BOAS NOTÍCIAS: QUANDO A DIFERENÇA NA APARÊNCIA SE TORNA UMA BÊNÇÃO

Xueli Abbing, uma albina de 16 anos, foi deixada na porta de um orfanato quando recém nascida. O albinismo é visto como uma maldição na China e em alguns países da África as crianças são caçadas e mortas para fazer “remédios para tratar doenças”, como ela afirma. No caso de Xueli a diferença na aparência foi uma bênção. Aos 16 anos ela é uma das principais modelos da prestigiada revista Vogue. Leia o artigo completo a seguir e saiba como isso aconteceu!

Abandonada ainda bebê por ser albina chinesa vira modelo da Vogue

Xueli Abbing, de 16 anos, foi abandonada quando era bebê, na China, por se albina. Hoje é uma das principais modelos da prestigiada revista Vogue.

O albinismo, visto no país como uma maldição, é uma condição genética, ausência completa ou parcial de melanina. Ele torna a pele e o cabelo totalmente claros e deixa a pessoa sensível aos raios solares.

O abandono, a vida no orfanato e todas as dificuldades pelas quais Xueli passou não a impediram de ter um futuro brilhante.

Neve

Xueli foi deixada na porta de um orfanato e lá, ela foi batizada com o apelido de Xue Li, que significa ‘neve’ e ‘linda’.

Por ter uma beleza rara e incomum, ela recebeu a primeira proposta para trabalhar como modelo aos 11 anos.

Ela foi convidada para participar do desfile da coleção “Perfeitas, imperfeições”, o que abriu os horizontes para uma carreira de sucesso.

“Na modelagem, a diferença na aparência é uma bênção e não uma maldição, além disso, tenho o passo para aumentar a consciência o máximo que puder sobre o albinismo”, enfatiza a modelo.

Xueli conta ainda que teve muita sorte. Além da China, ela diz que há países na África que caçam crianças albinas para matá-las e fazer “remédios para tratar doenças” – que absurdo.

Vogue

Da primeira campanha para as páginas de Vogue foi um pulo. Ela rapidamente liderou campanhas de designers e estilistas famosos.

A modelo entrou na edição de junho de 2019, da Vogue Itália, graças às fotos de Brock Elbank, fotógrafo inglês.

“As pessoas me dizem que tenho que aceitar coisas do meu passado, mas acho que não. Eu acredito que você precisa ver o que aconteceu e entender o porquê, mas não aceitar isso.

Não vou aceitar que crianças sejam assassinadas por causa de seu albinismo. Eu quero mudar o mundo”, garante a modelo.

Veja algumas fotos de Xueli no Instagram dela:

Por Andréa Fassina, da redação do Só Notícia Boa – Com informações do ZNews e do Correio Braziliense

Fonte: Só Notícia Boa

Deixe uma resposta