PONTO DE VISTA: O DINHEIRO MAL APLICADO NA EDUCAÇÃO PRODUZIU AS ABERRAÇÕES QUE ESTAMOS PRESENCIANDO

Caro(a) leitor(a),

É absolutamente inadmissível, incompreensível e ultrajante o comportamento e alguns elementos integrantes da mais alta corte desse país. ´Pelo fato de desconhecer sinônimos na língua portuguesa que represente melhor o comportamento desses elementos sou obrigado a repetir aqui as únicas palavras que, para mim, expressam melhor essas atitudes. É BIZARRO e SURREAL as coisas que esses ministros do STF falam e fazem. Não encontro nada mais adequado que enquadre esse festival de estupidez, palhaçadas e maldades. É sabido que qualquer governante que se preze e queira o desenvolvimento e a prosperidade do seu povo e do seu país deve investir na educação como prioridade 0. Isso é simplesmente elementar. O futuro de uma nação depende da educação e da cultura de um povo. Entretanto tudo que os governos petistas fizeram foi iludir o pobre povo brasileiro. Porque os organismos internacionais que medem o desenvolvimento educacional eles não conseguiram iludir. O idiota do afegão médio acha que conseguir entrar numa universidade é tudo na vida, mesmo que pra isso não tenha obtido média suficiente nem aprendido as 4 operações da matemática, nem escrever e falar corretamente. O piza é a prova cabal disso e constatou que estamos em último lugar na América Latina, mesmo com os governos petista chegando a aplicar 6% do PIB em educação. Coisa que nem os países ricos fazem. Portanto podemos constatar que aplicaram o dinheiro totalmente errado, ou seja, aplicaram quase todo o recurso no ensino superior criando inúmeras universidades sem critério nenhum em detrimento do ensino de base que é onde realmente deveriam ter investido. Andamos na contramão do inteligente, sensato e óbvio. Acho que não preciso dizer mais nada, né?

Carvalhosa leciona Direito Constitucional e aniquila Lewandowski

Nesta quarta-feira (8), o maior jurista brasileiro vivo, Modesto Carvalhosa, do alto de seus elevados conhecimentos jurídicos, em poucas linhas respondeu a Lewandowski, dando uma verdadeira aula de direito constitucional.

Eis o texto:

“O art. 101 da Constituição define que o Supremo Tribunal Federal se compõe de 11 ministros escolhidos entre cidadãos de notável saber jurídico e reputação ilibada.

Em entrevista ao El País, Ricardo Lewandowski mostrou-se entusiasmado com o advento do “juiz de garantias”, permitindo-nos questionar se, no caso dele, não estaria ausente pelo menos um dos requisitos para ocupar seu cargo, pois, a bem da verdade, qualquer estagiário sabe que o absurdo ‘juiz de garantias’ é completamente inconstitucional por violar o princípio da unicidade do juízo consagrado no art. 109 da Constituição, norma essa que só pode ser revogada por PEC, e não mera lei ordinária, como a que deu à luz aquele monstrengo jurídico.

Por tudo isso, estamos com o ilustre Professor Adilson Dallari quando, ao criticar o pernicioso instituto, salienta que o atual STF não pode ser confundido com o Poder Judiciário, integrado, em sua absoluta maioria, por pessoas vocacionadas para o correto exercício da magistratura, as quais, segundo acreditamos, saberão repelir de nosso ordenamento o inaceitável ‘juiz de garantias’.”

da Redação

Deixe uma resposta