BRASILEIRA É ELEITA COMO CONSELHEIRA DA CÂMARA DE COMÉRCIO BRASIL-FRANÇA

Eliana Moares é eleita conselheira da Câmara de Comércio Brasil-França

Mandato da brasileira é de três anos e ela tem como missão fomentar projetos comerciais entre os dois países

INTERNACIONAL

 Do R7

Eliana Moraes (primeira à direita) fará parte do conselho da CCBF pelos próximos três anosEliana Moraes (primeira à direita) fará parte do conselho da CCBF pelos próximos três anos REPRODUÇÃO

A CCBF (Câmara de Comércio Brasil-França) elegeu nesta quinta-feira (18) Eliana Moraes como conselheira para um mandato de três anos. A brasileira terá pelos próximos anos a missão de promover projetos comerciais entre as duas nações.

Fundada em 2008, a CCBF é uma câmara que tem como objetivo central desenvolver relações econômicas, financeiras e comerciais em diversos seguimentos, como indústria e serviços.

A CCBF também ajuda a difundir um maior conhecimento das realidades e diversidades das atividades comerciais do Brasil na França. A partir de reuniões e eventos, a câmara interliga personalidades econômicas dos dois países.

Atualmente a CCBF é liderada pelo ex-embaixador da França no Brasil. Sr. Phillippe Lecourtier, presidente do Conselho de Administração da câmara de comércio. O presidente de honra da instituição é o atual embaixador brasileiro na França, Luís Fernando Serra.

Continuar lendo BRASILEIRA É ELEITA COMO CONSELHEIRA DA CÂMARA DE COMÉRCIO BRASIL-FRANÇA

CANDIDATOS MASCULINOS VENCERAM TODAS AS CADEIRAS NAS ELEIÇÕES NO QATAR APESAR DE 28 MULHERES TEREM SE CANDIDATADO

Qatar: Eleições inéditas terminam sem nenhuma mulher eleita

Eleitores escolheram 30 dos 45 membros da assembleia consultiva; emir Tamim ben Hamad al Thani designará os restantes

INTERNACIONAL

por AFP

Mulheres representavam cerca de 10% das pessoas que se candidataram às eleições

AFP – 2/10/2021

Os eleitores do Qatar compareceram às urnas neste sábado (2) para definir a maioria dos integrantes do órgão legislativo. De acordo com os resultados iniciais, nenhuma mulher foi eleita. A votação é inédita no país, onde os partidos políticos são proibidos, e não vai alterar o equilíbrio de poder no rico emirado governado pela família Al Thani.

Os eleitores foram convocados para determinar 30 dos 45 membros da Majlis al Shura, uma assembleia consultiva de pouco poder. Os demais serão designados pelo emir Tamim ben Hamad al Thani, que até agora escolhia todos os integrantes.

Candidatos do sexo masculino venceram todas as cadeiras, segundo resultados preliminares divulgados pela mídia local, apesar de 28 mulheres terem concorrido.

Esse resultado abre a possibilidade de o emir usar suas 15 nomeações diretas para corrigir o desequilíbrio. Não se sabe quando as indicações serão anunciadas ou quando o conselho se reunirá.

A participação popular foi de cerca de 44,3% nos 29 distritos eleitorais com mais de um candidato, segundo a televisão pública.

Uma contagem preliminar divulgada na tarde de sábado na televisão pública indicou que um terço dos candidatos aprovados havia desistido da disputa, e a agência estatal de notícias Qatar News informou mais tarde que havia 233 candidatos.

“Quando os candidatos perceberam que não tinham chance de ganhar um assento, decidiram endossar outros candidatos”, explicou Andreas Krieg, professor do King’s College de Londres.

O conselho terá novas faculdades, como propor leis, aprovar o orçamento ou revogar ministros, mas o todo-poderoso emir continuará com o direito de veto. No Golfo Pérsico, apenas o pequeno reino do Kuwait tem um Parlamento eleito por seus cidadãos.

A votação, prevista pela Constituição de 2004, mas adiada em várias ocasiões, acontece em um momento de grande exposição para o país.

Qatar receberá no próximo ano a Copa do Mundo de futebol, e as autoridades acreditam que organizar as eleições “provocará uma atenção positiva” para o país, afirmou Luciano Zaccara, especialista na região do Golfo e professor na Universidade do Catar.

“É uma forma de mostrar que o país está no bom caminho, que deseja mais participação política”, completou. Na prática, no entanto, os analistas não esperam grandes mudanças após as eleições no maior produtor e exportador mundial de gás natural liquefeito.

Votação com limites

Cartazes dos candidatos foram espalhados pelas cidades do país. Organizaram-se alguns comícios e anúncios eleitorais foram exibidos na televisão. Mas a política externa e o status da monarquia continuam sendo temas tabu.

Outras limitações também foram registradas. Os 284 candidatos originais, incluindo apenas 28 mulheres, precisaram da aprovação do poderoso Ministério do Interior, seguindo critérios como idade, caráter ou histórico judicial.

Os candidatos também foram obrigados a informar o ministério com antecedência sobre suas ações de campanha e o nome das pessoas que discursariam nos eventos.

“É um dia histórico […] me sinto feliz. Espero que o próximo conselho esteja à altura do momento que o Qatar e o mundo vivem”, declarou à AFP Ali Abdullah al-Julaifi, eleitor de 44 anos.

Outra questão importante é que a maioria dos 2,5 milhões de habitantes do emirado são estrangeiros e não podem votar. E, entre os 330.000 cidadãos qataris, apenas os descendentes daqueles que já eram cidadãos em 1930 foram autorizados a votar e apresentar candidaturas.

Não é a primeira ocasião em que os qataris participam de um processo eleitoral, uma vez que já votaram em reformas constitucionais ou eleições locais.

Continuar lendo CANDIDATOS MASCULINOS VENCERAM TODAS AS CADEIRAS NAS ELEIÇÕES NO QATAR APESAR DE 28 MULHERES TEREM SE CANDIDATADO

SEGURANÇA: COPENHAGEM FOI ELEITA A CIDADE MAIS SEGURA DO MUNDO

Copenhagen é a ‘cidade mais segura do mundo’ em 2021

Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit, classificou 60 destinos nas categorias segurança digital, segurança de saúde, infraestrutura, entre outras

CNN Viagem & Gastronomia

Atualizado 19/09/2021 às 11:19

Tamara Hardingham-Gill, CNN

Copenhagen foi eleita a cidade mais segura do mundo pela primeira vez, marcando 82,4 pontos em 100 no relatório anualCopenhagen foi eleita a cidade mais segura do mundo pela primeira vez, marcando 82,4 pontos em 100 no relatório anual Getty Images

A segurança tem sido uma preocupação primordial para os viajantes quando se trata de decidir qual destino visitar. Mas o mundo virou de ponta-cabeça nos últimos anos devido à pandemia global e a noção de exatamente o que torna um lugar “seguro” mudou significativamente.

Isso pode ajudar a explicar a sacudida no topo do Índice de Cidades Seguras (SCI) da Economist Intelligence Unit, que classifica 60 destinos internacionais nas categorias segurança digital, segurança de saúde, infraestrutura, segurança pessoal, bem como segurança ambiental, uma nova categoria para este ano.

Embora cidades asiáticas como Tóquio, Cingapura e Osaka tenham continuamente ocupado os primeiros lugares ano após ano, é um destino europeu que ocupa a primeira posição em 2021.Copenhagen foi eleita a cidade mais segura do mundo pela primeira vez, marcando 82,4 pontos em 100 no relatório anual. A capital da Dinamarca saltou do oitavo lugar em 2019 para o topo da lista, em grande parte graças à introdução de uma seção de segurança ambiental, na qual a cidade teve uma pontuação particularmente boa, junto com a segurança pessoal.

Coesão social

“Um fator chave que torna Copenhagen uma cidade tão segura é sua baixa taxa de criminalidade, atualmente em seu nível mais baixo em mais de uma década”, disse Lars Weiss, prefeito de Copenhagen, no relatório. “Copenhagen também é caracterizada por uma grande coesão social e uma lacuna de riqueza relativamente estreita. É uma cidade mista, onde tanto a assistente de limpeza quanto o CEO se encontram no supermercado local e têm seus filhos na mesma escola.

“Este é um dos pilares da cultura dinamarquesa e contribui muito para os altos níveis de confiança e segurança dos quais nos beneficiamos. “a cidade canadense Toronto acabou de perder o primeiro lugar, ficando em segundo lugar com 82,2 pontos, enquanto Cingapura foi o terceiro com 80,7 pontos. Embora Sydney tenha ficado em quarto lugar, com 80,1 pontos, a cidade australiana liderou a categoria de segurança digital, enquanto a vencedora de 2019, Tóquio, recebeu 80,0 pontos, colocando a cidade japonesa em quinto lugar.

Impacto da Covid-19

Copenhagen é definitivamente um líder geral digno e Toronto um merecido segundo colocado, mas tanto por causa do sucesso de longo prazo em tornar os residentes seguros quanto por qualquer melhoria particular nos últimos dois anos”, diz o relatório. “Toronto e Copenhagen se saem visivelmente melhor no novo pilar de segurança ambiental do que qualquer uma das três principais cidades dos anos anteriores.”

Amsterdam, na Holanda, foi o sexto com 79,3 pontos, enquanto o Wellington, na Nova Zelândia, ficou em sétimo lugar com 79,0 pontos, e foi o líder geral na categoria de segurança ambiental. As cidades da Ásia-Pacífico Hong Kong e Melbourne ficaram em oitavo lugar, com 78,6 pontos cada, enquanto a Suécia, Estocolmo, fechou a lista dos 10 primeiros com 78,0 pontos. Nova York foi a cidade norte-americana com a melhor posição na lista, dividindo a 11ª posição com a espanhola Barcelona (ambas as cidades receberam 77,8 pontos).

Washington DC ficou logo atrás em 14º lugar, enquanto Londres e São Francisco empataram em 15º. Houve poucas surpresas no outro extremo da lista, com Lagos, na Nigéria, Cairo, no Egito, Caracas, na Venezuela, Karachi, no Paquistão, e Yangon, em Mianmar, sendo os cinco últimos.

Resiliência urbana

Mas, embora as cidades com as pontuações gerais mais baixas tenham se encontrado perto do final de todas as categorias nos últimos anos, esse não é o caso aqui. Na verdade, o relatório observa que “existem alguns sinais de uma mudança que reflete a observada entre os líderes”, com Lagos pontuando “um pouco acima da média em segurança ambiental, enquanto o 55º lugar Casablanca vem em 41º lugar em segurança digital”. Não é de surpreender que a Covid-19 seja constantemente mencionada, principalmente nas avaliações sobre segurança sanitária, nas quais Copenhagen teve pontuação muito mais baixa do que em outras categorias.

De acordo com Nima Asgari, diretor do Observatório de Sistemas e Políticas de Saúde da Ásia-Pacífico, o assunto da resiliência urbana foi anteriormente focado em desastres e inundações, em vez de crises de saúde, “provavelmente porque as pessoas nunca pensaram que o sistema de saúde entraria em colapso como consequência de demanda contínua de surtos. “O relatório sugere que esse elo perdido pode ter levado a alguns destinos sendo menos preparados e, em última análise, menos bem-sucedidos em limitar o impacto do coronavírus. A Covid-19 ensina que sempre há um ponto cego, mesmo quando há muita atividade”, acrescenta Michele Acuto, professora de política urbana global da Universidade de Melbourne.

O relatório continua enfatizando que o entendimento da segurança da saúde “precisa ser revisado” como resultado direto do coronavírus.

Ponto de inflexão?

Enquanto isso, Naka Kondo, editora sênior do The EIU e editora do relatório, observa que a segurança digital se tornou uma prioridade ainda maior agora que “mais trabalho e comércio foram transferidos online”, e ajustes precisarão ser feitos em função disso. “Os responsáveis ​​pela segurança da infraestrutura precisam se ajustar às mudanças dramáticas nos padrões de viagens e nos locais onde os residentes consomem serviços públicos; as agências responsáveis ​​pela segurança pessoal precisam lidar com uma grande mudança nos padrões de crimes, impulsionada pelo bloqueio”, disse Kondo.

O relatório também reconhece que a pandemia trouxe “um ponto de virada potencial em todos os pilares da segurança urbana”, proporcionando uma oportunidade para as cidades “reavaliarem os perigos a longo prazo no caminho de alcançar cidades seguras, sustentáveis ​​e habitáveis, bem como oportunidades para chegando la.” “Uma compreensão renovada e mais holística da segurança urbana dá esperança para cidades que não são apenas mais seguras, em todos os sentidos, mas lugares mais sustentáveis ​​e agradáveis ​​para se viver”, acrescenta. Seis cidades, Amsterdã, Melbourne, Tóquio, Toronto, Cingapura e Sydney estão entre as 10 primeiras, todos os anos desde que o relatório foi lançado em 2015, enquanto Copenhagen tem sido uma presença constante desde 2019

Fonte: CNN

Continuar lendo SEGURANÇA: COPENHAGEM FOI ELEITA A CIDADE MAIS SEGURA DO MUNDO

EQUIPE DE GESTÃO DA UERN É ANUNCIADA PELA NOVA REITORA ELEITA

Reitora eleita da Uern anuncia nova equipe de gestão

15 set 2021

Reitora eleita da Uern anuncia nova equipe de gestão | UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

A professora Cicília Maia, reitora eleita da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), anunciou a equipe de auxiliares que, ao lado dela e do vice-reitor eleitor, professor Chico Dantas, administrarão a universidade no quadriênio (2021-2025). Como havia prometido na campanha, a formação de sua equipe atendeu à equidade de gênero, com no mínimo 50% dos cargos de alta escalão sendo ocupado por mulheres. Das sete pró-reitorias titulares, cinco serão ocupadas por mulheres. Na escolha da equipe, Cicília e Chico optaram por profissionais técnicos e com respaldo na comunidade acadêmica pelo perfil profissional e pela trajetória profissional dentro da universidade.

“Acreditamos que garantir a equidade de gênero na administração central da universidade é um passo importante para se pensar em uma instituição mais justa, humana e socialmente referenciada. O próximo passo será encaminhar ao Conselho Universitário (CONSUNI) proposta de resolução que torne essa política institucional permanente. Além disso, contaremos com uma equipe extremamente qualificada e com respaldo na comunidade acadêmica pelo serviço que já prestam à universidade. Juntos, com energia e trabalho coletivo vamos construir resultados muito importantes para a nossa instituição. Estamos muito felizes”, comentou Cicília Maia.

Cicília Maia e Chico Dantas serão empossados reitora e vice-reitor no próximo dia 28 de setembro, durante Assembleia Universitária da Uern, no Teatro Municipal Dix-Huit Rosado. A data marca também os 53 anos de existência da instituição e o fim do mandato do reitor Pedro Fernandes e da vice-reitora (atual reitora em exercício), Fátima Raquel. (2017-2021).

➡️Confira quem integra a equipe

➡️Equipe de Gestão 2021-2025

REITORIA
Reitora – Profa. Dra. Cicília Raquel Maia Leite
Vice-Reitor – Prof. Dr. Francisco Dantas de Medeiros Neto

GABINETE DA REITORIA
Chefe de Gabinete – Prof. Dr. Lauro Gurgel de Brito
Sub-chefe de Gabinete – Prof. Me. Jandeson Dantas da Silva
Secretária Geral do Gabinete – TNS Esp. Izaura Amélia Pedroza do Nascimento
Secretária do Gabinete da Reitora – TNS Esp. Maria Celestina Salém de Miranda
Secretária do Gabinete do Vice-Reitor – TNS Esp. Ana Fabíola Rebouças de Souza
Secretária dos Conselhos Superiores – TNS Esp. Myrths Flávia Vidal da Costa
Wanderley

PRÓ-REITORIAS

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG)
Pró-Reitora de Ensino de Graduação – Profa. Dra. Mayra Rodrigues Fernandes Ribeiro
Pró-Reitora adjunta de Ensino de Graduação – Profª Mª. Fernanda Abreu de Oliveira

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPEG)
Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação – Profª. Dra. Ellany Gurgel Cosme do Nascimento
Pró-Reitor adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação – Prof. Dr. Cláudio Lopes de Vasconcelos

Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Pró-Reitor de Extensão – Prof. Me. Esdras Marchezan Sales
Pró-Reitora adjunta de Extensão – Profª Drª. Eliane Anselmo da Silva

Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE)
Pró-Reitor de Assuntos Estudantis – TNS Esp. Erison Natécio da Costa Torres
Pró-Reitora adjunta de Assuntos Estudantis – TNS Esp. Ana Angélica do Nascimento Nogueira

Pró-Reitoria de Planejamento e Finanças (PROPLAN)
Pró-Reitora de Planejamento e Finanças – Profª Drª. Fátima Raquel Rosado Morais
Pró-Reitor adjunto de Planejamento e Finanças – Prof. Me. Rafael Ramon Fonseca Rodrigues

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEP)
Pró-Reitora de Gestão de Pessoas – Profª Drª Isabel Cristina Amaral de Sousa Rosso
Pró-Reitor adjunto de Gestão de Pessoas – Prof. Dr. Wogelsanger Oliveira Pereira

Pró-Reitoria de Administração (PROAD)
Pró-Reitora de Administração – Profª Drª Simone Gurgel de Brito
Pró-Reitor adjunto de Administração – TNS Esp. Pedro Rebouças de Oliveira Neto

ASSESSORIAS E DIRETORIAS DO GABINETE

Assessoria Técnica – Profª Mª Jéssica Neiva de Figueiredo Leite
Assessoria Jurídica – TNS Me. Iata Anderson Fernandes
Assessoria de Infraestrutura -TNS/Arquiteta Bruna Larine Dantas de Medeiros
Assessoria de Avaliação Institucional – Prof. Dr. Wendson Dantas de Araújo Medeiros
Pesquisador Institucional – Prof. Dr. Rommel Wladimir de Lima
Ouvidoria – TNS Esp. Séphora Edith Nogueira Borges
Cerimonial e Eventos – TNS Esp. Hayanna Morais Falcão
Comissão de Controle Interno (CCI) – TNM. Jônatas Marques de Andrade

Agência de Comunicação (AGECOM) – TNS Jornalista Luziária Firmino Machado Bezerra
Diretoria de Políticas e Ações Inclusivas (DAIN) – Profª Drª Ana Lúcia de Oliveira Aguiar
Diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais (DAINT) – Prof. Dr.Pedro Adrião da Silva Júnior
Diretoria de Informatização (DINF) – Prof. Dr. Isaac de Lima Oliveira Filho
Diretoria de Educação a Distância (DEaD) – Prof. Dr. Giann Mendes Ribeiro
Diretoria do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIB/UERN) – TNS/Bibliotecária Jocelânia Marinho Maia de Oliveira

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo EQUIPE DE GESTÃO DA UERN É ANUNCIADA PELA NOVA REITORA ELEITA

A NOVA REITORA ELEITA DA UERN FOI A PROFESSORA CECÍLIA MAIA LEITE

Cicília Maia é eleita a nova Reitora da UERN

12 maio 2021

DeFato.com - Politica

Com 63,45% dos votos válidos, a professora Cicília Maia Leite foi eleita hoje a nova reitora da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Ela vai administrar a universidade no quadriênio 2021-2025. Com a conquista, ela passa a ser a terceira mulher a chegar à reitoria da UERN, em 52 anos de história, sendo a segunda pelo voto direto. O resultado foi anunciado na manhã desta terça-feira, durante reunião da Comissão Eleitoral e todos os candidatos que participaram do pleito.

Com o encerramento da apuração dos votos da consulta à comunidade acadêmica, ocorrida nesta segunda-feira (10) de forma virtual, Cicília Maia alcançou 2.218 votos (63,45%), contra 1.094 (24,10%) do professor Paulinho Silva, e 650 (12,45%) do professor Adalberto Veronese, seus concorrentes. O resultado colocou a professora Cicília Maia em vantagem nos três segmentos da universidade (estudantil, técnico e docente).

Ao seu lado, ela terá o professor Chico Dantas, eleito Vice-Reitor com 62,16% dos votos válidos. Companheiro de chapa de Cicília, Chico Dantas obteve 2.157 (62,16%) votos, contra 1.141 (21,15%) da professora Kelânia Freire, e 654 (12,17%) da professora Maria José Vidal.

O resultado da consulta deve ser homologado pelo Conselho Universitário (CONSUNI), que encaminhará lista tríplice à governadora Fátima Bezerra, responsável pela nomeação dos novos dirigentes da universidade. A posse da nova reitora e do novo vice-reitor ocorrerá no dia 28 de setembro de 2020, durante a Assembleia Universitária. A data marca também o fim da gestão dos professores Pedro Fernandes (reitor) e Fátima Raquel Rosado Morais (vice-reitora e, atualmente, reitora em exercício).

Perfil

Profª Cicília Maia – Reitora eleita da UERN

Cicília Raquel Maia Leite é natural do município de Mossoró/RN. Graduada em Ciência da Computação pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (2003), é Mestre em Engenharia Elétrica, pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG (2005), Doutora em Engenharia Elétrica e da Computação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN (2011), e possui Pós-Doutorado no Massachusetts Institute of Technology – MIT/EUA (2013).

Servidora efetiva da UERN desde 2006, é professora Adjunta IV, lotada no Departamento de Informática, Faculdade de Ciências Exatas e Naturais (FANAT), no Campus Central, onde ministra aulas no curso de graduação em Ciência da Computação. Professora permanente do Programa de Pós- Graduação em Ciência da Computação – Associação Ampla UERN/UFERSA, tem experiência em pesquisas em Engenharia de Software, Informática Médica e Tecnologias Assistivas. É líder do grupo de pesquisa em Engenharia de Software (GES/UERN) e do Núcleo Tecnológico de Engenharia de Software (NTES/UERN). Participa de estudos com pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). É organizadora dos livros: Novas tecnologias aplicadas à saúde –desenvolvimento de Sistemas Dinâmicos – Conceitos, aplicações e utilização de técnicas inteligentes e regulação (2019); Plenitude e Completude de Fazer Ciência (2018); Novas Tecnologias Aplicadas à Saúde: Integração de Áreas Transformando a Sociedade (2017).

Com experiência no campo da gestão universitária, desempenhou funções diversas na UERN. Foi Assessora de Captação de Recursos e Diretora de Pesquisa e Inovação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação; Pró- Reitora de Recursos Humanos e Assuntos Estudantis (PRORHAE); Subchefe do Departamento de Informática – DI/FANAT; Diretora da Diretoria de Admissão, Registro e Controle Acadêmico da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação – DIRCA/PROEG; Assessora Técnica da Reitoria; e atualmente exerce a função de Chefe de Gabinete da Reitoria da UERN. É conselheira eleita, representante da categoria docente, do Conselho Diretor da Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – CD/FUERN (2019-2021). Tem participação em conselhos, comissões, fóruns e colegiados da universidade.

Prof. Chico Dantas – Vice-Reitor eleito da UERN

Francisco Dantas de Medeiros Neto é seridoense, natural do município de Serra Negra do Norte/RN. Graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN (2001), é mestre em Sistemas e Computação pela mesma Universidade (2004) e doutor em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUCRIO, em colaboração com a Universidade de Lancaster/Reino Unido (2013).

Servidor efetivo da UERN desde 2005, é professor adjunto, lotado no Departamento de Ciência da Computação do Campus da UERN, em Natal, onde atua no curso de graduação em Ciência da Computação. É membro colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação – PPGCC/UERN/UFERSA.

Em 2006, coordenou a implantação do Núcleo Avançado de Educação Superior da UERN, na cidade de Santa Cruz. Em 2013, assumiu a coordenação do PPgCC da UERN/UFERSA. Integrou o Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE/UERN) e é membro nato do Conselho Universitário (CONSUNI/UERN). Atualmente, é diretor do Campus da UERN, em Natal.
Tem ministrado cursos de capacitação no uso de plataformas tecnológicas para ensino por meio de acesso remoto para as comunidades discente e docente. Tal iniciativa foi estendida para toda rede básica de ensino do Rio Grande do Norte, por meio de projeto de extensão que atendeu mais de 7.000 professores. É membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), tendo sido escolhido em processo eleitoral, de âmbito nacional. É o editor responsável pela Revista Computação Brasil da SBC.

Enquanto Diretor da UERN Natal, o professor Chico Dantas elaborou e executou projetos com foco na promoção da qualidade de vida da comunidade do Campus. Destaca-se o evento “Sexta do Café”, que é um encontro mensal dedicado ao lazer e à confraternização da comunidade do Campus de Natal. Na oportunidade, promoveu uma agenda de recepção de parlamentares estaduais para apresentação dos resultados e indicadores da UERN.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo A NOVA REITORA ELEITA DA UERN FOI A PROFESSORA CECÍLIA MAIA LEITE

PRIMEIRA VEREADORA TRANS É ELEITA EM CARNAÚBA DOS DANTAS NO RN

Por Julia Galvão, G1 RN

 

Thabatta Pimeira tem 28 anos e é radialista. Ela foi eleita a primeira vereadora trans do Rio Grande do Norte. — Foto: CedidaThabatta Pimeira tem 28 anos e é radialista. Ela foi eleita a primeira vereadora trans do Rio Grande do Norte. — Foto: Cedida

A cidade de Carnaúba dos Dantas, localizada no Seridó potiguar, elegeu neste domingo (15) a primeira mulher trans vereadora no Rio Grande do Norte. Thabatta Pimenta (PROS) teve 267 votos e garantiu uma das nove vagas na Câmara de Vereadores da cidade.

Nas redes sociais, a candidata eleita agradeceu o voto de confiança dos eleitores. “Obrigada Carnaúba, essa vitória é de muitas minorias que finalmente serão ouvidas. Agora é a nossa vez”, escreveu.

Thabatta Pimenta tem 28 anos e conta que desde cedo teve que lidar com o preconceito. Além de ser mulher trans, ela tem um irmão com paralisia cerebral. De acordo com a nova vereadora, Ryan, de 32 anos, dá forças para que ela enfrente as adversidades.

“Enquanto eu puder falar por todos, eu vou falar. Porque o diferente sempre causa isso nas pessoas, mas para a gente é natural, é a nossa vida”, disse ao G1.

Thabatta promete estruturar seu mandato com base nas causas sociais, em favor das minorias. “Meu propósito é dar voz e lutar pelas minorias. Promover políticas públicas que beneficiem não só a classe LGBTQIA+, mas também a pessoa com deficiência. Eles precisam muito de uma voz ativa, que lute pelos direitos deles”, disse.

“Eu me preparei para ser essa voz. Eu tenho as minhas lutas como pessoa LGBTQIA+, mas, por causa de Ryan, eu também tenho que levantar a bandeira da pessoa com deficiência”.

Thatatta também luta pelos direitos das pessoas com deficiência. Ela tem um irmão de 32 anos com paralisia cerebral. — Foto: Cedida

Fonte: G1 RN
Continuar lendo PRIMEIRA VEREADORA TRANS É ELEITA EM CARNAÚBA DOS DANTAS NO RN

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar