ESTADO DE VITÓRIA NA AUSTRÁLIA IMPÕE MULTAS PESADAS À QUEM NÃO CUMPRIR REGRAS DA QUARENTENA

Estado australiano impõe multas pesadas para forçar isolamento

Foco principal de surto do novo coronavírus no país, estado de Vitória vai cobrar cerca de R$ 76 mil de quem não cumprir regras da quarentena

INTERNACIONAL

por 

Reuters – Internacional

 

Policiais fazem a ronda no centro de Melbourne, em toque de recolher noturnoPoliciais fazem a ronda no centro de Melbourne, em toque de recolher noturno

O estado de Vitória, segundo mais populoso da Austrália, anunciou nesta terça-feira (4) que quem não cumprir as ordens de isolamento por causa da covid-19 receberá pesadas multas, de até 20.000 dólares australianos (cerca de R$ 76 mil), e que mais militares serão alocados para enfrentar a disseminação do novo coronavírus.

A Austrália, que chegou a ser anunciada como líder global na contenção da covid-19, está desesperadamente tentando desacelerar a disseminação do vírus em Vitória para evitar uma segunda onda nacional de infecções.

No começo desta semana, o estado impôs um toque de recolher noturno, aumentou restrições a movimentações diárias das pessoas e ordenou que grandes partes da economia local fechassem as portas para desacelerar a disseminação do coronavírus.

No entanto, quase um terço dos infectados por covid-19 não estava se isolando em casa quando houve a checagem das autoridades, exigindo novas punições duras, afirmou o primeiro-ministro de Vitória, Daniel Andrews, nesta terça-feira.

‘Não há motivo algum para sair de casa’

Multas de quase 5.000 dólares australianos serão emitidas para quem violar as ordens para ficar em casa. Em caso de reincidência, a multa pode chegar a 20.000 dólares australianos.

“Não há literalmente motivo algum para você sair de sua casa e, se você sair de casa e não for encontrado nela, terá dificuldades para convencer a polícia de Vitória de que tinha um motivo legítimo”, disse Andrews a repórteres em Melbourne.

A única exceção será para tratamento médico urgente, disse Andrews, acrescentando que qualquer um sob ordens de autoisolamento não terá mais permissão para sair de casa para exercícios ao ar livre.

“Ar fresco na porta de casa. Ar fresco no seu jardim ou abrindo a janela”, disse.

500 militares desarmados reforçam vigilância

Andrews afirmou que mais 500 militares desarmados serão deslocados esta semana para Vitória para auxiliar a polícia a ter certeza que as ordens de autoisolamento estão sendo cumpridas.

O último deslocamento militar se juntará a aproximadamente 1.500 militares que já estão em Vitória rastreando contatos, testando e auxiliando a polícia em pontos de checagem. A Austrália deslocou quase 3 mil militares para ajudar em operações logísticas contra o vírus.

A Austrália registrou quase 19 mil casos de covid-19 e 232 mortes, muito menos do que muitas outras nações desenvolvidas, após fechar suas fronteiras internacionais bem cedo, impor restrições e distanciamento social e testes em massa.

Mas, à medida em que o país começou a reabrir, a transmissão comunitária cresceu significativamente em Vitória, que registrou três dígitos de novos casos durante semanas. Tem agora o grosso de infecções no país, com quase 12.000 casos relatados. Na terça-feira, Vitória registrou 439 novos casos de covid-19 nas 24 horas anteriores.

Andrews disse que 11 pessoas morreram por causa do vírus desde segunda-feira, levando o total de mortes a 136. O vírus espalhou-se pelos estabelecimentos de tratamento a idosos de Vitória, com muitas das mortes entre pessoas de idade avançada.

Surto começou com pessoas quebrando regras de isolamento

Autoridades estatais de Vitória disseram que a última onda de infecções de covid-19 foi causada por moradores se recusando a aderir a restrições aos seus movimentos.

“Há muitas pessoas que conscientemente violaram o toque de recolher – então, alguém que decidiu que estava entediado e saiu para dar uma volta de carro, alguém que decidiu que precisava comprar um carro às 20:00 da noite passada”, disse a ministra da Polícia de Vitória, Lis Neville, a repórteres, em Melbourne.

Preocupada que muitas pessoas sentem que não têm escolha a não ser continuar trabalhando após um diagnóstico de covid-19, a Austrália disse, na segunda-feira, que pagaria 1.500 dólares australianos para as pessoas ficarem em casa, se forem ordenadas a fazer isso e não tiverem licença médica disponível.

Muitas fronteiras internas entre Estados foram fechadas, o que até agora fez com que a nova onda de infecções se limitasse majoritariamente a Vitória, com o Estado vizinho de Nova Gales do Sul relatando o segundo maior número de casos.

Nova Gales do Sul registrou 12 novos casos na terça-feira, embora todos os casos possam ser rastreados a surtos conhecidos, alguns dos quais começando por pessoas infectadas que saíram de Vitórias.

Fonte: R7

Continuar lendo ESTADO DE VITÓRIA NA AUSTRÁLIA IMPÕE MULTAS PESADAS À QUEM NÃO CUMPRIR REGRAS DA QUARENTENA

A EXEMPLO DE OUTROS PAÍSES,O REINO UNIDO VAI SUSPENDER ACORDO DE EXTRADIÇÃO COM HONG KONG

 

Reino Unido vai suspender acordo de extradição com Hong Kong

Outros países envolvidos, como Austrália e Canadá, também já suspenderam o pacto, que havia sido firmado em 1997 com Pequim

INTERNACIONAL

Da Ansa Brasil

Manifestantes reúnem-se nas ruas de Hong Kong contra a nova Lei de SegurançaManifestantes reúnem-se nas ruas de Hong Kong contra a nova Lei de Segurança

O Reino Unido vai suspender o acordo de extradição que mantém com Hong Kong como mais uma forma de retaliar a China pela aprovação da polêmica lei nacional de segurança, confirmou o premier Boris Johnson nesta segunda-feira (20).Com isso, os britânicos se negarão a enviar para o território semiautônomo qualquer pessoa considerada fugitiva ou procurada pelo governo chinês. O acordo havia sido firmado em 1997 com Pequim e também envolve Austrália e Canadá – que já suspenderam o pacto.Para entrar em vigor, a medida precisa ser apresentada pelo governo para a Câmara dos Comuns, que é quem tem a palavra final sobre o tema.

“Eu não pretendo ser acusado de ser sinofóbico por um reflexo condicionado, automaticamente antichinês. Mas, precisamos responder a algumas graves preocupações […] sobre o que está acontecendo em Hong Kong”, disse Johnson a jornalistas durante uma visita a uma escola.

Conversa com os americanos

Conforme anunciado, o ministro das Relações Exteriores, Dominic Raab, vai se reunir com seu homólogo norte-americano, Mike Pompeo, ainda nesta segunda. O britânico foi encarregado pelo próprio premier de “divulgar uma revisão dos acordos sobre a extradição que reflita nossas preocupações sobre a lei de segurança”.

Johnson ainda lembrou que, além das questões envolvendo Hong Kong, há uma crescente preocupação com a situação da minoria uigur em Xinjiang e as “violações de direitos humanos”.

Essa é mais uma medida anunciada por Londres contra Pequim desde a implementação da polêmica lei de segurança nacional no território, no dia 30 de junho.

Outras medidas

Antes da suspensão do acordo, os britânicos revisaram e ampliaram a concessão de vistos e o consequente processo de cidadania para aqueles que tem um passaporte para trabalho no Reino Unido.

Além disso, os britânicos excluíram a gigante chinesa Huawei da participação do desenvolvimento da tecnologia 5G no país.

Resposta chinesa

Pouco antes de Johnson confirmar a medida, a China havia dito que estava se opondo “com força” às medidas britânicas e que era para o governo não tomar a decisão de suspender o acordo para “não piorar as já desgastadas relações bilaterais”.

Segundo o novo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, se Londres continuar com a medida, “tomaremos ações robustas contra ações que interferem nos assuntos internos chineses”.

“As recentes observações e medidas erradas do Reino Unido sobre Hong Kong estão ignorando os fatos de que a base da lei de segurança nacional contribui com a estabilidade e com o desenvolvimento de longo prazo do modelo ‘um país, dois sistemas’. Elas violam o direito internacional e as normas fundamentais das relações internacionais, interferindo gravemente nos assuntos internos da China”, concluiu Wenbin.

A polêmica lei de segurança nacional trata, entre outros pontos, de casos de subversão e secessão, terrorismo e permite a instalação de agências chinesas de segurança e inteligência que não se submetem ao poder local.

Fonte: R7

 

Continuar lendo A EXEMPLO DE OUTROS PAÍSES,O REINO UNIDO VAI SUSPENDER ACORDO DE EXTRADIÇÃO COM HONG KONG

BOAS NOTÍCIAS: JOVENS AUSTRALIANOS ARRISCAM A VIDA PARA SALVAR COALAS DAS CHAMAS

Na coluna BOAS NOTÍCIAS desta sexta-feira temos mais um exemplo de compaixão e solidariedade que vem lá do outro lado do mundo na Austrália. Em meio a toda essa tragédia que vem acontecendo por causa dos incêndios dois jovens australianos resolveram arriscar as próprias vidas e usar o carro pra fazer buscas e resgatar coalas feridos pelos incêndios na Austrália.

Jovens usam próprio carro pra resgatar coalas feridos na Austrália. Assista!

Fotos: reprodução YouTubeFotos: reprodução YouTube

Dois jovens australianos resolveram arregaçar as mangas e usar o próprio carro pra fazer buscas e resgatar coalas feridos pelos incêndios na Austrália.

Um vídeo mostra Micah Lovegrove e primo dele colocando no carro pelo menos seis coalas queimados, na Ilha Kangaroo, uma ilha de biodiversidade na costa do Sul da Austrália.

“Fazendo um pequeno resgate de coala … Apenas tentando coletar o máximo de seres vivos possível”, diz um dos adolescentes em um dos vídeos emocionantes, que estão viralizando nas redes. (assista abaixo)

Cuidados

Lovegrove, cujo tio perdeu suas propriedades no incêndio, iniciou uma missão de resgate improvisado para salvar o maior número possível de coalas.

Após o resgate, ele entrega os bichinhos a um vizinho, que tem permissão legal para cuidar de animais selvagem.

O coordenador de recuperação de incêndios florestais do Departamento de Meio Ambiente, Brenton Grear, disse em comunicado que os coalas feridos devem ser tratados localmente e não levados para o continente, para evitar contaminação.

Devido à magnitude dos incêndios na ilha, é muito cedo para saber quantos animais foram afetados, afirmou o comunicado de imprensa.

O incêndio atravessou mil quilômetros, um terço da Ilha Kangaroo, destruindo uma grande parte do Parque Nacional Flinders Chase.

Os governos federal e sul-australiano anunciaram um pacote de financiamento de US $ 11 milhões, mais de de R$ 50 milhões, para os o combate às chamas.

E a Força de Defesa Australiana iniciou esforços de recuperação e socorro.

Veja o resultado da ação dos garotos:

Com informações do Huffington Post

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: JOVENS AUSTRALIANOS ARRISCAM A VIDA PARA SALVAR COALAS DAS CHAMAS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar