RESUMO DA SEMANA: ANÁLISE DAS MANIFESTAÇÕES CONTRA O GOVERNO E PANE NO WHATSAPP

Neste domingo, aqui no RESUMO DA SEMANA você vai ver os principais fatos políticos que foram destaques nos noticiários, tais como análise das manifestações contra o governo e a pane no whatsapp. Por isso fique ligado e atualizado!

Fonte:

Continuar lendo RESUMO DA SEMANA: ANÁLISE DAS MANIFESTAÇÕES CONTRA O GOVERNO E PANE NO WHATSAPP

ANÁLISE POLÍTICA: OQUE DISSERAM AS RUAS NO 7 E NO 12 DE SETEMBRO, POR ALEXANDRE GARCIA

Toda segunda-feira, aqui na coluna ANÁLISE POLÍTICA tem a análise contundente e esclarecedora do competente Alexandre Garcia. Hoje ele vai dizer, na sua visão, o que disseram as ruas no 7 e no 12 de setembro. Por isso você não pode sair dai e assistir o vídeo completo a seguir.

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: OQUE DISSERAM AS RUAS NO 7 E NO 12 DE SETEMBRO, POR ALEXANDRE GARCIA

ANÁLISE POLÍTICA: DAS MANIFESTAÇÕES A NOTA DO PRESIDENTE. COMO E PORQUE TUDO ACONTECEU…POR BÁRBARA

De volta ao seu canal do Youtube e em grande estilo a irreverente Bárbara faz um comentário que todo brasileiro deveria assistir e ouvir, pois é tão esclarecedor que é capaz de converter até o mais fiel esquerdopata, já que os vídeos de Bárbara são altamente didáticos com exposição de fotos, vídeos e evidências contundentes, que não deixam a menor dúvida de sua lisura. É exatamente por isso que lhe devolveram o canal. Não encontraram nenhuma prova contra ela. Então, separa a pipoca e aproveita pra ficar super bem informado(a)!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: DAS MANIFESTAÇÕES A NOTA DO PRESIDENTE. COMO E PORQUE TUDO ACONTECEU…POR BÁRBARA

OPINIÃO: DIANTE DAS MINGUADAS MANIFESTAÇÕES DESTE DOMINGO PARECE QUE BOLSONARO PODERÁ GOVERNAR EM PAZ

Caro(a) leitor(a),

Na coluna PONTO DE VISTA deste domingo eu comentei que as manifestações que seguiriam durante o dia seriam o divisor de águas dessa já bastante longa crise institucional entre os poderes. Elas definiriam se estamos, ainda no começo de uma guerra política ou estaríamos perto do final, com um desfecho positivo de governabilidade para o nosso país. Eu disse que se as manifestações tivessem um substancial número de pessoas nas ruas, tão grande quanto ou maior do que as manifestações do 7 de setembro estaríamos apenas começando uma guerra que chamaria para as ruas todo aquele brasileiro que ainda dorme em berço esplêndido, pois sabemos que a grande maioria da população não quer o avanço do Comunismo no Brasil. E que se essas manifestações fossem exíguas a luta estaria perto do fim, com a fortificação do poder executivo e por consequência a governabilidade. Dando ao Presidente Bolsonaro condições de seguir com a sua agenda até 2022. Pelo resultado das exíguas e minguadas manifestações de hoje tenho a certeza que a segunda versão acontecerá daqui por diante. Até porque a carta à nação de Bolsonaro já começa a fazer efeito trazendo resultados animadores. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Agora ele cai! O Brasil vive um momento histórico… Uma multidão de ninguém saiu às ruas

Foto reprodução/TwitterFoto reprodução/Twitter

Uma multidão de ninguém saiu às ruas para protestar contra o governo. Era tanta gente que o trânsito não precisou ser desviado, não foi necessário um esquema especial de segurança e um planejamento de transporte, e o único caminhão que compareceu foi o de lixo, carregando quem estava pela rua com bandeira vermelha na mão.

A esquerda está feliz. Conseguiu chamar a atenção da Globo e da Folha de S.Paulo, que não conseguiram estimar o número de participantes, já que quando eles se espalharam ficaram tão distantes que ninguém podia contar.

A esquerda agora vai dizer que só deu esse tantão de gente porque “respeita as medidas de precaução da covid”, apesar do povo ter chegado num patinete completamente lotado.

Separando os pobres vendedores ambulantes que ficaram decepcionados com o sucesso de público, os caras da guarda municipal, o povo que não tinha nada a ver, os cracudos que só observavam e alguns que estavam perdidos, o número de participantes estava estimado em… meio. Algo inédito no mundo.

Agora Lula viu sua força. Agora o Bolsonaro cai.

Os grandes “chamadores” de público como Simone Tebet, Titica Santa Cruz, Mama Falhei, Kim Kata-guri e outros viram agora o quanto são poderosos e conseguem influenciar a população. Estava lindo!

Um maluco puxou o coro “vamos dar as mãos, vamos dar as mãos, vamos dar as mãos, vamos dar”, mas teve que parar no meio da música porque não havia a quem dar as mãos.

A Paulista nunca esteve tão lotada de ninguém! A Av. Atlântica estava tão cheia, que um Boeing 747 pousaria no meio dela sem atropelar uma única alma! Estava lindo!

Avante esquerda! Esquerda? Esquerda? Cadê você, esquerda? Ainda está aí? Alôoooo… É você, satanás (Dna Clotilde)? Vixe! Não tem ninguém!

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: DIANTE DAS MINGUADAS MANIFESTAÇÕES DESTE DOMINGO PARECE QUE BOLSONARO PODERÁ GOVERNAR EM PAZ

DEPOIS DE MANIFESTAÇÃO CONTRA BOLSONARO SEM GRANDE ADESÃO OPOSIÇÃO TERÁ DESAFIO DE SUPERAR RUSGAS

Manifestações com baixa adesão confirmam desafios da oposição a Bolsonaro

Movimentos e partidos que defendem o impeachment ou mesmo são apenas críticos ao presidente não conseguem unificar discurso e nem mobilizar grande parte da população

Wellington Ramalhoso

da CNN*

Depois de manifestações sem grande adesão popular em 18 capitais e no Distrito Federal neste domingo (12), as forças de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) terão pela frente nas próximas semanas os desafios de superar rusgas e colocar grupos divergentes em sintonia para tentar mobilizar protestos maiores pelo impeachment do presidente.

Organizados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelos grupos Vem Pra Rua e Livres, os atos deste domingo atraíram presidenciáveis de campos diferentes como os ex-ministros Ciro Gomes (PDT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), mas partidos como PT e PSOL não participaram e se articulam com outros movimentos para um protesto pelo impeachment previsto para 2 de outubro.

Em meio a essa divisão, a mobilização popular ficou pelo caminho e não endossou pesquisas como a divulgada em julho pelo Datafolha – 54% se declararam a favor do processo de impeachment, mas as manifestações de 7 de setembro em apoio a Bolsonaro, apesar de terem tido uma adesão mais baixa do que o esperado, ainda foram superiores às da oposição neste domingo. Tomando São Paulo como exemplo, a Polícia Militar estimou cerca de 125 mil pessoas na Paulista a favor do governo, enquanto neste domingo apontou aproximadamente 6 mil presentes.

Só na última semana o mote foi trocado para “Fora Bolsonaro” em busca de uma ampliação da frente. A mudança não foi suficiente para atrair PT e PSOL. E apesar da alteração, o antigo slogan ainda foi exibido por manifestantes neste domingo. Na avenida Paulista, surgiu, inclusive, uma nova versão do Pixuleco, boneco inflável de Lula vestido de presidiário. Desta vez o boneco é duplo e tem Bolsonaro abraçado ao petista.

Para a próxima tentativa, o diálogo sobre o ato de 2 de outubro envolve, por enquanto, nove partidos: PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, PV, Solidariedade, Rede e Cidadania.

O avanço do diálogo do MBL e do PSDB com o PT parece difícil. Em relação ao MBL, os petistas têm na memória a campanha pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e os duros ataques do grupo ao partido.

Pelo lado tucano, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, afirmou à CNN, na última quinta-feira (9), que a legenda não caminhará ao lado do PT. Além de superar expressivas fissuras, a oposição teria de encontrar o tom mais adequado para puxar manifestações.

Até o protesto do começo de outubro, o país verá a CPI da Pandemia se aproximar do fim. O relatório da comissão, que tende a consolidar denúncias contra o governo Bolsonaro, deve ser votado no dia 29.

Além das denúncias da CPI e da crise institucional, sobretudo com o Poder Judiciário, o governo se vê às voltas com problemas como a inflação em alta, o desemprego e os riscos da crise hídrica.

Por enquanto, o governo Bolsonaro desfruta do alívio que a declaração divulgada na última quinta-feira (9) trouxe. Depois de dizer em discurso no dia 7 que não cumpriria decisões judiciais do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a crise institucional se agravou com reações do Judiciário, do Legislativo e dos partidos.

Na quinta, o presidente Bolsonaro publicou uma carta em que disse não ter tido a intenção de agredir outros poderes. O gesto para tentar amenizar a crise contou com o apoio do ex-presidente Michel Temer (MDB), que colaborou na redação da carta e intermediou uma ligação telefônica entre o presidente e Moraes. De quebra, ajudou a ofuscar as articulações dos atos da oposição.

O governo também permanece com apoio suficiente na Câmara dos Deputados para impedir a abertura do processo de impeachment. As dezenas de pedidos da oposição estão paradas nas mãos do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

*Com informações de Iuri Pitta, Leandro Resende e Renata Agostini, da CNN

Continuar lendo DEPOIS DE MANIFESTAÇÃO CONTRA BOLSONARO SEM GRANDE ADESÃO OPOSIÇÃO TERÁ DESAFIO DE SUPERAR RUSGAS

RESUMO DA SEMANA: ANÁLISE PÓS 7 DE SETEMBRO

Se você não conseguiu acompanhar os fatos políticos desta calorosa semana do 7 de setembro, onde aconteceram as maiores manifestações pacíficas  já vistas nesse país, com os incisivos ataques de Bolsonaro ao STF e em particular ao ministro Alexandre de Moraes e a resposta do STF às suas declarações, bem como a carta de apaziguamento do próprio Bolsonaro com a ajuda o do ex-presidente Temer enquadrando o cabeça de ovo, vao ter a oportunidade única de ver tudo isso, aqui no RESUMO DA SEMANA, com as análises dos melhores comentaristas do Brasil, sob o comando de Vitor Brown, no Semana da Pan. Então se ligue ai!

Fonte:

Continuar lendo RESUMO DA SEMANA: ANÁLISE PÓS 7 DE SETEMBRO

PONTO DE VISTA: AS MANIFESTAÇÕES DE 12 DE SETEMBRO

Caro(a) leitor(a),

As manifestações de hoje capitaneadas pelo MBL vão ser o divisor de águas dessa polaridade extrema que acomete o nosso país e vão nos dizer realmente quem está insatisfeito com o que e com quem. Se o número de pessoas na rua hoje exceder o do dia 7 de setembro conheceremos a real situação da rejeição do presidente Bolsonaro e saberemos que o país já está dominado pelo PCC – Partido Comunista Chinês. Significará que a luta ainda não está nem perto de terminar e dará a real noção e a chance ao brasileiro que ainda dorme em berço esplêndido e ainda não levantou a bunda do sofá para ir protestar contra o avanço do Comunismo ir para as ruas numa próxima manifestação defender a nossa liberdade. Significa que teremos que, pacificamente, tomar o Congresso Nacional e assumir as rédeas dessa nação. Sim o Povo!

Se o movimento de hoje, visivelmente der menos gente do que as manifestações de 7 de setembro significará que a luta já está perto de terminar e que, no pior das hipóteses, nas próximas eleições a coisa vai mudar substancialmente e que até lá teremos realmente uma trégua para legitimar o atual governo com possibilidades de governar em paz até 2022. Então aguardemos até o final do dia de hoje para sabermos o que nos reserva o futuro!

Manifestação reúne políticos zumbis, que tentam voltar a vida, atacando o presidente Bolsonaro

Foto reproduçãoFoto reprodução

As manifestações de Sete de Setembro foram gigantescas e pacíficas. Milhões de pessoas foram às ruas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, e, para mais uma vez, pedir por liberdade de expressão, e pelo fim da escalada autoritária do STF.

Um movimento lindo e verdadeiramente democrático, que fez tremer de ódio os oposicionistas de diferentes frentes e partidos, que trataram de subestimar mais uma vez, os números das manifestações pró-presidente.

Chutaram um número de 125 mil pessoas (vide imagens), e garantem que nesse domingo (12) vão levar para as ruas, em São Paulo, um número muito maior que isso.

Para tanto, todos os políticos insatisfeitos com a pessoa de Jair Bolsonaro, por questões pessoais e não pelo Brasil, se uniram em uma única causa: pedir impeachment do presidente!

Está circulando um convite para a tal manifestação um painel com as fotografias de lideranças políticas mais bizarras: os traidores, os ressentidos, os maldosos, os invejosos, e os perversos. Entre eles, dois chamam a atenção: Simone Tebet e Mandetta.

Simone Tebet vem surpreendendo com a sua presença maléfica na CPI, apoiando abusos contra os depoentes, principalmente as mulheres.

Posiciona-se com visível ódio e, enaltece qualquer fala mentirosa, que possa ser usada para incriminar o presidente. Vergonha, vergonha.

O que dizer de “o rei do gogó”, o senhor Mandetta, que estrelou na TV, nas tardes de quarentena, com o povo confinado na frente da tela, trazendo orientações para o cidadão(ã) “ficar em casa”, e, em caso de sintomas de COVID-19 , só ir para o hospital quando lhes faltasse o ar.

Não podemos esquecer as imagens de pessoas que morreram dentro dos seus carros, nas portas dos hospitais, sem atendimento, sem nenhuma chance de impedir que a doença chegasse a esse estágio inflamatório e mortal.

Vergonha.

São esses dois políticos “exemplares”, que acusam o presidente de responsabilidade pelos mortos da pandemia e por todos os males do Brasil, que estão hoje nas ruas, junto aos esquerdistas, junto à direita-trans (esquerdista de nascença sem coragem de assumir-se como tal), junto a todos os políticos decadentes que tiveram a “feliz” ideia de aglomerarem-se, para tentar destruir o Bolsonaro e “curar” o Brasil do “fascista-genocida”.

Ambos, Simone e Mandetta, são portadores de delírio de grandeza: ou seja: acreditam serem especiais, dotados de capacidades e poderes superiores aos do presidente. Aliás, INVEJAM-NO! Querem o lugar dele.

Há um vídeo escandaloso, com pessoas nuas, dançando, falando obscenidades, fazendo obscenidades com imagens sacras e crucifixos, fazendo apologia ao aborto, às drogas, ideologia de gênero, uso da linguagem neutra, etc, convidando para as manifestações do dia 12 ( hoje).

O vídeo mostra imagens de outras manifestações de esquerda e o estilo lastimável de protesto.

Trata-se de um povo doente, imaturo e regredido, que usa conteúdos escatológicos, como fezes e urina para chamar a atenção.

Os corpos nus e pintados com frases depreciativas, revelam o grau de fixação a alguma das fases do desenvolvimento psicossexual da infância: oral, anal, fálica…

Essa gente avulsa, que não tem importância política alguma, que espera causar o impeachment do presidente, só porque não pode aceitar que ele foi escolhido por mais de 57 milhões de brasileiros, e mantém o número de apoiadores, visíveis nas ruas, ainda que a esquerda finja não ver.

O maior desrespeito que os políticos oposicionistas cometem não é só contra o presidente, é contra o POVO, que cansado dos arroubos autoritários de alguns ministros do STF, se viu obrigado a ir para as ruas, com seus próprios recursos, em época de pandemia e crise econômica, só para pedir o fim da “ditadura de toga”.

Uma pequena trégua foi gerada, uma carta, um acordo, uma esperança…

Mas, quem disse que esse movimento MBL e seu ecletismo político que reúne a extrema esquerda, a direita-trans, e todos os ambiciosos pelo poder, estão interessados em um país melhor? Com ordem e progresso?

Que moral tem uma classe que luta para derrubar, destruir, desejar o mal, tomar o poder de quem está mais que amparado e apoiado por um poder que nenhum outro brasileiro tem, no momento?

O poder que vem do povo.

O poder que vem do respeito e do apoio incondicional da grande maioria da população.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo PONTO DE VISTA: AS MANIFESTAÇÕES DE 12 DE SETEMBRO

PONTO DE VISTA: A CENSURA DOS TEMPOS DE CHUMBO É FICHINHA DIANTE DA CENSURA DO STF

Caro(a) leitor(a),

Ao ler o último artigo do Blog do Stephen Kanitz confirmei a minha preocupação pessoal com o atual momento que vivemos nesse país de coisas tenebrosas, surreais e bizarras. A comparação que ele faz com os tempos de ditadura quando fala em censura não é para preocupar apenas, é para se fazer alguma coisa. O povo não pode ficar parado, sem ação diante de todo esse desmando institucional. O país não pode ser governado pelo judiciário. Precisamos honrar e fazer valer a nossa Constituição, por mais falha e frágil que ela seja. O STF deveria ser o guardião da nossa Carta Magna, mas no entanto está rasgando-a todos os dia e jogando na lata do lixo. Isso não pode continuar assim sob pena de voltarmos aos velhos tempos de chumbo e dessa vez sem o menor pudor como você pode notar pelas palavras do artigo a seguir. Então a oportunidade de tomarmos uma atitude é real e iminente. Ela está há dois dias da nossa visão. O 7 de setembro precisa precisa ficar para a história da nossa imberbe e por enquanto frágil Constituição. Portanto vamos às ruas sim. Vamos dar o grito de liberdade que está engasgado na garganta. Conto com você brasileiro, patriota e bom filho da pátria!

Censura

 

Estou muito preocupado em decifrar o tamanho dessa onda de censura da liberdade de expressão que toma esse país.

Estou calado até decifrar o que querem dizer com “somente fatos cientificamente comprovados” podem ser publicados, isso dito por um membro do Supremo.

Se for assim hipóteses serão censuradas, quaisquer hipóteses, o que significa o fim da ciência, justamente o contrário.

Significa também o fim do diálogo porque muitas coisas que achamos científicas poderão provar não serem, como mostra Karl Popper.

Quanto mais sei, menos sei.

O que não entendo é que os governantes normalmente censuram quem fala mal do governo.

O Brasil, sempre na contramão, está censurando e confiscando dinheiro ganho de quem defende o governo.

De fato, no governo militar censuraram a Imprensa.

Censuraram o Estadão, a Folha, O Jornal do Brasil, mas somente pequenos trechos, 99% do resto era publicado.

É como se o Supremo mandasse apagar um post ou outro, ou exigisse correção, o que hoje é possível e instantâneo.

Mas estão fechando sites inteiros, como se proibissem o Estado, a Folha, de existirem, o que não ocorreu em 1964.

E nunca os militares mandaram sequestrar o dinheiro dos anúncios e assinaturas desses jornais.

Pior, estes jornais tinham no seu conjunto somente 500.000 leitores.

Hoje estamos censurando jornalistas e políticos com mais de 12 milhões de seguidores.

O que está ocorrendo no Brasil é muito grave.

 

Continuar lendo PONTO DE VISTA: A CENSURA DOS TEMPOS DE CHUMBO É FICHINHA DIANTE DA CENSURA DO STF

RESUMO DA SEMANA: GOVERNO CONVOCA PARA MANIFESTAÇÕES E DENÚNCIA CONTRA ROBERTO JEFFERSON

Neste domingo, você que não acompanhou os fatos políticos desta semana vai ver tudo e mais alguma coisa aqui na coluna RESUMO DA SEMANA, como tudo sobre as manifestações do 7 de setembro e a denúncia contra Roberto Jefferson. Então dê um play e se atualize agora mesmo! 

Fonte:

Continuar lendo RESUMO DA SEMANA: GOVERNO CONVOCA PARA MANIFESTAÇÕES E DENÚNCIA CONTRA ROBERTO JEFFERSON

OPINIÃO: NESTE MOMENTO IR PARA AS RUAS É UMA QUESTÃO DE VIDA OU MORTE

Caro(a) leitor(a),

O momento que vivemos é extremamente delicado, que talvez nem eu e nem a imensa maioria dos brasileiros tenha a real noção do que está por vir. Por isso a pergunta do autor do artigo a seguir: você está preparado?

Não. Creio que ninguém está preparado para o que está por vir, pois nem mesmo os atuais comandantes das forças armadas vivenciaram a última ruptura institucional, o golpe de 1964. 

Então, fazer previsões neste momento é no mínimo imprudente. Mas o que podemos fazer é a obrigação de patriota. Lutar pela nossa liberdade e pela nossa soberania e neste momento a única coisa que podemos fazer é ir para as ruas gritar e bradar pela nossa liberdade. Liberdade de expressão e liberdades individuais, pois as eleições ainda estão muito distantes e seria a outra forma de manifestar a nossa indignação e insatisfação. Mas não há mais tempo. Não há o que esperar. A situação de emergência e se não tomarmos uma atitude agora, amanhã poderá ser muito tarde.

Então vamos todos às ruas, pra luta e rumo a liberdade!

7 de setembro de 2021, você está preparado? (veja o vídeo)

Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilFoto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A hora está chegando e não há uma alma em nossa nação que não esteja ansiosa pelo dia 7 de setembro e seus desfechos, mas existe uma grande questão: VOCÊ ESTÁ PREPARADO?

Desde quando uma das esferas do Poder da República promoveu uma ruptura institucional, devido ao seu profundo e insistente ATIVISMO JUDICIAL e uma inegável militância política, nossa nação ficou inquieta e a harmonia entre os poderes ruiu!

O povo elegeu um presidente que tem feito o Brasil avançar a cotoveladas e saltando obstáculos maquiavelicamente instalados por uma horda que insiste em controlar o país, promovendo monstruosidades jurídicas, decisões arbitrárias, amordaçando opiniões, confiscando a renda de cidadãos, executando prisões ilegais, e junto a alguns políticos e com a extrema imprensa são incansáveis em atacar o chefe do executivo.

O povo que não é mais bobo, têm até agora assistido atônito a tudo isso e aguardando que tudo se resolva, porém o tempo tem passado, a situação piorado e o risco de um golpe é enorme, pois tudo tem se desenhado da mesma forma como foi na Venezuela que sofreu um golpe via suprema corte e afundou o país em um inferno socialista.

Por isso chegou a hora de darmos um BASTA antes que seja tarde demais, não podemos permitir que uns poucos que se julgam “deuses” controlem nossa nação e que “vendam” nosso país aos interesses internacionais.

Mas volto a perguntar:

VOCÊ ESTÁ PREPARADO? sim, não, não sabe!

Então eu te convido a assistir a esse vídeo com muito atenção para que nós, juntos venhamos a estar preparados com INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÃO e EXECUÇÃO ESTRATÉGICA.

Nesse vídeo vou te apresentar e disponibilizar as bases para que você, seu grupo e sua cidade estejam preparados e armados para o dia que entrará para HISTÓRIA DO BRASIL e pode até mesmo do mundo ante a importância do Brasil no cenário geopolítico mundial.

João Bosco (Bosco Foz).

Veja o vídeo:

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: NESTE MOMENTO IR PARA AS RUAS É UMA QUESTÃO DE VIDA OU MORTE

PONTO DE VISTA: MANIPULAÇÃO NAS PESQUISAS FAZ ESQUERDA PASSAR VEXAME

O vexame da esquerda hoje é a prova incontestável da manipulação nas pesquisas

Evento em Aracajú (foto postada pela deputada Sâmia Bomfim, do PSOL)Evento em Aracajú (foto postada pela deputada Sâmia Bomfim, do PSOL)

Nos últimos dias o Brasil assistiu a algumas manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

Um estrondo.

Sem grande divulgação, mas com um maciço apoio popular.

Épico!

A esquerda, por sua vez, vem alardeando há vários dias a manifestação deste sábado (29).

Fizeram um grande estardalhaço nas redes sociais.

O resultado, no entanto, um fiasco retumbante

O povo não compareceu.

Ruas vazias, pífia adesão.

Nem eles tinham noção de sua pequenez.

O Brasil não suporta mais a esquerda.

E o choque com a medíocre adesão foi revelador.

E assim, fica óbvio o motivo para tanta aversão da esquerda a urna eletrônica com voto impresso auditável.

A bandidagem sabe que só ganha eleição na “roubalheira”.

Querem tomar o poder na marra.

O esquema parece estar sendo montado para o roubo.

A sociedade não pode permitir.

Esse é o grande desafio.

Gonçalo Mendes Neto. Jornalista.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo PONTO DE VISTA: MANIPULAÇÃO NAS PESQUISAS FAZ ESQUERDA PASSAR VEXAME

PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA NA COLÔMBIA FOI O STOPIM PARA AS MANIFESTAÇÕES NO PAÍS

Colômbia: entenda o que está por trás das manifestações no país

Reforma tributária cancelada pelo governo e desigualdades sociais históricas estão entre os fatores que estão levando pessoas às ruas

INTERNACIONAL

 João Melo, Do R7*

A reforma tributária foi estopim para as manifestações na Colômbia

GABRIEL BOUYS / AFP

No último dia 15 de abril, o governo da Colômbia apresentou uma proposta de reforma tributária. Sob o pretexto de ‘salvar’ a economia do país dos efeitos de uma crise histórica, intensificados pela pandemia do coronavírus, o projeto colocava boa parte do sacrifício nas costas dos mais pobres. A população se revoltou e há manifestações nas ruas há 3 semanas, pioradas pela repressão policial que já deixou pelo menos 50 mortos.

A reforma, chamada de Lei de Solidariedade Sustentável, visava aumentar a arrecadação de impostos através do aumento do número de contribuintes. Para que isso fosse possível, o governo de Ivan Duque propôs abaixar o teto do imposto de renda e aumentar os impostos referentes a serviços básicos e ao IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado).

De acordo com Renata Peixoto de Oliveira, doutora em Ciência Política pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e docente da Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana), a reforma propunha que o IVA incidisse sobre serviços básicos da sociedade colombiana, como energia elétrica e gás, o que afetaria bastante a vida das classes mais populares do país.

“A população mais carente seria afetada porque haveria a taxação de produtos que para elas são essenciais. Logo, taxar esses serviços e aumentar a proporção de contribuintes com ainda mais tributos afeta diretamente quem já não tem dinheiro para suas necessidades básicas”, destacou a especialista.

Outras razões dos protestos

Após a população ir às ruas e protestar incisivamente contra a reforma tributária, o governo do país decidiu, no dia 2 de maio, retirá-la da pauta do Congresso colombiano. Mas essa decisão não foi o suficiente para fazer com que os manifestantes deixassem de protestar.

Isso porque, segundo a professora da Unila, a proposição de uma reforma tributária no momento em que a população mais precisa de auxílio por conta da crise econômica causada pela pandemia foi o estopim, mas trouxe à tona um longo cenário de desigualdades que assolam a Colômbia há décadas.

“Como as pessoas já estavam nas ruas protestando e se mobilizando, foram reacendidas outras insatisfações. Por conta disso, não podemos ver essas manifestações como reações momentâneas e pontuais, mas sim como um desgaste de um modelo econômico neoliberal em vigor desde a década de 80”, afirmou Renata.

A cientista política completa ressaltando que os processos de privatização oriundos deste sistema econômico fazem com que, até hoje, a população colombiana tenha dificuldades para acessar serviços públicos de saúde e educação, por exemplo.

As manifestações de grande magnitude que tomaram conta de países sul-americanos como Venezuela, Chile, Bolívia e Equador ao longo de 2019 também aconteceram na Colômbia, destaca a especialista, se estendendo até o primeiro semestre de 2020 e tendo como um dos principais atores os ex-guerrilheiros que participaram do processo de paz assinado em 2016 no país.

“Alguns ex-guerrilheiros que assinaram o tratado de paz estavam tentando se reintegrar à sociedade e tiveram de enfrentar os impactos econômicos da pandemia nos bairros mais carentes. Essas pessoas fizeram manifestações silenciosas colocando lenços vermelhos na janela, que sinalizavam que as pessoas daquela casa estavam pedindo ajuda por estarem passando fome. Como não foram atendidas pelo governo, as pessoas tiraram os lenços da janela e foram às ruas se manifestar e foram duramente reprimidas”, ressalta.

O acordo de paz também tem uma influência no aumento das tensões na Colômbia porque, de acordo com a professora, apenas as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) exerceram seus deveres e obrigações diante do que foi instituído nos documentos, fazendo a deposição de suas armas.

“O acordo não foi cumprido em sua totalidade pelo Estado colombiano. Por isso há um cenário alarmante em termos de violência política na Colômbia desde então, com centenas de líderes comunitários e políticos sendo assassinados no país, assim como ex-guerrilheiros, que além disso não conseguiram se reinserir na sociedade”, afirma.

Outro motivo que faz com que os protestos sigam acontecendo nas ruas colombianas diz respeito à população indígena do país que, para além das reivindicações pontuais que estão sendo feitas nas manifestações, também levam consigo insatisfações relacionadas a um histórico de desigualdades que assola essa parcela da população há muitos anos.

Segundo Renata Peixoto, a cultura extrativista na Colômbia afeta não somente a fauna e a flora do país, como também as pessoas que vivem nas regiões rurais. Logo, ela destaca que é natural que os indígenas pautem as suas questões anteriores junto com as demandas momentâneas que estão sendo colocadas nos protestos. “Se essa crise afeta as populações urbanas pobres e de classe média, então imagina o que os povos originários estão passando?”

Militarização das ruas e próximos passos

A hostilidade policial em relação às pessoas que estão reivindicando as suas pautas sociais e econômicas também vem chamando a atenção nas manifestações. Entidades colombianas afirmam que esta repressão é reflexo da militarização das ruas do país.

De acordo com o Comitê Nacional do Desemprego, que une diversas entidades que apoiam o movimento, além das pelo menos 50 pessoas que já morreram em meio às mobilizações, outras 578 ficaram feridas (37 devido a lesões oculares), 524 desapareceram e 21 mulheres sofreram violência sexual. O Ministério da Defesa registrou a morte de um militar.

“Essa militarização das ruas, com forças policiais agindo de forma violenta contra cidadãos e cidadãs que estão se manifestando foi um elemento propulsor para que os protestos continuassem, para que mais pessoas aderissem, e também para chamar a atenção da comunidade internacional com pessoas mortas, desaparecidas e até denúncias de abusos sexuais”, ressalta a especialista.

Ela acrescenta que as pessoas às vezes levam outras pautas a serem reivindicadas durante as passeatas, mas que, a partir do momento que acontece a violência policial, este assunto também passa a ser levantado por quem está presente nas manifestações.

Em relação aos próximos passos a serem dados pelo governo de Ivan Duque, Renata afirma que o caminho mais indicado a ser seguido é o de recuar. “Como passar uma reforma tributária como essa neste momento de crise? O caminho seria perceber que não existe campo para isso e atender as reivindicações.”

“O mais acertado seria entender que não existe apoio e nem campo para fazer uma manobra que avance que aprofunde-se no modelo neoliberal cobrando isso da população mais pobre do país”, completa.

Fonte: R7

Continuar lendo PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA NA COLÔMBIA FOI O STOPIM PARA AS MANIFESTAÇÕES NO PAÍS

PONTO DE VISTA: VAMOS LEVANTAR A BANDEIRA DO BRASIL EM DEFESA DO BRASIL

Caro(a) leitor(a),

O alerta que venho dando insistentemente precisa ser observado e analisado por você com total isenção e imparcialidade. Veja bem, precisamos ter a sobriedade de enxergar atitudes populistas vindas dos nossos governantes e/ou representantes dos poderes constituídos, sob pena de sucumbirmos a um lamaçal ainda maior do que o que já estamos. Preste atenção, a história sempre se repete, seja na China, da índia, no Congo, no Irã, na Venezuela ou aqui mesmo no Brasil. O governante ditador, autoritário e chauvinista nunca demonstra sua verdadeira intenção. É lobo em pele de cordeiro e invariavelmente se utiliza dos dispositivos constitucionais para alcançar o seu projeto de poder. Sabemos que, neste momento difícil que estamos vivendo na política brasileira é necessário e imprescindível o mandatário do poder, o Povo, ir às ruas para demonstrar toda a sua insatisfação com o comportamento dos seus representantes, seja a nível municipal, estadual ou federal, já que nas três esferas esses representantes  não estão honrando e muito menos obedecendo a vontade do Povo. Mas não podemos confundir as coisas e defender  o interesse ou a vontade de A ou B e única e exclusivamente a vontade e o interesse do titular do Poder: o Povo. Não se iluda! A retórica de Bolsonaro não é diferente da retórica de um Hugo Chaves, de um Evo Morales ou de um Getúlio Vargas. Por isso, vamos levantar a bandeira do Brasil em defesa do Brasil!

“Não roubarão a liberdade do nosso povo”, diz Bolsonaro durante manifestação

Publicado em 15.05.2021

Alan Santos | PR

O presidente Jair Bolsonaro participou da manifestação promovida por apoiadores neste sábado (15) na Esplanada dos Ministérios, na capital federal.

Em discurso em cima de um carro de som, ele defendeu a aprovação do voto impresso nas eleições de 2022, cuja Proposta de Emenda à Constituição (PEC) teve a comissão especial instalada na Câmara dos Deputados.

Em seu discurso, o mandatário voltou a criticar medidas de restrição social impostas por governadores e prefeitos como justificativa de conter a pandemia de covid-19.

O chefe do Executivo sobrevoou a Esplanada dos Ministérios de helicóptero, voltou ao Palácio do Planalto e foi para o meio dos manifestantes montado a cavalo.

“O maior poder do Brasil não é o Legislativo, o Judiciário ou o Executivo. O maior poder é de vocês. […] Não desafiamos ninguém nem queremos o confronto com ninguém, mas não ousem confrontar ou roubar a liberdade do nosso povo”, disse Bolsonaro, na ocasião.

Continuar lendo PONTO DE VISTA: VAMOS LEVANTAR A BANDEIRA DO BRASIL EM DEFESA DO BRASIL

PRESIDENTE DA RÚSSIA OFERECEU AJUDA AO PRESIDENTE LUKASHENKO

Putin diz que Rússia pode ajudar líder de Belarus se necessário

‘Concordamos que a força policial não será usada a não ser que a situação fique fora de controle’, disse o presidente russo em entrevista

INTERNACIONAL

por 

Reuters – Internacional

Vladimir Putin, presidente da Rússia, ofereceu apoio ao presidente Lukashenko

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse na quinta-feira (27) que o Kremlin organizou uma força policial para apoiar o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, atendendo a um pedido dele, embora ela não deva ser empregada a não ser que os distúrbios no país saiam fora do controle.

O comentário foi o maior sinal até agora de que a Rússia está preparada para fazer uso de força se for necessário em Belarus, onde grandes manifestações acontecem desde a eleição no dia 9 de agosto que segundo a oposição foi fraudada para estender o domínio de Lukashenko no país, que já dura 26 anos.

“Nós temos, é claro, certas obrigações em relação a Belarus, e a pergunta que Lukashenko levantou foi se poderíamos providenciar a ajuda necessária”, disse Putin no canal estatal de televisão da Rússia.

“Eu disse que a Rússia irá cumprir todas as suas obrigações. Alexander Grigorivich (Lukashenko) me pediu para criar uma força de polícia reserva e eu o fiz. Mas concordamos que ela não será usada a não ser que a situação fique fora de controle”.

Críticas ao apoio

O Conselho de Coordenação da oposição bielorrussa disse que o movimento de Moscou para preparar tal força policial viola as leis internacionais.

Membro da Otan e vizinha de Belarus, a Polônia também exigiu que a Rússia descarte qualquer plano de intervenção.

O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, escreveu no Twitter que a Polônia “exige que a Rússia recolha imediatamente os planos de intervenção militar em Belarus sob a falsa desculpa de ‘restaurar o controle’ –um ato hostil, quebra de leis internacionais e de direitos humanos do povo bielorrusso, que deveria estar livre para decidir seu próprio destino”.

Fonte: R7

Continuar lendo PRESIDENTE DA RÚSSIA OFERECEU AJUDA AO PRESIDENTE LUKASHENKO

GEOPOLÍTICA: A CENTRAL OBREIRA BOLIVIANA EXPLODE ESTRADAS E O MAS CAPITULA NA BOLÍVIA

Situação delicada e de muita tensão na Bolívia faz a Central Obreira Boliviana partir para as ruas e bloquear estradas dinamitando-as e destruindo-as, paralisando o transporte de cargas no país. Do jeito que a coisa caminha talvez o governo e o país entre em colapso antes mesmo das eleições marcadas para 11 de outubro. A seguir um artigo que explica essa relação COB X MAS e um vídeo que mostra a situação de calamidade das estradas explodidas!

Depois disso, o COB ainda existe?

Carlos Federico Valverde B 16/08/2020 03:00

OUÇA ESTA NOTA AQUI

Falar ou escrever sobre o COB atual se tornou um assunto desagradável. Huarachi ou Guarachi, (importa? Porque ele escreve nos dois sentidos) acredita que todos os cidadãos são imbecis e que ele é o único inteligente e, nessa lógica, muda radicalmente o seu discurso em menos de 24 horas: primeiro a “declarar-se traído” por todos e, a seguir, assumir o seu “triunfo” por tudo o que foi alcançado e acordado na Assembleia Plurinacional entre os partidos que a compõem.

O que é desagradável? É a mentira, é a desculpa, é autorreferencial, é aquela mania de acreditar que as pessoas não o conhecem e que, com exceções é claro, entregou a Central Obrera Boliviana ao regime de Morales sem nenhuma vergonha, recebendo em seu momento um hotel de cinco andares onde foi localizado um busto do doador, mais de uma dúzia de veículos; hotel no qual foram equipadas 18 camas duplas e bipolares, que, segundo o próprio Morales, foram feitas desta forma “a pedido dos colegas do COB; ou seja, o famoso hotel funcionaria como motel ou pousada temporária para que os hierarcas dos trabalhadores desfrutam de suas tentações de “amor”.

Mas, independentemente daquela anedota vergonhosa que mostra um dos motivos pelos quais a organização matriz dos trabalhadores caiu tanto, existe o fato de se negar o que já se sabe em todo o país, que não foi o COB quem gerou os bloqueios ou o mobilizações de dias passados, mas emprestou seu nome ao MAS para que este partido consiga articular sua enésima tentativa de desestabilizar tão frágil democracia com a ideia de gerar polarização, dando a sensação de não só serem os únicos em condições de governar ou , o que é pior, a chantagem política que mostra às pessoas que sem elas as coisas podem correr muito mal, porque “elas” são capazes de dar à sociedade muito mais daquilo que vimos na semana que terminou, durante muito tempo.

O COB emprestou seu nome ao MAS porque sabe que não tem nada a perder. Em todo caso, qualquer efeito moderadamente positivo (por menor que fosse) geraria algo a seu favor, mas não alcançou nada, como os do chamado ‘pacto de unidade’, as Bartolinas ou outras organizações que durante anos estiveram paralisadas e ligada ao MAS e de quem não se pode esperar nada de bom em um momento como este.

A cereja do bolo, como corolário da besteira cobista, parece ter sido um auto-ataque na sede da matriz operária, acusado por Huarachi (ou Guarachi) de tentativa de acabar com sua vida, quando se sabe que ele não estava em o lugar, levando à pergunta, quem eles poderiam ter matado se o lugar estivesse vazio? A coletiva de imprensa no dia seguinte à explosão do COB (sexta-feira) teria terminado com o homem escondido no porta-malas de um veículo para partir para um destino desconhecido, o que pinta exatamente o nível do quadro teatral do líder operário.
Em outro assunto, vamos lá ver o resultado do que aconteceu, porque, como tudo neste país se mede entre prováveis ​​vencedores e perdedores, vou experimentar a minha ideia:

O pacto de unidade COB-Bartolinas e o MAS foram categoricamente os perdedores nesta semana. Não há diferença entre eles porque todos fazem parte de um pacto de pelo menos 13 anos. Se assim for, dá a impressão de que alguém ganhou e muitos podem pensar que este “alguém” é o Governo-Juntos, facto que, a meu ver, não o é, pois, se o resultado dos bloqueios é semelhante 40 mortos por falta de oxigênio, estradas destruídas pela barbárie dos bloqueadores e, presumivelmente um aumento de casos Covid, temos que concluir que é difícil que tenha havido um vencedor. Pelo contrário, o país também perdeu, porque o Governo retirou ao Estado as suas responsabilidades fundamentais como a garantia da segurança pública, a manutenção dos serviços essenciais e a paz social.

O Estado não pode faltar tantos dias em situações como as do passado, isso é um facto, porque o uso racional da força e a assunção de responsabilidades legais devem fazer parte da conduta do encarregado de impor o Estado de Direito e garantir o paz social. Isso não aconteceu e é uma pena, embora haja quem festeje “que não aconteceu aos adultos”, porque alguém terá que se responsabilizar pelo falecido por falta de oxigênio! Essa não é uma questão menor, alguém precisa fazer porque a ideia de que, entre os mortos nas estradas e os mortos nos hospitais, ficamos com estes; essa é uma ideia perversa e não convincente.

Além disso, as últimas notícias relatam uma explosão em uma subestação de energia elétrica em Oruro, que pode ser considerada um ataque terrorista, além da resistência de um mínimo de anarquistas que tentarão continuar com seus trabalhos em estradas e rodovias. o que pode significar que no MAS há pessoas que estão tentando “marcar” que aquela festa definitivamente não estava nas ações violentas e criminosas fracassadas e inúteis da semana passada, quando você apenas tem que fazer uma revisão dos tweets do fugitivo Morales para verificar do que ele é acusado.

As eleições serão um bom termômetro para saber o quanto Morales está longe de retornar; podem marcar o início do aperfeiçoamento das coisas ou, ao contrário, a continuação e o aprofundamento da estupidez e da não-democracia. Lá ele não vai depender dele, porque isso vai ser definido nas urnas e acredito que Romero Ballivian, pelo menos nisso, não vai apadrinhar a fraude.

Entre tantas coisas, temos uma vantagem: depende dos cidadãos o que acontecer a partir de agora

Fonte: Elderber

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A CENTRAL OBREIRA BOLIVIANA EXPLODE ESTRADAS E O MAS CAPITULA NA BOLÍVIA

COMPROMISSOS DO PRESIDENTE: BOLSONARO TEM AGENDA ALTERADA NO RN DEVIDO SUPOSTOS PROTESTOS DE ESTUDANTES

Para evitar protestos, equipe de Bolsonaro altera agenda do presidente no RN

Serviço de inteligência do Palácio do Planalto identificou alguns possíveis incômodos a Bolsonaro, a equipe pretende montar uma agenda livre e distante de estudantes do IFRN

Redação
18/08/2020 | 10:02

Assessores do presidente Jair Bolsonaro chegaram nesta segunda-feira (17) a Mossoró (RN). A partir da cidade, a comitiva formada por cerca de 40 pessoas se espalhou na tentativa de despistar a população sobre a agenda que o presidente terá no Rio Grande do Norte na próxima sexta-feira (21) e para evitar possíveis protestos. As informações são do Blog da Thaisa Galvão.

Segundo o blog, de início, foi aventado que a agenda do presidente no Estado contaria com visitas à Praia de Ponta Negra, na Zona Sul de Natal, e aos municípios de Assu e Jucurutu, onde está sendo construída a barragem de Oiticica. Contudo, a passagem pela capital do Estado está descartada. Bolsonaro virá ao RN acompanhado dos ministros potiguares Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Fábio Faria (Comunicações).

O serviço de inteligência do Palácio do Planalto identificou alguns possíveis incômodos a Bolsonaro. Por causa disso, a equipe pretende montar uma agenda livre e distante de estudantes do IFRN, que estariam organizando o protesto para receber o presidente, em função da nomeação do reitor pro tempore, professor Josué Moreira.

Segundo apurou o blog, a passagem de Bolsonaro pelo Estado incluirá Mossoró, onde ele vai desembarcar, e Ipanguaçu.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo COMPROMISSOS DO PRESIDENTE: BOLSONARO TEM AGENDA ALTERADA NO RN DEVIDO SUPOSTOS PROTESTOS DE ESTUDANTES

EX- PRESIDENTE EVO MORALES É PROCESSADO POR INCENTIVAR PROTESTOS NA BOLÍVIA

Exilado, Evo é processado por protestos desta semana na Bolívia

Além do ex-presidente, o executivo da Central Obreira Boliviana e uma deputada do MAS são acusados de incentivar as manifestações de ontem

INTERNACIONAL

Mariana Ghirello, do R7

Ex-presidente Evo Morales será processado por "incentivar" protestos na BolíviaEx-presidente Evo Morales será processado por “incentivar” protestos na Bolívia

O governo da Bolívia decidiu abrir um processo penal contra o ex-presidente Evo Morales, que se encontra exilado na Argentina desde que renunciou ao cargo durante uma crise institucional e um levante das forças armadas em outubro de 2019 por incentivar os protestos registrados nesta terça-feira (28) no país.

O executivo da COB (Central Obrera Boliviana), Juan Carlos Huarachi, e a chefe da bancada do MAS na Câmara dos Deputados, Bety Yañíquez, também foram incluídos entre os acusados de instigar criminosamente os protestos.

O anuncio foi feito nesta quarta-feira (29) pelo ministro da Presidência, Yerko Núñez, com o argumento de que as manifestações são um “delito contra a saúde pública, instigação pública a delinquir, apologia do delito, associação crimininosa e destruição dos bens do estado”.

Yerko Núñez condenou as manifestações em meio à pandemia do coronavírus que o país enfrenta, e que gerou grande aglomeração de pessoas. O tema principal dos protestos foi o descontentamento com o adiamento das eleições, para o dia 18 de outubro.

Na ocasião do anúncio, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Salvador Romero, disse que não existem condições sanitárias para o pleito. Contudo, os manifestantes alegam que o adiamento é uma maneira do governo interino se manter no poder.

Segundo o ministro da presidência, a Bolívia “atravessa uma escalada de violência armada, preparada e financiada por Evo Morales”. Ainda de acordo com com Núñez, a prova dos crimes é o twitt do ex-presidente parabenizando as manifestações.

O ministro afirmou também que a decisão de adiar as eleições pelo TSE deve ser respeitada, e que o partido MAS, do ex-presidente Evo Morales, “está em tempo de deixar de cometer essas atitudes erroneas”. Por fim, Núñez destacou que o governo está preocupado em combater a pandemia e retomar a economia.

Greve geral

Mais cedo, a COB (Central Obreira Boliviana) publicou uma carta na qual convoca uma greve geral a partir das 00h do dia 3 de agosto. No documento, a central critica a atuação do governo interino durante a pandemia “gerando malestar e abandono do povo”.

Fonte: R7

Continuar lendo EX- PRESIDENTE EVO MORALES É PROCESSADO POR INCENTIVAR PROTESTOS NA BOLÍVIA

REJEIÇÃO DOS MILITARES AO AUTORITARISMO DE TRUMP PÕE A PROVA ALIANÇA COM PARTIDO REPUBLICANO

Pulso firme de Trump contra protestos põe à prova a complexa aliança com o Partido Republicano

Em meio à crise sanitária, econômica e social, a rejeição dos militares ao autoritarismo do Governo incentiva alguns senadores republicanos a criticar o presidente e expõe o silêncio de outros

PABLO GUIMÓN

Washington – 06 JUN 2020 – 12:28 BRT

Trump volta à Casa Branca escoltado pelo Serviço Secreto depois de tirar uma foto do lado de fora da igreja episcopal de São João, em 1º de junho de 2020.Trump volta à Casa Branca escoltado pelo Serviço Secreto depois de tirar uma foto do lado de fora da igreja episcopal de São João.

Em meio aos protestos que continuam sacudindo o país, 11 dias após a morte de George Floyd nas mãos da polícia, o presidente aviva as chamas. Mas, faltando cinco meses para as eleições, muitos republicanos desejariam que ele ao menos tentasse apagá-las. A rejeição dos militares aos rumos autoritários incentivou alguns senadores a falar e colocou em evidência o silêncio de outros. A incapacidade de Donald Trump de lançar uma mensagem de unidade, em meio à crise sanitária, econômica e social, põe à prova sua complexa aliança com o setor tradicional do Partido Republicano.

A rejeição ao pulso firme de Trump contra as manifestações, expressa nessa semana por altos oficiais do Exército (aposentados e na ativa), coloca mais pressão para que os republicanos exteriorizem o debate interno que consumiu muita gente durante estes três anos e meio. Após as críticas do chefe do Pentágono, Mark Esper, veio uma declaração demolidora de seu antecessor, Jim Mattis, que acusou o presidente de “abuso de poder” e de violar a Constituição. “Talvez estejamos chegando a um ponto em que podemos ser mais honestos com as preocupações que temos internamente, e ter a coragem de levantar a voz”, afirmou a senadora Lisa Murkowski (Alasca).

Trump respondeu à legisladora republicana com a mesma artilharia que havia descarregado antes contra Mattis pelo Twitter. “Poucas pessoas sabem onde estarão dentro de alguns anos. Mas eu sei. [Estarei] no grande Estado do Alasca (que amo) fazendo campanha contra a senadora Lisa Murkowski”, disse o presidente na rede social. “Preparem qualquer candidato, bom ou ruim, não me importa, eu o apoiarei. Se você tem pulso, estou com você!”.

As palavras da senadora refletem o debate interno de muitos republicanos. Murkowski é das poucas pessoas que tradicionalmente ousaram romper o muro republicano de apoio a Trump no Capitólio. Mas agora não são apenas ela e Mitt Romney ― o único que votou pela destituição do presidente no processo de impeachment e que também criticou sua resposta atual aos protestos ― os que questionaram publicamente a conduta de Trump.

O mandatário chamou os governadores de “fracos”. Defendeu o envio de militares às ruas para reprimir os protestos. Falou de “terrorismo doméstico”. Na segunda-feira, a polícia dissuadiu um protesto pacífico em Washington com gás lacrimogêneo para que o presidente pudesse fazer uma foto numa igreja. Ao menos meia dúzia de senadores expressaram publicamente sua rejeição, algo altamente inusual.

“Foi doloroso ver manifestantes pacíficos recebendo gás lacrimogêneo para que o presidente pudesse atravessar a rua para ir a uma igreja, aonde acredito que só compareceu uma vez”, disse a senadora Susan Collins. “Há um direito fundamental e constitucional, e sou contra dissuadir um protesto pacífico para fazer uma foto que trata a palavra de Deus como propaganda política”, afirmou Bem Sasse. Num evento com jornalistas, Tim Scott, o único senador republicano negro, declarou: “Se sua pergunta é se os agentes devem usar gás lacrimogêneo para permitir que o presidente faça uma foto, a resposta é não.” “O país busca cura e calma. E acredito que o presidente precisa projetar isso em sua conduta imediatamente”, disse John Thune, responsável pela disciplina da maioria republicana na Câmara alta.

As tímidas críticas revelam uma crescente preocupação nas fileiras republicanas sobre a resposta de Trump aos protestos, faltando cinco meses para as eleições ― num momento em que o país atravessa uma situação crítica em meio a uma pandemia e à maior crise economia desde a Grande Depressão. Em novembro, os norte-americanos decidirão entre mudar os rumos, colocando Joe Biden na Casa Branca, ou revalidar por quatro anos a América de Trump ― uma escolha que ganha contornos ainda mais dramáticos em plena emergência sanitária, econômica e, agora, também social.

Donald Trump entrou como uma bomba no Partido Republicano e, em três anos e meio, conseguiu transformar o velho partido num culto à sua pessoa. Entre os legisladores republicanos, alguns valorizam suas formas estridentes. Outros as toleram como um mal menor para alcançar objetivos mais amplos, como o domínio conservador na magistratura. E também existem os que simplesmente temem as consequências, pessoais ou eleitorais, de contrariar o chefe. Para eles, sua maneira de gerar divisões ao fazer política não incomoda tanto quando as coisas vão bem. Mas agora muitos lamentam que a conciliação não esteja em seu repertório.

Continuar lendo REJEIÇÃO DOS MILITARES AO AUTORITARISMO DE TRUMP PÕE A PROVA ALIANÇA COM PARTIDO REPUBLICANO

A DEMOCRACIA DOS PESOS E CONTRAPESOS SE IMPÕE A AMEÇA DE “ABUSO DE PODER” DE TRUMP

Ameaça de endurecimento de Trump se choca contra o muro dos militares

Comandantes do Exército, reformados e na ativa, rechaçam duramente a militarização da resposta aos protestos raciais. O ex-chefe do Pentágono acusa o presidente de “abuso de poder”

AMANDA MARS

Washington – 04 JUN 2020 – 20:28 

Donald Trump, na Casa Branca com Jim Mattis em julho de 2018.Donald Trump, na Casa Branca com Jim Mattis 

A resposta de ferro de Donald Trump à onda de protestos raciais, em que defende o uso do Exército para conter a violência, causou estupor entre os militares norte-americanos. O presidente topou com uma enxurrada de críticas públicas de comandantes reformados e na ativa. O repúdio do chefe do Pentágono, Mark Esper, se somou a uma declaração demolidora de seu predecessor, Jim Mattis, que acusa o presidente de “abuso de poder” e desobedecer a Constituição. Antes, outro funcionário de alto escalão do Departamento de Defesa renunciou por discordar da dispersão violenta de uma concentração pacífica. O chefe do Estado Maior Conjunto, Mark A. Milley, enviou uma mensagem aos comandantes lembrando sobre o direito dos norte-americanos a se expressar e se reunir.

O ardor guerreiro de Trump trombou com os próprios militares. A equipe de confiança do republicano planejou segunda-feira como um golpe na mesa para apresentar o presidente dos Estados Unidos como o homem da “lei e da ordem” pela crise social desatada no país, que teve como detonador a morte de um afro-americano em uma brutal prisão policial. A ameaça, entretanto, de utilizar o Exército se os governadores dos Estados não fossem capazes de conter os distúrbios com seus próprios recursos ―a polícia e os reservistas da Guarda Nacional― e a desocupação posterior de manifestantes pacíficos diante da Casa Branca voltou como bumerangue e rompeu a habitual discrição do mundo militar.

Na noite de quarta-feira, pouco depois do chefe do Pentágono refutar as colocações de Trump em entrevista coletiva, o ex-secretário de Defesa Jim Mattis atacou o presidente em uma declaração explosiva, publicada pela revista The Atlantic. Mattis, que renunciou a seu cargo em dezembro de 2018 por discordâncias com Trump sobre a retirada de tropas da Síria, acusa o presidente de tentar burlar a Constituição e se declara “consternado e irritado” pela resposta da Casa Branca às mobilizações. “Donald Trump é o primeiro presidente da minha vida que não tenta unir o povo americano, sequer finge. No lugar, tenta nos dividir”, afirma o general, de 69 anos.

Mattis, que passou 41 anos nos Marines, é um militar condecorado especializado no Oriente Médio e muito respeitado no mundo militar, onde é conhecido pelos apelidos de Cachorro Louco e Monge Guerreiro. Não havia criticado dessa forma tão direta e pública ao presidente dos Estados Unidos desde que deixou seu posto, mas à época já havia afirmado que o mandatário precisava de um secretário de Defesa “com pontos de vista mais alinhados aos seus”. Ele se opunha à retirada das tropas anunciada por Trump sem contar com os aliados.

Na quarta-feira se expressou dessa maneira: “Nunca sonhei que as tropas que fizeram o mesmo juramento que eu [de defender a Constituição] receberiam sob nenhuma circunstância a ordem de violar os direitos constitucionais de seus concidadãos e ainda menos para tornar possível uma estranha foto ao comandante em chefe eleito”.

O general Mattis se referia ao polêmico episódio de segunda-feira, quando a polícia e a Guarda Nacional ―o Exército de reservistas que depende dos Estados― desalojaram com gás lacrimogêneo uma manifestação pacífica diante da residência presidencial, antes do toque de recolher imposto na cidade, para que Trump pudesse caminhar à igreja de Saint John ―atacada por vândalos na noite de domingo― e posar com uma Bíblia na mão: “Sabemos que somos melhores do que o abuso da autoridade executiva que presenciamos na praça Lafayette. Precisamos repudiar e fazer com que prestem contas os que estão no poder e que queiram debochar de nossa Constituição”.

Essa mesma desocupação violenta levou James Miller, um membro de alto escalão do Pentágono, a renunciar de seu cargo no Conselho Assessor de Defesa. Em uma carta publicada no The Washington Post, considerou que a presença de seu chefe, o secretário da Defesa, Mark Esper, nesse ato significava um respaldo ao uso da força na dispersão dos manifestantes. Miller, que serviu como subsecretário de Defesa para política durante a Administração de Obama, disse em sua carta a Esper: “Quando me incorporei ao conselho fiz um juramento que o senhor conhece, apoiar e defender a Constituição dos Estados Unidos […]. O senhor fez o mesmo juramento em 23 de julho de 2019, quando assumiu seu cargo de secretário de Defesa. Acho que violou esse juramento na segunda-feira”.

A carta foi publicada na terça-feira e Esper, na quarta de manhã em entrevista coletiva, corrigiu Trump e afirmou que não sabia que a foto da discórdia ocorreria. Naquele mesmo dia, o chefe do Estado Maior Conjunto, Mark A. Milley, enviou uma mensagem aos comandantes em que lembrava que cada membro das Forças Armadas havia jurado defender a Constituição, o que “outorga aos americanos o direito à liberdade de expressão e de reunião pacífica”.

O presidente dos EUA só pode mobilizar tropas sem a autorização dos governadores dos Estados invocando a Lei de Insurreição, assinado por Thomas Jefferson em 1807 com a finalidade de evitar revoltas contra o Governo da nação. A cidade de Washington é o único lugar em que Trump pôde cumprir sua palavra de utilizar o Exército e na segunda-feira havia mobilizado efetivos da polícia militar. De acordo com o Departamento de Defesa, até 1.600 soldados foram enviados à região esperando ordens. Para Mattis, “militarizar a resposta, como vimos em Washington, estabelece um falso conflito entre os militares e a sociedade civil”.

As críticas vão além do episódio concreto, abarcam a resposta geral de Donald Trump. O general de quatro estrelas John Allen, ex-comandante das forças da OTAN e dos Estados Unidos no Afeganistão, chamou o ocorrido na segunda-feira como “um dia horrível para os Estados Unidos e sua democracia”. Em um artigo publicado no Foreign Policy, com o título Um Momento de Vergonha Nacional e Perigo – e Esperança, Allen, hoje presidente do think tank Brookings Institution, diz que “ainda que possam existir criminosos experientes nos dois lados dos distúrbios, são minoria”. No discurso à nação de segunda, Trump “mencionou George Floyd, mas não tocou absolutamente nos problemas principais”. O secretário de Defesa, Mark Esper, reconheceu: “O racismo é real na América, devemos reconhecê-lo para confrontá-lo e erradicá-lo”.

Continuar lendo A DEMOCRACIA DOS PESOS E CONTRAPESOS SE IMPÕE A AMEÇA DE “ABUSO DE PODER” DE TRUMP

MARK ESPER, CHEFE DO PENTÁGONO REJEITA ENVIO DO EXÉRCITO PARA CONTER PROTESTOS

Chefe do Pentágono se distancia de Trump e rejeita envio do Exército para conter protestos

“Medidas como essa devem ser usadas apenas como último recurso e nas situações mais urgentes e extremas”, afirma Mark Esper

AMANDA MARS

Washington – 03 JUN 2020 – 17:18 BRT

O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, em Washington.O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, em Washington

O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, distanciou-se nesta quarta-feira do presidente Donald Trump ao rejeitar o envio do Exército sem aprovação dos Estados para conter a espiral de violência desencadeada pela onda de protestos contra o racismo. “Não apoio a invocação da Lei de Insurreição”, disse Esper à imprensa. “Medidas como essa devem ser utilizadas apenas como último recurso e nas situações mais urgentes e extremas. Não estamos em uma dessas situações agora.”

Trump alertou segunda-feira que recorrerá ao Exército para conter o vandalismo se os governadores dos Estados, competentes nessa área, não conseguirem fazer isso com suas próprias forças policiais e com a utilização da Guarda Nacional, um exército de reservistas sob jurisdição estadual. Mas o chefe do Pentágono, nomeado por Trump há menos de um ano, pronunciou-se contra essa opção: “Sempre considerei que a Guarda Nacional é mais adequada para lidar com questões domésticas”, ressaltou Esper.

O presidente agitou com força a bandeira da lei e da ordem neste conflito e, com sua ameaça de usar as Forças Armadas, tropeçou, como mostra a discrepância pública de Esper. O secretário da Defesa justificou nesta quarta-feira, em entrevista coletiva, por que não havia falado até agora sobre os protestos, que começaram após a morte, em 25 de maio, do negro George Floyd em Minneapolis, durante uma brutal detenção policial. “Estamos há uma semana nisto, mais ou menos. E quando você olha para a escalada, já dura 72 horas, talvez 96. Mas acho importante falar claramente e expor o que vemos, mais uma vez, como algo estabelecido: o racismo que existe nos EUA e como o vemos como algo estabelecido”, disse.

Para que um presidente dos EUA possa mobilizar tropas dentro do país, ele precisa invocar a Lei de Insurreição, assinada por Thomas Jefferson em 1807 a fim de evitar revoltas contra o Governo da nação. Uma disposição aprovada em 1957 daria a Trump uma via legal para poder mobilizar tropas se os governadores não o obedecessem, como lembrou terça-feira o jornal The Washington Post: “Quando um presidente considera que há obstruções ilegais […] ou rebelião contra a autoridade dos Estados Unidos e se torna impraticável o cumprimento da lei, pode convocar o serviço federal da milícia de cada Estado ou das Forças Armadas se considera isso necessário para fazer cumprir essas leis ou para suprimir a rebelião”.

O presidente Dwight D. Eisenhower recorreu à Lei de Insurreição em 1954 para escoltar as nove crianças negras que fizeram história ao frequentar uma escola só de brancos em Little Rock (Arkansas), como resultado da sentença da Suprema Corte no caso Brown x Conselho de Educação de Topeka, que acabou com a segregação racial nas escolas. Em 1992, o então presidente George H. W. Bush também enviou tropas federais a Los Angeles para conter distúrbios após a absolvição dos policiais que espancaram Rodney King, mas fez aquilo a pedido do governador da Califórnia.

Esper (Uniontown, Pensilvânia, 56 anos) é um militar da reserva com experiência no Congresso e como lobista que entrou na Administração Trump em novembro de 2017 como secretário do Exército. Foi colega de classe do atual secretário de Estado, Mike Pompeo, na academia militar de West Point, e passou uma década no serviço ativo, além de 11 anos na Guarda Nacional. Aposentou-se em 2007, condecorado como veterano da Guerra do Golfo (1990-1991), entre outras missões, e se embrenhou depois na selva do poder de Washington. Assim, foi chefe de gabinete de um conhecido think tank conservador, The Heritage Foundation, assessorou a campanha presidencial do senador republicano Fred Thompson em 2008 e participou da Comissão de Revisão de Economia e Segurança EUA-China do Senado.

Suas declarações foram feitas depois de uma nova noite de protestos nos EUA, maiores em grandes cidades como Washington e Los Angeles, mas mais pacíficos. Na capital americana, o único território do país no qual o presidente pode recorrer ao Exército sem autorização de um Governo estadual, Trump convocou um batalhão da Polícia Militar, segundo o Departamento de Defesa. Trata-se de uma unidade de entre 200 e 500 soldados procedentes de Fort Bragg, na Carolina do Norte.

Milhares de manifestantes se concentraram nas grandes cidades americanas, ignorando o toque de recolher decretado e, ainda mais, o pulso firme exibido no dia anterior por Trump. Diante da Casa Branca, onde na segunda-feira as forças de segurança haviam dispersado com gás lacrimogêneo uma manifestação pacífica, o número de pessoas mobilizadas aumentou em relação aos dias anteriores. Los Angeles também teve sua maior manifestação desta crise e, em Nova York, apesar da maior presença policial, os saques continuaram, embora com menos virulência. Também saíram às ruas moradores de Houston, Orlando e Filadélfia.

Continuar lendo MARK ESPER, CHEFE DO PENTÁGONO REJEITA ENVIO DO EXÉRCITO PARA CONTER PROTESTOS

FACHIN COLABORA COM DEFESA DOS ACUSADOS E ACELERA TRÂMITE DE HABEAS CORPUS PRO BOLSONARISTAS

Fachin acelera trâmite de habeas corpus em favor de bolsonaristas, diz site

Publicado 3 horas 

em 03. 06. 2020 

 

Segundo O Antagonista, o ministro do STF, Edson Fachin, deu à Procuradoria Geral da República 24 horas para manifestar-se sobre um novo habeas corpus apresentado ao STF para livrar os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que estão envolvidos no inquérito das fake news.

“Tendo em vista a relevância da matéria, oficie-se à autoridade coautora, Ministro Alexandre de Moraes, relator do Inquérito n.º 4.781, a fim de que apresente as informações que entender pertinentes, e, sem prejuízo, abra-se vista à Procuradoria-Geral da República, para se manifestar no prazo de até 24 horas”, despachou o ministro.

Segundo o site, a ação foi apresentada pela MP Pró-Sociedade.

“A urgência da providência liminar por parte deste Tribunal se justifica pelo fato de que os Pacientes estão a sofrer contra si investigação absolutamente ilegal e inconstitucional em razão das arbitrariedades praticadas pelo Ministro ALEXANDRE DE MORAES na condução da investigação realizada pelo Inquérito n.º 4.781, ante a flagrante violação ao princípio acusatório do processo penal brasileiro”, diz a ação.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo FACHIN COLABORA COM DEFESA DOS ACUSADOS E ACELERA TRÂMITE DE HABEAS CORPUS PRO BOLSONARISTAS

UMA IMAGEM SIMBÓLICA DE SOLIDARIEDADE SEM PRECEDENTES EVITOU UM CONFRONTO SANGRENTO

Se eu me ajoelhar com vocês, sairão daqui pacificamente?”

Um dos protestos em Los Angeles oferece uma imagem simbólica de solidariedade sem precedentes da polícia com os manifestantes em todos os Estados Unidos

PABLO XIMÉNEZ DE SANDOVAL

Los Angeles – 02 JUN 2020 – 20:49 
Policiais se ajoelham durante manifestação em Coral Gables, (Flórida), no domingo.Policiais se ajoelham durante manifestação em Coral Gables, (Flórida), no domingo

Ninguém podia ter certeza se tinha havido uma manifestação ou não. O medo da violência nestes dias deixou no ar um protesto que, em teoria, deveria continuar na segunda-feira nas ruas de Los Angeles pela morte de George Floyd. Seria no Sunset Boulevard, esquina com a rua Laurel, um cruzamento vistoso, a poucos metros do hotel Chateau Marmont. Mas a paranoia das redes sobre a suposta infiltração nas manifestações para provocar a polícia a tinha deixado no ar. Finalmente, as poucas centenas de pessoas que apareceram no Sunset Boulevard com cartazes do Black Lives Matter teriam a oportunidade de dar o tom geral dos protestos nos Estados Unidos.

O comandante Cory Palka, da divisão oeste da polícia de Los Angeles, com 33 anos de experiência, estava no comando da operação que monitorava a concentração. Acompanhado por alguns agentes, ele entrou no meio do grupo e pediu o megafone. O toque de recolher entraria em vigor às 17h, dentro de 20 minutos, informou. “Já sei, também mudam as nossas regras de supetão”, disse quando as pessoas começaram a protestar. Mas não era essa toda a solidariedade que o veterano policial queria mostrar.

“Estamos vendo seus cartazes, lemos o que eles dizem, sabemos que há problemas, não pensem que existe uma grande fissura entre nós”, disse Palka. “Eu sou um cara normal, que tenta fazer o melhor pela comunidade”. Em contraste com o comandante sem capacete, as unidades da Guarda Nacional estavam esperando a um quarteirão de distância. “Não queremos atirar, não queremos machucar, não queremos mobilizar as centenas de agentes que estão disponíveis.” E então veio uma frase que definiu algo que talvez esteja ficando camuflado pelas fotos de destroços: “Ouçam, se eu me ajoelhar com vocês, tenho vossa palavra de que isto será pacífico?”. Palka e os policiais que estavam com ele se ajoelharam ao lado dos manifestantes. “Nos próximos 30 ou 40 minutos, se vocês saírem daqui pacificamente por onde vieram, dou minha palavra de honra de que vocês não encontrarão com policiais.”

Um país necessitado de símbolos de unidade os encontra nestes dias também entre seus cidadãos de uniforme. A brutalidade policial que matou George Floyd em Minneapolis não apenas revirou o estômago do mundo, mas também os próprios corpos e chefes de polícia, que nestes dias demonstraram uma solidariedade nunca vista com os protestos que pedem a reforma de seus métodos e o fim do racismo sistêmico. Cenas semelhantes às do Sunset haviam acontecido no domingo em Camden, Nova Jersey, e em Santa Cruz, Califórnia. Na segunda-feira, uma topa de choque de Atlanta seguiu o exemplo. O chefe de polícia de Denver juntou-se à linha de frente de uma manifestação. Cenas semelhantes foram vistas em todo o país. Dos chefes de polícia e prefeitos só se escuta solidariedade e compreensão diante da indignação dos cidadãos.

Sade Sellers e EJ Joseph são dois dos organizadores do protesto do Sunset. “Não podemos cancelar nossa cor de pele por medo”, disse para justificar ter seguido em frente, apesar de uma mobilização tática nas ruas de Los Angeles que não se via desde os distúrbios de Rodney King, em 1992, quando mais de 60 pessoas morreram em quatro dias de violência. Sobre os saqueadores, Joseph disse que era “gente qualquer que anda na rua e não dá a mínima”.

Exatamente às cinco da tarde, Sellers e Joseph pediram que as pessoas fossem para casa. Cerca de 50 pessoas ficaram esperando por alguma ação da polícia. Nos EUA, não é raro uma manifestação se deixar prender pacificamente pela polícia para deixar claro o compromisso com um protesto, como faz Jane Fonda diante do Congresso. Joseph acreditava que esta segunda-feira seria o último dia de protestos e estava feliz que tivessem terminado de forma pacífica.

Enquanto isso, a alguns quilômetros de distância, outra manifestação acontecia perto do turístico cruzamento entre o Hollywood Boulevard e a rua Vine. Nas imediações, grupos organizados de saqueadores começaram uma noite de caos e violência em pleno centro de Hollywood. O som das sirenes e dos helicópteros inundou a cidade durante toda a noite. A divisão de Hollywood quebrou seu recorde de prisões na segunda-feira: 585. A maioria delas foi por violação do toque de recolher. Apenas 20 foram por vandalismo. Um dia antes tinham sido presas 700 pessoas em toda a cidade.

Continuar lendo UMA IMAGEM SIMBÓLICA DE SOLIDARIEDADE SEM PRECEDENTES EVITOU UM CONFRONTO SANGRENTO

MANIFESTOS PLURIPARTIDÁRIOS SURGEM NAS RUAS LIDERADOS POR TORCIDAS ANTIFASCISTAS

Torcidas antifascistas assumem linha de frente da mobilização contra Bolsonaro e atraem oposição

Apesar das regras contra aglomeração por causa da covid-19, torcedores projetam novos atos de rua com apoio de opositores. Manifestos pluripartidários surgem, mas não tem adesão de Lula

BREILLER PIRES

|DIOGO MAGRI

Grupo de torcedoras antifascismo protesta na avenida Paulista.Grupo de torcedoras antifascismo protesta na avenida Paulista.

Desde o início da quarentena imposta pela pandemia de coronavírus, nenhuma manifestação crítica ao Governo de Jair Bolsonaro havia gerado tanto barulho nas ruas como o ato convocado por torcidas antifascistas na avenida Paulista, neste domingo. Em defesa da democracia, coletivos originários do futebol também realizaram protesto coordenado em pelo menos outras 15 cidades, a exemplo de Belo Horizonte, Porto Alegre e Rio de Janeiro, onde torcedores dos principais clubes cariocas engrossaram marcha contra o racismo.

A articulação do movimento partiu de grupos identificados com o antifascismo, embora lideranças de torcidas organizadas como Gaviões da Fiel e Torcida Jovem do Santos, que já repudiou a presença de Bolsonaro na Vila Belmiro e se posicionou contra sua candidatura na eleição presidencial, tenham apoiado e participado dos atos. Também endossou os protestos a Associação Nacional das Torcidas Organizadas (Anatorg), que conta com mais de 200 afiliadas e faz questão de frisar que a manifestação “não é de direita ou esquerda”, mas em oposição a movimentos ultraconservadores, supremacistas e fascistas.

“Nosso protesto surgiu de uma organização autônoma de torcedores membros da Gaviões”, conta Danilo Pássaro, 27, líder do movimento corintiano Somos pela Democracia. “Temos uma preocupação em comum com a escalada autoritária no país, a partir de uma onda de agressões contra profissionais da saúde e jornalistas, incentivando a ruptura dos limites da Constituição, legitimada pelo presidente da República. Por isso, mesmo nesse período de pandemia, assumimos o risco e resolvemos travar essa disputa nas ruas para defender a democracia.” Foi acordado entre os grupos participantes que eles não se identificariam com símbolos ou bandeiras, para que a manifestação não fosse associada a torcidas organizadas.

No início de maio, o movimento iniciou a contra-ofensiva às manifestações insufladas por apoiadores bolsonaristas com um ato reunindo cerca de 70 torcedores corintianos na Paulista, no mesmo horário do protesto de ultradireitistas. A repercussão despertou o apoio de torcidas antifascistas dos rivais Palmeiras, São Paulo e Santos e inspirou o surgimento de mais coletivos semelhantes, como a Resistência Alvinegra, que mobilizou cerca de 200 torcedores atleticanos no centro de Belo Horizonte em dois fins de semana consecutivos. Criada há cinco anos, a Resistência Azul Popular (RAP), formada por cruzeirenses, avalia aderir ao movimento nacional, mas ainda discute um plano de ação sobre como se manifestar em segurança durante a vigência das medidas de isolamento social e evitar embates com grupos de extrema direita.

Tanto em São Paulo quanto no Rio de Janeiro, houve registros de confusões entre torcedores antifascistas e bolsonaristas, seguidas de repressão policial. Na avenida Paulista, a tensão se estabeleceu quando o protesto das torcidas já havia acabado, após alguns manifestantes ultraconservadores exibirem símbolos suspeitos de apologia ao nazismo como forma de provocação. A Polícia Militar de São Paulo encaminhou imagens ao Ministério Público para investigar os responsáveis pelo início do tumulto, além de determinar se as bandeiras expostas pelo grupo que apoia Bolsonaro são, de fato, relacionadas a movimentos neonazistas.

Partidos de esquerda não ficaram indiferentes à mobilização. Enquanto o PT de São Paulo celebrou a marcha puxada pelas torcidas antifascistas, os deputados federais pelo PSOL, Sâmia Bomfim (SP) e Glauber Braga (RJ), participaram dos atos na Paulista. “Ao usar a realidade da pandemia para avançar com seu projeto autoritário, Bolsonaro coloca o Brasil no limite. O ato das torcidas organizadas em São Paulo foi resultado disso: o povo não aguenta mais”, disse a parlamentar psolista, que ainda criticou a ação da polícia na dispersão do protesto. “A PM agiu de forma brutalmente repressiva contra as torcidas organizadas e acariciou os fascistas, como os vídeos podem demonstrar.” Em imagens captadas por manifestantes, uma mulher bolsonarista que carregava um taco de beisebol e provocou torcedores é escoltada por um policial.

Em trincheira oposta, políticos alinhados a Bolsonaro subiram o tom contra as manifestações das torcidas. Nesta segunda-feira, o filho do presidente e deputado federal, Eduardo Bolsonaro, protocolou ação na Procuradoria-Geral da República contra Sâmia Bomfim e Glauber Braga, insinuando envolvimento dos parlamentares em supostos “atos criminosos com grupo Antifa”. Assim como Donald Trump, que enfrenta protestos de movimentos antirracistas nos Estados Unidos, a família Bolsonaro sugere classificar coletivos antifascistas como organizações terroristas. Em 2015, o líder do PSL no Senado, Major Olímpio, hoje rompido com o bolsonarismo, propôs acabar com as torcidas organizadas, por considerá-las grupos criminosos em projeto de lei que tramita no Congresso. “Aqui eles [antifas] se fantasiam de torcida organizada, mas todos sabemos que querem é desordem, baderna e confronto com manifestações pacíficas”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

No Rio, o deputado federal Daniel Silveira (PSL), que acompanhou manifestação pró-Bolsonaro na praia de Copacabana, gravou um vídeo pregando repressão violenta a movimentos antifascistas de torcedores. “Vocês [antifas] vão pegar um ‘polícia’ zangado no meio da multidão, levar um [tiro] no meio da caixa do peito e chamar a gente de truculento. Eu estou torcendo pra isso. Quem sabe não seja eu o sortudo. Não adianta nem falar que foi homicídio. Vai ser legítima defesa”, ameaçou o deputado, que, ao longo do protesto, filmou a conversa com um policial que prometeu queimar a faixa de torcedores do Flamengo estampada com os dizeres “Democracia Rubro-Negra”. A PM do Rio de Janeiro informou em nota que a atitude do agente “não reflete a postura da corporação, que se mantém imparcial, sempre zelando pela democracia”.

A oposição a Bolsonaro não é consenso nas torcidas organizadas e gerou desconforto entre membros que preferem evitar a associação a movimentos antifascistas. Uma das maiores organizadas do São Paulo, a Dragões da Real afirmou que, embora se considere uma organização antifa, não pretende orientar seus sócios a seguirem uma orientação política específica. “O que nos une é o São Paulo Futebol Clube. Fora disso, cada um que escolha seu caminho. Não se pratica democracia com ato antidemocrático.” A Torcida Jovem do Flamengo adota a mesma linha, informando que “não irá impor nem incentivar nenhum de seus integrantes que se manifestem contra ou a favor de qualquer espectro ou vertente política”, por se posicionar como uma instituição apartidária.

Se as organizadas preferem se descolar dos protestos, as torcidas antifascistas planejam aumentar a frequência e a magnitude dos atos com a adesão de movimentos sociais e partidários que se opõem ao Governo Bolsonaro. Neste fim de semana, um manifesto em prol da democracia, que já foi firmado pelos ex-jogadores Casagrande, Raí e Tostão, ultrapassou a marca de 200.000 assinaturas. Para o próximo domingo, cidades como Manaus e Rio articulam manifestações similares à da Paulista.

“Nossa pauta é ampla, não tem viés político-partidário”, diz Danilo Pássaro. “A maior parte do povo brasileiro é favorável à democracia. Convocamos todos os cidadãos democratas para que se juntem a essa luta.” A articulação nacional das Torcidas Antifascistas Unidas ressalta que orienta manifestantes a usar máscaras, luvas e óculos de proteção contra o coronavírus, além de recomendar a torcedores que convivem com pessoas do grupo de risco a participar dos protestos políticos apenas pelas redes sociais.

Nesta segunda, houve uma manifestação em Curitiba que derivou mais uma vez em repressão policial e quebra-quebra, em uma mostra de que a chama dos protestos antifascistas e anti-Bolsonaro, misturados aos atos antirracistas na esteira do movimento nos EUA, devem seguir. Gabriel Fidgan, organizador do protesto na capital do Paraná, afirma que o ato antirracista terminava sem incidentes quando, na “dispersão de alguns poucos, houve vandalismo contra o patrimônio público”, o que “representa a presença organizada de infiltrados que desejam a criminalização do movimento”. Fidgan também criticou o excesso de uso da força pela polícia.

Fonte: El País

Continuar lendo MANIFESTOS PLURIPARTIDÁRIOS SURGEM NAS RUAS LIDERADOS POR TORCIDAS ANTIFASCISTAS

PROTESTOS PELA MORTE DE GEORGE FLOYD NOS EUA JÁ CHEGA AO SÉTIMO DIA E AVANÇAM EM 75 CIDADES AMERICANAS

 

Protestos pela morte de George Floyd nos Estados Unidos chegam a 75 cidades americanasProtestos pela morte de George Floyd nos Estados Unidos chegam a 75 cidades americanas

Um vídeo viralizou nesta semana pelos Estados Unidos. Nele, George Floyd, um homem negro, é imobilizado por um policial branco, que pressiona o joelho na garganta de Floyd, mesmo ele estando algemado e no chão.

Para a polícia, ele se parecia com a descrição de um suspeito de falsificação de dinheiro. Foram nove minutos imobilizados e pelo menos cinco com o pescoço pressionado, sob protestos das testemunhas.

Desde segunda-feira (25), quando George Floyd foi morto, milhares de pessoas estão indo às ruas diariamente para protestar contra a morte dele. Na madrugada deste domingo (31), as manifestações chegaram a 75 cidades, segundo o jornal americano “The New York Times”. E a agressividade entre manifestantes e policiais aumentou. Quatro pessoas morreram e 1.700 foram presas.

Fonte: G1

Continuar lendo PROTESTOS PELA MORTE DE GEORGE FLOYD NOS EUA JÁ CHEGA AO SÉTIMO DIA E AVANÇAM EM 75 CIDADES AMERICANAS

CANDIDATO DEMOCRATA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DECLARA APOIO A PROTESTOS NOS EUA

CANDIDATO DEMOCRATA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DECLARA APOIO A PROTESTOS NOS EUA
Former Vice President Joe Biden speaks at the Kilcawley Center at Youngstown State University, Monday, Oct. 29, 2018, in Youngstown, Ohio. (AP Photo/Tony Dejak)

 

Biden declara apoio a protestos nos EUA, mas condena distúrbios

Candidato democrata à presidência disse compreender o drama dos negros no país e disse que é correto protestar contra a brutalidade policial

INTERNACIONAL

Da EFE

 

Biden declara apoio às manifestações nos EUA Biden declara apoio às manifestações nos EUA

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos, e atual pré-candidato democrata à presidência, Joe Biden condenou neste domingo (31) os distúrbios ocorridos nos últimos dias derivados dos protestos contra o assassinato de George Floyd, homem negro sufocado até a morte por um policial branco, e afirmou que o país não pode permitir que a dor o destrua.

“Somos uma nação com dor, mas não podemos permitir que esta dor nos destrua. Somos uma com raiva, mas não podemos permitir que a raiva nos consuma. Somos uma nação exausta, mas não podemos permitir que o cansaço nos derrote”, disse em comunicado.

Biden acrescentou que, nos últimos dias, foi feito um manifesto de que os EUA são um país “furioso por justiça”.

“Qualquer pessoa consciente pode compreender o trauma que os negros experimentam neste país, desde indignações diárias à violência extrema, como o horrível assassinato de George Floyd”, declarou.

Floyd morreu enquanto estava sendo detido na segunda-feira passada, em Minneapolis. O policial Derek Chauvin pressionou Floyd contra o chão com o joelho em seu pescoço durante quase nove minutos, provocando uma morte por sufocamento.

A brutalidade policial desencadeou uma onda de protestos e distúrbios, com saques, incêndios e repressão da polícia em Minneapolis e outras cidades dos EUA.

Biden reconheceu que “é correto e necessário” protestar contra a brutalidade policial, “uma resposta completamente americana”, mas advertiu que “queimar comunidades e a destruição desnecessária não são, nem a violência que coloca vidas em risco”.

“Nunca deveria ser permitido o ato de protestar ofusque a razão do nosso protesto”, comentou.

O pré-candidao pediu para que os Estados Unidos se juntem a ele para fazer o país atravessar “o limiar turbulento para uma nova fase de progresso, inclusão e oportunidade”.

“Como presidente, vou ajudar a liderar esta conversa e, mais importante ainda, vou ouvir. Vou manter o compromisso que assumi com o irmão de George, Philonise, de que George não será uma mera hashtag”, enfatizou.

“Devemos e vamos chegar a um ponto em que todos, independentemente da raça, acreditem que ‘proteger e servir’ significa protegê-los e servi-los. Só ficando juntos é que ficaremos mais fortes do que antes. Mais iguais, mais justos, mais esperançosos e mais próximos da nossa união mais perfeita”, concluiu.

Fonte: R7

Continuar lendo CANDIDATO DEMOCRATA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DECLARA APOIO A PROTESTOS NOS EUA

AO ALCANÇAR O 2º LUGAR NO RANKING DOS PAÍSES COM MAIS CASOS DE COVID-19 NO MUNDO EUA SUSPENDEM ENTRADA DE PESSOAS VINDAS DO BRASIL

Estados Unidos suspendem a entrada de pessoas vindas do Brasil por causa do coronavírus

A Casa Branca anuncia a medida no dia em que alcançamos o segundo lugar entre os países com mais casos da covid-19 em todo o mundo

Apoiador de Bolsonaro participa de protesto contra a quarentena em São Paulo neste domingo.Apoiador de Bolsonaro participa de protesto contra a quarentena em São Paulo neste domingo.

PABLO XIMÉNEZ DE SANDOVAL Los Angeles – 24 MAY 2020 – 22:31 BRT

Os Estados Unidos proibiram neste domingo a entrada de viajantes do Brasil por causa do risco de acelerarem a propagação do coronavírus em seu território. A medida foi tomada no dia em que o Brasil se tornou oficialmente o segundo país do mundo com mais os casos confirmados da covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos. O veto ao Brasil se soma aos que já estão em vigor para viajantes da China, Irã, União Europeia e Reino Unido.

O presidente Donald Trump já havia anunciado na terça-feira que estava “estudando” um possível veto, depois que o Brasil registrou seu maior número de mortes em um único dia e deu provas de que se tornou um dos pontos quentes da pandemia no mundo. “Estamos considerando isso. Espero que não tenhamos um problema”, disse Trump na Casa Branca. “Não quero que pessoas venham aqui e infectem nosso povo. E também não quero que fiquem doentes lá. Estamos ajudando o Brasil com respiradores. O Brasil tem problemas, sem dúvida.”

Neste domingo, o Brasil ultrapassou 347.000 casos confirmados e mais de 22.600 mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Os Estados Unidos, o país mais afetado pela pandemia, já registram 1,64 milhão de casos confirmados e mais de 97.600 mortes.

A ordem emitida neste domingo pela Casa Branca não leva em conta essa cifra, mas a de sábado, quando o Brasil ainda era o terceiro país mais afetado, atrás da Rússia. A ordem abrange todos os cidadãos estrangeiros que tenham estado no Brasil 14 dias antes de sua viagem aos Estados Unidos. Ficam de fora residentes permanentes (green card); cônjuges de cidadãos dos EUA ou de residentes permanentes; pais, filhos e irmãos de menores de idade dos EUA; e alguns tipos de visto. A proibição entra em vigor à zero hora da sexta-feira, dia 29.

No Brasil, o assessor especial da Presidência para Relações Internacionais, Filipe Martins, tuitou: “Ao proibir temporariamente a entrada de brasileiros nos Estados Unidos, o Governo americano está seguindo parâmetros quantitativos previamente estabelecidos, que alcançam naturalmente um país tão populoso quanto o nosso. Não há nada específico contra o Brasil. Ignorem a histeria da imprensa”. Na ordem da Casa Branca, é mencionado especificamente o Brasil e citado seu número de infecções.

O veto ao Brasil é um reconhecimento de que o coronavírus está fora de controle no país e é uma notícia indigesta para o presidente Jair Bolsonaro. Desde o início da crise, Bolsonaro imita a atitude do presidente Trump em aspectos como minimizar o perigo do vírus, promover tratamentos que não são comprovados e se opor abertamente às medidas restritivas.

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O’Brien, disse na televisão neste domingo que espera que a ordem possa ser reconsiderada em algum momento. “Esperamos que seja temporária, mas, em razão da situação no Brasil, vamos tomar todas as medidas necessárias para proteger o povo americano”, disse O’Brien, citado pela Reuters. O consultor acrescentou que, se os Estados Unidos adotarem medidas semelhantes para outros países da América do Sul, o farão caso a caso.

Fonte: El País

Continuar lendo AO ALCANÇAR O 2º LUGAR NO RANKING DOS PAÍSES COM MAIS CASOS DE COVID-19 NO MUNDO EUA SUSPENDEM ENTRADA DE PESSOAS VINDAS DO BRASIL

REDES SOCIAIS AMPLIAM RESTRIÇÕES DE CONTEÚDOS POLÍTICOS EM FUNÇÃO DO CORONAVÍRUS

Facebook amplia restrições de conteúdos políticos no Vietnã e nos EUA

Pelo coronavírus, as redes sociais começaram a aumentar seus motivos para retirar conteúdo

Manifestantes contra o confinamento em Massachusetts (Estados Unidos)Manifestantes contra o confinamento em Massachusetts (Estados Unidos)

A queda dos servidores locais do Facebook no Vietnã provocou entre fevereiro e abril a lentidão do tráfego da plataforma no país asiático. O Governo comunista vietnamita usou essa tática para forçar a rede a cumprir suas leis de censura contra postagens “antigovernamentais”, de acordo com matéria exclusiva da agência Reuters.

O Facebook acatou o pedido das autoridades. “O Governo vietnamita nos pediu que restringíssemos o acesso a conteúdo que considera ilegal no Vietnã”, disse um porta-voz da empresa. “Acreditamos que a liberdade de expressão é um direito fundamental, e trabalhamos duro para protegê-la e defendê-la em todo o mundo. Tomamos essa decisão, entretanto, para assegurar que nossos serviços continuem disponíveis para milhões de pessoas no Vietnã”, acrescentou. A rede social mantém, portanto, sua presença e negócio no Vietnã em troca da censura do conteúdo que o Governo lhe pedir. Não está claro se o Facebook resiste um pouco em todos os casos.

A decisão abre um precedente perigoso para que outros Governos a utilizem, de acordo com declarações da Anistia Internacional à Reuters: “Governos de todo o mundo enxergarão esse fato como um convite aberto para recrutar o Facebook à censura estatal”, diz a organização. A Anistia calcula que pelo menos 16 pessoas foram presas por escrever postagens proibidas no Vietnã. A lei de cibersegurança que agora o Facebook obedece obriga a empresa a ter escritório local e conservar dados locais no Vietnã. O Facebook diz, entretanto, que não armazena dados de usuários dentro do país.

Enquanto isso acontece no Vietnã, nos Estados Unidos o Facebook optou por eliminar páginas que pediam manifestações contra o confinamento quando desafiavam “as recomendações dos Governos em distância social”. Nos Estados Unidos ocorreram manifestações em vários Estados contrárias às ordens dos governadores sob o lema “Liberate”. Algumas dessas manifestações foram abertamente apoiadas pelo presidente Donald Trump.

Essas duas decisões, ainda que de origem e motivações diferentes, mostram a capacidade dominante da plataforma de decidir o que e como se diz. Como empresa privada, o Facebook pode decidir quais são as políticas comunitárias e agir em consequência. Mas seu papel crescente no debate público faz com que essas decisões tenham consequências cada vez maiores.

Diz um porta-voz da empresa sobre a decisão nos Estados Unidos: “A não ser que um Governo proíba o evento, permitimos que seja organizado no Facebook. Por esse mesmo motivo, eventos que desafiam as recomendações governamentais em distância social não são permitidos no Facebook”. Parece que pelas brechas de razões como essas, o Facebook pode chegar a apagar muito conteúdo. De acordo com a empresa às perguntas do EL PAÍS, nenhum conteúdo foi apagado na Espanha por esses motivos.

O Facebook não é a única plataforma que está ampliando suas opções de apagar conteúdo aos limites das liberdades civis. Na quarta-feira o Twitter anunciou que havia ampliado suas regras e iria pedir que fossem eliminados tuítes cujo “conteúdo negue as recomendações das autoridades sanitárias globais e locais e aumente as possibilidades de contágio” e “neguem os conselhos dos especialistas”. Esse tipo de conteúdo pode ser muito variado, mas a empresa também anunciou que até esse dia só havia eliminados 2.200 tuites em todo o mundo com “conteúdo enganoso e potencialmente danoso”. Perguntado pelo EL PAÍS, o Twitter não separou por cada país os tuítes apagados.

“Parece pouco provável que a censura de conteúdos nocivos, enganosos, e que aumentem o risco de contágio, possa dar lugar a um conflito judicial. O problema surge quando o Twitter se reserva a capacidade de censurar usuários que expressem suas opiniões contrárias aos especialistas (quais?) e às autoridades sanitárias”, diz Luis Gervás de la Pisa, advogado do Secuoya Group.

Na Espanha alguns usuários criaram, por exemplo, a hashtag #10demayosesale. Não está claro se irá contra as autoridades e se tentam desobedecer e colocam em perigo o restante da população. Mas são decisões que um dia podem recair sobre o Twitter e outra plataforma.

A presidenta do YouTube, Susan Wojcicki, disse na terça-feira na CNN que suprimiriam todo o conteúdo que fosse “medicamente não testado”. As três empresas estão acrescentando preceitos às suas políticas que irão chamar mais a atenção sobre seu peso e limites.

“As redes sociais podem estabelecer normas de participação com a finalidade de eliminar comentários ilícitos e lesivos, sem necessidade da existência de uma sentença judicial. Basta que a ilicitude seja evidente”, acrescenta Gervás de la Pisa. “Mas se as regras de participação são arbitrárias e aplicadas contra os direitos de liberdade de expressão e informação, isso dá direito a reagir judicialmente”.

Fonte: El País

Continuar lendo REDES SOCIAIS AMPLIAM RESTRIÇÕES DE CONTEÚDOS POLÍTICOS EM FUNÇÃO DO CORONAVÍRUS

EDITORIAL: INFELIZMENTE O MAIOR INIMIGO DE BOLSONARO É ELE MESMO!

Caro(a) leitor(a),

Não há de se falar em Impeachment para Bolsonaro neste momento por vários motivos, cujo principal é a pandemia do coronavírus. Mas há de se falar em renúncia sim ou afastamento por insanidade mental. Porque o comportamento do nosso presidente é de alguém que não está gozando das faculdades mentais. O discurso ensandecido da deputada estadual Janaína Paschoal traduz exatamente o que o brasileiro médio que acompanha a política nacional e tem um mínimo de bom senso está sentindo. Infelizmente o Jornal da Cidade On Line vem fazendo um jornalismo tendencioso e fiel ao presidente Bolsonaro e isso não é jornalismo independente. Por causa disso tenho deixado de publicar suas principais matérias. No EDITORIAL desta terça-feira eu explico porque concordo com  Janaína!

Fonte:

Janaína “enlouquece” e pede Mourão na presidência (veja o vídeo)

Deputada Janaína Paschoal

Tratando o presidente da República como “esse senhor”, a deputada Janaína Paschoal pediu, na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo, a sua renúncia.

Não é a primeira vez que as atitudes de Janaína afrontam o seu eleitorado, a sociedade e às pessoas de bem.

Infelizmente, a deputada está completamente descompensada e comete um ato de traição aos milhões de votos que recebeu no pleito de 2018.

A atitude de enxovalhar o presidente da República por conta de seu gesto de reverência ao povo é desproporcional e injusta.

Pior, entretanto, é dizer que está arrependida de ter votado em Bolsonaro.

Assim, como só tínhamos duas opções no 2º turno, subentende-se que hoje ela votaria no Haddad, no PT.

Enlouqueceu!

Veja o vídeo:

da Redação
Continuar lendo EDITORIAL: INFELIZMENTE O MAIOR INIMIGO DE BOLSONARO É ELE MESMO!

EDITORIAL: O QUE OS POLÍTICOS FAZEM COM O NOSSO DINHEIRO NÃO É ABUSO É FALTA DE RESPEITO

TEXTO

Com o decreto de Bolsonaro publicado ontem, *restringindo uso dos aviões da FAB*, que agora só podem ser usados em missão oficial, ou seja, acabou o “me leva para casa”, *Rodrigo Maia* vem atacando o governo de forma vergonhosa.

Ele já fez 796 viagens em aviões da FAB desde que se tornou presidente da Câmara, e grande parte é para ir e voltar ao Rio.

*Acabou a mamata* e ele está louco, furioso, soltando veneno pela boca 😂🤣😂🕺🏻🕺🏻

Fonte:

Continuar lendo EDITORIAL: O QUE OS POLÍTICOS FAZEM COM O NOSSO DINHEIRO NÃO É ABUSO É FALTA DE RESPEITO

POLÍTICA: ADESÃO À MANIFESTAÇÃO DO DIA 15 POR CELEBRIDADES CRESCE RAPIDAMENTE

A manifestação do dia 15 de março ganha a adesão de figuras de peso como Regina Duarte, Filipe Barros, Carla Zambeli, Marcos Feliciano e outras personalidades influentes. Cresce com velocidade nas mídias sociais e vai mostrar aos políticos corruptos quem é que manda.

Manifestação do dia 15 ganha Regina Duarte como reforço de peso: “O Brasil é nosso, não dos políticos de sempre”

Fotomontagem: General Heleno, Jair Bolsonaro e Regina Duarte
Setores representativos da sociedade brasileira estão organizando um evento de manifestação nacional de apoio ao atual governo para o dia 15 de março.

A iniciativa começou a se formar após o ministro do Gabinete Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, reclamar da chantagem exercida por parlamentares sobre o Planalto liberar, no sentido de abocanhar mais verbas do orçamento.

“Nós não podemos aceitar esses caras chantagearem a gente o tempo todo. Foda-se”, salientou Heleno.

O protesto conta com o apoio de diversos líderes políticos influentes com os deputados Filipe Barros, Marco Feliciano, Carla Zambeli, entre outros.

“Em Londrina, assim como em todo Brasil, teremos manifestação dia 15 de março. Pauta única: – apoio ao Presidente Jair Bolsonaro”, escreveu em suas redes sociais, Filipe Barros.

Confira:

Publicação de Filipe Barros no Twitter

Já o pastor e deputado, Marco Feliciano, desmentiu opositores que estavam tentando barrar a manifestação do próximo dia 15. O pastor citou a Constituição em uma publicação em suas redes sociais.

“Para quem diz que manifestação do dia 15 é fascista, leiam a Constituição: Art. 1 ‘Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente. Art 5 XVI – todos podem reunir-se pacificamente em locais abertos ao público, independentemente de autorização’”, salientou Feliciano.

Confira:

Publicação de Marco Feliciano no Twitter

Carla Zambelli foi direta:

“15/03/2015: Eu fui! 15/03/2020: Eu vou!”, exclamou a deputada.

Confira:

Publicação de Carla Zambelli no Twitter

A manifestação ganhou um grande apoio nesta quarta-feira, 26, a nova Secretária da Cultura Regina Duarte, abraçou a causa e também através de suas redes sociais replicou uma imagem com a mensagem que Jair Bolsonaro mandou a um grupo de amigos no Whattsapp, com os seguintes dizeres:

“15 de março.

General Heleno/Cap Bolsonaro.

O Brasil é nosso,

não dos políticos de sempre.”

A manifestação está a cada dia ganhando mais força e a esquerda está estremecida com a força do atual governo e a popularidade do presidente.

Confira:

Publicação de Regina Duarte no Instagram
da Redação
Continuar lendo POLÍTICA: ADESÃO À MANIFESTAÇÃO DO DIA 15 POR CELEBRIDADES CRESCE RAPIDAMENTE

BOAS NOTÍCIAS: GAROTO COM NANISMO QUE SOFREU BULLYNG TEM DIA DE GLÓRIA

Um garotinho de 9 anos com nanismo que sofreu bullyng e quase se matou é o destaque da nossa coluna BOAS NOTÍCIAS desta terça-feira. O NRL All-Stars Indígena de rugby da Austrália, time pelo qual o garoto torce convidou-o para entrar de mãos dadas com o seu ídolo, o capitão Joel Thompson, e foi ovacionado pela torcida. Veja a reportagem completa e o emocionante vídeo!

Vídeo mostra menino que sofreu bullying por nanismo sendo ovacionado

A NRL divulgou o vídeo de Quaden Bayles – o garoto australiano de 9 anos que queria se matar após sofrer bullying por ter nanismo – entrando em campo com os jogadores da equipe NRL All-Stars Indígena de rugby da Austrália.

Ontem nós mostramos as fotos, agora saíram as imagens, o áudio com os aplausos da torcida… Os minutos em que Quaden se sentiu querido. É de arrepiar a emoção dos jogadores e do próprio menino no Cbus Super Stadium, na Costa Dourada. (vídeo abaixo)

Quaden entra de mãos dadas com o ídolo dele, o capitão Joel Thompson, puxando a equipe antes da partida contra o Maori All-Stars, e é ovacionado.

Com fones de ouvido e uma bola na mão esquerda, o garotinho parece não entender muito bem o que está acontecendo.

Quaden olha para os lados e leva alguns segundos até esboçar o primeiro sorriso. Naquele instante, ele sentiu que estava tendo o apoio de toda aquela multidão, que fez valer o ditado: “os humilhados serão exaltados”.

Um tapa com luva de pelica nos colegas de escola que quase levaram Quaden ao suicídio. E tomara que seja uma lição mundial contra o bullying.

Solidariedade

Na última quinta-feira, depois que o vídeo do com o drama do menino foi postado pela mãe dele nas redes sociais, o All-Stars Indígena mandou uma mensagem para Quaden.

Latrell Mitchell, estrela do NRL, disse: ‘Ei Quadey … Só queria lhe desejar o melhor, irmão. Sabemos que você está passando por um momento difícil, mas os meninos estão aqui’. – Nós te apoiamos, estamos aqui para ajudá-lo. Só queremos ter certeza de que você está bem. – Queremos você por perto, queremos que você nos conduza no fim de semana. Isso vai significar mais para nós do que para você. – Apenas certifique-se de cuidar de si mesmo e, com sorte, poderemos vê-lo nos próximos dias.

Quaden também recebeu mensagens comoventes de famosos como o ator de X-men Hugh Jackman, de Mark Hamill, que interpretou Luke Skywalker em Guerra nas Estrelas e do humorista Brad Williams, que também tem nanismo e abriu uma vaquinha do GoFundMe para Quaden Bayles.

Tem 9 anos sim

Mesmo com toda alegria, Yarraka, a mãe de Quaden, teve que desmentir fake news que surgiram nas redes sociais sobre o menino.

Ela negou negou teorias da conspiração de que Quaden teria 18 anos e o vídeo dela teria sido organizado para ganhar dinheiro. Tudo mentira!

A mãe de Quaden também fez um alerta contra vigaristas de páginas não autorizadas de captação de recursos, que alegavam estar arrecadando dinheiro para o filho dela.

Assista ao vídeo o dia de glória que Quaden teve neste sábado:

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: GAROTO COM NANISMO QUE SOFREU BULLYNG TEM DIA DE GLÓRIA

POLÍTICA: APARIÇÃO RELÂMPAGO DE BOLSONARO NO FAROL DA BARRA EXPÕE SUA POPULARIDADE

Em aparição surpresa e relâmpago e surpresa no Farol da Barra nesta segunda-feira, Bolsonaro expõe sua popularidade até em terra considerada reduto petista e mostra que, aos poucos, o cenário político está mudando no Nordeste graças a melhora da economia. Assista ao vídeo e veja como foi o encontro dele com o povo baiano!

Bolsonaro aparece de surpresa e é aclamado no Farol da Barra, em Salvador (veja o vídeo)

Anda no meio do povo sem receios. Sua segurança que se preocupe, porque o presidente é audaz e aparece sem armações ou avisos prévios.

Uma mistura sem igual de simplicidade e carisma.

A história está sendo escrita diante de nossos olhos e consolidando o maior líder popular de todos os tempos no Brasil.

De quebra, está desmistificada a história de que a Bahia é um reduto petista.

Veja o vídeo:

Continuar lendo POLÍTICA: APARIÇÃO RELÂMPAGO DE BOLSONARO NO FAROL DA BARRA EXPÕE SUA POPULARIDADE

GEOPOLÍTICA: A VERDADEIRA RAZÃO DO CALDEIRÃO POLÍTICO-IDEOLÓGICO NA AMERICA LATINA

Neste sábado de feriadão temos um texto na nossa coluna GEOPOLÍTICA, vindo diretamente da Bolívia, enviado por uma brasileira que mora lá, de idoneidade e ilibada reputação, mas que não quis se identificar. Este texto, de autoria de Taiguara Fernandes de Sousa, expõe a verdadeira face da esquerda e sua maléfica influência nas crises políticas da Bolívia, Venezuela, Honduras, Equador, Chile, Colômbia, Peru e  a provável Argentina. Temos de entender o que está acontecendo realmente na América Latina. Leia o esclarecedor artigo a seguir e tire suas conclusões!

Resultado de imagem para crise política na américa latina

TEXTO ORIGINAL EM ESPANHOL

No le parece extraño que, en el último mes, todos los países latinoamericanos hayan comenzado a caer en el caos y sufrir desestabilización? Y que, de repente, en Brasil, ex aliados se están posicionando contra el presidente Jair Bolsonaro.

Hay una explicación para esto. Todo comenzó el 23 de septiembre de este año, cuando la Organización de los Estados Americanos (OEA), a través de una iniciativa de Brasil y Estados Unidos, asestó un duro golpe al Foro de São Paulo: invocaron el Tratado Interamericano de Asistencia Recíproca (TIAR) para investigar la relación entre Venezuela y el narcotráfico.
La resolución fue aprobada y reconoce la “amenaza que representa el régimen ilegítimo de Nicolás Maduro para la seguridad y la estabilidad del Hemisferio”.
La TIAR requiere que todas las agencias de los países miembros (FBI, CIA, Policías Federales, etcétera) participen en la investigación. Aquellos que no colaboren pueden ser investigados por prevaricación. Esta amplia investigación puede revelar los lazos de la izquierda latinoamericana con el narcotráfico.
Al día siguiente, 24 de septiembre, ¿adonde viaja el dictador Nicolás Maduro? A Rusia. Y su brazo derecho, Diosdado Cabello, va a Corea del Norte (¿se encontró con los chinos?). Fueron a buscar apoyo contra la nueva ofensiva.
Ahora, inicia el proceso. Vea usted:
Perú, 30 de septiembre. La crisis política interna hace que el presidente Martín Vizcarra cierre el Congreso y prohíba los nombramientos a la Corte Suprema. Se establece el caos.
Ecuador, 8 de octubre. Una serie de protestas violentas (similares a las que los black blocs  radicalizaron en 2013 en Brasil), presuntamente desencadenadas por el aumento de los precios del combustible, llevaron al presidente Lenin Moreno a declarar estado de sitio y reubicar la sede del gobierno ecuatoriano de Quito a Guayaquil.
Honduras, 10 de octubre. La oposición de la izquierda, partidaria del amigo del brasileño Luis Inácio ‘Lula’ da Silva, Manuel Zelaya, sale a la calle, en violentas protestas, exigiendo la caída del presidente Juan Orlando Hernández, poco después de anunciar un acuerdo de cooperación de seguridad con el presidente de Estados Unidos Donald Trump.
Chile, 18 de octubre. Inician una serie de protestas violentas en el interior del país (repitiendo nuevamente los métodos de los black blocs  brasileños de 2013), supuestamente “provocadas” por el alza de tarifas, lo que provocó caos, vandalismo, muertes y decreto del estado de emergencia por parte del presidente Sebastián. Piñera.
México, 18 de octubre. Una guerra entre el narcotráfico y las Fuerzas Armadas tras el arresto del hijo de “El Chapo” Guzmán provoca muertes, caos interno y es ganada por el tráfico. El presidente izquierdista Manuel Andrés López Obrador se rinde.
Venezuela, 19 de octubre. Diosdado Cabello declara públicamente: “Lo que está sucediendo en Perú, Chile, Ecuador, Argentina, Honduras es una brisita, vendrá un huracán bolivariano”.
No olviden a Argentina, donde Cristina Kirchner regresa al poder, a través de la candidatura de Alberto Fernández, y ayudado por la incompetencia de Mauricio Macri, que no tiene una base ideológica seria (una advertencia a los liberales que están persiguiendo al núcleo ideológico del gobierno de Bolsonaro).
Brasil, desde el 26 de septiembre hasta hoy. Misteriosas manchas de petróleo crudo comienzan a contaminar toda la costa noreste. Curiosamente, el número aumentó precisamente en el curso de los eventos descritos aquí. ¿Accidente o ataque? ¿El petróleo recuerda a qué país latinoamericano?
Además, el presidente Jair Bolsonaro enfrenta traición por todos lados, especialmente dentro de su base política. El establishment burocrático actúa para criminalizar a sus partidarios más leales, castigar al movimiento conservador y forjar un crimen para derrocar al presidente.
En palabras de Cabello, citadas aquí, el brazo derecho de Maduro confirma que todo está programado.
En julio pasado, los líderes socialistas latinoamericanos fundaron – con vestidos nuevos – el Foro de São Paulo en Puebla, México (cuyo presidente, Manuel Andrés López Obrador, es del Foro): el Movimiento Progresivo, que apoya todas las protestas violentas aquí citadas. Lula y Dilma también se unieron al Grupo Puebla, nueva cara del Foro de São Paulo.
Este es un proceso desencadenado por la victoria de Jair Bolsonaro en Brasil, que derrocó la hegemonia globalista en el segundo país más grande después de Estados Unidos y el líder natural de nuestra región. Este proceso se aceleró después de proponer el TIAR, que puede llevar a muchos socialistas a la cárcel.
No olvidemos a Paraguay, con el intento de derrocar al presidente Mario Abdo, y a Colombia, con la reanudación de la acción armada de las FARC. Todo está orquestado. El Foro de São Paulo se está reconstruyendo. El ataque a Brasil será el último y más fuerte.
Añadiendo dos notas de fuera de América Latina, el 24 de septiembre la Corte Suprema del Reino Unido golpea al Brexit y Boris Johnson. Al día siguiente, 25 de septiembre, abren proceso de impeachment contra Donald Trump.
La intención es aturdir a las fuerzas antiglobalistas con tantos problemas internos que simplemente se ocupan de ello y no se apoyan mutuamente en la lucha más amplia contra el esquema globalista. Esta es una nueva guerra mundial.
______

Por favor, diseminen sí aman su libertad, su familia, su libertad de credo, el derecho a la vida, a la propiedad privada, a ser el dueño de su propio destino.

Taiguara Fernandes de Sousa es una abogado y periodista brasileño.

Fonte:D VOX

TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS

Não parece estranho que, no último mês, todos os países latino-americanos tenham começado a cair no caos e sofrer desestabilização? E que, de repente, no Brasil, ex-aliados estão se posicionando contra o presidente Jair Bolsonaro.

Há uma explicação para isso. Tudo começou em 23 de setembro deste ano, quando a Organização dos Estados Americanos (OEA), por iniciativa do Brasil e dos Estados Unidos, golpeou o Fórum de São Paulo: invocaram o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca ( TIAR) para investigar a relação entre a Venezuela e o tráfico de drogas.

A resolução foi aprovada e reconhece a “ameaça representada pelo regime ilegítimo de Nicolás Maduro pela segurança e estabilidade do Hemisfério”.

O TIAR exige que todas as agências dos países membros (FBI, CIA, Polícia Federal, etc.) participem da investigação. Aqueles que não colaborarem podem ser investigados por prevaricação. Essa extensa investigação pode revelar os laços da esquerda latino-americana com o narcotráfico.

No dia seguinte, 24 de setembro, para onde viaja o ditador Nicolás Maduro? Para a Rússia. E seu braço direito, Diosdado Cabello, vai para a Coréia do Norte (ele conheceu os chineses?). Eles foram buscar apoio contra a nova ofensiva.

Agora, inicie o processo. Veja você:

Peru, 30 de setembro. A crise política interna faz com que o presidente Martín Vizcarra feche o Congresso e proíba nomeações para a Suprema Corte. O caos é estabelecido.

Equador, 8 de outubro. Uma série de protestos violentos (semelhantes aos que os Black Blocks se radicalizaram em 2013 no Brasil), supostamente desencadeados pelo aumento dos preços dos combustíveis, levou o presidente Lenin Moreno a declarar estado de sítio e a mudar a sede do governo equatoriano de Quito para Guayaquil.

Honduras, 10 de outubro. A oposição de esquerda, um apoiador do amigo brasileiro Luis Inácio ‘Lula’ da Silva, Manuel Zelaya, sai às ruas, em violentos protestos, exigindo a queda do presidente Juan Orlando Hernández, pouco depois de anunciar um acordo de cooperação de segurança com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Chile, 18 de outubro. Eles iniciam uma série de protestos violentos no interior do país (repetindo novamente os métodos dos black blocks brasileiros de 2013), supostamente “causados” pelo aumento das taxas, o que causou caos, vandalismo, mortes e decreto do estado de emergência da parte do presidente Sebastian Pinera.

México, 18 de outubro. Uma guerra entre o narcotráfico e as Forças Armadas após a prisão do filho de “El Chapo” Guzmán causa mortes, caos interno e é vencida pelo trânsito. O presidente esquerdista Manuel Andrés López Obrador se rende.

Venezuela, 19 de outubro. Diosdado Cabello declara publicamente: “O que está acontecendo no Peru, Chile, Equador, Argentina, Honduras é uma brisita, um furacão bolivariano virá”.

Não se esqueça da Argentina, onde Cristina Kirchner retorna ao poder, através da candidatura de Alberto Fernández, e ajudada pela incompetência de Mauricio Macri, que não tem uma base ideológica séria (um aviso aos liberais que estão perseguindo o núcleo ideológico de Governo Bolsonaro).

Brasil, de 26 de setembro a hoje. Manchas misteriosas de petróleo bruto começam a contaminar toda a costa do nordeste. Curiosamente, o número aumentou precisamente no decorrer dos eventos descritos aqui. Acidente ou ataque? O petróleo, se lembra de qual país da América Latina?

Além disso, o presidente Jair Bolsonaro enfrenta traição em todos os lugares, especialmente dentro de sua base política. O establishment burocrático age para criminalizar seus partidários mais leais, punir o movimento conservador e forjar um crime para derrubar o presidente.

Nas palavras de Cabello, citadas aqui, o braço direito de Maduro confirma que tudo está programado.

Em julho passado, líderes socialistas latino-americanos fundaram – com novos vestidos – o Fórum de São Paulo em Puebla, México (cujo presidente, Manuel Andrés López Obrador, é do Fórum): o Movimento Progressista, que apóia todos os protestos violentos citados aqui. Lula e Dilma também se juntaram ao Grupo Puebla, uma nova face do Fórum de São Paulo.

Este é um processo desencadeado pela vitória de Jair Bolsonaro no Brasil, que derrubou a hegemonia globalista no segundo maior país depois dos Estados Unidos e o líder natural de nossa região. Esse processo acelerou após a proposta do TIAR, que pode levar muitos socialistas para a cadeia.

Não devemos esquecer o Paraguai, com a tentativa de derrubar o presidente Mario Abdo e a Colômbia, com a retomada da ação armada das FARC. Tudo é orquestrado. O Fórum de São Paulo está sendo reconstruído. O ataque ao Brasil será o último e mais forte.

Adicionando duas notas de fora da América Latina, em 24 de setembro, a Suprema Corte do Reino Unido atinge Brexit e Boris Johnson. No dia seguinte, 25 de setembro, eles abrem um processo de impeachment contra Donald Trump.

A intenção é atordoar as forças anti-globalistas com tantos problemas internos que elas simplesmente lidam com isso e não se apoiam na luta mais ampla contra o esquema globalista. Esta é uma nova guerra mundial. ______

Por favor, divulgue se você ama sua liberdade, sua família, sua liberdade de credo, o direito à vida, à propriedade privada, a ser o dono do seu próprio destino.

Continuar lendo GEOPOLÍTICA: A VERDADEIRA RAZÃO DO CALDEIRÃO POLÍTICO-IDEOLÓGICO NA AMERICA LATINA

PONTO DE VISTA: A VOZ DO POVO NAS RUAS QUANTAS VEZES FOR NECESSÁRIO

Caro(a) leitor(a),

Daqui pra frente o povo brasileiro tem que ter em mente que as manifestações serão rotineiras e permanentes. Quem sabe até semanais, pois essa é a única arma que o cidadão de bem tem para por ordem na casa e fazer os parlamentares e ministros do STF se conscientizarem de que quem manda é o povo e que o povo cansou de verdade dessa palhaçada. Está mais do que na hora de pelo menos um ou dois desses togados de meia tigela ser punido para que se ponham no seu devido lugar. A manifestação deste domingo foi exemplar e vai provocar consequências positivas para o país e impor limites ao STF. Caso esse movimento não surta o efeito esperado não vamos desanimar. O caminho você já sabe: São as Ruas deste país!

#Impeachment Gilmar Mendes: Fotos e vídeos de um domingo histórico

Manifestantes também mostraram apoio ao Ministro da Justiça Sergio Moro e repudio a soltura de Lula.

Veja fotos e vídeos dos protestos:

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo PONTO DE VISTA: A VOZ DO POVO NAS RUAS QUANTAS VEZES FOR NECESSÁRIO

PONTO DE VISTA: SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A VERGONHA E A DESONRA BRASILEIRA

Caro(a) leitor(a),

O Brasil passa pela pior crise moral de todos os tempos incrivelmente capitaneada pela instituição que deveria ser sinônimo de honestidade, seriedade e ilibada reputação. Que deveria defender com unhas e dentes a nossa Porca e frágil Constituição e assegurar direitos iguais para todos, eu disse todos os brasileiros. Ao contrário de tudo isso o STF mancha o seu nome e sua imagem, desonra, rasga e joga na lata do lixo a Carta Magna brasileira e envergonha o povo brasileiro. Coloca na rua milhares de presidiários, bandidos, assassinos, mandantes, estupradores, como são os casos de Lula e João de Deus e tantos outros anônimos e emporcalha a vida dos cidadãos gerando a maior instabilidade e insegurança jurídica jamais vista na história desse país. O povo foi às ruas em todo o Brasil porque só nos resta essa possibilidade para que possamos salvar o que resta da nossa pobre dignidade: pressionar o congresso nacional, os nossos representantes no legislativo para mudar essa porca e frágil Constituição de forma a garantir através de um dispositivo constitucional o que o STF não teve competência para garantir, a IMPUNIDADE. Brava gente brasileira, o povo nas ruas contra o STF! É triste, mas é verdade!

Brava gente brasileira: 9 de novembro, o povo nas ruas contra o STF (veja o vídeo)

Foto: Fatima Noya

O povo foi às ruas em São Paulo e em mais de 100 cidades pelo Brasil.

O assunto, entretanto, está longe de ser encerrado, bem longe.

O Senado e a Câmara dos Deputados podem reverter a situação.

A impunidade não pode ser garantida a ricos e poderosos, como quer o STF.

Nem a corrupto notórios, como o estuprador de cabras do agreste que acaba de sair da jaula.

A manifestação em São Paulo, ocorreu apenas um dia após a maracutaia dos onze do STF.

O povo saiu às ruas, em massa.

Em meio a imensidão popular, juristas, políticos, trabalhadores, empresários, artistas…

Com destaque para a presença de Modesto Carvalhosa, jurista dedicado ao Brasil.

E isso é só o começo.

O Brasil mudou, e a voz do povo será ouvida, quer queiram ou não.

https://www.marcoangeli.com.br

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo PONTO DE VISTA: SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A VERGONHA E A DESONRA BRASILEIRA

RESUMO DA SEMANA: DO PROJETO DE REFORMA ADMINISTRATIVA NO CONGRESSO À SOLTURA DO MELIANTE LULA

Na coluna RESUMO DA SEMANA deste domingo você pode ver e entender tudo que não viu durante a semana e que ocorreu na política nacional e foi notícia nos programas Os Pingos Nos Is, 3 em 1, Pânico, Morning Show e Jornal da Manhã da rádio Jovem Pan na semana de 04 a 08/11.

Fonte:

Continuar lendo RESUMO DA SEMANA: DO PROJETO DE REFORMA ADMINISTRATIVA NO CONGRESSO À SOLTURA DO MELIANTE LULA

ANÁLISE POLÍTICA: A ESTUPIDEZ DO AI-5 DO DUDU POR CLAUDIO DANTAS DE O ANTAGONISTA

Dentre muitos fatos importantes e notícias boas ocorridos neste 31/10 que deveriam ser divulgados, na coluna ANÁLISE POLÍTICA desta sexta-feira temos o comentário muito enfático, lúcido e preciso do jornalista Claudio Dantas de o ANTAGONISTA sobre a infeliz declaração de Eduardo Bolsonaro, na ENTREVISTA a Leda Nagle, sobre o AI-5. Assista ao vídeo e tire suas conclusões!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: A ESTUPIDEZ DO AI-5 DO DUDU POR CLAUDIO DANTAS DE O ANTAGONISTA

PODCASTS: O PRESIDENTE DEMONSTRA RESILIÊNCIA E PEDE DESCULPAS

Na coluna PODCASTS desta terça-feira as desculpas do presidente Jair Bolsonaro após críticas do STF ao seu vídeo. Sinal de resiliência do presidente. Mas não pode cometer tantos erros assim!

TERÇA, 29/10/2019, 11:36

Política

Após críticas do STF, Bolsonaro se desculpa e diz que publicação de vídeo foi ‘um erro’

Nas imagens, o presidente se compara a um leão acossado por hienas. Uma delas é identificada por ele como sendo o Supremo. A postagem foi criticada por dois ministros do STF. Marco Aurélio Mello disse que o vídeo é ‘cortina de fumaça’ porque, na avaliação dele, Bolsonaro quer proteger o filho Flávio da Justiça. Já Celso de Melo falou em ‘atrevimento’.

Bolsonaro em evento de negócios no Catar. Foto: Valdenio Vieira/PR (Crédito: )Bolsonaro em evento de negócios no Catar. Foto: Valdenio Vieira/PR

Fonte: CBN

Continuar lendo PODCASTS: O PRESIDENTE DEMONSTRA RESILIÊNCIA E PEDE DESCULPAS

ECONOMIA 2: RECORDE NA BOLSA BRASILEIRA E A CRISE NO CHILE COM SAMY DANA

Na nossa coluna ECONOMIA 2 desta terça-feira temos o Samy Dana da Jovem Pan explicando o porquê de apesar do panorama político sombrio com toda essa confusão interna no PSL, o STF na iminência de soltar milhares de bandidos e o grave conflito social no Chile, a Bolsa de Valores está batendo record em cima de rercord nos seus índices. Assista ao vídeo e entenda o que está acontecendo!  

Fonte:

Continuar lendo ECONOMIA 2: RECORDE NA BOLSA BRASILEIRA E A CRISE NO CHILE COM SAMY DANA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

21/10/2019 20h47  Atualizado há 22 minutos


INTERNACIONAIS

Protestos no Chile

Polícia joga jato d'água em manifestantes que fazem barricada em Santiago, capital do Chile, nesta segunda-feira (21) — Foto: Edgard Garrido/ReutersPolícia joga jato d’água em manifestantes que fazem barricada em Santiago, capital do Chile, nesta segunda-feira (21) — Foto: Edgard Garrido/Reuters

Os protestos contra o custo de vida no Chile deixaram 11 mortos desde que se intensificaram, na sexta-feira. Mais de 5 mil escolas pelo país estão sem aulas, e o governo decretou toque de recolher no país pelo 3º dia. Os protestos começaram após o aumento no preço das passagens de metrô, que já foi cancelado.

Mapa mostra protestos pelo mundo — Foto: Infográfico: Roberta Jaworski/G1Mapa mostra protestos pelo mundo — Foto: Infográfico: Roberta Jaworski/G1

Mapa mostra protestos pelo mundo — Foto: Infográfico: Roberta Jaworski/G1

Além do Chile, protestos tomam as ruas de outros 6 países. E os motivos vão desde corrupção até movimentos por democracia. Em poucas linhas, entenda a nova onda de manifestações ao redor do mundo.

Também teve isso…

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, é nomeado para tentar mais uma vez formar coalizão para governar o país — Foto: Ronen Zvulun/ReutersPrimeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, é nomeado para tentar mais uma vez formar coalizão para governar o país — Foto: Ronen Zvulun/Reuters

NACIONAIS

Crise no PSL

Eduardo Bolsonaro durante sessão da Câmara nesta segunda-feira (21) — Foto: REUTERS/Adriano MachadoEduardo Bolsonaro durante sessão da Câmara nesta segunda-feira (21) — Foto: REUTERS/Adriano Machado

A crise no partido do presidente teve hoje mais uma guerra de listas pela liderança da bancada na Câmara. Desde o início da tarde, Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL. O deputado Delegado Waldir reconheceu derrota após a apresentação de uma 6ª lista com 29 assinaturas apoiando o filho do presidente.

R$ 500 antecipados

A Caixa antecipou o calendário de saques de até R$ 500 do FGTS para quem não tem conta no banco. Agora, todos os trabalhadores com cantas ativas e inativas poderão tirar o dinheiro até o fim deste ano. Veja as novas datas.

Recorde na Bovespa

O principal índice da Bovespa bateu novo recorde e fechou pela 1ª vez acima dos 106 mil pontos. O resultado reflete a possibilidade de a reforma da Previdência ser aprovada amanhã no Senado, e também as expectativas positivas nas negociações entre EUA e China. Já o impasse no Brexit fez o dólar fechar em alta: R$ 4,13.

Manchas no Nordeste

Óleo está sendo removido das praias de Pernambuco com a ajuda de voluntários — Foto: Otton Veiga/TV GloboÓleo está sendo removido das praias de Pernambuco com a ajuda de voluntários — Foto: Otton Veiga/TV Globo

Cinco mil homens do Exército vão reforçar os trabalhos de limpeza das manchas de óleo que atingem o litoral do Nordeste. O reforço foi confirmado pelo Ministério da Defesa e anunciado pelo presidente em exercício, Hamilton Mourão, após ser questionado e negar omissão do governo ao lidar com o problema.

Queda de avião em BH

Fogo é apagado após queda de avião no Caiçara, em Belo Horizonte; três pessoas morreram — Foto: Raquel Freitas/G1Fogo é apagado após queda de avião no Caiçara, em Belo Horizonte; três pessoas morreram — Foto: Raquel Freitas/G1

Três pessoas morreram na queda de um avião em Belo Horizonte, na mesma rua em que outra aeronave caiu 6 meses atrás, no bairro Caiçara. O monomotor tinha acabado de decolar do Aeroporto Carlos Prates, com destino a Ilhéus (BA). As vítimas são um passageiro do avião, um pedestre e um motorista de carro. Um vídeo mostra a queda, e sugere que o piloto tentou voltar ao aeroporto.

Buscas no Congresso

A PF fez uma operação para investigar corrupção em fundos de pensão, e realizou buscas e apreensões em 4 estados e no gabinete do deputado Sergio Souza. Ele foi relator da CPI sobre os fundos de pensão, e é suspeito de receber propina.

Sede dos Arautos do Evangelho no meio da Serra da Cantareira, em Caieiras — Foto: TV Globo/ReproduçãoSede dos Arautos do Evangelho no meio da Serra da Cantareira, em Caieiras — Foto: TV Globo/Reprodução

Ouça o canto de ave amazônica considerado o mais alto do mundo animal

Ouça o canto de ave amazônica considerado o mais alto do mundo animal

Homem explode quintal ao tentar matar baratas com gasolina — Foto: ReproduçãoHomem explode quintal ao tentar matar baratas com gasolina — Foto: Reprodução

Fonte: G1
Por Blog do BG

Deputados do PSL vão ao STF para barrar suspensão das atividades partidárias

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Os cinco deputados do PSL que tiveram suas atividades suspensas pela cúpula do partido pediram ao Supremo Tribunal Federal (STF) que ordene ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que se abstenha de anotar nos registros da Câmara dos Deputados o desligamento temporário dos parlamentares. O pedido é assinado pelo advogado Admar Gonzaga, que também defende o presidente Jair Bolsonaro em outras demandas.

Os parlamentares suspensos são Carla Zambelli (SP), Filipe Barros (PR), Bibo Nunes (RS), Alê Silva (MG) e Carlos Jordy (RJ).

Em uma investida contra o grupo bolsonarista, a cúpula do PSL decidiu aumentar o número de integrantes do partido com direito a voto nas decisões da sigla e suspender cinco deputados federais das atividades partidárias.

As decisões foram anunciadas pelos líderes do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), e no Senado, Major Olimpio (SP), após reunião da direção nacional da legenda em um centro empresarial de Brasília.

Para Gonzaga, “diante dos elementos aqui narrados, que se consubstanciam em decisão tirânica, ausente de fundamentação, em desacordo com o Estatuto do partido, alheia à legislação, ferindo de morte o contraditório e ampla defesa, é que os impetrantes vêm à esse eg. Supremo Tribunal Federal requerer que referida penalidade sequer seja anotada nos registros da Câmara dos Deputados”.

“A atuação preventiva dessa eg. Corte Suprema se justifica diante da urgência acima exposta e, ainda, da manifesta violação ao direito líquido e certo de terem preservada a integridade do mandato parlamentar, pelas razões acima expostas, suficientes para a concessão de medida liminar e, ao final, concessão da segurança”, anota.

Estadão Conteúdo

Comments

NASCEU DE NOVO: Mulher sai ilesa de carro atingido por avião que caiu em BH

A manicure Luciana Mota presenciou a queda do avião de dentro de um carro estacionado na manhã desta segunda-feira (21) na Rua Minerva, no bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte. O automóvel de Luciana foi destruído no acidente, mas ela escapou ilesa.

“Escutei o barulho de uma batida bem fraquinha. Na hora que eu olhei, nossa, o avião caiu. Aí, ele explodiu na minha frente”, contou.
Luciana disse que, depois disso, ficou sem reação, e em questão de segundos percebeu que dava para sair do veículo.

“Veio aquela explosão para cima do meu carro. Eu não tinha nem o que fazer. Eu não tinha pra onde ir. Eu fiquei dentro do carro. Ai só abaixei e fiquei esperando para ver o que ia acontecer. Quando vi que ainda dava para sair, abri a porta do passageiro e saí correndo”, descreveu ela.

A manicure estava deixando a academia que fica em frente ao local do acidente. Três pessoas morreram e três foram levadas feridas para o hospital.

G1

Comments

Bovespa sobe 1,23% nesta segunda e fecha acima dos 106 mil pontos pela primeira vez

O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, subiu nesta segunda-feira (21) e fechou em patamar recorde, em sessão favorecida por expectativas positivas para as negociações entre EUA e China e o Brexit, bem como para a votação da Previdência

O Ibovespa subiu 1,23%, a 106.022 pontos. Veja mais cotações.

No acumulado do mês, a bolsa acumula alta de 1,22%. No ano, já subiu 20,63%.

Comments

Alisson, Firmino e Marquinhos concorrem à Bola de Ouro

A revista francesa France Football anunciou nesta segunda (21) a relação de candidatos à Bola de Ouro. Entre os 30 finalistas há 3 brasileiros: o goleiro Alisson (Liverpool), o atacante Roberto Firmino (Liverpool) e o zagueiro Marquinhos (PSG).

O Brasil também tem representantes na disputa de melhor jogadora, a atacante Marta (Orlando Pride), e na de melhor jogador sub-21, o atacante Vinícius Júnior (Real Madrid).

Bola de Ouro

Alisson, Firmino e Marquinhos terão adversários de peso na disputa pela Bola de Ouro, cujo vencedor será revelado no dia 2 de dezembro. Entre os candidatos está o argentino Lionel Messi (Barcelona) e o português Cristiano Ronaldo (Real Madrid). Mas chama a atenção a ausência na premiação do último vencedor, o croata Luka Modric (Real Madrid).

Comments

Deltan rejeita interesse em promoção que o afastaria do comando da Lava Jato

O procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, encaminhou nesta segunda-feira (21) ofício ao Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) afirmando não ter interesse em concorrer à promoção dentro da instituição no momento.

Ele poderia disputar, caso não recusasse, uma das dez vagas em aberto nas Procuradorias Regionais da República —nove em Brasília e uma em Porto Alegre. Com o desinteresse, Deltan deve permanecer no posto atual, na capital paranaense.

Em nota, o Ministério Público Federal no Paraná informou que Deltan tomou a decisão após conversar com os demais procuradores da força-tarefa e por conta de “aspectos pessoais e profissionais”.

O Conselho Superior estipula regras de promoção dos seus membros por critérios de merecimento e antiguidade. Os nomes para ocupar as vagas devem ser decididos no próximo dia 5 de novembro. Os membros tinham até esta segunda para apresentar recusa aos postos.

Folhapress

Comments

BRIGA CONTINUA: Eduardo Bolsonaro destitui vice-líderes do PSL na Câmara dos Deputados

Mergulhado em uma nova guerra de listas, o deputado Eduardo Bolsonaro (SP) destituiu, nesta segunda-feira (21), todos os 12 vice-líderes do PSL na Câmara, em uma degola que atinge nomes ligados principalmente ao presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar (PE).

Eduardo se reuniu nesta tarde com outros oito parlamentares bolsonaristas – Aline Sleutjes (PR), Carlos Jordy (RJ), Filipe Barros (PR), Sanderson (RS), Major Vitor Hugo (GO), Bia Kicis (DF), Coronel Armando (SC) e Chris Tonietto (RJ).

Mais cedo, Eduardo foi confirmado na liderança da legenda pela SGM (Secretaria-Geral da Mesa). A ala bivarista, no entanto, tenta devolver o posto a Delegado Waldir (GO).

Com a destituição de Waldir, nenhum outro parlamentar além de Eduardo estaria autorizado a falar em nome do PSL na Câmara. A intenção da ala bolsonarista é centralizar no filho do presidente as decisões e orientações do partido na Câmara. Esse é um papel que cabe ao líder e, em sua ausência, aos vice-líderes.

Os nomes dos novos vice-líderes devem ser apresentados nesta terça, caso a guerra de listas termine –além da lista com o nome de Eduardo, a ala bivarista protocolou uma relação com 28 nomes que ainda precisa ser verificada pela SGM. Caso todas as assinaturas sejam conferidas e validadas, Waldir retomaria o posto, pois o critério utilizado é lista com o apoio de metade dos deputados do partido mais um.

Na lista de vice-líderes destituídos há pelo menos um nome declaradamente ligado a Bolsonaro –o do deputado Daniel Silveira, que se infiltrou em uma reunião da ala bivarista para expor o movimento contrário ao presidente. A maioria dos vice-líderes, no entanto, é ligada a Bivar, como Júnior Bozzella (SP), Nelson Barburdo (MT) e Joice Hasselmann (SP).

Nesta manhã, a Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados confirmou o nome de Eduardo como novo líder do PSL na Casa. Segundo a SGM, a ala bolsonarista do PSL conseguiu coletar 32 assinaturas em apoio de Eduardo. Desse total, três eram repetidas e uma não conferiu, o que significa que apenas 28 assinaturas foram consideradas válidas —eram necessárias pelo menos 27.

A confirmação ocorreu pouco depois de Waldir entregar o cargo. A desistência do deputado de ocupar o posto foi anunciada por meio de um vídeo gravado por ele na manhã desta segunda-feira e divulgado por sua assessoria de imprensa.

Folhapress

Comments

TSE quer pedir comprovantes de gastos do PSL com Whatsapp pró-Bolsonaro

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Jorge Mussi, afirmou hoje que avalia pedir cópia da prestação de contas do PSL e anexá-la à investigação sobre o disparo em massa de mensagens de Whtasapp.

Reportagem publicada pela revista Vortex Media hoje afirmou que gastos da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), entre eles com disparos de mensagens pelo WhatsApp, não foram incluídas na prestação de contas do então candidato a presidente.

Em vez disso, os gastos foram contabilizados nas despesas do partido, que só costumam ser analisada cinco anos depois. Esses novos documentos constam de um outro processo, que está no TSE desde abril deste ano.

Mussi disse ao UOL que, como os documentos estão no próprio tribunal, poderia anexá-los às ações de investigação judicial eleitoral (Aije) abertas pelo PT e pelo PDT para avaliar os gastos de Bolsonaro.

“Se eu tiver essa informação, eu posso de ofício, sem ser provocado, até pedir isso aí”, afirmou o corregedor.

“Se está na prestação de contas do partido, nós teremos fácil acesso a isso”, avaliou Mussi. “Vou ver quem é o relator da prestação de contas do partido porque aí é mais fácil.” O relator é o ministro Tarcísio Vieira.

O TSE veda o uso de ferramentas de automatização, como programas de disparo de mensagens em massa.

UOL

Comments

Governo e Cascar Mineração assinam protocolo de intenções

Foi dado hoje um novo e importante passo para o Rio Grande do Norte iniciar uma nova era no campo da mineração, mais precisamente, a exploração do ouro na cidade de Currais Novos, situada na região do Seridó. O Governo do Estado e a empresa Cascar Brasil Mineração assinaram na tarde desta segunda-feira (21), na sala de reuniões da governadoria, o protocolo de intenções para a implantação e desenvolvimento do Projeto Borborema. A governadora Fátima Bezerra e o presidente da companhia, Andrew Richards, são os principais signatários do documento que visa encaminhar uma série de ações necessárias para o início dos trabalhos, previsto para o segundo trimestre de 2020, como a questão fundiária, realocação de rodovia, concessão e licenciamento ambiental.

O protocolo contempla a inclusão da empresa no Programa de Estímulo à Indústria (Proedi), pelo qual será beneficiada inicialmente com desconto de 85% no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que poderá aumentar até para 95%, caso a companhia obedeça a alguns critérios relativos à geração de empregos e sustentabilidade. “O governo não tem medido esforços para aumentar o grau de competitividade do Rio Grande do Norte, como é o caso do Proedi. Aqui nós trabalhamos assim, emprego sim, incentivo sim. E queremos incentivar cada vez mais a interiorização da indústria”, afirmou Fátima.

O empresário Andrew Richards agradeceu todo o apoio recebido do governo e das outras instituições envolvidas no protocolo, alegando que somente assim a Cascar poderá avançar nos seus propósitos. “Apesar de ser um projeto grande, o teor de ouro será baixo e este apoio é extremamente importante para conseguirmos iniciar os trabalhos”, disse. O projeto Borborema ocupará uma área de 490 hectares, somando o setor de extração mineral e o beneficiamento para obtenção de ouro, e deverá gerar 200 empregos diretos, inicialmente, podendo chegar a 300, e cerca de 1.500 indiretos. O empreendimento terá a capacidade de processar até 4,2 milhões de toneladas/ano e está na área de concessões de lavra vinculada aos processos da ANM (Agência Nacional de Mineração).

Para a construção da plataforma de operação, a previsão é de que serão investidos R$ 200 milhões. O secretário Jaime Calado (Desenvolvimento Econômico/Sedec) falou que ele e sua equipe têm trabalhado para atrair as indústrias de segmentos que ainda não tem por aqui. “A vinda da Cascar abre portas para outras empresas de mineração virem para o RN”, disse. O coordenador da Secretaria de Estado da Tributação (SET), Neil Armstrong, falou acerca das novas regras do Proedi, que beneficia empresas que se instalem longe da região metropolitana. “A interiorização é muito importante para o Proedi, tanto quanto para as empresas e para a população”, afirmou.

A assinatura do protocolo envolve, por parte do Governo, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), para emissão de licenças de exploração, e a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), tratando do reuso de esgoto na mina. O assessor técnico do Idema, Francisco Josivan do Nascimento, explicou que foi concedida autorização para a empresa explorar o local pelos próximos quatro anos. “Como a extração de ouro demanda água e lá vai ter reuso, isso foi um condicionante favorável a eles”, alegou. A Cascar terá de investir R$ 1,2 milhão a título de compensação ambiental, recursos esses que serão revertidos em unidades de conservação do estado.

O prefeito de Currais Novos, Odon Júnior, e o vice, Anderson Alves, falaram do trabalho que têm feito para atrair indústrias para a cidade, incluindo benefícios fiscais, ora em estudo. “O Proedi tem um importante aliado para nós”, declarou Odon. O representante da Agência Nacional de Mineração (ANM), Roger Garibaldi Roger, citou que em todas as atividades de extração mineral, o empreendedor tem que recolher 2% a título de Compensação financeira pela Extração Mineral (CFEM), que são divididos entre município e estado. “O RN tem no mínimo 50 substâncias minerais que podem ser exploradas”, reforçou. A representante da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), Maria da Guia, falou que a companhia está aberta a compartilhar as pesquisas com a Cascar. “Estamos abertos e otimistas quanto ao novo empreendimento”.

Representando a UFRN, o professor Uílame Umbelino enfatizou a vocação que a universidade federal tem para a área de mineração, fato também compartilhado pelo reitor do IFRN, Willis Farkat. Este destacou a criação o CT Mineral (Centro de Tecnologia Mineral), que está sendo um importante braço para as pesquisas geológicas na região do Seridó. “Teremos um papel no planejamento estratégico do Projeto Borborema, por meio de análises periódicas no nosso CT Mineral, além de contribuirmos com a formação de mão de obra especializada”, pontuou Farkat.

Na opinião da governadora, o IFRN não cumpre apenas o papel de democratizar o acesso aos cursos profissionalizantes, mas somado a isso, os IFs cumprem papel estratégico para o desenvolvimento econômico do RN. “Eu não escondo minha emoção por ter lutado, enquanto parlamentar, pela inclusão de Currais Novos no plano de expansão do instituto federal e hoje ele está contribuindo consideravelmente para o crescimento do estado”, expôs.

Integram ainda o protocolo a Cosern, representada na reunião pelo presidente Luiz Antônio Ciarlini; Agência Nacional de Mineração (ANM); Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Participaram também da reunião o vice-governador Antenor Roberto; o gerente do Banco do Nordeste (BNB), Lívio Tonyatt Barreto; o diretor operacional da Cascar Mineração, João Nery, e a diretora administrativa, Diana Uchoa; o diretor-presidente da Caern, Roberto Sérgio Linhares; a supervisora do setor de mineração do Idema, Ana Valéria Medeiros; e a geóloga responsável pelo projeto Borborema, Jocienny Barros.

Sobre a Cascar

Em abril, o Idema entregou a licença de instalação para a Cascar, empresa de origem australiana, com sede administrativa no Brasil, em Belo Horizonte (MG), aprovando a viabilidade ambiental do empreendimento. A empresa também firmou entendimento com a Caern para reaproveitar a água das Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s) em Currais Novos, que irá por uma adutora até a mina, onde será usada para filtrar o rejeito da exploração do ouro e transformar em rejeito seco. Parte da direção do grupo visitou a governadora Fátima Bezerra em junho para discutir os investimentos.

Comments

Homem que estava preso por matar irmão, sai da cadeia e mata a prima

Depois de ter matado o próprio irmão e estar em liberdade provisória por causa do crime, um jovem de 26 anos assassinou a prima, nesta segunda-feira (21), no bairro Mantiqueira, em Venda Nova. A vítima, de 24 anos, foi morta a facadas dentro de casa e o suspeito do crime foi preso.

De acordo com a Polícia Militar, a cunhada da vítima, de 16 anos, contou aos militares que estava chegando em casa quando chamou pela jovem de 24 anos para que ela abrisse a porta. Nesse momento o suspeito chegou, invadiu a casa e começou a dar as facadas na mulher. Ela foi ferida no pescoço, no tórax e nos braços.

O suspeito arrancou a tornozeleira eletrônica que usava e deixou no local do crime. Ele tentou fugir após a morte e se esconder em uma borracharia, mas foi preso. Ele disse que estava sendo ameaçada de morte pela vítima e pelo marido dela, que não estava na casa no momento do crime.

O suspeito afirmou que a intenção era matar os dois. Ele estava com a faca suja de sangue e com as mãos e pés também sujos. Ele foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Venda Nova.

O Tempo

Comments

Google oferece 2 mil bolsas para curso online de Suporte em TI

Foto: (Aly Song/Reuters)

Para ajudar os profissionais brasileiros a adquirirem as habilidades digitais em alta no mercado de trabalho, o Google oferece junto com o Coursera um Certificado Profissional para Suporte de TI.

O curso é online e foi traduzido para o português. Com doação de R$ 4,5 milhões do Google.org, serão disponibilizadas 2 mil bolsas de estudos para o programa que prepara os alunos para iniciar uma carreira na área de TI no nível inicial após seis meses.

Além de conteúdos atualizados por demandas do mercado, o curso tem laboratórios práticos desenvolvidos por funcionários do Google.

Nenhum treinamento ou experiência anterior é necessário para se inscrever. O acesso gratuito ao programa dará prioridade a grupos carentes em todo o Brasil, procurando jovens, mulheres, pessoas desempregadas, de baixa renda e negros.

As inscrições para as bolsas abriram nesta segunda-feira, dia 21, e podem ser realizadas até o final de novembro pelo site.

Será avaliado como critério de seleção as condições sociais dos participantes, além do interesse na área e disponibilidade para realizar o curso.

Para aqueles que não conseguirem bolsas, o curso também estará disponível pelo valor de 19 dólares, um esforço do Google e da Coursera para tornar o conteúdo mais acessível. O programa foi lançado inicialmente por 39 dólares.

Ao concluir o curso, os alunos podem compartilhar suas informações com grandes empregadores, como Coca-Cola, Cognizant, Localiza, Magalu, Telhanorte, Tumelero, Rappi e o próprio Google.

Exame

 

Deltan Dallagnol recusa promoção para continuar na Lava-Jato em Curitiba

Foto: Geraldo Bubniak / Agência O Globo

Coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol decidiu não concorrer à promoção a uma vaga de procurador regional da República, responsável pela atuação na segunda instância da Justiça Federal. Ele apresentou nesta segunda-feira carta ao Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF) em que recusa a hipótese de promoção para poder continuar à frente da coordenação da força-tarefa Lava-Jato em Curitiba (PR). Ele exerce a função há pelo menos cinco anos.

Se não tivesse apresentado a carta, o procurador estaria apto a ser escolhido para umas das dez vagas em aberto — nove delas em Brasília (DF) e uma em Porto Alegre (RS) —, e com isso seria obrigado a deixar a força-tarefa no Paraná.

A escolha de nomes se dá por critérios de merecimento e antiguidade, analisados em reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF), marcada para o próximo dia 5 de novembro.

Atualmente, Deltan ocupa o posto de coordenador na condição de procurador natural de processos motivados por investigações originárias em Curitiba. Nos últimos anos, procuradores regionais foram cedidos à força-tarefa, mas sempre mediante autorização do Procurador-Geral da República (PGR).

Ele tinha até esta segunda-feira para apresentar uma recusa à promoção. No MPF desde 2003, o procurador integra o grupo que reúne um quinto dos procuradores mais antigos na carreira, aptos a serem promovidos por merecimento.

“A decisão foi tomada após conversar com os demais procuradores da força-tarefa e tomou em conta aspectos pessoais e profissionais”, informou Deltan na tarde desta segunda-feira, em nota divulgada por sua assessoria.

Procuradores próximos ao chefe da Lava-Jato vinham defendendo sua promoção como estratégia para tentar reduzir a pressão por sua saída do posto, em função do vazamento de suas mensagens particulares trocadas com diversos interlocutores por meio do aplicativo Telegram. O procurador resistia à ideia, por entender que o teor das mensagens não compromete o trabalho à frente do grupo anticorrupção.

O Conselho Superior do MPF é presidido pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que nos últimos meses foi crítico ao que classificou de “personalismo” na atuação de procuradores em ações de combate à corrupção, citando o exemplo da Lava-Jato.

Atualmente Deltan é alvo de nove reclamações em outra instância: no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Nenhum deles tem relação com suas mensagens privadas que foram tornadas públicas, mas com manifestações públicas do procurador sobre temas relacionados ao combate à corrupção.

O Globo

 

Caixa antecipa calendário do FGTS e todos podem sacar R$ 500 em 2019; veja novas datas

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os trabalhadores com contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderão sacar até R$ 500 de cada conta antes do fim do ano. A Caixa Econômica Federal antecipou o calendário de retiradas para não correntistas do banco.

Os saques de até R$ 500 por conta do FGTS começaram na sexta-feira (18) apenas para os não correntistas do banco nascidos em janeiro. O calendário original previa a liberação gradual conforme o mês de nascimento do trabalhador, até que os nascidos em dezembro pudessem sacar os recursos em março de 2020.

O novo calendário ficou da seguinte forma:

Aniversário em janeiro: saque a partir de 18/10
Aniversário em fevereiro e março: saque a partir de 25/10
Aniversário em abril e maio: saque a partir de 8/11
Aniversário em junho e julho: saque a partir de 22/11
Aniversário em agosto: saque a partir de 29/11
Aniversário em setembro e outubro: saque a partir de 6/12
Aniversário em novembro e dezembro: saque a partir de 18/12

Ao todo 62,5 milhões de trabalhadores sem conta na Caixa Econômica Federal poderão retirar até R$ 25 bilhões. Para os correntistas do banco, o dinheiro foi depositado automaticamente ao longo do último mês nas contas-correntes ou de poupança abertas até 24 de julho deste ano. Os depósitos automáticos beneficiaram 37 milhões de trabalhadores, num total de R$ 15 bilhões.

Horário especial

Assim como no saque para os nascidos em janeiro, a Caixa abrirá agências em horários especiais em determinados dias até todo o dinheiro ser liberado, no fim de dezembro. As agências que abrem às 9h terão atendimento uma hora antes e uma hora depois. Aquelas que abrem às 10h iniciam o atendimento com duas horas de antecedência. E as que abrem às 11h também iniciam o atendimento duas horas antes do horário normal.

Essas agências também abrirão aos sábados, das 9h às 15h (horário local), para fazer pagamentos, tirar dúvidas, fazer ajustes de cadastro dos trabalhadores e emitir senha do Cartão Cidadão. A lista das agências com horário especial de atendimento pode ser consultada no site da Caixa.

A Caixa abriu canais de atendimento para que o trabalhador com conta do FGTS, ativa ou inativa, consulte as formas de retirada dos recursos. O trabalhador pode verificar o quanto tem direito na página da Caixa na internet ou por meio do aplicativo APP FGTS, disponível para os smartphones com sistema Android e iOS.

Saque aniversário

O saque imediato não tem relação com o saque aniversário, que prevê a retirada, todos os anos, de um percentual dos recursos de cada conta do FGTS, mais um adicional fixo que varia conforme o saldo. Os saques referentes a 2020 começarão em abril e seguirão até fevereiro de 2021, conforme o mês de nascimento do trabalhador. A partir de 2021, a retirada ocorrerá a partir do mês de aniversário até dois meses adiante.

A adesão ao saque aniversário é opcional e pode ser feita a qualquer momento. No entanto, o trabalhador que escolher essa modalidade não poderá sacar o total da conta do FGTS em caso de demissão sem justa causa. O empregado continuará a receber a multa de 40% sobre o valor total caso seja dispensado. O trabalhador pode voltar à modalidade tradicional, que só permite o saque do FGTS em situações especiais, mas somente dois anos após a data em que informarem a decisão de retorno.

Agência Brasil

 

Brasil ganhou 42 mil novos milionários em um ano, diz estudo

Foto: (Mario Tama/Getty Images)

O Brasil ganhou 42 mil novos milionários em um ano, de acordo com a nova edição do Relatório de Riqueza Global divulgada nesta segunda-feira (21) pelo banco Credit Suisse.

O número de milionários no país saltou de 217 mil adultos em 2018 para 259 mil em 2019. Foi uma das maiores altas do mundo, perdendo apenas para Holanda, Alemanha, China, Japão e Estados Unidos. A previsão é que o número de milionários no Brasil deve crescer 23% até 2024, chegando ao total de 319 mil adultos.

São considerados milionários aqueles com mais de US$ 1 milhão em ativos financeiros e reais, incluindo moradia, abatendo o valor de dívidas.

O relatório destaca que grande parte da variação ano a ano se refere a mudanças nos preços desses ativos e variação nas taxas de câmbio. Desde 2010, por exemplo, a riqueza média no Brasil caiu 3% em dólares, mas subiu 33% em reais.

O que mais contribuiu para a criação de novos milionários neste ano foi uma alta de 35% nos preços das ações, enquanto a riqueza de forma geral está em uma “montanha-russa” desde a crise de 2008 em grande parte pela flutuação do câmbio.

O Brasil também foi um dos países do mundo onde mais cresceu o grupo de milionários “ultra-high”, aqueles com riqueza acima de US$ 50 milhões. Foram 860 novos membros do grupo no ano, perdendo apenas para os Estados Unidos, onde 4,2 mil pessoas superaram esse patrimônio.

A tendência vai na contramão mundial. A parcela de riqueza mundial concentrada no 1% no topo da pirâmide subiu entre 2007 e 2016 em todos os países selecionados, com exceção da Índia, mas depois disso começou a cair em todos os países – com exceção do Brasil.

A estimativa do banco é que o 1% mais rico da população brasileira detém 49% de toda a riqueza familiar do país. Enquanto isso, 70% dos brasileiros tem riqueza inferior a US$ 10.000, proporção acima da observada no resto do mundo (58%).

O relatório destaca que a alta desigualdade de riqueza no país, referente a patrimônio, reflete em parte a alta desigualdade de renda, referente aos rendimentos.

Os últimos números do IBGE com base na PNAD mostram que a concentração da renda no país não era tão alta desde o início da série histórica em 2012. Em agosto, a Fundação Getúlio Vargas divulgou um estudo apontando alta da desigualdade há 17 trimestre seguidos.

O fenômeno teria relação com a crise no mercado de trabalho, que afetou especialmente o extrato de trabalhadores com menor qualificação e menor remuneração.

Quando começou a melhora na geração de vagas, os desempregados que conseguiram retornar ao mercado de trabalho passaram a ganhar menos em funções semelhantes ou a atuar em postos informais, que também remuneram menos.

Exame

 

LOCAIS

Natal recebe a 3ª edição do The Beatles Fest – Yellow Submarine

Acompanhando o movimento mundial que homenageia todos os anos a maior banda de todos os tempos, Natal recebe a 3ª edição do The Beatles Fest que acontece no dia 02 de novembro na já tradicional rua do Mormaço.

O festival de rua atrai milhares de pessoas e é marcado pela diversidade de seu público que vai de 0 a 100 anos. Paramentados com suas camisas, fantasias e acessórios da banda inglesa, os beatlemaníacos (crianças, estudantes, adultos e idosos) dão o tom da festa e fazem coro às bandas.

Esse ano a cantora Bruna Hetzel & Macaxeira Jazz abrem a festa, seguidos pelos garotos da Stoneglass que são considerados a banda revelação do ano. Os Mad Dogs, que já tocaram no festival de Liverpool, nunca ficam de fora do The Beatles fest. A banda Revolver prepara um show especial que promete emocionar o público: a íntegra do aclamado álbum Abbey Road que em 2019 completou 50 anos. A Submarino Amarelo é outra novidade que encerra o festival em clima de carnaval. Ao longo da festa DJ Magão traz o som original Beatles.

O evento acontece das 17h à meia noite na rua Historiador Tobias Monteiro, 2014 – Lagoa nova. Os ingressos estão à venda através do site www.sympla.com.br/thebeatlesfest2019.

Em menos de cinco horas a PRF recupera quatro veículos roubados na Grande Natal e interior

Foto: Divulgação

A Polícia rodoviária Federal recuperou nesta segunda-feira (21), três veículos com registro de furto/roubo. O primeiro foi localizado, às 09h50, no município de Assu/RN, no Km 126 da BR 304. Um Ford/Verona branco havia sido tomado de assalto uma semana antes, no último dia 14, em Parnamirim/RN.

Em uma outra ocorrência, em São José de Mipibu/RN, no km 118 da BR 101, às 12h30, foi preso um homem de 29 anos, condutor de um veículo Onix de cor prata. Ao consultar os sistemas, os PRFs descobriram que havia registro de furto do último dia 17, em São Paulo/SP.

No mesmo horário foi recuperado em São Gonçalo do Amarante, no Km 167 da BR 406, um Ford Ka preto, roubado no mesmo município, no dia anterior (20). O condutor foi preso e reconhecido pelo proprietário como o autor do crime.

O quarto veículo recuperado foi um ciclomotor Shineray de cor preta, com queixa de furto/roubo, também do dia 17/10/19, em Mossoró. A abordagem ocorreu no km 47 da BR 110, por volta das 14h40.

As ocorrências foram encaminhadas à Polícia Judiciária das respectivas cidades.

De acordo com os dados estatísticos, a PRF já recuperou, neste ano, 173 veículos com registro de furto/roubo, além de apreender outros 67 por apresentarem sinais de adulteração nos itens identificadores.

A Polícia Rodoviária Federal enfatiza que, em caso de furto ou roubo de veículos, a pessoa deve comunicar o fato com a maior brevidade possível ao Whatsapp do número (84)99450-5533.

O proprietário pode utilizar também o Sistema Nacional de Alarmes – SINAL, através do Site www.prf.gov.br/sinal e fazer o registro da ocorrência.

Fonte: Blog do BG

Por G1 RN

21/10/2019 16h22 Atualizado2019-10-21T19:45:04.275Z


Mãe do bebê pensou que havia passado por uma cirurgia contraceptiva, mas ficou grávida apenas cinco meses após o atendimento (imagem ilustrativa) — Foto: PixabayMãe do bebê pensou que havia passado por uma cirurgia contraceptiva, mas ficou grávida apenas cinco meses após o atendimento (imagem ilustrativa) — Foto: Pixabay

Um médico foi condenado a pagar indenização de R$ 30 mil por danos morais, além de uma cirurgia de parto cesariano e o enxoval de um bebê que nasceu no interior do Rio Grande do Norte. Tudo isso porque a mãe da criança pensou que havia passado por uma cirurgia contraceptiva, mas ficou grávida apenas cinco meses após o atendimento. Apenas a cirurgia cesariana custou quase R$ 5,5 mil.

O anestesista que atendeu a paciente e o Hospital Maternidade Nossa Senhora Aparecida (Hospital Municipal de Passa e Fica) também foram processados, mas não foram condenados. As informações foram divulgadas pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) nesta segunda-feira (21).

A autora narrou na ação judicial que, após o nascimento de seus três filhos, buscou atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) para realizar um procedimento cirúrgico contraceptivo e evitar engravidar novamente. Ela explicou que, após a consulta com o médico, o profissional recomendou a realização de laqueadura e perineoplastia, marcando os procedimentos para o dia 5 de abril de 2006.

A paciente ainda informou que, apesar de ter realizado os procedimentos, ficou grávida apenas cinco meses após a cirurgia.

Após analisar as provas e os argumentos das partes, a Justiça estadual acolheu a alegação de ilegitimidade do Hospital Maternidade Nossa Senhora Aparecida, por entender que a instituição é um órgão do município, sem autonomia administrativa, orçamentária e financeira. O anestesista também ficou isento de culpa.

Porém, para o juiz, ficou comprovado nos autos que a paciente procurou o médico para que ele realizasse procedimento de laqueadura tubária. Ele ainda observou que a paciente realmente acreditava ter realizado o procedimento, pois anexou laudo pericial, de 11 de maio de 2016, no qual teria relatado ao perito a realização de laqueadura e perineoplastia, bem como também informou a realização do procedimento. Mas o atestado médico elaborado na data da cirurgia, também juntado pela autora, indica que ela foi submetida apenas à cirurgia de colpoperineoplastia posterior, sem mencionar a laqueadura.

“Destarte, fica certo e evidente nos autos que faltou informação do profissional médico, seja quanto à não realização da cirurgia ou quanto aos riscos de uma nova gravidez no caso da realização. Em qualquer dos casos, houve falha na atuação profissional do médico. […] observo que houve grave falha no atendimento da autora, que resultou na gravidez indesejada, seja porque não realizou o procedimento seja porque não foi devidamente orientada quanto à possibilidade de nova gravidez”, concluiu.

Fonte: G1RN

Por G1 RN

21/10/2019 17h01  Atualizado há 4 horas


Doulas acompanham mulheres grávidas. — Foto: Ingrid Ferreira dos Santos/Arquivo pessoalDoulas acompanham mulheres grávidas. — Foto: Ingrid Ferreira dos Santos/Arquivo pessoal

O Governo do Estado sancionou a Lei 10.611, que garante o direito à presença de doulas nas maternidades das redes pública e privada do Rio Grande do Norte. O texto, publicado no Diário Oficial do último sábado (19), prevê que as unidades não podem impedir a presença dessas profissionais durante o período de trabalho de parto, parto e pós-parto. Em caso de descumprimento, multas de até R$ 5 mil podem ser aplicadas

Doulas são acompanhantes de parto, responsáveis pelo conforto físico e emocional da parturiente. De acordo com a nova norma estadual, as unidades devem garantir a presença delas, quando solicitado pela paciente. É vedado às doulas, porém, a realização de procedimentos privativos de profissionais de saúde, mesmo que possuam formação na área.

“Os serviços privados de assistência prestados pelas doulas durante todo o período de trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, não acarretarão vínculo empregatício ou quaisquer custos adicionais às maternidades, casas de parto e outros estabelecimentos hospitalares congêneres, da rede pública ou privada. Contudo, sendo necessária a paramentação, esta ficará sob-responsabilidade da instituição”, diz o texto.

Os hospitais deverão exigir documentos como carta de apresentação com nome completo, endereço, número do CPF, RG, resumo dos cursos e capacitação de doula, contato telefônico e e-mail, além de cópia de documento oficial com foto.

“As profissionais ainda deverão apontar os procedimentos e técnicas que serão utilizadas no momento do trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, bem como descrever o planejamento das ações que serão desenvolvidas durante o período de assistência. Ainda terão que apresentar um termo de autorização assinado pela gestante.

“As doulas, para o regular exercício da profissão, estão autorizadas a entrar nas maternidades, casas de parto e estabelecimentos hospitalares congêneres, da rede pública e privada do Estado do Rio Grande do Norte, com seus respectivos instrumentos de trabalho, condizentes com as normas de segurança e ambiente hospitalar”, pontua a lei.

As doulas poderão entrar nas unidades com bola de exercício físico de material elástico e outras bolas de borracha; bolsas de água quente; óleos para massagens; banqueta auxiliar para parto, equipamentos sonoros e outros materiais utilizados no acompanhamento.

Em caso de descumprimento da norma, as unidades poderão pagar multa de até R$ 5 mil – valor que pode ser dobrado em caso de reincidência. Processos administrativos também deverão ser abertos contra os responsáveis.

Palácio de Despachos de Lagoa Nova, em Natal/RN, 18 de outubro de 2019, 198º da Independência e 131º da República.

Fonte: G1RN

Fátima cobra providências do Governo Federal para combater manchas de óleo

Governo do RN solicita presença do presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, Fabiano Contarato

21/10/2019 às 17:01

José Aldenir / Agora RN

O Governo do RN está cobrando ao Governo Federal ações e apoio para a limpeza das praias no Estado atingidas pela mancha de óleo que, após 40 dias, ainda não tem causa identificada. Junto com o senador Jean Paul Prates, Fátima Bezerra solicitou ao senador Fabiano Contarato, presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, que ele venha aos estados do Nordeste verificar a gravidade do problema.

“É inadmissível que após 40 dias do surgimento das manchas o governo federal não tenha tomado medidas efetivas para resolver o problema. As manchas ameaçam e já prejudicam a flora e fauna marítima. Possivelmente possa até afetar a saúde da população. Além disso, a economia dos estados do Nordeste fica prejudicada por que afeta a vida marinha e estamos iniciando a alta temporada do turismo”, afirmou Fátima Bezerra em reunião esta manhã, 21, na sede do Idema em Natal com o diretor presidente do instituto, Leon Aguiar, com o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, João Maria e com a Defesa Civil do Estado.

Durante todo este final de semana, representantes dos órgãos do Governo do RN ligados ao meio ambiente estiveram reunidos para adotar medidas no âmbito estadual em articulação com as prefeituras. Foi elaborado o Plano de Resposta e Mitigação de Desastre e o Gabinete de Gestão Integrada – GGI, sob a coordenação da Defesa Civil Estadual.

O Governo do RN também mantém contatos com as universidades, a Marinha e governo federal em busca de apoio para as medidas a serem tomadas. Fátima ressaltou o empenho dos órgãos estaduais e disse: “Melhor prevenir que remediar.  Os Estados é que estão atuando. Riscos não estão  descartados. O governo federal não toma iniciativa. Há omissão danosa, inclusive por que desmobilizou o Plano Nacional de Contingência”.

Fonte: Agora RN

 

Gestão do Plano Diretor prorroga prazo para reuniões dos grupos de trabalho

Decisão foi publicada na edição do Diário Oficial do Município desta segunda (21)

21/10/2019 às 16:13

Divulgação/Semurb

O prazo para a realização das reuniões dos Grupos de Trabalho para sistematização das propostas relativas à elaboração da minuta do projeto de revisão do plano diretor de Natal foi prorrogado até o próximo dia 11/11. A decisão foi tomada pela coordenação do Núcleo Gestor para a revisão do plano e foi publicada na edição desta segunda-feira (21/10) do Diário Oficial do Município (DOM).

A deliberação atende a um pedido da Coordenação Técnica do Processo (Semurb); Fórum da Cidade; Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB); Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU); Conselho Regional de Engenharia (Crea/RN); Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas do Estado do RN (Sinarq/RN); e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RN).

A comunicação também prevê que entre os dias 26 e 29/11 deverá ser realizada uma audiência pública para apresentação das propostas que foram sistematizadas pelos GTs. A proposta de revisão do plano diretor de Natal vem passando por um longo processo de debates para a construção de um documento plural, representativo, democrático, transparente, que leve a cidade a retomar o seu desenvolvimento sustentável e com o objetivo de modernizar a atual legislação.

A dilatação dos prazos segue uma orientação da equipe técnica que coordena o processo, para que possa analisar de forma mais cuidadosa todas as sugestões oriundas da sociedade e sistematizar de forma bastante criteriosa as propostas apresentadas. A expectativa é que a minuta do projeto de revisão do plano diretor de Natal seja enviada para a Câmara Municipal no início de 2020 para a apreciação do poder legislativo da capital potiguar.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

EDITORIAL: POR MUITO MENOS DO QUE ACONTECE NO BRASIL 8 CHILENOS MORRERAM EM PROTESTO CONTRA AUMENTO DE TARIFA DO METRÔ

Caro(a) leitor(a),

É impressionante a diferença de maturidade entre dois povos vizinhos e com praticamente o mesmo tempo de história. Por muito menos do que está acontecendo no Brasil 8 chilenos foram mortos nas ruas de Santiago em protestos contra aumento de tarifa do metrô. O chile também é uma democracia, mas o povo tem uma consciência mais evoluída do que a nossa. Sabe o real valor de uma democracia. Assista ao meu vídeo e passe adiante para que muito mais pessoas vejam e se inspirem a ir para as ruas gritar bem forte contra toda essa panaceia que os políticos e os ministros do STF estão promovendo no nosso pobre país! 

Chega a oito o número de mortos nos protestos do Chile

Os atos começaram contra o aumento da tarifa do metrô e foram mantidos mesmo depois de o governo suspender o reajuste. Neste domingo, o governo chileno decretou toque de recolher pelo segundo dia consecutivo.

Chile vive onda de protestos por causa do aumento das passagens. Foto: Pablo Vera / AFP (Crédito: )Chile vive onda de protestos por causa do aumento das passagens. Foto: Pablo Vera / AFP

Fonte: CBN

Continuar lendo EDITORIAL: POR MUITO MENOS DO QUE ACONTECE NO BRASIL 8 CHILENOS MORRERAM EM PROTESTO CONTRA AUMENTO DE TARIFA DO METRÔ

PONTO DE VISTA: É HORA DA PRESSÃO POPULAR SOBRE O STF E O CONGRESSO NACIONAL . O BRASIL NÃO É CASA DE MÃE JOANA NÃO!

Caro(a) leitor(a),

A cada dia que passa a minha, a sua, a nossa indignação só aumenta com os atos ilícitos e incestuosos cometidos pelo presidente do STF, um indivíduo que atende pelo nome de Dias Toffoli. Numa gestão simplesmente desastrosa e danosa para a sociedade brasileira ele conseguiu transformar a instituição que já foi a mais respeitada do Brasil  e que tem como principal missão defender a constituição e proteger o cidadão de possíveis injustiças ou inconsistências existentes no cabedal jurídico na mais ridícula das instituições. Causando a maior insegurança jurídica que já se viu na história da república brasileira e transformando uma instituição simbolo da democracia num antro de autoritarismo ditatorial. Estamos prestes a perder de vez e totalmente o senso do direito, do que é correto e justo ao final do julgamento da prisão após condenação em 2ª instância. Portanto é hora do povo brasileiro se manifestar como nunca se manifestou antes. Não apenas indo às ruas, mas também para dentro do STF durante este julgamento, fazer pressão real sobre os magistrados e também para dentro do congresso nacional para pressionar o congressistas a tomarem as rédeas e tratarem de aprovar lei que regule definitivamente esta matéria. Não há mais o que esperar nem tempo a perder. É agora ou nunca!

Carvalhosa desmascara Toffoli e expõe “mentiras”

Em publicação neste sábado (19) em suas redes sociais, o jurista Modesto Carvalhosa simplesmente desmascarou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e denunciou o que ele chamou de perda da “legitimidade institucional” por parte da maior corte de Justiça do país.

Veja a íntegra do texto do eminente jurista. É devastador:

O Presidente do STF, na abertura da sessão “inaugural” de 17/10 que vai “decidir” pela prisão somente após trânsito em julgado, advertiu toda a magistratura brasileira de que ela estará obrigada a seguir essa infame orientação que simplesmente destrói o sistema penal brasileiro. Em nenhum país do nosso planeta existe “regra” igual ou parecida.

Com sua habitual truculência e soberba, ele teve a coragem de proclamar que a Suprema Corte somente decide quando solicitada pelos interessados.

Essa afirmação não corresponde à verdade.

O STF, por iniciativa de seu atual presidente, soltou notório corrupto através de HABEAS CORPUS DE OFÍCIO, ou seja, que não foi sequer pedido pelo condenado a 32 anos de prisão, no caso.

Também a presidência do Pretório Excelso decretou a sinistra Portaria nº 69 para intimidar a cidadania, invadindo domicílios, censurando a imprensa e ameaçando cidadãos com constrangedores “inquéritos”, absolutamente ilegais.

O STF, ainda, por conta própria, suspendeu a vigência das leis federais de Lavagem de Dinheiro e Sigilo Bancário, relativos a crimes financeiros (COAF) e cancelou sumariamente inquéritos da Receita Federal de 133 pessoas que compõem a grande família do STF.

O STF perdeu por completo a sua legitimidade institucional para impor ao nosso digno Poder Judiciário a sua “decisão” de prender os corruptos e grandes criminosos só depois de o próprio STF “julgar” em cada “caso concreto”.

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo PONTO DE VISTA: É HORA DA PRESSÃO POPULAR SOBRE O STF E O CONGRESSO NACIONAL . O BRASIL NÃO É CASA DE MÃE JOANA NÃO!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

02/10/2019 20h15  Atualizado há 31 minutos


INTERNACIONAIS

Brexit

O premiê britânico Boris Johnson apresentou sua proposta de acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia. Na oferta enviada ao bloco, ele descartou o controle na fronteira da Irlanda, um dos principais impasses do processo. Johnson disse que essa é sua concessão final e que conduzirá divórcio mesmo sem acordo.

Crise no Peru

Vice-presidente do Peru renuncia ao cargoVice-presidente do Peru renuncia ao cargo

Um dia após ser nomeada pelo Congresso para substituir Martín Vizcarra na Presidência do Peru, Mercedes Aráoz renunciou ontem à noite. A decisão favorece o presidente Vizcarra e abala a oposição Fujimorista.

NACIONAIS

Julgamento no STF

 ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), comanda sessão no plenário da Corte, em Brasília, nesta quarta-feira (2). — Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), comanda sessão no plenário da Corte, em Brasília, nesta quarta-feira (2). — Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O Supremo adiou para amanhã a decisão sobre o alcance da tese aprovada que afeta a Lava Jato. Por 7 a 4, os ministros decidiram que os réus delatados devem falar depois dos delatores na fase final do processo. Agora, a dúvida é sobre as situações em que essa tese pode ser aplicada.

O presidente da Corte, Dias Toffoli, propôs que a tese deve abranger casos em que as defesas:

  1. tiverem questionado a ordem das alegações finais na primeira instância;
  2. conseguirem comprovar que houve um prejuízo concreto à defesa.

Reforma da Previdência

O plenário do Senado concluiu nesta quarta-feira (2) a votação do segundo turno da reforma da Previdência — Foto: Marcos Oliveira/Agência SenadoO plenário do Senado concluiu nesta quarta-feira (2) a votação do segundo turno da reforma da Previdência — Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Os senadores concluíram a votação em 1º turno da reforma da Previdência. Ontem, o plenário aprovou o texto principal, e depois uma alteração sobre abono salarial que diminuiu em R$ 76 milhões a economia que o governo tinha planejado. Outras mudanças foram analisadas na sessão de hoje e todas foram derrubadas.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, diz que o revés para o governo não significa perda para a reforma, que o ‘fundamental está garantido‘, e que a economia ficará acima de R$ 800 bilhões.

Veja também:

Corrupção na Receita

Dinheiro apreendido na casa de um dos alvos da Operação Armadeira — Foto: ReproduçãoDinheiro apreendido na casa de um dos alvos da Operação Armadeira — Foto: Reprodução

A força-tarefa da Lava Jato prendeu 11 suspeitos de um esquema de corrupção que envolvia fiscais da Receita Federal no Rio. Segundo as investigações, auditores cobravam propina de investigados na operação para reduzir as multas. Um vídeo mostra o encontro entre um delator e um auditor suspeito.

Exclusivo G1

RJ tem mais de 400 casos de chacina na última décadaRJ tem mais de 400 casos de chacina na última década

Um levantamento do G1 mostra, pela 1ª vez, um retrato completo de dez anos de massacres no Rio de Janeiro. Foram 411 assassinatos com três ou mais vítimas entre 2009 e 2018, que deixaram 1.391 pessoas mortas. Integrantes do crime organizado, como milicianos e traficantes, são os principais autores, segundo especialistas.

Caso Ágata

Menos de 24 h após a reconstrução da morte da menina Ágata, no Complexo do Alemão, a Polícia Civil acredita que a hipótese mais provável é de que o tiro que matou a garota foi disparado pela PM. O laudo da reprodução simulada deve sair em 30 dias ou menos, já que foi pedida prioridade para a conclusão do caso.

Azeite adulterado

O governo suspendeu a venda de 32 marcas de azeite com indícios de irregularidades. Os produtos estavam adulterados com óleo de soja e substâncias de origem desconhecida. Veja aqui a lista.

Fonte: G1

STF adia para esta quinta decisão sobre alcance de tese aprovada no plenário que afeta Lava Jato

Foto: Divulgação

Supremo Tribunal Federal (STF) adiou para esta quinta-feira (3) a decisão sobre o alcance da tese que pode levar à anulação de sentenças da Operação Lava Jato e de outros processos criminais no país.

Por 7 a 4, a Corte definiu nesta quarta-feira (2) que réus delatados devem apresentar as alegações finais (última etapa de manifestações no processo) depois dos réus delatores, garantindo direito à ampla defesa nas ações penais.

Com isso, processos em que réus delatores e delatados apresentaram as alegações finais ao mesmo tempo – como os da Operação Lava Jato – podem vir a ser anulados.

Após a decisão sobre a ordem das alegações finais, os ministros também decidiram, por 8 votos a 3, que o Supremo vai definir em quais hipóteses essa tese deverá ser aplicada.

A maioria (6 votos a 5) anulou ainda a sentença do ex-gerente da Petrobras Márcio de Almeida Ferreira, condenado na Operação Lava Jato e cujo caso motivou o julgamento.

Proposta

Nesta quinta, os ministros devem decidir sobre proposta do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. Segundo o ministro, a tese deve abranger casos em que as defesas:

  • tiverem questionado a ordem das alegações finais na primeira instância;
  • conseguirem comprovar que houve um prejuízo concreto à defesa.

O entendimento final da Corte não tem aplicação obrigatória pelos demais tribunais, mas cria uma jurisprudência, servindo de orientação às decisões dos juízes de instâncias inferiores.

Alguns ministros já adiantaram que devem fazer ressalvas ao entendimento proposto por Toffoli. Eles também podem apresentar outras alternativas de delimitação da decisão, entre as quais a de que só tenha efeito sobre processos futuros, como quer a Procuradoria Geral da República.

G1

Comments

PF apreende mais de R$ 1 milhão em dinheiro vivo com auditores da Receita

Balanço final da Operação Armadeira, divulgado pela Polícia Federal na tarde desta quarta-feira, 2, aponta que mais de R$ 1 milhão em dinheiro vivo foram apreendidos durante a ação contra auditores da Receita acusados de cobrar propina de empresários e delatores da Lava Jato. Em troca do dinheiro, os servidores suspendiam multas e processos tributários no Fisco.Ao todo, foram localizados R$ 1.109.130,00, US$ 26,9 mil e, ainda, 3,9 mil euros. Somente na casa de Marco Aurélio Canal, apontado como um dos mais influentes da organização criminosa, foram localizados R$ 200 mil. Ele era o supervisor de Programação da Receita e foi preso por ordem do juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Criminal Federal, o juiz da Lava Jato Rio.

Canal é acusado de receber R$ 4 milhões de Lelis Teixeira, réu da Lava Jato e ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor).

Lelis fez delação premiada e relatou ter negociado o pagamento para evitar multa contra a empresa de transportes carioca em um processo que corria na Receita.

Outro auditor alvo dos investigadores é Marcial Pereira de Souza, que chegou a cobrar propina de 500 mil euros para barrar fiscalização tributária contra Ricardo Siqueira Rodrigues, réu da Operação Rizoma, desdobramento da Lava Jato que investiga desvio de verbas dos fundos de pensão dos Correios, o Postalis, e do Serpros.

A Operação Armadeira cumpriu 14 mandados de prisão e 41 mandados de busca e apreensão no Rio deferidos pelo juiz federal Marcelo Bretas. O juiz decretou o bloqueio de R$ 13,8 milhões do auditor Marcos Aurélio Canal.

Defesa

O advogado Fernando Martins, responsável pela defesa de Canal, declarou, por meio de nota, “que se trata de mais uma prisão ilegal praticada no âmbito da denominada operação Lava Jato, eis que de viés exclusivamente político, atribuindo a Marco Canal responsabilidades e condutas estranhas à sua atribuição funcional e pautada exclusivamente em supostas informações obtidas através de ‘ouvi dizer’ de delatores”.

Comments

Hoje houve conjunção de esforços dos líderes, diz Rogério Marinho, sobre reforma

Foto: Reprodução

Após a derrota que tirou R$ 76,4 bilhões da reforma da Previdência no Senado, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse nesta quarta-feira, 2, que houve uma “conjunção de esforços” de líderes e ministros para garantir os votos necessários à manutenção dos demais trechos do texto.

Marinho afirmou ainda que o governo vai buscar mediar as tratativas entre Senado e Câmara em torno da divisão dos recursos do megaleilão de petróleo do pré-sal. Insatisfeitos com os rumos da tramitação da proposta na Câmara, que quer abocanhar uma parcela maior para as prefeituras e fazer a destinação via emendas parlamentares, os senadores ameaçam atrasar a votação da reforma no segundo turno.

“Não sei se vai haver atraso. Existe um cronograma e não há indicação formal de que ele será descumprido”, disse o secretário, após o encerramento da votação da reforma em primeiro turno. Ele lembrou inclusive que o próprio governo tomou a decisão de dividir o bônus de assinatura, o que “não é usual”. “Uma pauta não pode se misturar com a outra”, defendeu.

Segundo Marinho, caberá aos senadores avaliar a pauta e tomar uma decisão sobre o cronograma. Ele também voltou a lamentar a decisão da terça-feira do plenário de retirar toda e qualquer mudança nas regras do abono salarial. “Não foi bom para o País”, disse.

A proposta aprovada na Câmara dos Deputados restringia o pagamento do benefício, no valor de um salário mínimo (R$ 998), a quem recebe até R$ 1.364,43 por mês. Com a derrota no Senado, ficam valendo as regras atuais, que garantem o repasse a quem ganha até dois salários mínimos.

A mudança no abono era considerada essencial pela área econômica, não apenas pelo impacto substancial, mas porque a política criada na década de 1970 é considerada disfuncional e desfocalizada. O benefício é pago a quem tem carteira assinada e recebe até dois salários mínimos, independentemente da renda familiar, e não contempla trabalhadores informais.

Estadão Conteúdo

Comments

Aos 50, lateral da Copa de 98 diz que Brasil não é mais país do futebol e critica Neymar

Foto: Arthur Ribeiro/GloboEsporte.com

Zé Carlos teve uma passagem meteórica na seleção brasileira. Na Copa de 1998, na França, Zagallo convocou o então lateral-direito do São Paulo para ser reserva de Cafu. Na semifinal contra a Holanda, Zé acabou jogando após o titular da posição ficar suspenso. De Marselha, tem a recordação de um histórico, quando vestiu a camisa do Brasil em uma edição de Mundial. Depois isso, Zé Carlos e Seleção nunca mais se viram.

Em Teresina, o ex-jogador, que decidiu se aposentar em 2005, comparou épocas, falou sobre Tite, Neymar e argumentou que o Brasil “não é mais” o país do futebol.

– Não vou dizer que nós éramos melhores, mas tínhamos atletas mais qualificados. Hoje há falta de jogadores em certas posições. Mas o nível de futebol no Brasil era bem maior. A gente acompanhando o tempo, caiu muito. Principalmente, na seleção brasileira. Em determinados clubes no país, é mais complicado para achar jogador que defensa o Brasil. Daí você vê. Ainda dizem que é o país do futebol. Não é mais. Caiu incentivo, projeção e divulgação, principalmente por conta da base – defendeu, completando:

– Vai ficando cada vez mais difícil para o Brasil. O Brasil está perdendo espaço. Em competitividade, em tudo. Não evoluiu. Parou no tempo. Antigamente, a seleção brasileira ia jogar, a gente já sabia que ia ganhar. Hoje, se empatar já é um bom resultado (risos). Infelizmente, a gente tem que dizer isso. Somos brasileiros e vivemos no meio. Mas a dificuldade está grande. Pensando no financeiro e esquecendo a base – argumentou.

Aos 50 anos de idade, José Carlos de Almeida veio a Teresina compartilhar histórias do período como jogador profissional e participar de atividades com atletas piauienses. Conheceu Gustavo, um dos destaques da Taça Clube sub-11, torneio de escolinhas de futebol.

Além de jogar pela seleção brasileira na Copa da França, Zé Carlos foi campeão paulista com o São Paulo, em 1998, atuou também pelo Grêmio, Joinville, São Caetano, Portuguesa, Matonense e Noroeste. Veja o quê o ex-atleta pensa sobre alguns outros temas.

Brasil precisa de Neymar?

– O Brasil não precisa mais do Neymar. A própria Copa América que ganhou, ficou claro que ele não depende do Neymar. É que muitas vezes as pessoas começam a bater nas costas e concordar com ele, e presentear ele. Assim como o Tite fez presenteando ele com a convocação. Tem que recuperar e ajudar, sim. Porém, muitas vezes a gente se recupera no banco de reservas, mostrando como se deve se portar um ser humano dentro e fora de campo. Eu vejo dessa forma. Minha família me educou assim. Fez errado, pune para aprender o que é certo.

O quanto o extracampo atrapalha a carreira de um atleta?

– É duro você falar dos outros quando você teve uma conduta, como no meu caso, onde dentro e fora de campo, sempre procurei ser um bom profissional. Questão de conduta e disciplina cada um faz o que quer. Neymar, no meu ponto de vista, como jogador é indiscutível. Nível e qualidade. Mas como pessoa é complicado. Mas isso é formação. É berço. Quem tem, tem. Quem não tem, não tem. Não adianta. O extracampo atrapalha demais. Eu fui ter minha primeira lesão com 31 anos, no Grêmio. Só que eu nunca fui para uma boate, nunca fui para um esquema errado. Foi uma escolha minha. O atleta treina de manhã e tarde. O sono a noite influencia muito. A bebida que ingere e a noite mal dormida é essencial. É complicado hoje em dia. O comportamento dele ele colhe o que está plantando.

Tite em 2022

“É um bom nome para 2022. Não sei como está funcionando hoje, mas eu via um Tite de primeira mandando mais”.

– Hoje em dia não funciona assim. Pode ser impressão, mas talvez não. Nós vivemos em um país que hoje está tudo corruptível. Não sei o que está acontecendo, infiltrado no meio. Às vezes as coisas acontecem de uma forma e você se pergunta porque está assim. Por que não diferente? De uma maneira mais correta? Não cabe a mim discutir isso. Estou de fora agora. Sou apenas um torcedor. Tite é um dos caras que está à frente e dependendo dos resultados deve ser sim o treinador.

Substituir Cafu na Copa de 98

– A maior dificuldade que eu senti foi estar há mais de 50 dias sem disputar uma partida como profissional. A final contra o Corinthians foi no dia 10, fomos campeões, no dia 13 jogamos contra o Vasco pela Copa do Brasil, em São Januário, e depois fui jogar contra a Holanda, 50 dias depois. É muito tempo para um jogador ficar sem disputar a partida. Quem está jogando quer pegar ritmo de jogo para ir se condicionando. Para quem está de fora é complicado. Mas quando você começa a jogar, melhora. É um jogo mais difícil, tenso, e complicado, sim. Porém, não me preocupei quanto ao peso da camisa.

Daniel Alves no São Paulo

– É um vencedor. Mas a gente tem que ressaltar. Tem que ser crítico. É um atleta que está jogando fora da lateral, com uma idade um pouco avançada. Às vezes, quando o torcedor vê um Daniel Alves chegando, sendo campeão de tudo, acha que ele vai resolver o problema do São Paulo. O time do São Paulo precisa de várias alternativas. O futebol é diferente. Lá (na Europa) se jogo uma vez por semana, são outros atletas, os melhores do mundo estão jogando. Você faz menos força para jogar. É uma peça importante, mas não espere que sozinho ele resolva.

Globo Esporte

 

Senado conclui primeiro turno da votação da reforma da Previdência

Foto: Reprodução

O Senado concluiu nesta quarta-feira (2) o primeiro turno da votação da reforma da Previdência. Os senadores rejeitaram os três destaques (sugestões de mudança) que estavam em análise (veja detalhes mais abaixo).

O texto-base já havia sido aprovado na noite da terça-feira (1º). Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), o texto ainda precisa passar por mais uma votação em plenário, o segundo turno. Para a reforma ser aprovada, deve contar com a aprovação de pelo menos 49 dos 81 senadores.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), marcou a primeira sessão de discussão do segundo turno para esta quinta-feira (3). Devem ser feitas três sessões de discussões antes da votação.

Os destaques eram uma preocupação para o governo, uma vez que poderiam prejudicar a economia prevista para a União com a reforma – atualmente de R$ 800 bilhões em dez anos.

Segundo uma estimativa da equipe econômica repassada pelo líder do PSL, senador Major Olímpio (PSL-SP), os destaques rejeitados nesta quarta-feira poderiam reduzir a economia em R$ 201,3 bilhões em dez anos.

Outros três destaques foram retirados pelos partidos que os apresentaram e, portanto, nem chegaram a ser votados pelos senadores. Essas modificações teriam impacto de mais R$ 274,7 bilhões.

Para o relator da Previdência no Senado, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), o resultado da votação não foi “ótimo”, mas foi “muito bom”.

“Alcançamos um resultado muito bom. não é um resultado ótimo, mas como diz o ditado, o ótimo é inimigo do bom”, afirmou Tasso.

Perda de R$ 76,4 bilhões

Na madrugada desta quarta-feira, após a votação em primeiro turno do texto-base da proposta, os senadores aprovaram uma alteração sobre abono salarial que reduziu em R$ 76,4 bilhões a previsão de economia em dez anos com a reforma.

Atualmente, o abono é pago uma vez ao ano para quem recebe até dois salários mínimos (R$ 1.996,00). O texto aprovado pela Câmara previa que o pagamento do abono salarial ficaria restrito aos trabalhadores de baixa renda, que ganham até R$ 1.364,43, porém essa limitação foi derrubada com o destaque.

Fica valendo, então, a lei vigente. Atualmente, o abono é pago uma vez ao ano para quem recebe até dois salários mínimos (R$ 1.996,00).

Com a derrota para o governo, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), pediu a suspensão da sessão para que fosse retomada de forma extraordinária na manhã desta quarta – a sessão, porém, só começou no início da tarde.

Veja os destaques rejeitados pelos senadores

Idade mínima para mulheres: Um destaque apresentado pelo PDT visava manter a idade mínima para aposentadoria das mulheres em 60 anos. De acordo com a PEC, a idade mínima para mulheres começa em 60 anos, mas, a partir de 2020, é acrescida de seis meses a cada ano, até chegar a 62 anos em 2023. A estimativa do governo é que a perda com esse destaque seria de R$ 36,9 bilhões em dez anos. Os senadores rejeitaram o destaque por 54 votos a 18.

Pensão por morte: o PT apresentou destaque para votar em separado o artigo que trata sobre a pensão por morte. A proposta do partido é manter o benefício de forma integral, como é hoje. Pelo texto-base da PEC, o benefício de 50% do valor da aposentadoria recebida pelo segurado ou servidor, mais 10% por dependente, até o limite de 100% para cinco ou mais dependentes. O destaque traria um impacto de R$ 106,8 bilhões, de acordo com o governo.

Aposentadoria especial: Inicialmente apresentado pelo PROS, mas assumido pela Rede, o destaque é para votação em separado trecho que estabelece as idades mínimas para aposentadoria especial em casos de atividades com efetiva exposição a agentes nocivos à saúde. O impacto poderia chegar a R$ 57,6 bilhões, segundo o governo.

Destaques retirados pelos partidos

Cálculo de benefícios previdenciários: a Rede havia apresentado destaque para votar separadamente o cálculo dos benefícios previdenciários pela média dos salários de contribuição – descartando os 20% menores salários de contribuição, como é hoje. O texto-base estabelece que o valor do benefício será uma média de todas as contribuições dos trabalhadores. O impacto seria de R$ 193 bilhões. Contudo, com a retirada do destaque feito pelo PROS, a Rede decidiu se apropriar do seu conteúdo e abrir mão de sua sugestão sobre cálculo de benefícios previdenciários.

Anistiados políticos: o MDB havia sugerido uma emenda para trazer de volta o trecho apresentado pelo governo sobre contribuição previdenciária de anistiados políticos, além de proibir o acúmulo de benefícios para essa categoria. Se aprovada, essa medida renderia R$ 1 bilhão a mais de economia.

Pedágio: o Podemos havia apresentado destaque para retirar o pedágio de 100% sobre o tempo que falta na transição de aposentadoria com idade mínima de 57 anos, para mulheres, e 60 anos, para homens. Na PEC, trabalhadores do setor privado e do setor público terão que cumprir essa idade mínima, além de um “pedágio” equivalente ao mesmo número de anos que faltar para cumprir o tempo mínimo de contribuição (30 anos se mulher e 35 anos se homem) na data em que a PEC entrar em vigor. O impacto seria, segundo o governo, de R$ 81,7 bilhões.

G1

 

Fluminense, Inter, Palmeiras, Vasco e Goiás são os times mais impactados pelo VAR no Brasileiro

Foto ILUSTRATIVA/  Leandro Lopes/ via site CBF

Alvo de polêmicas recentes, o VAR foi um dos protagonistas da 22ª rodada. Foram incríveis seis gols anulados: dois do Corinthians, um do Vasco, um do Palmeiras, um do Fortaleza e um do Cruzeiro. A controvérsia foi tamanha que o Cruz-Maltino protestou contra a arbitragem, o Verdão foi à CBF pedir explicações, e o Colorado também pediu acesso aos áudios do VAR na derrota para o Flamengo na 21ª rodada.

Apesar de estarmos no returno, o que se percebe é que, com o decorrer do Campeonato Brasileiro, as reclamações pelas decisões com a tecnologia não diminuíram. Para PC Oliveira, comentarista de arbitragem do Grupo Globo, as reclamações têm razão em certa parte, mas discorda de favorecimento a alguma equipe específica.

– No geral, o desempenho dos árbitros no campo é ruim, ocasionando um número muito grande de revisões e mudanças de decisão. O VAR, que era para ser exceção, até agora é protagonista. Eu só discordo da teoria da conspiração que existe um direcionamento para favorecer determinadas equipes. Dirigentes, treinadores e jogadores que se manifestam dessa maneira irresponsável, criam um clima de desconfiança e desvalorizam o produto “futebol brasileiro”.

O Espião Estatístico* esmiuçou todos os 218 jogos disputados até aqui no Brasileirão, as partidas foram paralisadas para análise do VAR 408 vezes. Em média, a cada parada, a arbitragem levou 1min35s para anunciar sua decisão. Porém, quando o árbitro precisou consultar o vídeo na beira do campo, a média sobe para 2min49s. A demora e a excessiva paralisação do jogo são algumas das reclamações dos clubes.

No total, o árbitro de vídeo mudou a decisão de campo em 111 oportunidades nestas 22 primeiras rodadas. Uma média de cinco mudanças por rodada. Com 10 mudanças de decisão, o Fluminense é o time mais impactado pelo VAR até o momento, seja com decisões favoráveis ou não. Com a ajuda do recurso, a arbitragem marcou três pênaltis contra o Flu, deu três vermelhos e um amarelo, além de anular dois gols e confirmar um.

Uma das principais reclamações da última rodada foram os gols anulados após consulta do VAR. Mas você sabe quais os times que mais tiveram gols invalidados até aqui? Ceará, Internacional e Vasco estão empatados no topo desta lista, com quatro gols cancelados com ajuda da tecnologia. No total, a arbitragem já anulou 26 gols neste Brasileirão.

OBS: a lista abaixo mostra apenas os gols anulados pelo VAR, com mudança da decisão inicial do juiz de campo.

Times com mais gols anulados pelo VAR

Time Gol anulado

Ceará 4
Internacional 4
Vasco 4
Corinthians 3
Botafogo 2
Fluminense 2
Palmeiras 2

Fonte: Espião Estatístico

Enquanto o ranking acima impede uma comemoração de gol, o próximo ranking alivia o torcedor. Isso porque, graças ao VAR, um gol anulado equivocadamente é corrigido pela equipe de vídeo. Ou seja, um gol anulado por impedimento pode ser validado após checagem do árbitro de vídeo. Neste quesito, o Goiás é o time que mais comemorou com gols confirmados pelo VAR: três vezes.

Times com mais gols confirmados pelo VAR

Clube Gol confirmado

Goiás 3
Flamengo 2
Grêmio 2
Palmeiras 2
Vasco 2

(Fonte: Espião Estatístico)

Outra marcação importante nas partidas são os pênaltis. Athletico-PR e Flamengo são os dois times mais impactados pelo VAR, com quatro pênaltis marcados contra cada um. Por exemplo, na 14ª rodada, o árbitro Bráulio da Silva Machado revisou uma falta de Pablo Marí em David Braz dentro da área e apontou para a marca da cal após voltar da revisão no vídeo.

Pênaltis cometidos assinalados pelo VAR

Time Pênaltis marcados contra

Athletico-PR 4
Flamengo 4
Atlético-MG 3
Chapecoense 3
Fluminense 3
Palmeiras 3

(Fonte: Espião Estatístico)

*A equipe do Espião Estatístico é formada por: Guilherme Maniaudet, Guilherme Marçal, Leandro Silva, Roberto Maleson, Roberto Teixeira, Valmir Storti e Vitória Azevedo

Globo Esporte

Força-tarefa descarta atuação de auditores da Receita em investigações da Lava-Jato

Força-tarefa descarta atuação de auditores da Receita em investigações da Lava-Jato

Após a deflagração nesta quarta-feira da operação Armadeira , que teve entre seus alvos auditores fiscais e analistas tributários da Receita Federal , representantes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal defenderam, em entrevista coletiva, que os investigados não tinham envolvimento com a Operação Lava-Jato . O auditor fiscal Marco Aurélio Canal, considerado pelo MPF como a liderança da organização criminosa, ocupava o posto denominado “supervisor nacional da Equipe Especial de Programação da Lava-Jato” na Receita.

A equipe comandada por Canal na Receita Federal era encarregada de fiscalizar a movimentação financeira e o patrimônio de pessoas físicas e jurídicas que haviam sido alvo da Lava-Jato. Canal recebia dossiês do setor de inteligência da Receita, e podia decidir abrir ações fiscais contra determinados alvos. O que o grupo criminoso liderado por Canal fazia, porém, era achacar quem seria alvo desse tipo de procedimento: cobravam propina para que esses processos não fossem abertos.

— Jamais houve contato dessas pessoas com a fase sigilosa, investigativa das operações. Depois que as operações eram publicizadas, ele (Canal) era o responsável por monitorar casos em que pudesse ter incidência de tributos, de maneira burocrática. Ele não estava envolvido com investigações da força-tarefa da Lava-Jato — afirmou o procurador do MPF Almir Teubl.

Canal conduzia a programação de fiscalização contra os envolvidos na Lava-Jato. Sua equipe recebia os resultados das quebras de sigilo da Lava-Jato, cruzava com as informações internas e, depois desse processo, selecionava os contribuintes a serem fiscalizados.

O nome da operação (“Armadeira”) faz referência, segundo o delegado da PF Rodrigo Alves, a um tipo de aranha “que tem atuação bastante agressiva, mas age por vontade própria”.

— Não podemos confundir a atuação desses servidores com a atuação institucional da Receita Federal, que foi fundamental, inclusive, nessas investigações — argumentou Alves.

As investigações, segundo a PF, tiveram início no fim de 2018, a partir da delação premiada do empresário Ricardo Siqueira Rodrigues, alvo da Operação Rizoma, e que declarou ter sido alvo de achaques por parte do grupo criminoso na Receita Federal. Segundo a investigação, o grupo cobrou inicialmente propina de 750 mil euros para não dar prosseguimento a ações fiscais contra o empresário. Após negociações, o valor final acertado foi de 550 mil euros.

O pagamento da primeira parcela, de 50 mil euros, foi monitorado pelo MPF e pela PF em uma “ação controlada”. O dinheiro foi depositado numa conta bancária em Portugal em nome do analista tributário Marcial Pereira de Souza e de sua mulher, Mônica. Segundo a procuradora do MPF Marisa Ferrari, um pedido de cooperação internacional já foi feito para bloquear o dinheiro e iniciar os trâmites de sua devolução ao Brasil.

De acordo com Ferrari, as investigações identificaram também um esquema criminoso paralelo, envolvendo o auditor fiscal Leônidas Quaresma, que recebia vantagens indevidas para reduzir a carga tributária de pessoas físicas e jurídicas em atualizações de valores de imóveis. As investigações em relação a Quaresma serão desmembradas, segundo Ferrari, por não terem relação aparente com a atuação do grupo ligado à Lava-Jato.

A operação deflagrada nesta quarta-feira executou 41 mandados de busca e apreensão em endereços dos investigados e de seus familiares. Dos 14 mandados de prisão – nove preventivas e cinco temporárias -, 11 haviam sido cumpridos até o início da tarde.

O Globo

 

Por 6 a 5, Supremo anula condenação de ex-gerente da Petrobras

(Foto: Agência STF)

Por 6 votos a 5, o Supremo anulou a condenação de Márcio Ferreira, ex-gerente da Petrobras, por ter apresentado alegações finais no mesmo prazo de seus delatores.

Ficaram vencidos os ministros Edson Fachin (relator), Cármen Lúcia, Luis Roberto Barroso, Luiz Fux e Marco Aurélio Mello.

Dias Toffoli agora vai propor uma orientação para definir em que extensão outras condenações, em processos semelhantes, serão anuladas.

O Antagonista

STF aprova por 7 votos a 4 tese que pode levar à anulação de sentenças da Operação Lava Jato

Foto: (Cristiano Mariz/VEJA)

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou nesta quarta-feira (2), por 7 votos a 4, a tese que pode levar à anulação de sentenças da Operação Lava Jato e de outros processos criminais no país.

O resultado do julgamento definiu que réus delatados devem apresentar as alegações finais (última etapa de manifestações no processo) depois dos réus delatores, garantindo direito à ampla defesa nas ações penais.

Com isso, processos em que réus delatores e delatados apresentaram as alegações finais ao mesmo tempo – como os da Operação Lava Jato – podem vir a ser anulados. Caberá aos ministros definir em que hipóteses isso ocorrerá.

Em agosto, a Segunda Turma do STF anulou a condenação do ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine com base nesse argumento. Foi a primeira vez que se anulou uma sentença na Lava Jato assinada pelo então juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.

Um balanço divulgado pela força-tarefa da operação indicou que podem vir a ser anuladas 32 sentenças de casos da operação, que envolvem 143 condenados.

A maioria dos ministros (6 votos a 5) também decidiu anular a sentença do ex-gerente da Petrobras Márcio de Almeida Ferreira na Operação Lava Jato, caso específico que serviu de base para a decisão sobre a tese.

A decisão tomada no julgamento vale apenas para Ferreira, mas cria uma jurisprudência, uma interpretação sobre o assunto pelo STF.

O entendimento não terá aplicação obrigatória pelos demais tribunais, mas deve servir de orientação para decisões de juízes, criando uma jurisprudência.

Por esse motivo, o STF deve definir sob quais condições essa tese já poderia ser seguida pelas demais instâncias.

Nesta quarta, a sessão teve início com votos sobre a tese dos ministros Marco Aurélio Mello e o presidente do STF, Dias Toffoli. Os demais ministros votaram na sessão de quinta-feira (26) da semana passada.

Ministros que votaram nesta quarta

Marco Aurélio Mello

O ministro Marco Aurélio Mello votou contra a apresentação de alegações finais em momentos diferentes por réus delatados e delatores. O ministro negou anular a sentença do ex-gerente da Petrobras.

“O Supremo não legisla. Entender que o delatado deve falar depois do delator é esquecer que ambos têm condição única no processo, ou seja, de réus, estabelecendo-se ordem discrepante da legislação de regência”, disse.

Marco Aurélio defendeu ainda que a função colaborativa do corréu, ou seja, de delator, “não viabiliza a distinção de prazo”. “O que é a delação premiada? Simples depoimento prestado à autoridade”, afirmou.

O ministro ainda citou a Operação Lava Jato, afirmando que a mudança de entendimento “gera descrédito”.

“A guinada não inspira confiança. Ao contrário, gera descrédito. Sendo a história impiedosa, passa a transparecer a ideia de um movimento para dar o dito pelo não dito em termos de responsabilidade penal, com o famoso jeitinho brasileiro, e o que é pior, com o benefício não dos menos afortunados, mas dos chamados tubarões da República. Guarda-se um preço por se viver num estado de direito e esse preço módico é o respeito”, afirmou.

Dias Toffoli

O ministro Dias Toffoli, último a votar, acompanhou a divergência do ministro Alexandre de Moraes, a favor da tese que pode anular as condenações e de anular a sentença do ex-gerente da Petrobras.

Segundo o ministro, as alegações finais são o “verdadeiro momento culminante da instrução processual”.

No começo do voto, Toffoli ainda contestou a fala do ministro Marco Aurélio Mello. “Se existe combate à corrupção neste país, é graças ao Supremo que, junto com Congresso e chefes do Executivo, elaboraram pactos republicanos”, disse.

Segundo ele, “é falácia dizer o contrário. Se não fosse este Supremo Tribunal Federal, não haveria combate à corrupção no Brasil”.

Ministros que votaram na última quinta

Edson Fachin (relator)

Fachin votou contra a anulação da sentença de Ferreira, entendendo que a defesa teve acesso a todos os dados necessários do processo durante a fase de interrogatórios e colheita de provas.

Em seu voto, o relator disse que não há na lei brasileira norma ou regra expressa que sustente a tese de que deve haver prazo diferente para as alegações finais de réus delatores e delatados.

Para o relator, não há qualquer prejuízo se réu delator e o delatado se manifestarem simultaneamente. Fachin defendeu que a colaboração premiada representa uma “das possíveis formas do exercício da ampla defesa”.

Fachin argumentou que, caso a apresentação das alegações fosse sucessiva, também exigiria a análise prévia de cada uma pelo juiz. “Não se verifica a nulidade arguida pela defesa”, disse.

Ainda segundo Fachin, a defesa do ex-gerente sequer argumentou que a ordem das alegações finais teria causado prejuízo “efetivo, concreto e específico”.

Alexandre de Moraes

O ministro Alexandre de Moraes votou pela anulação da sentença, argumentando que o direito do réu de falar por último está contido no exercício pleno da ampla defesa, e esse princípio também se aplica a réus delatores e delatados. “Não são meras firulas jurídicas.”

Moraes considerou que o réu delator tem interesse “totalmente oposto” do réu delatado, em razão de ter fechado acordo de delação premiada com o Ministério Público. Como a pena do delator já está estabelecida, a ele caberia apenas acusar.

“O interesse é demonstrar que suas informações [do delator] foram imprescindíveis para obtenção de provas e condenação. Até porque, se de nada prestar a delação, o delator não terá as vantagens que foram prometidas”, completou.

“Nenhum culpado, nenhum corrupto, nenhum criminoso deixará de ser condenado porque o estado deixou de observar o devido processo legal. Não há relação entre impunidade e o respeito aos princípios da ampla defesa, do contraditório”, concluiu.

Luís Roberto Barroso

O ministro Luís Roberto Barroso votou pela manutenção da sentença. Em seu voto, afirmou que as alegações finais não são uma inovação no direito penal e, por isso, não devem servir como motivo para anular sentenças.

“Ninguém é surpreendido por nada que se traga em alegações finais. As alegações finais se limitam a interpretar, analisar e comentar as provas já produzidas”, disse.

Barroso acrescentou que, no caso específico, o réu teve novo prazo para apresentar alegações finais complementares, mas não quis aproveitá-lo. Além disso, afirmou que a defesa não trouxe nenhum argumento que comprove prejuízo sofrido. “O que o colaborador disse que não se sabia?”

Relembrando vários casos de corrupção, Barroso defendeu ainda que o caso julgado não é isolado. “Produz efeito sistêmico na legislação que ajudou o Brasil a romper o paradigma que vigorava em relação a corrupção e criminalidade de colarinho branco”, disse. “Agora chega-se a esse ponto, com o risco de se anular todo o esforço que se fez até aqui.”

Luiz Fux

O ministro Luiz Fux foi o terceiro a votar contra momentos diferentes para réus delatores e delatados apresentarem alegações finais e para manter válida a sentença do ex-gerente.

“É claro que o delator e delatado, ambos, são réus. E corréu não pode assumir posição de assistência de acusação. Delator e delatado se defendem em face do Ministério Público”, defendeu.

O ministro disse também que “as alegações finais não representam meio de prova”. “Ao chegar nessa parte, os réus já tiveram acesso a todas as provas”, argumentou. Fux afirmou ainda que o contraditório e ampla defesa se referem a fatos que podem surpreender.

Ao final, o ministro ponderou a necessidade de uma modulação, ou seja, de reflexão sobre restringir os efeitos de um futuro entendimento sobre o assunto.

“Entendo que juízes devem ter em mente as consequências do resultado judicial. Nesse sentido, tenho absoluta certeza que vamos debater uma modulação da decisão para que ela não seja capaz de pôr por terra operação que colocou o país num padrão ético e moral.”

Rosa Weber

A ministra Rosa Weber, quarta a votar, deu o segundo voto pela anulação da sentença do ex-gerente da Petrobras e favorável à tese que pode anular outras condenações. Para a ministra, é preciso dar tratamento específico para “igualar os desiguais”.

“A interpretação da legislação há que se fazer forte nos princípios do contraditório e da ampla defesa”, defendeu a ministra.

Segundo Rosa Weber, o conteúdo da manifestação do réu delator deve ser levado previamente a conhecimento do réu delatado. “O prazo há de ser sucessivo”, afirmou.

“O prejuízo ao paciente se presume, o prejuízo emerge do descumprimento do devido processo legal”, completou Rosa Weber, argumentando que a ordem das alegações, em si, já prejudica o réu delatado.

Cármen Lúcia

A ministra Cármen Lúcia votou a favor da tese que pode afetar outras condenações da Lava Jato. Porém, ela fez a ressalva de que a defesa precisa comprovar que os réus delatados sofreram prejuízo sofrido.

Com esse argumento, a ministra votou pela manutenção da sentença específica do ex-gerente da Petrobras, pois não ficou comprovado que houve prejuízo da defesa.

Segundo a ministra, embora não haja previsão na lei sobre a ordem das alegações finais, é preciso fazer uma interpretação.

“O acordo de colaboração premiada é uma espécie de negócio jurídico celebrada com o Ministério Público e a Polícia Federal. A partir dessa sistemática, o réu, quando colaborador, tem interesse na efetividade de suas colaborações”, afirmou.

Ricardo Lewandowski

O ministro Ricardo Lewandowski votou pela anulação da sentença e favorável à tese de que réus delatores devem apresentar alegações finais antes de réus delatados.

“O contraditório é um dos valores mais caros da civilização ocidental”, afirmou. O ministro afirmou que não assusta o risco de vários processos terem que voltar à “estaca zero”.

“Houve, sim, gravíssimo prejuízo nesse caso porque o juiz de primeiro grau negou-lhe o direito de os delatados falarem por último”, argumentou.

Segundo o ministro, a legislação processual é anterior ao instituto da delação premiada.

“O que está em jogo é um dos valores fundantes do estado democrático de direito, exatamente o direito ao contraditório e a ampla defesa. Sem estes valores, não existe estado democrático de direito”, afirmou Lewandowski.

Gilmar Mendes

O ministro Gilmar Mendes acompanhou o voto do ministro Alexandre de Moraes, pela anulação da sentença e favorável à tese de alegações finais de réus delatores e delatados em momentos diferentes.

“Não se pode combater a corrupção cometendo crimes”, afirmou.

Mendes argumentou que não há nenhuma dúvida sobre o prejuízo sofrido pela defesa em razão da ordem das alegações finais.

“Nenhuma dúvida de prejuízo. A não ser por um cinismo de pedra nós podemos dizer que não há prejuízo aqui”, afirmou o ministro.

“Ele [réu delatado] foi condenado e pediu em todas as instâncias [para falar por último e não o obteve]”, argumentou Mendes, acompanhando o voto de Moraes.

Celso de Mello

O ministro Celso de Mello formou maioria a favor da tese de que alegações finais de réus delatados devem ser apresentadas depois das dos réus delatores.

Celso de Mello também concedeu o pedido do ex-gerente da Petrobras para anular sua sentença na Lava Jato.

“Entendo que a prerrogativa do réu delatado traduz solução mais compatível do direito de defesa”, afirmou o ministro.

“Nos casos em que há réus colaboradores e delatados, não havendo previsão no Código de Processo Penal, a lacuna deve ser suprida pelo princípio da ampla defesa”, afirmou o decano (mais antigo ministro) da Corte.

Segundo ele, “é inegável que o acusado tem o direito de conhecer a síntese da acusação contra ele”.

G1

STF mantém condenação de adulto por beijo lascivo em criança de 5 anos

A 1ª turma do STF, por maioria de votos, manteve a condenação de um adulto em razão de um beijo lascivo dado em uma criança de cinco anos de idade.

O réu foi condenado pelo juízo da 1ª Vara Criminal de Igarapava/SP a oito anos de reclusão, em regime inicial semiaberto, por estupro de vulnerável. Em exame de apelação penal, o TJ/SP desqualificou o ato para a contravenção penal de molestamento e impôs ainda pena de multa. O MP interpôs recurso e o relator no STJ deu provimento para restabelecer a condenação proferida em primeira instância.

Leia matéria completa aquino Justiça Potiguar.

 

Pedido de remédio à base de canabidiol pode ser feito pela internet

A partir desta quarta-feira (2), pacientes em tratamento de saúde a quem tenha sido receitado o uso de canabidiol podem solicitar a importação de produtos feitos à base da substância por meio de formulário eletrônico.

O novo guia de importação mediante prescrição de profissional de saúde legalmente habilitado deve ser preenchido no Portal gov.br, pelo paciente ou por um representante legal devidamente constituído.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o formulário eletrônico procura agilizar o atendimento às solicitações, eliminando etapas como a triagem dos processos instaurados manualmente. O simples preenchimento do documento disponibilizado no portal dá origem a um processo que pode ou não ser autorizado.

“Importante salientar que nada muda em relação ao passo a passo das solicitações. O que foi aprimorado foi o formulário para a realização de pedidos, além da adoção de uma nova porta de entrada para o requerimento”, explica a agência, em nota.

“As etapas do processo de pedido de análise de importação continuam as mesmas e incluem a necessidade de o paciente ter consultado um médico e obtido uma prescrição do medicamento. Depois disso, é preciso fazer um cadastro junto à Anvisa e solicitar a análise de importação. Após a avaliação técnica do pedido, o órgão autoriza a compra do medicamento, que é o que permite a importação pelo paciente.”

Além da recomendação médica, a autorização da Anvisa é requisito obrigatório para importar qualquer produto à base de canabidiol – substância química derivada da Cannabis sativa (a planta popularmente conhecida como maconha), que consta da lista de insumos sujeitos a controle prevista na Portaria nº 344, publicada pelo Ministério da Saúde em 1998.

Os critérios e procedimentos para importação, em caráter excepcional, de produtos feitos de canabidiol estão detalhados na Resolução nº 17, da Anvisa, de maio de 2015.

A resolução estabelece que a importação também pode ser intermediada por entidades hospitalares, unidade governamental ligada à área da saúde, operadora de plano de saúde ou entidade civil representativa de pacientes legalmente constituída, para o atendimento exclusivo e direcionado ao paciente previamente cadastrado na Anvisa. Nestes casos, o paciente deverá informar, ao se cadastrar no portal, os dados do responsável pela intermediação da importação.

Ainda de acordo com o texto, a importação de produtos à base de canabidiol em associação com outros canabinóides (dentre eles, o Tetrahidrocanabinol – THC, princípio ativo da planta da maconha, com propriedade alucinógena, e que exige controle, conforme preveem os acordos internacionais dos quais o Brasil é signatário) elencados na resolução deve ser constituído de derivado vegetal; possuir teor de THC inferior ao de canabidiol; ser produzido e distribuído por estabelecimentos devidamente regularizados pelas autoridades competentes em seus países de origem e conter certificado de análise, com especificação e teor de canabidiol e THC, que atenda às exigências regulatórias das autoridades competentes em seus países de origem.

Agência Brasil

 

LOCAIS

Sesap notifica 66 casos suspeitos de sarampo no RN

A Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulga o Boletim Epidemiológico referente ao período da semana epidemiológica 39, encerrada no dia 02 de outubro. De acordo com o documento, permanece o número de 4 casos confirmados, entretanto, aumentou para 66 os casos notificados, dos quais 15 já foram descartados após investigação e 47 casos permanecem em investigação.

A maior concentração dos casos em investigação está na 7ª região de saúde (Região Metropolitana de Natal). De acordo com a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Lucchesi, para confirmar um caso de sarampo a Sesap leva em consideração os aspectos clínicos, epidemiológicos e os exames laboratoriais.

*HISTÓRICO*

O primeiro caso foi de sarampo no Rio Grande do Norte foi de um paciente do sexo masculino de 54 anos que teve um histórico de viagem a São Paulo; os outros confirmados foram de uma criança de 6 anos, do sexo masculino, do município de Macaíba, uma criança de 1 ano e 6 meses, residente no município de Tibau do Sul, e o quarto caso foi de uma paciente de 19 anos, do município de Extremoz.

*DOSE ZERO*

No final do mês de agosto, o Ministério da Saúde passou a recomendar a aplicação da chamada dose zero e tríplice viral para todas as crianças de seis meses a menores de 1 anos. A medida foi adotada com o intuito de intensificar a vacinação nesse público-alvo da doença, que é mais suscetível a casos graves.

É importante esclarecer que a chamada dose zero não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela.

FOTOS: Servidores reclamam de lixo acumulado em hospitais em Natal

Fotos: cedidas

Servidores de hospitais na capital potiguar estão enviando diversas fotos de uma quantidade expressiva de lixo acumulado em unidades hospitalares.

No registro acima, o exemplo no Varela Santiago. Esta foi uma situação que se encontrava o hospital, mas que foi resolvida durante a manhã.

Em outros hospitais, como Walfredo Gurgel e Santa Catarina, segundo servidores, o cenário seria semelhante ao registrado anteriormente no Varela Santiago.

Confira como o funciona o comércio em Natal nesta quinta, feriado de Mártires de Cunhaú e Uruaçu

Foto Ilustrativa/ Sincomércio Jundiaí/Divulgação

No Rio Grande do Norte, a quinta-feira,  03 de outubro é feriado estatual, dia em que se celebra os Mártires de Cunhaú e Uruaçu. Em razão da data, o funcionamento de repartições públicas, privadas e do comércio sofrerá modificações. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal informa o funcionamento dos principais pontos comerciais da capital potiguar, para que o consumidor possa se programar e aproveitar melhor o feriado.

Comércio de Rua

Alecrim: Abertura facultativa, das 08 às 12hs

Centro da Cidade: Abertura facultativa.

Os grandes magazines (Riachuelo, C&A, e Marisa ) abrem das 08 às 16hs

Zona Norte: Fechado

Shoppings

Shopping 10

Fechado

Midway Mall:

Lojas de departamento de 13 às 21h e demais lojas de 15 às 21h.

Alimentação e lazer de 11 às 22h.

Natal Shopping:

Lojas: 15h às 21h.

Praça de alimentação: 11h às 22h.

Academia: 9h às 15h.

Praia Shopping:

Praça de Alimentação e Lazer: A partir das 11h.

Lojas e Quiosques: 15 às 21h.

Cinema conforme a programação.

Shopping Cidade Jardim:

Alimentação e lazer: A partir das 11h.

Lojas e quiosque: A partir das 15h.

Americanas: Das 12h às 21h.

Shopping Via Direta:

Praça de Alimentação e Lazer: 12h às 22h.
Lojas e Quiosques: Abertura facultativa das 14h às 20h

Partage Norte Shopping Natal

Carrefour: 7h às 21h;

Academia: 8h às 18h;

Cosern: Fechada;

Praça de Alimentação/Lazer: 11h às 22h;

Lojas/Quiosques: 15h às 21h, sendo facultativo, a partir das 12h;

Cinema: Conforme sessões.

Supermercados

Funcionamento das 07 às 21hs

Câmara Municipal de Parnamirim reforça inclusão e presta homenagem ao Dia Nacional do Surdo em solenidade

  Fotos: Divulgação

Em sessão solene realizada na noite da segunda-feira(30), a Câmara Municipal de Parnamirim homenageou o Dia Nacional do Surdo – celebrado no último dia 26. A ação, de propositura da vereadora Ana Michele, reforçou a luta pela inclusão da pessoa com deficiência e entregou diplomas de reconhecimento as pessoas engajadas com a causa no âmbito municipal.

“Uma causa nobre e muito especial que está sendo reconhecida pela Câmara de Parnamirim, através de todos nós vereadores, que é luta diária pela aceitação e inclusão das pessoas com a deficiência surda. Então, estamos parabenizando e homenageando todas as pessoas que se engajam diariamente com essa causa”, frisou a vereadora Ana Michele.

O vereador Manuel Diniz(PDT) também participou da solenidade. Ele falou de seu trabalho social voltado à população surda do município. “Apoio desde 2003 muito tempo à associação de surdos em Parnamirim. Quando os conheci, de imediato, resolvi ajudá-los, pois sei das dificuldades que todos eles tem em ter acesso aos serviços básicos e gostaria que muitos também pudessem ajudar. Parabéns a esta casa legislativa e a vereadora Ana Michele por esse reconhecimento”, disse.

Na oportunidade, a solenidade homenageou 14 pessoas que se destacam no meio da comunidade surda em Parnamirim com a entrega de diplomas de reconhecimento.

Confira os homenageados:

Ana Cristina Figueiredo

Braúlio Caio Ferreira

Daniela Lima Manchini

Denilza Peres de Lima

Hélio da Silva Nagai

José Carlos da Silva

Marlene Garrido de Lima

Maxsuel Bezerra dos Santos

Natiúska Salleska Dias Lopes

Risalva Garrilho de Souza

Sarah Mariane Rodrigues

Walkiria Vidal Ribeiro

Zilda Vitória Pereira

Justino Francisco de Araújo

Comments

Feriado de Mártires de Uruaçu e Cunhaú nesta quinta muda funcionamento do sistema de transporte em Natal; confira

Foto: Josenilson Rodrigues

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), informa que o sistema de transporte público operará de forma diferenciada nesta quinta-feira (03/10) devido o feriado em homenagem ao Mártires de Uruaçu e Cunhaú, padroeiros do Estado.

Segundo o órgão, na quinta-feira o sistema operará com horários e itinerários programados para os domingos e feriados e aplicando a tarifa social. Com isso, o valor da passagem cai de R$ 3,90 para R$ 1,95 nas linhas comuns e de R$ 3,20 para R$ 1,60 nas linhas de bairro apenas no pagamento com os cartões NatalCard. Caso o pagamento corra em dinheiro, será cobrado R$ 4,00 nas linhas comuns e R$ 3,20 nas linhas de bairro.

Na sexta-feira (04/10), o sistema de transporte operará com itinerário de dias úteis e com quadro de horários de dias úteis aplicados nas férias escolares. A medida ocorre devido as escolas não possuírem aula.

Já no sábado (05) e domingo (06) o sistema operará com horários e itinerários normais para esses dias. Em caso de dúvidas os usuários podem ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo Twitter oficial, o @156Natal.

Por G1 RN

02/10/2019 18h07 Atualizado há uma hora


Manifestação em defesa da educação, em Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV CabugiManifestação em defesa da educação, em Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Mais um ato em defesa da educação foi realizado na tarde desta quarta-feira (2) em Natal. Estudantes, professores, centrais sindicais e sociedade civil organizada se concentraram no cruzamento das avenidas Bernardo Vieira e Senador Salgado Filho, por volta das 15h, para protestarem contra os bloqueios promovidos pelo Governo Federal nos recursos da educação, em defesa das pesquisas científicas, e contra o programa Future-seO ato faz parte de uma mobilização nacional.

No Brasil, as manifestações acontecem nesta quarta-feira (2) e na quinta-feira (3). Em Natal, o movimento foi antecipado em função do feriado estadual dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, que será na quinta.

O ato começou em frente ao campus central do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), no bairro Tirol. Estudantes, professores e servidores federais levantaram cartazes com críticas ao presidente da República Jair Bolsonaro e ao contingenciamento dos recursos das universidades e bolsas de pesquisa científica. Uma das frases mais gritadas na manifestação foi: “Hoje a aula é na rua”.

Às 16h12, a avenida Senador Salgado Filho, no sentido Centro para a Zona Sul, foi interditada – cerca de 10 agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) trabalharam na operação. A Polícia Militar também acompanhou a manifestação.

Por volta das 17h, os manifestantes começaram uma caminhada pela Avenida Senador Salgado Filho em direção à Zona Sul da cidade. Por volta das 18h05 o protesto foi encerrado próximo ao prédio da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern).

A UFRN e o IFRN não cancelaram as aulas oficialmente. A UFRN informou que parte dos serviços na Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) funcionariam em horário reduzido, das 7h30 às 17h, em função da adesão de servidores à manifestação.

Manifestação em defesa da educação, em Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV CabugiManifestação em defesa da educação, em Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi
Fonte: G1RN

Por G1 RN

02/10/2019 19h13 Atualizado2019-10-02T22:13:00.730Z


47 casos ainda são analisados, enquanto outros 15 foram descartados após investigação em laboratório — Foto: Oliveira Alves/ TV Gazeta 47 casos ainda são analisados, enquanto outros 15 foram descartados após investigação em laboratório — Foto: Oliveira Alves/ TV Gazeta

Subiu para 47 o número de casos de sarampo em investigação no Rio Grande do Norte. É o que consta no Boletim Epidemiológico da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) publicado nesta quarta-feira (2) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). O número de casos confirmados segue em 4.

O novo relatório trata dos casos acontecidos até este dia 2 de outubro. No último divulgado, no dia 20 de setembro, os casos em investigação estavam em 33 – o aumento foi de 14 casos em investigação.

Segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira (2), houve um aumento no número de casos notificados no estado para 66. Desse total, no entanto, 15 já foram descartados e 47 seguem em investigação – os outros 4 são os confirmados.

De acordo com o documento, a maior concentração dos casos investigados é na 7ª região de saúde, que corresponde à Região Metropolitana de Natal. De acordo com a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Lucchesi, para confirmar um caso de sarampo, a Sesap leva em consideração os aspectos clínicos, epidemiológicos e os exames laboratoriais.

Histórico

Até o momento, são quatro casos registrados de sarampo no estado. O primeiro foi de um homem de 54 anos que teve um histórico de viagem a São Paulo. Os outros confirmados foram de uma criança de 6 anos, do sexo masculino, no município de Macaíba, uma criança de 1 ano e 6 meses, em Tibau do Sul, e o quarto caso foi de uma paciente de 19 anos de Extremoz.

Dose zero

Em agosto, o Ministério da Saúde recomendou a aplicação da dose zero e tríplice viral para todas as crianças de seis meses até 1 ano. O objetivo é intensificar a vacinação nesse público-alvo da doença, que é mais suscetível a casos graves. Para o Rio Grande do Norte, foram enviadas mais de 22 mil doses extras da vacina.

A Sesap reforça que a chamada dose zero não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose) e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral mais varicela.

Quem deve se vacinar

  • Bebês de 6 meses a 1 ano incompletos devem tomar a “dose zero”, que é extra. Ao completar 12 meses, devem tomar normalmente uma dose da tríplice viral. Aos 15 meses, devem tomar uma dose da tetravalente.
  • Pessoas de 12 meses a 29 anos de idade devem ter duas doses da tríplice viral comprovadas. Se não está marcada na carteirinha ou não se lembra, deve procurar uma UBS e regularizar a situação;
  • Adultos de 30 a 59 anos devem ter pelo menos 1 dose da tríplice viral;
  • Adultos com mais de 60 anos não precisam se vacinar, por já terem tido contato com a doença no passado.

 — Foto: Arte/G1

— Foto: Arte/G1

Fonte: G1RN

 

Giovani Júnior diz que Parnamirim “merece mais quatro anos” de Taveira

Ao destacar ações da atual gestão como a redução das despesas para abaixo dos limites da LRF, o secretário municipal defendeu que “bons gestores” devem continuar por mais tempo

02/10/2019 às 16:32

Facebook / Reprodução

Secretário de Planejamento, Finanças, Desenvolvimento Econômico e Turismo da Prefeitura de Parnamirim, Giovani Rodrigues Júnior

O secretário de Planejamento, Finanças, Desenvolvimento Econômico e Turismo da Prefeitura de Parnamirim, Giovani Rodrigues Júnior, defendeu nesta terça-feira, 1º, a reeleição do prefeito Rosano Taveira em 2020. Segundo o secretário, o município “merece mais quatro anos” da atual gestão, para que os investimentos que a administração tem feito continuem no próximo quadriênio.

“O prefeito, há um tempo, dizia que não seria candidato à reeleição. Mas conversamos com ele e dissemos que, pelo estilo de gestão que ele tem levado à cidade, extremamente comprometida com o equilíbrio e os programas sociais desenvolvidos, Parnamirim merece mais quatro anos. Depois que a casa foi arrumada, é importante que os investimentos que passamos a realizar possam continuar pelos próximos quatro anos”, destacou Giovani, em entrevista ao programa Manhã Agora, da rádio Agora FM (97,9).

Ao destacar ações da atual gestão como a redução das despesas para abaixo dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, o secretário municipal defendeu que “bons gestores” devem continuar por mais tempo. Ele falou que a administração Taveira está alinhada com o “novo modo de pensar da sociedade brasileira”, que, segundo ele, preza pelo “cuidado com os recursos públicos”.

Além do controle dos gastos públicos, Giovani Júnior citou como principais realizações da atual administração a realização de investimentos nas áreas de saneamento básico, recuperação de equipamentos públicos (como praças e ginásios), pavimentação, iluminação e segurança pública. Ele destacou a implantação pela Prefeitura, este ano, do Centro de Operações Integradas (COI), que reúne imagens de câmeras de vigilância espalhadas pela cidade.

Fonte: Agora RN

Prefeito confia em Plano Diretor este ano e garante que não pensa em 2020

Entrevista concedida ao programa Manhã Agora, prefeito afirmou que o processo de debate da revisão do Plano Diretor nunca foi tão transparente

02/10/2019 às 11:51

José Aldenir / Agora RN

Álvaro Dias afirma que a revisão do atual Plano Diretor de Natal já conta com o dobro de participação popular

Desde que assumiu posições controversas como apoiar uma revisão do Plano Diretor e do Código de Obras que possibilite uma maior verticalização de Natal, a exemplo do que já acontece em outras capitais do Nordeste, o prefeito Álvaro Dias está pessoalmente empenhado em fazer com que a matéria seja apreciada ainda este ano na Câmara Municipal.

A partir do momento em que passou a externar seu inconformismo com a estagnação urbana de Natal em relação ao crescimento de capitais como Fortaleza, Recife, Maceió e mesmo João Pessoa, o prefeito tem desagradado muita gente.

Na entrevista concedida na terça-feira ao programa Manhã Agora, da 97,9 FM, o prefeito afirmou, entre outras coisas, que o processo de debate da revisão do Plano Diretor nunca foi tão transparente. Veja alguns pontos da entrevista.

Votação do Plano Diretor de Natal este ano

“Acredito que dê tempo. Está demorando por estarmos fazendo questão de cumprir todo o trâmite burocrático legal para discussão do Plano Diretor, que está atrasado. Está superando todos os prazos para revisão. Este plano está sendo o mais limpo, transparente democrático e participativo da história de Natal. O Plano Diretor não é de Álvaro Dias. É um plano da sociedade de Natal. O dobro das pessoas que participou da última revisão já contribuiu nesta”.

Verticalização da Orla

“Nas outras cidades litorâneas do Nordeste, eu vejo a importância da verticalização da orla. Não dentro do contexto que está sendo divulgado, de forma deturpada, e sim no contexto de cidades como Fortaleza, Recife e Maceió. Com a verticalização, você vai atrair novos investimentos, vai modernizar e melhorar o contexto da orla de Natal, que não é uma das mais convidativas quando comparada a das outras capitais. Não se existe um lugar mais agradável do que na beira do mar. Nós não estamos podendo aproveitar como devíamos as belezas naturais de Natal. Precisamos aproveitar mais a cidade. Povoar fomenta o comércio, gera renda e melhora o movimento do nosso artesanato. A praia está virando uma região despovoada. Estamos perdendo população para municípios vizinhos”.

Natal perde população

“Nova Parnamirim existe hoje devido ao último Plano Diretor. Tudo ficou caro por conta das restrições impostas por ele. O que as pessoas não encontravam em Natal foram para lá e para São Gonçalo. As pessoas estão sendo expulsas pelo Plano Diretor de Natal. Precisamos diminuir os custos da construção civil, parar de expulsar as pessoas daqui para as cidades vizinhas. Natal tem apenas 50 habitantes por hectare. Está ficando uma cidade despovoada. O plano está defasado, já deveria ter sido modernizado”.

 Hotel da BRA, na Via Costeira

“Seu eu pudesse, explodiria o Hotel da BRA (embargado na gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo por exceder o gabarito aprovado pelo município em um andar). Ele está causando muitas dificuldades de dengue e doenças infecciosas. Ele está abandonado, desabou uma parte já e pode desabar a todo momento. Isto coloca em risco as pessoas que passam por ali. Eu colocaria abaixo já há muito tempo”.

Possível candidatura e relação com a governadora

“Ainda não estou analisando a questão política. Tenho me focado na gestão, administração e em projetos. Tenho um bom relacionamento com a governadora (Fátima Bezerra). Se houver a possibilidade de construir com ela um projeto para melhoria de Natal, conversarei em um momento oportuno. Agora é a gestão o foco. Ainda não sei se serei candidato. É uma pressão muito grande, um estresse maior. Existe uma possibilidade grande que eu possa ser, mas no momento estou mesmo é focado na gestão”.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

PONTO DE VISTA: UMA MANCHETE ENGANOSA DEVE SER PUNIDA COMO QUALQUER PROPAGANDA ENGANOSA

A grande imprensa (Folha de São Paulo) continua insistindo nas manchetes mentirosas, enganosas e de má fé para denegrir a imagem do ministro da justiça, Sérgio Moro e desta vez levou o troco de imediato do próprio Moro, que tuitou desmentindo o que disse o jornal. Realmente, a nossa legislação, no que tange a imprensa e o jornalismo é muito falha, pois não existe limite para delinquir. Em qualquer tipo de atividade profissional estão previstos dispositivos jurídicos para punir os excessos, mas na imprensa vale tudo. Por exemplo, se uma loja de automóveis faz uma promoção de vendas em outdoor e coloca a imagem de um determinado veículo na postagem, em algum lugar no outdoor ela escreve:”a foto em exposição é mera ilustração”, pois se não o fizer o consumidor pode chegar na loja e exigir um carro igual ao que está exposto no outdoor e o código de defesa do consumidor obriga ao anunciante a atender o desejo do consumidor. O mesmo deveria acontecer para um jornal que posta uma manchete mentirosa, diferente do conteúdo da matéria. Isso precisa mudar! Um órgão de imprensa como a Folha de São Paulo tem que se responsabilizar pelas falácias, mentiras e ofensas que faz em suas manchetes.  

Moro rebate com dados manchete maldosa da Folha de S.Paulo

A Folha de S.Paulo, há muito tempo tem investido pesadamente na tentativa de derrubar o Ministro Sérgio Moro.

Com esse propósito o jornal chegou a se aliar ao pseudo Jornalista Glenn Greenwald para divulgação de mensagens roubadas dos integrantes da Lava Lato.

Nesta segunda-feira (30) o jornal paulista protagonizou mais um capítulo dessa batalha ao colocar na capa a seguinte manchete:

Logo após o Ministro respondeu de maneira categórica o ataque:

Apesar da manchete depreciativa os dados apresentados pela matéria da Folha apenas demonstram o sucesso da gestão de Sérgio Moro. Veja alguns trechos:

– “Apesar de menos atividades nas ruas, cresceram o número de investigações e os valores de bens apreendidos de 2018 para 2019.”

– “Em casos relacionados a crime organizado, facções criminosas e crimes violentos, foram recolhidos R$ 548,1 milhões em patrimônio de investigados de janeiro a julho deste ano, mais que em todo 2018 (R$ 451,5 milhões).”

– “Até agosto de 2019, foram 67 toneladas de cocaína, quase o total de todo o ano passado.”

– “No mesmo período, foram tomados de traficantes 364,8 mil comprimidos de ecstasy, contra 295,3 mil em todo 2018.”

– “A PF sustenta ainda que o número de operações deflagradas não reflete, obrigatoriamente, o número de operações em andamento. Como exemplo, diz que havia cerca de 500 operações em curso no início do segundo semestre de 2018 e, atualmente, 738.”

Apesar da campanha da Folha, a população segue apoiando o Ministro e reconhece os claros avanços conseguidos por ele na questão da Segurança Pública.

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo PONTO DE VISTA: UMA MANCHETE ENGANOSA DEVE SER PUNIDA COMO QUALQUER PROPAGANDA ENGANOSA

PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

26/08/2019 03h47  Atualizado há 7 minutos

A Amazônia em chamas é o tema da estreia do podcast diário ‘O Assunto’. As queimadas foram destaque na cúpula do G7, que chega ao fim hoje. Reportagem do Fantástico flagra focos de incêndio e transporte ilegal de madeira. E a crise preocupa o agronegócio brasileiro após ameaças de autoridades europeias. O adeus à escritora Fernanda Young. Ao menos 200 concursos públicos abrem inscrições para quase 20 mil vagas. Aposentados e pensionistas do INSS começam a receber a 1ª parcela do 13ºSaques do Fundo PIS para quem não tem conta na Caixa também têm início. Luan Santana e Melim comprovam a‘projotização’ do pop brasileiro. E Brasileirão tem novo líder.

INTERNACIONAIS

Por Blog do BG

Vídeo mostra conversa vazada de Macron, Merkel e Johnson sobre Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaroretuitou, na tarde deste domingo, um vídeo de uma conversa vazada entre a chanceler federal alemãAngela Merkel , o presidente francês Emmanuel Macron e o premier britânico Boris Johnsonem que os líderes europeus discutem as queimadas na Amazônia e afirmam que iriam contactá-lo para dialogar sobre a questão. Na filmagem, Merkel diz que irá contactar Bolsonaro na semana para que o presidente ‘não fique com a impressão de que está trabalhando contra ele’.

“Desde o princípio busquei o diálogo junto aos líderes do G7, bem como da Espanha e Chile, que participam como convidados. O Brasil é um país que recupera sua credibilidade e faz comércio com praticamente o mundo todo”, tuitou o presidente.

“Somos uma das maiores democracias do mundo, comprometidos com a proteção ambiental e respeitamos a soberania de cada país. Meu muito obrigado a dezenas de chefes de estado que me ouviram e nos ajudaram a superar uma crise que só interessava aos que querem enfraquecer o Brasil!”, completou.

Na filmagem, realizada durante uma reunião durante o encontro do G7 em Biarritz, na França, é possível ouvir Angela Merkel dizer que irá telefonar para Bolsonaro na próxima semana para que o presidente brasileiro “não fique com a impressão de que estou trabalhando contra ele”.

Em seguida, Johnson, premier britânico empossado no dia 24 de julho, disse achar o contato de Merkel “importante”. Macron, por sua vez, pergunta de quem o grupo está falando e, após a chanceler alemã afirmar que tratava-se de Bolsonaro, o líder francês começa a esboçar uma resposta, um dedo é visto na frente da câmera e a transmissão foi interrompida.

Anfitrião da reunião do G7, Macron levou a questão dos incêndios na Amazônia ao encontro e pediu “mobilização de todas as potências” para ajudar o Brasil e os demais países afetados pelas queimadas. O líder francês chegou a afirmar que Bolsonaro mentiu sobre compromissos climáticos e declarou que será contrário ao acordo entre a União Europeia (UE) e o Mercosul — posicionamento endossado por membros pequenos do bloco europeu, mas questionada por Merkel e Johnson.

Bolsonaro, por sua vez, criticou a posição de  Emmanuel Macron e disse que não ira procurá-lo, mas que aceitaria conversar se a inciativa partisse do francês. A conta oficial do presidente no Facebook endossou ainda um comentário que zombava da diferença de idade entre Macron e sua esposa, Brigitte, 24 anos mais velha. A postagem do presidente, que é 27 anos mais velho que sua esposa Michelle, repercutiu na imprensa francesa, que criticou a atitude sexista do líder brasileiro.

O GLOBO

 

NACIONAIS

‘O Assunto’

O Assunto — Foto: Arte G1

O Assunto — Foto: Arte G1

O Jornalismo da Globo lança nesta semana uma série de novos podcasts e passa a oferecer todos os dias conteúdos inéditos para você ouvir e se informar. A primeira estreia é a de O Assunto, apresentado pela jornalista Renata Lo Prete.

Publicado de segunda a sexta bem cedinho, na internet e nas plataformas digitais de áudio, O Assunto vai deixar todo mundo informado sobre os grandes temas do momento. O assunto do primeiro episódio é a Amazônia em chamas.

Queimadas na Amazônia

Fantástico flagra queimadas e transporte de madeira ilegal na Amazônia

Fantástico flagra queimadas e transporte de madeira ilegal na Amazônia

No fim de semana, a crise causada pelos incêndios na Amazônia continuou a repercutir mundialmente. O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou que os líderes do G7 concordaram em ajudar “o mais rápido possível” os países atingidos pelos incêndios na Amazônia. A cúpula das sete grandes economias mundiais está reunida desde sábado na cidade de Biarritz, na França, e as queimadas foram destaque do encontro, que termina nesta segunda-feira. Ainda neste domingo, o governo brasileiro disse que aceitou ajuda de Israel e que o país enviará ‘aeronave com apoio especializado’.

Novos dados do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados no domingo, mostram que antes mesmo do final do mês, agosto já registra mais focos de queimadas na Amazônia que a média dos últimos 21 anos.

Reportagem do Fantástico esteve em Altamira, o município mais desmatado do Brasil, e flagrou queimadas transporte de madeira ilegal em plena área de proteção ambiental.

Agronegócio brasileiro

A crise internacional causada pelas queimadas causa preocupação no agronegócio brasileiro. França, Irlanda e Finlândia reagiram e falaram em medidas contra produtos do país, envolvendo inclusive o acordo UE-Mercosul. Alemanha, Espanha e Reino Unido defendem o pacto. Mas o que o que está em jogo para o agronegócio?

A União Europeia é o segundo maior comprador do agronegócio brasileiro, tendo sido o destino de 17,6% das exportações do setor neste ano, que geraram US$ 9,9 bilhões até julho. Fica atrás apenas da China.

Fernanda Young

Fernanda Young morre aos 49 anos: relembre sua carreira

Fernanda Young morre aos 49 anos: relembre sua carreira

A escritora e atriz Fernanda Young morreu, aos 49 anos, na madrugada de domingo em Minas Gerais. A autora de séries de sucesso, como “Os Normais”, “Minha Nada Mole Vida”, “Os Aspones” e “Shippados”, teve uma crise de asma seguida de parada cardíaca.

corpo de Fernanda foi enterrado em no Cemitério de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, por volta das 17h , em cerimônia íntima.

Concursos públicos

Estão abertas as inscrições para pelo menos 200 concursos públicos. Ao todo, são ofertadas quase 20 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Só a Polícia Militar de São Paulo oferece 2,7 mil vagas no cargo de soldado. Já os salários chegam a R$ 28.884,20 no Ministério Público de Goiás.

13º salário

pagamento da primeira parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa hoje. O depósito da gratificação será realizado na folha mensal de pagamentos do INSS, entre os dias 26 de agosto e 6 de setembro.

Saques do Fundo PIS

Caixa começa a pagar os recursos das cotas do Fundo PIS para cotistas que não têm conta no banco e que tenham a partir de 60 anos de idade. São 10,4 milhões de trabalhadores com direito ao saque em todo o Brasil. Segundo a Caixa, o pagamento das contas poderá movimentar até R$ 18,3 bilhões.

A ‘projotização’ do pop brasileiro

G1 Ouviu - Luan Santana - 'Choque Térmico' e Melim - 'Gelo'

G1 Ouviu – Luan Santana – ‘Choque Térmico’ e Melim – ‘Gelo’

Em suas músicas recém-lançadas, Luan Santana e Melim comprovam a ‘projotização’ do pop brasileiro. O astro sertanejo fala de uma relação sofrendo um “Choque Térmico”, enquanto a cantora do trio carioca de MPB pop reclama que foi botada na geladeira por seu pretendente, em “Gelo”. Em análise em vídeo, o G1 explica por que compositores parecem escrever letras românticas tentando soar eruditas, com descrições e trocadilhos meio exagerados ao estilo do rapper Projota.

Brasileirão

Gols do Fantástico: Flamengo assume a liderança do Brasileirão após vitória

Gols do Fantástico: Flamengo assume a liderança do Brasileirão após vitória

O Brasileirão tem um novo líder após o Flamengo vencer o Ceará, no Castelão. O time carioca chegou aos mesmos 33 pontos do Santos, mas assumiu a ponta por ter melhor saldo de gols. O Peixe abriu três gols, mas cedeu o empate para o Fortaleza.

Vasco bateu o São Paulo, em jogo que foi paralisado após gritos homofóbicos nas arquibancadas. Já o Corinthians perdeu a chance de entrar no G-4 ao empatar com o lanterna Avaí.

Curtas e Rápidas:

Desligou no final de semana? Não arranjou tempo para se informar nos últimos dois dias? Veja algumas das principais notícias do sábado e do domingo:

 

Palocci diz que usou dinheiro da ‘conta’ Lula de R$ 15 milhões para pagar passeio de Dilma

Antonio Palocci afirmou à Polícia Federal em sua delação premiada que usou R$ 250 mil da “conta” Lula de R$ 15 milhões acertada com o dono do BTG Pactual André Esteves para pagar despesas da viagem de descanso da ex-presidente Dilma Rousseff, para a Bahia, após sua vitória nas eleições em 2010.

Eleita no segundo turno sucessora de Lula, Dilma viajou no dia 3 de novembro para uma praia paradisíaca em Itacaré, na Bahia, onde ficou na mansão alugada do empresário paulista João Paiva Neto. Palocci diz que pagou o jato e outros custos como a locação do imóvel com o dinheiro acertado com Esteves.

“O colaborador usou parte desses recursos, cerca de R$ 250 mil, para arcar com despesas da viagem de descanso que Dilma Rousseff fez após vencer a eleição em 2010”, registra o termo de delação 9 de Palocci, anexados nos autos da Operação Pentiti, a fase 64 da Lava Jato deflagrada nesta sexta, 23.

A Pentiti apura supostos crimes de corrupção envolvendo o BTG Pactual e a Petrobrásna exploração do pré-sal e ‘em projeto de desinvestimento de ativos’ na África. Entre os alvos da operação estão a ex-presidente da estatal, Graça Foster, e André Esteves. De acordo com a PF, os supostos crimes podem ter causado prejuízo de ao menos US$ 1,5 bilhão, o que equivaleria a cerca de R$ 6 bilhões de reais hoje.

“O colaborador usou parte desses recursos, cerca de R$ 250 mil, para arcar com despesas da viagem de descanso que Dilma Rousseff fez após vencer a eleição em 2010”, registra o termo de delação 9 de Palocci, anexados nos autos da Operação Pentiti, a fase 64 da Lava Jato deflagrada nesta sexta, 23.

A Pentiti apura supostos crimes de corrupção envolvendo o BTG Pactual e a Petrobrásna exploração do pré-sal e ‘em projeto de desinvestimento de ativos’ na África. Entre os alvos da operação estão a ex-presidente da estatal, Graça Foster, e André Esteves. De acordo com a PF, os supostos crimes podem ter causado prejuízo de ao menos US$ 1,5 bilhão, o que equivaleria a cerca de R$ 6 bilhões de reais hoje.

Palocci assumiu responsabilidade sobre a destinação dos recursos acertados com Esteves para patrocinar a viagem de descanso de Dilma.

Levantamento. A Polícia Federal buscou elementos para comprovar o que dizia Palocci em sua delação. O acordo fechado com a PF em 2018 e homologado no Tribunal Regional da 4.ª Região (TRF-4) – a segunda instância da Lava Jato – pelo desembargador João Pedro Gebran Neto.

A Informação de Polícia Judiciária 102/2018, entregue ao delegado Filipe Hille Pace, registra recortes de notícias sobre a viagem de Dilma à Bahia, após a eleição, dados sobre aeronave e os gastos com o passeio – que segundo informaram à época teria sido custeada pelo ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos (que morreu em 2014).

“De acordo com os relatos do criminoso colaborador Antônio Palocci Filho formalizados junto aos termos de colaboração premiada, em síntese apertada, o mesmo sustenta a hipótese de que a pessoa de André Santos Esteves, seria o responsável por administrar recursos ocultos da pessoa de Luiz Inácio Lula da Silva, com o auxílio da estrutura financeira do banco BTG Pactual”, informa o documento.

“Tendo, inclusive, tais recursos ilícitos sido utilizados para pagamento de custos da campanha presidencial de 2010 da pessoa de Dilma Vana Rousseff, bem como sua viagem de descanso para Itacaré/BA após o pleito eleitoral.”

Segundo Palocci afirma na delação, pelo menos R$ 5 milhões dos R$ 15 milhões acertados foram usados para custear restos dos gastos da campanha presidencial, como pagamentos para agência de publicidade e a viagem de descanso. O dinheiro foi sacado pelo seu ex-braço direito Branislav Kontic, em diversas visitas que fez ao banco.

No Termo 7 da delação de Palocci ele conta ainda que “tratou-se de viagem cara, na qual houve o fretamento de jato particular e hospedagem da candidata vencedora e de equipe em luxuoso imóvel”.

As despesas a viagem foram oficialmente e publicamente arcadas por Marcio Thomaz Bastos, sendo ele posteriormente ressarcido com os valores de propina”

Branislav Kontic levou os recursos ao escritório do advogado. Palocci diz que nem Esteves soube da destinação dos valores nem Bastos sabia da origem ilícita do reembolso.

“Assume a completa responsabilidade por essa operação.”

A PF produziu ainda documentos sobre o jato usado na viagem, sobre o contrato feito para locação da mansão em que a ex-presidente ficou hospedada, entre outras.

O contrato de locação do imóvel feito com o empresário paulista foi assinado pelo então governador da Bahia, Jaques Wagner – ex-ministro da Casa Civil de Dilma. O dono enviou à PF um documento e informou que a casa tinha sido alugada para Wagner. No material há um recibo com data de 8 de novembro de 2010 que registra pagamento de R$ 12 mil pelo ex-govenador por meio de um cheque, pela locação da casa entre os dias 3 e 7 de novembro.

COM A PALAVRA, DILMA ROUSSEFF

A propósito das supostas novas declarações do senhor Antônio Palocci, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff registra:

Mais uma vez, o senhor Antônio Palocci mente em delação premiada, tentando criar uma cortina de fumaça porque não tem provas que comprometam a idoneidade e a honra da presidenta Dilma.

É fantasiosa a versão de que ela teria “dado corda” para a Lava Jato “implicar” Lula. Isso não passa de uma tentativa vazia de intrigá-la com o presidente Lula.

Na verdade, a delação implorada de Palocci se constitui num dos momentos mais vexaminosos da política brasileira, porque revela o seu verdadeiro caráter.”

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

CHAMARAM SÃO-PAULINOS DE VIADOS: Árbitro relata homofobia em Vasco x São Paulo e time carioca pode perder pontos

O árbitro Anderson Daronco relatou neste domingo na súmula da partida entre Vasco e São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro, em São Januário, a ocorrência de um ato homofóbico praticado pela torcida do time carioca. No segundo tempo, parte do público presente entoou o canto “time de viado”, atitude que pode render punições, como a perda dos pontos conquistados dentro de campo.

A súmula, publicada no site da CBF, consta que o árbitro inclusive paralisou a partida para interromper o canto homofóbico. “Aos 19 minutos do segundo tempo, a partida foi paralisada para informar ao delegado do jogo e aos capitães de ambas as equipes a necessidade de não acontecer novamente e para informar no sistema de som do estádio o pedido para que os torcedores não gritassem mais palavras homofóbicas”, diz o texto.

Daronco conversou primeiramente com o técnico do Vasco, Vanderlei Luxemburgo, que prontamente se virou para as arquibancadas e pediu para os torcedores pararem com as manifestações. Dentro de campo, a equipe carioca venceu por 2 a 0, com gols no segundo tempo marcados por Talles Magno e Fellipe Bastos e se afastou das últimas posições na tabela.

A ocorrência de atos homofóbicos pode punir os clubes a partir desta rodada. Na segunda-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) recomendou que as atitudes preconceituosas passassem a ser relatadas nas súmulas. Os casos podem render a perda de três pontos, pois devem ser enquadrados no artigo 243-G do Código Disciplinar (praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência).

Na última semana, o Estado procurou os 20 clubes da Série A. A maioria deles manifestou ser contra receber punição por atitudes da torcida e prometeu realizar campanhas de conscientização para não correr o risco de possíveis penalidades. Em nenhuma outra partida da rodada foi registrada até agora um outro incidente do mesmo tipo.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

No Facebook, perfil de Bolsonaro ri de ofensa à primeira-dama da França

O perfil do presidente Jair Bolsonaro na rede social Facebook postou uma mensagem de risadas após um comentário ofensivo sobre a primeira-dama da França, Brigitte Macron, feito por um de seus seguidores. Bolsonaro e o presidente francês,  Emmanuel Macron, vêm trocando farpas desde que a crise de incêndios florestais do Brasil tomou as manchetes do mundo, na última semana.

Em um post em que falava da Amazônia, um dos seguidores da página do presidente postou uma montagem com duas fotos. Na de cima, Brigitte aparece atrás de Macron e, na de baixo, o presidente aparece com a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, à frente. Ao lado das fotos, há um texto dizendo “Entende agora pq Macron persegue Bolsonaro?” A página do presidente da República respondeu ao seguidor com “não humilha cara. kkkk”.

Macron tem sido uma das vozes mais ativas nas críticas internacionais às queimadas que estão ocorrendo na Floresta Amazônica. E se tornou alvo das queixas do governo brasileiro, sobretudo do grupo militar, que reclama de intervenção externa e ameaça à soberania na região.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Humorista Marcelo Madureira é expulso de carro de som após crítica a Bolsonaro

O humorista Marcelo Madureira – Ricardo Borges-6.dez.18/Folhapress

O humorista Marcelo Madureira foi expulso de um carro de som após fazer críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Madureira falava durante protesto contra o projeto que endurece punições para situações de abuso de autoridade, realizado neste domingo (25), em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro.

Ele reclamou de um suposto acordo com o ministro do STF Gilmar Mendes para paralisar a Lava Jato.

“Não tenho medo de vaias. Votei no Bolsonaro e vou criticar todas as vezes que for necessário”, disse ele, em discurso. “Como justificar uma aliança do Jair Bolsonaro com o Gilmar Mendes para acabar com a Operação Lava Jato? É isso que está acontecendo.”

O discurso foi interrompido aos gritos de “fora” e “desce daí”. O humorista foi escoltado pela Polícia Militar até entrar em um táxi.

Numa rede social, Madureira disse que “voto não é cheque em branco” e criticou outras medidas de Bolsonaro, como a interferência na Polícia Federal e o discurso sobre a área ambiental. “Uma meia dúzia de pessoas que não sabem o que é democracia acham que me intimidam. Eu Rio disso”, afirmou.​

Ao menos 19 estados e o Distrito Federal realizaram neste domingo manifestações contra o projeto de lei contra abuso de autoridade, que foi aprovado pelo Congresso e aguarda sanção do presidente Bolsonaro.

Foram registrados atos em todas as regiões do país. No Sudeste, ocorreram em São Paulo, Rio, Minas Gerais e Espírito Santo. No Sul, houve manifestações no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, enquanto no Centro-Oeste os atos foram realizados em Goiás e no Distrito Federal.

Já no Nordeste, houve manifestações em Pernambuco, Paraíba, Piauí, Bahia, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe e Alagoas. No Norte, Pará, Amazonas e Tocantins sediaram protestos.

Em São Paulo, o ato na avenida Paulista, no centro da cidade, contou com um boneco gigante do ex-juiz Sergio Moro (atual ministro da Justiça) com a frase “Mexeu com o Moro, mexeu com o povo brasileiro”.

No último dia 14, a Câmara aprovou projeto que torna mais rígidas as punições para agentes públicos, como juízes e promotores, que cometam abuso de autoridade.

A proposta é alvo de polêmicas. De um lado, procuradores, juízes e policiais afirmam que pode abrir margem para punir quem combate o crime organizado e a corrupção. De outro, advogados e entidades de defesa dos direitos humanos argumentam que o projeto evita abusos e não pune quem age corretamente.

FOLHAPRESS

Comments

MORATÓRIA PRECATÓRIOS: Senado negocia pacto que atinge 1 milhão de credores

O Senado Federal prepara uma moratória no pagamento de precatórios com potencial para prejudicar mais de um milhão de credores no país.

A medida é uma das contrapartidas negociadas pelo governo Bolsonaro (PSL) no chamado pacto federativo para aprovar a reforma da Previdência no Legislativo.

Pelo acordo costurado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), será prorrogado de 2024 para 2028 o prazo para que estados, o Distrito Federal e os municípios quitem suas dívidas.

Se aprovada, será a sexta moratória, incluindo a concedida pela Constituição de 1988 que estabeleceu um prazo de oito anos para a quitação. A última foi há menos de dois anos, ocasião em que o limite foi de 2020 para 2024.

Precatório é uma ordem de pagamento que o Judiciário emite ao cobrar dívidas dos entes públicos após condenações definitivas.

Podem ser alimentares, quando são referentes a salários, aposentadorias, pensões e indenizações por morte e invalidez, ou de natureza comum, decorrentes de situações como desapropriações de imóveis e tributos.

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) estima, em uma avaliação preliminar, que a dívida total em precatórios some R$ 141 bilhões. A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) contabiliza em mais de 1 milhão os credores na fila de espera dos pagamentos.

Fila que, além de longa, costuma ser muito lenta, demorando décadas frequentemente. Há caso de pessoas que aguardam pelos depósitos desde os anos 80.

Nas listas disponibilizadas pelo Judiciário é bastante comum observar situações em que os credores originais faleceram e seus filhos e até mesmo netos continuam na fila para receber os valores.

O aposentado Mario Lucio Nogueira, 66, aguarda o pagamento de um precatório do seu pai, morto em 2008. A ação contra o Estado de São Paulo foi iniciada em 1991 e gerou precatório em 2014.

Pelos seus cálculos, deve render mais de R$ 100 mil à família, quando for pago. “Meu pai era da extinta guarda civil e se aposentou como tenente”, conta. “Não fizeram a devida correção salarial, ele entrou na Justiça e ganhou.”

Segundo o Tribunal de Justiça, o precatório que Nogueira e seus dois irmãos aguardam está na posição 5.626 da fila de pagamento.

“Alguns escritórios já quiseram comprar o precatório. Há cerca de três anos, ofereceram pagar R$ 17 mil para cada um de nós, mas não aceitamos, porque o valor que temos para receber é bem maior”, diz.

O advogado Flávio Brando classifica a demora nos pagamentos como “terror institucional”. “Ninguém aguenta mais ver seus idosos morrendo sem receber seus legítimos créditos”, afirma Brando.

A emenda que autoriza o novo adiamento nos pagamentos, do senador José Serra (PSDB), foi assinada por 29 dos 81 senadores.

A justificativa é a continuidade da crise fiscal e a dificuldade que estados e municípios enfrentam para equilibrar seus orçamentos.

“Os gestores precisam garantir a prestação de serviços públicos básicos à sociedade, como educação, segurança e saúde”, afirma o texto.

Nas listas disponibilizadas pelo Judiciário é bastante comum observar situações em que os credores originais faleceram e seus filhos e até mesmo netos continuam na fila para receber os valores.

O aposentado Mario Lucio Nogueira, 66, aguarda o pagamento de um precatório do seu pai, morto em 2008. A ação contra o Estado de São Paulo foi iniciada em 1991 e gerou precatório em 2014.

Pelos seus cálculos, deve render mais de R$ 100 mil à família, quando for pago. “Meu pai era da extinta guarda civil e se aposentou como tenente”, conta. “Não fizeram a devida correção salarial, ele entrou na Justiça e ganhou.”

Segundo o Tribunal de Justiça, o precatório que Nogueira e seus dois irmãos aguardam está na posição 5.626 da fila de pagamento.

“Alguns escritórios já quiseram comprar o precatório. Há cerca de três anos, ofereceram pagar R$ 17 mil para cada um de nós, mas não aceitamos, porque o valor que temos para receber é bem maior”, diz.

O advogado Flávio Brando classifica a demora nos pagamentos como “terror institucional”. “Ninguém aguenta mais ver seus idosos morrendo sem receber seus legítimos créditos”, afirma Brando.

A emenda que autoriza o novo adiamento nos pagamentos, do senador José Serra (PSDB), foi assinada por 29 dos 81 senadores.

A justificativa é a continuidade da crise fiscal e a dificuldade que estados e municípios enfrentam para equilibrar seus orçamentos.

“Os gestores precisam garantir a prestação de serviços públicos básicos à sociedade, como educação, segurança e saúde”, afirma o texto.

O estado tem uma dívida em precatórios estimada em cerca de R$ 15,7 bilhões. O orçamento de 2019 é de R$ 57,8 bilhões. O adiamento do prazo de quitação dos precatórios para 2028 aliviaria o cronograma de desembolsos.

O advogado Marco Antonio Innocenti, presidente da Comissão de Estudos de Precatórios do Instituto dos Advogados de São Paulo, diz que, em vez de apoiar nova moratória, estados e municípios deveriam fazer a lição de casa.

“Há atualmente muitos instrumentos que podem ser utilizados para a liquidação dos débitos sem prejuízo para os serviços públicos”, afirma.

Innocenti diz, por exemplo, que a legislação permite o uso de depósitos judiciais (valores envolvidos em litígios, retidos pelo Judiciário até a sentença) para o pagamento de precatórios, bem como a possibilidade de deságios em acordos para a antecipação dos pagamentos.

Para o advogado Flávio Brando, a solução do problema dos precatórios passa pela securitização das dívidas, com o lançamento de títulos no mercado financeiro.

“Uma nova moratória será um indicativo de insegurança jurídica, desordem nas contas públicas e incapacidade gerencial quando existem soluções de mercado”, afirma Brando. “A imagem do país ficará arranhada”.

Presidente da Comissão de Precatórios da OAB, Eduardo Gouvêa afirma que a entidade recorrerá ao Supremo Tribunal Federal caso a nova moratória seja aprovada. “Como naquela frase atribuída a Albert Einstein, ‘insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes’”, afirma.

FOLHAPRESS

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Por G1 RN

25/08/2019 15h24  Atualizado há 12 horas


NATAL, 15h25: Manifestantes se concentram na calçada de shopping na Zona Leste — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

NATAL, 15h25: Manifestantes se concentram na calçada de shopping na Zona Leste — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

Manifestantes fizeram um ato na tarde deste domingo (25), em Natal, em defesa da operação Lava Jato e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, além de apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Eles também pediram veto total à lei do abuso de autoridade, aprovada pelo Congresso, e impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A concentração teve início por volta de 15h, na calçada do Midway Mall, na esquina das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira, no bairro Tirol, na Zona Leste da capital potiguar. Os manifestantes estavam vestidos com roupas nas cores verde e amarela, predominantemente. Alguns empunhavam a bandeira nacional.

Por volta das 16h, os manifestantes começaram a fazer discursos no carro de som, com falas em apoio a Bolsonaro e pedindo o impeachment dos ministros do STF, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Alexandre de Morais.

NATAL, 16h20: manifestantes fazem discursos em cima de trio elétrico estacionado na avenida Salgado Filho. Via segue aberta ao tráfego de veículos. — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

NATAL, 16h20: manifestantes fazem discursos em cima de trio elétrico estacionado na avenida Salgado Filho. Via segue aberta ao tráfego de veículos. — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

Os manifestantes também recitaram a oração do Guerreiro da Selva – em referência à Amazônia – defendendo a independência do país sobre a gestão da floresta que está em seus limites e gritaram “fora ONGs internacionais”.

Durante o protesto, o trânsito seguiu fluindo normalmente na região, exceto por uma faixa da avenida Salgado Filho, onde um trio elétrico e outros carros ficaram estacionados. O ato foi encerrado por volta das 17h50, após os manifestantes orarem e cantarem o hino nacional.

O ato foi convocado por movimentos como o Radar RN, Endireita Natal e Força Democrática.

NATAL, 16h30: Manifestantes usam cartazes contra 'lei do abuso'. — Foto: Reprodução

NATAL, 16h30: Manifestantes usam cartazes contra ‘lei do abuso’. — Foto: Reprodução

Fonte: G1RN

 

Por G1 RN

25/08/2019 13h45  Atualizado há 16 horas


Homem foi preso com quase 30 aves silvestre em estrada do RN — Foto: PRF/Divulgação

Homem foi preso com quase 30 aves silvestre em estrada do RN — Foto: PRF/Divulgação

Durante uma fiscalização, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 28 pássaros da fauna silvestre regional, na BR-226, em Triunfo Potiguar, região Oeste do estado. O caso aconteceu no final da tarde deste sábado (24). As aves foram encontradas presas em gaiolas dentro de um carro.

Ao todo, foram resgatados 27 azulões e um golinha. Os pássaros estavam em gaiolas, no interior de um Crossfox, com placas da cidade de Martins, também na região Oeste.

Segundo a PRF, os policiais encontraram sob o banco do motorista, 18 aves do tipo azulão e um golinha. Em uma outra gaiola, que estava no porta-malas do veículo, foram achados mais nove azulões.

“Os pássaros estavam em um ambiente muito apertado, o que poderia levá-los a morte”, informou a corporação.

Aves resgatadas pela PRF estavam em gaiolas dentro de carro, no RN — Foto: PRF/Divulgação

Aves resgatadas pela PRF estavam em gaiolas dentro de carro, no RN — Foto: PRF/Divulgação

O passageiro, um homem de 38 anos, assumiu ser o dono das aves, porém não apresentou nenhuma licença ou autorização para o transporte das aves. Ele ainda informou ainda que havia adquirido os pássaros, em uma comunidade na Serra de João do Vale, na cidade de Jucurutu e estaria levando os bichos para a cidade de Martins.

De acordo com a PRF, o caso é um flagrante crime ambiental e, diante disto, o veículo, os pássaros e o passageiro foram encaminhados à Polícia Ambiental de Caicó.

Ainda conforme a PRF, o Art. 29, parágrafo 1°, da lei 9.605/98, que trata dos crimes contra o meio ambiente, a pessoa infratora está sujeito a uma pena de detenção de seis meses a um ano, e multa.

Fonte: G1RN

Continuar lendo PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

PONTO DE VISTA: “VETA TUDO” É A PALAVRA DE ORDEM E O RECADO PARA BOLSONARO

Caro(a) leitor(a),

O que ficou patente nas manifestações deste domingo foi o desejo do povo que o presidente Jair Bolsonaro VETE TUDO no projeto de lei do Abuso de Autoridade. A palavra de ordem foi: “VETA TUDO”. Essa lei de Abuso de Autoridade, na verdade é um abuso do legislativo com a boa vontade do povo brasileiro que aprovou essa lei na surdina, à margem de um discussão mais profunda que o assunto exige. Da forma como foi feito escancara as segundas intenções dos parlamentares. Portanto, o presidente precisa e deve VETAR TUDO! E que o presidente não ouse desabonar a vontade do povo!

Avenida Paulista treme com “VETA TUDO” Bolsonaro (Veja o Vídeo)

Mais de um milhão de pessoas na avenida Paulista em São Paulo clamando para que o presidente Jair Bolsonaro vete integralmente o Projeto de Lei de Abuso de Autoridade.

Uma grande força também em apoio a Operação Lava Jato, a CPI da Lava Toga e ao encaminhamento dos pedidos de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Sensacional e emocionante.

Veja o vídeo:

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Continuar lendo PONTO DE VISTA: “VETA TUDO” É A PALAVRA DE ORDEM E O RECADO PARA BOLSONARO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTE DOMINGO

Por G1

25/08/2019 17h45  Atualizado há uma hora

Antes do final do mês, agosto já registra mais focos de queimadas na Amazônia que a média dos últimos 21 anos, segundo os dados deste domingo (25) do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

No site do instituto, em 25 dias de agosto, o bioma amazônico registrou 25.934 focos de incêndio, número ligeiramente acima da média da série histórica para este mês (25.853) que abrange os anos entre 1998 e 2018.

O pesquisador do Programa Queimadas do Inpe, Alberto Setzer, confirmou ao G1 que, embora a diferença seja pequena, este mês ultrapassou a média. O especialista alertou que esta diferença deve aumentar considerando que falta uma semana para o fim do mês.

Para a especialista em queimadas do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), Ane Alencar, estes dados confirmam os alertas do Deter de junho e julho sobre o desmatamento que estão diretamente relacionados com os focos de queimadas.

Fonte: Inpe

Por Ana Krüger, G1 — Brasília

25/08/2019 14h36 Atualizado há 3 horas


Governo do Pará apresenta plano de ações no combate às queimadas no estado

Governo do Pará apresenta plano de ações no combate às queimadas no estado

Polícia Federal vai investigar uma série de queimadas registradas no estado do Pará. A informação foi confirmada neste domingo (25) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Reportagem da Revista Globo Rural publicada neste domingo mostra que redes sociais foram utilizadas para convocar o “dia do fogo”, realizado no dia 10 de agosto, quando várias regiões do estado foram incendiadas.

Em uma rede social, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse neste domingo que o presidente Jair Bolsonaro “determinou abertura de investigação rigorosa para apurar e punir os responsáveis pelos os fatos narrados”.

Os fatos a que Salles se refere são os citados na reportagem da Revista Globo Rural.

Na sequência, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, compartilhou a publicação do ministro do Meio Ambiente e disse ter sido contatado neste domingo por Bolsonaro, que pediu apuração rigorosa dos episódios.

“A Polícia Federal vai, com sua expertise, apurar o fato. Incêndios criminosos na Amazônia serão severamente punidos”, afirmou Moro na rede social.

Na última quinta-feira (22), o Ministério Público Federal no Pará informou, em nota, que conduz investigações, em três municípios e na capital paraense, para apurar a “diminuição no número de fiscalizações ambientais na região, a ausência da Polícia Militar do estado no apoio às equipes de fiscalização e o anúncio, veiculado em um jornal de Novo Progresso (sudoeste do estado) convocando fazendeiros para promoverem um ‘Dia do Fogo”.

Também neste domingo, o governo do Pará e representantes das Forças Armadas se reuniram para traçar um plano de ação para o combate às queimadas. O Pará lidera o número de queimadas registradas em agosto em todo o país, segundo dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Forças Armadas

Sete estados brasileiros já pediram ajuda às Forças Armadas para combater as queimadas na Amazônia. São eles:

  • Amazonas
  • Acre
  • Rondônia
  • Roraima
  • Mato Grosso
  • Pará
  • Tocantins

No sábado (24), o Ministério da Economia aprovou a liberação de R$ 38,5 milhões para o combate de queimadas na região da Amazônia. O dinheiro liberado estava bloqueado no orçamento da pasta.

Forças armadas e Governo do Pará planejaram ações de enfrentamento a queimadas. — Foto: Polícia Civil

Forças armadas e Governo do Pará planejaram ações de enfrentamento a queimadas. — Foto: Polícia Civil

Na sexta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro assinou um decretoautorizando as Forças Armadas a atuar no combate ao fogo na região da Amazônia Legal, que compreende os sete estados da região Norte, além de Maranhão e Mato Grosso.

Para a medida passar a valer, é preciso que o governador de cada estado solicite oficialmente a ajuda federal. A ação das tropas federais na Amazônia começou no sábado (24), na região de Porto Velho, capital de Rondônia.

As queimadas na floresta amazônica geraram uma crise para o Palácio do Planalto nos últimos dias. A política ambiental de Bolsonaro gerou críticas no Brasil e no exterior.

Na sexta-feira, depois de uma semana de desgaste, o presidente, além de acionar as tropas federais, fez um pronunciamento em rádio e TV dizendo que terá tolerância zero com crimes ambientais.

De acordo com a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), 2019 é o pior ano de queimadas na Amazônia brasileira desde 2010.

Nesta semana, a Nasa divulgou várias imagens que mostram pontos de queimadas em Rondônia. A fumaça pôde ser vista do espaço.

Fonte: G1

Davi se aproxima de Renan e trata ex-adversários como conselheiros no Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), renovou sua roda de aliados, afastando-se de alguns nomes que o ajudaram a chegar ao comando do Legislativo e aproximando-se de ex-adversários como Renan Calheiros (MDB-AL), seu antagonista na disputa pelo comando da Casa no início de 2019.

A mudança no círculo mais próximo incomodou alguns antes vistos como conselheiros de confiança de Davi.

“Já cumpri este papel [de conselheiro], o ajudei nesta eleição. Agora tenho sido menos procurado e, consequentemente, menos ouvido. Não sou afeito a ficar paparicando o poder”, disse o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), presença frequente ao lado de Davi ao menos até antes do recesso do meio do ano.

Apesar de dizer que ainda mantém uma relação pessoal com seu colega de bancada do Amapá, Randolfe afirma que Davi costumava ouvir mais no primeiro semestre o grupo que o levou à presidência como o nome anti-Renan.

Hoje, o aliado de outrora o vê como um político mais alinhado ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e ao MDB, sigla que enfrentou em fevereiro.

“Não é um bom caminho ele se aproximar umbilicalmente com o presidente Bolsonaro e ter como única interlocução o MDB. Me preocupa [a aproximação com nomes do MDB] porque quero que o Davi dê certo”, afirmou Randolfe.

O líder da oposição integra um grupo pluripartidário de 21 senadores intitulado “Muda, Senado! Muda, Brasil”, que se considera independente.

São parlamentares de 9 dos 17 partidos com representação na Casa: PSD, Podemos, Cidadania, Rede, Patriota, PSB, PP, PSDB e PSL.

Eles tentam abrir um diálogo com o presidente do Senado para pressioná-lo a destravar uma pauta com temas ligados ao Judiciário: pedidos de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal e CPI da Lava Toga, que teve um requerimento de criação rejeitado, outro engavetado e um terceiro está em fase de coleta de assinaturas.

Integrantes do grupo também cobram uma promessa de Davi ao ser eleito: voto aberto em todas as situações.

“Queremos sentar com ele, mas ele está adiando. Não dá mais para esperar. Isso está incomodando. Esperamos que haja esta sensibilidade porque já tivemos paciência no primeiro semestre”, afirmou o senador Eduardo Girão (Podemos-CE).

Girão foi um dos principais articuladores dos senadores que se reuniram, no início do ano, para escolher um candidato capaz de enfrentar Renan, então desgastado entre o eleitorado por ser associado à “velha política”.

“Se estivermos próximos a ele, não vai ter só o lado tradicional, haverá opinião diferente”, disse o senador Plínio Valério (PSDB-AM), que também integra o grupo.

Folhapress

Comments

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que pelo menos 37% da população brasileira, cerca de 60 milhões de pessoas, convivem com a dor gerada pela má postura ao manusear os smartphones. O número já é mais do que a média mundial que é de 35%.

Segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), os celulares ativos já somam 230 milhões no Brasil, um crescimento de 10 milhões em comparação com 2018 .O Brasil tem mais dispositivos digitais do que brasileiros, uma média de dois smartphones, notebooks, computadores ou tablets por habitante.

Por isso, profissionais da saúde estão alertando os usuários com relação à postura ao utilizar os aparelhos. Se não for corrigida, pode gerar dor crônica e lesões que podem até precisar de cirurgia.

A ortopedista do Grupo Notedrame Intermédica, Liége Mentz-Rosano, explicou que o uso do celular faz com que a pessoa fique em uma posição viciosa, levando o pescoço a fazer uma flexão, que eleva o peso carregado pela região.

“Quando ficamos em uma posição neutra de zero graus, é exercida uma força de cinco quilos. À medida em que vamos dobrando o pescoço e fazendo uma curva, o ângulo aumenta e a pressão exercida ao chegar em 30 graus será de 18 quilos. Aos 60 graus, chega em 30 quilos”, destacou.

Segundo Liège, isso leva à sobrecarga nos discos, que são como borrachinhas entre cada vértebra, que servem como amortecedores para evitar lesões quando são feitos movimento de impacto, além de serem fundamentais para a mobilidade.

“Essas lesões causadas pelo uso excessivo do celular podem levar à degeneração do disco, que vai formando uma barriga, que nada mais é do que a hérnia de disco. Essas hérnias podem resultar na compressão dos nervos, ocasionando perda de força, formigamento braços, artrose precoce nas pessoas mais jovens, degeneração não só no disco, mas na parte óssea”, disse Liége.

A médica explicou ainda que muitas vezes as lesões da cervical podem levar o indivíduo a sentir dores fortes de cabeça, sem associar os fatos. “Muitas vezes as pessoas têm dor de cabeça e não sabem que é do pescoço. Temos inclusive, visto um aumento grande na incidência de pessoas mais jovens, adolescentes, jovens adultos e até crianças que relatam dor no pescoço e dores de cabeça por conta da lesão.”

Prevenção
Liége reforçou que a prevenção é a melhor forma para evitar esses problemas. Além de manter a postura correta ao manusear o celular, levando-o a uma posição neutra em que se consiga olhar discretamente para baixo, utilizar apoios, ou transferir os aplicativos possíveis para o computador, é preciso fazer exercícios de fortalecimento e alongamento de uma a mais vezes por dia. “Quando fortalecemos a musculatura anterior e posterior, fortalecemos as estruturas do pescoço. Isso protege e ajuda na correção postural.”

De acordo com o responsável técnico de hospital Anderson Benine Belezia, há diferentes métodos de imagem para avaliar a coluna cervical. O primeiro é uma radiografia simples da região, exame simples pelo qual é possível avaliar as estruturas ósseas e ver sinais que podem sugerir problemas no disco intervertebral. O segundo é uma tomografia computadorizada, que tem a maior capacidade de avaliação das estruturas ósseas. Já o terceiro, a ressonância magnética é o que tem melhor capacidade de avaliação de danos nos discos interverterias (hérnias principalmente), podendo avaliar eventuais compressões nervosas e da medula com maior precisão que outros métodos.

“Nos três exames, o médico radiologista avalia as alterações presentes ou não, correlacionando com os dados clínicos informados pelo médico solicitante ou pelo próprio paciente, e fornece uma descrição detalhada dos achados de imagem que poderão nortear o tratamento e manejo clínico ou cirúrgico do paciente”, explicou Belezia.

A nutricionista Jessica Ramos contou que tem o hábito de utilizar o celular de 12 a 15 horas por dia. Foi depois de concluir seu mestrado – momento em que teve mais tempo para ficar no celular – que começou a sentir mais dores no pescoço, irradiando para o ombro e braço. “Até meus dedos doem ao digitar. Eu acredito que esteja associado ao uso excessivo do celular. A médica me pediu para fazer alguns exames e me passou medicações leves. Agora estou tomando mais cuidado com a postura, tentando usar o fone de ouvido nas ligações e quando mando mensagem colocar a postura mais ereta possível”, disse.

Agência Brasil

Bolsonaro pede que PF investigue “dia do fogo” após pecuarista lançar suspeitas sobre ICMBio

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) pediu neste domingo (25) que o ministro Sergio Moro (Justiça) determinasse a investigação do “dia do fogo” pela Polícia Federal.

Ficou conhecido por esse nome o dia 10 de agosto, quando houve uma explosão de focos de incêndio no sudoeste do Pará. Fazendeiros do entorno da BR-163 anunciaram nesta data queimadas na região.

O caso já estava sendo apurando pelo Ministério Público Estadual do Pará em Novo Progresso. Há dez dias, o órgão afirmou ter acionado a Polícia Civil e já ter ouvido três pessoas. Somente neste domingo o governo Bolsonaro anunciou apuração sobre o tema.

“Sim, fui contatado hoje mesmo pelo presidente Jair Bolsonaro sobre o fato e solicitando apuração rigorosa. A Polícia Federal vai, com sua expertise, apurar o fato. Incêndios criminosos na Amazônia serão severamente punidos”, escreveu Moro no Twitter neste domingo.

A manifestação do governo Bolsonaro sobre o “dia do fogo” coincide com a publicação neste domingo de uma reportagem do Globo Rural. O texto traz uma declaração de uma pecuarista identificada como Nair Brizola, do município de Cachoeira da Serra. Sem mostrar fotografias ou outras evidências materiais, ela diz ter visto carros do ICMBio sendo usados para atear fogo no local.

O ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) é um órgão governamental vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

“Esse povo, se eles veem você, eles já vêm armado, já manda você parar, já toma seu celular. Você não pode fazer nada. As caminhonetes que eles andam fazendo esse terror todo, está escrito ICMbio. O presidente Bolsonaro tá certo quando diz que essas Ongs estão botando fogo,” diz trecho da reportagem.

A publicação do Globo Rural foi replicada também pelo ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente).

“O presidente Jair Bolsonaro determinou abertura de investigação rigorosa para apurar e punir os responsáveis pelos fatos narrados”, escreveu Salles em sua conta do Twitter.

Além da declaração da pecuarista, a reportagem diz que “sindicalistas, produtores rurais, comerciantes e grileiros, combinaram através de um grupo de WhatsApp incendiar as margens da BR163, rodovia que liga essa região do Pará aos portos fluviais do Rio Tapajós e ao Estado de Mato Grosso”, diz o texto.

Segundo o texto, a intenção deles era “mostrar ao presidente Jair Bolsonaro que apoiam suas ideias de ‘afrouxar’ a fiscalização do Ibama e quem sabe conseguir o perdão das multas pelas infrações cometidas ao Meio Ambiente.”

Questionado sobre o objetivo da apuração, Salles disse à Folha que a intenção do governo é apurar o episódio como um todo, não interessando quem possa ser o autor dos incêndios.

“O presidente disse que queria apuração para apurar o dia do fogo. Não é pré-determinado. Não importa quem seja [o autor]. Quem for identificado vai ser punido”, disse.

Segundo o ministro, o papel do Ministério do Meio Ambiente é auxiliar a PF nas investigações. Ele disse que a apuração considerará todas as hipóteses e que podem ser investigados tanto os produtores rurais quanto agentes do Ibama e do ICMBio.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) também usou as redes sociais para tratar do caso. Ele publicou a reportagem destacando a declaração em que a produtora rural lança suspeitas sobre agentes do ICMBio.

“É o ICMBio [órgão do governo federal]. Tinha uma moto preta colocando fogo em tudo aqui. E eles foram na minha propriedade com essa moto amarrada em cima da caminhonete deles. Tava escrito lá na porta”, escreveu o senador, filho mais velho do presidente Bolsonaro.

“Isso aí, ministro Ricardo Salles. Caso se confirme essa aberração, ficará evidente que o boicote ao governo existe e vem de pessoas infiltradas nos próprios órgãos oficiais. Siga firme na missão!”, complementou Flávio.

Folhapress

Comments

Grupo usou whatsapp para convocar “dia do fogo” no Pará

Foto: Emiliano Capozoli/Revista Globo Rural

Em Altamira, no Pará, município que lidera o número de incêndios e desmatamentos no Brasil, o Distrito de Cachoeira da Serra, um dos polos agrícolas mais disputados pelos agricultores, ainda repercute a maior queimada da história do Pará, que aconteceu no dia 10 de agosto. Essa data vai ficar lembrada para sempre por aqui como o “Dia do Fogo”.

Já se sabe que mais de 70 pessoas – de Altamira e Novo Progresso — entre sindicalistas, produtores rurais, comerciantes e grileiros, combinaram através de um grupo de whatsApp incendiar as margens da BR-163, rodovia que liga essa região do Pará aos portos fluviais do Rio Tapajós e ao Estado de Mato Grosso. A intenção deles era mostrar ao presidente Jair Bolsonaro que apoiam suas ideias de “afrouxar” a fiscalização do Ibama e quem sabe conseguir o perdão das multas pelas infrações cometidas ao Meio Ambiente.

A pedido do Ministério Público de Novo Progresso, o Delegado Daniel Mattos Pereira, da Polícia Civil, já ouviu algumas pessoas ligadas ao “Dia do Fogo”, até agora ninguém foi preso.

As delegacias dos municípios de Castelo dos Sonhos e Novo Progresso receberam inúmeras denúncias de produtores rurais que se dizem prejudicados pelas queimadas.

Muitos perderam cercas, pastagens, lavouras e animais, tudo devorado pelo fogo. Depois que a denúncia do “Dia do Fogo” veio a público, uma nova versão circula por toda a região. A pecuarista Nair Brizola, de Cachoeira da Serra, faz eco a uma história que ouvimos em toda parte. Ela nos procurou quando circulava pela estrada da “Bucha”, onde nossa equipe documentava uma queimada.

–“Vocês são do meio ambiente?”, gritou ela de dentro de sua caminhonete.
-“Não. Somos jornalistas.”
– “Que ótimo. Que ótimo,“ diz em seguida.
– “Quem está colocando fogo por aqui?”, pergunto a ela
– “É o ICMBio [a sigla se refere ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade]. Tinha uma moto preta colocando fogo em tudo aqui. E eles foram na minha propriedade com essa moto amarrada em cima da caminhonete deles. Tava escrito lá na porta”

Sem saber que nossa conversa estava sendo gravada, dona Nair continua:

– “Esse povo, se eles veem você, eles já vêm armado, já manda você parar, já toma seu celular. Você não pode fazer nada. As caminhonetes que eles andam fazendo esse terror todo, está escrito ICMbio. O presidente Bolsonaro tá certo quando diz que essas Ongs estão botando fogo,” completa ela.
– “Mas, ele andou falando também que pode ser os fazendeiros”, interrogo.
-“Não vou dizer que um ou outro não está fazendo isso, mas esse fogo que colocaram ai na beira da estrada, não é dos fazendeiros.”

Globo Rural

Comments

Nem casamento anima Lula a ir para o semiaberto

Enquanto aguarda a definição do julgamento dos embargos de declaração no caso do tríplex no STJ, Lula segue dizendo que não quer sair da cela para ficar em regime semiaberto.

O petista quer a absolvição ou a anulação da sentença.

Segundo seus interlocutores, seria o primeiro caso de condução coercitiva para progressão de regime.

Comments

País desenvolve tecnologia para lavouras mais resistentes ao calor

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Contornar os efeitos do calor na lavoura tem ocupado os pesquisadores da Embrapa no desenvolvimento de técnicas de plantio, manejo e novas cultivares que garantam a produtividade. É o que acontece, por exemplo, com duas novas variedades criadas de alfaces crespas (folhas verdades) que já estão sendo comercializadas.

A alface registrada como BRS Leila leva mais tempo para florescer e suporta dez dias a mais sob temperatura acima dos 25°C, limite máximo que a hortaliça original tem sua produção favorecida. No caso da BRS Mediterrânea, o metabolismo da planta, ao contrário, é mais precoce e atinge o ponto de colheita sete dias antes do que o tipo mais comum plantado no Brasil e fica menos exposta ao calor.

A elevação das temperaturas repercute na plantação de alface e de outras culturas porque, com mais calor, se intensifica a “evapotranspiração”, termo que reúne a evaporação da água armazenada na planta e a transpiração do solo, que causa deficiência hídrica no cultivo. Temperatura do ambiente e água, junto com a recepção de luz e o gás carbônico, são fatores que alteram a fotossíntese, a capacidade da planta transformar a energia solar em energia química e se desenvolver.

Agência Brasil

Amazonas oficializa pedido, e sete estados já autorizam Forças Armadas no combate a queimadas

O estado de Amazonas oficializou para o governo federal o pedido de atuação de homens das Forças Armadas no combate a queimadas na região.

Com isso, sete estados da Amazônia já liberaram o emprego das tropas federais: Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Pará e Tocantins.

Na sexta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto autorizando as Forças Armadas a atuarem no combate ao fogo na região da Amazônia Legal, que compreende os sete estados da região Norte, além de Maranhão e Mato Grosso. Para a medida passar a valer, é preciso que o governador de cada estado solicite oficialmente a ajuda federal.

A ação das tropas federais na Amazônia começou no sábado (24), na região de Porto Velho, capital de Rondônia. Além do uso de homens das Forças Armadas, o governo enviou aviões de combate ao fogo para a região.

As queimadas na floresta amazônica geraram uma crise para o Palácio do Planalto nos últimos dias. A política ambiental de Bolsonaro gerou críticas no Brasil e no exterior. Na sexta-feira (23), depois de uma semana de desgaste, o presidente, além de acionar as tropas federais, fez um pronunciamento em rádio e TV dizendo que terá tolerância zero com crimes ambientais.

G1

Comments

Notícias sobre queimadas fazem turista cancelar hospedagem em hotéis da Amazônia

Quando os proprietários de hotéis de selva na Amazônia começavam a respirar aliviados porque o fantasma do vírus da zika deixou de espantar turistas estrangeiros em massa, o noticiário internacional levou as cenas de florestas queimadas às telas de seus principais clientes. De acordo com Ricardo Pedroso, presidente da Amazonas Cluster de Turismo — uma associação local que reúne 13 hotéis—, nos últimos dias, os pedidos para cancelar reservas começaram a chegar.

Pedroso relata ter recebido nesta sexta-feira (23) a ligação de uma turista espanhola que, mesmo já tendo desembarcado em Manaus, estava com medo de chegar ao hotel reservado.

Caio Fonseca, sócio do Juma Amazon Lodge, afirma que foi procurado por operadoras de turismo estrangeiras perguntando se seu hotel teria sido prejudicado pelo incêndio. Segundo ele, as queimadas são comuns durante o período de seca, mas a repercussão das declarações do presidente Bolsonaro amplificaram o problema.

Para David Israel, diretor-presidente do Amazon Ecopark, o problema vai passar junto com o período de seca.”Alguns podem até vir pensando ‘Vamos logo, antes que acabem com a Amazônia’”, diz o hoteleiro.

STF nunca teve ministro processado ou afastado por crime comum ou de responsabilidade

Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) foram alvos de 33 pedidos de impeachment nos últimos dez anos no Senado, segundo levantamento feito pela Folha, mas nenhuma das denúncias seguiu adiante.

Das três principais casas da Praça dos Três Poderes, em Brasília (Presidência, Congresso e STF), o Supremo é a única que nunca perdeu um integrante a partir de uma denúncia de crime comum ou de responsabilidade.

A Presidência já teve dois impeachments concluídos, o de Fernando Collor em 1992 e o de Dilma Rousseff em 2016.

Jader Barbalho (MDB-PA) renunciou à presidência do Senado em 2001 em meio a um escândalo de desvios de verbas. Renan Calheiros (MDB-AL) renunciou à presidência do Senado em novembro de 2007 para impedir uma cassação por quebra de decoro.

O STF, que tem essa denominação desde 1890, se mantém a salvo de investigações, cassações ou renúncias estratégicas para evitar processos.

Ao longo dos 128 anos de história do tribunal, nunca ministros foram alvo de investigação ao tempo em que exerceram seus cargos, conforme especialistas consultados pela Folha e o próprio STF.

O episódio mais parecido é de 1969, na fase mais arbitrária da ditadura militar, quando três ministros (Victor Nunes Leal, Hermes Lima e Evandro Lins e Silva) foram aposentados à força.

Em protesto, o presidente do tribunal, Antonio Gonçalves de Oliveira, renunciou. Nesses casos, contudo, não houve nenhuma investigação preliminar, somente uma decisão unilateral dos militares.

Há dois caminhos para investigar um ministro do Supremo, segundo a Constituição: na hipótese de crime comum, por exemplo, corrupção ou homicídio, o próprio STF; no caso de crime de responsabilidade, o Senado.

Entre os crimes de responsabilidade estão proferir julgamento quando, por lei, seja suspeito na causa, exercer atividade político-partidária e “proceder de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro de suas funções”.

Para o advogado Modesto Carvalhosa, a ausência de processos na história do tribunal “retrata a autoproteção das autoridades”.

“É um país só relativamente democrático, onde as leis e a Constituição só existem para os mortais, para o povo. As autoridades não são atingidas pela lei. No cenário atual, um ministro do Supremo em hipótese alguma será atingido pela lei”, disse Carvalhosa.

Nos últimos anos, ele foi o autor de cinco pedidos de impeachment contra quatro ministros do STF: Gilmar Mendes (duas vezes), Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Nenhum dos casos foi à frente.

Um foi arquivado pelo ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e quatro permanecem parados na Casa, após pareceres da Advocacia do Senado terem recomendado a não continuidade das denúncias.

Dos 33 pedidos de impeachment registrados no Senado na última década contra ministros do STF, 17 foram protocolados de janeiro de 2018 até a última sexta-feira (23).

Com a eleição do presidente Jair Bolsonaro, acirraram-se as críticas aos ministros, principalmente ligadas a decisões que tomaram no curso da Lava Jato e retaliações a auditores da Receita Federal.

Em março, ganharam o apoio inédito do partido do presidente. Onze deputados federais do PSL e mais duas pessoas pediram o impeachment de Celso de Mello, Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Alexandre de Moraes porque deram decisão que, segundo os parlamentares, acolheu um pleito da comunidade LGBT. O pedido está na área técnica do Senado.

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que já atuou na defesa de diversos políticos sob investigação no STF, defende que o Senado continue filtrando as denúncias que chegam contra ministros do tribunal.

“É muito bom que esse filtro seja feito não como uma proteção individual para proteger A ou B, mas como garantia da preservação da harmonia entre os Poderes. É bom que os ministros do Supremo saibam que existe essa possibilidade de impeachment, mas também que eles tenham a certeza de que não será usado porque deram uma decisão jurídica contrária a um grupo político”, afirma.

No campo dos crimes comuns, o STF também nunca teve nenhum ministro sob investigação. A Constituição e o Regimento Interno do STF preveem que casos do gênero devem ser processados e julgados pelo próprio plenário do Supremo, mas não há legislação sobre o rito do processo.

O ex-ministro e ex-presidente do STF Sepúlveda Pertence (1989-2007) ressalta que “seria muito simplificador” dizer que uma investigação no STF seria exclusivamente tocada pelo tribunal.

“O processamento contra o ministro é de competência do tribunal. Agora, é claro que essa investigação deve ser encaminhada, no meu entender, à Procuradoria-Geral da República para legitimação de eventual ação penal. E haveria um relator no Supremo que não o acusado, obviamente”, afirmou Pertence, que também foi procurador-geral (1985-1989).

Pertence também entende que a Procuradoria, desde que iniciada a investigação, poderia se valer da ajuda da Polícia Federal. “Uma vez esgotadas as investigações, se de fato surgir algo concreto, aí sim o caso seria encaminhado ao plenário do Supremo, conforme a Constituição e o Regimento Interno.”

Em notas à Folha, o STF e a PGR concordaram que, na hipótese de investigação sobre crime comum, é necessária a participação da PGR.

A Procuradoria também teria o poder de apresentar eventual denúncia. Para a PGR, “caberia a um outro membro da própria Corte [STF] conduzir a investigação, com a participação do procurador-geral da República, que poderá representar pela abertura de investigação, requerer diligências, promover o arquivamento ou denunciar”.

O Supremo informou que “não há registros de julgamento contra ministro do STF” por crime comum na história do tribunal.

Folhapress

Comments

Projetos que poderiam destravar crescimento esbarram em limitações legais

Na viagem que fez a Londres na semana passada, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, apresentou uma carteira de projetos para potenciais interessados que, se levados adiante, vão assegurar ao menos R$ 204 bilhões em investimentos em concessões. Menos de um terço deles, porém, está maduro para ser leiloado até 2020.

A injeção desses recursos na economia —uma das principais apostas para reverter a estagnação e gerar empregos— ficará para a reta final da gestão de Jair Bolsonaro (PSL), no ano eleitoral de 2022.

Quase 70% dos recursos serão aplicados em rodovias, mas há resistência de auditores e ministros do TCU (Tribunal de Contas da União) ao modelo de concessão proposto pelo Executivo.

A corte precisa aprovar os editais dos leilões. Pelo rito de análise no tribunal, o cenário mais provável é que a maior parte dos projetos rodoviários atrase um ano em relação ao cronograma oficial. Isso fará com que dois terços dos investimentos sejam postergados para 2021 e 2022.

Em um desses projetos, ainda em fase de estudos de viabilidade econômica, a proposta é leiloar, de uma só tacada, 26 trechos de estradas que perfazem cerca de 7.200 quilômetros em 14 estados. A expectativa do ministério é que esse leilão seja realizado no terceiro trimestre de 2022 e atraia R$ 53,6 bilhões em investimentos.

Em outro projeto, batizado de “Rodovias Integradas do Paraná”, o governo federal terá de aguardar a devolução de mais de cerca de 1.300 km de vias cedidas pela União ao governo do Paraná, o que ocorrerá em 2021.

Somente esses dois projetos respondem por 43% dos investimentos previstos (R$ 87,2 bilhões) para a gestão de Bolsonaro e devem levar pelo menos um ano para serem analisados pelo tribunal. No cronograma apresentado aos investidores, seriam somente seis meses.

Para acelerar o processo, o ministério buscou padronizar os editais da maior parte das rodovias e criou uma força-tarefa para encaminhar ainda neste ano todos os projetos para consulta pública, processo que costuma durar entre um e dois meses. Depois, os projetos serão finalizados e enviados ao TCU, que analisa cada proposta de edital.

Herdados do governo de Michel Temer, os quatro projetos leiloados neste ano demoraram mais de dois anos para serem liberados porque os auditores pediram correções na minuta do edital.

O primeiro revés para o governo veio com as BRs 364/365, que seguiram a modelagem da RIS (Rodovia de Integração Sul).

A ideia era que a RIS servisse de referência para as demais rodovias. Mas o TCU fez diversos ajustes no projeto das BRs, aprovado em maio deste ano. A rodovia deve ser leiloada em setembro.

Até 2022, o governo espera atrair quase R$ 140 bilhões em investimentos ao longo de 30 anos de concessão de 42 estradas que somam 16,5 mil quilômetros de extensão.

Embora os 37 projetos tenham sido qualificados no PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), 18 ainda estão em fase de estudos de viabilidade econômica. Somente quatro estão sob a análise do TCU. Ministros e técnicos do tribunal afirmam que o ritmo de análise dos projetos de infraestrutura não é lento por má vontade.

Para eles, podem sair no cronograma previsto pelo ministério as BRs 364/365 (entre GO e MG), a BR-101 (SC) e as BRs 040/495 (entre MG e RJ), 116/465/101 (Nova Dutra) e 116/493 (entre RJ e MG). Juntos, esses investimentos somariam R$ 26 bilhões ao longo do prazo de concessão.

Para o TCU, os grandes projetos é que trarão questionamentos pela possibilidade de restrição de competidores no leilão.

Para suportar os investimentos em longas estradas (cerca de mil quilômetros), o governo estará direcionando o certame para grandes grupos, exatamente o que ocorreu nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Os técnicos do TCU consideram que, no caso das Rodovias Integradas do Paraná, o ideal seria dividir a concessão em lotes, diferentemente do que propõe o governo federal.

Nas ferrovias, a situação é ainda mais complicada. A maior parte da carteira de projetos se refere à renovação antecipada dos contratos, e o tribunal faz questionamentos a respeito desde a gestão Temer, quando essa modalidade de concessão ganhou força.

Os estudos aprovados pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) sobre o valor dessas concessões, descontando investimentos não amortizados, não são considerados sólidos por auditores e ministros do TCU.

Por isso, estima-se que dificilmente será possível renovar as concessões de cinco ferrovias (Malha Paulista, Carajás, Vitória-Minas, MRS e FCA) entre o fim deste ano e o primeiro semestre de 2020, conforme propõe o governo.

Dois projetos, a Ferrogrão e a Fiol —ambas de interesse do agronegócio—, sairão do zero. A expectativa é que a Ferrogrão, voltada ao escoamento de grãos do Centro-Oeste, exija mais ajustes do TCU porque o ministério quer delegar a construção dos cerca de 900 quilômetros para um único vencedor, que fará um investimento de R$ 12,7 bilhões.

Os técnicos do tribunal veem chances de que esse edital acabe atraindo somente um competidor, a Vale, o que aumentaria a concentração no eixo Centro-Oeste até o porto de Itaqui (MA).

Na área de portos e aeroportos, há menos controvérsias. O modelo das rodadas anteriores deve prevalecer para a sexta e a sétima etapas.

Os investidores estrangeiros estão especialmente interessados nos blocos que terão como atrativo os aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ). Os investimentos previstos nessa rodada somam R$ 4,5 bilhões ao longo de 30 anos de concessão.

Folhapress

Comments

Papa Francisco pede que incêndios na Amazônia ‘sejam controlados o mais rápido possível’

Foto: Yara Nardi/Reuters

O papa Francisco se manifestou contra queimadas na Amazônia neste domingo, 25. Após a oração tradicional do Ângelus, o pontífice pediu que os incêndios que afetam a área “sejam controlados o mais rápido possível”.

“Estamos preocupados com os incêndios que ocorrem na Amazônia. Esse pulmão florestal é vital para o nosso planeta”, disse o pontífice diante de fiéis reunidos na Praça São Pedro.

Em maio deste ano, o papa Francisco recebeu no Vaticano o líder indígena Raoni, que veio alertar a Europa sobre o desmatamento na Amazônia.

Em 2015, após a publicação da encíclica “Laudato si”, o líder católico denunciou a exploração da floresta amazônica por “enormes interesses econômicos internacionais”.

O papa Francisco convocou para outubro deste ano uma assembleia de bispos para discutir temas sobre a Amazônia e pediu aos católicos do planeta que “rezem para que, graças ao empenho de todos, esses incêndios se extingam o mais rápido possível”.

Neste sábado, 24, o governo federal divulgou que duas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) começaram a atuar no combate a focos de incêndio na Amazônia. O Ministério da Defesa publicou vídeo de um dos aviões, do tipo C-130 Hércules, que despejam água na região.

Embora o presidente Jair Bolsonaro tenha dito que mais de 43 mil militares das Forças Armadas reforçam as ações de combate a incêndios na Amazônia, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, explicou que, do quadro de 44 mil homens atualmente na Região Norte, a quantidade que vai efetivamente atuar nos incêndios “dependerá da demanda de cada Estado”.

“O efetivo é por demanda. Qual é a missão, e a delimitação da área? Então a nossa missão é usar o efetivo mais próximo, se a primeira missão é em Porto Velho. Vamos fazer concentração estratégica vindo de outras áreas da região amazônica, e o deslocamento de outras regiões vai ser de meios aéreos para o emprego na região”, afirmou.

Estadão Conteúdo

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Juvino Barreto recebe pocket show do Cavaleiros do Forró


O Instituto Juvino Barreto receberá um pocket show da Cavaleiros do Forró. Será um momento especial para levar amor, carinho e alegria para a turma da melhor idade.

O evento acontecerá na próxima segunda-feira (26 de Agosto), a partir das 15h e faz parte da comemoração dos “aniversariantes do mês”.

A entrada é franca. Quem puder levar 1kg de alimento não-perecível e/ou produtos de higiene, será super bem vindo para ajudar o instituto.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTE DOMINGO

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: GLOBO TAMBÉM DESMENTE ONDA DE FAKE NEWS SOBRE QUEIMADAS NA AMAZÔNIA

Na coluna ECOLOGIA & MEIO AMBIENTE deste sábado temos os desmentidos feitos pelos correspondentes estrangeiros da Globo sobre as queimadas na Amazônia. É como eu falei, a situação é delicadíssima e precisamos esquecer as diferenças, principalmente a ideológica, e nos unirmos como brasileiros patriotas que zelam pelo país! 

Até a Globo está desmentindo a onda de fake news sobre a Amazônia

Marcos Rocha

Publicado em 24.08.2019

Por  

 

Até a Globo está desmentindo a onda de fake news sobre a Amazônia 21

Reprodução | GloboNews

 

Após a própria Folha de São Paulo desmentir o presidente francês Emmanuel Macron (leia aqui), foi a vez do Grupo Globo denunciar a onda de fake news sobre a Amazônia.

Durante seu comentário no programa ‘GloboNews em Pauta’, o jornalista e correspondente internacional Jorge Pontual afirmou que a polêmica sobre a Amazônia “chegou a um nível de histeria e muitos erros”.

“Infelizmente, o que estamos vendo, é uma repetição de coisas erradas e fotos antigas que são dadas como atuais. É muito triste, porque o desmatamento da Amazônia e as queimadas são problemas seríssimos, mas a reação [frente a tudo isso] perdeu as estribeiras. Veja, por exemplo, o tuíte do presidente da França, existem vários erros, a foto foi publicada em 1989 pelo jornal The Guardian, então o presidente francês devia checar primeiro. A amazônia não é o pulmão do planeta, isso é uma metáfora velha e errada, ela [Amazônia] não produz 20% do oxigênio. Está errado e todo mundo nas redes sociais está repetindo esse erro”, afirmou.

Na edição desta sexta-feira (23) do Jornal Nacional, a emissora desmentiu personalidades que usaram imagens antigas – e de outros lugares – para dar a entender que os acontecimentos se davam na floresta brasileira.

Além do francês Macron, a modelo Gisele Bundchen, o ator Leonardo DiCaprio e o futebolista Cristiano Ronaldo também foram desmentidos pelo telejornal.

Ser desmentido pela Folha de São Paulo e Grupo Globo – os maiores produtores de fake news deste país – não é para qualquer um.

Allan dos Santos@allantercalivre

Até quem produz fake news está chocado com a fake news dos outros.

Vídeo incorporado

Patriotas@PATRlOTAS

Até o Jornal Nacional mostrando que o Macron é um mentiro.

Vídeo incorporado
Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: GLOBO TAMBÉM DESMENTE ONDA DE FAKE NEWS SOBRE QUEIMADAS NA AMAZÔNIA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

 


MP que muda regras trabalhistas e reduz a burocracia no Brasil sofre alterações e deve ser votada hoje. Atos contra os cortes do governo e em defesa da educação são registrados em 85 cidades de todos os estados e do DF. Conselho mantém processo contra Deltan Dallagnol por criticar ministros do STF. PSL expulsa Alexandre Frotaapós o deputado subir o tom contra Bolsonaro. A Justiça manda Roger Abdelmassih voltar para a cadeia. Polícia reprime manifestantes em Hong Kong. Rússia retira moradores de vila após aumento de radiação. E agência diz que o Facebook também transcreveu áudios de conversas de usuários.

NACIONAIS

MP da liberdade econômica

A medida provisória da liberdade econômica, que muda regras trabalhistas e pode reduzir a burocracia no Brasil, deve ser votada ainda hoje na Câmara após sofrer alterações em alguns pontos. A proposta voltou a prever pelo menos um domingo de folga por mês. Antes, o texto previa uma folga em até sete semanas para quem trabalhasse aos domingos.

Atos pela educação

Manifestantes participam de ato em defesa da educação — Foto: Allan Carvalho/AM Press & Images/Estadão Conteúdo

Manifestantes participam de ato em defesa da educação — Foto: Allan Carvalho/AM Press & Images/Estadão Conteúdo

Cidades brasileiras registraram atos em defesa da educação e contra a reforma da Previdência. Até as 20h, 85 cidades de todos os estados e do Distrito Federal haviam tido protestos pacíficos. Em São Paulo, a manifestação contra os cortes de verba do governo bloquearam a Avenida Paulista. No Rio, alunos e professores se reuniram na Candelária.

Processo contra Dallagnol

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) rejeitou um recurso do coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, e manteve um processo contra ele por criticar ministros do STF. A ação foi movida por Dias Toffoli.

Em entrevista à CBN em 15 de agosto de 2018, Dallagnol criticou uma decisão da 2ª Turma do STF que determinou a transferência de termos da delação da Odebrecht da Justiça Federal e Curitiba para a Justiça Eleitoral e Federal do DF.

Dallagnol disse que os ministros que votaram a favor da decisão (Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski) formavam uma “panelinha” e mandavam uma mensagem “muito forte de leniência a favor da corrupção”.

Entre as punições que Dallagnol pode receber estão: advertência, censura, suspensão, demissão.

Frota expulso

O deputado federal Alexandre Frota foi expulso do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. Eleito com 155 mil votos, o parlamentar tem criticado publicamente o governo e se absteve no 2º turno da votação da reforma da Previdência.

Nas redes sociais, Frota subiu o tom contra Bolsonaro nos últimos meses e o parlamentar apagou suas páginas. Em entrevista à revista “Época”, ele afirmou que está cansado e que sai da vida digital porque “esses eleitores são da época Bolsonaro”.

Abdelmassih de volta à prisão

Roger Abdelmassih tem prisão domiciliar suspensa — Foto: Reprodução/GloboNews

Roger Abdelmassih tem prisão domiciliar suspensa — Foto: Reprodução/GloboNews

A Justiça mandou o ex-médico Roger Abdelmassih de volta para a cadeia. Condenado pelos estupros de 37 mulheres, ele cumpria prisão domiciliar e é suspeito de mentir sobre a própria saúde para aliviar a pena. Abdelmassih deve ficar em hospital penitenciário por pelo menos 30 dias.

Alexandre Nardoni

Condenado a 30 anos de prisão por matar a filha, Alexandre Nardoni, também voltou a ficar preso em regime fechado. Ele cumpria pena no semiaberto desde abril, mas Justiça entendeu que só cumprir o tempo exigido para a progressão de pena não seria suficiente, e determinou que ele seja submetido a teste para avaliar o perfil psiquiátrico.

Revolta em Hong Kong

Polícia usa spray de pimenta para dispersar os manifestantes dentro do aeroporto de Hong Kong nesta terça-feira (13). — Foto: Thomas Peter/Reuters

Polícia usa spray de pimenta para dispersar os manifestantes dentro do aeroporto de Hong Kong nesta terça-feira (13). — Foto: Thomas Peter/Reuters

A polícia de Hong Kong foi acionada para agir contra os manifestantes que transformaram o aeroporto internacional em um palco de protestos diários desde a semana passada. Spray de pimenta foi usado contra os manifestantes depois que o terminal voltou a suspender a realização de check-in por causa dos protestos.

A onda de turbulência que abala Hong Kong entrou em sua 11ª semana e não dá sinais de que vá diminuir. As manifestação começaram em junho em resposta a um projeto de lei que previa que pessoas acusadas de crime contra a China poderiam ser extraditadas da região especial. O projeto foi suspenso, mas os manifestantes exigem que seja cancelado por completo.

Alerta de radiação

O campo de testes de Nyonoksa remonta aos tempos soviéticos — Foto: Reuters

O campo de testes de Nyonoksa remonta aos tempos soviéticos — Foto: Reuters

Autoridades russas recomendaram que 500 moradores abandonem temporariamente a vila de Nyonoksa por causa do aumento da radiação.

Uma explosão numa plataforma marítima militar matou 5 cientistas na semana passada. Logo após o acidente, o nível de radiação na região aumentou 16 vezes.

Especialistas ocidentais suspeitam que foi um teste fracassado de um novo míssil movido a energia nuclear. Segundo o governo russo, o acidente foi durante um teste no motor de um foguete.

Tenor suspeito de assédio

Plácido Domingo durante apresentação no Teatro Nacional de Santiago de los Caballeros, na República Dominicana, em janeiro de 2004 — Foto: AP Foto/Miguel Gómez/Arquivo

Plácido Domingo durante apresentação no Teatro Nacional de Santiago de los Caballeros, na República Dominicana, em janeiro de 2004 — Foto: AP Foto/Miguel Gómez/Arquivo

Plácido Domingo está sendo acusado de assédio sexual por nove mulheres, segundo a agência internacional Associated Press. Oito cantoras e uma dançarina alegaram que foram assediadas sexualmente pelo tenor espanhol. Os assédios teriam iniciado na década de 1980.

Em um comunicado, Plácido Domingo afirmou que “as alegações dessas pessoas anônimas datadas de mais de 30 anos atrás são profundamente perturbadoras, e como apresentadas, imprecisas”.

Privacidade em risco

O Facebook pagou funcionários terceirizados para transcrever arquivos de áudio dos usuários do aplicativo Messenger. A agência Bloomberg afirmou que recebeu a informação de pessoas que foram contratadas para realizar o serviço.

A rede social confirmou ao G1 que estava transcrevendo o áudio das conversas dos usuários e disse que abandonou a prática. “Assim como a Apple e o Google, interrompemos a revisão humana de áudios”, disse o Facebook em posicionamento.

Também teve isso…

O ator João Carlos Barroso — Foto: Globo/Estevam Avellar

O ator João Carlos Barroso — Foto: Globo/Estevam Avellar

 

Justiça vive fase de parcialidade, politicagem e bajulação, dizem juristas

Bajulação, corporativismo, politicagem e parcialidade foram alguns dos adjetivos atribuídos por juristas consultados pelo UOL à atual fase da Justiça no Brasil. Nos últimos dias, a população soube pelo noticiário que ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) arquivaram todos os pedidos de suspeição contra seus pares; que o então juiz Sergio Moro orientou a Lava Jato a não apreender celulares do ex-deputado Eduardo Cunha; e até a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, retardou investigações contra o presidente Jair Bolsonaro.

A semana começou com o jornal Folha de S.Paulo revelando que o STF engavetou todos os pedidos de impedimento ou suspeição que já foram analisados contra seus ministros em mais de 30 anos. Uma decisão que violou o próprio regimento do tribunal, que orienta levar esse tipo de caso ao plenário da Corte.

“Não pode um presidente do Supremo contrariar o regimento e decidir monocraticamente uma questão constitucional”, afirma o jurista Walter Maierovitch, desembargador aposentado do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo. “O STF é um órgão colegiado. Todos os ministros deveriam apreciar se há suspeição de seus pares.”

Ex-ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Gilson Dipp já esperava por isso. “É uma coisa velha no Supremo. Já foram engavetados inúmeros pedidos de suspeição, muitos com fundamentos, outros sem”, diz.

Para ele, o “espírito corporativista do Supremo sempre impediu e sempre vai impedir” que prospere alguma contestação a seus membros. “Da mesma forma que um pedido de impeachment no Senado [contra um ministro do STF] jamais vai prosperar, salvo se acontecer algo extraordinário.”

Ainda ontem, revelações do sites The Intercept Brasil e BuzzFeed News indicaram que o ministro Moro (Justiça e Segurança Pública) orientou, quando juiz federal, os procuradores da Operação Lava Jato a não recolherem os celulares de Eduardo Cunha na véspera da prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados.

“Ainda é prematuro tirar conclusão sobre isso porque as provas até o momento são inválidas”, diz o advogado constitucionalista Marcellus Ferreira Pinto. “Mas, se comprovado interesse ideológico, isso pode comprometer o processo e a estabilidade da operação Lava Jato.”

Para Dipp, o conteúdo dos vazamentos “não foi desmentido até agora” pelos interlocutores, o que indica sua autenticidade. “Ele só mostra o modo como se conduziu o processo: com parcialidade e interesse político”, afirma.

Para Ferreira Pinto, é “lamentável” que o Brasil debata “com recorrência” até que ponto essas ações e inquéritos são de natureza política. Mas o “corporativismo”, diz, “é um problema das regras do jogo, do sistema”.

Ele explica, por exemplo, que é competência do presidente da República indicar o procurador-geral da República, que, por sua vez, é a pessoa responsável por processar o chefe do Executivo.

A Folha também revelou hoje que Dodge segurou por mais de 120 dias investigações sobre Bolsonaro ao mesmo tempo em que articulava a recondução ao cargo de chefe do Ministério Público Federal por mais dois anos.

“É demais exigir que o presidente indique um procurador refratário às ideias políticas dele. Quando presidente, Michel Temer indicou a Raquel e logo depois ela moveu uma ação penal contra ele”, diz Ferreira Pinto.

Dipp também atribui culpa “ao sistema vigente no Brasil”. “É um constrangimento ter uma procuradora em campanha”, afirma. “A Raquel é uma pessoa em campanha, e quem está em campanha fica sensível sobre qualquer contrariedade que atinja o responsável por lhe indicar um cargo. Enquanto a escolha for assim, os candidatos sempre ficarão bajulando o presidente”, disse Gilson Dipp, jurista e ex-ministro do STJ.

Dois Brasis

Para Ferreira Pinto, é natural que uma decisão judicial sobre a administração pública irradie suas consequências para a política. “Isso acontece ao mandar um ex-presidente para a cadeia, especialmente em período eleitoral. O problema é quando decisões judiciais são orquestradas com o fito não de resolver o processo, mas de interferir no jogo político.”

Para Maierovitch, o Brasil vive uma fase em que a Justiça não apenas garante os privilégios para alguns, mas prejudica a vida de todos os outros. “É um momento grave porque você cria duas categorias de pessoas ao acabar com a igualdade de todos perante a lei.”

Outra consequência, afirma Dipp, é a queda na popularidade do judiciário. “Se fosse um time de futebol, o STF, com 11 ministros, seria um clube com raríssimos simpatizantes.”

Outro lado

Sobre o vazamento que indica orientação de Moro para não utilizar os celulares de Cunha, Moro afirma que “não reconhece a autenticidade das mensagens obtidas por meio criminoso, nem sequer vislumbrou seu nome como interlocutor”.

“Em relação aos aparelhos celulares do ex-deputado Eduardo Cunha, como foi amplamente divulgado pela imprensa, eles foram apreendidos por ordem do STF na Ação cautelar 4044, antes da prisão preventiva”, diz o ministro.

Procurada, a procuradoria-geral da República negou que sua presidente tenha segurado as denúncias contra o presidente por questões pessoais. Ela informa que o material foi enviado na terça-feira (6) de volta para a primeira instância e que, “seguindo o rito normal de funcionamento do setor, os procedimentos foram inicialmente classificados considerando o grau de urgência e prioridade e após entraram na ordem de análise, considerando a existência de outros casos que já aguardavam análise”.

UOL

Comments

Senado deve concluir votação da reforma da Previdência em 2 de outubro

Foto: Pedro França/Agência Senado

Os líderes de partidos do Senado definiram nesta terça-feira (13) o calendário da tramitação da proposta de reforma da Previdência. A agenda divulgada prevê que a Proposta de Emenda à Constituição seja votada no plenário em primeiro turno em 18 de setembro e, em segundo turno, no dia 2 de outubro.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) descartou que o prazo de 60 dias previsto para tramitação da PEC seja “atropelado” como tem criticado parlamentares contrários à medida. Segundo o parlamentar, a comissão especial do Senado criada para acompanhar a proposta durante a tramitação na Câmara, já atua a cerca de cinco meses na Casa.

“Eu respeito a posição de todos os senadores, acho legítimo, e eles estão cumprindo o seu papel para que possam se manifestar. Mas, o Senado Federal criou uma comissão especial que já tem mais de 150 dias de constituída com senadores de todos os partidos políticos, que teve à frente desta comissão especial com intuito de acompanhar o andamento da reforma na Câmara dos Deputados”, disse.

“Um calendário de 60 dias é muito razoável dentro do que o Brasil aguarda do Senado Federal e dentro do que, tendo em vista do que nós fizemos com a comissão especial, é sem dúvida a possibilidade dentro do Senado Federal de continuarmos debatendo essa matéria”, completou Alcolumbre.

Agência Brasil

Comments