Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

LIQUIDA NATAL ESTÁ NA 20ª EDIÇÃO E ESPERA MOVIMENTAR MAIS DE R$ 200 MILHÕES EM VENDAS

Por G1 RN

 

Liquida Natal segue até 5 de setembro — Foto: ReproduçãoLiquida Natal segue até 5 de setembro — Foto: Reprodução

A 20ª edição da Liquida Natal teve início nesta sexta-feira (27), na capital potiguar e na região metropolitana. Cerca de 4 mil estabelecimentos participam da campanha promocional promovida pela CDL Natal, que segue até o dia 5 de setembro.

A Liquida Natal é considerada a segunda melhor data para o comércio da capital e deve movimentar mais de R$ 215 milhões em vendas.

“A nossa expectativa é a melhor possível porque esse ano nós estamos com tudo favorável. Tivemos tempo para planejar, fizemos o workshop com os colaboradores das empresas, aumentamos a premiação. Fizemos tudo que estava ao nosso alcance. Agora é só esperar que o lojista tenha consciência, faça uma oferta bacana porque isso aí vai repercutir de forma muito positiva”, falou o presidente da CDL Natal, José Lucena.

Com a ampliação de vacinação da população e a sinalização de recuperação econômica do setor, houve um crescimento no número de adesões de lojas no comparativo com o último ano. “Nós tivemos quase 2.500 adesões em 2020, e esse ano estamos perto de 4 mil. Todos os shoppings vão participar, todos estão com os horários até 22h. As lojas virtuais são uma realidade. Esse ano não tem aquela desculpa pra você não ir pro mercado. O mercado está esperando por você”, reforçou.

Débora Marinho, gerente de marketing de uma loja no bairro do Alecrim, um dos principais centros comerciais de Natal, destacou a importância da campanha e fez o chamado aos clientes. “O desconto mínimo aqui é de 20% e o máximo de 50%. Para você que esperou o momento de comprar aquela roupa, aquela peça que você estava procurando, esse é o momento”, falou.

Na Liquida Natal, a cada R$ 50 em compras o consumidor ganha um cupom para concorrer aos prêmios – um carro 0 Km, cinco TVs de LED 40 polegadas e um caminhão de prêmios. Os vendedores concorrerão a sete vale-compras no valor de R$ 1.000 cada.

Continuar lendo LIQUIDA NATAL ESTÁ NA 20ª EDIÇÃO E ESPERA MOVIMENTAR MAIS DE R$ 200 MILHÕES EM VENDAS

VENDA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS EM BARES E RESTAURANTES E TOQUE DE RECOLHER AOS DOMINGOS E FERIADOS ESTÃO LIBERADOS NO RN PELO GOVERNO DO ESTADO

Por Leonardo Erys e Sérgio Henrique Santos, G1 RN e Inter TV Cabugi

 

Governo do RN libera venda de bebida alcoólica em bares e restaurantes e cancela toque de recolher aos domingos - Novo Portal

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), anunciou que o novo decreto de medidas de combate à Covid-19 vai autorizar a venda de bebidas alcóolicas em bares e restaurantes e que manterá o toque de recolher apenas noturno, das 22h às 5h – e não mais o integral em domingos e feriados.

O novo decreto será publicado nesta terça-feira (11) e valerá pelos próximos 14 dias. Segundo a gestora, nele também serão ampliadas as atividades escolares e será permitido a prática de esportes coletivos, assim como a liberação para funcionamento de parques. As atividades religiosas também serão ampliadas.

Segundo confirmou a assessoria do governo do RN à Inter TV Cabugi, em relação às escolas estará autorizado o ensino híbrido para a rede privada e estadual, com aulas presenciais ou remotas – a depender dos pais. A exceção é para alunos do 8º e 9º ano do ensino fundamental e para estudantes do 1º ano do ensino médio que, segundo o decreto, vão continuar apenas com ensino remoto.

A situação da rede estadual, no entanto, segue indefinida neste momento, já que a questão está na Justiça. Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) anulou uma decisão da Justiça do RN que determinava o retorno imediato das aulas presenciais no estado. O governo do RN, portanto, precisou revogar a autorização. A ação no STF foi protocolada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte/RN).

Segundo o vice-governador do estado, Antenor Roberto, há “um esforço para a construção de um plano de retomada das atividades da rede pública estadual, considerando as condições epidemiológicas e a luta para a data de vacinação dos professores e trabalhadores na rede de educação”. Segundo ele, há uma audiência de conciliação marcada para avançar na volta às aulas da rede estadual.

Já os bares também estão liberados a ter música ao vivo, assim como o consumo de bebidas alcóolicas será autorizado em hotéis e pousadas para clientes.

“É um retorno gradual. Vai ter que manter o distanciamento, a redução do número de mesas, todos esses protocolos vão ter que ser observados. Os protocolos seguem definidos. O grande apelo que nós fazemos é que a população não pode interpretar essas medidas como uma liberação, como se a doença tivesse ido embora. Muito pelo contrário, a doença está ainda de forma a nos assustar, a impactar e pressionar a rede de assistência”, explicou o vice-governador Antenor Roberto à Inter TV Cabugi.

“Diante do quadro epidemiológico que ainda inspira muitos cuidados, e levando-se em consideração a realidade socioeconômica, estamos prorrogando algumas medidas por 14 dias. No entanto, alguns ajustes já puderam ser iniciados”, disse Fátima Bezerra no Twitter.

“Nós estamos sempre levando em consideração o comportamento da Covid, a pressão que exerce sobre a a nossa rede de assistência, o grau de infecção, mas um olhar também nas atividades econômicas, dos empreendedores. Ou seja, em outras necessidades que a sociedade tem no seu funcionamento, sobretudo quando não tem e não teve no processo uma coordenação do governo federal”, falou o vice-governador Antenor Roberto.

Situação atual

A taxa de ocupação para leitos críticos voltados a pacientes com Covid-19 chegou a 100% nas regiões Oeste e Seridó do Rio Grande do Norte nesta terça-feira (11). Os dados são do sistema Regula RN, usado na administração dos leitos no sistema público de saúde.

No estado como um todo, a taxa de ocupação é de 92,5%.

A taxa de ocupação dos leitos públicos no estado está acima de 90% desde o dia 1º de março, chegando a ficar apenas duas vezes na casa dos 89% (em 24 de abril e 5 de maio), segundo o Regula RN.

Nesta terça, o Regula RN apontava 39 pacientes esperando um leito crítico no estado para 21 leitos disponíveis. Atualmente, o sistema público tem 419 leitos crítico, sendo 378 ocupados, 21 disponíveis e 20 bloqueados.

A média de solicitações por um leito de UTI chegou a 139 na segunda-feira (10) – a maior já registrada no estado foi de 149 em 15 de março.

Abril com mais mortes

Abril foi o mês com mais mortes registradas por Covid-19 desde o início da pandemia no RN, superando março. Ao todo, morreram 939 pessoas vítimas da doença em 30 dias.

O levantamento foi feito pelo G1 baseado nos boletins epidemiológicos da doença e nos dados diários divulgados pela Sesap. Segundo a pasta, algumas das mortes contabilizadas nos boletins não acontecem necessariamente nos dias em que são registradas.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo VENDA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS EM BARES E RESTAURANTES E TOQUE DE RECOLHER AOS DOMINGOS E FERIADOS ESTÃO LIBERADOS NO RN PELO GOVERNO DO ESTADO

FLEXIBILIZAÇÃO NO DECRETO DO PREFEITO DE NATAL TEM ALGUMAS DIVERGÊNCIAS COM O DO ESTADO

Por Sérgio Henrique Santos e Augusto César Gomes

 

Álvaro Dias (prefeito de Natal) e Babá Pereira (presidente da FEMURN) se reúnem com Abrasel, ABIH, CDL, Fecomércio — Foto: Samuel Florêncio/Inter TV CabugiÁlvaro Dias (prefeito de Natal) e Babá Pereira (presidente da FEMURN) se reúnem com Abrasel, ABIH, CDL, Fecomércio — Foto: Samuel Florêncio/Inter TV Cabugi

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, anunciou nesta quinta-feira (22) que não vai seguir na íntegra o novo decreto de flexibilização anunciado mais cedo pela governadora Fátima Bezerra. Em reunião na sede da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) com representantes da Abrasel, ABIH, CDL, Fecomércio e Natal Convention Bureau, ele destacou “algumas divergências com o governo do estado com relação ao decreto”. As principais discordâncias são referentes à venda de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes e ao toque de recolher integral aos domingos e feriados.

“Resolvemos elaborar um decreto alternativo com o apoio das entidades representativas, das classes produtivas, das prefeituras do interior do estado que estão concordando com a nossa decisão, com o apoio da Femurn”, declarou.

O prefeito declarou ter ciência que “existe uma pandemia instalada” e citou a abertura de 51 novos leitos de UTI e mais 300 leitos de enfermaria para coronavírus. “Diminuiu a pressão, a situação está bem melhor do que antes. E agora está se instalando aqui em Natal a pandemia da fome”, completou.

Principais diferenças entre os decretos

Regras do governo do RNRegras da prefeitura de Natal
Toque de recolher das 22h às 5h de segunda a sábado e integral aos domingosToque de recolher das 22h às 5h de segunda a domingo
Venda de bebida alcoólica proibida em bares e restaurantesVenda de bebida alcoólica em bares e restaurantes permitida até 22h
Bares e restaurantes podem abrir de segunda a sábado até 21h, e aos domingos, das 11h às 15hBares e restaurantes podem abrir de segunda a domingo até 22h

Entre as mudanças anunciadas pelo governo, o toque de recolher foi reduzido e passa a valer das 22h às 5h a partir de 24 de abril – antes, era das 20h às 6h. O governo também vai autorizar a ampliação do horário de funcionamento de bares e restaurantes, permitindo que os estabelecimentos também abram aos domingos – quando vale o “toque de recolher integral” – das 11h às 15h. A venda de bebidas alcoólicas para consumo em lugares públicos, incluindo bares e restaurantes, em qualquer dia ou horário, continua proibida.

Em uma primeira divergência do decreto do governo, o prefeito assegurou a liberação de venda e consumo de bebida alcoólica nos bares e restaurantes “desde que dentro do horário de funcionamento, até as 22h”.

Álvaro Dias contou que “o grande motor da geração de emprego e renda em Natal é o turismo. São os restaurantes, as pousadas, os hotéis, os bares, que precisam funcionar para manter os empregos dos garçons, dos cozinheiros e precisam também se manter e sobreviver”.

Estes estabelecimentos também poderão funcionar aos domingos e feriados até 22h, diferentemente do apontado pelo governo. A música ao vivo continua vetada. Álvaro garantiu também que a fiscalização para o cumprimento das normas será mantida pela Guarda Municipal, STTU e Semurb.

“Nós resolvemos tomar essa decisão de dar uma flexibilização maior do que o governo do estado, entendendo que estamos fazendo isso com toda responsabilidade e cautela possível”.

Babá Pereira, prefeito de São Tomé e presidente da Femurn, que comandou a reunião na tarde desta quinta-feira, ressaltou que “vamos orientar que o decreto do prefeito de Natal possa ser seguido pelos municípios do nosso estado”.

O presidente da Femurn ressaltou que os dois principais pontos de divergência com o governo e os municípios foram a lei seca e o toque de recolher aso domingos e feriados. “O governo chegou com o decreto já pronto, mas, inclusive, pedimos para analisar essa possibilidade, pelo menos da lei seca. O governo foi intransigente e disse que não, que o decreto era daquele jeito e não tinha mais o que fazer”.

Escolas

No novo decreto, que ainda será publicado no Diário Oficial do Estado, o governo indicou que as escolas públicas e privadas poderão funcionar com aulas presenciais para turmas até o 5º ano do ensino fundamental. As outras deverão manter ensino em formato online.

O prefeito de Natal revelou a formalização de um convênio com o Sebrae “para instalar um protocolo rígido para proteger as crianças” com o intuito de “liberar o retorno das aulas gradativamente”.

“É outro ponto que pode aí estar divergindo com o governo do estado, mas nós vamos permitir o retorno às aulas de acordo com o estabelecimento desse protocolo que está sendo discutido e elaborado entre a equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação e o Sebrae”, disse.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo FLEXIBILIZAÇÃO NO DECRETO DO PREFEITO DE NATAL TEM ALGUMAS DIVERGÊNCIAS COM O DO ESTADO

EMPRESAS DO SETOR FARMACÊUTICO FORAM MULTADAS PELO GOVERNO POR VENDAS DE MEDICAMENTOS ACIMA DO PREÇO AUTORIZADO

Governo multa empresas em R$ 15,2 mi por venda de medicamentos acima do preço

Anvisa também alertou contra os riscos da medicação indiscriminada no tratamento da Covid-19

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

Atualizado 05 de abril de 2021 às 22:23

ComprimidosComprimidos Foto: Pixabay

Empresas do setor farmacêutico terão de pagar R$ 15,2 milhões em multas aplicadas pelo governo federal por venderem medicamentos usados no tratamento da Covid-19 acima do preço autorizado, informou a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nesta segunda-feira (5).

As multas foram aplicadas pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (SCMED), órgão interministerial cuja secretaria-executiva é exercida pela Anvisa.

As fiscalizações que acabaram gerando as punições começaram a ser feitas em julho de 2020, “quando foi criada uma força-tarefa específica para atuar durante a pandemia de Covid-19”, diz a nota da agência.

Entre julho de 2020 e março de 2021, 139 processos já foram instaurados e foram aplicadas 64 multas em empresas do ramo farmacêutico.

Anvisa alerta contra uso indiscriminado de medicamentos

Também nesta segunda-feira, a Anvisa alertou em seu site contra o uso indiscriminado de medicamentos contra a Covid-19. A agência disse estar acompanhando “possíveis efeitos adversos graves” gerados pela automedicação e pela prescrição médica fora das diretrizes clínicas.

Em documento intitulado “Notificação de eventos adversos a medicamentos”, a Anvisa destacou que “todo medicamento apresenta riscos associados ao seu consumo e o seu uso deve ser baseado na relação benefício-custo”.

No texto, a agência incluiu referências a outros documentos oficiais em que afirma que “não existem estudos conclusivos” que comprovem a eficácia de medicamentos como a ivermectina, a cloroquina e a hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19.

Continuar lendo EMPRESAS DO SETOR FARMACÊUTICO FORAM MULTADAS PELO GOVERNO POR VENDAS DE MEDICAMENTOS ACIMA DO PREÇO AUTORIZADO

DEPUTADO DO PT APRESENTOU PROJETO DE LEI QUE OBRIGA A INSERÇÃO DE LINK DO CÓDIGO DO CONSUMIDOR EM SITES DE VENDAS OU LOJAS VIRTUAIS

Deputado Francisco do PT quer disponibilizar Código do Consumidor em sites comerciais

01 dez 2020

Deputado Francisco do PT quer disponibilizar Código do Consumidor em sites comerciais | Política em FocoO deputado Francisco do PT apresentou Projeto de Lei na Assembleia Legislativa do RN que dispõe sobre a obrigatoriedade de inserção de Iink para o Código de Defesa do Consumidor (CDC), em sites de vendas ou lojas virtuais.

De acordo com o texto do projeto, as empresas que mantêm lojas virtuais ou sítios eletrônicos para oferta, venda e/ou conclusão de contrato de consumo, de compras coletivas ou modalidades análogas de contratação devem inserir, em seus endereços virtuais, link que remeta ao CDC.

“Constata-se, atualmente, um número cada vez maior de pessoas comprando pela internet, fato que vem contribuindo para a transformação das relações de consumo. Então, da mesma maneira que um cliente pode efetuar compras com um simples clique no mouse, também deve poder fazer o mesmo em relação ao Código de Defesa do Consumidor, obtendo informações sobre seus direitos de maneira rápida e fácil”, justificou Allyson.

O parlamentar lembrou ainda que, em ambientes físicos de comércio, a disponibilização do CDC aos clientes já é obrigatória. “Nesse sentido, em ambientes virtuais deve existir igual mecanismo, objetivando a proteção do consumidor”, concluiu.

O projeto seguirá para as comissões temáticas da Casa e, se aprovado, seguirá ao Plenário para votação.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo DEPUTADO DO PT APRESENTOU PROJETO DE LEI QUE OBRIGA A INSERÇÃO DE LINK DO CÓDIGO DO CONSUMIDOR EM SITES DE VENDAS OU LOJAS VIRTUAIS

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ATÉ MESMO AS PREVISÕES MAIS OTIMISTA NA EUROPA SÃO SUPERADAS COM AS VENDAS DE CARROS ELÉTRICOS

O meio ambiente agradece mais uma vez a CIÊNCIA, a TECNOLOGIA e ao COMPORTAMENTO humano. O destaque deste sábado, aqui na coluna ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE é por conta da indústria automobilista que está de parabéns com a produção de carros elétricos que está cada vez maior e derruba todas as previsões para o ano de 2021. Leia o artigo a segui r e saiba o porquê!  

As vendas de carros elétricos na Europa quebraram até mesmo as previsões mais otimistas

Andrew Robert

Em 2021, um em cada sete carros vendidos na UE será elétrico, e as vendas, produção e inovação em geral estão crescendo nas grandes economias da Europa devido às rígidas regulamentações de emissões de CO2 do Parlamento Europeu.

As vendas de carros elétricos devem  ter triplicado este ano em comparação a 2019, e devem subir para até 15% da participação de mercado total em 2022, antes de atingir o teto.

Os regulamentos, que foram escalonados ao longo da última década, continuarão cambaleando até 2030, quando uma série de acordos internacionais e metas estabelecidas para ajudar a prevenir o pior da crise climática virão.

O grupo de reflexão sobre políticas verdes, Transporte e Meio Ambiente, resume os dados de um relatório publicado por eles que rastreia o cumprimento da meta de CO2 e as vendas de carros elétricos no setor automotivo da UE, declarando: “As vendas de carros elétricos estão crescendo graças aos padrões de emissões da UE. No próximo ano, um em cada sete carros vendidos na Europa será um plug-in. Os fabricantes da UE estão de volta à corrida de EV ”.

Os padrões de emissões da UE que entrarão em vigor no próximo ano são mais rigorosos, sugerindo um impulso para veículos movidos a combustíveis fósseis mais limpos e maior produção de veículos elétricos.

“Em 2021, o valor máximo da média da frota para carros novos na UE é de 95 gramas de dióxido de carbono por quilômetro”, escreve Electrive , um site da indústria de transporte elétrico da UE.

Eles fazem referência a um relatório da mídia baseado em vazamentos de que os parlamentares da UE querem aumentar as já rígidas restrições de 37,5% até 2030 para 50%, o que atraiu a ira de grupos da indústria automotiva alemã que dizem que as restrições já são muito ambiciosas. As restrições anteriores foram aprovadas com mais de 500 votos “sim” a menos de 100 votos “não”, então os políticos de mente verde podem achar que restrições mais intensas são possíveis.

Já existem alguns fabricantes de automóveis cujas frotas atendem aos padrões atuais e não precisariam ser muito alteradas para cumprir o aumento de 2021. Trata-se do Grupo PSA, que inclui Vauxhall, Peugeot, Citroen e Opel, bem como Tesla, Volvo e BMW.

A Renault, a Nissan, a associação Toyota-Mazda e a Ford precisam apenas reduzir os níveis de emissão total da frota em dois gramas para atender aos padrões atuais.

Fonte: goodnewsnetwork.org

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ATÉ MESMO AS PREVISÕES MAIS OTIMISTA NA EUROPA SÃO SUPERADAS COM AS VENDAS DE CARROS ELÉTRICOS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho