POESIA: LEMBRANCAS DE MORRER DE ÁLVARES DE AZEVEDO, POR CID MOREIRA

Na sequência da série dos 10 melhores e maiores poemas da literatura brasileira, hoje vamos apreciar o poema “Lembranças de morrer” de Alvares de Azevedo, poeta da 2ª geração do romantismo, “geração do mal do século”, daqueles caras que querem morrer de amor. Então assista ao vídeo completo a seguir e contemple essa maravilha de poesia.

Fonte:

Continuar lendo POESIA: LEMBRANCAS DE MORRER DE ÁLVARES DE AZEVEDO, POR CID MOREIRA

MUSICAL: EMMERSON NOGUEIRA INTERPRETANDO HOTEL CALIFORNIA NO ESPECIAL EMMERSON NOGUEIRA

Quinta-feira é dia de MUSICAL no Blog do Saber e hoje você vai continuar curtindo a série ESPECIAL EMMERSON NOGUEIRA com uma apresentação impecável de um dos maiores clássicos do pop rock internacional, Hotel Califórnia. Então dê o play e comece a curtir agora mesmo!

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: EMMERSON NOGUEIRA INTERPRETANDO HOTEL CALIFORNIA NO ESPECIAL EMMERSON NOGUEIRA

MUSICAL: EMMERSON NOGUEIRA INTERPRETANDO WISH YOU WERE HERE NO ESPECIAL EMMERSON NOGUEIRA

Nesta segunda-feira vamos começar a série ESPECIAL EMMERSON NOGUEIRA. O talentoso brasileiro ganhou fama internacional por meio de seu projeto versão acústica com releitura de clássicos de rock internacional. O sucesso, conquistado ao longo dos 18 anos de carreira se deve, principalmente, ao seu modo diferenciado de tocar versões acústicas com personalidade. No vídeo de hoje vamos curtir “wish you here/Breathe (in the air).

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: EMMERSON NOGUEIRA INTERPRETANDO WISH YOU WERE HERE NO ESPECIAL EMMERSON NOGUEIRA

BOAS NOTÍCIAS: UMA SENHORA DE 55 ANOS SE TORNOU UMA VERDADEIRA HEROÍNA DEPOIS DE SALVAR 17 PESSOAS DE ENCHENTE

TEXTO

Com isopor, heroína de 1,54m salva 17 pessoas em enchente de MG

Com um isopor nas mãos e muita coragem, a dona Maria Geralda Moreira de Carvalho salvou 17 pessoas da enchente do bairro Pantanal, em Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte.

E como dizem, tamanho não é documento. Essa verdadeira heroína tem apenas 1,54m e enfrentou a água que chega a 2 metros de altura.

Destemida, ela entrou na enxurrada que inundou várias casas e transformou a Rua Venceslau Brás em um verdadeiro rio de lama. “Eu não podia deixar essas pessoas morrerem. Eu sei que corri risco, mas não podia deixá-las para trás”, contou Maria Geralda.

Ela chegou a colocar crianças nas costas e até mesmo atravessar adultos com o isopor da espessura e tamanho de um colchão de cama.

E disse que não teve medo de realizar o ato de bravura. Felizmente, deu certo e ninguém morreu, mas foi muito arriscado.

A casa da heroína foi atingida

Da mesma forma que os vizinhos, nossa heroína também teve a casa toda inundada pela cheia do Rio das Velhas no último final de semana. Nenhum imóvel ali saiu ileso do mar de lama.

Enquanto limpava a própria residência, ela contou que seu maior ganho foi ter salvado as pessoas, mas não sabe como vai reconstruir sua vida porque perdeu tudo na enchente.

“Eu não sei o que vou fazer. Só Deus”, conta com a voz embargada.

“Porque ainda estou tirando muita coisa de dentro de casa e colocando para fora”, disse apontando para os colchões, guarda-roupa, roupas e eletrodomésticos tomados por uma camada grossa de lama.

Dona Maria Geralda mora de aluguel no local há quatro anos com duas netas e um filho adulto.  Atualmente, todos estão dormindo em um sítio que está servindo de abrigo para aqueles que não conseguem voltar às suas casas.

Voluntários estão doando até café da manhã para matar a fome dos atingidos pela enchente na região.

Veja como ajudar

Natal Feliz – Interessados em realizar a doação de alimentos podem entrar em contato pelo telefone 31 98776-1801 ou pelas redes sociais no @natal.feliz.projeto.

Fazer o Bem Santa Luzia –  Estão aceitando PIX pela chave 31984128130 , cesta básica, marmitex e produtos de limpeza e higiene pessoal. A rede social é @fazerobemsantaluzia. Ou pelo endereço: Rua governador Israel Pinheiro, 237, bairro Chácara Santa Inês.

Com informações de OTempo

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: UMA SENHORA DE 55 ANOS SE TORNOU UMA VERDADEIRA HEROÍNA DEPOIS DE SALVAR 17 PESSOAS DE ENCHENTE

POESIA: MARÍLIA DE DIRCEU DE TOMAZ ANTÔNIO GONZAGA

Continuando com a série dos 10 melhores poemas da literatura portuguesa hoje vamos ouvir “Marília de Dirceu Soneto II, poema de Tomaz Antônio Gonzaga, poeta da língua portuguesa que nasceu na ilha de Moçambique e viveu de 1744 a 1810.

O nome arcádico é Dirceu, foi um jurista, poeta e ativista político participante da Inconfidência Mineira, movimento pela independência de Minas Gerais, precursor do processo que conduziu à separação do Brasil de Portugal. Considerado o mais proeminente dos poetas árcades, é ainda hoje estudado em escolas e universidades por seu “Marília de Dirceu”. A poesia de Tomás António Gonzaga apresenta as típicas características árcades e neoclássicas: o pastoril, o bucólico, a Natureza amena, o equilíbrio etc. Paralelamente, possui características pré-românticas (principalmente na segunda parte de Marília de Dirceu, escrita na prisão): confissões de sentimento pessoal, ênfase emotiva estranha aos padrões do neoclassicismo, descrição de paisagens brasileiras, etc. O convívio com o Iluminismo põe em seu estilo a preocupação em atenuar as tensões e racionalizar os conflitos.

Fonte:

Continuar lendo POESIA: MARÍLIA DE DIRCEU DE TOMAZ ANTÔNIO GONZAGA

MUSICAL: SKANK EM PLAYLIST DE SABADÃO NO ESPECIAL SKANK

Nesse primeiro sabadão do verão de 2022 preparamos uma PLAYLIST sensacional, no ESPECIAL SKANK,  pra você curtir com a galera na varanda da sua casa de praia, na sua barraca de camping ou até mesmo com a turma, a noite, ao redor de uma fogueira, na beira da praia. Então dê um play e comece agora a curtir os maiores sucessos dessa super banda! 

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: SKANK EM PLAYLIST DE SABADÃO NO ESPECIAL SKANK

POESIA: EPÍLOGOS DE GREGÓRIO DE MATOS, POR RAPPIN HOOD

Nesta sexta-feira estamos iniciando, aqui na coluna POESIA uma nova série de 10 poemas escolhidos de cada fase por que passou a POESIA brasileira. E para começar vamos ouvir “Epílogos” de Gregório de Matos, para muitos o primeiro poeta brasileiro. Então se acomode na poltrona, ouça, assista e curta esse obra prima da POESIA brasileira.

Gregório de Matos viveu de 1636 a 1696 e qualquer semelhança da sua obra com o momento atual não passa de mera coincidência (ou não). A voz e o som é de Rappin Hood e faz Parte de uma apresentação do Museu da Língua Portuguesa em SP. Aqui temos trechos selecionados do poema. Leia-o todo, vale à pena.

Fonte:

Continuar lendo POESIA: EPÍLOGOS DE GREGÓRIO DE MATOS, POR RAPPIN HOOD

POESIA: OS MAIS PERFEITOS VOTOS DE FELIZ ANO NOVO, POR BRÁULIO BESSA

Na nossa primeira edição da coluna POESIA do Blog do Saber você vai ouvir um mix com poemas de Bráulio Bessa que somados, formam a mais linda mensagem de Feliz Ano Novo 2022! Isso porque é tudo que cada um de nós mais precisa e merece para fazer de 2022 um ano memorável, inesquecível e pra lá de perfeito!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: OS MAIS PERFEITOS VOTOS DE FELIZ ANO NOVO, POR BRÁULIO BESSA

MUSICAL: SKANK INTERPRETA “AINDA GOSTO DELA” AO VIVO NO ESPECIAL SKANK

Vamos começar o ano de 2022 em alto estilo na nossa coluna MUSICAL com a série ESPECIAL SKANK, com uma interpretação primorosa de um dos seus maiores sucessos, “ainda gosto dela”. Um show para você rever, curtir, apreciar e sonhar.

Continuar lendo MUSICAL: SKANK INTERPRETA “AINDA GOSTO DELA” AO VIVO NO ESPECIAL SKANK

POESIA: “PRU QUE”, POR ROLANDO BOLDRIN

Na nossa última publicação do ano de 2022, aqui na coluna POESIA do Blog do Saber vamos encerrar o ano com mais uma espetacular interpretação desse incrível apresentador, ator, compositor, cantor, prosador e poeta Rolando Boldrin, onde declama “Pru que”, um poema de Pompílio Diniz, no seu programa Sr. Brasil. Então convido você a assistir, curtir e apreciar essa extraordinária performance!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: “PRU QUE”, POR ROLANDO BOLDRIN

BOAS NOTÍCIAS: CORRENTE DO BEM DOS ARTISTAS ATENUA SOFRIMENTO E DOR DOS BAIANOS

A calamidade pública no estado da Bahia é o destaque desta edição da coluna BOAS NOTÍCIAS. A solidariedade e a compaixão dos artistas comovidos com a situação do povo do sul da Bahia depois da enxurrada que já matou 21 pessoas e desabrigou milhares está reunindo muitos recursos para atenuar a dor e o sofrimento desse povo tão sofrido. Leia o artigo completo a seguir e saiba dos detalhes das ações dos artistas engajados na campanha.

Artistas fazem corrente de ajuda para vítimas da chuva na Bahia

Famosos de todas as áreas estão numa corrente do bem para ajudar as vítimas da chuva do extremo sul da Bahia com doações, cobertores, colchões, alimentos entre outros.

Nomes como Alok, Wesley Safadão, João Gomes, Whindersson Nunes, Anitta, Emicida, Pabllo Vittar, Duda Beat, Preta Gil, Ivete Sangalo, Luisa Sonza, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Virgínia Fonseca, Marina Sena, Daniela Mercury, Juliette e muitos outros famosos compartilharam informações e incentivaram campanhas de doação para ajudar as pessoas desabrigadas pelas enchentes.

Alok escreveu – Estou doando 100 mil reais através do @AlokInstituto para ajudar a socorrer as famílias atingidas pelas enchentes no sul da Bahia.

O recurso foi transferido para a instituição Ações da Cidadania contra a Fome que está atuando na linha de frente.

Cachês de shows doados

O cantor Wesley Safadão doou 100 por cento do seu cachê do show em Barra grande, an
Bahia, para ajudar. “Vamos juntos nessa corrente de fé e amor. Ajude você também omo puder”, disse o músico.

Já a ex-BBB e influenciadora digital Rafa Kalimann anunciou, através de uma rede social, a doação de 10 toneladas de alimentos para as vítimas das fortes chuvas que atingiram diversas cidades na Bahia.

“Mandando 10 tonelaas de alimentos para a Bahia. Vamos gente, de mãos dadas. É urgente, eles estão precisando agora. Ajudem com o que puder. #SoSBahia, escreveu a influencer.

Outro que abriu mão do cachê em shows pela Bahia foi o cantor João Gomes.

O humorista piauiense Whindersson Nunes anunciou que vai liberar um site para leiloar peças marcantes de sua carreira.

O dinheiro arrecadado será doado para aldeias indígenas atingidas pelas fortes chuvas na Bahia.

A cantora baiana Ivete Sangalo também pediu ajuda pelas redes, compartilhando a campanha de doações (post abaixo).

E é urgente! Toda ajuda é bem vinda! Colabore também! Um salve a todos que estão nessa onda de solidariedade aos irmãos da Bahia!

Subiu para 20 o número de pessoas mortas em decorrência das fortes chuvas que atingiram o sudoeste, sul e extremo sul da Bahia. Em todo o estado, mais de 430 mil pessoas foram afetadas pelo temporal.

 

Com informações do Jornal O Dia

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: CORRENTE DO BEM DOS ARTISTAS ATENUA SOFRIMENTO E DOR DOS BAIANOS

CRÔNICAS: EU SEI, MAS NÃO DEVIA, POR MARINA COLASANTI

A nossa coluna CRÔNICAS desta quarta-feira trás um texto cujo título é “Eu sei, mas não devia”. 

A crônica de Marina Colasanti convida o leitor a refletir sobre a sociedade de consumo, sobre como lidamos com as injustiças presentes no mundo e sobre a velocidade do tempo em que vivemos, que nos obriga a avançar sem apreciar o que está ao nosso redor.

Ao longo dos parágrafos vamos nos dando conta de como nos acostumamos com situações adversas e, em determinado momento, passamos a operar no automático. O narrador dá exemplos de pequenas concessões progressivas que vamos fazendo até, afinal, ficarmos numa situação de tristeza e esterilidade sem sequer nos darmos conta.

Eu sei, mas não devia, de Marina Colasanti (texto completo e análise)

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

A crônica Eu sei, mas não devia, publicada pela autora Marina Colasanti (1937) no Jornal do Brasil, em 1972, continua nos cativando até os dias de hoje.

Ela nos lembra de como, muitas vezes, deixamos as nossas vidas se esvaziarem acomodados numa rotina repetitiva e estéril que não nos permite admirar a beleza que está a nossa volta.

Eu sei, mas não devia – texto completo

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagar mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma.

Continuar lendo CRÔNICAS: EU SEI, MAS NÃO DEVIA, POR MARINA COLASANTI

POESIA: COCO DO PÉ DE MANGA, POR JESSIER QUIRINO

Terça-feira é dia de POESIA aqui no Blog do Saber e hoje nós vamos com Jessier Quirino, esse poeta genial, interpretando “Coco do pé de manga”, ao vivo no espetáculo Vizinhos de Grito. Então se acomode ai na sua poltrona, assista, curta e aprecie muito!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: COCO DO PÉ DE MANGA, POR JESSIER QUIRINO

POESIA:DURANTE, POR ALLAN DIAS CASTRO

O destaque desta sexta-feira, aqui na coluna POESIA é o texto “Só por hoje”, tirado direto da página 19 do livro de Allan Dias Castro “A Monja e o Poeta”, no capítulo sobre o AGORA. Ele fala que: “O TEXTO QUE ME SALVOU NESSE ANO INTEIRO , UM DIA DE CADA VEZ. A frase final no quadro marcou bastante também, e lembrar dela diariamente será minha busca para 2022”. Então assista o grande poeta declamando essa maravilha de poesia!

Fonte:

 

Continuar lendo POESIA:DURANTE, POR ALLAN DIAS CASTRO

MUSICAL: A SUPERBANDA SKANK INTERPRETA “VAMOS FUGIR” NO ESPECIAL SKANK

Em show antológico no Mineirão a superbanda Skank interpreta um dos seus maiores sucessos “Vamos Fugir” e você vai assistir, curtir e apreciar muito, aqui na série ESPECIAL SKANK do Blog do Saber. Então comece a sua quinta-feira em alto estilo ouvindo esse espetáculo de música!

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: A SUPERBANDA SKANK INTERPRETA “VAMOS FUGIR” NO ESPECIAL SKANK

MOMENTO ESPETACULAR: MAIS GOLS LENDÁRIOS DE RONALDINHO GAÚCHO

No MOMENTO ESPETACULAR desta quinta-feira você vai se esbaldar com os lances incríveis e gols fantásticos desse malabarista, desse artista, desse mágico da bola, Ronaldinho Gaúcho, em 5 minutos de um verdadeiro espetáculo, show de bola e jogadas insanas. Então senta ai, se acomode na poltrona, relaxe e curta muito!

Fonte:

Continuar lendo MOMENTO ESPETACULAR: MAIS GOLS LENDÁRIOS DE RONALDINHO GAÚCHO

MUSICAL: SKANK INTERPRETA “ALGO PARECIDO” NO ESPECIAL SKANK

Nesta segunda-feira estamos iniciando mais uma homenagem aqui na coluna MUSICAL. Desta vez estamos homenageando uma das maiores bandas brasileiras no ano de encerramento das suas atividades no ESPECIAL SKANK. Iniciando com um dos seus grandes sucessos numa apresentação no programa Altas Horas da rede Globo. Então vamos curtir muito!

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: SKANK INTERPRETA “ALGO PARECIDO” NO ESPECIAL SKANK

MUSICAL: TIM MAIA IN CONCERT COMPLETO NO ESPECIAL TIM MAIA

Sábado é dia de PLAYLIST aqui na coluna MUSICAL e hoje você vai assistir, curtir, apreciar e relembrar um dos grandes shows completo desse ícone da MPB no ESPECIAL TIM MAIA na virada de 1997-1998. Então comece muito bem o seu sabadão em alto estilo.

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: TIM MAIA IN CONCERT COMPLETO NO ESPECIAL TIM MAIA

MUSICAL: TIM MAIA INTERPRETA “SOSSEGO” NO ESPECIAL TIM MAIA

Num show ao vivo espetacular o Rei da ginga e do soul brasileiro interpreta “Sossego”, no ESPECIAL TIM MAIA, aqui no Blog do Saber. Então convido você a rever, relembrar e reviver os bons momentos desse ícone da MPB e uma das maiores vozes de todos os tempos.

Fonte:

 

Continuar lendo MUSICAL: TIM MAIA INTERPRETA “SOSSEGO” NO ESPECIAL TIM MAIA

CRÔNICAS: DOIS MAIS DOIS, POR LUIS FERNANDO VERÍSSIMO

Continuando a série de 06 CRÔNICAS engraçadas do sensacional cronista brasileiro Luis Fernando Veríssimo, nesta edição estamos publicando a 5ª crônica “Dois mais dois”, uma história instigante, curiosa e perspicaz. Então convido você a ler esse conto maravilhoso que merece o nosso aplauso!

 

5. Dois mais dois

O Rodrigo não entendia por que precisava aprender matemática, já que a sua minicalculadora faria todas as contas por ele, pelo resto da vida, e então a professora resolveu contar uma história.

Contou a história do Supercomputador. Um dia disse a professora, todos os computadores do mundo serão unificados num único sistema, e o centro do sistema será em alguma cidade do Japão. Todas as casas do mundo, todos os lugares do mundo terão terminais do Supercomputador. As pessoas usarão o Supercomputador para compras, para recados, para reservas de avião, para consultas sentimentais. Para tudo. Ninguém mais precisará de relógios individuais, de livros ou de calculadoras portáteis. Não precisará mais nem estudar. Tudo que alguém quiser saber sobre qualquer coisa estará na memória do Supercomputador, ao alcance de qualquer um. Em milésimos de segundo a resposta à consulta estará na tela mais próxima. E haverá bilhões de telas espalhadas por onde o homem estiver, desde lavatórios públicos até estações espaciais. Bastará ao homem apertar um botão para ter a informação que quiser.

Um dia, um garoto perguntará ao pai:

– Pai, quanto é dois mais dois?
– Não pergunte a mim – dirá o pai -, pergunte a Ele.

E o garoto digitará os botões apropriados e num milésimo de segundo a resposta aparecerá na tela. E então o garoto dirá:

– Como é que sei que a resposta é certa?
– Porque Ele disse que é certa – responderá o pai.
– E se Ele estiver errado?
– Ele nunca erra.
– Mas se estiver?
– Sempre podemos contar nos dedos.
– O quê?
– Contar nos dedos, como faziam os antigos. Levante dois dedos. Agora mais dois. Viu? Um, dois, três, quatro. O computador está certo.
– Mas, pai, e 362 vezes 17? Não dá para contar nos dedos. A não ser reunindo muita gente e usando os dedos das mãos e dos pés. Como saber se a resposta d’Ele está certa? Aí o pai suspirou e disse:
– Jamais saberemos…

O Rodrigo gostou da história, mas disse que, quando ninguém mais soubesse matemática e não pudesse pôr o Computador à prova, então não faria diferença se o Computador estava certo ou não, já que a sua resposta seria a única disponível e, portanto, a certa, mesmo que estivesse errada, e… Aí foi a vez da professora suspirar.

Nessa crônica curta, Veríssimo explora a inocência e sagacidade infantil.

Aqui, o escritor exibe uma situação na qual há toda uma narrativa imaginada por uma pessoa adulta – a professora, no caso – usada como recurso pedagógico para “convencer” seu aluno da importância de aprender a fazer contas.

Entretanto, a expectativa da professora é frustrada pela fala da criança, que chega a conclusões que fogem do esperado.

Assim, temos um texto com humor leve que nos leva a pensar em como as crianças muitas vezes são imprevisíveis e perspicazes.

Fonte: Cultura Geral

Continuar lendo CRÔNICAS: DOIS MAIS DOIS, POR LUIS FERNANDO VERÍSSIMO

POESIA: SENHOR DOUTOR, POR PATATIVA DO ASSARÉ

Nesta terça-feira, aqui na coluna POESIA, a nossa homenagem vai para o grande poeta cearense Patativa do Assaré, numa apresentação no Festival Massafeira 1979. “O festival foi responsável pelo lançamento de Patativa no mundo fonográfico, em que fez um enorme sucesso com sua poesia autenticamente popular e de forte crítica social”. Desta feita ele declama “Senhor Doutor”.

Fonte:

Continuar lendo POESIA: SENHOR DOUTOR, POR PATATIVA DO ASSARÉ

MUSICAL: TIM MAIA INTREPRETANDO “DO LEME AO PONTAL” NO ESPECIAL TIM MAIA

Nesta segunda-feira estamos começando a série ESPECIAL TIM MAIA inaugurando com um grande sucesso seu “Do Leme ao Pontal” na turnê “Tim Maia in Concert” em 1989. Então vamos vibrar e curtir muito juntos as músicas maravilhosas e o carisma desse monstro imortal da MPB.

Fonte:

Tim Maia
Continuar lendo MUSICAL: TIM MAIA INTREPRETANDO “DO LEME AO PONTAL” NO ESPECIAL TIM MAIA

POESIA: SOBRE OCUPAR O SEU LUGAR NO MUNDO, POR ALLAN DIAS CASTRO

POESIA: SOBRE OCUPAR O SEU LUGAR NO MUNDO, POR ALLAN DIAS CASTRO
Allan Dias Castro, como nasce um poema

Aqui na coluna POESIA desta terça-feira você vai ver e ouvir mais um belíssimo e reflexivo poema do talentoso Allan Dias Castro sobre ocupar o seu lugar no mundo, que você consegue respeitando os seus próprios passos. Então assista, ouça, reflita e curta muito!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: SOBRE OCUPAR O SEU LUGAR NO MUNDO, POR ALLAN DIAS CASTRO

MUSICAL: ADELE INTERPRETA “EASY ON ME” LIVE AT THE NRJ AWARDS 2021 NO ESPECIAL ADELE

Na série ESPECIAL ADELE  estamos apresentando nesta sexta-feira mais um grande sucesso dessa incrível artista, com uma das vozes mais potentes que o mundo já conheceu, “Easy On Me”, em show ao vivo no NRJ Awards 2021. Uma apresentação impecável!

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: ADELE INTERPRETA “EASY ON ME” LIVE AT THE NRJ AWARDS 2021 NO ESPECIAL ADELE

MUSICAL: ADELE INTERPRETA “SKYFALL NO ESPECIAL ADELE

Segunda-feira é dia de ouvir música de qualidade aqui na coluna MUSICAL do Blog do Saber e dentro da série ESPECIAL ADELE trazemos um das músicas mais belas que ela já interpretou e tema do filme de 007, Skyfall na festa do Oscar de 2013. Então comece bem sua semana com mais uma pérola dessa fantástica cantora.

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: ADELE INTERPRETA “SKYFALL NO ESPECIAL ADELE

MUSICAL: PLAYLIST FANTÁSTICA DE SÁBADO COM ADELE NO ESPECIAL ADELE

Sábado é dia de PLAYLIST e hoje você vai curtir uma SUPER PLAYLIST dentro da série ESPECIAL ADELE, com 42 dos seus maiores sucessos, todos ao vivo, começando por “Set Fire To The Rain. Então comece bem seu sabadão ouvindo música de qualidade.

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: PLAYLIST FANTÁSTICA DE SÁBADO COM ADELE NO ESPECIAL ADELE

POESIA: DEFINIÇÃO DE SAUDADE, DE BRÁULIO BESSA

Aqui na coluna POESIA desta sexta-feira, você vai ouvir mais um belíssimo poema de Bráulio Bessa, onde homenageia Santana, o cantador, lembrando de um poema de Antônio Pereira que fala sobre “saudade” e o inspirou a escrever “definição de saudade”. Então ouça, curta e aprecie!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: DEFINIÇÃO DE SAUDADE, DE BRÁULIO BESSA

MUSICAL: ADELE INTERPRETA SOME ONE LIKE YOU E ROLLING IN THE DEEP NO ESPECIAL ADELE

Nesta segunda-feira estamos iniciando mais uma série e desta vez com a superstar Adele, que acaba de lançar seu mais novo album, em grande estilo 45 quilos mais magra, depois de 6 anos fora dos palcos. E vamos começar curtindo dois dos seus maiores sucessos “Some one like you” e “Rolling in the deep”, em super e emocionante apresentação live at the Royal Albert Hall. 

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: ADELE INTERPRETA SOME ONE LIKE YOU E ROLLING IN THE DEEP NO ESPECIAL ADELE

MUSICAL: PLAYLIST ESPETACULAR DE MARÍLIA MENDONÇA NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

Neste sábado você, que gosta de sertanejo e de sofrência vai simplesmente delirar com a PLAYLIST que selecinamos para você ouvir e assistir até umas horas. Então aproveite a última PLAYLIST da nossa homenagem a essa espetacular compositora e cantora que já entrou para os anais da história da MPB.

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: PLAYLIST ESPETACULAR DE MARÍLIA MENDONÇA NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

POESIA: EU, A CAMA E A NOBELINA, POR JESSIER QUIRINO

Hoje temos o inenarrável Jessier Quirino no seu Papel de Bodega, aqui na coluna POESIA declamando “Eu, a cama e a Nobelina, um poema do paraibano Zé Laurentino, um dos primeiros a inspirarem a obra Quiriniana. Sobre o matuto que perdeu a mulher, mas ficou com a cama. É simplesmente imperdível!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: EU, A CAMA E A NOBELINA, POR JESSIER QUIRINO

MOMENTO ESPETACULAR: NOVA SENSAÇÃO NA RUSSIA CLAUDINHO É PROMESSA PRA COPA DE 2022

Hoje, aqui na coluna MOMENTO ESPETACULAR você vai assistir a um show de mais um brasileiro, chamado Claudinho, medalha de ouro em Tóquio, que desponta no futebol russo com muitos dribles insanos, assistências e gols. Fique ligado, esse cara promete e Tite precisa dar uma oportunidade a ele.

Fonte:

Continuar lendo MOMENTO ESPETACULAR: NOVA SENSAÇÃO NA RUSSIA CLAUDINHO É PROMESSA PRA COPA DE 2022

CRÔNICAS: NOTÍCIA DE JORNAL DE FERNANDO SABINO, POR LAURA AIDAR

Hoje estamos finalizando a série de 8 crônicas famosas, aqui na coluna CRÔNICAS, comentadas por Laura Aidar, nesta quarta-feira apresentamos a 8ª crônica da série,  que homenageia o notável e incrível Fernando Sabino, com a crônica “Notícia de Jornal”, de sua autoria. Mais uma crônica que traz um contexto jornalístico e integra o livro A mulher do vizinho, de 1997. Desejo uma boa leitura!

Notícia de jornal – Crônica de Fernando Sabino · Revista Arara Clássicos

8. Notícia de jornal – Fernando Sabino

Leio no jornal a notícia de que um homem morreu de fome. Um homem de cor branca, trinta anos presumíveis, pobremente vestido, morreu de fome, sem socorros, em pleno centro da cidade, permanecendo deitado na calçada durante setenta e duas horas, para finalmente morrer de fome.

Morreu de fome. Depois de insistentes pedidos de comerciantes, uma ambulância do Pronto Socorro e uma radiopatrulha foram ao local, mas regressaram sem prestar auxílio ao homem, que acabou morrendo de fome.

Um homem que morreu de fome. O comissário de plantão (um homem) afirmou que o caso (morrer de fome) era alçada da Delegacia de Mendicância, especialista em homens que morrem de fome. E o homem morreu de fome.

O corpo do homem que morreu de fome foi recolhido ao Instituto Médico Legal sem ser identificado. Nada se sabe dele, senão que morreu de fome. Um homem morre de fome em plena rua, entre centenas de passantes. Um homem caído na rua. Um bêbado. Um vagabundo. Um mendigo, um anormal, um tarado, um pária, um marginal, um proscrito, um bicho, uma coisa – não é homem. E os outros homens cumprem deu destino de passantes, que é o de passar. Durante setenta e duas horas todos passam, ao lado do homem que morre de fome, com um olhar de nojo, desdém, inquietação e até mesmo piedade, ou sem olhar nenhum, e o homem continua morrendo de fome, sozinho, isolado, perdido entre os homens, sem socorro e sem perdão.

Não é de alçada do comissário, nem do hospital, nem da radiopatrulha, por que haveria de ser da minha alçada? Que é que eu tenho com isso? Deixa o homem morrer de fome.

E o homem morre de fome. De trinta anos presumíveis. Pobremente vestido. Morreu de fome, diz o jornal. Louve-se a insistência dos comerciantes, que jamais morrerão de fome, pedindo providências às autoridades. As autoridades nada mais puderam fazer senão remover o corpo do homem. Deviam deixar que apodrecesse, para escarmento dos outros homens. Nada mais puderam fazer senão esperar que morresse de fome.

E ontem, depois de setenta e duas horas de inanição em plena rua, no centro mais movimentado da cidade do Rio de Janeiro, um homem morreu de fome.

Morreu de fome.

Mais uma crônica que traz um contexto jornalístico é Notícia de Jornal, do escritor mineiro Fernando Sabino. O texto integra o livro A mulher do vizinho, de 1997.

Sabino expõe suas ideias e indignação sobre o problema da fome no Brasil. Ele relata de forma pertinente a insensibilidade de boa parte da sociedade frente à miséria e o desamparo das pessoas em situação de rua.

Assim, apresenta o absurdo que é a naturalização da morte em plena cidade movimentada, à luz do dia e diante do público, que não se comove.

Laura Aidar
Laura Aidar

Fonte: Cultura Genial

Continuar lendo CRÔNICAS: NOTÍCIA DE JORNAL DE FERNANDO SABINO, POR LAURA AIDAR

POESIA: GENTILEZA É ECO, POR ALLAN DIAS CASTRO

POESIA: GENTILEZA É ECO, POR ALLAN DIAS CASTRO
Allan Dias Castro, como nasce um poema

Nesta terça-feira você vai curtir, aqui na coluna POESIA, mais um extraordinário poema desse consagrado poeta Allan Dias Castro, que recita, de sua autoria: “Gentileza é eco”, do seu Voz ao Verbo 168. Então dê o play e aprecie!

Ninguém é obrigado
A ser gentil com quem está do lado
Mas gentileza é uma escolha diária
Pra quem entendeu que a leveza é necessária
Na vida de quem trata os outros
Como gostaria de ser tratado
Tá todo mundo ocupado
Correndo atrás do prejuízo
Fazendo o que for preciso
Pra chegar aonde nunca quis
E de tanto perguntar “qual o preço pra ser feliz?”
Não percebe o valor de um simples sorriso
Gentileza é eco
E quem escolhe por ela
Acaba sendo escolhido
Sim, o que eu quero pra mim
Vou receber refletindo
Simples assim
Pra quem que escolheu ser gentil
A vida retribuiu sorrindo —Gentileza é eco – Texto Allan Dias Castro Voz ao verbo 168 

Fonte:

Continuar lendo POESIA: GENTILEZA É ECO, POR ALLAN DIAS CASTRO

MUSICAL: MARÍLIA MENDONÇA INTERPRETA “SUPERA” NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

Nesta segunda-feira vamos assistir mais uma apresentação da Rainha da Sofrência, Supera, ao vivo. Essa é pra quem curte aquela sofrência que só a Marília Mendonça entende! A gravação aconteceu no dia 8 de maio, no Largo de São Sebastião em Manaus. Então curta a valer!

Letra:

Tá de novo com essa pessoa

Não tô acreditando, vai fazer papel de trouxa outra vez

Cê não aprende mesmo, hein

Pra você isso é amor

Mas pra ele isso não passa de um plano B

Se não pegar ninguém da lista, liga pra você

Te usa e joga fora

Para de insistir, chega de se iludir

O que cê tá passando, eu já passei e eu sobrevivi

Se ele não te quer, supera

Se ele não te quer, supera

Ele tá fazendo de tapete o seu coração

Promete pra mim que dessa vez você vai falar não

De mulher pra mulher, supera

De mulher pra mulher, supera

Pra você isso é amor

Mas pra ele isso não passa de um plano B

Se não pegar ninguém da lista, liga pra você

Te usa e joga fora

Para de insistir, chega de se iludir

O que cê tá passando, eu já passei e eu sobrevivi

Se ele não te quer, supera

Se ele não te quer, supera

Ele tá fazendo de tapete o seu coração

Promete pra mim que dessa vez você vai falar não

De mulher pra mulher, supera De mulher pra mulher, supera

Se ele não te quer, supera De mulher pra mulher, supera

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: MARÍLIA MENDONÇA INTERPRETA “SUPERA” NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

MUSICAL: MARÍLIA MENDONÇA EM SHOW ONTOLÓGICO NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

Como todos que acompanham esse blog sabem , sábado é dia de PLAYLIST e sendo assim, aproveitando que estamos apresentando a série ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA, vamos proporcionar a você uma PLAYLIST extraordinária da rainha da sofrência num show que aconteceu no Rio de Janeiro. Então aproveite para rememorar um momento incrível dessa espetacular artista!

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: MARÍLIA MENDONÇA EM SHOW ONTOLÓGICO NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

POESIA: O TEU RISO DE PABLO NERUDA, POR LUMA CARVALHO

Existe um Projeto que se chama: “E o que é a Poesia?”. São Poemas recitados pela professora e atriz Luma Carvalho. Na edição desta sexta-feira estamos publicando o primeiro de uma série de poemas deste brilhante projeto. Então te convido para assistir, ouvir, curtir e apreciar!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: O TEU RISO DE PABLO NERUDA, POR LUMA CARVALHO

MOMENTO ESPETACULAR: 20 GOLS LENDÁRIOS DE RONALDINHO GAÚCHO

Nesta quinta-feira você vai assistir no vídeo a seguir aos gols mais humilhantes e lendários de Ronaldinho, o bruxo do futebol. Uma oportunidade de se deliciar com as melhores imagens do nosso MOMENTO ESPETACULAR. Então se acomode na poltrona e aprecie!

Fonte:

Continuar lendo MOMENTO ESPETACULAR: 20 GOLS LENDÁRIOS DE RONALDINHO GAÚCHO

CRÔNICAS: FIZERAM A GENTE ACREDITAR DE MARTHA MEDEIROS

Continuado à nossa série de 8 crônicas famosas, aqui na coluna CRÔNICAS, comentadas por Laura Aidar, temos nesta quarta-feira a 7ª crônica da série,  uma bela homenagem para a nossa grande escritora Martha Medeiros, com a crônica “Fizeram a gente acreditar”, de sua autoria.  Um dos temas que a autora aborda é amor e os relacionamentos. Na crônica Fizeram a gente acreditar ela traz uma análise certeira e contundente sobre a idealização no amor romântico. Desejo uma boa leitura!

7. Fizeram a gente acreditar – Martha Medeiros

Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não nos contaram que amor não é acionado nem chega com hora marcada.

Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.

Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada “dois em um”, duas pessoas pensando igual, agindo igual, que isso era que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.

Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos.

Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.

Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, nem contaram que ninguém vai contar. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz se apaixonar por alguém.

Martha Medeiros é um dos nomes conhecidos na literatura contemporânea brasileira. A escritora produz romances, poemas e crônicas e já teve obras adaptadas para peças de teatro e audiovisual.

Um dos temas que a autora aborda é amor e os relacionamentos. Na crônica Fizeram a gente acreditar ela traz uma análise certeira e contundente sobre a idealização no amor romântico.

Martha apresenta seus pensamentos sobre o tema de maneira honesta, mostrando que a vida pode diversos caminhos, não existindo uma fórmula para vivenciar o amor. O que fica claro em suas palavras é a necessidade de auto-amor antes de mais nada.

Laura Aidar
Laura Aidar
Continuar lendo CRÔNICAS: FIZERAM A GENTE ACREDITAR DE MARTHA MEDEIROS

POESIA: PEDRO BIAL RECITA POEMA SOBRE MARÍLIA MENDONÇA

Numa singela homenagem àquela que foi um furação do bem, da bondade e do amor em nossas vidas, de tão rápido que passou, a edição desta terça-feira da coluna POESIA publica o poema recitado pelo não menos brilhante Pedro Bial no programa do Fantástico de domingo passado, dia 07/11/2021. Um lamentar de pensamentos, sentimentos e emoções, nesse momento, peculiar a maioria dos brasileiros.

Fonte:

Fonte:

Continuar lendo POESIA: PEDRO BIAL RECITA POEMA SOBRE MARÍLIA MENDONÇA

MUSICAL: MARÍLIA MENDONÇA COM MAIARA E MARAÍSA NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

Nesta segunda-feira vamos iniciar mais uma série. Aproveitando o momento com a imensa perda para os brasileiros dessa semana que passou vamos homenagear a incrível e inesquecível Marília Mendonça com a série ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA. E para começar vamos rever o último clipe dela com as irmãs Maiara e Maraisa, ainda inédito. Então curta um pouco mais dessa personagem que já entrou para a história da MPB com todas as honras e mérito.

Fonte:

Continuar lendo MUSICAL: MARÍLIA MENDONÇA COM MAIARA E MARAÍSA NO ESPECIAL MARÍLIA MENDONÇA

MUSICAL: PLAYLIST ESPECIAL DE SÁBADO NO ESPECIAL MILTON NASCIMENTO

Hoje você vai apenas ouvir uma PLAYLIST especial que selecionamos com 200 das melhores músicas e sucessos do espetacular Milton Nascimento, aqui no ESPECIAL MILTON NASCIMENTO. Então ouça, curta e se divirta!

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Se9XYKHQi3Y&list=PLgOxuG-6X_gWGwf06COyomOCzLRZYoUaT

Continuar lendo MUSICAL: PLAYLIST ESPECIAL DE SÁBADO NO ESPECIAL MILTON NASCIMENTO

POESIA: QUANDO VIER A PRIMAVERA DE ALBERTO CAEORI, POR PEDRO LAMARES

Na nossa coluna POESIA desta sexta-feira temos um novo estilo de poema para apreciar. Esse vem lá de Portugal com ator português Pedro Lamares recitando “Quando vier a primavera” de Alberto Caeiro. Um show de interpretação. Assista!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: QUANDO VIER A PRIMAVERA DE ALBERTO CAEORI, POR PEDRO LAMARES

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar