Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

UTILIDADE PÚBLICA: RN FICA DE FORA NA REDUÇÃO DO DESEMPREGO NOS ESTADOS BRASILEIRO

Desemprego recua em 22 estados no segundo trimestre; RN fica de fora

Foto: Edu Garcia

O movimento que reduziu a taxa de desemprego a 9,3%, o menor nível desde 2016, foi guiado por 22 estados, refletindo a redução disseminada do número de profissionais desocupados no segundo trimestre de 2022.

No período, outros Amapá, Ceará, Rondônia, Mato Grosso e o Distrito Federal registraram estabilidade na movimentação do mercado de trabalho, mostram dados divulgados nesta sexta-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O estado de Pernambuco registrou o maior recuo da taxa de desemprego na passagem do primeiro para o segundo trimestre: com queda de 3,5 pontos percentuais na taxa de desocupação, de 17% para 13,6%. Alagoas, Pará, Piauí e Acre também se destacaram, com quedas de cerca de 3 pontos percentuais.

Já no confronto anual, contra o segundo trimestre de 2021, todas as 27 unidades da federação tiveram queda significativa da taxa de desocupação.

Conforme os dados da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), as maiores taxas de desocupação ao final do segundo trimestre foram apuradas na Bahia (15,5%), em Pernambuco (13,6%) e no Sergipe (12,7%), e as menores, em Santa Catarina (3,9%), no Mato Grosso (4,4%) e no Mato Grosso do Sul (5,2%).

A pesquisa mostra ainda que 73,3% dos empregados do setor privado tiveram a carteira assinada no segundo trimestre de 2022, com destaques para Santa Catarina (87,4%), São Paulo (81,0%) e Paraná (80,9%). Na parte debaixo do ranking ficaram Piauí (46,6%), Maranhão (47,8%) e Pará (51%).

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: RN FICA DE FORA NA REDUÇÃO DO DESEMPREGO NOS ESTADOS BRASILEIRO

PETROBRAS ANUNCIA NOVA QUEDA NO PREÇO DO DIESEL

Petrobras reduz em 4% preço do diesel vendido a distribuidoras, 2ª queda em agosto

Valor passará de R$ 5,41 para R$ 5,19 por litro, uma redução de R$ 0,22 ou 4%; anúncio vem uma semana após estatal cortar em R$ 0,20 preço do litro do combustível

CNN Brasil Business

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira nova queda no preço do diesel vendido a distribuidoras. O valor passará de R$ 5,41 para R$ 5,19 por litro, uma redução de R$ 0,22 por litro ou queda de 4%.

O anúncio vem uma semana após a estatal cortar em R$ 0,20 (ou 3,5%) o preço do litro do combustível.

A petroleira justificou a queda com os preços de referência do combustível no mercado global, que se estabilizaram em patamar inferior para o diesel.

A empresa disse que, considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 4,87, em média, para R$ 4,67 a cada litro vendido na bomba.

O novo valor começa a valer a partir desta sexta-feira (12).

No mês passado, a Petrobras anunciou duas reduções no preço da gasolina para as distribuidoras. No primeiro anúncio, no dia 19 de julho, a queda foi de R$ 0,20 por litro. Após pouco mais de uma semana, a estatal passou de R$ 3,86 para R$ 3,71 o litro do combustível.

No início desta semana, a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) disse que o diesel no mercado brasileiro estava 14% acima do praticado no mercado internacional, considerando a queda de 3,5%. O movimento vem em meio a uma desvalorização do petróleo e do dólar.

Fonte: CNN

Continuar lendo PETROBRAS ANUNCIA NOVA QUEDA NO PREÇO DO DIESEL

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: A ENERGIA EÓLICA CADA VEZ MAIS BARATA E SUSTENTÁVEL

A TECNOLOGIA, A REDUÇÃO DE CUSTOS E A SUSTENTABILIDADE CADA VEZ MAIOR NA ENERGIA EÓLICA É O DESTAQUE DA NOSSA COLUNA ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE. UMA STARTUP ALEMÃ ESTÁ CONSTRUINDO PEQUENAS TURBINAS EÓLICAS VOADORAS, EM FORMA DE PIPAS, QUE USAM 10 VEZES MENOS MATERIAL PELA METADE DO CUSTO DO QUE AS TORRES FEITAS DE CENTENAS DE TONELADAS DE CONCRETO E AÇO OU UMA FUNDAÇÃO PARA MANTER AS PONTAS DAS LÂMINAS NO AR. ENTÃO CONHEÇA ESSA SENSACIONAL INOVAÇÃO E SEUS DETALHES!

PIPAS DE ENERGIA RENOVÁVEL GERAM ENERGIA EÓLICA VOANDO PELO AR

 

Uma startup alemã está trazendo a leveza das pipas para a produção de energia verde, construindo pequenas turbinas eólicas voadoras que usam 10 vezes menos material pela metade do custo das opções tradicionais.

Em junho, a KiteKRAFT atingiu um marco importante com um protótipo de pipa de 7 pés, completando seu primeiro vôo em 8, o movimento que fornecerá a energia eólica do sistema.

O papagaio tem pequenas turbinas eólicas giratórias a bordo, que funcionam essencialmente como pontas de pás normais. Não é necessária uma torre feita de centenas de toneladas de concreto e aço ou uma fundação para manter as pontas das lâminas no ar, mas em vez disso usa algoritmos inteligentes para encontrar a melhor localização no ar.

Logística, instalação e inspeções são muito mais simples e o kite pode facilmente atingir ventos mais fortes em altitudes mais elevadas. “São possíveis economias de custo de mais de 50% em comparação com outras fontes”, diz a empresa em seu blog .

Outra vantagem é que um sistema kiteKRAFT é dificilmente visível (sem torres e sem lâminas enormes), o que muitas vezes suscita dúvidas públicas sobre tais estruturas em sua paisagem.

KiteKRAFT – pequenas turbinas eólicas voadoras 

“Estamos orgulhosos de ter chegado a esse ponto em pouco mais de um ano após a fundação da empresa”, disse o cofundador e CTO Florian Bauer.

Ele disse ao GNN que seu sistema de pipa é provavelmente semelhante a grandes turbinas eólicas quando se trata de interferir com os pássaros. “É por isso que provavelmente implementaremos um sistema de proteção contra pássaros relativamente cedo. Isso significa que essa pipa simplesmente vai pairando (automaticamente) se houver um bando de pássaros passando, e continua a produção logo em seguida. ”

Mas a competição com grandes parques eólicos não é seu objetivo. Sua missão é fornecer pequenas redes de energia, que normalmente são alimentadas por geradores a diesel e / ou energia solar.

Testes dos co-fundadores da KiteKRAFT em Munique, 2019Cada sistema kiteKRAFT possui vários sensores. O computador pipa executa algoritmos de software e usa os dados do sensor para voo autônomo e para gerar energia do vento de forma eficiente. Os proprietários do sistema kiteKRAFT e o pessoal de inspeção podem acessar a pipa remotamente com um aplicativo e visualizar os estados atuais ou transmissão de vídeo ao vivo das câmeras a bordo. O aplicativo também permite certos comandos, por exemplo, pousar a pipa para inspeção.

Em todos os momentos, o kite registra dados importantes de vôo e desempenho e os envia para os servidores do kiteKRAFT para análise pelos engenheiros da empresa, o que aumenta a confiabilidade futura.

Como a pipa é essencialmente “um computador com asas”, seu desempenho e confiabilidade devem melhorar exponencialmente com o passar dos anos, e esperamos ver a empresa decolar para grandes alturas.

ASSISTA o voo de teste abaixo …

 

Fonte: Good News Network

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: A ENERGIA EÓLICA CADA VEZ MAIS BARATA E SUSTENTÁVEL

AUMENTO DOS EMPREENDIMENTOS EM SÃO PAULO VEM ACOMPANHADO DA REDUÇÃO NO TAMANHO DOS IMÓVEIS

Microapartamentos e moradia por assinatura agitam mercado imobiliário em SP

Levantamento realizado por pesquisadores da USP mostra que, nos últimos 6 anos, mais de 250 mil imóveis compactos foram construídos na cidade

Do CNN Brasil Business

 

Na cidade de São Paulo, 82 mil imóveis foram lançados em 2021, segundo dados do Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Administração de Imóveis (Secovi-SP). Isso é mais que o total de imóveis disponíveis em Santos, a cidade mais vertical do país.

O aumento dos empreendimentos vem acompanhado de uma redução no tamanho dos imóveis. Um levantamento realizado por pesquisadores da USP mostra que, nos últimos 6 anos, mais de 250 mil imóveis compactos foram construídos na cidade – isso é, aqueles com até 45 m².

Com os preços do metro quadrado cada vez mais caros — dados do Fipezap mostram que o valor do metro quadrado está acima de R$ 8 mil em 50 cidades do país — e a flexibilização no trabalho consolidada em cada vez mais empresas, o jeito de morar nas grandes cidades está assumindo um novo formato.

boom dos microapartamentos

Microapartamentos são moradias com sala, quarto e cozinha em um só local. Em São Paulo, já existem imóveis com até 10 m².

Apesar de serem menores, esses microapartamentos oferecem mais serviços e comodidades. Áreas que ficavam dentro da casa, como sala de estar e lavanderia, por exemplo, são transportadas para a área comum do condomínio.

Essa é uma tendência em grandes metrópoles do mundo, especialmente entre jovens de classe média. Esses preferem viver em apartamentos menores, mas melhor localizados — em especial, mais perto do trabalho –, do que imóveis mais afastados dos centros urbanos.

Moradia por assinatura

Na busca por cada vez menos burocracia, outra tendência do mercado imobiliário é a moradia por assinatura.

A maneira como o inquilino contrata o imóvel está cada vez mais eficiente: feito quase que em totalidade pelo celular, com pouquíssima burocracia, alugando um apartamento já mobiliado.

Não só isso, mas as contas são consolidadas em apenas um boleto: aluguel, condomínio, luz – até lavanderia e serviços de streaming – são compilados em um pagamento por mês. É similar a fazer check-in em um hotel.

Dados do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) mostram que 80% dos jovens entre 16 e 24 anos não querem ter casa própria. Como explicado por Guilherme Ribeiro, professor em Negócios do Mercado Imobiliário na FIA, “existe uma demanda para essa facilidade, tanto para entrar, quanto para sair.” Demanda essa que cada vez mais startups buscam atender.

CNN Soft Business, que vai ao ar todos os domingos às 23h15 na CNN e nas plataformas digitais, falou também sobre como investir no mercado imobiliário, com dicas do analista de mercado imobiliário do BTG Pactual Gustavo Cambaúva.

Continuar lendo AUMENTO DOS EMPREENDIMENTOS EM SÃO PAULO VEM ACOMPANHADO DA REDUÇÃO NO TAMANHO DOS IMÓVEIS

PETROBRAS ANUNCIA NOVA REDUÇÃO NO PREÇO DA GASOLINA VENDIDA ÀS DISTRIBUIDORAS

Petrobras anuncia redução de R$ 0,15 no preço da gasolina

Foto: Gustavo Moreno

A Petrobras anunciou, nesta quinta-feira (28/7), que irá reduzir em 3,88% o preço da gasolina vendida às distribuidoras. O valor médio do litro do combustível passará de R$ 3,86 para R$ 3,71 – uma diminuição de R$ 0,15. Após uma série de altas, esta é a segunda redução sobre o valor médio da gasolina anunciada pela Petrobras em menos de duas semanas. O preço do combustível já havia diminuído R$ 0,20 no último dia 20.

“Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,81, em média, para R$ 2,70 a cada litro vendido na bomba”, informou a companhia.

A Petrobras é responsável por uma parcela do valor do combustível (nesse caso, R$ 2,70), mas há outros fatores: ICMS, impostos federais (que estão zerados), o custo do etanol e da revenda e distribuição.

A redução, segundo a Petrobras, “acompanha a evolução dos preços de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina, e é coerente com a prática de preços da estatal, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PETROBRAS ANUNCIA NOVA REDUÇÃO NO PREÇO DA GASOLINA VENDIDA ÀS DISTRIBUIDORAS

BOLSONARO VOLTA PEDIR REDUÇÃO DA TARIFA EXTERNA COMUM DO MERCOSUL PARA COMBATER A INFLAÇÃO

 

Em cúpula, Bolsonaro volta a defender redução de tarifa comum do Mercosul para combater inflação

Em pronunciamento gravado aos líderes do bloco, presidente afirma trabalhar para “combater internamente as causas das pressões sobre os preços dos combustíveis e da energia”

CNN

em São Paulo

Presidente Jair Bolsonaro falou aos líderes do Mercosul nesta quinta-feira (21)Presidente Jair Bolsonaro falou aos líderes do Mercosul nesta quinta-feira (21)Isac Nobrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a pedir a redução da Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul em pronunciamento gravado e exibido nesta quinta-feira (21) durante encontro dos líderes do bloco, reunidos em Assunção, no Paraguai.

Bolsonaro afirmou que o Brasil tem atuado para que o Mercosul tenha papel importante no enfrentamento dos atuais choques externos.

“Defendemos a redução da Tarifa Externa Comum, o que dará uma importante contribuição no combate à inflação. Também temos conferido prioridade às negociações com grandes parceiros comerciais do Mercosul. O mundo de hoje precisa de mais comércios e investimentos”, afirmou.

Em encontro anterior da cúpula, em dezembro do ano passado, Bolsonaro havia lamentado o fato de o Mercosul não ter revisado as tarifas.

“Durante a presidência paraguaia, também fomos ativos defensores da agenda digital e se serviços, da integração produtiva nos setores de saúde e farmacêutico, do aprimoramento da infraestrutura física e logística e do fortalecimento do agronegócio sustentável. Todas essas são áreas fundamentais para enfrentarmos os desafios globais atuais em estarmos bem preparados para o futuro”, disse.

Os Ministérios das Relações Exteriores e da Economia divulgaram uma nota conjunta nesta quinta-feira informando que, durante reunião do Conselho do Mercado Comum,  em 20 de julho, o Mercosul acordou reduzir em 10% as alíquotas da Tarifa Externa Comum (TEC) para a maior parte do universo tarifário, resguardadas as exceções já existentes no bloco.

“Trata-se de passo importante para aumentar a competitividade dos países do bloco e para o fortalecimento dos processos produtivos regionais, de maneira a promover uma inserção benéfica da produção do Mercosul nas cadeias globais de valor”, diz em nota.

As pastas dizem ainda que o entendimento alcançado considera as diferentes necessidades dos sócios, demonstrando a capacidade do Mercosul de avançar com vocação construtiva em direção à atualização e à adaptação de sua estrutura tarifária às atuais condições do comércio regional e mundial, de forma equilibrada no que diz respeito às capacidades produtivas do bloco.

“Esta é a primeira revisão horizontal da estrutura tarifária do bloco desde que a TEC foi estabelecida em 1995. A medida vale para cerca de 80% do universo tarifário e aproxima os níveis tarifários praticados pelo Brasil e demais sócios do bloco da média praticada internacionalmente, sobretudo pelos os países membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)”.

Preços dos combustíveis e agricultura

O presidente também mencionou ações para conter a alta no preço dos combustíveis e garantia do suprimento para a agricultura.

“Estamos trabalhando para combater internamente as causas das pressões sobre os preços dos combustíveis e da energia, que nos últimos meses vinha afetando o poder de compra do povo brasileiro”, disse.

“Temos assegurado o suprimento de fertilizantes para nossa agricultura que é fundamental para a segurança alimentar de parte do mundo”, completou.

(Publicado por Lucas Rocha, da CNN)

Continuar lendo BOLSONARO VOLTA PEDIR REDUÇÃO DA TARIFA EXTERNA COMUM DO MERCOSUL PARA COMBATER A INFLAÇÃO

SAIBA QUAIS OS ESTADOS BRASILEIRO QUE ANUNCIARAM REDUÇÃO NA ALÍQUOTA DO ICMS SOBRE O ETANOL

Onze estados e o DF anunciam redução da alíquota do ICMS sobre etanol

Os cortes ocorrem em importantes mercados para o biocombustível, que concorre com a gasolina

Fabrício Julião

Carolina Figueiredo

da CNN

em São Paulo

Frentista abastece carro com etanol em posto de combustíveis em São PauloFrentista abastece carro com etanol em posto de combustíveis em São Paulo09/03/2007 REUTERS/Sergio Moraes

Pelo menos onze estados e o Distrito Federal anunciaram a redução da alíquota do ICMS sobre o etanol nesta segunda-feira (18).

Os cortes ocorrem em importantes mercados para o biocombustível que concorre com a gasolina.

Os estados que anunciaram a redução são: São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Goiás, Paraná, Roraima, Espírito Santo, Bahia, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte, além do Distrito Federal.

A estimativa do governo paulista é de que o corte leve a uma queda de 17 centavos no litro do etanol nas bombas.

O anúncio foi feito pelo governador Rodrigo Garcia (PSDB), por meio da sua conta oficial no Twitter.

“Fiquem de olho e acionem o Procon se o valor (do combustível) não cair”, alertou o governador.

A redução em São Paulo terá impacto de R$ 563 milhões na arrecadação até o fim do ano, com uma renúncia de receita estimada em R$ 125,1 milhões ao mês.

Em Minas Gerais, segundo estado a anunciar a redução pela manhã desta segunda, o ICMS para o biocombustível foi reduzido de 16% para 9%.

“Além de seguir aliviando o bolso dos mineiros, a redução do imposto manterá a competitividade do biocombustível, importante gerador de empregos em nosso Estado”, escreveu no Twitter o governador mineiro Romeu Zema (Novo).

Conforme previsto na PEC dos Benefícios, que incorporou a PEC dos Biocombustíveis, os preços do etanol devem ser competitivos em relação aos outros combustíveis.

No entanto, segundo a analista de economia da CNN Priscila Yazbek, integrantes do setor dizem que a redução do ICMS pode não ser repassada totalmente, pois as empresas querem recompor parte das margens perdidas recentemente.

A decisão ocorre após todos os 26 estados e o Distrito Federal anunciarem a redução do ICMS sobre os combustíveis no início deste mês.

Queda nos preços

Os preços médios do etanol hidratado caíram nos 26 Estados e no Distrito Federal na semana passada, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas.

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o país, o preço médio do etanol recuou 2,43% na semana em relação à anterior, de R$ 4,520 para R$ 4,410 o litro.

Em São Paulo, a cotação média caiu 2,14%, de R$ 4,210 para R$ 4,120 o litro.

Roraima foi a unidade da Federação com maior recuo porcentual de preços na semana, de 9,80%, de R$ 6,120 para R$ 5,520 o litro.

O preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 3,390 o litro, em Minas Gerais. Já o preço máximo na semana foi registrado no Rio Grande do Sul, a R$ 7,890 o litro.

O menor preço médio estadual foi observado em Mato Grosso, de R$ 3,91 o litro, enquanto o maior preço médio estadual foi verificado no Amapá, de R$ 6,01.

Na comparação mensal, o preço médio do biocombustível no país caiu 11,84%. O estado com maior baixa porcentual no período foi Mato Grosso, com 19,73% de desvalorização mensal do etanol.

Fonte: CNN

Continuar lendo SAIBA QUAIS OS ESTADOS BRASILEIRO QUE ANUNCIARAM REDUÇÃO NA ALÍQUOTA DO ICMS SOBRE O ETANOL

ECONOMIA: TARIFA DE ENERGIA ELÉTRICA DE POTIGUARES SOFRERÁ REDUÇÃO

Potiguares terão redução na tarifa de energia elétrica

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Internet

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira (12), a revisão das tarifas nas contas de luz de 10 distribuidoras de energia.

As revisões tarifárias ocorrem duas semanas após o governo sancionar uma lei que determina a devolução integral de créditos tributários (PIS/Cofins) cobrados indevidamente nos últimos anos. A mesma legislação obriga que a agência reavalie reajustes que já haviam sido aprovados no início deste ano.

Consern

Como previsto, a Aneel aprovou a redução da tarifa do consumidor da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) em 1,51%. O relator do processo, Ricardo Lavorato Tili, votou por uma redução média a ser percebida de -1,54%, sendo de -1,51% para os consumidores conectados à alta tensão e de -1,54% em média para os consumidores de de baixa tensão.

O voto foi acompanhado pelos outros diretores da agência e passa a vigorar a partir do dia 13 de julho de 2022. A Cosern pertence ao grupo Neoenergia e atua em 167 municípios, atendendo a 1,4 milhões de unidades consumidoras, cerca de 3,5 milhões de habitantes.

Continuar lendo ECONOMIA: TARIFA DE ENERGIA ELÉTRICA DE POTIGUARES SOFRERÁ REDUÇÃO

SEGUE SEM ACORDO COM OS ESTADOS A PROPOSTA DE REDUÇÃO OU ZERAR ICMS DOS COMBUSTÍVEIS

Governadores defendem dois modelos de compensação para zerar ICMS sobre combustíveis

Proposta ainda será alinhada com a Câmara

Gabrielle Varela

João Victor Soares

da CNN

Em Brasília

Segue sem acordo com os estados a proposta de redução ou zerar o ICMS sobre combustíveis. Após reunião com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), governadores não saíram satisfeitos com a ideia do governo de compensação do imposto.

De acordo com o Projeto de Lei Complementar (PLP) 18/22, já aprovado na Câmara, a compensação pelo governo federal seria por meio do abatimento das dívidas dos estados com a União em caso de queda de mais de 5% da arrecadação.

“O que dialogamos com o Senado para que o Senado entenda que estamos no meio do exercício fiscal e que é natural que se isso ocorrer precisamos mexer na lei de responsabilidade fiscal para que os prefeitos e governadores não incorra em ações de improbidade. Segundo ponto, as compensações necessárias para que a gente mantenha o princípio da boa gestão fiscal,” afirmou o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia.

Contudo, foi feita uma nova proposta pelos estados para que haja dois modelos de compensação: o primeiro modelo seria de suspensão do pagamento de dívida dos estados que têm débitos com a União por um prazo a ser calculado por cada governo, que é caso de 22 estados.

Rodrigo deu exemplo de São Paulo, que seria necessário um prazo de suspensão de dois anos da dívida, que atualmente é de R$ 25 bilhões por ano. “Suspensão. Por quê? Isso vai para o estoque da dívida. Isso é a melhor forma de você manter fiscal brasileira, mas você suspende o pagamento e joga para o estoque,” completou o governador paulista.

O segundo modelo abordado é de compensação com os recursos de dividendos da Petrobras, que atenderia estados sem dívidas, sendo 5 apenas. Na proposta, se controla os preços da Petrobras com subsídio direto, transparente no orçamento com lucro que entrar.

Para o governador da Bahia, Rui Costa (PT), haverá perda de recursos na saúde e educação caso não haja compensação da Petrobras na redução dos impostos.

“Estamos tirando dinheiro da saúde e da educação para aumentar ainda mais o lucro extraordinário, as importadoras de petróleo nunca ganharam tanto dinheiro no Brasil, dono de posto de gasolina nunca ganhou tanto dinheiro, a Petrobras nunca ganhou tanto dinheiro, então o que estamos alertando é que o objetivo que é louvável, de reduzir o preço, não será alcançado e vai provocar uma grande crise fiscal nos municípios e estados,” completou.

O relator da proposta, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB/PE), tem reunião nesta quarta (8) com os secretários de Fazenda e com a Câmara para alinhar um texto para ser apresentado ainda nesta semana do projeto de lei complementar como da PEC dos Combustíveis.

Continuar lendo SEGUE SEM ACORDO COM OS ESTADOS A PROPOSTA DE REDUÇÃO OU ZERAR ICMS DOS COMBUSTÍVEIS

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

Por g1 RN

 

Leitos vazios — Foto: DivulgaçãoLeitos vazios — Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte alcançou neste sábado (14) a marca de 30 dias sem nenhuma nova morte confirmada por Covid-19, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

Ao todo, desde o primeiro caso em março de 2020, o estado contabilizou 8.196 vidas perdidas para a doença. Ainda há 1.406 óbitos suspeitos.

A Sesap atribui a redução das mortes ao avanço da vacinação da população. No grupo acima dos 60 anos, por exemplo, a cobertura vacinal do estado atingiu toda a população estimada com as duas doses e está em 90% para a dose de reforço.

“Com o avanço da vacinação conseguimos uma melhora gradativa, tanto na transmissão como nos casos de internação, sendo a maioria dos internados ainda sem seu esquema vacinal completo. Reforçamos a importância da vacina em todos os públicos para continuarmos num cenário confortável e esperançoso”, afirma o secretário Cipriano Maia.

Atualmente, o estado tem 2.959.606 pessoas vacinadas com a primeira dose, o que representa 93% da população. Com a segunda dose, são 2.669.722, totalizando 84%. Com a terceira dose. 1.535.563, ou 48% da população.

Ao todo, 7,2 milhões de doses foram aplicadas em todos os municípios potiguares.

Ao longo da pandemia, a rede pública de saúde chegou a abrir 840 leitos de UTI e clínicos nos momentos mais críticos.

Neste sábado (14), a plataforma RegulaRN apontou 67 leitos de UTI reservados para pacientes acometidos pela Covid-19, sendo onze ocupados. Ainda estavam disponíveis 88 leitos clínicos, com apenas cinco pacientes internados.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

BOAS NOTÍCIAS: ESTUDOS DO ACADÊMICO HANS ROSLING DEMONSTRAM QUE O MUNDO ESTÁ MELHORANDO

Na sessão BOAS NOTÍCIAS desta quarta-feira temos um notícia espetacular. O mundo está melhorando, constata o acadêmico sueco Hans Rosling, apesar das inúmeras notícias ruis que a imprensa midiática espalha pelo mundo. Leia reportagem completa, a seguir e veja porque.

O mundo está melhorando, comprova levantamento

Imagem de capa para O mundo está melhorando, comprova levantamentoFoto: Pixabay

Pode não parecer, mas o mundo está melhorando sim! Apesar de tanta notícia ruim que a mídia comum derrama diariamente na cara da gente, números oficiais comprovam que está acontecendo uma evolução silenciosa, que cresce a cada década.

É o que mostra um levantamento feito pelo acadêmico sueco Hans Rosling em seu livro Factfulness – factualidade, em tradução livre.

Na publicação, Hans mostra gráficos que comprovam questões importantes como o aumento da expectativa de vida, as reduções da mortalidade infantil, da desigualdade social, da pobreza extrema, dos conflitos/guerras e o avanço da democracia.

Veja os principais pontos do livro:

1. Aumenta a expectativa de vida 

Durante a Revolução Industrial, em 1.770, a expectativa de vida nos países europeus não ultrapassava 35 anos. As taxas muito altas de mortalidade infantil e morte de mulheres durante o parto diminuíam. Doenças comuns na época e erradicadas hoje, como varíola ou peste, também eram um grande problema. A expectativa de vida hoje passa dos 80 anos na Europa, Oceania, Américas, Ásia e Rússia. Na África chega aos 60 anos.

grafico-vida-close

2. Cai a mortalidade infantil 

Há mais de um século, a taxa de mortalidade infantil ultrapassava 10%, mesmo em países com alto nível de renda, como os Estados Unidos e o Reino Unido. Graças à medicina moderna, à previdência social e saúde pública, esse número foi reduzido nos países ricos até quase ser eliminado. Além disso, as economias em desenvolvimento, como a Índia e o Brasil, têm taxas de mortalidade infantil muito menores do que as economias hoje desenvolvidas tinham há um século, com um nível de renda muito semelhante. A taxa hoje é inferior a 10% em todos os países.

grafico-mortalidade-close

3. Índices de natalidade em queda

Embora muitas pessoas estejam preocupadas com o crescimento da população mundial, a realidade é que as taxas de natalidade diminuíram consideravelmente. As estimativas de longo prazo da Organização das Nações Unidas indicam que a população mundial se estabilizará em cerca de 11 bilhões até o final deste século. Em muitos países em desenvolvimento, como o Brasil, a China e várias nações africanas, optaram por seguir uma política de baixa natalidade. Para muitas economias avançadas, essa transição levou quase 100 anos (começando com a Revolução Industrial), mas outras conseguiram isso em duas ou três décadas.
grafico-nascimentos-close

4. O crescimento do PIB 

Estados Unidos e a Europa Ocidental, líderes tecnológicos, cresceram cerca de 2% ao ano nos últimos 150 anos, o que significa que os níveis de renda dobraram aproximadamente a cada 36 anos. Levando em conta que houve inúmeros altos e baixos durante longos períodos de tempo, como a Grande Depressão ou a recente Grande Recessão, é quase um milagre que a taxa de crescimento permaneça constante a longo prazo. Países com baixo nível de renda, como a China ou a Índia, têm crescido a um ritmo mais acelerado nas últimas décadas, tanto que se aproximam inexoravelmente dos países ocidentais. Uma taxa de crescimento de 10% durante um período prolongado significa que a renda dobrará aproximadamente a cada sete anos. Em 1820 países como China, Índia, Oeste da Ásia e Japão tinham renda per capita na faixa de US$ 1.000. EUA e Europa ficavam entre US 2.100 e US$ 2.400. Hoje EUA passam de 52 mil, Europa 40 mil e Japão US$ 35 mil. Abaixo aparecem China com US$ 12 mil per capita, Leste da Asia 10 mil, Índia 6 mil, África US$ 4.500, números de 2016.

grafico-pib-close

5. Melhora distribuição de renda

Embora a desigualdade social dentro dos países tenha aumentado como resultado da globalização, a desigualdade mundial permanece em declínio por várias décadas, em decorrência do desenvolvimento de países como a China e a Índia, onde centenas de milhões de pessoas melhoraram seu nível de vida. De fato, pela primeira vez desde a Revolução Industrial, cerca de metade da população mundial pode ser considerada de classe média. Veja o gráfico:

grafico-desigualdade

6. A democracia avança

Ao longo da história da humanidade, as pessoas viveram submetidas a regimes opressivos antidemocráticos. Hoje, cerca de metade da população mundial vive em democracia. Entre as que ainda estão em autocracias, 90% vivem na China. No entanto, o país asiático está mudando de rumo, então, há razões para acreditar que o desenvolvimento econômico sustentado levará a sua democratização (de acordo com a Teoria da Modernização).

7. Menos conflitos/guerras

A história do mundo é a história de sua divisão pelos conflitos. De fato, pelo menos duas das grandes potências estiveram em guerra durante mais de 50% do tempo desde 1500, aproximadamente. Enquanto a primeira metade do século XX foi especialmente sangrenta, com duas guerras mundiais em um pequeno intervalo, o período posterior poderia ser descrito como pacífico. Pela primeira vez em toda a história não houve guerras ou conflitos na Europa Ocidental em três gerações, e organizações internacionais como a União Europeia e as Nações Unidas têm sido peças fundamentais para trazer estabilidade ao mundo.

grafico-conflitos

Com informações do ElPais

Fonte: Só Notícias Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: ESTUDOS DO ACADÊMICO HANS ROSLING DEMONSTRAM QUE O MUNDO ESTÁ MELHORANDO

EQUIPE DO HOSPITAL SÍRIO LIBANÊS EM SÃO PAULO VISITA HGJM PARA PARA INICIAR DESENVOLVIMENTO DO PROJETO SAÚDE EM NOSSAS MÃOS

Hospital João Machado participa de projeto nacional para redução de infecções em UTI’s

Redação/Portal da Tropical

– Atualizado em:

Foto: Divulgação/Sesap

O Hospital Geral Dr. João Machado (HGJM) recebeu a visita da equipe do Hospital Sírio Libanês, de São Paulo, para iniciar o desenvolvimento do projeto Saúde em Nossas Mãos – Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil.

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital foi uma das UTI’s selecionadas para o projeto, que visa reduzir em 30%, até 2023, as Infecções Relacionadas à Assistência em Saúde em 20 UTI’s do SUS em todo o Brasil.

“A equipe aproveitou para aproveitar cada momento de gestão e comunicação pelo projeto. Hospital Geral João Machado.

O projeto Saúde em Nossas Mãos é uma iniciativa do Ministério da Saúde, realizada por meio de hospitais alemães Oswaldo Cruz; HCor – Hospital do Coração; Hospital Moinhos de Vento; Hospital Albert Einstein; e Hospital Sírio-Libanês).

O hospital participante tem uma ferramenta dedicada ao projeto, que deseja implantar como práticas seguras e prevenção de infecções em suas UTIs, de modo que se torne disseminado o uso dos protocolos de segurança em outras áreas do hospital.

Continuar lendo EQUIPE DO HOSPITAL SÍRIO LIBANÊS EM SÃO PAULO VISITA HGJM PARA PARA INICIAR DESENVOLVIMENTO DO PROJETO SAÚDE EM NOSSAS MÃOS

ENTREVISTA COM PRESIDENTE DO INSS É INTERROMPIDA POR ASSESSORA E DEIXA PERGUNTA SEM RESPOSTA

Por g1 DF e TV Globo

 

Assessora interrompe entrevista e não deixa novo presidente do INSS responder a perguntaAssessora interrompe entrevista e não deixa novo presidente do INSS responder a pergunta

Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano assumiu a presidência do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) no dia 7 de abril. Ele substitui José Carlos Oliveira, nomeado Ministro do Trabalho e Previdência no lugar de Onyx Lorenzoni (PL), que pretende disputar o governo do Rio Grande do Sul.

Serrano é servidor público e já atuava no INSS como diretor e presidente substituto. Na última semana, a jornalista Mônica Carvalho, da TV Globo, conversou com ele sobre as novas regras para a análise de pedidos de benefícios.

No entanto, o que mais chamou a atenção foi a pergunta não respondida por ele. Ao ser questionado sobre o aumento no volume de trabalho – ao mesmo tempo em que há uma diminuição no quadro de servidores – a assessora interrompeu a entrevista. Alegando que a agenda estava “muito corrida”, ela impediu que o presidente do INSS falasse (veja vídeo cima).

A jornalista falava sobre o aumento no número de pedidos para concessão de benefícios, ao mesmo tempo em que há menos servidores para analisar estas demandas. “É verdade ou possível que os analistas estejam decidindo mais rapidamente pelo indeferimento para desafogar o trabalho?“, questionou a jornalista e, neste momento, sem que Serrano iniciasse uma resposta, a entrevista foi encerrada pela assessora.

Veja abaixo outros temas da conversa com o novo presidente do INSS, Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano:

Desafios para 2022

Segundo o presidente, o grande desafio do INSS para este ano é reaproximar o instituto da população. “É a gente poder voltar a ter esse atendimento presencial nas nossas agências, voltar o atendimento para a população, fazer as pazes com a população, ter essa presença do INSS, de novo, como referência de bom atendimento à sociedade”.

Nova instrução normativa

INSS publicou, no final de março, uma nova instrução normativa e mais 10 portarias que alteram regras para a análise dos pedidos de benefícios. Na entrevista, Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano prometeu que, “nos próximos dias”, será publicada no site da autarquia, toda a explicação sobre como vão funcionar as novas regras.

“A gente vai trazer essa instrução normativa até num modelo um pouco mais interativo para que as pessoas acessem e consultem, que tenham uma interpretação daquilo, um caso prático aplicado, um comparativo, como era antiga redação e como ficou agora”, diz o presidente.

Segundo ele, “a ideia é trazer, já que é uma norma grande, uma norma que baliza todo o serviço da Previdência, dar um destaque um pouco maior para instrução normativa dentro do nosso portal

Constantes pedidos de documentação para beneficiados

A jornalista Mônica Carvalho questionou o presidente do INSS sobre a incompreensão, por parte do cidadão, pelos inúmeros pedidos de documentação e provas, “mesmo que já tenham sido entregues previamente”. Conforme Serrano, problemas desse tipo devem acabar quando as informações da Previdência Social estiverem totalmente informatizadas.

“É importante destacar que, com a modernização, a base de dados do INSS detém muitas informações: informações de vínculos, de trabalhos anteriores, de salários. Boa parte disso tá no nosso sistema. Lógico que essa informação foi construída ao longo de décadas, então, a gente também tem informações que são da década de 60, 70, época que a gente não tinha sistema informatizado e, justamente, às vezes, nesses períodos é que a gente tem lapsos de informação, e por muitas vezes é necessário pedir documentação complementar”, respondeu Guilherme Gastaldello Pinheiro Serrano.

Como saber qual documentação apresentar para o pedido?

Perguntado sobre a responsabilidade do segurado, de estar ciente sobre a documentação apresentada, ou se o aplicativo poderia notificar o cidadão sobre essas necessidades, o presidente disse que a responsabilidade cabe ao segurado.

“No momento do requerimento, o cidadão é orientado [sobre] qual a documentação necessária para aquela análise. No nosso site existe uma documentação mínima que a gente orienta que seja anexada, e, ao longo do requerimento, aparecem alguns campos pra ele [cidadão] ir anexando documentação”, diz Serrano.

“Caso no momento da análise do processo seja identificado que falta um documento ou complementação de documentação, a nossa instrução diz que, se não for possível analisar com os documentos constantes, tem que ser emitida uma carta de exigência solicitando uma documentação complementar”, aponta o presidente do INSS.

Fonte: G1 

Continuar lendo ENTREVISTA COM PRESIDENTE DO INSS É INTERROMPIDA POR ASSESSORA E DEIXA PERGUNTA SEM RESPOSTA

SEGUNDO LEVANTAMENTO DO SERASA, MAIS DE UM TERÇO DOS BRASILEIROS TIVERAM REDUÇÃO DE RENDA DEVIDO IMPACTOS CAUSADOS PELA PANDEMIA

Mais de um terço dos brasileiros tiveram redução de renda durante a pandemia

Segundo levantamento da Serasa e Opinion Box, as finanças de 34% da população foram reduzidas após dois anos de Covid-19

Fabrício Julião

do CNN Brasil Business

em São Paulo

Consumidores fazem compras em rua comercial de São PauloConsumidores fazem compras em rua comercial de São Paulo21/12/2020REUTERS/Amanda Perobelli

Um levantamento realizado pela Serasa e pelo Opinion Box apontou que pouco mais de um terço dos brasileiros tiveram redução de renda devido aos impactos da pandemia do coronavírus.

A pesquisa “Pandemia e os Impactos Financeiros” mostrou como a vida financeira dos brasileiros foi afetada após dois anos de enfrentamento da Covid-19 e os reflexos dessas transformações nos hábitos de consumo, lazer e comportamento.

Cresceu também o número de pessoas que afirmaram ter verificado aumento nas despesas. Saltou de metade, no ano passado, para 63% este ano.

No entanto, mesmo com o aumento de gastos e a queda da renda, os brasileiros voltaram a pagar as contas em dia. O percentual de pontualidade subiu de 46% em 2021 para 51% em 2022.

O estudo chama a atenção para os números da região Centro-Oeste. A pesquisa constatou que 62% dos entrevistados da região realizam o pagamento das contas em dia, — a maior proporção em relação ao geral do país.

Corte de gastos

Em razão dos impactos financeiros, houve aumento no corte de gastos. Para passar a pandemia sem dívidas ou sem atrasar as contas, 51% dos entrevistados disseram ter cortado os gastos desnecessários, enquanto em 2021 eram 46% nessa situação.

Além disso, 42% revelaram que começaram a se planejar mais, contra 21% em 2021. Isso fez com que os brasileiros começassem a guardar recursos para casos de imprevistos — 67% disseram que dão mais importância em ter dinheiro guardado, 62% admitiram ter aprendido a cuidar melhor do capital e 54% perceberam que gastavam muito com o que não precisavam.

Ainda assim, mesmo que a consciência tenha aumentado, a reserva financeira dos brasileiros diminuiu um pouco durante a pandemia. Em fevereiro de 2021, 50% disseram terem dinheiro guardado. Agora, esse percentual caiu para 48%.

Fonte: CNN

Continuar lendo SEGUNDO LEVANTAMENTO DO SERASA, MAIS DE UM TERÇO DOS BRASILEIROS TIVERAM REDUÇÃO DE RENDA DEVIDO IMPACTOS CAUSADOS PELA PANDEMIA

PESQUISA INDICA QUEDA NA RENDA MÉDIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA EM RELAÇÃO AO TRIMESTRE ANTERIOR

Renda média do brasileiro cai 1,1% no trimestre até janeiro; queda anual chega a 9,7%

Indicador iniciou sequência de quedas desde a redução do valor do auxílio emergencial, em setembro de 2020

João Pedro Malar

do CNN Brasil Business

em São Paulo

Renda média caiu de R$ 2.518 para R$ 2.489Renda média caiu de R$ 2.518 para R$ 2.489Getty Images/EyeEm

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) referente ao trimestre encerrado em janeiro indicam que a renda média da população caiu 1,1% em relação ao trimestre anterior, encerrado em outubro, indo de R$ 2.518 para R$ 2.489. A divulgação foi feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (18).

Na comparação anual – com o trimestre englobando novembro e dezembro de 2020 e janeiro de 2021 – a queda foi ainda maior, de 9,7%. Naquele período, a renda média foi de R$ 2.755.

“Embora haja expansão da ocupação e mais pessoas trabalhando, isso não está se revertendo em crescimento do rendimento dos trabalhadores em geral”, diz a coordenadora de trabalho e rendimento do IBGE, Adriana Beringuy.

A especialista destaca ainda que, a retração dos rendimentos, que costuma ser associada ao trabalhador informal, esteve disseminada para outras formas de inserção e não apenas às relacionadas à informalidade.

Nenhum dos setores da economia analisados teve alta na renda dos empregados. Na indústria, a queda foi de 4,1%, cerca de R$ 102, e ocorreu mesmo com alta nos empregos com carteira

A área de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais teve recuo de 2,1% na renda média, cerca de R$ 76. O segmento de serviços domésticos teve queda na renda média de 3,1%, cerca de R$ 30.

Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas caiu 6%, cerca de R$ 130, enquanto informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas registrou queda de 7,5%,cerca de R$ 288.

Segundo os dados da Pnad Contínua, a renda média da população iniciou uma tendência de queda a partir de setembro de 2020 (então em R$ 2.876), mesmo mês em que o governo federal reduziu pela metade o valor do auxílio emergencial criado durante a pandemia. Além da perda do valor, o cenário de crise econômica, com atividade menor e inflação alta, afeta a renda da população.

O IBGE divulgou nesta manhã que a taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em janeiro. O número é o menor para o período desde 2016, e fica 0,9 ponto percentual abaixo da taxa registrada no trimestre anterior, encerrado em outubro.

Continuar lendo PESQUISA INDICA QUEDA NA RENDA MÉDIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA EM RELAÇÃO AO TRIMESTRE ANTERIOR

SAIBA TUDO SOBRE A REDUÇÃO DO INTERVALO DO D2 E APLICAÇÃO DO D3 EM NATAL

Natal reduz o intervalo do D2 da Pfizer e vai aplicar D3 em pessoas acima de 18 anos; confira

Redação / Portal da Tropical

 Atualizado em: 03

Foto: Joana Lima / Prefeitura de Natal

A partir de sexta-feira (03) todas as pessoas que receberam ou imunizantes contra Covid-19 através do laboratório da Pfizer e que aparecem com intervalo de 21 dias da primeira dose podem procurar um dos pontos de vacinação para receber a D2.

“A redução do intervalo se dá pelas novas remessas do imunizante sentida pelo Ministério da Saúde”, justificou a Secretaria Municipal de Saúde da capital.

Outra novidade na vacinação é a divulgação do cronograma para recebimento da dose de reforço, a D3. “Qualquer pessoa que tenha completado cinco meses da segunda dose com qualquer imunizante pode ser vacinada”, afirmou. A decisão vai beneficiário da população com 18 anos ou mais a partir da próxima sexta-feira (10).

“A Prefeitura do Natal reforça a importância de completar o esquema vacinal e lembra que além das salas de vacinação das Unidades Básicas de Saúde que funcionam de segunda a sexta das 8h às 16h, têm pontos extras na Praça da Árvore que funciona de quinta a domingo das 18h às 22h, e os drives da Via Direta e Nélio Dias que funcionam de segunda a sábado das 8h às 16h “, reforçou.

Todos os locais de vacinação e dúvidas podem ser acessados ​​através do site: https://vacina.natal.rn.gov.br/ .

Veja o calendário:

A partir de 04,12 – 45 anos e mais
06,12 – 40 anos e mais
07,12 – 35 anos e mais
08,12 – 30 anos e mais
09,12 – 25 anos e mais
10,12 – 18 anos e mais

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo SAIBA TUDO SOBRE A REDUÇÃO DO INTERVALO DO D2 E APLICAÇÃO DO D3 EM NATAL

BRASIL DEVE ELEVAR SUA META DE REDUÇÃO DE GASES DO EFEITO ESTUFA

Em vídeo para COP26, Brasil prevê aumentar meta de redução de emissões até 2030

O anúncio deverá ser feito pelo presidente Jair Bolsonaro, por vídeo, na primeira participação do Brasil na COP26

Lourival Sant’Anna

da CNN

Em São Paulo

O Brasil deve elevar sua meta de redução de gases do efeito estufa. O governo brasileiro já comunicou a decisão à secretária-executiva da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática (UNFCCC), Patricia Espinosa.

O anúncio deverá ser feito amanhã de manhã (horário de Brasília), em um vídeo gravado na quinta-feira (28) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com legendas em inglês. Ele será exibido no stand da Confederação Nacional da Indústria (CNI), na Conferência sobre Mudança Climática (COP26), em Glasgow.

A meta atual para 2030 é 43%. O novo número ainda está em discussão, mas deve ficar entre 45% e 48%.

O Brasil está sob pressão para elevar sua meta, depois que vários países aumentaram as suas, diante de novas evidências científicas de que as atuais não são suficientes para manter o aquecimento global em no máximo 2ºC até 2050, e preferencialmente 1,5ºC — a meta do Acordo de Paris, de 2015.

Além disso, o Brasil reviu para cima o inventário de emissões de 2005, nos quais baseia sua Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC), o nome técnico das metas.

O inventário passou de 2,1 bilhões de toneladas de gás carbônico equivalente para 2,8 bilhões. Com isso, a manutenção da meta em 43% significa, na prática, que o Brasil poderia aumentar suas emissões, em termos absolutos.

Acaba de sair um novo inventário que reduz as emissões brasileiras em 2005 para 2,4 bilhões. A cada cinco anos o inventário é revisto, de acordo com as regras da UNFCCC, que evoluem junto com a ciência. O inventário é elaborado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Metano

Por outro lado, o Brasil não vai ceder às pressões para aderir ao grupo de 60 países que se comprometem a reduzir as emissões de gás metano de 2020 em 30% até 2030. A meta comprometeria a produção agropecuária do Brasil: 27% das emissões causadas pela atividade humana vêm da pecuária bovina e 9%, do cultivo de arroz irrigado.

Na visão do governo brasileiro, é uma meta vaga, já que os países não se comprometem individualmente com ela. Além disso, não há metas para outros gases específicos, como o dióxido de carbono, emitido predominantemente pelo uso de combustíveis fósseis nos países desenvolvidos.

As NDCs, conforme o Acordo de Paris, são calculadas em gás carbônico equivalente, o que inclui todos os gases do efeito estufa: vapor de água, dióxido de carbono, metano, ozônio, óxido nitroso e clorofluorcarbonos.

Continuar lendo BRASIL DEVE ELEVAR SUA META DE REDUÇÃO DE GASES DO EFEITO ESTUFA

GOVERNO DO RN LIMITA ISENÇÃO DE ICMS PARA APENAS SETE SITUAÇÕES DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E PREJUDICA O PÚBLICO BENEFICIADO

Nelter apela ao governo do RN para rever isenção do ICMS das pessoas com deficiência

15 out 2021

Justiça decreta indisponibilidade de bens de deputado e de 'servidora fantasma' da Assembleia do RN | Rio Grande do Norte | G1

O conteúdo dos recentes decretos governamentais do RN relativos à isenção do ICMS para pessoas com deficiência foram o tema do pronunciamento do deputado Nelter Queiroz (MDB) durante a sessão plenária híbrida desta quinta-feira (14) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. O deputado afirmou que a redução das limitações, para apenas sete situações, vem prejudicando o público beneficiado.

“Fui procurado por várias pessoas que tem problemas de processo de ICMS, que solicitam seus direitos. Mas de 2020 para cá os decretos no RN estão prejudicando a vida das pessoas com deficiência”, questionou o deputado.

Nelter exemplificou citando ter sido procurado por uma consultora de vendas do ramo automobilístico, relatando que um dos problemas gerados pelo decreto é a exigência do laudo comprovador da deficiência ser emitido pelo Detran, mas se esta pessoa não for o condutor, ao procurar o órgão, não pode receber o laudo.

“Há uma incoerência muito grande por parte do governo, pois para deficientes visuais e mentais a Secretaria de Tributação aceita laudos externos, mas cobra laudos do Detran para os não condutores e o mesmo Detran diz que não emite laudos para eles, os não condutores”, observou.

Outro ponto questionado por Nelter foi que a isenção do ICMS teve uma redução do rol de limitações para sete. “Enquanto o governo do Estado restringe a concessão desses direitos de ICMS, o governo federal concede isenção de IPI, o imposto federal, para 14 limitações. Outra observação importante, mais outro absurdo, é que mulheres com câncer de mama, que retiraram uma das mamas ou ambas as mamas e que perderam a força dos braços, de acordo com os decretos do governo, não têm mais direito à isenção de ICMS, estando aptas a dirigir quaisquer carros quando sabemos que não há possibilidade nenhuma”, questionou o deputado.

Nelter finalizou dizendo que vem recebendo reclamações sobre o tratamento concedido pelos médicos do Detran. “Os usuários dizem que são humilhados ao passar pelas juntas e são pessoas já fragilizadas com limitações”, afirmou.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo GOVERNO DO RN LIMITA ISENÇÃO DE ICMS PARA APENAS SETE SITUAÇÕES DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E PREJUDICA O PÚBLICO BENEFICIADO

LIDERANÇAS PARLAMENTARES COBRAM RESPOSTA DO GOVERNO DO RN EM RELAÇÃO A REDUÇÃO DE INVESTIMENTOS EM RESTAURANTES POPULARES DO ESTADO

Lideranças parlamentares destacam os cortes nos investimentos dos restaurantes populares

01 set 2021

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Durante a Sessão Plenária desta terça-feira (31), os líderes parlamentares utilizaram o horário para levantar temas de ordem Econômica, da Saúde e também da Segurança. Além disso, cobraram respostas por parte do governo estadual em relação à redução dos investimentos nos restaurantes populares do Estado.

Iniciando os discursos, o deputado Tomba Farias (PSDB) falou sobre a falta de segurança na zona rural e também acerca das condições dos hospitais públicos do Estado.

“Eu recebi uma carta de um agricultor, o senhor José Gomes, de 77 anos, com algumas deficiências físicas e mora com o irmão, também idoso e cardiopata. Ele descreve a situação de falta de segurança em sua propriedade rural, localizada em Tangará, que já foi assaltada 8 vezes, na maior parte de dia. E quando eles foram prestar queixa na delegacia não receberam assistência. E no final ele pede ajuda à governadora para viver em paz na sua propriedade”, relatou.

Na sequência, o parlamentar falou também da situação da Saúde do Estado. “No Hospital Walfredo Gurgel, faltam fios de sutura e tubos de anestesia geral. O povo está clamando para ter os seus membros amputados e, mesmo assim, às vezes volta para casa sem ser atendido. Além disso, faz 3 anos que não há licitação para que a pessoa tenha cadeira de roda ou prótese de membros amputados”, detalhou.

Tomba ainda destacou outros problemas em diversos setores da sociedade. “As estradas estão ao ‘Deus-dará’. A segurança não anda bem. As escolas, só agora passaram a ser reformadas, mesmo com o fechamento longo na pandemia. E agora foi anunciado o corte nos restaurantes populares”, repudiou falando também sobre “Proerd, farmácia básica, divisão de ICMS com IPVA, restaurantes populares instalados nos interiores, segurança ruim, estradas mal cuidadas. O que temos para comemorar? Pagamento de salário não se comemora, porque é obrigação. Então, fica aqui o meu repúdio”, concluiu.

Em seguida, o deputado Souza (PSB) deu destaque a legislações em prol da agricultura e à Semana do Pescado 2021, celebrada no período de 1º a 15 de setembro.

“Primeiro, eu gostaria de agradecer à governadora pela regulamentação por decreto da Lei 10.479/2019, de nossa autoria, que estabelece todas as etapas de produção da melopolinicultura, ou seja, extração do mel das abelhas sem ferrão. Isso permite que o RN seja pioneiro na regulamentação das pequenas atividades do setor agropecuário. Vale ressaltar que a legislação é fruto da articulação de várias entidades, como Sebrae, Associação de Melopolinicultores do RN, Jovens Agropecuaristas (Joca), UFERSA, Idiarn, Emater e Secretaria de Agricultura e Pesca”, disse.

De acordo com Souza, essa lei permite que se possa aumentar a expectativa de novos produtores, porque de fato podem comercializar seus produtos.

“A lei estabelece, dentre outras coisas, os requisitos para classificação e permite o manejo, a produção e a comercialização e extração de forma sustentável”, acrescentou.

Outro ponto comentado pelo parlamentar foi a produção de pescado no RN. “Como presidente da Frente Parlamentar da Pesca, digo que temos muito o que comemorar na Semana do Pescado. Por exemplo, a produção atuneira, especialmente em Areia Branca, que é responsável por mais de 50% da produção de atum do Estado, gerando mais de 2 mil empregos diretos e indiretos”, ressaltou.

Dando continuidade ao horário das lideranças, Nelter Queiroz (MDB) chamou a atenção dos deputados da base do governo para a situação de cortes na alimentação dos restaurantes populares.

“Esse governo foi eleito se dizendo de base popular. Então eu quero expor aqui a mais nova decisão do governo, que não está olhando para os mais simples. Ela cortou a alimentação de quase 3.500 pessoas dos restaurantes populares, por dia”, recriminou.

Segundo Nelter, em Santa cruz, as refeições cairão de 800 para 500 diárias; em Jucurutu, de 300 para 180; em João Câmara, de 500 para 290. Em Natal, no bairro do Planalto, de 500 para 310; em Mossoró, de 800 para 390; dentre outras cidades. “Serão quase 3.500 pessoas que vão deixar de ter esse almoço diário, que custa apenas R$ 1 real”, lamentou.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo LIDERANÇAS PARLAMENTARES COBRAM RESPOSTA DO GOVERNO DO RN EM RELAÇÃO A REDUÇÃO DE INVESTIMENTOS EM RESTAURANTES POPULARES DO ESTADO

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: A SUBSTANCIAL REDUÇÃO DO CONSUMO DE DIESEL, NUM PERÍODO DE 24 ANOS NA CALIFÓRNIA, RESULTOU EM 78% DE REDUÇÃO DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

A natureza agradece a iniciativa das autoridades e da própria população no que tange a redução do consumo de diesel, combustível com alto teor de enxofre e à substituição dos navios a diesel por elétricos, no Estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Num período de 24 anos a quantidade de DPM (material particulado de diesel) nos céus da Califórnia caiu 78%, enquanto as mortes cardiopulmonares e por câncer relacionadas à poluição do diesel caíram 82%. Convido você a ler o artigo completo a seguir e tomar conhecimento de como isso foi possível!

Em 24 anos, a Califórnia reduziu a poluição atmosférica tóxica em 78%, resultando em 82% menos mortes atribuíveis

Os padrões de controle da poluição do ar da Califórnia reduziram drasticamente a quantidade de partículas de diesel no ar e as mortes cardiopulmonares atribuíveis à qualidade do ar.

Cientistas da UC Berkeley estão saudando os padrões do motor a diesel do estado e outras medidas impostas ao longo de vários anos, mesmo em face da flexibilização das regulamentações ambientais nos últimos anos.

Se alguém nunca viu as fotos da cidade de Los Angeles antes do Clean Air Act, elas parecem algo saído do filme Escape from LA Mas o incentivo ao abandono dos combustíveis com alto teor de enxofre e à substituição dos navios a diesel por elétricos reduziu gradualmente o show de terror – apesar do fato de ainda hoje haver mais carros registrados no estado da Califórnia do que em qualquer outro estado.

“Nossa análise das emissões de DPM (material particulado de diesel) de origem móvel sugere que muitas políticas setoriais da Califórnia têm sido altamente eficazes em relação ao resto dos Estados Unidos”, escrevem os autores do artigo publicado na Science .

Eles descobriram que do período entre 1990 e 2014, a quantidade de DPM nos céus da Califórnia caiu 78%, enquanto as mortes cardiopulmonares e por câncer relacionadas à poluição do diesel caíram 82%.

A maior queda veio de reboques de trator, o que não é surpreendente, dado o fato de que costumam rodar com diesel e cobrem muitos quilômetros. Reduções também foram observadas em veículos de passeio e de construção, bem como no setor marítimo.

O consumo geral de diesel na Califórnia realmente aumentou ao longo deste período, o que sugere que os mandatos para mudar para combustíveis mais refinados e adaptar os veículos existentes com filtros de poluição são estratégias altamente eficazes (ambos são recomendados para implementação em outros estados pelos cientistas de Berkeley).

Movimentos em direção ao transporte elétrico público e privado, como a ordem executiva do governador Newsom para proibir a venda de veículos movidos a combustível fóssil após 2035, devem limpar os céus da Califórnia substancialmente mais – e será uma conquista importante de uma das maiores economias do país.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: A SUBSTANCIAL REDUÇÃO DO CONSUMO DE DIESEL, NUM PERÍODO DE 24 ANOS NA CALIFÓRNIA, RESULTOU EM 78% DE REDUÇÃO DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

O VOLUME DO COMÉRCIO NO RN TEVE REDUÇÃO 1,1% NO MÊS DE JANEIRO EM COMPARAÇÃO A DEZEMBRO DE 2020

 Comércio do RN tem redução de 1,1% em janeiro

Redação / Portal da Tropical

 – Atualizado em: 

O volume de vendas do comércio comercial do Rio Grande do Norte diminuiu 1,1% em comparação com dezembro de 2020. Essa é a primeira redução para um mês de janeiro desde 2016. É o que mostra a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do IBGE.

A redução do volume de vendas do varejo brasileiro (- 0,2%) foi menos acentuada que no estado potiguar. Das 27 unidades da federação, apenas quatro tiveram resultados positivos. O estado de Minas Gerais (8,3%) teve o maior crescimento, enquanto que o Amazonas (- 29,7%) registrou com a maior queda.

Varejo ampliado

A redução de 1,6% no volume de vendas do varejo ampliado potiguar é menor que a retração brasileira (2,6%) em janeiro. Na variação acumulada de 12 meses, uma queda é de 4,4%, a quinta maior do Brasil nesta comparação. O varejo ampliado compreende o comércio acrescido de material de construção e “veículos, motocicletas, partes e peças”.

Crescimento nos serviços do RN é um dos maiores do Nordeste em janeiro

O volume de serviços no Rio Grande do Norte tem o maior crescimento do Nordeste, em janeiro, ao lado de Pernambuco (1,6%) e Paraíba (1,6%). O avanço de 1,6% em comparação com dezembro de 2020 é maior do que a média do Brasil (0,6%). No primeiro mês do ano, os serviços cresceram em 12 unidades da federação. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE.

Apesar do desempenho na comparação com o mês anterior, o acumulado de 12 meses registra queda de 16,8%, uma das maiores do Brasil ao lado de Alagoas (16,9%). A média nacional teve redução de 8,3%. Apenas Amazonas (0,9%) e Rondônia (0,1%) apresentam resultados positivos na variação acumulada de 12 meses.

Síntese do RN: janeiro de 2021

Comércio

Varejo

Continuar lendo O VOLUME DO COMÉRCIO NO RN TEVE REDUÇÃO 1,1% NO MÊS DE JANEIRO EM COMPARAÇÃO A DEZEMBRO DE 2020

ECONOMIA: IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO DE BICICLETAS SERÁ REDUZIDO, SEGUNDO ANUNCIOU O PRESIDENTE BOLSONARO

Bolsonaro anuncia redução no imposto de importação de bicicletas

Foto: Arquivo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na noite dessa quarta-feira (17) que o governo vai reduzir de 35% para 20% a alíquota do imposto de importação de bicicletas no Brasil até o final do ano. Em uma postagem nas redes sociais, em que aparece andando de bicicleta, o presidente escreveu que a medida foi uma decisão da Câmara de Comércio Exetior (Camex), do Ministério da Economia, e será publicada na edição de amanhã (18) do Diário Oficial da União (DOU).

“Atualmente o Imposto é de 35%. A CAMEX deliberou por diminuí-lo. Publicará no DOU de amanhã: para 30% em março/21; para 25% em julho/21; e para 20% em dezembro/21”, postou Bolsonaro.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ECONOMIA: IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO DE BICICLETAS SERÁ REDUZIDO, SEGUNDO ANUNCIOU O PRESIDENTE BOLSONARO

CIÊNCIAS: DONANEMAB, UM GRANDE AVANÇO NO TRATAMENTO DO ALZHEIMER

CIÊNCIAS: DONANEMAB, UM GRANDE AVANÇO NO TRATAMENTO DO ALZHEIMER
Woman holding senior woman's hand on bed

Donanemab é a mais nova vedete da grande farmacêutica Eli Lilly no combate ao Alzheimer apresentada como uma promessa real na redução do declínio da cognição, em testes clínicos de fase 2 em humanos. Um grande avanço para o tratamento da doença, capaz de reduzir significativamente o declínio clínico em 32% ao longo de 18 meses, visando um tipo de beta-amilóide conhecido como N3pG. O artigo a seguir vai esclarecer todas as suas dúvidas sobre a matéria!

Novo tratamento de Alzheimer mostra uma promessa real na redução do declínio da cognição usando anticorpos em testes em humanos

A grande empresa farmacêutica Eli Lilly acaba de demonstrar a eficácia do seu medicamento para Alzheimer, donanemab, em testes clínicos de fase 2 em humanos.

Os resultados são um grande avanço para o tratamento de uma doença que atualmente afeta seis milhões de americanos, mas que quase não tem métodos de alívio.

O mal de Alzheimer é causado pelo acúmulo de estruturas da proteína tau chamadas placas. Uma dessas placas, chamada beta-amilóide, é a principal culpada da doença neurodegenerativa.

O anticorpo experimental Donanemab foi mostrado em um ensaio com 272 pacientes com Alzheimer em estágio intermediário para reduzir significativamente o declínio clínico em 32% ao longo de 18 meses, visando um tipo de beta-amilóide conhecido como N3pG.

Vários marcadores, como cognição e melhor função cerebral, foram considerados positivos, embora outros não tenham mostrado melhora.

Os pacientes foram trocados de donanemab por um placebo depois que os níveis de beta-amilóide voltaram aos de uma pessoa saudável, um processo que levou apenas alguns meses em alguns participantes.

“Estamos extremamente satisfeitos com essas descobertas positivas para donanemab como uma terapia potencial para pessoas que vivem com a doença de Alzheimer, a única causa principal de morte sem um tratamento que retarda a progressão da doença”, disse  Mark Mintun, MD, vice-presidente de dor e neurodegeneração, Eli Lilly and Company.

Um efeito colateral de inchaço do cérebro, conhecido como ARIA-E, ocorreu em 27% dos pacientes tratados com donanemab, disse a empresa. No entanto, o Alzheimer não tem cura e é fatal, então geralmente esses efeitos colaterais são mais tolerados pelas regulamentações do FDA, uma vez que não há outras opções para os pacientes.

“A doença de Alzheimer é uniformemente fatal … Acho que esse perfil de segurança combinado com esse perfil de eficácia é algo que nos deixa entusiasmados”, disse Daniel Skovronsky, diretor científico da Lilly, à Reuters .

Um segundo ensaio com 500 participantes está sendo organizado com a esperança de que os efeitos possam ser replicados.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo CIÊNCIAS: DONANEMAB, UM GRANDE AVANÇO NO TRATAMENTO DO ALZHEIMER

EM JANEIRO VOLTA A BANDEIRA AMARELA E CONTA DE LUZ TERÁ REDUÇÃO

Por G1

 

Contas de luz voltam à bandeira amarela — Foto: TV Globo/ReproduçãoContas de luz voltam à bandeira amarela — Foto: TV Globo/Reprodução

As contas de luz voltam à bandeira amarela neste mês de janeiro de 2021, por determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A justificativa é de que a agência identificou melhoria no cenário de produção hidrelétrica, com elevação das vazões dos afluentes dos principais reservatórios.

A mudança deve provocar uma redução significativa no valor das contas em relação a dezembro, quando estava em vigor a bandeira vermelha patamar 2, o maior do sistema de bandeiras (veja na imagem abaixo).

Agora em janeiro, o preço da energia será de R$ 1,34 para cada 100 quilowatts consumidos por hora. Em comparação, em dezembro os brasileiros pagaram R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Bandeiras tarifárias — Foto: Juliane Monteiro/Arte G1

Bandeiras tarifárias — Foto: Juliane Monteiro/Arte G1

Continuar lendo EM JANEIRO VOLTA A BANDEIRA AMARELA E CONTA DE LUZ TERÁ REDUÇÃO

MENOR NÍVEL DE COMPROMETIMENTO COM A FOLHA DA ALRN É CHEGADO, APÓS REDUÇÃO DE DESPESAS

Assembleia reduz despesas e chega a menor nível de comprometimento com a folha

01 out 2020

Assembleia reduz despesas e chega a menor nível de comprometimento com a folha

 

No seu mais recente demonstrativo de despesas, a Assembleia Legislativa conseguiu reduzir ainda mais os custos com as despesas de pessoal. Os dados foram publicados no Diário Eletrônico 515, de terça-feira (29). Os números são relativos ao segundo quadrimestre de 2020 e revelam que o Legislativo do RN chegou a 2.09% do seu orçamento com as despesas da folha.

Isso significa que o Legislativo Estadual já pode, por exemplo, programar o próximo concurso público para contratação de servidores efetivos, conforme explica o diretor-geral da Casa, Augusto Carlos Viveiros. “Com esse índice estamos livres para providenciar concurso e todas as ações necessárias relativas à contratação de pessoal”, disse ele.

O diretor explicou que há três limites, o de 2,14%, quando o gestor precisa ficar em alerta; o de 2,26%, o prudencial e o limite máximo de 2,38%”, afirma. Augusto Carlos Viveiros afirmou que, em relação à possibilidade de concurso, já solicitou à Coordenadoria de Gestão de Pessoas o levantamento das vagas existentes, geradas pelas recentes aposentadorias dos servidores mais antigos. “Estamos felizes e comemorando porque é fruto do trabalho em equipe e da austeridade da gestão, norteada pelo Planejamento Estratégico.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo MENOR NÍVEL DE COMPROMETIMENTO COM A FOLHA DA ALRN É CHEGADO, APÓS REDUÇÃO DE DESPESAS

AÇÕES PARA REDUÇÃO DE TRIBUTOS E DEVOLUÇÃO DE PAGAMENTOS INDEVIDOS SÃO AJUIZADAS PELO SINDICATO DOS HOTEIS DO RN

Sindicato dos Hotéis ajuíza ações para redução de tributos e devolução de pagamentos indevidos

23 set 2020

Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do RN aposta em novo projeto de gestão empresarial « e-Turismo

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN) deu entrada na justiça em cinco ações que tem como objetivo reduzir tributos que impactam diretamente nas finanças dos empreendimentos associados, pois incidem na folha de salários e sobre o faturamento.

Para o presidente do SHRBS-RN, Habib Chalita, é muito importante que os associados procurem a sede do Sindicato para assim aderirem às referidas ações judiciais, de modo a aproveitar os benefícios tributários para seus empreendimentos. “A recuperação tributária chega em um momento importante para ajudar o setor a se reerguer diante da pandemia”, destacou.

As ações têm como base os seguintes pontos e o que é proposto em cada um: exclusão das verbas de natureza indenizatória da base de cálculo das contribuições previdenciárias. Nesse caso, a ação busca retirar da base de cálculo das contribuições previdenciárias verbas de natureza indenizatória, como o aviso prévio indenizado, hora extra, adicionais dentre outros, e busca também a devolução das quantias pagas indevidamente nos últimos cinco anos.

Já a ação que visa a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS quer aplicar entendimento definido pelo Supremo Tribunal Federal consolidou que o ICMS deve ser excluído da base de cálculo do PIS e da COFINS, já que não constitui receita da empresa.

E é dentro desse fundamento que os escritórios Macedo Dantas e Ramalho Advocacia e Jales Costa, Gomes e Gaspar Sociedade de Advogados têm argumentado a aplicação desse entendimento do STF no regime da substituição tributária. Além disso, buscam a devolução das quantias pagas indevidamente nos últimos cinco anos.

Outra ação diz respeito a limitação da base de cálculos das contribuições ao Sistema S e planeja reduzir a base de cálculo desses pagamentos, além de buscar os valores pagos a maior nos últimos cinco anos.

Há ainda a exclusão do ICMS sobre os valores constantes da fatura de energia relativos aos custos de distribuição e transmissão em que a ação judicial visa reduzir a base de cálculo do ICMS e buscar as quantias pagas indevidamente nos últimos cinco anos.

Por fim, a quinta ação trata da exclusão do ISS da base de cálculo do PIS e da COFINS e tem como argumento o fato do imposto em questão não constituir receita da empresa. Dessa forma, o Sindicato quer aplicar tal entendimento, como também buscar a devolução das quantias pagas indevidamente nos últimos cinco anos.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo AÇÕES PARA REDUÇÃO DE TRIBUTOS E DEVOLUÇÃO DE PAGAMENTOS INDEVIDOS SÃO AJUIZADAS PELO SINDICATO DOS HOTEIS DO RN

EM 8 DOS ÚLTIMOS 10 DIAS O RN REGISTROU MAIOR REDUÇÃO NA MÉDIA DIÁRIA DE MORTES POR COVID-19

RN registrou a maior redução na média diária de mortes por covid em 8 dos últimos 10 dias

 SAÚDE

Foto: reprodução/TV Globo

Pelo 10º dia seguido o RN registrou queda na média diária de mortes por Covid-19, de acordo com os dados das secretarias estaduais de Saúde compilados pelo consórcio dos veículos de imprensa. Nesta segunda-feira, a redução de óbitos por covid-19 no Rio Grande do Norte foi de 68%.

Em 8 dos últimos 10 dias o RN ficou em primeiro lugar na redução de número de óbitos causados pelo coronavírus. O comparativo é sempre feito em relação aos dados registrados 14 dias atrás.

Brasil

Após uma semana registrando queda, Brasil volta à estabilidade na média de mortes por Covid-19. A média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 731 óbitos, uma queda de 15% em relação aos dados registrados em 14 dias.

A média móvel de casos foi de 28.849 por dia, uma redução de 28 % em relação aos casos registrados em 14 dias.

Fonte: Blog do BG
Continuar lendo EM 8 DOS ÚLTIMOS 10 DIAS O RN REGISTROU MAIOR REDUÇÃO NA MÉDIA DIÁRIA DE MORTES POR COVID-19

REDUÇÃO DAS TARIFAS DE IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DA CESTA BÁSICA É AVALIADA PELO GOVERNO FEDERAL

Governo estuda reduzir tarifas de importação de produtos da cesta básica

Raquel Landim

Por Raquel Landim, CNN  

06 de setembro de 2020 às 11:00

SupermercadoCorredor com prateleiras abastecidas em supermercado
Foto: Nathália Rosa/Unplash

O governo federal avalia reduzir temporariamente as tarifas de importação de arroz, milho e soja para combater a alta do preço da cesta básica, informaram à CNN três fontes da administração Jair Bolsonaro (sem partido).

Ainda não há decisão tomada sobre o assunto, mas está em análise incluir esses produtos na lista de exceções da Tarifa Comum do Mercosul. O objetivo é estimular as importações, aumentando a concorrência e reduzindo preços.

Na quinta-feira, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) divulgou uma carta pública reclamando de aumentos em produtos da cesta básica. No acumulado de 12 meses até julho, a alta chega a 25,5% no arroz, 23,5% no óleo de soja e 48,4% no feijão.

O forte aumento dos preços é resultado da desvalorização do real, que encarece as commodities agrícolas em dólar, e do pagamento do auxilio emergencial durante a pandemia, que estimulou a demanda da população por mais alimentos.

Em viagem ao interior de São Paulo na sexta-feira (4), o presidente Jair Bolsonaro disse que iria se reunir com representantes das cadeias varejistas e pediu “patriotismo” ao setor para reduzir a margem de lucro e conter a alta dos preços.

A alternativa em estudo pelo governo, no entanto, não é intervencionista e visa estimular a concorrência barateando os produtos importados.

A taxa de importação é de 12% no arroz e de 8% na soja e no milho. Segundo fontes do setor, boa parte desses alimentos não estão mais nas mãos dos produtos, mas dos cerealistas.

Fonte: CNN
Continuar lendo REDUÇÃO DAS TARIFAS DE IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DA CESTA BÁSICA É AVALIADA PELO GOVERNO FEDERAL

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho