BOAS NOTÍCIAS: UMA INCRÍVEL HISTÓRIA DE TRANSPLANTES DUPLOS

Onde existe amor não existe preconceito, racismo nem desigualdades. Pelo contrário, o que existe são soluções. Veja o exemplo dessa linda história de amor e humanidade da nossa coluna BOAS NOTÍCIAS desta quarta-feira. Colegas de trabalho descobrem que a situação de seus maridos eram idênticas: ambos precisavam de um transplante de rim. E o que é mais incrível, elas  perceberam que o tipo sanguíneo delas possibilitava o transplante. O resto da história você vai conhecer lendo o artigo completo a seguir!

Colegas de trabalho doam rins: uma para o marido da outra

Amigas de trabalho há 10 anos, Tia Wimbush e Susan Ellis, descobriram em uma conversa aleatória que poderiam salvar as vidas dos maridos, que precisavam de transplantes de rim.

Os laços que elas tinham se estreitaram ainda mais após o procedimento. As duas comemoraram o sucesso das cirurgias e dizem que terão uma ligação eterna a partir de agora.

As colegas conversavam no banheiro sobre a condição de saúde dos maridos, quando perceberam que o tipo sanguíneo delas possibilitava o transplante.

Companheiras

Tia e Susan trabalham desde 2011 no departamento de TI da Children’s Healthcare de Atlanta, nos Estados Unidos. No entanto, elas só se aproximaram em 2019, quando os maridos foram diagnosticados com problemas renais.

Ocasionalmente, elas se encontravam para compartilhar os obstáculos dos tratamentos e dar conselhos sobre como ultrapassar as fases pré-cirúrgicas.

E foi em uma dessas conversas que elas mudaram totalmente o rumo das vidas das duas famílias. Enquanto lavavam as mãos e discutiam casualmente o processo de doação, Tia olhou para Ellis e perguntou o tipo de sangue do marido dela.

Lance, marido de Susan, é tipo O-, assim como Tia. Rodney, esposo de Tia, é AB, que pode receber transfusões de sangue tipo A, como o de Susan.

“O que passou na minha cabeça foi: ‘E se pudermos doar nossos rins uma para o marido da outra?’. Eu nunca poderia ter imaginado”, conta Tia.

Os quatro amigos passaram por exames que confirmaram a compatibilidade e, seis meses depois, em março desse ano, os transplantes foram realizados.

Nova família

Os dois casais contam que a experiência os uniu como uma família.

“É mais do que amizade. Todos nós corremos um risco fazendo a cirurgia, e agora estamos conectados para sempre, torcendo um para o outro durante o processo de recuperação e essa segunda chance de vida”, conta Tia.

“Estou mudada para sempre, com esperança na humanidade e espero que outras pessoas aprendam algo com essa história”, concluiu.

Lance e Susan após a cirurgia.- Foto: arquivo pessoal
Lance e Susan após a cirurgia.- Foto: arquivo pessoal
Tia e Rodney após a cirurgia.- Foto: arquivo pessoal
Tia e Rodney após a cirurgia.- Foto: arquivo pessoal

Com informações de CNN

Fonte: Só Notícia Boa

Deixe uma resposta