OPINIÃO: UMA ESQUERDA CONSCIENTE E RESPONSÁVEL NÃO PODE CONCORDAR COM ESSA CENSURA SOBRE TRUMP

Caro(a) leitor(a),

Qualquer ativista político consciente e responsável sabe que o principal alicerce da Democracia é a liberdade, no seu mais amplo sentido e a liberdade de expressão é não apenas um símbolo disso, mas o seu maior legado. Mas não podemos confundir “liberdade” com libertinagem. Libertinagem tem vários sentidos e um deles é depravação. A depravação no seu mais amplo sentido é falta de limites. Então, a “liberdade” para ser plenamente exercida, quando em sociedade, possui seus limites, que estão expressos em uma legislação. Ao tomar a decisão de bloquear Donald Trump em suas redes sociais seus diretores excederam ou extrapolaram essa legislação e cometeram o crime de cerceamento da liberdade de expressão do líder americano. E qualquer que seja o crime cometido por um cidadão, seja aqui, na China ou no Japão deve ser punido dentro da lei. Portanto, apesar de ser uma contumaz esquerdista, até mesmo a líder alemã, Angela Merkel, não poupou os responsáveis pelos ataques a Donald Trump de cometerem um desatino à liberdade de expressão, mostrando claramente a ameaça ditatorial se insurgindo sempre que tem uma oportunidade e isso nós não podemos permitir! 

O repúdio de Angela Merkel aos ataques sofridos por Donald Trump

Publicado em 

Reuters

Conforme registramos mais cedo, a censura sofrida pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está gerando debates entre autoridades globais.

Angela Merkel foi uma das líderes que criticou duramente a decisão do Twitter de banir o republicano.

Para a chanceler alemã, as medidas contra Trump trata-se de uma ‘problemática’ do ‘direito fundamental à liberdade de expressão’.

“É possível interferir na liberdade de expressão, mas de acordo com os limites definidos pela legislação”, afirmou o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (11).

“Não baseando-se na decisão da direção de uma empresa”, prosseguiu.

E completou: “É por isso que a chanceler considera problemático que as contas do presidente dos Estados Unidos nas redes sociais sejam fechadas definitivamente”.

Donald Trump foi banido permanentemente do Twitter na última sexta-feira, 8, dois dias após os conflitos que ocorreram no edifício do Capitólio.

A empresa disse que suspendeu a conta do líder norte-americano por temer que ele pudesse incitar mais violência.

O Facebook, por sua vez, suspendeu a conta do presidente por alguns dias.

A previsão é que o bloqueio prevaleça até a posse de Joe Biden, marcada para 20 de janeiro.

Porém, para Merkel, o governo dos EUA deveria seguir o exemplo da Alemanha na adoção de leis que restringem o incitamento online, em vez de deixar que plataformas como Twitter e Facebook definam suas próprias regras.

Professor, cristão, colunista, e redator. Amo ciências políticas, sou conservador e nordestino com orgulho.

Fonte: Conexão Política

Deixe uma resposta