Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

COMEÇA SEXTA-FEIRA (15) E VAI ATÉ FIM DA SEMANA QUE VEM NO RIO DE JANEIRO A VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 EM CRIANÇAS DE 3 E 4 ANOS

Por Eduardo Pierre, g1 Rio

 

Lote da vacina CoronaVac para crianças em Alagoas — Foto: Carla Cleto/SesauO Município do Rio vai vacinar crianças de 3 e 4 anos contra a Covid com a CoronaVac a partir desta sexta-feira (15) e até o fim da semana que vem.

O prefeito Eduardo Paes (PSD) anunciou essa etapa do calendário em suas redes sociais no fim da manhã desta quinta (14). Ele não esperou o aval do Ministério da Saúde e baseou sua decisão na liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) .

No Rio, quase 3,5 milhões de cariocas estão com pelo menos uma dose atrasada.

Lote da vacina CoronaVac para crianças em Alagoas — Foto: Carla Cleto/Sesau

Calendário atualizado no Rio

  • Sexta (15): 4 anos
  • Sábado (16): 4 anos
  • Segunda (18): 4 anos
  • Terça (19): 4 anos
  • Quarta (20): 3 anos
  • Quinta (21): 3 anos
  • Sexta (22): 3 anos
  • Sábado (23): 3 anos

Calendário da vacinação de crianças de 3 e 4 anos no Município do Rio — Foto: Reprodução

Um dia após a Anvisa liberar

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (13) a autorização de uso emergencial da CoronaVac em crianças de 3 a 5 cinco anos. O Ministério da Saúde ainda não tinha avalizado o uso do imunizante nesta faixa etária até a última atualização desta reportagem.

Nesta quarta, logo após aprovação da Anvisa, o Instituto Butantan anunciou que pediu que a CoronaVac fosse incluída no Programa Nacional de Imunizações para essas crianças. A entidade ainda aguarda o Ministério da Saúde para saber se vai importar as vacinas prontas ou se importará o insumo para envasar no Brasil.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quinta-feira (14) que a pasta iria avaliar até segunda-feira os dados da decisão da Anvisa.

Também nesta quinta, a a Secretaria da Saúde do Espírito Santo anunciou que tem vacinas suficientes para iniciar a imunização no estado — mas não informou uma data.

Outros estados e prefeituras têm dito que vão aguardar as orientações do Ministério da Saúde para dar início à vacinação, como Tocantins e Palmas e Pernambuco e Recife.

Você está em dia?

Dose inicial (D1)

  • Pessoas com 3 anos ou mais que ainda não se vacinaram.

Segunda dose (D2)

  • Pessoas com 5 anos ou mais que tomaram, na primeira dose, as vacinas CoronaVac, Pfizer ou AstraZeneca, de acordo com a data marcada no comprovante.

Primeira dose de reforço (DR1)

  • Pessoas com 12 anos ou mais, com intervalo de 4 meses após a segunda dose;
  • Pessoas com 18 anos ou mais que tomaram Janssen na dose inicial devem tomar o primeiro reforço 2 meses depois da primeira dose.

Segunda dose de reforço (DR2)

  • Pessoas com 40 anos ou mais, com intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço;
  • Trabalhadores da saúde com 18 anos ou mais, com intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço;
  • Pessoas com 18 anos ou mais que tomaram Janssen na dose inicial, com intervalo de 4 meses após a primeira dose de reforço.

Terceira dose de reforço (DR3)

  • Pessoas com 40 anos ou mais que tomaram Janssen na dose inicial, com intervalo de 4 meses após a segunda dose de reforço.

Veja, abaixo, perguntas e respostas sobre a imunização das crianças de 3 a 5 anos:

  • A vacina é a mesma usada em adultos?
  • Qual o intervalo entre as doses?
  • Há registro de reações?
  • Por que é importante vacinar essa faixa etária?
  • Quais vacinas estão liberadas para o público infantil no Brasil?
  • Quais países aplicam CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos?
  • O que dizem os estudos?

A vacina é a mesma usada em adultos?

Sim. Crianças de 3 a 5 anos receberão a mesma dose que hoje é aplicada nas faixas etárias de 6 a 17 anos e nos adultos.

Qual o intervalo entre doses?

O esquema é o mesmo recomendando para outras faixas etárias: duas doses aplicadas em um intervalo de 28 dias.

Ainda não há estudos sobre mix de vacinas — a vacinação heteróloga. A orientação é tomar duas doses do mesmo imunizante.

Há registro de reações?

Segundo os resultados de estudos de Farmacovigilância Ativa da Anvisa, não foi registrado nenhum evento adverso grave relacionado ao uso da vacina em crianças de 6 a 17 anos.

A agência também apresentou dados internacionais de segurança da vacina CoronaVac na faixa etária de 2 a 7 anos: 79% das notificações de eventos adversos pós-vacinação foram considerados não greves.

“NENHUM óbito foi relacionado à vacina CoronaVac desde o início da vacinação no Brasil, tanto em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, quanto na faixa acima de 18 anos”, reforçam os técnicos da Anvisa.

Por que é importante vacinar essa faixa etária?

Um levantamento feito pelo Observatório da Primeira Infância, coordenado por pesquisadores do Laboratório de Informação em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apontou que o Brasil registrou, em média, duas mortes de crianças menores de 5 anos por dia desde o início da pandemia, em 2020.

“Os menores de 5 anos no país ainda respondem por uma quantidade muito grande de casos. Quando vamos vacinando os mais velhos há um desvio natural da faixa etária do número de infecções para os mais novos ainda não vacinados”, alerta Renato Kfouri, pediatra infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Imunização.

Ele ressalta que também é muito importante aguardar a autorização de outras vacinas para bebês a partir de 6 meses.

“Temos duas crianças por dia, menores de 5 anos, morrendo de Covid, quase 50% no primeiro ano de vida. Nenhuma outra doença prevenível e evitável fez esse tamanho impacto na saúde. É necessário que vacinemos”, completa o infectologista e pediatra.

“A doença é menos grave nas crianças, mas não significa que não traga risco de hospitalização e morte”, avaliou Marco Aurélio Sáfadi, infectologia e presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, durante a apresentação do seu parecer na reunião da Anvisa.

Sáfadi defendeu que estender a vacinação para esse grupo é uma estratégia importante para diminuir carga de hospitalizações e mortes dessas crianças.

“Até o momento no país já registramos mais de 12 mil hospitalizações e 952 mortes atribuídas a Covid19 nessa faixa etária”, relembrou.

Meiruze Freitas, diretora da Anvisa e relatora do processo, acrescentou, durante a aprovação, que vacinar crianças de 3 a 5 anos contra Covid-19 pode ajudar a evitar que elas fiquem gravemente doentes, se contraírem o vírus.

“A vacinação de crianças também pode ajudar as famílias, proporcionando maior confiança aos pais cujos filhos frequentam creches, escolas e outras atividades. Assim, mesmo considerando as limitações e incertezas relatadas pela área técnica, permitir que os gestores de saúde façam a avaliação do real custo-efetividade de se usar a CoronaVac, bem como o direito dos pais que desejam vacinar seus filhos, passa pelo escopo dessa avaliação”, disse.

Quais vacinas estão liberadas para o público infantil no Brasil?

A vacinação infantil no Brasil contra a Covid-19 começou no dia 14 de janeiro.

Duas vacinas contra Covid-19 estão autorizadas no Brasil: a vacina da Pfizer, a partir de 5 anos, e a vacina CoronaVac, a partir de 6 anos. A decisão da Anvisa autoriza a ampliação do uso da CoronaVac, mas ainda falta o aval do Ministério da Saúde.

Quais países aplicam CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos?

A CoronaVac já é usada ou foi autorizada em crianças de diferentes faixas etárias em pelo menos cinco países e em Hong Kong:

  • Camboja: começou a vacinar crianças a partir dos 5 anos em novembro
  • Chile: aprovada para crianças a partir dos 3 anos em setembro
  • China: já começou a aplicar a vacina em crianças a partir dos 3 anos
  • Colômbia: começou a aplicar a vacina em crianças de 3 a 11 anos em 31 de outubro
  • Equador: aprovada para crianças de 5 a 11 anos em outubro
  • Hong Kong: aprovada para crianças a partir dos 3 anos em novembro. A previsão era de que crianças a partir de 5 anos começassem a ser vacinadas nesta semana

O que dizem os estudos?

A decisão da Anvisa atesta que a CoronaVac é segura e eficaz para crianças de 3 a 5 anos. Diminui mortes, hospitalizações e circulação do vírus.

“Essa vacina atende aos critérios necessários de qualidade e segurança para o uso em crianças. Ainda que a eficácia seja limitada, os dados indicam que o uso da CoronaVac pode ajudar na prevenção de agravamento e óbitos por Covid-19, para o uso emergencial na população pediátrica de 3 a 5 anos”, disse Meiruze Freitas.

A conclusão foi tirada com base em informações da Sinovac, Butantan, pareceres de sociedade médicas, dados científicos e pesquisas feitas no Chile, onde crianças dessa idade já são vacinadas com CoronaVac desde o ano passado.

Segundo a Anvisa, estudos indicam que a CoronaVac gerou até quatro vezes mais anticorpos contra a Covid-19 no grupo de 3 a 5 anos do que em adultos.

Continuar lendo COMEÇA SEXTA-FEIRA (15) E VAI ATÉ FIM DA SEMANA QUE VEM NO RIO DE JANEIRO A VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 EM CRIANÇAS DE 3 E 4 ANOS

PESQUISADORES DA UNICAMP DESCOBRIRAM COMO O VÍRUS DA COVID-19 MANIPULA AS CÉLULAS DO CORPO HUMANO PARA SE REPLICAR

Estudo brasileiro identifica como o vírus da Covid-19 usa células para se replicar

À CNN Rádio, a primeira autora da pesquisa, Érika Pereira Zambalde, disse que a ideia é que o resultado eventualmente auxilie na busca por novos tratamentos

Amanda Garcia

Adene Sanchez/Getty Images

Um grupo de pesquisadores da Unicamp e da USP descobriu como o vírus da Covid-19 manipula as células do corpo humano para se replicar – e, dessa forma, causar uma infecção.

Em entrevista à CNN Rádio, a primeira autora da pesquisa, Érika Pereira Zambalde, disse que a importância do estudo é “conseguir entender melhor a função do vírus e como ele causa a infeção no organismo.”

“Isso auxilia a busca por novos tratamentos para combater a pandemia que atrapalha nossa vida nos últimos anos”, completou.

Basicamente, o vírus interage com uma proteína do organismo humano, que atua na replicação do DNA das células e, por tanto, na divisão celular. “O vírus usa essa qualidade a favor dele, e replica as células contaminadas.”

Ela destaca, porém, que a pesquisa é “super recente”: “A partir dela, surgem novas perguntas, a intenção é aprimorar e entender a relação do vírus com a proteína, testar outros tipos de drogas e diminuir a infecção.”

Os próximos passos do estudo, que foi publicado na revista científica Frontiers in Cellular and Infection Microbiology, envolvem continuar com o estudo em cultura de células e, no futuro, testar em animais.

Fonte: CNN

Continuar lendo PESQUISADORES DA UNICAMP DESCOBRIRAM COMO O VÍRUS DA COVID-19 MANIPULA AS CÉLULAS DO CORPO HUMANO PARA SE REPLICAR

UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA ONDE SE VACINAR CONTRA COVID-19 NO FIM DE SEMANA

Um em cada três potiguares está com vacina contra covid-19 atrasada; saiba onde se vacinar no fim de semana

Foto: Reprodução

Com mais de três milhões de pessoas (3.180.937) cadastradas na plataforma RN+ Vacina, o Rio Grande do Norte tem, até o momento, pouco mais de um milhão de potiguares (1.014.453) com alguma das doses da vacina contra a covid-19 em atraso. Ou seja, a cada três potiguares, pelo menos um está com a vacinação fora do prazo.

Até esta sexta (24), 2.972.943 de pessoas (93%) tinham tomado a primeira dose (D1) ou a dose única, 2.706.561 (85%) tomaram a segunda (D2), 1.612.021 tomaram a dose de reforço (D3) e apenas 290.678 (9%) tomaram a segunda dose de reforço (D4) da vacina.

A população economicamente ativa entre 18 e 39 anos é, justamente, a que apresenta maior número de atrasos sem a primeira dose de reforço (D3). Para tentar diminuir esse número, serão mantidos pontos de vacinação abertos para imunização contra Covid-19, Influenza e Sarampo, durante o Arraiá da Imunização neste sábado (25). A partir deste dia, a vacina contra a influenza também será aberta para toda a população, a partir dos 6 meses de idade.

Os detalhes sobre documentação, locais e horários de vacinação em Natal estão disponíveis no site: https://vacina.natal.rn.gov.br/

VEJA ONDE SE VACINAR EM NATAL NO FIM DE SEMANA
SÁBADO (25):
Via Direta – 09h às 21h
Nélio Dias – 09h às 16h
Shopping Midway Mall – 10h às 17h
Partage Norte Shopping – 14h às 20h
Arena das Dunas – 17h às 21h

DOMINGO (26) – PONTO ITINERANTE:
Arena das Dunas – 17h às 21h

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA ONDE SE VACINAR CONTRA COVID-19 NO FIM DE SEMANA

SÁBADO (25) SERÁ O ARRAIÁ DA IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19, INFLUENZA E SARAMPO NO RN

Por g1 RN

 

Sesap mobiliza municípios para o Dia D da vacinação — Foto: Divulgação/São Gonçalo do AmaranteSesap mobiliza municípios para o Dia D da vacinação — Foto: Divulgação/São Gonçalo do Amarante

O Rio Grande do Norte terá neste sábado (25) mais um Dia D de vacinação contra a Covid-19, Influenza e sarampo. A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) mobilizou os municípios para que mantenham os pontos de vacinação abertos das 8h às 17h, no chamado “Arraiá da Imunização”.

A Sesap informou que, a partir deste dia, a vacina contra a Influenza será aberta para toda a população, a partir dos 6 meses de idade.

O governo está distribuindo 120 mil doses da vacina contra a Influenza e 100 mil doses dos imunizantes contra a Covid-19 para que a população complete o esquema vacinal. A segunda dose de reforço (D4) está disponível atualmente para idosos, profissionais de saúde, imunossuprimidos e população geral acima dos 40 anos de idade.

“Estaremos chamando a população através da ampliação dos horários no Dia D e outras estratégias fundamentais como a vacinação nas escolas através do projeto Minha Escola Nota 10. Os óbitos que temos no estado são, em sua maioria, de pessoas que não reforçaram sua vacinação. Por isso é preciso que a população esteja protegida”, conta a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima.

A plataforma RN+Vacina aponta que 93% da população do estado já tomou pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19. A primeira dose do reforço atingiu metade da população, enquanto o segundo reforço está em 8%. Para a Influenza, 68% do público-alvo está imunizado, segundo a Sesap.

Continuar lendo SÁBADO (25) SERÁ O ARRAIÁ DA IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19, INFLUENZA E SARAMPO NO RN

NATAL ANUNCIOU QUE COMEÇA SEGUNDA-FEIRA A APLICAÇÃO DA QUARTA DESE DA VACINA CONTRA COVID-19 NAS PESSOAS ACIMA DE 40 ANOS

Por g1 RN

 

Vacina contra a Covid em Mossoró, RN — Foto: Wilson MorenoVacina contra a Covid em Mossoró, RN — Foto: Wilson Moreno

Mossoró começou a aplicar neste sábado (18) a quarta dose da vacina contra a Covid – chamada também de segunda dose de reforço – em pessoas a partir de 40 anos de idade.

Podem se vacinar aqueles que tomaram a terceira dose (a primeira de reforço) há pelo menos quatro meses.

Neste fim de semana, há três pontos de vacinação: a Unidade Básica de Saúde (UBS) Maria Soares (8h às 16h), localizada ao lado da Unidade de Pronto Atendimento do Alto de São Manoel, o Partage Shopping Mossoró (10h às 18h no sábado e 11h às 18h no domingo) e a Festa de São João Batista (18h às 22h).

Nos três locais também ocorre a vacinação contra sarampo e gripe (influenza).

“Reforçamos a importância destas pessoas que tomaram a terceira dose há quatro meses que a partir deste sábado se dirijam a um ponto de vacinação e receba a segunda dose de reforço, a que chamamos de quarta dose. Pedimos também que as pessoas mantenham atualizada a vacinação”, disse o coordenador de Imunizações da Secretaria Municipal de Saúde, Etevaldo Lima.

Quem pode tomar as vacinas?

Em todos esses pontos serão aplicadas a primeira, segunda, terceira e quarta doses contra Covid. A vacina contra a Covid-19 é ofertada a pessoas a partir de 5 anos de idade.

Os grupos prioritários para a vacinação da gripe são pessoas acima de 60 anos, trabalhadores da saúde; gestantes; puérperas; povos indígenas; professores; pessoas com comorbidades; com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo; rodoviário; passageiros urbanos e de longo curso.

E ainda: trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; Forças Armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade; adolescentes e jovens em medidas socioeducativas; além de crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade.

Já os grupos prioritários para a vacinação contra o sarampo são trabalhadores da saúde e crianças na faixa etária de 6 meses a 5 anos de idade.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo NATAL ANUNCIOU QUE COMEÇA SEGUNDA-FEIRA A APLICAÇÃO DA QUARTA DESE DA VACINA CONTRA COVID-19 NAS PESSOAS ACIMA DE 40 ANOS

UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA QUAIS OS PONTOS DE VACINAÇÃO NESTE FINAL DE SEMANA EM NATAL CONTRA GRIPE, SARAMPO E COVID-19

Por g1 RN

 

Saiba onde se vacinar contra covid, gripe e sarampo nesta sexta (17) e sábado (18) em Natal — Foto: André Santos/Prefeitura de UberabaSaiba onde se vacinar contra covid, gripe e sarampo nesta sexta (17) e sábado (18) em Natal — Foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba

Nesta sexta-feira (17), ponto facultatvo na capital potiguar, a Secretaria Municipal de Saúde manteve a vacinação contra covid, gripe e sarampo nos pontos extras.

Apenas as unidades básicas de saúde não abrem para imunização nesta sexta. Nas UBS a vacinação será retomada na segunda-feira (20).

Já no domingo (19) a vacinação acontece em pontos itinerantes como Parque das Dunas, Cidade da Criança, Arena das Dunas e Feirinha da Árvore de Mirassol.

Locais de vacinação na sexta, sábado e domingo

SEXTA-FEIRA (17):

  • Via Direta – 09h às 21h
  • Nélio Dias – 09h às 16h
  • Shopping Midway Mall – 10h às 17h
  • Partage Norte Shopping – 14h às 20h
  • Feirinha da Árvore de Mirassol – 16h às 21h

SÁBADO (18):

  • Via Direta – 09h às 21h
  • Nélio Dias – 09h às 16h
  • Shopping Midway Mall – 10h às 17h
  • Partage Norte Shopping – 14h às 20h
  • Feirinha da Árvore de Mirassol – 16h às 21h

DOMINGO (19) – PONTOS ITINERANTES:

  • Parque das Dunas – 08h às 12h
  • Cidade da Criança – 14h às 19h30
  • Arena das Dunas – 16h às 20h
  • Feirinha da Árvore de Mirassol – 16h às 21h
Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA QUAIS OS PONTOS DE VACINAÇÃO NESTE FINAL DE SEMANA EM NATAL CONTRA GRIPE, SARAMPO E COVID-19

SEGUNDO PESQUISADOR, INCIDÊNCIA DE CASOS DE COVID-19 NO RN ACONTECE EM PESSOAS COM DOSES DA VACINA ATRASADAS

‘Aumento de casos de Covid é principalmente na população com doses atrasadas’, diz pesquisador

Foto: Divulgacão 

O aumento de casos de Covid registrado nos últimos dias ocorre, principalmente, na população que mais tem alguma dose da vacina em atraso. A afirmação é do professor Ricardo Valentim, do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais/UFRN).

Segundo o pesquisador, a maior incidência de caso atualmente é na faixa de idade entre 18 e 50 anos – a que mais possui doses atrasadas. “A grande recomendação é tomar a vacina. Hoje esse aumento de casos é principalmente na população de 18 a 50 anos, a população que está com suas doses atrasadas”, diz.

Ricardo Valentim reforça que aproximadamente 700 mil pessoas estão com alguma dose do imunizante em atraso em todo o estado. De acordo com o pesquisador, o RN deveria ter alcançado a marca de 70% de sua população com a 3ª dose da vacina (dose de reforço), o que não ocorreu.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo SEGUNDO PESQUISADOR, INCIDÊNCIA DE CASOS DE COVID-19 NO RN ACONTECE EM PESSOAS COM DOSES DA VACINA ATRASADAS

REABERTURA DE ESCOLAS EM PEQUIM É ADIADA DEVIDO NOVA ONDA DE COVID-19

Pequim adia reabertura de escolas por nova onda de Covid-19

As autoridades haviam anunciado um plano de retorno às aulas por etapas a partir da próxima semana

Muitos alunos dos ensinos fundamental e médio continuarão com aulas remotas

REUTERS

A maioria das crianças de Pequim não poderá voltar à escola na próxima semana, como estava previsto, devido a uma nova onda de coronavírus, anunciaram as autoridades chinesas neste sábado (11).

Muitos alunos dos ensinos fundamental e médio “continuarão com aulas remotas” na segunda-feira, informou o porta-voz do governo local, Xu Hejian, neste sábado.

As autoridades haviam anunciado um plano de retorno às aulas por etapas a partir da próxima semana.

A China é o último país que aplica a estratégia “covid zero”, que consiste em erradicar os casos com testes em larga escala e confinamentos. Mas os números da pandemia nos últimos meses provocaram o questionamento da política.

A cidade de Xangai, centro econômico do país, foi obrigada a adotar um confinamento de vários meses. Na capital Pequim impera o ensino à distância e o teletrabalho.

As autoridades de Pequim flexibilizaram várias restrições no início da semana, mas a detecção de novos casos provocou a retomada de várias medidas.

A cidade registra um surto de 115 casos relacionados com um bar, disse Liu Xiaofeng, secretário de Saúde do município.

Em Xangai, quase 20 milhões de pessoas começaram a ser submetidas a testes neste sábado, menos de duas semanas depois do confinamento rígido que irritou os moradores.

Neste sábado, a China registrou 138 novos casos de covid, quase metade deles em Pequim, segundo os números oficiais.

Fonte: R7

Continuar lendo REABERTURA DE ESCOLAS EM PEQUIM É ADIADA DEVIDO NOVA ONDA DE COVID-19

EUA DECIDEM DEIXAR DE EXIGIR TESTE DE COVID-19 PARA VIAJANTES INTERNACIONAIS

EUA deixam de exigir testes de Covid-19 a viajantes internacionais

Segundo a imprensa americana, medida passa a valer a partir da meia-noite do próximo domingo (12);

INTERNACIONAL  

por Agência EFE

EUA decidem deixar de exigir testes de covid-19 a viajantes internacionais

CAROLINE BREHMAN/EFE

Os Estados Unidos deixarão de exigir aos viajantes internacionais que façam teste negativo de Covid-19 realizado nas últimas 24 horas para entrar no país, anunciou no Twitter um dos porta-vozes da Casa Branca Kevin Muñoz.

O anúncio oficial acontecerá nesta sexta-feira (10) e marcará o fim de uma das principais medidas dos EUA para evitar a propagação da Covid-19 através de viagens internacionais.

A emissora CNN, que antecipou a notícia, explicou que a nova norma entrará em vigor a partir da meia-noite de domingo (12).

Os Centros de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do governo reavaliarão a situação em 90 dias e decidirão se a exigência de testes de Covid-19 deve ou não ser reimplementada, disse a CNN, citando um alto funcionário do governo.

Os requisitos de Covid-19 para viajantes internacionais estavam em vigor desde janeiro de 2021 e foram implementados pelo presidente dos EUA, Joe Biden.

Inicialmente, as regras exigiam que os viajantes internacionais apresentassem comprovação de teste negativo realizado nos últimos três dias para entrar no país. Mas, em novembro do ano passado, quando a variante ômicron disparou o número de casos, Biden estabeleceu que os testes de Covid-19 deveriam ser realizados 24 horas antes da entrada em território americano.

Além disso, ficou estabelecido que quem não é cidadão americano ou residente permanente deve apresentar documentação que comprove que está vacinado contra a Covid-19.

Este requisito permanecerá em vigor, uma vez que a única alteração é a regra sobre testes de Covid-19.

As principais companhias aéreas dos EUA e o setor de turismo pressionam há meses o governo Biden para remover as restrições devido à Covid-19, argumentando que estavam prejudicando o turismo internacional.

Continuar lendo EUA DECIDEM DEIXAR DE EXIGIR TESTE DE COVID-19 PARA VIAJANTES INTERNACIONAIS

VEJA A LISTA DAS UBS DE NATAL QUE CONTAM COM TESTES RÁPIDOS PARA COVID-19

Por g1 RN

 

Saiba onde fazer teste de Covid na rede pública de Natal — Foto: Foto: Divulgação/g1Saiba onde fazer teste de Covid na rede pública de Natal — Foto: Foto: Divulgação/g1

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal divulgou uma lista de unidades básicas de saúde que contam com testes rápidos para covid-19 nas quatro zonas administrativas da capital potiguar.

De acordo com a SMS, não é necesário ter uma requisição médica para realizar os testes.

A secretaria rassaltou que os locais não são centros de testagens, mas unidades referenciadas para atendimento a síndromes respiratórias. Confira a listagem abaixo:

Locais para realizar teste rápido

Locais para realizar teste rápido de Covid em Natal — Foto: Reprodução

Locais para realizar teste rápido de Covid em Natal — Foto: Reprodução

Locais para realização de teste RT-PCR

Continuar lendo VEJA A LISTA DAS UBS DE NATAL QUE CONTAM COM TESTES RÁPIDOS PARA COVID-19

SESAP RECOMENDA QUE MUNICÍPIOS APLIQUEM DOSE DE REFORÇA DA VACINA CONTRA COVID-19 EM ADOLESCENTES

Municípios do RN devem aplicar dose de reforço da vacina contra a Covid em adolescentes após recomendação da Sesap

Os municípios devem usar o estoque de Coronavac e Pfizer para iniciar a aplicação imediatamente

Redação
30/05/2022 | 14:52

Foto: Wilson Moreno/Secom PMM

A partir desta segunda-feira (30), os municípios do Rio Grande do Norte devem iniciar a aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos. A medida segue orientação do Ministério da Saúde. O acordo para pôr a medida em prática foi feita na manhã desta segunda-feira. Durante a discussão feita na Câmara Técnica das Vacinas, coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), ficou decidido que os municípios devem usar o estoque de Coronavac e Pfizer para iniciar a aplicação imediatamente.

“Estamos fazendo um levantamento junto aos municípios para solicitar ao Ministério da Saúde mais doses e assim organizar a quantidade de doses necessárias para a terceira dose de todos os adolescentes”, disse Laiane Graziela coordenadora de Imunização da Sesap.

A dose de reforço deve ser administrada quatro meses após a segunda dose. Segundo a orientação do Ministério da Saúde, o imunizante preferencial a ser usado deve ser o da Pfizer, independente do imunizante aplicado no esquema primário, ficando a Coronavac como opção no caso de não haver disponibilidade da vacina Pfizer.

O RN tem hoje 281.152 adolescentes entre 12 a 17 anos com a primeira dose, correspondendo a 88% da população dessa faixa, e 228.780 com a segunda dose (71%).

Continuar lendo SESAP RECOMENDA QUE MUNICÍPIOS APLIQUEM DOSE DE REFORÇA DA VACINA CONTRA COVID-19 EM ADOLESCENTES

SAÚDE: SAIBA COMO O USO CONTÍNUO DE MÁSCARA DE PROTEÇÃO CONTRA COVID-19 CONTRIBUI PARA O AGRAVAMENTO DE LESÕES NA PELE

Acne, manchas e irritações: como o uso de máscara afetou a nossa pele

Utilização diária de máscara durante dois anos contribuiu para agravamento de lesões na pele, porém há várias formas de controlar e prevenir problemas

Da CNN Portugal

Foto: Boy_Anupong/Getty Images

Após dois anos de uso cotidiano de máscaras como medida de prevenção contra a Covid-19, a pele do rosto parece agora querer se vingar, com lesões e manchas que persistem no reflexo do espelho.

uso de máscara contribuiu para o aparecimento ou agravamento de lesões na pele, como a acne ou a rosácea, que consiste na vermelhidão na pele com vasos sanguíneos perceptíveis, sobretudo nas pessoas com peles mais sensíveis que acabam por apresentar mais reações ao contato com o tecido das máscaras.

A boa notícia é que existem hoje várias formas de controlar e prevenir alguns destes problemas, muitas delas podem ser feitas casa, como explicam especialistas à CNN.

Importância de uma rotina de cuidados de pele

Tal como os restantes órgãos do nosso corpo, a pele exige cuidados diários e uma boa rotina de higiene pode ajudar a prevenir o aparecimento de lesões cutâneas.

De acordo com a dermatologista Joana Dias Coelho, da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia, uma boa rotina de higiene inclui a lavagem do rosto, uma ou duas vezes por dia, com água morna, uma vez que “a água muito quente acaba por lesar a camada superficial e não tem benefícios” para a pele. Embora as águas de limpeza também “funcionem bem”, a especialista salienta a importância de lavar a pele com água natural: “Até pode ser no banho, se for mais prático”.

O segundo passo é a aplicação de produtos cosméticos, que dependem não somente do tipo de pele, como também da idade, explica a especialista. “Uma pele mais madura precisa de mais hidratação, se beneficia mais com a aplicação de séruns, além dos cremes de dia e de noite. Numa pele mais jovem, não são precisos tantos passos, basta a aplicação de um creme de dia e um creme de noite”.

Mas, afinal, quais são as diferenças entre os cremes para uso diário e os cremes de uso noturno? Ambos têm “composições diferentes”, nota a dermatologista, sendo que os cremes noturnos utilizam “substâncias mais irritativas, mas que alisam mais a pele”, promovendo a regeneração das células da pele. Por isso, os cremes usados à noite são ligeiramente mais espessos e demoram mais para serem absorvidos pela pele.

Os produtos que utilizamos devem ser adequados ao nosso tipo de pele, que pode ser mais oleosa, mista ou mais seca. Segundo a dermatologista, quem tem os “poros mais abertos, geralmente tem uma pele mais oleosa”. Mas o tipo de pele também se altera conforme a idade. “Até aos 20, 25 anos, a maior parte das pessoas tem pele oleosa, exceto se houver uma história de eczemas ou outras inflamações da pele. Só depois é que a pele começa a não ficar tão oleosa”, diz Joana.

Com o avançar da idade, é importante aplicar ainda “cremes com uma ação antirrugas, antioxidante – quer seja com vitamina C ou com ácido glicólico”, acrescenta a especialista.

Proteção solar sempre, faça chuva ou faça sol

Em períodos mais quentes, surge naturalmente uma maior procura por protetores solares, mas este não é um cuidado exclusivo para dias ensolarados. Os especialistas destacam a necessidade de utilizar protetor solar “o ano inteiro”, faça chuva ou faça sol.

E nunca uma proteção abaixo do fator 50, alerta o dermatologista Fernando Guerra, acrescentando que é frequente as pessoas utilizarem protetores solares com fator 30 durante o inverno e, quando chega o verão, não alteram a proteção por considerarem que não fará diferença.

Em outros momentos, prossegue o especialista, pessoas começam o verão com um protetor com fator 50 e vão diminuindo gradualmente a proteção ao longo do tempo, por considerarem que já estão bronzeadas e já não precisam de uma proteção tão elevada. Duas situações que, de acordo com o dermatologista, levam geralmente a queimaduras ou a outros problemas de pele.

Mas, à semelhança dos demais produtos para o rosto, os protetores solares também devem ser adequados ao nosso tipo de pele, como explica a dermatologista Joana Dias Coelho.

“Na proteção solar, é sempre melhor a utilização de protetores solares oil free (sem óleo) – na verdade, a maior parte dos produtos solares já têm uma composição oil free, pois há uma preocupação em não serem comedogênicos, quer dizer, não potencializar o aparecimento da acne”.

Utilizar maquiagem: sim ou não?

Para o dermatologista Fernando Guerra, o uso de maquiagem está permitido, desde que os produtos sejam “oil free e cosmeticamente bons”, lembrando que as farmácias já oferecem uma vasta gama de produtos de maquiagem com composição aprovada por dermatologistas.

Antes de colocar uma base, deve-se colocar primeiro o creme hidratante de rosto, o protetor solar de fator 50 e só depois a maquiagem, acrescenta o médico.

Alerta sobre o uso de retinol

Fernando Guerra alerta para a utilização, durante dias quentes, de retinol, um ingrediente derivado da vitamina A utilizado em alguns produtos, como séruns, e que atua contra o envelhecimento da pele. Só que “esta substância não se pode usar no verão, porque é sensível ao sol”. De acordo com o especialista, a exposição ao sol pode resultar em queimaduras ou outras lesões na pele.

O que fazer se as lesões persistirem?

Existem hoje no mercado vários produtos para o tratamento de pele com acne. No entanto, quando as lesões são persistentes, ativas e continuam a surgir em número maior, o tratamento pode precisar ser medicamentoso. A prescrição deve ser feita após consulta médica, de acordo com o diagnóstico realizado pelo dermatologista.

“Numa fase inicial, os cremes ajudam a controlar a oleosidade da pele. A cosmética evoluiu de uma maneira que nos permite ter hoje produtos cosméticos que ajudam bastante, mas quando temos lesões ativas e aparecem cada vez mais, são necessários medicamentos tópicos, de ingestão oral”, explica Joana Dias Coelho.

Além de todos estes cuidados mais específicos, os dermatologistas lembram que a prática de hábitos saudáveis também reflete na saúde da pele. É importante, por isso, ter uma alimentação saudável, variada e com verduras, uma vez que “a riqueza de nutrientes beneficia a qualidade da pele”.

Continuar lendo SAÚDE: SAIBA COMO O USO CONTÍNUO DE MÁSCARA DE PROTEÇÃO CONTRA COVID-19 CONTRIBUI PARA O AGRAVAMENTO DE LESÕES NA PELE

QUEDA DAS TEMPERATURAS NO BRASIL ACENDE ALERTA SOBRE ALTA DE CASOS DE COVID-19 E O AUMENTO DAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

Temporada de doenças respiratórias liga alerta sobre controle da Covid-19

Neste episódio do E Tem Mais, Evandro Cini apresenta um panorama dos desafios do combate à doença em ambiente onde diferentes vírus são motivo de atenção

Da CNN Brasil*

Em São Paulo

queda das temperaturas no Brasil registrada na semana passada coincidiu com uma alta de novos casos de Covid-19 no país. O quadro acendeu o alerta de médicos e especialistas para os desafios do controle da doença em meio ao início da temporada de problemas respiratórios que costumam aumentar entre o outono e o inverno.

Apesar de permanecerem em níveis reduzidos em relação aos picos da pandemia, os números da Covid-19 no país ainda apontam um grau elevado de circulação do coronavírus, e surtos em países como Coreia do Norte e China alertam para os riscos de novas variantes.

Ao mesmo tempo, com uma cobertura vacinal menor do que em anos anteriores, a gripe e outras doenças respiratórias preocupam autoridades médicas diante da pressão sobre os serviços de saúde causada não só pela pandemia, mas também por surtos inesperados de sarampo e da misteriosa hepatite infantil aguda.

Neste episódio do E Tem Mais, Evandro Cini apresenta um panorama do combate à Covid-19 e a essas outras doenças no cenário atual. Para descrever os cuidados necessários para lidar com um ambiente onde diferentes vírus são motivo de atenção, participam deste episódio a infectologista Rosana Richtmann, do Instituto Emílio Ribas, e o virologista Fernando Spilki, da Universidade Feevale.

Fonte: CNN

Continuar lendo QUEDA DAS TEMPERATURAS NO BRASIL ACENDE ALERTA SOBRE ALTA DE CASOS DE COVID-19 E O AUMENTO DAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

INFECTOLOGISTA DA UNICAMP FAZ ALERTA SOBRE ESCALADA DE CASOS DE COVID-19 DURANTE O INVERNO QUE SE APROXIMA

Vacinação e máscaras são essenciais para conter a Covid no inverno, diz médica

À CNN Rádio, Raquel Stucchi disse que aumento de casos nas Américas está diretamente relacionado às flexibilizações das medidas sanitárias e estagnação no ciclo vacinal completoAmanda GarciaBel Campos

da CNN

Em São Paulo

Ausência de máscara e falta de vacinação pode aumentar risco de surtos de Covid-19 no invernoAusência de máscara e falta de vacinação pode aumentar risco de surtos de Covid-19 no inverno Agência Brasil

A infectologista e professora da Unicamp, Raquel Stucchi, fez um alerta sobre a possível escalada de casos de Covid-19 durante o inverno que se aproxima.

“O que nós temos é olhar na nossa família, amigos e colegas de trabalho, reforçando a importância de completar o ciclo de vacinação e o uso de máscara em ambientes fechados é fortemente recomendado para todos”, afirmou a membro da Sociedade Brasileira de Infectologia, à CNN Rádio.

A infectologista explicou que, em ambientes fechados, o uso de máscara deve ser mantido para qualquer idade, já que, sem ventilação por causa do frio, eles se tornam lugares de alta propagação da Covid-19.

Stucchi lembrou que a distribuição de vacinas não é igualitária, mas que esse, na média, “não é o caso da América do Sul e da América Central”: “As pessoas não estão com orientação suficiente. Para enfrentar a Ômicron, o esquema básico é de três doses.”

“A Covid não foi embora e é preciso estar com a vacinação em dia para não ter um adoecimento grave ou diminuir esse risco”, completou.

A infectologista também chamou a atenção para a dificuldade de adesão à vacinação contra a Covid-19 em alguns estados do Brasil, como na região Norte, o que, segundo ela, também é preocupante.

Ela lembrou que “teremos num futuro bem breve vacinas de segunda geração, com receitas diferentes que devem promover um tempo de proteção maior, o que pode mudar a orientação de doses anuais”.

Continuar lendo INFECTOLOGISTA DA UNICAMP FAZ ALERTA SOBRE ESCALADA DE CASOS DE COVID-19 DURANTE O INVERNO QUE SE APROXIMA

SENADO APROVA MP QUE AUTORIZA GOVERNO FEDERAL DOAR VACINA CONTRA COVID-19 PARA OUTROS PAÍSES

Doação de vacinas para outros países é aprovada pelo Senado

As doações deverão ser viabilizadas por meio de termos específicos firmados por meio do Ministério da Saúde

Gabrielle VarelaLuciana Amaral

da CNN

em Brasília

Frasco da vacina 100% nacional contra a Covid-19, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)Frasco da vacina 100% nacional contra a Covid-19, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

Senado Federal aprovou, nesta quinta-feira (12), medida provisória que autoriza o governo federal a doar vacinas contra a Covid-19 para outros países em caráter de cooperação humanitária internacional. O texto agora segue para promulgação, pois não houve alteração do texto vindo do Executivo.

Segundo a MP, as doações deverão ser viabilizadas por meio de termos específicos firmados por meio do Ministério da Saúde.

A pasta será responsável por definir a quantidade das doações e os destinatários delas após consulta ao Ministério das Relações Exteriores.

Nenhuma doação poderá causar prejuízos ao processo de vacinação da população brasileira, afirma o texto. As doações só poderão acontecer após uma manifestação de interesse por parte do país beneficiário e a concordância em recebê-las.

Para o senador Vanderlan Cardoso, relator da matéria, não haverá prejuízo ao Brasil com essas doações, ainda mais com o acesso limitado de outros países a esses imunizantes.

“A urgência e relevância da MPV decorrem do fato de que a falta de acesso justo e equitativo às vacinas contra a Covid-19 dificulta a superação do cenário pandêmico mundial e das crises dele decorrentes, bem como favorece o surgimento de novas variantes do novo coronavírus”, justificou no relatório

As despesas com o transporte dos imunizantes deverão ser financiadas pelo país que receberá as doações, por dotações orçamentárias do governo federal ou de outros colaboradores, estabelece.

O relator rejeitou uma sugestão de alteração que obrigava a divulgação na internet pela União das informações dos países beneficiados com as vacinas.

Para ele, isso já um papel da administração pública. “Em que pese a pertinência da iniciativa, cumpre lembrar que transparência e publicidade são princípios já contemplados pelas normas que regem a Administração Pública no Brasil, sendo, a nosso ver, desnecessária a sua inclusão”, concluiu.

Em manifestação anterior, os ministérios da Saúde e das Relações Exteriores concordaram ser importante ampliar o acesso global às vacinas contra a Covid-19 para o combate à pandemia.

As pastas ressaltaram que já foram distribuídas doses suficientes para a vacinação de todos os grupos previstos inicialmente no plano nacional de vacinação, bem como as doses de reforço para a população de mais de 18 anos.

Desta forma, consideraram que o Brasil teria condições de colaborar com a imunização em países ainda com baixa cobertura vacinal.

Fonte: CNN

Continuar lendo SENADO APROVA MP QUE AUTORIZA GOVERNO FEDERAL DOAR VACINA CONTRA COVID-19 PARA OUTROS PAÍSES

SAÚDE: SIBA QUAIS OS 30 SINTOMAS MAIS PERSISTENTES DA COVID-19

Trinta sequelas e sintomas persistentes da Covid-19; confira a lista

Um dos estudos sobre o tema, publicado na e Clinical Medicine, revela que já foram identificados 203 sintomas associados à Covid de longa duração

Bárbara Cruz

da CNN

Entre as sequelas mais comuns da Covid-19, médicos apontam fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitivaEntre as sequelas mais comuns da Covid-19, médicos apontam fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitivaGetty Images

A infecção pela Covid-19 até pode ser assintomática, mas isso não a impede de deixar marcas. De acordo com as informações mais recentes, são aqueles pacientes que tiveram a doença em níveis mais graves que possuem maior probabilidade de ficar com prevalência de sintomas e sequelas após serem contagiados com o SARS-CoV-2.

Pessoas com casos mais leves da doença têm relatado dificuldades nas semanas ou meses seguintes à infecção.

“Ainda não tivemos tempo suficiente para perceber como vai ser esta evolução”, diz à CNN Portugal Andreia Leite, professora na Escola Nacional de Saúde Pública, que trabalha em um estudo que irá avaliar a persistência da ‘covid longa’ em Portugal.

“Tem ocorrido grande dificuldade em definir a covid longa”, admite, bem como as sequelas que ficam em uma “condição pós-covid”.

“A condição pós-covid é um diagnóstico de exclusão”, assinala ainda a investigadora. “Se alguém teve covid e começa com determinado sintoma é preciso perceber se é, de fato, esta a justificação, até porque existe um conjunto de outras causas para estes vários sintomas, o que torna a abordagem mais difícil”, resume.

“Este processo não pode ser deixado para as agências, prestadores de cuidados de saúde ou investigadores, mas requer vasta discussão, incluindo, nomeadamente, as pessoas afetadas.”

Sequelas e sintomas

Segundo uma revisão de estudos sobre a ‘long covid’, que estima que as sequelas da doença a longo prazo terão um impacto substancial na saúde pública, existem mais de 50 sintomas distintos relatados pós-infecção por covid-19, sendo os mais prevalentes a fadiga e dificuldades respiratórias, seguidas por perturbações do olfacto e paladar, cefaleias, dor no peito, névoa mental e perda de memória, bem como perturbações do sono.

Confira uma lista de 30 dos sintomas relatados e, se for o seu caso, marque uma consulta.

  • Fadiga
  • Dor de cabeça
  • Dificuldades respiratórias
  • Dor de garganta
  • Lesões pulmonares
  • Dor no peito
  • Tosse persistente
  • Dor muscular e articular
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Insônias
  • Dificuldade de concentração
  • Névoa mental
  • Perda de memória
  • Perda de olfacto
  • Perda de paladar
  • Irritações cutâneas
  • Perda de apetite
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Refluxo gastroesofágico
  • Diarreia
  • Incontinência urinária e fecal
  • Alterações no ciclo menstrual
  • Queda de cabelo
  • Arrepios
  • Suor abundante
  • Arritmias e palpitações cardíacas
  • Inflamação do miocárdio
  • Edema dos membros

A “condição pós-covid”

Bernardo Gomes, médico de Saúde Pública, lembra a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), que considera “condição pós-covid” os sintomas que surgem três meses após infecção, que duram pelo menos dois meses e não podem ser explicados por um diagnóstico alternativo.

Para o especialista, é importante, em termos de sequelas, dissociar aquelas que são efetivamente decorrentes da Covid-19 e outras que possam surgir de circunstâncias de doença mental ou até decorrentes de alterações de estilos de vida determinados pelas medidas pandêmicas.

Segundo os estudos mais recentes, sintomas pós-covid são mais comuns em adultos do que em crianças e mais habituais em doentes não vacinados do que em pessoas que tomaram a vacina.

“E há outra circunstância: pessoas que podem não ter nada na fase pós-aguda e aparecem com quadros, passado algum tempo, que se encaixam na possibilidade de long covid”, acrescenta Bernardo Gomes.

Entre as sequelas mais comuns da Covid-19, o médico aponta fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitiva. “No entanto, temos outros quadros de afecção do sistema nervoso.

Na prática, as suas consequências traduzem-se em alterações inesperadas do ritmo cardíaco, arritmias, disfunções do sistema digestivo que persistem”. O médico lembra ainda que há doenças cujo número de casos parece ter aumentado no pós-covid, nomeadamente a diabetes, fenômeno que se considera agora estar ligado a uma resposta autoimune exacerbada ao SARS-CoV-2, mas que ainda terá de ser devidamente aprofundado.

“Não jogamos contra um único inimigo, jogamos contra o vírus e as suas questões agudas mas também contra uma reação imunitária exagerada que chegou a causar mortes. E ainda um terceiro inimigo, que deriva do segundo, percebemos que existem reações desreguladas ao vírus que podem ter um eco futuro e não se percebem num primeiro momento”, frisa o especialista de Saúde Pública.

“Infelizmente, vamos tendo cada vez mais casos destes, a expectativa é de que venha muita gente a ser afetada, ainda vai ter um impacto social importante”.

O mesmo diz a investigadora Andreia Leite: “É esperado que haja algum impacto do ponto de vista social e econômico, para além do impacto nos serviços de saúde”, refere, acrescentando que ainda não existe uma “imagem clara” da frequência da Covid-19 a longo prazo e suas sequelas, mas que serão certamente precisos muitos recursos para a “marcha diagnóstica” necessária nestes casos, que incluem a realização de exames complementares ou referenciação dos doentes para diferentes especialidades.

A professora da Escola Nacional de Saúde Pública lembra ainda que estas sequelas e sintomas do pós-covid são geralmente mais frequentes em doentes hospitalizados ou que tiveram doença grave e, em alguns casos, resolvem-se espontaneamente, mas em outros acabam por persistir “por um período longo e com impacto no dia a dia, na qualidade de vida, na diminuição das horas de trabalho ou obrigando a ter funções revistas”.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, entre 10% a 20% das pessoas que tiveram Covid-19 sofrem de sintomas após recuperarem da fase aguda da infecção, uma condição “imprevisível e debilitante” que afeta também a saúde mental.

E um estudo publicado na eClinicalMedicine revela mesmo que já foram identificados 203 sintomas associados à covid de longa duração e que envolvem 10 órgãos diferentes do corpo humano. O estudo foi realizado com dados de 56 países e envolveu mais de três mil pessoas, tendo concluído que 56 dos 203 sintomas identificados persistiram por sete meses.

Continuar lendo SAÚDE: SIBA QUAIS OS 30 SINTOMAS MAIS PERSISTENTES DA COVID-19

SEGUNDO PESQUISA, BRASILEIROS AINDA SE MOSTRAM CAUTELOSOS EM ABRIR MÃO DO USO DE MÁSCARA DE PROTEÇÃO CONTRA COVID-19

Maioria dos brasileiros mantém máscara em viagens e supermercados, diz pesquisa

Pelo menos 70% dos entrevistados afirmaram que continuariam a frequentar supermercados e a viajar de avião ou ônibus de máscara

Lucas RochaCarolina Figueiredo

da CNN

em São Paulo

Supermercado no Rio de JaneiroSupermercado no Rio de JaneiroTânia Rêgo/Agência Brasil

O uso de máscaras como medida de prevenção à Covid-19 deixou de ser obrigatório em todos os estados e no Distrito Federal. No entanto, os brasileiros ainda se mostram cautelosos em abrir mão do item de proteção facial.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Instituto FSB Pesquisa, pelo menos 70% dos entrevistados afirmaram que continuariam a frequentar supermercados e a viajar de avião ou ônibus de máscara.

A pesquisa ouviu 2.015 pessoas, com 16 anos ou mais, em todos os estados e no Distrito Federal, entre 1º e 5 de abril.

A maioria dos entrevistados afirmou que manteria o uso de máscaras em supermercados (73%), viagens de ônibus ou avião (70%), no comércio de rua (64%), nos shoppings (61%) e no trabalho (59%). O índice fica acima de 40% em atividades como cinemas, bares, restaurantes, shows e academias.

A pesquisa aponta que, nos últimos seis meses, o número de pessoas que usam máscaras em lugares abertos e fechados caiu quase pela metade – passou de 55% em novembro de 2021 para 29% em abril deste ano – enquanto houve um aumento entre os adeptos apenas em lugares fechados (de 40% para 53%). Já 17% disseram que não estão usando mais máscaras contra 4% em novembro de 2021.

“É precoce dizer que o uso das máscaras continuará a ser um padrão entre os brasileiros mesmo com o fim da obrigatoriedade. Os índices de contaminação e óbitos por Covid-19 estão muito presentes na memória da população. Precisamos continuar a avaliar esse comportamento nos próximos meses”, diz o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, em comunicado.

A pesquisa também aponta uma grande adesão à vacinação contra a Covid-19 no país. Entre os entrevistados, 95% afirmaram ter recebido pelo menos uma dose – e a maioria (82%) pretende tomar a dose de reforço e completar o esquema vacinal. De acordo com a pesquisa, para 33% da população o medo de conviver com pessoas não vacinadas é considerado grande ou muito grande.

Fonte: CNN

Continuar lendo SEGUNDO PESQUISA, BRASILEIROS AINDA SE MOSTRAM CAUTELOSOS EM ABRIR MÃO DO USO DE MÁSCARA DE PROTEÇÃO CONTRA COVID-19

POTIGUAR QUE FEZ TRANSPLANTE DE PULMÃO RECEBE ALTA DEFINITIVA DO HOSPITAL E MÉDICOS CONSIDERAM UM MILAGRE

Por g1 RN

 

Ana Raiane com o marido e os filhos — Foto: Arquivo da famíliaAna Raiane com o marido e os filhos — Foto: Arquivo da família

Foram 60 dias respirando com auxílio de pulmão artificial (ECMO) por causa de complicações da Covid, um transplante de pulmão, e mais de 8 meses internada em São Paulo. Após essa longa jornada, a potiguar Ana Raiane dos Santos, de 32 anos, recebeu alta definitiva do Hospital Albert Einstein, na capital paulista, e voltou para casa em São Vicente, no interior do RN, nesta segunda (25).

“Deus está me abençoando com minha volta pra casa. Recebi minha alta definitiva. Estou muito bem graças a Deus, meu pulmãozinho está guardado, está sendo bem cuidado e agora eu vou ter a oportunidade de cuidar da minha família, dos meus filhos, da minha casa”, disse Ana.

Para o cirurgião cardiovascular especialista em ECMO, Dr. Renato Max, que implantou o pulmão artificial em Raiane, a recuperação dela é um ‘exemplo de resiliência e coragem’.

“Mesmo diante de todas as dificuldades, o medo de ir pra SP, ela foi, quis lutar contra essa doença, e venceu. A gente tem convicção de que presenciou um milagre. Um milagre conduzido pela fé da Raiane, pela fé da equipe, pela força de vontade dela e também da família”.

Ele explicou que Ana Raiane só precisará ficar indo a São Paulo de 3 em 3 meses para exames mais complexos e avaliação da equipe transplantadora. Em Natal, ela terá acompanhado médico especializado, e ficará fazendo exames de rotina, provavelmente no Hospital Onofre Lopes.

Relembre o caso

Ana Raiane foi diagnosticada com Covid em maio de 2021, quando estava grávida. Após o nascimento da filha na maternidade Januácio Cicco, em Natal, teve uma piora no quadro e precisou ser intubada. Quando a situação se agravou, foi necessário o tratamento com ECMO, em manejo liderado pelo cirurgião cardiovascular Renato Max e pelo intensivista Hugo Paiva. Os dois médicos também foram os responsáveis por conseguir a vaga para a continuidade do tratamento no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Após 60 dias com o suporte respiratório da ECMO, ela seguiu em agosto para a capital paulista com o marido, Carlos Henrique, que fez campanha nas redes sociais para conseguir custear o necessário para o tempo previsto de tratamento da esposa, que seria, a princípio, de um ano. A equipe médica de Natal se responsabilizou por custear o equivalente à hospedagem em São Paulo por sete meses. O restante necessário (para transporte e alimentação) que era exigido pelo serviço social do transplante pulmonar foi conseguido através das doações, rifas e outros meios que a família buscou.

Em São Paulo, a equipe que assumiu o caso, chefiada pelo cirurgião torácico Marcos Samano, chegou a retirar a ECMO da paciente, mas ela, assim como já havia acontecido em Natal, não suportou ficar sem o aparelho, e foi necessário reimplantar e aguardar pelo transplante.

No dia 31 de agosto, apareceu um doador compatível, e foi feita a cirurgia de imediato. Após alguns dias, a ECMO foi retirada, e ela se manteve com respirador mecânico, que foi removido da paciente após algumas semanas. Atualmente, Ana Raiane respira sem ajuda de nenhum equipamento ou oxigênio suplementar.

No final do ano, a equipe médica que acompanhava o caso liberou o retorno de Ana Raiane a São Vicente, no interior do Rio Grande do Norte, como um “presente de Natal”, para que ela possa ver a filha mais uma vez. O último encontro com a bebê de sete meses havia acontecido no leito da UTI da Promater, em Natal, no dia 7 de agosto.

Em janeiro Ana Raiane voltou para São Paulo e continuou em tratamento pós-transplante, com fisioterapia respiratória e motora, fonoaudiologia e avaliação da função pulmonar. Ela retornará para a capital paulista no dia 12 de janeiro, e deve permanecer lá até a alta definitiva – o que ainda não há previsão para acontecer.

A potiguar é uma das oito pessoas no Brasil que fizeram transplante de pulmão em decorrência do agravamento da Covid-19. Desse grupo, quatro sobreviveram. “É, portanto, um dos poucos casos de sucesso no mundo de transplante pulmonar por síndrome de angústia respiratória ocasionada pelo vírus SARS-COV2”, destacam os médicos.

Continuar lendo POTIGUAR QUE FEZ TRANSPLANTE DE PULMÃO RECEBE ALTA DEFINITIVA DO HOSPITAL E MÉDICOS CONSIDERAM UM MILAGRE

MPMG APRESENTOU DENÚNCIA CONTRA FALSA ENFERMEIRA POR COMERCIALIZAR E APLICAR DOSES DE SUPOSTA VACINA CONTA COVID-19

MP denuncia falsa enfermeira por venda e aplicação de supostas vacinas para Covid

Caso aconteceu em Minas Gerais no início de 2021 e movimentou cerca de R$ 700 mil; outras cinco pessoas também foram denunciadas

Carolina Figueiredo

Daniela Mallmann

Tiago Tortella

da CNN

em São Paulo e Belo Horizonte

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou nesta terça-feira (19) que apresentou denúncia contra uma mulher que se passava por enfermeira e outras cinco pessoas envolvidas na comercialização e aplicação de supostas doses de vacinas contra a Covid-19.

O caso aconteceu no início de 2021, época em que apenas idosos e profissionais de saúde estavam recebendo imunizantes contra a doença, e centenas de pessoas teriam sido vítimas do golpe.

Porém, apenas duas entraram com representação em relação ao crime de estelionato. A denúncia do MPMG foi apresentada à Justiça no dia 8 de abril de 2022 pela 12ª Promotoria de Justiça Criminal de Belo Horizonte.

De acordo com o Ministério Público, os envolvidos movimentaram cerca de R$ 700 mil e responderão pelos crimes de associação criminosa, estelionato, lavagem de dinheiro, uso de documento falso e falsidade ideológica.

Além disso, também foi solicitado que as duas pessoas que realizaram a denúncia por estelionato recebam, no mínimo, R$ 2.280 e R$ 6.500, respectivamente, como reparação dos danos causados.

A denúncia explica que a mulher não tinha qualificação para exercer enfermagem, mas, mesmo assim, se passava por profissional da saúde e “preparava e aplicava substâncias por ela descritas como imunizantes contra a Covid-19, utilizando o nome do laboratório Pfizer, (…) quando, na realidade, a substância aplicada tratava-se de soro fisiológico”.

A defesa da “falsa enfermeira” afirmou à CNN que “não teve acesso à denúncia” e que se manifestará “oportunamente” no processo.

Ainda de acordo com o MPGM, ela também preenchia os cartões de vacinação das vítimas e assegurava entregar o comprovante a quem recebesse as aplicações.

A venda das supostas vacinas contra a Covid-19 eram feitas em nome da empresa Vaccinando, e a denunciada era apresentada como sua representante legal, embora não fosse.

O texto também destaca que ela passava às vítimas a própria conta bancária e também de parentes para os pagamentos, que eram feitos através de Pix, TED, depósito bancário e dinheiro em espécie.

Continuar lendo MPMG APRESENTOU DENÚNCIA CONTRA FALSA ENFERMEIRA POR COMERCIALIZAR E APLICAR DOSES DE SUPOSTA VACINA CONTA COVID-19

UTILIDADE PÚBLICA: VEJA ONDE SE VACINAR CONTRA COVID-19, GRIPE E SARAMPO DURANTE A SEMANA SANTA

Por g1 RN

 

Vacina contra a Covid — Foto: Wilson MorenoVacina contra a Covid — Foto: Wilson Moreno

A Prefeitura de Natal informou que a vacinação contra Covid, sarampo e a gripe vai ter programação alterada durante a Semana Santa, entre esta quinta-feira (14) e o domingo (17).

Nesta quinta, apenas os pontos extras aplicarão a vacina. Já na sexta-feira (15), todos os pontos ficarão fechados.

No sábado, a aplicação será feita apenas nos shoppings Midway e Partage Norte Shopping. E no domingo, a população poderá atualizar o esquema vacinal no Via Direta ou Nélio Dias (veja com mais detalhes mais abaixo).

“Nós decidimos manter essa vacinação ativa, embora com horário diferenciado, por entender que muitas pessoas ficam em casa e podem ter uma oportunidade a mais para garantir essa imunização”, explicou o secretário de Saúde de Natal, George Antunes.

Quem pode se vacinar?

Covid

  • Em Natal, qualquer pessoa a partir de 5 anos pode se vacinar contra a Covid.

Gripe (influenza)

  • O público da Influenza nesta etapa da campanha é formado por trabalhadores da área da saúde e idosos a partir dos 60 anos.

Sarampo

  • A vacina contra o sarampo está disponível inicialmente para profissionais da saúde.

Locais e horários

Quinta-feira Santa (14)

  • Via Direta das 9h às 21h
  • Nélio Dias 09h às 16h
  • Midway Mall das 10h às 17h
  • Partage Norte Shopping das 14h às 20h
  • Comjol Roberto Freire das 09h às 16h
  • Praia Shopping das 09h às 14h

Sexta-feira da Paixão (15)

  • Fechado em todos os pontos; não há vacinação.

Sábado (16)

  • Midway Mall das 10h às 17h
  • Partage Norte Shopping das 14h às 20h

Domingo de Páscoa (17)

  • Via Direta das 9h às 21h
  • Nélio Dias 09h às 16h
Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: VEJA ONDE SE VACINAR CONTRA COVID-19, GRIPE E SARAMPO DURANTE A SEMANA SANTA

PANDEMIA DE COVID-19 CONTRIBUIU PARA O AUMENTO DE CASOS DE ANSIEDADE E DEPRESSÃO NA POPULAÇÃO

Escola tem papel importante para identificar ansiedade em jovens, diz psiquiatra

À CNN, Guilherme Polanczyk afirmou que casos de crises de ansiedade coletiva, como observado em Recife, são atípicos

Amanda GarciaBruna Sales

da CNN

em São Paulo

Pandemia de Covid-19 contribuiu para o aumento de casos de ansiedade e depressão na populaçãoPandemia de Covid-19 contribuiu para o aumento de casos de ansiedade e depressão na população Pedro Amora/Prefeitura de Jundiaí

Falta de ar, tremor e crise de choro foram alguns dos sintomas que afetaram 26 estudantes no dia 8 de abril, na escola Ageu Magalhães, no Recife. Um episódio de crise de ansiedade coletiva é “uma situação atípica”, de acordo com o professor de psiquiatria da infância e adolescência da Universidade de São Paulo (USP), Guilherme Polanczyk.

“Quando olhamos alguém em crise, ficamos ansiosos, é uma situação aguda e intensa, é muito particular, só podemos fazer hipóteses sobre o que aconteceu, eventualmente é que todos foram expostos a uma situação extrema de estresse e provavelmente já tinham alguma fragilidade emocional”, afirmou Polanczyk à CNN.

De acordo com Polanczyk, diversos fatores contribuem para evolução de quadros de ansiedade, “situações do ambiente, da família, da escola, exposições a situações traumáticas contam muito”. O psiquiatra reforçou que identificar os casos precocemente é essencial para que a criança ou adolescente receba acompanhamento médico.

“A ansiedade e depressão são experiências emocionais que as pessoas muitas vezes não compartilham com quem está a sua volta, mas medo e preocupação aparecem no comportamento, pais precisam estar sintonizados para identificar esses comportamentos”.

“A escola também tem papel muito importante, ela promove o desenvolvimento de pessoas, saúde mental é parte fundamental para esse desenvolvimento, para que tenham essa ideia de promoção de saúde mental, identificação de problemas”, completou.

O especialista ainda reforçou que há estudos nacionais e internacionais que apontam que o período mais agudo da pandemia de Covid-19 contribuiu para o aumento de casos de ansiedade e depressão na população em geral, e em especial em jovens.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a prevalência global de ansiedade e depressão aumentou 25% no primeiro ano da pandemia. O levantamento aponta que jovens e mulheres foram os mais atingidos.

Continuar lendo PANDEMIA DE COVID-19 CONTRIBUIU PARA O AUMENTO DE CASOS DE ANSIEDADE E DEPRESSÃO NA POPULAÇÃO

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

Por Igor Jácome, g1 RN

 

Leitos de UTI no RN Rio Grande do Norte — Foto: Divulgação Leitos de UTI no RN Rio Grande do Norte — Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte completou 10 dias sem registrar nenhuma nova morte por Covid-19, nesta segunda-feira (11). A informação foi confirmada ao g1 RN pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

O último boletim que registra uma morte confirmada no período de 24 horas anteriores foi do dia 1º de abril, em Parelhas. Esse é o único óbito notificado dentro do mês de abril, de acordo com o governo.

No boletim lançado no final da manhã desta segunda (11), a pasta apontou mais um período de 24 horas sem notificações de novas mortes.

O estado teve 8.153 óbitos causados pela doença desde o início da pandemia, em março de 2020, segundo o boletim mais atualizado.

Embora haja uma diferença de 33 óbitos entre os dados oficiais do dia 1º de abril e os desta segunda (11), a Sesap afirmou que as mortes incluídas no total de óbitos ocorreram 2021 e que só foram confirmadas posteriormente.

“Os óbitos registrados neste período em boletim são referentes ao ano de 2021, identificados a partir de apurações conduzidas pelo Comitê de Investigação de Óbitos da Sesap”, disse em nota.

O estado também registra a menor taxa de ocupação de leitos, com 9,2% das UTIs com casos confirmados ou suspeitos de Covid-19. Atualmente a rede dispõe de 89 leitos de UTI e 107 leitos clínicos.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

CIÊNCIAS: ESTUDO DE HARVARD DEMONSTRA QUE RESPIRAR PROFUNDAMENTE PODE COMBATER VÍRUS

Um estudo de Harvard demonstrou que os meros movimentos da respiração, conhecidos por influenciar as funções vitais dos pulmões, incluindo a manutenção do tecido saudável, quando em padrão constante de alongamento e relaxamento faz ainda mais – gera respostas imunes contra vírus invasores, como o COVID-19. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes desse estudo.

Humanos podem combater vírus respirando profundamente – estudo de Harvard mostra como funciona

A pessoa média terá mais de 600 milhões de respirações ao longo de sua vida. Cada respiração estica os tecidos dos pulmões a cada inspiração e os relaxa a cada expiração. Os meros movimentos da respiração são conhecidos por influenciar as funções vitais dos pulmões, incluindo a manutenção do tecido saudável.

Agora, uma nova pesquisa do Wyss Institute da Universidade de Harvard revelou que esse padrão constante de alongamento e relaxamento faz ainda mais – gera respostas imunes contra vírus invasores, como o COVID-19.

Usando um ‘Chip de Pulmão Humano’ que replica as estruturas e funções do saco de ar do pulmão, ou “alvéolo”, a equipe de pesquisa descobriu que, aplicando forças mecânicas que imitam os movimentos respiratórios, eles podem suprimir a replicação do vírus da gripe, enquanto ativam o sistema imunológico protetor inato. respostas.

“Esta pesquisa demonstra a importância dos movimentos respiratórios para a função pulmonar humana, incluindo respostas imunes à infecção, e mostra que nosso chip de alvéolo humano pode ser usado para modelar essas respostas nas porções profundas do pulmão, onde as infecções geralmente são mais graves e levam à hospitalização e à morte”, disse o co-primeiro autor Haiqing Bai, Ph.D., um bolsista de desenvolvimento de tecnologia Wyss no Instituto. Os resultados foram publicados esta semana na Nature Communications.

Criando uma gripe em um chip

Como as fases iniciais da pandemia de COVID-19 deixaram dolorosamente claro, o pulmão é um órgão vulnerável onde a inflamação, em resposta à infecção, pode gerar uma “tempestade de citocinas” que pode ter consequências mortais. No entanto, os pulmões também são muito complexos e é difícil replicar suas características únicas no laboratório. Essa complexidade dificultou a compreensão da ciência de como os pulmões funcionam nos níveis celular e tecidual, em estados saudáveis ​​e doentes.

Os Chips de Órgãos Humanos do Wyss Institute foram desenvolvidos para resolver esse problema e demonstraram replicar fielmente as funções de muitos órgãos humanos diferentes no laboratório, incluindo o pulmão. Como parte de projetos financiados pelo NIH e DARPA desde 2017, os pesquisadores da Wyss têm trabalhado na replicação de várias doenças em Lung Airway e Alveolus Chips para estudar como os tecidos pulmonares reagem a vírus com potencial pandêmico e testar possíveis tratamentos.

Durante seu doutorado treinando, Bai estudou doenças que afetam os minúsculos sacos de ar dentro dos pulmões, onde o oxigênio é rapidamente trocado por dióxido de carbono. Essa fundação o preparou para enfrentar o desafio de recriar uma infecção de gripe em um Alveolus Chip para que a equipe pudesse estudar como esses espaços pulmonares profundos montam respostas imunes contra invasores virais.

Microestrutura de alvéolos pulmonares humanos pelo Instituto Wyss da Universidade de Harvard 

Bai e sua equipe primeiro alinharam os dois canais microfluídicos paralelos de um Organ Chip com diferentes tipos de células humanas vivas – células pulmonares alveolares no canal superior e células dos vasos sanguíneos pulmonares no canal inferior – para recriar a interface entre os sacos aéreos humanos e seus capilares de transporte de sangue. Para imitar as condições que os alvéolos experimentam no pulmão humano, o canal revestido por células alveolares foi preenchido com ar, enquanto o canal do vaso sanguíneo foi perfundido com um meio de cultura fluido contendo nutrientes que normalmente são fornecidos pelo sangue. Os canais foram separados por uma membrana porosa que permitiu que as moléculas fluíssem entre eles.

Estudos anteriores do Wyss Institute estabeleceram que a aplicação de alongamento cíclico em Alveolus Chips para imitar os movimentos respiratórios produz respostas biológicas que imitam as observadas in vivo. Isso é feito aplicando sucção em câmaras laterais ocas adjacentes aos canais fluídicos revestidos de células para esticar e relaxar ritmicamente os tecidos pulmonares em 5%, que é o que os pulmões humanos normalmente experimentam a cada respiração.

Quando a equipe infectou esses chips de alvéolos “respiradores” com influenza H3N2, introduzindo o vírus no canal de ar, eles observaram o desenvolvimento de várias características conhecidas da infecção por influenza, incluindo a quebra de junções entre as células, um aumento de 25% na morte celular, e o início de programas de reparo celular. A infecção também levou a níveis muito mais altos de múltiplas citocinas inflamatórias no canal dos vasos sanguíneos, incluindo o interferon tipo III, uma defesa natural contra a infecção viral que também é ativada em estudos de infecção por gripe in vivo.

Além disso, as células dos vasos sanguíneos dos chips infectados expressaram níveis mais altos de moléculas de adesão, o que permitiu que as células imunes, incluindo células B, células T e monócitos no meio de perfusão, se ligassem às paredes dos vasos sanguíneos para ajudar a combater a infecção. Esses resultados confirmaram que o Alveolus Chip estava montando uma resposta imune contra o H3N2 que recapitulou o que acontece no pulmão de pacientes humanos infectados pelo vírus da gripe.

Concentre-se em sua respiração

A equipe então realizou o mesmo experimento sem movimentos respiratórios mecânicos. Para sua surpresa, os chips expostos a movimentos respiratórios tiveram 50% menos mRNA viral em seus canais alveolares e uma redução significativa nos níveis de citocinas inflamatórias em comparação aos chips estáticos. A análise genética revelou que a cepa mecânica ativou vias moleculares relacionadas à defesa imunológica e múltiplos genes antivirais, e essas ativações foram revertidas quando o alongamento cíclico foi interrompido.

“Esta foi a nossa descoberta mais inesperada – que o estresse mecânico por si só pode gerar uma resposta imune inata no pulmão”, disse o co-primeiro autor Longlong Si , Ph.D., ex-bolsista de desenvolvimento de tecnologia da Wyss que agora é professor na Universidade de Shenzhen. Instituto de Tecnologia Avançada na China.

Sabendo que às vezes os pulmões sofrem mais de 5% de tensão, como no distúrbio pulmonar obstrutivo crônico (DPOC) ou quando os pacientes são colocados em ventiladores mecânicos, os cientistas aumentaram a tensão para 10% para ver o que aconteceria. A cepa mais alta causou um aumento nos genes e processos da resposta imune inata, incluindo várias citocinas inflamatórias.

“Como o nível de tensão mais alto resultou em maior produção de citocinas, isso pode explicar por que pacientes com doenças pulmonares como DPOC sofrem de inflamação crônica e por que os pacientes que são colocados em ventiladores de alto volume às vezes sofrem lesão pulmonar induzida pelo ventilador”, explicou Si.

Os cientistas então deram um passo adiante, comparando as moléculas de RNA presentes nas células dentro dos Chips Alveolus tensos versus estáticos para ver se eles poderiam identificar como os movimentos respiratórios estavam gerando uma resposta imune. Eles identificaram uma proteína de ligação ao cálcio, chamada S100A7, que não foi detectada em chips estáticos, mas altamente expressa em chips tensos, sugerindo que sua produção foi induzida por estiramento mecânico. Eles também descobriram que o aumento da expressão de S100A7 regulava positivamente muitos outros genes envolvidos na resposta imune inata, incluindo múltiplas citocinas inflamatórias.

Com base nesse resultado promissor, a equipe infectou Chips Alveolus com o vírus H3N2 e administrou o medicamento azeliragon em sua dose terapêutica duas horas após a infecção.

Este medicamento bloqueou significativamente a produção de citocinas inflamatórias – um efeito que foi ainda mais aprimorado quando eles adicionaram o medicamento antiviral molnupiravir (que foi recentemente aprovado para pacientes com COVID-19) ao regime de tratamento.

No entanto, embora o azeliragon seja um medicamento anti-inflamatório promissor, os cientistas alertaram que são necessários mais estudos para determinar um regime de tratamento seguro e eficaz em humanos.

Enquanto isso, a respiração robusta é algo que todos podemos fazer ao longo de qualquer estação para promover uma boa saúde.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: ESTUDO DE HARVARD DEMONSTRA QUE RESPIRAR PROFUNDAMENTE PODE COMBATER VÍRUS

CRIANÇAS QUE RECEBERAM VACINA ERRADA CONTRA COVID-19 NO PERNAMBUCO ESTÃO SENDO MONITORADAS PELAS AUTORIDADES DE SAÚDE DO ESTADO

Crianças recebem vacina errada contra a Covid-19 em Pernambuco

Dose da Janssen foi aplicada erroneamente em 41 crianças; seis apresentaram efeitos colaterais mais fortes, e todas serão monitoradas

Diego Barros

da CNN

em Pernambuco

Equipes de saúde do governo de Pernambuco acompanham 41 crianças que receberam, de forma equivocada, doses da vacina contra a Covid-19 da Janssen no município de Afogados da Ingazeira (PE).

Segundo informações estaduais e municipais, seis dessas crianças apresentaram efeitos colaterais mais fortes, como náuseas e vômitos. Todas as 41 serão monitoradas pelos próximos 30 dias por autoridades de saúde, que devem monitorar a resposta do organismo à dose não recomendada para crianças.

No Brasil, crianças entre 5 e 11 anos podem ser imunizadas com duas doses infantis da Pfizer; já a Coronavac pode ser utilizada na faixa etária de 6 a 11 anos. Ambas possuem a aprovação e a segurança atestada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A secretaria de Saúde de Pernambuco afirmou que crianças que receberam a vacina errada como 1ª dose deverão retornar, em 60 dias, para receberem a 2ª dose da Pfizer. Já aquelas que buscavam completar o ciclo vacinal e tomaram a Janssen como 2ª dose já são consideradas completamente imunizadas.

Segundo a prefeitura de Afogados da Ingazeira, a servidora responsável pelo erro foi afastada de suas funções e deverá responder a um inquérito administrativo.

Fonte: CNN

Continuar lendo CRIANÇAS QUE RECEBERAM VACINA ERRADA CONTRA COVID-19 NO PERNAMBUCO ESTÃO SENDO MONITORADAS PELAS AUTORIDADES DE SAÚDE DO ESTADO

PONTO INTINERANTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 DO SESC ESTARÁ QUINTA-FEIRA (7) EM FRENTE AO PRAIA SHOPPING DE NATAL

Por g1 RN — Natal

 

Unidade móvel do Sesc inicia vacinação em Natal na quinta-feira (7) — Foto: Divulgação/SMSUnidade móvel do Sesc inicia vacinação em Natal na quinta-feira (7) — Foto: Divulgação/SMS

A unidade móvel do Serviço Social do Comércio (Sesc) inicia nesta quinta-feira (7) a vacinação contra Covid em Natal. O ponto itinerante estará em frente ao Praia Shopping, localizado na Zona Sul da capital potiguar, a partir das 10h30.

Pode se vacinar qualquer pessoa a partir de 12 anos. O atendimento será feito de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, com aplicação da primeira, segunda, terceira ou quarta dose dos imunizantes.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o objetivo é aplicar até 150 vacinas por dia na unidade, ampliando a cobertura vacinal e atendendo especialmente localidades com demanda reprimida na capital. A estrutura do Sesc fica até 6 de maio no Praia Shopping.

A unidade móvel foi adequada pelo Sesc e conta com uma sala de vacina e recepção de espera, além de enfermeira e técnico de enfermagem na equipe.

Para conferir os públicos em vacinação, documentação necessária e informações oficiais sobre a vacinação basta acessar a plataforma Vacina Natalvacina.natal.rn.gov.br.

Continuar lendo PONTO INTINERANTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 DO SESC ESTARÁ QUINTA-FEIRA (7) EM FRENTE AO PRAIA SHOPPING DE NATAL

INCLUSÃO DO PRIMEIRO MEDICAMENTO CONTRA COVID-19 NO SUS É RECOMENDADO PELO CONITEC

Órgão do governo recomenda inclusão no SUS do 1º medicamento para tratar Covid

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde, órgão do Ministério da Saúde, recomendou a inclusão do “baricitinibe” contra a Covid-19

Ingrid Oliveira

da CNN

Towfiqu barbhuiya/Unsplash

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), órgão do Ministério da Saúde, recomendou a inclusão do primeiro medicamento para tratar a Covid-19 no SUS.

Na edição desta quinta-feira (31) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou que o remédico já foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em setembro de 2021, e que já é usado para o tratamento de artrite.

“Sabemos que há necessidade de manejar um processo inflamatório, esse medicamento tem um papel importante na modulação. O que se observou, é que ele tem impacto no tratamento contra a Covid”, disse Gomes.

O Olumiant (baricitinibe), da farmacêutica Eli Lilly, é indicado para o tratamento da Covid-19 em pacientes adultos hospitalizados que necessitam de oxigênio por máscara ou cateter nasal, ou que necessitam de alto fluxo de oxigênio ou ventilação não invasiva.

Segundo o neurocirugião, a utilização hospitalar acaba sendo importante. “A grande novidade aqui é que o SUS reconhece o medicamento e disponibiliza para o tratamento de pacientes de Covid. Existe todo um processo de protocolo assistencial e orçamento”, explicou o médico.

A aprovação foi baseada em dois estudos clínicos randomizados, duplo-cegos, controlados por placebo envolvendo cerca de 2.500 pacientes no mundo. O estudo COV-BARRIER, que avaliou Olumiant de 4mg em comparação com placebo, demonstrou uma redução potencial de 38% da mortalidade em 28 dias de tratamento.

Gomes também falou sobre a aprovação do segundo medicamento oral contra Covid. “O medicamento é recomendaro para adultos sem oxigênio suplementar e com risco de Covid grave”, explicou.

A autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimentaldo medicamento Paxlovid (nirmatrelvir + ritonavir) para tratamento da Covid-19 aconteceu após decisão da Diretoria Colegiada da agência.

O neurocirugião, no entanto, ressaltou que os medicamentos são reforços contra a Covid, não preventivos.

“A vacina é algo universal que ajuda todo mundo desenvolver anticorpos e combater o vírus. O uso desses [dois] medicamentos não substitui a ideia universal da vacinação”, explica Gomes.

Fonte: CNN

Continuar lendo INCLUSÃO DO PRIMEIRO MEDICAMENTO CONTRA COVID-19 NO SUS É RECOMENDADO PELO CONITEC

GOVERNO DE SÃO PAULO VAI AMPLIAR VACINAÇÃO DA 4ª DOSE DA COVID-19 PARA IDOSOS A PARTIR DE 60 ANOS EM ABRIL

São Paulo vai aplicar quarta dose em idosos acima de 60 anos a partir de 5 de abril

Estado começou a vacinar idosos acima dos 80 anos

Ingrid Oliveira

Gabriela Ghiraldelli

da CNN

Pedro Amora/Prefeitura de Jundiaí

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou neste domingo (27), que irá ampliar a vacinação da quarta dose da Covid-19 para idosos a partir dos 60 anos a partir do dia 5 de abril em todo o estado.

O anúncio foi feito em um posto de vacinação no Parque Villa-Lobos, durante as ações do “Domingão da Vacinação”. A decisão foi uma recomendação do Comitê Científico de São Paulo.

Segundo a Coordenadora do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula, este anúncio é um importante passo para proteger a população, principalmente os idosos acima de 60 anos de idade.

Ela disse ainda que “São Paulo é líder em vacinação no Brasil com mais de 104 milhões de doses aplicadas e mais de 90% da população com duas doses”, afirmou.

O estado já aplica a quarta dose da vacina em idosos acima dos 80 anos desde 21 de março.

Segundo o governo, a decisão de ampliação levou em consideração o alto índice de mortalidade entre os idosos desta faixa etária durante a circulação da variante Ômicron.

Serão cerca 4,5 milhões de pessoas aptas a quarta dose. Para isso, é necessário que tenham recebido a dose de reforço (terceira dose) com um intervalo de quatro meses.

Continuar lendo GOVERNO DE SÃO PAULO VAI AMPLIAR VACINAÇÃO DA 4ª DOSE DA COVID-19 PARA IDOSOS A PARTIR DE 60 ANOS EM ABRIL

NATAL COMEÇOU A APLICAÇÃO DA D4 DA VACINA CONTRA COVID-19 EM IDOSOS A PARTIR DE 60 ANOS

Natal inicia aplicação da D4 em idosos

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Alex Régis/Prefeitura de Natal

A Prefeitura de Natal começou nesta sexta-feira (18) a aplicação da quarta dose de vacina contra a covid-19 em idosos a partir de 60 anos. Os idosos que podem receber uma dose do imunizante são aqueles que foram vacinados com a D3 há pelo menos quatro meses.

Além dos idosos, os imunossuprimidos também já podem a quarta dose da vacina contra a covid-19. Os imunizantes estão sendo aplicados nas unidades básicas de saúde e em outros pontos extras disponibilizados pela prefeitura.

Os extras locais são o Ginásio Nélio Dias, o Comjol da avenida Engenheiro Roberto Freire, a Feirinha da Árvore de Mirassol, além dos shoppings Partage, Midway e Via Direta.

Pontos extras de privacidade contra a covid-19 em Natal

Feira da árvore de Mirassol – 2ª edição: sexta (18) a domingo (20) das 16h às 21h;
Via Direta: segunda a sábado das 9h às 21h;
Nélio Dias: segunda a sexta das 08h às 15h, e sábado das 08h às 12h;
Midway Mall: segunda a sábado das 10h às 17h;
Partage Norte Shopping: segunda a sábado das 14h às 20h.
Comjol Roberto Freire: segunda a sexta das 09h às 16h, e sábado das 09h às 14h.

Continuar lendo NATAL COMEÇOU A APLICAÇÃO DA D4 DA VACINA CONTRA COVID-19 EM IDOSOS A PARTIR DE 60 ANOS

FARMÁCIAS DE NATAL COMEÇARAM A COMERCIALIZAR AUTOTESTES PARA COVID-19 AUTORIZADOS PELA ANVISA

Por Inter TV Cabugi

 

Autoteste de Covid em Natal (RN) em farmácia Rio Grande do Norte — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV CabugiAutoteste de Covid em Natal (RN) em farmácia Rio Grande do Norte — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

As farmácias em Natal começaram a comercializar nesta semana os autotestes de Covid. O produto é autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desde o janeiro e os laboratórios fornecedores são credenciados pelo Ministério da Saúde.

Os autotestes atuais que estão nas prateleiras são vendidos em média por R$ 59, valor cerca de R$ 30 mais barato que os testes que são realizados pelas próprias farmácias.

O produto vem com um o equipamento para o exame tipo Swab, semelhante ao teste rápido de antígeno das farmácias.

Após ser adquirido, ele pode ser feito em casa, sem a necessidade de um profissional. O produto vem com um cotonete para coleta nasal/bucal, e uma solução que vai indicar se há presença do vírus.

Como o teste é feito em casa, a recomendação é que caso ele dê positivo, o paciente procure uma unidade de saúde ou laboratório para realizar um novo teste comprovando o resultado, o que também vai notificar às secretarias de saúde para o monitoramento dos casos.

“Ele é indicado para clientes e pacientes com 1 a 7 dias de sintomas. E indicado também para clientes assintomáticos que tiveram contato com alguém infectado a partir do quinto dia”, explicou a farmacêutica Marília Gabriela.

Para comprar o teste, não é necessária solicitação médica.

“Não é necessária a indicação médica, nem receituário. É mais um teste controle, pra se fazer em casos de evento de família. Quanto mais rápido a população souber o diagnóstico, por mais que não seja um diagnóstico tão certo como o feito em laboratório, mas ele consegue que seja iniciado o tratamento para evitar danos futuros”, explicou o gerente de farmácia Franklin Ferreira.

Continuar lendo FARMÁCIAS DE NATAL COMEÇARAM A COMERCIALIZAR AUTOTESTES PARA COVID-19 AUTORIZADOS PELA ANVISA

FLEXIBILIZAÇÃO DE MEDIDAS PROTETIVAS CONTRA COVID-19 AINDA É ARRISCADO, ALERTA FIOCRUZ

Fiocruz alerta sobre riscos da flexibilização de medidas protetivas

Abandono do uso de máscara pode colaborar para o aumento do número de casos, óbitos e internações, por de Covid. Especialistas defendem ainda a aplicação de uma 4ª dose da vacina contra a Covid-19 para idosos a partir dos 70 anos

Isabelle Resende

da CNN

Rio de Janeiro

SP anuncia fim do uso obrigatório de máscaras para proteção contra o coronavírus em locais abertosSP anuncia fim do uso obrigatório de máscaras para proteção contra o coronavírus em locais abertosFoto: VINCENT BOSSON/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Nesta sexta-feira (11), data em que se completam dois anos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do novo coronavírus, o novo boletim do Observatório Fiocruz Covid-19 chama atenção para o relaxamento prematuro das medidas protetivas diante do cenário atual.

Segundo os pesquisadores do Observatório, responsáveis pelo boletim, é necessário ter prudência na adoção de qualquer medida de flexibilização, tanto pelo possível impacto do Carnaval e o potencial aumento de casos e internação, como pela “vacinação que avançou bastante, mas precisa ir além”.

Os pesquisadores defendem ainda a aplicação de uma 4ª dose da vacina contra a Covid-19 para idosos a partir dos 70 anos.

“Flexibilizar medidas como o distanciamento físico ou o abandono do uso de máscaras de forma irrestrita colabora para um possível aumento de casos, internações e óbitos, e não nos protege de uma nova onda”, afirmam os pesquisadores. Outra questão ressaltada é a do distanciamento físico, que voltou ao centro da atenção no momento atual, posterior ao feriado de carnaval.

“O aumento de casos, mesmo entre vacinados, aumenta a demanda de hospitalizações e possivelmente os óbitos. Atualmente, o ideal é voltarmos ao padrão do início da pandemia, quando recomendávamos fortemente o uso de máscaras, higienização de mãos e evitar as aglomerações”, explicam.

O boletim destaca que, durante a onda da Ômicron, os países que tinham maiores parcelas da população com dose de reforço apresentaram uma redução substancial das hospitalizações, mesmo com alta no número de casos de Covid-19.

Além disso, estratégias de saúde pública que ampliem a cobertura e vacinação também são necessárias – tais como o passaporte de vacinas nos locais de trabalho e ambientes fechados, combinado com o uso de máscaras nos locais em que não há um controle do total de vacinados ou em situações que envolvem grande concentração de pessoas.

Com metade dos óbitos ocorrendo em pessoas com no mínimo 78 anos, que possuem maior vulnerabilidade às formas graves e fatais da Covid-19, os pesquisadores defendem ainda a necessidade de aplicação de uma 4ª dose neste grupo, seis meses após a aplicação da dose de reforço.

Ao mesmo tempo em que casos graves são mais concentrados nas idades mais avançadas, cresce a contribuição de grupos mais jovens, principalmente de crianças, no quantitativo total de número de casos, como aponta o Boletim.

“A maior vulnerabilidade das crianças, provocada principalmente pela baixa adesão deste grupo à vacinação, compromete igualmente o grupo que se encontra no extremo oposto da pirâmide etária”, pontuam.

Casos e óbitos por Covid-19

Os dados referentes às duas últimas semanas epidemiológicas , de 20 de fevereiro a 5 de março, confirmam a tendência de queda nos indicadores de incidência e mortalidade por Covid-19.

O documento aponta que houve um decréscimo de 48% em relação aos casos diários das duas semanas anteriores (de 6 a 19 de fevereiro) e uma redução de 33% no número de óbitos por Covid-19 no mesmo período.

Entretanto, esses resultados ainda não incluem a avaliação do efeito do carnaval e da flexibilização do uso de máscaras. Houve um ligeiro aumento da taxa de letalidade nas últimas semanas, indicando que pode haver uma redução do número de casos, no entanto com maior gravidade entre esses.

Leitos de UTI para Covid-19

Os dados relativos às taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no SUS obtidos entre 7 e 8 de março confirmam a tendência de melhora no indicador verificada nas semanas anteriores. As duas Unidades Federativas que se encontravam na zona crítica (taxas iguais ou superiores a 80%) no dia 21 de fevereiro saíram da zona de alerta (taxas inferiores a 60%). A tendência foi semelhante à que ocorreu em nove Unidades da Federação que estavam em zona de alerta intermediária e passaram a estar fora da zona de alerta.

O único estado que se manteve na zona de alerta foi Santa Catarina, que apresentou um aumento de 19 pontos percentuais, passando de 60% de taxa de ocupação de leitos, em 21 de fevereiro, para 79% em 8 de março.

Em 11 Unidades da Federação, as taxas caíram de forma bastante expressiva, em torno de 20 pontos percentuais ou bem mais: Acre (60% para 40%), Amapá (40% para 24%), Bahia (58 para 31%), Ceará (58% para 36%), Distrito Federal (100% para 56%), Mato Grosso do Sul (82% para 44%), Mato Grosso (63% para 32%), Paraná (67% para 43%), Rio Grande do Norte (49% para 28%), Sergipe (78% para 49%) e Tocantins (65% para 26%).

Entre as capitais com taxas divulgadas, a cidade do Rio de Janeiro pode ser considerada dentro da zona de alerta crítico, com 87% dos seus leitos UTI Covid-19 ocupados para adultos; ou fora da zona de alerta com 4,7% dos leitos ocupados por pacientes com Covid-19 ativa, a depender do indicador utilizado, uma vez que os dados do estado são desagregados.

Quatro capitais encontram-se em alerta intermediário: Salvador (61%), Vitoria (67%), Goiânia (73%) e Porto Alegre (65%). Outras 16 capitais encontram-se fora da zona de alerta: Rio Branco (50%), Maceió (38%), Macapá (18%), Manaus (14%), Fortaleza (54%), Campo Grande (56%), Cuiabá (35%), João Pessoa (33%), Curitiba (46%), Recife (30%), Natal (15%), Porto Velho (39%), Florianópolis (26%), São Paulo (38%) e Palmas (30%). Os dados referentes às capitais Belém (PA), São Luís (MA), Teresina (PI), Boa Vista (RR) e Aracaju (SE) não estavam disponíveis para consulta.

Níveis de atividade e incidência de SRAG no país

As Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) permanecem em tendência de redução do número de casos no país, com uma taxa de incidência avaliada, pela média móvel, em 1,7 casos por 100 mil habitantes, o que é ligeiramente inferior aos valores observados em novembro de 2021, pouco antes do crescimento de ocorrências devido à variante Ômicron.

Os registros de SRAG correspondem a casos graves de infecções por vírus respiratórios que levam à hospitalização ou óbito. Dentre esses registros, predominam os casos de Covid-19 (87,4% dos casos positivos) nas últimas quatro semanas.

Todas as faixas etárias tiveram redução das incidências nas últimas semanas, com exceção das crianças até 11 anos de idade. Os pesquisadores observam que estes casos em crianças também incluem infecções por outros vírus respiratórios e podem estar relacionados ao período de volta às aulas.

No quadro geral, a taxa de incidência se mantém acima de um caso por 100 mil habitantes, o que ainda é considerada alta. “Entretanto, como a tendência é de redução, há uma perspectiva positiva, mas exige a manutenção de esforços para que esta queda continue sustentada por mais semanas. Permanece a importância da vacinação, inclusive com doses de reforço, combinadas com outras medidas de proteção, pelas esferas de governo e pela população”, orientam.

Fonte: CNN

Continuar lendo FLEXIBILIZAÇÃO DE MEDIDAS PROTETIVAS CONTRA COVID-19 AINDA É ARRISCADO, ALERTA FIOCRUZ

COMITÊ CIENTÍFICO DO RN RECOMENDA APLICAÇÃO DA 4ª DOSE DA VACINA CONTRA COVID-19 EM PESSOAS ACIMA DE 60 ANOS

Por g1 RN

 

Comitê Científico recomenda aplicação da quarta dose em idosos — Foto: Divulgação Prefeitura Municipal de PetrolinaComitê Científico recomenda aplicação da quarta dose em idosos — Foto: Divulgação Prefeitura Municipal de Petrolina

O Comitê Científico do Rio Grande do Norte publicou nesta terça-feira (8) uma nova carta de recomendações para o atual momento da pandemia no estado. Entre elas, está o início da aplicação da quarta dose da vacina contra a Covid em pessoas acima de 60 anos no estado.

Atualmente, os únicos autorizados a receberem a quarta dose no estado são os imunossuprimidos.

A carta de recomendações feita pelo comitê é encaminhada à Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) para servir de base para decisões do governo do RN.

Nesta terça, a pasta anunciou inclusive que vai adotar uma outra recomendação do comitê, que é a de retirar a obrigação do uso de máscaras em ambientes abertos a partir de 16 de março – a medida é obrigatória desde maio de 2020.

O Rio Grande do Norte apresentou neste início de março a menor taxa de transmissibilidade da Covid desde o início da pandemia.

Outras recomendações apresentadas no documento foram a manutenção da cobrança do passaporte vacinal, a retomada da atividade remota para grupos de risco, como idosos e gestantes, e a realização de uma busca ativa por pessoas que estão com a imunização atrasada.

Para as recomendações, o comitê considerou a melhora no quadro epidemiológico, com queda de casos, a baixa taxa de ocupação em UTIs e urgências e a baixa taxa de solicitação de leitos, mas alertou para a circulação da variante Ômicron BA.2, “com grande poder de transmissibilidade”.

O documento cita ainda que o RN ainda não atingiu 80% da população completamente vacinada para Covid-19 e tem menos de 40% do público alvo com a dose de reforço e “que os efeitos do carnaval de 2022 sobre o número de casos de Covid-19 ainda não estão claros”.

Segundo o comitê, as medidas sugeridas são necessárias para que o cenário epidemiológico “não evolua para um quadro de piora”.

Veja recomendações

  1. Exigir nos estabelecimentos públicos e privados o certificado de vacinação (ou documento similar), constando a aplicação das três doses para sua validação. Exceção nos casos (grupo etário) em que a terceira dose ainda não for aplicável;
  2. Iniciar a campanha de vacinação da D4 para idosos a partir de 60 anos e intensificar a campanha da D4 dos imunossuprimidos, que começou em janeiro;
  3. Os estabelecimentos de ensino da educação básica devem estimular pais e responsáveis a vacinar suas crianças e adolescentes e contribuir como local de vacinação de seus educandos, sobretudo com a retomada das atividades escolares das redes estadual e municipal;
  4. Os estabelecimentos de ensino da educação básica e superior devem adotar as normativas de biossegurança na retomada de suas atividades. Alunos e servidores com sintomas não devem ir aos estabelecimentos de ensino, mantendo isolamento por 10 dias. Crianças sintomáticas cujos pais não podem mantê-las em isolamento em casa, devem ficar em sala separada dos demais estudantes no período de aula, durante o período de transmissão;
  5. Reforçar o protocolo de gestantes e puérperas para Covid-19 e influenza no RN
  6. Realizar busca ativa da população que está atrasada em relação à segunda e terceira doses ou que ainda não foi vacinada;
  7. Reforçar a informação de que os grupos vulneráveis para desenvolver formas graves e morte continuam sendo os idosos, imunosuprimidos, gestantes e crianças e devem ser desenvolvidas atividades de proteção para esses grupos, assim como fluxo de atendimento direcionados, minimizando os riscos de contaminação nos pronto-atendimentos;
  8. Retomar atividades remotas para todos os sintomáticos e grupos de risco (idosos, gestantes etc);
  9. Promover testagem ampliada de todos os sintomáticos e testagem populacional estratificada;
  10. Tornar facultativo, a partir de 16 de março de 2022, o uso de máscara de proteção facial em ambientes abertos, mantendo a obrigatoriedade em espaços fechados ou espaços abertos com grandes aglomerações de pessoas;
  11. Reforçar o uso de máscaras faciais nos transportes públicos;
  12. Reforçar a comunicação acerca de que todo paciente sintomático respiratório deve realizar o distanciamento social e usar a máscara

Fonte: G1 RN

Continuar lendo COMITÊ CIENTÍFICO DO RN RECOMENDA APLICAÇÃO DA 4ª DOSE DA VACINA CONTRA COVID-19 EM PESSOAS ACIMA DE 60 ANOS

ANVISA ALERTA QUE AUTOTESTE PRA COVID FALSIFICADO QUE ESTÁ SENDO COMERCIALIZADO NÃO TRAZ GARANTIA DE FUNCIONAMENTO PARA O CONSUMIDOR

Anvisa alerta para comércio de autoteste da Covid falsificado

Primeiro autoteste aprovado no país, o Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno, está sendo falsificado e comercializado irregularmente

Ingrid Oliveira

da CNN

Autoteste para Covid-19Autoteste para Covid-19Shutterstock

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a apreensão e proibição da fabricação, importação, comércio, distribuição, propaganda e uso de autoteste da Covid-19 falsificados.

O produto é uma imitação do primeiro autoteste aprovado no país, o Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno.

A agência alerta que o produto falsificado não traz nenhuma garantia de funcionamento ou de segurança para o consumidor — que pode ter o resultado para Covid-19 alterado.

Em nota, a Anvisa informa quais características o consumidor deve levar em conta na hora da compra do autoteste para identificar o produto original.

Segundo o órgão regulador,  além de ser irregular, a comercialização de produtos falsificados pode contribuir com a ocorrência de crimes contra a saúde pública.

Confira o que levar em consideração na compra dos autotestes

O produto falsificado possui as seguintes características:

  • Presença de guia ilustrado explicando como realizar a execução do teste no verso da embalagem. O produto original não possui guia ilustrado;
  • Número de registro diferente do aprovado, o número do registro do produto original registrado na Anvisa é 80859840213;
  • Tampa de rosca sem orifício para gotejamento, o original possui uma tampa com orifício para gotejamento;
  • Swab cotonete maior do que 9cm, o swab cotonete do produto original possui 9cm.
autoteste novel
Reprodução Anvisa / Autoteste Novel

Outra segurança para o consumidor, é que a Anvisa disponibiliza um portal com farmácias credenciadas.

A nota da Anvisa também alerta para sites que vendem produtos sem autorização. Segundoa agência, a venda de autotestes para Covid-19 por meio de redes sociais e plataformas virtuais de e-commerce é considerada irregular.

Sobre os autotestes

A Anvisa recomenda a utilização do autoteste entre o 1º e o 7º dia do início de sintomas como febre, tosse, dor de garganta, coriza, dores de cabeça e no corpo. Diante do contato com alguém que testou positivo e na ausência de sintomas, deve-se aguardar cinco antes de usar o autoteste.

O que fazer com resultado positivo

As recomendações da agência, caso o resultado seja positivo, envolvem uso de máscara e isolamento imediato. Os autotestes são utilizados para triagem, como uma abordagem primária, e existe a possibilidade de resultados errados, chamados de falso positivos.

Neste sentido, a Anvisa recomenda orientação médica. É necessário que o paciente busque atendimento em um serviço de saúde para confirmação do diagnóstico e assim, receber acompanhamento.

Continuar lendo ANVISA ALERTA QUE AUTOTESTE PRA COVID FALSIFICADO QUE ESTÁ SENDO COMERCIALIZADO NÃO TRAZ GARANTIA DE FUNCIONAMENTO PARA O CONSUMIDOR

FIOCRUZ CONCLUIU A PRODUÇÃO DO PRIMEIRO LOTE DE VACINAS DA ASTRAZENECA CONTRA COVID-19 FABRICADA NO BRASIL

Como é feita a vacina de Covid 100% fabricada no Brasil, lançada pela Fiocruz

Primeiro lote de vacina AstraZeneca contra Covid-19 com fabricação 100% brasileira foi entregue nesta terça-feira (22)Lucas Rocha

da CNN

em São Paulo

Fiocruz ganha autonomia para a produção da vacina contra a Covid-19 com o IFA nacionalFiocruz ganha autonomia para a produção da vacina contra a Covid-19 com o IFA nacional Divulgação Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) concluiu a produção do primeiro lote de vacinas da AstraZeneca contra a Covid-19 com fabricação 100% brasileira.

O primeiro lote das doses feitas com o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) produzido pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), no Rio de Janeiro, já está pronto para ser distribuído aos estados e municípios pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

Até então, a produção de vacinas pela Fiocruz dependia da importação do IFA da China. A partir de agora, a fundação ganha autonomia para a fabricação das doses.

Saiba como funciona a produção da vacina com fabricação 100% brasileira:

Produção do IFA ou concentrado vacinal

O ingrediente farmacêutico ativo é a matéria-prima da vacina, composto por vírus e células. No caso da vacina da AstraZeneca, o insumo é feito a partir do adenovírus. Incapaz de se replicar no organismo, o adenovírus funciona como “transporte” para levar as informações do novo coronavírus para o corpo humano. O vírus, que afeta chimpanzés, foi geneticamente modificado para gerar anticorpos sem oferecer qualquer tipo de risco à saúde.

Em um primeiro momento, são produzidas as substâncias que serão usadas na fabricação do imunizante. Depois disso, as células são multiplicadas e infectadas com o vírus para que ele se multiplique. Para evitar a contaminação, as células passam por um processo de rompimento e tratamento. Em seguida, parte das células é removida por um método de filtração, a chamada clarificação.

Na etapa de purificação, é feita a remoção dos contaminantes do vírus, como proteínas produzidas pelas células. Por fim, o vírus é concentrado e colocado na solução que contém os componentes da formulação do IFA. A partir disso, o IFA pronto é congelado.

Passo a passo para a fabricação da vacina contra a Covid-19 pela Fiocruz
Passo a passo para a fabricação da vacina contra a Covid-19 pela Fiocruz / Foto: Arte/ CNN Brasil

Processamento da vacina

Na fase de formulação, o IFA é adicionado ao componente que vai estabilizar a vacina e diminuir a concentração dos vírus. Eles são misturados de forma que os imunizantes sejam aplicados sem que haja reação.

Na etapa de envase, a vacina deixa grandes tanques de aço inox e vai para os pequenos frascos de vidro, os mesmos que ficam disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Antes de receberem o composto, os frascos são lavados e esterilizados. Depois, são levados até as máquinas que despejam o produto.

Nesse momento, as vacinas são fechadas com uma rolha de borracha e encaminhadas para a preservação, onde recebem um lacre de alumínio.

Rotulagem, embalagem e inspeção

Os frascos recebem os rótulos com o nome da vacina, número de lote, data de fabricação e validade. Na sequência, as vacinas seguem para serem embaladas.

Durante o processamento, são retiradas amostras de todos os lotes, que são encaminhadas para controle de qualidade interno a fim de garantir segurança e eficácia.

Os lotes só são liberados depois que os resultados do controle de qualidade ficam prontos. Após o envio dos laudos ao PNI, as doses são enviadas ao almoxarifado central do Ministério da Saúde para serem distribuídas para os estados e o Distrito Federal.

Entenda o processo de transferência de tecnologia

Em maio de 2021, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizou a Certificação de Boas Práticas de Fabricação do IFA produzido pela Fiocruz. A medida garante que a linha de produção da fundação cumpre com todos os requisitos necessários para a garantia da qualidade do insumo.

A Fiocruz iniciou a produção nacional do IFA em julho, após a assinatura do contrato de transferência de tecnologia com a parceira AstraZeneca. Desde então, a foram produzidos lotes testes para obter a autorização de uso do IFA nacional na vacina contra a Covid-19.

A Anvisa aprovou o registro do IFA produzido pela Fiocruz no dia 7 de janeiro, permitindo à fundação envasar e fabricar a vacina com o insumo 100% brasileiro.

Até o momento, a Fiocruz dispõe de mais de 21 milhões de doses produzidas com IFA nacional, em diferentes etapas de produção e controle de qualidade.

Continuar lendo FIOCRUZ CONCLUIU A PRODUÇÃO DO PRIMEIRO LOTE DE VACINAS DA ASTRAZENECA CONTRA COVID-19 FABRICADA NO BRASIL

PRIMEIRO-MINISTRO BRITÂNICO ANUNCIOU FIM DO ISOLAMENTO OBRIGATÓRIO PARA CASOS POSITIVOS DE COVID-19 NA INGLATERRA

Inglaterra: Boris Johnson anuncia fim de restrições contra Covid-19

Decisão do premiê vale somente para o território inglês; os outros três países do Reino Unido seguem as próprias regras

Boris Johnson foi duramente criticado pela oposição após decisão

TOLGA AKMEN/AFP/POOL – 21.02.2022

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou nesta segunda-feira (21) o fim do isolamento obrigatório para os casos positivos de Covid-19 na Inglaterra, uma medida decisiva e controversa em uma estratégia para conviver com o novo coronavírus como se faz com a gripe.

“Já temos níveis de imunidade suficientes para passar da proteção das pessoas através de intervenções governamentais a [uma abordagem baseada em] vacinas e tratamentos como primeira linha de defesa”, declarou o chefe do governo no Parlamento.

“As restrições têm um custo importante para nossa economia, nossa sociedade, nosso bem-estar mental e as oportunidades dos nossos filhos, e não temos que continuar pagando esse preço por mais tempo”, acrescentou.

O fim do isolamento para as pessoas infectadas com o novo coronavírus entra em vigor na quinta-feira (24). No entanto, até 1º de abril, recomenda-se permanecer em casa em caso de teste positivo.

Nesse dia, os testes para detectar o coronavírus deixarão de ser gratuitos, exceto para as pessoas idosas ou vulneráveis.

Johnson afirmou que a pandemia não acabou, mas que, graças à “incrível” dispersão das vacinas, o país está um passo mais perto de “voltar à normalidade” e de “finalmente devolver a liberdade às pessoas”, sem deixar de se proteger.

Johnson ressaltou que mais de 71% dos adultos receberam três doses de alguma das vacinas anti-Covid na Inglaterra, 93% da população de mais de 70 anos.

Ao mesmo tempo, o governo tenta continuar com sua campanha de vacinação, com a aplicação, na primavera do Hemisfério Norte, da quarta dose da vacina em maiores de 75 anos e nos mais vulneráveis.

Após o pico provocado pela variante Ômicron em janeiro, Johnson tinha suspendido a maioria das restrições em vigor, entre elas o uso de máscara em ambientes fechados e o passaporte sanitário para acessar discotecas ou eventos maciços.

Dois anos depois do início da pandemia, o Reino Unido é uma das nações mais afetadas pela Covid-19, com 160 mil mortos.

Embora o número de casos tenha diminuído com força no Reino Unido (cerca de 40 mil por dia), a própria rainha Elizabeth 2ª testou positivo para a Covid-19, segundo informações divulgadas neste domingo (20). A monarca, de 95 anos, tem um quadro leve, com sintomas similares aos de um resfriado.

Na área da saúde, as decisões do Governo de Londres valem apenas para a Inglaterra. Os outros três países do Reino Unido (Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) têm suas próprias competências sanitárias.

“Pouco sábio”

Os partidos da oposição acusam Johnson de querer distrair a atenção em um momento em que o cargo de primeiro-ministro está em perigo devido à investigação de uma série de festas na residência oficial de Downing Street durante o confinamento.

Os trabalhistas compararam a medida de eliminar os exames gratuitos a “substituir sua melhor defesa a dez minutos do fim de uma partida”.

“Boris Johnson está declarando vitória antes do fim da guerra, em uma tentativa de distrair a atenção da polícia que bate à sua porta”, criticou a porta-voz de questões de saúde do Partido Trabalhista, Wes Streeting.

O premiê também é acusado de querer agradar aos representantes conservadores, insatisfeitos com as restrições às liberdades públicas.

Por sua vez, a Confederação dos NHS, que representa os mais altos dirigentes do sistema nacional de saúde, informou que uma consulta interna revelou que a maioria dos membros se opõe a pôr fim às medidas de isolamento e dar testes gratuitos à população.

David Nabarro, delegado da OMS (Organização Mundial da Saúde) especializado em Covid, afirmou que eliminar a lei de isolamento dos infectados parece “realmente pouco sábio”.

Continuar lendo PRIMEIRO-MINISTRO BRITÂNICO ANUNCIOU FIM DO ISOLAMENTO OBRIGATÓRIO PARA CASOS POSITIVOS DE COVID-19 NA INGLATERRA

ALUNOS E SERVIDORES DA UFRN TÊM ATÉ DIA 25 DE FEVEREIRO PARA APRESENTAR PASSAPORTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 PARA TER ACESSO À INSTITUIÇÃO

Por g1 RN

 

Reitoria Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero OliveiraReitoria Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero Oliveira

Estudantes e servidores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte têm até a próxima sexta-feira, 25 de fevereiro, para apresentar os comprovantes de vacinação contra a Covid-19 à instituição. O documento será exigido para acesso aos prédios da instituição.

Segundo a universidade, mais de 24 mil estudantes e servidores apresentaram comprovantes de imunização contra Covid-19 até a quinta-feira (17), o que representa cerca da metade do público esperado. Ao todo, foram 24.464 declarações.

A exigência do passaporte da vacinação para acesso às dependências físicas da UFRN entra em vigor a partir do início do ano letivo de 2022, em 28 de março.

A decisão para exigência do atestado de esquema vacinal foi aprovada pelos Colegiados Superiores da UFRN no final de dezembro de 2021 e faz parte do planejamento para o retorno das atividades acadêmicas presenciais, quando também haverá a retomada 100% presencial das atividades administrativas.

Como realizar a comprovação

Segundo a UFRN, para cadastrar o comprovante vacinal pelos sistemas integrados o usuário deve acessá-los e escolher uma das seguintes opções: Vacinado (Importar do RN + Vacina); Vacinado Completo (anexar comprovante); Vacinado Incompleto (anexar comprovante); Não Vacinado com Justificativa Médica ou Técnica; Não Vacinado por Opção.

Outras universidades públicas do Rio Grande do Norte como a Universidade Estadual (Uern) e a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) também determinaram apresentação de esquema vacinal contra a Covid-19.

Em janeiro, a UERN chegou a publicar uma lista com mais de 300 alunos que poderiam ter o curso trancado durante o primeiro semestre de 2022, por não apresentarem o comprovante vacinal.

Continuar lendo ALUNOS E SERVIDORES DA UFRN TÊM ATÉ DIA 25 DE FEVEREIRO PARA APRESENTAR PASSAPORTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 PARA TER ACESSO À INSTITUIÇÃO

APROVADO PELA ANVISA PRIMEIRO AUTOTESTE PARA COVID-19 NO BRASIL

Anvisa aprova primeiro autoteste para Covid-19 no Brasil

Disponibilidade no mercado depende da empresa detentora do registro

Kaluan Bernardo

Lucas Rocha

da CNN

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta quinta-feira (17), o primeiro autoteste para Covid-19 no país.

O produto registrado pela Anvisa é o Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno, da empresa CPMH Comércio e Indústria de Produtos Médicos-Hospitalares e Odontológicos.

Agora, a disponibilidade no mercado depende da empresa detentora do registro.

O produto funciona com swab nasal não profundo e apresenta resultados em 15 minutos.

“Para conceder o registro a Anvisa analisa uma série de requisitos técnicos, entre os quais estão a usabilidade e o gerenciamento de risco, que servem para adequar o produto para uso por pessoas leigas dando maior segurança no seu uso”, diz a agência em comunicado.

A avaliação do pedido de registro na Anvisa levou 16 dias, incluindo quatro utilizados pela empresa solicitante para atender exigências técnicas feitas pela Anvisa.

A publicação do registro foi feita hoje no Diário Oficial da União.

Outros pedidos

A Anvisa autorizou o uso de autotestes de Covid-19 no Brasil  há 20 dias, no último dia 28 de janeiro. Com a aprovação, fica permitida a venda dos exames por farmácias e estabelecimentos de saúde licenciados para comercializar dispositivos médicos.

No entanto, a comercialização, distirbuição e o uso no país dependem de a Anvisa autorizar empresas produtoras dos autotestes.

Além da Novel, outras 67 empresas fizeram pedidos de registros de autotestes à Anvisa. Desses, dez tiveram o registro reprovado e outras duas estão “em análise do cumprimento de exigência”, uma das últimas etapas antes de possível aprovação.

É possível acompanhar cada pedido no painel da Anvisa, que ainda não foi atualizado com a recente aprovação.

Requisitos para o registro

Entre os requisitos para conceder o registro, a Anvisa determina que os produtos devem apresentar instruções de uso, armazenagem e descarte. As informações precisam contar com uma linguagem simples e com ilustrações, para facilitar o manuseio e a interpretação do resultado.

Com relação à embalagem, as orientações da Anvisa informam que o rótulo externo do produto deve conter todos os componentes do kit que são necessários para a realização do teste, além da validade do dispositivo.

Além disso, o fabricante deve oferecer um canal de atendimento ao usuário para orientar e encaminhar as demandas sobre o uso do produto e como proceder após a obtenção do resultado.

Segundo a Anvisa, além de disponibilizar o contato desse serviço de atendimento, a empresa deve indicar o serviço Disque Saúde do Ministério da Saúde, de acordo com as recomendações do Plano Nacional de Expansão da Testagem para Covid-19, o PNE-Teste.

Continuar lendo APROVADO PELA ANVISA PRIMEIRO AUTOTESTE PARA COVID-19 NO BRASIL

OPERAÇÃO DO MPRN APURA EMISSÃO DE RECEITUÁRIOS MÉDICOS FALSOS DESTINADOS À VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 E RETIRADA DE MEDICAMENTOS EM UBS DE PARNAMIRIM

Por g1 RN

 

Operação do MP cumpriu mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira (16) em Parnamirim, na Grande Natal — Foto: CedidaOperação do MP cumpriu mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira (16) em Parnamirim, na Grande Natal — Foto: Cedida

Uma operação deflagrada pelo Ministério Público, nesta quarta-feira (16) apura a emissão de receituários médicos falsos destinados à vacinação contra a covid-19 e à retirada de medicamentos em Unidade Básica de Saúde (UBS) de Parnamirim, na Grande Natal.

Segundo o MP do Rio Grande do Norte, o crime de falsificação de documento público teria sido cometido por uma servidora pública do município da região metropolitana.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência e no endereço profissional da investigada, com apreensão de celulares, pen-drives e documentos.

A Operação Acceptio – como a ação foi denominada – é fruto de uma investigação de três promotorias de Justiça de Parnamirim, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPRN, iniciada em junho de 2021.

Segundo depoimentos colhidos durante a investigação, as receitas eram emitidas com o nome e o CRM de uma médica que trabalhava em uma unidade de saúde à época.

Ouvida durante a investigação, a médica negou ter emitido os receituários e disse ter registrado um boletim de ocorrência junto à polícia.

A suspeita dos promotores é de que uma servidora emitia receituários ou atestados falsos que “comprovavam” que algumas pessoas possuíam alguma doença, garantindo prioridade na vacinação.

Os documentos também indicavam o uso de medicamentos específicos, para acesso aos remédios nas unidades de saúde. O órgão não informou se a mulher recebia algum tipo de vantagem.

“Para o MPRN, todos os documentos constantes nos autos reforçam os indícios de materialidade e de autoria do delito cometido de falsidade de documento público, além de outros delitos a serem apurados”, informou a corporação.

Em nota, a Prefeitura de Parnamirim informou que ainda não foi notificada oficialmente pelo Ministério Público e, tão logo receba a notificação, tomará todas as medidas cabíveis. “Informamos ainda que não compactuamos deste tipo de conduta e seremos rígidos nas medidas necessárias”, diz a nota.

Continuar lendo OPERAÇÃO DO MPRN APURA EMISSÃO DE RECEITUÁRIOS MÉDICOS FALSOS DESTINADOS À VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 E RETIRADA DE MEDICAMENTOS EM UBS DE PARNAMIRIM

NATAL AMPLIA PONTOS DE VACINAÇÃO PARA CRIANÇAS A PARTIR DE 6 ANOS

Por g1 RN

 

Natal amplia ponto de vacinação para crianças
Natal amplia ponto de vacinação para crianças

Natal abriu mais três pontos de vacinação contra a Covid para crianças a partir de 6 anos de idade.

Os novos locais são: o home center Ferreira Costa e o shopping Via Direta, na Zona Sul, e o ginásio Nélio Dias, na Zona Norte. (Veja mais abaixo todos os locais de vacinação para crianças).

Esses novos pontos também já aplicavam a vacinação em pessoas acima de 12 anos de idade.

Já a imunização em crianças de 5 anos é feita exclusivamente no Midway Mall, no Partage Norte Shopping e em outras 10 salas de vacinação (veja mais abaixo), com doses pediátricas da Pfizer. Esses locais também aplicam a vacina em crianças acima de 6 anos.

De acordo com o RN+ Vacina, o estado tem atualmente 35% do público entre 5 anos e 11 anos de idade vacinado com a primeira dose contra a doença, cerca de 120 mil pessoas.

Locais de vacinação infantil

  • Sala de vacina no shopping Midway Mall com funcionamento de segunda a sábado das 10h às 17h.
  • Sala de vacina no Partage Norte Shopping com funcionamento de segunda a sábado das 14h às 20h.
  • Via Direta – pedestre: horário de funcionamento de segunda a sábado das 9h às 21h;
  • Um ponto de pedestre no Nélio Dias com horário de funcionamento de segunda a sexta das 08h às 15h, e sábado das 08h às 12h;
  • Ferreira Costa com funcionando de terça-feira a sábado das 9h às 18h, com intervalo de 01h para almoço

10 salas de vacinação em UBS com horário de funcionamento de segunda a sexta-feira das 8h às 15h (com intervalo de 60 minutos para almoço):

  • UBS Pajuçara: Rua Maracaí, S/N, Conjunto Pajuçara
  • USF Nova Natal : Rua Do Pastoril, Nova Natal, Lagoa Azul
  • USF Vale Dourado: Rua Irmã Vitória, N° 02, Igapó
  • USF Panatis: Rua Das Pimenteiras, S/N, Panatis
  • UBS Ponta Negra: Rua Dr. José Medeiros, 01. Ponta Negra
  • UBS Planalto: Rua Comunidade Shalom, 10. Encantado Verde. Emaús.
  • USF Rocas: Rua Francisco Bicalho, S/N, Rocas
  • UBS Alecrim: Rua Fonseca e Silva, N° 1129, Alecrim
  • UM Felipe Camarão II: Rua Santa Cristina, N° 882, Felipe Camarão
  • USF Bairro Nordeste: Rua alto da Bela Vista, N° 492, Bairro Nordeste

Fonte: G1 RN

Continuar lendo NATAL AMPLIA PONTOS DE VACINAÇÃO PARA CRIANÇAS A PARTIR DE 6 ANOS

MINISTRO DO STF DETERMINOU QUE GOVERNO NÃO DISPONIBILIZE O DISQUE 100 PARA ATENDIMENTO DE PESSOAS CONTRÁRIAS A VACINA CONTRA COVID-19

Lewandowski proíbe governo de usar canal Disque 100 para queixas contra vacina

Na decisão, ministro disse que cabe ao governo disponibilizar vacinas e estimular a imunização, e não adotar medidas que possam desincentivar a vacinação

Gabriel Hirabahasi

da CNNem Brasília

Ministro Ricardo LewandowskiMinistro Ricardo LewandowskiFoto: Nelson Jr./Sco/STF (10.mar.2020)

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta segunda-feira (14), que o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não disponibilize o Disque 100 para o atendimento de pessoas contrárias à obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19.

O ministro determinou, ainda, que a pasta comandada por Damares Alves e o ministério da Saúde deixem claro, por meio de notas técnicas, o entendimento firmado pelo Supremo Tribunal Federal de que é possível estabelecer medidas restritivas para aqueles que decidirem não se vacinar contra a Covid-19.

Lewandowski citou uma decisão do próprio STF em meio à pandemia da Covid-19, segundo a qual: “A vacinação compulsória não significa vacinação forçada, por exigir sempre o consentimento do usuário, podendo, contudo, ser implementada por meio de medidas indiretas, as quais compreendem, dentre outras, a restrição ao exercício de certas atividades ou à frequência de determinados lugares, desde que previstas em lei, ou dela decorrentes”.

A determinação de Lewandowski se deu após um pedido apresentado pela Rede Sustentabilidade na semana passada. O partido questionou uma nota técnica em que a pasta se opôs ao passaporte vacinal e à obrigatoriedade de vacinação de crianças contra a Covid-19.

Na decisão desta segunda (14), o ministro disse que cabe ao governo federal disponibilizar as vacinas contra o coronavírus e estimular a imunização da população, e não adotar medidas que possam servir para desincentivar que as pessoas se vacinem.

“Penso que cabe ao Governo Federal, além de disponibilizar os imunizantes e incentivar a vacinação em massa, evitar a adoção de atos, sem embasamento técnico-científico ou destoantes do ordenamento jurídico nacional, que tenham o condão de desestimular a vacinação de adultos e crianças contra a Covid-19, sobretudo porque o Brasil ainda apresenta uma situação epidemiológica distante do que poderia ser considerada confortável, inclusive em razão do surgimento de novas variantes do vírus”, afirmou.

Na nota técnica do governo federal, divulgada no fim de janeiro, o ministério afirmou não ser contrário às campanhas de vacinação, mas, sim, contra medidas que imponham a obrigatoriedade da imunização e possíveis violações de direitos fundamentais.

Continuar lendo MINISTRO DO STF DETERMINOU QUE GOVERNO NÃO DISPONIBILIZE O DISQUE 100 PARA ATENDIMENTO DE PESSOAS CONTRÁRIAS A VACINA CONTRA COVID-19

POPULAÇÃO ACIMA DE 60 ANOS NO ESTADO DE SÃO PAULO IRÁ RECEBER A 4ª DOSE DA VACINA CONTRA COVID-19 A PARTIR DE ABRIL

São Paulo começa a aplicar 4ª dose em pessoas acima de 60 anos em abril

Informação foi confirmada pelo coordenador-executivo do Comitê Científico de SP em entrevista à CNN

Ludmila Candal

Giovanna GalvaniIngrid Oliveira

da CNN

em São Paulo

 

A população acima de 60 anos no estado de São Paulo irá receber a 4ª dose da vacina contra a Covid-19 a partir do dia 4 de abril, informou João Gabbardo, coordenador-executivo do Comitê Científico do estado de São Paulo, em entrevista à CNN nesta sexta-feira (11).

Segundo Gabbardo, esta faixa etária é a única prevista até o momento para receber a 4ª dose. A condição é que a pessoa tenha recebido a 3ª dose da vacina há mais de 4 meses.

“Nesse momento, as evidências e experiências de outros países mostram que esse grupo é o que pode ser mais beneficiado com a 4ª dose. Não temos nenhum outro grupo para fazer previsão”, afirmou.

Para o restante do público, a prioridade em fevereiro e março será endossar as campanhas de 2ª e 3ª dose, bem como concluir o calendário vacinal das crianças, disse o coordenador-executivo.

O estado ainda avalia qual será a vacina utilizada para esta complementação da imunização, mas Gabbardo diz que SP trabalha com a ideia de que “a melhor vacina é a vacina que está disponível”.

“Em função de estarmos trabalhando uma dose de reforço, vamos analisar se pode ter uma vantagem utilizar vacinas diferentes para dose de reforço – uma vez que estaríamos utilizando vias diferentes de imunidade no organismo”, explicou.

Quarta dose

A dose adicional do imunizante foi divulgada como medida de enfrentamento à pandemia pelo Ministério da Saúde em 20 de dezembro de 2021, que recomendou a dose extra apenas para pessoas imunossuprimidas acima dos 18 anos e à população idosa.

Segundo nota técnica da pasta, deverá ser utilizada preferencialmente a vacina da Pfizer, de plataforma de RNA mensageiro, e de maneira alternativa, poderá ser aplicado o imunizante de vetor viral, da Janssen ou AstraZeneca.

Na quarta-feira (9), o governador de São Paulo, João Doria, havia afirmado que o estado aplicaria a 4ª dose independente da recomendação do Ministério da Saúde. Contudo, em nota informativa, a pasta afirmou “que até o momento não existem dados suficientes no Brasil para a recomendação de uma quarta dose para a população geral, exceto imunocomprometidos.”

O posicionamento tem sido alvo de debates entre especialistas consultados pela CNN, que tendem a avaliar a atual orientação do Ministério da Saúde como a mais adequada com os dados disponíveis no momento.

Fonte: CNN

Continuar lendo POPULAÇÃO ACIMA DE 60 ANOS NO ESTADO DE SÃO PAULO IRÁ RECEBER A 4ª DOSE DA VACINA CONTRA COVID-19 A PARTIR DE ABRIL

MINISTRO DA SAÚDE AFIRMOU QUE 15% DO PÚBLICO-ALVO DA VACINAÇÃO INFANTIL CONTRA COVID-19 NO BRASIL JÁ RECEBEU AO MENOS UMA DOSE DO IMUNIZANTE

Queiroga: “Vacinamos 15% das crianças entre 5 e 11 anos”

Ministro comentou percentual de crianças que receberam uma dose dos imunizantes e negou que haja atraso na entrega das vacinas pediátricas contra a Covid-19

Giovanna Galvani

da CNNem São Paulo

 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta terça-feira (8) que 15% do público-alvo da vacinação infantil contra a Covid-19 no Brasil, composto de crianças entre 5 e 11 anos, já recebeu ao menos uma dose de um dos imunizantes disponíveis para esta faixa etária.

Queiroga também negou que exista atraso na entrega de doses pediátricas da vacina contra a Covid-19 e cobrou estados e municípios da participação na campanha.

“As vacinas estão disponíveis. Já vacinamos 15% das crianças entre 5 e 11 anos, há capitais em que a vacinação já avança bastante”, disse o ministro, que repetiu a atual previsão da distribuição das doses pelo país.

“Até o dia 15 de fevereiro, todas as D1 [primeiras doses] estarão disponibilizadas. Não faltam vacinas. O ritmo heterogêneo mostra que é necessário haver um empenho de estados e municípios. Não é só o Ministério da Saúde – pelo contrário, o Ministério tem trabalhado fortemente para levar vacinas para o povo brasileiro”, declarou.

O ministro também criticou perguntas feitas por jornalistas no momento em que ele chegava ao Ministério. Os questionamentos incluíram uma possível falta de confiança dos pais nos imunizantes devido ao período mais longo do que o esperado entre a aprovação da vacina da Pfizer pela Anvisa, no dia 16 de dezembro de 2021, e a disponibilidade das doses para as crianças, que veio no dia 14 de janeiro.

“Não há demora nenhuma, as vacinas chegaram de maneira tempestiva. Desafio qualquer um provar que a Pfizer entregaria uma dose de vacina antes do prazo que entregou”, disse Queiroga.

“Vacinar uma criança não é igual vacinar um adulto. Às vezes você tem que convencer as crianças a se vacinarem, não dá pra pegar uma criança à força, ir lá e aplicar uma vacina com a criança berrando”, afirmou. “Essas questões dos pais terem receio é uma questão que tem que ver com os pais”.

Queiroga também defendeu que haja uma celeridade no processo de aplicação das segundas doses e dos reforços previstos para adultos contra a Covid-19, e afirmou que o Brasil enfrenta o pico de casos da variante Ômicron como os outros países. O ministro voltou a criticar as perguntas feitas sobre o tema:

“Para conter essa pandemia é muito mais importante avançar nas doses da vacina do que ficar nesse ‘nhém nhém nhém’ de vocês aqui que estamos atrasando doses de vacina”, disse aos jornalistas. “Estamos muito bem em relação a nossa campanha de vacinação. É com trabalho que instruímos essas narrativas”.

Sem “juízo de valor”

Questionado sobre as explicações prestadas pelo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos (Sctie), Hélio Angotti Neto, em relação a uma nota técnica em que ele rejeitava a eficácia das vacinas e defendia a hidroxicloroquina, Queiroga disse que se manifestaria no trâmite adequado do processo.

No fim de janeiro, a secretaria comandada por Angotti publicou uma nota afirmando que as vacinas não têm eficácia e que medicamentos como a hidroxicloroquina têm. Após críticas da comunidade científica, o documento foi republicado com o mesmo teor no texto, mas sem uma tabela que sugeria que a hidroxicloroquina é eficaz e segura e a vacinação, não.

“Do ponto de vista técnico eu vou avaliar diante de um procedimento administrativo. Qualquer antecipação de juízo de valor da minha parte eiva de nulidade essa questão. Tenho que seguir o rito processual”, disse Queiroga. “Não estou julgando o mérito da motivação do secretario, enfrentarei isso no momento certo”, completou o ministro.

Fonte: CNN

Continuar lendo MINISTRO DA SAÚDE AFIRMOU QUE 15% DO PÚBLICO-ALVO DA VACINAÇÃO INFANTIL CONTRA COVID-19 NO BRASIL JÁ RECEBEU AO MENOS UMA DOSE DO IMUNIZANTE

TERÇA-FEIRA (08) NATAL VAI ABRIR MAIS UM PNTO DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 NA FERREIRA COSTA EM CAPIM MACIO PARA PESSOAS ACIMA DE 12 ANOS

Por g1 RN

 

Vacina contra a Covid — Foto: Edinaldo Moreno/Secom/PMMVacina contra a Covid — Foto: Edinaldo Moreno/Secom/PMM

A prefeitura de Natal informou que a partir da próxima terça-feira (8) vai abrir um ponto de vacinação contra a Covid na Ferreira Costa, que fica em Capim Macio, na Zona Sul da cidade.

A vacinação no local vai funcionar até o fim do mês de fevereiro e é para o público com idade a partir de 12 anos. O funcionamento será das 9h às 18h.

No local, estarão disponíveis a primeira e a segunda dose, além da dose de reforço.

Além da Ferreira Costa, que fica na avenida Engenheiro Roberto Freire, 142, Capim Macio, há vacinação no ginásio Nélio Dias e no Via Direta, que também conta com drive, e em 48 Unidades Básicas de Saúde (UBS) – confira os locais no Vacina Natal.

Já a vacinação infantil, entre 5 e 11 anos, ocorre nos shoppings Midway Mall e Partage Norte Shopping e em 10 UBS.

Imunização

De acordo com a prefeitura, até o momento, Natal imunizou 86,6% da população com duas doses e 41% com a dose de reforço. Ao todo, 93% das pessoas tomaram pelo menos uma dose.

A Secretaria Municipal de Saúde de Nata reforça que pessoas com 18 anos ou mais que tenham completado o esquema vacinal, com duas doses, de qualquer imunizante (CoronaVac, Oxford/Astrazeneca ou Pfizer) há pelo menos quatro meses, devem ir a um dos pontos de vacinação para completar o esquema vacinal.

A pasta reforça ainda que as pessoas que tiveram Covid precisam esperar pelo menos 30 dias para receber a D2 ou D3.

Para receber a vacina, as pessoas devem levar o cartão de vacinação, documento com foto e comprovante de residência de Natal.

Continuar lendo TERÇA-FEIRA (08) NATAL VAI ABRIR MAIS UM PNTO DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 NA FERREIRA COSTA EM CAPIM MACIO PARA PESSOAS ACIMA DE 12 ANOS

SEGUNDO INFORMOU A FIOCRUZ, 8 ESTADOS BRASILEIRO E DISTRITO FEDERAL ESTÃO COM OCUPAÇÃO CRÍTICA DE LEITOS PARA COVID-19

 

Brasil tem 8 estados e DF com situação crítica nas UTIs, indica Fiocruz

Por Mariana Garcia e Lara Pinheiro, g1

 

Taxa de ocupação (%) de leitos de UTI Covid-19 para adultos (boletim de 03/02/22) — Foto: FiocruzTaxa de ocupação (%) de leitos de UTI Covid-19 para adultos (boletim de 03/02/22) — Foto: Fiocruz

O Brasil registrou, de 24 a 31 de janeiro, 8 estados e o Distrito Federal com ocupação crítica nos leitos de UTI para Covid-19, informou a Fiocruz em boletim divulgado nesta quinta-feira (3). É um novo aumento em relação à semana passada, quando 6 estados, além do DF, estavam nessa situação.

A ocupação crítica significa uma taxa de 80% ou mais dos leitos ocupadosA situação atual é a pior desde a semana que terminou em 21 de junho de 2021, quando 14 estados e o DF estavam nessa situação.

No boletim, a fundação pontuou, entretanto, que o cenário da pandemia não é o mesmo registrado entre março e junho de 2021. Isso porque, mesmo com o acréscimo de leitos que ocorreu na maioria dos estados recentemente (veja detalhes mais abaixo), a disponibilidade atual de leitos intensivos é bem menor.

Em entrevista ao g1, a pesquisadora Margareth Portela, do Observatório Covid-19/Fiocruz, reforçou esse ponto:

“Nossa grande referência sobre ocupações de UTI acaba sendo de março a junho do ano passado. Foi o maior pico. O que vivemos hoje é muito diferente, mas não podemos menosprezar os problemas que podemos ter”, alertou.

O que a pesquisadora tem observado é que os estados estão aumentando leitos conforme a demanda. “De uma forma geral, os estados vêm acrescentando 20 leitos, 30 leitos na outra semana. A minha impressão é que os gestores estão gerenciando e respondendo à necessidade”, disse.

Situação crítica

A pior taxa de ocupação dos leitos de UTI está em Mato Grosso do Sul, com 103% dos leitos ocupados. Veja a lista dos estados em situação crítica:

  1. Mato Grosso do Sul (103%)
  2. DF (97%)
  3. Goiás (91%)
  4. Pernambuco (88%)
  5. Piauí (87%)
  6. Mato Grosso e Rio Grande do Norte (86%)
  7. Espírito Santo (83%)
  8. Amazonas (80%)

Acréscimo de leitos

Profissionais de saúde trabalham em UTI do Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em Maricá (RJ), no dia 26 de janeiro. — Foto: Bruna Prado/AP

A nota da Fiocruz também observa que houve aumento do número de leitos de UTI para síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e/ou Covid-19 em pelo menos 15 UFs.

Na semana de 24 a 31 de janeiro, foram os seguintes aumentos:

  • Alagoas (de 162 para 172, acréscimo de 10 leitos)
  • Acre (de 20 para 30, acréscimo de 10 leitos)
  • Amazonas (de 86 para 109, acréscimo de 23 leitos)
  • Bahia (de 580 para 594, acréscimo de 14 leitos)
  • Ceará (de 328 para 419, acréscimo de 91 leitos)
  • Distrito Federal (de 56 para 78, acréscimo de 22 leitos)
  • Mato Grosso (de 201 para 257, acréscimo de 56 leitos)
  • Mato Grosso do Sul (de 143 para 156, acréscimo de 13 leitos)
  • Minas Gerais (de 2.120 para 2.151, acréscimo de 31 leitos)
  • Pará (de 195 para 212, acréscimo de 17 leitos)
  • Paraná (de 594 para 641, acréscimo de 47 leitos)
  • Pernambuco (de 991 para 1.106, acréscimo de 115 leitos)
  • Piauí (de 151 para 164, acréscimo de 13 leitos)
  • Rio Grande do Norte (de 127 para 149, acréscimo de 22 leitos)
  • Rondônia (de 113 para 125, acréscimo de 12 leitos)

A fundação afirmou não ter tido acesso aos dados de São Paulo e Paraíba.

Em dois estados, por outro lado, houve queda no número de leitosEspírito Santo (384 para 363, diminuição de 21 leitos) e Santa Catarina (523 para 464, diminuição de 59 leitos). Ambos os estados entraram na zona de alerta (Espírito Santo em nível crítico e Santa Catarina, em nível intermediário).

Alerta intermediário

10 estados ficaram com nível de alerta intermediário (acima de 60% e abaixo de 80%) nas taxas de ocupação dos leitos:

  1. Tocantins (78% de ocupação)
  2. Santa Catarina (76% de ocupação)
  3. Pará e Bahia (74% de ocupação)
  4. São Paulo e Paraná (72% de ocupação)
  5. Amapá e Alagoas (69% de ocupação)
  6. Ceará (67% de ocupação)
  7. Rio de Janeiro (62% de ocupação)

Amazonas saiu da lista de alerta intermediário para ir para alerta crítico, assim como Mato GrossoRondônia e Roraima saíram da zona de alerta.

AmapáBahiaCearáParáParanáRio de JaneiroSão Paulo e Tocantins já estavam com alerta intermediário na semana passada. Alagoas e Santa Catarina, que estavam fora da zona de alerta na semana passada, entraram.

Fora da zona de alerta

8 estados ficaram fora da zona de alerta (ocupação abaixo de 60%) na semana de 24 a 31 de janeiro:

Com exceção de Rondônia e Roraima, todos os outros estados já estavam fora da zona de alerta na semana passada.

Ocupação nas capitais e interiorização

Entre as 25 capitais com taxas de ocupação divulgadas, 13 ficaram na zona de alerta crítico até 31 de janeiro:

Na semana anterior, haviam sido 9 capitais em situação crítica. A Fiocruz apontou para uma tendência de interiorização dos casos provocados pela variante ômicron do coronavírus. Margareth Porela, do Observatório Covid-19 da fundação, caracterizou essa tendência como preocupante.

“É o mesmo ciclo inicial da Covid – primeiro estoura em capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife, e vai interiorizando. As capitais seguem com números altos, mas com estabilidade ou caindo”, explicou.

“Esse movimento de interiorização preocupa, porque significa que a Covid-19 está avançando e pode avançar para regiões que têm coberturas vacinais mais baixas, pessoas menos protegidas de formas graves. Além disso, são lugares com menos recursos assistenciais”, observou Portela.

As outras 9 capitais com dados divulgados estão na zona de alerta intermediário (de 60% a 80% de ocupação):

  1. Porto Velho e Recife (apenas leitos públicos municipais): 77%
  2. São Paulo: 75%
  3. Palmas: 72%
  4. Curitiba: 71%
  5. Rio Branco: 70%
  6. Salvador e Florianópolis: 68%
  7. São Luís: 64%

Boa VistaJoão Pessoa e Porto Alegre ficaram fora da zona de alerta (com 52%, 58% e 55% de ocupação, respectivamente).

Continuar lendo SEGUNDO INFORMOU A FIOCRUZ, 8 ESTADOS BRASILEIRO E DISTRITO FEDERAL ESTÃO COM OCUPAÇÃO CRÍTICA DE LEITOS PARA COVID-19

NESTA QUARTA-FEIRA NÃO FUNCIONARÁ O DRIVE DE TESTAGEM DE COVID-19 NA ARENA DAS DUNAS

Por g1 RN

 

Drive de testagem Covid-19 na Arena das Dunas — Foto: DivulgaçãoDrive de testagem Covid-19 na Arena das Dunas — Foto: Divulgação

O drive de testagem para Covid-19 montado pela prefeitura de Natal na área externa da Arena das Dunas não vai funcionar nesta quarta-feira (2). O motivo é a realização do jogo entre América-RN e Potiguar de Mossoró no estádio.

A Secretaria Municipal de Saúde informa ainda que a testagem no drive será retomada na quinta-feira (3), das 8h às 15h.

A SMS reforça que quem estiver com sintomas leves deve procurar atendimento nesta quarta-feira nas Unidades Básicas de Saúde ou nos Centros de Enfrentamento às Síndromes Gripais, localizados no Cemure e no ginásio Nélio Dias, que funcionarão normalmente das 8h às 16h.

Continuar lendo NESTA QUARTA-FEIRA NÃO FUNCIONARÁ O DRIVE DE TESTAGEM DE COVID-19 NA ARENA DAS DUNAS

PASSAPORTE VACINAL DEVE SER INSERIDO NO ATO DA MATRÍCULA PARA ALUNOS DA UFERSA

Por g1 RN

 

Ufersa — Foto: Isaiana Santos/Inter TV Costa BrancaUfersa — Foto: Isaiana Santos/Inter TV Costa Branca

A Universidade Federal do Semi-Árido (Ufersa) vai passar a cobrar comprovante de vacinação contra a Covid para os alunos. O passaporte precisará ser inserido pelo Sigaa no ato da matrícula do novo semestre letivo e será necessário para entrar e utilizar os prédios e espaços físicos da instituição.

Todos os discentes devem depositar o comprovante de vacinação válido e atualizado que comprove o esquema vacinal de, no mínimo, duas doses de vacina contra Covid-19 ou dose única nos casos do imunizante de dose única.

O depósito deve acontecer nesta quarta (2) e quinta-feira (3) e deve exibir o nome do discente, a identificação da vacina, a quantidade de doses e o timbre do órgão competente.

Serão aceitos o certificado de vacinação expedido pela plataforma RN+Vacina, declaração pelo Conecte SUS, comprovante/caderneta/cartão de vacinação impresso em papel timbrado.

A matrícula no semestre letivo e o uso das salas de aula e dos laboratórios pelo discente estão condicionados ao depósito do comprovante de vacinação no ato da matrícula, explicou a instituição.

O discente ingressante regular de graduação cuja matrícula já foi realizada deverá depositar o comprovante em aba própria no SIGAA até o dia 3 de fevereiro.

Outras instituições como a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Universidade Estadual do RN (Uern) também já haviam decidido cobrar o passaporte vacinal.

Continuar lendo PASSAPORTE VACINAL DEVE SER INSERIDO NO ATO DA MATRÍCULA PARA ALUNOS DA UFERSA

HOMEM FOI RETIRADO DA LISTA DE TRANSPLANTE DE UM HOSPITAL EM BOSTON POR SE RECUSAR A TOMAR VACINA CONTRA COVID-19

Homem é retirado de lista de transplante de coração por não estar vacinado

Paciente precisa desesperadamente do órgão, diz pai

DJ Ferguson está internado em Boston | Foto: Acervo/FamíliaDJ Ferguson está internado em Boston | Foto: Acervo/Família

DJ Ferguson, de 31 anos, foi removido da lista de transplante de coração em um hospital de Boston porque se recusa a tomar a vacina contra a covid-19. É o que garantiu a família dele à emissora CBS Boston, na segunda-feira 24.

Apesar de estar em primeiro lugar para receber o órgão, Ferguson deixou de ser elegível devido ao seu “status de imunização”. Em estado grave, o paciente está internado no Brigham and Women’s Hospital.

O pai de Ferguson disse que o filho precisa “desesperadamente” do coração. “Ele não acredita na vacina porque vai contra seus princípios”, disse. “Como ele não vai tomar a vacina, o hospital o tirou da lista de transplante de coração.”

Centro de ensino de Harvard, o Brigham and Women’s Hospital informou ao canal que sua política de exigir que os destinatários sejam vacinados está alinhada com muitos outros programas de transplante nos EUA:

“Trata-se de uma das várias vacinas e comportamentos de estilo de vida necessários para candidatos a transplante (…) a fim de criar a melhor chance de uma operação bem-sucedida e também a sobrevivência do paciente.

A família de Ferguson considera transferi-lo para outro hospital que não tenha a política de vacinação. Contudo, os parentes temem que ele o homem esteja fraco demais para ser transferido.

Fonte: R7

Continuar lendo HOMEM FOI RETIRADO DA LISTA DE TRANSPLANTE DE UM HOSPITAL EM BOSTON POR SE RECUSAR A TOMAR VACINA CONTRA COVID-19

DIANTE DA ALTA EM CASOS DE COVID-19 JUSTIÇA DO RN É ACIONADA PELA DEFENSORIA PÚBLICA E MP PARA QUE EVENTOS EM MASSA NO ESTADO SEJAM PROIBIDOS PELO GOVERNO

Por g1 RN

 

Último dia de shows no carnaval de Natal em 2020 — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV CabugiÚltimo dia de shows no carnaval de Natal em 2020 — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e a Defensoria Pública do RN ingressaram com uma ação civil pública na Justiça para que o governo do Rio Grande do Norte proíba os grandes eventos de massa no estado.

O pedido acontece diante da alta de casos de Covid, desde o aparecimento da variante ômicron, considerada mais transmissível, que culminou com o aumento de atendimento e internações nas redes pública e privada do estado.

A solicitação dos órgãos é para que o governo do RN altere o decreto estadual que entrou em vigência na última sexta-feira (21), que determinou a cobrança do passaporte vacinal em estabelecimentos, mas manteve autorizados os eventos de massa com o cumprimento de medidas sanitárias.

Em nota, o governo do RN disse que aguarda a decisão da Justiça sobre a ação e garantiu que o “acompanhamento e avaliação do cenário — não apenas em relação à covid-19, mas ao surto de gripe — vem sendo feito diariamente”.

“O posicionamento do Governo do Estado, a despeito do decreto nº 31.265, de 17 de janeiro de 2022, é de permanente análise dos diversos indicadores para eventual tomada de decisão, independente do prazo de vigência dessas regras”, citou a nota.

O governo ainda diz que as medidas adotadas recentemente, como a exigência do passaporte vacinal, “já apontam mudanças no cenário do número de vacinados: um aumento de 95,6% na procura pelas vacinas foi registrado, tendo como base comparativa o último sábado (22 de janeiro) com o sábado anterior (15 de janeiro). Os dados comprovam a importância da exigência do comprovante da vacinal”.

Ação

A ação dos órgãos pede que a Justiça determine ao governo do RN cancelar todas as autorizações para a realização de shows com grande público, sejam em locais abertos ou fechados.

Ainda é pedido que a Justiça obrigue o Estado a se abster de conceder novas autorizações para shows de massa e congêneres em todo o território potiguar, assim como a suspender tais eventos, até que ocorra novo controle da transmissibilidade do coronavírus no RN.

A ideia é que esses eventos fiquem suspensos até que a pandemia volte a atingir os patamares de contágio alcançados em novembro e dezembro de 2021.

‘Omissão’

O MP e a Defensoria consideraram que houve omissão do governo do RN ao editar o decreto mais recenteuma vez que o Comitê de Especialistas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recomendou a suspensão desses tipos de eventos dada a realidade de risco iminente de colapso do sistema de saúde.

Exigência do passaporte vacinal aumenta procura pela vacina

No último dia 17, MP, Gabinete Civil, Sesap, Defensoria Pública do RN e os Ministérios Públicos Federal e do Trabalho, além de representantes da Federação de Municípios do RN (Fermurn), se reuniram para deliberar acerca da recomendação do comitê científico.

Na ocasião os representantes do MPRN e da Defensoria Pública defenderam a proibição de eventos de massa, o que não foi acatado pelo governo do RN.

Os órgãos consideram que as medidas impostas pelo governo do RN até o momento, apesar de serem importantes para a atividade econômica local, uma vez que buscam preservar o setor de promoção de eventos, são insuficientes para reduzir os índices da Covid-19.

Os órgãos reforçam que eventos de massa públicos ou privados possuem aptidão para amplificar a transmissão do vírus, já que grandes aglomerações são identificados como eventos “super espalhadores”

Além disso, ressaltam que a elevada transmissão da ômicron aumenta exponencialmente o risco do surgimento de novas variantes, que dificultam o encerramento da pandemia.

Continuar lendo DIANTE DA ALTA EM CASOS DE COVID-19 JUSTIÇA DO RN É ACIONADA PELA DEFENSORIA PÚBLICA E MP PARA QUE EVENTOS EM MASSA NO ESTADO SEJAM PROIBIDOS PELO GOVERNO

SEGUNDO A PREFEITURA DO NATAL, MENSAGEM DE TEXTO E LIGAÇÃO ALERTARÁ NATALENSES COM DOSES DA VACINA CONTRA COVID-19 ATRASADAS

Por g1 RN

 

Natalenses receberão mensagens pelo celular sobre a vacinação contra covid-19. — Foto: Carlos Dias/G1Natalenses receberão mensagens pelo celular sobre a vacinação contra covid-19. — Foto: Carlos Dias/G1

Moradores de Natal que registraram o número de celular no cadastro da vacinação contra a Covid-19 e que estão com doses em atraso vão passar a receber mensagens de texto e ligações alertando sobre a importância da conclusão do esquema vacinal.

A medida será utilizada para usuários que estão com a segunda ou terceira dose atrasadas, segundo o município.

“Ao todo, mais de 67 mil natalenses não completaram seu esquema vacinal, porém 35 mil pessoas cadastraram o telefone celular como forma de contato, então essas serão notificadas ou contactadas a procurar um ponto de vacinação”, explicou o secretário municipal de saúde de Natal, George Antunes.

De acordo com o município, a medida é possível graças a uma parceria firmada pela prefeitura com uma empresa de teleatendimento.

Na capital, 92% da população adulta (acima de 18 anos) iniciou o processo de imunização e, desse total, 85% encontram-se totalmente vacinados. Já na população com idade entre 12 a 17 anos, 71% iniciou o esquema vacinal, mas apenas 40% tomaram as duas doses.

Continuar lendo SEGUNDO A PREFEITURA DO NATAL, MENSAGEM DE TEXTO E LIGAÇÃO ALERTARÁ NATALENSES COM DOSES DA VACINA CONTRA COVID-19 ATRASADAS

VALIDADE DO CARTÃO DO IDOSO PARA TRANSPORTE PÚBLICO EM NATAL FOI PRORROGADA ATÉ 30 DE JUNHO PELA STTU

Por g1 RN

 

Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) RN Rio Grande do Norte — Foto: DivulgaçãoSecretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) RN Rio Grande do Norte — Foto: Divulgação

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) prorrogou até o dia 30 de junho a validade do cartão da pessoa idosa para o sistema de transporte público.

Segundo o órgão, a prorrogação foi motivada pelo aumento de contaminação da Covid e dos casos de síndrome gripal que acometem a capital potiguar e o estado atualmente.

A portaria foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) de sexta-feira (21) e passou a valer para todo o sistema, inclusive o transporte opcional de passageiros da capital.

Continuar lendo VALIDADE DO CARTÃO DO IDOSO PARA TRANSPORTE PÚBLICO EM NATAL FOI PRORROGADA ATÉ 30 DE JUNHO PELA STTU

JUÍZ FEDERAL DO TAXAS SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A ORDEM DE BIDEN PARA QUE TODOS OS FUNCIONÁRIOS FEDERAIS SEJAM VACINADOS CONTRA COVID-19

Juiz derruba ordem de Biden que obrigava vacinação de funcionários federais

Decisão é mais uma derrota para o presidente dos EUA

Bandeira dos Estados Unidos | Foto: Pexels

Bandeira dos Estados Unidos | Foto: Pexels

 

Um juiz federal do Estado do Texas decidiu na sexta-feira 21, em nível nacional, suspender temporariamente a ordem do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para que todos os funcionários federais sejam vacinados contra a covid-19.

Em liminar, o juiz Jeffrey Vincent Brown afirmou que Biden ultrapassou os limites de seus poderes. Dos quatro decretos de obrigatoriedade de vacina promulgados pelo presidente, três estão suspensos— a exigência se mantém apenas para profissionais da saúde.

Mais uma derrota para Biden

O parecer segue na esteira de uma decisão tomada na semana passada pela Suprema Corte dos EUA, que suspendeu a ordem de Biden para a obrigatoriedade de que empresas privadas exijam a vacinação de seus funcionários.

O magistrado disse que a decisão não é sobre se as pessoas devem ou não ser vacinadas, uma vez que “o tribunal acredita que devem”, nem se o governo federal pode exigir que seus funcionários tomem as injeções. “Em vez disso, trata-se de saber se o presidente pode, de uma só vez e sem a participação do Congresso, exigir que milhões de funcionários federais sejam submetidos a um procedimento médico como condição de seu emprego”, escreveu Brown.

Casa Branca reage

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse logo depois da decisão que caberia ao Departamento de Justiça decidir os próximos passos. Mas Psaki ressaltou que a ordem de vacinação já teria funcionado.

“Primeiro, deixe-me atualizá-lo que 98% dos funcionários federais estão vacinados. É um número notável”, disse ela, acrescentando que o governo estava “confiante em sua autoridade legal”.

Ao apresentar seus argumentos em defesa da obrigatoriedade de vacina, o governo Biden indicou dispositivos da lei em que cabe ao presidente estabelecer regras e regulamentos que regem a conduta e as condições de emprego dos trabalhadores federais.

Com informações de The Washington Times e Forbes

Continuar lendo JUÍZ FEDERAL DO TAXAS SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A ORDEM DE BIDEN PARA QUE TODOS OS FUNCIONÁRIOS FEDERAIS SEJAM VACINADOS CONTRA COVID-19

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho