SERVIDORA APONTADA COMO RESPONSÁVEL POR AUTORIZAR A COVAXIN SERÁ OUVIDA PELA CPI DA PANDEMIA

 

CPI pretende ouvir funcionária apontada como responsável por autorizar Covaxin

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz, quer ouvir já na próxima sexta-feira (02) a servidora do Ministério da Saúde Regina Célia Silva Oliveira

Bárbara Baião, da CNN, em Brasília

 Atualizado 27 de junho de 2021 às 14:32

CPI pretende ouvir funcionária apontada como responsável por autorizar Covaxin

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz, quer ouvir já na próxima sexta-feira, 02, a servidora do Ministério da Saúde Regina Célia Silva Oliveira. O nome dela foi apontado pelo servidor Luis Ricardo Fernandes Miranda, irmão do deputado Luis Miranda, como o responsável por autorizar e fiscalizar a importação de vacinas da Covaxin, mesmo diante das divergências em relação ao contrato original.

As notas fiscais em nome da empresa Madison Biotech, com sede em Cingapura e que integra o grupo da farmacêutica que produz a vacina na Índia, previa a entrega três milhões de doses do imunizante, número divergente do contrato, que estimava 20 milhões de doses em cinco entregas de quatro milhões.

Em duas notas levadas pelo servidor aos senadores, os documentos citavam ainda a previsão de pagamento antecipado. Ao negar o pedido para autorizar a importação, em março, a Anvisa questionou a mesma denúncia trazida pelos irmãos Miranda à CPI.

A funcionária chegou ao Ministério da Saúde em 2017, nomeada pelo líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, no período em que o parlamentar comandou a pasta, no governo do ex-presidente Michel Temer. A informação consta no Diário Oficial da União.

Barros, no entanto, nega qualquer indicação política. Pelas redes sociais, após as acusações dos irmãos Miranda na CPI, o deputado publicou que “não é verdade que eu tenha indicado a servidora Regina Célia como informou o senador Randolfe. Não tenho relação com esse fatos”.

O deputado federal Luis Miranda, em depoimento à CPI da Covid, disse que o presidente Jair Bolsonaro teria citado o nome de Barros durante conversa entre os dois sobre supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin.

De acordo com o presidente da CPI, Omar Aziz, a convocação de Barros também deve ser votada esta semana, mas para ocorrer nas próximas semanas.

A CNN procurou Regina Célia Silva Oliveira, mas até o momento não obteve retorno.

 

Continuar lendo SERVIDORA APONTADA COMO RESPONSÁVEL POR AUTORIZAR A COVAXIN SERÁ OUVIDA PELA CPI DA PANDEMIA

SEGUNDO AGÊNCIA ESTATAL DE NOTÍCIAS XINHUA, A CHINA VAI AUTORIZAR ATÉ TRÊS FILHOS POR FAMÍLIA

China vai autorizar três filhos por família, afirma imprensa estatal

País, que é o mais populoso do mundo, teve queda expressiva na taxa de natalidade e lida com envelhecimento da população

INTERNACIONAL

 por AFP

China vai autorizar três filhos por família, afirma imprensa estatal

PEXELS

A China vai autorizar até três filhos por família, ao acabar com o limite de dois ainda em vigor, anunciou nesta segunda-feira (31) a agência estatal de notícias Xinhua.

A decisão acontece poucas semanas após a divulgação dos resultados último censo no país, que demonstrou uma expressiva queda da taxa de natalidade no país mais populosos do mundo.

“Em resposta ao envelhecimento da população (…) os casais serão autorizadas a ter três filhos”, informou a agência estatal, ao destacar as conclusões de uma reunião do gabinete político do Partido Comunista comandada pelo presidente Xi Jinping.

No início de maio, os resultados do censo realizado em 2020 revelaram um envelhecimento mais rápido que o esperado da população chinesa.

No ano passado, marcado pela epidemia de covid-19, o número de nascimentos no país caiu a 12 milhões, contra 14,65 milhões em 2019.

A taxa de natalidade em 2019 (10,48 por 1.000) já estava no menor nível desde a fundação da China comunista em 1949.

Depois de mais de três décadas da “política do filho único”, a China flexibilizou as regras em 2016 e permitiu o segundo filho.

Mas a nova política não foi suficiente para estimular a taxa de natalidade em queda livre por vários motivos, incluindo a redução dos casamentos, o aumento do custo da moradia e da educação e, também, a decisão das mulheres de adiar os planos de gravidez para privilegiar a carreira profissional.

No outro extremo da pirâmide, a China tinha mais de 264 milhões de pessoas com mais 60 anos em 2020.

O grupo de pessoas com mais de 60 anos constitui agora 18,7% do total da população, um aumento de 5,44 pontos percentuais na comparação com o censo de 2010.

Do outro lado, a população em idade ativa (15 a 59 anos) representa 63,35% do total, uma queda de 6,79 pontos na comparação com a década anterior.

Em março, o Parlamento aprovou um plano para aumentar gradualmente a idade de aposentadoria durante os próximos cinco anos, o que desagradou grande parte da população.

Fonte: R7
Continuar lendo SEGUNDO AGÊNCIA ESTATAL DE NOTÍCIAS XINHUA, A CHINA VAI AUTORIZAR ATÉ TRÊS FILHOS POR FAMÍLIA

RODRIGO MAIA DIZ QUE NEM SE O STF AUTORIZAR NÃO SERÁ CANDIDATO A PRESIDENTE DA CÂMARA

Disputa pela Câmara tem até ‘gincana’ na casa de Maia

da CNN, em São Paulo

03 de dezembro de 2020 às 21:39

Disputa pela Câmara tem até 'gincana' na casa de Maia | EXPRESSO CNN - YouTube

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está empenhado em dizer que não será candidato à reeleição da Casa, nem mesmo se o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar.

Na terça-feira (24), Maia reuniu os seis candidatos que estão no mesmo grupo político para que eles estabelecessem critérios, a fim de saber quem sairá na frente na disputa. A apuração é do analista de política da CNN Fernando Molica.

Marcelo Ramos (PL), Marcos Pereira (Republicanos), Baleia Rossi (MDB), Aguinaldo Ribeiro (PP), Luciano Bivar (PSL) e Elmar Nascimento (DEM) participaram do encontro.

Na reunião, ficou decidido que o parlamentar que conseguisse trazer para o grupo um partido com 40 deputados, ganharia pontos.

A discussão foi para definir, entre eles, como ficaria a pontuação.

Fonte: CNN

Continuar lendo RODRIGO MAIA DIZ QUE NEM SE O STF AUTORIZAR NÃO SERÁ CANDIDATO A PRESIDENTE DA CÂMARA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar