2024, Seja Bem-Vindo!

2024 Chegou!

Depois de concluirmos mais um calendário gregoriano (criado pelo Papa Gregório XIII), que é o que seguimos, já estamos em 2024! Dessa vez, com 366 oportunidades distribuídas em dias de 24 horas. É muito tempo para ser feliz, amar, doar a si mesmo, viver o que vier, ser uma pessoa melhor para nós e para quem nos cerca.

Há quem comece o ano com todo o gás. Há quem enumere as metas a serem cumpridas em 2024 e há aqueles que seguem a filosofia de Zeca Pagodinho “deixo a vida me levar.” Este, virou o ano numa banheira de sal grosso? (Li nas notícias de ano novo).

Como somos um país de misturas de raças e credos, cada um faz o que é conveniente para entrar o ano mais confiante e se sentindo protegido. O que importa, é que em nosso coração, impere o desejo de um ano alvissareiro para si e para as pessoas queridas.

Ano novo, vida nova!?

A gente sempre começa o ano com aquela ideia do novo. Pois bem, 2024 é tempo de mudar o que necessita, fazer aquela faxina dentro de nós mesmos. Nosso corpo e nossa mente não são galpões gigantes com compartimentos enormes para acumular tudo. Para que algo novo se estabeleça, é necessário que a gente esvazie espaços.

Outro dia estava organizando meu closet e encontrei umas blusinhas antigas. Lembro que gostava demais delas, mas já não as usava. As estampas, que antes combinavam comigo, agora, desbotadas, pareceram destoadas da minha vida. A malha, que antes era confortável, agora me sufocava. Eu questionei-me o motivo em mantê-las. Lembro que as comprei na Riachuelo, há tanto tempo, quando as roupas ainda era baratas por lá.

Ocupando espaço?

Talvez por alguma memória que elas tenham trazido ou com aquele pensamento “de um dia usá-las de novo.” É natural algum objeto, cheiro, paisagem lhe despertar lembranças, mas precisamos praticar o desapego, seja de sentimentos, de pessoas, de coisas. Enfim, separei as blusas para doar.

Vamos mudando, sem perceber, até que chega àquele momento em que nos deparamos com a realidade: certas coisas não combinam mais conosco. Neste mesmo pensamento, certos hábitos, comportamentos e certas pessoas, também não.

Então, não se sintam culpados em se desfazer daquilo que já não lhe serve mais: pode ser um sapato lindo que você comprou, mas lhe machuca, um hábito que você gosta, mas tem lhe prejudicado ou até mesmo um relacionamento, que tem se mostrado um verdadeiro desastre.

Mudanças de ano novo.

A gente tem aquela consciência do que precisa mudar, mas na virada do ano, parece que essa verdade grita em nossa cara.

Estamos adentrando em outra época, vamos adquirir mais maturidade com o passar do tempo, com as experiencias acumuladas, e sim, ao final de 2024 estaremos em outra fase da vida. Seremos diferentes de quem somos hoje. Heráclito, ao observar o ser humano falou “nenhum homem pode banhar-se duas vezes no mesmo rio, pois na segunda vez, o rio já não é o mesmo, tampouco o homem.” Somos assim mesmo. Sem perceber, mudamos.

E assim é a vida. Ano novo, onde novas memórias serão produzidas. Umas boas, outras nem tanto. Coisas vão acontecer conosco ao logo desses 366 dias e cabe a nós termos sabedoria para lidar com cada uma.

Votos, resoluções, planos!

Fato é que sim, a virada do ano é um período de mudanças. Então, nessa animação, vamos tentar passar 2024 com mais amor, mais sabedoria, mais tolerância, mais gentileza, essas coisas que nunca mudam o significado e sempre faz um bem danado a quem quer que seja.

Meus votos é que 2024 seja o SEU ano com muitas realizações, alegrias, saúde, bons acontecimentos e boas notícias.

Pessoalmente 2024 me encontrou otimista e cheia de projetos. E sim, estou mudando várias coisinhas que são necessárias para ter um ano maravilhoso! E quanto a vocês, quais as expectativas para esse ano novo que acabaram de receber de presente?

Compartilhar

7 comentários em “2024, Seja Bem-Vindo!”

  1. Feliz ano novo para todos. Excelente reflexão. Resumiu bem esse início de ano, depois das festas, dos feriados, dos encontros, reencontros e etc. Depois disso tudo o ano começa assim mesmo. A gente se dá conta de que a vida continua, o trabalho, os compromissos, a rotina diária. Começamos limpando a casa, ajeitando os móveis, selecionando o que vai ficar e o que vai embora. Depois seguimos a vida como na trilha sonora “Every Day Is Exactly the Same” (todos os dias são exatamente iguais). Eu sinceramente fico no muro filosófico entre Nietzsche / Camus (a existência deveria correr solta e sem amarras) e Sêneca / Marco Aurélio (premeditatio malorum – garantir que nada te pegue de surpresa, planejando cada passo para evitar os viesses do caminho). Obrigado pela reflexão. Já não sou mais o mesmo. 😉🥰❤️

    Responder
  2. Eu sempre que tenho algo, que não me serve mais, mas, desde que sirva pra alguém, eu dou, desde pequena, aprendi isso, e passei a meus filhos. Um feliz ano novo, de paz,saúde, perseverança, que vc continue, nos presenteando com belos contos

    Responder

Deixe um comentário