SEGUNDO VICE-LÍDER DO GOVERNO, PAZUELLO NÃO PRECISA DE TREINAMENTOS PARA RESPONDER A CPI DA COVID-19

Governo não tem razão para temer o depoimento de Pazuello’, diz Marcos Rogério

Fala do vice-líder do governo no Congresso vem depois de o ex-ministro ter pedido adiamento da oitiva, alegando que teve contato com pessoas com Covid-19

Produzido por Jorge Fernando Rodrigues

08 de maio de 2021 às 12:32

Governo não tem razão para temer o depoimento de Pazuello', diz Marcos Rogério

O vice-líder do governo no Congresso e integrante da CPI da Pandemia, Marcos Rogério (DEM-RO), disse neste sábado (8) em entrevista à CNN que o governo não tem razão para temer o depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e que o general não precisa de treinamentos para responder à CPI.

A fala vem depois de Pazuello ter pedido adiamento da oitiva, que deve acontecer no próximo dia 19 de maio, alegando que teve contato com pessoas que testaram positivo para Covid-19. A oposição, da qual o ex-ministro Mandetta faz parte, alega que o general está com medo de ser inquirido.

“O Governo não tem razão para temer o depoimento do ex-ministro Pazuello. E outra, treinamento, com todo respeito, você pode até estabelecer alguma linha de comportamento num ambiente como esse, mas você não consegue treinar alguém de uma hora para outra para ir em uma CPI falar sobre fatos que ocorreram dentro do Ministério. Mais do que isso, alguém que chegou ao topo da carreira militar do exército, certamente já foi muito bem treinado no ponto de vista da pressão e da intimidação. Talvez uma orientação mais protocolar”.

Ele afirma que há uma tentativa de transformar os depoimentos das testemunhas em uma espécie de “tribunal da inquisição” e que a participação do atual ministro Marcelo Queiroga parece transformar a CPI da Covid em “CPI da Cloroquina”.

“Essa pandemia é cercada de incertezas. Não há afirmações absolutas em relação à CPI. No último depoimento que tivemos do atual ministro Marcelo Queiroga, o que pareceu é que se tratava da CPI da Cloroquina”, critica.

Marcos Rogério afirma que perguntou diretamente aos ex-ministros de saúde se haviam recebido ordem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para implementar a cloroquina. “Todos eles afirmaram que não. Perguntei, novamente, indiretamente se houve ordem dada pelos demais ministros, também disseram que não”.

Em semana agitada em Brasília, três ministros da saúde do governo Bolsonaro foram ouvidos na CPI da Covid: Henrique Mandetta, Nelson Teich e o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga. Tratamento precoce e uso de cloroquina foram temas chaves nos depoimentos.

Para a semana que vem, a CPI aprovou a convocação do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do ex-secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten. Os senadores também querem ouvir representantes do Instituto Butantan, da Fiocruz, da Pfizer e da União Química, responsável pela vacina Sputnik V no Brasil.

Fonte:CNN

Continuar lendo SEGUNDO VICE-LÍDER DO GOVERNO, PAZUELLO NÃO PRECISA DE TREINAMENTOS PARA RESPONDER A CPI DA COVID-19

EX- MINISTRO DA SAÚDE EDUARDO PAZUELLO NÃO TEM PERFIL PARA SUPORTAR PROVOCAÇÕES, AFIRMA INTEGRANTES DO GOVERNO

Temperamento explosivo e autoritário de Pazuello preocupa governo

Auxiliares de Pazuello afirmam que o ex-ministro não tem perfil para suportar provocações

Thais Arbex e Bárbara Baião Da CNN, em Brasília

 Atualizado 07 de maio de 2021 às 23:14

Temperamento explosivo e autoritário de Pazuello preocupa governo

O temperamento explosivo e, por muitas vezes, autoritário do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello tem preocupado integrantes do governo que acompanham a preparação do general para o depoimento na CPI da Pandemia no Senado, no próximo dia 19.

A avaliação é a de que Pazuello está muito bem respaldado, do ponto de vista de informações, para enfrentar os questionamentos dos senadores, mas tanto na Praça dos Três Poderes quanto na Esplanada dos Ministérios a forma como o ex-ministro vai se comportar na CPI é tida como crucial para que seu desempenho seja satisfatório.

Nesta quinta-feira (6), o advogado criminalista Zoser Hardman, chamado pelo próprio ex-ministro para auxiliá-lo em sua estratégia de defesa na CPI, afirmou ao âncora da CNN Kenzô Machida que “não há preocupação com o conteúdo das respostas, mas com a forma como ele irá responder”.

Segundo relatos feitos à CNN, durante o treinamento a que tem sido submetido, Pazuello chegou a demonstrar irritação e deixou transparecer um tom considerado autoritário. O perfil do ex-ministro preocupa, inclusive, os senadores governistas que estão na CPI. A avaliação é de que, se o general adotar uma postura muito beligerante, pode ser difícil fazer sua defesa.

Pessoas que acompanham o ex-ministro da Saúde não escondem que, de fato, o perfil de Pazuello é de confronto. Auxiliares de Pazuello afirmam que o ex-ministro não tem perfil para suportar provocações e, certamente, não repetirá o comportamento do sucessor, Marcelo Queiroga. Ouvido pela CPI na quinta-feira (06), Queiroga buscou refúgio em termos técnicos e não respondeu a perguntas mais ácidas dos senadores. Ainda de acordo com esses auxiliares, o general não baixará a guarda se, por ventura, as perguntas o induzirem a respostas que o responsabilizem por eventuais erros.

A preocupação de uma ala do governo com o depoimento na CPI também tem gerado um impasse em relação ao futuro do general dentro do governo. O presidente Jair Bolsonaro pretende oficializá-lo como Secretário Especial de Modernização do Estado, subordinado à Secretaria-Geral da Presidência, de Onyx Lorenzoni. Uma ala do governo, no entanto, acredita que o melhor, neste momento, é aguardar os desdobramentos das investigações antes de nomeá-lo.

O Planalto chegou a traçar uma estratégia para convencer a CPI a autorizar o depoimento de Pazuello por videoconferência e, com isso, diminuir a atmosfera de pressão sobre o general.

No entanto, a articulação submergiu depois que o próprio general decidiu não comparecer presencialmente à Comissão, por ter tido contato com duas pessoas que testaram positivo para o vírus. A CNN apurou que a decisão pegou de surpresa, inclusive, ministros do Planalto que estão atuando na preparação do ex-ministro Pazuello.

Fonte: CNN
Continuar lendo EX- MINISTRO DA SAÚDE EDUARDO PAZUELLO NÃO TEM PERFIL PARA SUPORTAR PROVOCAÇÕES, AFIRMA INTEGRANTES DO GOVERNO

A PRESSÃO SOBRE O MINISTRO DA SAÚDE, MARCELO QUEIROGA FAZ PARTE DA ESTRATÉGIA DE SENADORES DA OPOSIÇÃO EM PREPARAR TERRENO PARA DEPOIMENTO DE PAZUELLO

Estratégia de pressão sob Queiroga é prévia para depoimento de Pazuello na CPI

Um senador do grupo que forma a maioria da Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado relatou que a estratégia, de fato, era apavorar Pazuello e Barra Torres

Thais Arbex

Por Thais Arbex, CNN  

07 de maio de 2021 às 00:41

O ministro da Saúde Eduardo PazuelloEduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde
Foto: Carolina Antunes/PR (6.ago.2020)

A pressão sobre o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que tem marcado a sessão da CPI da Pandemia desta quinta-feira (6) faz parte de uma estratégia do chamado G7, grupo que reúne senadores independentes e de oposição, para preparar o terreno para os depoimentos do ex-ministro Eduardo Pazuello e do presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres.

Em caráter reservado, um senador do grupo que forma a maioria da Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado relatou que a estratégia, de fato, era apavorar Pazuello e Barra Torres.

Além de as perguntas terem sido feitas num tom mais incisivo, os senadores do G7 também mostraram uma articulação conjunta para a sequência dos questionamentos. Depois da primeira bateria de questões feitas pelo senador Renan Calheiros (MBD-AL), relator da CPI, a estratégia é a de que os demais integrantes do grupo majoritário repitam as dúvidas, mas as formulem de outra maneira. A ideia é que o depoente acabe sucumbindo à pressão.

A avaliação do grupo é a de que, nesta quinta, durante o depoimento de Queiroga, a estratégia deu certo. Senadores ouvidos pela CNN citam, por exemplo, a pressão para que o ministro da Saúde desse sua opinião sobre o uso da hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19.

Embora Queiroga tenha conseguido se esquivar de um posicionamento claro, senadores do G7 avaliam que, em um determinado momento, o ministro acabou “entregando” as informações que a CPI queria. Uma delas, por exemplo, quando o ministro reconheceu que a hidroxicloroquina pode causar arritmias cardíacas e que não autorizou a distribuição do medicamento em sua gestão à frente da pasta.

“Eu não autorizei distribuição de cloroquina na minha gestão. Eu não tenho conhecimento de que esteja havendo distribuição de cloroquina na nossa gestão”, disse Queiroga, após ser questionado.

Continuar lendo A PRESSÃO SOBRE O MINISTRO DA SAÚDE, MARCELO QUEIROGA FAZ PARTE DA ESTRATÉGIA DE SENADORES DA OPOSIÇÃO EM PREPARAR TERRENO PARA DEPOIMENTO DE PAZUELLO

A PEDIDO DO PRESIDENTE BOLSONARO, PAZUELLO DEVE GANHAR CARGO NO PALÁCIO DO PLANALTO

Ex-ministro da Saúde, Pazuello deve assumir cargo no Palácio do Planalto

Apesar de ter demitido Pazuello do cargo de ministro, o presidente indicou que deseja mantê-lo por perto

Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
 Atualizado 18 de abril de 2021 às 17:16
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde Eduardo PazuelloBolsonaro determinou à equipe que encontrasse um espaço para abrigar no governo o general Foto: Carolina Antunes/PR (16.set.2020)

A pedido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello deve ganhar um cargo no Palácio do Planalto. Está em discussão alçá-lo ao comando da “Secretaria Especial de Modernização do Estado”, informou à CNN um auxiliar presidencial.

A secretaria é subordinada à Secretaria-Geral da Presidência, comandada por Onyx Lorenzoni. Assumindo o cargo, Pazuello será encarregado, por exemplo, de “formular a política nacional de modernização do Estado” e ainda coordenar a definição de diretrizes para a “transformação digital de serviços públicos”.

Bolsonaro determinou à equipe que encontrasse um espaço para abrigar no governo o general, que deixou o comando da Saúde há quase um mês. Ao entregar o cargo para Marcelo Queiroga, ele se reapresentou ao Exército, já que não chegou a se transferir para a reserva.

Apesar de ter demitido Pazuello do cargo de ministro, o presidente indicou que deseja mantê-lo por perto. O general é alvo de inquérito por causa da crise em Manaus e está na mira do Tribunal de Contas da União (TCU), onde ministros defendem sua responsabilização por omissões durante a pandemia.

Continuar lendo A PEDIDO DO PRESIDENTE BOLSONARO, PAZUELLO DEVE GANHAR CARGO NO PALÁCIO DO PLANALTO

REUNIÃO COM A CÚPULA DOS PODERES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PAZUELLO FOI AGENDADA NO PALÁCIO DA ALVORADA

Planalto agenda reunião com Poderes e prepara prestação de contas de Pazuello

Governo, porém, não pretende chamar todos os governadores, apenas os mais alinhados a Bolsonaro

Caio Junqueira

Por Caio Junqueira, CNN  

Atualizado 22 de março de 2021 às 21:09

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde Eduardo Pazuello
O Palácio do Planalto agendou para as 8h30 desta quarta-feira a reunião com a cúpula dos poderes.

O encontro será presencial no palácio da Alvorada. Devem participar aproximadamente 15 pessoas, dentre eles o presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, e os presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco.

Além deles, também serão convidados o procurador-geral da República, Augusto Aras, a presidente do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes.

Alguns ministros de estado, como Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Fernando Azevedo (Defesa), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Braga Neto (Casa Civil) e Eduardo Pazuello (Saúde) também participarão, além do novo ministro da área, Marcelo Queiroga.

O Planalto, porém, não pretende chamar todos os governadores, apenas os mais alinhados ao governo.

Nesta terça-feira, haverá reuniões de planejamento da reunião ao longo do dia no Planalto. A ideia de Bolsonaro, segundo uma fonte, é apresentar uma prestação de contas sobre a gestão Pazuello, mostrar as ações do governo e pedir ideias para conter a pior fase da gestão.

Fonte: CNN

Continuar lendo REUNIÃO COM A CÚPULA DOS PODERES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PAZUELLO FOI AGENDADA NO PALÁCIO DA ALVORADA

ANÁLISE POLÍTICA: BOLSONARO CONSEGUIU UNIR OS CORRUPTOS

Nesta segunda-feira a ANÁLISE POLÍTICA é do irreverente José Nêumanne Pinto com a seguinte pauta: 1 – Bolsonaro conseguiu reunir todos os políticos velhacos do País, após vender a farsa de combater a corrupção, desmontar operações do MPF e por mais um “garantista” no STF para evitar concorrência de Moro em 2022 . 2 – Ameaçou direto do palácio mandar PF ao Maranhão para atemorizar Dino, que bateu: “ele confunde a Polícia Federal com milícias e milici anos”. Bingo! 3 – Hospitais das Forças Armadas no Amazonas têm 72% de leitos anticovid desocupados à espera de militares doentes. 4 -Ao contrário do que o presidente e Pazuello apregoaram, ministro não tem nenhuma expertise em logística. Então, prepare a pipoca, se acomode na poltrona e comece a se atualizar!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: BOLSONARO CONSEGUIU UNIR OS CORRUPTOS

PODCAST: MINISTRO DA SAÚDE PAZUELLO É PRESSIONADO NO CONGRESSO E NA JUSTIÇA

Pazuello é foco duplo de pressão: na justiça e no Congresso

Sadi comenta o desempenho do ministro da Saúde Eduardo Pazuello em sua fala no Senado federal. ‘É muito impressionante com o ministro está na linha de frente das ações da Covid, mas vai modulando o discurso de acordo com o público’. No caso específico do Senado, ele foi muito cobrado porque os parlamentares são muito cobrados nas suas bases também. “Eles pressionaram daquela maneira no microfone. Senador Eduardo Braga, por exemplo, foi pontual dizendo: ‘não, ministro, não está tudo bem’”.

SEXTA, 12/02/2021, 08:49

 

Fonte: CBN

Continuar lendo PODCAST: MINISTRO DA SAÚDE PAZUELLO É PRESSIONADO NO CONGRESSO E NA JUSTIÇA

EM AUDIÊNCIA NO SENADO PAZUELLO SE MOSTROU PRESSIONADO E COM DIFICULDADES DE RESPOSTAS SOBRE CONDUÇÃO DA CRISE DO CORONAVIRUS NO BRASIL

Pazuello se mostrou pressionado, com dificuldade para responder, diz senadora

Produzido por Rudá Moreira e Vinícus Tadeu, da CNN em Brasília e São Paulo

 Atualizado 12 de fevereiro de 2021 às 05:29

Resultado de imagem para Pazuello se mostrou pressionado, com dificuldade para responder, diz senadora

O ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, participou de uma audiência no Senado para responder questões sobre a condução da crise do novo coronavírus no Brasil. O convite foi feito pela senadora Rose de Freitas (MDB-ES), que em entrevista à CNN falou sobre o encontro.

“Cobraram do ministro um cronograma de vacinação e de vacinas, perguntaram sobre a compra dos imunizantes e quando vai acabar o gargalo de vacinas no Brasil e muitas vezes ele se sentiu pressionado, com dificuldade de responder. Foi um encontro necessário, mas que não teve os resultados esperados.”

Rose questionou a fala de Pazuello de que vai conseguir vacinar toda a população brasileira até o final de 2021 e disse que as respostas do ministro “suscitaram dúvidas”.

“Para dizer que até julho vai conseguir vacinar toda a população é preciso que haja vacina. Onde estão? Quando chegarão no Brasil? Vão chegar de onde? As respostas do ministro suscitaram mais dúvidas.”

Fonte: CNN

Continuar lendo EM AUDIÊNCIA NO SENADO PAZUELLO SE MOSTROU PRESSIONADO E COM DIFICULDADES DE RESPOSTAS SOBRE CONDUÇÃO DA CRISE DO CORONAVIRUS NO BRASIL

PAZUELLO TEM APOIO POLÍTICO DOS MILITARES NO INQUÉRITO ABERTO NO STF

Militares lideram defesa de Pazuello no STF

 

Caio Junqueira

Por Caio Junqueira, CNN  

|Atualizado 26 de janeiro de 2021 às 20:37

Militares lideram defesa de Pazuello no STF

Os militares lideram a defesa de Eduardo Pazuello no Supremo Tribunal Federal (STF). Eles são o grupo dentro do governo que mais tem prestado apoio político a Pazuello e avaliam que o inquérito aberto no STF contra ele será a possibilidade efetiva, formal, jurídica e política de elencar todas as ações do ministro na pandemia e mais especificamente no Amazonas.

Tanto que grande parte dos dados que Pazuello vai utilizar em sua defesa no inquérito estão sendo levantados pelo Ministério da Defesa.

“Pazuello vai mostrar tudo o que as Forças estão fazendo na crise”, disse um ministro à CNN. Inclusive um dos documentos considerados mais relevantes: o que comprovaria que foram tomadas medidas em Manaus já no dia 8 de janeiro, data símbolo porque é a considerada quando Pazuello foi oficialmente informado da falta de oxigênio.

Ademais, já há uma numeralha sendo levantada com dados sobre cilindros, tanques líquidos e usinas de oxigênio entregues e pacientes transferidos. Em nível macro, serão apresentados dados sobre mortes no Brasil em proporção à população (hoje o Brasil ocupa o 18º lugar) e a posição na vacinação no mundo (hoje em 15º lugar).

“Ele não está fazendo nada que contribua para essas mortes e vamos mostrar isso”, disse um ministro.

A despeito dessa força-tarefa, na prática, é evidente o incômodo com a crise. Dizem que Pazuello virou ministro de maneira acidental na medida em que foi posto lá para ajudar Nelson Teich após a queda de Luiz Henrique Mandetta; mas, como Teich saiu, assumiu o posto.

O alvo real, consideram, é o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Assim, atacam o ministro para atingir o Palácio do Planalto já tendo em vista as eleições de 2022.

Falam também que ele está cumprindo uma missão de guerra dentro de uma estrutura – da Saúde – feita para tempos de paz.

Na avaliação dos militares, embora Pazuello esteja na ativa, ele está exercendo um cargo de natureza civil, o que é autorizado pela lei. Tecnicamente, então, não poderia se vincular sua gestão às Forças Armadas.

Continuar lendo PAZUELLO TEM APOIO POLÍTICO DOS MILITARES NO INQUÉRITO ABERTO NO STF

RESUMO DA SEMANA: POSSE DE BIDEN, PAZUELLO X TRATAMENTO PRECOCE E FURA-FILAS DA VACINA

No RESUMO DA SEMANA deste domingo você vai ver os principais fatos da política nacional desta semana sob o comando de Vitor Brown, dentre eles: a posse de Biden, a polêmica da fala do ministro da saúde, Eduardo Pazuello, sobre tratamento precoce e os fura-filas da vacinação contra a Covid-19 em todo o país. Então não saia dai, se acomode na poltrona e se atualize!

Fonte:

Continuar lendo RESUMO DA SEMANA: POSSE DE BIDEN, PAZUELLO X TRATAMENTO PRECOCE E FURA-FILAS DA VACINA

ANÁLISE POLÍTICA: CHINA NEGA INSUMOS PARA VACINA APÓS SER INSULTADA POR BOLSOBARO, POR JOSÉ NÊUMANE

Estamos de volta com o irreverente e destemido José Nêumanne Pinto, aqui na coluna ANÁLISE POLÍTICA, comentando dentre outros assuntos sobre a Indignação dos chineses com insultos proferidos pela famiglia Bolsonaro e pelo chanceler Ernesto Araújo, que passaram a dificultar entrega de insumos para vacinas coronavac e da AstraZeneca, o que impede Pazuello de dar datas do plano de vacinação na resposta ao STF. 2 – Fiocruz não produziu uma só das 160 milhões que Ministério da Saúde diz que Brasil comprou na vacina da AstraZeneca, de fato produzida no laboratório indiano Serum. 3 – Ministro da Saúde espera entrega de 2 milhões de doses em Mumbai, mas Brasil fica fora da lista dos países para os quais a Índia anuncia exportação da vacina. O vídeo está imperdível. Então, comece logo a assistir!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: CHINA NEGA INSUMOS PARA VACINA APÓS SER INSULTADA POR BOLSOBARO, POR JOSÉ NÊUMANE

FOI AUTORIZADA POR PAZUELLO EM CARÁTER EMERGENCIAL A AMPLIAÇÃO DE VAGA DO MAIS MÉDICO EM MANAUS

Pazuello autoriza ampliação emergencial de vagas do Mais Médicos em Manaus

Por Diego Freire, da CNN, em São Paulo

Atualizado 19 de janeiro de 2021 às 02:36

Ministro da Saúde, Eduardo PazuelloMinistro da Saúde, Eduardo Pazuello

Em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (19), o ministro da Saúde Eduardo Pazuello autorizou a ampliação emergencial e temporária das vagas do Projeto Mais Médicos para o Brasil na cidade de Manaus.

O texto da portaria informa que a medida é tomada “em razão da situação de emergência ocasionada pela pandemia novo Coronavírus (Covid-19)”.

Pazuello libera, pelo “período improrrogável de um ano”, a abertura de 72 novas vagas para profissionais médicos na cidade por meio do programa.

“Os profissionais que lograrem êxito no chamamento público serão alocados no Município de Manaus/AM e continuarão a desempenhar suas atividades no âmbito do Projeto até o prazo final do termo de adesão e compromisso”, diz o texto.

Mais detalhes sobre o recrutamento serão divulgados posteriormente em edital.

Nos últimos dias, a capital amazonense enfrentou uma grave crise de saúde pública diante do aumento de hospitalizações por Covid-19, com falta de cilindros de oxigênio para atendimento de paciente. Em transmissão nas redes sociais, Pazuello admitiu um “colapso” do sistema de saúde local.

Na última sexta-feira, o ministro de Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreaza, que já disponibilizou o envio de cilindros de oxigênio para o estado do Amazonas, também ofereceu a ajuda de 107 médicos graduados na Venezuela para reforçar os atendimentos.

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), disse que a Venezuela foi o único país a se prontificar a ajudar o estado na crise de falta de oxigênio.

O Programa Mais Médicos (PMM) é descrito, no portal do Ministério da Saúde, como “parte de um amplo esforço do Governo Federal, com apoio de estados e municípios, para a melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)”, levando profissionais de medicina a regiões onde há escassez ou ausência de atendimento.

Continuar lendo FOI AUTORIZADA POR PAZUELLO EM CARÁTER EMERGENCIAL A AMPLIAÇÃO DE VAGA DO MAIS MÉDICO EM MANAUS

NESTA SEGUNDA FEIRA PAZUELLO SE REUNIRÁ COM GOVERNADORES, O ENCONTRO MARCA A “DISTRIBUIÇÃO SIMBÓLICA” DA VACINA

Reunião de Pazuello com governadores inicia distribuição nacional da vacina

Da CNN, em São Paulo*

Atualizado 18 de janeiro de 2021 às 05:06

Chegada do quinto lote da Coronavac ao aeroporto de GuarulhosChegada do quinto lote da Coronavac ao aeroporto de GuarulhosFoto: Divulgação – 28.dez.2020 / Governo de São Paulo

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reúne-se às 7h desta segunda-feira (18), em São Paulo, com governadores. O encontro marca o início da “distribuição simbólica”, conforme  classificou o próprio ministério, dos 6 milhões de doses da Coronavac.

Dirigentes como Wellington Dias (PT), governador do Piauí; Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais; Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte; Ratinho Jr (PSD), do Paraná, confirmaram presença no encontro, que ocorre no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos.

A logística de distribuição das vacinas será realizada aviões e caminhões, compondo estes últimos uma frota de 100 veículos com áreas de carga refrigeradas, que até o final de janeiro aumentarão em mais 50 . que se encontram em processo de expansão para 150 veículos até o final de janeiro de 2021. Toda frota possui sistema de rastreamento e bloqueio via satélite.

O Ministério da Saúde terá o apoio da Associação Brasileira de Empresas Aéreas por meio das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass para o transporte gratuito da vacina. Segundo o ministério da Saúde informou, a distribuição aos municípios ocorrerá junto com o Ministério da Defesa.

ConvitePazuello envia convite para “ato simbólico” de recebimento da vacina, em SP

No domingo (17), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, por unanimidade, os pedidos para uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford — no entanto, apenas a vacina do Instituto Butantan já está disponível no Brasil.

O governo paulista informou que enviará 4.636.936 doses da vacina do Instituto Butantan para o Ministério da Saúde.

O estado de São Paulo ficará com 1.357.940 doses, número determinado pelo Programa Nacional de Imunização (PNI).

As demais doses serão distribuídas para os 26 estados e para o Distrito Federal.

Coordenador da temática de vacina no Fórum Nacional de Governadores, o governador do Piauí, Wellington Dias (PI), disse ao analista da CNN Igor Gadelha que o encontro ocorrerá às 7h, no depósito do Ministério da Saúde localizado no Aeroporto de Guarulhos.

Dias afirmou ainda que o critério de distribuição das doses será o equivalente a 2,5% da população de cada estado.

Os governadores também esperam que o ministro da Saúde anuncie nesta segunda-feira o cronograma para distribuição de novos lotes de doses de vacinas que serão importadas ou produzidas no Brasil nos próximos meses.

Em entrevista coletiva no domingo, Pazuello previu o início da campanha de vacinação simultânea em todo o país para quarta-feira (20), às 10h.

O ministro da Saúde contava com a chegada de 2 milhões de doses já prontas da vacina de Oxford compradas da Índia. No entanto, o voo, que estava previsto para decolar do Brasil na última sexta-feira (15), atrasou e ainda não partiu rumo a Mumbai.

A mudança de data do voo fretado pelo Ministério da Saúde para buscar 2 milhões de doses da vacina de Oxford na Índia foi definida após um pedido do governo daquele país.

Segundo assessores, após o Índia atrasar a liberação das doses prontas, Pazuello quer acelerar o processo de produção própria do imunizante. Fontes da Fiocruz, responsável pela produção do imunizante em território nacional, disseram ao analista Igor Gadelha que a fundação ainda depende da chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), insumo importado da China.

Continuar lendo NESTA SEGUNDA FEIRA PAZUELLO SE REUNIRÁ COM GOVERNADORES, O ENCONTRO MARCA A “DISTRIBUIÇÃO SIMBÓLICA” DA VACINA

ANÁLISE POLÍTICA: DORIA, FHC, KALIL, SUPREMO, PAZUELLO, PSL, STATES E MUITO MAIS POR BÁRBARA

Quem não assistiu o RESUMO DA SEMANA de ontem não perdeu nada, pois o vídeo a seguir com a irreverente e bem humorada Bárbara está completo e repleto do que melhor rolou na política brasileira na semana que passou: Dória, FHC, Kalil, Supremo, Pazuello, PSL, States e muito mais. Não ficou nada de fora mesmo. Então se organize ai e comece logo a assistir!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: DORIA, FHC, KALIL, SUPREMO, PAZUELLO, PSL, STATES E MUITO MAIS POR BÁRBARA

PODCAST: PAZUELLO É UMA AUTORIDADE QUE NÃO AUTORIZA NADA

Pazuello cumpriu exatamente o que o presidente esperava dele’

Andreia Sadi fala da reunião do ministro da Saúde Eduardo Pazuello com governadores. ‘Pazuello praticamente é uma autoridade que não autoriza nada. A palavra final é sempre do presidente da República’. Ela falou da pressão dos governadores e, em particular, do governador João Doria, que fez o governo federal mudar um pouco o tom do discurso. Ela acrescenta que a retomada da economia depende de um plano de vacinação.

SEXTA, 11/12/2020, 09:00

 

Fonte: CNN

Continuar lendo PODCAST: PAZUELLO É UMA AUTORIDADE QUE NÃO AUTORIZA NADA

DECISÃO DO GOVERNO É DEFINITIVA DIZ BOLSONARO, E PAZUELLO E FICA

Bolsonaro: Pazuello fica, e decisão do governo sobre Coronavac é definitiva

Leandro Magalhães, da CNN, em Brasília

 Atualizado 21 de outubro de 2020 às 23:41

Pazuello fica e decisão sobre vacina é definitiva”, diz Bolsonaro à TV

O presidente Jair Bolsonaro afirmou à CNN na noite desta quarta-feira (21) que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, não vai sair da pasta e que o governo federal não vai recuar da decisão sobre a compra da vacina chinesa Coronavac.

“O ministro Pazuello não vai sair do governo. O que aconteceu foi um mal-entendido, mas isso não vai envenenar o nosso ambiente. Pazuello é meu amigo particular, e ele é um dos melhores ministros da Saúde que o Brasil já teve”, ressaltou.

Jair Bolsonaro também disse à CNN que a decisão do governo federal em não comprar a vacina chinesa é definitiva.

“O gorverno já tomou a decisão, e essa decisão é definitiva. Não vamos comprar a vacina chinesa, porque não há vacina pronta”.

O presidente ainda afirmou que o governador de São Paulo, João Doria, sempre foi contra as medidas de combate ao coronavírus aplicadas pelo governo federal.

“Ele [João Dória] está tentando tumultuar o ambiente. Sempre foi contra as nossas medidas de combate à Covid-19. A última foi impressionante: nós diminuímos impostos por causa da pandemia, mas o João Dória resolveu aumentar”.

Alto preço da Coronavac

À CNN, o presidente Jair Bolsonaro também relatou que achou o preço da vacina chinesa muito elevado.

“Me parece um preço muito elevado para a quantidade da vacina que o governo de São Paulo quer comprar”.

Fonte: CNN

Continuar lendo DECISÃO DO GOVERNO É DEFINITIVA DIZ BOLSONARO, E PAZUELLO E FICA

RESUMO DA SEMANA: PAZUELLO EFETIVADO, DÍVIDAS DAS IGREJAS E FIM DO RENDA BRASIL

Neste domingo você vai ver na nossa coluna RESUMO DA SEMANA assuntos como a efetivação de Pazuello como Ministro da Saúde, a questão do veto do presidente sobre o perdão das dívidas das igrejas, o fim do Renda Brasil em declaração dada por Bolsonaro, e muito mais no programa Semana da Pan, sob o comando de Vitor Brown, com tudo que foi notícia na política nacional. Então aproveite a sua próxima hora para se atualizar!

Fonte:

Continuar lendo RESUMO DA SEMANA: PAZUELLO EFETIVADO, DÍVIDAS DAS IGREJAS E FIM DO RENDA BRASIL

ANÁLISE POLÍTICA: MINISTRO PAZUELO ABRE OS COFRES E RECEBE ELOGIOS ATÉ DOS PREFEITOS DA OPOSIÇÃO

O comentário desta sexta-feira na coluna ANÁLISE POLÍTICA é de Alexandre Garcia que trata entre outras coisas da minguada reação da grande imprensa o artigo do jornalista que disse torcer pela morte de Bolsonaro e ainda sobre os elogios dos prefeitos de oposição ao Ministro da Saúde, Pazuello. Então assista ao vídeo completo, reflita e tire suas conclusões!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: MINISTRO PAZUELO ABRE OS COFRES E RECEBE ELOGIOS ATÉ DOS PREFEITOS DA OPOSIÇÃO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar