NEGÓCIOS: PARNAMIRIM DEVE CRESCER AINDA MAIS

A coluna NEGÓCIOS desta sexta-feira traz a notícia de um novo Plano Diretor para Parnamirim, que permitirá construções maiores na cidade e, em consequência, deverá dar uma chacoalhada na economia norte rio grandense. Veja a reportagem do Agora RN. 

Novo Plano Diretor deverá permitir construções maiores em Parnamirim

Atualmente, conforme o plano atual, datado de 8 de março de 2013, os bairros de Nova Parnamirim, Emaús, Passagem de Areia, Santos Reis e Cohabinal possuem, todos, um coeficiente máximo de 2.0

 

Por Agora RN

 

Bairro de Nova Parnamirim tem coeficiente de aproveitamento 2.0 no Plano Diretor. José Aldenir / Agora RN.

O novo Plano Diretor de Parnamirim pode conter em seu texto alterações acerca do coeficiente de aproveitamento de terrenos de alguns bairros. A informação foi confirmada pelo coordenador de Urbanismo da cidade, João Alexandre. O coeficiente é um número que, ao ser multiplicado pela área de um terreno, apontará a quantidade total de metros quadrados possíveis de construção.

“1.0 significa que eu posso construir até uma vez a área do terreno. Ou seja, se o terreno possui 200m, o indivíduo pode construir até 200m². Em alguns bairros – são poucos hoje – é possível se ter um aproveitamento do solo e criar mais do que o básico. Isso se daria através da outorga onerosa”, explicou o coordenador.

A outorga onerosa do direito de construir, conhecida como “solo criado”, é uma concessão emitida pelo Município para que o proprietário de um imóvel construa acima do limite estabelecido pelo coeficiente de aproveitamento básico. O beneficiário, todavia, deve prestar uma contrapartida financeira para obter a outorga.

Atualmente, conforme o plano atual, datado de 8 de março de 2013, os bairros de Nova Parnamirim, Emaús, Passagem de Areia, Santos Reis e Cohabinal possuem, todos, um coeficiente máximo de 2.0. O bairro do Centro, porém, tem seu índice de aproveitamento – outra designação para o coeficiente – em 1.5.

“O Centro, hoje, é um dos bairros de Parnamirim em que se é permitido ter um aproveitamento maior. O coeficiente básico é 1.0, mas é possível somar mais 0.5 desde que se pague por esse aproveitamento”, disse Alexandre.

O coordenador de Urbanismo acredita que uma possível alteração do coeficiente poderia contribuir para fomentar a economia na cidade. “Já que será possível a criação de mais espaços em um bairro como o Centro, haveria uma aproveitamento maior dessas áreas. Consequentemente, também teríamos uma extensão de prédios comerciais”, encerrou.

Fonte: Agora RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0