OPINIÃO: O HOMEM QUE TRABALHA NOS BASTIDORES E NÃO FAZ ESTARDALHAÇO DOS SEUS FEITOS

Caro(a) leitor(a),

Não é de hoje que admiro muito o ministro Sérgio Moro e sei que, assim como eu, boa parte da população brasileira gostaria de vê-lo com presidente da república. Particularmente, não vejo ninguém, atualmente, com maior competência para assumir e representar o povo brasileiro a altura do que esta grande nação merece e precisa. Quando juiz mostrou toda a sua capacidade e competência através dos seus atos, que hoje são públicos e notórios e não há necessidade de enumerá-los aqui. Como ministro da Justiça e Segurança Pública, com apenas 8 meses como chefe da pasta já fez muito mais do que os governos de Lula, Dilma e Temer, apesar de toda a retaliação feita ao seu trabalho por toda a militância de esquerda e até mesmo pelo próprio presidente Jair Bolsonaro. O artigo a seguir retrata bem o que estou falando aqui. Portanto leia este artigo e conheça um pouco mais o trabalho deste homem fenomenal!

A ingenuidade dos escribas de aluguel: A verdade sobre a queda dos índices de criminalidade

Com ele, mais 21 líderes do PCC foram transferidos para presídios em Mossoró (RN), Brasília e Porto Velho (RO).

Seus rivais do Comando Vermelho, Família do Norte e Terceiro Comando Puro já haviam sido transferidos para essa rede de presídios federais.

Já em novembro, o serviço de inteligência da PF sabia de um plano mirabolante e milionário – que envolvia milhões de dólares – para resgatar os criminosos de São Paulo.

O plano envolvia o assassinato de autoridades e a compra de veículos blindados, aeronaves e armamentos para a operação de resgate dos criminosos do presídio de segurança máxima de Presidente Venceslau, em São Paulo.

A ação seria uma represália à possível transferência de Marcola para um presídio federal.

Moro se antecipou e não só transferiu o líder da facção mas incluiu na lista mais 21 líderes, entre eles o chefe do setor financeiro da quadrilha no país.

Para se ter uma ideia do que significa o PCC, a facção movimenta cerca de 800 milhões de dólares anualmente no país e tem quase 30 mil membros.

É a maior organização criminosa da América do Sul, tem ligações estreitas com a máfia da Calábria e domina o envio de cocaína da Bolívia para a Europa.

Não é novidade – e a grande imprensa sabe disso muito bem, apesar de se calar a respeito – que o grande impulsionador da criminalidade nas cidades brasileiras, inclusive do número assustador de homicídios (que atingiu seu pico em 2017) sempre foi causado por essas facções e pela impunidade de que gozavam.

Não à toa, foi nos governos petistas que floresceram e cresceram.

Parceria.

Assim quando hoje essa mesma imprensa declara ingenuamente ‘não saber exatamente’ das causas do declínio da criminalidade a partir de janeiro, que foi de 20%, há evidentemente uma enorme má vontade em admitir o que é bem claro pra quem conhece o assunto, como o secretário nacional de Segurança Pública, general Guilherme Theophillo.

Ele é direto: a ação de Moro desestruturou completamente a cúpula do PCC e do Comando Vermelho.

As ameaças de retaliação por parte dos criminosos não aconteceram.

E os índices de violência, especialmente o de homicídios, caíram significativamente.

A meta do programa de Moro, Em Frente Brasil, é o de reduzir os índices de criminalidade de todos os estados brasileiros até 2022 até os limites previstos pela ONU.

A maioria da grande imprensa, inexplicavelmente defensora da esquerda e do PT, partido que por sua vez mantinha uma parceria bem clara com as facções, acaba fechando os olhos à uma realidade que conhece muito bem.

E sempre conheceu.

O que, no final, acaba só demonstrando sua parcialidade e mais nada.

As ações do governo Bolsonaro e de Moro os desarma fatalmente.

Alegar desconhecimento diante de fatos não é pra verdadeiros jornalistas.

É pra escribas de aluguel.

Remunerados indiretamente – diga-se de passagem – por essas mesmas facções criminosas hoje desmanteladas por Moro.

Marco Angeli Full

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0