PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTE DOMINGO

Por G1

29/09/2019 02h17  Atualizado há 4 horas


Veja os melhores momentos dos shows deste sábado (28) no Rock In RioVeja os melhores momentos dos shows deste sábado (28) no Rock In Rio

O segundo dia de Rock in Rio 2019 tinha tudo para ser dominado pelas apresentações de gigantes como Foo Fighters e Whitesnake.

Mas a nostalgia gerada por apresentações de bandas brasileiras como CPM 22, Raimundos e Titãs conseguiu equilibrar a balança.

O sábado (28) contou também com a união de sons nacionais e estrangeiros, através da participação do baixista de forró do RN Júnior Bass Groovador no show do Tenacious D.

O rock dos anos 1990, representado principalmente pela banda de Dave Grohl e pelo Weezer, foi celebrado pelas 100 mil pessoas na Cidade do Rock, na Zona Oeste do Rio.

O público dessa geração também encontrou ecos brasileiros através de apresentações de Raimundos (unidos ao CPM 22) e do Charlie Brown Jr.

Os mais experientes também foram agraciados por veteranos como Whitesnake, que deu uma aula de rock farofa ao encerrar o palco Sunset, e Titãs, que compensaram a formação atual com apenas três dos membros originais com três bons convidados e uma boa mistura de rock com rap.

Em um dia com boas parcerias, aliás, quem roubou a cena foi mesmo a versão meio forró grooveada de “Smells like a teen spirit”, de Nirvana, tocada pelo Groovador durante o show do ator Jack Black com sua dupla, o Tenacious D.

Com a chuva que não deu muita trégua desde sexta-feira (27), o público teve de se concentrar mais nos shows mesmo, porque acabou encontrando os brinquedos e outras atrações interativas do evento proibidos de funcionar no começo do sábado. A tradicional roda gigante, por exemplo, voltou a funcionar só às 19h45.

Foo Fighters

Foo Fighters toca "Learn to Fly" no Rock in RioFoo Fighters toca “Learn to Fly” no Rock in Rio

É difícil ver uma banda mais à vontade em um palco do que os Foo Fighters. A banda tem turnê já testada e aprovada por brasileiros. Até um expediente já usado em duas outras passagens deles pelo país, de levar um casal para ficar noivo no palco, foi repetido. Aos 50 anos, Dave Grohl deu seus gritos e fez gracinhas de “labrador humano do rock”. Assim como o cão bonzinho e agitado, ele é um ícone da simpatia no rock, algo que o Brasil sempre aprecia. Leia mais.

Foo Fighters recebe casal de fãs no Palco Mundo do Rock in RioFoo Fighters recebe casal de fãs no Palco Mundo do Rock in Rio
Weezer canta "Say it ain't so" no Rock in RioWeezer canta “Say it ain’t so” no Rock in Rio

quarteto californiano foi recebido pelos fãs de Dave Grohl com uma frieza já esperada. A banda não é tão conhecida no Brasil e fez um show esvaziado em São Paulo, dois dias antes. A plateia cantou algumas partes das seis covers do repertório, principalmente “Lithium”, do Nirvana. Dentre as canções próprias, a balada “Island in the sun” foi até que bem recebida. As pesadas “Say ain’t so” e “Hash Pipe” também tiraram algum barulho da plateia. Leia mais.

Weezer canta "Lithium" no Rock in RioWeezer canta “Lithium” no Rock in Rio

Whitesnake

Whitesnake canta "Is this love" no Rock in RioWhitesnake canta “Is this love” no Rock in Rio

Os veteranos do Whitesnake fizeram uma competente celebração do rock farofa, encerrando a noite do palco Sunset do Rock in Rio 2019. Do alto de seus 68 anos, o vocalista David Coverdale demonstrou bom controle de sua voz já um pouco maltratada e usou todos os truques da cartilha dos shows de arena para garantir a vitória com o público, que lotava o palco secundário do festival. Leia mais.

Whitesnake canta "Here I go again" no Rock in RioWhitesnake canta “Here I go again” no Rock in Rio

Tenacious D

Tenacious D toca com baixista brasileiro Júnior Bass Groovador no Rock in RioTenacious D toca com baixista brasileiro Júnior Bass Groovador no Rock in Rio

encontro inusitado entre o baixista potiguar Júnior Bass Grovador e a dupla de comediantes roqueiros do Tenacious D foi inusitado, mas era até esperado pelas interações em redes sociais. Juntos, eles tocaram “Smells like teen spirit”, do Nirvana. De resto, o duo liderado por Jack Black segurou o público mesmo sem repertório muito conhecido, graças ao carisma do ator e ao ótimo e bem sacado encontro com o brasileiro. Foi, desde já, um dos grandes momentos do Rock in Rio 2019. Leia mais.

Tenacious D volta a tocar com baixista brasileiro Júnior Bass Groovador no Rock in RioTenacious D volta a tocar com baixista brasileiro Júnior Bass Groovador no Rock in Rio

CPM 22 + Raimundos

CPM 22 e Raimundos cantam juntos "Dias Atrás" no Rock in RioCPM 22 e Raimundos cantam juntos “Dias Atrás” no Rock in Rio

Dois nomes nostálgicos do rock brasileiro, CPM 22 e Raimundos fizeram o que foi – até agora – o mais verdadeiro encontro desta edição do festival. Lado a lado, as duas bandas tocaram hinos do punk e hardcore, que ocuparam rádios e programas de TV nos anos 1990 e início de 2000, eras que já parecem muito distantes na música brasileira. Leia mais.

CPM 22 e Raimundos cantam juntos "Mulher de Fases" no Rock in RioCPM 22 e Raimundos cantam juntos “Mulher de Fases” no Rock in Rio

Titãs com Ana Cañas, Edi Rock & Érika Martins

Titãs e Edi Rock cantam "Diversão" no Rock in RioTitãs e Edi Rock cantam “Diversão” no Rock in Rio

Com apenas três de seus membros originais, o Titãs preencheu o palco Sunset com três convidados bem diferentes – entre si e da banda. Entre sucessos do grupo com mais de 30 anos de carreira, como “Homem primata” e “O pulso”, e covers de clássicos do rock nacional, como “Pro dia nascer feliz” e “Aluga-se”, quem se destacou mesmo foi o rap. Edi Rock, um dos fundadores do Racionais MC’s subiu ao palco no final da apresentação para uma versão belíssima de “Diversão” e uma mistura de “Bichos escrotos” com “Mágico de Oz”, de seu grupo original. Leia mais.

Titãs e Ana Canãs cantam "Sonífera Ilha" no Rock in RioTitãs e Ana Canãs cantam “Sonífera Ilha” no Rock in Rio

Detonautas e Pavilhão 9

Detonautas e Pavilhão 9 provocam público do Rock in Rio com "sertanejo"Detonautas e Pavilhão 9 provocam público do Rock in Rio com “sertanejo”

As duas bandas, fortes representantes do pujante cenário pop/rock do fim dos anos 1990 e início de 2000, se uniram para entregar hits antigos e um cover do Rage Against the Machine. Mas o momento mais intenso foi quando tocaram juntos uma versão muito pesada de “O dia que não terminou”, do Detonautas. Leia mais.

Ego Kill Talent

Ego Kill Talent encerra sua apresentação com "Try. There will be blood"Ego Kill Talent encerra sua apresentação com “Try. There will be blood”

É difícil errar com uma fórmula tão certeira quanto melodias cantáveis adornadas por uma parede sonora agressiva. Modus operandi que o Ego Kill Talent domina com habilidade, conforme ficou demonstrado no show que abriu a programação do Palco Sunset. A banda – formada por ex-integrantes do Sepultura, Udora e Reação em Cadeia – inaugurou o rock nessa edição de festival, com um setlist enxuto de 10 músicas e comunicação rápida com a plateia. Leia mais.

Charlie Brown Jr.

Charlie Brown Jr fala da emoção de tocar na Rock StreetCharlie Brown Jr fala da emoção de tocar na Rock Street

O Charlie Brown Jr. se apresentou no Rock District com a nova formação: Marcão Britto (guitarra e vocais), Heitor Gomes (baixo), Pinguim Ruas (bateria) e Panda (voz). “Vamos cantar com o Chorão?”, convocou Panda, citando o vocalista, morto em 2013. Emocionados em vários momentos, os integrantes também citaram Champignon, baixista que morreu no mesmo ano. Leia mais.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Casa de Casemiro é assaltada durante jogo do Real; mulher e filha do atleta estavam no local

Um fato lamentável aconteceu enquanto Casemiro estava em campo na partida entre Real Madrid e Atlético de Madrid: a casa do jogador foi assaltada, com sua mulher e a filha na residência. A informação é do programa de TV El Chiringuito.

Assim que a partida terminou, por volta das 18h no horário de Brasília, Casemiro foi informado do ocorrido e correu para chegar em casa. Ainda não há informações sobre o que foi levado da casa ou sobre o estado da família do volante brasileiro após o susto.

Não é a primeira vez que casos do tipo ocorrem no futebol europeu ou mesmo no Real Madrid: no clube merengue, Zidane, Isco, Lucas Vásquez e Álvaro Morata já tiveram suas residências invadidas enquanto estavam nos jogos do time. Em outras equipes, Arthur, do Barcelona, Thiago Silva e Choupo-Moting, do PSG, e Sadio Mané, do Liverpool, também já foram vítimas deste tipo de crime entre 2018 e 2019.

Em campo, o Real Madrid empatou com o Atlético de Madrid em 0 a 0, no Wanda Metropolitano, casa do adversário. A equipe lidera o Campeonato Espanhol com 15 pontos, mas pode perder o topo da tabela caso a Real Sociedad vença o Sevilla neste domingo.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Equipe Mercedes demite quatro funcionários após caso de racismo

Mercedes, equipe campeã de Fórmula 1, demitiu quatro funcionários e disciplinou outros três após um inquérito sobre racismo na fábrica da equipe, afirmaram jornais britânicos neste sábado. O time do pentacampeão mundial Lewis Hamilton, que tem herança caribenha e já se manifestou contra o racismo, confirmou em um comunicado que os quatro indivíduos foram demitidos.

A Mercedes afirmou que as demissões de 2 de agosto “aconteceram depois de uma investigação interna que confirmou violações de nossa política de diversidade e igualdade”. “Nós condenamos esse comportamento da maneira mais forte possível e agimos imediatamente após a reclamação. Nós valorizamos a diversidade entre nossos empregados, e isso é fonte de força para nossa equipe”, acrescentou o comunicado.

O jornal The Sun publicou que houve uma “campanha de assédio racista” contra um empregado muçulmano no quartel-general da equipe, em Brackley. Hamilton já falou sobre suas experiências com racismo, pedindo, em março, por mais posicionamento contra o preconceito em todos os âmbitos, depois de jogadores ingleses de futebol relatarem cantos abusivos em uma partida das Eliminatórias da Eurocopa contra Montenegro.

“Eu me lembro de estar na escola e você levava um tapa na mão por isso (racismo) e deixavam passar. Isso não deve acontecer em lugar nenhum. Medidas precisam ser tomadas e precisamos ser muito mais rígidos com isso”, disse Hamilton.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Receita Federal apreende 850 mil euros em caixa despachada no Aeroporto do Rio de Janeiro

ctv-e0d-euroreceita

A Receita Federal apreendeu cerca de 850 mil euros no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, neste sábado. As cédulas estavam em uma caixa, despachada como bagagem de um passageiro vindo de um voo com origem em Belém, no Pará.

O passageiro, que não teve o nome divulgado, foi abordado pela equipe do Serviço de Vigilância Aduaneira (Sevig) da Alfândega, durante uma operação de rotina, pelos auditores da Receita. Em depoimento, o passageiro declarou não possuir a comprovação da origem do dinheiro e ser apenas o portador./ Com informações da Agência Brasil.

ESTADÃO CONTEÚDO

Ônibus da banda católica Rosa de Saron atropela e mata romeiro em BR

Ônibus de famosa banda católica atropela e mata romeiro em BR

Um romeiro de São José dos Campos (SP), que caminhava pelo acostamento da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) e que seguia em direção ao Santuário de Aparecida (SP), morreu atropelado na manhã de hoje (28) por um ônibus da banda Rosa de Saron.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu no km 75,3, por volta das 5h30. O motorista do ônibus da banda contou ter ouvido um estalo e perdido o controle da direção, saindo para o gramado, acabando por atropelar o romeiro.

Por meio das redes sociais, os integrantes da banda Rosa de Saron publicaram uma nota lamentando a morte. Segundo a banda, o ônibus os levava para um evento que ocorreria hoje na cidade de Macaé, no Rio de Janeiro, quando se envolveu no acidente na altura da cidade de Aparecida. Nenhum integrante da banda se feriu.  “Nesse acidente, tragicamente uma pessoa que caminhava nas margens da rodovia foi atingida e infelizmente não resistiu”, diz a nota. “Abalados, mas com o coração em Deus, pedimos a todos que se unam a nós em orações pela família da vítima, a qual abraçamos com nosso luto e pesar”. A banda aproveitou a nota para anunciar que cancelou a apresentação que faria em Macaé, em respeito ao romeiro.

A reportagem tentou entrar em contato com a concessionária Nova Dutra, que administra a rodovia, mas não obteve sucesso.

Agência Brasil / Grande Ponto

 

Davi Alcolumbre e Flávio Bolsonaro usam verba pública para viajar a SP e gravar com Silvio Santos

Para sorrir ao lado de Silvio Santos em duas edições do programa dominical do apresentador no SBT, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) tiveram uma ajudinha dos cofres públicos.

Os dois viajaram a São Paulo para gravar o quadro “Jogo das Três Pistas” em voos proporcionados pela estrutura dos cargos que ocupam. O filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ainda se valeu de auxílio para hospedagem na capital paulista.

Davi, que participou da brincadeira com Silvio neste mês, requereu um voo da FAB (Força Aérea Brasileira) para 14 de setembro, saindo de Brasília com destino a São Paulo. Nessa data, ele gravou sua aparição, que foi exibida no dia seguinte.

Como presidente do Congresso Nacional, o senador tem direito a usar aeronaves da FAB. Ele informou uma previsão de 14 passageiros e disse que o motivo do deslocamento seria “serviço/segurança”. A Aeronáutica não divulga o nome dos ocupantes.

A aeronave solicitada pelo presidente do Senado decolou de Brasília pela manhã e retornou à noite.

No palco, Davi nada falou sobre seu trabalho no Congresso, a agenda de seu mandato ou a situação do Brasil. Só disputou o game contra o apresentador Ratinho, do SBT —e perdeu. Acumulou 25 pontos, ante 40 do auditório e 71 do adversário.

A agenda oficial do presidente do Senado não registrava nenhum compromisso para o dia 14, nem mesmo a gravação. No estúdio, Silvio o tratou com deferência. Apresentou brevemente a biografia de Davi, agradeceu pela presença e, ao se despedir, recomendou a ele que desse um abraço na esposa, “que é muito simpática”.

Alinhado com o governo Bolsonaro, o apresentador e dono do SBT afirmou ter convidado o presidente do Senado dias antes, durante o desfile de Sete de Setembro, em Brasília. Na ocasião, Silvio ficou no palanque ao lado do presidente da República.

Davi não foi o único político a dar as caras no “Programa Silvio Santos” recentemente. Além do próprio Bolsonaro, dois filhos do presidente da República estiveram na atração neste ano.

A participação de Flávio e do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no quadro de perguntas e respostas foi ao ar em 14 de julho. Na gincana, o jogador tem que acertar a palavra correta a partir de dicas que estão em um envelope e são lidas pelo animador do programa.

Flávio saiu derrotado (ficou com 18 pontos, enquanto o irmão conseguiu 65 e a plateia, 60). Senador pelo Rio, ele pagou a viagem até São Paulo e o retorno a Brasília com o próprio dinheiro, mas depois pediu reembolso à Casa, exercendo o direito à chamada cota parlamentar.

Ele declarou um gasto de R$ 2.427,45 com voos nos dias anteriores à gravação, marcada para um sábado. Flávio primeiro viajou de Brasília para o Rio. Ficou na capital fluminense entre a noite de quinta-feira e a tarde de sexta-feira, quando decolou para São Paulo.

Não é possível precisar qual foi o gasto específico do segundo deslocamento (do Rio para São Paulo) porque o custo de cada voo não foi discriminado na nota apresentada por ele à Casa.

O avião pousou no aeroporto de Congonhas na sexta à noite. Na sexta também tinha início a reserva feita pelo senador no hotel Blue Tree Premium Faria Lima (zona oeste). Pela hospedagem, que duraria até o dia seguinte, Flávio pagou R$ 334,95.

Depois de brincar com Silvio Santos, ele voou de São Paulo para Brasília, no sábado, em traslado que saiu por R$ 581,89.

Folha perguntou à assessoria de Flávio se ele teve outros compromissos na capital paulista na ocasião, mas não houve resposta. A agenda do senador não é divulgada, ao contrário do que ocorre com o presidente da Casa.

No caso de Eduardo, não foram encontrados nas prestações de contas gastos relacionados ao período da ida ao SBT. Como ele tem base no estado, os gastos poderiam ser justificados pela necessidade de manter contato com seus eleitores.

O parlamentar, que foi indicado pelo pai para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos, possui um gabinete para despachar na cidade, mantido com verba do mandato.

A participação dos irmãos no game também transcorreu em clima ameno e festivo, com Silvio chamando-os de galãs. A certa altura, contudo, fez troça dos conhecimentos dos convidados, dizendo que eram “fracos de política” e deveriam estudar o assunto, já que não acertavam os desafios.

Nenhum dos dois descobriu, por exemplo, que era João Goulart a resposta para a trinca de dicas “foi presidente/esposa bonita/nasceu em São Borja”. Eduardo arriscou: “Getúlio Vargas?”.

Silvio, que recebeu o presidente Bolsonaro no programa em maio, disse que aproveitou sua ida à parada de Sete de Setembro para atrair outros poderosos para o “Jogo das Três Pistas”.

Segundo ele, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), respondeu que irá “em outra oportunidade”. Um dos genros do comunicador é o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN), casado com a apresentadora Patricia Abravanel.

“Eu convidei alguns congressistas… Me disseram que vão vir, mas eu não acredito”, disse o apresentador em sua atração. Segundo ele, no entanto, a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), participará neste domingo (29).

Ao anunciar a próxima atração, uma pequena gafe: Silvio esqueceu o nome da deputada e pré-candidata a prefeita da capital, a quem se referiu como “aquela moça bonita, loira”.

OUTRO LADO

Procurados via assessoria, nem Davi nem Flávio se manifestaram.

Folha perguntou a ambos de que forma a participação no “Programa Silvio Santos” se relaciona com suas atividades parlamentares e se eles tiveram outros compromissos na capital paulista na mesma ocasião.

O presidente do Senado também não informou quais foram os 14 passageiros que embarcaram nos voos solicitados por ele à FAB.

FOLHAPRESS

Comments

Espero que STF não promova impunidade com decisão sobre Lava Jato, diz novo PGR

Em sua primeira entrevista após assumir a Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras, 60, disse à Folha esperar que o Supremo Tribunal Federal restrinja a decisão da maioria dos ministros que estipula que réus delatores apresentem alegações finais antes dos réus delatados.

A decisão pode anular, por uma questão processual, uma série de sentenças da Operação Lava Jato.

Aras disse que não vê nulidade no inquérito aberto pelo Supremo para apurar fake news e ameaças contra integrantes da corte —diferentemente de sua antecessora, Raquel Dodge, que pediu o arquivamento da investigação.

No cargo desde quinta (26), ele indicou as primeiras discordâncias de propostas do governo Jair Bolsonaro (PSL), ao comentar a exploração econômica de terras indígenas —que, para ele, deve respeitar os povos isolados— e discorrer sobre temas caros ao bolsonarismo, como a descriminalização da maconha.

A entrevista foi concedida no gabinete de Aras na Procuradoria.

O sr. terá sua primeira sessão plenária no STF na próxima quarta (2), quando deve terminar um julgamento que já tem maioria para que réus delatores apresentem alegações finais antes dos delatados. Isso pode levar a anulações de sentenças. Preocupa o sr. essa maioria formada? Em tese, posso apenas lembrar de princípios clássicos da teoria geral das nulidades processuais: “Pas de nullité sans grief”. “Não há nulidade sem prejuízo.” Isso significa dizer que só se declara nulidade de um ato judicial quando há prejuízo para alguém. Cada caso concreto vai desafiar a apreciação da existência de um prejuízo, porque, se um réu não tinha nada para arguir, ainda que pudesse falar e não falou, não há por que se nulificar.

Outra parte importante de registrar é que a moderna teoria constitucional remete a que cada julgamento formador de um “leading case” produza efeitos prospectivos, para a frente, nunca para trás —mesmo em matéria penal. Espero que a Suprema Corte module os efeitos dessa decisão, que não tenhamos a debacle do sistema judicial punitivo e, mais ainda, a promoção da impunidade.

O sr. assume num contexto de mudança de ventos em relação à Lava Jato. Há uma formação de consenso entre políticos de diferentes grupos. Há um filho do presidente [Flávio Bolsonaro] que se insurgiu contra uma investigação no Rio, que não é Lava Jato, mas tem o mesmo espírito. Todos se juntaram contra supostos abusos do Ministério Público. O que o sr. fará? Compreendo a Lava Jato como um “case” bem-sucedido, independentemente de desvios, que são passíveis de correção. Temos dezenas de operações em curso. O que me parece é que precisamos que a PGR, o procurador-geral como órgão monocrático [individual] da chefia do Ministério Público e como presidente do CNMP [Conselho Nacional do Ministério Público], construa uma solução estruturada, organizada para todo o país, para que todas as operações compartilhem informações, funcionem com recursos orçamentários otimizados. O fato de termos operações distintas faz com que o Ministério Público comece a ser atomizado. As operações, quando desgarradas de seu núcleo central, que é a PGR, passam a ser uma instituição paralela e rompem com a unidade institucional. O processo civilizatório exige devido processo legal, que é o direito que tem cada cidadão de não ser processado senão pela autoridade competente, imparcial, que haja justa causa, que haja direito ao contraditório e à ampla defesa.

FOLHAPRESS

Para continuar lendo só clicar aqui: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/09/espero-que-stf-nao-promova-impunidade-com-decisao-sobre-lava-jato-diz-novo-pgr.shtml

Comments

Sem aval para plantio, mercado da maconha medicinal no país prevê R$ 4,7 bi por ano

Na recepção, moças de jalecos brancos. Nos balcões, tubos de vidro com líquidos coloridos, em alusão a um ambiente de laboratório científico. Na plateia, empresários. Nada ali lembrava a estrela da noite: a maconha.

No palco, porém, uma frase entregava o objetivo do evento empresarial realizado pelo Lide Futuro em agosto, em São Paulo, e patrocinado por farmacêuticas voltadas à maconha medicinal: “Cannabusiness: um mercado bilionário”.

Sem uma legislação favorável ao plantio da maconha medicinal no Brasil e mesmo diante da desaprovação do Planalto sobre a proposta da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de regular o tema, há empresários otimistas e já investindo neste setor no país.

A estimativa de recursos a serem movimentados vai de R$ 1,1 bilhão a R$ 4,7 bilhões por ano, segundo estudo das empresas de dados do setor New Frontier e Green Hub.

A projeção mais entusiasta, que representa um valor equivalente a 6,5% do total do faturamento da indústria farmacêutica no país em 2017 (R$ 76 bilhões), está amparada numa estimativa de que o país tenha ao menos 3,9 milhões de pacientes que poderiam ser tratados com Cannabis.

Desde 2014, pouco mais de 4.000 doentes foram autorizados pela Anvisa a importar produtos feitos de canabinoides para o tratamento de patologias como epilepsia, transtornos de ansiedade, depressão e esclerose múltipla. As substâncias autorizadas são o canabidiol (CBD) e tetraidrocanabinol (THC).

A importação é um processo lento e caro. A autorização tem levado até três meses e cada paciente gasta ao menos R$ 1.200 por mês. Até agora, só um remédio foi registrado para ser vendido no país, o Mevatyl (spray), para alívio de espasmos em pacientes com esclerose múltipla.

Há 40 pessoas e uma associação de pacientes de João Pessoa (Paraíba) plantando Cannabis medicinal com autorização judicial. E há centenas de outras consumindo produtos do mercado clandestino, segundo a Folha apurou em grupos de pais nas redes sociais.

“O Brasil possui grande potencial de mercado, não só para aplicações médicas domésticas mas também para expandir sua exportação para países incapazes de cultivar localmente”, diz Giadha Aguirre de Carcer, fundadora e CEO da New Frontier Data.

Para o presidente da empresa canadense Verdemed, José Bacellar, o negócio farmacêutico da Cannabis já existe e funciona no Brasil. Tanto que há um remédio registrado. “O que não está resolvido é o acesso à saúde. Para isso, tem que ter plantio, extração de óleo e purificação, para que os produtos se tornem baratos e acessíveis”, afirma.

A empresa resolveu arriscar e neste ano comprou um laboratório em Vargem Grande Paulista (SP) por US$ 1 milhão. Por meio dele, deve registrar remédios no Brasil assim que sair a nova regulamentação.

A empresa tem produção própria de Cannabis na Colômbia, de onde devem sair por ano mil litros de óleo da planta. No Canadá, ela tem dois produtos similares, o CDB 100 (para síndromes epiléticas) e o nabiximol (para esclerose múltipla).

A meta da empresa é expandir os negócios na América Latina, com investimentos de US$ 80 milhões até 2022. Metade disso depende de como vai caminhar o Brasil na questão regulatória. “Se não tiver lei de plantio de Cannabis, não tem onde gastar”, diz Bacellar.

Entourage Phytolab, de pesquisa e produção de medicamentos desenvolvidos a partir da Cannabis, é outro caso de empresa que não esperou a regulamentação da Anvisa para fazer investimentos.

Criada em 2015, em Valinhos (SP), já aportou US$ 6 milhões no desenvolvimento de tecnologias de extração e preparo de matérias-primas da Cannabis e em estudos de eficácia e toxicidade pré-clínicos (em animais).

FOLHAPRESS

Comments

Justiça torna preventiva prisão de 2 suspeitos de integrar grupo que invadiu celulares de autoridades

A 10ª Vara de Justiça Federal converteu neste sábado (28) de temporárias para preventivas as prisões de dois dos seis suspeitos de participação no esquema de invasão de celulares de autoridades. Thiago Eliezer Martins dos Santos e Luiz Molição, presos pela Polícia Federal no último dia 19, estavam presos temporariamente.

Segundo as investigações, os dois são integrantes do grupo que interceptou os celulares de procuradores da Lava Jato e autoridades como o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Os detalhes da investigação estão sob sigilo e, por isso, não se sabe efetivamente o papel desempenhado pelos dois no esquema investigado.

A audiência de custódia dos dois presos está marcada para a próxima segunda-feira (30).

As prisões temporárias têm prazo de cinco dias, prorrogáveis por igual período. Na última segunda-feira (23), a Justiça já havia atendido a pedido da Polícia Federal para renovar as prisões temporárias dos suspeitos, que venceriam neste sábado. Já a prisão preventiva não tem prazo para ser encerrada.

Além das prisões, a segunda fase da Operação Spoofing também cumpriu quatro mandados de busca e apreensão em Brasília, Sertãozinho (SP) e em São Paulo, com a participação de 30 policiais federais.

A primeira etapa da operação foi deflagrada em julho, após o site The Intercept divulgar trocas de mensagens entre procuradores da Lava Jato e o então juiz Sergio Moro. Na ocasião, quatro suspeitos foram presos.

Investigados mantidos na prisão

Todos os quatro alvos da primeira etapa da operação continuam presos em Brasília, após a prisão temporária ser convertida em preventiva, sem prazo para acabar.

Um dos presos, Walter Delgatti Neto, assumiu ter sido o responsável por interceptar o celular de Moro. Em depoimento, ele contou como acessou o Telegam — aplicativo de troca de mensagens —do procurador chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, e de outros procuradores.

No depoimento, Delgatti Neto:

– revelou que a ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) foi a intermediária entre ele e o jornalista Glenn Greenwald, do Intercept, que começou a publicar o conteúdo das mensagens em 9 de junho;
– disse que não recebeu nenhum dinheiro em troca do diálogo;
– disse que sempre se comunicou com Glenn Greenwald de maneira virtual, sem revelar a própria identidade.

De acordo com o Juiz que autorizou a prisão dos quatro suspeitos na primeira etapa da operação, Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, as investigações apontaram que:

os supostos hackers tiveram acesso ao código enviado pelos servidores do aplicativo Telegram para o celular de Moro e dos outros alvos para abrir a versão do aplicativo no navegador de um computador, e não no celular.
depois, fizeram ligações para o número de telefone da vítima, “a fim de que a linha fique ocupada e a ligação contendo o código de ativação do serviço Telegram Web seja direcionada para a caixa postal da vítima”.

G1

[VÍDEO] Natalense Júnior Groovador é destaque no Rock in Rio

O encontro entre o músico Jack Black, da banda Tenacious D, e o baixista brasileiro Júnior Bass Groovador está confirmado para este sábado, 28, no Rock in Rio 2019. A confirmação foi feita em uma publicação no perfil do Instagram do baixista, que mostrava em um vídeo o ensaio de preparação pré-show entre os dois.

Há 10 dias, Jack Black, que também é ator e comediante, havia pedido ajuda aos seguidores do Instagram para entrar em contato com Júnior, após assistir e compartilhar o vídeo do baixista tocando a música Smells Like Teen Spirit na versão em forró.

Sobe para 53 número de municípios atingidos por óleo no Nordeste

Foto: Divulgação/Adema

Subiu para 53 o número de cidades afetadas pela mancha de óleo que atingiu o litoral do Nordeste desde o início do mês.

Segundo o balanço mais recente divulgado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), já são 112 localidades em oito estados afetadas pela mancha. Apenas na Bahia ainda não houve registro do problema.

Uma investigação do Ibama, que monitora a situação desde o dia 2 de setembro, com apoio do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, indica que o petróleo que está poluindo as praias é o mesmo, e a origem não é do Brasil.

De acordo com a investigação do instituto, o petróleo que está poluindo todas as praias é o mesmo. Trata-se de petróleo cru, ou seja, não se origina de nenhum derivado de óleo, como gasolina. No entanto, sua origem ainda não foi identificada. Em análise feita pela Petrobras, a empresa informou que o óleo encontrado não é produzido pelo Brasil.

Mesmo sendo de origem estrangeira, os responsáveis estão sujeitos a multas de até R$ 50 milhões, em conformidade com a Lei de Crimes Ambientais, Lei 9.605/1988.

O Ibama informou que requisitou apoio da Petrobras para atuar na limpeza de praias. Nos próximos dias, a empresa disponibilizará um contingente de cerca de 100 pessoas.

O instituto orienta as pessoas que identificarem manchas de óleo em alguma praia a entrar em contato com a prefeitura do local e com o instituto por meio da Linha Verde, no número 0800618080.

Até o momento, o petróleo foi encontrado em nove tartarugas, seis delas mortas, e em uma ave, também morta. Segundo o Ibama, não há evidências de contaminação de peixes e crustáceos, mas a avaliação da qualidade do pescado capturado nas áreas afetadas para fins de consumo humano é competência do órgão de vigilância sanitária.

Agência Brasil

Comments

O voto de Toffoli sobre habeas corpus que pode anular sentenças da Lava Jato

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, deve fazer duas sugestões no voto do julgamento do habeas corpus que pode anular sentenças da Lava Jato, diz a Crusoé.

O presidente do STF deve propor na próxima quarta-feira que, para ter a condenação anulada, o réu tenha reclamado da ordem das alegações finais ainda na primeira instância.

O ministro também deve propor que a defesa comprove que ficou prejudicada por não ter se pronunciado por último.

O Antagonista

 

LOCAIS

Gol abre contratações no Rio Grande do Norte com vaga até para trabalho em casa

A companhia aérea Gol abriu 46 vagas de empregos em diversos setores e cidades, inclusive em Natal e João Pessoa. Há também possibilidades de trabalho “home based” (em casa).

Para Natal a vaga é de auxiliar de aeroporto, exigindo nível médio. A atuação é na linha de frente com o cliente, no aeroporto. Também há oportunidades para comissário de bordo, além das vagas para teleoperador de SAC, vendas e Smiles, cujos trabalhos podem ser feitos de casa.

É também uma boa chance pra quem tem disponibilidade e gostaria de tentar algo em outra cidade, pois há vagas para estados de todas as regiões do Brasil. A companhia aérea oferece diversos benefícios como auxílios alimentação, saúde, creche, entre outros.

Para saber mais sobre todas as vagas de emprego disponibilizadas pela Gol, clique aqui.

Com informações do site Agora eu Voo.

Portal Grande Ponto

Defesa de Henrique Alves se manifesta sobre denúncia de compra de votos por meio da InterTV Cabugi

Foto: Beto Oliveira / Agência Câmara

A defesa do ex-deputado Henrique Eduardo Alves enviou uma nota de esclarecimento ao Blog negando as acusações de que o ex-parlamentar usou a InterTV Cabugi para comprar votos.

Confira a nota na íntegra…

Nota

Trata-se de fato antigo e já respondido pela defesa. O ex-Deputado Federal Henrique Eduardo Alves detém 20,5% da Televisão CABUGI Ltda. desde agosto de 1995, parte herdada dos seus pais e o complemento adquirido dos seus irmãos e primos.

Ao longo dos últimos anos, não tendo a referida empresa disponibilidade contábil para proceder a liberação dos dividendos a que o mesmo fez jus, a sua alta Direção optou por mútuos a serem compensados em momentos futuros.

Neste contexto, e apenas nele, foram liberados mútuos por justo pedido do sócio, sem a TV saber ou ter nenhum conhecimento prévio de seu uso, como não poderia deixar de ser.

Por outro lado, a defesa logo esclarece que o seu cliente não destinou esse montante – que lhe pertence e todo ele está declarado na sua Declaração de Rendas Anual à RFB – à compra de votos nas eleições de 2014.

Não foi este o destino e sim para suprir compromissos eminentemente pessoais, ou seja, de natureza privada.

Isto será provado nos autos judiciais no devido tempo.

Brasília, 28.9.2014.

Marcelo Leal
Advogado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0