10 de julho, terça-feira

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.

Por G1

 

O mundo de olho na Tailândia. Entra no 3º dia a operação de resgate na caverna onde ainda estão quatro garotos e o treinador do time preso desde 23 de junho. Autoridades tailandesas esperam retirar os cinco ainda hoje, mas dependem das condições climáticas, já que chove forte na região. O mundo de olho também na Rússia: França e Bélgica decidem a primeira vaga para a grande final da Copa do Mundo. Nos EUA, quem é o novo juiz da Suprema Corte dos EUA, que pode mudar a posição da maior instância judicial norte-americana em temas como aborto e casamento gay?

INTERNACIONAIS

Esperança na Tailândia

Foto distribuída pelo Centro de Operações de Resgate mostra socorristas na caverna na Tailândia (Foto: AP Photo)
Foto distribuída pelo Centro de Operações de Resgate mostra socorristas na caverna na Tailândia (Foto: AP Photo)

É possível que termine hoje o drama do grupo preso no interior de uma caverna na Tailândia. Oito jovens foram resgatados nos dois últimos dias, mas quatro garotos e o treinador deles seguem na galeria inundada. A chuva voltou à região e pode atrapalhar a operação de salvamento. Enquanto isso, os oito meninos já resgatados seguem internados, mas passam bem.

Reta final

Mbappé, da França, e De Bruyne, da Bélgica (Foto: Kirill Kudryavtsev e Benjamin Cremel / AFP Photo)
Mbappé, da França, e De Bruyne, da Bélgica (Foto: Kirill Kudryavtsev e Benjamin Cremel / AFP Photo)

França e Bélgica disputam a primeira vaga da final da Copa do Mundo. O jogaço em São Petesburgo começa às 15h e coloca em campo duas seleções badaladas. Os belgas, que fizeram o Brasil se despedir do Mundial, não perdem há quase 2 anos. Os franceses apostam no jovem Mbappé, companheiro de Neymar no PSG, para derrubar a invencibilidade e a força ofensiva da Bélgica.

Malala

Malala discursa em evento em São Paulo nesta segunda-feira, 9 de julho (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil )
Malala discursa em evento em São Paulo nesta segunda-feira, 9 de julho (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil )

Malala vai patrocinar três brasileiras que lutam pela educação de meninas. Depois de dar uma palestra em São Paulo ontem, ela anuncia que as primeiras ativistas do Brasil a integrar a Rede Gulmakai são da Bahia, de Pernambuco e de São Paulo.

Supremo conservador

Donald Trump cumprimenta o juiz Brett Kavanaugh, novo integrante da Suprema Corte dos Estados Unidos (Foto: Jim Bourg / Reuters)
Donald Trump cumprimenta o juiz Brett Kavanaugh, novo integrante da Suprema Corte dos Estados Unidos (Foto: Jim Bourg / Reuters)
Quem é Brett Kavanaugh, juiz escolhido por Trump para uma vaga na Suprema Corte dos EUA? De posição conservadora, o novo membro da mais alta corte judicial norte-americana pode mudar posição do tribunal em temas como aborto e casamento gay. O nome de Kavanaugh, porém, ainda depende de aprovação do Senado dos Estados Unidos.

Novo ministro

O novo ministro do Trabalho, Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello (Foto: Reprodução/Escritório Sergio Bermudes)
O novo ministro do Trabalho, Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello (Foto: Reprodução/Escritório Sergio Bermudes)
Temer dá posse ao novo ministro do Trabalho, Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello, em cerimônia no Planalto. Na semana passada, o então ministro, Helton Yomura, pediu demissão após ter sido alvo da Operação Registro Espúrio.
Fonte: G1
 

NACIONAIS

“Manobra para evitar colisão ou turbulência” fere equipe de bordo e comissários voam dentro de avião no voo Belo Horizonte/Fortaleza

Após manobra de voo, comissários de bordo são arremessados em aeronave
Um avião da Gol Linhas Aéreas fez uma ‘manobra brusca’ e deixou dois comissários e alguns passageiros feridos na madrugada desta segunda-feira (9). O médico Thiago Gomes, um dos passageiros, disse que piloto afirmou que a manobra foi feita “por causa de outro avião que estava em altitude muito próxima”.
Gomes contou que os comissários se machucaram pois “voaram dentro do avião”. “A gente teve a impressão foi de que, na verdade, esse movimento foi um desvio pra não ter colisão de uma aeronave com outra”, disse o passageiro.

Ele disse ainda que a aeronave “ficou oscilando bastante e houve pânico. Foi uma turbulência bem fora do convencional”.
De acordo com o G1, a Gol informou que “devido à turbulência, o voo G3 9126, que partiu de Confins [Minas Gerais] com destino à Fortaleza, precisou retornar à cidade de origem nesta madrugada”. A companhia afirmou que prestou assistência necessária aos clientes.
Segundo a publicação, a equipe de bordo ficou ferida e não houve condições para prosseguir o voo. A aeronave retornou ao local de origem e os passageiros foram hospedados em um hotel até a saída do voo seguinte.
NOTÍCIAS AO MINUTO

Ameaças de morte a Sérgio Moro voltam as redes sociais

A armação petista para tentar a soltura do ex-presidente Lula, domingo, fez ressurgir com força ameaças de morte ao juiz federal Sérgio Moro nas redes sociais. “Gente, temos que mandar matar o Moro”, diz um dos posts no Twitter, associando-se a outros como o que exorta os adoradores curitibanos de Lula a “ir ali e matar o Moro”, outro pediu um “assassino de aluguel” uma mulher promete: “Eu vou matar o Moro”. Outra promete festa e cerveja de graça no dia quem matarem o juiz.
A coluna procurou o Conselho Nacional de Justiça, a Justiça Federal do Paraná e a Polícia Federal. Ninguém quis falar sobre as ameaças.
No Brasil costumam subestimar ameaças públicas de morte, mas, pelo sim, pelo não, o juiz Sérgio Moro tem proteção federal 24 horas por dia.
São dezenas de mensagens de ódio. O Twitter diz ter “política rigorosa” contra isso, mas não respondeu aos questionamentos sobre o assunto.
A Ajufe, entidade de juízes federais, curiosamente não se impressiona. Sua assessoria informou que “não há indicativo de posicionamento”.
CLÁUDIO HUMBERTO

Cármen Lúcia deve propor reajuste zero e deixa juízes inquietos

O STF (Supremo Tribunal Federal) discute no dia 8 de agosto, em reunião administrativa, um eventual aumento para os ministros da corte. A presidente, Cármen Lúcia, já sinalizou que proporá reajuste zero.
A proposta gera tensão em tribunais do país já que o salário dos ministros do STF, de R$ 33 mil, serve, em tese, de teto para todos os magistrados brasileiros.
Um juiz de outra corte afirma que, se a ideia vingar, setores do Judiciário devem articular com parlamentares a apresentação de emendas ao orçamento propondo posteriormente o reajuste.
MÔNICA BERGAMO
 

LOCAIS

Partido PROS presidido no RN pelo Deputado Albert Dickson vai se coligar com o PSD e apoiar a reeleição de Robinson Faria na eleição de 2018

O Partido PROS que tem o deputado Albert Dickson como presidente e pré-candidato a deputado Estadual acabou de soltar nota confirmando que vai se coligar com o PSD na eleição desta ano e apoiar a reeleição do governador do estado, Robinson Faria.
Segue a note:
Natal 09 de julho de 2018
Nota (PROS/RN)
Após reuniões na semana passada em Brasília com a Executiva Nacional do PROS, e nesta segunda-feira (09) com a executiva estadual e correligionários  do estado do RN, decidimos optar por coligarmos na proporcional e majoritária com o PSD/PSDB e demais partidos que fazem parte da composição.
No Rio Grande do Norte, o partido é liderado pelo Deputado Estadual Albert Dickson (PROS).
Diretório Estadual (PROS/RN)

Fonte: BLOG DO BG

Firmeza

Styvenson: “Experiência política que me cobram levou o Brasil para onde?”

Pré-candidato ao Senado, o capitão da PM afirma que não seguirá ideologia partidária, critica polarização entre direita e esquerda e responde a comparação entre as blitzen que coordenava da Lei Seca e a política

Styvenson recebeu convite de seis partidos
O capitão da Polícia Militar, Styvenson Valentim, deve ser candidato ao Senado Federal neste ano. E o “deve” já não é fruto de especulação de bastidor e sim da falta de confirmação sobre que sigla vai homologar a sua candidatura. Nesta entrevista ao Jornal Agora RN, o ex-comandante da 1ª Companhia da PM e ex-coordenador da Lei Seca no RN critica a polarização entre direita e esquerda, descarta a comparação entre as blitzen e campanha eleitoral e responde aqueles que cobram dele uma suposta “experiência política” para ser candidato: “Essa experiência levou o Brasil para onde? Tenho é experiência profissional”. Vejam a entrevista completa do capitão da Polícia Militar, Styvenson Valentim.
CANDIDATURA
Assinei minha descompatibilização de funções e já não sou mais comandante da 1ª Companhia da PM. A Escola Estadual Maria Ilka vai passar por uma nova fase. Deixei lá os policiais militares, para permanecer fazendo o trabalho e vou continuar ajudando a escola. Consegui, além de tênis e sapatos, os painéis de energia solar para o ar condicionado. E vou pensar até o dia 20 sobre os seis partidos que me procuraram para fazer essa escolha, para dizer se vou ou se não vou para essa campanha. Mas já posso dizer que sou hoje pré-candidato.
EXPERIÊNCIA POLÍTICA
Não tenho “experiência política” não que me cobram. Tenho experiência profissional em segurança pública. E que experiência é essa que tanto falam? Para mim, quem tem experiência é profissional, como padeiro, advogado, médico. Político não é profissão. Quem tem profissão é quem escolhe. Que experiência é essa que pedem? De aparecer em páginas de escândalos de desvios de dinheiro? Experiência de anos sem fazer nada, inócuo, inerte? Essa aí eu não tenho mesmo. A experiência política que me cobram levou o Brasil para onde? O que ela trouxe de bom para o Rio Grande do Norte? Não tenho um nome experiente com processos no Tribunal de Justiça, no Supremo Tribunal Federal. Não tenho meu nome citado em escândalos nacionais. Tenho minha experiência na Polícia Militar e na educação, no trabalho que desempenhei na Escola Estadual Maria Ilka. E quem não conhece, é só pesquisar.
OPÇÃO PELO SENADO
Me identifico com a questão legislativa, fiscalizadora do Senado, de julgar e processar pessoas que se acham acima da lei. Tem um princípio que acho legal do Senado que é a questão da igualdade. São três senadores por estado, não é oito nem 80, como na Câmara dos Deputados.
ADVERSÁRIOS
Percebo que sentem medo, justamente, dessa ameaça que está presente hoje. Não só por mim, mas pela vontade das pessoas, que vão votar e eleger. Não me preocupo com a ideia do que vão falar, do que vão me atacar. Minha vida é muito transparente.
TRABALHO SE ELEITO
Como eu cheguei até aqui. Fazendo sempre a coisa certa e transparente. Fazendo a coisa para todos. Não dá para tratar a coisa pública como particular. Vou logo dizendo que não tenho dinheiro para dar para ninguém. Até aparece uns parasitas oportunistas. Estou até esperando que se eu entrar alguém faça uma proposta dessa para ver se tem coragem. No mínimo darei uma ordem de prisão, se não levar umas tapas boas.
BLITZ COM POLÍTICA
Não dá para comparar. As blitzen que comandei obedeciam a princípios constitucionais, como legalidade, moralidade, eficiência, igualdade, transparência, coisa que não se observa na política. Nunca precisei usar a força física contra ninguém na blitz. Mas não sou passivo demais com coisas erradas. Se vier proposta de corrupto, vai ter uma resposta firme, como sempre dei no meu trabalho. Na verdade, queria eu que a política fosse como as blitzen que fazia da Lei Seca. Tudo era feito de maneira correta e transparente. Todo mundo era tratado de maneira igual, tanto que ficou conhecida nacionalmente.
IDEOLOGIA
Não concordo com isso de direita e esquerda. Concordo em fazer o melhor. Isso de escolher um lado é para polarizar e atrapalhar tudo.
MARIA ILKA
Não deu certo em outras escolas porque sou só um e meu limite de policiamento era na 1ª companhia. Quando busquei outras escolas para fazer o mesmo, disseram que não queriam. Aquela velha nuvem: ‘aqui não precisa, está tudo seguro’.  Coloquei nas minhas redes sociais o que fiz para reformar a escola. Foram R$ 21 mil para fazer quadra de esportes, ajeitar banheiro, mesa, cozinha. Com dinheiro público? Não. Com dinheiro que fiz palestra. Poderia ser feito em outras escolas? Pode, por qualquer pessoa.
Fonte: AGORA RN

Deixe uma resposta