CERCA DE 50 FILHOTES DE TARTARUGAS FORAM SOLTOS PELO PROJETO TAMAR EM PRAIA DO LITORAL SUL POTIGUAR

Por g1 RN

 

Cerca de 50 filhotes foram soltos nesta quinta na Praia das Minas — Foto: Caroline MacedoCerca de 50 filhotes foram soltos nesta quinta na Praia das Minas — Foto: Caroline Macedo

O Projeto Tamar soltou nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (10) cerca de 50 filhotes de tartarugas-de-pente na Praia das Minas, na cidade de Tibau do Sul, no litoral Sul do Rio Grande do Norte.

O local escolhido se deveu porque a Praia das Minas está inserida na Área de Proteção Ambiental Bonfim-Guaraíra (APABG), uma Unidade de Conservação Estadual administrada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema).

No litoral do Rio Grande do Norte, essa é uma das praias que mais atrai as tartarugas, que vão ao local realizar a desova e, posteriormente, o nascimento dos filhotes, quando chega o período certo para eclosão dos ovos.

O pesquisador e membro do Projeto Tamar Eduardo Lima explica que para as tartarugas escolherem áreas favoráveis à desova, elas consideram condições como áreas pouco habitadas, umidade, textura da areia e temperatura, para poderem ter o máximo de geração de filhotes.

A tartaruga-de-pente é criticamente ameaçada de extinção, segundo explicou o Idema.

A Praia das Minas faz parte da maior área de ninhos de tartaruga-de-pente do litoral potiguar, considerado uma área de estudo integral.

A faixa que compreende os municípios de Senador Georgino Avelino, Tibau do Sul, Baía Formosa e Nísia Floresta é a região de maior incidência de desova de tartaruga do Atlântico Sul, segundo o pesquisador.

“Essa área sofre muito com o tráfego de veículos, gerando um grande problema nesse processo de conservação da espécie. Fazemos um pedido para a preservação dessa área e para muitas outras onde ocorre desova de tartaruga”, falou Eduardo.

“De maneira bastante impensada, algumas pessoas pegam os tubos – fixados na areia para identificação de ninho, para apoiar varas de pescar, fazer trave de futebol e pendurar sacolas. É realmente triste ver que muita gente não se importa e não pensa que toda ação produz uma reação, interferindo diretamente na manutenção do ecossistema”, relatou.

Área para eclosão

Numa faixa de 4 quilômetros, a Praia das Minas, reúne 129 ninhos de tartarugas monitorados pelo Projeto Tamar. Em toda a área, que compreende mais outras duas praias, em aproximadamente 19 quilômetros existem 525 ninhos.

Em Tibau do Sul, a região que compreende as praias do Madeiro, Cacimbinha e Baía dos Golfinhos é uma área que tem um maior sucesso de eclosão.

No RN, a temporada reprodutiva inicia em meados de novembro, com as primeiras desovas, e se estende até junho, com o nascimento dos últimos filhotes. O pico reprodutivo ocorre nos meses de fevereiro e março. Durante esse período é redobrado o cuidado com a proteção desses animais.

Preservação

Para o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, o trabalho de proteção e conservação da espécie é uma missão que compete a toda a população. “Fazemos parte da natureza e a responsabilidade de zelar pelo meio ambiente é individual e coletiva. O trabalho realizado pelo Projeto Tamar é fundamental para a sobrevivência da tartaruga-de-pente no território brasileiro, mas ele não é suficiente sem a sensibilização e a colaboração efetiva das pessoas”, comentou o diretor.

A secretária Municipal de Meio Ambiente de Tibau do Sul disse que criou bloqueios com estacas de madeira para impedir o tráfego de veículos automotores no trecho como forma de preservação.

“Aqui, além da colocação dos bloqueios, fizemos a sinalização com a colocação de placas em parceria com a iniciativa privada. A associação de hotéis e pousadas de Tibau do Sul compreendem a importância dessa unicidade para mantermos nossa biodiversidade e o turismo de forma sustentável”, disse Laíra Sousa.

Projeto Tamar

A Fundação Projeto Tamar atua no litoral brasileiro desde a década de 80 com a missão de promover a recuperação das tartarugas marinhas, desenvolvendo ações de pesquisa, conservação e inclusão social. Atualmente, no Rio Grande do Norte, o Projeto busca parcerias para dar continuidade ao monitoramento. Um dos grandes desafios é a contratação de profissional. Em boa parte do Litoral Sul, o pesquisador Eduardo Lima faz praticamente sozinho todo o trabalho de cuidar dos ninhos.

Cartilha

Recentemente, o Idema elaborou a cartilha “Boas práticas para conservação de tartarugas marinhas – Área de Proteção Ambiental Bonfim-Guaraíra”. O material, disponível em formato digital no site idema.rn.gov.br, reúne conteúdo a respeito de desova, eclosão de ninhos, período de reprodução, trabalho de monitoramento, ameaças, os procedimentos corretos ao encontrar uma tartaruga marinha, os principais telefones para contato, entre outros.

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta