POLÍTICA: FUX EXPLICOU O MOTIVO DO CONVITE À BOLSONARO PARA REUNIÃO OFICIAL

Algo está mudando… Fux destaca lado humano de Bolsonaro (veja o vídeo)

Continuar lendo POLÍTICA: FUX EXPLICOU O MOTIVO DO CONVITE À BOLSONARO PARA REUNIÃO OFICIAL

POESIA: VOZ AO VERBO 154 – CONVITE, POR ALLAN DIAS CASTRO

Quando a vida te faz um convite de dar um tempo pra si mesmo, sem que pareça ou seja egoísmo, mas para você se dar o direito de parar e refletir, fazer uma pausa, respirar e começar tudo de novo. Esse é o recado desta terça-feira de Allan Dias Castro declamando a sua POESIA “Convite”. Então te convido a assistir ao vídeo, refletir e tirar suas conclusões!

Fonte:

Continuar lendo POESIA: VOZ AO VERBO 154 – CONVITE, POR ALLAN DIAS CASTRO

PRESIDENTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA ACEITOU O CONVITE DE BOLSONARO PARA OCUPAR O MINISTÉRIO DA SAÚDE

 

Marcelo Queiroga aceita convite para assumir o Ministério da Saúde

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia aceitou o convite para ser o quarto ministro da pasta no governo Bolsonaro

Caio Junqueira

Por Caio Junqueira, CNN  

Atualizado 15 de março de 2021 às 21:09

Marcelo Queiroga aceita convite de Jair Bolsonaro para o Ministério da Saúde

O presidente Jair Bolsonaro convidou o presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga, para ocupar o Ministério da Saúde.

Marcelo Queiroga deixou o gabinete presidencial por volta das 18h30 desta segunda-feira e aceitou o convite. O presidente Jair Bolsonaro confirmou ao repórter da CNN Leandro Magalhães a escolha do novo ministro.

A apoiadores, Bolsonaro falou sobre a escolha. “A conversa foi excelente, já conhecia há alguns anos, então não é uma pessoa que eu tomei conhecimento há poucos dias. Tem tudo, no meu entender, para fazer um bom trabalho, dando prosseguimento a tudo que o Pazuello fez até hoje.”

“Marcelo Queiroga é também gestor, mas muito mais entendido na questão de saúde, vai fazer outros programas que interessem cada vez mais para nós diminuirmos o número de pessoas que vierem a óbito em razão dessa doença, que abalou o mundo todo”, prosseguiu o presidente.

A ideia é publicar a nomeação no Diário Oficial da União desta terça-feira (16). Segundo Bolsonaro, a transição da gestão do atual ministro, o general Eduardo Pazuello, deve durar uma ou duas semanas.

Marcelo Queiroga é o quarto nome a ser indicado ministro da Saúde no governo Bolsonaro. Antes de Eduardo Pazuello, a pasta foi ocupada pelo ortopedista e ex-deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM) e pelo oncologista Nelson Teich.

 

Fonte: CNN
Continuar lendo PRESIDENTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA ACEITOU O CONVITE DE BOLSONARO PARA OCUPAR O MINISTÉRIO DA SAÚDE

SAIBA MAIS SOBRE O CURRÍCULO DO NOVO MINISTRO DA SAÚDE MARCELO QUEIROGA

Quem é Marcelo Queiroga, médico que aceitou o convite de Bolsonaro para a Saúde

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) será o quarto ministro da Saúde do governo Jair Bolsonaro

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

Atualizado 15 de março de 2021 às 22:09

 

O médico cardiologista Marcelo Queiroga aceitou nesta segunda-feira (15) o convite para ser o novo ministro da Saúde, sucedendo o general Eduardo Pazuello. Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o médico é defensor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com quem se encontrou nesta segunda.

Queiroga vem da mesma especialidade e da mesma associação que Ludhmilla Hajjar, médica que recusou convite para assumir o posto hoje ocupado pelo general Eduardo Pazuello por “motivos técnicos” e após receber ameaças de morte, como revelou à CNN.

Ao confirmar a apoiadores que Queiroga seria nomeado para o cargo de ministro da Saúde,

Segundo currículo divulgado na plataforma Lattes, Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes formou-se em Medicina em 1988, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ele se tornou residente em Cardiologia em 1992, no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro.

O currículo Lattes, referência na carreira acadêmica, é preenchido pelo próprio Queiroga, que assume a responsabilidade pela veracidade das informações. A última atualização foi em outubro de 2020.

Ele afirmou ter um doutorado em andamento desde 2010 em Bioética, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, em Portugual. Marcelo Queiroga afirma trabalhar como diretor do Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia do Hospital Alberto Urquiza Wanderley e cardiologista no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, ambos na Paraíba.

Em seu currículo, Queiroga não lista experiências em gestão pública.

Além da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cuja presidência assumiu em dezembro de 2019, Queiroga afirma ter atuado na Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBCHI), no Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), no Conselho Federal de Medicina (CFM) e na Associação Paraibana de Medicina (Apmed).

Apoio a Bolsonaro

Busca feita pela CNN no histórico de publicações no Twitter oficial do médico, verificado pela plataforma, há duas menções ao presidente Jair Bolsonaro.

A primeira data de julho de 2019, quando Queiroga publicou uma foto de Bolsonaro conversando, no Congresso, com o então deputado Enéas Carneiro, que o médico definiu como “registro histórico do encontro de dois grandes brasileiros”.

A outra foi em setembro de 2020, quando o médico respondeu a uma publicação do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), que publicou um boletim médico do presidente após uma retirada de cálculo de bexiga.

“Com a graça de Deus nosso presidente Jair Bolsonaro vai superar mais essa adversidade”, escreveu Queiroga ao senador na oportunidade.

Continuar lendo SAIBA MAIS SOBRE O CURRÍCULO DO NOVO MINISTRO DA SAÚDE MARCELO QUEIROGA

OPINIÃO: ESTOU SEMPRE PRONTO PARA SERVIR A PÁTRIA, RESPONDEU GENERAL APÓS CONVITE PARA PRESIDIR A PETROBRÁS

 

Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilFoto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Estou sempre pronto a servir a Pátria!”, respondeu sem vacilar o general Joaquim Silva e Luna à pergunta: “Pronto para nova missão?”

Era um telefonema de Bolsonaro a Silva e Luna, chamando o general que pôs ordem na Itaipu para, agora, presidir a Petrobras.

A história é interessante. Ao organizar seu governo, Bolsonaro convidou Silva e Luna para ser o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, convite que o general pernambucano aceitou sem se fazer de rogado.

E, assumindo o cargo, logo determinou a mudança da sede administrativa da empresa para Foz do Iguaçu, local onde a usina tem suas instalações.

Até então, a sede estava em Curitiba (a uns 640 km de distância), num imóvel de luxo cujo aluguel custava R$ 208 mil mensais.

Além disso, dispensando o conforto de Curitiba, ele fixou sua residência em Foz do Iguaçu, decisão inédita que o tornou o primeiro diretor-geral brasileiro a morar na localidade em que a usina funciona.

De caráter óbvio, tais medidas produziram uma redução de gastos com diárias e passagens aéreas para o deslocamento entre Curitiba e Foz.

Os dados não são atuais, mas revelam como era antes. Um relatório de controle interno registrou que, no ano de 2014, os gastos com diárias e passagens para funcionários e gestores chegaram a R$ 8,8 milhões.

Em suma, ele mandou diretores para o local de trabalho, cortou luxos (inclusive carros oficiais) e acabou com “patrocínios” distribuídos sem critério, obtendo, em apenas dois anos, uma economia de R$2,5 bilhões: uma gestão marcada pela austeridade e pela otimização dos recursos.

E agora ele é chamado a uma “nova missão”: dar um jeito na Petrobras.

Segundo os jornalões, Bolsonaro andava furibundo (normal!) com Roberto Castelo Branco, então presidente da Petrobras.

Porque houve quatro aumentos de preços da gasolina em apenas dois meses, somando 27%, muito acima da inflação do período; e porque, durante a pandemia, Castelo Branco ficou em casa, trabalhando em “home office”.

Para mais, quando os caminhoneiros ameaçaram entrar em greve contra os constantes aumentos de preços do diesel, Castelo Branco esquivou-se dizendo que o problema não era da Petrobras.

Mas Cláudio Humberto, no Diário do Poder, tem afirmado que os preços escorchantes dos combustíveis têm a ver com o custo da Petrobras, isto é, com sua política de salários e vantagens para funcionários.

Conforme levantamento do Diário do Poder, “Os brasileiros pagam, sem saber, truques que multiplicam salários dos 52 mil funcionários da Petrobras. Os salários [dos mais favorecidos, sem contabilizar o dos executivos] chegam a R$107 mil mensais, sem contar os penduricalhos”.

O levantamento vai além, radiografando a estatal: “Na Petrobrás, os valores somados de ‘auxílios’ (babá, creche, cuidador, alimentação, refeição etc.) acrescentam quase R$3 mil aos salários.”

“Um dos mais caros privilégios do pessoal da Petrobras, a ‘assistência à saúde’, soma mais de R$2,3 bilhões por ano bancados pelo brasileiro.”

E quando está mal, por má gestão ou vítima de roubo como na “era PT”, a Petrobras recorre ao Tesouro Nacional para cobrir prejuízos.

É preciso saber onde está o nó.

A Constituição Federal, no art. 177, garante para a União (leia-se “para a Petrobras”) o monopólio na lavra e refinação do petróleo e importação ou exportação de derivados – uma blindagem contra a concorrência.

Como resultado, além do excesso de impostos a encarecer o combustível na bomba, o consumidor paga por uma Petrobras imunizada contra a livre concorrência e quase privativa de seus empregados.

Será que o general Silva e Luna consegue meter a mão nesse vespeiro? É a missão a que está sendo chamado.

Se conseguir realizar parte do que fez na Itaipu Binacional, haverá de consagrar-se como um dos maiores presidentes da Petrobras.

 

Continuar lendo OPINIÃO: ESTOU SEMPRE PRONTO PARA SERVIR A PÁTRIA, RESPONDEU GENERAL APÓS CONVITE PARA PRESIDIR A PETROBRÁS

CONVITE DE DÓRIA À COLLOR PARA TOMAR VACINA É RECUSADO PELO EX-PRESIDENTE

Collor recusa convite de Doria para tomar vacina com ex-presidentes

Will Marinho, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 18 de dezembro de 2020 às 20:06

Collor disse acreditar que medidas radicais poderiam conter a inflaçãoFernando Collor recusou convite de Dória

O ex-presidente Fernando Collor (PROS) disse nesta sexta-feira (18) que não aceitará o convite do governador João Doria (PSDB) para se vacinar contra o novo coronavírus, usando a Coronavac como imunizante. O comunicado foi feito na conta do Twitter do próprio ex-presidente.

“Sobre a notícia publicada pelos veículos de comunicação nesta sexta-feira (18), informo a todos: agradeço ao convite feito pelo governo de São Paulo, mas não participarei do ato”, diz a mensagem.

O governador João Doria (PSDB) convidou os ex-presidentes José Sarney (90 anos), Fernando Collor (71 anos), Fernando Henrique Cardoso (89 anos), Luiz Inácio Lula da Silva (75 anos), Dilma Rousseff (73 anos) e Michel Temer (80 anos) para tomar a vacina contra a Covid-19 produzida pelo estado, a Coronavac.

Os ex-presidentes José Sarney e Michel Temer aceitaram o convite de Doria para se vacinarem. Sarney reforçou que “a vacinação deve ser um ato normal para todos os brasileiros, sendo o único caminho para deter a tragédia da pandemia de Covid-19”. Já Temer aceitou ser vacinado e disse que “quer dar exemplo e motivar as pessoas”.

A ex-presidente Dilma informou que, como mora em Porto Alegre, não pretende ir a São Paulo tomar a vacina. “Entretanto, se o governador João Doria enviar a vacina, ela tomará a medicação”, informou sua assessoria. Lula e FHC ainda não se pronunciaram sobre o convite.

Segundo o governo de São Paulo, o plano de vacinação contra o novo coronavírus está previsto para começar no dia 25 de janeiro, priorizando grupos como pessoas com 60 anos ou mais — no qual se enquadram os ex-presidentes– em datas divididas por faixa etária.

A primeira fase da campanha de vacinação da Coronavac também engloba profissionais de saúde, indígenas e quilombolas.

Caso a campanha seja aprovada, Sarney, FHC, Lula e Temer podem receber a primeira dose no dia 8 de fevereiro. Fernando Collor e Dilma Rousseff, pela faixa etária, tomariam apenas no dia 15 do mesmo mês.

Fonte: CNN

Continuar lendo CONVITE DE DÓRIA À COLLOR PARA TOMAR VACINA É RECUSADO PELO EX-PRESIDENTE

PRÊMIO DE ECONOMIA CRIATIVA PODE TER CONCORRÊNCIA DE POTIGUARES

Potiguares podem concorrer a prêmio de economia criativa

Redação / Portal da Tropical

Atualizado em:

Artesanato Natalense | Foto: Canidé Soares

A Secretaria do Turismo, a convite da Fundação Cultural Joaquim Nabuco, participou do lançamento do prêmio Delmiro Gouveia, no último dia 28, realizado pela instituição. O edital abarca as seguintes categorias: patrimônio, cultura, artes visuais, audiovisual, publicações, criações funcionais nas áreas de arquiteturas populares, design, moda, confecção e reciclagem de materiais que enfatizem a consciência e responsabilidade com a ecologia. A premiação de R$ 900 mil será dividida entre os estados da região Nordeste, sendo R$ 100 mil para cada estado.

Podem se candidatar projetos que envolvam tanto elementos da cultura material quanto imaterial, ações em apoio a manifestações culturais, e atividades que deem acesso à cultura popular do Nordeste; mestres e guardiões de saberes e tradições populares, grupos, comunidades sociais e criadores como repentistas, cordelistas, artesãos e demais atores do cenário artístico e cultural.

As inscrições já estão abertas e seguem até às 23h59 do dia 9 de novembro de 2020. O edital e o formulário para inscrição do concurso estão disponíveis no site da Fundação, no endereço www.fundaj.gov.br. O resultado será às 10h do dia 4 de dezembro de 2020, por meio do site e canais da Fundação Joaquim Nabuco e do Ministério da Educação, bem como no Diário Oficial da União. Dúvidas podem ser tiradas pelo e-mail: premiodelmirogouveia@fundaj.gov.br.

Uma plateia restrita a 40 pessoas, participou do lançamento do edital, entre as quais o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, o presidente da Fundaj, Antônio Campos, reitores das universidades de Pernambuco e do Instituto Federal, além de deputados estaduais e federais.

O diretor de marketing da Empresa Potiguar de Promoção Turística, Pinto Júnior, representou a Secretaria de Turismo e a Emprotur na solenidade e destacou a importância da premiação para o Rio Grande do Norte. “Essa é uma excelente iniciativa que vem impulsionar a economia neste momento de retomada, especialmente para este setor que foi um dos mais afetados pela pandemia. Nossa missão enquanto poder público é divulgar essa ação para que muitos potiguares participem”, ressaltou.

“É com criatividade e inovação que vamos buscar o desenvolvimento, como fez no passado, o empreendedor Delmiro Gouveia. Este prêmio é apenas o primeiro, anunciaremos outros”, ressaltou o diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte da Fundaj, Mário Hélio.

A Fundaj é uma fundação pública vinculada ao Ministério da Educação do Brasil. Sediada no Recife em Pernambuco, fundada em 1949 com o propósito de preservar o legado histórico-cultural de Joaquim Nabuco, com ênfase nas regiões Norte e Nordeste.

A fundação mantém os seguintes espaços culturais em Recife: Museu do Homem do Nordeste, Cineteatro José Carlos Cavalcanti Borges, Galeria Baobá, Galeria Vicente do Rego Monteiro, Galeria Massangana, Galeria Waldemar Valente, Memorial Joaquim Nabuco, Sala Mauro Mota de exposição permanente, Biblioteca Central Blanche Knopf e a Biblioteca Nilo Pereira e o Centro Cultural Engenho Massangana no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife.

Continuar lendo PRÊMIO DE ECONOMIA CRIATIVA PODE TER CONCORRÊNCIA DE POTIGUARES

ANÁLISE POLÍTICA: O NOIVADO DE REGINA DUARTE E BOLSONARO POR JOSÉ NÊUMANNE PINTO

Na nossa coluna ANÁLISE POLÍTICA desta quinta-feira o assunto não poderia ser outro a não ser o convite feito por Bolsonaro à “namoradinha do Brasil”, Regina Duarte, para assumir a Secretaria de Cultura. E a análise sempre concisa, precisa e competente de José Nêumanne Pinto que resume o comentário de hoje assim:

“É uma canalhice sórdida de gente que se diz artista, mas não passa de uma choldra sem talento nem tolerância que recebe na Secretaria de Cultura a atriz Regina Duarte, com currículo invejável nas artes cênicas e militância cultural e política com serviços notoriamente prestados à democracia e à lisura que se deve exigir de qualquer cidadão convocado a honrar causas públicas sociais. Sua tarefa é árdua e pesada, e ela precisará de toda a sua têmpera para cumpri-la da forma que dela esperam o governo e a cidadania. Que Deus a inspire sempre.”

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: O NOIVADO DE REGINA DUARTE E BOLSONARO POR JOSÉ NÊUMANNE PINTO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar