AUTOCONHECIMENTO: VOCÊ SABE O QUE É FAZER UMA ESCOLHA CONSCIENTE?

A nossa REFLEXÃO desta quinta-feira, aqui na coluna AUTOCONHECIMENTO é: como você tem feito escolhas conscientes?

Mas será que as suas escolhas tem sido escolhas realmente conscientes ou será que achamos que são e nem sempre elas são conscientes?

Vale a pena refletir sobre isso, pois estamos aqui para aprender todos os dias e se formos mais humildes conseguiremos ter esse olhar interior crítico sobre nós mesmos. Desta forma será mais fácil deixar a carapaça da ilusão cair e enxergarmos com mais clareza e lucidez o caminho certo a percorrer. Leia o texto completo a seguir e pense nisso!

Como você tem feito escolhas conscientes?

Mulher sorrindo e de olhos fechados, sentindo o sol em seu rosto
Marco VDM / Getty Images Signature / Canva

Por muitos anos eu fiz escolhas inconscientes. Fazia certas coisas sem sentido. Na realidade, eu não tinha consciência de que existiam outras possibilidades ou sequer um despertar. Para chegar a concluir uma faculdade que eu realmente quisesse fazer, demorou anos. Embarquei em relacionamentos afetivos e amizades tóxicas, trabalhei com coisas que não ressoavam na minha essência e frequentei lugares nos quais eu não me sentia bem.

Isso tudo inconscientemente. Quando estamos submersos em um ecossistema que nos soa familiar por muito tempo, dificilmente enxergaremos outras realidades. Certas coisas me faziam mal e eu continuava a fazê-las, pois eu não sabia que eram tais gatilhos que me faziam repetir ciclos. Somente a partir do momento em que eu me abri para novas realidades é que elas se apresentaram. Elas até já poderiam ter sido apresentadas em minha vida há muito tempo, mas como eu estava em outra sintonia, poderiam sambar na minha frente que eu não as enxergaria.

Pelo caminho do autoconhecimento, é possível começar a traçar uma nova trajetória para nossa vida. Quanto mais nos aprofundamos nesse quesito, um novo horizonte se abre para nós. Isso tudo se dá pelo primeiro passo: deixar essa brecha se abrir em nossa vida. O segundo passo é buscar novas formas de viver bem, seja por meio de livros, filmes ou documentários que ajudem na expansão da consciência, bem como terapias que nos direcionem.

Se tudo o que tem feito até hoje não tem funcionado, experimente algo novo, que faça mais sentido e principalmente que seja bom para ti e para o bem maior.

Com essas ferramentas em andamento, a nossa mente clareia de tal forma que agora podemos ver o que fazíamos que não era bom para começar a fazer o que tem mais sentido, o que tem mais vida!

Imagem de uma mulher sentada em um deck de madeira, na beira de um rio
Elenavagengeim / Canva

Você sabia que o simples fato de deixar de fazer certas coisas já te ajudariam nesse processo?

Por exemplo: pessoas que se alimentam de coisas densas como filmes, livros, séries, amizades etc… que as levam para a escuridão, isso só faz com que a sua própria luz diminua. Tem gente que acha que um filminho de terror é ok de assistir, mas infelizmente esse tipo de conteúdo não faz bem. É só você observar como as pessoas que cultivam somente coisas nessas esferas vivem. Tudo o que fazemos, consumimos, lemos, comemos e tudo mais influencia e impacta diretamente tudo o que fazemos, ou seja, o nosso modo de viver.

Quer viver diferente? Primeiro deixe de lado tudo aquilo o que faz mal, para começar a cultivar coisas que façam bem ao seu espírito. Tudo descende do espírito.

Essas mudanças ajudarão a clarear a mente e as emoções e farão com que você cada dia mais enxergue a realidade por trás dos véus da ilusão. Quando enxergamos além, passamos a vivem de forma consciente, e isso tudo virá naturalmente, inclusive as escolhas.

A vida terá um novo tom. E haverá questionamentos sobre por que se tem feito certas coisas. Então o questionamento abrirá janelas para mudanças. A partir do momento em que novas situações aparecerem para você, você terá discernimento e consciência sobre escolher algo ou seguir um caminho diferente. Naturalmente, porém conscientemente.

Atualmente eu escolho muito bem com quem eu compartilho a minha vida e a minha energia, a quais lugares quero ir e de quais eu saio por não me sentir bem. Agora não forço nada, simplesmente vou refinando os meus sentidos para viver cada dia melhor. E tudo graças ao novo olhar com o qual eu permiti direcionar a minha jornada aqui nesta existência.

Escrito por Giselli Duarte

Deixe uma resposta