionamos aqueles que podem sobreviver nessa condição”, disse ele. “É mais como ‘seleção projetada’”, as bactérias que sobreviveram e respiraram com o eletrodo foram selecionadas para o sistema.

A quantidade de eletricidade gerada não é suficiente para, digamos, abastecer uma cidade, mas é teoricamente suficiente para ajudar a compensar a quantidade substancial de energia usada em uma estação de tratamento de água típica dos Estados Unidos.

“Nos Estados Unidos, cerca de 3% a 5% da eletricidade é usada para a atividade de água e esgoto”, disse ele. Considerando o uso por uma usina municipal local, ele acredita que seu sistema pode reduzir significativamente o consumo de energia.

“A água residual é um recurso no local errado.”

“Normalmente, o processo consome cerca de 0,5 KWH de eletricidade por metro cúbico”, disse ele. Com base em experimentos em escala de bancada, “Podemos reduzi-lo pela metade, ou mais disso.”

Mas o objetivo principal do sistema de He não é a produção de eletricidade, é o tratamento de águas residuais e a recuperação de nutrientes.

“As bactérias podem converter esses materiais orgânicos em coisas que podemos usar”, disse ele. “Também podemos recuperar nutrientes como nitrogênio ou fósforo para fertilizantes. Podemos usá-lo para alimentar as plantas. Só quando não o usamos, ele se torna um desperdício. ”

Fonte: Washington University em St. Louis ; imagem em destaque, Patrick Brossett,

Fonte: Good News Network

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ÁGUAS RESIDUAIS PODEM SER LIMPAS E GERAR ELETRICIDADE AO MESMO TEMPO

OPINIÃO: LIMPEZA NAS ESTRUTURAS DA NAÇÃO FEITA PELO GOVERNO BOLSONARO TEM INCOMODADO AS ELITES ACOSTUMADAS A MAMAR NAS TETAS DO ESTADO

O GRANDE GOLPE

Fotomontagem: JCO (Reprodução)Fotomontagem: JCO (Reprodução)

Em 2019, Jair Bolsonaro começa a governar e a mudar o Brasil. Inicia uma limpeza nas estruturas da nação. As elites encasteladas e acostumadas a mamar nas tetas do estado se sentem incomodadas. Não se conformam. Não aceitam. Repetem que a eleição de Bolsonaro foi um “erro”.

Eles, os que estão há 23 anos no poder é que deveriam governar. Eles é que são os bons. Eles é que deveriam ter recebido os votos de Bolsonaro.

Dois anos e meio depois, partem para o golpe final. Estão desesperados, pois em 2022 existem eleições e eles serão varridos do poder que ainda detém espalhados pelos Ministérios, pois continuará o desmonte das pautas de esquerda e o trabalho de “despetização” do governo, novos senadores serão eleitos e julgarão os juízes corruptos do Supremo, novos deputados federais, novos governadores e o Cartel de Imprensa será desmontado.

O desespero é geral. Urge a derrubada do Presidente.

Eis o resumo do grande golpe e seus atores:

– O Supremo Barroso manda instalar a CPI da pandemia a pedido de Randolfe Rodrigues e seus apaniguados. Dominam a CPI os piores elementos do Senado, todos suspeitos de desviar dinheiro público. Elegem Omar Aziz, Presidente, relator, Renan Calheiros, vice, Randolfe Rodrigues. Os três criam dentro da CPI o grupo denominado G7, para que possam controlar todas as ações e fazer as mais espalhafatosas acusações contra o Presidente.

– Os elementos do G7, sintonizados ao Consórcio de Imprensa, que na verdade é um Cartel encarregado de produzir panfletos políticos contra o governo, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL repercutem o discurso do G7. Repetem exatamente as mesmas matérias e distribuem para todo Brasil. Não existe espaço para o contraditório.

– O STF, hoje, lamentavelmente, uma das instituições com maior rejeição no país, sua credibilidade se aproxima de zero, já não se dá ao trabalho de guardar as aparências, acolhe tudo o que as esquerdas pleiteiam. Tudo é feito às claras, com arrogância daqueles que se consideram estar acima de tudo. Interpretam a Constituição a seu bel-prazer. Isso comprova que a democracia está em perigo.

Os três grupos votaram, trabalharam contra Bolsonaro e perderam.

Os três grupos, mais os artistas, as ongs, os sindicatos trabalharam juntos contra o Presidente e levaram uma surra de votos da população.

Os três grupos, mais os institutos de pesquisas, junto com os Partidos de esquerda PT, PSOL, PCB, PSB e mais o PSDB, os maiores Partidos Políticos do país, com todos os seus senadores, deputados, vereadores, Prefeitos, Governadores, a máquina do estado, dinheiro de corrupção, levaram uma surra de Bolsonaro e do povo e perderam as eleições.

O povo votou e escolheu Bolsonaro porque se identificou com suas lutas.

Os donos do poder, aturdidos, jamais se conformaram. Nunca aceitaram o resultado. Desde o primeiro dia de governo eles decidiram derrubar o Presidente e suas pautas.

E repetiram abertamente: “Ganhou, mas não governa”.

Vamos amarrar as pontas:

– Uma CPI + Um Cartel de Imprensa + Juízes do STF. O funcionamento da guilhotina do grupo é assim:

As esquerdas denunciam o governo, o STF recebe e aceita, o Cartel repercute 24 horas por dia. Essa é a cantilena. Todos os dias.

Esse é o cenário.

Eis porque uma denúncia sem sentido, de um deputado que tem tantas acusações quanto os senadores da CPI, é importante. Ela fortalece o grupo. Vitamina o golpe. Inventa uma narrativa fantástica, como tantas que já foram inventadas. A última é uma manchete covarde da Folha:

“Governo Bolsonaro pediu propina de US$ 1 por dose, diz vendedor de vacina”.

Aí vem a explicação: “Representante da empresa Davati Medical Supply afirmou à repórter Constança Rezende que proposta partiu de Roberto Dias, diretor do Ministério da Saúde”.

Isto é, um dos Diretores do Ministério da Saúde, remanescente de governos anteriores, pede propina, e o jornal diz que quem pediu foi Bolsonaro.

Imediatamente o Diretor foi exonerado pelo Ministro da Saúde.

Precisamos dar uma resposta à altura.

Precisamos proteger o Presidente.

Precisamos proteger nossos votos contra os golpistas.

Essa é a maior trama para retomada de poder já esquematizada dentro do Brasil.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: LIMPEZA NAS ESTRUTURAS DA NAÇÃO FEITA PELO GOVERNO BOLSONARO TEM INCOMODADO AS ELITES ACOSTUMADAS A MAMAR NAS TETAS DO ESTADO

TECNOLOGIA: UMA RODA DO LIXO QUE É TOTALMENTE SUSTENTÁVEL

GNN relatou em 2017 que o Sr. Roda do Lixo gira com base na energia retirada da corrente do rio e devora 15 toneladas de lixo todos os dias. Se não for possível gerar eletricidade suficiente apenas com o rio, a roda usa energia solar. Sua ideia teve tanto sucesso que várias outras organizações estão construindo sua própria roda do lixo. Leia o artigo completo a seguir e conheça como funciona essa TECNOLOGIA que gera energia limpa.

‘Sr. Roda do lixo ‘devora 15 toneladas de lixo todos os dias dos portos – e mais cidades estão adotando

Durante anos, a face ambígua, porém satisfeita do Sr. Roda do Lixo tem sido um ícone do Inner Harbor de Baltimore.

O coletor de lixo de olhos arregalados vem devorando milhões de libras do lixo transportado pelo rio da cidade há anos e levou à criação de vários aliados da roda d’água, como o Capitão Roda do Lixo e o Prof. Roda do Lixo.

A ideia de algum tipo de coletor de lixo veio do inventor local John Kellet, que atravessaria a passarela que atravessa o riacho Jones Falls que alimenta o porto de Baltimore – e ficaria perturbado ao ver o fluxo ininterrupto de lixo flutuando em sua direção.

Kellet olhou em volta para ver se havia alguma solução potencial para o problema, mas não encontrou nenhuma. Ele acabaria não apenas dando ao porto uma aparência mais cintilante e livre de lixo, mas uma das maiores celebridades da cidade e ícones da mídia social – embora ele admitisse que não foi sua ideia colocar os olhos arregalados na barcaça.

GNN relatou em 2017 que o Sr. Roda do Lixo gira com base na energia retirada da corrente do rio. Se não for possível gerar eletricidade suficiente apenas com o rio, a roda usa energia solar.

Kellet, que dirige a Clearwater Mills , também fabrica gaiolas especialmente projetadas para caber em emissários de drenagem pluvial – que é a fonte da maior parte da poluição do lixo no porto.

Sua ideia teve tanto sucesso que várias outras organizações estão construindo sua própria roda do lixo. Em breve, chegará ao rio Gwynns Falls, em Maryland, Gwynda, a roda boa do oeste, enquanto Oakland, na Califórnia, está construindo um chamado Trasharella.

O primeiro Mr. Trash Wheel internacional vem ao Panamá, com a “Sra. Wheel ”ou“ Doña Rueda ”.

“Eu nunca imaginei que teríamos olhos arregalados sobre esta máquina, com um nome para ela e uma cerveja [com o nome], e as camisetas da roda do lixo e um fã-clube da roda do lixo e uma festa dos fãs da roda do lixo, é gentil além dos meus sonhos mais selvagens ”, disse Kellet no documentário na CNET.

Por trás da marca Mr. Trash Wheel está um dos conceitos mais importantes da teoria moderna da poluição – que os rios depositam a maior parte do lixo existente nos oceanos. A organização sem fins lucrativos The Ocean Cleanup , que opera sofisticados interceptores de lixo de rios de energia verde, explica em seu site que mil dos rios do mundo geram 80% de todo o lixo encontrado no oceano.

O documentário sugere fazer lobby com seus políticos locais para instalar uma roda do lixo, enviando-lhes alguns dos fatos – como a capacidade da tecnologia de coletar 38.000 libras de lixo por dia – ou até mesmo o fato de que tem a capacidade de se tornar uma mídia social influenciador para sua cidade.

ASSISTA o documentário da CNET abaixo).

Continuar lendo TECNOLOGIA: UMA RODA DO LIXO QUE É TOTALMENTE SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: A MUDANÇA DE HÁBITOS É SEMPRE BEM VINDA QUANDO É PARA MELHOR

Vamos começar a nossa sexta-feira aprendendo como ser uma pessoa mais organizada, já que o fim de semana se aproxima e temos mais tempo para algumas arrumações. Este é o tema da nossa coluna DESENVOLVIMENTO PESSOAL. Conheça 9 hábitos que vão lhe tornar uma pessoa mais organizada e menos estressada!

9 hábitos para se tornar uma pessoa organizada

Pequenas mudanças de hábitos podem promover uma rotina menos estressante; confira

Escrito por Paula Santos

Redação Minha Vida

Em 11/3/2021

Ser uma pessoa organizada não é algo que vem de berço. Muitas pessoas alegam dificuldade em deixar as coisas arrumadas ou sua rotina preparada para a semana, afirmando que simplesmente não possuem o gene da organização.

Entretanto, uma pessoa se torna organizada por meio de hábitos cultivados no dia a dia, seguindo um planejamento com determinação. Logo, mesmo quem se considera desorganizado, pode aprender novas formas de comportamento, moldando um novo jeito de agir e pensar.

“Organização pura e simples não existe, porque sozinha, ela não dura. O que existe é a mudança nos hábitos”, conta Roberta Andrade, personal organizer da HEKATÊ. Pensando nisso, a especialista separou nove hábitos que, quando seguidos, podem te ajudar a se tornar uma pessoa mais organizada. Confira:

1- Planeje-se no dia anterior

Aproveite o cansaço do fim do dia para tomar decisões corriqueiras, como escolher o café da manhã e a roupa que irá usar no dia seguinte. Desta forma, você evita o consumo de energia pela manhã para decidir entre café ou chocolate quente e, caso acorde em atraso, já saberá qual roupa vestir.

2- Aproveite o tempo do micro-ondas

A chamada “mágica do micro-ondas” é uma dica que pode ajudar a otimizar o tempo. “Ao invés de colocar seu leite ou almoço para esquentar e ficar na internet, utilize estes minutos para fazer algum tipo de organização, como olhar a gaveta de utensílios ou tirar a louça da máquina”, explica Roberta.

3- Monte seu cardápio

Tire um dia para organizar seu cardápio com antecedência, colocando no papel tudo o que mais gosta. Ao dividir o que será consumido nas próximas semanas, é possível ter maior controle sob sua alimentação, se atentando aos tipos de comida que serão escolhidos.

4- Não acumule a louça

Não deixe que sua louça se acumule – nem para lavar, nem após secar. Para isso, tenha o hábito de esvaziar a máquina de lavar ou o escorredor ao menos uma vez ao dia.

5- Guarde os objetos

“Casa com vida é uma casa com bagunça, mas quando ela não volta para o lugar, se torna um problema. Crie o hábito de voltar objetos espalhados pela casa aos seus devidos lugares todas as noites”, ensina a personal organizer. Assim, é possível começar o dia seguinte com a casa em ordem.

6- Controle seus e-mails

Tenha o hábito de checar seus e-mails em horários pré-estabelecidos e, para evitar passar muito tempo navegando na internet, coloque um alarme para lembrar o momento de migrar para uma próxima atividade.

7- Não acumule cartas

Evite montar uma pilha de cartas. Processe tudo assim que elas chegarem, conferindo se é uma conta para pagar, uma notificação ou algo que pode ir direto para o cesto de lixo.

8- Use a agenda do celular

Ative a agenda do celular para te ajudar a lembrar de seus compromissos. Desta forma, você não irá perder nenhuma atividade importante.

9- Pratique o desapego

“Comece a olhar tudo que está ao seu redor e se pergunte: Eu uso? Eu amo? Eu preciso? Excesso de itens gera estresse e contribui para a bagunça”, finaliza Roberta.

Paula Santos

Fonte: Minha Vida

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO PESSOAL: A MUDANÇA DE HÁBITOS É SEMPRE BEM VINDA QUANDO É PARA MELHOR

DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A LIMPEZA PSICOLÓGICA É NECESSÁRIO PARA AQUELES QUE BUSCAM O DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL

Quando nascemos, independente de onde sejamos educados já trazemos dos nossos ancestrais seus sistemas de crenças e seus padrões de comportamento, através do inconsciente coletivo. Durante muito tempo o homem não evoluiu com relação a isso, pois muitas dessas crenças e padrões de comportamento já estão ultrapassados emperrando a evolução da humanidade. Por isso é preciso começar a fazer sua limpeza espiritual. Precisa começar a influenciar a si mesmo. O texto a seguir nos explica como esse processo acontece na nossa mente, através do nosso cérebro e suas três camadas. Portanto, convido você a ler o texto completo a seguir e entender como funciona esse processo evolutivo!

Passos   no   caminho

‘Estamos sendo estruturados para levar adiante o que nossos ancestrais deixaram; seus sistemas de crenças e padrões de comportamento. Não é possível começar a vida com um caderno em branco ‘

Caty Green*

Bonsai: a árvore da felicidade

A limpeza psicológica é necessária para aqueles que buscam o desenvolvimento espiritual. Se não for feita com seriedade e êxito, se os problemas pessoais ou as necessidades emocionais não forem primeiramente expostos e depois resolvidos e curados, o indivíduo pode permanecer como uma criança, num nível muito vulnerável. É a criança que está contente com a figura de Deus ou de um grande pai que está no céu, que dará doces  se ela se comportar como deve ou a castigará caso não o faça. Dessa forma você não encontra o seu caminho espiritual; você simplesmente restabelece seu eu infantil e se convence a permanecer no modo “criança  boazinha.

Obviamente esse comportamento terá muito apoio, uma vez que é com isso que a maioria das religiões está preocupada. Mas se você busca o desenvolvimento espiritual com seriedade, como uma experiência pessoal e não apenas como um tópico intelectual de conversa, precisa começar a fazer sua limpeza espiritual. Precisa começar a influenciar a si mesmo.

A definição do eu começa muito cedo. Desde bebês nós ingerimos alimentos e eliminamos os resíduos, respiramos, vocalizamos e tentamos compreender o que significa tudo isso, toda essa informação chegando através dos cinco sentidos. O que é o aqui? O que é este corpo que eu tenho que operar? O que é tudo aquilo que está lá fora na minha frente? As respostas chegam lentamente, à medida que o reconhecimento se desenvolve, junto com a experiência e a  prática.

Esse processo assegura que nós nos desenvolvamos de acordo com os padrões do tempo e do lugar  onde  chegamos ao mundo. Embora a maioria das coisas que lemos a princípio sejam orientações   básicas para a instância física em que nos encontramos,  os aspectos físicos que experimentamos ao nosso derredor, à medida que dominamos essas coisas, também nos apresentam aos valores socioculturais do mundo – ao lugar imediato, ao período histórico, às pessoas que são responsáveis por nós e a quem nós, por nossa vez, devemos responsabilidade.

Estamos sendo estruturados para levar adiante o que nossos ancestrais deixaram; levar adiante seus sistemas de crenças e seus padrões de comportamento. Normalmente não é possível começar a vida com um caderno em branco, por assim dizer. Aprendemos por imitação, um processo que se estabelece muito antes de termos suficiente desenvolvimento intelectual para selecionar o que queremos ou não  imitar.

Esse processo de imitação se aprofunda no cérebro e mergulha no subconsciente até a memória da raça, a raiz do celeiro psicológico. No fundo da raiz do celeiro está nosso cérebro; acima dela está a segunda camada do cérebro. Contudo, toda a codificação que constitui a base da consciência individual é limitada pelo terceiro cérebro, que adquirimos há algumas centenas de milhares de  anos.

Temos um cérebro tripartite, com três camadas, por assim dizer. As partes do cérebro que lidam com a nutrição do corpo físico e com a padronização da respiração, vocalização, movimentos, reprodução e autodefesa são as partes mais antigas – essa é a nossa camada mais ancestral, a primeira, o Cérebro Reptiliano.

Mais recente – embora com muitos milhões de anos – é o Cérebro Mamífero, o cérebro animal que se desenvolveu a partir do Cérebro Reptiliano. Ele gerencia, em um nível mais elevado, questões como a vigilância do nosso ambiente, o impulso para reproduzir e o desenvolvimento deliberado de sistemas que atuam em nossa defesa – tudo que compartilhamos com a maioria dos outros mamíferos.

O cérebro que nomeia

A última aquisição é o Cérebro que  Nomeia, o cérebro da linguagem, um recém-chegado em termos de evolução. Como a chegada de uma nova camada ao cérebro nunca faz com que a funcionalidade prévia desapareça, nós retemos as duas primeiras camadas, principalmente no nível subconsciente. Mas temos razão de questionar o status da integração do  Cérebro  que Nomeia com os outros dois. Onde os cérebros Reptiliano e Mamífero parecem coordenar, com êxito, o Cérebro que  Nomeia, o recém-chegado, parece ainda estar tentando se encaixar. Intelecto e instinto nem sempre andam de mãos dadas.

Ao aceitar a narrativa do Gênesis como o grande mito que resume a chegada do Cérebro que Nomeia, uma mudança tectônica na composição de nossas espécies, somos obrigados a estar em conformidade com várias versões que refletem essa grande ocorrência histórica. Consideremos alguns versículos da Bíblia (a versão do Rei James). No Gênesis capítulo 1, versículo 28, consta que os seres humanos foram instruídos a “povoar a terra, e subjugá-la: e exercer domínio (…) sobre toda criatura viva que se mova sobre a terra”.

No capítulo 2, versículos 19 e 20, lê-se que, depois de ter formado todas as criaturas, Deus as “trouxe para Adão ver que nome lhes daria (…) E Adão deu nome a todas”. Transportados para o Novo Testamento, vemos em João, capítulo 1, versículos 1-3: “No início era o Verbo e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no início com Deus. E todas as coisas foram feitas através d’Ele, e sem Ele nada seria feito do que foi feito.”

As raízes do conceito de Verbo remontam muito além da referência judaico-cristã. A Wikipedia refere-se a “um mantra Indo-iraniano efetivamente significando ‘Verbo’”, e indica que os satya mantras indo-iranianos “não significam simplesmente ‘Verbo verdadeiro’, mas pensamento estabelecido em conformidade com consumação inerente (realização)”. Observa-se que esse uso da palavra realização inclui seu significado em francês de tornar real). Uma outra referência: “a tradição chinesa [do termo mantra] é zhenyan, literalmente ‘palavras verdadeiras’”. Essas antigas referências à nossa capacidade linguística não parecem estar relacionadas e evidentemente justificariam um estudo considerável, mas o conceito de Cérebro que Nomeia, e que nos diz respeito, é limitado.

Esse conceito pode ser resumido da seguinte forma: nosso cérebro línguístico define tudo para nós. Ele recebe informações dos cinco sentidos do corpo físico. Portanto, a percepção da realidade disponível ao ser humano é limitada ao que esses cinco sentidos conseguem perceber. Quando o assunto vai além da experiência humana direta, o ser humano pode interpretá-lo apenas através da capacidade do Cérebro que Nomeia, desse modo percebendo o tema em termos dos limites impostos. O intelecto pode ir muito além, mas ainda deve interpretar conceitos nos termos definidos pelos cinco sentidos.

Qualquer cão ouve melhor do que um ser humano. Muitas criaturas ouvem melhor do que conseguimos ouvir; muitas veem melhor. O cavalo tem um campo de visão de quase 360°, o equivalente, para nós, a ter olhos atrás da cabeça. A abelha vê duas escalas separadas de preto.

Considerando a situação de nossa percepção de um modo um pouco diferente: aqui está uma mesa bem robusta. Você pode subir nela, até mesmo pular sobre ela. Ela é sólida, não há qualquer dúvida a respeito. Mas o que você vê quando olha para a mesa através de um potente microscópio?  Você vê movimento, poderoso, constante, impressionante. A mesa é uma massa de moléculas em movimento.

Conclusão: nossa percepção do mundo e também nossa compreensão de tudo que podemos chamar de realidade, e de tudo que podemos imaginar, é determinada pelo Cérebro  que Nomeia, um cérebro alimentado apenas pelas informações dos cinco limitados sentidos humanos. Aquilo que chamamos de real é apenas o que é real para nós.

Embora a riqueza de referências ao Verbo exija estudo e reflexão, a realização do nosso propósito de Verbo sobre o nosso eu  exige que demos os próximos passos no caminho.

Radicada no solo do Cérebro que Nomeia, a consciência não acha fácil reconhecer qualquer outra percepção da realidade, qualquer outro senso de seu eu. O ser humano que no momento consideramos como normal permanece engajado em representar o cenário de seu drama pessoal. Sugerir que outro nível de experiência possa ser desejável e até vantajoso é muitas vezes percebido como tolice mística.

Shakespeare disse: “O mundo é um palco, e os homens e mulheres são apenas atores.” Esta é uma instrução espiritual da mais elevada ordem. A tarefa para aqueles que estão no caminho espiritual é deixar esse palco, erradicar o processo mental do Cérebro que Nomeia e permitir-lhe chegar ao solo da consciência superior.

Porém, é fácil falar; fazer é outra coisa. A decisão de fazer é o resultado de um anseio apaixonado pelo que tem sido chamado de união divina, união com o divino, aquilo que está além do humano. Ou pode ser simplesmente uma questão de curiosidade intelectual. Ou ambas ao mesmo tempo. O que quer que invoque o impulso deve ser forte e contínuo para ser bem-sucedido.

     A voz do silêncio

A palavra-chave para a natureza desse processo é escutar. O místico Eckhart Tolle escreve e fala sobre isso. Seu trabalho nos transporta a um ponto de onde podemos dar nossos primeiros passos no caminho. Recomendo ouvir seus discursos gravados, pois sua voz carrega o peso dos seus processos interiores.

A maioria de nós não coordenou conscientemente nosso processo auditivo. Temos a antiga resposta instintiva a sons inesperados. Isso é ouvir. Podemos ouvir muito bem, mas ouvir não deve ser confundido com escutar.

Em muitas línguas a conversação comum e casual é cheia de orações que começam com “escute”. Por quê? Será que, como regra geral, nós realmente não escutamos? Se assim for, o fato de que pedimos ao nosso ouvinte para escutar mostra que nós percebemos a nossa necessidade de desenvolver e enriquecer nosso processo de escuta.

A escuta acontece em vários níveis de atenção. Muitas vezes tudo que fazemos é ficar em silêncio enquanto a outra pessoa fala. Podemos simplesmente estar esperando a nossa vez de falar. Um outro nível é escutar em busca de informação – quando a atenção está focada em reter as especificações da informação crua.

Contudo, um terceiro grau do ato de ouvir permite obter informação e também captar como a pessoa se sente a respeito do que está dizendo; em outras palavras, compreender que peso emocional, psicológico e intelectual o tema e as afirmações podem ter para quem está falando. O ouvinte pode avaliar o que essas várias perspectivas significam, sendo assim capaz de uma conversação profundamente enriquecedora para as duas partes. É a partir desse terceiro nível que o indivíduo pode avançar no caminho espiritual, pois grande parte desse movimento é o processo de escutar internamente

Então, já que a definição do eu é estruturada pelo Cérebro que Nomeia, vamos dar uma olhada na sua estrutura e escutar. Ouvir o chamado e o mais importante de todos os sons: a voz do silêncio.

“O ato de ouvir permite também captar como a pessoa se sente; compreender que peso emocional, psicológico e intelectual o tema e as afirmações podem ter para quem está falando.”

Fonte: Revista SOPHIA • JUL/AGO 2020

Continuar lendo DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL: A LIMPEZA PSICOLÓGICA É NECESSÁRIO PARA AQUELES QUE BUSCAM O DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL

AUTOCONHECIMENTO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA TAMBÉM CAUSA EFEITOS COLATERAIS

O momento de transição planetária coincide com o despertar de consciência coletivo. Todo esse movimento energético também causa efeitos colaterais nos nossos corpos físicos, tais como: exaustão, insônia, sono interrompido, ansiedade, problemas digestivos e dores nas articulações. O texto a seguir nos alerta para esses sintomas e nos ensina como lidar com isso!

A expansão interna acontecendo em você

Mensagem de 13 de Julho de 2020

Para a maioria de nós, este ano foi um ciclo de mudança, limpeza, liberação e cura , e parece que os próximos meses contêm apenas mais do que agora estamos intimamente familiarizados. O desenrolar de nossa jornada para o despertar mudou a nossa energia e expandiu nossa consciência até o ponto em que agora somos capazes de processar e integrar vastas quantidades de energia cósmica. A quantidade de energia que estamos processando e integrando agora está em proporção direta com a quantidade de cura, limpeza e liberação que sofremos.

À medida que as energias recebidas aumentam em poder e força, novas energias vitais estão sendo geradas para sustentar o seu crescimento evolutivo. À medida que você se torna cada vez mais hábil em processar e integrar as energias recebidas, você encontrará seu campo de energia se expandindo além de qualquer coisa que possa ter experimentado antes. Certos ajustes ocorrerão manifestando-se como exaustão, insônia, sono interrompido, ansiedade, problemas digestivos e dores nas articulações. Esses sintomas podem parecer desconfortáveis, mas são uma indicação de que seu corpo está aumentando sua capacidade de reter uma frequência mais elevada de energia. Certifique-se de encontrar o suporte necessário em momentos de desconforto. Meditação, massagem e trabalho energético ajudarão o seu corpo a se ajustar.

Kate Spreckley  – Esta publicação pode ser republicada como está, sem alterações e todos os links ativos © 2020
http://www.spiritpathways.co.za — Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br: Tradução — Marco Iorio Júnior — Editor exclusivo do Trabalhadores da Luz

Fonte: Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA TAMBÉM CAUSA EFEITOS COLATERAIS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho