SUBNOTIFICAÇÕES ATRAPALHAM DIVULGAÇÃO DE NÚMEROS NO RN

Com 833 novos casos, RN ultrapassa 6 mil confirmações da Covid-19

Letícia França*

 – Atualizado em: 

Cipriano Maia, secretário de Saúde do RN

O Rio Grande do Norte ultrapassou, nesta sexta-feira (29), a marca de 6 mil casos confirmados da Covid-19. Com 833 novos registros nos últimos dois dias, o estado contabiliza 6.463 pessoas infectadas pela doença. Os dados foram divulgados pelo secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, durante coletiva de imprensa.

Conforme explicou o titular da pasta, o aumento significativo é resultado de dois dias de acúmulos nas notificações, já que na última quinta-feira (28), devido a problemas técnicos, o boletim epidemiológico não pôde ser divulgado. Nesse período, também houve um crescimento dos casos suspeitos, com um aumento de 870 notificações. Ao todo, no RN, há 14.905 pessoas com a suspeita do novo coronavírus. Quanto ao número de casos descartados, esse quantitativo subiu para 12.552, 1.525 a mais que na última atualização, isto é, na quarta-feira (27).

Sobre os óbitos, os dados divulgados mostraram que, no território potiguar, há 267 mortes provocadas pela Covid-19, sendo 12 novos casos em relação ao dia anterior. As cidades que, recentemente, registraram vítimas fatais foram: Natal, Ceará-Mirim, Mossoró, Touros, Areia Branca, Extremoz, Ipanguaçu, Apodi e Baraúnas. “Notamos que há um grande número [de mortes] nos municípios na região Oeste. Isso chama a atenção para intensificarmos as medidas de controle e vigilância”, disse o secretário. Outras 60 mortes seguem em investigação para constatar se a causa tem relação ou não com o coronavírus.

Ocupação dos leitos

O secretário destacou que nas últimas 24 horas não ocorreram muitas mudanças quanto à ocupação dos leitos no Rio Grande do Norte, mas o quadro de hospitalizações continua crescente. Nesta sexta-feira (29), há um total de 530 pessoas internadas em hospitais da rede pública e privada, sendo 259 em leitos críticos e 271 em clínicos. Existem ainda 90 pessoas na fila de espera da regulação de leitos, isto é, aguardando internação; desse quantitativo, quatro pacientes são prioridade 1, isto é que, que requer um tratamento mais complexo; 26 são prioridade 2 e os outros 60 são prioridade 3 e 4. Essa categorização determina o nível de criticidade dos leitos necessários.

Cipriano Maia ressaltou que as regiões Oeste e Metropolitana permanecem com uma alta ocupação de leitos. Em Mossoró, 97% dos 41 leitos existentes estão ocupados. Em Natal e Grande Natal, dos 107 leitos, 97% estão ocupados. Já o Seridó segue com uma taxa de ocupação de 40,9%; com um total de 22 leitos, essa é a região que apresenta a situação mais favorável. E Pau dos Ferros, dos oito leitos existentes, seis estão ocupados, o que representa uma taxa de 75%.

“Essa situação nos leva a manter todas as recomendações que temos feito aqui de que ainda precisamos esperar mais um pouco para pensar em relaxamento e retomada de atividades. O momento continua de intensa vigilância, preocupação e atenção. Vamos ter noção da responsabilidade que cada um tem de manter as recomendações das autoridades sanitárias. É isso que esperamos de toda a sociedade, instituições públicas e agentes públicos, para que em um horizonte próximo vislumbrarmos uma retomada da vida social com menos perda e menos dor, com mais segurança. Esse pacto de fortalecimento dessas medidas é o que nos garantirá o retorno mais próximo, seja pela diminuição da ocupação de leitos, seja pela diminuição da curva”. explicou Maia.

Fonte: Portal da Tropical Notícias

Deixe uma resposta