CULTURA: JOVEM ESCRITORA POTIGUAR LANÇA SEU SEGUNDO LIVRO DESCULPE, ESQUECI O PARAQUEDAS

 É com prazer e satisfação que apresento, aqui na coluna CULTURA o segundo livro da jovem escritora potiguar Kalliny Moura, “Desculpe, esqueci o paraquedas, que você pode adquirir através do blog da autora www.kallinymoura.com.br. Uma obra romance de ficção que aborda uma assunto altamente relevante na atualidade: a depressão. Então não perca tempo, acesse o blog da Kalliny, adquira esta incrível obra e prestigie o talento da nossa terra!

A seguir a apresentação do livro e um comentário da nossa psicóloga colaboradora Sarita Cesana.

capa do livro desculpe esqueci o paraquedas

Ler é fazer amor com palavras

Sarita Cesana

Rubem Alves

Que tal mergulhar no mundo das emoções com uma leitura  dinâmica. .Apresento abaixo uma escritora potiguar, que merece nosso respeito, e prestígio, já que é um talento da nossa terra.

Abordando temas do nosso cotidiano, com foco nas relações, relata de maneira leve as oscilações de humor, dores e desafios de uma personagem que pode ser qualquer um de nós!!!

‘Eu sou Kalliny Moura, apaixonada por livros desde criança. Advogada de formação, mas a minha paixão é literatura.

Há quatros anos, num impulso, criei um blog denominado “Dicas (in)falíveis sobre o amor”. A pretensão era apenas extravasar o estresse do trabalho e dos estudos. Mas, quando recebi o primeiro comentário – quero a continuação –, foi o incentivo que eu precisava para continuar escrevendo. A partir daí passei a publicar um texto por semana que, posteriormente, resultaria no meu primeiro livro o “Miga, querem roubar meu crush”.

Em setembro de 2020 publiquei minha segunda obra: “Desculpe, esqueci o paraquedas”. Romance narrado em primeira pessoa pela personagem Chélia. Chélia e não Célia, devido a família paterna dela ter obsessão por H. Uma tradição baseada em “se no nome dele tem, no meu também vai ter”. E assim surgiu Shelma, Mhaurício, Chélia…

Chélia sempre teve uma preocupação excessiva com a opinião dos outros. Seus objetivos eram agradar, passar despercebida e não entrar em conflitos. Quando ainda era criança, sua autoestima subiu numa bicicleta sem freios e a partir daí só desceu ladeira abaixo.

Ela está com depressão, ansiedade, frequentando clínicas psiquiátricas e tomando remédios estranhos, classificados como psicotrópicos. Após sucessivos fracassos na tentativa de ingressar num curso superior, durante uma intensa discussão com seu pai, ela toma uma decisão impensada.

As cortinas do quarto escuro de Chélia se abrem e ela cai sem paraquedas em um mundo novo. Sorrisos, tristezas, superações e amores improváveis serão seus companheiros em terras desconhecidas.”

Se interessou? Mais informações no insta @kallinymoura_ ou kallinymoura.com.br

Fonte: .kallinymoura.com.br

Este post tem 3 comentários

  1. Antonio

    Livro sensacional.
    Totalmente recomendado para todos.

    1. Wagner Braga

      Sempre às ordens Kalliny!

Deixe uma resposta