ESTUDOS TEOLÓGICOS: O ENIGMÁTICO EVANGELHO DE SÃO TOMÉ – PARTE 4

A nossa coluna ESTUDOS TEOLÓGICOS desta segunda-feira vamos estudar a 4ª parte do evangelho de Tomé. Um estudo sob a ótica da física quântica. O Evangelho de São Tomé trás muitas revelações importantes, inclusive a de que Jesus o tempo todo ensinou física quântica. Então vamos continuar desvendando esse enigmático evangelho!

Compreendendo o Evangelho de Tomé

Postado por 

Jesus de Nazaré – O Cristo:   “Se um cego guia outro cego, ambos cairão numa vala. Não é possível que alguém entre na casa de um homem forte e tome-a à força, a menos que lhe amarre suas mãos; então será capaz de saquear sua casa. Não vos preocupeis de manhã até a noite e de noite até a manhã com o que vestireis.”

Aquele que ouve e segue o que diz outro, mas o que lhe é dito e por ele escutado não está em sintonia com Princípios (Leis) Universais e Divinas, ambos caem em “uma vala comum”, impedindo-lhes continuarem suas jornadas para dentro de si mesmos e despertarem seus poderes cocriadores.

O ser humano deve mentalmente se sutilizar (mental sutil), fortalecendo sua consciência/pensamento, para não “ser assaltado” emocionalmente pela intensa força de atração do mundo das sensações aprisionadoras, ao seu derredor.

Ele deve sair da ilusória e excessiva “interação simbiótico-energética de “matéria desejando si mesma”. Ou, de seu corpo físico (matéria) com seus sentidos comuns impelindo-o excessivamente à posse de objetos (matéria), à sua volta. É a “Matrix” aprisionando-o no ter o que aparenta ser, mas o que de fato não é.

E, desta prisão movido pela sabedoria do discernimento deve, através de seus pensamentos, se libertar, Ele deve pensar, focando com ele sua atenção para se libertar das forças antagônicas dentrode si e, já livre do encantamento exterior e do que é aparente, possa descobrir interiorizada sua habilidade (mental) cocriadora.

Possa se conduzir emocionalmente pelos sentimentos da harmonia em sintonia mental à Linha B de suas Três Linhas da Vida). Nesta frequência de vibração com seu pensamento tudo pode.

Possa (mentalmente) ir além, não mais se aprisionando a um mundo aparentemente real/solido, “construído” temporariamente apenas para satisfazer seus sentidos normais.

 
Os discípulos estavam reunidos às portas fechadas no Cenáculo (imagens acima), em data próxima a festa judaica de Pentecostes que é celebrada 50 dias após a Páscoa, quando de repente uma ventania tomou a casa e apareceram línguas de fogo. Todos ficaram cheios do Espirito Santo e começaram a falar em outras línguas. E, nas imagens acima uma cantora gospel começou a cantar lindamente, ou melhor, vibrar melodiosamente sua voz envolvendo os presentes em um manto de encantamento e de harmonia, quando então todos ali naquele instante com seus corações e mentes em uma só frequência, proporcionaram o vórtice/”portal” para a manifestação de um sutil corpo de luz – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Quando tu te revelarás a nós e quando te veremos?” Jesus disse: “Quando vos despirdes sem vos envergonhardes e tomardes vossas vestes e, colocando-as sobre vossos pés, pisardes sobre elas como criancinhas, então (vereis) o filho daquele que vive e não tereis medo. Muitas vezes haveis desejado ouvir essas palavras que vos digo, e não tendes outro de quem ouvi-las. Pois virão dias em que me procurareis e não me encontrareis.”

Aquele que se fizer como uma criança, que em sua espontaneidade se despe de julgamentos e de preconceitos, ele verá a si mesmo como deve ser visto. Em sua transparência d’alma sem medo deve se vê, como se vê este (Jesus) que ainda no mundo físico lhes esclarece, mas chegará a ocasião que ele já ressuscitado, não poderá mais fisicamente presente ser escutado.

Muitos dos ensinamentos de Jesus foram transmitidos através de parábolas com intenção de facilitar seu entendimento, mas mesmo assim foram poucos aqueles, que naquele tempo os assimilaram. E, por não os entenderem, deixaram perder informações históricas ou mesmo as destruíram posteriormente por interesses próprios, como documentos apócrifos.

E, mesmo hoje muitos de seus ensinamentos contidos em documentos que foram resgatados, continuam mesmo assim seu sentido não compreendido com uma visão mais quântica.

 
Em Jerusalém estatua do Rei Davi e o com seus restos mortais Fotos de Antônio Carlos Tanure

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Os fariseus e os escribas tomaram as chaves da gnose. Eles não entraram nem deixaram entrar aqueles que queriam entrar. Vós, no entanto, sede sábios como as serpentes e mansos como as pombas. Uma parreira foi plantada fora do Pai, porém, não sendo saudável, ela será arrancada pela raiz e destruída. Quem tiver algo em sua mão receberá mais, e quem não tiver nada perderá até mesmo o pouco que tem.”

“Deve-se ser sábio como a serpente e manso como a pomba”, com aquele que prega ostensivamente em templos julgando possuidor de poderes e “interprete do plano espiritual”, mas o que menciona não está verdadeiramente em sintonia com este plano mais sutil e de luz. E ainda mais, deixa também os que o escutam em sintonia mental.

Este que assim prega, deve deixa-lo sob a regência de Leis Universais e Divinas, que são irredutíveis àquele que se conduz à margem delas, mais cedo ou mais tarde será tirado de cena, será extirpado.

Aquele que verdadeiramente busca o autoconhecimento, que com ele vai se percebendo em sua realidade cocriadora e divina, ele vai cada vez mais exteriorizando sua real riqueza. A auto iluminação é um processo mental/”espiritual” dinâmico, que não se deve deixa-lo estagnar. Assim estagnado ele mesmo não estaria.

Expressar-se com “espiritualidade” é vivencia-la. É se mostrar mentalmente consciente inserido no “mais além” através dos ensinamentos do “Filho Primogênito do Pai”, que informava a necessidade de cultivar sentimentos de bondade, porque associados a eles estão frequências mais altas que o ser humano pode gerar/vibrar. Amor universal (500 Hz), alegria (540 Hz), harmonia/paz (600 Hz), estado mental sutil de iluminação (700 Hz) e estado total/final de consciência (1000 Hz).

O ser humano vivenciando a frequência do amor, gera o respectivo poder de atração, que com ele vai se transformando e ao mesmo tempo influenciando aqueles que estão em sua convivência e que vão também se transformando. Vão mudando seu comportamento e, inclusive, harmonizando o ambiente onde se acham.

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Não percebeis quem sou eu pelo que vos digo, mas vos tornastes como os judeus! Com efeito, eles amam a árvore e odeiam seus frutos ou amam os frutos, mas odeiam a árvore. Quem blasfemar contra o Pai será perdoado e quem blasfemar contra o Filho será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado nem na terra nem no céu.”

Jesus mencionava a necessidade de cada vez mais pensar e proceder melhor (com mais equilíbrio emocional). Procurava especialmente ser compreendido desta maneira através de seus próprios exemplos e, quando também falava por parábolas.

Nesta sua maneira de se expressar, informava sobre o poder (vibracional) dos sentimentos como o do amor, da compreensão e da tolerância, entre outros. Ele percebia em si mesmos, que o cérebro humano é imensa fonte geradora de força mental, conduzindo o pensamento através da emoção.

Em sua época era muito questionado e quase sempre não aceito em função de seus ensinamentos, que com eles procurava remover milenares e ultrapassados paradigmas de comportamento.

E, apesar de ser aceito por alguns em função principalmente dos “milagres” que realizava, quase sempre não era compreendido por eles. Estas situações que com elas convivia cotidianamente, as compreendia apesar de deixa-lo humanamente aflito.

Entretanto, para ele aquele que pensava e blasfemava contra o espirito santo (energia da kundalini/crística de realização no mundo físico), não seria perdoado nem na terra nem no céu ”. Ou seja, aquele que não percebesse seu corpo físico o “veículo”, sua mente o “motorista” e sua emoção o “combustível” que se estivesse “adulterado, ele não iria a lugar nenhum. Assim estagnado ele mesmo não estaria se perdoando em corpo/alma – ou, na terra e no céu.

O pensamento não é apenas um processo mecânico, físico, biofísico. Ele é “ponte” que liga o ser humano pela sua Vontade através da energia crística/energia do espirito santo aos mundos paralelos, às dimensões e a outros planos de realidades.

 
Primeira imagem uma das extensões da caverna existente no subsolo da Basílica da Natividade, local onde provavelmente Jesus nasceu. Segunda imagem o interior desta Basílica – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Não se colhe uvas dos espinheiros nem figos dos cardos, pois eles não dão frutos. O homem bom retira o bem do seu tesouro; o malvado retira o mal de seu tesouro malévolo, que está em seu coração, e diz maldade. Pois da abundância do coração ele retira coisas más.”

Aquele que no mundo físico pensa e age com o sentido de unir, somar e construir, ele é movido pela energia do sentimento do amor, guardado dentro de si como seu precioso tesouro, que dele já foram retirados os maus sentimentos.

Sentimentos de maldade se alguém ainda os guarda em seu coração, ele está cultivando em seu dia a dia dentro de si “espinheiros e cardos (pragas) ”, que com eles vai se machucando, dificultando e empobrecendo sua vida.

A mentalização é importantemente eficiente quando se pensa de maneira positiva, exercitando-se com mente amorosa, para que facilite a materialização do que se almeja. Aquilo que alguém colhe na vida, é o reflexo persistente do que ele pensa e age ou, do que mentaliza/gera em seu campo de energia, que agindo como um imã, atrai resultados ao seu favor ou contra.

Aquele que sabe se direcionar na vida, consegue materializar o que pensa, Ele já sabe controlar situações, que o levam a viver de maneira mais plena sem perda de energia ou, sem mais o sentimento de sofrimento por já saber alcançar seu objetivo.

 
Muro das Lamentações em Jerusalém é o único vestígio do primeiro e antigo templo erguido por Herodes, portanto é o que restou dele como um muro de arrimo, que apenas já servia de sustentação ao segundo templo destruído no ano de 70 pelo general Tito, que se tornou imperador romano – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Jesus de Nazaré – O Cristo:   “Dentre os que nasceram da mulher, desde Adão até João, o Batista, não há ninguém superior a João, para que não abaixe os olhos [diante dele]. Mas eu digo, aquele dentre vós que se tornar uma criança conhecerá o Reino e se tornará superior a João.”

O ser humano que se mostra em pensamento e atitude como uma criança que não premedita, e agindo espontaneamente inocente, ingênuo, é mais fácil para ele por possuir coração e mente límpidos, exteriorizar a energia do espirito santo e, nesta frequência alcançar também o “Reino do Pai”, tornando-se superior a “João, o Batista”.

Aquele que se conduz na vida com pureza de propósitos, ele possui mais confiança em si e ausente de barreiras emocionais, abre com mais facilidade seus próprios caminhos. Ele já tem depositado em seu coração o sentimento de serenidade, que com ele caminha em seu dia a dia.

Sem mais o sentimento de julgamento de si mesmo e dos outros, ele possui a viva noção que suas experiências no mundo físico, são apenas trampolim em sua busca de outros e paralelos mundos.

Em suas experiências do dia a dia não se deixa conduzir pelo medo, mas pela espontaneidade e pela sinceridade, como condutoras de sua vida.

Move-se pelo autoconhecimento, que com ele vai percebendo suas verdadeiras possibilidades, quando vai ao mesmo tempo pesando seus defeitos e qualidades em uma aceitação de si mesmo. Vai assim se livrando do que nele não é autentico, do que não é de sua real natureza divina cocriadora.



A Mesquita do Domo da Rocha e o Murro da Lamentações estão fisicamente próximos daqueles que os frequentam com seus corpos físicos, mas muitos distantes dos mesmos que os frequentam com seus sentimentos – – Foto de Antônio Carlos Tanure.

Jesus de Nazaré – O Cristo:  É impossível para um homem montar dois cavalos ou retesar dois arcos. E é impossível que um servo sirva a dois senhores, pois ele honra um e ofende o outro. Ninguém bebe vinho velho e logo em seguida deseja beber vinho novo. E não se coloca vinho novo em odres velhos, para que não arrebentem; nem se coloca vinho velho em odres novos, para que não o estraguem. E não se cose pano velho em veste nova, porque ela está arriscada a rasgar.”

A densa e ilusória realidade da matéria que o ser humano experiência em sua condição físico-corpórea, nela vibram forças fundamentais em polaridades opostas, dando-lhe (já ainda no mundo do átomo) ilusão de uma realidade consistente, que ele deve aprender a extrapola-la.

Deve se libertar destas forças, que nele também inseridas o influenciam, refletindo na alternância de seus sentimentos, interesses e ações, mostrados comumente em sua convivência com os outros.

Em suas experiências no mundo físico ele deve (mentalmente) se situar na Linha B ou do Meio de suas Três Linhas da Vida, para adquirir a possibilidade de neutralizar estas forças, que energeticamente “estruturadas” em seu corpo físico, o impulsionam em sua vida também fisica.

Na Linha B ele alcançando o estado de graça, alcança também capacidade de interagir consciente com seu Corpo de Luz (Eu do Futuro), que em outra frequência de realidade não estando sujeito às Leis do mundo físico, o auxilia em sua ressureição e transmutação, para que se liberte definitivamente deste mundo e volte à “Casa do Pai”.

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Se os dois fizerem as pazes nesta casa, eles dirão a montanha: ‘Move-te! ’ e ela se moverá. Bem-aventurados os solitários e os eleitos, pois encontrareis o Reino. Pois, viestes dele e para ele retornareis.”

Aqueles em estado de graça que se acham mergulhados em si mesmo, estão em uma conduta solitária, mas não de solidão percebendo em seus corações e em suas mentes serem partes vivas do “Reino do Pai”, que dele temporariamente estão só separados pela barreira de seus corpos físicos, mas ao se ressuscitarem e se transmutarem, voltarão definitivamente para ele.

Quanto mais as presenças destes “bem-aventurados” que assim pensam, a energia (mental) que cada um vai gerando, vai se somando com a do outro, possibilitando-lhes no final a capacidade de realizarem maravilhas e, se “dizerem à montanha move-te, ela se moverá”.

A intensidade da energia, a velocidade do pensamento e como a mente atua na matéria ou, respectivamente as Linhas ABC da Vida que determinam o sucesso (ou não) do que foi por ele mentalizado. Estas três linhas quando já destacadamente funcionando/vibrando em harmonia no instante do que foi pensado e desejado, fica ainda mais fácil para ele se estabilizar emocionalmente na frequência de kundalini em espiral (sublimada), a frequência que é cocriadora.

 
Para os judeus o Muro das Lamentações é “um portal de entrada para o Céu”. É um local onde a plenitude de sua identidade encontra expressão, representando a eternidade de Deus e do Povo Judeu escrita em pedra – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Se vos perguntarem: ‘De onde vindes? ’ Respondei: ‘Viemos da luz, do lugar onde a luz nasceu dela mesma, estabeleceu-se e tornou-se manifesta por meio de suas imagens’. Se vos perguntarem: ‘Vós sois isto? ’ Digam: ‘Nós somos seus filhos e somos os eleitos do Pai vivo’. Se vos perguntarem: ‘Qual é o sinal de vosso Pai em vós? ’, digam a eles: ‘É movimento e repouso’.”

O ser humano é em sua essência energia/luz originada da Fonte Divino-Eterna, “que nasceu dela mesma” e que mostra apenas seu reflexo ao limitado entendimento humano, que com ele experiencia o raciocínio e a lógica através de seus limitados cinco sentidos, próprios para inseri-los apenas ao seu mundo exterior e físico.

Mas, aquele que não se sujeita esta limitação, impulsionando-se por sincera vontade conduzida pelo coração, busca sua origem divina não fora, mas dentro de si, em seu mundo interior.

Ele vai procurando alcança-la como sua verdadeira riqueza, ao ampliar seus conhecimentos nem tanto mais impulsionado pela inteligência, mas pela sabedoria que realmente esclarece, que ilumina seu mundo interior e que torna possível perceber não só ele, mas todos filhos de um mesmo ”Pai”.

A vida do ser humano é um dinâmico conjunto de experiências, conhecimentos e aprendizados. Conhecimentos que o levam ao aprendizado último e mais verdadeiro de buscar a Luz Viva e nela assim se perceber inserido.

 
Na primeira imagem imediações em Jerusalém da Mesquita do Domo da Rocha e na segunda imagem o Domo Dourado – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Aquilo que esperais (o repouso dos mortos e quando virá o novo mundo) já chegou, mas não o reconheceis. Omitistes aquele que vive em vossa presença e falastes dos mortos.”

A presença na realidade física de Jesus e depois sua ressureição e a transmutação final de seu corpo físico, abriu aos seres humanos a “porta” entre a realidade física e às realidades mais sutis/aceleradas.

Ele permitiu que um novo mundo mental de experiências e de transformações acontecesse àqueles que a muito vinham procurando passar por esta “porta”, que pudesse leva-los além da ilusória realidade de seu mundo físico e exterior, estimulando-os primeiro se conhecerem, interiorizarem-se, para só assim conhecerem a realidade de uma outra mais verdadeira e sutil vida.

Entretanto, muitos ainda hoje se movem como sonambúlicos ou mesmo mortos (em inercia mental total) persistindo não o ter verdadeiramente como exemplo, como “ponte” para regressar a “Casa do Pai” e, à sua verdadeira vida.

Ele como partícula de vibração mais intensa enviada à Terra, veio para conviver entre os seres humanos e lhes passar sua tecnologia mental, ensinando-a como sua Boa Nova a ressurreição e a transmutação.

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Se ela (a circuncisão) fosse benéfica, os pais gerariam filhos já circuncisos de sua mãe. Mas a verdadeira circuncisão (iniciação) a espiritual, tornou-se inteiramente proveitosa.”

A verdadeira circuncisão não deve ser aquela que acontece na carne (corte físico do prepúcio), não aquela que acontece materialmente, mas em outro padrão mental e nível evolutivo, que com eles possam ser eliminados/cortados velhos e viciosos hábitos, para serem construídos novos e dinâmicos procedimentos, observando-se verdadeiramente a ciência lilarial com seus fundamentos (da natureza), conduzidos por Leis Universais.

O ser humano não deve limitar seu interesse apenas ao do seu corpo físico. Ele não deve esquecer, que é possuidor de corpo mental sutil gerado ao nível da 5ª camada de seu campo biomagnetico (aura), que com ele e seu vórtice (chakra) frontal, pode mudar a sua realidade através de seu pensamento, impulsionando-se pelo seu desejo e pela sua vontade. Com eles buscando o melhor para si e para os outros, tornando-se luz, que a reflete nos outros.

 
Na primeira imagem imediações em Jerusalém da Mesquita do Domo da Rocha e na segunda imagem a pedra que é venerada pelos muçulmanos e que está dentro da Cúpula Dourada. – Primeira foto de Antônio Carlos Tanure e a segunda foto da Internet.

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “Bem-aventurados os pobres, pois vosso é o Reino do céu. Aquele que não odiar seu pai e sua mãe não poderá se tornar meu discípulo. E quem não odiar seus irmãos e irmãs e tomar sua cruz, como eu, não será digno de mim. Aquele que conseguiu compreender o mundo encontrou (somente) um cadáver, e quem encontrou um cadáver é superior ao mundo.”

Aquele que não se deixa consumir (emocionalmente) pela sua momentânea e ilusória passagem na realidade física, ele não se preocupa por posses de bens materiais. Satisfaz em levar sua vida de maneira mais comedida e mais harmônica, tendo o que realmente necessita

Ele se volta mais em buscar o que está velado em seu interior e não em seu exterior. Busca em si mesmo a verdadeira riqueza, a verdadeira posse que lhe acalma e o leva “ao Reino do Céu” e, não a riqueza aparente e exterior, que o hipnotiza e que o leva a se aprisionar em um mundo ilusório tanto pelo que é “construído”, quanto pelo que oferece.

Aquele que neste mundo peleja em sua própria casa, ele já o compreende melhor este mundo de conflitos, que se assemelha a “um cadáver” e que não retrata a verdadeira vida em outras realidades mais sutis de existência. Realidades para serem alcançadas, é necessário que cada um tenha paciência e carregue sua própria cruz, mostrando-se “espiritualmente” superior àqueles que o crucificam, para assim se tornar digno do “Pai”.

Os que estão realmente em sua caminhada evolutiva, sabem dividir não só sua riqueza física, como também a mais valiosa delas, o amor em seu coração. Este sentimento é a sua mais preciosa riqueza, que compartilhada possui a magia divina de unir, de somar. Aqueles que assim procedem em sintonia à Lei Universal do Retorno, têm a solução de tudo em suas mãos.

Jesus de Nazaré – O Cristo:  “O Reino do Pai é semelhante ao homem que tem [boa] semente. Seu inimigo veio durante a noite e semeou joio por cima da boa semente. O homem não deixou que arrancassem o joio, dizendo: ‘temo que acabeis arrancando o joio e também o trigo junto com ele. No dia da colheita as ervas daninhas estarão bem visíveis e serão, então, arrancadas e queimadas. Bem-aventurado o homem que sofreu e encontrou a vida.”

O ser humano em essência é Luz Viva, que nela estão ausentes a logica pelos sentidos e o estimulo pelo instinto, “propulsores” de seu corpo físico como instrumento para experienciar um mundo denso e limitado por três dimensões.

Metaforicamente, em seu “espirito”/luz encontra-se a boa semente (“trigo”), que no momento está entrelaçada à “má semente (“joio”) constituída pelas suas sensações quando incorretamente conduzidas pelos seus sentidos e movidas pelo seu instinto, que devem ser removidas antes “do dia da colheita”.   Ou, antes do momento de ele ressuscitar/transmutar seu corpo físico em corpo de luz, para voltar à fonte de sua verdadeira origem – “ao Reino do Pai”.

O ser humano constituído por sentimentos/emoções vai gerando seu “universo”, que pode interferir nos “universos” de outros seres humanos em sua volta. A “realidade” que ele depara cotidianamente é consequência das consequências de seus pensamentos, decisões e atos já instalados em sua mente (em seu “universo mental”).

O “Joio e o “Trigo” nesta parábola estão associados respectivamente aos pensamentos e ações negativos e positivos.

A força do pensamento que o ser humano carrega, ele nem imagina. Com ela suas possibilidades (através de suas habilidades mentais) são imensas, tanto para construir, quanto para destruir.  Jesus muito mencionou, para que cada um se observasse e procurasse o máximo evitar tropeços em seu caminhar. A ressurreição e a transmutação e o porquê delas são dois pontos centrais impulsionadores àqueles, que buscam o “Reino do Céu”.

 
Imagens do Tanque de Siloé – Jesus depois de restituir a visão a um cego, cuspindo no chão e com a terra fazendo barro com sua saliva e em seguida ungindo os olhos do cego com aquela mistura, lhe disse: “Vai, lava-te no Tanque de Siloé”. E, sobre esta cura respondendo a um de seus discípulos, disse-lhe que a cegueira dele não vinha de algum pecado seu e nem de seus pais, mas se ele estava nesta condição desde o seu nascimento, foi para que as obras de Deus fossem reveladas na vida dele, E conclui, “faço as obras daquele que me enviou” – Fotos de Antônio Carlos Tanure

Fonte: Pegasus Portal

Deixe uma resposta