DE PONTA-CABEÇA: ATRAÇÃO

A coluna DE PONTA-CABEÇA desta segunda-feira faz uma REFLEXÃO sobre as coisas e as pessoas que atraímos para as nossas vidas em Atração. Confira a seguir e tire as suas próprias conclusões. 

Atração

Flickr

A Lei

A Lei da Atração ou Gravitação Universal foi enunciada pelo físico e matemático Isaac Newton em 1682. Ela afirma que uma força é exercida entre dois corpos em função desses corpos possuírem certa massa. E, mais, que essa força é tão maior quanto maiores forem as massas dos corpos e quanto menor a distância entre eles.

Partindo-se desse princípio, quanto maior a sua curiosidade sobre outro indivíduo e quanto menor a distância entre vocês, maior a probabilidade de vocês desenvolverem uma comunicação e, dessa comunicação, evoluir para algum tipo de relacionamento, certo?

Afinal, como posso conhecer pessoas se não vou ao seu encontro? Como posso fazer amizades ou me apaixonar se não estou disponível?

A probabilidade

Não existem números para definir as probabilidades de você atrair semelhantes. Semelhantes são aquelas pessoas que possuem perfis parecidos com o seu.

Diferentemente do clichê “os opostos se atraem”, a Lei da Atração defende o outro clichê “o positivo atrai o positivo e o negativo atrai o negativo”, tentando não destruir a Teoria Atômica, claro.

Alguns falam em perfil, outros falam em energia e há até mesmo quem fale em vibe.

O esforço para encontrar semelhantes

O fato é que o esforço empregado para fazer um carro sair de 0 para 50 km/h ou vice-versa é muito maior do que mantê-lo parado ou em velocidade constante.

Em suma, quem vive uma vida baseada em otimismo, consciente ou inconscientemente, por inércia, quer continuar vivendo uma vida colorida e, portanto, rodeia-se de pessoas otimistas. Essa pessoa, inconscientemente, procura pelo seu semelhante. Ela sorri para as pessoas, porque ela sabe que se a devolutiva for positiva, existe uma probabilidade ainda maior de se tratar de um semelhante seu.

Ela apresenta suas ideias positivas a respeito da vida, porque o momento da verdade é a réplica do ouvinte. Esse é o ápice. O momento em que ocorre a identificação ou não entre os participantes do diálogo.

O caso dos pessimistas ocorre da mesma forma. Por inércia, um pessimista prefere continuar no pessimismo. A diferença é que o pessimista, por apreciar, inconscientemente, o martírio, acaba atraindo não somente pessoas que sofrem como também aquelas que machucam. Porque a convivência com qualquer desses tipos garantirá que ele permaneça enxergando tudo cinza, a sua natural zona de conforto.

O horror

Mas desde quando o mundo é tão perigoso? Desde quando o mundo é tão preconceituoso? Tão racista? Tão sexista? Tão vampiresco?

Há quem diga que sempre foi assim, apenas não se era noticiado. Mas se sempre foi assim, por que, no Brasil, por exemplo, o número de farmácias continuou crescendo indiscriminadamente, mesmo após a crise de 2014, enquanto os empreendimentos dos demais setores seguiam fechando as suas portas?

Dados da Organização Mundial da Saúde, apontaram que o Brasil apresenta, hoje, a maior taxa de ansiedade entre todos os países do mundo: 9,3%. As pessoas estão doentes porque estão cercadas de pessoas doentes ou elas estão cercadas de pessoas doentes porque estão doentes?

Atração fatal

O que você quer atrair? Farmácias? Parques? Que tipo de atração você quer ser? Um Valium? Um pique-nique? As opções são infinitas. Para atrair, basta ser.

Autoria: Deborah Braga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0