DIREITO CONSTITUCIONAL AO ABORTO NOS EUA É DERRUBADO PELA SUPREMA CORTE

Suprema Corte dos EUA derruba direito constitucional ao aborto

Decisão não torna a interrupção da gravidez ilegal, mas dá a cada estado o direito de decidir sobre a autorização da prática

INTERNACIONAL |

por AFP

ATUALIZADO EM 24/06/2022 – 12H14

Mulheres participam de manifestação sobre aborto nos EUA

ANNA MONEYMAKER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP

A muito conservadora Suprema Corte dos Estados Unidos pôs fim nesta sexta-feira a uma sentença que por quase meio século garantiu o direito das mulheres americanas ao aborto, mas que nunca havia sido aceita pela direita religiosa.

Essa decisão não torna a interrupção da gravidez ilegal, mas leva os Estados Unidos de volta à situação que prevalecia antes da decisão “Roe vs. Wade”, de 1973, quando cada estado era livre para autorizá-la ou não.

Em um país muito dividido, é provável que metade dos estados, principalmente os conservadores da região sul e do centro, possa proibir a prática do aborto por um curto período de tempo.

“A Constituição não faz nenhuma referência ao aborto e em seus artigos protege implicitamente esse direito”, escreveu o juiz Samuel Alito, em nome da maioria. Nesse contexto, Roe vs. Wade “deve ser anulado”.

“É hora de devolver a questão do aborto aos deputados eleitos pelo povo”, escreveu ele, dirigindo-se aos parlamentos locais.

Tal formulação é muito parecida com o projeto de condenação que causou grandes manifestações em todo o país e uma onda de indignação na esquerda.

Desde então, a situação tem sido tensa nas imediações da Suprema Corte, isoladas pelas forças de segurança para manter os manifestantes a distância.

Deixe uma resposta