GARIMPO ILEGAL PREJUDICA A VIDA AQUÁTICA E IMPACTA DIRETAMENTE A SAÚDE DE QUEM SE ALIMENTA DE PEIXES CONTAMINADOS

Por Victor Cruz, g1 AM

 

Dragas atracadas no Rio Madeira, no interior do AM. — Foto: Silas LaurentinoDragas atracadas no Rio Madeira, no interior do AM. — Foto: Silas Laurentino

O mercúrio usado na atividade ilegal de garimpo no rio Madeira é capaz de causar lesões nos órgãos das pessoas que se alimentam todos os dias com peixes contaminados, pois apresentam sintomas mais crônicos do minério do corpo.

O minério despejado nos rios entra na cadeia alimentar dos animais e afeta diretamente a saúde das populações tradicionais, as principais consumidoras desse pescado.

O alerta foi feito por pesquisadores após a invasão de centenas de garimpeiros na região, nas proximidades da cidade de Autazes, distante 113 Km de Manaus. Eles formaram uma “vila flutuante” no local para exploração ilegal de ouro.

O médico e pesquisador em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Paulo Cesar Basta, explicou ao g1 que o mercúrio usado pelos garimpeiros afunda no leito do rio e, consequentemente, é consumido por peixes.

“No fundo do rio, ele sofre um processo de transformação química mediada por microrganismo. Ele se transforma numa forma química ainda mais tóxica, o metil mercúrio, e entra na cadeia alimentar desse pescado”, disse.

Garimpo na Amazônia: entenda como as dragas extraem ouro e o que acontece nos rios

Mercúrio fica acumulado no corpo humano

Os povos tradicionais da Amazônia possuem o hábito alimentar muito marcado pelo consumo de pescado. Conforme Basta, as comunidades que comem os peixes contaminados todos os dias também estão sob alto risco de contaminação.

“Quando esse povo tradicional come o peixe contaminado, ele vai ser absorvido no nosso trato gastro intestinal e vai entrar na corrente sanguínea, sendo absorvido pelo corpo. Do jeito que o mercúrio acumula no peixe, ele também acumula no corpo do ser humano“, explicou.

“Se você come diariamente, duas ou três vezes, peixe contaminado pelo mercúrio, o corpo não tem tempo de eliminar, e ele vai acumulando. Nisso, ele vai provocando lesões em órgãos, principalmente no cérebro, rins, fígado, e no coração”.

Quais os principais sintomas nos seres humanos

De acordo com o pesquisador, em adultos cronicamente contaminados, a pessoa vai ter desde sintomas sensitivos, até os motores, e também podem causar alterações comportamentais.

Dentre as alterações nos órgãos de sentido mais comuns estão: diminuição da sensibilidade nas mãos e pés, deficiência na sensação de calor ou frio, zumbido no ouvido, paladar com gosto metálico, olfato prejudicado e a visão começa a tubular.

No campo motor, as pessoas podem sofrer com tremores nas mãos e pés, fraqueza, dificuldade para segurar copo, subir escada e até ter tontura. As alterações também comprometem a memória, aprendizado e comportamento, com sintomas de depressão e ansiedade, por exemplo.

São alterações que muitas vezes são subclínicas e podem ser confundidas com sintomas de outras doenças.

Em um grau mais grave, que leva a mortalidade, a maior recorrência é em crianças. “A mulher grávida, por intermédio do sangue do cordão umbilical, pode transmitir o mercúrio para o bebê que está em formação na barriga dela. Se as taxas de contaminação da mãe forem muito altas, a criança pode nascer com sintomas graves, como má formação, paralisia cerebral e até vir a óbito”, alerta.

Perturbação da vida aquática

O biólogo Jansen Zuanon, especialista em peixes da Amazônia e doutor em Ecologia, afirma que a invasão de garimpeiros no rio Madeira prejudica a vida aquática por diversas razões, desde a pertubação dessa fauna quanto pela contaminação direta da mesma.

“No momento em que ela retira os sedimentos do fundo do rio, sugado por uma mangueira, triado ou filtrado por minérios tóxicos, ele joga um líquido pra dentro da água, onde vão se formando o que a gente chama de “arrotos de draga”, que são aqueles montes de seixo e areia que ficam acumulados no rio”, disse.

Nesse processo, ele suspende o sedimento do fundo do rio, e acaba deixando a água ainda mais turva. Ele revolve toda a camada onde os peixes usam para a alimentação, e ainda causa esse problema pra navegação, por conta desse acúmulo de areia e seixo ao longo do rio.

Problemas na reprodução e mortalidade precoce de peixes

O mercúrio metálico, que é a forma que os garimpeiros usam pra amalgamar o ouro, não é tão prejudicial. O problema é que, quando ele está no fundo do rio, em condições de pouco oxigênio, ele se transforma em um composto que é o metil mercúrio.

“sse metil mercúrio é absorvido por pequenos animais aquáticos e ele entra na cadeia alimentar. Então a cada vez que um animal come outros que estão contaminados, ele vai acumulando mercúrio no seu próprio corpo. Isso faz com que os grandes peixes carnívoros, por exemplo, os grande bagres, piranhas, tucunarés, acumulem muito mercúrio”, disse.

Há evidências científicas de que o mercúrio prejudica diretamente os peixes, principalmente atrapalhando na reprodução, causando mortalidade precoce, deformações e tumores.

“Também há relatos de problemas neurológicos, e os peixes acabam morrendo mais rapidamente, porque não consegue se esconder ou se defender de predadores”.

Quanto a diminuição de populações de peixes, não há estatísticas suficientes para essa afirmação.

“A gente não acompanha como está sendo a quantidade de filhotes que estão nascendo, a idade dos peixes da população que está sendo afetada, se estão morrendo mais cedo ou mais tarde. Se eu não sei o que está acontecendo, não quer dizer que não esteja. Normalmente nossas análises são muito focadas no ser humano”, explicou.

Continuar lendo GARIMPO ILEGAL PREJUDICA A VIDA AQUÁTICA E IMPACTA DIRETAMENTE A SAÚDE DE QUEM SE ALIMENTA DE PEIXES CONTAMINADOS

DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

Por g1 RN

 

Testes para Covid — Foto: DivulgaçãoTestes para Covid — Foto: Divulgação

Depois de seis dias consecutivos sem contabilizar nenhum óbito por Covid, o Rio Grande do Norte voltou a registrar mortes pela doença nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) nesta terça-feira (12).

Ao todo, foram três mortes confirmadas e registradas nas últimas 24 horas: uma em Natal, uma em Caicó e outra em São Tomé.

A última morte registrada no estado havia sido no dia 5 de outubro.

Essa foi a primeira vez desde o início da pandemia, em março de 2020, que o Rio Grande do Norte ficou esse intervalo de tempo sem nenhum óbito registrado.

De acordo com o boletim da Sesap, o estado tem 7.354 mortes por Covid desde o início da pandemia – sendo três nas últimas 24 horas. Outros 1.344 óbitos seguem em investigação.

Ao todo, três casos foram confirmados nas últimas 24 horas. Assim, o estado tem 369.903 casos confirmados desde o início da pandemia.

A melhora nos índices da pandemia são associados, pela Secretaria de Saúde, à vacinação em massa da população.

Segundo o RN+ Vacina, o Rio Grande do Norte tem mais de 1,5 milhão com o esquema vacinal completo contra a Covid (duas doses ou dose única). Isso representa 51% da população potiguar acima de 12 anos.

Além disso, o estado tem começado a imunizar com a dose de reforço idosos, profissionais da saúde e imunossuprimidos. Apesar disso, mais de 81 mil pessoas desse público estão com a dose atrasada.

Continuar lendo DADOS ATUALIZADOS DO CORONAVÍRUS NO RN

ESPANHA PLANEJA RETIRAR POR MEIO DO VIZINHO PAQUISTÃO 200 CIDADÃOS AFEGÃOS COM QUEM TEM ALGUM VÍNCULO

Espanha vai retirar 200 pessoas do Afeganistão pelo Paquistão

Operação deve ser realizada nos próximos dias, mas não foram revelados detalhes de como será por questão de segurança

Espanha vai retirar 200 pessoas do Afeganistão a partir da fronteira com o Paquistão

EFE/EPA/SOHAIL SHAHZAD

A Espanha planeja retirar do Afeganistão nos próximos dias, por meio do vizinho Paquistão, cerca de 200 cidadãos afegãos com quem tem algum vínculo.

A operação de retidada dessas pessoas foi montada pelos Ministérios da Defesa e Relações Exteriores, cujos detalhes não foram divulgados, para preservar a segurança.

Fontes ligadas a essa operação confirmaram à Agência Efe que os 200 afegãos podem conseguir sair do país asiático em sua totalidade no início da próxima semana, se tudo correr conforme o planejado.
O ministro das Relações Exteriores espanhol, José Manuel Albares, viajou recentemente ao Paquistão e Qatar para transmitir às autoridades desses países o desejo de estabelecer formas de retirar de Cabul os colaboradores afegãos que não puderam deixar o país na primeira fase da operação de retirada.Qatar e o Paquistão são os países que têm a relação política mais próxima com o Talibã, grupo extremista islâmico que comanda o Afeganistão.

Na primeira operação de retirada realizada pela Espanha, em agosto, 2.206 pessoas — entre cidadãos espanhóis e afegãos — foram levadas do aeroporto de Cabul para a base aérea de Torrejón de Ardoz, na região de Madri.

Fonte: R7

Continuar lendo ESPANHA PLANEJA RETIRAR POR MEIO DO VIZINHO PAQUISTÃO 200 CIDADÃOS AFEGÃOS COM QUEM TEM ALGUM VÍNCULO

A POUCOS DIAS DE CONCLUIR OS TRABALHOS RELATOR DA CPI VAI PROPOR A INCLUSÃO DE MAIS QUATRO NOMES À LISTA DE INVESTIGADOS

CPI deve incluir 4 nomes entre investigados; lista de indiciados pode atingir 50

Apenas um dos novos indiciados não prestou depoimento à Comissão

Pedro França/Agência Senado

Rachel Vargasda CNN

em Brasília

Votação do relatório da CPI da Pandemia deve ser realizada no dia 20 de outubroVotação do relatório da CPI da Pandemia deve ser realizada no dia 20 de outubro

A poucos dias de concluir os trabalhos, o relator da CPI da PandemiaRenan Calheiros (MDB-AL), vai propor a inclusão de mais quatro nomes na lista de investigados. São eles: Marcos Tolentino da Silva, Danilo Trento, Otávio Fakoury e Allan Lopes dos Santos.

Com isso, a lista que hoje tem 32 nomes passará a 36. Com exceção de Allan, todos prestaram depoimento à Comissão. Os nomes são submetidos à Comissão antes de serem incluídos no hall de investigados.

A escolha dos novos nomes ganhou força em linhas de investigação adotadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito.

No caso do blogueiro Allan dos Santos, a CPI tem indícios da participação dele na disseminação de notícias falsas sobre a Pandemia. Já no caso de Otávio Fakoury, a suspeita é de que ele tenha financiado canais e pessoas que espalharam fake news.

Em relação a Marcos Tolentino, a Comissão acredita que ele seja uma espécie de sócio oculto da Fib Bank, empresa que atuou como fiadora para garantir à Precisa Medicamentos o contrato com o Ministério da Saúde.

Por fim, DanieloTrento, sócio da Precisa Medicamentos, empresa que está no centro das investigações.

No relatório final, a CPI deve pedir o indiciamento não só de investigados como também de pessoas que não constam na lista, entre eles do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Com isso, a lista de indiciados pode conter aproximadamente 50 nomes – número que será contabilizado até a conclusão do relatório, prevista para ocorrer no dia 15 de outubro.

O relator ainda pretende ouvir os senadores individualmente para afinar o texto, que deve ser lido no dia 19, e ter maior consenso no dia da votação, prevista para 20 de outubro.

Continuar lendo A POUCOS DIAS DE CONCLUIR OS TRABALHOS RELATOR DA CPI VAI PROPOR A INCLUSÃO DE MAIS QUATRO NOMES À LISTA DE INVESTIGADOS

GOVERNADORA DO RN CONCEDE ENTREVISTA COLETIVA NESTA SEGUNDA-FEIRA (27) QUANDO FARÁ PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS MIL DIAS DE GOVERNO

Fátima Bezerra convoca coletiva para avaliar mil dias de gestão

27 set 2021

Quem dá o tom é a ciência', diz governadora Fátima Bezerra sobre retomada das atividades econômicas no RN | Rio Grande do Norte | G1

A governadora Fátima Bezerra concede entrevista coletiva nesta segunda-feira (27) quando fará prestação de contas de 1.000 dias de governo.

No final da tarde viaja para Mossoró, onde cumprirá agenda administrativa até 30 de setembro, data em que o município comemora os 138 anos da Abolição dos Escravos.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo GOVERNADORA DO RN CONCEDE ENTREVISTA COLETIVA NESTA SEGUNDA-FEIRA (27) QUANDO FARÁ PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS MIL DIAS DE GOVERNO

BOLSONARO COMPLETA MIL DIAS NO GOVERNO E PLANEJA FAZER BALANÇO DO PERÍODO AGORA QUE TESTOU NEGATIVO PARA COVID-19

Após teste negativo para Covid-19, Bolsonaro planeja balanço para mil dias de governo

Presidente fará série de viagens pelo país ao longo da semana

Galton Séda CNN

Em Brasília

O governo Bolsonaro completa mil dias nesta segunda-feira (27), e o presidente planeja fazer um balanço do período, agora que testou negativo para Covid-19 e pode sair do isolamento a que está submetido desde que voltou dos Estados Unidos.

Além de uma cerimônia nesta segunda-feira no Palácio do Planalto em comemoração à data, apresentando os feitos de 1º de janeiro de 2019 até agora, haverá uma série de viagens pelo país de terça (28) a sexta-feira (1), percorrendo com ministros as regiões: Nordeste na terça (28), Norte na quarta (29), Sudeste na quinta (30) e Sul na sexta-feira (1). As viagens têm como objetivo realizar a entrega de obras e anúncios de parcerias com gestores municipais e estaduais.

Quatro integrantes da comitiva presidencial que compareceram à Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) testaram positivo para a doença, incluindo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, um diplomata, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. Queiroga permanece em Nova York e trocou de hotel na sexta-feira (24).

Na semana, outros dois ministros do governo Bolsonaro tiveram o diagnóstico confirmado para a doença: o advogado-geral da União, Bruno Bianco, e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

Continuar lendo BOLSONARO COMPLETA MIL DIAS NO GOVERNO E PLANEJA FAZER BALANÇO DO PERÍODO AGORA QUE TESTOU NEGATIVO PARA COVID-19

CHEFE DO COMANDO CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS DO PERU RENUNCIOU O CARGO TRÊS DIAS ANTES DO PRESIDENTE ESQUERDISTA ASSUMIR O CARGO

Chefe das Forças Armadas do Peru entrega o cargo

Saída de general ocorre 3 dias antes da posse do esquerdista Pedro Castillo, que derrotou Keiko Fujimori nas eleições presidenciais

INTERNACIONAL

 por AFP

Pedro Castillo (foto) assume a presidência do Peru na quarta-feira

O chefe do Comando Conjunto das Forças Armadas do Peru, general do Exército César Astudillo, renunciou o cargo neste domingo (25), três dias antes do esquerdista Pedro Castillo assumir a presidência, informou uma fonte militar.

“A renúncia está confirmada, não vamos dar mais detalhes”, disse à AFP uma fonte do Comando Conjunto das Forças Armadas, que pediu anonimato.

De acordo com o jornal Perú 21, Astudillo solicitou seu passe de aposentadoria e pediu que fosse efetivado na quarta-feira (28).

Não foi confirmado se a decisão foi aceita pelo presidente interino, Francisco Sagasti, ou pela ministra da Defesa, Nuria Esparch, informou o jornal El Comercio.

Pedro Castillo toma posse justamente na quarta-feira (28).

Astudillo estava no comando do Comando Conjunto das Forças Armadas desde outubro de 2018 e foi o responsável pela mobilização militar em apoio à pandemia do coronavírus.

Em meio ao segundo turno eleitoral, um grupo de militares aposentados realizou passeatas de apoio à direitista Keiko Fujimori, mas os oficiais das Forças Armadas permaneceram à margem, respeitando a Constituição.

Castillo, de 51 anos, foi proclamado presidente eleito na última segunda-feira pelo JNE, que levou seis semanas para analisar as contestações e apelações antes de declará-lo o vencedor da votação de 6 de junho.

A posse de Castillo contará com a presença de alguns dirigentes de países vizinhos e do Rei da Espanha, Felipe VI.

Fonte: R7

Continuar lendo CHEFE DO COMANDO CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS DO PERU RENUNCIOU O CARGO TRÊS DIAS ANTES DO PRESIDENTE ESQUERDISTA ASSUMIR O CARGO

OS EUA ENVIARÃO UM EMISSÁRIO AO ORIENTE MÉDIO PARA EXORTAR ISRAELENSES E PALESTINOS A DIMINUIR ESCALADA DE ATAQUES E CONFRONTOS

EUA enviam emissário para tentar reduzir conflito na Faixa de Gaza

Secretário de Estado norte-americano Antony Blinken condenou disparos de foguetes do Hamas contra Israel

INTERNACIONAL

 Da AFP

Anúncio foi feito pelo secretário de Estado americano Antony Blinken

SAUL LOEB / POOL / AFP

Os Estados Unidos enviarão um enviado ao Oriente Médio para exortar israelenses e palestinos a “diminuir a escalada” após a série de ataques e confrontos nos últimos dias, informou nesta quarta-feira (12) o secretário de Estado americano, Antony Blinken.

Hady Amr, alto funcionário do Departamento de Estado encarregado dos assuntos israelenses e palestinos, será responsável por instar, “em nome do presidente Joe Biden, a uma redução da violência”, anunciou Blinken a repórteres.

O secretário de Estado voltou a condenar os disparos de foguetes do movimento islamita Hamas contra Israel “com a maior firmeza”, mas também considerou que “qualquer morte de civis” é “uma tragédia”.

“Acho que Israel tem um dever adicional de tentar fazer todo o possível para evitar baixas de civis, mesmo que tenha o direito de defender seu povo”, declarou Blinken, observando que as imagens de crianças palestinas mortas eram “comoventes”.

Mas Blinken enfatizou que havia uma “distinção muito clara e nítida entre uma organização terrorista, o Hamas, que está disparando foguetes indiscriminadamente — visando civis, na verdade — e a resposta de Israel que está se defendendo”.

Mais tarde, o Departamento de Estado disse em um comunicado que Blinken conversou por telefone com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, pedindo esforços para “acabar com a violência”.

“O Secretário de Estado reiterou seu apelo a todas as partes para reduzir as tensões e pôr fim à violência”, disse a nota para limitar que também “enfatizou a necessidade de israelenses e palestinos viverem com segurança” e “desfrutar de liberdade, segurança, prosperidade e democracia igualmente”.

Em recentes interações de alto nível, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, ligou para seu homólogo israelense, Benny Gantz, e expressou seu apoio ao “direito legítimo de Israel de defender a si mesmo e a seu povo”, enquanto instava a tomar medidas para restaurar a calma, disse o Pentágono.

Um alto funcionário dos EUA disse separadamente que espera mais contatos de alto nível, inclusive com a Jordânia e o Egito, embora Washington não fale com o movimento Hamas, que considera um grupo terrorista.

O governo do presidente Joe Biden já havia apelado ao seu tradicional aliado Israel para adiar um polêmico desfile em Jerusalém e impedir os despejos de palestinos na parte oriental ocupada e anexada da Cidade Santa, o ponto de gatilho imediato para o novo ciclo de violência.

Tomando um tom mais claro da administração pró-Israel de seu predecessor republicano Donald Trump, Blinken renovou o apoio dos EUA para a eventual criação de um estado palestino independente.

“O mais importante agora é que todas as partes parem a violência e se envolvam na redução da escalada”, insistiu.

Fonte: R7
Continuar lendo OS EUA ENVIARÃO UM EMISSÁRIO AO ORIENTE MÉDIO PARA EXORTAR ISRAELENSES E PALESTINOS A DIMINUIR ESCALADA DE ATAQUES E CONFRONTOS

CHUVAS QUE CAÍRAM NOS ÚLTIMOS DIAS TROUXERAM ALEGRIA AOS SERTANEJOS DO RN

Por Igor Jácome e Iara Nóbrega, G1 RN e Inter TV Costa Branca

 

Vídeo mostra sangria de açudes após chuvas no Oeste potiguar

Vídeo mostra sangria de açudes após chuvas no Oeste potiguar

Fortes chuvas que caíram nos últimos dias provocaram sangria de reservatórios de água e encheram rios, para alegria do sertanejo no Rio Grande do Norte. No Oeste potiguar, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) registrou um acumulado de 120 milímetros em Apodi, 111 mm em Jucurutu e 93 mm em Patu, nos últimos quatro dias.

Açudes de Itaú, Encanto, Campo Grande, Patu, Apodi e Rodolfo Fernandes derramaram água, a maioria na manhã desta quarta-feira (5). As imagens das cachoeiras do Caripina e do Roncador, em Felipe Guerra, também foram compartilhadas pelos moradores da região.

Natal e outras cidades do litoral também receberam bons volumes de chuva desde o fim de semana. Um dos pontos de monitoramento da capital chegou a registrar 70 mm em 96 horas.

Moradores registram cachoeira do Roncador após chuvas em Felipe Guerra, RN

Segundo o setor de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) o mês de maio começou com chuvas em todas as regiões do estado, com maior concentração na região de Mossoró, Vale do Assú e Médio Oeste.

De acordo com recente reunião com representantes de diversos órgãos do setor de meteorologia de estados como Paraíba, Bahia, Alagoas, Pernambuco e do Distrito Federal, os especialistas concluíram que a previsão para o próximo trimestre – maio, junho e julho – é de chuvas dentro da normalidade no Rio Grande do Norte.

Potiguares registram cachoeira da Caripina após chuvas no Oeste potiguar

“O acumulado previsto para próximo trimestre é de: 550 mm no Leste, 270 mm no Agreste, 140 mm na região Central e 180 mm no Oeste. Durante esses meses, poderão ocorrer eventos de chuvas intensas ao longo da faixa litorânea Leste devido à influência da região oceânica que está com as águas mais aquecidas do que o normal”, explicou o meteorologista da Emparn, Gilmar Bristot.

Primeiros meses tiveram chuvas abaixo da média

De acordo com Gilmar, as previsões eram de mais chuvas para os primeiros quatro meses do ano, que registrou precipitações 30% abaixo do esperado, mas a esperada contribuição do fenômeno La Ninã, no oceano pacífico, não foi tão grande.

“Em termos de chuvas, esse ano nós tivemos uma distribuição muito irregular de chuvas no interior do estado. Todos os meses, de janeiro a abril, apresentaram chuvas abaixo do normal. Algumas regiões, em especial alto Oeste e Seridó, o comportamento das chuvas foi melhor, nós tivemos uma maior intensidade de chuvas e melhor distribuição ao longo dos meses. São as regiões que nós analisamos que a agricultura teve êxito. No geral, o estado como um todo, nós tivemos desvios negativos em todos os meses, em torno de 30% abaixo da média”, disse.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo CHUVAS QUE CAÍRAM NOS ÚLTIMOS DIAS TROUXERAM ALEGRIA AOS SERTANEJOS DO RN

ÚLTIMOS DIAS DE TRUMP NA CASA BRANCA, EMBORA NÃO ACEITE QUE PERDEU AS ELEIÇÕES

Eleições EUA 2020: ‘Ele não aceita que perdeu’: os últimos dias na Casa Branca de Trump

Nos bastidores da Casa Branca, as pessoas veem as coisas como são. Eles sabem que seus dias na Ala Oeste estão contados. E também sabem que, quando o chefe está perdendo, é melhor ficar longe dele

NTERNACIONAL

por BBC NEWS BRASIL

Trump retorna à Casa Branca após celebrar o Dia de Ação de Graças com sua família

Getty Images

Os dias de Trump à frente da Casa Branca se aproximam do fim e um silêncio assustador toma conta do local, ao mesmo tempo em que o presidente tenta desafiar o resultado da eleição nos tribunais.

Brian Morgenstern, o vice-diretor de comunicações, usava uma jaqueta com o emblema da Casa Branca em seu escritório na Ala Oeste. A jaqueta estava totalmente fechada, como se ele estivesse saindo. A sala, a algumas portas do Salão Oval, estava escura, com as cortinas fechadas.

O chefe dele, o presidente, estava em outra parte da Casa Branca. Naquele momento, Donald Trump estava no viva-voz com Rudy Giuliani, o chefe de seu esforço legal para contestar a eleição, e um grupo de legisladores estaduais que se reuniram para uma “audiência”, como eles definiram, em um hotel em Gettysburg, na Pensilvânia.

“Esta eleição foi fraudada e não podemos permitir que isso aconteça”, disse o presidente por telefone.

Morgenstern estava monitorando o evento pela tela do computador, distraído. Um momento depois, ele girou em sua cadeira e falou com um visitante sobre faculdade, imóveis, beisebol e, quase como uma reflexão tardia, as realizações do presidente.

O esforço de Trump para contestar os resultados da eleição na Pensilvânia fracassou na semana passada, não muito tempo depois da chamada audiência, e mesmo isso teve uma base legal duvidosa. Um juiz do Tribunal de Apelações disse que “não havia base” para contestação. Uma certificação das cédulas mostrou que o presidente eleito Joe Biden venceu o Estado por mais de 80 mil votos.

Os resultados das eleições em Michigan, Wisconsin, Nevada, Geórgia e Arizona foram certificados e Biden foi confirmado como o vencedor em todos os cinco.

Funcionários do governo começaram a trabalhar para uma transição para a nova administração, e o novo presidente assume em 20 de janeiro.

Trump continua a reivindicar vitória. Ainda assim, nos bastidores da Casa Branca, as pessoas veem as coisas como elas são. Eles sabem que seus dias na Ala Oeste estão contados. E também sabem que, quando o chefe está perdendo, é melhor ficar longe dele.

“Estamos otimistas. Ainda estamos trabalhando duro”, diz Morgenstern.

Ele era, no entanto, o único em um labirinto de escritórios da Ala Oeste. Ele segurava uma máscara de pano nas mãos e brincava com os cordões da máscara. O único som era o zumbido baixo de uma TV em outra sala.

Normalmente, esses escritórios estão cheios de pessoas, com assistentes trabalhando todas as horas. Mas agora não.

Jack O’Donnell, que já administrou um cassino em New Jersey para Trump, diz que entende por que as pessoas que trabalham para o presidente iriam embora em um momento como este.

“Você está pisando em cascas de ovo. Ninguém quer dizer a coisa errada.”

Certa vez, lembra O’Donnell, Trump estava caminhando por uma sala de teto baixo em um prédio que estava em reforma. “Houve alguns problemas”, diz O’Donnell. Ele estava se referindo a problemas com a reforma, erros que Trump logo percebeu.

“Ele deu um pulo no ar e atingiu o teto”, diz O’Donnell. “Ninguém quer ficar perto dele quando ele está bravo.”

A raiva do presidente, sua ambição e determinação são lendárias. Ele teve sucesso em parte ao abraçar aforismos positivos e negar o fracasso, um estilo de liderança que foi estabelecido no início de sua carreira e que ultimamente anda exagerado.

Ele apareceu na sala de reuniões da Ala Oeste na semana passada para se gabar do mercado de ações. O Dow Jones havia fechado acima de 30 mil pontos, um nível recorde. O presidente, diz Morgenstern, estava “comemorando o sucesso do mercado que certamente se deveu em parte às suas políticas”, como “melhorar os negócios” e “independência energética”.

Investidores disseram que as ações subiram porque a transição para um governo Biden foi oficialmente anunciada. Mas para Trump, a vitória pertencia a ele.

Suas reivindicações de vitória e sua recusa em admitir a derrota não têm impacto no resultado: a transição para a Casa Branca de Biden está em andamento.

No entanto, a postura do presidente é importante, já que milhões de pessoas o admiram. Essas pessoas o seguirão assim que ele deixar a Casa Branca, seja concorrendo novamente a um cargo, como muitos esperam, ou construindo um império de mídia. No dia em que Trump falou com parlamentares em Gettysburg, os apoiadores se reuniram em frente ao hotel com cartazes: “Parem a fraude eleitoral”.

No livro Trump: The Greatest Show on Earth: The Deals, the Downfall, the Reinvention (Trump: O maior espetáculo da Terra: os Negócios, a Queda, a Reinvenção, em tradução livre), do jornalista Wayne Barrett, pessoas que conhecem Trump disseram que ele encarava o caso do ex-presidente Jimmy Carter, derrotado em 1980 após apenas um mandato, como um sinal de alerta.

“A velocidade com a qual você dispara para cima é a velocidade com a qual você pode despencar”, teria dito ele, de acordo com as fontes do livro, acrescentando que Carter caiu na obscuridade depois de deixar a Casa Branca e se tornou tão anônimo quanto “um caixeiro viajante”.

Para evitar o fracasso, Trump nega a realidade, dizem aqueles que o conhecem. Ele fez vários pedidos de falências como empresário, mas agiu como se fosse parte de um plano. “Ele dizia: ‘fiz isso intencionalmente'”, lembra Jack O’Donnell, que trabalhava para ele, acrescentando: “É um absurdo”.

“Em sua mente, ele não perdeu”, disse O’Donnell, descrevendo a eleição. “Ele nunca vai ceder. Sempre dirá: ‘foi tirado de mim.'”

Trump agora está lutando pelo controle republicano do Senado e planeja ir à Geórgia no sábado, onde haverá nova eleição, para apoiar os candidatos.

Enquanto isso, do lado de fora do escritório de Morgenstern, uma das mesas vazias é decorada com um porta-copos: “O fracasso não é uma opção”.

O lema resume a filosofia de Trump e sua abordagem em relação à Presidência — pelo menos até ele sair.

Fonte: R7

Continuar lendo ÚLTIMOS DIAS DE TRUMP NA CASA BRANCA, EMBORA NÃO ACEITE QUE PERDEU AS ELEIÇÕES

DIRETOR DE VACINAS DA FFIZER ALERTA QUE BRASIL TEM POUCO TEMPO PARA DECIDIR COMPRA

Pfizer diz que Brasil tem poucos dias para definir compra de vacina

Da CNN, em São Paulo

Atualizado 02 de dezembro de 2020 às 17:44

Brasil tem 'alguns dias ou semanas' para solicitar vacina, diz Pfizer - 02/12/2020 - UOL Notícias

Em entrevista à CNN, o diretor de vacinas da Pfizer Brasil, Alejandro Lizarraga, falou sobre a situação do imunizante da empresa e a disponibilidade de compra do medicamento para a vacinação no país.

O diretor ressalta que o estoque da empresa diminui a cada dia e alerta para que o Brasil decida rapidamente sobre a compra.

“A cada dia o número de doses disponíveis para os países diminui consideravelmente. Diversos países da América Latina, como Peru e Chile, já fecharam acordos com a Pfizer,” disse Lizararraga.

“Eu não posso compartilhar a data, mas o Brasil tem alguns dias ou semanas para fazer o pedido, e entregarmos a vacina no primeiro trimestre de 2021.”

Brasil não descarta Pfizer

Apesar de não ser exatamente o perfil desejável de vacina para Brasil, o imunizante fabricado pela Pfizer não está descartado, de acordo com técnicos do Ministério da Saúde ouvidos pela CNN nesta quarta-feira (2).

A vacina requer temperaturas baixas, -70 graus Celsius, para transporte e armazenagem – o que interfere na distribuição pelo país.

No entanto, técnicos do governo disseram à colunista da CNN Basília Rodrigues que, após aberta, a vacina da Pfizer consegue manter a estabilidade durante aproximadamente 8 dias, em temperaturas de 2 a 8 graus Celsius, que são os parâmetros considerados pelo Ministério da Saúde.

Essa observação mantém a Pfizer no páreo, entre as diversas vacinas que estão sendo avaliadas pelo governo. Se for aprovada pela Anvisa, ou seja, se tiver a segurança e a eficácia comprovadas, ela será comprada, afirmam os técnicos.

CNN apurou que a vacina da Pfizer foi a que compartilhou mais dados até o momento com a Anvisa.

Ela está na fase chamada de submissão contínua e já encaminhou documentos com dados até a fase 2 dos estudos, restando apenas as informações da fase 3.

Isso a coloca, por exemplo, a frente da vacina de Oxford/Fiocruz que irá refazer testes.

Do ponto de vista político, a vacina também se sobrepõe à Coronavac, produzida pela chinesa Sinovac e o governo de João Dória – com quem Bolsonaro trava uma disputa.

Nesta semana, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou que a vacina a ser escolhida pelo Brasil terá que “fundamentalmente” ser termoestável e poder ser armazenada entre temperaturas de 2 a 8 graus.

Continuar lendo DIRETOR DE VACINAS DA FFIZER ALERTA QUE BRASIL TEM POUCO TEMPO PARA DECIDIR COMPRA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar